Você está na página 1de 5

O EMPOWERMENT NAS ORGANIZAÇÕES

Cíntia Pierote de Oliveira1, Valdevino Krom2


1
Universidade do Vale do Paraíba – Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação/FCSAC - ,
Av. Shishima Hifumi,2911 – Bloco 1, Urbanova. São José dos Campos. SP. cipierote@hotmail.com;
valkrom@univap.br
.
Resumo- A competitividade no mundo organizacional vem ganhando proporções cada vez maiores. Com o
avanço tecnológico e com a facilidade de acesso a informações, as empresas vêem hoje o seu diferencial
competitivo inserido no capital humano. Para tanto, esse diferencial só é alcançado quando o empregado
tem confiança para tomar decisões e é comprometido com a missão da empresa. Esse artigo tem como
objetivo expor uma breve conceitualização sobre o empowerment, uma forma de gestão participativa que
utiliza a divisão de poder e responsabilidade como forma de melhoria de resultados frente a empresas onde
funcionários são treinados somente para a execução de suas tarefas, e demonstrar repercussões da
implantação e utilização dessa ferramenta nas organizações.

Palavras-chave: Empowerment, cultura organizacional, liderança, gestão de pessoas.


Área do Conhecimento: VI – Ciências Sociais Aplicadas.

Introdução A pesquisa é de caráter exploratório, sendo a


coleta de informações feita através de revisões
A evolução dos processos administrativos bibliográficas e estudos de caso, na tentativa de
caminha cada vez mais para tendência de atender explicar e demonstrar de forma mais assertiva
as necessidades das organizações, levando em possível o assunto tratado.
conta o capital humano. Em um ambiente
competitivo, onde a necessidade de inovação é Conceitos
um fator determinante para o sucesso, o capital
humano está cada vez mais envolvido em Segundo Amaru (2007) empowerment significa
processos decisórios interligados as estratégias ‘‘atribuir poderes a alguém. Traduz “a prática de
empresariais. transferir poderes de decisão a funcionários
Hoje as organizações enxergam as pessoas individuais e a equipes.”
que as compõem como peças fundamentais e de Araujo (2001) define o empowerment como “o
grande importância para seu desempenho. A fortalecimento do poder decisório dos indivíduos
melhoria da competitividade parece ser a chave da empresa, ou criação de poder decisório para os
para assegurar a essas organizações a sua indivíduos.”
sustentabilidade frente aos desafios impostos pela Pfeiffer & Dunlop (1990) diz que “o
globalização, e, o capital intelectual, surge como empowerment consiste na capacitação e na
essa vantagem competitiva. valorização do funcionário para contribuir em
Partindo do principio de que o capital humano é inovação e resolução de problemas em seu local
hoje o grande marco da competitividade entre de trabalho.”
empresas, temos como principal desafio Para Cunnigham & Hyman (1999)
organizacional a gestão desse capital: como a empowerment significa: “conseguir o
gestão de pessoas pode aumentar a comprometimento dos empregados em contribuir
competitividade? para as decisões estratégicas com o objetivo de
Diante desse contexto, esse artigo procura melhorar o desempenho da organização.”
demonstrar como o empowerment funciona como O empowerment é, portanto, um estilo
uma forma de gestão eficaz para que esse capital gerencial em que se dividem com os demais
humano se torne um diferencial competitivo. funcionários as possibilidades e conseqüências do
processo de tomada de decisões. É uma forma de
Metodologia gestão participativa.
A delegação de autoridade e poder pode ser
Nesta pesquisa pretende-se analisar o distribuída em qualquer nível, desde que se
processo de implantação do empowerment e suas prenda a ela uma responsabilidade ou uma
implicações, buscando contribuir na discussão da característica indispensável para a realização do
utilização dessa ferramenta nas organizações. processo com qualidade.

