Você está na página 1de 2

A habitação humana da Austrália teve seu início estimado entre 48 000 e 42 000 anos atrás,[23] possivelmente com a migração

de pessoas
por pontes de terra e por cruzamentos pelo mar de curta distância, no que é atualmente o sudeste da Ásia. Estes primeiros habitantes podem ter
sido antepassados dos modernos indígenas australianos. Na época da colonização europeia no final do século XVIII, a maioria dos indígenas
australianos eram caçadores-coletores, com uma complexa cultura oral e valores espirituais com base em reverência à terra e uma crença
no Tempo do Sonho. Os habitantes das Ilhas do Estreito de Torres, etnicamente melanésios, foram originalmente horticultores e caçadores-
coletores.[24]

Embora exista a teoria da descoberta da Austrália pelos portugueses,[25] há quem tenha como o primeiro avistamento europeu registrado
do continente australiano e o primeiro desembarque europeu na sua costa foram atribuídos ao navegador holandês Willem Janszoon, que avistou
a costa da Península do Cabo York em uma data desconhecida no começo de 1606: ele fez o desembarque em 26 de fevereiro no rio Pennefather
na costa ocidental do Cabo York, perto da cidade moderna de Weipa.[26] O holandês traçou todo o litoral oeste e norte da "Nova Holanda", durante
o século XVII, mas não fez nenhuma tentativa de colonização.[26] Em 1770, James Cook navegou ao longo e mapeou a costa leste da Austrália,
que chamou de Nova Gales do Sul e reivindicou para o Reino Unido.[27] As descobertas de Cook prepararam o caminho para a criação de uma
nova colônia penal. A colônia da Coroa Britânica de Nova Gales do Sul foi formada em 26 de janeiro de 1788, quando o Capitão Arthur
Phillip levou a Primeira Frota à Port Jackson.[28] Esta data tornou-se o Dia da Austrália, o principal feriado nacional do país. A Terra de Van Diemen,
hoje conhecida como Tasmânia, foi colonizada em 1803 e tornou-se uma colônia separada em 1825.[29] O Reino Unido reclamou a parte ocidental
da Austrália em 1828.[30]

James Cook, o primeiro europeu a mapear a costa leste da Austrália, em 1770.

Colônias separadas foram esculpidas a partir de partes de Nova Gales do Sul: Austrália Meridional em 1836, Victoria em 1851, e Queensland em
1859.[31] O Território do Norte foi fundado em 1911, quando ele foi retirado da Austrália Meridional. [32] A Austrália Meridional foi fundada como uma
"província livre", que nunca foi uma colônia penal. [33] Victoria e Austrália Ocidental também foram fundadas como "livres", mas depois aceitaram
transportar presos.[34][35] Uma campanha de colonos da Nova Gales do Sul levou ao fim o transporte de condenados para a colônia; o último navio
com condenados chegou em 1848.[36]

A população nativa, estimada em 350 mil na época da colonização europeia,[37] diminuiu drasticamente 150 anos após a colonização,
principalmente devido a doenças infecciosas.[38] As "gerações roubadas" (remoção de crianças aborígenes de suas famílias), que historiadores
como Henry Reynolds alegam que poderia ser considerado um genocídio,[39] pode ter contribuído para o declínio da população indígena.[40] Tais
interpretações da história aborígenes são disputadas por comentaristas conservadores como o ex-primeiro-ministro John Howard como
exageradas ou fabricadas por motivos políticos ou ideológicos.[41] Este debate é conhecido na Austrália como as Guerras da História. [42] O governo
federal ganhou o poder de fazer leis com relação aos aborígines na sequência do referendo de 1967.[43] A propriedade das terras tradicionais
(chamadas native title) não era reconhecida até 1992, quando a Suprema Corte da Austrália, durante o Caso Mabo contra Queensland (No 2),
derrubou a noção da Austrália como terra nullius ("terra pertencem a ninguém") antes da ocupação europeia. [44]

