Você está na página 1de 6

ARTIGO DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.

v4n2p74-79

A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético:


Estudo de Caso
Luiz Armando Vidal Ramos1*, Michell Moraes Brito2, Wesdensbergton Weslley Monteiro Queiroz2, Diego Santos
Fagundes3, Cláudio Alberto Gellis de Mattos Dias4, Júlio César Sá de Oliveira5, Alessandro dos Santos Pin6,
Karla Maria Pereira Baraúna7
1. Fisioterapeuta; Professor Ms. do Curso de Enfermagem, Universidade Federal do Amapá (Campus Binacional do Oiapoque), Amapá, Brasil. *E-mail:
lvramos16@bol.com.br
2. Fisioterapeuta; Graduado em Fisioterapia pela Faculdade SEAMA, Amapá, Brasil.
3. Fisioterapeuta; Professor Dr. do Curso de Enfermagem, Universidade Federal do Amapá (Campus Binacional do Oiapoque), Amapá, Brasil.
4. Biólogo; Professor Ms. do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Universidade Federal do Amapá (Campus Binacional do Oiapoque), Amapá, Brasil.
5. Biólogo; Professor Dr. do Curso de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Amapá (Campus Marco Zero do Equador), Amapá, Brasil.
6. Fisioterapeuta; Professor Dr. do Curso de Fisioterapia, Universidade Federal do Amazonas (Campus Coari), Manaus, Brasil.
7. Fisioterapeuta; Professora. Ms. do Curso de Fisioterapia, Faculdade de Macapá, Amapá, Brasil.

RESUMO: A úlcera de decúbito tornou-se um dos principais problemas de saúde pública devido o maior tempo de
internação em hospitais, alcançando índices preocupantes e mortes evitáveis. Desta forma, o estudo tem como objetivo
verificar os efeitos da laserterapia de baixa potência como coadjuvante no tratamento de paciente diabético com úlcera
de decúbito. Foi investigada e acompanhada uma paciente diabética do Tipo II portadora de úlcera de decúbito, sendo
esta idosa, do gênero feminino, idade 83 anos. Essa paciente foi submetida à aplicação de laser tipo Hélio Neônio
2
(Hene), com comprimento de onda de 670 nm, modo pulsado, método pontual, densidade de energia de 6 J/cm , com
duração de 5 minutos em cada ponto, a qual o procedimento ocorreu durante 5 vezes por semana, no período de 6
semanas. A paciente foi avaliada por meio de registros fotográficos e por mensuração da ferida com uma régua
milimétrica, em que delimitou a área da úlcera em cm². Observou-se melhora e redução da úlcera de decúbito a partir da
terceira sessão. Com base nos resultados deste estudo o laser tipo Hene foi eficaz no tratamento da úlcera de decúbito em
paciente diabético no aspecto cicatrização.

Palavras-chave: laser, úlcera de decúbito, diabetes mellitus, cicatrização

The effectiveness of low power laser in healing decubitus ulcer in diabetic patient: A Case Study
ABSTRACT: The decubitus ulcer has become a major public health problem due to the greater length of stay in hospitals,
reaching alarming rates and deaths. Thus, this study aims to propose a low power laser therapy as an adjunct in the
treatment of diabetic patients with pressure ulcers. We investigated and followed a diabetic patient type II carrier
decubitus ulcer, which is elderly, female, age 83 years. This patient underwent application type HeNe laser with a
wavelength of 670 nm, pulsed, timely method, an energy density of 6 J/cm2, lasting 5 minutes each, which occurred during
the procedure 5 times per week in the period of 6 weeks. The patient was evaluated by means of photographic records
and measurement of the wound with a millimeter ruler, where it narrowed the ulcer area in cm². There was improvement
and significant reduction of pressure ulcers from the third session. Based on the results of this study the laser type Hene was
effective in the treatment of decubitus ulcer in a diabetic patient in the healing aspect.

Keywords: laser, decubitus ulcer, diabetes mellitus, healing.

