Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS


MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

INFRA-VERMELHO

Regular altura SEMPRE, para que o foco luminoso fique direcionado a uma angulação de 90° à
área DESNUDA a ser atingida.

Tomar cuidado! A parte metálica onde está acoplada a luz infravermelha AQUECE, sempre
manusear pela alça na parte de trás.

PACIENTE NÃO PODE FICAR SE MEXENDO!

DISTÂNCIA DE 30 A 40 CM DA REGIÃO! CUIDADO COM QUEIMADURAS!

MONITORAR AS REAÇÕES DO PACIENTE SEMPRE.

15 a 20 minutos de terapia infravermelha.

Peles sensíveis (-t ou +d), peles escuras (+ absor.+melanina)

Antes da terapia, ligar o aparelho para que ele aqueça por 5 minutos. Óculos .

Calor por radiação = Infra


Calor por condução= Toalha úmida

BANHO DE CONTRASTE

Banho de contraste é uma técnica fisioterápica que promove alternância entre dilatação e
constrição dos vasos sanguíneos por meio do uso intercalado de calor e frio, respectivamente.
Pode ser indicado em lesões articulares, na qual muitas vezes a formação de edema é
evidente. Por fazer uma espécie de drenagem do edema, esta técnica é muito usada nas
lesões das articulações distais do corpo, como pé, tornozelo, mão e punho.

Recipientes onde as extremidades devem caber por inteiro;

Em um deles coloca-se água quente, porém não insuportavelmente quente, e no outro, água
gelada.

Ebulidor e pedras de gelo.

A operação deve começar mergulhando-se o local atingido em água quente e por um tempo de
5 minutos. Em seguida e sem descanso, passa-se à água gelada, por 2 minutos e meio. Este
sequência deve ser repetida 2 a 3 vezes, sendo que a terapia sempre é encerrada com
imersão em água quente por mais 5 minutos.

SEMPRE PROPORÇÃO DE 2:1

COMPRESSA QUENTE

20 min

Bolsa para compressa ou Toalha úmida

Bolsa de compressa + Tolha


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

BANHO DE PARAFINA

Observar nível da água

Luz vermelha acessa + Botão Liga e desliga

Ao fazer as imersões o aparelho deve estar desligado

Temperatura ideal é de 40° a 50°

Termostato para regular a temperatura

Termômetro mostra a quantos graus está a Parafina

Sem acessórios / NATA = IDEAL / O recurso é apenas para extremidades

De 6 a 10 imersões

Pode pincelar até a área desejada

Esperar de 5 a 10 seg pra secar como intervalo entre imersões

NÃO MEXER

SACO PLÁSTICO+TOALHA+20 MIN

TURBILHÃO

Abrir a parte Hidráulica

Quando a água cobrir os propulsores pode ligar

MMSS e MMII

Temperatura é 35°/ Temporizador (20 min)

SPRAY

Com medicamento aplica diretamente na lesão

Sem Medicamento aplica na toalha seca e coloca em cima da região

Espirra o produto + alonga+ Massageia

Criomassagem com Gel

Adesivo ( Dorflex e Salompas)

VENTOSAS

( Óleo+ vela + recipiente de formato específico) para liberação fascial e relaxamento


muscular.)
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
ROTEIRO PRÁTICO – P1

CRIOMASSAGEM 10 a 15 min

Picolé de gelo

Gelo+ Toalha+ Toalha2

Pode ser em qualquer região para relaxar a musculatura, o gelo fica em contato direto com a
pele

CRIOESTIMULAÇÃO

Estimula passando o gelo (1,2 e 3) e faz o mov. com comprometimento

5 min no máximo

COMPRESSA DE GELO

Envolver bolsa de gelo em uma toalha úmida

Envolver com uma toalha seca

PROTOCOLO PRICE (PROTEÇÃO, REPOUSO, GELO, COMPRESSÃO E ELEVAÇÃO)

Passos da compressa de gelo

Elevação 45° para que não haja oclusão da femoral (MMII)

