Você está na página 1de 6

Aluno (a): João Lucas Vitório Ribeiro Carvalho

Questões de Revisão– Algas e Criptógamas.


1. As algas têm importância ecológica? Justifique sua resposta.
Sim, por exemplo, as macroalgas marinhas são alvos de uma infinidade de herbívoros e
hospedeiras de microrganismos patogênicos. Os kelps formam verdadeiras florestas que
fornecem abrigo a uma rica variedade de peixes e invertebrados, proporcionando um local de
refúgio e alimentação para muitos grandes carnívoros, incluindo lontras-do-mar e atuns. As
algas fotossintetizantes e as cianobactérias, que conjuntamente constituem o fitoplâncton,
formam a base da cadeia alimentar para os organismos heterotróficos, que vivem nos oceanos
e nos corpos de água doce. No mar, a maioria dos peixes pequenos e alguns dos maiores, bem
como boa parte das grandes baleias, alimentam-se de plâncton.
2. As algas têm importância econômica? Justifique a sua resposta.
Sim, tanto as algas pardas quanto as vermelhas são consumidas por um grande número de
pessoas por todo o mundo, os kelps (alga parda), a Porphyria (alga vermelha) e a Ulva (alga
verde) são consumidos regularmente como vegetais na culinária. Em muitas regiões temperadas
do hemisfério norte, as algas marinhas são coletadas para exploração de suas cinzas, que, em
função de sua riqueza em sais de sódio e potássio, apresentam grande valor para processos
industriais. Em muitas regiões, os kelps também são coletados para serem aplicados
diretamente como fertilizantes. Os alginatos, derivados de algas marinhas, são largamente
empregados na indústria alimentícia, têxtil, cosmética, farmacêutica, de papel e de solda, como
agentes espessantes e estabilizadores coloidais. Uma das aplicações comerciais diretas mais
úteis de qualquer alga é o preparo do ágar, produzido a partir do material mucilaginoso extraído
da parede celular de vários gêneros de algas vermelhas. Um coloide algal semelhante, chamado
carragenano, tem uso preferencial sobre o ágar na estabilização de emulsões tais como tintas,
cosméticos e laticínios. Algas também são utilizadas para a produção de biocombustíveis.
3. O que são florações de algas? Em que condições estas florações podem ocorrer? Quais
são as consequências das florações de algas?
Florações de algas é a proliferação, em um ambiente aquático, de organismos planctônicos, em
geral microalgas e cianobactérias, isoladas ou conjuntamente com organismos zooplanctônicos.
A proliferação, em geral sazonal, ou pelo menos de caráter transitório, conduz ao rápido
crescimento da biomassa contida na coluna de água, levando, entre outros efeitos, a uma
acentuada redução na transparência, à coloração e com frequência à presença de odor e sabor
nas águas. Entre os fatores ambientais que favorecem essas florações estão temperatura
superficial quente, alto teor de nutrientes na água, baixa salinidade (que frequentemente ocorre
durante os períodos chuvosos) e mar calmo. As consequências mais comuns das florações no
ambiente aquático é a modificação da transparência e turbidez da água, com a alteração
simultânea de seu gosto e odor, a saturação de oxigênio na água e a mortandade de organismos
no meio aquático ocasionada, também, pela ação de toxinas excretadas pelas algas em floração.
4. Qual a diferença entre identificação e classificação?
Identificação é a determinação da identidade de um espécime desconhecido, por comparação
com amostras previamente recolhidas ou com a ajuda de livros ou manuais de identificação. O
processo de identificação liga o espécime estudado a um nome publicado. Uma vez que uma
amostra foi identificada, seu nome e as suas características podem ser conhecidos. Já a
classificação é a colocação de espécimes conhecidos em grupos ou categorias que mostram
alguma relação. A classificação científica segue um sistema de regras que padroniza os
resultados, e grupos de categorias sucessivas em uma hierarquia, utilizada para a nomeação e
catalogação de espécimes futuros e, idealmente, reflete as ideias científicas sobre as inter-
relações entre as espécies.
5. Quais são as vantagens de se utilizar um nome científico? Ao invés de um nome
popular?
A principal vantagem da utilização da nomenclatura binomial (nome científico) é a padronização
da nomenclatura de uma determinada espécie em qualquer lugar do mundo, algo que varia
muito quando nos referimos ao nome popular, que dependendo da região, uma mesma espécie
pode ser conhecida por dois ou mais nomes.
6. Indique se é V ou F, e justifique se for falso. As algas são organismos avasculares, a
maioria fotossintéticos. Todas as algas são microscópicas e procariontes ( F ).
Falso, realmente as algas são organismos avasculares e a maioria são fotossintéticos, porém,
nem todas as algas são microscópicas e variam entre formas procariontes e eucariontes. Existem
macroalgas, e.g. kelps, uma alga parda, que já foram registrados espécimes medindo cerca de
70 metros de altura.
7. Indique se é V ou F, e justifique se for falso. O corpo das algas é designado de talo:
estrutura diferenciada morfologicamente, que possui raízes, caules e folhas, mas não
possui flores, frutos e sementes ( F ).
Falso, ainda que algumas algas apresentem tecidos diferenciados, não possuem raízes, caules
ou folhas verdadeiras.
8. As macroalgas marinhas estão submetidas a vários fatores biológicos (fatores
bióticos), que possibilitam ou não sua instalação, desenvolvimento, reprodução e
morte. Cite exemplos destes fatores biológicos, e os explique.
Simbiose com outros organismos, como por exemplo as zooxantelas, que vivem em simbiose
com corais, possibilitando o crescimento dos mesmos. Além de servir de alimento para
herbívoros, impedindo o desenvolvimento e reprodução das mesmas.
9. As macroalgas marinhas estão submetidas a vários fatores químicos e físicos (fatores
abióticos) que possibilitam ou não sua instalação, desenvolvimento, reprodução e
