Você está na página 1de 7

Como funciona o mercado futuro?

O que são contratos futuros?


Contratos futuros são uma modalidade de derivativos através dos
quais um investidor se compromete a comprar ou vender determinada
mercadoria em uma data futura. Assim como as opções, os contratos
futuros têm um ativo objeto e uma data de vencimento. Ou seja, todo
contrato futuro se refere a um ativo objeto (ou ativo spot no caso dos
futuros) e vence em um determinado prazo.

Apesar desses pontos de semelhança, há uma grande diferença entre


contratos futuros e contratos de opções. Nos contratos futuros, não há
desembolso no momento da compra ou venda. Para operar
contratos futuros é preciso depositar uma margem de garantia que é
utilizada para cobrir eventuais prejuízos que a operação realizada
possa apresentar. Ou seja, para comprar um contrato futuro de uma
mercadoria qualquer, não se gasta nada. Somente é necessário
depositar uma margem de garantia que servirá para lhe permitir
investir com risco controlado.

No mercado futuro, os preços negociados são chamados de preços


futuros à data do vencimento. Ou seja, se um contrato de soja está
negociado a R$ 50,00 a saca para Novembro de 2014, dizemos que o
preço futuro da soja para Novembro é de R$ 50,00. Em geral, o preço
futuro será equivalente ao preço à vista acrescido do custo de
carregamento da mercadoria até o vencimento.

Porque o preço no mercado futuro é formado dessa


maneira?
Se a saca de soja hoje custasse R$ 50,00 e a mesma saca de soja
custasse R$ 50,00 em Novembro, seria uma ótima opção vender
minhas sacas de soja hoje, aplicar o dinheiro até novembro, resgatar o
dinheiro e recomprar as sacas. Fazendo isso, eu ganharia juros
sobre o valor do meu estoque de soja. Além disso, eu não teria
custos para estocar a soja durante o período entre hoje e o dia do
vencimento. Dessa forma, a maneira de garantir que não haja
distorções entre o preço à vista e o preço futuro de uma mercadoria é
embutir o custo do tempo (juros + estocagem + seguros + ...) no preço
futuro.

Há uma outra característica do mercado futuro que o torna diferente


dos demais mercados: o resultado das operações em mercados
futuros são recebidos ou pagos diariamente, através do
mecanismo de ajustes diários. Isso significa que se você comprar
contratos futuros no valor de R$ 100.000,00 e esses contratos se
valorizarem 1% no dia seguinte, você receberá um crédito de R$
1.000,00 em sua conta. Por outro lado, quem estivesse na outra
posição, vendendo o contrato futuro, deveria pagar o valor de R$
1.000,00. Por esse motivo, é muito comum se dizer que o mercado
futuro é um mercado de soma zero, já que todo o valor ganho por um
grupo de investidores foi pago pelo outro grupo, através do
mecanismo de ajustes diários.

E para que serve o mercado futuro?


Assim como ocorre com todos os derivativos, o mercado futuro pode
ser utilizado para minimizar riscos ou para potencializar retornos.
Observe as duas situações abaixo:

A - MINIZAR RISCOS: Lucas tem uma fazenda onde planta soja.


Nessa fazenda, ele consegue plantar uma área grande o suficiente
para colher 1.000.000 de sacas e gasta R$ 40.000.000,00 para fazer
isso. Hoje, a saca de soja custa R$ 45,00 então ele pode plantar,
colher e vender a soja que terá um lucro de R$ 5.000.000,00.
Entretanto, há um risco. O preço da soja oscila muito e pode
facilmente atingir R$ 30,00 a saca se ocorrer uma temporada de
chuvas muito boa. Se isso acontecer, Lucas perderá R$
10.000.000,00. Ao pensar sobre o assunto, Lucas poderia desistir da
agricultura, demitir seus funcionários, vender suas máquinas e aplicar
seu dinheiro na poupança sem correr riscos. Isso seria ruim para
todos: ele não faria o que gosta, seus funcionários perderiam o
emprego e produziríamos menos alimentos. Uma outra opção que
Lucas tem é realizar um hedge no mercado futuro. Com essa
operação, ele poderá ter lucros, produzir alimentos e gerar empregos.
Para isso, bastaria que ele fosse ao mercado futuro e realizasse uma
venda de 1.000.000 de sacas de soja para Novembro (o mês que ele
colherá sua produção) por R$ 50,00 a saca. Nesse caso, observe que
seu lucro é preservado:

