Você está na página 1de 6

Revista Manutenção y

Qualidade

SIMPLIFICANDO O
GERENCIAMENTO DA
MANUTENÇÃO USANDO O
MMS

Marcelo Albuquerque de Oliveira


Instituto Nokia de Tecnologia
Rod. Torquato Tapajós 7200
69093-415 Manaus-AM
Marcelo.a.oliveira@indt.org.br

Revista Manutenção y Qualidade Página 1


confiabilidade, segurança, custos adequados
1. SUMÁRIO & PROPOSTA e etc.
Existem vários sistemas para gerenciamento Esses parâmetros e atribuições têm uma
de manutenção disponíveis no mercado, com importância fundamental nos resultados das
uma gama de alternativas, facilidades e empresas.
complexidades. A constante busca pela eficiência em
Na sua totalidade, oferecem muito mais produtividade e redução de custos nos
recursos e/ou opções aos usuários do que processos produtivos faz com que as demais
aquelas que realmente eles necessitam. E áreas da empresa busquem suas alternativas
isso faz com estes elejam, por assim dizer, e dêem sua contribuição, uma vez que, hoje
algumas destas funções como as mais em dia, estas metas não se restringirem ao
importantes. conhecido chão de fábrica.
Isso se traduz no fato de que se paga por um E isso proporcionou uma maior e melhor
sistema e se usa apenas, no máximo, 40% aproximação entre áreas distintas da
de seus recursos, sendo este um fator de empresa.
custo a ser avaliado. No contexto da manutenção, esses
Após vários anos de pesquisa e utilização de resultados serão tanto melhores quanto mais
sistemas de gerenciamento, concluiu-se que eficaz for a gestão da função manutenção.
um sistema simples poderia ser
desenvolvido, e de baixíssimo custo, que
3. CARACTERÍSTICAS DO MMS
pudesse ser compatível com qualquer
processo e ser, acima de tudo, flexível e As empresas de softwares hoje em dia
robusto. disponibilizam no mercado diversos
Com base nestes fatos, a equipe formada por aplicativos para controle e gerenciamento,
pesquisadores experientes em gestão de muitos dos quais podem tornar-se obsoletos
manutenção e alunos de graduação do curso ou mal usados se as equipes de manutenção
de engenharia da computação da não entenderem a sua finalidade.
Universidade Paulista ( campus de Manaus ), Além disso, algumas estratégias adotadas
desenvolveram o sistema MMS ( para o gerenciamento da manutenção podem
Maintenance Management System ) para fazer com que determinado aplicativo seja
gestão de manutenção. um “elefante branco”, pois o mesmo pode
Um sistema fácil, simples e barato para estar sendo subaproveitado.
tornar a gestão dos processos de Ainda na fase de planejamento existe a
manutenção igualmente simples, objetiva e definição do escopo e abrangência da sua
eficiente. utilização. Nesta etapa, nos deparamos com
Um sistema que permitirá ao usuário o uso a necessidade de oferecer os recursos para
de 100% de sua capacidade operacional. mais pessoas ou limitar o número, devido às
licenças para utilização, que sempre estão
associadas nesta fase. E isso causa um forte
2. INTRODUÇÃO
impacto no custo final. Por fim, acabam-se
Em um mercado competitivo, melhorar a escolhendo os usuários chave.
utilização das instalações é um ponto vital A licença de utilização e manutenção desses
para se melhorar a eficiência operacional, aplicativos custa aos clientes milhões por
aliando redução dos custos e aumento de ano, mesmo considerando que o potencial do
produtividade. aplicativo, em sua totalidade, não é utilizado.
Embora, erroneamente, o histórico passado Quando muito, atinge cerca de 40% de
não reflita essa afirmação, hoje em dia a utilização do sistema.
manutenção ocupa sua função estratégica A idéia deste trabalho é disponibilizar:
dentro das organizações, pois é responsável Um sistema que atenda
por garantir a disponibilidade dos especificamente as necessidades do
equipamentos e instalações. Além disso, cliente;
precisa atender o processo produtivo com Elaborar um sistema de baixo custo;
Facilidade de manutenção;

Revista Manutenção y Qualidade Página 2


Fácil operação;
Que disponibilize uma resposta rápida
e simples para quem o utiliza
Sistema que requeira um baixo custo
de estrutura de rede;
Software de fácil visualização e
interatividade para gerenciar os
processos no dia-a-dia
Sem limite de licença de usuários.