1. Introdução respostas vasculares. Na derme lesionada ocorre uma


O Diabetes Mellitus (DM) é uma síndrome de sequência de eventos que levam a cicatrização da
comprometimento do metabolismo dos carboidratos, ferida, sendo estes: Inflamação, reepitelização,
das gorduras e proteínas, causadas pela ausência de contração e remodelação celular seguida da
secreção de insulina ou por resistência a sua ação nos remodelação tecidual (CAMÕES et al., 2011; KITCHEN,
tecidos (GUYTON; HALL, 2006). No diabético ocorre 2003; ROCHA, 2007).
uma dificuldade cicatricial nas feridas, devido ao Estima-se que o número de casos de Diabetes Mellitus
comprometimento da perfusão sanguínea, evitando um no mundo é em torno de 150 milhões, sendo previsto
adequado fornecimento de oxigênio, nutrientes e para dobrar esse número até 2025 na China e Índia.
antibióticos. Isso faz com que os estágios iniciais do (ABODERIN et al., 2001; BAL et al., 2005). No Brasil, o
reparo tecidual fiquem desorganizados, ocasionando DM vem acometendo indivíduos numa faixa etária de
um atraso no processo de regeneração tecidual (KWAN 30 a 69 anos, onde 50% deles desconhecem o
et al., 2013; SIQUEIRA et al., 2003). diagnóstico e 24% dos que tem confirmado não fazem
A cicatrização de feridas é um processo totalmente tratamento. O tratamento a laser é um método que visa
íntegro e complexo, que envolve a atividade celular e favorecer a regeneração tecidual, atuando
quimiotática, com liberação de mediadores químicos e principalmente no metabolismo celular, através de
Biota Amazônia ISSN 2179-5746 Macapá, v. 4, n. 2, p. 74-79, 2014
Disponível em http://periodicos.unifap.br/index.php/biota
Esta obra está licenciada sob uma Licença
Creative Commons Attribution 4.0 Internacional Submetido em 30 de Janeiro de 2014 / Aceito em 23 de Abril de 2014
Vidal-Ramos et al. | A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético

interação fotoquímica, acarretando diferentes efeitos, permitindo que se faça a calibração em segundos,
como analgésico, anti-inflamatório e reparador conforme descrito em Agne (2005). Uma máquina
(APARECIDA et al., 2013; PINTO, 2007). fotográfica do tipo digital de marca Sony, modelo:
Em decorrência da elevada taxa do diabetes cyber-shot e de 7.2 mega-pixels, goniômetro de modelo
mellitus na população nos últimos anos, faz-se da Fisiomed, luvas de procedimento de látex polietileno
necessário não apenas o tratamento desta doença, mas de marca Supermax, fita micropore, gaze de
a profilaxia e a remediação de patologias que procedimento e solução fisiológica de 0,9%.
sucumbem com o DM, como sua associação com úlceras
de decúbito. A oferta de equipamentos para o sistema Procedimentos
de saúde seria de grande utilidade para os pacientes. Foi realizada a avaliação clínica geral da paciente,
Contudo, a utilização do laser hélio neônio (Hene) para com anamnese e exame físico, mediante ficha específica
regeneração do tecido lesado tem demonstrado para este estudo. O processo ulcerativo foi avaliado por
benefício econômico e social diminuindo os gastos meio do protocolo de Say et al (2008), onde foram
públicos com saúde, já que o custo com materiais para analisados os aspectos como tamanho, profundidade,
procedimentos de reparação e higienização das coloração, odor, presença de tecido de granulação,
úlceras se torna cada vez maior. (ESMAEELINEJAD et al., d e s b r i d a m e n t o, d e n t r e o u t ro s. D u ra n t e o
2014; KITCHEN, 2003). acompanhamento da paciente obteve-se o registro
Portanto, embora os resultados obtidos em alguns fotográfico, como recurso para mensurar a evolução do
experimentos com metodologia e dosimetria sejam quadro da úlcera de decúbito.
variados (CAMÕES et al., 2011; PINTO, 2007; ORTIZ et O registro fotográfico ocorreu antes do início do
al., 2001), o presente estudo tem como objetivo verificar tratamento e na última sessão (30ª aplicação), os
os efeitos da laserterapia de baixa potência como atendimentos foram realizados em 5 sessões semanais
coadjuvante no tratamento de paciente diabético com consistindo de uma aplicação por dia do laser HeNe
úlcera de decúbito. durante 5 minutos. A irradiação foi realizado na borda
da úlcera, em tecido normal e repetido a cada 2 cm de
2. Material e Métodos intervalo na área central, porém, se o diâmetro
Foi acompanhada paciente diabética do Tipo II, sexo ultrapassa-se 3 centímetros consequentemente a
feminino, com idade 83 anos e portadora de úlcera de irradiação seria realizada no modo varredura sobre a
decúbito. Essa paciente foi submetida à aplicação de úlcera de decúbito, no qual Rocha e Barros (2007)
laser tipo HeNe, com comprimento de onda de 670 nm, relatam uma densidade de potência radiante de 60
2
modo pulsado, método pontual, densidade de energia mW, densidade de energia de 5 J/cm sendo feita uma
de 6 J/cm2, com duração de 5 minutos cada, a qual o aplicação por dia com duração de 5 minutos e intervalo
procedimento ocorreu durante 5 vezes por semana, com de 72 horas entre cada aplicação sobre a úlcera de
duração de 6 semanas. O presente estudo foi aprovado pressão.
pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Faculdade SEAMA A avaliação local da lesão dérmica e suas condições
(protocolo de pesquisa 041/2007). A paciente assinou primárias ocorreram na primeira sessão da semana,
um termo de consentimento livre e esclarecido de além de semanalmente, para melhor acompanhamento.
participação na pesquisa, sendo este de comum acordo O registro fotográfico foi analisado de maneira
com o Conselho Nacional de Saúde (Resolução qualitativa para critério de avaliação da úlcera de
196/96). decúbito.
O atendimento foi realizado no Laboratório de A paciente foi atendida por um período de 6
Recursos Terapêuticos Manuais (RTM) da Faculdade semanas, dependendo da data de adesão ao
Seama, sendo que para os critérios de inclusão o tratamento, e informada quanto aos cuidados básicos
indivíduo terá que apresentar idade acima de 70 anos, de limpeza e higiene da lesão cutânea, sendo realizada
ser portador de Diabetes Mellitus e úlcera de decúbito apenas com soro fisiológico 0,9%, e recebeu também
em região lombo-sacra. instruções sobre métodos de prevenção de novas
úlceras dependendo da etiologia em questão. Em caso
Instrumentação e equipamento de finalização do processo cicatricial ou manifestação
Foi utilizado nesse estudo o equipamento: Physiolux do desejo de abandono do projeto por parte da
Dual da IBRAMED, com caneta emissora InGaP (Índio paciente, a mesma foi informada a ser liberada
Gálio Fósforo), de laser diodo de emissão contínua conforme o termo de consentimento livre e esclarecido.
(CW), 30 nw de potência, com comprimento de onda Além disso, foi orientada a procurar atendimento na
670 nm (vermelho visível). O Physiolux Dual já vem área médica tendo em vista possível não evolução da
calibrado, de acordo com a potência do laser em úlcera.
energia emitida para a aplicação pontual,
estabelecendo a densidade de energia de 1 a 8 3. Resultados
Joules/ cm2 para a área de aplicação do feixe Laser Paciente colaborativa, hipertensa moderada
Biota Amazônia 75
Vidal-Ramos et al. | A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético

(130/90 mmHg), normocárdica (65 bpm), diabetes tipo diretamente envolvidos no processo de contração do
II, com diagnóstico anterior de fratura de colo de fêmur tecido granular, mostrando-se capaz de promover,
onde ficou hospitalizada no Hospital de Clínicas Alberto portanto, a aceleração do processo de cicatrização
Lima (HCAL) durante 17 dias e foi submetida ao (ESMAEELINEJAD et al., 2014; ORTIZ et al., 2001).
procedimento cirúrgico de redução aberta com fixação Deste modo, a proliferação celular se dá devido ao
interna. Desta forma, devido ao longo tempo de aumento de adenosina trifosfato (ATP), que ocorre pela
internação, imobilização e sem os devidos meios ativação do fluxo de elétrons da membrana
profiláticos a voluntária adquiriu ulceração de decúbito mitocondrial durante a cadeia respiratória das células
na região lombo sacral, grau 3, em decorrência de ser mitocondriais irradiadas pelo laser (AYUK et al., 2012).
uma região de proeminência óssea, além de apresentar Na última sessão 30ª aplicação, observa-se a
hipotrofia generalizada que se agravou com o quadro presença de extensa área coberta por tecido cicatricial,
clínico da paciente que possui DM descompensada. todavia esta havia sido regenerada totalmente na 22ª
O resultado foi obtido através da observação clínica aplicação, sendo a área necrosada expulsa do local na
por meio de fotos que foram retiradas antes de iniciar o 10ª aplicação. Deve-se a expulsão do tecido necrosado
tratamento e na 30ª aplicação. Na 1ª foto (Fig.1) pode- ao efeito de cicatrização que ocorre de forma
se observar que a úlcera sacral apresentava um centrífuga, haja vista que o crescimento do epitélio se
tamanho de 8 cm de comprimento por 4cm de largura, faz precocemente e as células epiteliais apresentam
profundidade de cerca de 1 cm, cor avermelhada por mitoses e começam a se aglomerar por baixo da área
toda a sua extensão, sem infecção, não apresentando necrosada, assim formando o tecido de granulação,
substâncias purulentas, e nem cheiro fétido. Além disso, expulsando a área de necrose (Fig.2). Durante o
apresentava focos de tecido morto e necrose tecidual, tratamento a paciente não relatou incômodos, que por
pois obtinha partes de coloração preta e sem processo sua vez pode ser devido à ausência de sensibilidade
de desbridamento, não revelando sinais de início de gerada pela DM, além do que a aplicação do laser
cicatrização. libera mediadores químicos responsáveis pela
A paciente não relatou dor ou qualquer incômodo no inativação sensorial da dor (ORTIZ et al., 2001).
local da úlcera, explicação que se dá devido à baixa
sensibilidade proporcionada pela oclusão crônica dos
pequenos vasos que estão presentes nas paredes dos
nervos, o que leva a diminuição do aporte sanguíneo
ocasionando a isquemia do tecido neural, podendo
ocasionar um distúrbio na condução dos estímulos
nervosos (GUYTON; HALL, 2006).

Figura 2. Medição da úlcera sacral cicatrizada na 30º aplicação.

4. Discussão
O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos da
laserterapia de baixa intensidade (Laser HeNe), no
tratamento de paciente portador de diabetes mellitus
com úlcera de decúbito, sendo que alguns estudos
descrevem que este tipo de laser é eficaz no
Figura 1. Medição da úlcera sacral necrosada durante a 1º fechamento de úlceras (ROIG et al., 1990; ROCHKIND,
aplicação. 1989; SUELI et al., 2002). Em nosso estudo, foi
observada a cicatrização de úlcera de decúbito na
A partir da 6ª aplicação foi possível observar tecido paciente diabética corroborando com os achados
cicatricial em determinados locais da úlcera. A acima. Desta forma, o laser penetra na pele
observação deste tecido cicatricial deve-se a modificando as enzimas através da absorção do fóton,
proliferação celular, principalmente de fibroblastos, e consequentemente, aumentando o ritmo de
pois com a aplicação do laser os fibroblastos se transferência da cadeia de elétrons da membrana
modificam para miofibroblastos, que por sua vez estão mitocondrial elevando o número de prótons para fora
Biota Amazônia 76
Vidal-Ramos et al. | A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético

da célula. Além disso, as mitocôndrias se modificam total de 30 aplicações, com a úlcera completamente
para mitocôndrias gigantes proporcionando altos níveis cicatrizada na 22ª aplicação, porém deve-se levar em
de respiração e energia de reposição elevando o nível questão o realinhamento tecidual.
de ATP, ou seja, o laser direciona as membranas Segundo Rigau (1996), o ideal é que a energia não
mitocondriais externas a uma modificação nas ultrapasse 40 J/cm2. No entanto, para Al-Watban e
propriedades químicas e físicas, gerando potencial Zhang (1995) em estudos realizados com ratos,
eletroquímico e aumento na síntese de ATP (DADPAY et observou-se o efeito do laser sobre o processo cicatricial
al., 2012; ORTIZ et al., 2001). No caso da paciente e constataram que os resultados foram dependentes das
estudada por ser portadora de diabetes mellitus a doses e da frequência do tratamento, pois em mais de
cicatrização ocorre de maneira mais lenta pela falta de cinco dias por semana obteve-se efeito negativo sobre a
glicose, o que demonstra a efetividade do laser durante cicatrização. Em contrapartida, no presente estudo a
o processo cicatricial sem necessitar do auxílio da cicatrização ocorreu com uma frequência de 5 sessões
glicose, pois esta se encontra diretamente envolvida na semanais, abaixo do tempo previsto.
fase de respiração anaeróbia da célula. Apesar de se tratar de estudo de caso, não se pode
No final da década de 60 e início dos anos 70, a ignorar a importância clínica do resultado obtido na
primeira aplicação do laser de baixa intensidade foi úlcera de decúbito. O registro fotográfico e a
experimentada em humanos para o tratamento dos mensuração da área da úlcera indicam que na maioria
diversos tipos de úlceras crônicas, quando foram dos casos há uma progressão no sentido de cicatrização
2
utilizadas fontes HeNe e doses de até 4 j/cm havendo segundo as literaturas (ESMAEELINEJAD et al., 2014;
obtenção de êxito nesses primeiros estudos, tendo em TAM, 1999; GONÇALVES et al., 2000).
vista a velocidade mais rápida de cicatrização. Logo, a É difícil comparar o nosso resultado com os
modalidade tornou-se rapidamente popular nesta encontrados na literatura, pela metodologia não ser a
aplicação (KITCHEN; BAZIN, 1998). mesma, pois nos estudos os pacientes foram submetidos
Em estudo realizado por Arantes et al (1992), com à aplicação de laser apenas duas vezes por semana
pacientes portadores de úlcera de membro inferior, (MESTER et al., 1985; LUNDEBERG; MALM, 1991). Em
observou-se melhores resultados no tratamento sem relação a alguns trabalhos o presente estudo de caso
recidivas e com diminuição ou ausência de complicações mostra-se eficaz, pois houve a diminuição do tempo de
obtidas com tratamento clínico associado à laserterapia tratamento, levando em consideração a quantidade de
de baixa intensidade, corroborando com os resultados aplicações do laser, a metodologia empregada, além
