Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS

Rhayssa Marques Oliveira

MOTORES ELÉTRICOS II:


Curva Característica do Torque x Velocidade do Motor de Indução Trifásico

Palmas – TO
2018
Rhayssa Marques Oliveira

MOTORES ELÉTRICOS II:


Curva Característica do Torque x Velocidade do Motor de Indução Trifásico

Atividade apresentada como requisito


parcial para obtenção de nota na
disciplina Motores Elétricos II do curso
de Engenharia Elétrica da Universidade
Federal do Tocantins.

Prof. Ivan Ney Alvizuri Romani

Palmas - TO
2018
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ................................................................................................................... 4
2 OBJETIVO .......................................................................................................................... 4
3 CURVA CARACTERÍSTICA DO TORQUE X VELOCIDADE .................................. 5
4 SIMULAÇÃO EM SOFTWARE ....................................................................................... 7
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS ........................................................................................... 10
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .................................................................................... 11
4

1 INTRODUÇÃO

O motor de indução trifásico apresenta-se atualmente como uma boa opção para
acionamentos controlados, pois possui algumas vantagens sobre o motor de corrente
contínua, devido a inexistência do comutador.
Entre estas vantagens, pode-se citar:
• O custo do MIT é muito menor que o motor de CC de mesma potência;
• A manutenção do MIT é mais simples e menos onerosa;
• O consumo de energia do MIT nos processos de aceleração e frenagem é
menor;
• Com o MIT pode-se obter velocidades maiores, o que implica em potências
maiores (P = n⋅T)
A grande desvantagem do MIT reside na dependência entre fluxo e a tensão do estator,
o que não ocorre nos motores CC com excitação independente. Este fato limita a faixa de
variação de velocidade do motor, quando controlado por variação da tensão do estator.
Atualmente, devido à evolução de sistemas eletrônicos que permitem o controle do
motor por variação simultânea da tensão e frequência do estator, esta desvantagem
desaparece. O motor de indução, devido as suas vantagens sobre o motor CC, é o mais
utilizado em tração elétrica no parque industrial nacional.
O princípio de funcionamento do MIT é o mesmo de todos os motores elétricos, ou
seja, baseia-se na iteração do fluxo magnético com uma corrente em um condutor,
resultando numa força no condutor. Esta força é proporcional às intensidades de fluxo e
de corrente.

2 OBJETIVO

Esta atividade teve por objetivo traçar a curva do torque x velocidade de um motor de
indução trifásico utilizando software específico, e verificar então as características da
curva.
5

3 CURVA CARACTERÍSTICA DO TORQUE X VELOCIDADE

O circuito equivalente desenvolvido no item anterior permite determinar as


características de operação do MIT. Uma característica importante é a variação do torque
com a velocidade.
A expressão para o torque pode ser derivada diretamente da definição da potência
disponível no eixo:

Como

Então

Considerando a Potência Trifásica, temos

Para calcular o torque em função da velocidade é preciso conhecer o módulo da


corrente do rotor ao quadrado.

Então:
6

É então possível traçar a curva (Txn) já que velocidade (n) e escorregamento estão
relacionados. Quando a velocidade varia de 0 à velocidade síncrona (ns), o carregamento
varia de 1 a 0.
É importante ressaltar que, para pequenos escorregamentos, o conjugado é
diretamente proporcional ao escorregamento:

No outro extremo, durante a partida onde o valor de “s” é próximo da unidade, as


reatâncias são maiores que as resistências e o torque fica inversamente proporcional ao
escorregamento. Neste caso:

A figura 1 abaixo mostra a caracterísica Torque x Velocidade.

Figura 1: Característica T x n
7

4 SIMULAÇÃO EM SOFTWARE

Utilizando o software MATLAB foi possível reproduzir a curva característica do


motor de indução trifásico. Para isto, foram utilizados os parâmetros e código descritos
abaixo, encontrados na referência [1].

% M-file: torque_speed_2.m
% M-file para criar e plotar a curva de conjugado versus velocidade
% (torque-speed curve) de um motor de indução com rotor de gaiola dupla.

