Você está na página 1de 58

Faculdade São Salvador

Curso de Fisioterapia

FISIOTERAPIA NO CÂNCER DE MAMA

Fisioterapia Aplicada a Dermato-Funcional


Profª.: Ana Rachel Martins Cammargo Bastos
CÂNCER DE MAMA
CÂNCER DE MAMA
CÂNCER DE MAMA
 Fatores de Risco do Câncer de Mama

 Fatores Demográficos:  Hábitos de Vida:


• Idade • Atividade Física
• IMC • Tabagismo
• Contraceptivos orais
 Fatores Familiares • Reposição hormonal
• Álcool
 Fatores Reprodutivos: • Alimentação
• Menarca e menopausa
• Gestação  Fatores Ambientais
• Amamentação
CÂNCER DE MAMA

MORTALIDADE

Estadiamento do câncer de mama

TNM
Tumor Node Metastasis
CÂNCER DE MAMA
Estadiamento ( Clínico e Histopatológico)

Estádio T N M
0 Tis N0 M0
I T1 N0 M0
IA T2 N0 M0
IIA T3 N0 M0
IIB T4 N0 M0
IIIA T1 – T2 N1 M0
IIIB T3 – T4 N1 M0
IIIC Qualquer T N2 M0
IV Qualquer T Qualquer N M1
CÂNCER DE MAMA
CÂNCER DE MAMA
 Diagnóstico

 Diagnóstico Clínico:
• Anamnese
• Exame Físico
• Auto exame

 Diagnóstico por Imagem:


• Mamografia
• Ultrassonografia
• RNM
CÂNCER DE MAMA
Tratamento Oncológico

Estadiamento

Doença Local Metástase

Tratamento curativo Tratamento paliativo

Cirurgia
Quimioterapia
Radioterapia
Hormonioterapia
CÂNCER DE MAMA
Tratamento do Câncer de Mama

Local:
• Loco regional: Cirurgia e Radioterapia
• Sistêmico: Quimioterapia e Hormonioterapia

Momento:
• Neoadjuvante: Reduzir o tamanho do tumor, melhorar as
condições cirúrgicas.
• Adjuvante: Após o tratamento cirúrgico, para controle da doença.

Intenção:
• Curativa: Sem tumor residual identificado.
• Paliativa: Tumor residual. Controle de sintomas.
CÂNCER DE MAMA

 Quimioterapia

 Administração de drogas citotóxicas a fim de eliminar ou inibir


micrometástases clinicamente ocultas.

 Hormonioterapia

 Indicação:
Tumor com receptor de estrogênio positivo (melhor prognóstico)

• Tamoxifeno;
• Arimidex.
• Bloqueiam a formação do estrogênio;
• Após QT até 5 anos.
CÂNCER DE MAMA
Radioterapia no câncer de mama
 Local

• Mama residual: cirurgias conservadoras (obrigatório).


• Plastrão: mastectomias (tumor aderido, sem margem de
segurança).
• Cadeias de drenagem: comprometimento dos linfonodos axilares.
CÂNCER DE MAMA
 Cirurgias para Câncer de Mama
 Cirurgia mamária
• Conservadora
• Mastectomia

 Cirurgia axilar
• Linfadenectomia axilar
• Biópsia do linfonodo sentinela

 Reconstruções mamárias imediatas ou tardias


• Transposição do músculo reto abdominal (TRAM)
• Grande dorsal com implante de silicone
• Expansor
• Implante de silicone
CÂNCER DE MAMA
 Biópsia do Linfonodo Sentinela
 Indicação
• Tumores de até 3 cm
• Axila clinicamente negativa

 Contra-indicação
• QT neoadjuvante
• Cicatrizes extensas
• Mamoplastia
• Gestação

 Técnicas
• Azul patente
• Radio-fármaco (Tecnésio)
CÂNCER DE MAMA
 Biópsia do Linfonodo Sentinela (Azul patente)
CÂNCER DE MAMA
 Linfadenectomia Axilar

 Indicações

• Carcinomas infiltrantes
• Axila clinicamente positiva
• Tumores > 3,0 cm
• Após QT neoadjuvante
CÂNCER DE MAMA
 Cirurgias Conservadoras

 Retirada parcial da mama

• Tumorectomia
• Segmentectomia
• Quadrantectomia

 Associada a abordagem axilar

• LA (Linfadenectomia axilar)
• BLS (Biópsia do linfonodo sentinela)

 Indicação restrita

• Relação mama x tumor


• Possibilidade de RxT pós-operatória
• Estrutura social
CÂNCER DE MAMA
 Cirurgias Conservadoras
CÂNCER DE MAMA