O MMS – Maintenance Management System


( Gerenciador de Sistema de Manutenção)
permitirá:
Armazenar informações das falhas e
ações tomadas para solucionar as
mesmas;
( Figura 1. Hierarquia do MMS )
Armazenar informações técnicas de
cada máquina, entre outras;
Proporcionará maior facilidade aos A gestão da manutenção é um sistema que
técnicos no controle de ordem de se baseia em dados técnicos e econômicos,
serviços abertas à ele; com o intuito de poder estabelecer um plano
Permitirá acompanhar todo o processo que possibilite prever quais serão as ações
de manutenção, desde o início de um de curto, médio e longo prazo que serão
sinistro, a tomada de ação, solução necessárias.
do problema e a finalização do Se em tempos de abundância a necessidade
mesmo; de se ajustar custos e buscar eficiência já
Emitir relatórios de MTBF, MTTR, eram a “Ordem do Dia”, em tempos mais
Disponibilidade, Indisponibilidade e agudos essa necessidade torna-se mais
OEE em um determinado período de latente ainda.
tempo; Diante de um mercado continuamente
Cálculo de indicadores em tempo real; desafiador e competitivo, a diversidade das
Fácil manutenção do sistema; técnicas de manutenção faz com que o
Sistema independente do tipo de modelo administrativo adotado necessite de
gerenciador de banco de dados; ferramentas fortes ( softwares de gestão ).
Fácil implementação de novos Isso permitirá o suporte necessário para todo
módulos para outras áreas; o processo de manutenção dos ativos e
Fácil implementação de novas auxiliar na tomada de decisão de uma forma
versões; ágil.
Adaptável para ser usado com Atualmente existem aplicativos que fornecem
qualquer sistema; ferramentas poderosas para gerenciar
Licença livre para uso, sem limitações importantes funções de negócios, mas, na
de usuários na rede; maioria dos casos, funcionam sem levar em
Sistema Web; conta a individualidade e as necessidades
Preparado para módulos de análise de específicas dos clientes.
falhas; Esta particularidade faz com que o usuário
Criação de FMEA 8D’s a partir da requisite funções adicionais ao sistema,
base de dados gerada; encarecendo-o ainda mais, se assim ele
Conceito de programação baseado em desejar.
software livre. Em outros casos, se o sistema não for
amigável o suficiente, este se tornará
obsoleto devido ao baixo uso pelas equipes
de manutenção da empresa.

Revista Manutenção y Qualidade Página 3


De posse destes registros, a equipe de
manutenção conduzirá as análises para o
estudo apropriado em busca da causa básica
das falhas.
Os resultados devem ser analisados e
propostas de melhorias para do ativo sejam
recomendadas.
O sistema classificará todas as intervenções
com seus respectivos modos de falha, o que
possibilitará a criação de planilhas RCM,
FMEA para os estudos.
A simplicidade conferida por este sistema
aos usuários permitirá que este seja utilizado
em sua plena capacidade, pois está
modelado para as funções realmente
( Figura 2. Tela do Técnico ) importantes para a gestão de ativos.
Muitos sistemas de manutenção
informatizados trazem uma gama de
funcionalidades não utilizadas pelos
usuários, ou subutilizada.
Já outros sistemas possuem complexidade
operacional que acabam por desestimular o
usuário.

( Figura 3. Tela da Engenharia )

Os conceitos de manutenção tiveram


significativos avanços ao longo dos últimos
anos, desde a estratégia corretiva até a
aplicação da confiabilidade como meio para
melhorias. ( Figura 4. Tela relatório OS fechada )
Todas estas técnicas devem estar
acompanhadas de um forte programa de 4. INDICADORES
treinamento nas ferramentas de gestão, com
o intuito de se fazer os estudos necessários Os estudos na área da gestão de
para a busca da causa básica das falhas. manutenção propiciaram o surgimento de
O conceito adotado para a funcionalidade do vários tipos de indicadores, que podem ser
MMS é justamente dotar o sistema das adotadas para o gerenciamento de um
condições básicas para que as análises de sistema de manutenção. Todavia, a falta de
falha sejam, enfim, melhor executadas pelas uma análise crítica destes resultados torna
equipes de manutenção. os indicadores uma figura de mérito.
Como premissa básica, trata os tipos de Muitos aplicativos e autores divergem da
manutenção corretiva, preventiva e preditiva, forma de como um determinado indicador
de forma a manter os registros de todas as deve ser calculado, em sua essência, sem
intervenções realizadas nos ativos da planta. mascarar ou retornar um resultado fictício.