morte. Cite exemplos destes fatores físicos e químicos, e os explique.
O desenvolvimento das macroalgas marinhas pode ser influenciado pelos seguintes fatores
abióticos: profundidade, movimento da água, iluminação, temperatura, salinidade, nutrientes
presentes na água e substrato de fixação. A instalação torna-se mais difícil com o aumento da
profundidade. No entanto, a profundidade não pode ser tão pequena para evitar que as algas
fiquem fora da água nos períodos de maré baixa. A correnteza é importante para o cultivo, pois
é o movimento da água que trará os nutrientes e movimentará as algas, fazendo com que elas
tomem sol em toda a sua extensão, além de realizar a limpeza. Quanto à temperatura e à
salinidade, algumas espécies toleram amplas variações.
10. As macroalgas marinhas estão submetidas a vários fatores artificiais (provenientes do
homem/impactos negativos causados pelo homem) que possibilitam ou não sua
instalação, desenvolvimento, reprodução e morte. Cite exemplos destes fatores, e os
explique.
O aumento da poluição resultante da ação antrópica causa a proliferação excessiva de algumas
algas, conhecida como “florações de algas”, frequentemente associadas à liberação de toxinas.
O derramamento de petróleo no mar, impedindo a fotossíntese e causando afeitos tóxicos a
esses organismos. Água de lastro dos navios, que transporta espécies para lugares onde não
eram nativas, o que gera competição com espécies da região.
11. Diferencie taxonomia morfológica de taxonomia química e molecular.
A taxonomia química e molecular tem o objetivo de identificar um ser vivo analisando as
diferenças moleculares hereditárias, principalmente em sequências de DNA. Por conta disso,
grandes bancos de dados, com milhares de código de barras moleculares, poderão se tornar
ferramentas importantes na conservação da biodiversidade global. Já a taxonomia morfológica
define os grupos de organismos biológicos, com base em características comuns morfológicas.
Ambas tem a finalidade de dar nomes aos grupos de organismos. Para cada grupo é dado uma
nota e os grupos podem ser agregados para formar um super grupo de maior pontuação, criando
uma classificação hierárquica.
12. No contexto da Botânica, o que é um espécime-tipo? Qual a importância do mesmo?
O espécimes-tipo corresponde ao espécime físico que serviu de base para a descrição de novos
táxon (espécies e categorias infra específicas). São importantes pois se tornam disponíveis para
consulta, em geral em herbários ou museus zoológicos ligados a instituições de investigação ou
museologia, permitindo, por comparação com novas amostras, a identificação de novas
colheitas com o material base. Esse processo de sucessiva comparação permitiu, e ainda
permite, determinar a distribuição geográfica e ecológica do táxon.
13. Suponha que você esteja em um grupo de trabalho cuja missão é dar respaldo
científico para a Criação de um Parque Nacional Marinho. Como você justificaria a
necessidade de tal parque? Quais metodologias vocês poderia utilizar para
demonstrar a necessidade do mesmo?
A criação de um Parque Nacional Marinho respalda-se, sobretudo, na necessidade de proteger
e conservar a qualidade ambiental e as condições de vida da fauna e da flora local. A atividade
turística, implantação de atividades poluidoras ou o uso indiscriminado de recursos naturais
marinhos pode potencializar o risco de extinção de determinadas espécies vegetais e animais
que oferecem, para a natureza, serviços ecossistêmicos importantíssimos, e que dos quais se
beneficiam também os seres humanos. A conscientização da população do entorno do parque
é essencial para a fiscalização das atividades realizadas no mesmo, sendo uma das ações mais
importantes para a declaração da área como região protegida e amparada por decreto. A
metodologia utilizada para a criação de um Parque Nacional Marinho seria através do
levantamento de algumas espécies de fauna/flora.
14. Por que a identificação e delimitação de espécies de algas exclusivamente através da
taxonomia morfológica pode ser notoriamente difícil?
Um dos fatores é por conta da grande variação morfológica existente entre as espécies de algas,
variando de formas unicelulares isoladas, agregados de células, colônias, filamentos simples ou
ramificados, pseudoparênquimas, cenócitos (estruturas multinucleadas) até parênquimas.
Outro fator é que as algas apresentam morfologia simples, com nível de diferenciação baixo,
quando comparadas a outros grupos de organismos fotossintetizantes. Algumas formas
unicelulares e coloniais podem ser móveis pela presença de flagelos, e nesse caso,
frequentemente são confundidas com protozoários. Durante muitos anos considerava-se as
algas verdes como um tipo de planta aquática por conta de sua aparência.
15. O que é alternância de gerações isomórfica e heteromórfica?
Em algumas algas – a maior parte das algas vermelhas, algumas das algas verdes e algumas das
algas pardas – as formas haploides e diploides são iguais em aparência externa. Diz-se que tais
tipos de ciclo de vida exibem uma alternância de gerações isomórficas. Há alguns ciclos de vida,
entretanto, em que as formas haploide e diploide não são idênticas. Durante a história desses
grupos ocorreram mutações que foram expressas somente em uma geração, embora os alelos
estivessem presentes, obviamente, tanto na geração haploide quanto na diploide. Nos ciclos de
vida desse tipo, o gametófito e o esporófito tornaram-se notavelmente diferentes um do outro,
e uma alternância de gerações heteromórficas se originou. Tais ciclos de vida são característicos
de plantas e de algumas algas pardas e vermelhas.
16. A membrana plasmática das euglenófitas é sustentada por um conjunto de estrias de
proteínas arranjadas helicoidalmente situadas no citoplasma, imediatamente abaixo
da membrana plasmática, formando uma estrutura chamada película, que pode ser
flexível ou rígida.

