Você está na página 1de 3

AULA 5

A partir de agora, temos condições de consultar um dicionário e conhecer mais de cinqüenta por cento das
palavras do vocabulário latino. De fato, as palavras de tema A e de tema O são as mais numerosas. Como
não é impossível apresentar todas neste tempo e espaço, apresenta-se um modelo que possibilitará o acesso
a todas as outras. Esse modelo funciona como uma chave que abrirá as travas para o conhecimento.
O próximo passo é conhecer um grupo de palavras, menos numeroso, mas muito importante para
avançar no estudo; trata-se do grupo de palavras que não têm tema vocálico, ou seja, sua base de flexão ou
declinação é formada sem uma vogal. As desinências se juntam a uma base consonantal.
Como todas as outras, essas palavras também se caracterizam pelo genitivo, que no singular é –IS e
no plural é –VM; a gramática as classifica como a 3ª declinação. Nesta mesma parte, iniciaremos também o
estudo dos verbos, pois começaremos a ler alguns trechos originais latinos.

Iniciemos com uma inscrição tumular à beira de uma estrada:


Viator, uiator, quod es, ego fui, quod nunc sum, et tu eris.
A palavra uiator é de 3ª declinação e aparece no dicionário assim:
Viator, uiatoris (m): caminhante, viajante.

O sentido se refere a quem vai por um caminho, por uma via. Como se sabe, a primeira forma indica
o nominativo, entrada lexical; a segunda forma indica o genitivo. Nesta, deve-se observar o seguinte: vem
abreviada (-oris); há uma marca, como um traço reto, sobre o o, que indica a quantidade. Essa característica
da língua latina não passou às línguas românicas, mas é importante para a prosódia latina, ou seja, para
pronunciar corretamente. Assim, essa marca que parece um traço indica que a vogal é longa; se ela tivesse a
forma de curva, indicaria que a vogal seria breve. Em que isso importa? Se a penúltima vogal de uma palavra
for longa, pronuncia-se como paroxítona; se for breve, pronuncia-se como proparoxítona. Então, a leitura do
genitivo é “uiatôris”, porque o o (penúltima sílaba) é longo; se fosse breve, a pronúncia seria “uiátoris”. Não
existem oxítonas em latim!
No entanto, a característica mais importante que o dicionário nos dá é que o genitivo termina em –is.
Vejamos a declinação dessa palavra na tabela:
SINGULAR PLURAL
N Viator Viatores
V Viator Viatores
A Viatorem Viatores
G Viatoris Viatorum
D Viatori Viatoribus
AB Viatore Viatoribus

A tradução da inscrição é: “Caminhante, caminhante, o que és, eu fui; o que agora sou, também tu
serás.”. Nota-se que o substantivo uiator está no vocativo singular e que a estrutura das orações é idêntica à
estrutura em língua portuguesa.
O verbo ser aparece repetidas vezes, com formas latinas muito semelhantes às portuguesas: es, fui e
sum. Apenas a última forma é diferente. Assim como os substantivos, os verbos aparecem no dicionário
latino de forma diferente do dicionário português. A entrada lexical é a 1ª pessoa do singular do indicativo
presente: sum; em seguida vem a 1ª pessoa do indicativo perfeito: fui; por último, aparece o infinitivo: esse.
Isso vale para todos os verbos, em todos os dicionários de latim.
Vejamos esta apresentação do verbo ser:
Sum, fui, esse: ser, estar; existir...

Portanto, para saber de um verbo num dicionário latino, é preciso conhecer a 1ª pessoa do indicativo
presente, isto é, a entrada lexical. No dicionário português, a entrada lexical é o infinitivo.
Vejamos a conjugação do indicativo presente:
Sum, es, est, sumus, estis, sunt.

Sua tradução: sou, és, é, somos, sois, são. Devem-se notar a semelhança das formas e a ausência dos
pronomes pessoais (ego/eu; tu/tu; ille/ele; nos/nós; uos/vós; illi/eles), pois cada forma verbal indica o sujeito.

A conjugação do indicativo perfeito:


Fui, fuisti, fuit, fuimus, fuistis, fuerunt.
Sua tradução: fui, foste, foi, fomos, fostes, foram.

Essas formas latinas representam o modo indicativo em dois aspectos: um é durativo, inacabado (sou,
continuo sendo); outro, concluído, acabado (fui, existi). Essas duas formas de aspecto são muito importantes
para formação dos modos e dos tempos.

A conjugação do futuro:
Ero, eris, erit, erimus, eritis, erunt.

Sua tradução: serei, serás, será, seremos, sereis, serão.

Complementando o vocabulário:
Quod (pronome indefinido singular neutro): que, o que, aquilo que.
Nunc (advérbio): agora.
Et (conjunção/advérbio): e; também.

Para complementar o estudo do verbo ser, eis as tabelas completas dos aspectos, modos e tempos:

Aspecto inacabado (Infectum)


INDICATIVO SUBJUNTIVO IMPERATIVO
PRESENTE PASSADO FUTURO PRESENTE PASSADO PRES. FUT.
(Sou) (Era) (Serei) (Seja) (Fosse)
Sum Eram Ero Sim Essem
Es Eras Eris Sis Esses Es Esto
Est Erat Erit Sit Esset Esto
Sumus Eramus Erimus Simus Essemus
Estis Eratis Eritis Sitis Essetis Este Estote
Sunt Erant Erunt Sint Essent Sunto

Aspecto acabado (Perfectum)


INDICATIVO SUBJUNTIVO
PRESENTE PASSADO FUTURO PRESENTE PASSADO
(Fui) (Fora) (Terei sido) (Tenha sido) (Tivesse sido)
Fui Fueram Fuero Fuerim Fuissem
Fuisti Fueras Fueris Fueris Fuisses
Fuit Fuerat Fuerit Fuerit Fuisset
Fuimus Fueramun Fuerimus Fuerimus Fuissemus
Fuistis Fueratis Fueritis Fueritis Fuissetis
Fuerunt Fuerant Fuerint Fuerint Fuissent
AULA 5

Tendo relido a inscrição em latim, vamos traduzir:


1. Discipuli, discipuli, quod fui, uos estis nunc.
2. Discipule, discipule, quod sum, et tu eris.
3. Magister, magister, quod sumus, et tu fuisti.

Verter ao latim:
1. Caminhantes, caminhantes, o que sois agora, nós também fomos; o que sereis, somos agora.
2. Os alunos serão o que os professores são agora.