Você está na página 1de 13

CONSTITUCIONALISMO

• O Constitucionalismo pode ser


definido como movimento social,
político, jurídico e ideológico a
partir do qual emergem as
constituições nacionais, ou seja,
as normas fundamentais do
ordenamento jurídico do Estado.
Também é encarado como uma
técnica jurídica de tutela das
liberdades ou de limitação do
poder com fins garantísticos.
• Parte-se da ideia de que todo
Estado deve possuir uma
Constituição, que contém
regras que dão sustentação a
limitação do poder,
inviabilizando que os
governantes possam fazer
prevalecer seus interesses.
Constituir é...
- Fenômeno relacionado ao
fato do Estado possuir uma
Constituição;
- Técnica jurídica de tutela de
liberdades (limitação do
poder do Estado);
- Técnica específica de
limitação do poder com fins
garantísticos
- EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO
CONSTITUCIONALISMO
 Constitucionalismo durante
a antiguidade;
 Constitucionalismo durante
a Idade Média;
 Constitucionalismo durante
a Idade Moderna;
 Constitucionalismo Norte-
Americano;
 Constitucionalismo moderno
(durante a Idade
Contemporânea);
 Neoconstitucionalismo
 Constitucionalismo do
Futuro.

1. Constitucionalismo durante a
Antiguidade até o século V d.C.
• Hebreus → limitações ao Estado
Teocrático, assegurando aos
profetas a legitimidade para
fiscalizar os atos governamentais
que extrapolassem limites
bíblicos.
• Gregos → Cidades-Estados;
democracia direta.

• 2. Constitucionalismo durante a
Idade Média:
MAGNA CARTA (1215)
• Em 1215, depois que o rei
João da Inglaterra violou uma
série de antigas leis e
costumes através dos quais a
Inglaterra tinha sido
governada, seus súditos o
obrigaram a assinar a Carta
Magna.
• “Também concedemos
perpetuamente, em nosso nome e
no de nossos sucessores, para
todos os homens livres do reino de
Inglaterra, todas as liberdades,
cuja continuação se expressam,
transmissíveis a seus
descendentes.” considera-se a
Magna Carta o primeiro capítulo
de um congo processo histórico
que levaria ao surgimento
do constitucionalismo.
3. Constitucionalismo durante a
Idade Moderna:
• Inglaterra – Petição de Direitos
Petition of Rights (1628)
• Durante o reinado de Carlos I,
houve tensão política sobre o
poder do Parlamento e os
"direitos e liberdades do sujeito".
• Em 1628, a Câmara dos Comuns
elaborou uma petição anunciando
as ilegalidades da tributação sem
o consentimento do Parlamento e
da prisão arbitrária.
• “I. Os lordes [...] e os comuns,
reunidos em parlamento,
humildemente lembram ao rei,
nosso soberano e senhor, que uma
lei [...] declarou e estabeleceu que
nenhuma derrama ou tributo
seria lançada ou cobrada neste
reino pelo rei ou seus herdeiros
sem o consentimento dos [...]
homens livres do povo deste
reino...”
4. Constitucionalismo Norte-
Americano
• Declaração de Direitos da
Virgínia (1776) que se
inscreve no contexto da luta
pela Independência dos EUA.
• Precede a Declaração de
Independência dos EUA (1787)
e, como ela, é de nítida
inspiração Iluminista.
“Artigo 1° - Todos os homens
nascem igualmente livres e
independentes, têm direitos
certos, essenciais e naturais dos
quais não podem, pôr nenhum
contrato, privar nem despojar
sua posteridade: tais são o
direito de gozar a vida e a
liberdade com os meios de
adquirir e possuir propriedades,
de procurar obter a felicidade e a
segurança.”
CONSTITUIÇÃO AMERICANA 1787:
“Nós, o Povo dos Estados Unidos,
a fim de formar uma União mais
perfeita, estabelecer a Justiça,
assegurar a tranqüilidade
interna, prover a defesa comum,
promover o bem-estar geral, e
garantir para nós e para os
nossos descendentes os
benefícios da Liberdade,
promulgamos e estabelecemos
esta Constituição para os
Estados Unidos da América”.
7 Artigos
27 Emendas

Constitucionalismo moderno
durante a idade contemporânea
Características:
• Estrutura o Estado com divisão de
poderes;
• Prevalência dos textos escritos e
codificados – Constituição;
• Limita o poder com a garantia
dos direitos fundamentais;
• “Totalitarismo Constitucional”,
Constituição dirigente,
Constituição Programática (metas
a serem atingidas).
• Marcos Históricos: Constituição
Americana de 1787 e Constituição
Francesa de 1791.

• 6. Neoconstitucionalismo
Busca atrelar ao
Constitucionalismo não somente
a idéia de limitação do poder
político, mas também a busca
pela eficácia da Constituição.
Passagem do Estado de Direito
para o Estado Constitucional,
onde a Constituição tem o papel
de condicionar intensamente o
discurso filosófico jurídico, a
ponto de fundar uma nova teoria
do direito, fundada no
‘paradigma do
constitucionalismo’.
Valor axiológico da Constituição:
Constituição como ‘valor em si’.
a) Força normativa da
Constituição (centro do sistema);
b) Ampliação da Hermenêutica
Constitucional;
c) Concepção da norma
constitucional em 2 espécies:
regras e princípios;
d) Concretização dos Direitos
Fundamentais (eficácia irradiante;
carga valorativa);
e) Incorporação de valores e
opções políticas aos textos
constitucionais;
f) Ampliação dos conflitos
envolvendo Direitos Sociais
(garantia de condições mínimas).
7. Constitucionalismo do Futuro
(do Por vir):
• Verdade – só prometer o que vai
cumprir – transparência e ética
• Consenso – fruto de acordos
democráticos
• Solidariedade - Liga-se à noção de
justiça social, cooperação e
tolerância.
• Continuidade – levar em conta os
avanços conquistados
• Participação – consagra a
democracia participativa
• Integração – espiritual, moral,
ética e institucional entre os
povos
• universalização – refere-se a
consagração dos direitos
fundamentais.