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e 1


X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba
A Origem do Empowerment no pensamento maior atenção nas atividades primordiais e de alta
administrativo prioridade.
Lacombe (2005) entende que através do
Desde a década de 70 percebe-se um empowerment é dado algum poder às pessoas, a
esgotamento do modelo taylorista/fordista de partir de um quadro de referencias definido e
produção. A grande quantidade de produtos limitado, cujos resultados dependem do apoio da
similares disponibilizados a um mercado onde alta administração. Ou seja, existem algumas
cada vez mais se exige qualidade, preço condições para que o empowerment se estabeleça
competitivo e inovação, impõe uma busca nas de modo eficaz. Dentre as condições é importante
organizações de um novo modo de pensar quanto frisar o conhecimento da missão da empresa.
à agregação de valor aos bens e serviços, com Herrenkohl,Judson & Heffner (apud
uma produção mais enxuta, mais eficiente e mais RODRIGUES, 2001 – p.4) apresentam quatro
eficaz. dimensões da implementação do empowerment. A
primeira é a visão compartilhada, que refere-se ao
Na década de 20 as idéias de Taylor e Fayol,
compartilhamento de informação e a comunicação
grandes pensadores da Abordagem Clássica da
interna. Como elementos desta dimensão têm-se:
Administração, enfatizavam a preocupação e o
aumento da produtividade da empresa por meio • a clareza de metas, relacionada a colocação
da eficiência máxima dos operários. A principal clara e objetiva quanto as expectativas do
característica dessa abordagem era a separação desemprenho dos funcionários, e a consciência
do planejamento e execução do trabalho. Taylor destes sobre onde a empresa pretende chegar;
possuía o foco dos estudos na tarefa, a nível • a consecução de metas: refere-se à
operacional, seguindo um caminho de baixo para responsabilidade que os funcionarios sentem em
cima e das partes para o todo dentro da empresa atingir as metas das empresas e seu
e Fayol, deu ênfase à estrutura organizacional. A compromentimento com a organização;
Teoria Clássica caracterizou-se pelo seu enfoque • a orientação ao consumidor, que envolve o
prescritivo e normativo, determinando as funções conhecimento da empresa sobre o que seus
administrativas e criando princípios para norteá- clientes esperam.
las. A segunda dimensão esta relacionada a
estrutura organizacional e o gerenciamento que
Na década de 60, Elton Mayo surge com uma apoiam a implementação do empowerment. Como
critica ao Taylorismo sugerindo que o elementos desta dimensão têm-se:
envolvimento dos trabalhadores em decisões • nível de responsabilidade (nível da organização
gerava um beneficio moral aos mesmos. em que as decisões são tomadas),
Na década de 70, com a crise do modelo • o trabalho em equipe (relacionadas à eficácia
clássico de Administração, surge um grande do trabalho em equipe e se as equipes são
interesse na participação de trabalhadores em responsáveis pelas decisões sobre suas próprias
processos decisórios das organizações, como atividades de trabalho.),
uma forma de “democratização industrial”. Em
• a tomada de ações de risco (entusiasmo em
meados de 1980 com novas formas de
assumir riscos para melhorar o desempenho) e a
envolvimento de trabalhadores em círculos de
valorização dos funcionários pelos clientes.
qualidade, na formação de equipes e nos
A terceira dimensão da implementação do
benefícios compartilhados como forma de
empowerment é a responsabilidade por
motivação, surge uma nova ferramenta de gestão
conhecimento e aprendizagem. Os elementos
conhecida como empowerment.
desta dimensão são:
Wilkinson (1998) diz que “o empowerment,
• a mudança em treinamento e desenvolvimento,
associado à gestão de recursos humanos e gestão
de qualidade total, é considerado como a possível • a solução de problemas associada ao
solução para o velho problema sobre ambientes treinamento e,
tayloristas e burocráticos onde a criatividade é • desenvolvimento e a confiança mútua dos
sufocada e trabalhadores sentem-se alienados e funcionários no processo de resolver problemas.
descontentes” A quarta dimensão é o reconhecimento
institucional das realizações dos funcionários e a
O Empowerment nas Organizações conseqüente demonstração de que eles são
ouvidos. O conhecimento do sistema de
O empowerment se correlaciona diretamente à recompensa relaciona-se à consciência dos
tomada de decisão mais rápida, através de maior funcionários do que a organização recompensa,
autonomia, autoridade e responsabilidade em aos fatos de que entregar valor ao consumidor é
todos os níveis. Ao adotar esse tipo de gestão, a recompensado e de que todos na organização
organização permite que seus gerentes focalizem assumem responsabilidade por suas ações.

