Você está na página 1de 196

título: limites de exposição ocupacional a agentes químicos em

Espanha. 2018

autor: Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e Bem-


Estar no Trabalho (INSSBT), OA, MP

edit:
Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e bem-estar no
Trabalho (INSSBT), OA, MP
C / Torrelaguna 73, 28027 Madrid
Tel. 91 363 41 00, fax 91 363 43 27
www.insht.es

composição:
Kenaf gráfico Services, SL
Tel. 91 380 64 71
info@kenafsl.com

edição: Madrid, fevereiro 2018

NIPO (papel): 276-18-027-9


NIPO (online): 276-18-028-4
ISBN: 978-84-7425-827-1
Depósito Legal: H-187-2018

hiperlinks:
O INSSBT não é responsável nem garante a exatidão das informações
em sites que não são de propriedade. Também a inclusão de um link
não implica o endosso pela INSSBT proprietário do site ou qualquer
conteúdo específico que redirecionar isso.

Catálogo geral de publicações: http://publicacionesoficiales.boe.es

INSSBT catálogo de publicações:


http://www.insht.es/catalogopublicaciones/
APRESENTAÇÃO

Este documento limita exposições ção profissional


de agentes químicos em Espanha, adotadas pelo
Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e
Bem-Estar no Trabalho (INSSBT) para o ano de 2018
são coletados.
A constituição pelo INSSBT em 1995, de um Grupo
de Trabalho sobre valores limite de exposição
profissional permitiu a publicação de um primeiro
documento em 1999, seguido de actualizações anuais
para resolver a médio prazo, a obrigação da Directiva 98
/ 24 / CE exige que os Estados-Membros a estabelecer
limites nacionais profis- sional exposição.
A transposição desta directiva para o direito
espanhol pelo Real Decreto 374/2001, que revoga os
Regulamentos Limites de exposição actividades
irritantes, insalubres, nocivas e perigosas (RAMINP) e

limites A exposição ocupacional a agentes químicos na Espanha 2018


considera os publicados pela INSSBT como valores de
referência apropriados tes Agencies para os produtos
químicos que não têm limites regu- rios, é de fato um
mandato para INSSBT continuar este trabalho,
periodicamente atualizar seus limites para mantê-los
adaptado para Sci progresso entific e técnica.
Por sua parte, a Comissão Nacional de Segurança e
Saúde no Trabalho aprovado em Julho de 1997, a
criação de um grupo de trabalho para, inter alia, "estu-
documentos Diar sobre valores-limite e ao da sua
aplicação locais de trabalho desenvolver o INSSBT".
Como resultado das suas propostas, a Comissão, na
reunião plenária de 16 de dezembro de 1998, decidiu
por unanimidade recomendar:

1. Que se aplicam no local de trabalho os tes


exposição limitada indicados no documento INSSBT
intitulado "Limites de exposição ocupacional a agentes
químicos em Espanha" e que sua aplicação é feita com
os critérios estabelecidos no referido documento.
2. O INSSBT publicar e maior ção divulga- quanto
possível a esse documento indicando no seu preâmbulo,
a informação favorável deste Pecto a aplicação do
mesmo no local de trabalho re- Comissão.

3
3. INSSBT rever anualmente os documentado disse,
comunicar com as extensões da Comissão ou
modificações que julgar necessárias para realizar e se
esta informação favorável, integrá-los à publicação da
referida no parágrafo anterior .

Consequentemente, através da publicação deste


documento, que foi aprovado pela Comissão Nacional
de Segurança e Saúde no Trabalho, do Instituto
Nacional de Segurança do Trabalho, Saúde e Bem-Estar
no Trabalho desempenhe as suas funções em termos de
estudo e disseminação gação enquanto ele está servindo
com satisfação as recomendações da Comissão.

Javier Acosta
diretor o INSSBT
limites A exposição ocupacional a agentes químicos na Espanha 2018

4
Este documento foi elaborado por um grupo de
trabalho constituído por membros da INSSBT e as
seguintes Comunidades Autónomas:

AGUILAR BAILO, Amelia


Instituto de Saúde Pública e do Trabalho de Navarra.
Governo de Navarra.
AGUILAR FRANCO, Josefa
Centro Nacional de Novas Tecnologias. Instituto Nacional
de Segurança Ocupacional, Saúdee Bem-Estar no
Trabalho (INSSBT).
ARAGÃO Carlon, Maria del Pilar
Unidade de Segurança e Saúde Ocupacional.
Ministério da Economia e do Emprego Junta de
Castilla y León.
Arenaza AMEZAGA, Maria Jesus
Instituto Basco de Segurança e Saúde
Ocupacional (OSALAN). governo basco.
SANZ BLANCO, Miguel Angel
Instituto Regional para a Segurança e Saúde no
Trabalho. Madri.
limites A exposição ocupacional a agentes químicos na Espanha 2018
CASADO PÉREZ, Raquel
Instituto Catalão de Seguretat i Salut Laboral.
Generalitat de Catalunya.
CAMPO Mínguez, Gonzalo
Geral do Trabalho, Formação e Segurança. Ministério
da Economia, Empresa e do Emprego. Governo
Regional de Castela - La Mancha.
FERNÁNDEZ Rabanillo, Cristina
Instituto Cántabro para a Segurança e Saúde no
Trabalho. Governo da Cantábria.
FLAQUER Bonafè, Lluisa
Geral do Trabalho e Saúde. Governo das Ilhas
Baleares.
GADEA CARRERA, Enrique
Centro Nacional para as Condições de Trabalho.
Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e
Bem-Estar no Trabalho (INSSBT).
GARCÍA HEVIA, Ofelia
Instituto das Astúrias para a Saúde e Segurança no
Trabalho. Governo do Principado das Astúrias.
GARCÍA-GUTIERREZ MUÑOZ, Roselink
5
Instituto Aragon de Segurança e Saúde Ocupacional
(ISSLA). Governo de Aragão.
IGLESIAS GIL Eduardo
Serviços centrais. Instituto Nacional de Segurança
Ocupacional, Saúde e Bem-Estar no Trabalho
(INSSBT).
LOZANO Cádiz, Yolanda
Instituto Valenciano para a Segurança e Saúde no
Trabalho (INVASSAT). Generalitat Valenciana.
HUICI Montagud, Alicia
Centro Nacional para as Condições de Trabalho.
Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e
Bem-Estar no Trabalho (INSSBT).
Simo Montero, Rosa
Ministério do Trabalho, Administração e Comércio.
Junta de Andaluzia.
CHICKEN VICENTE, Flor María
Serviços centrais. Instituto Nacional de Segurança
Ocupacional, Saúde e Bem-Estar no Trabalho
(INSSBT).
PORCEL MUÑOZ, Juan
National Machinery Centro de Monitoramento. Instituto
limites A exposição ocupacional a agentes químicos na Espanha 2018

Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e Bem-Estar


no Trabalho (INSSBT).
PRADO BURGUETE, Celia
Instituto para a Segurança e Saúde Ocupacional. região Murcia.
REGA PIÑEIRO Jose
Instituto Galego de Saúde e Segurança Ocupacional.
Xunta de Galicia.
SOLANS LAMPURDANÉS, Xavier
Centro Nacional para as Condições de Trabalho.
Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e
Bem-Estar no Trabalho (INSSBT).
SOUSA RODRIGUEZ, Mª Encarnación
Centro Nacional de Novas Tecnologias. Instituto
Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e Bem-
Estar no Trabalho (INSSBT).
VIGUERA RUBIO, Juan Manuel
Centro Nacional de Protecção de mídia. Instituto
Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e Bem-
Estar no Trabalho (INSSBT).
Coordenador:
GÁLVEZ PÉREZ, Virginia
Centro Nacional de Novas Tecnologias. Instituto Nacional
6
de Segurança Ocupacional, Saúdee Bem-Estar no
Trabalho (INSSBT).
CONTEÚD
O

1. INTRODUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. .9

2. OBJETIVO E escopo. .. 11

3. A novidade deste EDICIÓN12 .............................

4. DEFINICIONES14 ..............................................
4.1. agente químico14 .........................................
4.2. tenda trabajo14.............................................
4.3. zona respiración.14 ......................................
4.4. período referencia14 ....................................
4.5. Exposición15 ...............................................
4.5.1. exposição diária (ED) de 15 ...............
4.5.2. Exposição a curto prazo (CE). . 16
4.6. indicador biológico (IB) 16 ..........................

5. VALORES Limite Ambientais (VLA) 18 limites A exposição ocupacional a agentes químicos na Espanha 2018
5.1. Unidades valores limite
Ambientales19 .............................................
5.2. Valores Limite Ambientais de tipos. ..19
5.2.1. Limite de Exposição de Valor Ambiental
Diário (VLA-ED®). ................................. 20
5.2.2. Limite de Exposição de Valor Ambiental
Curto Prazo (VLA-EC®) 0,20 .....................
5.3. limites de desvio (LD) 20 ............................
5.4. Os efeitos combinados de agentes
químicos21 ...................................................
5.5. avaliação Exposição e avaliação
o riesgo21.....................................................
5.5.1. considerações valora-
ção exposición21..........................................
5.5.2. considerações valora-
risco ção higiénico22 ...................................

6. PRODUTOS QUÍMICOS
SENSIBILIZAÇÃO....................................................... 24

7. agentes cancerígenos O 7
mutagénicos..................................................................... 26
8. LISTA DOS VALORES-LIMITE
DE EXPOSIÇÃO AMBIENTAL
PROFISSIONAL - Tabela 128 ............................

9. VALORES LIMIT AMBIENTAL COM


ENTRADA EM VIGOR NOS ANOS POUCOS
Próximo - Tabela 2 ............................................. 115

NOTAS A Tabelas 1 e 2 ..................................... 117

10. VALORES-LIMITE BIOLÓGICOS (VLB®) . 0,127


10.1. considerações generales128 .......................
10.2. Interpretação dos resultados dos indicadores
biológicos (IB) 0,128 .................................

11. LISTA VALORES-LIMITE


BIOLÓGICA - Tabela 3130 ..........................

12. VALORES LIMITE DE ENTRADA


COM EFEITO SOBRE BIOLÓGICA
ANOS SEGUINTES - Tabela 4142 ...................

NOTAS A Tabelas 3 e 4145 ...............................


limites Exposição Ocupacional Químicos na Espanha 2018

13. Produtos químicos em ESTUDIO149 ................

14. Métodos de amostragem e ANÁLISIS150 .........

ANEXO A: ÍNDICE DE AGENTES químico-


Micos classificados por ITS No. CAS ..................... 154

ANEXO B: Frases de perigo (H) 170

ANEXO C: BIBLIOGRAFÍA174 ............................

ANEXO D: INFORMAÇÃO
COMPLEMENTARIA177 .......................................

Composição do grupo de trabalho da Comissão


Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho. .0,179

8
1. INTRODUÇÃO

As disposições relativas à avaliação do risco da Lei


31/1995, de Saúde e Segurança Ocupacional, e Real
Decreto 39/1997, que altera o Regula- mento dos
Serviços de Prevenção aprovado, envolvem a utilização
de os valores limite de exposição para avaliar o risco de
exposição a agentes químicos, quando esta é
determinada quantitativamente, isto é, através das
concentrações de ar de trabalho.
Real Decreto 374/2001, relativo à protecção da
saúde e segurança dos trabalhadores contra os Ries gos
ligados a agentes químicos no trabalho refere-se aos
valores-limite de exposição profis- sional publicada pela
INSSBT como valores refe- ence para a avaliação e
controlo dos riscos originários nado pela exposição dos
trabalhadores aos agentes químicos.

introdução
Conceitos e valores incluídos neste documento são o
resultado de uma avaliação crítica dos valores limite de
exposição profissional estabelecido pela mais
importante e prestigiado nas entidades de campo, tendo
em conta principalmente a confiabilidade dos dados
utilizados para estabelecer cada um e atualização.
Este documento é revisto e atualizado durante todos
os anos por ter os valores-limite de exposição
profissional comunidade (ligação e indicativo) ou pelos
requisitos colocados pelas alterações nos pro- cessos de
produção e da introdução de novas subs- tâncias, de
nova técnica e científica, bem como a evolução do
quadro jurídico em que se aplicam conhecimento.
Real Decreto 374/2001 transpõe a legislação
espanhola o direito previsto na Directiva 98/24 / CE
para os Estados-Membros da União Europeia a adoptar
as suas próprias exposições profissionais limita ção para
esses produtos químicos que nível valores-limite
atribuídas comunitários são a exposição profissional
indicativo.
Com a adição deste Agencies documento tes
produtos químicos incluídos nas "listas de valores-limite
de exposição profissional indicativos" de sucessivos

9
directivas da Comissão transposto estas directivas no
sistema de direito do trabalho espanhol é consolidada.
introdução

10
2. OBJECTIVO E ÂMBITO

Limites de Exposição Ocupacional são valores de


referência para a avaliação e controlo dos riscos
inerentes à exposição, principalmente por inalação de
agentes químicos em posições jo Work e, portanto, para
proteger a saúde dos res Work.
Não uma barreira de separação definida entre
situações perigosas ou seguras.
Limites de exposição ocupacional são definidos para
aplicação na prática da higiene industrial e não para
outras aplicações. Assim, por exemplo, não deve ser
utilizado para a avaliação da contaminação mentais
ambiente de uma população, a poluição da água ou
comida, para estimar as taxas relativas de toxicidade de
agentes químicos ou prova de origem , trabalhando ou
não, de uma doença ou condição física existente.
Aqui deve ser considerado como limite Limites de
Exposição Ocupacional de Exposição (VLA) também
contemplado como um indicador de exposição objetivo e alcance
complemento, valores-limite biológicos (VLB®).

11
3. O QUE HÁ DE NOVO NESTA EDIÇÃO

VALORES-LIMITE AMBIENTAL

• Eles foram adoptadas, e incluídas na Tabela 1, a


VLA dos seguintes agentes:
• Acetato de etila
• Ácido acético
• ácido acrílico
• acroleína
• bisfenol A
• 2-butino-1,4-diol
• O cianeto de hidrogénio como NC
• cianeto de potássio, e NC
• cianeto de sódio, e CN
A novidade deste edição

• cloreto de metileno
• cloreto de vinilideno
• diacetil
• p-diclorobenzeno
• O dióxido de azoto
• 2-etil-hexanol
• formaldeído
• formato de meti Io
• Hidróxido de cálcio. fracção respirável
• hidreto de lítio
• D-limoneno
• Monóxido de carbono
• monóxido de azoto
• nitroetano
• O óxido de cálcio. fracção respirável
• percloroetileno
• acetato de silicato
• tetracloreto de carbono
• tricloroetileno

12
• Expandiu-se na Tabela 2 o prazo para a entrada
em vigor para os seguintes produtos químicos:
• Cobre. fracção respirável
• compostos de cobre. fracção respirável

VALORES-LIMITE BIOLÓGICOS

• As alterações foram feitas em VLB® dos


seguintes produtos químicos Tabela 3:
• Para o tolueno foi removido ácido hipúrico na
urina e indicador biológico tiver sido
actualizado ou urina-cresol.
• Para percloroetileno percloroetileno foi
atualizado indicador biológico no sangue.

A novidade deste edição

13
4. DEFINIÇÕES

Para efeitos do presente documento são as seguintes


definições:

4.1. agente químico

Qualquer elemento ou composto químico, só ou em


mistura, tal como apresentado no seu estado natural ou
como são produzidos, utilizado ou libertado, incluindo a
libertação de resíduos, de uma actividade de trabalho,
foi criado ou não intencionalmente e comercializou ou
no1.

4.2. Posto de trabalho

Este termo refere-se tanto o conjunto de atividades


definições

que são atribuídas a um trabalhador em particular e o


espaço físico em que se desenvolve o seu trabalho.

4.3. zona de respiração

O espaço em torno do trabalhador cara que leva o ar


que você respira. fins técnicos, uma definição mais
precisa é como se segue: 0,3 m de raio hemisférica que
se estende em frente da face do trabalhador, cujo centro
está localizado no ponto central da linha imaginária que
une ambas as orelhas e cuja base está formado pelo
plano que contém o referido segmento, o topo da cabeça
e laringe2.

4.4. período de referência

determinado período de tempo definido para o valor


limite de um determinado produto químico. O período
de referência de limite de longo prazo é

1
Real Decreto 374/2001, de 6 de Abril, relativa à protecção da
saúde e segurança dos trabalhadores contra os riscos ligados a agentes
químicos no trabalho.
2
UNE-EN 1540: 2012. Atmosferas no local de trabalho. prazo-
logia.
14
tipicamente 8 horas, e para limitar curta duração de 15
minutos 3.

4.5. exposição

Quando este termo é usado não qualificado refere-se


sempre ao das vias aéreas, isto é, a exposição por
inalação.
É definida como a presença de um produto químico
no ar da zona de respiração de trabalhador.
é quantificada em termos de concentração do agente
obtidos a partir de medições de exposição, a que se
refere o mesmo período de referência que o utilizado
para o valor limite aplicável. Consequentemente, podem
ser definidos dois tipos de exposição:

4.5.1. exposição diária (ED)

Ele é a concentração média do agente químico na

definições
árearespiração trabalhador medido ou calculado sobre
uma base ponderada ao longo do tempo, para real e em
relação a um dia de trabalho normal de oito horas
diariamente. Referem-se ao tempo de concentração
média dito padrão envolve considerando todas as
diferentes posições do trabalhador ao longo do dia de
trabalho real, cada um com a sua duração
correspondente, a ser equivalente a
mesmo uma única exposição de oito horas.
Assim, a ED pode ser calculada matematicamente
pela seguinte fórmula:

onde:

ci a concentração om
você o tempo de exposição em horas, associado com
cada valor ci

3
UNE-EN 689: 1996. Atmosferas no local de trabalho.
Directrizes para avaliar a exposição por inalação de macacos para
comparação com os valores limite e agentes químico-estratégia de
medição. 15
nota: Para o cálculo da ED todo o dia de trabalho, a soma da
exposição vezes são para ser considerado no numerador da
fórmula acima será igual à duração efectiva do dia em questão,
expresso em horas.

4.5.2. Exposição a curto prazo (CE)

Ele é a concentração média do agente químico na


respiração trabalhador medido ou calculado por um
período de 15 minutos durante todo o dia de trabalho,
excepto para os produtos químicos para um período de
referência inferior indicados no lista de valores-limite.
Tipicamente determinar a CE e interesse, isto é, o
período ou períodos de exposição máxima, a recolha de
amostras, de 15 minutos de duração cada. Assim, as
concentrações das amostras obtidas vai coincidir com o
CD procurou. No entanto, se o método de medição
utilizado, por exemplo à base de um instrumento de
leitura directa fornece várias concentrações dentro de
cada período de 15 minutos, o correspondente é CE
definições

vai ser calculada pela seguinte fórmula: onde:

ci concentração om dentro de cada período de 15


minutos.
você o tempo de exposição, em minutos,
associado com cada valor de CI.
nota: A soma dos tempos de exposição deve ser considerado na
fórmula acima será igual a 15 minutos.

4.6. indicador biológico (BI)

Para efeitos de aqui contemplado o indicador


biológica termo um parâmetro adequado num ambiente
biológico do trabalhador, que é medido em um dado
momento, e está associada directa ou indirectamente
com a exposição global, ou seja, para todos vias, a um
agente químico.

16
Como meios biológicos ar exalado, urina, sangue e
outros são utilizados. Dependendo do parâmetro, o meio
a ser medido e o momento de amostragem, a medição
pode indicar a intensidade de exposição recente, a
exposição média diária ou a quantidade total de agente
acumulado no organismo, isto é, o peso total do corpo.
Este documento descreve dois tipos de indicadores
biológicos são considerados:

– dose de IB. É um parâmetro que mede a


concentração do agente químico ou os seus
metabolitos em um ambiente biológico do
trabalhador exposto.
– efeito IB. É um parâmetro que pode identificar
alterações bioquímicas induzidas reversíveis
caracteristicamente pelo agente químico para o
qual o trabalhador é exposto.

definições

17
5. limites ambientais (VLA)

Eles são valores de referência para as concentrações


de produtos químicos no ar, e representam Con- dições
para o qual acredita-se, com base no conhecimento
actual, que a maioria dos trabalhadores podem ser
expostos, dia após dia, durante toda a sua vida de
trabalho sem sofrer efeitos adversos para a saúde.
Ela fala da maioria e não todos, porque, devido à
amplitude das diferenças na resposta entre os
indivíduos, com base em ambos os fatores genéticos ou
fisiológicos, tais como estilo de vida, uma pequena
percentagem de trabalhadores podem sentir desconforto
VLA inferiores a concentraes de, e até mesmo ser mais
severamente afectados, quer por piora uma condição
prévia, é desarrollan- fazer uma condição de emprego.
VLA são ajustados considerando em que a
informação, a partir dos agentes químicos analogia mica
Limite de Exposição (VLA)

físico-químico-, em estudos in vitro de estudos com


animais e con- trolados com estudos de exposição
voluntários experiência epidemiológica e industrial.
A VLA servem unicamente para avaliação e controlo
dos riscos de inalação de produtos químicos incluídos na
lista de valores. Quando um destes agentes pode ser
absorvido através da pele, quer pela (sólido, líquido) a
manipulação directa dos mesmos, é através do contacto
de gases, vapores e névoas com partes desprotegidos da
pele e cuja contribuição pode ser significativa
trabalhador conteúdo total do corpo da medição da
concentração ambiente tal pode não ser suficiente para
quantificar a exposição global, de modo que o uso de
controlo biológico é particularmente importante. Neste
caso, os tes Agencies estão marcados na lista com a
notação "pele". Esta chamada adverte um lado,

18
Existem alguns agentes químicos para os quais a
absorção dérmica, fase líquida e de vapor pode ser
muito alta e pode ter lugar através da entrada de igual ou
maior importância ainda por inalação (por exemplo: 2-
metoxietanol, 2- etoxietanol e seus acetatos, e pesticidas
organofosfo- Rados). Nestas circunstâncias, a utilização
de controlo biológico é essencial para quantificar a
quantidade total de contaminantes absorvidos.

5.1. unidades Valores Limite Ambientais

O valor limite para os gases e vapores é


originalmente definido no valor ml / m3 (ppm),
temperatura variáveis independente e press atmosfica,
pode também ser expressa em mg / m3 a 20 ° C e uma
pressão de 101,3 kPa , valor dependendo das variáveis
acima mencionadas. Convertendo ppm mg / m3 foi
realizada utilizando a equação seguinte:

Limite de Exposição (VLA)

24,04 sendo o volume molar em litros em tais


condições padrão.
O valor limite para a matéria em partículas não
fibrosas expressa em mg / m3 ou submúltiplos e fibras,
de fibras / m3 ou fibras / cm3, tanto para as condições
reais de temperatura e de trabalho pressão atmosférica.
Isto significa que as concentrações medidas nestas
unidades, em qualquer das condições de pressão e
temperatura, não requerem qualquer correcção que deve
ser comparado com os valores-limite.
Na ausência de qualquer indicação de valores limite
referem-se à fracção inalável 4.

5.2. Tipos de Valores Limite Ambientais

VLA as seguintes categorias são consideradas:

4
EN 481: 1995. Atmospheres em empregos. Definição das
fracções por tamanho de partícula para a medição de aerossóis.

19
5.2.1. Exposição Ambiental Valor Limite-Daily
(VLA-ED®)

É o valor de referência de exposição diária (ED),


como esta foi definida no parágrafo
4.5.1. deste documento. Assim, a VLA-ED®
representam condições que se acredita basándo- está no
conhecimento actual, que a maioria dos trabalhadores
podem ser expostos 8 horas diárias e 40 horas por
semana durante toda a sua vida de trabalho sem sofrer
efeitos adversos para sua saúde.

5.2.2. Limite de Exposição Ambiental valor a curto


prazo (VLA-EC®)

É o valor de referência para a exposição de curta


duração (CE), tal como definida na Seção 4.5.2. deste
documento.
A VLA-EC® não deve ser ultrapassado por qualquer
CE em toda a jornada de trabalho.
Para esses agentes químicos com efeitos agudos
Limite de Exposição (VLA)

reconhecidos, mas cujos efeitos tóxicos são cos grande


crónica na natureza, a VLA-EC® é complementar para
a VLA-ED® e, por conseguinte, a expo- destes agentes
a ser avaliada em relação com ambos os limites.
Em vez disso, mente agentes químicos
principalmente os efeitos agudos, por exemplo, gases
irritantes, eles só são atribuídos a marcar VLA-EC®.

5.3. limites Desvio (LD)

Para muitos produtos químicos que são atribuídos a


VLA-ED®, você não tem um VLA-EC®. No entanto, é
necessário controlar os desvios acima da VLA-ED®,
mesmo se esse valor for tre Encoun- dentro dos limites
recomendados. Nestes casos, os limites de desvio
aplicar.
Estes limites de desvio (LD) foram estabelecidas por
considerações de natureza estatística, para estudar TRA
ver a variabilidade observada em grande número de
medições para determinar a exposição de curto prazo
nos processos industriais reais.
Desvios nos níveis de exposição dos trabalhadores
pode ser maior do que o valor 3xVLA-ED®
20
para não mais do que um total de 30 minutos em tempo
de trabalho, não deve exceder em qualquer circunstância
o valor 5xVLA-ED®.
Se os desvios a partir de den- tro dos limites de
exposição são mantidas, considera-se que a exposição é
controlada; caso contrário, será necessário implementar
medidas corretivas para melhorar o controlo.

5.4. Os efeitos combinados dos agentes químicos

VLA são definidas para produtos químicos cas espe-


e não suas misturas. No entanto, quando vários agentes
que exercem a mesma acção sobre os mesmos órgãos ou
sis- temas estão presentes no ambiente, é o seu efeito
combinado que requer uma conside- ração preferido.
Este efeito combinado de aditivo deve ser considerada, a
menos que a informação está disponível que indica que
os efeitos são sinérgicos ou independente.
De acordo com o acima, a comparação com os
valores limite devem ser calculados

Limite de Exposição (VLA)


em que Ei representa exposições a vários agentes
presentes e VLAi, respectivos valores limite. Se o
resultado é maior do que a unidade, para ser entendido
que a VLA foi excedido para a mistura em causa.
O cálculo acima é aplicável tanto a comparação de
ED com VLA-ED® como a CE com VLA-EC®.

5.5. classificação avaliação da exposição e risco

5.5.1. considerações a avaliação da expo-

Em geral, a VLA-ED® qualquer agente


quimicamente co não deve ser ultrapassada pelo ED
referido agente em Nin Guna dia de trabalho.
No entanto, em casos justificados, é uma avaliação
da base semanal, em vez de diariamente. Para ser
aceitável o uso desta base de avaliação semanal, é
necessário que sejam atendidas as seguintes condições:

21
a) Causa de um longo período de indução agente
químico, ou seja, capaz de produzir efeitos
adversos de saúde só depois de exposição repetida
ao longo de meses ou anos.
b) Existem variações sistemáticas, isto é, derivados
de diferentes cenários de exposição, incluindo a
ED de dias diferentes.