17. Explique a função da mancha ocelar (estigma) e detector de luz em Euglena.


A mancha ocelar funciona como um detector de luz, indicando a Euglena onde se concentra a
maior quantidade de luz para que possa realizar a fotossíntese.
18. Explique a função do vacúolo contrátil e reservatório em Euglena.
O vacúolo contrátil coleta o excesso de água de todas as partes da célula. Essa água é eliminada
da célula via reservatório. Após a eliminação, um novo vacúolo contrátil é formado pela
coalescência de pequenas vesículas. Vacúolos contráteis são comumente observados em
protistas de água doce, que precisam eliminar o excesso de água que é acumulada como
resultado da osmose. Se a água não for removida, a célula pode romper-se
19. O que é mixotrofia?
É a capacidade de um organismo utilizar fontes de carbono orgânico e inorgânico.
20. As/Os dinoflagelados são únicas/únicos pelo fato de seus flagelos baterem no interior
de dois sulcos. Um sulco circunda o corpo como um cinto e o outro é perpendicular ao
primeiro. O batimento destes flagelos resulta em um movimento de rotação (como o
rodopio de um pião).

21. Em mares abertos, os dinoflagelados apresentam frequentemente placas tecais


grandes, semelhantes a velas, que ajudam na flutuação. Onde estão localizadas e qual
a composição das tecas dos dinoflagelados?
A teca é formada por placas rígidas de celulose. Essas placas de celulose da parede estão
localizadas no interior de vesículas na membrana mais externa da célula.
22. Os dinoflagelados marinhos são famosos por apresentarem bioluminescência e são
responsáveis pelo atrativo brilho das águas oceânicas que é comumente observado à
noite, quando barcos ou nadadores agitam a água. Quais seriam as funções possíveis
da bioluminescência nos dinoflagelados?
Acreditava-se que a bioluminescência servisse como proteção contra predadores como os
copépodas, pequenos crustáceos que são os componentes mais numerosos do zooplâncton.
Uma hipótese propõe que o flash de luz dos dinoflagelados inibe a predação, desorientando os
predadores. Outra hipótese sugere um processo mais indireto: os copépodes que ingerem
dinoflagelados luminescentes se tornam mais visíveis para os peixes que deles se alimentam.
23. A característica mais distintiva das Haptófitas é o haptonema, o qual é uma estrutura
filamentosa que se prolonga da célula juntamente com dois flagelos de igual
comprimento. Quais são as funções desta estrutura?
Em alguns casos, ele permite que a célula capture partículas de alimento, funcionando de certo
modo como uma vara de pescar. Em outros casos, ele parece ajudar a célula a sentir e evitar
obstáculos.
24. As frústulas são paredes celulares contendo sílica, que apresentam ornamentação
variada e numerosos poros. A sílica (dióxido de silício) é o principal componente do
vidro. Cada frústula é formada por duas partes (valvas): uma maior e outra menor que
se encaixam. Qual Divisão de algas apresenta frústulas?
As Diatomáceas, divisão Bacillariophyta.
25. Qual tipo de clorofila está presente nas xantofíceas e crisofíceas?
Clorofila a e c.
26. Na Divisão Cryptophyta (criptófitas), o cloroplasto é de origem endossimbiótica,
deriva de uma alga vermelha. Além disso, é observada uma estrutura denominada
nucleomorfo, o qual é constituído de três cromossomos lineares e um nucléolo com
RNA. O que seria esta estrutura e qual seria a origem da mesma?
O núcleo reduzido, denominado nucleomorfo (“semelhante a um núcleo”), é interpretado como