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e 2


X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba
Mills (1996) destaca seis principais passos para
introduzir o empowerment dentro de uma
Condições ligadas Condições ligadas à
organização. São elas:
aos colaboradores empresa e gerencia
1- Tolerância a erros: Faz parte da essência do
empowerment a tolerância a erros por parte da
Acreditar que o Saber antecipar a
empresa. Existem erros que podem e precisam
empowerment será chegada de
ser tolerados se a empresa realmente objetiva o
importante para eles imprevistos, criando
comprometimento de seus funcionários, contudo
próprios e para a alternativas.
existem erros que não se podem tolerar. Cabe a
empresa.
organização passar a sua equipe o que pode ou
não ser tolerado.
2- Desenvolver a Confiança: Empowerment é Acreditar que a chefia Aprender a investir em
antes de tudo uma questão de confiança. Somente está aberta a novos talentos.
haverá funcionários empenhados em contribuir sugestões.
para o sucesso da organização se houver
confiança na relação entre a empresa e seu Serem capazes de A empresa deve ter
pessoal. tomar decisões e menos de 200
3- Visão: Empowerment não é sinônimo de serem responsáveis trabalhadores no inicio
caos. Assim todo o projeto de empowerment, para por elas. da implantação do
gerar efeitos positivos precisa estar entrelaçado empowerment.
com uma “visão”.
4- Fixação de metas: Metas precisam ser Ter qualidade no Ensinar e apoiar a
estabelecidas para que os objetivos idealizados na trabalho em equipe e atitude de autonomia
missão da empresa sejam alcançados. valorização de seu de seus trabalhadores.
5- Avaliação: Uma organização que trabalho.
implementa o empowerment quer mudar sua
forma de gestão de pessoal, Como todo projeto, o Os funcionários As chefias devem ter
empowerment também precisa de avaliações para precisam aprender a capacidade de escuta e
medir a distância entre o planejado e o alcançado. serem entusiastas. capacidade de
6- Motivação: A motivação é parte indissociável liderança e orientação
do empowerment, uma vez que apenas de grupos.
empregados motivados são capazes de se
comprometer com a missão da organização. Considerar que a As chefias dever ter
Além disso, a motivação passa pelo chefia continua sendo consciência que não
reconhecimento. Uma empresa pode reconhecer o responsável pelas deixam de ser
esforço de seus funcionários através de decisões tomadas. responsáveis pelas
premiações, pagamento de bons salários, funções delegadas.
segurança no emprego e oportunidades de
crescimento profissional. Fonte: Empowerment e liderança
Podemos destacar também as condições
necessárias para que o empowerment seja aceito De acordo com Ferreira (2004), na prática,
de forma positiva em uma organização, conforme quando desenvolvemos um trabalho para
o quadro abaixo: implantar o empowerment, o método utilizado
consiste normalmente em analisar as causas da
dependência e provocar uma mudança no estilo
Tabela 1- Condições para a implantação do
de gestão que aquela organização utiliza. As
Empowerment
pessoas passam do modelo de dependência para
o de empreendedor. Se eles não entenderem o
que é ter maior autonomia, autoridade e
responsabilidade, dificilmente o empowerment terá
sucesso. Além disso, o empowerment só é
verdadeiro quando acompanhado de metas e
prazos. Assim, investe-se em pessoas para que
passem a atuar em times autogerenciáveis, com
foco nas metas estratégicas dadas pela alta
direção da empresa. Treinam-se os líderes de
equipes para atuarem com liderança dentro do
processo empowerment e, por último, treinam-se

