Você está na página 1de 6

Lista 1 - MDF - Unidimensional

[1] Considere uma placa grande de urânio de espessura L = 4 cm e condutividade


térmica k = 28 W/m·K em que o calor é gerado uniformemente a uma taxa constante de
q 000 = 5 × 106 W/m3 . Um dos lados da placa é mantido a 0 ◦ C com água gelada, enquanto
o outro lado está sujeito à convecção para o meio ambiente a T∞ = 30 ◦ C, com coeficiente 0 ºC
Placa de
de transferência de calor h = 45 W/m2 ·K. (a) Considerando um total de três pontos Urânio h
igualmente espaçados, estime a temperatura da superfície exposta da placa sob condições T

8
permanentes usando a abordagem de diferenças finitas e (b) compare sua resposta com a
solução exata indicada na equação 1. x
0 1 2

q 000 hL2
2k + q 000 L + T∞ h q 000 x2
T (x) = x− (1)
hL + k 2k

[2] Uma barra de aço (k = 40 W/m·K, diâmetro


de 50 mm e comprimento de 15 cm) é posicionada em
uma superfície que é mantida a 80 ◦ C. Um termopar isolante
indica temperatura ambiente de T∞ = 20 ◦ C e sabe-se 80 ºC Barra de aço
que o coeficente de transferência de calor por convec- x
ção é h = 50 W/m2 ·K. Supondo regime permanente, 0 1 2 3 4 5
transferência de calor desprezível por radiação e pela
ponta da barra, utilizando discretização de 6 pontos h T

8
igualmente espaçados, Determine: (a) a temperatura
de todos os pontos da barra, (b) a taxa de transferên-
cia de calor que deixa a barra, (c) calcule o erro entre solução exata e numérica assumindo como solução exata uma
aleta de ponta adiabática (equação 2) e (d) calcule o erro entre a solução exata e numérica para a taxa de transferência
de calor que deixa a barra (equação 3).

cosh(m · (L − x))
T (x) = (Tb − T∞ ) · + T∞ (2)
cosh(mL)

q̇ = (Tb − T∞ ) · hP kA · tanh(mL) (3)
q
hP
sendo m = kA

[3] Considere uma aleta de liga de alumínio (k = 180 W/m·K) de seção transversal variável, comprimento L = 5 cm,
espessura da base b = 1 cm e largura w muito grande, como mostrado na ilustração. A base da aleta é mantida a uma
temperatura de T0 = 200 ◦ C. A aleta perde calor para o meio envolvente a T∞ = 25 ◦ C, com coeficiente de transferência
de calor por convecção h = 15 W/m2 ·K. Usando o método das diferenças finitas com seis pontos igualmente espaçados
ao longo da aleta na direção x, determine (a) as temperaturas nos nós, (b) a taxa de transferência de calor a partir
da aleta para w = 1 m.

Dica: i-1/2
w
L i+1/2

b’’
i a
b’
b 0
1
2 3 m
4
5
x

R. (a) T1 = 198,6 ◦ C, T2 = 197,1 ◦ C, T3 = 195,7 ◦ C, T4 = 194,3 ◦ C, T5 = 192,9 ◦ C e (b) q̇ = 258,4 W.

1 ME5131/NM7131 - Versão 5.0


[4] Uma placa plana de axo inoxidavel (k = 15 W/m·K e espessura de 6 cm) possui grandes dimensões e troca calor
à direita por radiação com grandes vizinhanças (Tviz = 20 ◦ C e  = 0,8). O lado esquerdo da placa é refrigerado por
água com T∞ = 20 ◦ C e h = 150 W/m2 ·K (considere desprezível o efeito da radiação no lado esquerdo da placa). Nesta
placa verifica-se geração interna de calor uniforme de q 000 = 1 × 106 W/m3 . Fazendo o uso do método das diferenças
finitas para três pontos igualmente espaçados determine: (a) a temperatura em todos os pontos, (b) efetuando um
refinamento para 7 pontos igualmente espaçados compare com as respostas do item (a) faça um gráfico comparativo.
(usar o EES)

R. item (b)
700 7 nós
Placa de Inox

Temperatura (K)
h, T e, Tviz
8

1 2 3 4 5 650 3 nós
(b) x
0 6
(a) x 600
0 1 2 0 1 2 3 4 5 6
Comprimento (cm)

