Você está na página 1de 7

Voltar no tempo...

1899
Foi em 11 de julho de 1899 que Giovanni Agnelli, Ludovico Scarfiotti e

contagem Emanuele Bricherasio di Cacherano entrou no gabinete do

notário público Ernesto Torretta no número 6 via Arsenale em Turim para

arquivo dos estatutos de Fabbrica Italiana di Automobili Torino.

Isto marcou o início de uma das aventuras mais apaixonante do século

XX, uma história de homens, motores, estradas, tecnologia e, na verdade,

a arte também. No mundo da arte, encontramos o pintor de Turim, Giovanni Carpanetto, que a nova

empresa encomendou para criar um cartaz de publicidade para o evento. Canto superior esquerdo, tintas

artista um pequeno pergaminho no qual as iniciais da empresa são cada seguido de um ponto adequado

de tal uma maneira que o nome F.I.A.T. não poderia ser lido como uma única palavra, dada a associação

bíblica pesada (meios de 'fiat' 'let there be"em latim).

Foi precisamente este logotipo, que apareceu em um cartaz de publicidade em 1899, que se tornou a

primeira marca registrada da empresa de Turim. Reproduzido no estilo rococó sobre uma placa de

bronze, foi perfeito para os gostos do período e as linhas dos primeiros veículos, que ainda eram

estilisticamente muito semelhantes para carruagens puxadas por cavalos. Esta marca ostenta o nome

completo da empresa (Fabbrica Italiana di Automobili Torino), o nome F.I.A.T. e o número de série do

veículo. Daí é claro que a sigla ainda não era o nome oficial da empresa, mas apenas do produto

exclusivo marca, quase ofuscado pelo número de série.

Os primeiros modelos para ser decorada com esta placa foram os exemplos de vinte e seis da Fiat 3 ½

HP, também conhecido como o 4 HP na época, fabricado entre 1899 e 1900. Caracterizando um 679 cc

horizontal twin-cilindros do motor montado transversalmente na parte traseira e fornecer uma saída de

potência 4. 2 a 800 rpm, este modelo atingiu uma velocidade máxima de 35 km/h. O emblema Fiat foi

localizado à esquerda da tampa frontal e o nome foi pintado à mão. A marca de Carpanetto também foi

adoptada pela HP 6/8 e, em 1901, por 8 HP, primeiro veículo da empresa com um motor montado em

frente - um design twin-cilindro vertical com uma potência de 10 cavalos de potência a 1100 rpm, capaz

de levá-lo para a 45 km/h. Por último mas não menos importante, os primeiros modelos HP 12

brevemente suportaram a placa de latão até que a primeira marca Fiat verdadeira - o resultado de um

projeto de profundo aprofundada estilística e design gráfico - foi usada.

1901
Dois anos após a Fundação da companhia Turim, produção de veículos

movidos a uma escala industrial totalmente. Já não era uma questão de

veículos semelhantes carruagens que só foram produzidas em pequenas

quantidades, mas adequados veículos automóveis concebida ao longo de

princípios de design inovador, caracterizando radiadores grelha ou um favo

de mel.

Ele foi, de facto, na Primavera de 1901 que Fiat apresentou a 12 HP. projetado pelo engenheiro Giovanni

Enrico, sucessor do engenheiro Aristide Faccioli, ele foi o primeiro veículo de Turim com um motor de

quatro cilindros com um design de bloco de cilindro duas peças, isto é formado de um par de cilindros de

twin. Este modelo também marcados novos desenvolvimentos na produção e vendas, com cento e seis

carros fabricados e pela primeira vez exportado para além das fronteiras da Itália - para a França, para

ser mais preciso.

Sublinhando esta estréia promissora, a estréia da empresa, a empresa decidiu distinguir a 12 HP com

uma verdadeira marca. Este tomou a forma de uma placa de bronze esmaltada com elementos gráficos

em estilo Liberty. Abandonando os caracteres da criação anterior do pintor Carpanetto, a palavra Fiat

assumiu uma nova apresentação e um estilo diferente. No centro da marca, dentro de um retângulo, o

nome de Fiat apareceu sem paragens completo, e a letra a em destaque um top distintivo curva à direita

que fizeram o caminho para a letra t e equilibrando os outros personagens. Equilíbrio, solidez e identidade

foram as qualidades transmitidas. Este último, em particular, foi sublinhado pelo fato de que havia sem

escalas completo entre as letras, indicando que o acrônimo em comum foi, em seguida, uso e já não

havia qualquer confusão ou leituras divergentes. Pode ser coincidência que o nome da empresa foi

extenso mas limitar-se à parte inferior da marca, mudando toda a atenção ao nome da Fiat.