Faixa compressiva ou atadura

Triangulo

Região pode sofrer biomecanicamente com a gravidade se não tiver o apoio adequado

CIANOSE ( CUUUUUUIIDDAAAADDDDOOOOO!)
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

TENS [ FINALIDADE = ANALGESIA]

Convencional
Acupuntura
Breve e Intenso
Burst

TENS Convencional
 dor aguda
 frequência ↑ (50 a 100 Hz)
 pulso estreito (20 a 80 μs)
 intensidade confortável a alta
 40 a 50 minutos
 formigamento

TENS Acupuntura
 dor crônica
 frequência ↓ (1 a 4 Hz)
 pulso largo (150 a 230 μs)
 intensidade alta
 45 minutos
 contrações

TENS Breve e Intenso


 frequência ↑ (100 a 150 Hz)
 pulso largo (150 a 250 μs)
 intensidade alta
 15 a 20 minutos
 contrações + intensas

Eletrodos - Posicionamento
 proximal a zona de dor;
 acima e abaixo ou lateralmente a zona de dor;
 ponto gatilho;
 nunca em áreas anestesiadas / tecido em cicatrização;
 permitindo movimento;

Indicações
 Algias em geral (cervicalgia, lombalgia)
 Dismenorreia
 Câncer (cuidado paliativo)
 Pós-operatório

Contra-indicações
 Epilepsia
 Primeiro trimestre gestacional
 Marca-passo cardíaco
 Dor não diagnosticada
 Seio carotídeo (PESCOÇO)
 Sobre lesão cutânea ou mucosa
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

CORRENTE INTERFERENCIAL

Bipolar
Tetrapolar

Efeitos
 Analgesia
 Melhora da circulação
 F↑ ANALGESIA
 F↓ ASPECTO CIRCULATÓRIO (aumento do aporte sanguíneo)
 Amplitude de base × variação

Método Bipolar
 Fortalecimento muscular
 Torque maior com menos desconforto
 Clinicamente mais efetiva em profundidade
 Corrente modulada no equipamento
 2 eletrodos / 1 canal
 Posicionamento dos eletrodos / região tratada
 Lesões delimitadas

Método Tetrapolar

 4 eletrodos / 2 canais
 Posicionamento cruzado dos eletrodos
 Lesões maiores / dispersas
 Posicionamento cruzado dos eletrodos

Padrão de varredura de frequência

Dor crônica Dor sub-aguda 1/5/1 Dor aguda 6/6


1/1

Parâmetros de tratamento
 Efeito analgésico / microcirculação / Corrente portadora freq + elevada (4000Hz)
 Fortalecimento muscular / Frequência entre 2000 a 2500Hz
 10 a 20 minutos

Indicações

 Contusões musculares
 Entorses
 Luxações
 Rupturas parciais
 Contraturas
 Artroses
 Periartrites
 Bursites
 Tendinites
 Mialgias
 Neuralgias

Contraindicações e precauções

 Área cervical anterior


 Área craniana
 Febre
 Tumores
 Tuberculose óssea
 Infecção local
 Trombose
 Alteração sensitiva
 Marca-passo
 Paciente cardíaco
 Gestante (1º trimestre)
 Epiléticos
 Área hemorrágica
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA MOTORA [ FES e CORRENTE RUSSA]

Produção da contração muscular por meio do estimulo elétrico

Indicações:

 Fortalecimento
 Pré-operatório preventivo
 Pós-operatório (recuperação)
 Reeducação do controle muscular
 Manutenção / recuperação de AM
 Aumento da resistência muscular
 Melhora resistência e forca muscular
 Fortalecimento muscular;
 Reeducar o movimento;
 Manter ou recuperar AM articular;
 Incontinencia urinaria e fecal;
 Contraturas de tecidos moles.