R. (a)T0 = 622,5 K, T1 = 691,4 K, T2 = 700,2 K.


R. (b)T0 = 622,5 K, T1 = 652,1 K, T2 = 675,1 K, T3 = 691,4 K, T4 = 701 K, T5 = 704 K, T6 = 700,2 K.

[5] Um elemento combustível (urânio k = 28 W/m·K) de um reator nuclear do tipo barra possui diâmetro de
30 mm. Externamente é refrigerado por água a 300 ◦ C com um coeficiente médio de transferência de calor por
convecção h = 500 W/m2 ·K. Determinar as temperaturas nos elementos. Utilizar o método das diferenças finitas com
quatro pontos igualmente espaçados. Considerar transferência de calor permanente, unidimensional na direção radial
e geração interna de calor de q 000 = 5 × 106 W/m3 .
Dica: Cuidado com os volumes e com as áreas de transferência de calor.
R. T0 = 385 ◦ C, T1 = 383,9 ◦ C, T2 = 380,6 ◦ C, T3 = 375 ◦ C.

[6] Aletas do tipo disco são normalmente utilizadas em trocadores de calor. Como se sabe
a solução analítica é relativamente trabalhosa pois envolve a solução por função de Bessel.
Você como um perito em modelos unidimensionais possui a capacidade de desenvolver um
modelo matemático para determinação da taxa de transferência de calor para esse tipo
de aleta. Para um número "n"de divisões desenvolva o modelo numérico por diferenças
finitas. Suponha transferência de calor condução unidimensional radia, sem geração interna
de calor e desprezível os efeitos da radiação. Suponha conhecidas as seguintes variáveis:
Coeficiente de transferencia de calor por convecção (h), temperatura do fluido circundante r2
(T∞ ), temperatura na base do disco de (Tb = T0 ), raio interno do disco (r1 ), raio externo do r1
disco (r2 ) e espessura do disco (t). t

R. r = ∆r · i + r1 (esta função retorna para qualquer valor de i o valor do raio)


R. Equação 4 válida para i > 0 (1,2,3 ...) até n − 1. (note que ∆r = r2 −r
n )
1

       
1 (Ti−1 − Ti ) 1 (Ti+1 − Ti )
kt ∆r · i − + r1 · + kt ∆r · i + + r1 · +
2 ∆r 2 ∆r
   2    2 ! (4)
1 1
+h ∆r · i + + r1 − ∆r · i − + r1 · (T∞ − Ti ) = 0
2 2

R. Equação 5 válida para o nó "n"(último ponto)


   2 
∆r (Tn−1 − Tn ) ∆r
kt r2 − · +h − ∆r · r2 + r2 t (T∞ − Tn ) (5)
2 ∆r 4
R. As equações 4 e 5 em conjunto com as condições de contorno resultam em um sistema de "n"equações a
"n"incógnitas linear. Para determinar a taxa de transferência de calor basta escrever uma equação para o nó zero
(Equação 6) e assim determinar q̇a .
 
∆r T1 − T0
k2π r1 + t· + q̇a + h2π(∆r · r1 + ∆r2 ) · (T∞ − T0 ) = 0 (6)
2 ∆r

2 ME5131/NM7131 - Versão 5.0


[7] Aletas são elementos extremamente importantes para incrementar a taxa de transferência de calor. Normal-
mente por conta de uma simplificação matemática o modelo analítico despreza os efeitos da radiação. Supondo uma
aleta de aço (k = 43 W/m·K) de seção transversal retangular, com espessura t = 2 mm, comprimento L = 40 mm e
largura b = 45 mm. Sabendo que a taxa de transferência de calor dissipada por essa aleta deve ser de 2 W, determinar
a distribuição de temperaturas na aleta. Considerar: (i) a superfície externa da aleta possui emissividade de 0,95 e a
temperatura das vizinhanças de 35 ◦ C; (ii) a aleta é circundada por ar a T∞ = 20 ◦ C e se desenvolve um coeficiente
de transferência de calor por convecção de h = 5 W/m2 ·K. Utilizar o método das diferenças finitas e um total de 4
pontos igualmente espaçados. Assumir regime permanente e transferência de calor unidimensional.
R. T0 = 350,2 K, T1 = 344,6 K, T2 = 341,3 K, T3 = 340,1 K.