O elemento gráfico elementos são de igual interesse coroando o nome da empresa que fechado fora da

marca ao longo do fundo foi um sol nascente, espalhando raios que se estendeu para o acrônimo. Este

último, inserido em um retângulo localizado no centro do emblema, foi apoiada por dois arbustos que

simbolizava o crescimento floreado da empresa. Amplificar esses sinais de prosperidade, uma cor

amarelo dourada destacou contra o fundo azul para acentuar o sol nascente e espalhando luz, símbolo

histórico da vida. Finalmente, um pequeno retângulo no topo contidos o número do chassi.

1904
De 1903 em diante, Fiat cada vez mais passou a desempenhar um papel

de liderança entre os fabricantes de automóveis, exportando seus

veículos não só a França e a Inglaterra, mas para a América também,

alcançar uma saída para 134 para o 12 HP modelo naquele ano.


Por esta altura que a sigla não representa apenas o produto, mas toda a empresa, como é claro a nova

marca de 1904, que já não incluiu o nome completo da empresa ou o número do chassi. Esta marca foi o

famoso emblema oval que permaneceu em uso até 1926 e tinha um design semelhante ao anterior, com

um design de Liberty estilizado mostrando um sol nascente sobre um fundo azul prussiano. Os caracteres

que compõem o acrônimo também eram as mesmas que as do logotipo de 1901, sendo mais espessa,

mas tendo a mesma curva como a letra r. Featuring decorações espartana, esse emblema logo se

estabeleceu como o logotipo da empresa, tal que mesmo papelaria de oficial da companhia mostrou o sol

iluminando o nome Fiat por trás. O que é mais, a marca oval foi dado um local fixo, uniforme sobre o

radiador em veículos de todas as Turim da empresa desde o Fiat 24-32 HP em diante. 400 exemplos

deste veículo foram fabricados, com compradores estão sendo oferecidos uma escolha de três

monovolume: curto, médio e longo. A HP 24-32 foi não só o primeiro Fiat 'landaulet' com corpo de veículo

a motor, mas também a primeira a apresentar um acelerador de pedal, várias velocidades de embraiagem

e quatro velocidades do disco.

Outros carros foram posteriormente tendo em conta a nova marca. Entre estes estava o famoso Brevetti,

1500 das quais foram feitas entre 1905 e 1912. Este veículo, que foi criado após a Fiat assumiu Officine

Ansaldi em 1905, tinha um motor de quatro cilindros 3052 cc com uma saída de 20 cv a 1200 rpm e pode

chegar a 60 km / h. Durante o mesmo ano marca oval também foi colocada sobre o radiador das 100 HP

Corsa, o veículo com o maior motor já fabricado pela empresa de Turim, com um deslocamento de mais

de 16 litros. Este veículo foi ganhar a empresa seus primeiros êxitos desportivos, embora Fiat na verdade

tinha já competiu em corridas internacionais faixas com o 24 HP Corsa em 1902, a 60 HP Corsa em 1903

e a 75 HP Corsa em 1904.

Temos de esperar até 1912 antes de ver a primeira mudança para a marca oval. Criado plana, ela foi feita

com uma ligeira curva para atender os novos radiadores 'pêra'. O primeiro veículo a ser agraciado com

este emblema foi Zero a Fiat, que também foi o primeiro carro da empresa com um deslocamento

modesto (1847 cc) para ser produzido em massa. Mais de dois mil foram feitas entre 1912 e 1915.

Este logotipo continuou a ser usados até 1926, quando a Fiat 501 e 502 saiu de produção. Entretanto, de

1921 a ser precisa, uma marca nova rodada já havia sido introduzida em um número de veículos.

1921
Este emblema de 1921, com o nome em vermelho sobre um fundo branco, apareceu

pela primeira vez sobre o Superfiat de 12 cilindros e 519 6 cilindros. Veículos de 6

cilindros da empresa adotou até 1934.