I - Saca de soja sobe chega a R$ 80,00

Fazenda vende as sacas no CEASA por R$ 80.000.000,00 e lucra R$


40.000.000,00

Operação no mercado futuro gera prejuízo de (R$ 50,00 - R$ 80,00)


por saca, uma vez que o preço de venda foi R$ 50,00 e o preço de
compra, no dia do vencimento, era R$ 80,00. O prejuízo na operação
é de R$ 30.000.000,00

O resultado final é: R$ 40.000.000,00 (lucro no mercado à vista) -


R$ 30.000.000,00 (prejuízo no mercado futuro) = R$ 10.000.000,00
de lucro

II - Saca de soja cai e chega a R$ 30,00

Fazenda vende as sacas no CEASA por R$ 30.000.000,00 e perde R$


10.000.000,00

Operação no mercado futuro gera lucro de (R$ 50,00 - R$ 30,00) por


saca, uma vez que o preço de venda foi R$ 50,00 e o preço de
compra, no dia do vencimento, era R$ 30,00. O lucro na operação é
de R$ 20.000.000,00

O resultado final é: - R$ 10.000.000,00 (prejuízo no mercado à vista)


+ R$ 20.000.000,00 (lucro no mercado futuro) = R$ 10.000.000,00
de lucro

Observe que, com a operação de hedge, Lucas pode dormir tranquilo.


Ele só precisa se preocupar com sua fazenda, pois ele está protegido
do risco de oscilação de preços já que utilizou o mercado futuro para
se proteger.

B - MAXIMIZAR LUCROS: A outra finalidade do mercado futuro é


permitir a realização de operações orientadas à obtenção de lucros.
Podemos usar o exemplo acima para ilustra isso. Imagine que
Guilherme fez uma pesquisa e acredita que o preço da saca da soja
estará a R$ 80,00 em Novembro. Uma forma de lucrar com essa alta
sem ter de comprar uma fazenda, plantar e colher a soja é comprar
contratos futuros de soja. Se Guilherme oferecer garantias, ele poderá
comprar contratos futuros referentes a 1.000.000 de sacas de soja. Se
ele fizer isso, veja seus possíveis resultados com a operação:

I - Saca de soja sobe chega a R$ 80,00

Guilherme lucra R$ 80,00 - R$ 50,00 = R$ 30,00/saca no mercado


futuro. Como ele comprou 1.000.000 de sacas, seu lucro é de R$
30.000.000,00.

II - Saca de soja cai e chega a R$ 30,00

Guilherme perde R$ 30,00 - R$ 50,00 = -R$ 20,00/saca no mercado


futuro. Como ele comprou 1.000.000 de sacas, seu prejuízo é de R$
20.000.000,00

Ao realizar essas operações Guilherme ganhou a possibilidade de ter


altos lucros e, dessa forma, comprou o risco da fazenda de Lucas.
Com isso, todos ganham: Guilherme que pode ter um lucro enorme,
Lucas que pode tocar sua fazenda, o Governo que recolheu impostos
de todos os participantes desse exemplo, as pessoas que mantiveram
seus empregos na fazenda de Lucas e na corretora de Guilherme e
assim por diante.

Atenção! Alguns poucos contratos têm a chamada entrega física em


que o vendedor realmente entrega a mercadoria. Na maior parte dos
contratos, existe apenas a liquidação financeira em que o comprador e
o vendedor trocam o resultado financeiro que a operação teria trazido
a eles se fosse realizada com mercadorias de verdade. Essa estrutura
evita grandes custos logísticos e facilita a utilização do mercado
futuro.

Índice futuro e mini-índice futuro


Um dos contratos mais utilizados no mercado são os contratos
futuros de índice. Esses contratos têm como ativo objeto o Ibovespa.
Ou seja, o ativo que está sendo negociado a preços futuros é
a cotação do Ibovespa. Dessa forma, é possível (para realizar
operações de proteção ou de especulação) apostar na alta ou na
baixa do Ibovespa.

Quando compramos um contrato futuro de índice, recebemos


dinheiro toda vez que o índice sobe e perdemos dinheiro toda vez que
o índice cai. Por outro lado, quando vendemos um contrato de índice
futuro, ganhamos dinheiro toda vez que o mercado cai e perdemos
toda vez que o mercado sobe.