** Notas importantes **

A maior parte dos problemas sugere-se utilizar o EES (Engineering Equation Sovler) ou qualquer outro solver de
equações lineares. O EES possui versão acadêmica gratuita que pode ser obtida visitando o site:
http://www.cambridge.org/us/engineering/author/nellisandklein/software.htm
Os exercícios 1, 2 e 3 foram retirados de: Çengel, Yunus A. e Ghajar, Afshin J. 2012. Transferência de Calor e
Massa: Uma abordagem prática. São Paulo : McGrawHill, 2012.

3 ME5131/NM7131 - Versão 5.0


Lista 2 - MDF - Bidimensional

[1] Considere a transferência de calor permanente em um corpo 1 2 3


sólido em formato de L cuja seção transversal é indicada na figura. A h, T

8
transferência de calor na direção normal ao plano do papel é insignifi-

isolante
cante, portanto a transferência de calor no corpo é bidimensional. A 4 5 6 7 8 9 q’’
condutividade térmica do corpo é k = 15 W/m·K, e o calor é gerado
no corpo a uma taxa de q 000 = 2 × 106 W/m3 . A superfície esquerda é
isolada, e a inferior é mantida a uma temperatura uniforme de 90 ◦ C.
A totalidade da superfície superior é submetida à convecção para o 10 11 12 13 14 15
ar ambiente a T∞ = 25 ◦ C, com coeficiente de transferência de calor 90 ºC
por convecção h = 80 W/m2 ·K. A superfície da direita é submetida
ao fluxo de calor com uma taxa uniforme q 00 = 5000 W/m2 . O problema consiste em 15 pontos igualmente espa-
çados com ∆x = ∆y = 1,2 cm, como mostrado na figura. Cinco dos nós estão na superfície inferior, portanto suas
temperaturas são conhecidas. Obtenha as equações em diferenças finitas para os nove nós restantes e determine as
temperaturas nodais por meio da resolução.
R. T1 = 112,1 ◦ C, T2 = 110,8 ◦ C, T3 = 106,6 ◦ C, T4 = 109,4 ◦ C, T5 = 108,1 ◦ C, T6 = 103,2 ◦ C, T7 = 97,3 ◦ C,
T8 = 96,3 ◦ C, T9 = 97,6 ◦ C.

[2] Gases quentes de combustão do forno fluem atravéz de uma chaminé quadrada de concreto (k = 1,4 W/m·K).
A seção de fluxo da chaminé é 20 cm × 20 cm, e a espessura da parede é de 20 cm. A temperatura média dos
gases quentes da chaminé é Ti = 300 ◦ C, e o coeficiente médio de transferência de calor por convecção no interior da
chaminé é hi = 70 W/m2 ·K. A chaminé perde calor a partir da superfície externa para o ar ambiente a TO = 20 ◦ C
por convecção com coeficiente de transferência de calor hO = 21 W/m2 ·K e para o céu por radiação. A emissividade
da superfície externa da parede é ε = 0,9, e a temperatura efetiva do céu é estimada em 260 K. Utilizando o método
das diferenças finitas com ∆x = ∆y = 10 cm e tirando a máxima vantagem da simetria, determine as temperaturas
nos pontos da seção transversal e a taxa de perda de calor para a seção de 1 m de comprimento da chaminé (cota z
perpendicular ao plano do papel).
R. T1 = 545,7 K Linhas de Simetria
T2 = 529,2 K hi , T i
T3 = 425,2 K
T4 = 411,2 K 1 2
isolamento

T5 = 362,1 K iso
T6 = 332,9 K 3 4 la
T7 = 328,1 K m
5 en
T8 = 313,1 K to
T9 = 296,5 K
6 7 8
9
hO , TO , vizinhanças
q̇ = 1993W ± 1W A tolerância está relacionada com o fato de utilizar a superfície interna ou externa para
determinação da taxa de transferência de calor uma vez que foi utilizado uma discretização espacial muito grosseira.