Na realidade, o emblema circular já havia sido utilizado, no início, sobre o 801 Fiat,

um modelo de esportes que havia participado no grande prémio de corridas imediatamente após o
primeiro mundo Ware. Mas foi com a Superfiat que ele fez sua estréia no mundo dos veículos de

produção.

Construído sobre a experiência adquirida no automobilismo, o Superfiat tinha melhores aerodinâmicas

coeficientes graças a um menor quadrados perfil e acentuada pára-brisas. Dois tipos de corpo estavam

disponíveis, o Torpedo e Dorsay Torpedo, este último sem uma frente hard top. Disponível nas versões

luxuosos com acessórios para aparar e prestigiado antique couro, a 520 contou com um design mecânico

avançado, incluindo válvulas de sobrecarga e ignição por bateria.

O emblema circular que apareceu em 1921 continuou a ser usado ao longo dos anos seguintes, com

apenas algumas alterações para a cor do plano de fundo e o nome.

1925
Em 1925, por exemplo, a Fiat 509 usado um logotipo com a sigla em branco sobre

um fundo azul, que continuou até 1929. Este modelo foi o primeiro carro produzido

em massa de utilitário Fiat e dentro de cerca de um ano, se tornou o carro mais

popular na Itália. Um total de 90000 foram feitas. O sucesso deste modelo foi devido

não somente suas características mecânicas, mas uma escolha de seis versões

diferentes, além de uma iniciativa mais que foi revolucionária para o tempo - a possibilidade de comprá-lo

em prestações ou, como um disse, em seguida, 'em crédito' através da empresa de Sava que foi fundada

em 1925.

1929
A empresa de Turim apresentou um outro carro utilitário para substituir o 509 em

1929. Esta foi a 514, que adoptou o emblema mesmo que o modelo anterior, mas

com um azul diferente para o plano de fundo. Quase 37000 exemplos deste modelo

foram construídos até 1932, ano que foi lançado o famoso Balilla.

1931
Finalmente, um logotipo redondo com o nome de prata sobre um fundo vermelho foi

usado entre 1931 e 1934 por 515 a Fiat, 3, 405 deles foram vendidos.

O emblema circular abandonou o mundo de corridas em que apareceu pela primeira

vez há muito tempo antes de 1934. No dia 4 de setembro de 1927, Pietro Qawra

venceu o grande prémio de Milão em Monza ao volante de um Fiat 806 a uma velocidade média de 152

km/h. Esta foi a última vez que um veículo de esportes do Fiat entrou uma corrida. A decisão foi tomada
para evitar desviando homens e recursos da produção em massa de automóveis, o que nós

chamaríamos agora negócio de núcleo real da empresa.

Com trinta, o radiador deu lugar a grelha dianteira, projetada na forma de um escudo

com elementos verticais. Isso foi não apenas para o estilo, mas para aerodinâmica

também. Foi em 1931 que a nova marca rectangular atingido uma imagem coerente,

com um prato de esmalte vertical em que a altura das letras foi acentuada.

Primeiramente adotada por 524 Fiat, este símbolo foi influenciado pela arquitetura do tempo, que se

destacou pela sua regularidade e precisão do formulário. Esta marca estava destinada a continuar para

além do mundo segundo Ware, embora com pequenas alterações, direita até quase o final da década de

sessenta.

1932
A versão de 1932, que tinha uma forma com bordas ligeiramente arredondadas e uma

base mais estreita, quase transformando-as em um trapézio, também enfeitou a 508 da

Fiat, o famoso 'Balilla'. Apresentado no salão de Milão, em 1932, foi o veículo mais

popular que a empresa de Turim tinha fabricado desde a sua fundação, com mais de

41000 sendo vendidos entre Julho do mesmo ano e 1934. O Balilla foi posteriormente

construído em quatro velocidades modelos e versões diferentes: o Torpedo, Berlina, Militare, Camioncino

e Furgoncino.

1938 / 1959
Em 1938, o emblema retangular com uma forma especial de escudo encontrou seu caminho

para a frente de 2800, um carro executivo dos quais foram feitas 621, incluindo a versão

militar do CMC.