Em tais casos, o parâmetro de exposição é


comparado com o AMT-ED® é a exposição semanal
(ES), a qual é calculada de acordo com a seguinte
fórmula:

EDi sendo exposições como diárias correspondentes


aos dias sucessivos da semana de trabalho.
Naturalmente, em todos os casos, deve avaliar a
situação, além disso, de acordo com os restantes
classificados como os limites de exposição ocupacional
Limite de Exposição (VLA)

pode ser aplicável.

5.5.2. considerações avaliação de risco de higiene

Naturalmente, em todos os casos, deve avaliar a


situação, também de acordo com as outras categorias de
limites de exposição ocupacional pode ser aplicável.
Com efeito, a exposição e valorizado expressa, por
exemplo, como uma percentagem do valor limite, só
fornece uma estimativa da probabilidade (ou, mais
precisamente, um juízo sobre ele) se submeter o dano
específico que o agente em questão pode causar, mas
não diz nada sobre a gravidade dos danos. E, no entanto,
como sabemos, é essencial considerar estes últimos para
determinar a magnitude do risco e, consequentemente,
sua hierarquia e deduzir-lhe a prioridade de seu
controle.
Assim, o esforço exigido avaliação da exposição e,
em particular, o desenho da estratégia deve assegurar a
validade e precisão de medida não deve nos fazer
esquecer que, quando esse processo for concluído com
todas as exposições na presença, ainda deve
22
considerar a gravidade do efeito esperado de cada
agente antes de decidir sobre a ordem de importância
das situações de risco apropriadas.

Limite de Exposição (VLA)

23
6. PRODUTOS QUÍMICOS SENSIBILIZAÇÃO

agentes sensibilizadores são substâncias químicas e


preparações, inalação ou penetração na pele, pode
causar uma reacção de hipersensibilidade, de modo que
uma subsequente exposição à substância ou pré parou
efeitos adversos característicos. No local de trabalho
exposição a estes agentes, pode ser produzido pelo
tracto respiratório dermicamente ou conjuntiva,
causando reacções nas próprias vias de exposição.
Inicialmente, a resposta das pessoas a um composto
sensibilizador pode ser pequeno ou inexistente. No
entanto, após o indivíduo ter sido sensibilizado, a
próxima exposição pode produzir respostas fortes,
mesmo em concentrações muito baixas. Sensibilização
ocorre na maioria dos casos por um mecanismo
imunológico. Reacções alérgicas ções os pode se tornar
muito grave. Sua mais comum, dependendo da via de
exposição, são rinite, asma, alveolite, bronquite,
dermatite de contato, urticária de contato e blefarocon-
produtos químicos

conjuntivite. Os trabalhadores que tenham sido


sensibilizantes

sensibilizados para um composto particular podem


também ter uma reactividade cruzada com outros
compostos com estrutura química similar. Substâncias
que não são sensibilizadores, mas irritantes também
podem causar ou agravar Os trabalhadores que tenham
sido sensibilizados para um composto particular podem
também ter uma reactividade cruzada com outros
compostos com estrutura química similar. Substâncias
que não são sensibilizadores, mas irritantes também
podem causar ou agravar Os trabalhadores que tenham
sido sensibilizados para um composto particular podem
também ter uma reactividade cruzada com outros
compostos com estrutura química similar. Substâncias
que não são sensibilizadores, mas irritantes também
podem causar ou agravar
reacção alérgica indivíduos sensibilizados.
Reduzir a exposição aos sensibilizadores e análogos
estruturais geralmente diminui a incidência de reacções
alérgicas em indivíduos sensibilizados. No entanto, para
algumas pessoas sibilizadas sen-, a única maneira de
24 evitar a resposta imunoprotetora ne para agentes
sensibilizadores e análogos estruturais estertores é evitar
completamente a exposição, tanto no local de trabalho e
fora dele.
A capacidade de produzir consciência con- é
temperada nos regulamentos de classificação de subs-
tâncias perigosas, que atribui a esses agentes as
indicações de perigo H334 "Pode causar alergia ou de
asma ou dificuldades respiratórias" e / ou H317 "pode
causar uma reação alérgica na pele" ao abrigo do
Regulamento (CE) n
1272/2008 e as frases R42 "pode causar sibilización
sen- por inalação" e / ou R43 "Pode causar sibilización
sen- por contacto com a pele" de acordo com a RD
363/1995.
Na lista de limite Valores Ambientais, os tes
Agencies capazes de produzir tais efeitos aparecem
marcadas com a notação "Sen". eles também sinalizou
com este agentes químicos nota que por sua natureza
não são abrangidas pelos regulamentos acima
mencionados na classificação das substâncias perigosas,
mas os efeitos da taxa de presentes considerados.
A atribuição de esta notação não significa
necessariamente que a consciência é o efeito crítico no
qual se baseia o VLA não ser o único efeito desse
agente. advocacy baseado em VLA procuram proteger
os trabalhadores deste efeito, mas nenhuma tentativa de
modo a proteger os trabalhadores que já tenham sido
Zados sensibilizados.
Por conseguinte, o sensibilizador de compostos
Notação (Sen) representam um problema especial no
local de trabalho. Nestes casos, as exposições para
respiratórias, pele e conjuntiva vias deve ser eliminada
ou reduzida a um nível tão baixo quanto posições produtos químicos
tecnicamente ble, utilizando medidas de controlo
sensibilizantes

apropriados ou, incluindo equipamento de protecção


assim, pessoal. Em qualquer caso, você deve respeitar a
VLA relevante.

25
7. agentes cancerígenos ou mutagénicos

O conhecimento científico atual não permite-nos


identificar os níveis de exposição abaixo do qual não há
nenhum risco de agentes mutagénicos e carcinogénicos
maio- ria Ticos produzir seus efeitos característicos
sobre a saúde. No entanto, a probabilidade de existência
de um efeito de exposição que permite deduzir que,
quanto menor a proporção de agente de exposição,
menor o risco é suportado. Nestes casos, manter a
exposição abaixo de um valor máximo deter- minado
não permitem evitar completamente o risco, embora
possa limitar. Por esta razão, os limites de exposição
adotado para algumas destas substâncias não são uma
referência para garantir a protecção da saúde, conforme
definido no Capítulo 5 deste documento,
Os limites de exposição atribuído a algumas
substâncias carcinogénicas ou suspensões categoria
agentes cancerígenos ou

mutagénico 1A ou 1B listados na Tabela 1


correspondem às considerações no parágrafo anterior.
Respeitando a VLA-ED® diariamente, a expo- em
mutagénicos

concentrações de cancerígenas superior ao valor limite,


dentro de um único dia de trabalho, os agentes devem
também ser controlados. Por esta razão, devem também
limita ção desvio definido na secção 5.3 deste
documento ser considerado.
É importante notar que o Decreto Real 665/1997
sobre "Protecção dos trabalhadores contra os riscos
ligados à exposição a agentes cancerígenos ou
mutagénicos durante o trabalho" se aplica a todos os
produtos químicos cancerígenos ou mutagénicos de ries
catego- 1A ou 1B listadas na Tabela 1. para mações
mais infor- cerca de carcinogenicidade e
mutagenicidade, con- Regulamento súltese (CE) n.º
1272/2008 do Parlamento Europeu e do Conselho
relativo à classificação, rotulagem e embalagem de
substâncias e misturas.
Para ver se uma substância é classificada ao abrigo
do Regulamento (CE) n.º 1272/2008, como
cancerígenas ou
26
mutagénio pode usar a base de dados INFOCAR-
QUIM, o INSSBT (http://infocarquim.insht.es:86/).

agentes cancerígenos ou
mutagénicos

27
8. lista de valores limite de exposição
ambiental
PROFISSIONA
L

Na Tabela 1, os agentes químicos que tenham


adoptado um valor limite, identificados pelos seus
números e CE5 cas6 considerando duas colunas valores
de exposição diária (VLA-ED®) e exposição a curto
prazo (VLA relacionar -EC®), indicando ADE mais nas
"Notas" informações suplementares da coluna utilidade
prática.
A fim de avaliar não só, mas a exposição ao risco
existencial associado a ele, o que requer a consideração
também a gravidade do efeito, no "perigo (H)" incluem,
para cada coluna agente, o perigo que lhe é atribuído no
Regulamento relativo à classificação, rotulagem e de
embalagem e substância mezclas7. advertências de
perigo que se referem à devoções pró e efeitos na saúde
específicos toxicológicos são indicados em negrito.
Lista de limites ambientais exposição ocupacional

Incluiu, entre parênteses, o ano de constituição ou


atualizar o valor limite a partir de 2007. O termo
"incorporação" mencionados neste documento com um
asterisco (*) no mesas, Isto indica que o referido agente
químico está incluído na primeira mesa. O termo
"update" indicado neste sombreamento documento que
aparece em algum valor ou uma nota, indica que o valor,
notação ou a falta dela foram modificados no
documento no ano passado.

5
CE: O número CE é o número oficial da substância na União
Europeia.
6
CAS: Chemical Abstracts Service (Serviço de Resumos
Chemicals).
7
Regulamento (CE) n.º 1272/2008, de 16 de dezembro de 2008 e
alterações posteriores.

28
Quadro 1 - Valores limite Ambiental (VLA)
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
névoas de óleo refinado minerais 5 10 sou
200-836-8 75-07-0 acetaldeído 2546 224 -351-319-335
211-047-3 628-63-7 N-acetato de amilo 50270 100540 VLI 226-EUH066
210-946-8 626-38-0 Sec-amilo acetato 50270 100540 VLI 226-EUH066
625-16-1 acetato de terc-amilo 50270 100540 VLI
205-399-7 140-11-4 acetato de benzilo 1062
204-658-1 123-86-4 N-butil acetato 150724 200965 EUH066 226-336-
203-300-1 105-46-4 Sec-butilo 200966 225-EUH066
208-760-7 540-88-5 Acetato de terc-butil 200966 225-EUH066
203-933-3 112-07-2 acetato de 2-butoxietilo 20133 50333 Sk 332-312
Etileno acetato de éter monobutílico de dietilenoglicol ver Etil 2-butoxietilo
Monoetílico de acetato de éter de etileno glicol ver Etil 2-etoxietil
Monometílico acetato de éter de etileno glicol ver Etil 2-metoxietil
éter monopropílico de acetato de etileno ver Etil 2-propoxietilo
29

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


30
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES LIMIT
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
* 205-500-4 141-78-6 Acetato de etilo (2018) 200734 4001468 VLI 225-319-336
EUH066
203-839-2 111-15-9 De etilo, 2-etoxietilo (2012) 2 11 VLI, 0F2D2-63-32
dermicamente, 6 312-302
TR1B, VLB®, r
203-621-7 108-84-9 Sec-hexilo acetato 50300
204-662-3 123-92-2 isoamyl Acetate 50270 100540 VLI 226-EUH066
203-745-1 110-19-0 acetato de isobutilo 150724 225-EUH066
108-22-5 acetato de isopropenilo (2009) 1046 2092
203-561-1 108-21-4 acetato de isopropilo (2008) 100425 200850 225-319-336
EUH066
210-843-8 624-41-9 ácido acético 2-metilbutilo 50270 100540 226-EUH066
203-603-9 108-65-6 Acetato de 1-metil-2-metoxietil 50275 100550 Sk 226
201-185-2 79-20-9 acetato 200616 250770 225-319-336
EUH066
203-772-9 110-49-6 acetato de 2-metoxietilo (2011) 15 dermicamente, 360FD
TR1B, 332-312-302
* Incorporação atualizar VLI, VLB®, r
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
274-724-2 70657-70-4 acetato de 2-metoxipropilo (2008) 5 28 40 220 TR1B, r 226-360D-335
620-11-1 Acetato de 3-pentilo 50 270 100 540 VLI
203-686-1 109-60-4 Acetato de n-propilo 200 849 250 1.060 225-319-336
EUH066
20706-25-6 Acetato de 2-propoxietilo 20 120 dermicamente
203-545-4 108-05-4 Vinilocetato (2012) 5 17,6 10 35,2 VLI 225-351-332-335
200-816-9 74-86-2 acetileno b EUH006 220-
202-708-7 98-86-2 acetofenona 10 50 302-319
200-662-2 67-64-1 acetona 500 1.210 VLB®, VLI 225-319-336
EUH066
200-835-2 75-05-8 acetonitrilo 40 68 Sk 225-332-312
302-319
200-580-7 64-19-7 ácido acético (2018) 10 25 20 50 VLI 226-314
200-064-1 50-78-2 Ácido acetilsalicílico 5
atualizar
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)
31
32
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
*
201-177-9 79-10-7 acrílico (2018) ácido 10 29 20 59 VLI, dermicamente -332 226 -312
302 -314 -400
204-673-3 124-04-9 ácido adípico 5 319
ácido arsénico e os seus sais, tais como o As 0,01 C1A, VLB®, R, S 350-331-301
400-410
233-139-2 10043-35-3 ácido bórico (2011) 2 6 TR1B, s, r 360FD
201-178-4 11/8/79 cloroacetato (2009) 0,5 dermicamente, FIV 331-311-301
314-400
209-952-3 598-78-7 2-cloropropiónico ácido 0,1 0,45 dermicamente 302-314
200-923-0 75-99-0 ácido 2,2-dicloropropiónico (medido como ido) (2010) 5 315-318-412
205-743-6 149-57-5 2-etil-hexanoico ácido (2017) 5 FIV
200-579-1 64-18-6 ácido fórmico 5 9 VLI, s 314
204-506-4 121-91-5 H-ftálico ácido (2016) 5 10
7782-79-8 ácido hidrazóico, vapor 0,1 0,18
201-204-4 79-41-4 ácido metacrílico 20 72 312-302-314
* Incorporação atualizar
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
231-714-2 7697-37-2 ácido nítrico (2007) 12,6 VLI 272-314
272-350i-341
238-076-4 14216-75-2 ácido nítrico, sal de níquel, tal como Ni 0,1 C1ASen, 360D-372-332
TR1B, r 302-318-315-317
334-400 a 410
231-633-2 7664-38-2 ácido ortofosfórico 1 2 VLI, s 314
205-634-3 144-62-7 ácido oxálico 1 VLI 312-302
ácido pícrico veja 2,4,6 trinitrofenol
201-176-3 79-09-4 ácido propiónico 1031 20 62 VLI 314
231-639-5 7664-93-9 ácido sulfúrico (névoa) (2014) 0,05 az, VLI, s, d 314
202-830-0 100-21-0 ácido tereftálico (2017) 5 10
200-677-4 68-11-1 ácido tioglicólico 13.8 dermicamente 331-311-301-314
200-927-2 09/03/76 ácido tricloroacético 16,8 314-400 a 410
201-173-7 79-06-1 acrilamida 0,03 C1B, M1Bvia 350-340-361f
dermicamente, Sen, 301-372-332-312
r, FIV 319-315-317
33

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


34
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
205-480-7 141-32-2 N-butil acrilato 2 11 1053 VLI, Sen 226-319-335
315-317
225-332-312
205-438-8 140-88-5 Etilacrilato (2012) 521 1042 VLI, Sen 302-319-335
315-317
213-663-8 999-61-1 acrilato de 2-hidroxipropilo 0,52,7 dermicamente, Sen 331-311-301
Número 314 317
225-332-312
202-500-6 96-33-3 acrilato de metilo 27,2 dermicamente, Sen 302-319-335
315-317
acrilonitrila veja vinylcyanide
* 203-453-4 107-02-8 Acroleína (2018) 0,020,05 0,050,12 VLI 225-330-300-311
314-400 a 410
203-896-3 111-69-3 adiponitrile 29 dermicamente
* Incorporação atualizar
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
232-350-7 8006-64-2 Terebintina, incluindo monoterpenos (2011): 20113 Sen 226-332-312-302
80-56-8 pineno (2011) 20113 304-319-315
127-91-3 pineno (2011) 20113 317-411
13466-78-9 -3-careno (2011) 20113
240-110-8 15972-60-8 Alacloro (2014) 1 FIV, E, S, Sen 351-302-317
400-410
200-945-0 76-22-2 cânfora sintética 213 319
225-331-311
203-470-7 107-18-6 álcool alílico 25 512 Sk 301-319-335
315-400
N-Butil Álcool ver n-Butanol
Sec-Butil Álcool ver sec-butanol
álcool terc-butil ver terc-Butanol
Álcool etilico etanol ver
35

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


36
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
202-626-1 98-00-0 álcool furfurílico 520 1561 dermicamente 351-331-312
302-373-319-335
204-633-5 123-51-3 álcool isoamílico 100366 125458
álcool isobutílico veja isobutanol
248-133-5 26952-21-6 álcool isooctilo 50271 dermicamente
Álcool isopropílico veja isopropanol
metilamílico álcool ver 4-metil-2-pentanol
álcool metílico metanol ver
álcool propargílico ver prop-2-in-1-ol
N-propil álcool n-Propanol ver
crotonalde�o veja 2-butenal
203-784-4 110-62-3 N-valérico aldeído 50179
206-215-8 309-00-2 Aldrin (2014) 0,0030,05 dermicamente, e, s, 351-311-301
FIV 372-400 a 410
pó de algodão cru. fracção torácica (2016) 0,2 d
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
203-442-4 106-92-3 allylglycidylether 14,7 Sen 226-351-341-361f
332-302-335-315
318-317-412
232-679-6 9005-25-8 amido 10
266-028-2 65996-93-2 de alcatrão de hulha, alta temperatura. compostos Brea 0,2 C1A, M1B, 350-340-360FD
volátil e solúvel em benzeno TR1B, r 400-410
231-072-3 7429-90-5 Alumínio: pó de Metal 10 261-228 Al em
pó estabilizado
Alumínio: alquilos tais como Al 2
Alumínio: fumos de soldagem, como Al 5
aluminotermia pó como Al: Alumínio 5
Alumínio: Solúvel sais como Al 2 c
3
132207-33-1 Amianto (132207-33-1) 0,1 fibras / cm C1A, T, r 350-372
132207-32-0 Amianto (132207-32-0) 0,1 fibras / cm3 C1A, T, r 350-372
77536-66-4 Amianto: Actinolite 0,1 fibras / cm3 C1A, T, r 350-372
37

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


38
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
12172-73-5 Amianto: Amosite 0,1 fibras / cm3 C1A, T, r 350-372
77536-67-5 Amianto: Anthophylite 0,1 fibras / cm3 C1A, T, r 350-372
12001-29-5 amianto Crisotila 0,1 fibras / cm3 C1A, T, r 350-372
12001-28-4 Amianto: Crocidolite 0,1 fibras / cm3 C1A, T, r 350-372
3
77536-68-6 Amianto: Tremolita 0,1 fibras / cm C1A, T, r 350-372
205-483-3 141-43-5 2-aminoetanol (2008) 12,5 37,5 Sk 332-312-302-314
-aminometano veja metilamina
207-988-4 504-29-0 2-aminopiridina 0,51,9
200-521-5 61-82-5 3-Amino-1,2,4-triazol 0,2 ae 361d-373-411
amitrol ver 3-amino-1,2,4-triazole
231-635-3 7664-41-7 amoníaco 2014 50 36 VLI 221-331-314-400
203-564-8 108-24-7 anidrido acético 521 226-332-302-314
201-607-5 85-44-9 anidrido ftálico 16 Sen 302-335-315
318-334-317
201-604-9 85-42-7 anidrido hexa-hidroftálico (2007) 0005 FIV, Sen 318-334-317
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
203-571-6 108-31-6 anidrido maleico (2010) 0,1 0,4 FIV, Sen 302-314-334-317
209-008-0 552-30-7 trimel�ico 0,04 0,12 Sen 335-318-334-317
200-539-3 62-53-3 anilina 2 7.7 Sen, 351-341-331
dermicame 311-301-372
nte, VLB® 318-317-400
201-963-1 90-04-0 o-anisidina 0,1 0,5 C1B, 350-341-331
Dermicamente, r, -311 a 301
VLBm
203-254-2 104-94-9 p-Anisidina 0,1 0,5 dermicamente, 330-310-300
VLBm 373-400
231-146-5 7440-36-0 elementar antimônio 0,5
compostos de antimónio, tais como 0,5 302-332-411
Sb, excepto hidreto de antimónio com a excepção
de tetróxido,
pentóxido,
trissulfureto,
pentasul- Ylos
especialmente furo
39

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


mente expressa
40
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
antracite veja pó de carvão: Antracite. fracção respirável
201-706-3 86-88-4 ANTU 0,3 300-351
231-147-0 7440-37-1 argão b
arsenamina veja Arsenic hidreto
427-700-2 15606-95-8 Arseniato de trietilo, como Como 0,01 C1A, r 350-331-301-
400-410
231-148-6 7440-38-2 arsénico elementar 0,01 VLB®, R, s 30.1par-4
compostos de arsénio inorgânicos solúveis, tais como o As, 0,01 VLB®, R, S 331-301-400 a
a menos que indicado expressamente 410
compostos de arsénio inorgânicos insolúveis, tais como o 0,01 r, s
As, 331-301-400 a
a menos que expressamente indicado 410
232-490-9 8052-42-4 Asfalto fumos (óleo), aerossóis solúveis em benzeno 0,5
217-617-8 1912-24-9 atrazina 5 Sen, e, s 437.030 para -
341170-
247-852-1 26628-22-8 azida de sódio 0,1 0,3 Sk 300-400 a 410
azida de sódio azida de sódio veja
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-149-1 7440-39-3 bário elementar 0,5 c, c
compostos de bário solúvel, tal como Ba 0,5 VLI,
VLI
200-753-7 71-43-2 benzeno 13.25 C1A, M1B, via 225-350-340-372
dermicamente, 304-319-315
VLB®, V, r
benzenotiol veja fenilmercaptano
241-775-7 17804-35-2 Benomil (2015) 1 M1BSen, r, s, 340-360FD-335
TR1B 315-317-400 a
410
203-405-2 106-51-4 p-Benzoquinona 0,10,45 331-301-319
335-315-400
231-150-7 7440-41-7 berílio elemental 0,0002 C1BSen, r 350i-330-301-372
319-335-315-317
Compostos de berílio, tais como Be, a menos que indicado 0,0002 C1BSen, r 350i-330-301-372
expressamente 319-335-315-317
411 excepto os
silicatos de
alumínio dupla
berílio
202-163-5 92-52-4 bifenil 0,21,3 319-335-315
41

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA) 400-410


42
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES LIMIT
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
201-245-8 80-05-7 O bisfenol A (2018) 2 TR1B, Sen, VLI, ae, r 360F-335-318-317
231-548-0 7631-90-5 bissulfito de sódio 5 s 302
215-540-4 1330-43-4 borato de sódio, anidro (2011) 2 6 TR1B, r 360FD
1303-96-4 decahydrate borato de sódio (2011) 2 6 TR1B, r 360FD
12179-04-3 pentahydrate borato de sódio (2011) 2 6 TR1B, r 360FD
206-245-1 314-40-9 bromacil 10 s
231-778-1 7726-95-6 bromo 0,10,7 VLI 330-314-400
200-826-3 74-97-5 bromoclorometano 200 1.075 z
209-800-6 593-60-2 bromoethylene 0,52,2 C1B, r 220-350
bromoform veja tribromometano
203-445-0 106-94-5 1- bromopropano (2008) 10 TR1B, r 225-360FD
373-319
335-315-336
200-825-8 74-96-4 brometo de etilo 523 dermicamente 225-351
332-302
atualizar
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
233-113-0 10035-10-6 brometo de hidrogénio 27 VLI 314-335
200-813-2 74-83-9 Brometo de metilo 14 dermicamente, E, S, 341-331-301
Z 373-319-335
315-400 a 420
Vinylbromide veja bromoethylene
203-450-8 106-99-0 1,3-butadieno 24,5 C1A, M1B, R, 220-350-340
VLB®
203-448-7 106-97-8 gás butano ver hidrocarbonetos alcanos alifáticos (C1 - C4) 220
e suas misturas, os gases

200-751-6 71-36-3 n-Butanol (2013) 2061 50 154 226-302-335


315-318-336
201-158-5 78-92-2 sec-butanol 100308 226-319-335-336
200-889-7 75-65-0 terc-butanol (2010) 100308 s 225-332-319-335
butanona veja Etilmetilcetona
butanotiol n-butil-mercaptano ver
43

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


44
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
204-647-1 123-73-9 2-butenal 0,30,87 via dérmica41-3302-2351-13
301-373-335
315-318-400
butil celosolve veja 2-Butoxyethanol
Butilamina (todos os isómeros) 515 dermicamente
201-933-8 89-72-5 o-sec-butilfenol 531 dermicamente
219-376-4 2426/08/06 éter n-butílico de glicidilo (2014) 316 Sen, 226-351-341-332
dermicamente 302-335-317-412
203-705-3 109-79-5 mercaptano de n-butil 0,51,9
n-butiltiol -n-butil-mercaptano ver
202-675-9 98-51-1 p-terc-butiltolueno 16.2
*
203-788-6 110-65-6 2-butino-1,4-diol (2018) 0,5 VLI, Sen, FIV 301-312-314
317-331-373
203-905-0 111-76-2 2-Butoxietanol 2098 50245 Sk, VLB® 332-312-302
319-315
203-961-6 112-34-5 2- (2-butoxietoxi) etanol (2007) 1067,5 15 101,2 VLI, r 319
* Incorporação
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-152-8 7440-43-9 Cádmio (estabilizado) não pirofórico. fracção inalável 0,01 C1B, VLB®, r 350-341-361fd
330-372-400 a
410
231-152-8 7440-43-9 Cádmio (estabilizado) não pirofórico. fracção respirável 0002 C1B, VLB®, R, d 350-341-361fd
330-372-400 a
410
231-152-8 7440-43-9 Cádmio (pirofórico). fracção inalável 0,01 C1B, VLB®, r 250-350-341
361fd-330-372
400-410
231-152-8 7440-43-9 Cádmio (pirofórico). fracção respirável 0002 C1B, VLB®, R, d 250-350-341
361fd-330-372
400-410
Os compostos de cádmio, tais como CD, excepto 0,01 VLB®, r 332-312-302
expressamente indicado. exceto 400-410
fracção inalável sulfoselenide
(XCDs e CdSe),
o sulfureto misto
CD e Zn (XCDs
e ZnS) sulfureto
Mixed Cd e Hg
(XCDs e HgS)
45