% Primeiro,inicialize os valores necessários ao programa.


r1 ! 0.641; % Resistência do estator
x1 ! 0.750; % Reatância do estator
r2 ! 0.300; % Resistência do rotor para o motor

% de gaiola simples
r2i ! 0.400; % Resistência do rotor para a gaiola interna
% do motor de gaiola dupla
r2e ! 3.200; % Resistência do rotor para a gaiola externa
% do motor de gaiola dupla
x2 ! 0.500; % Reatância do rotor para o motor
% de gaiola simples
x2i ! 3.300; % Reatância do rotor para a gaiola interna
% do motor de gaiola dupla
x2e ! 0.500; % Reatância do rotor para a gaiola externa
% do motor de gaiola dupla
xm ! 26.3; % Reatância do ramo de magnetização
v_phase ! 460 / sqrt(3); % Tensão de fase
n_sync ! 1800; % Velocidade síncrona (rpm)
w_sync ! 188.5; % Velocidade síncrona (rad/s)

% Calcule a tensão e a impedância de Thévenin com as Equações


% 6-41a e 6-43.
v_th ! v_phase * (xm / sqrt(r1^2 " (x1 " xm)^2)) ;
z_th ! ((j*xm) * (r1 " j*x1)) / (r1 " j*(x1 " xm));
r_th ! real(z_th);
8

x_th ! imag(z_th);

% Agora, calcule a velocidade do motor para diversos escorregamentos


% entre 0 e 1. Observe que o primeiro valor de escorregamento é ajustado
% para 0,001 em vez de exatamente 0 para evitar problemas de
% divisão por zero.
s ! (0:1:50) / 50; % Escorregamento
s(1) ! 0.001; % Evitar divisão por zero

nm ! (1 - s) * n_sync; % Velocidade mecânica

% Calcule o conjugado para o rotor de gaiola simples.


for ii ! 1:51
t_ind1(ii) ! (3 * v_th^2 * r2 / s(ii)) /...
(w_sync * ((r_th " r2/s(ii))^2 " (x_th " x2)^2)) ;
End

% Calcule a resistência e a reatância do rotor de gaiola dupla


% para esse escorregamento e, em seguida, use esses valores para
% calcular o conjugado induzido.
for ii ! 1:51
y_r ! 1/(r2i " j*s(ii)*x2i) " 1/(r2e " j*s(ii)*x2e);
z_r ! 1/y_r; % Impedância efetiva do rotor
r2eff ! real(z_r); % Resistência efetiva do rotor
x2eff ! imag(z_r); % Reatância efetiva do rotor

% Calcule o conjugado induzido para o rotor de gaiola dupla.


t_ind2(ii) ! (3 * v_th^2 * r2eff / s(ii)) /...
(w_sync * ((r_th " r2eff/s(ii))^2 " (x_th " x2eff)^2)) ;
End

% Plote as curvas de conjugado X velocidade


plot(nm,t_ind1,'b-','LineWidth',2.0);
hold on;
plot(nm,t_ind2,'k-.','LineWidth',2.0);
9

xlabel('\bf\itn_{m}');

Com isso, o resultado obtido na simulação se encontra na figura 2 abaixo.

Figura 2 – Características de conjugado x velocidade dos rotores de gaiola simples


10

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com a realização desta atividade, foi possível observar que, na partida, o torque é
diferente de zero e que, na velocidade síncrona (ns), ele é nulo. Observa-se também que
a característica passa por um ponto máximo.
Além disso, pode-se observar que que o torque máximo independe da resistência do
rotor (R2). A velocidade onde ocorre o máximo torque diminui com o aumento da
resistência, no entanto o seu valor é o mesmo.
11

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] CHAPMAN, Stephen J. Fundamentos de máquinas elétricas. AMGH Editora,


2013.

[2] IFBA. Motor de Indução Trifásico (MIT). Disponível em:


<http://www.ifba.edu.br/PROFESSORES/castro/MIT.pdf>. Acesso em 22 de agosto de
2018.

[3] CAMARGO, Ivan. Motor de Indução Trifásico. texto extraído do site do Prof.
Ivan Marques de Toledo Camargo do Grupo de Sistemas Elétricos de Potência da
Universidade de Brasília, http://www. gsep. ene. unb. br/osem_ivan. php, 2006.