Quais são as diferenças entre índice futuro e min-


índice futuro?
A única diferença relevante entre contratos de índice futuro e contratos
de mini-índice futuro é o tamanho desses contratos. No caso dos
contratos de índice futuro, que recebem o código IND(XYY) conforme
seu mês e ano de vencimento, cada oscilação de 1 ponto na cotação
gera um lucro ou prejuízo de R$ 1,00. Como os contratos são
negociados somente em múltiplos de 5 contratos, cada oscilação de
um ponto gera um lucro ou prejuízo de R$ 5,00. Já nos contratos de
mini-índice futuro que recebem o código WIN(XYY) conforme seu mês
e ano de vencimento, cada oscilação de 1 ponto na cotação gera um
lucro ou prejuízo de R$ 0,20. Como os contratos são negociados em
múltiplos de 1 contrato, cada oscilação de um ponto gera um lucro ou
prejuízo de R$ 0,20.

Um exemplo dessa diferença pode ser visto abaixo. Imagine que


nesse dia o contrato futuro abriu a 50.000 pontos e teve preço de
ajusto estabelecido em 51.000.

I - Quem comprou ÍNDICE FUTURO ganhou, no mínimo: R$ 5,00 x


1.000 pts. = R$ 5.000,00

II - Quem comprou MINI-ÍNDICE ganhou, no mínimo: R$ 0,20 x 1.000


pts = R$ 200,00.

Da mesma forma que podem oferecer menores lucros, os contratos


"mini" oferecem também um menor risco.

Quais são as vantagens de operar no mercado de


índice futuro?
Operar no mercado de índice futuro traz uma série de vantagens aos
investidores. Abaixo, apresentamos as principais:

1. Alavancagem: Como não é necessário desembolsar dinheiro para


comprar ou vender contratos futuros (apenas é obrigatório ter margem
de garantia), um investidor consegue colocar seus recursos como
margem e alavancar o valor que investe. Dessa maneira, é possível
potencializar os ganhos. Por outro lado, corre-se um risco
proporcionalmente maior. Observe o exemplo abaixo, considerando
que o investidor tem R$ 5.000,00, que a margem para contratos de
mini-índice futuro é de 10% e que a bolsa subiu 10%:

Opção A: Comprar R$ 5.000,00 em ações e vendê-las por R$


5.500,00 (10% de lucro)

Opção B: Depositar R$ 5.000,00 em margem, comprar o equivalente


a R$ 50.000,00 em contratos futuros e lucrar R$ 5.000,00 (ou seja,
100%). Isso porque 10% de R$ 50.000,00 = R$ 5.000,00.

*No mercado futuro, ações são aceitas como margem de garantia.


Dessa forma, seria possível potencializar ainda mais a exposição ao
mercado depositando R$ 5.000,00 em ações para realizar a compra
dos contratos de índice futuro.

2. Facilidade de Apostar na Baixa: No mercado futuro, apostar na


queda dos preços é muito fácil. Para isso, basta realizar uma venda de
contratos futuros e pronto. Cada ponto que o mercado cair, será um
ponto de lucro para seus investimentos. Por exemplo, se a bolsa
estiver a 50.000 pontos e você acreditar que há grande chances de o
mercado cair até 45.000 pontos, uma opção que o mercado futuro lhe
oferece é vender índice futuro. Como isso, você receberá R$ 1,00 ou
R$ 0,20, por contrato normal ou mini que tiver vendido, a cada ponto
que o mercado cair. Se a bolsa de fato se desvalorizar 5.000 pontos,
seu lucro na baixa será de R$ 5.000,00 ou R$ 1.000,00 por contrato
ou mini contrato vendido. Dessa forma, você pode utilizar o mercado
para se proteger.

3. Liquidez Elevada: Um dos mercados em que há maior número de


transações de compra e venda é o mercado futuro. Dessa forma,
mesmo para volumes muito grandes de capital, é muito provável que
sempre que quiser vender você encontre uma oferta de compra e vice-
versa. Dessa forma, o investidor tem grande maleabilidade para
decidir quando entrar e sair de seus investimentos, além de poder
lucrar com oscilações pequenas de preços.

Outros contratos futuros


Embora os contratos futuros mais famosos sejam os de índice e mini-
índice, a BM&FBovespa tem uma série de outros contratos que
apresentam liquidez e que podem representar oportunidades de
investimento para o trader ou investidor que se interessou por esse
tipo de derivativo