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


46
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
Os compostos de cádmio, tais como CD, excepto 0002 VLB®, R, d 332-312-302
expressamente indicado. 400-410, excepto
fracção respirável o sulfoselenide
(XCDs e CdSe),
o
sulfeto mista
Cd e Zn (XCDs e
ZnS) sulfureto
misto Cd e Hg
(XCDs e HgS)
232-283-3 8001-35-2 Clorada camphene I 0,5 1 dermicamente, e, s 351-301-312
335-315-400 a
410
215-628-2 1332-58-7 Caulim. fracção respirável 2 d, e
203-313-2 105-60-2 Caprolactama (vapores e poeiras) 10 40 VLI 332-302-319
335-315
219-363-3 2425/06/01 captafol 0,1 C1B, 350-317-400
Dermicamente,
S, R, Sen 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
205-087-0 133-06-2 captan 5 Sen, s 351-331-318
317-400
200-555-0 63-25-2 Carbarilo (2017) 0,5 VLBA, FIV, 351-302-400
dermicamente, s
216-353-0 1563-66-2 carbofuran 0,1 VLBA, s, FIV 330-300-400 a
410
pó de carvão:
antracite
fracção respirável (2011) 0,4 sil
betuminoso
fracção respirável (2011) 0,9 sil d,

d
208-169-4 513-79-1 carbonato de cobalto como Co 0,02 C1BSen, TR1B, 350i-341-360F
r, VLB® 334-317-400 a
410
Carborundum (2010) veja carboneto de silício
206-991-8 409-21-2 carboneto de silício (não as fibras)
47

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


fracção inalável (2010) 10
48
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
206-991-8 409-21-2 carboneto de silício (não as fibras)
fracção respirável (2010) 3 d
catecol veja pirocatecol
cellosolve ver 2-etoxietanol
232-674-9 9004-34-6 celulose 10
266-043-4 65997-15-1 cimento portland. fracção respirável (2013) 4 e, d
232-315-6 8002-74-2 fumos de cera de parafina 2
Cereal pó (aveia, trigo, cevada) 4 e
207-336-9 463-51-4 ceteno 0,50,87 1,52,6
206-992-3 420-04-2 cianamida ver cianamida de hidrogénio
205-861-8 156-62-7 cianamida cálcica 0,5 Sen 302-335-318
206-992-3 420-04-2 cianamida hidrogenada (2007) 0581 Sen, dermicamente, 301-312-319
VLI, s 315-317
acetona cianidrina ver 2-Ciano-2-propanol
230-391-5 7085-85-0 Cianoacrilato (2011) 0,2 319-335-315
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
205-275-2 137-05-3 Dissolveu-se 2-cianoacrilato 0,20,92 319-335-315
207-306-5 460-19-5 cianogênio 1022 220-331-400-410
200-909-4 75-86-5 2-ciano-2-propanol, e NC 5 dermicamente 330-310-300
400-410
209-740-0 592-01-8 cianeto de cálcio como NC 5 dermicamente 300-400 a 410
* 200-821-6 74-90-8 O cianeto de hidrogénio como NC (2018) 1 5 VLI, dermicamente 224-330-400-410
* 205-792-3 151-50-8 cianeto de potássio, e CN (2018) 1 5 VLI, dermicamente
* 205-599-4 143-33-9 cianeto de sódio, e CN (2018) 1 5 VLI, dermicamente
203-466-5 107-13-1 Vinylcyanide 24,4 C1B, 225-350-331-311
Dermicame 301-335-315-318
nte Sen, r 317-411
203-806-2 110-82-7 Ciclo-hexano (2007) 200700 VLI, r 225-304-315
336-400 a 410
203-630-6 108-93-0 cyclohexanol 50208 dermicamente 332-302-335-315
203-631-1 108-94-1 ciclohexanona 1041 2082 Sk, 226-332
VLB®
* Incorporação
49

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


50
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
203-807-8 110-83-8 ciclohexeno 300 1.020
203-629-0 108-91-8 ciclohexilamina 1041 226-361f-312
302-314
204-500-1 121-82-4 RDX 0,5 dermicamente
208-835-4 542-92-7 ciclopentadieno 75206
206-016-6 287-92-3 ciclopentano 600 1745 225-412
269-855-7 68359-37-5 Ciflutrina (2017) 0,01 s
236-049-1 13121-70-5 cihexatina veja cihexatina
236-049-1 13121-70-5 cihexatina 5 s 332-312-302
400-410
231-176-9 7440-67-7 zircônio elemental 5 10 260-250
Os compostos de zircónio, tais como Zr 5 10
266-394-6 5392-40-5 Citral (2013) 5 dermicamente, Sen, 315-317
FIV
221-008-2 2971-90-6 clopidol 10
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
200-349-0 57-74-9 clordano 0,5 dermicamente, e, s 351-312-302
400-410
chlorohydrin etil�ica veja 2-cloroetanol
231-959-5 7782-50-5 Cloro (2007) 0,51,5 VLI 270-331-319
335-315-400
203-472-8 107-20-0 cloroacetalde�o 13,3 351-330-311-301
314-400
208-531-1 532-27-4 2-cloroacetofenona 0,050,32
201-161-1 78-95-5 cloroacetona, 13.8
203-628-5 108-90-7 Clorobenzeno (2007) 523 1570 VLI 226-332-315-411
220-278-9 2698-41-1 o-clorobenzilideno malononitrilo 0,050,39 dermicamente
204-818-0 126-99-8 2-Cloro-1,3-butadieno 1037 C1B, 225-350-332-302
Dermicamente, r 373-319-335-315
53469-21-9 Clorodifenilo (42% de cloro) 1.1 dermicamente,
AE, r
51

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


52
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
11097-69-1 Clorodifenilo (54% de cloro) 0,7 dermicamente, AE,
r
200-891-8 75-68-3 difluoroetano 1-cloro-1,1- 1.000 4.200
200-871-9 75-45-6 clorodifluorometano 1.000 3.600 VLI
203-439-8 106-89-8 1-Cloro-2,3-epoxipropano 0,51,9 C1B, dermicamente 226-350-331-311
Sen, r 301-314-317
218-026-8 2039-87-4 o-cloroestireno 50288 75432
203-870-1 111-44-4 bis (2-cloroetil) -éter 530 1060 dermicamente 351-330-310-300
cloroetano ver cloreto Etil
203-459-7 107-07-3 2-cloroetanol 13,3 dermicamente 330-310-300
chloroethylene veja Vinila
clorofórmio veja Triclorometano
208-832-8 542-88-1 bis (clorometil) éter 0,001 0,005 C1A, r 225-350-330-311
302
202-809-6 100-00-5 p-cloronitrobenzeno 0,10,65 dermicamente, 351-341-331-311
VLBm 301-373-411
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
209-990-0 600-25-9 1-cloro-1-nitropropano 210 332-302
200-938-2 76-15-3 cloropentafluoretano 1.000 6.420 z
chloropicrin veja Trichloronitromethane
-Cloropreno ver 2-cloro-1,3-butadieno
127-00-4 1-Cloro-2-propanol (2010) 1 dermicamente
78-89-7 2-Cloro-1-propanol (2010) 1 dermicamente
202-424-3 95-49-8 o-Chlorotoluene 50264 332-411
200-894-4 75-72-9 clorotrifluorometano 1.000 4.300 z
220-864-4 2921-88-2 Clorpirifós (2011) 0,1 dermicamente, 301-400 a 410
VLBA,
FIV, s
203-457-6 107-05-1 cloreto de alilo 13.2 26,4 225-351-341-332
312-302-373-319
335-315-400
235-186-4 12125-02-9 fumos de cloreto de amónio 10 20 302-319
202-853-6 100-44-7 benzi Io 15,3 C1B, r 350-331-302-373
335-315-318
53

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


54
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
202-710-8 98-88-4 O cloreto de benzoilo 0,52,9 Sen 332-312-302
314-317
200-870-3 75-44-5 cloreto de carbonilo (2017) 0,10,4 0,52 VLI 330-314
233-296-7 10108-64-2 cloreto de cádmio, e Cd. fracção inalável 0,01 C1B, M1B, 350-340-360FD
VLB®, TR1B, r 330-301-372
400-410
233-296-7 10108-64-2 cloreto de cádmio, e Cd. Fracção Respirável 0002 C1B, M1B, 350-340-360FD
VLB®, TR1B, 330-301-372
r, d 400-410
208-052-8 506-77-4 cloreto de cianogénio 0,30,77
231-592-0 7646-85-7 fumos de cloreto de zinco 1 2 302-314-400 a
410
201-171-6 09/04/79 cloreto de cloroacetilo 0,050,23 0,150,7 dermicamente 331-311-301-372
314-400
239-056-8 14977-61-8 cloreto de cromilo 0,0250,16 C1B, M1BSen, r 271-350i-340-314
317-400 a 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
201-208-6 79-44-7 cloreto de dimetilcarbamoílo (2014) 0005 0022 C1B, 350-331-302-319
Dermicamente, r 335-315
200-830-5 75-00-3 Ethyl Chloride 100 268 VLI 220-351-412
231-595-7 7647-01-0 cloreto de hidrogénio 5 7,6 10 15 VLI 331-314
231-299-8 7487-94-7 Mercúrico cloreto II, como Hg (2012) 0,02 r, VLI, Hg, VLB® 341-361f-300
372-314-400 a
* 410
200-838-9 75-09-2 cloreto de metileno (2018) 50 177 100 353 VLI, r, VLB®, 351
víadérmica
200-817-4 74-87-3 cloreto de metilo 50 105 100 210 dermicamente 220-351-373
9002-86-2 cloreto de polivinilo (PVC). fracção respirável (2016) 1.5 d
*
231-748-8 7719-09-7 cloreto de tionilo 1 4,9 332-302-314
200-864-0 75-35-4 cloreto de vinilideno (2018) 2 8 5 20 VLI, r 224-351-332
200-831-0 75-01-4 Nº cloreto de vinila 3 7,8 C1A, W, r 220-350
231-158-0 7440-48-4 cobalto elemental 0,02 VLB®Sen 334-317-413
* Incorporação atualizar inorgânico 0,02 VLB®Sen
exceto quando indicado expressamente cobalto como Co
55

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


56
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
233-514-0 10210-68-1 cobalto carbonilo como Co 0,1
16842-03-8 hidrocarbonil cobalto como Co 0,1
231-159-6 7440-50-8 Cobre: Gases, tais como Cu 0,2 consulte o Capítulo
9
231-159-6 7440-50-8 Cobre: Poeira e névoas, como Cu 1 consulte o Capítulo
9
breu Resin ver solda pepita
coríndon ver óxido de alumínio
215-293-2 1319-77-3 Cresol, todos os isómeros 522 Sk 311-301-314
cristobalita veja sílica cristalina
237-366-8 13765-19-0 Cromato de cálcio, como Cr 0,001 C1B, r 350-302-400 a
410
Zinco cromato, cromato de zinco, incluindo potássio e, 0,01 C1ASen, r 350-302-317
como Cr 400-410
246-356-2 24613-89-6 Crómio cromato (III), como Cr 0,05 C1BSen, r 271-350-314-317
400-410
232-142-6 7789-06-2 Cromato de estrôncio, como Cr 0,0005 C1B, r 350-302-400 a
410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-846-0 7758-97-6 cromato de chumbo como Cr 0012 C1B, TR1A, r 350-360Df-373
cromato de chumbo como Pb 0,05 C1B, TR1A, r, 400-410
VLB®
232-140-5 7789-00-6 cromato de potássio, como Cr 0,05 C1B, M1B, Sen, r 350i-340-319-335
315-317-400-410
231-889-5 7775-11-3 cromato de sódio, como Cr 0,05 C1B, M1B, Sen, 350-340-360FD
r, TR1B 330-301-372-312
314-334-317
400-410
1189-85-1 Terc-butil cromato, como CrO3 0,1 dermicamente
231-157-5 7440-47-3 De metal crómio (2008) 2 VLI
inorgânico Cr (II) e Cr (III) insolúvel, 2 VLI
como Cr
Crómio (VI), que não estejam expressamente indicado 0,05 C1B, VLB®, C, Sen, 350i-317-400
compostos inorgânicos. Os compostos solúveis em r 410, exceto
água, tais como Cr cromato de
bário
57

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


58
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
Crómio (VI), que não estejam expressamente indicado 0,01 C1B, C, Sen, r 350i-317-400 a
compostos inorgânicos. compostos insolúveis, como Cr 410
exceto cromato
de bário
crotonalde�o veja 2-butenal
206-083-1 299-86-5 crufomate 5 VLBA 312-302
400-410
quartzo veja sílica cristalina
200-285-3 56-72-4 Coumaphos (2011) 0,05 dermicamente, 300-312
VLBA, 400-410
FIV
202-704-5 98-82-8 cumeno 20100 50250 Sk 226-304
335-411
202-361-1 94-75-7 2,4-D 10 ae, Sen 302-335-318
317-412
dalapon 2,2-dicloropropiónico Ácido ver
200-024-3 50-29-3 DDT 1 aé 351-301-372
400-410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
241-711-8 17702-41-9 decaborano 0,050,25 0,150,76 dermicamente
8065-48-3 Demeton (2009) 0,05 dermicamente, 310-300-400
VLBA,
FIV
204-608-9 123-19-3 Di-n-propil 50239 226-332
*
207-069-8 431-03-8 Diacetil (2018) 0,020,07 0,100,36 VLI
204-626-7 123-42-2 álcool diacetona 50241 319
203-468-6 107-15-3 1,2-diaminoetano 1025 dermicamente, Sen 226-312-302
314-334-317
206-373-8 333-41-5 Diazinon (2011) 0,01 dermicamente, 302-400 a 410
VLBA,
AE, FIV, s
206-382-7 334-88-3 diazometano 0,20,34 C1B, r 350
242-940-6 19287-45-7 diborano 0,1 0,11
203-444-5 106-93-4 1,2-Dibromoetano 0,53,9 C1B, 350-331-311-301
Dermicamente, r 319-335-315-411
* Incorporação dibrometo de etileno veja 1,2-dibromoetano
59

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


60
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
203-057-1 102-81-8 2-N-dibutilaminoetanol 0,53,6 dermicamente,
VLBA
201-052-9 77-73-6 Dicyclopentadiene (2011) 5 225-332-302-319
335-315-411
7572-29-4 dicloroacetileno 0,10,39 200-351-373
202-425-9 95-50-1 o-diclorobenzeno 20122 50306 Sk 302-319-335
315-400 a 410
203-400-5 106-46-7 p-diclorobenzeno (2018) 212 1060 Sk, r 351-319-400 a
410
212-121-8 764-41-0 1,4-dicloro-2-buteno 0,005 0,025 C1B, 350-330-311-301
Dermicamente, r 314-400 a 410
200-893-9 75-71-8 Diclorodifluorometano (2011) 1.000 4.115
204-258-7 118-52-5 1,3-Dicloro-5,5-dimetil-hidantoína 0,2 0,4 s
200-863-5 75-34-3 1,1-Dicloroetano 100412 Sk, r, VLI 225-302
319-335-412
203-458-1 107-06-2 1,2-Dicloroetano 520 C1B, r 225-350-302-319
335-315
atualizar
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
208-750-2 540-59-0 1,2-Dicloroetileno (2013) 200807 225-332-412
200-869-8 75-43-4 diclorofluormetano 1043 z
2,2'-dicloro-4,4'-metilenodianilina ver 4,4'-metileno-bis (2-cloroanilina) (MBOCA)
diclorometano veja diclorometano
209-854-0 594-72-9 1,1-Dicloro-1-nitroetano 212 331-311-301
201-152-2 78-87-5 1,2-dicloropropano (2013) 1047 C1B, Sen 225-332-302-350
208-826-5 542-75-6 1,3-dicloropropeno 14,6 dermicamente, Sen 226-311-301-332
304-319-335-315
número 317400-
410
200-937-7 76-14-2 O diclorotetrafluoroetano (2013) 1.000 7.110 z
231-589-4 7646-79-9 dicloreto de cobalto como Co 0,02 C1BSen, r, 350i-341-360F
TR1B, VLB® 302-334-317
400-410
cromilo dicloreto ver cloreto de cromilo
233-036-2 10025-67-9 disulfur dicloreto 15,6 301-332-314-400
dicloroetano veja 1,2-dicloroetano
61

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


62
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-743-0 7718-54-9 dicloreto de níquel como Ni 0,1 C1ASen, TR1B, r 350i-341-360D
331-301-372-315
334-317-400 a
410
200-547-7 62-73-7 diclorvos 0,10,91 Sen, 330-311-301
dermicamente,
VLBA, FIV, s 317-400
232-143-1 7789-09-5 dicromato de amónio como Cr 0,05 C1B, M1B, Sen, 272-350-340
r, TR1B 360FD-330-301
372-312-314-334
317-400 a 410
231-906-6 7778-50-9 dicromato de potássio como Cr 0,05 C1B, M1B, Sen, 272-350-340
r, TR1B 360FD-330-301
372-312-314-334
317-400 a 410
234-190-3 10588-01-9 dicromato de sódio como Cr 0,05 C1B, M1B, Sen, 272-350-340
r, TR1B 360FD-330-301
372-312-314-334
317-400 a 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
CE ppm mg / m3 ppm mg / m3
234-190-3 7789-12-0 dicromato de sódio di-hidratado como Cr 0,05 C1B, M1BSen, 272-350-340
r, TR1B 360FD-330-301
372-312-314-334
317-400 a 410
205-494-3 141-66-2 Dicrotofos (2009) 0,05 dermicamente, 300-311-400 a
VLBA, FIV 410
220-433-0 2764-72-9 Diquat. fracção inalável 0,5 dermicamente
Diquat. fracção respirável 0,1 dermicamente, d
200-484-5 60-57-1 Dieldrin (2013) 0,1 dermicamente, E, 351-310-301-372
S, FIV 400-410
203-868-0 111-42-2 dietanolamina 0,462 dermicamente, f 302-373
315-318
203-716-3 109-89-7 Dietilamina (2007) 515 1030 VLI, dermicamente, 225-332-312
f 302-314
202-845-2 100-37-8 2-dietilaminoetanol 29,7 dermicamente 226-332-312
302-314
dietil cetona ver 3-pentanona
63

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


64
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
dietileno glicol monobutílico ver 2- etanol (2-butoxietoxi)
203-865-4 111-40-0 dietilenotriamina 14,3 dermicamente, Sen 312-302-314-317
204-539-4 122-39-4 difenilamina 10 s 331-311-301
373-400 a 410
200-885-5 75-61-6 Difluorodibromometano 100872 z
231-996-7 7783-41-7 difluoreto de oxigênio 0,05 0,11
220-281-5 2699-79-8 sulfurilo difluoride 521 10 42 331-373-400
205-551-2 142-64-3 dicloridrato de piperazina 5 Sen 361fd-319-315
334-317-412
203-620-1 108-83-8 diisobutyl 25148 226-335
4,4'-diciclohexilmetano diisocianato ver metileno-bis (4-ciclo-hexilisocianato)
202-966-0 101-68-8 4,4'-difenil diisocianato de metano 0,005 0,052 Sen, r 351-332-373-319
335-315-334-317
212-485-8 822-06-0 1,6-hexametileno 0,005 0,035 Sen 331-319-335
315-334-317
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
isoforonediisocianato 3-isocianatometil-3,5,5-trimetilciclo ver
221-641-4 3173-72-6 diisocianato de 1,5-naftileno 0005 0043 Sen 332-319-335
315-334-412
209-544-5 584-84-9 diisocianato de 2,4-tolueno 0,005 0,036 0,020,14 Sen 351-330-319-335
315-334-317-412
202-039-0 91-08-7 diisocianato de 2,6-tolueno 0,005 0,036 0,020,14 Sen 351-330-319-335
315-334-317-412
203-558-5 108-18-9 diisopropilamina 521 dermicamente 225-332-302-314
204-826-4 127-19-5 N, N-dimetilacetamida 1036 2072 dermicamente, 360D-332-312
VLB®,
TR1B, VLI, r
204-697-4 124-40-3 dimetilamina 23.8 59,4 VLI, f 220-332-335
315-318
215-091-4 1300-73-8 Dimetilaminobenzeno, todos os isómeros 0,52,5 dermicamente,
VLBm, FIV
204-493-5 121-69-7 N, N-dimetilanilina 525 1050 dermicamente, 351-331
VLBm 311-301-411
65

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


66
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
209-940-8 598-56-1 N, N-dimetiletilamina (2017) 26,1 412,2 F 225-332-302-314
238-921-7 14857-34-2 dimethylethoxysilane 0,52,2 1,56,5
200-679-5 68-12-2 N, N-Dimetilformamida (2012) 515 10 30 VLI, 360D-332
dermicamente, 312-319
TR1B, VLB®, r
200-316-0 57-14-7 N, N-dimetil-hidrazina 0,01 0,025 C1B, 225-350-331-301
Dermicamente, r 314-411
dimethylpropane veja neopentano
dimetoximetano veja Methylal
dinitolmida veja 3,5-dinitro-o-toluamida
211-063-0 628-96-6 Dinitrato de etileno glicol 0,050,3 dermicamente 200-330
310-300-373
236-068-5 13138-45-9 Dinitrato de níquel como Ni 0,1 C1ASen, TR1B, r 272-350i-341
360D-372-332
302-318-315-317
334-400 a 410
229-180-0 6423-43-4 Propileno glicol dinitrato 0,050,34 dermicamente,
VLBm
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
208-431-8 528-29-0 1,2-dinitrobenzeno 0,15 1 dermicamente, 330-310-300
VLBm 373-400 a 410
202-776-8 99-65-0 1,3-dinitrobenzeno 0,15 1 dermicamente, 330-310-300
VLBm 373-400 a 410
202-833-7 100-25-4 1,4-dinitrobenzeno 0,15 1 dermicamente, 330-310-300
VLBm 373-400 a 410
208-601-1 534-52-1 4,6-dinitro-o-cresol 0,2 dermicamente, Sen 341-330-310
300-315-318
317-400 a 410
205-706-4 148-01-6 3,5-dinitro-o-toluamida 5
Dinitrotolueno, todos os isómeros 0,15 C1B,
Dermicamente,
VLBm, r
246-836-1 25321-14-6 dinitrotoluene técnico 0,15 C1B, 350-341-361f
Dermicament 331-311-301
e, VLBm, r 373-400 a 410
204-661-8 123-91-1 dioxano 1,4 20 73 VLI 225-351-319-335
67

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


68
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
201-107-7 78-34-2 Dioxatião (2011) 0,1 dermicamente, 330-300
VLBA, 311-400 a 410
FIV
231-195-2 7446-09-5 dióxido de enxofre (2014) 0,51,32 12,64 s 331-314
204-696-9 124-38-9 Dióxido de carbono 5.000 9.150 VLI
233-162-8 10049-04-4 O dióxido de cloro 0,10,28 0,3 0,84 270-330-314-400
233-272-6 10102-44-0 O dióxido de azoto (2018) 0,5 (•) 0,96 (•) 1 (•) 1,91 (•) VLI 270-330-314
236-675-5 13463-67-7 Dióxido de titânio 10
dióxido de vinilciclohexeno veja-1 epoxyethyl-3,4-epoxycyclohexane
211-463-5 646-06-0 1,3-dioxolano (2011) 2061 225
202-607-8 97-77-8 disulfiram 2 f, Sen 302-373
317-400 a 410
206-054-3 298-04-4 Dissulfotão (2011) 0,05 VLBA, 310-300-400 a
dermicamente, 410
s, FIV
218-550-7 2179-59-1 Allylpropyl dissulfeto (2007) 0,53
200-843-6 75-15-0 dissulfureto de carbono (2011) 515 VLI, dermicamente, 225-361fd-372
VLB®ae 319-315
atualizar
(•) para este agente há um período de transição que terminará, o mais tardar em 21 de agosto de 2023 para os setores de miner ação subterrânea e construção de túneis. Durante este período de transição,Os
Estados-Membros podem continuar a aplicar o valor limite nacional em vigor em 1 de Fevereiro de 2017. Ele irá reavaliar sua aplicabilidade nestes sectores antes do final deste período.
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
204-881-4 128-37-0 2,6-di-terc-butil-p-cresol (2014) 10
206-354-4 330-54-1 diuron 10 aé 351-302
373-400 a 410
215-325-5 1321-74-0 Divinilbenzeno, mistura de isómeros 1054
dodecanotiol veja dodecilmercaptano
203-984-1 112-55-0 dodecilmercaptano 0,1
204-079-4 115-29-7 endosulfan 0,1 dermicamente, e, s, 330-300-312
FIV 400-410
200-775-7 72-20-8 endrina 0,1 dermicamente, e, s 430.000 a -
341110-
237-553-4 13838-16-9 enflurano 75575
enzimas veja subtilisina
epicloridrina ver 1-cloro-2,3-epoxipropano
EPN ver Feniltiofosfonato de O-etilo O- (4-nitrofenil)
213-831-0 1024-57-3 heptacloro epóxido 0,05 dermicamente 351-301-373
400-410
69

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


70
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
203-437-7 106-87-6 1-epoxyethyl-3,4-epoxycyclohexane 0,10,58 dermicamente 331-311-301-351
209-128-3 556-52-5 2,3-epoxi-1-propanol 26,2 C1BSen, TR1B, r 350-341-360F
331-312-302-319
335-315
1302-74-5 pó Emery 10 e
231-141-8 7440-31-5 estanho do metal 2 VLI
compostos orgânicos, tais como Sn 0,1 0,2 dermicamente
compostos de óxido de e inorgânicos, tais como Sn 2
Estearatos (não incluem metais tóxicos estearatos) 10
stibine Hidreto de ver Antimônio
202-851-5 100-42-5 estireno 2086 40172 VLB®ae 226-361d-332
372-319-315
200-319-7 57-24-9 estricnina 0,15 341.000 para -
340100-
200-814-8 74-84-0 etano hidrocarbonetos alifáticos ver alcanos (C1 - C4) 220
e suas misturas, gases
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
200-578-6 64-17-5 Etanol (2013) 1.000 1.910 s 225
etanolamina veja 2-aminoetanol
etanotiol veja etilmercaptano
éter alil glicidílico (EAG) veja allylglycidylether
Butil glicidil éter de N-(EBG) n-butil éter de glicidilo ver
Bis (clorometil) ver éter bis (clorometil)
éter dicloroetílico ver éter bis (2-cloroetil)
éter de diglicidilo (EDG) veja glycidylether
diisopropil�er veja isopropílico
O éter etil-terc-butílico (ETBE) ver o éter etil-butílico terciário
éter fenil glicidílico (EFG) veja fenilglicidílico
éter fenil, vapor veja feniléter, vapor
éter isopropilglicidílico (AIE) veja Isopropilglicidiléter
éter metil-terc-butil ver éter metil terc-butílico
252-104-2 34590-94-8 éter metil-glicol dipropileno 50308 Sk
71

