Você está na página 1de 4

Desenvolvimento Infantil.

Distinções: Crescimento e Desenvolvimento


Maturação e Aprendizagem.

Da mesma forma que a tecnologia foi evoluindo com o passar do


tempo, a visão que temos da criança também foi se modificando e
ampliando com as novas tendências e teorias científicas a respeito de
seu desenvolvimento. Visão histórica da Criança

Crescimento -> refere ao aspecto quantitativo das proporções do


organismo, ou seja, trata-se das mudanças das dimensões corpóreas ,
como peso, altura, perímetro cefálico, etc.

Desenvolvimento -> refere às mudanças qualitativas, tais como


aquisição e o aperfeiçoamento de capacidades e funções, que permitem
à criança realizar coisas novas, progressivamente mais complexas, com
uma habilidade cada vez maior.
O crescimento termina em determinada idade , quando esta alcança sua
maturidade biológica, enquanto que desenvolvimento é um processo
que acompanha o homem através de toda a sua existência.

Rogers, Maslow e outros teóricos, afirmam que, tal como ocorre com as
plantas que, mesmo em locais insalubres lutam em busca do sol e da
vida, embora os meios lhe sejam adversos, nós, os seres humanos,
temos um impulso inerente ao organismo como um todo para nos
direcionarmos ao desenvolvimento de nossas capacidades tanto quanto
for possível, quer sejam físicas, intelectuais ou morais, em conjunto,
sendo a finalidade ou propósito do desenvolvimento a "auto-realização
".

O desenvolvimento abrange processos fisiológicos, psicológicos e


ambientais contínuos e ordenados, ou seja , segue determinados
padrões gerais. Tanto o crescimento como o desenvolvimento
produzem mudanças nos componentes físicos, mental, emocional e
social do indivíduo, independentemente de sua vontade. As mudanças
ocorrem segundo uma ordem invariante. Por exemplo: antes de falar a
primeira palavra a criança balbucia. Antes de formar uma sentença
completa com sujeito, predicado e complemento, ela usa frases
monossílabas. O mesmo acontece com a marcha. Antes de andar , a
criança senta e engatinha. Essa seqüência segue um padrão de evolução
e da mesma forma acontece em outras áreas do desenvolvimento.

Apesar das diferenças individuais de cada criança, há evidências de que


o processo maturacional , a seqüência dos estágios evolutivos e a
direção do desenvolvimento são comuns a todos os seres humanos em
todos os lugares e em todos os tempos de sua história . (1988)
Embora todas as crianças progridam com certos padrões , a idade em
que cada uma se torna capaz de executar atividades novas e a maneira
como as executa, varia de uma para outra. Por exemplo: uma criança
pode desenvolver-se de uma forma lenta , rápida , regular ou irregular
em vários aspectos de sua vida. E esta é uma das várias razões para se
afirmar que uma criança não deve ser comparada com outra, pois cada
uma segue um estilo próprio e um ritmo peculiar de desenvolvimento.

Durante toda a sua vida, o ser humano tem que ajustar-se às mudanças
causadas pelas transformações do seu próprio corpo e pelos fatores do
meio em que vive, e isto depende de dois aspectos básicos:
MATURAÇÃO E APRENDEIZAGEM

É importante fazer a distinção entre crescimento e desenvolvimento,


maturação e aprendizagem, para saber o que esperar da criança em cada
estágio e não exigir dela determinada atitude ou comportamento que
não está de acordo com seu grau de maturidade.

Maturação -> é o processo através do qual ocorre a mudança e o


crescimento progressivo, nas áreas física e psicológica do organismo
infantil. Subjacentes a tais mudanças, existem fatores intrínsecos
transmitidos por hereditariedade, que constituem parte do equipamento
congênito do récem-nascido.