Revista Manutenção y Qualidade Página 4


Além disso, em sistemas informatizados, Baseado na idéia de oferecer um sistema de
estes indicadores são gerados a partir de baixo custo e administrando funções básicas
relatórios parametrizados. e essenciais de um sistema de gestão de
A proposta contida no MMS é de calcular manutenção, o MMS auxiliará o gestor na
apenas alguns indicadores básicos, a saber: tomada de decisão mais ágil diante dos
MTBF; resultados apresentados durante um
MTTR; determinado período de análise.
Disponibilidade: Além de determinar alguns índices vitais, tais
OEE; e como a freqüência de falhas, tempo de
Custos. resolução para um determinado problema,
De toda sorte, e com o amadurecimento da disponibilidade e custos, o sistema ainda
utilização do sistema, novos indicadores permite que os dados armazenados
poderão ser adicionados. possibilitem a formação de planilhas de ação
Um diferencial apresentado pelo MMS está para a melhoria da manutenção ( FMEA,
no fato de que todos os indicadores RCM, por exemplo ).
propostos serão calculados em tempo real, Com uma proposta de versatilidade e
ou seja, sempre que uma solicitação de adaptabilidade para qualquer banco de
serviço for finalizada e arquivada, a tela de dados e sistema operacional adotada pela
indicadores é atualizada ( conforme os níveis empresa, ainda tem o ganho diferenciado de
desejados ). que o conceito do software segue a moderna
tendência de software livre.
O MMS é baseado no livre uso de seus
recursos, não estando associado a um
número de licença para ser utilizado por
vários colaboradores ao mesmo tempo.
A proposta do MMS é disseminar a
simplicidade da gestão da manutenção,
associada ao preparo acadêmico e técnico
das equipes de manutenção, com a
intensificação do uso das diversas
ferramentas disponíveis atualmente para que
a manutenção seja cada vez mais um
diferencial na busca pela eficiência e
confiabilidade, pois, além de armazenar as
informações técnicas dos ativos,
( Figura 5. Tela de Indicadores )
proporcionará maior facilidade para a equipe
técnica no controle das solicitações de
serviço a ele destinadas.
5 CONCLUSÃO
Como resumo, nós temos:
A maior motivação deste trabalho está 1. Sistema simples e de baixo custo.
associada com a quebra de paradigmas de 2. Controle de indicadores básicos em
nossa sociedade, onde as tecnologias tempo real.
vigentes mudaram definitivamente a forma de 3. Número de licenças ilimitada.
ver, agir e pensar de ser humano. 4. Aplicável a qualquer sistema
E alguns segmentos da indústria não ficaram operacional.
imunes a isto tudo, vide as tecnologias 5. Flexível para qualquer banco de
existentes para o tratamento de áudio e dados.
vídeo, que proporcionaram uma nova
maneira de “ver” o negócio da música, por Um bom plano de manutenção e o uso de
exemplo, como entretenimento de baixo indicadores apropriados são pontos
custo – ou custo zero. E isso conferiu ao fundamentais para uma boa gestão da
setor uma quebra de paradigmas nunca função manutenção.
antes avaliada.

Revista Manutenção y Qualidade Página 5


( Figura 6. Equipe de Desenvolvimento, Orientadores e
Avaliadores )

6 REFERÊNCIAS
1. OLIVEIRA, M.A., O ESTUDO DE FALHAS NO
CHÃO DE FÁBRICA USANDO O MÉTODO DA
CONFIABILIDADE, UA, AM, 2003.
2. CARDOSO, I.A., SOUZA, G.F., TOMYAMA, D.,
ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE
MANUTENÇÃO PARA LINHA DE PRODUÇÃO
OPERANDO NOVOS CONCEITOS EM SMD, 8º
CIBIM, Cuzco-Peru 2007.
3. CARDOSO, I.A., ELABORAÇÃO DE POLÍTICAS
DE MANUTENÇÃO: UMA ABORDAGEM
VOLTADA À ANÁLISE DE CONFIABILIDADE
POLI-USP, SÃO PAULO 2000.
4. LEVITT, Joel, The Handbook of
Maintenance Management, 1st Edition,
New York-NY, 1997.
5. HIGGINS, Lindley R., MOBLEY, R. Keith,
Maintenance Engineering Handbook, 6st
Edition, McGraw-Hill, 2002.
6. OLIVEIRA, M.A, CARDOSO, I.A., RELIABILITY
STUDY FOR A PRODUCTION LINE OF MOBILE
PHONE MANUFACTURING, 6° SIC,
FLORIANÓPOLIS, 2008.
7. SMITH, Anthony M., HINCHELIFFE, R.
Glenn, RCM – Gateway to World Class
Manufacturing, Elsevier Butterworth-
Heinemann, 2004.
8. BLOMM, Neil B., Reliability Centered
Maintenance: Implementation made
simple, McGraw-Hill, 2006.

Revista Manutenção y Qualidade Página 6