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


72
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
1-metil éter de propileno glicol ver 1-Metoxi-2-ol
2-metil éter de propileno glicol veja 2-metoxipropanol
etileno glicol éter monobutílico veja 2-Butoxyethanol
éter etileno glicol monoetílico ver 2-etoxietanol
éter monoisopropílico, etileno veja 2-isopropoxietanol
Éter monometílico de etileno glicol ver 2-metoxietanol
etileno glicol éter monopropílico veja 2-propoxietanol
* 203-234-3 104-76-7 2-etil-hexanol (2018) 15,4 VLI
211-309-7 637-92-3 Acetato de éter butílico terciário 521
amilo acetato ver 5-Metilheptan-3-ona
200-834-7 07/04/75 etilamina 59 VLI 220-319-335
202-849-4 100-41-4 etilbenzeno 100441 200884 dermicamen 225-332-373-304
te, VLB®,
VLI
203-388-1 106-35-4 Etilbutilcetona 2095 VLI 226-332-319
* Incorporação etilenodiamina veja 1,2-diaminoetano
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
203-473-3 107-21-1 etilenoglicol 2052 40 104 Sk 302
205-793-9 151-56-4 Etilenoimina (2013) 0,20,36 C1B, M1B, 225-350-340-330
dermicamente, r 310-300-314-411
200-815-3 74-85-1 etileno 200 220-336
200-467-2 60-29-7 éter etílico 100308 200 616 VLI 224-302-336
240-347-7 16219-75-3 etilidenonorborneno 5 25
200-837-3 01/08/75 etilmercaptano 0,51,3 225-332-400-410
202-885-0 100-74-3 N-Etilmorfolina 524 dermicamente
209-242-3 563-12-2 Etiom (2009) 0,05 dermicamente, 301-312
VLBA, 400-410
s, FIV
203-804-1 110-80-5 2-etoxietanol (2012) 28 dermicamente, 226-360FD
TR1B, VLB®, 331-302
VLI, r
244-848-1 22224-92-6 Fenamifos (2013) 0,05 dermicamente, 300-310-330
VLBA, 319-400 a 410
FIV
202-430-6 95-54-5 o-fenilenodiamina 0,1 Sen 341-302-315
400-410
73

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


74
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
203-584-7 108-45-2 m-fenilenodiamina 0,1 Sen 341-331-311-301
319-317-400 a
410
203-404-7 106-50-3 p-fenilenodiamina 0,1 Sen 331-311-301-319
317-400 a 410
202-981-2 101-84-8 Feniléter, vapor 17.1 214,2 VLI
211-325-4 638-21-1 fenilfosfina 0,050,23
204-557-2 122-60-1 glicidilo fenil 0,10,62 C1B, 350-341-332-335
Dermicamente, 315-317-412
Sen, r
202-873-5 100-63-0 fenilhidrazina 0,10,45 C1B, 350-341-331-311
Dermicame 301-372-319-315
nte, Sen, r 317-400
203-635-3 108-98-5 Fenilmercaptano (2007) 0,10,46 dermicamente
2-fenilpropeno -metilestireno
218-276-8 2104-64-5 Feniltiofosfonato de O-etilo O- (4-nitrofenil) 0,1 dermicamente, 310-300-400 a
VLBA 410
203-632-7 108-95-2 Fenol (2012) 28 416 dermicamente, 341-331-311
VLB®, 301-373-314
VLI
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
202-196-5 92-84-2 fenotiazina 5 dermicamente
204-114-3 115-90-2 Fensulfothion (2010) 0,01 VLBA, 310-300-400 a
dermicamente, 410
FIV
200-231-9 55-38-9 Fentião (2010) 0,05 dermicamente, 341-331-372
VLBA, 312-302-400 a
FIV, s 410
238-484-2 14484-64-1 Ferbame (2013) 5 s 319-335-315
400-410
12604-58-9 pó ferrovanádio 1 3
fibras fabricadas: fibras vítreas fabricadas pelo homem 0,5 fibras / cm3 C1B, H, x, r
(fibras
fibras cerâmicas refractárias, para fins especiais, etc.)
feitas de fibras: fibras vítreas artificiais (fibras 1 fibras / cm3 g, h
de vidro, lã mineral, etc.)
fibras fabricadas: fibras de filamentos contínuos e vítreas Tratar como não há Eu
artificial excluídos da classificação como cancerígenas partículas
caso contrário classificados
etc.)1 - Ambiental valores-limite (VLA)1 fibras / cm3
75

Outros MMF (p-aramida,


Tabela h
76
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
CE ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-954-8 7782-41-4 fluor 11,6 23.2 VLI, VLB® 270-330-314
200-548-2 62-74-8 fluoroacetato de sódio 0,05 dermicamente 330-310-300-400
232-222-0 7790-79-6 fluoreto de cádmio, como Cd. fracção inalável 0,01 C1B, M1B, 350-340-360FD
VLB®, 330-301-372-400
TR1B, r 410
232-222-0 7790-79-6 fluoreto de cádmio, como Cd. Fracção Respirável 0002 C1B, M1B, 350-340-360FD
VLB®, 330-301-372-400
TR1B, r, d 410
206-534-2 353-50-4 fluoreto de carbonilo 25,5 514
231-634-8 7664-39-3 fluoreto de hidrogénio 1,81,5 32,5 VLB®, VLI 330-310-300-314
231-526-0 7616-94-6 fluoreto de perclorilo 313 626
fluoretos inorgânicos, tais como F, excepto hexafluoreto 2,5 VLB®, VLI
urânio e expressamente indicado
200-867-7 75-38-7 Fluoreto de vinilideno (2011) 500
213-408-0 944-22-9 Fonofos 0,1 dermicamente, s, 310-300
VLBA, 400-410
FIV
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
206-052-2 298-02-2 Forato (2013) 0,05 dermicamente, s, 310-300
VLBA, FIV 400-410
* 200-001-8 50-00-0 Formaldeído (2018) 0,30,37 0,60,74 C1B, Sen, s 350-341-301-311
331-314-317
200-842-0 75-12-7 formamida 1019 dermicamente, 360D
TR1B, r
203-721-0 109-94-4 formato de etilo 100308 225-332-302
319-335
203-481-7 107-31-3 formato de meti Io (2018) 50125 100250 VLI, dermicamente 224-332-302
319-335
fosfina Hidreto de ver Phosphorus
219-772-7 2528-36-1 fosfato Dibutylphenyl 0,33,6 dermicamente,
VLBA
203-509-8 107-66-4 fosfato de dibutilo (2013) 0,65 dermicamente, FIV
204-800-2 126-73-8 tributilfosfato 0,22,2 VLBA 351-302-315
204-112-2 115-86-6 trifenilo 3
* Incorporação atualizar
201-103-5 78-30-8 fosfato Triorthocresyl 0,1 dermicamente, 370-411
VLBA
77

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


78
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
204-471-5 121-45-9 trimetilo 210
231-768-7 12185-10-3 Fósforo (P4) 0,002,1 250-330-300
314-400
fosgênio ver cloreto de carbonilo
201-557-4 84-74-2 Dibutilftalato 5 TR1B, E, R 360Df-400
204-211-0 117-81-7 Di-2-etil 5 TR1B, E, R 360FD
201-550-6 84-66-2 dietilftalato 5
205-011-6 131-11-3 ftalato de dimetilo 5
210-933-7 626-17-5 m-Ftalodinitrilo 5
202-627-7 01/01/98 2-furaldeído 28 dermicamente, 351-331-301
VLB® 312-319-335-315
furfural 2-furaldeído ver
289-220-8 86290-81-5 gasolina 300 C1B, M1B, r 350-340-304
200-289-5 56-81-5 Glicerina, nevoeiro 10
218-802-6 2238/05/07 Glycidylether (2017) 0,01 0,054
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
glicidol veja 2,3-epoxi-1-propanol
203-474-9 107-22-2 Glioxal (2010) 0,1 Sen, FIV, s 341-332-319
315-317
203-856-5 111-30-8 glutaraldeído 0,050,2 Sen 330-301-335-314
334-317-400
231-955-3 7782-42-5 pó de grafite. fracção respirável 2 d
231-166-4 7440-58-6 háfnio elemental 0,5
compostos de háfnio, tais como HF 0,5
205-796-5 151-67-7 halotano 50410
farinha 4 Sen
HDI ver, diisocianato de 1,6-hexametileno
231-168-5 7440-59-7 hélio b
200-962-3 76-44-8 heptacloro 0,05 dermicamente, e, s 351-311-301
373-400 a 410
205-563-8 142-82-5 n-Heptano 500 2.085 VLI 225-304-315
336-400 a 410
79

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


80
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
CE ppm mg / ppm mg / m3
m3
Heptano: Outros isómeros 500 2.085 225-304-315
336-400 a 410
2-heptanona ver metil n-amil cetona
3-heptanona veja Etilbutilcetona
4-heptanona ver Di n-propilo
204-273-9 118-74-1 hexaclorobenzeno 0002 C1B, 350-372-400 a
Dermicamente, 410
e, R, S
201-765-5 87-68-3 hexaclorobutadieno 0,020,2 dermicamente
201-029-3 77-47-4 hexaclorociclopentadieno 0,01 0,11 330-311-302
número
314400-410
200-666-4 67-72-1 hexacloroetano 19,8 dermicamente, r
215-641-3 1335-87-1 Hexacloronaftaleno 0,2 dermicamente
211-676-3 684-16-2 hexafluoroacetone 0,10,69 dermicamente
219-854-2 2551-62-4 hexafluoreto de enxofre 1.000 6.075
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
7783-79-1 Selênio hexafluoreto, como 0,050,16
232-027-0 7783-80-4 hexafluoreto de telúrio 0,020,2
hexametilenodiamina 1,6-hexanodiamina ver
203-777-6 110-54-3 n-hexano (2007) 2072 VLB®, VLI 225-361f-304
373-315-336-411
Hexano: Outros isómeros 500 1.790 1.000 3.580
204-679-6 124-09-4 1,6-hexanodiamina 0,52,4 312-302-335-314
2-hexanona ver metil-n-butil cetona
203-489-0 107-41-5 hexileno 25 123 319-315
209-753-1 592-41-6 1-hexeno (2010) 50
hexon Metil-isobutil-cetona ver
206-114-9 302-01-2 hidrazina 0,01 0,013 C1B, 226-350-331-311
Dermicame 301-314-317-400
nte, Sen, r 410
hidrocarbonetos alifáticos alcanos (C1 - C4) 1000
e suas misturas, gases
81

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


82
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
215-605-7 1333-74-0 hidrogênio b 220
204-617-8 123-31-9 hidroquinona 2 Sen 351-341-302
318-317-400
* 215-137-3 1305-62-0 Hidróxido de cálcio. fracção respirável (2018) 1 4 VLI, d
244-344-1 21351-79-1 O hidróxido de césio 2
215-181-3 1310-58-3 hidróxido de potássio 2 302-314
215-185-5 1310-73-2 De hidróxido de sódio 2 314
7803-52-3 hidreto de antimônio 0,10,5
232-066-3 7784-42-1 hidreto de arsénio (2017) 0,005 0,016 r 220-330-373
400-410
232-260-8 7803-51-2 Fósforo hidreto (2008) 0,10,14 0,20,28 VLI 220-330-314-400
* 231-484-3 7580-67-8 hidreto de lítio (2018) 0,02 VLI
203-039-3 102-54-5 Ferro: diciclopentadienilo 10
236-670-8 13463-40-6 Ferro: pentacarbonil, como Fe 0,10,8 0,21,6
Ferro: sais solúveis, como Fe 1 c
* Incorporação atualizar
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
202-393-6 95-13-6 indeno 10 48
231-180-0 7440-74-6 indiano elemental 0,1
compostos de índio, como em 0,1
201-148-0 78-83-1 isobutanol 50 154 226-335-315
318-336
203-137-6 103-71-9 fenilisocianato 0,01 0,05
210-866-3 624-83-9 Isocianato de metilo (2012) 0,02 Sen, Sk 225-361d-330
311-301-335
315-318-334-317
223-861-6 4098-71-9 3-isocianatometil-3,5,5-trimetilciclo 0005 0046 Sen 331-319-335-315
334-317-411
247-897-7 26675-46-7 isoflurano 50 383
201-126-0 78-59-1 isoforona 5 29 351-312
302-319-335
201-142-8 78-78-4 isopentano 1000 3.000 VLI 224-304-336-411
83

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


84
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
200-661-7 67-63-0 Isopropanol (2011) 200500 400 1.000 VLB®, s 225-319-336
cellosolve isopropilo veja 2-isopropoxietanol
200-860-9 75-31-0 isopropilamina 512 1024 224-319-335-315
212-196-7 768-52-5 N-isopropilanilina 2 11 dermicamente,
VLBm
203-560-6 108-20-3 isopropílico 250 1.060 310 1310 225-336
223-672-9 4016-14-2 Isopropilglicidiléter 50241 75.362
203-685-6 109-59-1 2- isopropoxietanol 522 dermicamente 332-312-319
231-174-8 7440-65-5 de metal ítrio 1
Os compostos de itrio, tais como Y 1
205-316-4 138-22-7 N-butil lactato 530
232-689-0 9006-04-6 látex natural como proteína total 0,001 Sen, dermicamente
200-401-2 58-89-9 lindano 0,5 dermicamente, e, s 301-332-312-373
* 362-400 a 410
* 227-813-5
Incorporação 5989-27-5 D-limoneno (2018) 30168 Sen, dermicamente
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
CE ppm mg / m3 ppm mg / m3
Madeiras, poeira 5 w, MD, fi
Resinosas, poeira 5 md
204-497-7 121-75-5 malathion 10 Sen, 302-317
dermicamente, 400-410
ae, VLBA, FIV, s
231-105-1 7439-96-5 manganês elementar. fracção inalável 0,2 VLI
231-105-1 7439-96-5 manganês elementar. fracção respirável (2017) 0,05 VLI, d
compostos inorgânicos de manganês como Mn. VLI
fracção inalável 0,2
compostos de manganês inorgânicos, tais como Mn. 0,05 VLI, d
fracção respirável (2017)
235-142-4 12079-65-1 Manganês Ciclopentadieniltricarbonilo como Mn 0,1 dermicamente
235-166-5 12108-13-3 Manganês: 2-Metilciclopentadieniltricarbonilo como Mn 0,2 dermicamente
MDI ver diisocianato de 4,4'-difenilmetano
231-106-7 7439-97-6 mercúrio elementar (2012) 0,02 VLI, VLB®, Hg, s, 360D-330
r, 372-400 a 410
TR1B
85

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


86
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
compostos de mercúrio inorgânicos bivalentes, 0,02 Hg, VLI, VLB® s, r
como Hg (2012)
Compostos de mercúrio Alquilo, tal como Hg 0,01 0,03 dermicamente, r
compostos de mercúrio tais como arilo Hg 0,1 dermicamente, r
mesitileno 1,3,5-trimetilbenzeno ver
231-673-0 7681-57-4 metabissulfito de sódio 5 s 302-318
201-297-1 80-62-6 metilmetacrilato 50 100 Sen, VLI 225-335-315-317
200-812-7 74-82-8 metano hidrocarbonetos alifáticos alcanos ver 220
(C1 - C4) e suas misturas, os gases
200-659-6 67-56-1 metanol 200266 dermicamen 225-331-311-
te, VLB®, 301-370
VLI
methanethiol Metil mercaptano ver
201-676-1 86-50-0 metil azinfos 0,2 dermicamente, 330-300-311
VLBA, número
Sen, FIV 317400-410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
216-653-1 1634/04/04 Éter metil butil terciário (2012) 50 183,5 100367 VLI 225-315
metilcelossolve ver 2-metoxietanol
206-050-1 298-00-0 paration de metilo (2013) 0,02 dermicamente, 226-330-300-311
VLBA, 373-400 a 410
E, S, FIV
200-828-4 74-99-7 metilacetileno 1.000 1.665
I metilacrilonitrilo ver 2-metil-2-propeno-nitrilo
203-714-2 109-87-5 metilal 1.000 3.165
203-767-1 110-43-0 Metil n-amil cetona 50237 100474 Sk 226-332-302
200-820-0 74-89-5 metilamina 56,5 1519 220-332
335-315-318
202-870-9 100-61-8 N-metilanilina 0,52,2 dermicamente, 331-311-301
VLBm, F 373-400 a 410
2-metilaziridina veja pROPILENOIMINA
metilbutano veja isopentano
209-731-1 591-78-6 cetona metil-n-butilo (2011) 521 1042 dermicamente, 226-361f-372-336
VLB®
87

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


88
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
203-624-3 108-87-2 metilciclohexano 400 1.630 225-304
315-336-411
Metilciclohexanol, todos os isómeros 50237
209-513-6 583-60-8 2-Metilciclo 50233 75349 dermicamente 226-332
metilclorofórmio veja 1,1,1-tricloroetano
8022-00-2 Metildemetón 0,5 dermicamente,
VLBA
213-052-6 919-86-8 S- Metildemetón (2009) 0,05 dermicamente, 311-301-411
VLBA,
FIV
202-974-4 101-77-9 4,4'-metilenodianilina 0,10,82 C1B, 350-341-370-373
Dermicamente, 317-411
Sen, r
225-863-2 5124-30-1 Metileno-bis (4-ciclo-hexilisocianato) 0,005 0,055 Sen 331-319-335
315-334-317
202-918-9 101-14-4 4,4'-metilenobis (2-cloroanilina) (MBOCA) 0,010,1 C1B, 350-302-400 a
Dermicamente, r 410
202-705-0 98-83-9 metilestireno 50246 100492 VLI 226-319-335-411
204-065-8 115-10-6 metílico 1.000 1.920 VLI 220
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
201-159-0 78-93-3 metiletilcetona 200600 300900 VLB®, VLI 225-319-336
208-793-7 541-85-5 5-Metilheptan-3-ona 1053 20107 VLI 226-319-335
5-Metilhexan-2-ona metil isoamil cetona ver
200-471-4 60-34-4 metil-hidrazina 0,01 0,019 dermicamente
203-737-8 110-12-3 metil cetona isoamilo 2095 VLI 226-332
203-550-1 108-10-1 metilisobutilcetona 2083 50208 VLB®, VLI 225-332-319-335
209-264-3 563-80-4 metil-isopropil- 200715 225
200-822-1 74-93-1 metilmercaptano 0,51 220-331-400-410
203-551-7 108-11-2 4-metil-2-pentanol 25106 40170 dermicamente 226-335
212-828-1 872-50-4 N-metil-2-pirrolidona (2012) 1040 2080 Sk, VLB®, TR1B, 360D-319
r 335-315
204-817-5 126-98-7 2-Metil-2-propeno-nitrilo 12,7 dermicamente, Sen 225-331-311
301-317
203-528-1 107-87-9 metilpropilcetona 200715 250894
277-780-6 74222-97-2 Metilsulfometuron 5
89

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


90
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
201-160-6 78-94-4 vinil metil cetona (2014) 0,20,6 dermicamente, Sen
240-815-0 16752-77-5 metomil 2,5 VLBA 300-400 a 410
2-metoxianilina o-anisidina ver
200-779-9 72-43-5 methoxychlor 10 s
203-713-7 109-86-4 2-metoxietanol (2011) 13 dermicamente, 226-360FD
TR1B, 332-312-302
VLI, VLB®, r
203-906-6 111-77-3 2- (2-metoxietoxi) etanol 1050,1 Sk, r 361d
205-769-8 150-76-5 4-metoxifenol 5 Sen 302-319-317
203-539-1 107-98-2 1-Metoxi-2-ol 100375 150568 Sk 226-336
216-455-5 1589-47-5 2-metoxipropanol 519 TR1B, r 226-360D
335-315-318
244-209-7 21087-64-9 metribuzin 5 302-400 a 410
232-095-1 7786-34-7 Mevinphos (2013) 0,010,09 dermicamente, 310-300
VLBA, s, 400-410
FIV
310-127-6 12001-26-2 Mica. fracção respirável 3 d, e
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-107-2 7439-98-7 molibdênio elemental: Fracção inalável (2009) 10
molibdênio elemental: fração respirável (2009) 3 d
Molibdénio: compostos insolúveis, como Mo
fracção inalável (2009) 10 c
Molibdénio: compostos insolúveis, como Mo
fracção respirável (2009) 3 c, d
Molibdénio: compostos solúveis como Mo
fracção respirável (2009) 0,5 c, d
monocloreto de enxofre veja disulfur dicloreto
230-042-7 6923-22-4 Monocrotofós (2011) 0,05 dermicamente, 341-330-300
VLBA, 311-400 a 410
s, FIV
*
211-128-3 630-08-0 O monóxido de carbono (2018) 20 (•) 23 (•) 100 (•) 117 (•) VLI, TR1A, VLB®, 220-360D
r 331-372
233-271-0 10102-43-9 monóxido de azoto (2018) 2 (•) 2,5 (•) VLI
(•) para este agente há um período de transição que terminará, o mais tardar em 21 de agosto de 2023 para os setores de miner ação subterrânea e construção de túneis. Durante este
* Incorporação atualizar período transitório, os Estados-Membros podem continuar a aplicar o valor limite nacional em vigor em 1 de Fevereiro de 2017. Ele irá reavaliar sua aplicabilidade nestes sectores antes
do final deste período.
91

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


92
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
203-815-1 110-91-8 morfolina 1036 2072 VLI, f 226-332-312
302-314
202-049-5 91-20-3 naftalina 1053 1580 Sk 351-302-400 a
410
206-098-3 300-76-5 Naled (2016) 0,1 dermicamente, 312-302-319
VLBA, 315-400
FIV, s
215-609-9 1333-86-4 fumaça preta 3,5
231-110-9 7440-01-9 néon b
207-343-7 463-82-1 neopentano 1.000 3.000 VLI 220-411
200-193-3 11/5/54 nicotina 0,5 VLI, dermicamente, 310-301-411
s
231-111-4 7440-02-0 níquel metálico 1 Sen, r 351-372-317
Níquel, compostos inorgânicos, excepto os 0,2 C1, c, Sen, r
expressamente mencionado. compostos insolúveis,
como Ni
Níquel, compostos inorgânicos, excepto os 0,1 C1, c, Sen, r
expressamente mencionado. compostos solúveis,
como Ni
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
CE ppm mg / m3 ppm mg / m3
236-669-2 13463-39-3 carbonilo de níquel como Ni 0,050,12 TR1B, r 225-351-360D
330-400 a 410
217-682-2 1929-82-4 nitrapirina 10 20 302-411
233-402-1 10141-05-6 nitrato de cobalto, como Co 0,02 C1B, Sen, 350i-341-360F
TR1B, r, VLB® 334-317-400 a
410
210-985-0 627-13-4 Nitrato de n-propilo 25109 40 175 VLBm
202-810-1 100-01-6 p-nitroanilina 3 dermicamente, 331-311-301
VLBm 373-412
202-716-0 98-95-3 nitrobenzeno 0,21 dermicamente, 351-360F-301-331
VLB®, 311-372-412
* VLI
201-188-9 79-24-3 Nitroetano (2018) 2062 100 312 VLI, dermicamente, 226-332-302
VLBm
231-783-9 7727-37-9 azoto b
200-240-8 55-63-0 A nitroglicerina (2016) 0,01 0,094 0,02 0,19 VLI, dermicamente 200-330-310
* Incorporação 300-373-411
atualizar
200-876-6 75-52-5 nitrometano 2051 226-302
93

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


94
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORE LIMIT
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
CE ppm mg / m3 ppm mg / m3
203-544-9 108-03-2 1-nitropropano 25 93 226-332
312-302
201-209-1 79-46-9 2-nitropropano 5 19 C1B, r 226-350-332-302
201-853-3 88-72-2 2-nitrotolueno (2010) 2 11 C1B, M1B através 350-340-361f
dermicamente, 302-411
VLBm, r, FIV
202-728-6 01/08/99 3-nitrotolueno (2010) 2 11 dermicamente,
VLBm
202-808-0 99-99-0 4-nitrotolueno (2010) 2 11 dermicamente, 331-311-301
VLBm, ae 373-411
203-913-4 111-84-2 n-nonano 200 1.065
Nonano: Outros isómeros 200 1.065
218-778-7 2234-13-1 Octacloronaftaleno 0,1 0,3 dermicamente
203-892-1 111-65-9 n-octano 300 1.420 225-304-315
336-400 a 410
Octano: Outros isómeros 300 1.420 225-304-315
336-400 a 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
233-046-7 10025-87-3 oxicloreto de fósforo 0,1 0,64 330-372-302-314
215-691-6 1344-28-1 O óxido de alumínio 10
215-133-1 1304-56-9 óxido de berílio, tal como seja 0,0002 C1BSen, r 350i-330-301-372
319-335-315-317
215-125-8 1303-86-2 Boria 10 TR1B, r 360FD
215-146-2 1306-19-0 óxido de cádmio, e Cd. fracção inalável 0,01 C1B, VLB®, r 350-341-361fd
330-372-400 a
410
215-146-2 1306-19-0 óxido de cádmio, e Cd. Fracção Respirável 0002 C1B, VLB®, 350-341-361fd
R, d 330-372-400 a
* 410
215-138-9 1305-78-8 O óxido de cálcio. fracção respirável (2018) 1 4 d, VLI
215-222-5 1314-13-2 O óxido de zinco 400-410
fracção respirável (2011) 2 10 d
31242-93-0 Ou óxido de difenil-clorado 0,5
233-032-0 10024-97-2 Dinitrogenoxide 50 92
200-849-9 75-21-8 O óxido de etileno 1 1.8 C1B, M1B, r 220-350-340-331
* Incorporação atualizar 319-335-315
95

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


96
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
215-168-2 1309-37-1 O óxido de ferro (III) (poeira e fumos), como Fe 5
215-171-9 1309-48-4 O óxido de magnésio (de fumos e poeira) 10
244-654-7 21908-53-2 óxido de mercúrio II, tal como Hg (2012) 0,02 Hg, R, VLI, VLB® 330-310-300
373-400 a 410
205-502-5 141-79-7 óxido de mesitilo 1561 25102 226-332-312-302
200-879-2 75-56-9 O óxido de propileno (2011) 24.8 C1B, M1B, r 224-350-340-332
312-302-319-335
315
233-069-2 10028-15-6 Ozônio: Trabalho fastidioso 0,050,1
Ozônio: Trabalho Moderate 0,080,16
Ozônio: Light Duty 0,10,2
Ozono: fastidioso, moderada ou luz (≤ 2 horas) 0,20,4
225-141-7 4685-14-7 Paraquat: fracção inalável 0,5
Paraquat: Fração respirável 0,1 d
217-615-7 1910-42-5 dicloreto de paraquat 0,1 dermicamente 330-311-301
372-319-335
315-400 a 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
200-271-7 56-38-2 Paration (2013) 0,05 dermicamente, 330-300-311-372
VLB®, 400-410
E, S, FIV
Partículas (insolúveis ou pouco solúveis) não especificadas 10 C, O, e
de outro modo: fracção inalável
Partículas (insolúveis ou pouco solúveis) não especificadas 3 c, ou d, e
de outro modo: Fracção Respirável
pyrethrum veja Piretrinas
243-194-4 19624-22-7 pentaborano 0,005 0,013 0,015 0,039
201-778-6 87-86-5 pentaclorofenol 0,5 dermicamen 351-330-311
te, VLB®, 301-319-335
r 315-400 a 410
215-320-8 1321-64-8 pentachloronaphthalene 0,5 dermicamente 312-302-319
315-400 a 410
201-435-0 82-68-8 pentacloronitrobenzeno 0,5 Sen 317-400 a 410
233-060-3 10026-13-8 pentacloreto de fósforo 1 VLI 330-302-373-314
97