Equipamento congênito -> é a totalidade da dotação de origem


filogeneticamente pré-formada e herdada do récem-nascido
(características e tendências que a criança traz ao nascer) seja física ou
psicológica.
A hereditariedade estabelece os limites fisiológicos e psicológicos sobre
os quais o ambiente atuará. As modificações orgânicas ou psíquicas
resultantes da maturação são relativamente independentes de condições,
experiência ou prática, originados do ambiente externo, ou seja, trata-se
de tendências inatas. Neste caso, o ambiente atua apenas no sentido de
propiciar condições para que a maturação se dê completamente, mas
sozinho nada poderá criar no indivíduo.
O amadurecimento não pode ocorrer no vácuo, por isso pressupõe as
condições ambientais normais, que lhe possibilitem sua concretização.
Por exemplo: há evidências de que a falta de estímulo normal do meio
determina retardamento ou retrocesso no amadurecimento das funções
intelectuais. (1971)

A maturidade ocorre no momento em que o organismo está pronto para


a execução de determinada atividade e não se limita ao estado adulto.
Em qualquer fase da vida , podemos falar em maturidade. Por exemplo,
a criança que anda com um ano de idade, apresenta maturidade nesta
função, porém não existe apenas maturidade física, mas também
maturidade mental, social, emocional, sexual, enfim maturidade geral
da personalidade.

Aprendizagem -> é a mudança sistemática do comportamento ou da


conduta , que se realiza através da experiência e da repetição e depende
de fatores internos e externos, ou seja, de condições neuropsicológicas
e ambientais.

É oportuno lembrar que ; se a criança não está madura para executar


uma determinada atividade, não poderá aprendê-la, pois não disporá de
condições para a sua realização.
Toda aprendizagem depende da maturação (condições orgânicos e
psicólogicas) e das condições ambientais (cultura, classe social, etc) .
É através da aprendizagem que o homem desenvolve os
comportamentos que o possibilita viver, e atualmente, estudiosos
afirmam que este processo se inicia mesmo antes do nascimento.

Pessoas preocupadas com a saúde e educação da criança e que desejam


compreendê-la , necessitam acompanhar o seu desenvolvimento,
aprender "ver e ouvir", enxergar a criança com suas necessidades,
sentimentos e capacidades. Se percebermos a criança como ela é,
evidentemente a compreenderemos, porém esta tarefa não é tão fácil
como imaginamos. Isto exige de nós, conhecimentos, sensibilidade e
flexibilidade. Cada criança apresenta um estilo e um ritmo próprio de
evolução e além disso é preciso considerar também o meio ambiente
(social, econômico, cultural, etc), no qual ela está inserida.
Se seu filho tem hoje, apenas um mês de vida, um ano , quinze ou
dezoito, não importa. Para compreendê-lo e amenizar conflitos e
frustrações, é necessário descobrí-lo como um ser individual com
capacidades, necessidades e sentimentos próprios. E isto é um grande
desafio. A informação a respeito do seu desenvolvimento é importante ,
no sentido de facilitar a ação dos pais em cada etapa, oferecendo os
estímulos corretos e sobretudo não exigindo determinados
comportamentos ou desempenhos incompatíveis com a fase de
amadurecimento em que a criança se encontra.
As teorias do desenvolvimento dá as diretrizes , pois descreve as várias
fases que é comum no processo de amadurecimento de todos os
indivíduo e isto garante certa previsibilidade , o que nos possibilita
avaliar cada criança , bem como orientar seus pais ou educadores.
Parece óbvio que o conhecimento a respeito do desenvolvimento serve
de apoio para os pais e todos aqueles que trabalham com crianças, visto
que estas informações contribuem para estimular e respeitar o seu
potencial , mas gostaria de enfatizar que este conhecimento não é
suficiente para garantir o bem estar emocional e psicológico da criança
e de seus pais, pelo fato da grande complexidade que é o ser humano e
o universo que o rodeia.
Os pais não devem se sentirem culpados diante de um problema
apresentado por seu filho , pois qualquer indivíduo , inclusive e
especialmente a criança, em algum estágio de sua existência , seja por
causas externas ou internas , pode tornar-se sensível e vulnerável e
consequentemente desequilibrar-se, criando ora uma doença no corpo
(gripes, resfriados, infecções, etc) ou bloqueios e perturbações no
desenvolvimento, tenham ou não os pais cometido erros .