 Cirurgias Radicais (Mastectomia)

 Mastectomia Radical Halsted

• Glândula mamária
• Linfonodos axilares
• Músculos peitoral maior e menor
CÂNCER DE MAMA

 Cirurgias Radicais (Mastectomia)

 Mastectomia Radical Modificada

• Glândula mamária + LA ou BLS


• Patey: retirada do músculo peitoral menor
• Madden: preservação dos músculos peitorais
CÂNCER DE MAMA

 Cirurgias Radicais (Mastectomia)

 Mastectomia simples / total / higiênica

• Glândula mamária

 Mastectomia Subcutânea ou Preservadora de Pele

• Glândula mamária + LA ou BLS


• Preserva a pele;
• Normalmente associada a reconstrução mamária
imediata.
CÂNCER DE MAMA

 Efeitos Adversos da Cirurgia

 Cirurgia Conservadora  Em comum

• Linfedema na mama residual • Alterações:


• Posturais
 Mastectomia • Cicatriciais
• Linfáticas
• Mama fantasma • Respiratórias
• Neurológicas
CÂNCER DE MAMA

 Complicações pós-operatórias
LA x BLS
 Linfadenectomia axilar  Linfonodo sentinela

• Maior proporção • Menor proporção

• Complicações:
Seroma – 21%
Linfedema – 2,4%
Infecção – 4,1 %
Limitação de movimento – 1,8%
Deiscência de sutura – 0,9%
CÂNCER DE MAMA

 Reconstrução Mamária

 Tecidos Autólogos

• TRAM (retalho miocutâneo do reto abdominal)


• Grande dorsal (associado a prótese)
• Glúteo máximo

 Silicone (poupadora de pele)

 Expansores
CÂNCER DE MAMA

 TRAM (retalho miocutâneo do reto abdominal)

 Indicação:
• MRM ( Patey ou Madden) ou Halsted

 Contra-indicação:
• Cirurgias prévias na parede abdominal
• Doenças sistêmicas

 Vantagens:
• Melhor resultado estético (mama e abdômen)
• Certo grau de ptose
CÂNCER DE MAMA
 TRAM (retalho miocutâneo do reto abdominal)
CÂNCER DE MAMA
 TRAM (retalho miocutâneo do reto abdominal)
Descolamento da Parede Abdominal
CÂNCER DE MAMA
 TRAM (retalho miocutâneo do reto abdominal)
CÂNCER DE MAMA
 TRAM (retalho miocutâneo do reto abdominal)
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Grande Dorsal e Implante de Silicone
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Grande Dorsal e Implante de Silicone
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Grande Dorsal e Implante de Silicone
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Grande Dorsal e Implante de Silicone
CÂNCER DE MAMA
 Cirurgia poupadora de pele com implante imediato
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Expansores e Implantes

 Vantagens:
• Menor morbidade cirúrgica;
• Menor tempo cirúrgico;
• Menor tempo de internação;
• Reposição sanguínea desnecessária;
• Sem necessidade de áreas doadoras;
• Poucas cicatrizes;
• Preservação da textura;
• Reversibilidade do método.
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Expansor
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Expansor
CÂNCER DE MAMA
 Reconstrução com Expansor
CÂNCER DE MAMA
 FISIOTERAPIA

 Todas a fases do câncer de mama

• Pré-tratamento oncológico
• Pós-operatório imediato
• Seguimento / Complicações do tratamento
• Recidiva da doença / Tratamento paliativo
CÂNCER DE MAMA
 FISIOTERAPIA

Prevenção

Complicações

Tratamento Controle
CÂNCER DE MAMA
 Principais Complicações do Tratamento Sistêmico (QT e HT)

• Menopausa precoce
• Trombose venosa profunda
• Alterações cutâneas
• Flebite (local)
• Piora dos sintomas pré-existentes
• Infecções
• Náuseas e vômitos
• Queda do estado geral
• Edemas
• Neuropatias
• Fadiga
CÂNCER DE MAMA
 Principais Complicações da Radioterapia

Restrição articular Radiodermite

Capsulite Linfedema Aderência


CÂNCER DE MAMA
 Principais Complicações do Tratamento Cirúrgico

• Restrição articular
• Aderências
• Linfedema
• Síndrome da rede axilar
• Seroma
• Deiscência
• Necrose do retalho cutâneo
• Hematoma
• Alteração da sensibilidade
• Síndrome da mama fantasma
• Neuroma
• Escápula alada
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia
Principais Complicações do Tratamento Sistêmico

• TVP  BIA’s, terapia compressiva, DLM

• Fadiga  Atividade física de baixo impacto (caminhada, esteira,


bicicleta).