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


98
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
204-104-9 115-77-5 Pentaeritritol: fracção inalável 10
Pentaeritritol: Fração respirável 4 d
227-204-4 5714-22-7 pentafluoride enxofre 0,010,1
232-157-8 7789-30-2 pentafluoride bromo 0,10,73
203-692-4 109-66-0 de n-Pentano 1.000 3.000 VLI 225-304-336-411
2-pentanona metilpropilcetona ver
204-634-0 123-54-6 2,4-pentanodiona (2014) 2083 40166 dermicamente 226-302
202-490-3 96-22-0 3-pentanona 200716 300 1.075 225-335-336
215-242-4 1314-80-3 fósforo pentasulfide 1 VLI 228-260
332-302-400
215-116-9 1303-28-2 pentóxido diarsénio, e Como 0,01 C1A, VLB®, R, S 350-331-301
400-410
215-236-1 1314-56-3 pentóxido de fósforo 1 VLI 314
215-239-8 1314-62-1 O pentóxido de vanádio, V2O5 como pó 0,05 d, VLB® 341-361d 372-332-
respirável ou fumo 302-335-411
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
204-825-9 127-18-4 Percloroetileno (2018) 20138 40275 VLI, dermicamente, 351-411
VLB®ae
209-840-4 594-42-3 perclorometilo 0,10,77
Perclorometiltiol veja perclorometilo
243-053-7 19430-93-4 perf 100
382-21-8 Perfluorisobutileno 0,01 0,083
223-320-4 3825-26-1 amônio Perfluoroctanoato 0,01 dermicamente 351-360D-362
332-302-372-318
202-327-6 94-36-0 O peróxido de benzoíla 5 Sen 241-319-317
peróxido de 2-butanona ver peróxido de metiletilcetona
231-765-0 7722-84-1 Peróxido de hidrogênio 11.4 271-332-302-314
215-661-2 1338-23-4 Peróxido de metil-etil-cetona 0,21,5
231-786-5 7727-54-0 persulfato de amio 0,1 Sen 272-302-319
335-315-334-317
231-781-8 7727-21-1 persulfato de potássio 0,1 Sen 272-302-319
335-315-334-317
atualizar
99

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


100
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORE LIMIT
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
231-892-1 7775-27-1 persulfato de sódio 0,1
217-636-1 1918/02/01 picloram 10
201-462-8 83-26-1 pindona 0,1 301-372-400 a
410
203-808-3 110-85-0 Piperazina e seus sais, tais como piperazina 0,1 0,3 VLI, Sen, f, FIV 361fd-314-334-317
232-319-8 8003-34-7 pyrethrins 1 VLI 302-312-332
400-410
incluindo
cinerins
203-809-9 110-86-1 piridina 13 225-332-312-302
204-427-5 120-80-9 pirocatecol 523 dermicamente 312-302-319-315
231-131-3 7440-22-4 metal prateado 0,1 VLI
compostos de prata solúveis, tais como Ag 0,01 c, VLI
231-116-1 7440-06-4 platina metálica 1 VLI
231-100-4 7439-92-1 elemental lead 0,15 k, VLB®, TR1A, r
compostos de chumbo inorgânicos, tais como Pb 0,15 k, VLB®, TR1A, r
201-075-4 78-00-2 chumbo tetraetila como Pb 0,1 dermicamente, 330-310-300-373
TR1A, 360Df-400 a
r 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
200-897-0 75-74-1 Tetrametil vantagem, quando Pb 0,15 dermicamente, 330-310-300-373
TR1A, 360Df-400 a
r 410
Politetrafluoretileno, produtos de decomposição l
200-827-9 74-98-6 propano hidrocarbonetos alifáticos alcanos ver 220
(C1 - C4) e suas misturas, os gases
200-746-9 71-23-8 n-propanol (2007) 200500 400 1.000 dermicamente, s 225-318-336
3-Propanolido -propiolactona
Propilcellosolve veja 2-propoxietanol
200-878-7 75-55-8 PROPILENOIMINA (2013) 0,20,5 C1B, 225-350-330-310
Dermicamente, r 300-318-411
204-062-1 115-07-1 propileno 500 220
220-548-6 2807-30-9 2-propoxietanol 2086 dermicamente 312-319
propyne veja mETILACETILENO
203-471-2 107-19-7 Prop-2-in-1-ol 12,3 dermicamente 226-331-311
301-314-411
101

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


102
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
200-340-1 57-57-8 propiolactona 0,51,5 C1B, r 350-330-319-315
201-623-0 123-38-6 Propionaldeído (2014) 2046 225-319-335-315
204-043-8 114-26-1 propoxur 0,5 VLBA, s 301-400 a 410
O óxido nitroso veja dinitrogenoxide
232-366-4 8008-20-6 Querosene (combustível de aviação) (2016) 200 dermicamente
quinona veja p-benzoquinona
232-475-7 8050-09-7 pepita de resina de solda (resina) m, Sen 317
203-585-2 108-46-3 resorcinol 1046 VLI, ae 302-319-315-400
231-125-0 7440-16-6 ródio metálico 1 c
compostos insolúveis de ródio, tais como Rh 1 c
os compostos de ródio solúveis em água, tais como Rh 0,01 c
206-082-6 299-84-3 Ronnel (2013) 5 VLBA, FIV 312-302
400-410
201-501-9 83-79-4 Rotenone (comércio) 5 s 301-319-335
315-400 a 410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
200-334-9 57-50-1 sacarose 10
231-957-4 7782-49-2 selênio elementar 0,1 331-301-373-413
Os compostos de selénio, como é 0,1 331-301-373
(Excepto seleneto de hidrogénio) 400-410, excepto
o sulfoselenide
cádmio
231-978-9 7783-07-5 seleneto de hidrogênio 0,02 0,07 0,05 0,17 VLI
205-259-5 136-78-7 Sesona 10
232-263-4 7803-62-5 Silano (2014) 5 6,7
215-710-8 1344-95-2 silicato de cálcio (sintético) 10 e
201-083-8 78-10-4 silicato de etilo (2018) 5 44 VLI 226-332-319-335
211-656-4 681-84-5 silicato de metilo 1 6,3
238-455-4 14464-46-1 A sílica cristalina: Cristobalita n, d, e, cf.
fracção respirável 0,05 ITC / 2585/2007
238-878-4 14808-60-7 A sílica cristalina: quartzo (2015) n, d, e, cf.
fracção respirável 0,05 ITC / 2585/2007
atualizar
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)
103
104
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
232-752-2 9014-01-1 Subtilisinas (como enzimas proteolíticas 0.00006 Sen 335-315
enzima cristalina pura 100%) 318-334
231-871-7 7773-06-0 sulfamato de amônio 10
231-784-4 7727-43-7 O sulfato de bário 10 e
233-331-6 10124-36-4 sulfato de cádmio, e Cd. fracção inalável 0,01 C1B, M1B, VLB®, 350-340-360FD
r, TR1B 330-301-372-400
410
233-331-6 10124-36-4 sulfato de cádmio, e Cd. Fracção Respirável 0002 C1B, M1B, VLB®, 350-340-360FD
r, d, TR1B 330-301-372-400
410
231-900-3 7778-18-9 sulfato de cálcio anidro 10 e
10034-76-1 hemi-hidrato de sulfato de cálcio 10 e
10101-41-4 di-hidrato de sulfato de cálcio 10 e
13397-24-5 sulfato de cálcio: gesso 10 e
233-334-2 10124-43-3 Sulfato, cobalto como Co 0,02 C1BSen, r, TR1B, 350i-341-360F
VLB® 302-334-317-400
410
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
201-058-1 77-78-1 dimetil sulfato 0,050,26 C1B, 350-341-330-301
Dermicame 314-317
nte, Sen, r
232-104-9 7786-81-4 Sulfato de níquel como Ni 0,1 C1ASen, r, TR1B 350i-341-360D
372-332-302-315
334-317-400 a
410
222-995-2 3689-24-5 sulfotep 0,1 dermicamente, 310-300
VLBA, VLI, s, 400-410
FIV
200-846-2 75-18-3 dimetilsulfureto 10
215-147-8 1306-23-6 Sulfureto de cádmio, e Cd. Fracção inalável 0,01 C1B, VLB®, r 350-341-361fd
372-302-413
215-147-8 1306-23-6 Sulfeto de cádmio e Cd. Fracção Respirável 0002 C1B, VLB®, R, d 350-341-361fd
372-302-413
231-977-3 7783-06-4 Sulfeto de hidrogênio (2012) 57 1014 VLI 220-330-400
252-545-0 35400-43-2 Sulprofos (2013) 0,0080,1 VLBA, s, FIV
202-273-3 93-76-5 2,4,5-T 10 dermicamente 302-319-335
315-400 a 410
238-877-9 14807-96-6 Talco (sem fibras de amianto)
fracção respirável 2 d, e
105

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


106
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
238-877-9 14807-96-6 Talco (fibras de amianto) veja amianto p
231-138-1 7440-28-0 tálio elemental 0,1 dermicamente, c 330-300-373-413
compostos de tálio solúveis, tais como Tl 0,1 dermicamente, c 330-300-373-413
TDI ver diisocianato de 2,4-tolueno
236-813-4 13494-80-9 telúrio elementar 0,1
compostos de telúrio como TE, com excepção de hidrogénio 0,1
telureto
215-135-2 1304-82-1 telureto de bismuto:
não dopado 10
Dopado selênio, como Bi2Te3 5
222-191-1 3383-96-8 Temephos (2013) 1 VLBA, s
FIV
203-495-3 107-49-3 TEPP 0,0040,05 dermicamente, 310-300-400
VLBA,
235-963-8 13071-79-9 Terbufos (2014) 0,01 dermicamente, 310-300
s, VLBA, 400-410
FIV
247-477-3 26140-60-3 terfenilas 0,525
262-967-7 61788-32-7 terfenilos hidrogenados 220 550
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
215-540-4 1330-43-4 tetraborato de sódio, anidro veja Borato de Sódio anidro
1330-96-4 De sódio decahidratado tetraborate veja borato de sódio decahidratado
12179-04-3 De sódio penta tetraborate veja borato de sódio penta
201-191-5 79-27-6 1,1,2,2-tetrabromoetano (2014) 0,11,4 FIV 330-319-412
tetrabrometo de acetileno 1,1,2,2-tetrabromoethane ver
209-189-6 558-13-4 tetrabrometo de carbono (2010) 0,1 0,3
200-934-0 11/9/76 1,1,1,2-tetracloro-2,2-difluoroetano (2014) 100847 z
200-935-6 76-12-0 1,1,2,2-tetracloro-1,2-difluoroetano (2014) 50424 z
201-197-8 79-34-5 1,1,2,2-tetracloroetano 17 dermicamente, r 330-310-411
tetracloroetileno veja percloroetileno
215-642-9 1335-88-2 tetrachloronaphthalene 2
200-262-8 56-23-5 tetracloreto de carbono (2018) 16,4 532 VLI, 351-331-311-301
dermicamente, z 372-412 a 420
204-126-9 116-14-3 tetrafluoroethylene 28,3
atualizar
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)
107
108
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
232-013-4 7783-60-0 Sulfurtetrafluoride 0,10,45
203-726-8 109-99-9 tetrahidrofurano 50150 100300 Sk, VLB® 225-319-335
351
231-961-6 7782-65-2 tetrahidreto germânio 0,20,64
tetrahidreto Silicon veja Silano
3333-52-6 Tetrametilsuccinonitrilo 0,52,8 dermicamente
208-094-7 509-14-8 tetranitrometano 0,0050,04
207-531-9 479-45-8 tetrilo 1.5 201-331
311-301-373
244-058-7 20816-12-0 Tetróxido de ósmio, como Os 0,0002 0,002 0,0006 0,006 330-310-300-314
202-525-2 96-69-5 4,4'-tiobis (6-terc-butil-m-cresol) 10
205-286-2 137-26-8 Tiram 1 Sen, E, S, f 332-302-373-319
315-317-400 a
410
203-625-9 108-88-3 tolueno 50192 100384 dermicamente, 225-361d-304
VLB®, 373-315-336
VLI, r
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
202-429-0 95-53-4 o-toluidina 0,20,89 C1B, 350-331-301
Dermicamente, r, 319-400
VLBm
203-583-1 108-44-1 m-toluidina 28,9 dermicamente, 331-311-
VLBm 301-373-400
203-403-1 106-49-0 p-toluidina 28,9 Sen, dermicamente, 351-331-311-301
VLBm 319-317-400
toxaphene veja canfeno clorado
200-854-6 75-25-2 tribromometano 0,55,3 dermicamente 331-302-319
315-411
233-657-9 10294-33-4 tribrometo de boro 110 330-300-314
200-149-3 52-68-6 Triclorfom (2009) 1 Sen, VLBA 302-317-400 a
410
204-428-0 120-82-1 1,2,4-triclorobenzeno 215 538 Sk, r 302-315-400 a
410
* 200-756-3 71-55-6 1,1,1-Tricloroetano 100555 200 1.110 VLB®, Z, VLI 332-420
201-166-9 79-00-5 1,1,2-Tricloroetano 1056 dermicamente, r 351-332-312-302
* 201-167-4
Incorporação 79-01-6
atualizar Tricloroetileno (2018) 1054,7 30 164,1 C1B, VLB®, r 350-341-319-315
336-412
109

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


110
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
200-892-3 75-69-4 triclorofluorometano 1.000 5.720 z
200-663-8 67-66-3 triclorometano 210 r, Sk 351-361d-331
302-372-319-315
215-321-3 1321-65-9 Tricloronaftaleno 5 dermicamente
200-930-9 76-06-2 trichloronitromethane 0,10,7 330-302-319
335-315
202-486-1 96-18-4 1,2,3-tricloropropano (2013) 1061 C1B, R, TR1B, 350-360F-332
dermicamente 312-302
200-936-1 76-13-1 1,1,2-tricloro-1,2,2-trifluoroetano 1.000 7.795 1.250 9.745 z
231-749-3 7719-12-2 tricloreto de fósforo 0,21,1 0,52,8 330-300-373-314
203-049-8 102-71-6 trietanolamina 5
204-469-4 121-44-8 trietilamina 28,4 312,6 dermicamente, f, 225-332
VLI 312-302-314
200-887-6 75-63-8 Trifluorobromometano 1.000 6.195 z
231-569-5 7637-07-2 de trifluoreto de boro 13 330-314
VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
232-230-4 7790-91-2 trifluoreto de cloro 0,10,38
232-007-1 7783-54-2 trifluoreto de nitrogênio 1030 VLBm
200-875-0 75-50-3 trimetilamina 512 1537 F 220-332
335-315-318
208-394-8 526-73-8 1,2,3-trimetilbenzeno 20100 VLI
202-436-9 95-63-6 1,2,4-trimetilbenzeno 20100 VLI 226-332-319
335-315-411
203-604-4 108-67-8 1,3,5-trimetilbenzeno 20100 VLI 226-335-411
201-865-9 88-89-1 2,4,6-trinitrofenol 0,1 VLI 201-331-311-301
204-289-6 118-96-7 2,4,6-trinitrotolueno 0,1 dermicamen 201-331-311
te, 301-373-411
VLBm
Trinitruro de sódio azida de sódio veja
fosfato de tricresilo Fosfato ver triorthocresyl
215-607-8 1333-82-0 Trióxido de crómio, como Cr 0,05 C1A, M1B, 5701-3462F
VLB®, 330-311-301-372
Sen, r 314-334-317-400
410
111

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


112
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)

VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / m3 ppm mg / m3
215-481-4 1327-53-3 trióxido diarsénio, como Como 0,01 C1A, VLB®, R, S 350-300-314-400
410
219-514-3 2451-62-9 1, 3, 5-tris (oxiranilmetil) - 0,05 M1BSen, r 340-331-301-373
1, 3, 5-triazina-2, 4, 6 (1H, 3H, 5H) -triona 318-317-412
231-143-9 7440-33-7 de metal de tungsténio 5 10
Tungstênio. compostos insolúveis, como W 5 10 c
Tungstênio. compostos solúveis, tais como W 1 3 c
231-170-6 7440-61-1 urânio natural 0,2 0,6 330-300-373-413
compostos de urânio solúveis e insolúveis, tais como U 0,2 0,6 c 330-300-373-411
202-848-9 100-40-3 4-vinilciclohexeno 0,10,45 351
246-562-2 25013-15-4 viniltolueno 50246 100492
201-377-6 81-81-2 varfarina 0,1 TR1A, r 360D-330-310
300-372-411
265-185-4 64742-82-1 white spirit (nafta de petróleo) 50290100580j, dermicamente 304

volfrâmio metálico cf. de metal de tungsténio


VALORES-LIMITE
INDICAÇÕES
AGENTE QUÍMICO
No. CE CAS WEL® STEL® NOTAS PERIGO (H)
(Ano de constituição ou atualização)
ppm mg / ppm mg / m3
m3
Tungsténio: compostos insolúveis Tungstênio ver. compostos insolúveis, como W
Tungsténio: compostos solúveis Tungstênio ver. compostos solúveis, tais como W
202-422-2 95-47-6 o-Xileno 50221 100442 dermicamen 226-332
te, VLB®, 312-315
VLI
203-576-3 108-38-3 m-xileno 50221 100442 dermicamen 226-332
te, VLB®, 312-315
VLI
203-396-5 106-42-3 p-Xileno 50221 100442 dermicamen 226-332
te, VLB®, 312-315
VLI
215-535-7 1330-20-7 Xileno isómeros mistura 50221 100442 dermicamen 226-332
te, VLB®, 312-315
VLI
Xilidina, todos os isómeros veja dimetilaminobenzeno
gesso sulfato de cálcio ver: gesso
231-442-4 7553-56-2 iodo 0,11 s 332-312-400
200-874-5 75-47-8 yodoformo 0,69,8
200-819-5 74-88-4 de iodeto de metilo 212 dermicamente 351-312-331
113

Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)


301-335-315
114
Tabela 1 - Ambiental valores-limite (VLA)
9. Valores Limite Ambientais COM ENTRADA
EM VIGOR NA PRÓXIMOS ANOS

A tabela a seguir lista os produtos químicos para o


qual Valores limites ambientais estabelecidos com
entrada em vigor nos próximos anos aparecem. Estes
valores foram aprovados pelo NBOSH e portanto entrar
em vigor automaticamente na data indicada em cada
caso.

Limite de exposição com entrada em vigor nos próximos anos

115
116
Tabela 2 valores-limite com entrada ambiental em vigor nos próximos anos

Tabela 2 - AMBIENTE VALORES LIMITE COM ENTRADA EM VIGOR EM PRÓXIMOS ANOS

VALORES-LIMITE
DATA
No. CE CAS AGENTE QUÍMICO WEL® STEL® NOTAS ENTRAD
pm mg / ppm mg / m3 A EM
m3 VIGOR
231-159-6 7440-50-8 Cobre. fracção respirável 0,01 d 2019
107-02-8 compostos de cobre, tais como Cu. fracção respirável 0,01 d 2019
NOTAS Tabelas 1 e 2

a Excepto anacardo rícino ou óleos irritantes semelhantes.


ae disruptor endócrino. Há um número de substâncias utilizadas na indústria, agricultura e bens de consumo que
suspeita de que interferir com o sistema endócrino dos seres humanos e animais e estão causando danos à saúde como câncer,
alterações comportamentais e anormalidades reprodutivas. Essas substâncias são chamadas de "desreguladores endócrinos".
[Aplicação da estratégia comunitária em matéria de desreguladores-substâncias que são suspeitas de interferir com os sistemas
hormonais dos seres humanos e animais-COM (1999) 706. Comissão das Comunidades Europeias, COM (2001) 262 final, Bruxelas
14,06 endócrinas 2001].
No caso dos seres humanos, as possíveis vias de exposição aos desreguladores endócrinos incluem a exposição directa no local de
trabalho ou através de produtos de consumo, como alimentos, certos plásticos, tintas, detergentes e cosméticos, ou indirectamente
através do ambiente ( ar, água e solo). [Estratégia comunitária sobre desreguladores endócrinos (substâncias suspeitas de interferir
com os sistemas hormonais dos seres humanos e animais). Comissão das Comunidades Europeias, COM (1999) 706 final, Bruxelas,
17.12.1999].
Os valores-limite atribuídos a estes agentes não foram estabelecidas para evitar os possíveis efeitos de desregulação endócrina, o que
justifica uma vigilância sanitária adequada.
117

Notas aos Quadros 1 e 2


118
Notas aos Quadros 1 e 2

sou O valor é aplicado a óleo mineral refinado e sem aditivos que levariam à sua formulação.
az Ao seleccionar de um método adequado de controlo da exposição, deve ser considerada e limitações potenciais
interferência que pode ocorrer na presença de outros compostos de enxofre.
b asfixiante simples. Alguns gases e vapores presentes no ar que actua deslocando oxigénio e diminuir a sua concentração
no ar, sem efeitos toxicológicos. Estas substâncias não têm valor limite ambiental atribuído e a concentração único factor limitante é
dada pelo oxigénio disponível no ar, que deve ser pelo menos 19,5% do nível do mar equivalente O2. Esse valor fornece uma
quantidade adequada de oxigênio para a maior parte do trabalho, incluindo uma margem de segurança.
c O "solúvel" e "insolúvel" são termos compreendidos por referência à água.
C1 Conhecido ou presumido cancerígenos humanos. Verifique-se para cada classificação agente específico de acordo com
Regulamento (CE) n.º 1272/2008.
C1A Se ele é conhecido por ser um carcinogéneo humano, com base na existência de testes em humanos,
C1B ou se deveria ser um carcinogéneo humano, com base na existência de testes em animais.
Aplica-se o RD 665/1997.
d Veja UNE EN 481: Atmospheres em empregos. Definição das fracções por tamanho de partícula para
medição de aerossóis.
e Este valor é para a matéria em partículas que não contém amianto e menos do que 1% de sílica cristalina.
f Reage com agentes nitrificantes que podem levar à formação de N-nitrosaminas carcinogénicas.
fi fração inalável. Se os pós de madeira são misturados com outros pós, o valor limite para ser aplicada a todos os pós
presente na mistura (RD 349/2003, de 21 de Março).
FIV fracção inalável e vapor. notação indica FIV tais agentes químicos que podem ocorrer no ambiente
trabalho, tanto como matéria e vapor de partículas, de modo que as duas fases podem coexistir, tanto contribuindo para a exposição.
Esta situação pode ocorrer, principalmente, nos seguintes casos:
• Quando o agente em questão tem um valor de "intermediário" de pressão de vapor (nestes casos que leva em conta a relação entre
a sua concentração no ar de vapor saturado e o valor de VLA-ED® e a nota é atribuído, em geral, quando a proporção entre as duas
quantidades é entre 0,1 e 10).
• Por causa da forma de utilização do agente químico (por exemplo, pulverização).
• Em processos que envolvam mudanças de temperatura importantes que podem afectar o estado físico do agente químico.
119

Notas aos Quadros 1 e 2


120
Notas aos Quadros 1 e 2

• Em processos em que uma fracção significativa do vapor podem ser dissolvidos ou adsorvidos em partículas de uma outra
substância, tal como acontece com os agentes solúveis em água, em ambientes de humidade elevada.
Para mais informações, ver C. Perez e SC Soderholm. Algumas substâncias químicas que requerem uma consideração especial quando
se decide se para provar a partícula, vapor ou uma atmosfera de ambas as fases. Appl. Occup. Environ. Hyg. 6 (10), 859-864. 1991.
g orientação das fibras óxido improvável e o alcalino e alcalino (Na2O + K2O + CaO + MgO + BaO) é
do que 18% em peso. Regulamento (CE) n.º 1272/2008.
h fibras l> 5hum, d <3 um, l / d ≥ 3 determinada por de contraste de fase óptica.
microscopia
Hg O mercúrio é uma substância com efeitos cumulativos potencialmente graves. Consequentemente, a avaliação da exposição
Ele deve ser complementada com a vigilância sanitária de controle biológico em conformidade com o artigo 6 do RD 374/2001.
i Veja Q e R notas do Regulamento (CE) n.º 1272/2008.
j De acordo com a informação disponível, o espírito branco comercializado em Espanha menos de 0,1% de benzeno,
por isso não é classificada como cancerígena.
k Veja o Real Decreto 374/2001, de 6 de Abril (BOE n.º 104 de 01 de maio de 2001) sobre a protecção da saúde e segurança
dos trabalhadores contra os riscos ligados a agentes químicos no trabalho.
l A decomposição térmica no ambiente de politetrafluoretileno * provoca a formação de produtos marcado caráter
tóxico, para aqueles que não estão actualmente a definir qualquer VLA, mas recomenda-se que a sua concentração no
ambiente tão baixo quanto possível e evitar fumar na presença de aerossóis politetrafluoretileno. (* Algoflon, Tetran Fluon, teflon,
são marcas registradas da politetrafluoretileno registrado).
m Produtos da decomposição térmica no ambiente da pepita de solda, resina de breu, têm um carácter marcado
sensibilizador, que aconselha a redução da exposição ocupacional a eles, tanto quanto possível.
md madeira. Dois tipos de madeira são distinguidos: macio e duro. É uma distinção botânico: gimnospermas
fornecer resinosas e folhosas angiospermas sem densidade física e dureza da madeira têm uma correspondência com esta classificação.

Por exemplo, não há dúvida de uma relação completa, podem-se mencionar, como madeiras macias: abeto, cedro, ciprestes, lariços,
abeto, pinheiro, abeto de Douglas, Oregon pinho, pau-brasil, seus e a cicuta. Como madeiras: bordo, amieiro, bétula, nogueira,
nogueira, a carpa, castanha, faia, freixo, nogueira, banana, sicômoro, choupo, álamo, cereja, carvalho, salgueiro, tília, elm e espécies
tropicais: Pine Kauri, iroko ou Kambala, Rimu ou pinho vermelho, pau-rosa, jacarandá, ébano, mogno Africano, bete, balsa, nyatoh,
afrormosia, meranti, teca, Afara, Obéché ou samba. Esta relação é retirado do Guia Técnico para a avaliação e prevenção dos riscos
associados ao trabalho exposição a agentes cancerígenos ou mutagénicos.
M1 As substâncias que são conhecidas ou que se induzir mutações hereditárias em células germinais humanas.
M1A Substâncias que são conhecidos por induzir mutações hereditárias em células germinais humanas.
121

Notas aos Quadros 1 e 2


122
Notas aos Quadros 1 e 2

A classificação na categoria 1A baseia-se em provas positivas obtidas em estudos epidemiológicos humanos.


