Você está na página 1de 2

Nutrição dos Equinos

O máximo de desempenho atlético do


animal depende, diretamente, de uma boa alimentação, fator dos mais importantes a serem
observados na equinocultura. Uma nutrição saudável e equilibrada vai garantir ao criador
a qualidade produtiva do seu plantel.
É de suma importância a observação, por parte do criador, das exigências nutricionais nas
diversas fases fisiológicas do animal, assim como obter o conhecimento necessário dos
nutrientes adequados a cada fase, para o máximo desempenho do animal com o menor
custo, e o menor desgaste metabólico. Quantidades mínimas de energia, minerais,
proteínas e vitaminas devem ser cuidadosamente consideradas.
Água
Toda perda deve ser reposta. Ela acontece pelas fezes, urina e suor. O equino possui de 68
a 72% de água em seu organismo. A água oferecida deve ser de boa qualidade e sempre
limpa e fresca, à vontade. A quantidade de água a ser ingerida pelo animal varia de acordo
com o clima, o trabalho que desempenha, o tipo de alimentação que recebe, e, também, do
seu porte físico. As éguas em fase de amamentação devem receber de 20 a 30 litros de
água a mais.
A manutenção da temperatura, em animais atletas, requer maior volume de água a ser
ingerida, até mesmo em função dos exercícios que executam. Esse aumento varia entre 20
e 300%.
Carboidratos e Lipídeos
O principal carboidrato é a glicose, se se considerar o aspecto nutricional desses elementos,
apontados como os mais abundantes na natureza e os que representam a fonte primária de
energia para os seres vivos.
A reserva energética dos animais tem como fonte os lipídios, não apenas como fonte de
energia, mas também o fornecimento dos ácidos graxos, essenciais para o bem-estar
animal.
Proteína
O crescimento e a reprodução de equinos dependem, de forma direta, das proteínas,
específicas para prover os aminoácidos de que necessitam. Tanto a quantidade quanto a
qualidade das proteínas devem ser objeto de preocupação do criador.
Minerais
Existem os macro e os microelementos, nesse grupo de nutrientes. Diretamente ligados à
estrutura dos animais encontram-se os macroelementos. Eles se perdem, diariamente,
durante o desempenho das atividades do animal. As funções metabólicas dos animais estão
relacionadas aos microelementos. Constituem parte importante do organismo animal,
representando cerca de 4% do peso vivo dos equinos. Eles obtêm a maior parte dos
minerais de que necessitam através do pasto, volumoso e dos grãos.
Vitaminas
Duas categorias principais constituem as vitaminas: hidrossolúveis e lipossolúveis. Pela
pastagem, o animal adquire a forragem verde, de alta qualidade, não necessitando, assim,
da adição de teor extra de vitaminas A, D e E, para os animais em manutenção. Entretanto,
se mantido numa baia e alimentado com feno, o animal, certamente, vai precisar de uma
suplementação de vitaminas.
Sendo o cavalo um animal herbívoro, isto é, alimenta-se fundamentalmente de forrageiras,
há que se ressaltar que em sua dieta habitual não deverá faltar o capim ou feno (volumoso),
necessidades básicas desta espécie.
Para a elaboração de um programa eficiente de nutrição devem-se considerar inúmeros
aspectos, tais como desempenho esperado, atividade exercida, tipo de alimentação, dentre
outras. Um Médico Veterinário deverá sempre ser consultado, para melhor suprir a
exigências nutricionais dos equinos, levando-se em conta o rendimento físico e o bem-estar
desses animais.
Fonte: Valerianascimento.com Adaptação: Escola do Cavalo