• Edema/Linfedema  DLM, terapia compressiva, cinesioterapia.

• Algia/Neuropatia  DLM, TENS, crioterapia, dessensibilização.


CÂNCER DE MAMA

 Fisioterapia durante a Radioterapia

• Hidratação da região irradiada (antes e após


a RXT);
• Manter atividade física (melhora da fadiga);
• Contra-indicado exposição solar;
• Evitar atividade na piscina;
• Orientações quanto ao vestuário;
• Manter exercícios com os membros
superiores;
• Não manipular a região que está sendo
irradiada;
• Não fazer calor ou crioterapia no local;
• Se necessário, realizar tratamento para
edema/linfedema.
CÂNCER DE MAMA

 Fisioterapia após a Radioterapia

• Hidratação da região irradiada;


• Atividade aeróbica;
• Descolamento (2 semanas após);
• DLM.
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia – Orientações Preventivas - LA

• Cuidados com a pele (higiene, hidratação,


micoses);
• Evitar traumatismos cutâneos (cortes,
queimaduras, picadas de inseto, retirar
cutículas...);
• Usar luvas de proteção durante atividades do
lar;
• Não usar saunas ou banheiras quentes;
• Usar malhas de compressão durante viagens de
avião;
• Evite apertar o braço afetado;
• Atenção aos sinais flogísticos;
• Evite carregar peso e fazer movimentos rápidos
e repetidos com o membro (LER);
• Exercícios de MS limitado a 90° (até retirada
dos pontos).
CÂNCER DE MAMA

 Fisioterapia Pós-Operatório Imediato (POI)

• Avaliação
• Movimento limitado a 90 graus (+- 15 dias)
• Uso de sutiã compressivo
• Mobilização escapular
• DLM (alívio dos sintomas)
• Orientações posturais
• Orientações domiciliares
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia Pós-Operatório Imediato (POI) - TRAM
• Decúbito dorsal com semi-flexão de
tronco e joelhos (15 dias);
• Marcha com semi-flexão de tronco
(15 dias);
• Mudança de decúbito em DL contra-
lateral;
• Uso de malha compressiva
abdominal (1 a 3 meses);
• Uso de meia compressiva nas 48
horas de PO (leito);
• Exercícios respiratórios;
• Exercícios de MMII;
• Exercícios de MS limitado a 90° (até
retirada dos pontos);
• Contra-indicação de exercícios de
fortalecimento abdominal.
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia Pós-Operatório Tardio
• Avaliação
• Liberar amplitude de movimento
• Orientações domiciliares preventivas
• Tratamento fisioterapêutico (quando indicado)
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 SEROMA

• Acúmulo de líquido no leito cirúrgico;


• Presença de área de flutuação.

• Prevenção Fisioterapêutica:
- Cuidados com o dreno na manipulação do braço;
- Mobilização do braço até 90°.

• Tratamento Fisioterapêutico:
- Redução da amplitude articular;
- Terapia compressiva;
- DLM (a distância).
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Abertura da Ferida Operatória

• Prevenção Fisioterapêutica:
- Mobilização do braço até 90°.

• Tratamento Fisioterapêutico:
- Redução da amplitude articular;
- Massagem cicatricial após cicatrização;
- DLM pericicatricial.
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Alteração da sensibilidade

• Lesão do nervo intercostobraquial


• Axila, região interna de braço e região torácica

• Incidência – BLS: 0 a 64%


LA: 22 a 92%
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Alteração da sensibilidade

• Tendência a diminuir com o seguimento pós-operatório;


• Mais comum em mulheres mais jovens;
• Tratamento fisioterapêutico:
- Dessensibilização;
- Compressa gelada;
- TENS.
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Escápula Alada

• Lesão do nervo torácico longo


• Serrátil anterior
• Incidência INCA
Neuropraxia: 66% 
Neurotmese: 16% 
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Escápula Alada

• Tratamento Fisioterapêutico
- Recursos analgésicos;
- Cinesioterapia;
- Mobilização da cintura escapular;
- Relaxamento cervical;
- Alongamento global;
- Eletroestimulação.
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Síndrome da Rede Axilar

• Trombose Linfática Superficial


Dor e restrição articular
• Tromboflebite Esclerosante
• Fibrose do Coletor Linfático
CÂNCER DE MAMA
 Fisioterapia nas Complicações Cirúrgicas
 Síndrome da Rede Axilar

• Prevenção fisioterapêutica:
- Cinesioterapia precoce;
- Alongamento;
- Orientação postural.

• Tratamento fisioterapêutico
- DLM;
- Alongamentos suaves;
- Rompimento do cordão linfático;
- Analgesia (crioterapia / TENS).