M1B As substâncias que são consideradas para induzir mutações hereditárias em células germinais humanas.
A classificação na categoria 1B baseia-se em:
• teste positivo resulta mutagenicidade em células germinativas hereditárias em mamíferos in vivo; ou
• resultados positivos a partir de mutagenicidade em células somáticas de mamífero in vivo, o, com alguma evidência para supor
que a substância pode causar mutações nas células germinativas. Esta informação poderá vir de testes de mutagenicidade
adicionais / genotoxicidade em células germinativas do mamífero in vivo, ou mostram que a substância ou os seus metabolitos
são capazes de interagir com o material genético de células germinativas; ou
• resultados positivos de ensaios que mostram os efeitos mutagénicos nas células germinativas de pessoas, sem transmitir a
progenitura demonstrado; por exemplo, um aumento na frequcia de aneuploidia em esperma de homens exposta.
Aplica-se o RD 665/1997.
n indústrias extractivas ver ITC / 2585/2007, de 30 de Agosto, que aprovou as Instruções Técnicas
Além disso 2.0.02 "Protecção dos trabalhadores contra a poeira, em relação à silicose, nas indústrias extrativas", o regulamento geral da
segurança mineira normas de base.
ou coisas Particulado para o qual não há dados toxicológicos sobre a qual basear a VLA. No entanto, recomenda-se que
exposições abaixo do valor limite indicado genérico.
Este valor limite só se aplica a partículas poluentes que cumpram os seguintes requisitos:
• Eles não têm um VLA específico.
• Que são insolúveis ou fracamente solúveis em água (ou de preferência em pulmão de fluido aquoso, se tal informação está
disponível).
• Eles têm baixa toxicidade, ou seja, não citotóxico ou genotóxico nem reagir quimicamente, de outra forma, com o tecido
pulmonar, ou emitem radiação ionizante, nem provocar sensibilização, ou outro efeito não-tóxico que pode resultar a mera
acumulação no pulmão.
p No entanto, não deve ser superior a 2 mg / m3 de partículas respiráveis.
q agente químico geralmente proibidos nos termos definidos no artigo de 8 RD 374/2001, de 6 de Abril (BOE
No. 104 de 01 de maio de 2001) sobre a protecção da saúde e segurança dos trabalhadores contra os riscos ligados a agentes químicos
no trabalho.
r Esta substância estabeleceu restrições ao fabrico, comercialização ou utilização nos termos especificados no
"Regulamento (CE) n.º 1907/2006 para Registro, Avaliação, Autorização e Restrição de Produtos Químicos" (REACH) 18 de
Dezembro de 2006 (JO, L 369 de 30 de dezembro de 2006). Restrições de uma substância pode ser aplicado a todos os aplicativos ou
apenas usos específicos. Anexo XVII do Regulamento REACH contém a lista de todas as substâncias restritas e especifica os usos
que foram restritas.

Notas aos Quadros 1 e 2


123
124
Notas aos Quadros 1 e 2

s Esta substância tem comercialização e fitossanitário uso total ou parcialmente proibido e / ou biocida. Para uma
Informação detalhada sobre a proibição consulte: Base de dados
de produtos biocidas:
você
http://www.msssi.gob.es/ciudadanos/productos.do?tipo=plaguicidas
Banco de dados de produtos fitofarmacêuticos:
http://www.magrama.gob.es/agricultura/pags/fitos/registro/fichas/pdf/Lista_sa.pdf
Sen Sensibilizador. Consulte o Capítulo 6.
sil Para determinar as concentrações de pó de carvão também é recomendado para determinar sílica cristalina respirável, geralmente
carbono associado.
t tudo tipos de amianto têm proibido o seu fabrico, utilização e comercialização através da OM de 2001/12/07 (BOE No.
299, de 14 de dezembro de 2001).
Operações e actividades em que os trabalhadores estão expostos ou são susceptíveis de ser exposto às fibras de amianto ou que
contenham materiais são regulados pela RD 396/2006, de 31 de março de estabelecimento de disposições mínimas são definidas
saúde e segurança aplicáveis ao trabalho em risco de exposição ao amianto.
TR1 Substâncias que são conhecidos ou que se presume ser tóxico para a reprodução humana.
As substâncias são classificadas na categoria uma toxicidade reprodutiva, quando conhecido por ter efeitos adversos produzidos
sobre a função sexual ea fertilidade ou desenvolvimento descendentes ou não há provas de estudos com animais, talvez apoiados por
outras informações suplementares, fornecer uma forte presunção de modo que a substância é capaz de interferir no tempo reprodução
humana.
TR1A As substâncias que são conhecidas por serem tóxicas para a reprodução humana.
A classificação na categoria 1A baseia-se largamente a existência de testes em humanos
TR1B Substâncias que são assumidos para ser tóxico para a reprodução humana.
A classificação na categoria 1B é fundamentalmente baseada na existência de dados de estudos com animais.
v Real Decreto 1124/2000, de 16 de Junho (BOE n 145, de 17 de Junho de 2000), pelo que altera o Real Decreto 665/1997,
de 12 de Maio relativa à protecção dos trabalhadores contra os riscos ligados à exposição a agentes cancerígenos durante o trabalho.
VLB® química tendo valor-limite biológico específico neste documento.
VLB agente químico que se aplica o valor limite biológico de acetilcolinesterase inibidores.
A
VLBm agente químico que se aplica o valor-limite biológico dos indutores de metahemoglobina.
VLI agente químico para o qual a UE estabeleceu na época um valor-limite indicativo. Esses produtos químicos incluem, pelo menos,
em um dos valores limite indicativos directivas publicadas até agora (ver Anexo C. Referências). Estados-Membros
125

Notas aos Quadros 1 e 2


126
Notas aos Quadros 1 e 2

Eles devem definir um valor limite nas suas respectivas legislações, no período indicado pelas directivas. Uma vez aprovada, esses
valores têm a mesma validade que o resto dos valores adotados pelo país.
dermicamenteEle indica que, a exposição a esta substância, a contribuição por via dérmica pode ser significativo para o conteúdo
total do corpo, se não forem tomadas medidas para evitar a absorção. Nestas situações, é aconselhável a utilização de controle
biológico de quantificar a quantidade total do contaminante absorvido. Para mais informações consulte o Capítulo 5 deste documento.
w Real Decreto 349/2003, de 21 de Março (BOE No. 82 de 5 de Abril, 2003), pelo que altera o Real Decreto 665/1997, de
12 de Maio relativa à protecção dos trabalhadores contra os riscos ligados à exposição a agentes cancerígenos durante o trabalho e
que o seu âmbito é alargado aos agentes mutagénicos.
x Fibras cuja orientação aleatória e o óxido alcalino e alcalino (Na2O + K2O + CaO + MgO + BaO)
menos do que 18% em peso. Regulamento (CE) n.º 1272/2008.
y Reclassificado pela Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (IARC) Grupo 2A (provavelmente cancerígeno
) Grupo 1 humano (carcinógeno humano).
z Esta substância estabeleceu restrições à produção, importação, exportação, colocação no mercado, utilização, recuperação,
reciclagem, valorização e destruição nos termos especificados no "Regulamento (CE) n.º 1005/2009 PARLAMENTO
Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Setembro de 2009 sobre as substâncias que empobrecem a camada de L286 31
ozônio "(JOUE Outubro 2009).
10.VALORES BIOLÓGICA LIMITE (VLB®)

Eles são valores de referência para indicadores


biológicos associados com a exposição global a agentes
químicos. O VLB® se aplicam a exposições
ocupacionais oito horas por dia durante cinco dias por
semana. VLB® extensão da referência a diferentes
períodos deve considerar o agente macocinéticos dados
farmacológicos e farmacodinâmica em parti- cular.
Em geral, VLB® representam os níveis mais
prováveis de indicadores biológicos em trabalhadores
saudáveis sujeitos à exposição global ao químico-
agentes macacos, equivalentes em termos de dose
absorvida à exposição exclusivamente por fim inalação
de VLA-ED® . A excepção a esta regra são
determinados agentes para o gene de pró-VLA atribuído
contra quaisquer efeitos sistémicos. Nestes casos, eles

valores-limite Biológica (VLB®)


podem representar VLB® superiores doses absorvidas
do que resultaria da VLA exposição por inalação.
A base científica para estabelecer VLB® den pue-
derivada de dois tipos de estudos: a) que se referem a
intensidade de exposição para o nível de um parâmetro
biológico b) que se relacionam com o nível de um
parâmetro de efeitos biológicos saúde.
O VLB® não se destinam a ser usadas como uma
medida de adverso ou para o diagnóstico dos efeitos de
doenças profissionais.
Biocontrole rio deve ser considerado controle
ambiental complementar e, portanto, deve ser feito ao
oferecer vantagens sobre o uso independente do último.
O controle biológico pode ser usada para completar
a avaliação ambiental, para testar a eficácia do
equipamento de protecção individual ou para detectar a
absorção dérmica potencial e / ou gastrointestinal.
Quando a contribuição por via dérmica pode
significativamente resultando tar para o conteúdo total
do corpo é condição sejable o uso de controle biológico
para quantificar a quantidade total absorvida do
poluente (ver também o capítulo 5).

127
10.1. Considerações gerais

Os indicadores biológicos medidos na urina são


habitualmente analisados em amostras pontuais tomadas
em determinados momentos, como no local de trabalho
não é fácil ou seguro para obter as amostras de urina que
corresponde dentes longos períodos de tempo (por
exemplo, 24 horas), o que iria fornecer informações
mais precisas sobre a eliminação de xenobióticos. Sem
ir como-, medida quantitativa da exposição de amostras
pontuais pode ser afectado pela variabilidade na
produção de urina, devido a factores tais como a
ingestão de líquidos, temperatura excessiva, a carga de
trabalho, o consumo drogas, etc., que dão pue- produzir
efeitos de concentração ou de diluição da urina e, assim,
afectar o resultado dos indicadores.
Por este motivo, é necessário corrigir estes
resultados, referindo-se à concentração de uma
substância com mecanismo de excreção renal
semelhante ao composto de interesse e cuja eliminação
valores-limite Biológica (VLB®)

razoavelmente constante mente é mantida ao longo do


tempo.
resulta, por vezes, indica- dores referem-se a
concentração de creatinina (cia substancial é eliminado
por filtração glomerular, e a maioria dos contaminantes
e dos seus metabolitos) medidos na mesma amostra,
sendo os resultados expressos em peso indicador por
unidade de peso de creatinina. Quando estes são
excretados por um outro mecanismo, tal como difusão
tubular renal, esta correcção não é realizada, sendo os
resultados expressos directamente em termos de
concentração.
As amostras de urina muito diluídas (densidade
<1,010 g / ml ou de creatinina <0,3 g / l) e altamente
concentrada (densidade de> 1,030 g / ml ou de
creatinina> 3,0 g / l) são rejeitadas e deve ser repetida
em nestes casos, a tomada de tra mues-.
Em relação aos indicadores biológicos medidos no
sangue, enquanto que indicado de outra forma, deve ser
entendido que a amostra deve ser recolhida no sangue
venoso.

10.2. interpretação de os resultados dos indicadores


biológicos (IB)
128
Quando a medida, um trabalhador de um indicador biológico
particular excede o correspondente não VLB®
deve ser inferida, sem uma análise mais aprofundada,
esse trabalhador é submetido a uma exposição excessiva
como o indivíduo di-, ências biológicas ou
comportamentais, tanto fora como dentro do local de
trabalho, são tes fuen- inconsistência entre os resultados
de monitoramento ambiental e controle biológico.
De qualquer forma, mesmo no caso de superação
base hoc, você deve lançar um gação investi- a fim de
encontrar uma explicação vel plau- para este facto e agir
em conformidade, ou, na sua falta, descarta fatores
causais ligados a desempenho no trabalho. Entretan- a
uma conclusão sobre o assunto sem prejuízo para
estabelecer disposições específicas, medidas de riso
deve- para reduzir a exposição do bajador afetada TRA
é atingido.
Além de esta consideração individual dos resultados,
agrupando os dados correspondentes tes trabalhadores
de um grupo homogêneo resposta Pecto para a
exposição permitirá obter informações sobre o grau de

valores-limite Biológica (VLB®)


eficácia das medidas tomadas proteção e prevenção.

129
11. LISTA DE VALORES-LIMITE BIOLÓGICOS

A seguir a lista de valores limite biológicos para


produtos químicos, identificados pelos seus números
CAS e CE, coluna FLAG especificando a matriz
biológica, em que o agente químico, os seus metabolitos
ou parâme- tros bioquímicos incluído é determinado
que ela pode ser alterada devido à exposição a
xenobióticos. No tempo de amostragem coluna indica
quando a colher a amostra no que diz respeito à
exposição. Indicações de que a coluna, que irá ser
objecto de outras cisões pré- em notas tem que
entender- se no contexto de uma semana de trabalho
padrão constituído por cinco dias de trabalho, com oito
horas cada dia, e dois dias consecutivos de descanso.
Adaptações a diferentes padrões temporais de trabalho,
por exemplo para os trabalhadores por turnos, o tempo
de amostragem eo próprio valor VLB®, como
Lista de valores-limite biológico

observado na seção anterior serão dados fazê-


farmacodinâmicas e farmacocinéticas námicos química
particular que está sendo considerado. O tempo de
amostragem indicados deve ser estritamente observado,
uma vez que a distribuição e eliminação de um agente
químico ou os seus metabolitos e as alterações
bioquímicas induzidas por exposição, são processos
dependentes do tempo.
Os valores VLB® apenas se aplicam se a
amostragem é realizada no tempo especificado. Nos
últimos NOTAS coluna, através das letras
correspondentes são dadas as observações necessárias
de informação adicional.
Ele foi incluído na Tabela 3, entre parênteses, o ano
de constituição ou atualização bio- limite lógico, a partir
de 2007.

130
TABELA 3 - VALORES-LIMITE BIOLÓGICOS (VLB®)

AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)


No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

203-839-2 111-15-9 acetato de 2-etoxietilo (2013) 2-ácido etoxiacético 50 mg / l No fim da semana 226-360FD-332
urina trabalhar (1) 312-302
203-772-9 110-49-6 acetato de 2-metoxietilo (2012) ácido metoxiacético 8 mg / g de No fim da semana 360FD-332
em urina creatinina de trabalho (1) 312-302
depois de pelo
menos
2 semanas de
trabalho
200-662-2 67-64-1 acetona Acetona na urina 50 mg / l Fim do dia Eu 225-319-336
trabalhar (2) EUH066
200-539-3 62-53-3 Anilina (2017) p-aminofenol em 50 mg / l Fim do dia I, S, F, Com 351-341-331-311
urina trabalhar (2) Hidrólise (9) 301-372-318-317
Anilina na urina 0,5 mg / l Fim do dia com 400
trabalhar (2) Hidrólise (9)
231-148-6 7440-38-2 arsénio elementar e compostos arsénio inorgânico 35 ug como / l Final da semana F 331-301
inorgânicos solúveis mais metabolitos de trabalho 400-410
metilado na urina (1)
131

Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)


132
Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)

AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)


No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

ácido 0,045 mg / Fim da


S- g de jornada de 225-350
200-753-7 71-43-2 Benzeno (2017) phenylmercapturic creatinina trabalho (2) 340-372
urina 304-319-315
ácido t, t-mucónico 2 mg / l Fim do dia
urina trabalhar (2)
1,2
Dihidroxibutilmer- 2,5 mg / l Fim da jornada de S, F
urina capturic trabalho (2)
203-450-8 106-99-0 Butadieno 1,3 (2011) Mistura de 1-N e 220-350-340
2-N-
(hidroxibutenil) 2,5 pmol / g Hb pouco exigente S
adutos de valina de
hemoglobina (Hb)
sangue
203-905-0 111-76-2 2-Butoxietanol (2011) ácido butoxyacetic 200 mg / g de Fim do dia com 332-312-302
urina creatinina trabalhar (2) hidrólise (9) 319-315
AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)
No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

231-152-8 7440-43-9 Os compostos de cádmio Cádmio na urina 2 ug / g de Noncritical (3) F


inorgânico (2017) creatinina
cádmio no sangue 5 ug / l Noncritical (3) F
1,2-ciclo-hexanodiol 80 mg / l No fim da semana I, I S Com
203-631-1 108-94-1 ciclohexanona urina trabalhar (1) Hidrólise (9) 226-332
cyclohexanol 8 mg / l Fim do dia I, I S Com
urina trabalhar (2) Hidrólise (9)
Cobalto na urina 15 ug / l No fim da semana F
231-158-0 7440-48-4 óxidos de cobalto e trabalhar (1) 334-317
compostos inorgânicos, Cobalto no sangue 1 ug / l No fim da semana F, S 413
excepto trabalhar (1)
cromo total 10 ug / l Início e fim de
Crómio (Vl), solúvel em água urina horas de trabalho 350i-317
fumos (2008) (4) 400-410
cromo total 25 ug / l No fim da semana
urina trabalhar (1)
200-838-9 75-09-2 Diclorometano (2008) diclorometano 0,3 mg / l Fim do dia S 351
urina trabalhar (2)
133

Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)


134
Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)

AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)


No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

204-826-4 127-19-5 N, N-dimetilacetamida N-metilacetamida 30 mg / g No fim da semana 360D-332-312


urina creatinina trabalhar (1)
N-metilformamida 15 mg / l Fim do dia
urina trabalhar (2) 360D-332
200-679-5 68-12-2 N, N-Dimetilformamida N-acetil-S- 40 mg / l princípio o último S 312-319
(N-metilcarbamoil) dia do
cisteína na urina semana de trabalho
(5)
200-843-6 75-15-0 dissulfeto de carbono (2012) 2-Tiotiazolidín- 4- 1,5 mg / Fim da jornada de 225-361fd
carboxílico g de trabalho (2) 372-319-315
(TTCA) na urina creatinina
ácido 400 mg / Fim da
Phenylglyoxylic g de jornada de Eu 226-361d-
202-851-5 100-42-5 estireno ácido mandélico creatinina trabalho (2) Number 332
mais 372-319-315
urina
estireno em Final do
sangue venoso 0,2 mg / l horas de trabalho S
(2)
AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)
No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

Resumindo ácido
mandélico e ácido 700 mg / Final da
202-849-4 100-41-4 Etilbenzeno (2011) phenylglyoxylic g de semana de R, S 225-332-373-304
urina creatinina trabalho (1)
203-804-1 110-80-5 2-etoxietanol (2013) 2- 50 mg / l No fim da semana 226-360FD
etoxiacético urina trabalhar (1) 331-302
203-632-7 108-95-2 Fenol (2013) Fenol na urina 120 mg / g Final do F, I, 341-331-311
creatinina horas de trabalho Hidrólise (9) 301-373-314
(2)
231-954-8 7782-41-4 Flúor (2016) Fluoretos na urina 2 mg / l Antes do dia
Trabalho (6) F, R 270-330-314
Fluoretos na urina 3 mg / l Fim do dia
trabalhar (2)
Fluoretos na urina 2 mg / l Antes do dia
231-634-8 7664-39-3 fluoreto de hidrogénio (2016) Trabalho (6) F, R 330-310-300-314
Fluoretos na urina 3 mg / l Fim do dia
trabalhar (2)
135

Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)


136
Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)

AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)


No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

Fluoretos na urina 2 mg / l Antes do dia


fluoretos inorgânicos (2016) Trabalho (6) F, R
Fluoretos na urina 3 mg / l Fim do dia
trabalhar (2)
202-627-7 01/01/98 2-furaldeído (2011) ácido furóico 200 mg / l Fim do dia I, 351-331-301-312
urina trabalhar (2) Hidrólise (9) 319-335-315
203-777-6 110-54-3 n-hexano (2014) hexanodiona 2,5- 0,2 mg / l No fim da semana sem 225-361f-304
urina trabalhar (1) hidrólise (8) 373-315-336-411
Indutores de metahemoglobina Metemoglobina 1,5% metahemo- Fim da jornada de F, I, S
no sangue globina de trabalho (2)
hemoglobina total
200-661-7 67-63-0 Isopropanol (2011) Acetona na urina 40 mg / l No fim da semana F, R 225-319-336
trabalhar (1)
mercúrio inorgânico 30 ug / g de Antes do dia F, F
231-106-7 7439-97-6 mercúrio elementar e compostos total de urina creatinina Trabalho (6)
inorgânicos (2013) mercúrio inorgânico 10 ug / l No fim da semana F, F
total de sangue trabalhar (1)
AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)
No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

200-659-6 67-56-1 metanol Metanol na urina 15 mg / l Fim do dia F, R 225-331-311-301


trabalhar (2) 370
209-731-1 591-78-6 cetona metil-n-butilo (2008) hexanodiona 2,5- 0,4 mg / l No fim da semana sem 226-361f
urina trabalhar (1) hidrólise (8) 372-336
201-159-0 78-93-3 metiletilcetona metiletilcetona 2 mg / l Fim do dia 225-319
urina trabalhar (2) 336
203-550-1 108-10-1 metil-isobutil-cetona (2013) metilisobutilcetona 1 mg / l Fim do dia 225-332-319-335
urina trabalhar (2)
2-hidroxi-N- 20 mg / g Antes do dia
urina creatinina Trabalho (6)
212-828-1 872-50-4 N-metil-2-pirrolidona (2015) metilsuccinimida 360D-319-335-315
5-hidroxi-N-metil-2- 70 mg / g de Entre 2 e 4 horas
pirrolidona na urina creatinina depois de
terminada a
exposição
ácido 8 mg / g No fim da semana 226-360FD-
203-713-7 109-86-4 2-metoxietanol (2012) metoxiacético creatinina de trabalho (1) após Number 332
urina pelo menos 2 312-302
semanas de trabalho
137

Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)


138
Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)

AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)


No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

carboxihemoglobina 3,5% em Fim da jornada de F, R


no sangue carboxihemoglo trabalho (2)
211-128-3 630-08-0 Monóxido de carbono bina moglobina 220
hemoglobina total 360D-331-372
CO no ar alveolar 20 ppm Fim da jornada de F, R
(Fracção final trabalho (2)
ar exalado)
Total p-nitrofenol 5 mg / g de No fim da semana Eu
urina creatinina trabalhar (1) 351-360F-301
202-716-0 98-95-3 nitrobenzeno Metemoglobina 1,5% em hemo- Fim da jornada de F, I, S 331-311-372-412
no sangue globina metahemo- trabalho (2)
globina total
Total p-nitrofenol 0,5 mg / g Fim do dia Eu
urina creatinina trabalhar (2)
200-271-7 56-38-2 parathion acetilcolinesterase redução actividade a Discricionários F, I, S 330-300
eritrócitos 70% de (7) 311-372
de base individual
AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)
No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

Pentaclorofenol 2 mg / g de Começando do F
total de urina creatinina último dia 351-330-311-301
201-778-6 87-86-5 pentaclorofenol a semana de 319-335-315-400
trabalho (5) 410
pentaclorofenol 5 mg / l Final do F
plasmática livre horas de trabalho
(2)
215-239-8 1314-62-1 O pentóxido de vanádio Vanádio na urina 50 ug / g de Final do S 341-361d-372
creatinina semana de trabalho 332-302-335-411
(1)
percloroetileno 3 ppm princípio
ar alveolar (fracção último dia da
final do ar exalado) semana de trabalho
(5)
204-825-9 127-18-4 Percloroetileno (2018) percloroetileno 0,4 mg / l princípio 351-411
sangue último dia da
semana de
trabalho (5)
inibindo pesticidas acetilcolinesterase redução Discricionários F, I, S
acetilcolinesterase eritrocitaria atividade 70% da (7)
linha de base
Tabela 3 - Valores limite biológico individuais
(VLB®)
atualizar
140
Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)

AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)


No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

231-100-4 7439-92-1 O chumbo e seus compostos iónicos chumbo no 70 mg / dl Noncritical (3) k


sangue
203-726-8 109-99-9 Tetrahidrofurano (2011) tetrahidrofurano 2 mg / l Fim do dia 225-319-335-351
urina trabalhar (2)
o-cresol na urina 0,6 mg / g de Final do F
creatinina
horas de trabalho
(2)
203-625-9 108-88-3 Tolueno (2018) 225-361d-304
sangue tolueno 0,05 mg / l Começando
373-315-336
do último dia
da semana
Trabalho (5)
Tolueno na urina 0,08 mg / l Fim do dia
trabalhar (2)
atualizar
AGENTE QUÍMICO indicador LIMITE DE amostragem Perigo (H)
No. CE CAS (Ano de constituição ou biológico (IB) VALORES de tempo NOTAS
atualização) VLB®

ácido Final da semana


tricloroacético 15 mg / l de trabalho Eu 350-341
201-167-4 79-01-6 Tricloroetileno (2011) urina (1) 319-315
tricloroetanol 0,5 mg / l Final do I, sem 336-412
sangue semana de trabalho hidrólise
(1)
215-535-7 1330-20-7 Xilenos (2014) ácidos Fim da 226-332
metilhipúricos 1 g / g de creatinina jornada de 312-315
urina trabalho (2)
141

Tabela 3 - Valores limite biológico (VLB®)


12. VALORES-LIMITE BIOLÓGICOS
COM ENTRADA EM VIGOR NA
OS PRÓXIMOS ANOS

Os seguintes agentes químicos da tabela que foram


estabelecidos valores-limite bio-gicos com entrada em
vigor nos próximos anos aparecem. Estes valores foram
aprovados pelo NBOSH e, por conseguinte, tomar
automaticamente efeito na data indicada em cada caso.
valores-limite biológica com entrada em vigor nos próximos anos

142
TABELA 4 - Valores-limite biológico com entrada em vigor, PRÓXIMOS ANOS

Indicador TEMPO DATA


VALORES-LIMITE
No. CE CAS AGENTE QUÍMICO biológico (IB) AMOSTRA NOTAS ENTRAD
VLB® GEM A EM
VIGOR

Não há valores-limite biológicos entrou em vigor nos próximos anos.


143

Tabela 4 - valores-limite biológicos entrou em vigor nos próximos anos


144
NOTAS Tabelas 3 e 4

(1) Isso significa que depois de quatro ou cinco dias consecutivos de exposição durante o trabalho o mais cedo possível após o fim da
última jor-
nada, como indicadores biológicos Eles são removidos com meias-vidas superiores a cinco Estes indicadores acumulam
horas.
no corpo durante a semana de trabalho, portanto, o tempo de amostragem é crítica relaciona exposições anteriores.
mento

(2) Quando o final da exposição não coincide com o final do dia de trabalho, a amostra será tomada o mais rapidamente possível após
a exposição real cessa.

(3) Indicadores com tempo de amostragem não crítico com meias-vidas de eliminação muito Elas se acumulam nos
longa, organismos
mo durante anos, alguns para a vida. Depois de alcançar estado de equilíbrio que depende de cada indicador biológico
(Semanas, meses) amostragem destes pode ser feito a qualquer momento. É essencial consultar a documentação específica.

(4) Valor refere-se à diferença entre os resultados de amostras colhidas no final e no início do dia de trabalho.

(5) Isso significa que antes do início do quinto dia de exposição.


Notas aos Quadros 3 e 4
146
Notas aos Quadros 3 e 4

(6) Isso significa que 16 horas após a interrupção da exposição.

(7) O tempo de amostragem não é crítico desde que a inibição da actividade da acetilcolinesterase é bastante resultados rápidos
enquanto a recuperação é um processo muito lento.

(8) 2,5-hexanodiona significa livre, isto é, não conjugada. Esta substância é um metabolito de n-hexano e cetona metil-n-butilo.

(9) Isso significa que o metabolito deve ser determinada após a hidrólise da amostra.

F Background. O indicador está geralmente presente em quantidades detectáveis em pessoas ocupacional não expostas. estes níveis
fundo são considerado no valor VLB®.