de nosso estudo, em que o tratamento foi realizado por de se tratar de paciente diabético.
um período de 6 semanas, sendo o laser aplicado ao Este estudo demonstra que o laser Hene é capaz de
longo da semana cinco vezes. fornecer bons resultados no tratamento de úlceras de
Nos achados de Roig et al (1990) que realizaram o decúbito em paciente diabético. Desta maneira,
tratamento de úlcera de decúbito em região sacral de Camões et al (2011) afirma que a epitelização inicia-se
lesado medular com laser Hene, observaram a a partir das bordas da úlcera e de alguns focos
diminuição do tempo de reabilitação e melhora do epidérmicos como podemos observar nas figuras (1) e
trofismo da região afetada e da dor, sem a ocorrência (2) deste estudo, ou seja, demonstrando os benefícios
de recidiva. No entanto, Fiurini (1993) propõe que a que o laser pode oferecer ao indivíduo. No entanto, há
utilização de laser Hene em cicatrização de úlceras escassa literatura que aborda um consenso do melhor
cutâneas crônicas possui um tratamento de eficácia tipo de laser para o tratamento de úlceras (AYUK et al.,
superior aos procedimentos fisioterápicos convencionais, 2012; RIGAU, 1996), todavia o laser HeNe é o que
sendo que este não é um estudo controlado. No presente possui mais resultados satisfatórios.
estudo foi observado que se tratava de uma úlcera Segundo Lundeberg e Malm (1991) os pacientes com
crônica, e com a intervenção do laser foi possível úlcera de decúbito que foram atendidos 2 vezes por
observar que houve melhora da sensibilidade, do semana, durante 12 semanas não foi constatada
trofismo e coloração da derme. diferença significativa. Porém, estudos experimentais
Há ampla variedade sobre a energia ideal para sugerem que o laser HeNe auxilia no tratamento de
condições diferentes, que vai desde tecido cartilaginoso tecido cicatrizável e a irradiação estimula a
até neural. As faixas mais utilizadas ficam entre 1 a 10 elasticidade desse tecido, pois os benefícios da
J/cm2, mas doses baixas como 0.5 J/cm2 e altas como dosagem correta do laser HeNe na estimulação de
32 J/cm2 têm sido sugeridas (LOW; REED, 2001). Assim, fibroblastos já foram relatados por diversos autores
no presente trabalho, a densidade de energia utilizada (KWAN et al., 2013; AYUK et al., 2012; DAPAY et al.,
no tratamento de úlcera de decúbito foi de 6 J/cm2, 2012), mas a dosagem errada pode levar a
devido à maioria dos estudos obterem sucesso em suas coagulação do tecido irradiado, o que justifica a
pesquisas com a potência abaixo de 10j/cm2, e continuidade dos estudos na determinação de todos os
utilizando o laser HeNe. Nesta pesquisa utilizou-se o parâmetros necessários para a terapia correta e eficaz
método pontual, sendo cinco sessões semanais, com um (LUNDEBERG e MALM, 1991).
Biota Amazônia 77
Vidal-Ramos et al. | A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético

Sabe-se também que há muitas controvérsias a ABODERIN, I.; KALACHE, A.; BEN-SHLOMO, Y.; LYNCH, J. W.;
respeito do tempo de aplicação e da intensidade da YAJNIK, C. S.; KUHD et al. Life course perspectives on
coronary heart disease,stroke and diabetes: key issues and
terapia por laser de baixa intensidade. Num estudo em implications for policy andresearch. World Health
ratos, Aparecida et al (2013) verificaram que a Organization, Geneva. 2001
aplicação do laser de AsGa por 5 minutos aumenta BAL, A.; DAS, A. K.; PENDSEY, S.; SURESH, K. R.; VISHWANATHAN,
significativamente o reparo das úlceras, entretanto a V.; AMBARDEKARP Handbook of diabetic foot care. Diabetic
aplicação por 10 minutos reduz o avanço do reparo, Foot Society of India, Bangalore. 2005.
CAMÕES BARBOSA A, SIMÕES H, LORGA S, MENDES M. Low-level
tanto macroscopicamente como histologicamente. Outro laser therapy in the treatment of diabetic ulcers: an evidence
ponto a ser discutido é que neste trabalho as sessões de problem. Acta Med Port. 24 Suppl 4, p. 875-80, 2011.
laserterapia foram realizadas 5 vezes por semana e DADPAY, M.; SHARIFIAN, Z.; BAYAT, M.; BAYAT, M.; DABBAGH, A.
obtiveram-se bons resultados. Effects of pulsed infra-red low level-laser irradiation on open
De certa forma, Ayuk et al (2012) sugere em seu skin wound healing of healthy and streptozotocin-induced
diabetic rats by biomechanical evaluation. J Photochem
estudo um intervalo entre as aplicações para Photobiol B. v. 4; n. 111, p. 1-8, 2012.
acompanhar e promover a síntese de colágeno, tendo ESMAEELINEJAD, M.; BAYAT, M.; DARBANDI, H.; BAYAT, M.;
ótimos resultados com esse procedimento. Em MOSAFFA, N. The effects of low-level laser irradiation on
contrapartida, em nosso trabalho as sessões de cellular viability and proliferation of human skin fibroblasts
aplicações foram ininterruptas e os resultados de cultured in high glucose mediums. Lasers Med Sci. v. 29, n. 1, p.
121-9, 2014.
cicatrização também foram alcançados. Logo, não foi FIURINI, N. J. R. Utilização de laser Hene em cicatrização de úlceras
observado resultados que direcionassem a otimização rebeldes. Fisioterapia em Movimento. v. 6, p. 09-15, 1993.
de um comprimento de onda do laser de baixa GONÇALVES, R. C.; RENNO, A. C. M.; SAY, K. G.; PARIZOTTO, N. A .
intensidade para uma etiologia específica de úlcera Ação do Laser de Baixa Intensidade no Tratamento de Úlceras
(TAM, 1999). Cutâneas. Revista Praxisterapia, v. 3, n. 3, p. 11-15, 2000.
GUYTON, A. C.; HALL, J. E. Tratado de Fisiologia Médica.11ª ed.
A paciente obteve resultados rápidos de Rio de Janeiro: Ed. Elsevier; 2006.
cicatrização após longo período de instalação da KITCHEN, S.; BAZIN, S. Eletroterapia de Clayton, 10º ed. São Paulo:
úlcera de decúbito, a qual lhe causava muitos incômodos Manole. p. 191-210. 1998
e limitava suas atividades de vida diária (dor, vestuário, KITCHEN, S. Eletroterapia: Prática Baseada em Evidência. 2ª ed.
transferência e higiene pessoal). Portanto, sugerimos São Paulo: Ed. Manole, 2003.
que este estudo continue a ser pesquisado com maior KWAN, R. L.; CHEING, G. L.; VONG, S. K.; LO, S. K. Electrophysical
therapy for managing diabetic foot ulcers: a systematic review.
número de sujeitos e com outros métodos, para que a Int Wound J. v. 10, n. 2, p. 121-31, 2013.
temática laser-úlcera possam ser melhor entendidas e LOW, J. REED, A. Eletroterapia explicada: princípios e prática. 3º
estabeleçam os benefícios desta terapia quanto à ed. São Paulo: Manole, 2001. p. 389-409.
cicatrização de úlceras de decúbito em pacientes LUNDEBERG, T. MALM, M. Low-power Hene Laser Treatment of
diabéticos. venous leg ulcers. Ann Plast Surg. 1991; 27: 537-539.