A marca rectangular não passam por quaisquer modificações significativas durante trinta

anos até que ele foi usado para marcar dois veículos novos em 1959, a 1800 e os 2100. O

logotipo na verdade foi redesenhado, não menos de todos para refletir o prestígio desses modelos,

tornando-se maior e dando-lhe uma borda mais arredondada.

A Fiat 850, Fiat 124 e Fiat 127 foram os últimos veículos para caracterizar o logotipo Retangular, com

exceção dos modelos de esportes (Coupe e Spider) que foi agraciado com o emblema redondo dos anos

vinte.
Finalmente, em 1968, a empresa de Turim iniciou a estratégia corporativa complexa que iria levá-lo para

configurar a holding Fiat. Uma nova marca foi necessário para identificar este desenvolvimento. Tinha

chegado o momento dos quatro cubos azuis.

1968
Na Fiat Sixties conseguiu quadruplicar sua produção de carro em comparação com a década anterior. As

exportações aumentaram, atingindo agora 150 países em todo o mundo e o espírito internacional que

havia caracterizado a empresa de Turim desde o início ficou consolidado.

Isto levou a Fiat para unificar sua imagem de

marca e publicidade. O resultado foi um logotipo

com um caractere gráfico moderno que fez várias mensagens de publicidade e informação diferentes

reconhecível à primeira vista. Ele assumiu a forma dos quatro cubos inclinar a 18 graus, definindo a

palavra Fiat em itálico 'univers' typeface sobre um fundo azul (preto sobre os veículos para os primeiros
anos). Isto tornou-se a assinatura oficial dos carros industriais de grupo e Fiat (família sentimento) até

1982. Isso foi quando os quatro cubos apareceram junto com um logotipo estilizado, as famosas cinco

barras, pela primeira vez - sobre a grelha dianteira do Panda.

1991
Os dois emblemas coexistiram em grelhas frontais dos veículos Fiat para nove anos, até

1991, quando foi apresentado o Cinqueccento com as cinco barras na parte frontal (logotipo

de sentimento familiar) e os quatro cubos na parte de trás (logotipo do grupo).

O emblema com as cinco barras sobre um fundo azul sofrer alterações significativas daí em seguida

diante, com o tamanho apenas mudando de acordo com as dimensões de grelhas frente a vários modelos

diferentes.

A nova imagem para veículos Fiat - 1999


Veículos Fiat irão adoptar uma nova marca de marca com o novo

Punto para ser apresentado durante julho de 1999 por ocasião do

centenário da Fiat.
Esta marca marca será ninguém menos que o famoso escudo redondo de vinte anos, com uma banda de

louros em torno de um campo azul em que o nome de Fiat destaca em prata.

Uma versão remodelação deste símbolo agora terá de voltar a graça a grelha dianteira do 'carro

centenária', após o qual gradualmente seja aprovado por todos os modelos Fiat durante um período de

tempo. Emblema do mesmo, com a adição das datas de 1899-1999, também irá formar o logotipo do

centésimo aniversário da empresa.

Fiat é, portanto, olhando para o futuro, para o mercado global em que é que tem para muitos anos

desempenharam um papel de liderança, enquanto ao mesmo tempo mantendo sua identificação e raízes,

simbolizados na marca marca nova. Concebido pelo Centro de estilo Fiat, o emblema representa a

"mudança na continuidade", um sinal do passado reinterpretado em uma luz moderna.

O logotipo da ronda irá substituir as cinco barras que deram carros da marca um sentimento' família'

desde 1991 (o Cinquecento foi o primeiro carro em que eles apareceram sem ser acompanhado por

quatro cubos), que quer dizer que o conjunto de elementos que tornam cada produto reconhecível

membro da Fiat 'família'. Marca do grupo - o famoso emblema dos quatro cubos inclinar a 18 graus -

permanece o mesmo e continuará a distinguir a parte de trás de cada modelo como assinatura

inconfundível da empresa.

A história das 14 marcas que têm aparecido em grelhas de radiador de veículos Fiat durante esses cem

anos faz a leitura por vezes fascinante e curiosa. Nós devem contar seu conto aqui, referindo-se ao ano

em que cada símbolo foi usado como da marca exclusiva 'família sentindo' pela primeira vez.

Interesses relacionados