Eu meios o indicador biológico é inespecífica, uma vez que pode ser encontrada após a exposição a outros produtos químicos.

k Veja o Real Decreto 374/2001, de 6 de Abril (BOE n.º 104 de 01 de maio de 2001) sobre a protecção da saúde e segurança
trabalhadores contra os riscos ligados a agentes químicos no trabalho.
M O consumo de peixe, especialmente grandes espécies normalmente localizados no final dos moluscos bivalves cadeia alimentar e
frutos do mar, pode aumentar significativamente os níveis sanguíneos de mercúrio, como o catião monometilmer- cúrio, e, em muito
pequena proporção (menos do que 10% do total), os níveis na urina.
Desde VLB® definido para o mercúrio inorgânico total, deve notar-se este facto se o método analítico determina mercúrio total, quer
inorgânico ou orgânico.

S Isso significa que o indicador biológico é um indicador da exposição ao produto em questão, mas a interpretação quantitativa
Ele vai a sua medida é ambígua (semi-quantitativo). Estes indicadores biológicos devem ser utilizados como teste de triagem
(screening), quando você não pode executar um teste quantitativo ou usado como teste confirmatório se o teste quantitativo não é
específica ea origem do determinante é duvidosa.
147

Notas aos Quadros 3 e 4


148
13. QUÍMICA EM
STUDIO

No site da INSSBT a lista de produtos químicos que


estão sendo estudadas publicada:

• Modificar ou actualizar o seu valor limite de corrente


• Propor um novo valor-limite de um agente que não
existia anteriormente no documento

Durante o tempo em que o agente permanece nesta


lista são comentários e sugestões de boas-vindas a
respeito da modificação ou incorporação. Tais
comentários, se necessário por causa de sua za na- deve
ser acompanhado de informações sobre suporte e
enviado para o Grupo de Trabalho para a fundação
estabelecida e atualização de valores limite de exposição

produtos químicos estudo


profissional de agentes químicos na Espanha para
seguinte endereço electrónico:

gtlep.valoreslimite@inssbt.meyss.es

A lista pode ser encontrada em:

http://www.insht.es

149
14. MÉTODOS DE AMOSTRAGEM
E ANÁLISE

Real Decreto 374/2001, relativo à protecção da


saúde e segurança dos trabalhadores contra os Ries gos
relacionados a agentes químicos no baixo TRA,
enunciados no parágrafo 5 do Artigo 3 que "a avaliação
de riscos de exposição por inalação a um agente
químico perigoso deve incluir a medição das
concentrações do agente no ar, na respiração trabalhador
e posterior comparação com o valor limite ambiental
corres- ponda".
Também é mencionado que os processos de medição
utilizados são estabelecidos de acordo com as regras
específicas que podem ser aplicadas, nomeadamente no
que respeita aos requisitos aplicáveis à medição
Métodos de amostragem e análise

requisitos instrumentos, e que em qualquer caso


validados métodos Dois fornecem resultados para ser
usado grau de confiabilidade necessária.
A este respeito, os UNE-EN 482: 2012 "Requisitos
gerais para procedimentos de medição" indica que as
medidas que visam a comparação com os valores limite
de exposição profissional são aqueles que fornecem
informações precisas e confiáveis sobre a concentração
média ponderada em vez de um agente químico
específico no ar que pode ser inalado ou permitir
predição. Resaltables os requisitos deste padrão,
métodos exequíveis de amostragem e análise para tais
determinações encontram-se resumidas no seguinte:
gama de medição -o do método incluir, em todos
os casos, o correspondente valor limite ambiental
(VLA). No caso dos valores limite de exposição
diária (VLA-ED®) Extender- deve ser de pelo
menos 0,1 VLA-ED® 2 VLA-ED®. Tal como
para os valores limite de curta duração (VLA-
EC®), o intervalo de medição estende-se, pelo
menos, 0,5 VLA-EC® 2 VLA-EC®.
-O tempo de amostragem deve ser igual ou
inferior ao período do valor limite, como por
150 aqueles métodos cujos resultados tie-

150
comparação objecto nen com valores limite.
-A incerteza expandida (calculado de acordo com
os critérios "ISO-GUM" descritos na ENV 13005:
1999 "Guia para a expressão da incerteza de
mensuração") deve estar dentro dos limites
especificados na norma UNE-EN 482: 2012 "a
incerteza expandida devem ser ≤ 30% (≤ 50% no
caso de misturas de partículas em suspensão no ar
e vapor) para a gama de 0,5 a 2 ED® VLA-VLA-
ED® e ≤ 50% para o intervalo de 0,1 a 0,5 ED®
VLA-VLA-ED® "no caso dos valores limite de
exposição diária. No caso dos valores limite de
curta duração "a incerteza expandida devem ser ≤
50% para os 0,5 intervalos de VLA-EC® 2 VLA-
EC®".
Além disso, a UNE-EN 482 indica que o método
deve atender, em, normas europeias específicas gerais
desenvolvidos pela Comissão Técnica 137 da CEN
(Comité Europeu de Normalização) "Avaliação da

Métodos de amostragem e análise


exposição no local de trabalho" na os requi-
procedimentos exequíveis e equipamento de medição
utilizado nos pontos de amostragem e análise. Todas
estas normas foram adotadas como normas espanholas:
-Em todos esses métodos usando sistemas de
amostragem activa, bombas de amostragem sonal
per- devem cumprir com as disposições da norma
UNE-EN 1232 e no caso de um fluxo mais
elevado bombas de 5 l / min, as disposições da
norma UNE-EN 12919.
-os métodos para a determinação de gases e
vapores na atmosfera de Cum- trabalhar bem
plirán UNE-EN 1076, se utilizado tubos
adsorventes, ou UNE-EN 838, se usado treadores
mues- difusão passiva.
-os métodos para determinar os agentes químicos
presentes na atmosfera como partículas em
suspensão e exigindo tamanhos selectores para
amostragem ter em conta a UNE mais normal EN
481 e EN 13205.
procedimentos -As para determinar metais e
metalóides deve também cumprir com os
requisitos da norma UNE-EN 13890.
É de grande importância na escolha de um método,
que considerações são levadas em conta 151
151
exposta. A descrição dos métodos de amostragem e
análise seleccionados deve conter todas as informações
necessárias para executar o procedi- mento, o que indica
expressamente o intervalo de medição, os limites de
detecção e quantificação das interferências e
informações relativas às condições ambientais que
poderiam influenciar ou outra adição de incerteza
expandida alcançável.
Além disso, métodos para realizar a exposição trol
con- biológica de agentes químicos, por determinação
contaminantes, metabolitos ou outro indicador biológico
directamente ou indirectamente relacionadas com a
exposição do trabalhador aos contaminantes em questão
são governados por semelhante aos estabelecidos para a
determinação de contaminantes em princípios de ar,
embora este campo não é tão lado regulamentado.
Em qualquer caso, recomendamos a utilização de
métodos de empresas recomendam e publicado por
instituições reputação conhecida neste campo e que têm
Métodos de amostragem e análise

pro- gramas padronização e validação, especialmente os


protocolos de validação publicados que recolhem as
suas necessidades e métodos, juntamente com métodos
de tornar públicos os resultados de validação.
Como resultado do "mandato" da Comissão
Europeia ao Comité Europeu de Normalização (CEN),
em conformidade com as disposições da Directiva 98/24
/ CE, de "agentes químicos", sobre a necessidade de
métodos padronizados para a medição e avaliação de
concentrações no ar nos res luga- trabalho em relação
aos limites de exposição ocupacional, desenvolveu o BC
/ CEN / ENTR / 000 / 2002-16 projecto - Métodos
analíticos de agentes químicos.
Como um resultado deste projecto, não existe
actualmente uma guia de não-ligação a já contém uma
variedade de métodos de amostragem e análise análogo
ao cumprir totalmente ou parcialmente com os
requisitos da norma europeia EN 482. Estes métodos,
correspondendo a 126 substâncias atribuída prioridade
para o momento, mas a lista continua a ser aberta, foram
seleccionados de acordo com o grau de conformidade
com esta norma, incluindo procedimentos são
encontrados publicada por instituições dedicados a estes

152
fins de avaliação e que é recolhido posteriormente.
Informações sobre esses métodos ea metodologia
utilizada no projeto é no endereço Internet:
http://www.dguv.de/ifa/GESTIS/GESTIS-Analysen-
Verfahren-fur chemische-Stoffe- / índice de 2.jsp

Instituições que publicam métodos de amostragem e


análise

Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e


Bem-Estar no Trabalho (INSSBT)
Métodos de Amostragem e Análise (em
textos completos em espanhol e inglês)
http://www.insht.es

Health and Safety Executive (HSE)


Os métodos para a determinação de substâncias
perigosas

Métodos de amostragem e análise


(Lista de métodos disponíveis em papel, em Inglês)
http://www.hsl.gov.uk/resources/publications/mdhs

Institut National de Recherche et de Sécurité (INRS)


Metrologie des poluentes
(Texto completo em francês e Inglês)
http://www.inrs.fr

Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG) As


análises de substâncias perigosas no ar (lista
de livros disponíveis em Inglês e Alemão)

153
ANEXO A: TABELA DE PRODUTOS
QUÍMICOS ordenados pela CAS

50-00-0Formaldehído
50-29-3DDT
50-78-2Ácido acetilsalicílico
52-68-6Triclorfón
54-11-5Nicotina
55-38-9Fentión
55-63-0Nitroglicerina
56-38-2Paratión carbono 56-23-
5Tetracloruro
56-72-4Cumafós
56-81-5Glicerina, névoas
57-14-7N, N-dimetil-hidrazina
57-24-9Estricnina
57-50-1Sacarosa
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

57-57-8beta-propiolactona
57-74-9Clordano
58-89-9Lindano
60-29-7Etiléter
60-34-4Metilhidracina
60-57-1Dieldrín
61-82-53-amino-1,2,4-triazole
62-53-3Anilina
62-73-7Diclorvós
62-74-8Fluoroacetato sódio 63-25-
2Carbaril
64-17-5Etanol
64-18-6Ácido fórmico
64-19-7Ácido acético
67-56-1Metanol
67-63-0Isopropanol
67-64-1Acetona
67-66-3Triclorometano
67-72-1Hexacloroetano
68-11-1Ácido tioglicólico
68-12-2N, N-Dimetilformamida
71-23-8n-Propanol
71-36-3n-Butanol
71-43-2Benceno
71-55-61,1,1-Tricloroetano
154
72-20-8 endrina
72-43-5Metoxicloro
74-82-8Metano
74-83-9Bromuro metil 74-84-
0Etano
74-85-1Etileno
74-86-2Acetileno
74-87-3 Metil cloreto 74-88-4
74-89-5 metil iodeto
metilamina
74-90-8Cianuro hidrogénio 74-93-
1Metilmercaptano
74-96-4Bromuro 74-97-
5Bromoclorometano acetato

74-98-6Propano
74-99-7Metilacetileno
acetato de vinilo 75-00-
3Cloruro 75-01-4Cloruro 75-
04-7Etilamina

75-05-8Acetonitrilo
75-07-0Acetaldehído
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS
75-08-1Etilmercaptano
75-09-2Cloruro metileno 75-12-
7Formamida
75-15-0Disulfuro carbono 75-18-
3Sulfuro de dimetil 75-21-8Óxido
etileno
75-25-2Tribromometano
75-31-0Isopropilamina
75-34-31,1-Dicloroetano
75-35-4Cloruro vinilideno 75-38-
7Fluoruro vinilideno carbonil 75-43-
4Diclorofluorometano 75-44-
5Cloruro 75-45-
6Clorodifluorometano

75-47-8 yodoformo
75-50-3Trimetilamina
75-52-5Nitrometano
75-55-8Propilenimina
75-56-9Óxido de propileno
75-61-6Difluorodibromometano
75-63-8Trifluorobromometano
75-65-0terc-Butanol 155
75-68-31-cloro-1,1-difluoroetano
75-69-4Triclorofluorometano
75-71-8Diclorodifluorometano
75-72-9Clorotrifluorometano
75-74-1Plomo I tetrametil
75-86-52-Ciano-2-propanol
75-99-0Ácido 2,2-dicloropropiónico
76-03-9Ácido tricloroacético
76-06-2Tricloronitrometano
76-11-91,1,1,2-tetracloro-2,2-difluoroetano
76-12-01,1,2,2-tetracloro-1,2-difluoroetano
76-13-11,1,2-tricloro-1,2,2-trifluoroetano
76-14-2Diclorotetrafluoroetano
76-15-3Cloropentafluoroetano
76-22-2Alcanfor sintético
76-44-8Heptacloro
77-47-4Hexaclorociclopentadieno
77-73-6Diciclopentadieno 77-78-
1Sulfato dimetil 78-00-2Plomo

tetraethyl
78-10-4Silicato de etilo
78-30-8Fosfato triorthocresyl 78-34-
2Dioxatión
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

78-59-1Isoforona
78-78-4Isopentano
78-83-1Isobutanol
78-87-51,2-Dicloropropano
78-89-72-Cloro-1-propanol
78-92-2sec-Butanol
78-93-3Metiletilcetona
vinil cetona 78-94-4Metil
78-95-5Cloroacetona
79-00-51,1,2-Tricloroetano
79-01-6Tricloroetileno
Cloroacetil 79-04-9Cloruro 79-06-
1Acrilamida
79-09-4Ácido propiónico
79-10-7Ácido acrílico
79-11-8Ácido cloroacético 79-
20-9Acetato metil 79-24-
3Nitroetano
79-27-61,1,2,2-tetrabromoetano
79-34-51,1,2,2-Tetracloroetano
79-41-4Ácido metacrílico
79-46-92 79-44-7Cloruro dimetilcarbamoil-
nitropropano
156 80-05-7Bisfenol A
80-56-8alfa-pineno
80-62-6 metilmetacrilato
81-81-2 varfarina
82-68-8 pentacloronitrobenzeno
83-26-1 pindona
83-79-4 rotenona
84-66-2 dietilftalato
84-74-2 Dibutilftalato
85-42-7 anidrido hexa-hidroftálico
85-44-9 anidrido ftálico
86-50-0 metil azinfos
86-88-4 ANTU
87-68-3 hexaclorobutadieno
87-86-5 pentaclorofenol
88-72-2 2-nitrotolueno
88-89-1 2,4,6-trinitrofenol
89-72-5 o-sec-butilfenol
90-04-0 o-anisidina
91-08-7 diisocianato de 2,6-tolueno
91-20-3 naftalina
92-52-4 bifenil

Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS


92-84-2 fenotiazina
93-76-5 2,4,5-T
94-36-0 O peróxido de benzoíla
94-75-7 2,4-D
95-13-6 indeno
95-47-6 o-Xileno
95-49-8 o-Chlorotoluene
95-50-1 o-diclorobenzeno
95-53-4 o-toluidina
95-54-5 o-fenilenodiamina
95-63-6 1,2,4-trimetilbenzeno
96-18-4 1,2,3-tricloropropano
96-22-0 3-pentanona
96-33-3 acrilato de metilo
96-69-5 4,4'-tiobis (6-terc-butil-m-cresol)
97-77-8 disulfiram
98-00-0 álcool furfurílico
01/01/98 2-furaldeído
98-51-1 p-terc-butiltolueno
98-82-8 cumeno
98-83-9 alfametilestireno
98-86-2 acetofenona
98-88-4 O cloreto de benzoilo
98-95-3 nitrobenzeno
01/08/99 3-nitrotolueno
99-65-01,3-dinitrobenzeno
99-99-04-nitrotolueno
100-00-5p-cloronitrobenzeno
100-01-6p-nitroanilina
100-21-0Ácido tereftálico
100-25-41,4-dinitrobenzeno
100-37-82-Dietilaminoetanol
100-40-34-vinilciclohexeno
100-41-4Etilbenceno
100-42-5Estireno
100-44-7Cloruro 100-61-8N
benzil-metilanilina

100-63-0Fenilhidracina
100-74-3N-Etilmorfolina
101-14-44,4'-metilenobis (2-cloroanilina)
(MBOCA)
101-68-8Diisocianato 101-77-94,4' 4,4'-
difenilmetano-metilenodianilina
101-84-8Feniléter, vapor
102-54-5Hierro: I diciclopentadienilo
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

102-71-6Trietanolamina
102-81-82-N-fenil dibutilaminoetanol
103-71-9Isocianato 104-76-72-
etilhexanol
104-94-9p-Anisidina
105-60-2Caprolactama 105-46-
4Acetato sec-butil

106-35-4Etilbutilcetona
106-42-3p xileno
106-46-7p-Diclorobenzeno
106-49-0p-Toluidina
106-50-3p-fenilenodiamina
106-51-4p-benzoquinona
106-87-61-epoxyethyl-3,4-epoxycyclohexane
106-89-81-cloro-2,3-epoxipropano
106-92-3Alilglicidiléter
106-93-41,2-dibromoetano
106-94-51-bromopropano
106-97-8Butano
106-99-01,3-butadieno
107-02-8Acroleína
107-05-1Cloruro 107-06-21,2
158 alil-Dicloroetano
107-07-32-cloroetanol de 107-
13-1Cianuro vinil
107-15-31,2-diaminoetano
107-18-6Alcohol alilo
107-19-7Prop-2-in-1-ol
107-20-0Cloroacetaldehído
107-21-1Etilenglicol
107-22-2Glioxal
107-31-3Formiato metil 107-41-
5Hexilenglicol
107-49-3TEPP
Dibutil 107-66-4Fosfato 107-87-
9Metilpropilcetona

107-98-21-Metoxi-2-ol
108-03-21-nitropropano 108-05-
4Acetato vinil 108-10-1

metilisobutilcetona
108-11-24-metil-2-pentanol
108-18-9Diisopropilamina
108-20-3Isopropiléter
108-21-4Acetato isopropilo 108-22-
5Acetato isopropenilo 108-24-
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS
7Anhídrido acético
108-31-6Anhídrido maleico
108-38-3m xileno
108-44-1m-Toluidina
108-45-2m-fenilenodiamina
108-46-3Resorcinol
108-65-6Acetato 1-metil-2-metoxietil-
trimetilbenzeno 108-67-81,3,5
108-83-8Diisobutilcetona
108-84-9Acetato sec-hexilo 108-
87-2Metilciclohexano

108-88-3Tolueno
108-90-7Clorobenceno
108-91-8Ciclohexilamina
108-93-0Ciclohexanol
108-94-1Ciclohexanona
108-95-2Fenol
108-98-5Fenilmercaptano
109-59-12-isopropoxietanol 109-
60-4Acetato n-propilo 109-66-0n-
Pentano
mercaptano 109-79-5n-butil 159
109-86-42-metoxietanol
109-87-5Metilal
109-89-7Dietilamina
109-94-4Formiato 109-99-
9Tetrahidrofurano acetato

110-12-3Metilisoamilcetona 110-
19-0Acetato 110-43-0Metil
cetona de isobutilo de n-amilo

110-49-6Acetato 2-metoxietil 110-54-


3n-Hexano
110-62-3Aldehído n-valérico
110-65-62-Butino-1,4-diol
110-80-52-etoxietanol
110-82-7Ciclohexano
110-83-8Ciclohexeno
110-85-0Piperacina
110-86-1Piridina
110-91-8Morfolina
111-15-9Acetato 2-etoxietil 111-30-
8Glutaraldehído
111-40-0Dietilentriamina
111-42-2Dietanolamina
111-44-4bis (2-cloroetil) -éter
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

111-65-9n-octano
111-69-3Adiponitrilo
111-76-22-butoxietanol
111-77-32- (2-metoxietoxi) etanol
111-84-2n-nonano
112-07-2Acetato de 2-butoxietilo 112-
34-52- (2-butoxietoxi)
etanol
112-55-0Dodecil mercaptano
114-26-1Propoxur
115-07-1Propileno
115-10-6Metiléter
115-29-7Endosulfán
115-77-5Pentaeritritol
115-86-6Fosfato trifenil 115-90-
2Fensulfotión
116-14-3Tetrafluoroetileno
117-81-7Ftalato de di-2-etil-hexilo
118-52-51,3-Dicloro-5,5-dimetil-hidantoína
118-74-1Hexaclorobenceno
118-96-72,4,6-trinitrotolueno
120-80-9Pirocatecol
160 120-82-11,2,4-triclorobenzeno
121-44-8Trietilamina
121-69-7 Trimethyl 121-45-
9Fosfito N, N-
dimetilanilina
121-75-5 malathion
121-82-4 RDX
121-91-5 Ácido m-ftálico
122-39-4 difenilamina
122-60-1 glicidilo fenil
123-19-3 Di-n-propil
123-31-9 hidroquinona
123-38-6 propionaldeído
123-42-2 álcool diacetona
123-51-3 álcool isoamílico
123-54-6 2,4-pentanodiona
123-73-9 2-butenal
123-86-4 N-butil acetato
123-91-1 1,4-dioxano
123-92-2 isoamyl Acetate
124-04-9 ácido adípico
124-09-4 1,6-hexanodiamina
124-38-9 Dióxido de carbono
124-40-3 dimetilamina
126-73-8 tributilfosfato

Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS


126-98-7 2-Metil-2-propeno-nitrilo
126-99-8 2-Cloro-1,3-butadieno
127-00-4 1-Cloro-2-propanol
127-18-4 percloroetileno
127-19-5 N, N-dimetilacetamida
127-91-3 beta-pineno
128-37-0 2,6-di-terc-butil-p-cresol
131-11-3 ftalato de dimetilo
133-06-2 captan
136-78-7 Sesona
137-05-3 Dissolveu-se 2-cianoacrilato
137-26-8 Tiram
138-22-7 N-butil lactato
140-11-4 acetato de benzilo
140-88-5 acrilato de etilo
141-32-2 N-butil acrilato
141-43-5 2-aminoetanol
141-66-2 dicrotofos
141-78-6 Acetato de etila
141-79-7 óxido de mesitilo
142-64-3 dicloridrato de piperazina
142-82-5 n-Heptano
143-33-9 cianeto de sódio
144-62-7 ácido oxálico
148-01-6 3,5-dinitro-o-toluamida 161
149-57-5Ácido 2-etil-hexanóico
150-76-54-metoxifenol
151-50-8Cianuro potássio 151-
56-4Etilenimina
151-67-7Halotano
156-62-7Cianamida cálcico
287-92-3Ciclopentano
298-00-0Metil parathion
298-02-2Forato
298-04-4Disulfotón
299-84-3Ronnel
299-86-5Crufomato
300-76-5Naled
302-01-2Hidracina
309-00-2Aldrín
314-40-9Bromacilo
330-54-1Diurón
333-41-5Diazinón
334-88-3Diazometano
353-50-4Fluoruro carbonil 382-21-
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

8Perfluorisobutileno 409-21-
2Carburo de silício
420-04-2Cianamida hidrogénio 431-
03-8Diacetilo
460-19-5Cianógeno
463-51-4Ceteno
463-82-1Neopentano
479-45-8Tetrilo
504-29-02-aminopiridina
506-77-4Cloruro cyanogen 509-14-
8Tetranitrometano

526-73-8 cobalto 513-79-


1Carbonato 1,2,3-
trimetilbenzeno
528-29-01,2-dinitrobenzeno
532-27-42-cloroacetofenona
534-52-14,6-dinitro-o-cresol
540-59-01,2-Dicloroetileno 540-88-
5Acetato terc-butil-541-85-55
Metilheptan-3-ona

542-75-61,3-dicloropropeno
542-88-1bis (clorometil) éter
162 542-92-7Ciclopentadieno
552-30-7Anhídrido trimel�ico
556-52-52,3-epoxi-1-propanol de 558-
13-4Tetrabromuro
carbono
563-12-2 ethion
563-80-4 metil-isopropil-
583-60-8 2-Metilciclo
584-84-9 diisocianato de 2,4-tolueno
591-78-6 Metil cetona n-butil
592-01-8 cianeto de cálcio
592-41-6 1-hexeno
593-60-2 bromoethylene
594-42-3 perclorometilo
594-72-9 1,1-Dicloro-1-nitroetano
598-56-1 N, N-dimetiletilamina
598-78-7 2-cloropropiónico ácido
600-25-9 1-cloro-1-nitropropano
620-11-1 Acetato de 3-pentilo
624-41-9 ácido acético 2-metilbutilo
624-83-9 isocianato de metilo
625-16-1 acetato de terc-amilo
626-17-5 m-Ftalodinitrilo
626-38-0 Sec-amilo acetato
627-13-4 Nitrato de n-propilo

Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS


628-63-7 N-acetato de amilo
628-96-6 Dinitrato de etileno glicol
630-08-0 Monóxido de carbono
637-92-3 Acetato de éter butílico terciário
638-21-1 fenilfosfina
646-06-0 1,3-dioxolano
681-84-5 silicato de metilo
684-16-2 hexafluoroacetone
764-41-0 1,4-dicloro-2-buteno
768-52-5 N-isopropilanilina
822-06-0 1,6-hexametileno
872-50-4 N-metil-2-pirrolidona
919-86-8 S-Metildemetón
944-22-9 Fonofos
999-61-1 acrilato de 2-hidroxipropilo
1024-57-3 heptacloro epóxido
1189-85-1 cromato de terc-butil
1300-73-8 dimetilaminobenzeno
1302-74-5 esmeril
1303-28-2 pentóxido diarsénio
1303-86-2 Boria
1303-96-4 De sódio decahidratado borato
1303-96-4 De sódio decahidratado
tetraborate
1304-56-9 óxido de berílio 163
1304-82-1 telureto de bismuto. não dopado
1304-82-1 telureto de bismuto. selênio dopado
1305-62-0 hidróxido de cálcio
1305-78-8 óxido de cálcio
1306-19-0 óxido de cádmio
1306-23-6 sulfeto de cádmio
1309-37-1 O óxido de ferro (III)
1309-48-4 magnésia
1310-58-3 hidróxido de potássio
1310-73-2 De hidróxido de sódio
1314-13-2 O óxido de zinco
1314-56-3 pentóxido de fósforo
1314-62-1 O pentóxido de vanádio
1314-80-3 fósforo pentasulfide
1319-77-3 Cresol, todos os isómeros
1321-64-8 pentachloronaphthalene
1321-65-9 Tricloronaftaleno
1321-74-0 Divinilbenzeno, todos os isómeros
1327-53-3 trióxido diarsénio
voc cav q é UI IC ordenadoi por su Não.AS

1330-20-7 Xileno isómeros mistura


1330-43-4 borato de sódio, anidro
a C

1332-58-7 caulim
1333-74-0 hidrogênio
1333-82-0 trióxido de cromo
s

1333-86-4 fumaça preta


1335-87-1 Hexacloronaftaleno
M OS

1335-88-2 tetrachloronaphthalene
1338-23-4 Peróxido de metil-etil-cetona
1344-28-1 O óxido de alumínio
ê alhe

