Você está na página 1de 3

A Soberania de Deus

Para começarmos a falar da Soberania de Deus precisamos falar um pouco da vontade de Deus.

A Vontade de Deus é a causa final e determinante de todas as coisas.

Para Deus, vontade é mais do que desejo, é expressão de sua natureza, da sua liberdade, do seu propósito e também do seu
deleite.

A Soberania, ou onipotência é um atributo ligado a vontade de Deus.

É a capacidade e liberdade que Deus tem de fazer tudo que estiver de acordo com a sua vontade.

Paulo em Ef 1.11 se refere a Deus como alguém que "faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade".

Todas as coisas foram criadas pela vontade de Deus: "Você criou todas as coisas por sua vontade elas foram criadas" Ap 4.11

Devemos fazer uma distinção entre vontade de Deus e a liberdade de Deus.

A Vontade de Deus deve incluir tudo o que ele deve determinar de acordo com sua natureza.

Deus é o eternamente ser, ele é o que é.

Ele diz: "Eu sou o que sou" ou "Eu sou o que continuo sendo sempre" Ex 3.14, este é o sentido para o seu nome, Yahweh.

Deus não pode ser diferente do que ele é, ou simplesmente deixar de existir, porque ele É.

O poder de Deus é infinito! Mas isso não quer dizer que não haja limitações no poder de Deus.

Essas limitações existem porque são imposto pela sua própria natureza.

Deus não pode pecar ou fazer o mal. Deus tem o poder pleno para cumprir toda sua vontade.

A vontade de Deus nunca pode ser frustrada. Ele faz o que Ele quer.

Todas as coisas são feitas segundo o conselho de sua vontade.

Is 43.13 "Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhuma há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem o
impedirá?"

A vontade de Deus é a causa final de todas as coisas, como a criação e a providência.

Ap 4.11 "Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por
causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas."

A responsabilidade do homem.

Dn 4:35 "Todos os moradores da terra são por ele reputados em nada; e, segundo a sua vontade, ele opera com o exército do
céu e os moradores da terra; não há quem lhe possa deter a mão, nem lhe dizer: Que fazes?"

A salvação dos eleitos.

Ef 1:11 "nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas
conforme o conselho da sua vontade,"

A morte de Cristo na cruz.


At 2:23 "sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de
iníquos;"

O sofrimento dos cristãos.

1Pe 3:17 "porque, se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal."

Quem reina é Deus, e não o homem!

Is 43:11 "Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há salvador."

Estamos diante, portanto, diante da sua:

Onipotência Jr 32:27 "Eis que eu sou o SENHOR, o Deus de todos os viventes; acaso, haveria coisa demasiadamente
maravilhosa para mim?"

Onipresença Sl 139:7 "Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se
faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos
mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá."

Onisciência 1Jo 3:20 "pois, se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que o nosso coração e conhece todas
as coisas."

Além de Deus poder fazer a Sua vontade, Deus tem capacidade de escolher o que Ele quer.

Deus não criou o mundo porque precisava criar, mas simplesmente porque ele quis.

Deus age secretamente em sua vontade, predestinando todas as coisas.

Deus permite o pecado e o mal. Sabemos que Deus não é a causa do pecado. Mas é a vontade de Deus permitir o sofrimento,
o mal, o pecado.

Ele ordenou que o homem possuísse vontades (desejos).

Ordenou algumas coisas ativamente, isto é, com prazer (como a salvação) e outras coisas passivamente, ou sem prazer (como
a morte do ímpio Ez 33:11 "Dize-lhes: Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, não tenho prazer na morte do perverso,
mas em que o perverso se converta do seu caminho e viva."

Deus não é responsável pelo mal, mas sim as pessoas que praticam o mal.

Deus deseja que os homens sejam justos. Por isso ele deu a lei moral ao homem.

Mas o homem não pode por sua própria conta ser justo diante de Deus, pois o homem pecou, e é inimigo de Deus, sem a
graça de Deus o homem está condenado.

A vontade de Deus não é um decreto, mas sim a expressão do seu caráter reto.