um remanescente de um núcleo de célula de alga vermelha que foi ingerido e retido por um
hospedeiro heterotrófico em virtude da sua capacidade fotossintética. O endossimbionte
assemelha-se aos cloroplastos de outras algas, pois como a maioria de seus genes foram
transferidos para o núcleo do hospedeiro, ele não é mais capaz de ter uma existência
independente.
27. As algas são muito importantes para os recifes de corais. Os corais não fazem
fotossíntese, mas tem uma simbiose com zooxantelas, as quais realizam fotossíntese
e disponibilizam nutrientes orgânicos para o mesmo. Devido a esta relação, corais
crescem muito mais rapidamente em água limpa, que deixa entrar mais luz solar. As
zooxantelas pertencem a qual divisão/filo das Algas?
Dinoflagelados, filo Dinoflagelatta.
28. Os tricocistos ou ejectossomas estão presentes nas Criptófitas, o que são e qual a
função?
Os tricocistos ou ejectossomas são organelas que revestem a parede da cavidade que realizam
uma descarga estimulada por stress mecânico, químico ou luminoso, impulsionando a célula em
zig-zag para longe da causa de perturbação, ou seja, os ejectossomas são ejetados e fazem com
que a célula se movimente para a frente.
29. As algas vermelhas apresentam clorofila a e d e ficobilinas. Qual a função das
ficobilinas? Por que a presença destes pigmentos é vantajosa para estas algas?
Os cloroplastos das algas vermelhas contêm ficobilinas, que mascaram a cor da clorofila a e dão
a estas algas sua cor característica. Esses pigmentos são particularmente bem adaptados à
absorção da luz verde e azul-esverdeada que penetra nas águas profundas, onde as algas
vermelhas estão bem representadas.
30. As paredes celulares da maioria das algas vermelhas contêm um componente interno
rígido, consistindo em celulose ou outro polissacarídeo, e uma camada externa
mucilaginosa, geralmente um polímero de galactose sulfatada, tal como o ágar ou
carragenano. É esta camada mucilaginosa que confere às algas vermelhas a
flexibilidade e a textura deslizante características deste grupo. A produção contínua e
a troca de mucilagem auxiliam as algas vermelhas a desfazer- se de outros organismos
que poderiam colonizar sua superfície e reduzir sua exposição à luz solar. Cite
aplicações industriais desta camada mucilaginosa composta de ágar e carragenano.
O ágar é utilizado na produção de cápsulas que contêm vitaminas ou medicamentos, na
fabricação do material de moldes dentários, como base de cosméticos e como meio de cultura
para bactérias e outros microrganismos, agente antidessecante em produtos de panificação, no
preparo de gelatinas e sobremesas instantâneas e, nas regiões tropicais, como conservante
temporário de peixes e carnes. O carragenano, tem uso preferencial sobre o ágar na
estabilização de emulsões tais como tintas, cosméticos e laticínios.
31. Certas algas vermelhas depositam carbonato de cálcio em suas paredes, e são
especialmente resistentes e duras, são as chamadas algas coralináceas. Este nome,
pelo qual são conhecidas, diz respeito a uma de suas funções ecológicas. Qual seria
esta função?
Um dos habitats onde costumam crescer são sobre as rochas da região de marés, nas quais as
algas coralináceas articuladas crescem, e as superfícies de arrebentação direcionadas à costa
dos recifes de corais, onde as algas coralináceas incrustantes (crostosas) auxiliam a estabilizar a
estrutura dos recifes. Amplas áreas de diversos recifes de corais em todo o mundo devem sua
sobrevivência, em parte, à força arquitetural conferida pelas algas coralináceas.