1344-95-2 silicato de cálcio (sintético)


iro

1563-66-2 carbofuran
1589-47-5 2-metoxipropanol
A: Índgelo l

1634/04/0 Éter metil butil terciário


4
1910-42-5 dicloreto de paraquat
1912-24-9 atrazina
1918/02/0 picloram
u exo

1
m

1929-82-4 nitrapirina
2039-87-4 o-cloroestireno
2104-64-5 Feniltiofosfonato de O- O-etilo (4-
nitrofenil)
2179-59-1 dissulfeto allylpropyl
2234-13-1 Octacloronaftaleno
2238/05/0 glycidylether
7
2425/06/0 captafol
1
164 2426/08/0 éter de glicidil n-butil
6
2451-62-9 1,3,5-Tris (oxiranilmetil) -1,3,5-triazina
2,4,6 (1H, 3H, 5H) -triona
2528-36-1 fosfato Dibutylphenyl
2551-62-4 hexafluoreto de enxofre
2698-41-1 o-clorobenzilideno malononitrilo
2699-79-8 sulfurilo difluoride
2764-72-9 diquat
2807-30-9 2-propoxietanol
2921-88-2 clorpirifós
2971-90-6 clopidol
3173-72-6 diisocianato de 1,5-naftileno
3333-52-6 Tetrametilsuccinonitrilo
3383-96-8 temephos
3689-24-5 sulfotep
3825-26-1 amónio Perfluoroctanoato
4016-14-2 Isopropilglicidiléter
4098-71-9 3-isocianatometil-3,5,5-
trimeti
4685-14-7 paraquat

Anexo A: Índgel de o gentes químicvoc rdenalv sp ou su CAS


5124-30-1 Metilenobis (4-ciclo-hexil isocianato)

Não
5392-40-5 citral
5714-22-7 pentafluoride enxofre
5989-27-5 D-limoneno
oro
6423-43-4 Propileno glicol dinitrato
6923-22-4 monocrotofós
ê ou

7085-85-0 cianoacrilato
7429-90-5 alumínio
7439-92-1 levar
mi

7439-96-5 manganês
7439-97-6 mercúrio
par e

7439-98-7 molibdênio
7440-01-9 néon
7440-02-0 níquel
o

7440-06-4 platina
7440-16-6 ródio
7440-22-4 prata
7440-28-0 tálio
7440-31-5 estanho
7440-33-7 tungstênio
7440-36-0 antimônio
7440-37-1 argão
7440-38-2 arsenical
7440-39-3 bário
7440-41-7 berílio
7440-43-9 cádmio 165
7440-47-3Cromo
7440-48-4Cobalto
7440-50-8Cobre
7440-58-6Hafnio
7440-59-7Helio
7440-61-1Uranio
7440-65-5Itrio
7440-67-7Circonio
7440-74-6Indio
7446-09-5Dióxido enxofre 7487-94-
7Cloruro mercúrio II 7553-56-2
iodo
7572-29-4 dicloroacetileno
7580-67-8Hidruro de
lítio
7616-94-6Fluoruro perclorilo 7631-
90-5Bisulfito sódio boro 7637-07-
2Trifluoruro 7646-79-9Dicloruro de

cobalto
7646-85-7Cloruro vapores de zinco
hidrogénio 7647-01-0Cloruro 7664-
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

38-2Ácido ortofosfórico 7664-39-


3Fluoruro hidrogénio 7664-41-
7Amoníaco

7664-93-9Ácido sulfúrico
7681-57-4Metabisulfito sódio 7697-
37-2Ácido nítrico
7718-54-9Dicloruro 7719-09-
7Cloruro tionilo níquel fósforo
7719-12-2Tricloruro 7722-84-
1Peróxido 7726-95-6Bromo
hidrogénio

Potássio 7727-21-1Persulfato
7727-37-9Nitrógeno

7727-43-7Sulfato de bário
Amónio 7727-54-0Persulfato 7758-
97-6Cromato levar 7773-06-
0Sulfamato amónio 7775-11-
3Cromato de sódio 7775-27-
1Persulfato
166 sódio
cálcio anidro 7778-18-9Sulfato 7778-
50-9Dicromato potássio 7782-41-
4Flúor
7782-42-5Grafito
7782-49-2Selenio
7782-50-5Cloro
7782-79-8Ácido germânio 7782-65-
2Tetrahidruro hydrazoic
7783-06-4Sulfuro hidrogénio 7783-
07-5Seleniuro hidrogénio selénio
oxigénio 7783-41-7Difluoruro 7783-
54-2Trifluoruro azoto 7783-60-
0Tetrafluoruro 7783-79-
1Hexafluoruro enxofre telúrio 7783-
80-4Hexafluoruro 7784 arsênico -42-
1Hidruro 7786-34-7Mevinfós

níquel 7786-81-4Sulfato 7789-00-


6Cromato potássio 7789-06-
2Cromato de estrôncio 7789-09-
5Dicromato
amônio
di-hidrogenofosfato de sódio de 7789-12-
0Dicromato 7789-30-2Pentafluoruro
bromo
7790-79-6Fluoruro cádmio 7790-
91-2Trifluoruro cloro fósforo 7803-
51-2Hidruro antimônio 7803-52- Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

3Hidruro 7803-62-5Silano

cera 8001-35-2 8002-74-2


8003-34-7 canfeno clorada
Parafina Piretrinas
8006-64-2Aguarrás
8008-20-6Queroseno
8022-00-2Metildemetón
8050-09-7Resina solda nugget (resina) 8052-42-
4Asfalto (Petróleo)
8065-48-3Demetón
9002-86-2Cloruro cloreto de polivinilo
(PVC) 9004-34-6Celulosa
9005-25-8Almidón
9006-04-6Látex natural
9014-01-1Subtilisinas
10024-97-2Óxido dinitrogen 10025-
67-9Dicloruro disulfur 10025-87-
3Oxicloruro fósforo 10026-13-
8Pentacloruro fósforo 10028-15-
6Ozono 167

10034-76-1Sulfato 10035-10-6Bromuro de
hemi-hidrato de cálcio
hidrogênio
10049-04-4Dióxido de 10043-
35-3Ácido bórico
cloro
di-hidrato de cálcio 10101-41-4Sulfato
10102-43-9Monóxido de 10102-44-
0Dióxido azoto azoto
10108-64-2Cloruro cádmio
10124-36-4Sulfato cádmio
cobalto 10124-43-3Sulfato
10141-05-6Nitrato cobalto
carbonilo 10210-68-1Cobalto
10294-33-4Tribromuro de boro
10588-01-9Dicromato

sódio
11097-69-1Clorodifenilo (54% de cloro)
12001-26-2Mica
12001-28-4Amianto: crocidolita
12001-29-5Amianto: crisotila
12079-65-1Manganeso. I ciclopentadieniltricarbonilo
12108-13-3 manganês. 2-
I
metilciclopentadieniltricarbonilo 12125-02-
9Cloruro amônio
12172-73-5Amianto: amosita
12179-04-3Borato penta-hidrato de sódio
Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS

12185-10-3Fósforo (P4)
12604-58-9Ferrovanadio
13071-79-9Terbufós
13121-70-5Cihexatina
níquel 13138-45-9Dinitrato cálcio
13397-24-5Sulfato: gesso 13463-39-
3Níquel carbonil
13463-40-6Hierro: pentacarbonilo
13463-67-7Dióxido titânio-careno
13466-78-9delta-3

13494-80-9 telúrio
13765-19-0Cromato cálcio
13838-16-9Enflurano

14216-75-2Ácido nítrico, sal de níquel


14464-46-1Sílice cristalina: Cristobalita
14484-64-1Ferbam

14807-96-6 talco
14808-60-7Sílice Cristalina: Quartzo
168 14857-34-2Dimetiletoxisilano 14977-
61-8Cloruro cromilo 15972-60-
8Alaclor
16219-75-3Etilidennorborneno
16752-77-5Metomilo
16842-03-8Cobalto hidrocarbonil
17702-41-9Decaborano
17804-35-2 benomyl
19287-45-7 diborano
19430-93-4 perf
19624-22-7 pentaborano
20706-25-6 Acetato de 2-propoxietilo
20816-12-0 tetróxido de ósmio
21087-64-9 metribuzin
21351-79-1 O hidróxido de césio
21908-53-2 óxido de mercúrio II
22224-92-6 fenamifos
24613-89-6 Crómio cromato (III)
25013-15-4 viniltolueno
25321-14-6 dinitrotoluene técnico
25639-42-3 metilciclohexanol
26140-60-3 terfenilas
26628-22-8 azida de sódio
26675-46-7 isoflurano
26952-21-6 álcool isooctilo
31242-93-0 Ou óxido de difenil-clorado
34590-94-8 éter metil-glicol dipropileno

Anexo A: produtos químicos Índice ordenados por sua CAS


35400-43-2 sulprofos
53469-21-9 Clorodifenilo (42% de cloro)
61788-32-7 terfenilos hidrogenados
64742-82-1 white spirit (nafta de petróleo)
65996-93-2 de alcatrão de hulha, alta temperatura.
breu
65997-15-1 cimento Portland
68359-37-5 ciflutrina
70657-70-4 acetato de 2-metoxipropilo
74222-97-2 Metilsulfometuron
77536-66-4 Amianto: Actinolite
77536-67-5 Amianto: Anthophylite
77536-68-6 Amianto: Tremolita
86290-81-5 gasolina
132207-32-0 amianto
132207-33-1 amianto

169
ANEXO B: perigo (H)

Então, todos as advertências de perigo estão listados,


com sua definição. Aparecem em advertências de perigo
ousadas que se referem a riscos para a saúde.
Regulamento (CE) n.º 1272/2008 do Parlamento
Europeu e do Conselho (16 de dezembro de 2008) e
alterações posteriores.

H200Explosivo instável.
H201Explosivo; risco de explosão em massa.
H202Explosivo; grave risco de projecção.
H203Explosivo; perigo de incêndio, explosão ou
projecção.
H204Peligro incêndio ou projecção.
explosão em massa H205Peligro em caso de incêndio.

H220Gas extremamente inflamável. H221Gas


inflamável.
Anexo B: perigo (H)

H222Aerosol extremamente inflamável.


H223Aerosol inflamável.
H224Líquido e vapores extremamente
inflamáveis.
H225Líquido e vapores altamente inflamáveis.
H226Líquido e vapores inflamável.
H228Sólido inflamável.
H240Peligro uma explosão de
aquecimento.
fogo H241Peligro ou explosão se aquecimento.
H242Peligro fogo se aquecido.
H250Se inflamar espontaneamente em contacto com o
ar.
aquecimento H251Se; Pode pegar fogo.
aquecimento H252Se em grandes quantidades; lata
incendiar-se.
H260En contacto com a água liberta gases que se
podem inflamar espontaneamente.

170
H261En contacto com a água liberta gases
inflamáveis.
H270Puede provocar ou agravar incêndios; oxidante.

H271Puede causar incêndio ou explosão; muito


oxidante.
H272Puede agravar incêndios; oxidante.
H280Contiene gás pressurizado; perigo de
explosão se aquecimento.
H281Contiene gás refrigerado; pode causar
queimaduras ou ferimentos
Criogênico.
H290Puede ser corrosivo para os metais.
H300 Fatal se ingerido.
H301 Tóxico se ingerido.
H302 Nocivo por ingestão.
H304 Pode ser mortal por ingestão e
penetração nas vias respiratórias.
H310 Mortal em contacto com a
pele. H311 Tóxico em contacto com a
pele. H312 Nocivo em contacto com a
pele.
H314 Ela provoca queimaduras na pele e
lesões oculares graves.
Anexo B: perigo (H)

H315 Ela provoca irritação na pele.


H317 Isto pode causar uma reacção alérgica
da pele.
H318 Ela provoca lesões oculares
graves. H319 Ela provoca irritação ocular
grave. H330 Fatal se inalado.
H331 Tóxico se inalado.
H332 Nocivo se inalado
H334 Pode causar alergia ou asma ou
dificuldades respiratórias por inalação.
H335 Ela pode causar irritação das vias
respiratórias H336 Pode provocar sonolência
ou vertigens. H340 Podem causar defeitos
genéticos.
H341 É suspeitos de causar defeitos
genéticos.
H350 Pode causar câncer.
H351 É suspeito de causar câncer.
H350i Podem causar cancro por inalação.
H360 Pode comprometer a fertilidade ou
prejudicar o feto. 171
H360F Pode afectar a fertilidade.
H360D Pode prejudicar o feto.
H360FD Pode comprometer a fertilidade.
É suspeito de afectar o nascituro.
H360Df Pode prejudicar o feto. Ele é suspeito
de danificar fertilidade.
H360FD Pode comprometer a fertilidade.
Pode prejudicar o feto.
H361 Ele suspeita que prejudique a fertilidade
ou prejudicar o feto.
H361f Ele suspeita de afectar a fertilidade.
H361d É suspeito de afectar o nascituro.
H361fd Suspeita de danificar o fertilidade.
É suspeito de afectar o nascituro.
H362 Pode causar danos às crianças
alimentadas com leite materno.
H370 Ela provoca danos aos órgãos.
H371 Pode causar danos aos órgãos.
H372 Ela provoca danos aos órgãos através
da exposição repetida ou prolongada.
H373 Isso pode causar danos aos órgãos
através da exposição repetida ou
prolongada.
H400Muy tóxico para agências
água.
Anexo B: perigo (H)

H410Muy tóxico para agências


vida aquática, com efeitos
prolongados.
H411 Tóxico para os organismos aquáticos
com efeitos duradouros.
H412Nocivo para os organismos aquáticos, com
efeitos nocivos durável.
H413Puede ser prejudicial para os organismos
aquáticos, com efeitos nocivos durável.
danos H420Causa para a saúde pública eo ambiente ao
destruir o ozono na atmosfera superior.
estado EUH001Explosivo seca.
contato EUH006Explosivo ou nenhum contato com o
ar.
EUH014Reacciona violentamente com água.
EUH018Al uso, podem formar misturas
ar
ou vapor explosivo.
EUH019Puede peróxidos de formulário explosivos.
EUH029En contacto com a água liberta gases
tóxicos.
172 EUH031En com ácidos liberta gases tóxicos.
EUH032En com ácidos liberta gás muito tóxico.

EUH044Riesgo explosão se aquecido sob


confinados.
EUH066 A exposição repetida pode provocar
secura da pele ou fissuras na pele.
EUH070 Tóxico em contacto com os olhos.
EUH071 Corrosivo para airway EUH201
Ele contém chumbo. Não use objetos
que as crianças possam morder ou chupar.
EUH201A Aviso! Ele contém chumbo.
EUH202 Cianoacrilato. Perigo. Ela adere à pele e
aos olhos em segundos. Mantenha fora
do alcance de crianças.
EUH203 Ele contém crómio (VI). Ele pode
provocar uma reacção alérgica.
EUH204 Contém isocianatos. Ele pode provocar
uma reacção alérgica.
EUH205 Contém constituintes epóxi. Ele pode
provocar uma reacção alérgica.
EUH206 Aviso! Não utilizar juntamente com
outros produtos. Podem libertar gases
Anexo B: perigo (H)
perigosos (cloro).
EUH207 Aviso! Ele contém cádmio. Quando se
utiliza vapores perigosos são libertados.
Ver as informações fornecidas pelo
fabricante. Siga as instruções de
segurança.
EUH208 Contém <nome da substância
sensibilizante>. Ele pode provocar
uma reacção alérgica.
EUH209Puede altamente inflamável durante o uso.
EUH209APuede inflamável no usar.
EUH210Puede solicitado a folha de dados de
segurança.
EUH401A evitar riscos para as pessoas eo ambiente,
siga as instruções usar.

173
ANEXO C: BIBLIOGRAFIA

• Real Decreto 374/2001, de 6 de Abril, relativa à


protecção da saúde e segurança dos trabalhadores
contra os riscos ligados a agentes químicos no
trabalho.
• INSTITUTO NACIONAL DE SAÚDE,
SEGURANÇA E BEM-ESTAR NO TRABALHO.
Guia Técnico para a avaliação e prevenção dos
riscos associados ao trabalho exposição a agentes
cancerígenos ou mutagénicos. Madrid de 2017.
• INSTITUTO NACIONAL SAÚDE E
SEGURANÇA NO TRABALHO. Guia Técnico
para a avaliação e prevenção dos riscos no local de
trabalho relacionadas com agentes químicos. Madrid
de 2013.
Bibliografia


Anexo C:

Comunidades Europeias. escritóriodas Publicações


Oficiais das Comunidades Europeias. Guia Prático
de Química Directiva agentes 98/24 / CE.
• Real Decreto 665/1997, de 12 de Maio, e alterações
posteriores sobre a protecção dos trabalhadores
contra os riscos ligados à exposição a agentes
cancerígenos ou mutagénicos durante o trabalho.
• Real Decreto 363/1995, de 10 alterações de Março
e seguintes, aprova o regulamento relativo
notificação de novas substâncias e classificação,
embalagem e rotulagem das substâncias perigosas é
aprovado.
• Real Decreto 255/2003, de 28 de Fevereiro, e
alterações posteriores, o regulamento relativo à
classificação, embalagem e rotulagem das
substâncias perigosas é aprovado.
• Regulamento (CE) n.º 1272/2008 do Parlamento
Europeu e do Conselho, de 16 de Dezembro de
2008, conforme alterada à classificação, rotulagem

174
e embalagem de substâncias e misturas, que altera e
revoga as Directivas 67/548 / CEE, 1999/45 / CE e
do Regulamento (CE) n.º 1907/2006 é modificado.
• Regulamento (CE) n.º 1907/2006 para Registro,
Avaliação e Autorização de Produtos Químicos
(REACH).
• Comissão Europeia: Exposição Ocupacional
Limites. Recomendações do Comité Científico para
Limites de Exposição Ocupacional (SCOEL) a
agentes químicos.
http://ec.europa.eu/social/main.jsp?catId=148&int
PageId = 684 & langId = en
• comissão das Comunidades Europeias: Limites de
Exposição Ocupacional. Critérios documentos.
Saúde e Segurança série.
• Directiva 2000/39 / CE de 8 de Junho de 2000 que
estabelece uma primeira lista de valores limite de
exposição profissional indicativo nos termos da

Bibliografia
Directiva 98/24 / CE relativa à protecção da saúde é
estabelecida e segurança dos trabalhadores contra os Anexo C:
riscos ligados a agentes químicos no trabalho.
• Directiva 2006/15 / CE, de 7 de Fevereiro de 2006
que estabelece uma segunda lista de valores limite
de exposição profissional indicativo ao abrigo da
directiva é 98/24 / CE e directivas que alteram
91/322 / CEE e 2000/39 / CE.
• Directiva 2009/161 / UE da Comissão de 17 de
Dezembro de 2009 que estabelece uma terceira lista
de valores limite de exposição profissional
indicativo nos termos da Directiva 98/24 / CE e
Directiva que altera set 2000/39 / CE.
• Directiva 2017/164 / Comissão Europeia em 31 de
janeiro de 2017 por uma quarta lista de valores
limite de exposição profissional indicativos de
acordo com a Directiva 98/24 / CE e estabelecido
pelas Directivas que alteram 91/322 / CEE do
Conselho, 2000/39 / CE e 2009/161 / Comissão
Europeia.

175
• Conferência Americana de Higienistas Industriais
Governamentais (ACGIH). Valores limite para as
substâncias químicas e agentes físicos; Índices de
exposição biológica, ACGIH, Cincinnati, OH, USA
(anual).
• Conferência Americana de Higienistas Industriais
Governamentais: Documentação dos valores-limite e
índices de exposição biológica. 7ª Ed. E suplementos
anuais. Cincinnati (EUA).
• Deutsche Forschungsgemeinschaft: Lista MAK e
BAT de. VCH Verlagsgesellschaft, Weinheim
(Alemanha), (anual).
• Deutsche Forschungsgemeinschaft: Occupational
Tóxicos. Avaliação de Dados Críticos de Valores
MAK e classificação de substâncias cancerígenas.
VCH Verlagsgesellschaft, Weinheim (Alemanha).
• Der Deutschen Institut für Arbeitsschutz
Gesetzlichen Unfallversicherung (IFA). Base de
dados sobre substâncias perigosas. GESTIS -
valores-limite internacionais de agentes químicos.
Bibliografia
Anexo C:

176
ANEXO D:
INFORMAÇÃO

LIMITES Exposição ocupacional a produtos


químicos em ESPANHA

Este documento também está disponível


eletronicamente através do site:

http://www.insht.es

Se houve um erro neste documento, a correcção


atempada será estabelecido no website INSSBT acima
mencionado.

DOCUMENTAÇÃO TOXICOLÓGICO PARA A


CRIAÇÃO LIMITES PARA AGENTES QUÍMICOS
DE EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL

Informação complementar
Esta publicação contém informações suplementares
limites de exposição ocupacional documento que o
conhecimento pode ser útil quando a aplicação prática
dos valores-limite.

Ele contém tipos diferentes de (físico-químicos, etc.


toxicológico) informações sobre os compostos em
questão, e níveis de exposição ao ambiente para efeitos
para a saúde observada em trabalhadores relacionam.
Além disso, os estudos e critérios que permitiram o
estabelecimento e a recomendação dos respectivos
valores limite são recolhidos.

A documentação é baseada principalmente nos critérios


do Comité Científico sobre Limites de Exposição
Ocupacional (SCOEL), a Conferência Americana de
Higienistas Industriais Governamentais (ACGIH), o
Comitê Holandês Especialista de Padrões Profissionais
(DECOS) ea Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG)
e outras fontes de informação de publicações de
referência como Toxline, entre outros.

Esta documentação também está disponível


eletronicamente através do site: http://www.insht.es
177
VALORES DATABASE LIMITE

Os valores-limite contidos neste documento podem


também consultar o pedido computador "Limites de
Exposição Ocupacional", que é acessado a partir do site
da INSSBT (http://www.insht.es). Além disso, este
aplicativo contém toxicológico, DLEP e amostragem e
análise de informação química diferente, dá acesso à
legislação e guias INSSBT técnica e também fornece
um link para os dados de base INFOCARQUIM e
ambiente GESTIS, patrocinado pelo Institut für
Arbeitsschutz der Deutschen Gesetzlichen
Unfallversicherung (IFA).

dentro o ambiente GESTIS, particularmente na Internet


http://limitvalue.ifa.dguv.de/, é um banco de dados
desenvolvido por especialistas de diversas organizações
e países, que contém a exposição ocupacional aplicáveis
valores-limite em vários países europeus: Alemanha
(AGS e DFG), Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha,
Informação complementar

França, Holanda , Hungria, Itália, Reino Unido, Suécia e


Suíça, além dos valores estabelecidos na União
Europeia, Austrália, Canadá (estado Quebec), Estados
Unidos (OSHA), Japão, Nova Zelândia e União
Cingapura.

178
ESTRUTURA DO GRUPO TRABALHO DA
COMISSÃO NACIONAL E SEGURANÇA
SAÚDE NO TRABALHO

Representantes da Administração Geral do Estado:

Ministério da Economia, Indústria e Competitividade


Geral Política Setor Industrial Departamento de
Indústria Filial
Sánchez Sánchez, Felix

Ministério da Energia, do Turismo e Agenda


Digital Desenvolvimento do Sector Geral Sub-
Direcção-Geral Direcção Indústria Política
Sánchez Sánchez, Felix

Ministério da Energia, Turismo e Agenda Digital


Sub-Direcção-Geral de Minas

grupo de trabalho composição o NBOSH.


Direcção-Geral de Energia e Minas Política Guarner
Peralta, Ismael

Ministério da Justiça
Instituto Nacional de Toxicologia
centro anti-venenos Canovas Casal,
Ana

Ministério da Saúde, Serviços Sociais e Igualdade


Carlos III Instituto de Saúde (Madrid)
Ordaz Castillo, Elena

Ministério do Emprego e Segurança Social


Direcção Inspecção-Geral do Trabalho e da
Segurança Social
Serviço de Saúde e Segurança
Ocupacional do joelho Eagle, Juan José
del

Ministério do Emprego e Segurança Social


Instituto Nacional de Segurança Ocupacional, Saúde e
Bem-Estar no Trabalho
Sousa Rodríguez, Mª Encarnación (Secretário)
Gálvez Pérez, Virginia 179
Gómez-Cano Alfaro, Maria
Os representantes das administrações das
Comunidades Autónomas:

Junta de Andaluzia
Direcção-Geral de Saúde e Segurança Ocupacional.
Ministério do Trabalho, Administração e Comércio.
Montero Simó, Rosa

Governo de Aragón
Instituto Aragon de Segurança e Direcção de Saúde do
Trabalho
García-Gutiérrez Muñoz, Mª Jesús

Governo da Cantábria
Instituto Cántabro para a Segurança e Saúde no
Trabalho Rabanillo Fernández, Cristina

Generalitat de Catalunya
Institut Català de Seguretat i Salut Laboral. Departamento
de Emprego, Afers socials i Famílias.
Carrascosa Hernandez, Santos (Presidente)
grupo de trabalho composição o NBOSH.

Junta de Castilla y Leon


Geral do Trabalho, Saúde e Segurança Ocupacional
Martínez Palacios, José Miguel (Advisor)

governo basco
Instituto Basco de Segurança e Saúde Ocupacional
(OSALAN)
Arenaza Amezaga, Mª Jesús (Consultivo)

Murcia
Institute for Occupational Safety and
Health Prado Burguete, Ana Celia
(Advisor)

governo Navar para


Institute of Public e Saúde Ocupacional de
Navarra Aguilar Bailo, Amelia

Governo do Principado das Astúrias


Instituto das Astúrias para a Prevenção de Riscos
Laborais García Hevia, Ofelia
Hernandez Fernandez, Myriam (Consultivo)
180
Madri
Instituto Regional para a Segurança e Saúde no
Trabalho Continente Muro, José Manuel

governo das Ilhas Baleares


Cirurgião Geral do Trabalho Flaquer
Bonafé, Lluisa (Advisor)

Xunta de Galicia
Institute for Occupational Safety and
Health Rega Piñeiro, José (Advisor)

Representantes de Organizações Empresariais (CEOE e


CEPYME):

Gordón Ortiz, Marina


Direcção da Segurança Social e Saúde e
Segurança Ocupacional
CEOE

grupo de trabalho composição o NBOSH.


Maya Rubio, Isabel
MUTUAL
UNIVERSAL CEOE

Urieta Asensio, Carmelo


ERCROS
CEOE

Merino Rubio, Laura


FEIQUE
CEOE

Leguizamon Leguizamon, José


María CNC
CEOE

Peris Mora, Pedro (Advisor)


Oficemen
CEOE

Oleart Comellas, Pere


(Consultivo) BASF
CEOE
181
Tejera García, Miguel
(Advisor) Pepco
CEOE

Representantes dos sindicatos: Comisiones Obreras

Bayona Plaza, Oscar


Confederação da CCOO

Morán Barrero, Purificação


CCOO Confederação Sindical

Torres Fernández, Francisco Javier (Consultivo)


Departamento de Saúde Ocupacional CCOO Confederal

União Geral de Trabalhadores


grupo de trabalho composição o NBOSH.

Marquis Chavarri, Juan


Ministério da Saúde do Trabalho
UGT

San Vicente Romero, Marco


Ministério da Saúde do Trabalho
UGT

Gil Dominguez, Ramon


(Consultivo) UPTA UGT

182
LEP.18.1.18

9788474258271