Você está na página 1de 4

Avaliação do Papel Crítico de Marketing no Desempenho

Organizacional

O marketing tem se difundido bastante nos últimos tempos,


tanto em empresas como nos mais variados ramos de atividade do
ser humano. Em seu Livro Administração de Marketing – Análise,
Planejamento, Implementação e Controle, Philip Kotler aborda, além
dos conceitos, as formas de se obter resultados interessantes para o
praticante e para o consumidor do marketing.
Em mercados cada vez mais complexos e exigentes, é de vital
importância o acompanhamento das tendências e das alterações do
comportamento do cliente.
As necessidades do ser humano são o foco do início do estudo
de mercado. Todas as pessoas possuem necessidades básicas, outras
nem tão básicas, que correspondem às suas limitações. Essas
privações aparecem seguidas de vontades moldadas pela cultura e
formação do consumidor. Os desejos podem se apresentar de
muitas maneiras para uma mesma necessidade. Completando a
tríade embrionária do estudo do marketing, a demanda representa
os desejos de se saciar determinada necessidade, acompanhados do
poder de compra pelo mercado.
Mercado, para os mercadólogos, é o agrupamento de pessoas
com necessidades e desejos semelhantes e que visam um
determinado produto ou linha de produto. Identificado o mercado,
os praticantes do marketing devem estabelecer relacionamentos
saudáveis com os consumidores e construir bem estruturadas redes
entre seus stakeholders (interessados no negócio ou produto).
Todas as pessoas possuem limitações e vontades que devem
ser saciadas por produtos, serviços ou idéias oferecidos por
alguma outra parte. Existem quatro maneiras das pessoas adquirirem
estes produtos: produção própria, coerção, mendicância ou troca,
sendo esta última, a condição para que existam os trabalhos de
marketing.
Cinco princípios regem a relação de troca, são eles:
1. Existência de duas partes;
2. Cada parte deverá oferecer valor a outra;
3. Liberdade de escolha;
4. Confiança;
5. Capacidade de comunicação e entrega.
Muitas empresas trabalham suas estratégias de mercado
voltadas para escopos que não condizem com a fluência do
comportamento dos consumidores.
Há aquelas que orientam suas atividades de marketing para a
produção, defendendo o conceito de que quanto mais se produz,
mais oferta do produto o mercado terá e, portanto, menor preço o
consumidor pagará.
Na mesma linha, outras organizações focam suas estratégias
mercadológicas ao produto, buscando muita qualidade no mesmo,
muitas vezes para mercados que mudaram muito ou nem existem
mais. É a chamada miopia de marketing.
Em contrapartida, mas também desfocada da realidade, muitas
empresas estabelecem como objetivo de marketing, o total
desempenho das vendas. São, geralmente, as organizações que
forçam vendas e obtêm lucros imediatos e de curta duração. Ganham
a venda e perdem muitos clientes.
Já organizações orientadas para o marketing, estão
constantemente voltadas ao mercado, suas nuances e alterações. São
empresas que se preocupam em segmentar o mercado, satisfazer
as necessidades dos clientes, integrar as ações de marketing em
todos os departamentos e gerar rentabilidade para o negócio
através do seu plano mercadológico.
A grande maioria das instituições se orientam para o marketing
após perceberam quedas nas vendas, crescimento lento,
mudanças visíveis nos hábitos do consumidor, crescimento da
concorrência ou um alto custo com ações de marketing
desorganizadas.
A orientação mais condizente com as novas exigências do
mercado agrupa desejos dos mais variados segmentos da sociedade.
O chamado marketing societal, social e ecologicamente correto,
ganha muito espaço no novo contexto econômico. Além de
possibilitar às organizações, uma contribuição com o meio ambiente e
o ser humano, garante matérias-primas e gera resultados em
imagem e, muitas vezes lucros monetários.

ANEXO 1

Tipos de Demandas

 Demanda negativa: o mercado não gosta do produto e até


pagaria para não utilizá-lo. O marketing deve redesenhar o
produto valorizando seus benefícios e criando uma imagem
mais positiva do mesmo.
 Demanda inexistente: os consumidores estão indiferentes ao
produto. O marketing deve sintonizar os benefícios do produto
com as reais necessidades dos consumidores.
 Demanda latente: forte vontade do mercado por determinado
produto ou serviço. O papel do marketing é verificar o potencial
de cada mercado e desenvolver produtos e serviços que os
atendam.
 Demanda declinante: quedas na procura por um determinado
produto. O papel do marketing será redesenhar o produto.
 Demanda irregular: sazonalidade da procura. O marketing
deverá aplicar o sincromarketing, para aumentar esta procura
durante todo o período das atividades.
 Demanda plena: quando as organizações estão satisfeitas com
o volume movimentado em seu negócio. O marketing deverá
estar atendo ao mercado para mudança nos hábitos dos
consumidores.
 Demanda excessiva: excesso na procura. O papel do marketing
é praticar o demarketing, ou seja, desencorajar clientes menos
rentáveis a comprar.
 Demanda indesejada: procura por produtos que fazem mal à
sociedade. O marketing deverá buscar estratégias que evitem
esse consumo. Mensagens fortes, preços altos e pouca
disponibilidade do produtivo.