Você está na página 1de 3

Ensaio à Vazio em um Transformador

Monofásico
Associação Educacional Dom Bosco. Estrada Resende Riachuelo, 2535 -. Campo de Aviação. CEP 27501970 -. Resende/RJ

Resumo  O ensaio a vazio permite a obtenção das


perdas no ferro de um transformador. Neste ensaio o lado Ensaios à vazio e de curto-circuito realizados em um
do secundário fica em vazio enquanto a tensão nominal é transformador monofásico
aplicada no lado do primário. Para facilitar sua
alimentação com tensão nominal, o lado de baixa tensão é Uma forma direta e fácil de determinar os parâmetros do
escolhido como sendo o primário. A queda de tensão que transformador é através de ensaios que envolvem pouco
ocorre na resistência e na impedância do primário é consumo de energia, que são: o ensaio a vazio e o ensaio em
muito pequena, podendo ser desprezada. Desta forma, o curto circuito. O consumo de energia é apenas o necessário
circuito equivalente adotado possui os terminais do para suprir as perdas associadas envolvidas.
secundário em aberto, implicando na circulação de toda
corrente no ramo de magnetização. Ensaio à Vazio

Palavras-chave  Ensaio à vazio, perdas no ferro, O ensaio a vazio é realizado a fim de determinar as perdas
transformador. que ocorrem no núcleo do transformador, perdas por histerese
e perdas por correntes parasita, PHF, e também os termos do
I. ENSAIO A VAZIO EM UM TRANSFORMADOR ramo de magnetização do circuito equivalente, Rm e XLm.
Apesar de poder ser feito tanto do lado de AT quanto de BT,
O transformador possui um papel muito importante em por medida de segurança, esse ensaio é realizado no lado de
sistemas de potência em corrente alternada. Ele possibilita menor tensão, já que é necessário aplicar o valor de tensão
que a energia gerada e a transmissão desta energia sejam nominal, mantendo o outro lado aberto.
realizadas em tensões mais adequadas, permitindo grande Como a impedância do ramo de magnetização Zφ é muito
economia no sistema, além de permitir que dispositivos maior que a impedância formada pela resistência do
sejam atendidos individualmente nas tensões corretas. enrolamento do primário e pela reatância de dispersão, a
Também é largamente utilizado em circuitos de baixa queda de tensão que ocorre em R1 + Xl1 é muito pequena, e
potência, em circuitos eletrônicos de baixas correntes e nos pode ser desprezada.
de controle. Fazer isto implica em adotar o circuito equivalente
simplificado da fig. 2, conhecido como modelo L. Como os
O circuito T, indicado na fig. 1, é largamente utilizado e terminais do secundário estão em aberto, toda corrente circula
representa bem o comportamento do transformador na pelo ramo de magnetização.
maioria das aplicações. R1 e Xl1 são a resistência e a
reatância de dispersão do enrolamento primário. Rc e Xm
representam a resistência de perdas no núcleo e a reatância de
magnetização, em conjunto formam a impedância de
magnetização Zφ, por onde circula a corrente de excitação Iφ.
R'2 e X'l2 são a resistência e a reatância de dispersão do
enrolamento secundário, referidas ao primário.

Figura 2 – Ensaio a Vazio. a) Modelo T e b) Circuito equivalente


simplificado, Modelo L

Leitura dos instrumentos:

- Amperímetro = corrente de magnetização, Im


(aproximadamente 10% da corrente nominal)
- Voltímetro 1= tensão nominal, Vn
Figura 1 – Circuito Equivalente do Transformador - T
-Voltímetro 2 = tensão a vazio
- Wattímetro = potencia dissipada durante o ensaio = perdas
no núcleo – PHF
De posse desses valores é possível obter os dados do ramo de
magnetização:
Com o circuito montado conforme a fig. 3 foram obtidos os
seguintes valores nos instrumentos:
Vn 2
Rm = (1)
PHF P = 10 W
Vn V0 = 116 V
Zm = (2)
Im I0 = 124 mA
Rm . Zm
Xm = (3)
Rm 2 − Zm 2 A partir dos valores obtidos, é possível calcular:

• Potência Ativa
II. EXPERIMENTO – ENSAIO À VAZIO EM UM
TRANSFORMADOR MONOFÁSICO S0 =115 ×124 ×10−3 = 14,26 W

Nos itens abaixo apresentamos os procedimentos, • Fator de Potência


resultados e conclusões para o experimento.
cos φ = P0 / V0 x I0 = 10 / 14,26 = 0,701
Objetivo φ = arc cos 0,701 = 45,24°
Obter as perdas no ferro de um transformador a partir do • Corrente no Resistor de Magnetização
ensaio a vazio. Este também nos permite determinar vários
parâmetros do circuito como potência aparente, ativa e IRmag = I0 x cos φ = 86,82 mA
reativa, corrente de magnetização e fator de potência. A partir
dos dados encontrados fazer um quadro comparativo entre os
• Corrente de Magnetização
ensaios de curto-circuito e a vazio e montar um circuito
equivalente.
Imag = I0 x sen φ = 88,04 mA
Materiais Utilizados
• Impedância de Magnetização
- Wattímetro Analógico;
- Amperímetro Digital; Zmag = V0 / I0 = 935 Ω
- Voltímetro Digital;
- Transformador (115/115 V, 20 VA, 2 A e 50/60 Hz) • Resistência de Magnetização

Métodos e Resultados Rmag = V0 / IRmag = 1,33 kΩ

Para a realização do ensaio a vazio, foi montado o circuito • Reatância de Magnetização


esquematizado na Fig. 3.
Xmag = V0 / Imag = 1,31 kΩ

A potência reativa gasta pelo transformador é obtida:

QVAR = V0² / Xmag = 10,27 VA

III. CONCLUSÃO
Figura 3 – Ensaio a Vazio
O ensaio a vazio é realizado a fim de determinar as perdas
Sendo a fonte de alimentação do circuito uma fonte de tensão ocorridas no núcleo do transformador bem como os termos
variável, a mesma foi ajustada em 115 V (tensão nominal do do ramo de magnetização do circuito equivalente, Rm e
transformador utilizado). XLm. Apesar de poder ser feito tanto do lado de AT quanto
de BT, por medida de segurança, esse ensaio é realizado no
lado de menor tensão, já que é necessário aplicar o valor de
tensão nominal, mantendo o outro lado aberto.

REFERÊNCIAS
[1] Magno, Carlos. “Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia –
Ensaio a Vazio em um Transformador Monofásico”. Junho 2013.