[3] Considere uma transferência de calor constante bidimensional em Função


uma seção transversal retangular (60 cm × 30 cm) com temperaturas pres-
critas nas superfícies esquerda, direita e inferior de 0 ◦ C. A superfície supe-
x 1 2 3 4 5
rior é dada como 100sen(π · 60 ) (x em centímetros e função trigonométrica 0 ºC 0 ºC
calculada em radianos). Usando uma malha uniforme ∆x = ∆y = 10 cm, 6 7 8 9 10
determine (a) as equações de diferenças finitas e (b) as temperaturas nos
nós.
0 ºC

4 ME5131/NM7131 - Versão 5.0


50 50 50 50
[4] Considere uma transferência de calor constante bidimensional em uma barra
sólida cuja seção transversal é indicada na figura. As temperaturas medidas nos 50

isol.

isol.
1 2 3 4
pontos selecionados das superfícies externas são mostradas. A condutividade tér-
mica do corpo é de k = 20 W/m·K, não há geração interna de calor. Usando o
método das diferenças finitas com malha uniforme de ∆x = ∆y = 1 cm, determine
as temperaturas nos pontos indicados no meio. 150 150 150 150 150
R. T1 = T4 = 93 ◦ C e T2 = T3 = 86 ◦ C.

[5] Uma barra longa de concreto (k = 0,6 W/m·K, αs = 0, 7) de seção


transversal triangular cuja superfície exposta é submetida a um fluxo de calor
qs00 = 800 W/m2 e convecção e radiação para o meio ambiente a 25 ◦ C com 1 solar
coeficiente de transferência de calor combinado de h = 30 W/m2 ·K. A seção 8
vertical da barra é de 2 metros de altura é submetida à convecção para a água hc , T

h, T

8
a 15 ◦ C. com coeficiente de transferência de calor por convecção de h = 150 2
W/m2 ·K . A transferência de calor atravez da base de 2 metros de comprimento 3

água
é considerada desprezível. Usando o método das diferenças finitas com tamanho
de malha de ∆x = ∆y = 1 m, e considerando transferência de calor permanente
bidimensional, determine a temperatura nos pontos 1, 3 e 6. 4 5
R. T1 = 21,3 ◦ C, T3 = 43,2 ◦ C, T6 = 43,6 ◦ C.
6

isol.
[6] (ME7131 - P1 - 1SEM2014) Em um projeto de aletas estuda-se a utilização de um anexo de material lateral
para aumentar a taxa de transferência de calor por esta aleta. A base da aleta é fixada emuma superfície a 300◦ C
(T0 ). Utilizando o método das diferenças finitas com um total de 8 pontos, sendo ∆x = ∆y. Considere em sua análise
regimepermanente sem geração interna de calor e efeitos da radiação térmica desprezíveis. Não desprezar transferência
de calor pelas pontas da aleta e todas as dimensõesdda peça estão em milímetros!!! Determine: o conjunto de equações
que lineares que resolve a distribuição de temperaturas na aleta. Assumindo que a distribuição de temperatura na
aleta é conforme indicado na tabela (emoutra situação), determine a taxa de transferência de calor total pela aleta e
a taxa de transferência de calor total que deixa o novo trecho anexo.

Resposta. Veja a resolução / resposta no moodle.

5 ME5131/NM7131 - Versão 5.0


[7] (ME5131 - P1 - 1SEM2015) Um material polimérico (k = 20 W/mK)
possui seção transversal variável e foi instalado sobre uma superfície a 90◦ C.
Nesta condição perde calor por convecção com o ar que está a uma tempera-
tura de 15◦ C e se desenvolve um coeficiente médio de transferência de calor por
convecção natural de 200 W/m2 K.
a) A temperatura nos pontos 1, 2 e 3.
b) A taxa de transferência de calor dissipada por unidade de comprimento
da aleta.
Utilizar o método das diferenças finitas com ∆x = ∆y = 2,5 cm. Desprezar os
efeitos da radiação, considerar transferência de calor bidimensional e dimensões
do desenho em centímetros.
R. (a)T1 = 67,9 ◦ C, T2 = 64,5 ◦ C, T3 = 48 ◦ C e (b) 1327 W/m .

** Notas importantes **

A maior parte dos problemas sugere-se utilizar o EES (Engineering Equation Sovler) ou qualquer outro solver de
equações lineares. O EES possui versão acadêmica gratuita que pode ser obtida visitando o site:
http://www.cambridge.org/us/engineering/author/nellisandklein/software.htm
Os exercícios desta lista foram retirados de: Çengel, Yunus A. e Ghajar, Afshin J. 2012. Transferência de Calor e
Massa: Uma abordagem prática. São Paulo : McGrawHill, 2012.

6 ME5131/NM7131 - Versão 5.0

Você também pode gostar