Contraindicações e precauções:

• Osteoporose
• Portadores de marcapasso
• Sobre o seio carotídeo
• Áreas com distúrbio vascular periférico
• Neoplasias ou infecções
• Gestantes
• Alterações cognitivas

Princípios e parâmetros para fortalecimento ((fadiga + dor=↓ contração)


Repetições – 5 a 10 (8)
Series – 1 a 3 (1)
Frequência – 2 a 5 x na semana (2)

Frequência alta (50 Hz) – produzir contração [ 35 – 75Hz (50 Hz)]


Tempo On (5 a 10”)
Tempo Off (3 a 5x o TOn)

Rampa de Subida – igual a de decida 3s


Rampa de Contração - (on) 5 s
Rampa de Decida – igual a de subida 3s
Rampa de Repouso – 3 a 5x do Ton 15s

C.R. : ciclo ativo (intensidade de contração) [20%] Não ajusta largura de pulso

Posicionar o eletrodo no ventre muscular


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

CORRENTE DIRETA OU CORRENTE GALVÂNICA

Corrente alternada (CA), Corrente direta (CD).

Métodos de aplicação

Longitudinal (proximal / distal)


Transversal (anterior / posterior)

INDICAÇÕES:

 Fase aguda
Bloquear reação inflamatória exagerada: (+)
Foco inflamatório

 Fase crônica
Melhorar o metabolismo (-) no local

CONTRAINDICAÇÕES E PRECAUÇÕES:

 Endopróteses e osteosínteses
 Marcapassos
 Gravidez
 Câncer
 Lesões na pele (área de tratamento)
 Déficit sensorial (local) / cognitivo

5 A 12 MINUTOS

Uso da iontoforese

 Tratamento de hiperidrose
 Acelerar cura de feridas (iodo, zinco ou cobre)
 Ação anti-inflamatória (dexametasona)
 Analgesia (lidocaína, ácido salicílico)
 Melhora da circulação (hialuronidase)
 Quebrar calcificações (ácido acético)
 Analgesia
 Efeito anti-inflamatório
 Relaxante muscular
 Neurotrófico local
 Cicatrizante
 Tratamento de edemas
POSIÇÃO DOS ELETRODOS

TRANSVERSAL

LONGITUDINAL

Favorecer drenagem
(+) sobre o local do edema
(-) região mais vascularizada

Dor muscular
(+) sobre o local da mialgia
(-) região inferior

Lesão nervo espinal


(-) sobre o local do nervo lesado
(+) região inferior
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
MONITORIA DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS
PROFESSORA: Dra DIONIS MACHADO
MONITORA: ISABELA BRAÚNA
ROTEIRO PRÁTICO – P1

US

EFEITOS BIOFÍSICOS DO US

Térmicos
Não-térmicos
US Continuo (USC) / US Pulsado (USP)

EFEITOS TÉRMICOS DO US

 Aumento de temperatura
 Acelera o metabolismo
 Controle da dor e do espasmo
 Alteração na velocidade de condução do nervo
 Aumento da extensibilidade dos tecidos moles
 Alcance mais profundo p/ pequenas áreas

Efeitos do US- 1 E 3 MHz

Efeitos térmicos: aumento da extensibilidade do colágeno

Efeitos não-térmicos: Alterar permeabilidade da membrana e acelerar cicatrização

Ciclo de Pulso

De acordo com os objetivos do tto

100% = continuo / efeitos termicos e nao-termicos

20% (ou menos) = pulsado / efeitos nao-termicos

*Quanto mais agudo o quadro menor a porcentagem

Tempo

De acordo com a area a ser tratada e a area de efetiva radiacao do cabecote (ERA)

Ex. Area a ser tratada = 20 cm2

ERA = 5 cm2

Tempo = 20 : 5 = 4’

Área de TTO
Depende da ERA do transdutor e duracao do tto

Areas menores / tempo < / impraticavel tratar area

menor que uma vez e meia a ERA

Areas maiores / tempo > / nao usar se area a ser

tratada for 4x maior que a ERA / tempo excessivo

Cabeçote move-se cerca de 4cm em movimentos de 8 , circulares ou latero-laterias.