A habitação humana da Austrália teve seu início estimado entre 48 000 e 42 000 anos atrás,[23] possivelmente
com a migração de pessoas por pontes de terra e por cruzamentos pelo mar de curta distância, no que é
atualmente o sudeste da Ásia. Estes primeiros habitantes podem ter sido antepassados dos
modernos indígenas australianos. Na época da colonização europeia no final do século XVIII, a maioria dos
indígenas australianos eram caçadores-coletores, com uma complexa cultura oral e valores espirituais com base
em reverência à terra e uma crença no Tempo do Sonho. Os habitantes das Ilhas do Estreito de Torres,
etnicamente melanésios, foram originalmente horticultores e caçadores-coletores.[24]
Embora exista a teoria da descoberta da Austrália pelos portugueses,[25] há quem tenha como o primeiro
avistamento europeu registrado do continente australiano e o primeiro desembarque europeu na sua costa
foram atribuídos ao navegador holandês Willem Janszoon, que avistou a costa da Península do Cabo York em
uma data desconhecida no começo de 1606: ele fez o desembarque em 26 de fevereiro no rio Pennefather na
costa ocidental do Cabo York, perto da cidade moderna de Weipa.[26] O holandês traçou todo o litoral oeste e
norte da "Nova Holanda", durante o século XVII, mas não fez nenhuma tentativa de colonização.[26] Em
1770, James Cook navegou ao longo e mapeou a costa leste da Austrália, que chamou de Nova Gales do Sul e
reivindicou para o Reino Unido.[27] As descobertas de Cook prepararam o caminho para a criação de uma
nova colônia penal. A colônia da Coroa Britânica de Nova Gales do Sul foi formada em 26 de janeiro de 1788,
quando o Capitão Arthur Phillip levou a Primeira Frota à Port Jackson.[28] Esta data tornou-se o Dia da Austrália,
o principal feriado nacional do país. A Terra de Van Diemen, hoje conhecida como Tasmânia, foi colonizada em
1803 e tornou-se uma colônia separada em 1825. [29] O Reino Unido reclamou a parte ocidental da Austrália em
1828.[30]
James Cook, o primeiro europeu a mapear a costa leste da Austrália, em 1770.

Colônias separadas foram esculpidas a partir de partes de Nova Gales do Sul: Austrália Meridional em
1836, Victoria em 1851, e Queensland em 1859.[31] O Território do Norte foi fundado em 1911, quando ele foi
retirado da Austrália Meridional.[32] A Austrália Meridional foi fundada como uma "província livre", que nunca foi
uma colônia penal.[33] Victoria e Austrália Ocidental também foram fundadas como "livres", mas depois aceitaram
transportar presos.[34][35] Uma campanha de colonos da Nova Gales do Sul levou ao fim o transporte de
condenados para a colônia; o último navio com condenados chegou em 1848. [36]
A população nativa, estimada em 350 mil na época da colonização europeia,[37] diminuiu drasticamente 150 anos
após a colonização, principalmente devido a doenças infecciosas.[38] As "gerações roubadas" (remoção de
crianças aborígenes de suas famílias), que historiadores como Henry Reynolds alegam que poderia ser
considerado um genocídio,[39] pode ter contribuído para o declínio da população indígena. [40] Tais interpretações
da história aborígenes são disputadas por comentaristas conservadores como o ex-primeiro-ministro John
Howard como exageradas ou fabricadas por motivos políticos ou ideológicos.[41] Este debate é conhecido na
Austrália como as Guerras da História.[42] O governo federal ganhou o poder de fazer leis com relação aos
aborígines na sequência do referendo de 1967.[43] A propriedade das terras tradicionais (chamadas native title)
não era reconhecida até 1992, quando a Suprema Corte da Austrália, durante o Caso Mabo contra Queensland
(No 2), derrubou a noção da Austrália como terra nullius ("terra pertencem a ninguém") antes da ocupação
europeia.[44]

vvvv