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e 3


X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba
os gestores da empresa nas novas habilidades • Foco no cliente.
requeridas pelo empowerment, ou seja, • Plano de redução de custos sustentável.
habilidades de educador, facilitador, integrador e • Direção alinhada às metas e aos objetivos
articulador. estratégicos da organização.
Desafios na implantação do Empowerment • Responsabilidade e comprometimento com
valores, crenças e resultados da empresa.
O maior desafio na implantação do • Tomada de decisão mais rápida.
empowerment é que ele não pode ser imposto • Operacionalização da visão e missão da
dentro de uma organização, o funcionário aceita empresa em curto espaço de tempo.
ou não uma responsabilidade maior por suas • Planos, projetos e implementação de ações.
ações em troca da liberdade de decisão. • Melhoria dos processos de fabricação e de
O que faz dessa metodologia ter cada vez mais montagem e capacidade de resposta aos
adeptos é a questão da rápida desburocratização clientes.
e a redução do trabalho inútil, liberando o • Aumento da velocidade da empresa para as
funcionário de trabalhos repetitivos, distribuindo as exigências de clientes, tecnologias, novos
informações dentro das organizações, produtos, concorrentes, entre outros.
transformando o trabalho de seus funcionários em • Liberação dos níveis operacionais para atuação
um objeto de auto-realização e conhecimento, e nos aspectos que geram impacto nos
tornando a empresa altamente competitiva no resultados da empresa.
mercado. • Liberação dos níveis gerenciais para plena
As principais dificuldades para o empowerment atuação nos aspectos estratégicos da empresa.
ter sucesso em uma empresa são destacadas a • Diminuição dos níveis da estrutura
seguir: organizacional.
• Falta de estudos e informações técnicas sobre • O empowerment proporciona grande sinergia
o assunto; entre seus membros, resultando em um melhor
• A empresa ter mais de 200 funcionários. ambiente de trabalho.
• A empresa tender a repetir o que deu certo no
passado, não considerando que a realidade As principais diferenças entre uma empresa
muda. que utiliza o empowerment para a gestão de seu
• As chefias não possuírem as qualidades de pessoal com uma organização que não
liderança necessárias; desenvolve esse trabalho estão destacadas no
• Funcionários terem dúvidas do que vem a ser o quadro abaixo:
empowerment.
• Os trabalhadores não estarem preparados para Tabela 2- Diferenças entre Organizações
realizar as tarefas.
• Os trabalhadores não aceitarem a autonomia Organização com Organização sem
delegada. Empowerment Empowerment
• Treinamento necessário e mudança da cultura Funcionário toma Funcionário espera por
organizacional dominante. decisões ordens
Funcionários planejam Funcionários somente
Benefícios do Empowerment – O seu e executam tarefas executam tarefas
diferencial competitivo Todos são O chefe é o
responsáveis responsável
Os objetivos principais do empowerment são Cultura organizacional Cultura organizacional
atingir as estratégias do negócio e aumentar a voltada para a voltada para achar os
rentabilidade dos acionistas, através resolução de culpados dos
descentralização do poder e da tomada de problemas problemas
decisão para os níveis mais baixos da Fonte: Empowerment e liderança
organização. O empowerment torna-se uma
ferramenta importante para esses objetivos, pois Para os funcionários que aceitam o
libera o espírito empreendedor das pessoas, empowerment, são verificadas as seguintes
obtém maior velocidade de resposta para os características e melhorias:
clientes e cria um ambiente pró-ativo, atingindo
metas desafiadoras. • Competência Técnica: domínio das
As principais vantagens adquiridas de modo ferramentas e rotina de suas tarefas.
geral pela organização destacadas na literatura • Experiência: Vivência em diversas situações
com a implantação do empowerment são: torna-se segurança na tomada de decisões.