MESTER, E. MESTER, A. MESTER, A. The biomedical effects of laser
application. Lasers In Surg Med. 1985; 5: 31-39.
5. Conclusão ORTIZ, M. C. S.; CARRINHO, P. M.; SANTOS, A. S.; GONÇALVES, R.
Pela análise quantitativa dos resultados obtidos e C.; PARIZOTTO, N. A. Laser de baixa intensidade: princípios e
nas observações clínicas, o presente estudo demonstrou, generalidades – Parte 1. Fisioterapia Brasil, v. 2, n. 4, p. 221-
que o efeito do laser Hene como coadjuvante é eficaz 240, 2001.
no processo de cicatrização de úlcera de decúbito em ORTIZ, M. C. S.; CARRINHO, P. M.; SANTOS, A. S.; GONÇALVES, R.
C.; PARIZOTTO, N. A. Laser de baixa intensidade: princípios e
paciente diabético. generalidades – Parte 2. Fisioterapia Brasil, v. 2, n. 6, p. 337-
350, 2001.
6. Referências Bibliográficas PINTO, M. V. M.; COSTA, D. A.; AGUIAR, J. L. N.; BARAUNA, M. A.;
AGNE, J. Eletrotermoterapia teoria e prática. Santa Maria: Orium, SILVA, A. L. S.; BIAGINI, A. P., et al. Análise do efeito da terapia
2005. laser de baixa intensidade e do controle doloroso na
AL-WATBAN F, ZHANG Z. Stimulative and inhibitory effects of low cicatrização da úlcera venosa. Dor, v. 08, n. 4, p. 1133-1137,
incident bels of argon laser energy on wound healing. Laser 2007.
Therapy. v. 7, p. 11-18, 1995. RIGAU, J. Acción de la luz laser a baja intensidad en la modulación
APARECIDA DA SILVA A, LEAL-JUNIOR EC, ALVES AC, RAMBO CS, de la función celular. [Tese]. Barcelona: Universidad de
DOS SANTOS SA, VIEIRA RP, DE CARVALHO P T. Wound-healing Barcelona; 1996.
effects of low-level laser therapy in diabetic rats involve the ROCHA, L. L. V.; PINTO, M. V. M.; MARIA, J.; VIEIRA, A. J. D.;
modulation of MMP-2 and MMP-9 and the redistribution of MARTINS, P. R.; COSTA, K. F. F. V.; et al. Efeito da laserterapia
collagen types I and III. J Cosmet Laser Ther. v. 15, n. 4, p. 210- sobre o modelo experimental de inflamação granulomatosa.
6, 2013. Fisioterapia Brasil, v. 8, p. 335-341, 2007.
ARANTES, C. GRISS J. MARTIS L. GRISS M. Fisioterapia preventiva ROCHKIND, S. Systemic effects of low-power laser irradiation on
em complicações de úlceras de membros inferiores. the peripheral and central nervous system, cutaneous wounds,
Fisioterapia em Movimento. v. 4, p. 47-66, 1992. and burns. Lasers Surg Med, v.9, n.2, p.174-182,1989.
AYUK SM, HOURELD NN, ABRAHAMSE H. Collagen production in ROIG, J. L. G.; TRASOBARES, E. M. L.; SANCHEZ, H. M.; ALVAREZ A.
diabetic wounded fibroblasts in response to low-intensity laser V. J. Tratamento de lãs úlceras por préssion em el lesionado
irradiation at 660 nm. Diabetes Technol Ther. v. 14, n. 12, p. medular com laser de baja potencia y cirurgia. Presentation de
1110-7, 2012. um caso. Cuba Ortop Traumatol. v. 4, n. 2, p. 41-5, 1990.

Biota Amazônia 78
Vidal-Ramos et al. | A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético

SAY, K. G.; GONÇALVES, R. C.; RENNÓ, A. C. M.; PARIZOTTO, N. A. O


tratamento fisioterapêutico de úlceras cutâneas venosas crônicas
através da laserterapia com dois comprimentos de onda.
Fisioterapia Brasil. v. 4, n. 1, p. 40- 49, 2003.
SIQUEIRA F, REINERT T, CORREA K, KOTZ J, BERTOLINI G. Uso do laser
de baixa intensidade, AsAlGa, 830 nm em pacientes portadores
de úlceras de pressão. Reabilitar. v. 23, p. 10-15, 2003.
SUELI, M. C.; COGO, J. C.; RIBEIRO, W.; MARTINS, R.A.B.L. Avaliação
do efeito de laseres de baixa potência- AsGa e HeNe – na
dermatite tópica induzida por óleo de cróton em orelha de
camundongos. Fisioterapia Brasil, v. 3, n. 4, p. 207-215, 2002.
TAM, G. Low power laser therapy and analgesic action. J Clin Laser
Med Surg, v. 17, p. 29-33, 1999.

Biota Amazônia 79