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e 4


X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba
• Afinidade com a empresa: cria-se uma - ARAUJO, Luis César G. De. Organização,
identificação entre a missão da empresa com sistemas e métodos e as modernas ferramentas
seus valores pessoais. de gestão organizacional: arquitetura,
• Informação: o funcionário torna-se um benchmarking, empowerment, gestão pela
praticante de “conhecimento renovável”, o que qualidade total, reengenharia. São Paulo: Atlas,
o torna atento a tudo o que acontece ao seu 2001.
redor, tem curiosidade em aprender e entender
os verdadeiros “porquês” o que o torna um - Como Introduzir o Empowerment na Empresa-
funcionário com coragem de agir até parar de [base de dados na internet] [acesso em maio
errar, sem temer penalidades. 2010] disponível em:
• Autonomia: o funcionário em contato com o http://www.pmelink.pt/article/pmelink_public/EC/0,
empowerment opina, questiona, sugere e 1655,1005_37765-3_41101--View_429,00.html
reflete sobre os assuntos referentes às suas
tarefas, provocando um constante - CUNNINHAM, I. HYMAN, J. The poverty of
desenvolvimento dos procedimentos que estão empowerment? A critical case study. Personal
em seu alcance. Review, 1999. Disponível em:
http:www.emeraldinsight.com/1011081004834899
Conclusão 10264589

Na atualidade, com a globalização, o aumento - Empowerment e liderança. [ base de dados na


de recursos tecnológicos, a facilidade no acesso a internet] [ acesso em maio 2010]. Dispónivel em:
um grande volume de informações, a www.w3.ualg.pt
competitividade empresarial alcançou níveis
inimagináveis. Nesse contexto as empresas - FERREIRA, Ivanildo A. ''Emporwement:
buscam cada vez mais trabalhadores do Liberdade para decisões“. Entrevista concedida à
conhecimento, que consigam utilizar o máximo de Patricia Bispo em 17/02/2004. Disponivel em
seu capital intelectual na otimização dos www.rh.com.br
processos organizacionais, para que obtenham
vantagem competitiva frente aos seus - HANNA, M.D.; NEWMAN, W.R.; JOHNSON, P.
concorrentes. Assim o empowerment surge como Linking operational and environmental
a ferramenta que utiliza tais aptidões e improvement through employee involvement.
competências a favor da melhoria continua do International Journal of Operations & Production
desempenho da empresa, proporcionando aos Management, v.20, n.2, 2000, p.148-165.
funcionários autonomia e responsabilidade para agirem
no processo decisório organizacional. - LACOMBE, Francisco José Masset. Recursos
O diferencial competitivo que se procura ganhar humanos: Princípios e tendências. São Paulo:
através do capital humano só é alcançado quando os Saraiva, 2005.
gerentes conseguem tornar seus funcionários
capacitados para tomar uma decisão. Para tanto é - MILLS, Daniel Quinn. Empowerment – um
necessário que esses gerentes compartlhem imperativo- Seis passos para estabelecer uma
informações, possibilitem uma nova estrutura organização de alto desempenho. Rio de Janeiro:
organizacional, ofereçam oportunidades de treinamento Campus, 1996.
relevantes, desenvolvam alternativas baseadas em
equipes autogeridas e consigam recompesar esses - PFEIFFER, I. DUNLOP, J. Increasing productivity
funcionários pelos riscos e iniciativas que são deles though empowerment. Supervisory Manegement.
esperados. Todas essas praticas são partes do processo Jan, 1990.
de empowerment.
Com a liderança compartilhada, observa-se - RODRIGUES, Claudia Heloisa R., SANTOS,
que quando o empregado tem confiança e é Fernando C. Almada. Empowerment: ciclo de
comprometido com a empresa obtém mais e implementação, dimensões e tipologia. Gestão
melhores resultados, do que um funcionário que Prod., vol. 8 – nº 3. São Carlos, 2001.
somente cumpre ordens.
- WILKINSON, A. Empowerment: theory and
Referências pratice. Personel Review, 1998.

- AMARU, Antonio Cesar Maximiliano. Introdução


a Administração. 7ª ed.. São Paulo, Atlas, 2007.

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e 5


X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba