Você está na página 1de 363

KPAM048301

Manual de Operação e Manutenção

TRATOR DE ESTEIRAS D475A-5EO


NÚMEROS DE SÉRIE: 30134 e acima

! AVISO
O uso incorreto dessa máquina pode causar sérias lesões
ou mortes. Operadores e pessoal de manutenção devem
ler esse manual antes de operar ou fazer manutenção da
máquina. Esse manual deve ser mantido junto à máquina
e deve ser periodicamente revisto por todas as pessoas
que as quais o utilizarão.

A Komatsu possui Manuais de Operação e Manutenção


em alguns outros idiomas. Se necessitar de um Manual
de Operação e Manutenção em outro idioma, consulte seu
distribuidor Komatsu.
PREFÁCIO

1-1
PREFÁCIO PREFÁCIO

ANTES DE LER ESTE MANUAL


Este manual fornece detalhes da operação e métodos de inspeção e manutenção para esta máquina, que devem ser
obedecidos a fim de garantir o seu uso de maneira segura e eficiente. A maioria dos acidentes é causada por falha
em seguir as regras de segurança fundamentais nas operações ou na realização da manutenção das máquinas.

Leia, compreenda e siga todas as precauções e advertências apresentadas neste manual e na máquina antes de
executar a operação e manutenção. A falha no cumprimento dessa orientação poderá causar sérios ferimentos
pessoais e até mesmo a morte.

A Komatsu não é capaz de prever todas as circunstâncias que possam envolver uma situação de risco em potencial
durante o uso da máquina. Assim, é possível que as mensagens de segurança apresentadas neste manual e os
decalques de segurança da máquina não incluam todas as precauções relacionadas à segurança. Se você executar
qualquer operação ou trabalho de inspeção ou manutenção sob condições que não estiverem descritas neste
manual, entenda que é de sua inteira responsabilidade a adoção de precauções necessárias que contribuam para
a preservação da segurança. De maneira alguma você ou outras pessoas deverão reproduzir as ações ou modos
de uso considerados proibidos e descritos neste manual. A operação e os trabalhos de manutenção da máquina
impróprios poderão trazer riscos e resultar em sérios ferimentos e até mesmo em morte.

Ao vender a máquina, lembre-se de entregar este manual ao seu novo proprietário junto com a máquina.

Mantenha este manual no local próprio de armazenamento do


Manual de Operação e Manutenção mostrado à direita, para
que todo o pessoal envolvido com o trabalho da máquina possa
consultá-lo periodicamente.

Local de armazenamento do Manual de Operação e


Manutenção:
Compartimento da porta, no interior da cabina do operador.

Em caso de perda ou de danos causados ao manual, solicite imediatamente outro exemplar junto ao seu distribuidor
Komatsu. Para detalhes quanto ao número de série da máquina que deverá ser informado ao seu distribuidor Komatsu,
consulte a “TABELA DE INFORMAÇÃO DO NÚMERO DE SÉRIE E DISTRIBUIDOR” (página 1-8).

Neste manual, as medidas são expressas em unidades de padrão internacional (SI). A título de referência, as unidades de
peso utilizadas no passado também são fornecidas entre parênteses.

As explicações, valores e ilustrações contidas neste manual foram preparadas tendo como base as últimas informações
disponíveis quando da publicação deste manual. Melhorias contínuas no projeto desta máquina poderão levar a mudanças
adicionais que não estejam refletidas neste manual. Consulte a Komatsu ou o seu distribuidor Komatsu para obter as
mais recentes informações disponíveis relacionadas à sua máquina, ou mesmo para tirar dúvidas quanto às informações
contidas neste manual.
• Os números dentro de círculos nas ilustrações correspondem aos números entre parênteses no texto. (Por exemplo:
j à (1))

A Komatsu entrega máquinas que estão em conformidade com todas as regulamentações e padrões aplicáveis ao país
ao qual se destinam. Se esta máquina tiver sido comprada em outro país, poderá precisar de determinados dispositivos
e especificações de segurança necessários para uso em seu país. Se houver qualquer dúvida sobre a condição de
conformidade do seu produto quanto aos padrões e regulamentações vigentes em seu país, consulte o seu distribuidor
Komatsu antes de operar a máquina.

1-2
PREFÁCIO INFORMAÇÕES SOBRE SEGURANÇA

INFORMAÇÕES SOBRE SEGURANÇA


Para garantir a utilização desta máquina dentro das normas de segurança, as precauções de segurança a serem
observadas estão contidas neste manual e nos decalques colados em sua máquina. A finalidade dessas precauções
é explicar as situações que envolvam riscos em potencial e os métodos a serem empregados para prevení-las.

Para informá-lo da existência de uma situação potencialmente perigosa que poderá levar a danos materiais ou
acidentes, são usadas as palavras de alerta abaixo.

Neste manual e nos decalques colados na máquina, cada uma das palavras de alerta abaixo indica uma escala
de gravidade distinta do risco em potencial sinalizado.

Indica uma situação de risco iminente, que, se não contornada, irá ferir gravemente ou matar
! PERIGO pessoas. Esta palavra de alerta restringe-se às situações de perigo mais extremo.

Indica uma situação potencialmente perigosa, que, se não contornada, poderá ferir
! ATENÇÃO gravemente ou matar pessoas.

Indica uma situação potencialmente perigosa, que, se não contornada, poderá ferir com
! CUIDADO alguma gravidade ou levemente pessoas. Também pode ser usada para alertar sobre prá-
ticas contrárias às normas de segurança.

Além das palavras de alerta acima, outras duas são usadas para indicar precauções que devem ser seguidas a
fim de proteger a máquina ou prestar informações de utilidade:

NOTA Esta palavra é usada para indicar precauções que devem ser tomadas para evitar práticas
que possam diminuir a vida útil da máquina.

OBSERVAÇÕES Esta palavra é usada para indicar informações de utilidade.

1-3
INTRODUÇÃO PREFÁCIO

INTRODUÇÃO
UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA
Esta máquina Komatsu foi projetada para os seguintes usos principais:
 Laminação
 Penetração em solo compacto ou congelado ou abertura de valas
 Derrubada de árvores e destocamento
 Terraplenagem
 Escarificação
Para maiores detalhes, veja “TRABALHOS POSSÍVEIS USANDO O TRATOR DE ESTEIRAS” (página 3-141) e
“OPERAÇÃO DO ESCARIFICADOR” (página 3-148).

CONVENÇÃO DE DIREÇÕES DA MÁQUINA

(1) Assento do operador (C) Esquerda


(A) Dianteira (D) Direita
(B) Traseira

Neste manual, convencionam-se os termos “dianteira”, “traseira”, “esquerda” e “direita” em relação ao sentido de
deslocamento avante da máquina considerado a partir da cabina do operador, com o operador vendo à sua frente
o dorso da lâmina e tendo atrás de si a roda motriz. Essa é a situação ilustrada no desenho acima.

1-4
PREFÁCIO INTRODUÇÃO

VISIBILIDADE A PARTIR DO ASSENTO DO OPERADOR


A visibilidade padrão ISO 5006 para esta máquina disponiliza o campo de visão ilustrado nas figuras abaixo.

VISIBILIDADE DAS PROXIMIDADES


A visibilidade na área situada a 1 m da superfície externa da máquina a uma altura de 1,5 m é mostrada na figura
abaixo. A área hachurada (A) mostra a área em que a visão é bloqueada por parte da máquina estando instalados
espelhos ou outros recursos para assegurar a visibilidade como itens padrões. Esteja particularmente atento aos
pontos que oferecem visibilidade quando a máquina é operada.

VISIBILIDADE EM UMA CIRCUNFERÊNCIA DE 12 M


A visibilidade em um raio de 12 m da máquina é mostrada na figura abaixo. As áreas hachuradas (B) mostram as
áreas em que a visão fica impedida estando instalados como itens padrões espelhos e outros recursos que garantam
a visibilidade. Esteja particularmente atento aos pontos que oferecem visibilidade quando a máquina é operada.

1-5
INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PREFÁCIO

INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS
Em suas requisições de serviço ou pedidos de peças de reposição, você poderá precisar informar ao seu distri-
buidor Komatsu o modelo e o número de série da máquina, o modelo e o número de série do motor, o número
de série da lâmina, o número de série do escarificador e a leitura do horímetro. Saiba nestas duas páginas onde
localizar esses dados.

LOCALIZAÇÃO DA PLACA DO NÚMERO DE SÉRIE DA MÁQUINA


A placa do número de série da máquina está localizada na frente do painel monitor, à direita do assento do ope-
rador.

MODELO
Nº DE SÉRIE

PLACA COM O NÚMERO DE SÉRIE DO MOTOR, PLACA COM AS REGULAMENTAÇÕES EPA


A placa normal com o número de série do motor e a placa com as regulamentações EPA estão posicionadas na
tampa do trilho comum, na base do pré-filtro de combustível, no lado esquerdo do motor.

MODELO DO MOTOR
Nº DE SÉRIE

EPA: Agência de Proteção Ambiental , E.U.A.

1-6
PREFÁCIO INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS

LOCALIZAÇÃO DA PLACA DO NÚMERO DE


SÉRIE DA LÂMINA
A placa do número de série da lâmina está localizada no canto
superior direito do dorso da lâmina.

LOCALIZAÇÃO DA PLACA DO NÚMERO DE


SÉRIE DO ESCARIFICADOR
A placa do número de série do escarificador está localizada na
superfície lateral esquerda da longarina do escarificador.

LOCALIZAÇÃO DO HORÍMETRO
O horímetro está localizado no alto do painel monitor.

1-7
INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PREFÁCIO

TABELA DE REGISTRO DOS NÚMEROS DE SÉRIE DA MÁQUINA E DO MOTOR E DOS


DADOS DO DISTRIBUIDOR

1-8
PREFÁCIO ÍNDICE

ÍNDICE
PREFÁCIO.................................................................................................................................................1- 1
ANTES DE LER ESTE MANUAL..........................................................................................................1- 2
INFORMAÇÕES SOBRE SEGURANÇA..............................................................................................1- 3
UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA............................................................................................................1- 4
CONVENÇÃO DE DIREÇÕES DA MÁQUINA................................................................................1- 4
VISIBILIDADE A PARTIR DO ASSENTO DO OPERADOR............................................................1- 5
INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS.........................................................................................................1- 6
LOCALIZAÇÃO DA PLACA DO NÚMERO DE SÉRIE DA MÁQUINA.............................................1- 6
PLACA COM O NÚMERO DE SÉRIE DO MOTOR, PLACA COM AS REGULAMENTAÇÕES EPA..1- 7
LOCALIZAÇÃO DA PLACA DO NÚMERO DE SÉRIE DA LÂMINA................................................1- 7
LOCALIZAÇÃO DA PLACA DO NÚMERO DE SÉRIE DO ESCARIFICADOR...............................1- 7
LOCALIZAÇÃO DO HORÍMETRO..................................................................................................1- 7
TABELA DE REGISTRO DOS NÚMEROS DE SÉRIE DA MÁQUINA E DO MOTOR E DOS
DADOS DO DISTRIBUIDOR...........................................................................................................1- 8

SEGURANÇA.............................................................................................................................................2- 1
SEGURANÇA........................................................................................................................................2- 2
DECALQUES DE SEGURANÇA..........................................................................................................2- 5
POSIÇÃO DOS DECALQUES DE SEGURANÇA...........................................................................2- 5
DECALQUES DE SEGURANÇA.....................................................................................................2- 6
PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO...............................................2- 10
PRECAUÇÕES ANTES DE INICIAR A OPERAÇÃO......................................................................2- 10
PREPARATIVOS PARA UMA OPERAÇÃO SEGURA.....................................................................2- 10
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIOS.............................................................................................2- 12
PRECAUÇÕES AO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA................................................................2- 13
CUIDADO PARA NÃO FICAR PRESO NO EQUIPAMENTO DE TRABALHO................................2- 15
PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DA ESTRUTURA DE PROTEÇÃO CONTRA CAPOTAMENTO (ROPS)....2- 15
MODIFICAÇÕES NÃO AUTORIZADAS .........................................................................................2- 15
PRECAUÇÕES RELACIONADAS AO USO DE IMPLEMENTOS E OPCIONAIS..........................2- 15
PRECAUÇÕES AO OPERAR O MOTOR NO INTERIOR DE EDIFÍCIOS......................................2- 16
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO...............................................................................2- 17
PRECAUÇÕES EM RELAÇÃO AO CANTEIRO DE OBRAS..........................................................2- 17
PARA DAR A PARTIDA....................................................................................................................2- 19
OPERAÇÃO....................................................................................................................................2- 22
TRANSPORTE................................................................................................................................2- 26
REBOCAMENTO.............................................................................................................................2- 27
PRECAUÇÕES RELACIONADAS A MANUTENÇÃO..........................................................................2- 28
PRECAUÇÕES ANTES DE INICIAR A INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO..........................................2- 28
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO.............................................2- 32

OPERAÇÃO...............................................................................................................................................3- 1
VISTA GERAL.......................................................................................................................................3- 2
VISTA GERAL DA MÁQUINA..........................................................................................................3- 2
VISTA GERAL DOS CONTROLES E INDICADORES....................................................................3- 3
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES.................................................................................................3- 5
PAINEL FRONTAL...........................................................................................................................3- 5
INTERRUPTORES..........................................................................................................................3- 35
ALAVANCAS DE CONTROLE E PEDAIS.......................................................................................3- 44
INDICAÇÃO DE MANUTENÇÃO DO FILTRO DE AR....................................................................3- 53
FONTE DE ALIMENTAÇÃO............................................................................................................3- 53
CAIXA DE FUSÍVEIS.......................................................................................................................3- 54

1-9
ÍNDICE PREFÁCIO

TRAVA PARA MANTER A PORTA ABERTA....................................................................................3- 59


TRAVA INTERMEDIÁRIA DO VIDRO DE CORRER.......................................................................3- 59
TAMPAS COM TRAVA.....................................................................................................................3- 60
BOLSAS DAS PORTAS..................................................................................................................3- 61
CINZEIRO........................................................................................................................................3- 62
CAIXA DE FERRAMENTAS............................................................................................................3- 62
LIMPEZA DO INTERIOR DA CABINA.............................................................................................3- 62
COMO USAR SEU RÁDIO ESTÉREO E O TOCA-FITAS..............................................................3- 63
COMO USAR O AR CONDICIONADO............................................................................................3- 72
OPERAÇÃO..........................................................................................................................................3- 89
VERIFICAÇÕES ANTES DE DAR PARTIDA E AJUSTES..............................................................3- 89
PARTIDA..........................................................................................................................................3- 111
OPERAÇÕES E VERIFICAÇÕES APÓS A PARTIDA.....................................................................3- 119
DESLIGANDO O MOTOR...............................................................................................................3- 122
ARRANCANDO COM A MÁQUINA.................................................................................................3- 123
PARANDO A MÁQUINA...................................................................................................................3- 125
MUDANÇA DE MARCHAS..............................................................................................................3- 126
INVERTENDO O SENTIDO DE DESLOCAMENTO DE AVANTE PARA RÉ OU VICE-VERSA.....3- 131
MANOBRANDO A MÁQUINA..........................................................................................................3- 133
PRECAUCÕES RELATIVAS A OPERAÇÃO...................................................................................3- 135
ESTACIONANDO A MÁQUINA........................................................................................................3- 138
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS APÓS O DESLIGAMENTO DO MOTOR...............................3- 139
VERIFICAÇÕES AO TÉRMINO DO EXPEDIENTE........................................................................3- 140
TRAVAS CONTRA VANDALISMO...................................................................................................3- 140
TRABALHOS POSSÍVEIS USANDO O TRATOR DE ESTEIRAS..................................................3- 141
COMO USAR O SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS..................................................................3- 143
OPERAÇÃO DO ESCARIFICADOR...............................................................................................3- 148
COMO REALIZAR OPERAÇÕES DE ESCARIFICAÇÃO...............................................................3- 151
AJUSTE DA POSIÇÃO DO EQUIPAMENTO DE TRABALHO........................................................3- 156
DICAS PARA AUMENTAR A VIDA ÚTIL DO MATERIAL RODANTE..............................................3- 159
TRANSPORTE......................................................................................................................................3- 161
PROCEDIMENTO PARA TRANSPORTE........................................................................................3- 161
CARREGANDO E DESCARREGANDO A MÁQUINA NA CARROCERIA DO VEÍCULO DE TRANSPORTE......3- 161
MÉTODO DE IÇAMENTO DA MÁQUINA........................................................................................3- 164
TRAFEGANDO EM VIAS PAVIMENTADAS....................................................................................3- 165
REMOÇÃO DA CABINA..................................................................................................................3- 166
INSTALAÇÃO DA CABINA..............................................................................................................3- 169
INSTALAÇÃO DA ESTRUTURA ROPS..........................................................................................3- 170
OPERAÇÃO EM CLIMA FRIO..............................................................................................................3- 171
PRECAUÇOES COM BAIXA TEMPERATURA...............................................................................3- 171
CUIDADOS A SEREM TOMADOS APÓS O TÉRMINO DO EXPEDIENTE....................................3- 173
APÓS PERÍODOS DE BAIXA TEMPERATURA..............................................................................3- 173
DESATIVAÇÃO POR LONGOS PERÍODOS........................................................................................3- 174
ANTES DA DESATIVAÇÃO.............................................................................................................3- 174
DURANTE A DESATIVAÇÃO..........................................................................................................3- 174
APÓS A DESATIVAÇÃO..................................................................................................................3- 174
ACIONAMENTO DA MÁQUINA APÓS UM LONGO PERÍODO DESATIVADA ..............................3- 174
DIAGNÓSTICO DE FALHAS................................................................................................................3- 175
APÓS TER ACABADO O COMBUSTÍVEL DA MÁQUINA..............................................................3- 175
REBOCANDO A MÁQUINA.............................................................................................................3- 175

1-10
PREFÁCIO ÍNDICE

BATERIA DESCARREGADA...........................................................................................................3- 177


OUTROS PROBLEMAS..................................................................................................................3- 182
QUANDO ALGUMA LUZ DO SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS PISCA..................................3- 187

MANUTENÇÃO..........................................................................................................................................4- 1
INFORMAÇÕES SOBRE A MANUTENÇÃO........................................................................................4- 2
LINHAS GERAIS DE SERVIÇO...........................................................................................................4- 5
MANUSEIO DE ÓLEO, COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E
ANÁLISE CLÍNICA DE AMOSTRAS DE ÓLEO...............................................................................4- 5
MANUTENÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO.....................................................................................4- 9
MANUSEIO DE EQUIPAMENTOS RELACIONADOS AO SISTEMA HIDRÁULICO......................4- 9
PEÇAS DE DESGASTE.......................................................................................................................4- 10
LISTA DE PEÇAS DE DESGASTE.................................................................................................4- 10
COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFICANTES RECOMENDADOS.............4- 12
MARCAS RECOMENDADAS, QUALIDADE RECOMENDADA DOS PRODUTOS QUE
NÃO SEJAM O ÓLEO GENUNÍNO KOMATSU..............................................................................4- 14
TORQUES DE APERTO PADRÕES PARA PARAFUSOS E PORCAS................................................4- 15
TABELAS DE TORQUE DE APERTO.............................................................................................4- 15
SUBSTITUÇÃO PERIÓDICA DE ITENS ESSENCIAS A SEGURANÇA..............................................4- 16
ITENS ESSENCIAS A SEGURANÇA..............................................................................................4- 17
QUADRO DE MANUTENÇÕES PERIÓDICAS....................................................................................4- 19
QUADRO DE MANUTENÇÕES PERIÓDICAS...............................................................................4- 19
PROCEDIMENTO DE MANUTENÇÃO................................................................................................4- 21
APÓS AS PRIMEIRAS 250 HORAS DE OPERAÇÃO (SOMENTE APÓS AS 250 HORAS
INICIAIS DE OPERAÇÃO) .............................................................................................................4- 21
QUANDO NECESSÁRIO................................................................................................................4- 22
VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA...........................................................................................4- 54
A CADA 250 HORAS DE OPERAÇÃO............................................................................................4- 55
A CADA 500 HORAS DE OPERAÇÃO............................................................................................4- 63
A CADA 1000 HORAS DE OPERAÇÃO..........................................................................................4- 69
A CADA 2000 HORAS DE OPERAÇÃO..........................................................................................4- 77
A CADA 4000 HORAS DE OPERAÇÃO..........................................................................................4- 87
A CADA 8000 HORAS DE OPERAÇÃO..........................................................................................4- 91

ESPECIFICAÇÕES....................................................................................................................................5- 1
ESPECIFICAÇÕES...............................................................................................................................5- 2

IMPLEMENTOS E OPCIONAIS.................................................................................................................6- 1
PRECAUÇÕES GERAIS......................................................................................................................6- 2
PRECAUÇÕES RELATIVAS À SEGURANÇA................................................................................6- 2
SELEÇÃO DAS SAPATAS DA ESTEIRA..............................................................................................6- 3
SELEÇÃO DAS SAPATAS DA ESTEIRA.........................................................................................6- 3
PROCEDIMENTO PARA SELEÇÃO DA PONTA DO ESCARIFICADOR.............................................6- 4
PARTIDA EM ÁREAS DE BAIXAS TEMPERATURAS.........................................................................6- 5
PRÉ-AQUECEDOR COM FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA................................................6- 5
MÉTODO EFETIVO DE OPERAÇÃO COM LÂMINA DE INCLINAÇÃO DUPLA.................................6- 13
CONDIÇÃO DA LÂMINA.................................................................................................................6- 13
LAMINAÇÃO....................................................................................................................................6- 15
NIVELAMENTO (TERRAPLENAGEM)...........................................................................................6- 17
ABERTURAS DE VALAS................................................................................................................6- 17
ESCAVAÇÃO DE PEDRAS GRANDES..........................................................................................6- 17
CORTE LATERAL............................................................................................................................6- 18
LÂMINAÇÃO NA HORIZONTAL DA LATERAL DE UMA ENCOSTA (TERRENO IRREGULAR)....6- 18
CONTROLE DE PATINAGEM DAS SAPATAS.....................................................................................6- 19
PAINEL DE INTERRUPTORES DE SELEÇÃO DE MODO (CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS)....6- 19

1-11
ÍNDICE PREFÁCIO

COMO USAR O SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS..................................................................6- 20


QUANDO ALGUMA LUZ DO SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS PISCA..................................6- 27
MANUSEIO DE MÁQUINAS EQUIPADAS COM KOMTRAX Plus.......................................................6- 28
KOMTRAX Plus INSTALADO, TERMINAL DE COMUNICAÇÃO NÃO INSTALADO.....................6- 28
KOMTRAX Plus E TERMINAL DE COMUNICAÇÃO INSTALADOS...............................................6- 29

1-12
SEGURANÇA

! ATENÇÃO
Leia e procure entender claramente as precauções descritas neste manual
e nos decalques de segurança colados na máquina. Siga essas precauções
rigorosamente ao operar a máquina ou fazer qualquer serviço de manutenção
na mesma.

2-1
SEGURANÇA SEGURANÇA

SEGURANÇA
DECALQUES DE SEGURANÇA ....................................................................................................................... 2- 5
POSIÇÕES DOS DECALQUES DE SEGURANÇA ..................................................................................... 2- 5
DECALQUES DE SEGURANÇA.................................................................................................................. 2- 6

PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO............................................................ 2- 10


PRECAUÇÕES ANTES DE INICIAR AS OPERAÇÕES............................................................................... 2 -10
PARA GARANTIR UMA OPERAÇÃO SEGURA...................................................................................... 2- 10
COMO ENTENDER A MÁQUINA............................................................................................................ 2- 10
PREPARATIVOS PARA UMA OPERAÇÃO SEGURA.................................................................................. 2- 10
PRECAUÇÕES REFERENTES AOS EQUIPAMENTOS RELACIONADOS À SEGURANÇA................ 2- 10
INSPEÇÃO DA MÁQUINA....................................................................................................................... 2- 10
USE ROUPAS E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO ADEQUADOS..................................................... 2- 10
MANTENHA A MÁQUINA LIMPA............................................................................................................. 2- 11
PRECAUÇÕES NO INTERIOR DO COMPARTIMENTO DO OPERADOR............................................ 2- 11
EXTINTOR DE INCÊNDIO E KIT DE PRIMEIROS SOCORROS........................................................... 2- 11
SE ENCONTRAR ALGUM PROBLEMA.................................................................................................. 2- 11
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIOS........................................................................................................... 2- 12
AÇÃO A SER TOMADA CASO OCORRA UM INCÊNDIO...................................................................... 2- 12
PRECAUÇÕES PARA EVITAR INCÊNDIOS.......................................................................................... 2- 12
PRECAUÇÕES AO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA............................................................................. 2- 13
USE OS CORRIMÃOS E DEGRAUS AO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA...................................... 2- 13
NÃO PULE AO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA............................................................................... 2- 14
NÃO PERMITA QUE PESSOAS SUBAM NOS IMPLEMENTOS............................................................ 2- 14
PRECAUÇÕES AO SE LEVANTAR DO ASSENTO DO OPERADOR.................................................... 2- 14
PRECAUÇÕES AO DEIXAR A MÁQUINA............................................................................................... 2- 14
SAÍDA DE EMERGÊNCIA DA CABINA DO OPERADOR....................................................................... 2- 14
CUIDADO PARA NÃO FICAR PRESO NO EQUIPAMENTO DE TRABALHO............................................. 2- 15
PRECAUÇÕES RELACIONADAS AO USO DA ESTRUTURA DE PROTEÇÃO CONTRA CAPOTAMENTO (ROPS).... 2- 15
MODIFICAÇÕES NÃO AUTORIZADAS....................................................................................................... 2- 15
PRECAUÇÕES RELACIONADAS AO USO DE IMPLEMENTOS E OPCIONAIS....................................... 2- 15
PRECAUÇÕES AO OPERAR O MOTOR NO INTERIOR DE EDIFÍCIOS................................................... 2- 16

2-2
SEGURANÇA SEGURANÇA

PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO..........................................................................................2- 17


PRECAUÇÕES EM RELAÇÃO AO CANTEIRO DE OBRAS.....................................................................2- 17
INVESTIGUE E CONFIRME AS CONDIÇÕES DO CANTEIRO DE OBRAS.......................................2- 17
TRABALHO EM TERRENOS DE BAIXA SUSTENTAÇÃO...................................................................2- 17
NÃO SE APROXIME DE CABOS DE ALTA TENSÃO...........................................................................2- 18
DICAS PARA GARANTIR BOA VISIBILIDADE ....................................................................................2- 18
MUITA ATENÇÃO COM OS SINAIS E ACENOS DE MÃO...................................................................2- 19
PÓ DE AMIANTO É PREJUDICIAL À SAÚDE......................................................................................2- 19
PARA DAR A PARTIDA...............................................................................................................................2- 19
PLACAS DE AVISO...............................................................................................................................2- 19
INSPEÇÕES E MANUTENÇÃO A SEREM FEITAS ANTES DA PARTIDA...........................................2- 20
PRECAUÇÕES AO DAR A PARTIDA....................................................................................................2- 20
PRECAUÇÕES EM REGIÕES DE CLIMA FRIO..................................................................................2- 20
PARTIDA COM CABOS AUXILIARES...................................................................................................2- 21
OPERAÇÃO................................................................................................................................................2- 22
VERIFICAÇÕES ANTES DA OPERAÇÃO............................................................................................2- 22
PRECAUÇÕES ANTES DE TRAFEGAR COM A MÁQUINA AVANTE OU EM RÉ...............................2- 22
PRECAUÇÕES AO TRAFEGAR COM A MÁQUINA.............................................................................2- 23
DESLOCAMENTO EM RAMPAS..........................................................................................................2- 23
PRECAUÇÕES DURANTE AS OPERAÇÕES......................................................................................2- 24
OPERAÇÕES PROIBIDAS...................................................................................................................2- 24
USO DOS FREIOS................................................................................................................................2- 24
OPERE COM CUIDADO EM SUPERFÍCIES CONGELADAS OU COBERTAS DE NEVE..................2- 24
ESTACIONANDO A MÁQUINA..............................................................................................................2- 25
TRANSPORTE............................................................................................................................................2- 26
CARREGANDO E DESCARREGANDO A MÁQUINA DO CAMINHÃO DE TRANSPORTE................2- 26
REBOCAMENTO........................................................................................................................................2- 27
PRECAUÇÕES A SEREM OBSERVADOS QUANDO REBOCAR A MÁQUINA...................................2- 27

2-3
SEGURANÇA SEGURANÇA

PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO....................................................................................... 2- 28


PRECAUÇÕES ANTES DE INICIAR A INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO....................................................... 2- 28
COLOCAÇÃO DE PLACAS DE AVISO DURANTE A INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO............................ 2- 28
MANTENHA O LOCAL DE TRABALHO LIMPO E ORGANIZADO......................................................... 2- 28
SELECIONE UM LOCAL APROPRIADO PARA INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO.................................... 2- 28
SOMENTE PESSOAL AUTORIZADO..................................................................................................... 2- 28
NOMEIE UM LÍDER QUANDO TRABALHAR COM OUTRAS PESSOAS............................................. 2- 28
DESLIGUE O MOTOR ANTES DE FAZER QUALQUER SERVIÇO DE INSPEÇÃO OU MANUTENÇÃO .. 2- 29
QUANDO PRECISAR FAZER ALGUM SERVIÇO DE MANUTENÇÃO COM O MOTOR FUNCIONANDO,
TRABALHE NO MÍNIMO EM DOIS......................................................................................................... 2- 30
INSTALAÇÃO, REMOÇÃO OU ARMAZENAGEM DE IMPLEMENTOS................................................. 2- 30
PRECAUÇÕES AO TRABALHAR EM EM LOCAIS ELEVADOS............................................................ 2- 31
PRECAUÇÕES AO TRABALHAR EM CIMA DA MÁQUINA................................................................... 2- 31
PRECAUÇÕES QUANDO TRABALHAR SOB A MÁQUINA OU O EQUIPAMENTO DE TRABALHO... 2- 31
USE FERRAMENTAS ADEQUADAS AO SERVIÇO QUE IRÁ FAZER.................................................. 2- 31
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO........................................................... 2- 32
PRECAUÇÕES AO EFETUAR SOLDAGENS........................................................................................ 2- 32
MANUSEIO DA BATERIA........................................................................................................................ 2- 32
PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DE MARTELO ........................................................................... 2- 33
PRECAUÇÕES QUANTO AO LIQUIDO DE ARREFECIMENTO SOB ALTA TEMPERATURA.............. 2- 33
PRECAUÇÕES QUANTO AO ÓLEO SOB ALTA TEMPERATURA......................................................... 2- 33
PRECAUÇÕES QUANTO AO ÓLEO SOB ALTA PRESSÃO.................................................................. 2- 34
PRECAUÇÕES QUANTO AO COMBUSTÍVEL SOB ALTA PRESSÃO.................................................. 2- 34
MANUSEIO DE MANGUEIRAS E TUBOS A ALTA PRESSÃO .............................................................. 2- 34
RUÍDO .................................................................................................................................................... 2- 34
PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DE GRAXA A ALTA PRESSÃO PARA O AJUSTE DA TENSÃO
DAS ESTEIRAS ...................................................................................................................................... 2- 35
NÃO DESMONTE A MOLA TENSORA .................................................................................................. 2- 35
MANUSEIO DO ACUMULADOR E DA MOLA DE GÁS.......................................................................... 2- 36
PRECAUÇÕES COM AR COMPRIMIDO................................................................................................ 2- 36
MANUTENÇÃO DO AR CONDICIONADO.............................................................................................. 2- 36
DEPOSIÇÃO DE REFUGO..................................................................................................................... 2- 36
COMPONENTES CONTENDO MERCÚRIO.......................................................................................... 2- 36
MÉTODO PARA SELECIONAR O FLUIDO DO LAVADOR DAS JANELAS........................................... 2- 36
SUBSTITUIÇÃO PERIÓDICA DE ITENS ESSENCIAIS À SEGURANÇA......................................... 2- 37

2-4
SEGURANÇA DECALQUES DE SEGURANÇA

DECALQUES DE SEGURANÇA
A seguir, apresentamos os sinais de alerta e decalques de segurança que vêm colados na máquina.
 Procure entender com absoluta clareza onde ficam os decalques de segurança e a mensagem de cada um
deles.
 Para assegurar a fácil leitura das mensagens dos decalques de segurança, mantenha-os sempre em suas
posições corretas e conserve-os limpos. Nunca limpe os decalques com solventes orgânicos ou gasolina, pois
esses produtos podem fazê-los descolar.
 Além dos sinais de alerta e decalques de segurança, há também outros decalques colados na máquina que
merecem os mesmos cuidados de conservação.
 Se os decalques estragarem, extraviarem ou se tornarem difíceis de ler, substitua-os por novos. Informe-se
neste manual ou vendo os próprios decalques sobre os códigos dos decalques que esteja precisando substituir
e solicite-os ao seu distribuidor Komatsu.

POSIÇÕES DOS DECALQUES DE SEGURANÇA

«: Item opcional

2-5
DECALQUES DE SEGURANÇA SEGURANÇA

DECALQUES DE SEGURANÇA

(1) Precauções relativas à operação, inspeção e


manutenção (09651-03001) ! ATENÇÃO
Se a operação e a manutenção forem conduzidas indevidamente,
alguém poderá se ferir com gravidade ou morrer.
Leia o manual e os decalques antes de operar ou fazer qualquer
serviço de manutenção na máquina.
Siga as instruções e avisos do manual e dos decalques colados
na máquina.
Mantenha sempre o manual na cabina, próximo do operador.
Se precisar de um novo manual, procure o seu distribuidor Komatsu.
Se a operação e a manutenção forem conduzidas indevidamente,
alguém poderá se ferir com gravidade ou morrer.
Leia o manual e os decalques antes de operar ou fazer qualquer
serviço de manutenção na máquina.
Siga as instruções e avisos do manual e dos decalques colados
na máquina.
Mantenha sempre o manual na cabina, próximo do operador.
Se precisar de um novo manual, procure o seu distribuidor
Komatsu.
09651-03001

(2) Precauções relativas ao deslocamento da máqui-


na em ré (09802-13000) ! ATENÇÃO

Para evitar que ALGUÉM VENHA


A SE FERIR COM GRAVIDADE
OU MORRER, tome as seguintes
providências antes de movimentar a
máquina ou seus implementos:
 Soe a buzina para alertar as pes-
soas que estiverem por perto.
 Certifique-se de que não há nin-
guém de carona na máquina ou nas
proximidades.
 Se a visão estiver obstruída, peça a
alguém que o oriente
Mesmo que a máquina esteja equipa-
da com alarme de marcha a ré e es-
pelho retrovisor, valem as precauções
acima.
09802-13000

(3) Precauções aplicáveis quando o operador se levanta


de seu assento para sair da cabina (09654-33001) ! ATENÇÃO
Para evitar tocar alguma alavanca de
operação que esteja destravada, tome
as seguintes providências antes de
levantar-se de seu assento:
 Coloque a alavanca de controle
do sentido de deslocamento e da
direção em neutro e TRAVE a ALA-
VANCA DO FREIO DE ESTACIONA-
MENTO (localizada à esquerda do
assento).
 Baixe o equipamento de trabalho ao
solo e TRAVE a ALAVANCA DE SE-
GURANÇA (localizada à direita do
assento).

Movimentos bruscos e repentinos da


máquina podem ferir com gravidade ou
matar alguém.

09654-33001

2-6
SEGURANÇA DECALQUES DE SEGURANÇA

(4) Precauções aplicáveis quando o líquido de


arrefecimento encontra-se à alta temperatura
(09668-03001)
! ATENÇÃO
Perigo! Água quente!

Para que não esguiche água


quente do radiador:
 Desligue o motor
 Espere a água esfriar.
 Solte a tampa do radiador
lentamente para aliviar a pressão
antes de removê-la.
09668-03001

(5) Precauções aplicáveis quando o óleo hidráulico


encontra-se à alta temperatura (09653-03001) ! ATENÇÃO
Perigo! Óleo quente!

Para que não jorre óleo quente do


cárter:
 Desligue o motor
 Espere o óleo esfriar.
 Solte a tampa do cárter
lentamente para aliviar a pressão
antes de removê-la.
09653-03001

(6) Precauções relativas à inspeção e ajuste da tensão


das esteiras (195-98-22931)

ATENÇÃO

A mola comprimida, o bujão e a graxa estão altamente pressurizados


e podem ferir gravemente ou matar alguém.
1. Quando for ajustar a tensão das esteiras, gire o bujão A APENAS
UMA VOLTA. Se girar o bujão mais de uma volta, ele pode ser
expelido junto com a graxa e machucá-lo. Para saber como ajustar
a tensão das esteiras, consulte o manual de operação.
2. Se girar o bujão A UMA VOLTA para soltar uma sapata da esteira e
ela não sair, peça ao seu distribuidor Komatsu para desmontá-la.
3. Nunca desmonte os parafusos B , pois a roda guia e o garfo C
podem escapar de repente e atingí-lo. Peça ao seu distribuidor
Komatsu para desmontá-los.
Parafuso B
Garfo C Bujão A

195-98-22931

(7) Precauções relativas ao manuseio de fios e cabos


elétricos (09808-03000). ! ATENÇÃO
O uso indevido de cabos auxiliares e de
cabos de baterias pode provocar uma
explosão e ferI-lo gravemente ou matá-lo.
 Siga as instruções contidas no manual
para usar cabos auxiliares e cabos de
baterias.
09808-03000

2-7
DECALQUES DE SEGURANÇA SEGURANÇA

(8) Cuidados com o motor em funcionamento (09667-


03001). ! CUIDADO
Com o motor funcionando:
1. Não abra a tampa.
2. Mantenha-se afastado
do ventilador e de sua
correia.
09667-03001

(9) Precauções relativas ao manuseio do acumulador


! ATENÇÃO Risco de explosão!
(09659-53000).  Não aproxime de chama
 Não solde ou perfure
09659-53000

(10) Precauções relativas ao uso do cinto de segurança


CUIDADO
(195-98-12940).
 QUANDO ESTIVER OPERANDO A
MÁQUINA, USE SEMPRE O CINTO DE
SEGURANÇA.
 VERIFIQUE SEMPRE O ESTADO DO
CINTO DE SEGURANÇA, DAS FIVELAS
E DOS PARAFUSOS FIXADORES.
 AJUSTE O ASSENTO DE FORMA QUE
RECOSTADO NELE VOCÊ CONSIGA
PISAR O PEDAL DO FREIO ATÉ O FIM
DE SEU CURSO.
 APÓS AJUSTAR A ALTURA E O CURSO
PARA FRENTE E PARA TRÁS DO AS-
SENTO, SENTE NELE E COLOQUE O
CINTO DE SEGURANÇA.
195-98-12940

(11) Aviso às pessoas situadas nas proximidades que


a máquina está em movimento (09812-03000). ! PERIGO

Mantenha uma distância segura.

(12) Avisos relativos à estrutura de proteção contra


capotamento (ROPS) (09620-C2000)

2-8
SEGURANÇA PRECAUÇÕES GERAIS

(13) Avisos relativos à estrutura de proteção contra de-


sabamento (FOPS) (09620-C2000)

(14) É absolutamente proibido tentar dar a partida no Dê a partida somente


tranco (09842-A0481) quando estiver devi-
damente sentado no
assento do operador.

Não tente dar a


partida colocando o
circuito de partida do
motor em curto-cir-
cuito, caso contrário
o resultado poderá
ser um acidente de
graves proporções
onde poderá ocor-
rer um incêndio ou
mesmo alguém vir
a sofrer ferimentos
sérios. .

(15) Local com risco de dinamitações (09845-00480)


(somente máquinas equipadas com KOMTRAX
Plus)

09845-00480

2-9
PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SEGURANÇA

PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E


MANUTENÇÃO
Se ao operar a máquina ou fazer algum serviço de manutenção na mesma você descobrir alguma anormalidade,
como, por exemplo, ruído, vibração ou odor estranho, indicadores acusando algum problema, fumaça, vazamento
de óleo, etc., ou os dispositivos de alarme ou o painel monitor indicando que há algo errado, leve o caso à sua chefia

PRECAUÇÕES ANTES DE INICIAR A OPERAÇÃO


PARA GARANTIR UMA OPERAÇÃO SEGURA
 Somente pessoal treinado e autorizado pode operar e efetuar a manutenção na máquina.
 Observe todas as normas de segurança, precauções e instruções contidas neste manual ao operar ou executar
uma inspeção ou serviços de manutenção na máquina.
 Caso não esteja se sentido bem ou se estiver sob a influência de álcool ou medicamentos, a sua capacidade
de operar ou efetuar reparos em sua máquina com segurança poderá ser seriamente impedida, colocando você
ou qualquer outra pessoa em seu local de trabalho em perigo.
 Quando estiver trabalhando com outro operador ou com a pessoa no serviço de tráfego no canteiro de obras,
discuta o conteúdo da operação antecipadamente e utilize os sinais determinados ao executar a operação.

COMO ENTENDER A MÁQUINA


Antes de colocar a máquina em operação, leia este manual inteiramente. Se houver alguns pontos difíceis de
entender neste manual, solicite à pessoa encarregada da segurança para dar uma explicação.

PREPARATIVOS PARA UMA OPERAÇÃO SEGURA

PRECAUÇÕES REFERENTES AOS EQUIPAMENTOS RELACIONADOS À SEGURANÇA


 Assegure-se de que todas as proteções, tampas e espelhos retrovisores estejam em suas posições corretas.
As proteções e tampas deverão ser imediatamente reparadas se estiverem danificadas.
 Entenda o método de utilização dos recursos de segurança e use-os de maneira apropriada.
 Nunca remova nenhum recurso de segurança. Mantenha-os sempre em boas condições de operação.

INSPEÇÃO DA MÁQUINA
Verifique a máquina antes de iniciar as operações. Se for detectada alguma anomalia, não opere a máquina até
que os reparos do local do problema tenham sido concluídos.

USE ROUPAS E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO


ADEQUADOS
 Não use roupas folgadas nem quaisquer acessórios. Se
estes se engancharem nas alavancas de controle ou forem
apanhados pelas partes salientes, há o perigo de que a
máquina venha a se mover inesperadamente.
 Use sempre um capacete e botas de segurança. Se a natureza
do trabalho assim o exigir, use óculos de segurança, máscara,
luvas, protetores auriculares e um cinto de segurança quando
operar ou efetuar a manutenção na máquina.
 Se tiver cabelos compridos e eles ficarem soltos para fora de
seu capacete, há o perigo de eles ficarem emaranhados na
máquina; por isso, prenda o seu cabelo e tenha cuidado para
que o mesmo não seja agarrado.
 Verifique se todo o equipamento de proteção funciona de modo
apropriado antes de usá-lo.

2-10
SEGURANÇA PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

MANTENHA A MÁQUINA LIMPA


 Se entrar água no sistema elétrico, pode ocorrer mau
funcionamento ou falha de algum componente. Não use
água ou vapor para lavar o sistema elétrico (sensores e
conectores).
 Se inspecionar a máquina ou fizer algum serviço de
manutenção na mesma com ela ainda suja de lama ou óleo,
você poderá escorregar e cair ou poderá entrar sujeira ou
lama em seus olhos. Portanto, mantenha a máquina sempre
limpa.

PRECAUÇÕES NO INTERIOR DO COMPARTIMENTO DO OPERADOR


 Quando for entrar no compartimento do operador, sempre remova toda a lama e o óleo do solado dos seus
calçados.
Nunca opere os pedais com seus calçados sujos de lama ou óleo, pois seu pé poderá escorregar causando
um grave acidente.
 Não deixe peças ou ferramentas esparramadas pelo compartimento do operador.
 Não prenda botons de sucção nos vidros das janelas, pois esses apliques funcionam como lentes, podendo
causar incêndio.
 Não use telefones celulares no interior do compartimento do operador ao dirigir ou operar a máquina.
 Nunca leve para dentro da cabina do operador objetos perigosos do tipo inflamáveis ou explosivos.

EXTINTOR DE INCÊNDIO E KIT DE PRIMEIROS


SOCORROS
Para estar pronto para agir caso ocorra algum acidente ou
incêndio, siga sempre as precauções abaixo:
 Certifique de que foram instalados extintores de incêndio e leia
os seus rótulos para saber como usá-los se houver alguma
emergência.
 Periodicamente, inspecione os extintores de incêndio, re-
carregando-os, se necessário, para que estejam sempre em
condições de uso.
 Tenha sempre na cabina da máquina um kit de primeiros socorros.
Regularmente, verifique-o e reponha o que estiver faltando.

SE ALGUM PROBLEMA FOR ENCONTRADO


Se encontrar quaisquer problemas na máquina durante a operação ou manutenção (ruído, vibração, cheiro,
medidores incorretos, fumaça, vazamento de óleo, etc. ou qualquer indicação anormal nos dispositivos de aviso
ou no monitor), informe-os à pessoa encarregada e providencie para que sejam tomadas as medidas necessárias.
Não opere a máquina até que o problema tenha sido corrigido.

2-11
PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SEGURANÇA

PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIOS


AÇÃO A SER TOMADA CASO OCORRA UM INCÊNDIO
• Desligue o interruptor de partida (OFF) para desligar o motor.
• Use os corrimãos e degraus para sair da máquina.
• Não pule para fora da máquina. Há o perigo de cair e sofrer graves ferimentos.

PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS E EXPLOSÕES


 Incêndio causado por combustível ou óleo
Combustível, óleo, anticongelante e fluído automotivo de
lavagem de vidro de pará-brisa são substâncias particularmente
inflamáveis, podendo oferecer risco, para prevenir incêndio,
tome os cuidados abaixo.
 Não fume ou use chama exposta perto de combustível ou óleo.
 Desligue o motor antes de proceder ao reabastecimento
da máquina com combustível.
 Não deixe a máquina quando estiver completando seu óleo
ou seu combustível.
 Aperte bem as tampas de todos os bocais de abastecimento
de óleo e combustível.
 Não derrame combustível sobre superfícies superaquecidas
ou componentes do sistema elétrico.
 Só abasteça óleo e combustível ou os armazene em árreas
bem ventiladas.
 Mantenha o óleo e o combustível armazenados em um local
previamente designado, proibindo o acesso de pessoas
não autorizadas ao local.
 Terminando de completar o combustível ou o óleo, enxugue
os respingos dessas substâncias que porventura tenham
ficado.
 Antes de trabalhar com esmeril ou solda no chassi, remova
todo e qualquer material inflamável para um local seguro.
 Quando lavar peças com óleo, utilize óleo não inflável.
Como o óleo diesel e a gasolina podem indendiar, você
não deverá úsa-los.
 Panos sujos de graxa e outros materiais inflamáveis deverão
ser colocados em um recipientes seguro para manter um
nível satisfatório de segurança no local de trabalho.
 Não solde ou use maçarico para cortar canos ou tubos que
contenham líquidos inflamáveis.

 Incêndio causado pelo acúmulo de materiais inflamáveis


• Remova as folhas secas, lascas de madeira, pedaços de papel, poeira ou outros materiais inflamáveis
acumulados ou presos em torno do motor, do coletor de escape, do silencioso, ou da bateria, ou que tenham
ficado retidos no interior das tampas inferiores.
• Para evitar o surgimento de um foco de incêndio decorrente de faíscas ou partículas incandescentes de
outros incêndios, remova quaisquer materiais inflamáveis, como folhas secas, lascas de madeira, pedaços
de papel, pó de carvão ou outros materiais acumulados em torno do sistema de arrefecimento (radiador,
resfriador de óleo) ou dentro da tampa inferior.

 Incêndio originado no sistema elétrico


Se apresentar algum curto-circuito, o sistema elétrico poderá acarretar um incêndio.
 Mantenha as conexões das fiações elétricas sempre limpas e firmemente apertadas.
 Verifique diariamente se há fios elétricos soltos ou danificados. Aperte todo e qualquer conector ou presilha
de fiação elétrica que esteja solto, consertando ou substituindo os circuitos elétricos que apresentarem
problema.

2-12
SEGURANÇA PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

 Incêndio proveniente da tubulação


Verifique se todas as braçadeiras das mangueiras e dos tubos, proteções e coxins estão fixos na posição de
modo seguro. Se estiverem soltos, eles podem vibrar durante a operação e causar atrito com outras partes.
Existe o perigo disto levar à ocorrência de danos às mangueiras e fazer com que o óleo sob alta pressão espirre
para fora, causando um incêndio, graves ferimentos pessoais ou a morte.

 Explosão causada pelo equipamento de iluminação


 Ao verificar o combustível, óleo, o eletrólito da bateria ou o líquido arrefecedor, sempre use uma iluminação
com especificações anti-explosão.
 Quando utilizar a energia elétrica da própria máquina para a iluminação, siga as instruções fornecidas neste
manual.

PRECAUÇÕES AO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA


USE OS CORRIMÃOS E DEGRAUS QUANDO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA
Para evitar ferimentos pessoais causados por escorregamento ou queda da máquina, sempre faça como segue.

 Use os corrimãos e degraus indicados pelas setas “A” no


diagrama à direita, quando for subir ou descer da máquina.
Jamais utilize as partes indicadas pelas setas “B” ao subir
ou descer da máquina, mas somente para se deslocar pela
parte superior da esteira ou ao fazer verificações e serviços
de manutenção no interior da tampa lateral, ou ao abastecer
o reservatório com óleo.

• Sempre olhe para a máquina e mantenha um contato em pelo


menos três pontos (ambos os pés e uma mão, ou ambas as
mãos e um pé) com o corrimão e os degraus, para assegurar
que você tenha apoio próprio.

 Antes de subir ou descer da máquina, verifique se os corrimãos e degraus não contêm óleo, graxa ou lama e,
se houver, remova-os imediatamente. Além disso, repare quaisquer danos e aperte quaisquer parafusos que
estiverem soltos.
• Não agarre as alavancas de controle nem a alavanca de trava do equipamento de trabalho quando subir ou
descer da máquina.
• Nunca suba no capô ou nas tampas do motor quando não houver revestimento antiderrapante nos mesmos.
• Não suba ou desça da máquina segurando ferramentas em sua mão.

2-13
PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SEGURANÇA

NÃO PULE AO SUBIR OU DESCER DA MÁQUINA


• Nunca pule ao subir ou descer da máquina. Nunca suba ou desça de uma máquina estando ela em movimento.
• Se a máquina começar a se mover quando o operador não estiver na máquina, não pule na máquina para
tentar fazê-la parar.

NÃO PERMITA QUE PESSOAS SUBAM NOS IMPLEMENTOS


Nunca permita a presença de nenhuma pessoa no equipamento de trabalho ou em outros implementos quando
estiverem em movimento. Há perigo de queda e conseqüentes ferimentos graves ou fatais.

PRECAUÇÕES AO SE LEVANTAR DO ASSENTO


DO OPERADOR
Antes de se levantar do assento do operador, como no caso
de ajustar a posição do assento, sempre baixe o equipamento
de trabalho completamente até o solo, coloque a alavanca de
bloqueio (1) do equipamento de trabalho e a alavanca de bloqueio
da direção (2) na posição travada (L), acione o interruptor (3) do
freio de estacionamento (ON) e desligue o motor.
Se as alavancas de controle forem movidas por engano, a
máquina poderá mover-se repentinamente e causar graves
ferimentos ou a morte.

PRECAUÇÕES AO DEIXAR A MÁQUINA


Se não forem aplicados os procedimentos adequados ao
estacionar a máquina, esta poderá mover-se repentinamente
por si mesma, podendo causar graves ferimentos pessoais ou a
morte. Adote sempre o seguinte procedimento:
• Ao deixar a máquina, baixe sempre o equipamento de
trabalho totalmente até o solo, coloque a alavanca de bloqueio
(1) do equipamento de trabalho e a alavanca do freio de
estacionamento (2) na posição travada (L), e então desligue o
motor. Use a chave da máquina para trancar todas as partes,
leve a chave sempre com você e deixe-a em local especificado.

SAÍDA DE EMERGÊNCIA DA CABINA DO OPERADOR


Máquinas equipadas com cabina possuem portas nos lados esquerdo e direito. Se a porta de um dos lados não
abrir, saia através da porta no lado oposto.

2-14
SEGURANÇA PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

CUIDADO PARA NÃO FICAR PRESO NO EQUIPAMENTO DE TRABALHO


A folga existente na área ao redor do equipamento de trabalho é alterada de acordo com o movimento do elo. Se
ocorrer de você ficar preso nessa parte, correrá sério risco de sofrer ferimentos graves e até fatais. Não permita
que ninguém se aproxime de qualquer peça giratória ou extensora/retratora.

PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DA ESTRUTURA


DE PROTEÇÃO CONTRA CAPOTAMENTO (ROPS)
O compartimento do operador é equipado com uma estrutura
anti-capotamento (ROPS, FOPS) para protegê-lo na absorção da
energia produzida por impactos. Se o peso da máquina (massa)
exceder o valor certificado (indicado na placa de HOMOLAÇÃO
DA ESTRUTURA DE PROTEÇÃO CONTRA CAPOTAMENTO
(ROPS), a (ROPS) não será capaz de atender à sua função. Não
aumente o peso da máquina além do valor certificado, modificando
a máquina ou instalando implementos na mesma. Além disso, se a
função do equipamento de proteção for impedida, o equipamento
de proteção não será capaz de proteger o operador, de modo
que este poderá sofrer ferimentos ou morrer. Sempre observe os
seguintes pontos:
 Se a máquina estiver equipada com uma estrutura de proteção,
não a remova nem execute as operações sem a mesma.
 Se a estrutura de proteção for soldada, se forem feitas perfu-
rações na mesma ou se ela for modificada de alguma outra
maneira, a sua resistência poderá diminuir. Consulte o seu
distribuidor Komatsu antes de efetuar quaisquer modificações.

• Se a estrutura de proteção for danificada ou deformada devido à queda de objetos ou por capotamento, a sua
resistência será reduzida e ela não será capaz de atender à sua função de maneira apropriada. Em tais casos,
sempre entre em contato com o seu distribuidor Komatsu para receber orientação quanto ao método de reparo.
• Mesmo se a estrutura de proteção estiver instalada, sempre coloque o seu cinto de segurança corretamente quan-
do for operar a máquina. Se você não colocar o seu cinto de segurança de maneira apropriada, ele não poderá
mostrar o seu efeito.

MODIFICAÇÕES NÃO AUTORIZADAS


• A Komatsu isenta-se de toda e qualquer responsabilidade por quaisquer ferimentos, acidentes, falhas de produto
ou outros danos materiais resultantes de modificações efetuadas sem a autorização por parte da Komatsu.
• Qualquer modificação feita sem autorização da Komatsu pode oferecer riscos. Antes de efetuar uma modifica-
ção, consulte o seu distribuidor Komatsu.

PRECAUÇÕES RELACIONADAS AO USO DE IMPLEMENTOS E OPCIONAIS


• Quaisquer ferimentos, acidentes, falhas de produtos ou outros danos materiais decorrentes do uso de imple-
mentos ou peças não autorizados, não serão de responsabilidade da Komatsu.
• Ao se instalar peças ou implementos opcionais, pode haver problemas com a segurança ou as restrições legais.
Portanto, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu para orientação.
• Quando instalar e utilizar implementos opcionais, leia o manual de instruções referente ao implemento, além
das informações gerais relativas aos implementos neste manual.

2-15
PRECAUÇÕES GERAIS COMUNS À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SEGURANÇA

PRECAUÇÕES AO OPERAR O MOTOR NO


INTERIOR DE EDIFÍCIOS
O gás de escapamento do motor contém substâncias que podem
prejudicar a sua saúde ou até mesmo causar a morte. Acione ou
opere o motor em um local onde haja boa ventilação. Se o motor
ou a máquina tiverem de ser operados no interior de um edifício
ou em subsolos, onde a ventilação é precária, tome as devidas
providências para assegurar que o gás de escapamento do motor
seja eliminado e que haja ampla ventilação de ar fresco.

2-16
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO

PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO


PRECAUÇÕES EM RELAÇÃO AO CANTEIRO DE OBRAS
INVESTIGUE E CONFIRME AS CONDIÇÕES DO CANTEIRO DE OBRAS
No canteiro de obras, existem vários perigos ocultos que podem causar ferimentos pessoais ou a morte. Antes
de iniciar as operações, sempre verifique o seguinte para confirmar que não haja nenhum perigo em relação ao
canteiro de obras.
• Ao executar as operações próximo a materiais combustíveis como telhados de palha, folhas secas ou capim
seco, há um perigo de incêndio, por isso tenha cuidado quando executar a operação.
• Verifique o terreno e a condição do solo no local de trabalho, e determine o método de operação mais
seguro. Não opere em locais sujeitos a deslizamentos de terra ou desabamento de rochas.
• Se houver a possibilidade de galerias de água ou de gás
ou linhas de alta tensão estarem enterradas sob o local de
trabalho, entre em contato com as concessionárias de utilidade
pública competentes, a fim de determinar a sua localização
exata. Tome cuidado para não poluir nem danificar essas
galerias.
• Tome as medidas apropriadas para impedir o acesso de
pessoas não credenciadas na área de operação.
• Especialmente quando precisar trabalhar em vias públicas,
proteja os pedestres e veículos designando uma pessoa
em serviço no local de trabalho para sinalizar o tráfego ou
instalando cercas em torno do canteiro de obras.
• Sempre que for trafegar ou operar em terrenos alagados ou
de baixa sustentação, examine primeiro a profundidade da
água, a velocidade da correnteza, a camada de rocha viva e
o formato do substrato rochoso e evite passar por qualquer
local que possa obstruir o percurso.os respingos dessas
substâncias que porventura tenham ficado.

TRABALHO EM TERRENOS DE BAIXA SUSTENTAÇÃO


 Evite trafegar ou operar com a máquina muito perto da borda de encostas, precipícios e valas fundas, pois o solo
pode estar pouco resistente nessas áreas. Se o solo ceder sob o peso ou a vibração da máquina, a máquina
poderá tombar ou capotar. Lembre-se que nesses locais o solo fica menos resistente depois de uma chuva
pesada, de dinamitações ou de um terremoto.
 Quando se trabalha em aterros ou perto de valas excavadas, existe o risco do solo ceder sob o peso e a vibra-
ção da máquina. Antes de começar a operar em locais como esses, procure certificar-se de que a resistência
do terreno é boa e assegurar-se de que a máquina não irá tombar ou capotar.

2-17
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO SEGURANÇA

NÃO SE APROXIME DE CABOS DE ALTA TENSÃO


Não trafegue ou opere com a máquina perto de cabos elétricos,
pois, do contrário, você poderá sofrer um choque elétrico, o que,
além de danificar a máquina, poderá ferí-lo com gravidade ou matá-
lo. Em locais onde haja a previsão da máquina se aproximar de
cabos elétricos, proceda sempre conforme descreveremos abaixo:
 Antes de começar a trabalhar perto de cabos elétricos, informe
à concessionária elétrica local o serviço que irá realizar e peça
a ela que tome as providências necessárias.

 O simples fato de aproximar-se de cabos de alta tensão já


é suficiente para causar choque elétrico, que pode produzir Distância
Tensão dos cabos
sérias queimaduras ou até mesmo levar você à morte. segura
Mantenha sempre uma distância segura entre a máquina e o
100 V - 200 V Acima de 2 m
cabo elétrico (veja a tabela à direita). Antes de começar o seu
trabalho, procure saber junto à concessionária elétrica local 6600 V Acima de 2 m
como operar com segurança perto de cabos de alta tensão.
 Esteja preparado para qualquer emergência usando botas e 22000 V Acima de 3 m
luvas de borracha. Coloque uma placa de borracha no alto 66000 V Acima de 4 m
do assento e tome cuidado para não tocar nenhuma região
exposta do seu corpo no chassi. 154000 V Acima de 5 m
 Deixe alguém encarregado de sinalizar se a máquina está se 187000 V Acima de 6 m
aproximando muito dos cabos elétricos. 275000 V Acima de 7 m
 Ao operar perto de cabos de alta tensão, não deixe ninguém
se aproximar muito da máquina. 500000 V Acima de 11 m
 Caso a máquina chegue demasiadamente perto do cabo
elétrico ou mesmo venha a tocá-lo, o operador poderá evitar
o choque elétrico não abandonando seu assento até receber
a confirmação de que a eletricidade foi cortada.
Como medida adicional de segurança, não permita que ninguém
se aproxime da máquina.

ASSEGURE UMA BOA VISIBILIDADE


Esta máquina vem equipada com espelhos retrovisores para assegurar uma boa visibilidade, porém mesmo assim
há locais que não podem ser vistos do assento do operador, portanto seja cuidadoso durante a operação.
Quando estiver trafegando ou executando operações em locais com pouca visibilidade, é impossível verificar se há
obstáculos na área ao redor da máquina, além de verificar as condições do canteiro de obras. Isto oferece o perigo
de ocorrer graves ferimentos ou a morte. Ao trafegar ou executar operações em locais com pouca visibilidade,
sempre observe o seguinte.
Quando estiver trafegando ou executando operações em locais com pouca visibilidade, é impossível verificar se há
obstáculos na área ao redor da máquina, além de verificar as condições do canteiro de obras. Isto oferece o perigo
de ocorrer graves ferimentos ou a morte. Ao trafegar ou executar operações em locais com pouca visibilidade,
sempre observe o seguinte.
• Posicione um sinaleiro nas áreas onde a visibilidade for deficiente.
• Somente um sinaleiro deve emitir os sinais.
• Quando estiver trabalhando em locais escuros, acenda o farol de trabalho e os faróis dianteiros instalados na
máquina, e instale lâmpadas adicionais na área de trabalho se for necessário.
• Pare as operações se a visibilidade estiver precária, tal como neblina, neve, chuva ou pó.
• Quando verificar os espelhos retrovisores instalados na máquina, remova toda a sujeira e ajuste o ângulo do
espelho para assegurar uma boa visibilidade.

2-18
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO

MUITA ATENÇÃO COM OS SINAIS E ACENOS DE MÃO


 Coloque sinais para informar sobre a existência de acostamentos e terrenos de baixa sustentação. Se a visibilidade
não for boa, encarregue, se necessário, alguém de orientar o trânsito por meio de acenos de mão. Os operadores
devem prestar muita atenção nos sinais e seguir as instruções da pessoa encarregada de orientar o trânsito.
 Uma única pessoa deve ficar incumbida de orientar o trânsito por meio de acenos de mão.
 Antes de começar a trabalhar, certifique-se de que todos os operários entenderam o significado dos sinais que
serão usados.

PÓ DE AMIANTO É PREJUDICIAL À SAÚDE


Se inalado, o pó de amianto disperso no ar pode causar câncer de pulmão. O risco de inalação de pó de amianto
está presente em trabalhos de demolição ou movimentação de lixo industrial. Para prevenir-se, observe as pre-
cauções abaixo:
 Borrife água para baixar a poeira quando estiver fazendo
limpeza. Não use ar comprimido para fazer limpeza.
 Caso possa haver pó de amianto disperso no ar, sempre opere
a máquina a favor do vento. Todos os operários deverão estar
usando máscaras respiratórias certificadas.
 Não permita a aproximação de pessoas não credenciadas
durante a operação.
 Observe sempre as regras e normas aplicáveis ao local de
trabalho, bem como a legislação ambiental.
Esta máquina não possui nenhum componente que utilize
amianto, mas imitações poderão conter amianto, portanto, só use
peças genuínas Komatsu.

PARA DAR A PARTIDA

PLACA DE AVISO
Se uma placa de aviso com os dizeres “PERIGO! NÃO OPERE”
estiver pendurada, significa que estão sendo efetuados trabalhos
de inspeção e manutenção na máquina. Se o sinal de aviso for
ignorado e a máquina for acionada, há o perigo de a pessoa que
estiver efetuando a inspeção ou manutenção ficar presa entre as
partes giratórias ou as partes móveis e sofrer graves ferimentos ou
até morrer. Não ligue o motor nem toque nas alavancas.

PERIGO
NÃO opere
Quando esta placa não estiver sendo usada, guarde-a no
compartimento de bagagem ou, se não houver um com-
partimento desse tipo, em uma das bolsas onde se guarda
o manual de operação.

2-19
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO SEGURANÇA

INSPEÇÕES E MANUTENÇÃO A SEREM FEITAS ANTES DA PARTIDA


Efetue as seguintes verificações antes de acionar o motor no início do trabalho diário, para assegurar que não
haja nenhum problema com a operação da máquina. Se esta inspeção não for executada de maneira adequada,
poderão ocorrer problemas na operação da máquina, havendo ainda o perigo de poder causar ferimentos graves
ou mesmo fatais.
• Remova toda a sujeira da superfície dos vidros das janelas para garantir boa visibilidade.
• A “INSPEÇÃO DE ROTINA AO REDOR DA MÁQUINA (PÁGINA 3-89)” certamente deve ser executada.
• Remova toda a sujeira da superfície das lentes dos faróis dianteiros, das lâmpadas de trabalho e da lâmpada
traseira combinada, e verifique se todos acendem corretamente.
• Verifique o nível do líquido arrefecedor, o nível do combustível e o nível de óleo no carter do motor, verifique se
o purificador de ar está obstruído e se há danos ma fiação elétrica.
• Verifique se não há acúmulo de lama ou pó em torno das partes móveis do pedal do acelerador ou do pedal do
freio, e verifique se os pedais funcionam de modo apropriado.
• Ajuste o assento do operador numa posição em que ele possa executar as operações com facilidade, e verifique
também se o cinto de segurança ou as presilhas de fixação não estão danificados ou gastos.
• Verifique se os instrumentos estão operando corretamente, verifique o ângulo dos espelhos retrovisores e se
as alavancas de controle estão todas na posição neutra.
• Antes de acionar o motor, verifique se a alavanca de trava-
mento do equipamento de trabalho (1) e a alavanca do freio
de estacionamento (2) encontram-se na posição LOCK.
• Ajuste os espelhos retrovisores de tal maneira que a parte
traseira da máquina possa ser vista claramente a partir do
assento do operador.
Para detalhes, consulte “AJUSTE DOS ESPELHOS RETRO-
VISORES (PÁGINA 3-106)”.
• Verifique se não há pessoas ou obstáculos acima, abaixo ou
na mesma área ao redor da máquina.

PRECAUÇÕES AO DAR A PARTIDA


• Acione e opere a máquina somente quando estiver sentado.
• Ao ligar o motor, toque a buzina como sinal de alerta.
• Não permita que ninguém além do operador seja transportado na máquina.
• Não tente acionar o motor colocando o circuito de partida em curto-circuito. Isto poderá causar incêndio, graves
ferimentos ou a morte.

PRECAUÇÕES EM REGIÕES DE CLIMA FRIO


• Execute a operação de aquecimento completamente. Se a máquina não estiver totalmente aquecida antes
das alavancas de controle serem operadas, a reação da máquina será lenta, o que poderá causar acidentes
inesperados.
• Se o eletrólito da bateria estiver congelado, não troque a bateria nem acione o motor com uma fonte de energia
diferente. Existe o perigo de ocorrer ignição da bateria e causar explosão.
Antes de carregar o motor ou dar a partida com uma fonte de energia diferente, derreta o eletrólito da bateria
e verifique se não há vazamento do eletrólito antes da partida.

2-20
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO

PARTIDA COM CABOS AUXILIARES


Se algum erro for cometido no método de se conectar os cabos de
bateria auxiliares, poderá causar a explosão da bateria, portanto
proceda sempre como segue.
• Use sempre óculos de segurança e luvas de borracha ao
acionar o motor com cabos de bateria auxiliares.
• Quando for conectar uma máquina normal a uma máquina
com problema por meio de cabos auxiliares, sempre use uma
máquina normal com a mesma tensão da bateria da máquina
com problema.
• Ao dar a partida com um cabo de bateria auxiliar, execute a
operação de partida com dois operários (um operário sentado
no assento do operador e o outro trabalhando com a bateria).
• Ao dar a partida de outra máquina, não permita que as duas
máquinas encostem uma na outra.
• Quando conectar os cabos de bateria auxiliares, coloque o
interruptor de partida na posição OFF, tanto para a máquina
normal como para a máquina com problemas. Existe o risco de
que a máquina irá se mover quando a energia for conectada.
• Certifique-se de conectar primeiro o cabo positivo (+) quando
for instalar os cabos de bateria auxiliares. Desconecte primeiro
o cabo negativo (-) (lado terra) ao removê-los.
• Ao remover os cabos auxiliares, tenha cuidado para que os
prendedores dos cabos não encostem um no outro, ou que
os prendedores não encostem na máquina.
• Para obter detalhes sobre o procedimento de partida ao utilizar
cabos de bateria auxiliares, consulte em “ACIONAR O MOTOR
COM CABOS DE BATERIA AUXILIARES (PÁGINA 3-179)” na
seção OPERAÇÃO.

2-21
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO SEGURANÇA

OPERAÇÃO
VERIFICAÇÕES ANTES DA OPERAÇÃO
Para fazer as verificações abaixo, leve a máquina até uma área
espaçosa, sem obstáculos e opere devagar. Não permita que
ninguém se aproxime da máquina.
 Coloque sempre o cinto de segurança.
 Verifique o funcionamento dos sistemas de deslocamento,
direcional e de freios, bem como do sistema de controle do
equipamento de trabalho.
 Verifique se a máquina apresenta algum ruído, vibração,
aquecimento ou odor anormal, bem como se a leitura dos
indicadores e instrumentos está normal. Examine ainda se
há vazamento de óleo ou combustível.
 Encontrando alguma anormalidade, providencie imediatamen-
te os reparos.

PRECAUÇÕES ANTES DE TRAFEGAR COM A


MÁQUINA AVANTE OU EM RÉ
 Antes de trafegar com a máquina, verifique novamente se
não há pessoas nas proximidades, bem como se não existem
obstáculos.
 Nunca começe a trafegar com a máquina sem antes
soar a buzina para alertar as pessoas que estiverem nas
proximidades.
 Somente opere a máquina sentado no assento.
 Não deixe que ninguém além do operador suba na máqui-
na.
 Verifique se o alarme de marcha a ré (sonoro) funciona cor-
retamente quando a máquina trafega em ré.
 Sempre trave a porta e os vidros das janelas do compartimen-
to do operador na posição em que devem ficar (abertos ou
fechados).
Em locais onde haja risco de objetos serem arremessados
dentro do compartimento do operador, verifique se a porta e
os vidros das janelas estão bem fechados.
 Se houver uma área na traseira da máquina onde a visibili-
dade esteja obstruída, encarregue um operário de sinalizar o
percurso. Tome muito cuidado para não bater em nada e dirija
a máquina em baixa velocidade.
Mesmo se a máquina estiver equipada com espelho retrovisor,
não deixe de tomar os cuidados que acabamos de descrever.

2-22
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO

PRECAUÇÕES AO TRAFEGAR COM A MÁQUINA


 Nunca desligue a chave de partida com a máquina em movi-mento, pois é perigoso desligar o motor nessas
circunstâncias, já que com ele desligado o sistema direcional não responde aos comandos. Se o motor morrer,
aplique os freios e pare a máquina imediatamente.
 Ao trafegar com a máquina ou fazer qualquer tipo de operação, mantenha sempre uma distância segura de
pessoas, estruturas ou outras máquinas para não atingí-las.
 Ao trafegar em terreno plano, recolha o equipamento de
trabalho, mantendo-o 40 a 50 cm acima do solo.

 Ao trafegar em terreno plano, recolha o equipamento de tra-


balho, mantendo-o 40 a 50 cm acima do solo.
 Sempre que possível, evite passar sobre obstáculos. Se tiver
que passar sobre um obstáculo, mantenha o equipamento de
trabalho próximo do solo e dirija em baixa velocidade. Quando
perceber que um obstáculo irá inclinar muito a máquina para
um dos lados, não passe sobre ele.
 Quando trafegar em terreno acidentado, dirija em baixa
velocidade e não opere o sistema direcional bruscamente,
pois, do contrário, a máquina poderá capotar, o equipamento
de trabalho poderá chocar-se com o solo e fazer a máquina
perder o equilíbrio, ou a máquina ou as estruturas poderão
sofrer danos.
 Antes de atravessar pontes ou estruturas, verifique primeiramente se essas construções são resistentes o
bastante para suportar o peso da máquina.
 Ao trabalhar em túneis, sob pontes ou debaixo de fios elétricos, ou em outros locais com restrição de altura,
opere devagar e tome muito cuidado para o equipamento de trabalho não bater em nada.

DESLOCAMENTO EM RAMPAS
Para que a máquina não tombe ou derrape, tome sempre os
cuidados abaixo:
 Ao trafegar em uma rampa, mantenha a lâmina aproximada-
mente 20 a 30 cm acima do solo. Em caso de emergência,
baixe rapidamente a lâmina ao solo para ajudar a máquina
a parar. Aplique o freio e, se necessário, use o motor para
desacelerar a máquina.
 Trafegue sempre no mesmo sentido da subida ou da descida
da rampa. Cruzar uma rampa ou atravessá-la diagonalmente
é extremamente perigoso.
 Nunca faça curvas em rampas ou atravesse-as diagonalmente.
Para mudar de direção, desça até um local plano e só então
volte a percorrer a rampa.
 Trafegue sobre grama, folhas mortas ou placas de aço úmidas
ou molhadas sempre em baixa velocidade. Esse cuidado deve
ser tomado mesmo se a inclinação da rampa for pequena, em
face do risco da máquina derrapar.
 Quando estiver descendo uma rampa, nunca mude de marcha
ou coloque a alavanca da transmissão em neutro, pois, nessas
circunstâncias, o motor não poderá ser usado para desacele-
rar a máquina, o que representa um sério perigo. Desça uma
rampa sempre na mesma marcha que usar para subí-la.
 Quando manobrar ao final da descida de uma rampa, reduza
a velocidade de deslocamento.
2-23
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO SEGURANÇA

PRECAUÇÕES DURANTE AS OPERAÇÕES


• Tenha cuidado para não se aproximar demais da beira de barrancos. Quando efetuar amontoamentos ou aterros,
ou quando despejar terra em um barranco, despeje uma pilha, em seguida use a próxima pilha de terra para
empurrar a primeira pilha.
• A carga torna-se repentinamente mais leve quando a terra é despejada sobre um barranco ou quando a
máquina atinge o topo de um aclive. Quando isto ocorre, há o perigo da velocidade de deslocamento aumentar
repentinamente, portanto assegure-se de reduzir a velocidade.
• Quando a caçamba estiver totalmente carregada, nunca acione, vire ou pare a máquina subitamente. Existe o
perigo de capotamento da máquina.

OPERAÇÕES PROIBIDAS
 Para que possa escapar mais facilmente se houver algum problema, mantenha as esteiras perpendiculares ao
acostamento ou à beirada da encosta com a roda motriz na traseira quando estiver operando em locais como esses.
 Quando operar a máquina, procure não exceder suas especificações de estabilidade, carga útil máxima, etc. para
evitar que a máquina capote pelo excesso de carga e o equipamento de trabalho quebre causando acidentes.

USO DOS FREIOS


 Quando estiver trafegando com a máquina, não descanse o pé no pedal do freio, caso contrário, o freio ficará
permanentemente aplicado e superaquecerá, vindo, portanto, a falhar.
 Não pise repetidamente no pedal do freio sem necessidade. A não observância desta recomendação acarretará
no superaquecimento do freio, que, usado dessa forma, falhará quando for requisitado.
 Quando descer uma rampa, use o motor para desacelerar a máquina.

OPERE COM CUIDADO EM NEVE


 Superficíes cobertas de neve ou congeladas são escorregadias, portanto, tenha muito cuidado quando trafegar
com a máquina ou operá-la em terrenos desse tipo, e não acione as alavancas bruscamente. Basta uma rampa
de pouca inclinação para que a máquina derrape, portanto, tenha cuidado redobrado ao trabalhar em rampas.
 Quando a temperatura sobe em superfícies congeladas, o solo fica mole, havendo o risco da máquina tombar.
 Se a máquina entrar em uma neve muito funda, poderá tombar ou atolar. Cuidado para não sair do acostamento
ou ficar preso em uma tempestade de neve.
 Quando estiver removendo neve, lembre-se que o acostamento e os objetos que margeiam a via estão enterrados
na neve e não podem ser visualizados. Proceda sempre com o máximo cuidado ao realizar operações desse
tipo, já que existe o risco da máquina tombar ou colidir com objetos camuflados pela neve.
 Sempre que trafegar em rampas cobertas de neve, nunca aplique os freios bruscamente. Reduza a velocidade
e use o motor para desacelerar a máquina, pisando, ao mesmo tempo, intermitentemente no pedal do freio (pise
no pedal do freio intermitentemente várias vezes). Se necessário, baixe a lâmina ao solo para parar a máquina.

2-24
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO

PARA ESTACIONAR A MÁQUINA


• Estacione a máquina em um terreno firme e nivelado.
• Selecione um local onde não haja perigo de deslizamentos,
desmoronamento de rochas nem enchentes.
• Baixe o equipamento de trabalho completamente até o solo.
• Ao deixar a máquina, sempre baixe o equipamento de trabalho
totalmente até o solo, coloque a alavanca de bloqueio (1) do
equipamento de trabalho e a alavanca do freio de estacionamento
(2) na posição de travamento (L) e desligue o motor.
• Sempre feche a porta da cabina do operador e use a chave
para trancar todos os equipamentos, a fim de que nenhuma
pessoa não autorizada venha a movimentar a máquina.
Sempre retire a chave, leve-a consigo e deixe-a no local
especificado.

• Se for necessário estacionar a máquina em uma rampa, adote


o seguinte procedimento:
• Ajuste o equipamento de trabalho voltado para o lado de baixo
da rampa e crave-o no solo.
• Além disso, coloque calços sob as rodas para impedir que a
máquina venha a se mover.

2-25
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO SEGURANÇA

TRANSPORTE
Quando a máquina for transportada em um reboque, existe o perigo de ocorrer graves ferimentos pessoais ou a
morte durante o transporte. Proceda sempre como segue.
• Verifique sempre as dimensões da máquina cuidadosamente. Dependendo do equipamento de trabalho instalado,
o peso da máquina, a altura de transporte e o comprimento total podem apresentar diferenças.
• Verifique antecipadamente se todas as pontes e as demais estruturas no roteiro de transporte possuem resistência
suficiente para suportarem o peso combinado do veículo de transporte e a máquina a ser transportada.
• A máquina pode ser dividida em partes para o transporte, portanto ao transportar a máquina, entre em contato
com seu distribuidor Komatsu para que o trabalho seja executado corretamente.

CARREGANDO E DESCARREGANDO A MÁQUINA


DO CAMINHÃO DE TRANSPORTE
Quando for carregar ou descarregar a máquina, uma operação
incorreta pode oferecer o risco da máquina tombar ou cair;
portanto, é necessário tomar o máximo de cuidado. Proceda
sempre como segue.
• Execute a operação de carga e descarga somente em um
terreno firme e nivelado. Mantenha uma distância segura da
beira da via ou do barranco.
• Sempre use rampas de resistência adequada. Assegure-se de
que as rampas sejam largas, longas e de espessura suficiente
para proporcionar uma inclinação de carregamento segura. (1) Calços
Tome as medidas adequadas para evitar que as rampas saiam (2) Rampa
de suas respectivas posições. (3) Linha de centro da carroceria do caminhão
• Certifique-se de que a superfície das rampas esteja limpa de transporte
e livre de graxa, óleo, gelo e materiais soltos. Remova (4) Ângulo de instalação das rampas: máx. 15º
toda a sujeira dos pneus da máquina. Em dias chuvosos,
especialmente, tenha o máximo de cuidado, pois a superfície
das rampas é escorregadia.
• Acione o motor em marcha lenta e mova a máquina lentamente
e em baixa velocidade.
• Quando estiver sobre as rampas, não opere nenhuma alavanca, exceto a alavanca de controle de deslocamento.
• Nunca corrija a direção nas rampas. Se necessário, saia das rampas, corrija a direção, em seguida suba
novamente nas rampas.
• Quando estiver carregando ou descarregando em um amontoamento de terra ou numa plataforma, assegure-se
de que possuam largura, resistência e inclinação suficientes.
• Para máquinas equipadas com cabina, sempre tranque a porta após colocar a máquina no veículo. Se isto
não for feito, a porta poderá se abrir subitamente durante o transporte. Consulte em “TRANSPORTE (PÁGINA
3-161)”.

2-26
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À OPERAÇÃO

REBOCAMENTO
PRECAUÇÕES A SEREM OBSERVADOS QUANDO REBOCAR A MÁQUINA
Use sempre o equipamento de reboque e o método de rebocamento corretos. Qualquer erro na seleção do cabo
de aço ou barra, ou no método para se rebocar uma máquina incapacitada pode conduzir a graves ferimentos ou
a morte.
Para saber detalhes sobre o procedimento para reboque, consulte o tópico “MÉTODO PARA REBOCAR A MÁQUINA
(PÁGINA 3-175)”.
• Sempre confirme se o cabo de aço ou a barra de tração
utilizados para reboque possuem ampla resistência para
suportar o peso da máquina a ser rebocada.
• Nunca use um cabo de aço que esteja com os fios da trama
(A) cortados, diâmetro reduzido (B) ou com dobras (C). Há
o perigo do cabo poder romper-se durante a operação de
reboque.
• Use sempre luvas de couro ao manusear cabos de aço.
• Nunca reboque uma máquina em uma rampa.
• Durante a operação de reboque, nunca permaneça de pé entre
a máquina rebocadora e a máquina a ser rebocada.

2-27
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO SEGURANÇA

PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO


PRECAUÇÕES ANTES DE INICIAR A INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO

COLOCAÇÃO DE PLACAS DE AVISO DURANTE


A INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO
Se alguma placa de aviso “PERIGO! NÃO OPERE!” estiver
colocada, significa que estão sendo efetuados trabalhos de
inspeção e manutenção na máquina. Se o sinal de aviso for
ignorado e a máquina for acionada, há o perigo de a pessoa que
estiver efetuando a inspeção ou manutenção ficar presa entre as
partes giratórias ou as partes móveis e sofrer graves ferimentos
ou até morrer. Não ligue o motor nem toque nas alavancas.
• Se for necessário, coloque sinais também ao redor da máquina.
Número da peça da placa de aviso: 09963-03001
Quando não estiver usando esta placa de aviso, conserve-a
na caixa de ferramentas.
Se não houver caixa de ferramentas, mantenha-a no
compartimento destinado ao Manual de Operação e
Manutenção. PERIGO
NÃO opere
Quando esta placa não estiver sendo usada, guarde-a no
compartimento de bagagem ou, se não houver um com-
partimento desse tipo, em uma das bolsas onde se guarda
o manual de operação.

MANTENHA O LOCAL DE TRABALHO LIMPO E ORGANIZADO


Não deixe martelos ou outras ferramentas espalhados ao redor do local de trabalho. Remova toda a graxa, óleo ou
outras substâncias que possam fazê-lo escorregar. Conserve o local de trabalho sempre limpo e organizado, para
permitir-lhe a executar as operações com segurança. Se o local de trabalho não for conservado limpo e organizado,
há o perigo de você tropeçar, escorregar ou cair e se ferir.

SELECIONE UM LOCAL APROPRIADO PARA INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO


• Pare a máquina em um terreno firme e nivelado.
• Selecione um local onde não haja perigo de deslizamentos de terra, desmoronamento de rochas nem enchentes

SOMENTE PESSOAL AUTORIZADO


Não permita a presença de nenhuma pessoa não autorizada dentro da área quando estiver efetuando o serviço
de manutenção na máquina. Se for necessário, requisite um segurança.

NOMEIE UM LÍDER QUANDO TRABALHAR COM OUTRAS PESSOAS


• Quando efetuar reparos na máquina ou quando remover ou instalar o equipamento de trabalho, nomeie um
líder e siga estas instruções durante a operação.

2-28
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO

DESLIGUE O MOTORANTES DE FAZER QUALQUER


SERVIÇO DE INSPEÇÃO OU MANUTENÇÃO
 Baixe o equipamento de trabalho completamente ao solo e
desligue o motor.

DESLIGUE O MOTOR

 Ligue a chave de partida. Opere a alavanca de controle do


equipamento de trabalho para trás e para frente a à esquerda
e a direita até o fim de seu curso 2 a 3 vezes para eliminar
a pressão remanescente no interior do circuito hidráulico e
empurre a alavanca de trava de segurança (1) e a alavanca
de freio de estacionamento (2) para a posição travado (L) .
 Verifique se o relê da bateria está desligado e a força principal
não está sendo conduzida. (Espere por aproximadamente 1
minuto após ter desligado o motor então pressione o botão
da buzina, se esta não soar, o sistema está desativado).

 Coloque calços sob as esteiras para impedir que a máquina


se mova.

2-29
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO SEGURANÇA

QUANDO PRECISAR FAZER ALGUM SERVIÇO DE


MANUTENÇÃO COM O MOTOR FUNCIONANDO,
TRABALHE NO MÍNIMO EM DOIS
Para que não sofra nenhum acidente que possa lhe causar
ferimentos, não faça qualquer serviço de manutenção com o
motor funcionando. Se tiver, entretanto, que fazer algum serviço
de manutenção com o motor funcionando, trabalhe no mínimo
em dois e proceda da seguinte forma:
 Um operário deve sempre estar sentado no assento do
operador, pronto para desligar o motor a qualquer momento.
Todos os operários deverão manter contato entre si.
 Tenha muito cuidado quando operar perto do ventilador, da
correia do ventilador ou de outras peças rotativas, pois há o
risco delas apanhá-lo.
 Nunca introduza ou deixe cair ferramentas ou outros objetos
no ventilador ou em sua correia, pois isso poderá quebrar
peças ou arremessá-las.
 Trave a alavanca do freio de estacionamento (2) e a alavanca
de segurança (1) para que o equipamento de trabalho não se
mova.
 Não toque em nenhuma das alavancas de controle. Se houver
necessidade de operar alguma delas, sinalize aos outros
operários que irá fazer isso para que busquem um local seguro.

INSTALANDO, REMOVENDO OU ARMAZENANDO


IMPLEMENTOS
 Nomeie um líder antes de começar a remover ou instalar
implementos.
 Imobilize bem os implementos que tenham sido removidos da
máquina para que não caiam e tome medidas para impedir a
entrada de pessoas não credenciadas na área em que eles
estiverem guardados.

2-30
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO

PRECAUÇÕES AO TRABALHAR EM LOCAIS ELEVADOS


Ao trabalhar em locais elevados, use uma escada ou outro suporte para assegurar que o trabalho possa ser
realizado com segurança.

PRECAUÇÕES ENQUANTO ESTIVER


TRABALHANDO EM CIMA DA MÁQUINA
 Limpe a máquina para evitar que alguém caia de cima da
mesma durante alguma manutenção.
 Não derrame óleo ou graxa
 Não deixe as ferramentas espalhadas
 Tenha cuidado quando estiver na escada
 Remova lama, óleo ou qualquer outro tipo de sujeira que
estiver na sola do seu sapato.
 Nunca pule de cima da máquina. Quando for descer ou
subir da máquina, mantenha pelo menos 3 pontos de apoio
(os dois pés e uma mão, ou as duas mãos e um pé) com
o corrimão e escadas para se assegurar de que você está
equilibrado.
 Para prevenir danos pessoais causados por escorregões ou quedas da máquina, nunca suba no capô do
motor ou nas tampas.

PRECAUÇÕES QUANDO TRABALHAR SOB A MÁQUINA OU O EQUIPAMENTO DE TRABALHO


• Certifique-se de que os guinchos ou macacos utilizados es-
tejam em bom estado e sejam resistentes o suficiente para
suportarem o peso do componente. Nunca use macacos nos
locais onde a máquina estiver danificada, entortada ou torcida.
Nunca use um cabo de aço desfiado, torcido ou perfurado.
Nunca use ganchos dobrados ou distorcidos.
• É extremamente perigoso trabalhar sob a máquina quando as
sapatas da esteira estiverem levantadas do solo e a máquina
apoiada apenas pelo equipamento de trabalho. Se alguma das
alavancas de controles for acionada acidentalmente, ou se
houver qualquer dano à tubulação hidráulica, o equipamento
de trabalho ou a própria máquina poderão sofrer uma queda
súbita, o que representa um sério risco de acidente, por isso
jamais trabalhe sob a máquina ou o seu equipamento de
trabalho.
• Se for necessário elevar o equipamento de trabalho ou um componente e em seguida permanecer debaixo do
mesmo para executar uma inspeção ou manutenção, apoie o equipamento de trabalho ou o componente de
modo seguro com blocos e suportes que sejam resistentes o suficiente para suportar o peso do equipamento
de trabalho ou do componente.
Se o equipamento de trabalho ou o componente não forem devidamente apoiados, há o risco deles desabarem,
causando graves ferimentos ou a morte.
• Nunca use blocos de concreto como suporte. Eles podem ceder mesmo sob cargas mais leves.

USE FERRAMENTAS ADEQUADAS AO SERVIÇO


QUE IRÁ FAZER
Use ferramentas adequadas ao serviço que irá fazer e procure
utilizá-las corretamente. Saiba que o emprego de ferramentas de
má qualidade, defeituosas ou improvisadas, ou o uso indevido de
ferramentas pode ferí-lo gravemente.

2-31
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO SEGURANÇA

PRECAUÇÕES RELACIONADAS À INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO

PRECAUÇÕES AO EFETUAR SOLDAGENS


As operações de soldagem sempre devem ser executadas por um soldador qualificado e em um local contendo
equipamentos apropriados. Existe o perigo de vazamento de gás, incêndio ou eletrocussão ao efetuar trabalhos de
soldagem, portanto nunca permita que pessoas não qualificadas executem trabalhos de soldagem.

MANUSEIO DA BATERIA
Antes de inspecionar ou manusear a bateria, coloque a chave no interruptor de partida na posição OFF

• Perigo de explosão da bateria


Quando a bateria estiver sendo carregada, é gerado gás de
hidrogênio inflamável, o qual pode explodir. Além disso, o
eletrólito da bateria inclui ácido sulfúrico diluído. Qualquer
erro no manuseio pode causar graves ferimentos, explosão
ou incêndio, portanto observe sempre o seguinte.
• Não utilize nem carregue a bateria se o seu eletrólito estiver
abaixo da marca LOWER LEVEL (NÍVEL INFERIOR). Isto
irá causar uma explosão. Efetue sempre uma inspeção
periódica do nível do eletrólito da bateria e adicione água
destilada (ou solução para abastecimento de baterias
disponível no mercado) até a marca UPPER LEVEL (NÍVEL
SUPERIOR).
• Não fume próximo à bateria nem a aproxime de chamas.
• O gás de hidrogênio é gerado quando a bateria está sendo
carregada, portanto remova a bateria da máquina, leve-a
para um local bem ventilado, retire as tampas da bateria,
em seguida aplique a carga.
• Após a carga, aperte as tampas da bateria de modo seguro.

• Perigo do ácido sulfúrico diluído


Quando a bateria estiver sendo carregada, é gerado gás de
hidrogênio inflamável, o qual pode explodir. Além disso, o
eletrólito da bateria inclui ácido sulfúrico diluído. Qualquer
erro no manuseio pode causar graves ferimentos, explosão
ou incêndio, portanto observe sempre os seguintes pontos:
• Ao manusear a bateria, sempre use óculos de proteção e
luvas de borracha.
• Se o eletrólito da bateria atingir seus olhos, lave-os
imediatamente com água corrente em abundância. Após
isto, procure imediatamente cuidados médicos.
• Se o eletrólito da bateria atingir a sua roupa ou sua pele,
lave-a imediatamente com água em abundância.

• Remoção dos cabos da bateria


Antes de efetuar reparos no sistema elétrico ou efetuar uma solda elétrica, desligue o interruptor de partida
(OFF). Aguarde aproximadamente 1 minuto, em seguida remova o cabo negativo (-) da bateria para interromper
o fluxo de eletricidade.

2-32
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO

 Perigo de faíscas
Como existe o risco de desprendimento de faíscas, siga sempre as instruções abaixo:
 Tome cuidado para não deixar ferramentas ou outros objetos metálicos fazer a ponte entre os terminais da
bateria. Não deixe ferramentas ou outros objetos metálicos perto da bateria.
 Ao remover a bateria, desconecte primeiro o terminal negativo (-) (lado do terra). Ao instalá-la, conecte
primeiro o terminal positivo (+), deixando o terra por último. Aperte bem os terminais da bateria
 Instale bem a bateria no local determinado.

PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DE MARTELO


O uso de martelo pode provocar escape de pinos ou despren-
dimento de lascas de metal e ferí-lo gravemente. Portanto, tome
sempre as seguintes precauções ao usar essa ferramenta:
 Martelando-se peças de metal duro, como pinos, dentes
de caçamba, bordas cortantes ou rolamentos, podem ser
desprendidas lascas de metal, causando ferimentos. Use
sempre óculos de segurança e luvas.
 Quando pinos ou dentes de caçamba são martelados, lascas
de metal podem ser desprendidas e ferir quem estiver por
perto. Portanto, verifique sempre se não há ninguém nas
proximidades antes de realizar operações desse tipo.
 Se martelar pinos com muita força, eles podem escapar e ferir
quem estiver por perto.

PREVENÇÃO CONTRA LÍQUIDO DE ARREFECI-


MENTO QUENTE
Para prevenir queimaduras de água quente ou vapor que espirre
quando fizer verificações ou durante a drenagem do líquido de
arrefecimento, espere até a água esfriar a uma temperatura que
seja possível tocar a tampa do radiador com as mãos antes de
iniciar a operação. Mesmo que o líquido arrefecedor tenha es-
friado, solte a tampa lentamente para aliviar a pressão dentro do
radiador antes de remover a tampa.

PREVENÇÃO CONTRA ÓLEO QUENTE


Para prevenir queimaduras de óleo quente que espirre quando
fizer verificações ou durante a drenagem do óleo, espere até o
óleo esfriar a uma temperatura que seja possível tocar a tampa
ou o bujão com as mãos antes de iniciar a operação. Mesmo que
o óleo tenha esfriado, solte a tampa ou o bujão lentamente para
aliviar a pressão interna antes de remover a tampa ou o bujão.

2-33
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO SEGURANÇA

PRECAUÇÕES COM ÓLEO A ALTA PRESSÃO


O sistema hidráulico está permanentemente pressurizado
internamente. Ao inspecionar ou trocar tubulações ou mangueiras,
verifique, antes de mais nada, se a pressão no circuito hidráulico
foi aliviada. Se o circuito ainda estiver pressurizado, manuseá-lo
incorretamente pode levar a danos materiais ou ferí-lo grave-
mente. Portanto, tome sempre os cuidados abaixo:
 Não inspecione ou substitua qualquer componente do sistema
hidráulico enquanto ele ainda estiver pressurizado. Para mais
detalhes veja “MÉTODO DE LIBERAÇÃO DE PRESSÃO NO
CIRCUITO HIDRÁULICO (Página 4-86)”
 Se houver algum vazamento na tubulação ou nas mangueiras,
a área em volta estará umedecida. Verifique, portanto, se há
rachaduras nas tubulações e mangueiras e dilatação nas
mangueiras.
Ao inspecionar o sistema hidráulico, use óculos de segurança
e luvas de couro.
 Se o óleo a alta pressão esguichar por orifícios pequenos,
pode penetrar na sua pele ou, atingindo diretamente seus
olhos, causar cegueira. Se tiver a pele ou os olhos atingidos
por um jato de óleo a alta pressão, lave o local afetado com
água limpa e procure imediatamente socorro médico.

PRECAUÇÕES COM COMBUSTÍVEL A ALTA PRESSÃO


 Com o motor em funcionamento, a tubulação de combustível do motor fica altamente pressurizada, sendo
necessário, para iniciar qualquer serviço de manutenção, desligar o motor e aguardar no mínimo 30 segundos
até que haja a despressurização interna.

MANUSEIO DE MANGUEIRAS A ALTA PRESSÃO


 Se alguma mangueira de alta pressão apresentar vazamento de óleo ou combustível, poderá haver incêndio ou
falhas de funcionamento, com o conseqüente risco de acidentes com danos materiais ou ferimentos sérios. Se
encontrar algum parafuso solto, interrompa a operação e aperte-o com o torque especificado. Havendo alguma
mangueira danificada, pare o que estiver fazendo imediatamente e procure o seu distribuidor Komatsu.
Qualquer mangueira que apresentar algum dos problemas abaixo deve ser prontamente substituída:
 Guarnição hidráulica danificada ou vazando.
 Proteção cortada ou esgarçada ou camada de reforço da trama exposta.
 Proteção dilatada em diversos pontos.
 Parte móvel torcida ou esmagada.
 Presença de corpos estranhos na proteção.

RUÍDO
 Se o ruído emitido pela máquina for muito alto, pode causar problemas de audição temporários ou permanentes.
Quando for fazer algum serviço de manutenção no motor e souber de antemão que ficará exposto por longos
períodos a ruído intenso, use protetores auriculares ou proteções no ouvido.

2-34
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO

PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DE GRAXA


A ALTA PRESSÃO PARA O AJUSTE DA TENSÃO
DAS ESTEIRAS
 A graxa é bombeada no sistema de ajuste da tensão das
esteiras a alta pressão. Se o procedimento correto de
manutenção não for observado ao ajustar-se a tensão das
esteiras, a válvula de dreno de graxa (1) pode escapar e causar
danos materiais ou ferimentos sérios.
 Nunca solte a válvula de dreno de graxa (1) mais de uma volta
para diminuir a tensão das esteiras. Quando precisar fazer
isso, vá soltando a válvula aos poucos.
 Jamais coloque o rosto, mãos, pés ou qualquer parte do seu
corpo bem na frente da válvula de dreno de graxa (1).

NÃO DESMONTE A MOLA TENSORA


O conjunto da mola tensora é usado para reduzir o impacto sobre
a roda guia. Contém uma mola altamente tensionada, portanto, se
desmontá-lo por engano, a mola escapará e provocará graves fe-
rimentos ou até mesmo a morte. Nunca desmonte a mola tensora.

2-35
PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO SEGURANÇA

MANUSEIO DO ACUMULADOR E DA MOLA DE GÁS


Em máquinas equipadas com acumulador, durante um curto espaço de tempo após o desligamento do motor
o equipamento de trabalho desce pela ação do seu próprio peso se a alavanca de controle do equipamento de
trabalho for operada brevemente.
O acumulador e a mola de gás são abastecidos com gás nitrogênio à alta pressão. Manusear o acumulador sem
os devidos cuidados de segurança pode levá-lo a explodir, e, conseqüentemente, provocar prejuízos de ordem
material ou ferir alguém com gravidade. Por esses motivos, tome sempre as seguintes precauções:
 Não desmonte o acumulador.
 Não aproxime chama do acumulador nem o jogue no fogo.
 Jamais perfure o corpo do acumulador, solde-o ou corte-o
com maçarico.
 Não golpeie ou role o acumulador, nem o submeta ao menor
impacto que seja.
 Ao descartar o acumulador, o gás contido em seu interior será
liberado. Peça esse serviço ao seu distribuidor Komatsu.

PRECAUÇÕES COM O AR COMPRIMIDO


 Quando o ar comprimido é usado para limpar algo, existe o risco de partículas lançadas por ele provocarem
danos materiais ou ferimentos sérios.
Sempre que usar ar comprimido para limpar elementos ou o radiador, use óculos de segurança, máscara res-

piratória, luvas e outros equipamentos de proteção individual.

MANUTENÇÃO DO AR CONDICIONADO
 Se atingir os olhos, o gás refrigerante do ar condicionado pode cegá-lo. Em contato com a pele, ele pode cau-

sar necrose por congelamento. Nunca deixe o gás refrigerante tocar em você.

RESÍDUOS
Para não poluir o meio ambiente, preste atenção no método cor-
reto de descarte de materiais.

 Sempre acondicione o óleo drenado de sua máquina em


containeres. Nunca drene o óleo diretamente sobre o solo
ou despeje-o no sistema de esgoto, em rios, no mar ou em
lagos.

 Descarte substâncias e objetos nocivos ao meio ambiente,


como óleo, combustível, líquido de arrefecimento, solventes,
filtros e baterias obedecendo sempre às leis e regulamenta-
ções que dispõem sobre o assunto.

COMPONENTES CONTENDO MERCÚRIO


Esta máquina pode vir equipada com lâmpadas de Descarga de alta intensidade, que contêm mercúrio.
Estes componentes podem ser reutilizados, reciclados ou eliminados adequadamente, de acordo com as leis
federais, estaduais ou municipais aplicáveis.

MÉTODO PARA SELECIONAR O FLUIDO DO LAVADOR DAS JANELAS


Utilize um líquido lavador à base de álcool etílico.
O líquido lavador à base de álcool metílico pode causar irritação em seus olhos, portanto não use-o.

2-36
SEGURANÇA PRECAUÇÕES RELACIONADAS À MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO PERIÓDICA DE ÍTENS ESSENCIAIS À SEGURANÇA


 Para que você possa manter a máquina sempre em boas condições de segurança, complete o óleo regular-
mente e realize os serviços de inspeção e manutenção nos intervalos de manutenção periódica programados.
Mas, para garantir-se ainda mais, troque de tempos em tempos o cinto de segurança, as mangueiras e outros
componentes intimamente relacionados à segurança.
Para saber como fazer a reposição de itens de segurança essenciais, veja “SUBSTITUIÇÃO PERIÓDICA DE
ÍTENS ESSENCIAIS À SEGURANÇA” (página 4-16).
 Com o tempo, os materiais de que são feitos esses componentes naturalmente sofrem alterações em suas
propriedades, sem falar que o uso repetido dos mesmos provoca a sua deterioração, desgaste e fadiga. Assim
sendo, esses componentes podem falhar e com isso causar danos materiais ou feri-lo gravemente. Através
de uma simples inspeção externa desses componentes ou testanto-os ao utilizá-los, torna-se difícil estimar se
estão ou não no fim de sua vida útil, portanto, você deve substituí-los dentro do intervalo especificado para a
sua troca.
 Se encontrar algum defeito em um item essencial à segurança, conserte-o ou substitua o item defeituoso
mesmo que ainda não tenha chegado o intervalo especificado para a sua troca.

2-37
OPERAÇÃO

! ATENÇÃO
Antes de ler esta seção, primeiro leia e procure entender claramente a
seção SEGURANÇA.

3-1
VISTA GERAL OPERAÇÃO

VISTA GERAL
VISTA GERAL DA MÁQUINA

(1) Lâmina (6) Roda motriz


(2) Cilindro de elevação da lâmina (7) Armação da esteira
(3) Cabina (8) Armação da lâmina
(4) Reservatório de combustível (9) Sapata da esteira
(5) Escarificador (10) Estrutura ROPS

3-2
OPERAÇÃO VISTA GERAL

VISTA GERAL DOS CONTROLES E INDICADORES

(1) Alavanca do freio de estacionamento (17) Alavanca de controle da lâmina


(2) Alavanca de segurança (18) Interruptor da buzina
(3) Acendedor de cigarros (19) Alavanca de controle do escarificador
(4) Botão de controle do combustível (20) Interruptor de controle do saca-pinos (item
(5) Alavanca joystick (de controle do sentido de desloca- opcional)
mento e da direção e mudança de marchas) (21) Interruptor do limpador
(6) Interruptor dos faróis dianteiros e de trabalho (22) Interruptor da luz da cabina
(7) Interruptor dos faróis traseiros (23) Interruptor de fluxo de ar extra-forte
(8) Interruptor de seleção de rotação do ventilador (24) Interruptor do aquecedor adicional (item
(9) Painel do ar condicionado ou painel do aquecedor opcional)
(10) Painel indicador A (Marcha e rotação do motor) (25) Interruptor de iluminação dentro do compar-
(11) Interruptor de redução automática de marcha timento do motor (item opcional)
(12) Chave de partida (26) Interruptor de parada de emergência do mo-
(13) Acessador de informações tor (item opcional)
(14) Interruptor de cancelamento do alarme sonoro (27) Interruptor da luz de acesso. (item opcional)
(15) Pedal de freio (28) Interruptor do farol adicional frontal de traba-
(16) Pedal desacelerador lho (item opcional)
(29) Interruptor do farol traseiro de trabalho (item
opcional)

3-3
VISTA GERAL OPERAÇÃO

PAINEL FRONTAL

(1) Indicador da temperatura do líquido de arrefecimento (13) Luz sinalizadora de obstrução do filtro de ar
do motor (14) Luz piloto de preaquecimento do motor
(2) Indicador da temperatura do óleo do trem de força (15) Luz sinalizadora de manutenção
(3) Indicador da temperatura do óleo hidráulico. (16) Luz indicadora do seletor de inclinação simples/
(4) Indicador do nível do combustível dupla
(5) Painel indicador A (marcha e rotação do motor) (17) Luz de alerta
(6) Painel indicador B (multi-informativo) (18) Luz de confirmação da operação do ventilador
(7) Luz de verificação do nível do liquido de arrefecimento (19) Luz de advertência do nível do óleo hidráulico
do radiador (item opcional)
(8) Monitor do nível de carga (20) Luz de advertência do nível do óleo do motor (item
(9) Luz de advertência da pressão do óleo do motor opcional)
(10) Luz de advertência da temperatura �����������������
do líquido de ar- (21) Interruptor de bloqueio
refecimento do motor (22) Interruptor seletor do modo de economia
(11) Luz de advertência da temperatura do óleo do trem (23) �������������������������������������������������
Interruptor seletor do modo de redução da veloci-
de força dade de deslocamento em ré
(12) Luz de advertência da temperatura do óleo hidráulico (24) Indicador piloto do bloqueio do conversor de
torque
(25) Luz reversa do ventilador

3-4
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES


Explicaremos a seguir os controles, instrumentos e indicadores necessários à operação da máquina.
A operação correta e segura da máquina exige o conhecimento pleno de como operar o equipamento, e a
compreensão da função dos controles, instrumentos e indicadores da máquina.

PAINEL FRONTAL

A: Itens sinalizadores de emergência D: Grupo de medidores


B: Grupo do monitor de emergência E: Grupo de interruptores de seleção de modo
C: Grupo do monitor de verificação F: Interruptores
G: Luzes

3-5
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

ITENS SINALIZADORES DE EMERGÊNCIA

! CUIDADO
Se alguma dessas luzes sinalizadoras de emergência piscar, desligue o motor imediatamente ou funcione-o
em marcha lenta e tome as providências necessárias.

NOTAS
 Estacione a máquina em terreno plano e verifique as luzes do painel monitor.
 Confirme se as luzes de advertência do painel monitor acendem durante aproximadamente 3 segundos
depois que a chave de partida é ligada. Se alguma das luzes não acender, solicite a inspeção da mesma
ao seu distribuidor Komatsu.

Estes são itens a serem observados com o motor em funcionamento. Havendo alguma anormalidade, os itens que
necessitam de reparo imediato são sinalizados pelo painel monitor.
Se houver alguma anormalidade, o alarme sonoro soará intermitentemente e a luz de advertência ou de alerta
referente ao local com problema piscará.

(1) Luz de advertência da pressão do óleo do motor (4) Luz de advertência da temperatura do óleo
(2) Luz de advertência da temperatura do líquido de hidráulico
arrefecimento do motor (5) Luz de advertência do nível de óleo hidráulico
(3) Luz de advertência da temperatura do óleo do trem (item opcional).
de força

3-6
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

LUZ DE ADVERTÊNCIA DA PRESSÃO DO ÓLEO


DO MOTOR
Esta luz (1) indica que a pressão do óleo do motor está baixa.
Se ela piscar, pare o motor imediatamente e verifique o problema.

OBSERVAÇÃO
O alarme sonoro soa quando a chave de partida é ligada
imediatamente após a troca do óleo. Nessa condição, ele não
estará acusando uma anormalidade.

LUZ DE ADVERTÊNCIA DA TEMPERATURA DO


LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO MOTOR
Esta luz (2) indica um aumento na temperatura do líquido de
arrefecimento do motor.
Se esta luz piscar, funcione o motor em marcha lenta até a escala
verde do indicador da temperatura do líquido de arrefecimento
do motor acender.

LUZ DE ADVERTÊNCIA DA TEMPERATURA DO


ÓLEO DO TREM DE FORÇA
Esta luz (3) indica um aumento na temperatura do óleo na saída
do conversor de torque.
Se esta luz piscar, funcione o motor em marcha lenta até a
escala verde do indicador da temperatura do óleo do trem de
força acender.

LUZ DE ADVERTÊNCIA DA TEMPERATURA DO


ÓLEO HIDRÁULICO
Esta luz (4) indica um aumento na temperatura do óleo hidráulico.
Se esta luz piscar, pare a máquina e funcione o motor em marcha
lenta até a temperatura do óleo baixar.

3-7
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

LUZ DE ADVERTÊNCIA DO NÍVEL DO ÓLEO


HIDRÁULICO
(Item opcional)
Esta luz (5) alerta o operador que o nível do óleo hidráulico no
reservatório hidráulico caiu.
Se esta luz piscar, verifique o nível do óleo hidráulico no reserva-
tório, completando-o, se necessário.

3-8
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

GRUPO DO MONITOR DE ADVERTÊNCIAS

! CUIDADO
Se alguma das luzes de advertência ou a luz de alerta piscar, verifique e repare o problema acusado assim
que possível.

NOTAS
 Estacione a máquina em um terreno plano e verifique as luzes do painel monitor.
 Confirme se as luzes do painel monitor acendem durante aproximadamente 2 segundos após ligada a
chave de partida. Se alguma luz não acender, solicite uma inspeção ao seu distribuidor Komatsu.

Estes são itens a serem observados com o motor em funcionamento. Havendo alguma normalidade, o item que
necessita de reparo imediato é sinalizado pelo painel monitor. Se houver alguma anormalidade, a luz de advertência
ou de alerta referente ao local com problema piscará.

(1) Luz monitoradora da carga (2) Luz sinalizadora de manutenção


(3) Luz indicadora de obstrução do filtro de ar

LUZ MONITORADORA DA CARGA


Esta luz (1) indica uma anormalidade no sistema de carregamento
com o motor em funcionamento.
Se a luz monitoradora da carga piscar, verifique a tensão
da correia em “V”. Encontrando alguma anormalidade, veja
“OUTROS PROBLEMAS” (página 3-182)

OBSERVAÇÃO
A luz monitoradora da carga acende quando a chave de partida é
ligada, imediatamente após ser dada a partida e imediatamente
antes do desligamento do motor. Nessas três situações, ela não
estará acusando anormalidade.

3-9
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

LUZ SINALIZADORA DE MANUTENÇÃO


Quando chega o intervalo de troca dos filtros ou do óleo, a luz
sinalizadora de manutenção (2) pisca. Selecione o modo de
manutenção aplicável e inspecione ou troque os filtros ou o óleo
quando necessitarem de reposição, consultando, para tanto,
“PAINEL INDICADOR B” (multiinformativo) (página 3-17).

LUZ SINALIZADORA DE OBSTRUÇÃO DO FILTRO


DE AR
Esta luz (3) alerta o operador que o filtro de ar está obstruído.
Se ela piscar, desligue o motor, e faça uma inspeção do filtro de ar,
limpando-o, se necessário.

3-10
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

GRUPO DO MONITOR DE VERIFICAÇÕES


NOTA:
 Nas verificações antes de dar a partida, não confie apenas no painel monitor. Sempre faça as inspeções
pedidas em “OPERAÇÃO” (página 3-89)
 Estacione a máquina em um terreno plano e verifique as luzes do painel monitor.
 Confirme se as luzes do painel monitor permanecem acesas por aproximadamente 3 segundos depois
que a chave de partida for ligada. Caso alguma luz não acenda, você deverá pedir ao seu distribuidor
Komatsu que a inspecione.

OBSERVAÇÕES
 Quando a chave de partida é ligada antes de ser dada partida, as luzes de advertência piscam por 3 segundos,
a luz de alerta acende por 3 segundos e o alarme sonoro soa por 3 segundos.
 Caso uma luz de advertência apresente algum problema, o defeito só poderá ser checado no mínimo 5 segundos
após o motor ter sido desligado.

Antes de ser dada a partida, os itens básicos entre os itens de verificação que devem ser checados.
Havendo alguma anormalidade, a luz de advertência referente à anormalidade pisca.

(1) Luz indicadora do nível do líquido de arrefecimento do radiador


(2) Monitor do nível de óleo no motor (item opcional)
(3) Luz indicadora do nível do óleo hidráulico (item opcional)

3-11
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

LUZ INDICADORA DO NÍVEL DO LÍQUIDO DE


ARREFECIMENTO DO RADIADOR
Esta luz (1) informa ao operador que o líquido de arrefecimento
no radiador principal e no tanque de expansão caiu abaixo do
nível mínimo.
Se esta luz piscar, verifique o nível do líquido de arrefecimento
no radiador principal e no tanque de expansão, completando-o,
se necessário.

MONITOR DO NÍVEL DE ÓLEO DO MOTOR


(Item opcional)
O monitor (2) alerta o operador quando há queda no nível de óleo
do cárter do motor.
Se o nível de óleo no cárter de óleo do motor estiver baixo, a luz
acenderá na cor vermelha, por isso verifique o nível de óleo e
adicione mais óleo, se necessário.

LUZ DE ADVERTÊNCIA DA TEMPERATURA DO


ÓLEO HIDRÁULICO
(Item opcional)
Esta luz (3) indica um aumento na temperatura do óleo hidráulico.
Se esta luz piscar, pare a máquina e funcione o motor em marcha
lenta até a temperatura do óleo baixar.

3-12
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

GRUPO DE MEDIDORES
NOTA
Com o motor parado, ligue a chave de partida e veja se o indicador da temperatura do líquido de arrefecimento
do motor, o indicador da temperatura do óleo do trem de força, o indicador do nível do combustível e as
luzes do painel monitor acendem.
Se algum desses indicadores ou luzes não acender, solicite ao seu distribuidor Komatsu uma inspeção.

(1) Indicador da temperatura do líquido de arrefecimento do (6) Luz indicadora do seletor de inclinação simples/
motor dupla (para máquinas com lâmina de dupla
(2) Indicador da temperatura do óleo do trem de força inclinação)
(3) Indicador da temperatura do óleo hidráulico (7) Luz piloto de bloqueio do conversor de torque
(4) Indicador do nível do combustível (8) Painel indicador A (marcha e rotação do motor)
(5) Luz piloto de preaquecimento do motor (9) Painel indicador B (multiinformativo)

3-13
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

INDICADOR DA TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE


ARREFECIMENTO DO MOTOR
Este indicador (1) informa a temperatura do líquido de arrefe-
cimento do motor.
Se a temperatura estiver normal durante a operação, a escala
verde (B) permanece acesa.
Caso a escala vermelha (C) acenda durante a operação, através
do botão de controle do combustível reduza a rotação do motor
para aproximadamente 3/4 da rotação máxima e funcione-o assim
até a temperatura do líquido de arrefecimento do motor entrar na
escala verde (B).
Se, além do indicador da temperatura do líquido de arrefecimento
do motor entrar na escala vermelha, a luz de advertência da (A): Escala branca
temperatura do líquido de arrefecimento do motor piscar e o (B): Escala verde
alarme sonoro soar, pare a máquina e funcione o motor em marcha (C): Escala vermelha
lenta até o indicador da temperatura do líquido de arrefecimento
do motor entrar na escala verde.

NOTA
Se o indicador da temperatura do líquido de arrefecimento do motor entrar com freqüência na escala
vermelha, verifique se o radiador está obstruído.

INDICADOR DA TEMPERATURA DO ÓLEO DO


TREM DE FORÇA
Este indicador (2) informa a temperatura do óleo na saída do
conversor de torque. Se a temperatura estiver normal durante a
operação, a escala verde permanece acesa.
Caso a escala vermelha (C) acenda durante a operação, através
da alavanca de controle do combustível reduza a rotação do motor
para aproximadamente 3/4 da rodação máxima, diminua a carga
e funcione-o assim até o indicador da temperatura do óleo do trem
de força entrar na escala verde (B).
Se, além do indicador da temperatura do óleo do trem de força
entrar na escala vermelha (C), a luz de advertência da temperatura
do óleo do trem de força piscar e o alarme sonoro soar, pare a (A): Escala branca
máquina e funcione o motor em marcha lenta até o indicador da (B): Escala verde
temperatura do óleo do trem de força entrar na escala verde (B). (C): Escala vermelha

NOTA
Se o indicador da temperatura do óleo do trem de força entrar
com freqüência na escala vermelha (C), recomendamos,
quando você estiver operando, reduzir a velocidade de
deslocamento uma marcha para reduzir a carga no trem de
força.

3-14
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

INDICADOR DA TEMPERATURA DO ÓLEO


HIDRÁULICO
Este indicador (3) informa a temperatura do óleo hidráulico. Se a
temperatura estiver normal durante a operação, a escala verde
(B) permanece acesa.
Caso a escala vermelha (C) acenda durante a operação, através
da alavanca de controle de combustível reduza a rotação do
motor para aproximadamente 3/4 da rotação máxima, diminua a
carga e funcione-o assim até o indicador da temperatura do óleo
hidráulico entrar na escala verde (B).

(A): Escala branca


(B): Escala verde
(C): Escala vermelha

INDICADOR DO NÍVEL DO COMBUSTÍVEL


Este medidor (4) indica o nível do combustível no reservatório
de combustível.
Normalmente, em uma operação, a escala verde (B) deve
permanecer acesa.
Se a escala vermelha (A) acender durante uma operação,
complete o combustível imediatamente, caso contrário, a rotação
do motor apresentará um comportamento irregular ou o painel
monitor exibirá uma mensagem de erro.

(A): Escala vermelha


(B): Escala verde

OBSERVAÇÕES
 A escala desse indicador não é proporcional à quantidade de combustível restante no reservatório.
 Se acender somente a escala vermelha, é porque restam menos de 90 litros de combustível no reservatório.

LUZ PILOTO DE PREAQUECIMENTO DO MOTOR


Esta luz (5) indica que o motor está sendo preaquecido pelo
aquecedor elétrico durante operação em clima frio.
O controlador do motor detecta a temperatura do líquido
de arrefecimento do motor e aciona automaticamente o
preaquecimento à baixas temperaturas quando é dada partida.

3-15
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

LUZ INDICADORA DO SELETOR DE INCLINAÇÃO


SIMPLES/ DUPLA
(Somente para máquinas equipadas com lâmina de dupla
inclinação)
Esta luz (6) acende na cor verde quando o interruptor seletor de
inclinação simples/dupla da alavanca de controle do equipamento
de trabalho e colocado em dupla inclinação.

LUZ PILOTO DE BLOQUEIO DO CONVERSOR


DE TORQUE
A luz (A) deste indicador (7) acende quando o conversor de torque
foi automa-ticamente bloqueado, ou seja, quando passou-se
para transmissão direta (após ligado o interruptor de bloqueio do
conversor de torque).
A luz se apaga quando a transmissão volta a ser feita pelo
conversor de torque.

PAINEL INDICADOR A (marcha da transmissão,


rotação do motor)
Este medidor (8) fornece a marcha da transmissão que está sendo
usada na máquina e a rotação do motor.
 Quando a transmissão está na PRIMEIRA MARCHA AVANTE,
aparece no mostrador F1 e quando está na PRIMEIRA
MARCHA A RÉ, R1.
 A escala periférica indica a rotação do motor. Se a escala
vermelha acender com o motor funcionando, reduza a marcha
para que o motor trabalhe dentro da escala verde

3-16
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

PAINEL INDICADOR B (multiinformativo)


Este monitor (9) informa, nas linhas superior e inferior de sua tela, dados relacionados à condição da máquina.
Operando-se o interruptor seletor do modo de serviço, as informações exibidas na tela mudam.

(1) Modo de operação (tela correspondente a operação normal)

Use este modo quando operar a máquina.

OBSERVAÇÃO
Colocando a chave de partida em LIG, você programa o modo
de operação do painel multiinformativo.

O lado esquerdo da tela do monitor exibe o modo de mudança


de marchas selecionado seguindo-se as instruções do tópico
“MUDANÇA DE MARCHA SELECIONANDO-SE O MODO DE
MUDANÇA AUTOMÁTICA DE MARCHA” (página 3-127)
O total de horas de operação da máquina é informado na parte
inferior direita da tela do monitor (os intervalos de manutenção
periódica devem ser programados com base na leitura do
horímetro).
O horímetro avança quando o motor está em funcionamento,
mesmo que a máquina não esteja em movimento.
Quando o motor está funcionando, a luz piloto (ampulheta) no
lado esquerdo do horímetro pisca informando que o horímetro
está avançando. O horímetro avança um dígito para cada hora
de operação, independentemente da rotação do motor.
Ocorrendo alguma anormalidade, o horímetro exibe na linha
superior o código da falha. Se o horímetro exibir um código de
falha, consulte “OUTROS PROBLEMAS” (página 3-182).

(2) Modo de manutenção

Girando-se continuamente o acessador de informações na di-


reção  durante 2,5 segundos, a tela do monitor entra no modo
de manutenção.
Para saber mais detalhes, veja “COMO USAR O PAINEL
INDICADOR B (multiinformativo)” (página 3-26).

3-17
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

GRUPO DE INTERRUPTORES DE SELEÇÃO DE MODO


 Pressione cada um dos interruptores de modo para ligar ou desligar o modo selecionado.
 Para detalhes sobre como programar o modo que deseja usar, veja “COMO USAR O SISTEMA DE SELEÇÃO
DE MODOS” (página 3-143).

 O modo de bloqueio do conversor de torque não pode ser usado em combinação com qualquer outro modo.
 O modo de economia e o modo de redução da velocidade de deslocamento em ré podem ser usados indepen-
dentemente ou combinados.

(1) Interruptor do modo de bloqueio do conversor de torque (3) Interruptor seletor do modo de redução da velocidade
(2) Interruptor seletor do modo de economia de deslocamento em ré

A seleção do modo ideal para a natureza do trabalho e o tipo do solo otimiza a eficiência em operação.

Lâminação Modo de redução da


Modo do bloqueio do velocidade de
Modo de economia deslocamento em ré
conversor de torque

o x o
x o o

o: Pode ser usado ×: Não pode ser usado combinado a outro modo

3-18
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

INTERRUPTOR DO MODO DE BLOQUEIO DO


CONVERSOR DE TORQUE
Este interruptor (1) é usado quando, em detrimento de uma alta
produção, necessita-se de grande potência (por exemplo, para
a laminação de solo não compactado)
O acionamento da transmissão é feito tanto de maneira direta,
como através de um conversor de torque, de acordo com a carga.
Quando este interruptor está ligado, a luz permanece acesa.

INTERRUPTOR DO MODO DE ECONOMIA


Este interruptor (2) é usado para transporte de terra escarificada
ou laminação de rochas dinamitadas.
Quando o sistema está desligado, pressionando-se o interruptor
uma vez o modo [1] acende e, voltando a pressioná-lo, quem
acende é o modo [2].
Selecione o modo ideal para o tipo do solo.

INTERRUPTOR DO SELETOR DO MODO DE


REDUÇÃO DA VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO
EM RÉ
Use este interruptor (3) para fazer pequenas reduções na
velocidade de deslocamento quando estiver trafegando em
qualquer das marchas a ré (R1, R2 ou R3).
Quando este interruptor está ligado, a luz permanece acesa.

3-19
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

CHAVE DE PARTIDA E INTERRUPTORES

(1) Chave de partida (6) Interruptor de redução automática de marcha


(2) Interruptor de cancelamento do alarme sonoro (7) Acessador de informações
(3) Interruptor dos faróis dianteiros e de trabalho (8) Interruptor de fluxo de ar extra-forte
(4) Interruptor dos faróis traseiros (9) Interruptor do aquecedor de ar adicional (item op-
(5) Interruptor seletor da rotação do ventilador cional)
(10) Interruptor de iluminação do interior do comparti-
mento do motor (item opcional)

3-20
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

CHAVE DE PARTIDA
Esta chave (1) é usada para dar a partida.

(A) posição DESLIGADO


Posição de introdução e retirada da chave. Nessa posição, ne-
nhum dos circuitos elétricos está ativado.

(B) posição LIGADO


Nessa posição, os circuitos de carregamento e dos dispositivos
elétricos estão ativados. Após dar a partida, mantenha a chave
nessa posição.

(C) posição de PARTIDA


Nessa posição da chave, o motor de partida aciona o motor.
Imediatamente após ser dada a partida, solte a chave, a qual
retornará automaticamente à posição LIG.

INTERRUPTOR DE CANCELAMENTO DO ALARME


SONORO
Vire o interruptor (2) para a esquerda ou a direita para desativar
o alarme sonoro.
Quando o painel indicador multiinformativo encontra-se no modo
de manutenção, use este interruptor para mover o cursor para a
esquerda ou a direita.
Posição (a): cancela
Posição (c): seleciona

INTERRUPTOR DOS FARÓIS DIANTEIROS E DE


TRABALHO
Este interruptor (3) acende os faróis dianteiros, os faróis de
trabalho esquerdo e direito localizados no pára-lama dianteiro e
a luz do painel monitor.
(a) DESLIGADO: Faróis dianteiros e de trabalho e luz do painel
monitor apagados
(b) LIGADO: Faróis dianteiros e de trabalho e luz do painel monitor
acesos

3-21
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

INTERRUPTOR DOS FARÓIS TRASEIROS


Este interruptor (4) acende os faróis traseiros.
(a) DESLIGADO: Faróis traseiros apagados
(b) LIGADO: Faróis traseiros acesos

INTERRUPTOR SELETOR DA ROTAÇÃO DO


VENTILADOR
Posicione esse interruptor (5) na posição (b) CLN para selecionar
o modo de limpeza do ventilador.
Liberando-se o interruptor, ele volta automaticamente à posição (a)
Quando o mode de limpeza é selecionado, a luz de confirmação
de funcionamento do ventilador acende.
Estando o modo de limpeza em uso, gire o interruptor (9) para
a direita para retornar ao modo normal. A luz de confirmação de
funcionamento do ventilador se apaga.
O modo de limpeza é usado para limpar a poeira e a sujeira das
aletas do radiador. Nesse modo, o ventilador de arrefecimento
funciona em sua rotação máxima.
Quando for operar o interruptor seletor da rotação do ventilador de
arrefecimento, DESLIGUE a chave de partida a fim de certificar-se
de que o motor não se encontra em funcionamento.
OBSERVAÇÕES
O interruptor seletor de rotação do ventilador de arrefecimento não opera com o motor em funcionamento.
Nesse caso, a luz de confirmação de funcionamento do ventilador de arrefecimento pisca indicando a impossibili-
dade de alteração da rotação do ventilador.
O interruptor seletor de rotação do ventilador de arrefecimento retorna ao modo normal quando o motor cessa de
funcionar ou a chave de partida do motor é DESLIGADA.
Procedimentos de limpeza você encontra no tópico do presente manual intitulado “LIMPEZA E INSPEÇÃO DAS
ALETAS DO RADIADOR, ALETAS DO RESFRIADOR DE ÓLEO E ALETAS DO PÓS-RESFRIADOR” (página 4-37)

INTERRUPTOR DE REDUÇÃO AUTOMÁTICA DE


MARCHA
Virando-se este interruptor (6) para a direita, a transmissão reduz
automaticamente a marcha se a velocidade de deslocamento cair
em função das condições da carga
(a) DESLIGADO: Operação de redução automática de marcha
cancelada.
(b) LIGADO: A transmissão reduz automaticamente a marcha.

Para detalhes, veja “FUNÇÃO DE REDUÇÃO AUTOMÁTICA DE


MARCHA” (página 3-129).

3-22
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

ACESSADOR DE INFORMAÇÕES
Este interruptor (7) é usado para acessar diversas informações
na tela do painel monitor e mudar o cursor de posição no modo
de manutenção.
Posição (a): o cursor move-se para a esquerda
Posição (c): o cursor move-se para a direita

INTERRUPTOR DE FLUXO DE AR EXTRA FORTE


Este interruptor (8) é usado para aumentar o fluxo de ar em relação
à posição normal (HIGH).

INTERRUPTOR DO AQUECEDOR ADICIONAL


(Item opcional)
Este interruptor (9) é usado para acionar o aquecedor de água quente.
Posição (a): aquecedor de água quente desligado
Posição (b): aquecedor de água quente ligado em baixa potência.
Posição (c): aquecedor de água quente ligado em alta potência.

INTERRUPTOR DA LUZ DE TRABALHO INTERNA


DO COMPARTIMENTO DO MOTOR
(Especificação para mineração, item opcional)
Use este interruptor (10) para acender a luz de trabalho existente
dentro do compartimento do motor.
(A luz é acesa mesmo quando o interruptor está desligado.)
(a) Posição DESL: A luz é apagada
(b) Posição LIG: A luz acende

3-23
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

LUZES

(1) Luz de alerta (3) Luz confirmadora da operação do ventilador


(2) Luz de rotação inversa do ventilador

3-24
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

LUZES DE ALERTA
(Vermelha)

NOTA
Se o alarme sonoro soar, pare imediatamente o trabalho
e inspecione o local que apresenta problema, fazendo a
manutenção do mesmo.

Quando as luzes dos grupos de sinalização A e B no monitor da


máquina piscarem e o código de falha é exibido automaticamente,
mostrando uma anormalidade no painel B (multi-informativo), a
luz (1) também pisca simultaneamente.
Se um código de falha for exibido, siga as instruções apresentadas
em “OUTROS PROBLEMAS (Página 3-182)”. Se a luz piscar,
verifique no painel monitor o local que apresenta problema.
Quando o monitor dentro do grupo de sinalização (A) piscar, o
alarme soará continuamente.Veja “PAINEL FRONTAL (Página
3-5)”.

LUZ DE ROTAÇÃO INVERSA DO VENTILADOR


Esta luz (2) se acende quando o modo de limpeza é selecionado.

LUZ DE IMPOSSIBILIDADE DE SELEÇÃO DA ROTAÇÃO DO


VENTILADOR
(Laranja)

Esta luz (3) se acende ao mesmo tempo. Quando o motor está funcio-
nando, se o interruptor de rotação do ventilador é colocado na posição
(b) CLN (Limpeza), esta luz (3) pisca por 3 segundos para mostrar que
a direção da rotação do ventilador não foi modificada.

3-25
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

COMO USAR O PAINEL INDICADOR B (multiinformativo)


EXPLICAÇÃO DOS MODOS E CONTROLES
 O painel indicador B (1) tem por função sinalizar os quatro
tipos de modos que apresentaremos a seguir (a ilustração à
direita mostra como normalmente fica a tela antes de sinalizar
um modo).
Modo de manutenção
Sinaliza o intervalo de troca dos filtros ou do óleo.
Modo auxiliar PM clinic
Sinaliza a rotação do motor e a pressão do óleo nos circuitos
hidráulicos.
Modo sinalizador de códigos de falha
Sinaliza o código de uma falha e está intimamente relacionado
ao comando eletrônico
Modo de ajuste
Ajusta o brilho e o contraste do painel indicador.

 Os quatros tipos de modos apresentam variações (subitens).


Para saber como funcionam esses subitens, consulte:
COMO USAR O MODO DE MANUTENÇÃO (página 3-28)
COMO USAR O MODO AUXILIAR PM CLINIC (página 3-30)
COMO USAR O MODO SINALIZADOR DE CÓDIGOS DE
FALHA (página 3-31)
COMO USAR O MODO DE AJUSTE PARA O USUÁRIO
(página 3-32)

 Cada um desses modos é operado mediante o uso do aces-


sador de informações (2) e do interruptor de cancelamento
do alarme sonoro (3) existentes no painel de instrumentos
localizado em frente ao assento do operador.
Uma vez que você tenha acionado qualquer um desses in-
terruptores, ele voltará automaticamente à posição central
quando você soltá-lo, conforme mostra a ilustração à direita.
Cada uma das posições desses interruptores tem a função
específica descrita abaixo:
<: move o cursor para a esquerda
>: move o cursor para a direita
: seleciona um modo
: cancela o modo que estava ativado

 Os quatro tipos de modos podem ser selecionados dentro de um ciclo posicionando-se o acessador de informações
(2) em > e < perfazendo a seguinte seqüência: modo de manuteção ←→ modo auxiliar PM clinic ←→ modo
sinalizador de códigos de falhas ←→ modo de ajuste ←→ modo de manutenção.

 Colocando-se o interruptor de cancelamento do alarme sonoro (3) em  e mantendo-o nessa posição durante
2,5 segundos a partir do modo normal, antes que o painel indicador sinalize um modo, ele passará a sinalizar
o modo de manutenção. Uma vez realizada essa operação, se o acessador de informações (2) for posicionado
em > você passará a sintonizar o modo auxiliar PM clinic. Colocando-se o acessador de informações (2) em <,
entra o modo de ajuste para o usuário.

 Qualquer que seja o modo sinalizado pelo painel indicador, colocando-se o interruptor de cancelamento do
alarme sonoro em , a tela retornará automaticamernte à condição normal anterior à sinalização do modo que
está sendo abandonado.

3-26
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

MÉTODO DE SELEÇÃO DOS MODOS


1. Sempre que você passar da condição normal para o modo do
usuário, o painel indicador sinalizará o modo de manutenção.
Abaixo, explicamos como usar os controles para mudar de
modo:
Posição >: você passa para o modo auxiliar PM clinic
Posição <: você passa para o modo de ajuste para o usuário
Posição : você retorna à tela normal
Posição : você passa para a tela de seleção do modo de
manutenção.

2. A ilustração à direita mostra a tela do modo auxiliar PM clinic.


Abaixo, explicamos como usar os controles para mudar de
modo:
Posição >: você passa para o modo sinalizador de códigos de
falha
Posição <: você passa para o modo de manutenção
Posição : você passa para a tela normal
Posição : você passa para a tela de itens de seleção do
modo auxiliar PM clinic.

3. A ilustração à direita mostra a tela do modo sinalizador de


códigos de falha. Abaixo, explicamos como usar os controles
para mudar de modo:
Posição >: você passa para o modo de ajuste
Posição <: você passa para o modo auxiliar PM clinic
Posição : você passa para a tela normal
Posição : você passa para a tela de itens de seleção do
código de falha

4. A ilustração à direita mostra a tela do modo de ajuste para


o usuário. Abaixo, explicamos como usar os controles para
mudar de modo:
Posição >: você passa para o modo de manutenção
Posição <: você passa para o modo sinalizador de códigos de
falha
Posição : você passa para a tela normal
Posição : você passa para a tela de itens de seleção do
modo de ajuste para o usuário

3-27
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

COMO USAR O MODO DE MANUTENÇÃO

NOTA
Você deve sempre ter em mente que as funções deste modo servem apenas como uma orientação básica. Assim
sendo, se encontrar sujeira no óleo ou nos filtros durante a manutenção diária, substitua-os imediatamente
Se você substituir por conta própria os controladores ou o painel monitor, o temporizador correspondente
irá apresentar problemas de funcionamento, assim sendo, confie sempre a substituição desses itens ao
seu distribuidor Komatsu.

O modo de manutenção sinaliza no painel monitor o intervalo de


troca dos filtros de óleo e do óleo.
As informações exibidas pela tela do painel indicador no modo
de manutenção são as seguintes:
(1) Sinalização do item
(2) Sinalização das horas de operação restantes até chegar o
momento da troca
(3) Sinalização do número de vezes que a troca foi realizada até
o momento presente.

Movendo-se o acessador de informações para a esquerda ou à direita


(<, >), o painel indicador irá exibir a seqüência de itens abaixo:

Tempo restante para Tempo restante para a


Sinalização Item
a primeira troca segunda e demais trocas
1. 01: ENG. OIL Óleo do motor 500h 500h
2. 02: ENG.FLT Filtro de óleo do motor 500h 500h
3. 03: FUEL.FLT Filtro de combustível 1000h 1000h
4. 04:HYD FLT Filtro do óleo hidráulico 250h 2000h
4.1. 18: F. PREFLT Pré filtro de combustível 500h 500h
5. 06: CORR RES Resistor de corrosão 1000h 1000h
7. 07: DAMP. OIL Óleo do amortecedor 2000h 2000h
8. 08: FNL OIL Óleo do comando final 250h 2000h
9. 10: HYD OIL Óleo hidráulico 250h 2000h
10. 19: POWL OIL Óleo do trem de força 250h 1000h
11. 20: POWL FLT Filtro do óleo do trem de força 250h 500h
12. 12: HSS FLT Filtro de carga do HSS* 0h 0h

Itens marcados com * estão exibidos na tabela acima, mas não são utilizados nesta máquina.

3-28
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Uma vez trocado o óleo ou o filtro, selecione o item aplicável e


coloque o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em .
A tela perguntará se você deseja que ela exiba o histórico de trocas.
Use o acessador de informações para selecionar YES e coloque
o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em . Uma a
uma, serão exibidas todas as trocas realizadas, o intervalo de
troca será reprogramado e a luz sinalizadora do intervalo de troca
de óleo e dos filtros apagará.
Se, ao final dessa operação, a luz de alerta de manutenção não
apagar, é porque existe algum outro item que se encontra próximo
do intervalo de troca. Nesse caso, a providência a ser tomada é
checar a situação.

OBSERVAÇÃO
Para retornar ao modo de seleção de funções, coloque o inter-
ruptor de cancelamento do alarme sonoro em .

3-29
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

COMO USAR O MODO AUXILIAR PM CLINIC

! CUIDADO
Antes de movimentar o equipamento de trabalho ou colocar a transmissão em posição de marcha ao re-
alizar aferições, verifique, primeiro, se as condições de segurança são satisfatórias.

O modo auxiliar PM clinic informa no painel indicador B a rotação


do motor, a pressão do óleo hidráulico, além de outros itens.
O painel indicador B informa na linha superior o item (1), e na
linha inferior (2) o valor medido

Abaixo, apresentamos a relação dos seis itens sinalizados pelo painel indicador B no modo PM clinic.
Você pode passar de um item para outro acionando o acessador de informações (<, >).

Sinalização Item Valor medido


01 - ENG. SPEED Rotação do motor Rotação (rpm)
02 - COOLANT TEMP Temperatura do líquido de arrefecimento do motor Temperatura (ºC)
03 - ENG OIL PRESS Pressão de óleo do motor Pressão (kPa)
04 - AMB PRESS Pressão atmosférica Pressão (kPa)
05 - BOOST PRESS Pressão de reforço do motor Pressão (kPa)
06 - BOOST TEMP Temperatura de reforço do motor Temperatura (ºC)
07 - T/C TEMP Temperatura do conversor de torque Temperatura (ºC)
08 - HYD TEMP Temperatura do óleo hidráulico Temperatura (ºC)
09 - HYD PUMP PRESS F Pressão do óleo hidráulico (bomba F) Pressão (Mpa)
10 - HYD PUMP PRESS F Pressão do óleo hidráulico (bomba R) Pressão (Mpa)
13 - BATTERY VOLT Voltagem da bateria Voltagem (mV)

OBSERVAÇÃO
 Itens como a rotação do motor oscilam muito, sendo, portanto, de difícil mensuração. Nesses casos, coloque o
interruptor de cancelamento do alarme sonoro em  para conservar na tela do painel indicador o valor medido.
 Para cancelar o modo, volte a colocar o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em .
 Para retornar ao modo de seleção de funções, coloque o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em .

3-30
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

COMO USAR O MODO SINALIZADOR DE CÓDIGOS DE FALHA

NOTA
As falhas detectadas por esta função estão relacionadas com o sistema de comando eletrônico, portanto,
mesmo que não apareçam códigos de falhas no mostrador do painel indicador, é provável que haja algum
problema com a máquina. Assim, se o operador notar algo estranho com ela, deverá pará-la imediatamente
e proceder às inspeções necessárias.

Sempre que uma desconexão ou um curto-circuito em algum dos sensores é detectado, o painel indicador B sinaliza
em sua tela a localização e o código da falha por meio de um código de 6 dígitos. Caso isso ocorra, você deverá
procurar seu distribuidor Komatsu e informar a ele o código.

Quando a função de detecção de falhas não encontra falha na


máquina, a tela do painel indicador exibe as informações mostra-
das na figura à direita.

Havendo falhas, esta função sinaliza até 20 itens diferentes na


tela do painel indicador.
Se duas ou mais falhas estiverem ocorrendo simultaneamente,
o painel monitor exibe automaticamente em sua tela uma a uma,
com um intervalo entre elas de 2 segundos, para que você possa
ter tempo suficiente para anotar cada uma delas.
Nesse caso, a tela do painel indicador não cessa de sinalizar os
códigos das falhas.

OBSERVAÇÃO
Para retornar ao modo de seleção de funções, coloque o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em .

3-31
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

COMO USAR O MODO DE AJUSTE PARA O USUÁRIO


Através do modo de ajuste para o usuário, é possível variar o brilho da luz da tela do painel indicador e o contraste
do visor de cristal líquido. Além disso, ele permite também ajustar o ventilador de arrefecimento na velocidade
máxima para limpar o radiador quando ele estiver obstruído.

1. Ajuste da luz do visor de cristal líquido


A ilustração à direita corresponde ao modo de ajuste do brilho
da luz do visor de cristal líquido. Para que você ajuste o brilho,
é preciso que o painel indicador esteja nesta tela, sendo
necessário colocar o interruptor de cancelamento do alarme
sonoro na posição .

O brilho pode ser ajustado operando-se o acessador de infor-


mações.
Quanto maior for o número que aparece na tela, maior o brilho da
tela, e quanto menor for ele, menos brilho a tela terá.
Posição >: o número aumenta
Posição <: o número decresce

Colocando o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em ,


você programa o brilho do visor de cristal líquido.

2. Ajuste da luz do painel indicador de mensagens


A ilustração à direita corresponde ao modo de ajuste do brilho
da luz do painel indicador de mensagens. Para que você
ajuste o brilho, é preciso que o painel indicador esteja nesta
tela, sendo necessário colocar o interruptor de cancelamento
do alarme sonoro na posição .

3-32
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Através do acessador de informações, é possível ajustar o brilho.


Quanto maior for o número que aparece na tela, maior o brilho
dela, e quanto menor, menos brilho terá a tela.
Posição >: o número aumenta
Posição <: o número decresce

Colocando o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em ,


você programa o brilho da luz do painel indicador de mensagens.

3. Ajuste do contraste do painel indicador de mensagens de


cristal líquido
A ilustração à direita mostra o modo de ajuste do contraste do
painel indicador de mensagens de cristal líquido.
Para ajustar o contraste, é preciso que o painel indicador
esteja nesta tela, sendo necessário colocar o interruptor de
cancelamento do alarme sonoro em .

O contraste pode ser ajustado operando-se o acessador de in-


formações. Quanto maior for o número, mais escura ficará a tela;
quanto menor for ele, mais nítida ficará a tela.
Posição >: o número aumenta
Posição <: o número decresce

Colocando o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em


, você programa o contraste do visor de cristal líquido.

3-33
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

4. Modo de rotação do ventilador de arrefecimento na velocidade


máxima
A ilustração à direita corresponde ao modo de rotação do venti-
lador de arrefecimento na velocidade máxima. Nessa tela, opere
o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em  para que
o ventilador de arrefecimento funcione na rotação máxima.
Tenha em mente que este modo só funciona quando estiver
aparecendo a tela mostrada à direita. Após você deixar este
modo, a tela volta ao normal.

5. Modo para partida sem injeção de combustível


A ilustração à direita mostra o modo de programação da partida
sem injeção de combustível.
Quando for usar esta função, primeiro entre em contato com
o seu distribuidor Komatsu.

6. Programação do ângulo limite de inclinação da lâmina.


A ilustração à direita mostra o modo de programação do ân-
gulo limite de inclinação da lâmina. Antes de usar esta função,
contate o seu distribuidor Komatsu.

7. Modo de pré-lubrificação
A ilustração à direita mostra o modo para máquinas equipadas
com o sistema de pré-lubrificação. Para usar esta função,
primeiramente procure o seu distribuidor Komatsu.
O diagrama à direita mostra o modo de partida de emergência
quando há uma falha no equipamento de pré-lubrificação.
(Para máquinas equipadas com sistema de pré-lubrificação.)
Quando o monitor exibe esta tela e o interruptor de informações
é acionado, a linha inferior do visor é desligada.
Nessa condição, é possível sair deste modo e acionar o motor
sem utilizar o sistema de pré-lubrificação. Além disso, uma vez
desligado o motor, este modo é cancelado.

Observações
 Para retornar ao modo de seleção de funções, coloque o interruptor de cancelamento do alarme sonoro em .
 O brilho de fundo do painel monitor difere em função dos faróis dianteiros estarem ou não acesos. Entrando-
se neste modo com os faróis dianteiros acesos torna-se possível ajustar o brilho estando os faróis dianteiros
acesos.
Da mesma forma, entrando-se neste modo com os faróis dianteiros apagados é possível ajustar o brilho com
os faróis dianteiros apagados.

3-34
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

INTERRUPTORES

(1) Interruptor da buzina (7) Conector para download de dados em VHMS


(2) Interruptor da luz da cabina (8) Interruptor de parada de emergência do motor
(3) Interruptor dos limpadores (item opcional)
(4) Acendedor de cigarros (9) Interruptor da luz de acesso (item opcional)
(5) Soquete para acessório (10) Interruptor do farol adicional frontal de trabalho
(6) Conector para download de dados em VHMS (item opcional)
(11) Interruptor do farol adicional traseiro de trabalho
(item opcional)

3-35
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

INTERRUPTOR DA BUZINA
A buzina soa quando o botão (1) localizado atrás da alavanca
de controle da lâmina, à direita do assento do operador, é pres-
sionado.

INTERRUPTOR DA LUZ DA CABINA


Este interruptor (2) acende a luz da cabina.
LIG.: A luz da cabina acende
DESL.: A luz da cabina fica apagada

LIG
ON
OFF
DESL

INTERRUPTORES DOS LIMPADORES


Este conjunto de interruptores (3) aciona o limpador do pára-brisa
e os limpadores dos vidros das janelas da cabina.
Cada interruptor aciona o limpador do vidro de uma janela, como
vemos abaixo e na ilustração à direita:
(A) Porta do lado esquerdo
(B) Vidro do pára-brisa
(C) Porta do lado direito
(D) Janela traseira

Em máquinas com limpadores duplos, opere os interruptores da


porta esquerda (A) e porta direita (C) para operar os limpadores
superior e inferior da porta simultaneamente.

Este interruptor também é utilizado como interruptor de


acionamento do lavador das janelas.
Este interruptor é operado conforme indicado a seguir.

3-36
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

 Uso dos interruptores apenas para acionar os lavadores dos


vidros
Mantenha os interruptores pressionados na posição DESL
para esguichar água nos vidros.

DESL

 Uso dos interruptores apenas para acionar os limpadores dos


vidros LIG
Coloque os interruptores na posição LIG para acionar os
limpadores dos vidros.

DESL

 Uso simultâneo dos lavadores e dos limpadores dos vidros


Mantendo-se os interruptores pressionados na posição LIG
LIG com os limpadores dos vidros funcionando, também é
esguichada água nos vidros.

DESL

OBSERVAÇÃO
Ao instalar a cabina, verifique as cores dos reservatórios e dos
tubos dos lavadores dos vidros e conecte-os corretamente.

(a) Dianteira da máquina


(b) Vidro do pará-brisa (incolor)
(c) Vidro da janela traseira (preto)
(d) Vidro da janela da porta esquerda (azul)
(e) Vidro da janela da porta direita (vermelho)

3-37
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

Vermelho - porta direita


Tubo do lavador dos Azul - porta esquerda
(1)
vidros Preto - janela traseira
Incolor - janela dianteira
Fonte de
Fonte de alimentação da
(2) alimentação da
cabina (5R – CA)
cabina
(3) Soquete de 4 pinos Para o motor do lavador

(Para máquinas com especificação para mineração)

(a) Frente da máquina


(b) Frente (sem cor)
(c) Traseira (preto)
(d) Lado esquerdo (azul)
(e) Lado direito (vermelho)

ACENDEDOR DE CIGARROS
Este acendedor (4) é usado para acender cigarros.
Quando é empurrado, o acendedor de cigarros volta à sua posição
original após alguns segundos e você pode, então, retirá-lo para
acender o seu cigarro.
Potência do acendedor de cigarros: 120 W

NOTA
A voltagem do acendedor de cigarros é de 24 V, portanto,
não o utilize como fonte de alimentação de equipamentos
com voltagem de 12 V.
A capacidade do acendedor de cigarros é de 120W (24V x 5A)

3-38
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

SOQUETE PARA ACESSÓRIO


Este soquete (5) é usado como fonte de alimentação de
equipamentos sem fio ou outros equipamentos com voltagem de
12 V. Tanto nos tipos (A) como (B), a passagem de corrente se
dá somente quando a chave de partida é ligada.
A potência dos soquetes tipos (A) e (B) é de 60 W (12 v x 5 A)

OBSERVAÇÃO
Este soquete está localizado embaixo do descanso do braço
esquerdo.

CONECTORES PARA DOWNLOAD DE DADOS


EM VHMS
Estes conectores (6), (7) podem ser usados para fazer o download
de dados em VHMS.
Siga as orientações de seu distribuidor Komatsu para utilizá-los.

OBSERVAÇÃO
Um destes conectores está localizado embaixo do descanso do
braço esquerdo e o outro na caixa de download existente sob o
reservatório de combustível, na traseira da máquina.

3-39
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

INTERRUPTOR DE PARADA DE EMERGÊNCIA


DO MOTOR
(Especificação de mineração, item opcional).

Utilize este interruptor (8) para parar o motor.


Posição (A): Motor parado
Posição (B): Possibilidade de dar partida no motor

OBSERVAÇÃO
 Ambos botões devem estar na posição (B) durante a partida
do motor. Caso eles não estejam na posição (B), o motor não
irá dar partida.
Quando o interruptor for pressionado novamente, ele irá re-
tornar para a posição (B).
 Quando o interruptor de partida do motor está na posição de
parada do motor (A), um sinal de STP é exibido no display
multi-informativo. (Visor de exibição convencional)

(Visor de exibição convencional)

3-40
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

INTERRUPTOR DA LUZ DE ACESSO


(Especificação de mineração, item opcional).

Utilize o interruptor (9) para acender a luz de acesso (C).


(A luz acende mesmo se a chave de partida estiver DESLIGADA).
Os interruptores (A) e (B) estão sincronizados, portanto é pos-
sível acender a luz de acesso com o interruptor (A) e desligá-la
com o interruptor (B).
Também é possível acender a luz de acesso com o interruptor
(B) e desligá-la com o interruptor (A).

(C): Luz de acesso (disposta em 3 pontos)

3-41
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

INTERRUPTOR DO FAROL ADICIONAL DE


TRABALHO
Utilize estes interruptores (10) e (11) para acender os faróis
adicionais de trabalho.
(A): Interruptor do farol adicional de trabalho frontal
(B): Interruptor do farol adicional de trabalho traseiro

(Para máquinas com especificação de mineração)

3-42
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

INTERRUPTORES OPCIONAIS
O interruptor (G) é responsável pela luz giratória (G)

(G): Interruptor da luz giratória.

3-43
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

ALAVANCAS DE CONTROLE E PEDAIS

(1) Botão de controle do combustível (6) Alavanca de segurança (trava a alavanca de controle
(2) Alavanca joystick (de controle do sentido de deslo- da lâmina e a alavanca de controle do escarificador)
camento e da direção e mudança de marchas) (7) Alavanca de controle da lâmina
(3) Pedal do freio (8) Alavanca de controle do escarificador
(4) Pedal de desaceleração (9) Interruptor de controle do saca-pinos
(5) Alavanca do freio de estacionamento

BOTÃO DE CONTROLE DO COMBUSTÍVEL


Este botão (1) é usado para controlar a rotação e a potência do
motor.
(a) Posição de marcha lenta: girado totalmente para a esquerda
(b) Posição de rotação máxima: girado totalmente para a direita

OBSERVAÇÃO
Quando parar o motor, desligue a chave de partida.

3-44
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

ALAVANCA JOYSTICK (DE CONTROLE DO


SENTIDO DE DESLOCAMENTO E DA DIREÇÃO
E MUDANÇA DE MARCHAS)
(Alavanca PCCS)
Esta alavanca (2) é usada para inverter o sentido de deslocamento
da máquina de avante para ré ou vice-versa, mudar a máquina
de direção e trocar de marcha.

OBSERVAÇÃO
PCCS: Sistema de controle por comando manual

 Inversão do sentido de deslocamento da máquina de


avante para ré ou vice-versa
Posição (a): AVANTE
Posição (b): RÉ
Posição N: Neutro
Para deslocar-se avante, empurre a alavanca para a frente e para
deslocar-se em ré puxe-a para trás.

 Controle de direção
(L) Curva à esquerda
(R) Curva à direita
Com a alavanca empurrada para frente ou puxada para trás, vire-a
parcialmente para a esquerda ou para a direita para virar a máquina
na direção desejada. A máquina irá virar gradualmente para a
direção em que a alavanca for movida.
Se a alavanca for virada totalmente para a esquerda ou para a
direita, a máquina irá fazer uma curva pivotada.

OBSERVAÇÃO
 Se você soltar a alavanca quando estiver manobrando, ela retornará à posição (a) ou (b) e a máquina voltará
a andar em linha reta.

 Mudança de marcha
Quando a alavanca de controle do sentido de deslocamento e
da direção e mudança de marchas estiver na posição (a) ou (b)
e o interruptor (c) ou (d) for pressionado, a transmissão muda
de marcha
Interruptor de AUMENTO DA MARCHA (c): A cada vez que este
interruptor é pressionado, a transmissão sobe uma marcha.
Interruptor de REDUÇÃO DA MARCHA (d): A cada vez que este
interruptor é pressionado, a transmissão reduz uma marcha.
Para detalhes sobre a velocidade máxima em cada marcha, veja
“ESPECIFICAÇÕES” (página 5-2).
OBSERVAÇÕES
 A marcha que está sendo usada é indicada no painel monitor, variando conforme as operações de mudança
de marchas realizadas.
<Exemplos>
Neutro: aparece no painel indicador N.
SEGUNDA MARCHA AVANTE: aparece no painel indicador F2.
TERCEIRA MARCHA A RÉ: aparece no painel indicador R3.
Quando o freio de estacionamento está aplicado, aparece no painel indicador P.
 Para detalhes sobre o método de mudança de marchas de acordo como o modo de mudança automática de
marchas, veja “MUDANÇA DE MARCHAS” (página 3-126).
No modo de mudança automática de marchas, a marcha selecionada é previamente exibida no painel indicador
na posição N antes mesmo da partida.
3-45
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

PEDAL DO FREIO

! ATENÇÃO
Não coloque o pé neste pedal sem necessidade.

Pise no pedal (3) para aplicar os freios direito e esquerdo.

PEDAL DESACELERADOR

! ATENÇÃO
 Não coloque o pé neste pedal sem necessidade.
 Sempre que a máquina passa pelo topo de um morro ou
quando a terra transportada pela lâmina é despejada em
uma encosta, há uma redução substancial e repentina
da carga, podendo ocorrer um aumento brusco da
velocidade de deslocamento. Para que isso não aconteça,
reduza a velocidade de deslocamento aplicando o pedal
desacelerador.

Este pedal (4) é usado para reduzir a rotação do motor ou parar


a máquina.
Ao inverter o sentido de deslocamento de avante para ré ou parar
a máquina, use este pedal para reduzir a velocidade.

OBSERVAÇÃO
Ao operar o pedal desacelerador, você poderá ouvir um ruído
estranho, mas isso não é sinal de nenhum problema quanto à
sua qualidade ou durabilidade.

3-46
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

ALAVANCA DO FREIO DE ESTACIONAMENTO

! ATENÇÃO
Quando estacionar a máquina, não se esqueça nunca de
travar a alavanca do freio de estacionamento.

Esta alavanca (5) é usada para aplicar o freio de estacionamento. Livre

Travada
OBSERVAÇÕES
 Antes de travar a alavanca do freio de estacionamento, primeiro
coloque a alavanca de controle do sentido de deslocamento e
da direção e mudança de marchas em neutro.
 Se a alavanca do freio de estacionamento não estiver travada,
você não conseguirá dar a partida, já que a chave limitadora
estará acionada.

ALAVANCA DE SEGURANÇA
! ATENÇÃO
 Antes de levantar-se do assento para sair da cabina,
sempre trave a alavanca de segurança. Livre
Se as alavancas de controle da lâmina e do escarificador
não estiverem travadas e forem tocadas acidentalmente, Travada
a máquina poderá mover-se repentinamente, causando
danos materiais ou ferindo gravemente pessoas.
 Se a alavanca de segurança não estiver bem travada,
poderá não funcionar.
Para travá-la, verifique a posição ilustrada no desenho à
direita.
 Ao estacionar a máquina ou fazer algum serviço de
manutenção na mesma, não se esqueça nunca de baixar
a lâmina e o escarificador ao solo e travar a alavanca de
segurança.

Esta alavanca de segurança (6) é um dispositivo destinado a travar as alavancas de controle da lâmina e do escarificador.
Quando está travada, a lâmina não pode executar as operações de INCLINAR, ELEVAR, BAIXAR e FLUTUAR.

OBSERVAÇÃO
Para garantir maior segurança, sempre trave a alavanca de segurança antes de dar a partida.

3-47
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

ALAVANCA DE CONTROLE DA LÂMINA


Esta alavanca (7) é usada para movimentar a lâmina

LÂMINA DE INCLINAÇÃO SIMPLES


Esta alavanca é utilizada para executar as operações de elevação
e inclinação da lâmina

Esta alavanca é usada para elevar a lâmina.


 Controle de elevação da lâmina
(a) ELEVAR
(b) MANTER: A lâmina é parada e mantida na posição em que
se encontra.
(c) BAIXAR
(d) FLUTUAR: A lâmina movimenta-se livremente segundo a força
externa que lhe é aplicada.

OBSERVAÇÃO
Quando é tirada da posição FLUTUAR, a alavanca de controle
da lâmina (7) só retorna à posição MANTER quando levada com
a mão até ela.

 Controle de inclinação da lâmina


(A) INCLINAÇÃO À DIREITA
(B) INCLINAÇÃO À ESQUERDA

OBSERVAÇÃO
Por meio da operação de inclinação, é possível também
LEVANTAR. MANTER ou BAIXAR a lâmina.

3-48
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA


Esta alavanca é usada para elevar ou inclinar a lâmina.

Interruptor
seletor de Botão de controle
inclinação do passo

 Controle de elevação da lâmina


(a) ELEVAR
(b) MANTER: A lâmina é parada e mantida na posição em que
se encontra.
(c) BAIXAR
(d) FLUTUAR: A lâmina movimenta-se livremente segundo a força
externa que lhe é aplicada.

OBSERVAÇÃO
Quando é tirada da posição FLUTUAR, a alavanca de controle da lâmi-
na só retorna à posição MANTER quando levada com a mão até ela.

 Inclinação simples
Mova o interruptor seletor de inclinação (1) para a posição (C).

(A) INCLINAÇÃO À DIREITA


(B) INCLINAÇÃO À ESQUERDA

3-49
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

 Operação de dupla inclinação da lâmina


Opere o interruptor de inclinação (1) para a Posição (D).

(A) INCLINAÇÃO A DIREITA


(B) INCLINAÇÃO A ESQUERDA

OBSERVAÇÕES

 A inclinação dupla permite inclinar mais a lâmina do que a


inclinação simples.
 Na inclinação dupla, é possível ELEVAR, MANTER ou BAIX-
AR a lâmina.

 Controle de Passo
Passo para trás (ângulo de corte reduzido)
Faça a operação (B) com o botão de controle do passo (2) pres-
sionado.

Passo para frente (ângulo de corte aumentado)


Faça a operação (A) com o botão de controle do passo (2) pres-
sionado.

OBSERVAÇÕES
 Com o botão de controle do passo pressionado, é possível
ELEVAR, MANTER ou BAIXAR a lâmina.
 Para saber como explorar o recurso da dupla inclinação, veja
“USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA (página 6-13)”.
 Para operar o passo, mantenha o botão de controle do passo
pressionado e opere a alavanca de controle da lâmina para a
esquerda ou à direita para iniciar a operação.
 O controle do passo é o circuito prioritário, assim sendo, para
acioná-lo na inclinação simples basta pressionar o botão de
controle do passo.

3-50
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

ALAVANCA DE CONTROLE DO ESCARIFICADOR


(Para escarificador variável)
Esta alavanca (8) é usada para operar o escarificador.

 Controle de elevação
(a) ELEVAR
(b) MANTER: O escarificador é parado e mantido na posição em
que se encontra.
(c) BAIXAR

 Controle de inclinação
(A) Ângulo de escavação reduzido: O ângulo de corte (α) diminui.
(B) Ângulo de escavação aumentado: O ângulo de corte (α)
aumenta.

3-51
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

AJUSTE DA ALAVANCA DE CONTROLE DO


ESCARIFICADOR PARA FRENTE E PARA TRÁS
(Curso de ajuste: ± 40 mm)

F = Dianteira da máquina

Esta alavanca (8) pode ser ajustada na posição que melhor


convenha ao operador. O procedimento para ajustá-la é o seguinte:
 Ajuste de neutro para trás dentro do curso de 40 mm:
1. Usando uma chave inglesa, solte o parafuso de trava (1).
2. Posicione a alavanca (2) da forma que melhor lhe
convenha.
3. Aperte o parafuso de trava (1) com a chave inglesa para
fixar a alavanca (2) na posição ajustada.
 Ajuste de neutro para frente dentro do curso de 40 mm:
1. Usando uma chave inglesa, remova o parafuso de trava (1).
2. Remova a alavanca (2) e gire-a 180º.
3. Instale a alavanca (2) na alavanca (5) na posição que
melhor lhe convenha.
4. Aperte o parafuso de trava (1) com a chave inglesa para
fixar a alavanca (2) na posição ajustada.
5. Solte a porca (3).
6. Gire o manípulo (4) 180º.
7. Aperte a porca (3).

BOTÃO DE CONTROLE DO SACA-PINOS (PARA


MÁQUINAS EQUIPADAS COM ESSE DISPOSITIVO)
Este botão (9) é usado para operar o saca-pinos.
(a) PINO SACADO
(b) PINO INTRODUZIDO

Dianteira da máquina

3-52
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

INDICADOR DE MANUTENÇÃO DO
FILTRO DE AR
O indicador de manutenção do filtro de ar está localizado no
suporte do filtro de ar, no interior do compartimento do motor.
Este dispositivo indica se o elemento do filtro de ar está obstruído.
Para detalhes sobre como limpar o elemento, veja “INSPEÇÃO,
LIMPEZA E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO DE
AR” (página 4-25).

FONTE DE ALIMENTAÇÃO
O soquete do acendedor de cigarros (1) pode ser usado como
fonte de alimentação para equipamentos com voltagem de 24 V,
ao passo que equipamentos com voltagem de 12 V podem ser
alimentados pelo soquete para acessórios (2).

NOTAS
O soquete do acendedor de cigarros possui voltagem de 24
V, não devendo ser usado para alimentar equipamentos com
voltagem de 12 V.
A potência do soquete do acendedor de cigarros é de 120 W
(24 V x 5 A).
Existem dois soquetes para acessório na máquina, cada um
com 60 W de potência (12V x 5A).
Só há passagem de corrente para os soquetes para acessório
quando a chave de partida está ligada.

3-53
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

CAIXAS DE FUSÍVEIS
NOTA
Antes de trocar um fusível, primeiro desligue a chave de partida.

Os fusíveis impedem que os equipamentos elétricos e as fiações queimem.


Se algum fusível oxidar, estiver coberto por um pó branco ou soltar de seu soquete, você deve substituí-lo.
Sempre que trocar um fusível, lembre-se que o fusível novo deve ser da mesma amperagem que o antigo.

 Chassi
Abra a tampa de inspeção dos fusíveis (A) localizada no canto in-
ferior esquerdo do compartimento do operador. A caixa de fusíveis
I fica dentro dessa tampa.

Caixa de fusíveis (1)


Caixa de fusíveis (2)
Caixa de fusíveis (3)

 Cabina (máquinas equipadas com cabina)


A caixa de fusíveis (4) está localizada no painel do teto.

3-54
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

AMPERAGEM DOS FUSÍVEIS E NOMENCLATURA DOS CIRCUITOS

Caixa de fusíveis (1)

Amperagem
Nº Nomenclatura do circuito
do fusível
1 20A Controladora VHMS
2 20A Alimentação contínua VHMS
20A Alimentação contínua da cabina
3 Alimentação contínua da cabina
30A
(Especificação de mineração (item opcional)
4 10A Alimentação contínua do conversor
5 20A Conversor

Caixa de fusíveis (2)

Amperagem
Nº Nomenclatura do circuito
do fusível
1 5A Alarme de marcha a ré
Saca-pinos, alimentação do pré-aquecedor, as-
2 20A
sento com suspensão a ar
3 20A Alimentação do aquecedor adicional
4 20A Farol de trabalho
5 20A Farol traseiro

Caixa de fusíveis (3)

Amperagem
Nº Nomenclatura do circuito
do fusível
1 5A Sinal AC
2 20A Buzina
3 20A Alimentação auxiliar (1)
4 20A Alimentação auxiliar (2)
5 20A Sinal de corrente alternada auxiliar

Caixa de fusíveis (4)

Amperagem
Nº Nomenclatura do circuito
do fusível

(1) 10 A Rádio, luz da cabina, acendedor de cigarros


(2) 10 A Limpador do vidro da janela traseira
(3) 10 A Limpador do vidro da janela da parte direita
(4) 10 A Limpador do vidro do pára-brisa
(5) 10 A Limpador do vidro da janela da porta esquerda
(6) 20 A Farol dianteiro adicional
(7) 20 A Farol traseiro adicional, luz giratória
(8) - Sobressalente
(9) - Sobressalente
(10) 10 A Memória do rádio

3-55
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

DISJUNTOR
 Se a chave de partida não estiver funcionando, abra a tampa de
inspeção dos fusíveis (A) localizada no canto inferior esquerdo
do compartimento do operador e verifique.

 Se passar uma corrente muito alta pelo disjuntor, ele desarma


o circuito elétrico para que não haja danos aos componentes
elétricos e à fiação.
 Para restabelecer o circuito elétrico caso ele tenha sido
desarmado pelo disjuntor, engatilhe o botão de reset (1) (esse
botão desengatilha quando o circuito é desarmado).
Enquanto o circuito elétrico estiver normal, o botão de reset (1)
permanecerá engatilhado. Se ele voltar a desengatilhar assim
que for engatilhado, é necessário inspecionar o circuito elétrico.

Nº Amperagem Nomenclatura do circuito

(1) 20 A Controlador da direção


(2) 20 A Painel monitor
(3) 20 A Controlador da transmissão
(4) 20 A Alimentação principal do ar condicionado
(5) 20 A Faróis dianteiros
(6) 20 A Chave de partida
(7) 20 A Faróis traseiros

OBSERVAÇÃO
O disjuntor é um dispositivo instalado em circuitos elétricos que operam com correntes elétricas muito altas, tendo
por finalidade proteger os componentes elétricos e a fiação de eventuais danos que possam ser causados por picos
de corrente, a exemplo do que faz um fusível normal. Depois que o defeito for solucionado ou o componente que
apresentou problema voltar ao seu funcionamento normal, não há necessidade de se trocar o disjuntor, pois ele
pode ser reaproveitado normalmente.

3-56
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

DISJUNTORES PARA A FONTE DE ALIMENTA-


ÇÃO PRINCIPAL
 Se o motor de partida não funcionar quando a chave de partida
for colocada na posição PARTIDA, abra o compartimento da
bateria e inspecione os disjuntores (A) - (G)
 Havendo um pico de corrente, o disjuntor corta a passagem de
corrente pelo circuito para proteger os componentes elétricos
ve a fiação contra danos.

 DESLIGUE a chave de partida e resete os disjuntores.


 Para resetar o circuito elétrico após sua desativação, pressione o botão de resetamento por 5 a 10 minutos
com o circuito desativado. Tendo o circuito elétrico sido desativado, torna-se mais pesado operar o botão de
resetamento do que quando o circuito encontra-se normal. A altura do botão de resetamento permanece a
mesma, independentemente do circuito ter sido desativado ou resetado, assim uma força maior na atuação do
botão de resetamento para o resetamento do circuito é natural
 Não mantenha o botão de resetamento dos disjuntores atuado por um período de tempo maior que o necessário.
 Na hipótese do motor de partida não funcionar mesmos os disjuntores tendo sido resetados, entre em contato
com o seu distribuidor Komatsu.

OBSERVAÇÕES
As amperagens para os disjuntores (A) - (G) são as seguintes:
(A): 30 A (fonte de alimentação permanente para a cabina)
(B): 105 A (fonte de alimentação geral)
(C): 105 A (aquecedor elétrico do ar de admissão)
(D): 105 A (aquecedor elétrico do ar de admissão)
(E): 30A (sobressalente para equipamentos opcionais)
(Especificação para mineração (Alimentação contínua do
equipamento elétrico)
(F): 30A (fonte de alimentação permanente para a controladora
do motor
(G): 30A (fonte de alimentação permanente para a controladora
do motor

3-57
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

INTERRUPTOR DE ISOLAMENTO DA BATERIA


(Especificação para mineração, item opcional).

Sempre mantenha o interruptor de isolamento da bateria (1) na


posição LIGADO (ON), exceto quando deixar a máquina parada
por longos períodos ou quando a execução da manutenção do
sistema elétrico.
Utilize o interruptor de isolamento de partida do motor (2)
somente quando precisar desligar o sistema de partida do motor.

OBSERVAÇÃO
Quando este interruptor é colocado na posição (b) DESLIGADO
(OFF), todos os circuitos elétricos são desligados, portanto o
relógio e os pré-ajustes definidos no rádio podem ser apagados.

LIGADO (ON): Quando a alavanca estiver na posição (a)


LIGADO (ON), os circuitos elétricos estão conectados. Antes de
dar partida no motor, verifique se o interruptor está na posição
(a) LIGADO (ON).
DESLIGADO (OFF): Quando a alavanca estiver na posição (b)
DESLIGADO (OFF), os circuitos elétricos estão desligados.
Quando parar a máquina por longos períodos ou quando
executar a manutenção do sistema elétrico, sempre verifique se
o interruptor está na posição (b) DESLIGADO (OFF).

OBSERVAÇÃO
Nunca coloque o interruptor na posição DESLIGADO (OFF)
quando o motor estiver funcionando. Isto poderá causar
falha no sistema elétrico.

3-58
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

TRAVA PARA MANTER A PORTA ABERTA


Use esta trava quando desejar manter a porta aberta.
1. Para manter a porta aberta, empurre a porta contra a lingüeta (1).

2. Para destravar a porta, mova a alavanca (2) existente no interior


da cabina para frente, soltando, assim, a lingüeta.

NOTAS
 Quando for manter a porta aberta, trave-a na lingüeta.
 Sempre que trafegar com a máquina ou executar alguma
operação com a mesma, mantenha a porta fechada, caso
contrário, ela irá quebrar.
 Quando desejar manter a porta aberta, trave-a bem com a
lingüeta, caso contrário, ela poderá fechar com a vibração.

TRAVA INTERMEDIÁRIA DO VIDRO DE CORRER


Quando trabalhar com o vidro de correr da cabina aberto, use
esta trava para que ele não trepide.
 Quando a alavanca estiver destravada, o vidro pode ser aberto
ou fechado.
 Quando a alavanca estiver travada (para cima ou para baixo),
o vidro fica fixo na posição.
 Se o vidro de correr não ficar bem preso, destrave a alavanca
(F) e gire-a no sentido horário (1) para prender bem o vidro.
 Para soltar um pouco mais o vidro, gire a alavanca no sentido
anti-horário (2).

NOTA
Quando trafegar com a máquina ou realizar qualquer
operação com a mesma, mantenha o vidro de correr
sempre fechado, caso contrário, ele irá quebrar.

3-59
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

TAMPAS COM TRAVA


Tampas com trava estão disponíveis para o bocal de abastecimento da água do radiador, tampa de abastecimento
de óleo da carcaça do trem de força e da tampa de abastecimento do reservatório de óleo hidráulico. Para
detalhes da localização das tampas com trava, veja “TAMPAS COM TRAVA (página 3-136)”.

ABERTURA E FECHAMENTO DA TAMPA COM TRAVA


Use a chave do interruptor de partida para abrir e fechar as tampas, exceto a tampa do reservatório de combustível.
Use o método de abertura e fechamento das tampas como se segue abaixo.

ABERTURA DA TAMPA
1. Insira a chave. Certifique-se de ter inserido completamente
(1) antes de girá-la. Se a chave não for inserida completa-
mente ela poderá se quebrar.

(L): Posição de trava


(F): Posição de abertura
(A): Ângulo de giro de 180º da chave
(B): 45º

2. Gire a chave no sentido anti-horário até alinhar-se a marca


(2) com a ranhura do rotor, então gira a tampa lentamente.
Quando for ouvido, a trava estará liberada, possibilitando a
abertura da tampa.

TRAVANDO A TAMPA
1. Coloque a tampa em seu lugar.
2. Gire a chave no sentido horário e depois retire a chave.

3-60
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

MÉTODO PARA ABERTURA DA TAMPA DE


COMBUSTÍVEL
O método de abertura e fechamento da tampa de combustível é
ilustrado abaixo:

ABERTURA DA TAMPA
1. Levante a trava (1) na direção (a).
2. Quando a trava (1) é girada na direção (c) (anti-horário) apro-
ximadamente 35º, ela irá parar no batente, e a tampa poderá
ser aberta.

FECHAMENTO DA TAMPA
1. Depois de girar a trava (1) na direção (c) (anti-horário), man-
tenha-a nesta posição e feche a tampa.
2. Gire a trava (1) na direção (d) (horário) até que ela pare no
batente, e então abaixe na direção (b).

BOLSAS DAS PORTAS


As bolsas das portas estão localizadas na face interna das portas
esquerda e direita. Use-as para guardar seus pertences, porém,
não coloque ferramentas grandes ou outros objetos pesados
nelas.
Se as bolsas sujarem, solte os quatro parafusos (1) existentes
em cada uma delas, remova-as e lave-as.

3-61
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

CINZEIRO
O cinzeiro fica à esquerda do assento do operador.
Antes de fechar a tampa do cinzeiro, primeiro apague totalmente
o cigarro.

CAIXA DE FERRAMENTAS
A caixa de ferramentas fica na parte dianteira interna do pára-
-lama direito.
Ela é usada para guardar ferramentas.

(Máquinas com especificação para mineração)

Esta caixa de ferramentas fica na parte interna do pára-mala


direito.
Ela é usada para guardar ferramentas.

LIMPEZA DO INTERIOR DA CABINA


Se o interior da cabina (1) e (2) estiver impregnado de óleo ou
sujeira, embeba um pano em detergente neutro e use-o para re-
mover a sujeira, lavando, então, o local que foi limpado com água.
Concluída essa operação, seque completamente o local que foi
limpado e monte-o

3-62
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

COMO USAR SEU RÁDIO ESTÉREO E O TOCA-FITAS

EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

(1) Botão liga/desliga e de controle de volume (8) Porta-cassete


(2) Botão de memorização automática de freqüências de (9) Botões de avanço e retrocesso rápidos
estações de rádio e busca de freqüências de estações (10) Botões de sintonia de freqüências de estações
de rádio programadas na memória de rádio programadas na memória
(3) Botão de controle de grave (11) Botão de fita metálica
(4) Botão de controle de agudo (12) Botões de sintonia manual
(5) Botão de controle de tonalidade (13) Botões de sintonia de busca
(6) Botão seletor de exibição no mostrador de hora/ (14) Botão seletor de banda
freqüência da estação de rádio sintonizada
(7) Botão ejetor de fita cassete (E) Indicador de avanço e retrocesso da fita cassete
(F) Mostrador do canal da freqüência da estação de
(A) Indicador de banda rádio programada na memória sintonizada
(B) Indicador de fita metálica (G) Mostrador de exibição da hora/freqüência da
(C) Indicador de recepção de freqüência estéreo em FM estação de rádio sintonizada
(D) Indicador de tonalidade

3-63
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

BOTÃO LIGA/DESLIGA E DE CONTROLE DE


VOLUME
Para ligar o rádio ou o toca-fitas, gire este botão (1) para a direita
até ouvir um clique.
Continuando a girá-lo para a direita, você aumenta o volume.

BOTÃO DE MEMORIZAÇÃO AUTOMÁTICA DE


FREQÜÊNCIAS DE ESTAÇÕES DE RÁDIO E
BUSCA DE FREQÜÊNCIAS DE ESTAÇÕES DE
RÁDIO PROGRAMADAS NA MEMÓRIA
Use este botão (2) para ativar as funções de memorização
automática de freqüências de estações de rádio e busca de
freqüências de estações de rádio programadas na memória.
 Memorização automática de freqüências de estações de rádio
Sempre que este botão é pressionado por mais de 2 segundos
com o rádio sintonizado, a função de memorização automática
de freqüências de estações de rádio começa a buscar
automaticamente a estação desejada dentro de uma banda de
alcance e memoriza a freqüência dessa estação na memória
de freqüências programadas. Durante esse processo de busca,
a freqüência exibida no lado direito do mostrador continua a
mudar, indicando que cada uma das freqüências mostradas
encontra-se memorizada na memorização automática de
freqüências de estações de rádio.

OBSERVAÇÕES
A função de memorização automática de freqüências de estações
de rádio não pode ser usada enquanto o mostrador do canal
da freqüência da estação de rádio programada na memória
sintonizada estiver piscando.
Quando esse mostrador estiver piscando, a função usada é a
de busca de freqüências de estações de rádio programadas na
memória.

BOTÃO DE CONTROLE DE GRAVE


Para diminuir os graves, gire este botão (3) para a esquerda.
Girando-o para a direita, você aumenta os graves.
Sentido anti-horário (a): diminui os graves
Sentido horário (b): aumenta os graves.

3-64
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

BOTÃO DE CONTROLE DE AGUDO


Para diminuir os agudos, gire este botão (4) para a esquerda.
Girando-o para a direita, você aumenta os agudos.
Sentido anti-horário (a): diminui os agudos
Sentido horário (b): aumenta os agudos

BOTÃO DE CONTROLE DE TONALIDADE


Este botão (5) é usado quando você estiver ouvindo o rádio em
baixo volume. Ele eleva a tonalidade aumentando os graves
quando eles estão fracos.
Pressionando o botão de controle de tonalidade uma vez, você
o liga, e, voltando a pressioná-lo, você o desliga

BOTÃO SELETOR DE EXIBIÇÃO NO MOSTRADOR


DE HORA/FREQÜÊNCIA DA ESTAÇÃO DE RÁDIO
SINTONIZADA
Este botão (6) é usado para selecionar a exibição no mostrador
da hora ou da freqüência da estação de rádio sintonizada.

 Ajuste da hora
Pressione o botão para o mostrador exibir a hora
(A) Ajuste da hora:
Mantendo o botão DISP pressionado, aperte o botão de
sintonia inferior (H) para ajustar a hora.
(B) Ajuste dos minutos:
Mantendo o botão DISP pressionado, aperte o botão de
sintonia inferior (M) para ajustar os minutos.

3-65
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

BOTÃO EJETOR DE FITA CASSETE


Este botão (7) é usado para parar a fita cassete e ejetá-la.
Quando este botão é pressionado, a fita cassete é ejetada e o
rádio volta a tocar.

PORTA-CASSETE
Posicione a fita cassete com a parte exposta da fita no lado direito
e introduza-a no porta-cassete (8).

BOTÕES DE AVANÇO E RETROCESSO RÁPIDOS


Estes botões (9) são usados para dar avanço ou retrocesso rápido
na fita cassete.
 Avanço/retrocesso rápidos
Para dar avanço rápido na fita, pressione o botão cujas setas
estejam apontadas na mesma direção da seta que indica para
onde avança a fita, e, para dar retrocesso rápido, pressione o
botão cujas setas estejam apontadas na direção contrária da
seta que indica para onde avança a fita.
Para parar a fita, dê um leve toque no botão que não estiver
travado. A operação de avanço ou retrocesso rápido é cancelada
no mesmo instante.

BOTÕES DE SINTONIA DE FREQÜÊNCIAS DE


ESTAÇÕES DE RÁDIO PROGRAMADAS NA
MEMÓRIA
Estes botões (10) são usados para sintonizar as freqüências das
estações de rádio programadas na memória. São numerados de 1
a 6 e permitem programar na memória 18 estações (doze de FM e
seis de AM).

3-66
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

BOTÃO DE FITA METÁLICA


(também usado para o botão de sintonia de freqüência de
estações de rádio programada na memória nº 5)
Este botão (11) é usado quando você estiver tocando uma fita
metálica ou de cromo no toca-fitas, sendo também empregado
para sintonia de freqüência de estação de rádio programada na
memória. Apertando-o, aparece a sigla MTL no indicador.

BOTÕES DE SINTONIA MANUAL


Estes botões (12) são usados para sintonizar manualmente
freqüências de estações de rádio.
Pressionando-se o botão “TUN ∧ ”, a freqüência sobe 9 kHz para
AM e 0,1 MHz para FM. Já quando o botão “TUN ∨” é pressionado,
a freqüência desce 9 kHz para AM e 0,1 MHz para FM. Mantendo-
se esses botões apertados, a freqüência muda sem parar.

BOTÕES DE SINTONIA DE BUSCA


Os botões de sintonia de busca (13) funcionam assim:
pressionando-se o botão “SEEK UP”, a freqüência sobe
automaticamente; já quando o botão “SEEK DOWN” é
pressionado, a freqüência desce automaticamente.
Quando a próxima estação é sintonizada, a função de sintonia
de busca cessa no mesmo instante.

BOTÃO SELETOR DE BANDA


Pressionando-se este botão (14), é possível selecionar qualquer
das três bandas de alcance (FM1, FM2 ou MW (AM)). A banda
selecionada aparece no indicador.

3-67
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

FUNCIONAMENTO DO RÁDIO/TOCA-FITAS

COMO PROGRAMAR OS BOTÕES DE SINTONIA


DE FREQÜÊNCIAS DE ESTAÇÕES DE RÁDIO
PROGRAMADAS NA MEMÓRIA
Para ouvir uma estação de rádio programada na memória, use
o botão seletor de banda (1) para selecionar AM, FM1 ou FM2 e
pressione o botão de sintonia da freqüência da estação de rádio
programada na memória que você deseja ouvir.
É possível programar na memória seis estações Am e doze
estações FM (FM 1:6, FM2:6).
1. Se você estiver escutando uma fita cassete, pressione o botão
ejetor da fita cassete para pará-la.
2. Selecione a estação que deseja programar na memória.

Utilize o botão seletor de banda (1) para selecionar MW (AM),


FM1 ou FM2, e use, então o botão de sintonia manual para
selecionar a freqüência da estação de rádio que você deseja
programar na memória.
3. Pressione o botão da memória manual (2) ou o botão de
sintonia de busca (3).
4. Pressione o botão (4) que escolher para programar a estação
desejada na memória por dois segundos. Durante esse
tempo, aparecerá no mostrador a freqüência da nova estação
programada na memória (o canal e a freqüência programados
na memória aparecem no mostrador e a programação da nova
estação de rádio na memória é encerrada).
5. Para programar outras estações na memória, repita os passos
2 a 4.

OBSERVAÇÕES
 Para desprogramar uma estação da memória e programar
outra em seu lugar, use os passos 2 a 4.
 Se faltar força, por exemplo, quando a bateria for trocada,
todas as estações programadas são apagadas da memória,
tornando-se necessário programá-las novamente.

3-68
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

BOTÃO DE MEMÓRIA MANUAL


Selecione a estação que deseja programar na memória com o
botão de sintonia manual (1) ou o botão de sintonia de busca
(2), mantendo, então, o botão de 1 a 6 escolhido (3) pressionado
durante dois segundos enquanto a freqüência da nova estação
programada na memória aparece no mostrador.

OUVINDO O RÁDIO
1. Ligue a chave de partida e o botão liga/desliga (1).
2. Coloque o botão seletor de banda (2) em AM ou FM.
3. Selecione a estação desejada com os botões de sintonia de
freqüência de estações programadas na memória ou o botão
de sintonia manual (3).
4. Ajuste o volume, o balanço e a tonalidade conforme desejar.
5. Para desligar o rádio, gire o botão liga/desliga (1) no sentido
anti-horário até ouvir um clique.

OBSERVAÇÕES
 Quando estiver ouvindo o toca-fitas e quiser ouvir o rádio, pressione o botão ejetor da fita cassete para parar
a fita.
 Se você colocar uma fita cassete no toca-fitas enquanto estiver ouvindo o rádio, o toca-fitas começará a tocar.

3-69
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

OUVINDO O TOCA-FITAS
1. Ligue a chave de partida e o botão liga/desliga (1).
2. Coloque a fita cassete com a parte exposta da fita no lado direto
no porta-cassete. O toca-fita começará automaticamente a tocar.
Se a seta indicando o avanço da fita estiver apontando para
a direita, o lado 1 da fita é que está sendo tocado; se estiver
apontando para a esquerda, o lado 2 é que está sendo tocado.
Quando a fita termina, o outro lado começa automaticamente
a ser tocado.
3. Quando não quiser mais ouvir a fita, pressione o botão ejetor
para ejetar a fita cassete. Você passará a ouvir automaticamente
o rádio.

COMO VOLTAR A FITA


Se você estiver ouvindo o toca-fitas e quiser voltar a fita, pressione
levemente os botões de AVANÇO E RETROCESSO RÁPIDOS (A)
e (B) ao mesmo tempo.
Fazendo isso, você voltará a fita.

3-70
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DO RÁDIO/TOCA-FITAS

! ATENÇÃO
 Se o aparelho for usado em uma voltagem maior que a especificada, poderá ocorrer incêndio, eletrocussão
ou defeitos no aparelho. Portanto, só use o aparelho na voltagem especificada.
 A tensão em que operam os componentes do rádio/toca-fitas é alta. Assim sendo, não remova a blindagem.
 Não faça nenhuma modificação no aparelho, pois isso pode causar incêndio, eletrocussão ou danificá-lo.
 Se o aparelho não emitir som, o mostrador ou os indicadores não estiverem funcionando ou ocorrer
qualquer outra anormalidade, desligue o botão liga/desliga e peça o mais rapidamente possível ao seu
distribuidor Komatsu que conserte o aparelho.

 Quando estiver trabalhando em locais com vão livre pequeno, recolha a antena.
 Para operar dentro das normas de segurança, mantenha o volume do aparelho em um nível que possibilite
ouvir as outras máquinas.
 Se entrar água nos alto-falantes ou no aparelho, poderão ocorrer problemas sérios, portanto, não deixe entrar
água neles.
 Não limpe o mostrador e os botões do aparelho com benzina, tíner ou qualquer outro solvente. Utilize para a
limpeza dos mesmos um pano macio e seco. Se o mostrador e os botões estiverem muito sujos, limpe-os com
um pano embebido em álcool.

NOTAS
Dicas para o uso e conservação de fitas cassetes
 Limpe o cabeçote do toca-fitas aproximadamente uma vez por mês com qualquer limpador de cabeçote
comercializado em lojas especializadas.
 Não deixe fitas cassetes expostas ao sol, a poeira excessiva, ou próximas de campos magnéticos.
 Não use fitas cassetes de 120 minutos, pois essas fitas são finas e enroscam facilmente no aparelho.
 Fitas com folga enroscam facilmente no aparelho. Para remover a folga de uma fita, use um lápis para
bobiná-la.
 Se o rótulo de uma fita cassete começou a descolar, não a use no aparelho, pois a fita poderá não avan-
çar ou não sair do aparelho.

3-71
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

COMO USAR O AR CONDICIONADO

O ar condicionado está instalado atrás do assento do operador. Pelas entradas de ar é admitido ar frio ou quente
para refrigerar ou aquecer a cabina.
Localização das entradas de ar

(A) Entrada de ar traseira


(B) Entrada de ar frontal (teto)
(C) Entrada de ar dos pés
(D) Entrada de ar do degelador

OBSERVAÇÕES
 As entradas de ar (A) e (B) possuem ventoinhas para variar a direção do fluxo de ar conforme desejado.
 As entradas de ar (D) pode ser aberta e fechada manualmente.

3-72
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

LOCALIZAÇÃO DOS COMANDOS NO PAINEL DE CONTROLE

(1) Interruptor liga/desliga (5) Interruptor de seleção automática de fonte de ar


(2) Interruptor do ventilador (6) Interruptor seletor de ar FRESCO/RECIRCULADO
(3) Interruptor do controle de temperatura (7) Mostrador
(4) Interruptor seletor de entradas de ar (8) Interruptor do ar condicionado
Interruptor LIGA/DESLIGA
Este interruptor (1) é usado para desligar o ventilador e o ar
condicionado.
 Pressionando-se o interruptor liga/desliga (1), as luzes indica-
doras da temperatura e do fluxo de ar programados do mostra-
dor (7) e a luz acima do interruptor de seleção automática de
fonte de ar (5) e a luz acima do interruptor do ar condicionado
(8) apagam, cessando a operação.

3-73
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

Interruptor do ventilador
Este interruptor (2) é usado para ajustar o fluxo de ar em seis níveis
 Para aumentar o fluxo de ar, pressione o interrutptor ,e
para reduzí-lo, pressione o interrutpor .
 No modo automático, o fluxo de ar é automaticamente ajus-
tado.

A: Visor de cristal líquido


A B
B: Fluxo de ar
a: Fluxo de ar “baixo”
a
b: Fluxo de ar “médio 1”
c: Fluxo de ar “médio 2”
b
d: Fluxo de ar “médio 3”
e: Fluxo de ar “médio 4”
c
f: FLuxo de ar “alto”
d

3-74
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Interruptor de controle de temperatura


Este interruptor (3) é usado para controlar a temperatura no
interior da cabina.
A temperatura pode ser ajustada entre 18 ºC e 32ºC.
 Pressinando o interruptor , você programa uma temperatura
maior, e pressionando o interruptor , você programa uma
temperatura menor.
 O ideal é programar a temperatura em 25 ºC
 A temperatura pode ser ajustada em estágios de 0,5 ºC.

<Sinalizações do mostrador e respectivas funções>


Sinalização do mos-
trador (ºC) Temperatura programada

18,0 Refrigeração máxima


Ajuste da temperatura no interior da cabi-
18,5 a 31,5
na na temperatura programada
32,0 Aquecimento máximo

OBSERVAÇÃO
Programando-se o modo automático com a temperatura ajustada em 18,0 ºC e 32 ºC, o ventilador permanece
sempre no fluxo de ar alto, não variando nem mesmo quando a temperatura programada é alcançada.

3-75
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

Interruptor seletor de entradas de ar


Este interruptor (4) é usado para selecionar as entradas de ar.
 Pressionando-se o interruptor (4), o mostrador (7) exibe as
saídas por onde sairá o ar e o ar sai pelas entradas sinalizadas.
 Na operação automática, as entradas de ar são automatica-
-mente selecionadas.

Visor de cris- Entrada de ar


tal líquido Modo de entrada de ar Observações
A B C D

Entrada de ar frontal e traseira 


(incluindo a entrada de ar do degelador) O O (O)

Entrada de ar frontal, traseira e dos pés


(incluindo a entrada de ar do degelador) O O O (O) 

Entrada de ar dos pés


O 

Entradas de ar frontal e dos pés Não é possível selecionar a


(incluindo a entrada de ar do degelador) O O (O) operação automática

Entradas de ar frontais Não é possível selecionar a


(incluindo a entrada de ar do degelador) O (O) operação automática

Nota 1: O ar sai pelas entradas de ar assinaladas com o símbolo O


Nota 2: As entradas de ar do degelador podem ser abertas ou fechadas manualmente mediante a ventoinha.

Interruptor de Seleção Automática da Fonte de Ar


Este interruptor (5) permite selecionar automaticamente o fluxo
e as entradas de ar, bem como a fonte de ar (RECIRCULADO/
FRESCO) segundo a temperatura programada.
 Pressionando-se o interruptor de seleção automática da fonte
de ar (5), a luz no alto do interruptor de seleção automática
da fonte de ar acende.
 Em circunstâncias normais, pressione o interruptor, use o
interruptor de controle da temperatura (3) para programar a
temperatura, e funcione o ar condicionado no modo automá-
tico.
 Mudando-se o modo de controle de automático para manual,
é possível variar o fluxo de ar, as entradas de ar e a fonte do
ar (RECIRCULADO/FRESCO). Usando-se o controle manual,
a luz no alto do interruptor de seleção automática da fonte de
ar apaga.

OBSERVAÇÃO
Selecionando-se o modo automático e programando a temperatura em 18,0 ºC e 32 ºC, o fluxo de ar mantém-se
sempre alto, mas isto não significa nenhuma anormalidade.

3-76
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Interruptor de Seleção de ar FRESCO/RECIRCULADO


Este interruptor (6) é usado para optar pela recirculação do ar no
interior da cabina e a admissão de ar externo.
 Pressionando-se o interruptor (6), a luz no alto do interruptor
do seletor acende sinalizando a saída de ar.
 Na operação automática a seleção do ar interno (RECIRCULADO)
e ar externo (FRESCO) é realizada automaticamente

RECIRCULADO O ar externo é bloqueado, com a recirculação tão somente do ar no interior da cabina.


Use esta posição para realizar uma refrigeração rápida da cabina quando o ar ex-
terno encontrar-se sujo.
FRESCO Admissão de ar externo no interior da cabina.
Use esta posição para admitir ar fresco ou realizar desembaçamento.

Mostrador
O mostrador (7) informa a programação da temperatura (a), o
fluxo de ar (b) e as entradas de ar (c) ajustadas no momento.
 Pressionando-se o interruptor DESL (1), os indicadores da
temperatura programada (a) e do fluxo de ar (b) apagam e a
operação cessa.

Interruptor do Ar Condicionado
Este interruptor (8) é usado para ligar ou desligar o ar condi-
-cionado (refrigeração, desumidificação, aquecimento)
 Quando o ventilador é acionado (o mostrador informa (b)),
e o interruptor do ar condicionado (8) é pressionado, o ar
condicionado é ligado, a luz no alto do interruptor do ar con-
dicionado acende e o ar condicionado começa a funcionar.
Desligando-se o ar condicionado, a luz no alto do interruptor
do ar condicionado apaga.
 O ar condicionado não pode ser operado enquanto o ventilador
estiver desligado.

3-77
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

Método de Operação
O ar condicionado pode operar automaticamente ou manualmente. Selecione o modo de operação desejado.

Operação automática
1. Ligue o interruptor de seleção automática de fonte de ar (5).
 A luz no alto do interruptor (5) acende.
 A temperatura programada (a) e o fluxo de ar (b) são in-
formados no mostrador.

2. Use o interruptor de programação da temperatura (3) para


programar a temperatura desejada. O fluxo de ar, a combina-
ção de entradas de ar e a seleção de ar fresco ou recirculado
são automaticamente selecionados segundo a temperatura
programada, e o ar condicionado é automaticamente operado
até que seja atingida a temperatura programada.

OBSERVAÇÃO
Quando o mostrador de entradas de ar (c) sinaliza (d) ou (e) com
a temperatura do líquido de arrefecimento do motor baixa, o fluxo
do ar é automaticamente limitado para impedir a saída de ar frio.

3-78
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Encerramento da operação automática


Pressione o interruptor DESL (1). Os indicadores de programação
de temperatura (a) e fluxo de ar (b) do mostrador e as luzes aci-
ma do interruptor de seleção automática de fonte de ar (5) e do
interruptor de ar condicionado (8) apagam e a operação cessa.

Operação Manual
1. Pressione o interruptor do ventilador (2) e ajuste o fluxo de ar.
Nessa operação, verifique se o mostrador exibe a programação
da temperatura (a) e o fluxo de ar (6).

2. Ligue o interruptor do ar condicionado (8). Verifique se a luz


no alto do interruptor de ar condicionado acende.

3-79
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

3. Pressione o interruptor de programação da temperatura e


ajuste a temperatura no interior da cabina.

4. Pressione o interruptor seletor das entradas de ar (4) e sele-


cione as entradas de ar desejadas. Fazendo isso, o indicador
da entrada de ar (c) do mostrador sinaliza a selação realizada.

5. Pressione o interruptor seletor de ar RECIRCULADO/ FRES-


CO (6) e selecione a recirculação do ar no interior da cabina
(RECIRCULADO) ou a admissão de ar fresco externo (FRES-
CO).

3-80
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Encerramento da Operação Manual


Pressione o interruptor DESL (1). Os indicadores de programa-
ção de temperatura (a) e fluxo de ar (b) do mostrador e as luzes
acima do interruptor de seleção automática de fonte de ar (5) e
do interruptor do ar condicionado (8) apagam e a operação cessa.

FULL AUTO AIRCONDITIONER

Operação com ar frio direcionado à face e ar quente direcio-


nado aos pés
Para operar com ar frio direcionado à face e ar quente direcionado
aos pés, proceda como descreveremos a seguir:
1. Pressione o interruptor do ventilador (2) e ajuste o fluxo
de ar. Nessa operação, verifique se o mostrador exibe a
programação da temperatura (a) e o fluxo de ar (b)

2. Pressione o interruptor seletor das entradas de ar (4) e


programe o mostrador das entradas de ar na configuração
indicada no diagrama à direita.

3-81
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

3. Ligue o interruptor do ar condicionado (8). Verifique se a luz


no alto do interruptor do ar condicionado acende.

4. Ajuste o interruptor do ventilador (2), o interruptor de programa-


ção da temperatura (3) e o interruptor seletor de ar FRESCO/
RECIRCULADO (6) nas posições desejadas.

3-82
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Operação do Degelador
1. Pressione o interruptor do ventilador (2) e ajuste o fluxo
de ar. Nessa operação, verifique se o mostrador (7) exibe
a programação da temperatura (a) e o fluxo de ar (b)

2. Pressione o interruptor seletor das entradas de ar (4) e


programe no mostrador a configuração de entrada de
ar (f) ou (g) ilustrada no desenho abaixo à direita.

3-83
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

3. Pressione o interruptor seletor de ar FRESCO/RECIRCULADO


(6) e programe-o para admissão de ar fresco.

4. Pressione o interruptor de programação de temperatura (3) e


programe no mostrador (7) a temperatura máxima de aqueci-
mento de 32,0.

Quando operar debaixo de chuva ou quiser desembaçar os vidros


das janelas da cabina ou desumidificar o ar, ligue o interruptor do
ar condicionado (8).

3-84
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

Outras Funções

Função de Autodiagnóstico
Você pode realizar o diagnóstico de falhas dos diversos sensores e equipamentos empregados no ar condicionado.
1. Pressione o interruptor DESL (1). Os indicadores de programação de temperatura e fluxo de ar do visor de
cristal líquido apagam e a operação cessa.
2. Mantendo-se os botões “ ” e “ ” do interruptor de programação da temperatura (3) pressionados simulta-
neamente por no mínimo 3 segundos, o modo de diagnóstico de falhas aparece no visor de cristal líquido.

<Códigos do monitor e respectivos modos de falha>

Código Modo de falha


E-- Nenhuma falha acusada
E11 Desconexão no sensor de ar recirculado
E12 Curto-circuito no sensor de ar recirculado
E13 Desconexão do sensor de ar fresco
E14 Curto-circuito no sensor de ar fresco
E15 Desconexão no sensor de temperatura do
líquido de arrefecimento
E16 Curto-circuito no sensor de temperatura
do líquido de arrefecimento
E18 Curto-circuito no sensor de luz solar
E21 Desconexão no sensor de entradas de ar
E22 Curto-circuito no sensor de entradas de ar
E43 Anormalidade no amortecedor de entradas de ar
E44 Anormalidade no amortecedor de mistura de ar
E45 Anormalidade no amortecedor de ar
FRESCO/RECIRCULADO
E51 Anormalidade na pressão do refrigerante

 Detectada mais de uma falha, pressione a parte “ “ ou “ “ do interruptor de programação de temperatura (3)
para que o mostrador exiba as falhas alternadamente.
 Após completar o diagnóstico de falhas, pressione novamente o interruptor DESL (1) para voltar ao modo de
exibição normal.

Caso a função de autodiagnóstico detecte alguma anormalidade, solicite a inspeção da mesma ao seu distribuidor
Komatsu, para que este proceda, caso seja necessário, ao reparo do problema.

3-85
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

Função de Alternância da Temperatura Exibida no Mostrador


(Fahrenheit e Celsius)
A temperatura exibida no mostrador pode ser alternada entre ºF
e ºC.
Pressionando-se os botões “ .” e “ .” do interruptor de programa-
ção da temperatura (3) simultaneamente por mais de 5 segundos
com o ventilador em funcionamento, a temperatura exibida no
mostrador alternará entre ºF e ºC, sem indicação da escala.

Gama indicada no visor de


cristal líquido
ºC 18,0 a 32,0
ºF 63 a 91

Função de Fluxo de Ar Extra Forte


Colocando-se o interruptor (2) em HIGH e ligando-se o interruptor de fluxo de ar extra forte, você consegue que
as entradas frontais e do painel de instrumentos liberem fluxo de ar extra forte.

PRECAUÇÕES RELATIVAS AO USO DO AR CONDICIONADO


QUANDO REFRIGERAR A CABINA, VENTILE-A PERIODICAMENTE
 Se você fumar com o ar condicionado ligado, a fumaça poderá começar a irritar seus olhos, portanto, acione o
interruptor seletor de ar fresco enquanto estiver refrigerando a cabina para remover a fumaça.
 Quando usar o ar condicionado por um longo período, ventile a cabina de hora em hora.

CUIDADO PARA NÃO REFRIGERAR EXCESSIVAMENTE A CABINA


 Para não prejudicar sua saúde, recomendamos manter a cabina refrigerada a uma temperatura agradável (5
a 6 ºC abaixo da temperatura fora da cabina). Quando refrigerar a cabina, não desça a temperatura em seu
interior abaixo desse patamar.

DIRECIONE AS ENTRADAS DE AR DE FORMA QUE NÃO SOPRE AR FRIO NA SU-


PERFÍCIE DO VIDRO DO PÁRA-BRISA
 Se as entradas de ar (esquerda e direita) localizadas no centro do painel de instrumentos estiverem direciona-
das de forma que sopre ar frio diretamente no vidro do pára-brisa, a umidade poderá condensar na superfície
externa do mesmo e comprometer a visibilidade (isto ocorre principalmente à altas temperaturas).
Caso isto aconteça, direcione as entradas de ar totalmente para cima.

CUIDADOS COM A MÁQUINA FORA DE USO


Mesmo quando a máquina permanecer fora de uso, funcione o compressor em baixa velocidade por alguns minutos
semanalmente para conservar a película de óleo nas peças lubrificadas do compressor (funcione o motor em baixa
rotação e ajuste a temperatura em um valor intermediário).

OBSERVAÇÃO
Se a temperatura ambiente estiver baixa, o compressor poderá sofrer algum dano se você funcioná-lo bruscamente
em alta velocidade. O compressor está ajustado para não funcionar quando o ar condicionado for ligado com a
temperatura ambiente abaixo de 2 a 6,5 ºC.

3-86
OPERAÇÃO EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES

PROCEDIMENTO PARA SUBSTITUIÇÃO DO CONDENSADOR


Substitua o condensador a cada dois anos.
Após a troca do condensador, adicione óleo para compressor. Incline o condensador para saber a quantidade de
óleo restante em seu interior, completando, então, o condensador com óleo Denso Oil 6.

OBSERVAÇÕES
 Dependendo das condições de uso, o condensador pode precisar ser trocado em um intervalo menor.
 Se o condensador for usado com o limite de absorção de umidade do dessecante ultrapassado, poderá ocorrer
obstrução do circuito do gás refrigerante e pane do compressor.

PRECAUÇÕES RELATIVAS À TROCA DO CONDENSADOR


 Se o condensador permanecer mais de 15 minutos com a tampa cega removida, a umidade no ar será absorvida,
reduzindo, com isso, a vida útil do dessecante. Se você remover a tampa cega, conecte a tubulação rapidamente,
evacue o sistema e abasteça com gás refrigerante.
 Para remover o gás refrigerante de seu circuito, solte-o gradualmente pelo lado de baixa pressão para que o
óleo não saia junto.

VERIFICAÇÃO DA TENSÃO DA CORREIA DO COMPRESSOR E DO NÍVEL


DO GÁS REFRIGERANTE
Se a correia do compressor estiver frouxa ou o nível do gás refrigerante estiver baixo, a refrigeração não será
100% eficaz.
Para detalhes, veja “QUANDO NECESSÁRIO” (página 4-22).

LIMPEZA DO FILTRO DE AR
Se o filtro de ar da entrada de ar fresco ou recirculado estiver obstruído, a refrigeração ou o aquecimento não será
100% eficaz. Para evitar esse problema, limpe semanalmente o filtro de ar com ar comprimido.
Para detalhes sobre o método de limpeza do filtro de ar, veja “QUANDO NECESSÁRIO” (página 4-22).

3-87
EXPLICAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAÇÃO

EFICIÊNCIA NO USO DO AR CONDICIONADO

REFRIGERAÇÃO RÁPIDA DO INTERIOR DA CABINA


Deixar a máquina ao sol no meio do verão faz a temperatura no interior da cabina tornar-se extremamente alta. Se
isto acontecer e você desejar refrigerar a cabina rapidamente, antes de mais nada abra todas as portas e janelas
para eliminar o ar quente e ligue o ar condicionado.
Após dar a partida, pressione o interruptor de seleção automática de fonte de ar (5) e use o interruptor de progra-
mação de temperatura (3) para ajustar a temperatura em 18.0.
Funcione o motor em uma rotação ligeiramente mais alta durante 2 ou 3 minutos e feche as portas e janelas.
Quando a temperatura no interior da cabina cair, ajuste a temperatura desejada.

Quando os vidros das janelas da cabina estiverem embaçados


Na estação das chuvas, quando a umidade no interior da cabina estiver alta, se os vidros embaçarem acione o ar
condicionado para desembaçá-los. Quando o ar externo estiver extremamente úmido, a umidade poderá conden-
sar por fora dos vidros se a temperatura no interior da cabina estiver muito baixa. Caso isso ocorra , reprograme
a temperatura ou desligue o ar condicionado para ajustar a temperatura no interior da cabina.

QUANDO O AR CONDICIONADO PERMANECER FORA DE USO


Em épocas do ano em que o ar condicionado permanecer fora de uso, funcione o ar condicionado alguns minutos
com o motor em baixa rotação mensalmente para manter a película de óleo lubrificante em todas as peças do
compressor.
No inverno, quando a temperatura no interior da cabina baixar, o ar condicionado poderá não funcionar. Caso isto
aconteça, use um aquecedor para elevar a temperatura no interior da cabina e funcione o ar condicionado.

NOTAS
 Quando usar o ar condicionado, funcione o motor em baixa rotação ao ligá-lo, do contrário, você poderá
danificá-lo.
 Se entrar água no painel de controle ou no sensor de luz solar, há o risco de acidentes, portanto, não
deixe essas peças molharem, nem aproxime fogo ou chama exposta delas.
 Mantenha o sensor de luz solar sempre limpo para o funcionamento automático normal do ar condicio-
nado, e não coloque objetos em torno do sensor a fim de assegurar o seu bom desempenho.

3-88
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OPERAÇÃO
VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA E AJUSTES
INSPEÇÃO GERAL DA MÁQUINA
Antes de dar a partida, inspecione ao redor da máquina e embaixo dela para ver se há porcas ou parafusos soltos,
ou vazamento de óleo, combustível ou líquido de arrefecimento, e examine o estado do equipamento de trabalho
e do sistema hidráulico, Verifique, ainda, se há fios soltos, folga e acúmulo de poeira em locais que atingem altas
temperaturas.

! ATENÇÃO
 Vazamentos de óleo ou combustível ou acúmulo de materiais inflamáveis em torno de peças que funcionam
a altas temperaturas, como o silencioso do motor ou o turboalimentador, podem causar incêndio.
Faça uma inspeção detalhada desses locais, e, encontrando alguma anormalidade, providencie o reparo
da mesma ou procure o seu distribuidor Komatsu.
 Não suba ou desça da máquina pela traseira, pois, além de ser fácil você escorregar, nessa posição o operador
não vê você do seu assento. Para subir ou descer da máquina, use sempre os corrimãos e degraus.

Sempre antes da partida, no início de cada expediente, faça as verificações propostas nesta seção.

1. Verifique se o equipamento de trabalho, os cilindros, as articulações e as mangueiras apresentam danos,


desgaste ou folga
Verifique se o equipamento de trabalho, os cilindros, as articulações e as mangueiras apresentam trincas,
desgaste excessivo ou folga. Em caso afirmativo, repare a anormalidade encontrada.

2. Remova a sujeira e a poeira acumuladas em torno do motor, da bateria e do radiador


Verifique se há sujeira ou poeira acumulada em torno do motor ou do radiador. Examine, ainda, se há acúmulo
de materiais inflamáveis (folhas secas, gravetos, grama, etc.) em volta da bateria ou de peças do motor que
funcionam a temperaturas elevadas, como, por exemplo, o silencioso ou o turboalimentador. Remova a sujeira
e os materiais inflamáveis que encontrar.
Para mais detalhes sobre o remoção de impurezas do radiador, veja “LIMPEZA E VERIFICAÇÃO DAS ALETAS
DO RADIADOR, ALETAS DO ARREFECIMENTO DE ÓLEO, ALETAS DO PÓS RESFRIADOR (página 4-37)”

3. Verifique se há vazamento de líquido de arrefecimento ou óleo em torno do motor


Verifique se há vazamento de óleo do motor ou vazamento de líquido de arrefecimento do sistema de
arrefecimento. Havendo qualquer anormalidade, providencie o reparo da mesma.

4. Verifique a presença de vazamentos na linha de alimentação de combustível


Verifique se não há vazamentos de combustível ou danos nas mangueiras e tubos. Se encontrar algum problema,
execute os reparos necessários.

5. Verifique se há vazamento de óleo da carcaça do trem de força, da carcaça do comando final, do reservatório
hidráulico, das mangueiras e das juntas
Verifique se há algum vazamento de óleo. Se houver, repare o local com vazamento.
Verifique se há vazamento de óleo da tampa inferior. Examine o solo em busca de vestígios de vazamento de
óleo.

6. Verifique se o material rodante (esteiras, rodas motrizes, rodas guias e protetores) apresenta dano, desgaste
ou parafusos soltos, bem como se vaza óleo pelos roletes.
Encontrando alguma peça danificada, gasta ou com vazamento de óleo, providencie imediatamente o reparo
do problema e aperte os parafusos.

7. Verifique se os corrimãos apresentam dano ou parafusos soltos


Repare os danos encontrados e aperte todo e qualquer parafuso solto.

3-89
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

8. Verifique se há instrumentos, indicadores e luzes do painel monitor danificados, bem como se há parafusos
soltos.
Verifique se os instrumentos, indicadores e luzes do painel monitor estão danificados.
Havendo qualquer anormalidade, substitua os itens com defeito. Limpe a sujeira acumulada na superfície dos
instrumentos, indicadores e luzes.

9. Examine o espelho retrovisor, limpando-o, se necessário.


Examine se há algum dano no espelho retrovisor.
Em caso afirmativo, substitua-o por um novo. Se necessário, limpe a superfície do espelho e ajuste seu ângulo
de visão de maneira que do assento do operador se veja toda área na traseira da máquina.

10. Cinto de seguraça e fixações do cinto.


Verifique se o cinto de segurança ou suas fixações apresentam alguma anormalidade. Em caso afirmativo,
substitua esses componentes por novos.

3-90
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA


Sempre, no início de cada expediente, faça as verificações antes
da partida propostas nesta seção.

VERIFICAÇÕES COM O PAINEL MONITOR


1. Ligue a chave de partida (1) para a posição ON (B).

2. Verifique se todas as luzes e indicadores acendem por 3 segun-


dos e o alarme sonoro soa por 1 segundo.

OBSERVAÇÃO
Se alguma luz não acender, o painel monitor pode estar falhando ou com algum fio solto. Caso isso ocorra, procure
o seu distribuidor Komatsu.

NOTA
Ao fazer as verificações antes da partida, não se baseie exclusivamente no painel monitor. Nunca deixe de
fazer as inspeções e manutenções propostas neste manual.

3-91
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO LÍQUIDO DE ARREFECI-


MENTO E COMPLETE, SE NECESSÁRIO

! ATENÇÃO
 Em circunstâncias normais, a tampa do radiador (1) não deve
ser aberta. Verifique o nível do líquido de arrefecimento no
tanque de expansão (2) com o motor frio.
 Não remova a tampa do radiador (1) com o líquido de ar-
refecimento do radiador (3) quente, pois poderá esguichar
água fervendo. Quando o líquido de arrefecimento esfriar,
gire a tampa (1) lentamente para aliviar a pressão, e só então
proceda à sua remoção.

1. Abra a tampa lateral do motor localizada no lado esquerdo do


chassi e verifique se o líquido de arrefecimento (5) está entre
as marcas CHEIO e VAZIO do tanque de expansão (2). Se o
nível do líquido de arrefecimento (5) estiver baixo, adicione o
líquido de arrefecimento como descrito abaixo.
2. Se o reservatório reserva ficar vazio, é provável que exista
algum vazamento de água. Após verificar, repare imediata-
mente qualquer anormalidade. Se não encontrar nenhuma
anormalidade, verifique o nível de água no radiador. Se es-
tiver baixo, adicione LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO da
mesma densidade no radiador, de acordo com a tabela de
densidade de LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO fornecida no
tópico “LIMPEZA DO INTERIOR DO SISTEMA DE ARRE-
FECIMENTO” (página 4-22), e então adicione LÍQUIDO DE
ARREFECIMENTO no reservatório reserva.
3. Abasteça o líquido de arrefecimento pela tampa (1). Confirme
se o líquido de arrefecimento encontra-se acima do nível do
fundo do filtro-tela (4) como ilustra a imagem à direita. Ao
mesmo tempo, complete o filtro de expansão (2) com líquido
de arrefecimento.

4. Para reabastecer o radiador, primeiramente desligue o mo-


tor e, então, coloque água pelo bocal de abastecimento do
radiador até ela transbordar. Agora dê a partida, verifique o
nível do líquido de arrefecimento novamente após funcionar
o motor em marcha lenta durante cinco minutos, e complete
a água, se necessário.

5. Após completar o líquido de arrefecimento, feche bem as


tampas (1) e (6).

3-92
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

6. Caso tenha adicionado líquido de arrefecimento em exces-


so, fique atento para possíveis vazamentos. Não se baseie
exclusivamente no painel monitor para monitorar o nível do
líquido de arrefecimento.

VERIFIQUE O NÍVEL DO COMBUSTÍVEL E COMPLETE, SE NECESSÁRIO

! ATENÇÃO
Ao completar o combustível, nunca deixe ele transbordar, caso contrário, poderá ocorrer um incêndio. Se
o combustível derramar, enxugue-o completamente.

1. Ligue a chave de partida e verifique o nível do combustível


com o indicador (G) do painel monitor.
Feita a verificação, desligue a chave de partida.

2. Ao final do expediente, complete o reservatório de combustível


adicionando combustível pelo bocal de abastecimento (F).
Verifique o nível do combustível com a vareta medidora
de combustível existente no bocal de abastecimento de
combustível.
3. Após completar o combustível, aperte bem a tampa do bocal
de abastecimento de combustível.
Capacidade do reservatório de combustível: 1670 litros

OBSERVAÇÕES
 Ao trabalhar em uma rampa, verifique antes se há bastante
combustível no reservatório para que não entre ar na linha
de combustível do motor.
 Se o orifício do respiro da tampa (1) estiver obstruído, a pres-
são no interior do reservatório irá cair, interrompendo o fluxo
de combustível.
Limpe esse orifício periodicamente.

3-93
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

(Especificação para alimentador rápido de combustível, item


opcional)
Um acoplador para adição de combustível está instalado na
parte traseira esquerda da máquina, portanto utilize o acoplador
durante a adição de combustível.

Receptor
Fabricante: WIGGINS
Modelo: ZNC3

3-94
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE O SEPARADOR DE ÁGUA, DRENE


A ÁGUA E OS SEDIMENTOS
1. Abra a tampa de inspeção do lado esquerdo da máquina.
O separador de água forma um só conjunto com o filtro de
combustível adicional, ficando instalado no fundo.

2. Olhando-se através do bujão transparente (2), é possível


avaliar o nível de água e a quantidade de sedimentos.
Havendo água ou sedimentos coletados no fundo, posicione
um recipiente para recolher a água drenada sob a mangueira
de dreno (3).

3. Solte o bujão (1) para drenar a água.

4. Quando começar a sair combustível pela mangueira de dreno


(3), aperte o bujão (1) imediatamente.
Torque de aperto: 0,2 a 0,45 Nm (0,02 a 0,046 kgfm)

3-95
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NO CÁRTER DE ÓLEO DO MOTOR E COMPLETE, SE


NECESSÁRIO

! ATENÇÃO
Imediatamente após o desligamento do motor, seus componentes e o óleo encontram-se à altas temperaturas
e você corre o risco de sofrer graves queimaduras se manuseá-los. Espere a temperatura baixar para mexer
neles.

1. Abra a tampa lateral do motor localizada no lado direito do


chassi.
2. Remova a vareta de medição do nível do óleo (G) e enxugue
o óleo com um pano.
3. Introduza a vareta de medição do nível do óleo (G) até o fim
no tubo de abastecimento de óleo e retire-a novamente.

4. O nível do óleo deverá estar entre as marcas H e L da


vareta de medição do nível do óleo (G).
Se o nível do óleo estiver abaixo da marca L, complete
adicionando óleo de motor pelo bocal de abastecimento
de óleo (F).

5. Se o óleo estiver acima da marca H, remova o bujão de dreno (1),


solte a válvula de dreno (2) para drenar o excesso de óleo, e
verifique o nível do óleo novamente.
6. Se o nível do óleo estiver correto, aperte bem a tampa do bocal
de abastecimento de óleo e feche a tampa lateral do motor.

OBSERVAÇÕES
 Para verificar o nível do óleo quando o motor acabou de funcionar, é necessário, uma vez desligado o motor,
esperar pelo menos mais 15 minutos.
 Se a máquina estiver em uma rampa, coloque-a em uma superfície horizontal antes de verificar o nível do óleo.
 Ao completar o óleo, primeiro remova a vareta de medição do nível do óleo de seu suporte para que o ar
aprisionado no cárter saia.
 A vareta de medição do nível do óleo é gravada, em um dos lados, com os níveis para ENGINE STOPPED
(MOTOR DESLIGADO), e, no outro, com os níveis para ENGINE IDLING (MOTOR EM MARCHA LENTA).
O nível do óleo também pode ser verificado com o motor em marcha lenta, desde que observados os seguintes
cuidados:
 Durante a verificação do nível do óleo, a escala verde do indicador da temperatura do líquido de arrefecimento
do motor deverá permanecer acesa.
 O nível do óleo deverá ser lido no lado da vareta de medição do nível do óleo gravado com a inscrição ENGINE
IDLING (MOTOR EM MARCHA LENTA).

3-96
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA CARCAÇA DO TREM DE FORÇA E COMPLETE,


SE NECESSÁRIO
1. Dê a partida e funcione o motor em marcha lenta durante 5
minutos, verificando, então, o nível do óleo com o lado COLD
STOP (ÓLEO FRIO - MOTOR DESLIGADO) da vareta de
medição do nível do óleo (G).
Remova a vareta de medição do nível do óleo (G) e enxugue
o óleo com um pano.

2. Introduza a vareta de medição do nível do óleo (G) até o fim


no tubo de abastecimento de óleo e volte a retirá-la.

3. O nível do óleo deverá estar entre as marcas H e L da vareta


de medição do nível do óleo (G).
Se o nível do óleo estiver abaixo da marca L, complete o óleo
através do bocal de abastecimento de óleo (F).

(A) Indicador de baixa temperatura do óleo.


(B) Indicador de alta temperatura do óleo.

3-97
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA CARCAÇA DO


AMORTECEDOR E COMPLETE, SE NECESSÁRIO
1. Remova a vareta de medição do nível do óleo (G) e enxugue
o óleo com um pano.

2. Introduza a vareta de medição do nível do óleo (G) até o fim do


tubo do bocal de abastecimento de óleo (F) e volte a retirá-la.

3. O nível do óleo deverá estar entre as marcas H e L da vareta


de medição do nível de óleo (G).

4. Se o óleo estiver acima da marca H, drene o excesso pelo


bujão de dreno. Concluída essa operação, volte a verificar o
nível do óleo.

OBSERVAÇÕES
 A verificação do nível do óleo deverá ser feita com o motor desligado.
 Se a máquina estiver em uma rampa e você pretender verificar o nível do óleo, primeiro coloque-a na horizontal.

VERIFICAÇÃO DO CURSO DO PEDAL DO FREIO


Trafegue com a máquina, aplique o pedal do freio e verifique se a máquina pára.

VERIFICAÇÃO DO INDICADOR DE MANUTEN-


ÇÃO DO FILTRO DE AR
1. Verifique se a zona vermelha no diâmetro externo do pistão
amarelo do indicador de manutenção do filtro de ar (1) está
projetada para fora.
2. Se a zona vermelha do pistão amarelo estiver projetada para
fora, limpe ou substitua o elemento imediatamente.
Para detalhes sobre o método de limpeza do elemento, veja
“INSPEÇÃO, LIMPEZA E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO
DO FILTRO DE AR” (página 4-25)

3. Após inspecionar e limpar ou substituir o elemento do filtro de


ar, pressione o botão do indicador de manutenção do filtro de
ar (1) para retornar o pistão amarelo à sua posição original.
 Em ambientes onde a borracha se deteriora rapidamente
ou a superfície estraga (em contato direto com a luz solar,
áreas saturadas de poeira, etc.), substitua o elemento do
filtro de ar antes do mesmo sujar e com isso dificultar a
avaliação de seu estado.

3-98
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NO RESERVATÓRIO


HIDRÁULICO E COMPLETE, SE NECESSÁRIO

! ATENÇÃO
 Ao remover a tampa do bocal de abastecimento de óleo,
poderá esguichar óleo, portanto, antes de removê-la,
desligue o motor e espere a temperatura baixar, girando,
então, lentamente a tampa para aliviar a pressão no interior
do reservatório hidráulico.
 Se foi colocado óleo além da marca H, desligue o motor e
espere a temperatura do óleo hidráulico baixar, removendo,
então, o bujão de dreno (P) e soltando a válvula de dreno
(1) para drenar o excesso de óleo.

1. Baixe a lâmina ao solo e desligue o motor. Aguarde cerca de 5


minutos e só então verifique o nível do óleo. Ele deverá estar
entre as marcas H e L do visor (G).
Se a máquna for equipada com escarificador, coloque também
as pontas do escarificador no solo.

NOTA
Se o nível do óleo estiver acima da linha H, não coloque
mais óleo, do contrário, você poderá danificar o circuito de
pressão do óleo e provocar vazamento em grande quantidade
de óleo.

2. Se o nível do óleo estiver abaixo da marca L, complete com


óleo de motor através do bocal de abastecimento de óleo (F).
3. Depois de adicionar o óleo, certifique-se de ter colocado o
parafuso na tampa de abastecimento do óleo e rosqueá-lo.

OBSERVAÇÃO
Quando for verificar o nível do óleo e a máquina estiver em
uma rampa, coloque-a primeiro na horizontal e só então faça a
verificação.

3-99
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFICAÇÃO DA PARTE ELÉTRICA

! ATENÇÃO
 Se os fusíveis queimarem com freqüência ou houver indício de curto-circuito na fiação elétrica, identifique
a causa do problema e realize os reparos necessários ou procure o seu distribuidor Komatsu.
 O acúmulo de material inflamável (folhas secas, gravetos, grama, etc.) em torno da bateria pode causar
incêndio, portanto, inspecione regularmente a bateria e remova materiais desse tipo que estejam
acumulados nela.
 Mantenha a tampa superior da bateria limpa e inspecione o orifício do respiro da tampa da bateria. Caso
o mesmo esteja obstruído por sujeira ou poeira, lave a tampa da bateria para desobstruí-lo.

Verifique se algum fusível está danificado, se estão sendo usados fusíveis da amperagem especificada, se há
sinais de fios soltos, partidos, ou de curto-circuito na fiação elétrica e, ainda, se há terminais soltos, apertando os
terminais que porventura estejam soltos.
Examine com bastante atenção o estado dos circuitos elétricos da bateria, do motor de partida e do alternador.
Remova qualquer material inflamável acumulado em torno da bateria.
Caso encontre algum problema, peça ao seu distribuidor Komatsu que investigue a causa do mesmo e realize os
reparos necessários.

VERIFIQUE SE OS FARÓIS ACENDEM


1. Ligue a chave de partida.
DESL

LIG

PARTIDA

2. Ligue os faróis dianteiros e os faróis de trabalho colocando


o interruptor na posição (b) e verifique se os mesmos
acendem.

3. Ligue os faróis traseiros colocando o interruptor na posição


(b) e verifique se os faróis traseiros dos pára-lamas esquerdo
e direito acendem.
Se os faróis não acenderem, provavelmente há um bulbo
quebrado ou algum fio da parte elétrica solto. Nesse caso,
solicite os reparos necessários ao seu distribuidor Komatsu.

3-100
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE SE A BUZINA SOA


1. Ligue a chave de partida.
DESL

LIG

PARTIDA

2. Pressione o interruptor da buzina e verifique se a buzina soa.

3-101
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFIQUE SE O ALARME DE MARCHA A RÉ SOA


1. Ligue (B) a chave de partida.

2. Destrave (F) a alavanca do freio do estacionamento.

3. Ao mesmo tempo em que mantém o pedal do freio aplicado


até o fim do seu curso, coloque a alavanca joystick em RÉ (b).
O alarme sonoro deve soar imediatamente até que a alavanca
joystick seja movida para NEUTRO (N) ou AVANTE (a).
4. Tão logo confirme que o alarme sonoro está funcionando
corretamente, coloque a alavanca joystick em NEUTRO (N),
coloque alavanca de trava do freio de estacionamento na
posição de TRAVA (L) e tire o pé do pedal do freio.

3-102
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTES
AJUSTE DO ASSENTO DO OPERADOR

! CUIDADO
 Estacione a máquina em local seguro e desligue o motor durante o ajuste do assento do operador.
 Sempre ajuste o assento do operador antes de iniciar cada operação ou quando houver mudança de
turno de operadores.
 Ajuste o assento de modo que, recostado nele, você possa aplicar o pedal do freio até o fim de seu curso.

Os ajustes (C), (D) e (K) usam o compressor de ar que está na parte interna do assento, portanto quando for
necessário modificar algum destes ajustes, dê partida no motor.

NOTA
Existe o risco de acidente com o compressor de ar, portanto não opere a alavanca (3) continuamente por
mais de 1 minuto.

(A) Ajuste para frente e para trás


Puxe a alavanca (1) e coloque o assento em uma posição em que
seja fácil operar a máquina, soltando, então, a alavanca.
Curso para frente e para trás: 190 mm (10 mm x 19 estágios)

(B)Ajuste do reclino
Puxe a alavanca (2) para cima e ajuste o encosto em uma
posição que seja confortável para o operador, e em seguida
solte a alavanca.
Sente-se com as costas apoiadas no encosto quando fizer os
ajustes. Caso não apóie as suas costas no encosto, este poderá
mover-se subitamente para frente.
Quantidade de ajustes
Inclinação frontal: 3 estágios
Inclinação traseira: 11 estágios

(C) Ajuste de altura do assento


O ajuste de altura do assento é feito por meio de um sistema de ar que permite uma regulagem contínua, não-
gradual.
Ao fazer os ajustes de altura, puxe a alavanca (3) totalmente para cima ou empurre-a totalmente para baixo (ao
puxá-la para cima, faça-o até ouvir um estalo).
Assim que o assento for posicionado na altura desejada, libere a alavanca. Se a alavanca for mantida puxada para
cima, a posição em que o assento não mais se levantar será a sua altura máxima. Quando o assento alcança a
sua altura máxima, a suspensão se acomoda automaticamente para garantir o deslocamento da alavanca.
Se o operador levantar o seu corpo ou alterar de alguma forma o peso aplicado sobre o assento durante os
ajustes, o ar no sistema da suspensão poderá ser aliviado, comprometendo o processo de ajuste.
Total de ajuste: 80 mm.

(D) Ajuste do peso do assento


Para proteger o operador, é necessário o ajuste da suspensão para adaptar-se ao peso do operador. Durante o
ajuste, pare a máquina, ajuste o assento para uma postura correta, então opere a alavanca.
Puxe a alavanca (3) levemente uma curta distância. O ajuste da altura é feito automaticamente. (A pressão de ar
dentro da suspensão é aumentada ou diminuída para ajustar-se ao peso do operador).

3-103
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

(E) Ajuste longitudinal geral da almofada do assento


Mova a alavanca (4) para a direita para chegar à posição desejada e, então, solte a alavanca.
Curso de ajuste para frente e para trás do conjunto completo do assento do operador: 60mm

(F) Ajuste do ângulo de reclinação


Opere a alavanca (5) para cima e mova o encosto traseiro para frente ou para trás.
Aplicando seu próprio peso para ajustar o ângulo do encosto. Se suas costas não estiverem recostadas no en-
costo durante o ajuste, o assento poderá mover-se repentinamente para frente.
Quantidade de ajustes
Inclinação frontal: 20 estágios
Inclinação traseira: 60 estágios

NOTA
Se o encosto do assento estiver muito reclinado, o encosto poderá atingir o vidro traseiro, portanto re-
cline-o em uma posição que não atinja o vidro.

(G) Ajuste do encosto da cabeça


Mova o encosto para a cabeça para frente ou para trás para ajustá-lo no ângulo desejado.
Total de ajuste: 38 º

(H) Ajuste da altura do encosto para cabeça


Mova o encosto para cabeça para cima ou para baixo para ajustá-lo na altura desejada.
Total de ajuste: 100 mm

(I) Apoio Lombar


Gire o Botão (6) para ajustar o apoio para a região lombar.

(J) Ajuste da dureza do amortecedor da suspensão


É possível ajustar a dureza do amortecedor da suspensão com
o botão (7). Se o botão (7) estiver na direção do assento (a), a
suspensão torna-se dura; se o estiver na direção do assento (b),
a suspensão torna-se suave.
Quantidade de ajustes: 5 estágios.

3-104
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

USO DO CINTO DE SEGURANÇA


Quando se opera uma máquina equipada com estrutura ROPS, é imprescindível o uso do cinto de segurança.

! ATENÇÃO
 Antes de colocar o cinto de segurança, verifique se o tambor, a lingüeta, a fivela e o cinto estão em bom
estado.
Se o tambor, a lingüeta, a fivela ou o cinto estiverem gastos ou estragados, devem ser substituídos.
 Mesmo que o cinto esteja aparentemente em ordem, deve ser substituído a cada 3 anos. A data de fa-
bricação do cinto é indicada em seu verso.
 Ajuste e coloque o cinto de segurança antes de operar a máquina.
 Quando operar a máquina, use sempre o cinto de segurança.
 Ajuste o cinto de segurança ao seu abdome sem retorcê-lo.

OBSERVAÇÃO
A data de fabricação do cinto de segurança (em uma etiqueta presa ao cinto) indica o início do período de 5 anos,
e não o início do período de 3 anos de uso.

COMO COLOCAR E RETIRAR O CINTO DE SEGURANÇA


1. Sente-se no assento, pise o pedal do freio até o fim de seu
curso, e ajuste o assento de modo que suas costas fiquem
recostadas no recosto do assento.
2. Sente-se no acento, puxe o cinto e introduza a lingueta (1) na
fivela (2) até ouvir um clique. Puxe o cinto para certificar-se
de que está travado.
3. Para remover o cinto, pressione o botão vermelho existente na
fivela (2). O cinto será automaticamente recolhido pelo tambor.

Verifique se os parafusos de fixação da fivela e do tambor estão soltos, reapertando-os, se houver necessidade.
Torque de aperto: 24,5 ± 4,9 Nm (2,5 ± 0,5 kgfm, 18,1 ± 3,6 libras-pé)
Se o cinto estiver esfolado ou esgarçado ou alguma das peças do cinto de segurança estiver quebrada ou defor-
mada em razão do uso prolongado, substitua o cinto de segurança imediatamente.

3-105
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTE DO ESPELHO RETROVISOR

! ATENÇÃO
Certifique-se de ajustar os espelhos antes de iniciar os trabalhos. Caso não estejam ajustados corretamente,
sua visibilidade ficará comprometida e você poderá causar danos materiais ou ferir alguém gravemente.

Solte a porca (1) do espelho retrovisor e ajuste sua posição de


forma que, sentado no assento do operador, você tenha uma
ampla visão da traseira.
Ajuste o espelho retrovisor de maneira que você tenha uma boa
visão das pessoas que estiverem trabalhando nas laterais trasei-
ras esquerda e direita da máquina.

AJUSTE DA ALAVANCA JOYSTICK (ALAVANCA PCCS)

! ATENÇÃO
Após mover a carcaça (2) para ajustar a posição da alavanca de controle do sentido de deslocamento, da
direção e mudança de marchas, verifique se a alavanca de trava (1) está firmemente encaixada no orifício
do entalhe ao prendê-la. Se ela não estiver travada, a alavanca de controle do sentido de deslocamento,
da direção e mudança de marchas poderá mover-se inesperadamente e causar danos materiais ou ferir
gravemente você.

O curso de ajuste da alavanca de controle do sentido de deslocamento, da direção e mudança de marchas é de


100 mm em 5 estágios, para frente ou para trás. Ajuste-a do modo que melhor se adapte à posição do assento
do operador.
1. Puxe para cima a alavanca de trava (1) existente na traseira da
carcaça (2) no lado esquerdo do compartimento do operador
e destrave-a.
2. Mantendo a alavanca de trava (1) puxada para cima, use sua
outra mão para segurar a dianteira da carcaça (2) e mova-a
para frente com as duas mãos. A alavanca joystick move-se
junto com a carcaça (2).

3. Mova a alavanca joystick até a posição desejada e, quando


ouvir um clique, puxe a alavanca de trava (1) para cima e
solte-a. A alavanca de trava (1) trava automaticamente.
(a) Avante
(b) Ré

OBSERVAÇÃO
PCCS: Sistema de controle por comando manual.

3-106
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTE DOS DESCANSOS DOS BRAÇOS


A altura dos descansos dos braços localizados nos lados esquerdo e direito do assento do operador pode ser
ajustada em 3 posições. Após ajustar o assento do operador, regule a altura dos descansos dos braços.

AJUSTE DO DESCANSO DO BRAÇO DIREITO


O descanso do braço (1) no lado direito do assento do operador pode ser ajustado 30 mm para cima ou 30 mm
para baixo em relação à altura padrão (centro), em três estágios.

1. Solte o botão (2) (dois lugares).

2. Mova o recosto do assento do operador para frente e alinhe a


posição dos 3 orifícios (descanso do braço alto (H), no centro (M)
ou baixo (L)).
3. Aperte bem o botão (2) (dois lugares).

3-107
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTE DO DESCANSO DO BRAÇO ESQUERDO


O descanso do braço no lado esquerdo do assento do operador pode ser ajustado em 2 alturas

1. Ajuste da altura do descanso do braço e da carcaça da


direção
É possível ajustar a altura padrão 50 mm para cima ou
50 mm para baixo de forma não escalonada.
A alavanca de controle do sentido de deslocamento, da
direção e mudança de marchas move-se junto com o
descanso do braço.
Gire o botão de ajuste do descanso do braço esquerdo (1)
para ajustar a altura do descanso do braço esquerdo para
cima ou para baixo da seguinte forma:
Para SUBIR o descanso do braço esquerdo, gire o botão
no sentido HORÁRIO.
Para DESCER o descanso do braço esquerdo, gire o botão
no sentido ANTI-HORÁRIO.

2. Ajuste unicamente da altura do descanso do braço esquerdo


O descanso do braço esquerdo pode ser ajustado até 36
mm para cima em relação à superfície de contato dele com a
carcaça da direção, de modo não escalonado.
Nessa modalidade de ajuste, a alavanca de controle do senti-
do de deslocamento, da direção e mudança de marchas não
acompanha o movimento do descanso do braço esquerdo.
Abra o descanso do braço esquerdo e gire o botão (2) no
sentido anti-horário para ajustar a altura.
Apenas o descanso do braço esquerdo irá subir. Após ajustá-lo
na altura desejada, feche-o
3. Ajuste otimizado do descanso do braço sob o ponto de vista
ergonômico.
Ajustando-se o descanso de braço criteriosamente ao físico do
operador, ele poderá operar corretamente a alavanca joystick,
garantindo, assim, precisão nos comandos e alta capacidade
de manobra da máquina, tudo isso com conforto e mínima
fadiga. Assim sendo, este é o roteiro para o ajuste do descanso
dos braços:

1) Sente-se no assento do operador, segure a alavanca joys-


tick e gire o botão de ajuste de altura (1) para ajustar a altura
do conjunto do console de forma que você consiga apoiar
o cotovelo em cima do descanso do braço, como mostra a
ilustração à direita.
2) Feito isso, mova a alavanca joystick para a esquerda e a
direita e gire o botão (2) para ajustar o descanso do braço em
uma altura compatível com a espessura do braço do operador,
a fim de garantir-lhe a livre movimentação da alavanca joys-
tick para a esquerda e a direita usando o cotovelo apoiado à
frente.

3-108
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OPERAÇÕES E VERIFICAÇÕES ANTES


DA PARTIDA
! ATENÇÃO
 Antes de dar a partida, verifique se a alavanca de segurança (4)
e a alavanca do freio de estacionamento (1) estão travadas.
Se as alavancas de controle não estiverem travadas e
forem tocadas acidentalmente quando você for dar a
partida, o equipamento de trabalho poderá mover-se
bruscamente e ferir gravemente ou matar alguém.
 Sempre que levantar-se do assento para deixar a cabina,
primeiro trave a alavanca de segurança, esteja ou não o
motor em funcionamento.

(Para máquinas com especificação para mineração)

 Verifique se o interruptor de isolamento da bateria e o interrup-


tor de isolamento do motor de partida estão na posição (ON)
LIGADO. (item opcional)

1. Verifique se a alavanca do freio de estacionamento (1) está


na posição TRAVADO (L), pois, se não estiver, você não con-
seguirá dar a partida.

Livre

3-109
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

2. Verifique se a alavanca joystick (2) está em primeira.


N
AVANTE

OBSERVAÇÃO
Se a alavanca joystick (2) não estiver na posição N, você não conseguirá dar a partida.
Quando a alavanca joystick (2) está em AVANTE ou RÉ, a letra P pisca no painel indicador A.

3. Verifique se a lâmina está baixada ao solo e a alavanca de


controle da lâmina (3) está na posição MANTER (b).

4. Verifique se o escarificador está baixado ao solo.

5. Verifique se a alavanca de segurança (4) está travada.

Livre

Travada

3-110
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PARTIDA
PARTIDA NORMAL
! ATENÇÃO
 Verifique se há pessoas ou obstáculos nas proximidades da máquina, soe a buzina e dê a partida.
 Os gases desprendidos pelo escapamento são tóxicos. Quando for dar a partida em recintos fechados,
primeiro providencie ventilação adequada.

NOTAS
 Não mantenha o motor de partida por mais de 20 segundos
seguidos em funcionamento.
 Se o motor não pegar, espere no mínimo 2 minutos antes de
reiniciar o processo de dar a partida a partir do passo 2.

1. Gire o botão de controle de combustível para a posição


MIN.
 Se o botão estiver na posição MÁX. sempre mude para a
posição MÍN.

2. Gire a chave de partida (2) até a posição PARTIDA (C).


O motor irá dar partida.

3. Quando o motor der partida, solte a chave no interruptor


de partida (2). A chave irá retornar automaticamente para
a posição ligado (B).

3-111
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PARTIDA EM CLIMA FRIO

! ATENÇÃO
 Você deverá dar a partida apenas sentado no assento do
operador.
 Não coloque o motor de partida em curto-circuito para dar
a partida, do contrário haverá risco de incêncio ou alguém
poderá se ferir com gravidade.
 Verifique se há pessoas ou obstáculos nas proximidades
da máquina, soe a buzina e só então dê a partida.
 Nunca use aditivos de partida para dar a partida, pois há
risco de explosão.
 Os gases de escapamento desprendidos pelo motor são
venenosos. Providencie ventilação adequada antes de dar
a partida em recintos fechados.

NOTAS
 Não vire o motor de partida continuamente por mais de 20
segundos. Se o motor não pegar, espere um tempo mínimo
de 2 minutos e reinicie o procedimento a partir do passo 2.
 Antes de dar a partida, verifique se o botão de controle do
combustível encontra-se na posição de marcha lenta (MIN).
 Se o botão de controle do combustível estiver na posição
de rotação máxima ((FULL) o motor acelerará bruscamente
e terá várias de suas peças danificadas, portanto, coloque-o
em rotação intermediária ou em baixa rotação.
 Esta máquina, para a proteção dp turboalimentador, conta
com uma função de proteção desse componente. Em clima
frio, mesmo movendo-se o botão de controle do com-
bustível (1) assim que o motor pegar na partida, a rotação
do motor poderá não variar por alguns segundos.

1. Coloque o botão de controle do combustível (1) na posição


intermediária entre MARCHA LENTA E MÁXIMA ROTAÇÃO.

2. Coloque a chave de partida (2) em PARTIDA.

3-112
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

3. Verifique se a luz piloto de preaquecimento (3) do painel mo-


nitor está acesa.
Se a luz piloto de preaquecimento não acender, vá para o
passo 5.

4. Mantenha a chave de partida nessa posição até a luz piloto


de preaquecimento (3) apagar.
(O preaquecimento é completado depois de aproximadamente
12 segundos, após isso a luz se apaga).

5. Quando a luz piloto de preaquecimento (3) apagar, gire a chave


de partida (2) para a posição PARTIDA (C) para dar a partida.
O tempo em que a luz piloto de preaquecimento (3) permanece
acesa varia de acordo com a temperatura ambiente, conforme
mostra a tabela abaixo.

Temperatura ambiente Tempo de preaquecimento


0 ºC a - 20 ºC 20 a 40 segundos
-20 ºC ou menos 40 segundos

6. Quando o motor pegar, solte a chave de partida (2). Ela retor-


nará automaticamente à posição LIG.

OBSERVAÇÃO
Assim, que der a partida, funcione o motor em marcha lenta, sem acionar, durante esse período, o pedal acelerador
ou operar o equipamento de trabalho.
Tempos em que o motor deverá permanecer funcionando em marcha lenta:
 Clima frio: 15 segundos no mínimo
 Primeira partida após a troca do óleo ou do filtro do óleo do motor: 20 segundos

3-113
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

7. Quando a rotação do motor estabilizar, retorne o botão de controle do combustível (1) à posição MIN (marcha
lenta) e realize a operação de aquecimento.

OBSERVAÇÕES
 Seja qual for a temperatura ambiente, girando-se a chave de partida (2) da posição DESL para a esquerda, a
luz piloto de preaquecimento (3) acende e o preaquecimento tem início, prosseguindo enquanto a chave de
partida for mantida nessa posição.
Para saber detalhes sobre o tempo de preaquecimento, veja a tabela no passo 5.
 Quando está sendo executado o preaquecimento, a luz piloto de preaquecimento (3) acende acusando essa
operação. O pré-aquecimento é concluído em 45 segundos.
 Se, mesmo observado à risca o procedimento acima, o motor não pegar, aguarde cerca de 2 minutos e repita
a operação a partir do passo 2.
 Abaixo, fornecemos a relação entre o tempo de atuação da função de proteção do turboalimentador e a tem-
peratura do líquido de arrefecimento do motor.
Mesmo operando-se o botão de controle do combustível dentro dos tempos dados abaixo, a rotação do motor
não apresentará variação.

Temperatura de atuação da
Temperatura do líquido de
função de proteção do
arrefecimento do motor
turboalimentador (s)
> 10 ºC 0
10 a -10 ºC 0 a 25
< - 10 ºC 25

Função de proteção do turboalimentador


A função de proteção do turboalimentador é de proteger o turboalimentador mantendo a rotação do motor no
máximo a 1000 rpm imediatamente depois de ter dado a partida no motor.
 Em clima frio, a função de -proteção do turboalimentador é ativada, mantendo-se, portanto, a rotação do motor
em 1000 rpm ou menos durante alguns segundos, dos os quais passa a ser definida pela posição do botão de
controle do combustível.
 Quando a proteção do turboalimentador esta acionada, a rotação do motor é mantida a 1000 rpm, indepen-
dente da posição do botão de controle de combustível.

3-114
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

COMO DAR A PARTIDA EM MÁQUINAS DOTADAS DE SISTEMA DE PRELUBRIFICAÇÃO

! ATENÇÃO
 Você deverá dar a partida apenas sentado no assento do operador.
 Não coloque o motor de partida em curto-circuito para dar a partida, do contrário haverá risco de incêncio
ou alguém poderá se ferir com gravidade.
 Verifique se há pessoas ou obstáculos nas proximidades da máquina, soe a buzina e só então dê a
partida.
 Nunca use aditivos de partida para dar a partida, pois há risco de explosão.
 Os gases de escapamento desprendidos pelo motor são venenosos. Providencie ventilação adequada
antes de dar a partida em recintos fechados.

NOTAS
 Não vire o motor de partida continuamente por mais de 20
segundos. Se o motor não pegar, espere um tempo mínimo
de 2 minutos e reinicie o procedimento a partir do passo 2.
 Antes de dar a partida, verifique se o botão de controle
do combustível encontra-se na posição de marcha lenta
(MIN).
 Se o botão de controle do combustível estiver na posição
de rotação máxima ((MÁX.) o motor acelerará bruscamente
e terá várias de suas peças danificadas, portanto, coloque-o
em rotação intermediária ou em baixa rotação.

1. Coloque o botão de controle do combustível (1) na posição


de marcha lenta (MIN). Se o botão estiver na posição MAX,
sempre mude para posição de marcha lenta (MIN).

2. Coloque a chave de partida (2) e gire para a posição (ON)


(B).

3-115
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

3. O indicador de marcha do painel monitor (4) exibe configura-


ções de leitura diferenciadas, conforme mostra a ilustração à
direita:
(A): Alavanca de trava na posição de segurança
(B):Visor de cristal líquido piscando: é necessária prelubrifica-
ção

4. Coloque a chave de partida (2) na posição PARTIDA (C) e


então, na posição LIG (D). Soltando-se a chave de partida
da posição PARTIDA (C), ela retornará automaticamente à
posição LIG (D).

5. O indicador de marcha do painel monitor (4) exibe nova con-


figuração de leitura informando que a operação de prelubrifi-
cação está em curso, conforme mostra a ilustração à direita.
(B) Enquanto está aceso, a operação de prelubrificação
encontra-se em curso.

6. O tempo de finalização da operação de prelubrificação


varia entre aproximadamente 5 e 60 segundos. Terminada
a prelubrificação, o indicador de marcha do painel monitor
(4) exibe uma configuração de leitura diferenciada, conforme
mostra a ilustração à direita.
(O tempo de finalização da operação de prelubrificação varia
em função da temperatura ambiente e da temperatura do óleo
do motor).

Quando apaga, a operação de prelubrificação está finalizada.

7. Verifique se aluz piloto de preaquecimento (3) do painel moni-


tor está acesa.
Se a luz piloto de preaquecimento não acender, pule para o
passo 9.

3-116
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

8. Mantenha essa condição até a luz piloto de preaquecimento


(3) apagar.
(O preaquecimento é finalizado após cerca de 12 segundos
e a luz piloto apaga).

9. Quando a luz piloto de preaquecimento (3) apagar, coloque


a chave de partida (2) em PARTIDA (C) para acionar o motor
de partida do motor.
A luz piloto de preaquecimento (3) permanece acesa durante
o tempo determinado pela temperatura ambiente, conforme
as informações da tabela abaixo:

Temperatura ambiente Tempo de preaquecimento


0º a - 10º C 0 a 15 segundos
-10º a - 20º C 15 a 30 segundos
-20º a - 30º C 30 a 45 segundos
< -30º C 45 segundos

10. Quando o motor pegar, solte a chave de partida (2). Ela


retomará automaticamente à posição LIG.

OBSERVAÇÃO
Assim, que der a partida, funcione o motor em marcha lenta, sem acionar, durante esse período, não acione o
pedal acelerador ou o equipamento de trabalho.
Tempos de marcha lenta do motor:
 Clima frio: 15 segundos (mínimo)
 Primeira partida após a troca do óleo ou do filtro do óleo do motor: 20 segundos

3-117
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

11. Quando a rotação do motor estabilizar, recoloque o botão de controle do combustível (1) na posição de marcha
lenta (MIN) e passe para a operação de aquecimento.

OBSERVAÇÕES
 Seja qual for a temperatura ambiente, girando-se a chave de partida (2) da posição DESL para a esquerda, a
luz piloto de preaquecimento (3) acende e o preaquecimento tem início, prosseguindo enquanto você manter
a chave de partida nessa posição.
Para detalhes sobre o tempo de preaquecimento, consulte a tabela no passo 9.
 Durante a operação do preaquecimento, a luz piloto de preaquecimento (3) permanece acesa informando que
o preaquecimento está em curso. O preaquecimento é finalizado dentro do tempo máximo de 45 segundos.
 Se, aplicando o procedimento que acabamos de descrever, você não conseguir dar a partida, espere no mínimo
dois minutos e reinicie a operação a partir do passo 2.
 Mantendo-se a condição do passo 4 por mais de 60 segundos, o indicador de marcha (3) retornará à condição
do passo 2.
 Surgindo algum dos problemas abaixo, contate o seu distribuidor Komatsu.

Problema Leitura do indicador de marcha Causas principais


Interruptor de pressão do óleo desconectado
PE
O motor não dá partida Pane no motor
(pisca)
Pane no relé do motor
Concluída a operação de prelubrificação, Po A pressão especificada do óleo não
o sistema volta a acusar a necessidade (pisca) é alcançada em 60 segundos
de prelubrificação

3-118
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OPERAÇÕES E VERIFICAÇÕES APÓS A PARTIDA


! ATENÇÃO
 Se ocorrer algum problema ou anormalidade, desligue a chave de partida.
 Caso o equipamento de trabalho seja operado sem que a máquina esteja suficientemente aquecida, a
resposta do mesmo aos movimentos da alavanca de controle será lenta, além do que ele poderá não
corresponder aos comandos do operador. Portanto, é importante realizar a operação de aquecimento,
principalmente em regiões de clima frio.

AMACIAMENTO DA MÁQUINA

IMPORTANTE
A sua máquina Komatsu foi completamente ajustada e testada antes de embarcada na fábrica. Contudo,
uma utilização inicial da máquina em condições severas pode comprometer os rendimentos e reduzir a sua
vida útil. Efetue sempre o amaciamento da máquina nas primeiras 100 horas de funcionamento (indicadas
pelo horímetro).

Certifique-se de ter entendido completamente o conteúdo deste manual. Ao amaciar a máquina, preste muita
atenção aos pontos indicados a seguir.
• Funcione o motor em marcha lenta por 15 segundos após a partida. Durante esse intervalo, não opere as
alavancas de controle ou o botão de controle de combustível.
• Após a partida, deixe o motor funcionando por, no mínimo, 5 minutos.
• Evite operações que exijam cargas excessivas ou velocidade elevada.
• Logo após a partida do motor, evite arrancadas ou acelerações súbitas, travagens repentinas inúteis e conversões
bruscas.

OPERAÇÕES DE AQUECIMENTO
IMPORTANTE
• Não efetue operações nem mova as alavancas
dos comandos de repente com o óleo hidráulico
a baixa temperatura. Efetue sempre o processo
de aquecimento do motor até que o monitor de
temperatura do óleo hidráulico atinja a faixa verde.
Este procedimento irá prolongar a vida útil da
máquina.
• Não funcione o motor em rotação mínima ou
máxima por mais de 20 minutos seguidos, pois
poderá causar vazamentos de óleo pela tubulação
de alimentação de óleo do turbocompressor.
• Se for necessário funcionar o motor em regime
mínimo, aplique de vez em quando uma carga ou
funcione o motor a velocidade média.
• Se a luz de advertência da pressão do óleo do
motor (3) começar a piscar ou o alarme soar
intermitentemente, desligue o motor e verifique a
causa.

3-119
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

1. Gire o botão de controle do combustível (1) até a posição in-


termediária entre MARCHA LENTA (MIN) e ALTA ROTAÇÃO
(MAX) e funcione o motor em média rotação durante cerca
de 5 minutos sem carga.

2. Completado o aquecimento, verifique se os instrumentos, luzes


e indicadores acusam algum problema. Havendo qualquer
anormalidade, providencie o seu reparo. Continue a funcionar o
motor com carga leve até o indicador da temperatura do líquido
de arrefecimento do motor (2) entrar na escala verde (B).
(A): Escala branca
(B): Escala verde
(C): Escala vermelha

3. Verifique se a cor dos gases desprendidos pelo escapamento está normal, e, ainda, se há algum odor ou vibração
estranho. Havendo qualquer anormalidade, procure o seu distribuidor Komatsu.

3-120
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

EM CLIMA FRIO
(OPERAÇÃO DE AQUECIMENTO AUTOMÁTICO)
Esta máquina está equipada com o recurso do aquecimento automático.
• Quando é dada a partida e a temperatura do líquido de arrefecimento do motor encontra-se baixa (abaixo de
30 ºC), a operação de aquecimento é automaticamente executada.
• A operação de aquecimento automático é concelada se a temperatura do líquido de arrefecimento do motor
atinge a temperatura especificada (30 ºC) ou se a operação de aquecimento tiver se estendido por um período
de tempo de 10 minutos. Caso a temperatura do líquido de arrefecimento do motor ou a temperatura do óleo
hidráulico estejam baixas depois de realizada a operação de aquecimento automático, promova um aquecimento
adicional do motor, utilizando-se, para tanto, do procedimento que passaremos a descrever.

1. Gire o botão de controle do combustível (1) até a posição


intermediária entre as posições de MARCHA LENTA (MIN) e
ALTA ROTAÇÃO (MAX) e funcione o motor durante cerca de
10 minutos em média rotação sem carga.

2. Coloque a alavanca de controle da lâmina (4) na posição


ELEVAR, e, mantendo a lâmina elevada na altura máxima,
continue a aliviar o circuito por 10 minutos.

3. Finalmente, opere a alavanca de controle da lâmina (4) e a


alavanca de controle do escarificador diversas vezes para
acionar os cilindros da lâmina e do escarificador.
Se o óleo do equipamento de trabalho não estiver
suficientemente aquecido, o equipamento de trabalho e o
sistema direcional responderão com atraso aos comandos.

(a) Elevar (e) Inclinação para esquerda


(b) Manter (f) Inclinação para direita
(c) Baixar (g) Aumentar ângulo de escavação
(d) Flutuar (h) Reduzir ângulo de escavação

4. Concluído o aquecimento, verifique se os instrumentos, luzes


e indicadores acusam algum problema. Havendo qualquer
anormalidade, providencie o seu reparo.
Continue a funcionar o motor com carga leve até o indicador
da temperatura do líquido de arrefecimento do motor (2) entrar
na escala verde (B).
(A): Escala branca
(B): Escala verde
(C): Escala vermelha

OBSERVAÇÃO
Se o óleo do trem de força não estiver suficientemente aquecido,
a aceleração até a rotação máxima demorará mais tempo.

5. Verifique se a cor dos gases desprendidos pelo escapamento


está normal, bem como se há odor ou vibração estranho. En-
contrando qualquer anormalidade, procure o seu distribuidor
Komatsu.

3-121
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

DESLIGANDO O MOTOR
NOTAS
Desligando-se o motor bruscamente antes dele esfriar,
sua vida útil poderá ser bastante reduzida. Portanto,
nunca desligue o motor dessa forma, a não ser em uma
emergência.
No caso específico do motor ter superaquecido, não o
desligue bruscamente. Primeiro funcione-o em média rotação
para que ele esfrie gradualmente para então desligá-lo.

1. Coloque o botão de controle do combustível (1) na posição


MIN (marcha lenta) e funcione o motor em marcha lenta
durante cerca de 5 minutos para que ele possa esfriar
gradualmente.

2. Coloque a chave de partida (2) na posição DESL (A), des-


ligue o motor.

3. Retire a chave da partida (2)

3-122
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

ARRANCANDO COM A MÁQUINA


! ATENÇÃO
 Antes de arrancar com a máquina, verifique se a área
próxima da máquina oferece segurança e soe a buzina.
 Não deixe ninguém se aproximar da máquina.
 Existe uma área na traseira da máquina que não pode ser
vista do assento do operador, portanto, tome bastante
cuidado ao trafegar em ré.
 Quando arrancar com a máquina em uma rampa, mantenha
sempre o pé no pedal do freio (8) mesmo depois de
destravar a alavanca do freio de estacionamento (1).
 Quando arrancar com a máquina e for subir uma rampa
de inclinação acentuada, gire o botão de controle do
combustível (5) totalmente para a direita para funcionar
o motor na rotação máxima e mantenha o pedal do freio
(8) e o pedal desacelerador (6) aplicados. Mova, então,
a alavanca de controle do sentido de deslocamento, da
direção e mudança de marchas (4) da posição N para a
direção em que desejar mover a máquina e vá tirando
lentamente o pé do pedal do freio (8). Quando a velocidade
de deslocamento aumentar, vá tirando lentamente o pé do
pedal desacelerador (6).

1. Destrave (F) a alavanca do freio de estacionamento (1).

2. Destrave (F) a alavanca de segurança (2) da alavanca do


equipamento de trabalho.

Livre

Travada

3-123
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

3. Coloque a alavanca de controle da lâmina (3) e a alavanca de


controle do escarificador (4) na posição ELEVAR (a), elevando,
então, a lâmina 40 a 50 cm acima do solo e levantando o
escarificador na altura máxima do chão.

4. Gire o botão de controle do combustível (5) até a posição MAX


(rotação máxima), aumente a rotação do motor e pise o pedal
desacelerador (6) até o fundo.

5. Mova a alavanca joystick (7) para a posição AVANTE ou RÉ,


vá tirando gradualmente o pé do pedal desacelerador (6) e deixe
a máquina arrancar.

3-124
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PARANDO A MÁQUINA
! ATENÇÃO
 Evite paradas bruscas. Vá parando a máquina devagar,
percorrendo uma boa distância até pará-la totalmente.

1. Pise o pedal do freio (1) para parar a máquina.

NOTA
Se o pedal do freio for aplicado com o motor a alta rotação ou a
máquina trafegando a uma velocidade elevada, o disco do freio
poderá emitir um ruído estranho. O procedimento normal antes
de aplicar o freio é reduzir a rotação do motor e a velocidade de
deslocamento usando o pedal desacelerador (3).

2. Coloque a alavanca joystick (2), pise no pedal do freio (1)


mais profundamente e pare a máquina.

3-125
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MUDANÇA DE MARCHAS
Não é necessário parar a máquina para mudar de marcha.
1. Para mudar de marcha, basta colocar a alavanca joystick (1)
na marcha desejada.

MUDANDO DE MARCHA
 Quando a alavanca joystick está na posição AVANTE ou RÉ e o
interruptor (a) ou o interruptor (b) é pressionado, a transmissão F
muda de marcha. R
Interruptor de AUMENTO DE MARCHA (a): A cada vez que este
interruptor é pressionado, a transmissão sobe uma marcha.
Interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA (b): A cada vez que este
interruptor é pressionado, a transmissão reduz uma marcha.

 Quando a alavanca é empurrada da posição N (neutro) para frente (para a posição AVANTE), a transmissão
passa para F1 (primeira marcha avante).
Pressionando-se o interruptor de AUMENTO DE MARCHA uma vez com a transmissão em F1 (primeira marcha
avante), esta passa para F2 (segunda marcha avante).
Pressionando-se o interruptor de AUMENTO DE MARCHA uma vez com a transmissão em F2 (segunda marcha
avante), esta passa para F3 (terceira marcha avante).
Pressionando-se o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA uma vez com a transmissão em F3 (terceira marcha
avante), esta passa para F2 (segunda marcha avante).
Pressionando-se o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA uma vez com a transmissão em F2 (segunda marcha
avante), esta passa para F1 (primeira marcha avante).
 Quando a alavanca é puxada da posição N (neutro) para trás (para a posição RÉ), a transmissão passa para
R1 (primeira marcha a ré).
Pressionando-se o interruptor de AUMENTO DE MARCHA uma vez com a transmissão em R1 (primeira marcha
a ré), esta passa para R2 (segunda marcha a ré).
Pressionando-se o interruptor de AUMENTO DE MARCHA uma vez com a transmissão em R2 (segunda marcha
a ré), esta passa para R3 (terceira marcha a ré).
Pressionando-se o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA uma vez com a transmissão em R3 (terceira marcha
a ré), esta passa para R2 (segunda marcha a ré).
Pressionando-se o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA uma vez com a transmissão em R2 (segunda marcha
a ré), esta passa para R1 (primeira marcha a ré).

Para saber detalhes sobre a velocidade máxima em cada marcha, veja ESPECIFICAÇÕES (página 5-2).

OBSERVAÇÃO
O painel indicador exibe a marcha que está sendo usada no
momento.
Por exemplo:
Neutro: o painel indicador A (2) exibe N.
SEGUNDA MARCHA AVANTE: o painel indicador A (2) exibe F2.
TERCEIRA MARCHA A RÉ: o painel indicador A (2) exibe R3.
Quando a alavanca do freio de estacionamento está travada, o
painel indicador exibe P.

3-126
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MUDANÇA DE MARCHA SELECIONANDO-SE O


MODO DE MUDANÇA AUTOMÁTICA DE MARCHA
 Na seleção do modo de mudança automática de marcha,
a marcha selecionada é informada previamente no painel
indicador no lugar de N.
 Com a alavanca joystick na posição N, a seleção do modo
de mudança automática de marcha pode ser feita pressio-
nando-se o interruptor de AUMENTO DE MARCHA (a) ou
o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA (b).

 O modo de mudança automática de marcha selecionado


é informado pelas luzes indicadoras do modo de mudança
automática de marcha existentes no painel indicador
multiinformativo.

 Operação de mudança de marcha com o modo de mudança automática de marcha programado para [F1-R2]
Com a alavanca joystick na posição N, pressionando o interruptor de AUMENTO DE MARCHA uma vez você
programa o modo de mudança automática de marcha para [F1-R2]. Nessa condição, empurrando-se a alavanca
joystick para frente (para a posição AVANTE), a transmissão passa para F1. Puxando-se a alavanca para trás
(para a posição RÉ), a transmissão passa automaticamente de R1 para R2.

 Operação de mudança de marcha com o modo de mudança automática de marcha programado para [F2-R2]
Com a alavanca joystick na posição N, pressionando o interruptor de AUMENTO DE MARCHA duas vezes,
você programa o modo de mudança automática de marcha para [F2-R2]. Nessa condição, empurrando-se a
alavanca joystick para frente (para a posição AVANTE), a transmissão passa de F1 para F2. Puxando-se a
alavanca para trás (para a posição RÉ), a transmissão passa automaticamente de R1 para R2.

3-127
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OBSERVAÇÕES
 Mesmo com o modo de mudança automática de marcha programado para [F1-R1], [F1-R2] ou [F2-R2], o modo
de mudança manual de marcha pode ser executado normalmente pressionando-se o interruptor de AUMENTO
DE MARCHA ou o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA.
Por exemplo: Com o modo de mudança automática de marcha programado para [F1-R2], se você empurrar a
alavanca joystick para frente (para a posição AVANTE) a transmissão passa para F1. Entretanto, se
você manter a alavanca empurrada para frente e pressionar o interruptor de AUMENTO DE MARCHA
(a) uma vez, a transmissão passa para F2. Pressionando o interruptor de AUMENTO DE MARCHA
duas vezes, a transmissão passa para F3. Quando a transmissão está em F3 e você pressiona o
interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA (b) uma vez, a transmissão passa para F2. Pressionando o
interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA duas vezes, a transmissão passa para F1.
Por outro lado, se você puxar a alavanca joystick para trás (para a posição RÉ), a transmissão passa
automaticamente de R1 para R2. Entretanto, se você manter a alavanca puxada para trás e pressionar
o interruptor de AUMENTO DE MARCHA (a) uma vez, a transmissão passa para R3. Pressionando
o interruptor de REDUÇÃO DE MARCHA (b) uma vez, a transmissão passa para R1.
A programação do modo de mudança automática de marcha mantém-se, contudo, inalterada para
[F1-R2]. Se você recolocar a alavanca de controle do sentido de deslocamento, da direção e mudança
de marchas em N e empurrá-la, então, para frente (para a posição AVANTE), a transmissão passa
para F1, e se puxá-la para trás (para a posição RÉ), a transmissão passa automaticamente de R1
para R2.

OBSERVAÇÃO
Quando a chave de partida é desligada, o modo de mudança automática de marcha retorna a [F1-R1] (programação
padrão).

3-128
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

FUNÇÃO DE REDUÇÃO AUTOMÁTICA DE MAR-


CHA
Com essa função ativada, se a velocidade de deslocamento cair
em razão das condições da carga ao trafegar com a máquina, a
transmissão passa automaticamente para uma marcha menor.
Esta função é ativada colocando-se o interruptor de redução au-
tomática de marcha (2) existente no painel de instrumentos do
compartimento do operador na posição LIG (ON).

Posição DESL (a): Função de redução automática de marcha


cancelada
Posição LIG (b): A transmissão passa automaticamente para
uma marcha menor.

Com a função de redução automática de marcha ativada, a


transmissão passa automaticamente de F2 para F1, F3 para F2,
R2 para R1 e R3 para R2.

3-129
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OBSERVAÇÕES
 Por razões de segurança, estando a função de redução
automática de marcha ativada a transmissão não consegue
subir de marcha.
 Caso deseje subir de marcha, use o controle manual e
pressione o interruptor de AUMENTO DE MARCHA da
alavanca de controle do sentido de deslocamento, da direção
e mudança de marchas.

3-130
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

INVERTENDO O SENTIDO DE
DESLOCAMENTO DE AVANTE PARA RÉ
OU VICE-VERSA
! ATENÇÃO
Antes de inverter o sentido de deslocamento de AVANTE
para RÉ ou vice-versa, verifique primeiro se o percurso que
a máquina irá percorrer oferece segurança.

! CUIDADO
Mesmo quando inverter o sentido de deslocamento de AVANTE
para RÉ ou vice-versa, não é necessário parar a máquina.
Entretanto, para garantir maior segurança, aumentar o
conforto e prolongar a vida útil da transmissão, funcione o
motor na rotação máxima e mantenha sempre o pé no pedal
desacelerador para reduzir a rotação do motor quando inverter
o sentido de deslocamento de avante para ré ou vice-versa.

1. Pise o pedal desacelerador (1) e reduza a rotação do motor.

2. Retorne a alavanca joystick (2) para neutro, reduza a


velocidade e pise o pedal do freio (3) para parar a máquina. F
R

3. Após aplicar o pedal desacelerador (1), mova a alavanca


joystick (2) para a posição desejada.

(F) Avante
(N) Neutro
(R) Ré

3-131
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

4. Tire o pé do pedal desacelerador (1) para aumentar a rotação


do motor.

OBSERVAÇÃO
Quando a alavanca joystick é puxada para trás para a posição
de RÉ, o alarme de marcha a ré soa.

3-132
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MANOBRANDO A MÁQUINA
! ATENÇÃO
 Evite manobrar a máquina em uma rampa.
Quando é manobrada, a máquina tende a derrapar, portanto, redobre o cuidado ao manonbrá-la em
terreno fofo ou argiloso.
 Nunca faça uma curva pivotada em alta velocidade.

MANOBRA NORMAL
Para manobrar a máquina enquanto trafega com ela, incline
a alavanca joystick (1) para o lado que deseja que a máquina
se desloque.

MANOBRA GRADUAL PARA A ESQUERDA COM


A MÁQUINA DESLOCANDO-SE AVANTE
Empurrando-se a alavanca joystick para frente e movendo-a
parcialmente para a esquerda (L), a embreagem direcional
é desacoplada e a máquina manobra gradualmente para a AVANTE
esquerda.

Para manobrar gradualmente para a direita, empurre a alavanca


joystick para frente e mova-a parcialmente para a direita.
Repita o mesmo procedimento para manobrar a máquina com
ela se deslocando em ré.

3-133
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

FAZENDO CURVAS PIVOTADAS PARA A


ESQUERDA COM A MÁQUINA DESLOCANDO-
SE AVANTE
Empurrando-se a alavanca joystick para frente e movendo-a
totalmente para a esquerda (L), a embreagem direcional é AVANTE
desacoplada, o freio é aplicado e a máquina faz uma curva
pivotada para a esquerda.

OBSERVAÇÃO
Para fazer uma curva pivotada para a direita, empurre a alavanca
joystick para frente e mova-a totalmente para a direita.
Repita o mesmo procedimento para fazer uma curva pivotada
com a máquina se deslocando em ré.

3-134
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MANOBRANDO A MÁQUINA NA DESCIDA DE UMA RAMPA


Máquinas capazes de curvas com contrarotação das esteiras não viram na direção oposta àquela para a qual a
alavanca joystick é movida ao percorrerem descidas ingremes, onde a força da gravidade pode movimentá-las, ou
quando descerem uma rampa empurradas por uma máquina que estejam rebocando.

OBSERVAÇÃO
Direção cruzada é o fenômeno no qual a máquina vira para a direção oposta àquela para a qual a alavanca
joystick é movida.

MANOBRANDO GRADUALMENTE PARA A


ESQUERDA COM A MÁQUINA DESLOCANDO-
SE AVANTE
Empurrando-se a alavanca joystick (1) para frente e movendo-a
parcialmente para a esquerda (L), a máquina faz uma curva
gradual para a esquerda.
AVANTE

OBSERVAÇÃO
Para fazer uma curva gradual para a direita, empurre a alavanca
joystick (1) para frente e mova-a parcialmente para a direita.
Repita o mesmo procedimento para manobrar a máquina com
ela se deslocando em ré.

PRECAUÇÕES RELATIVAS À OPERAÇÃO

PRESTE ATENÇÃO NOS INDICADORES


Se a escala vermelha do indicador da temperatura do óleo do trem de força acender durante a operação, reduza
a carga e espere a temperatura do óleo baixar.

PROFUNDIDADE MÁXIMA PERMITIDA


EM ÁGUA
Ao operar em rios ou áreas alagadas, mantenha a parte superior Profundidade máxima
das armações das esteiras acima da superfície da água. permitida em água
Tome cuidado também para que o ventilador de arrefecimento
do motor não entre em contato com a água, pois se ele molhar
poderá estragar.

3-135
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PRECAUÇÕES DURANTE O DESLOCAMENTO


POR LONGAS DISTÂNCIAS
Evite operar a máquina em alta rotação por um longo tempo,
caso contrário a temperatura do óleo hidráulico aumentará agu-
damente, o que pode causar vazamento de óleo dos roletes infe-
riores ou do comando final, além de diminuir sua durabilidade.
Se não houver maneira de evitar a operação da máquina em alta
rotação por um longo período, pare a máquina a cada 1 hora
por 30 minutos, e espere os roletes inferiores e o comando final
esfriarem antes de dar partida na máquina novamente.

PRECAUÇÕES AO SUBIR OU DESCER RAMPAS


COMO USAR O PEDAL DESACELERADOR
Pisando o pedal desacelerador ao subir uma rampa, você impedirá que a máquina deslanche, e, com isso, além
da máquina parar, o motor poderá estolar.

USO DO MOTOR PARA DESACELERAR A MÁQUINA


Quando descer uma rampa, reduza a marcha da transmissão colocando a alavanca joystick em uma marcha menor
para funcionar o motor em baixa rotação e use o motor para desacelerar a máquina.
Não coloque a alavanca joystick em neutro.
Quando descer rampas com mais de 15º de inclinação, reduza para primeira (F1 ou R1).

USO DOS FREIOS NA DESCIDA DE RAMPAS


Ao descer uma rampa usando o motor para desacelerar a máquina, aplique também os freios.
Se você não aplicar os freios, deixando a desaceleração da máquina exclusivamente a cargo do motor, ele poderá
funcionar acima de sua rotação de projeto, vindo a apresentar problemas.

3-136
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PRECAUÇÕES EM RAMPAS

ESTEJA ATENTO AO NÍVEL DO COMBUSTÍVEL


Se o nível do combustível no reservatório de combustível descer muito durante uma operação em rampa, o motor
pode aspirar ar em razão do ângulo da máquina ou do balanço da mesma. Se, com isso, o motor vier a morrer, o po-
der de frenagem cairá, portanto, não deixe o nível do combustível no reservatório de combustível descer muito.

ESTEJA ATENTO AO NÍVEL DO ÓLEO


Quando for operar a máquina em rampas com inclinação superior a 20º, complete todos os reservatórios com óleo
até o nível H.

PRECAUÇÕES A SEREM TOMADAS SE O MOTOR MORRER EM UMA RAMPA


Se o motor morrer quando a máquina estiver operando ou trafegando em uma rampa, aplique imediatamente o
pedal do freio para parar a máquina completamente.

COMO USAR OS FREIOS


Para que não ocorra o desgaste prematuro dos freios, evite usar o freio emergencialmente em alta velocidade ou
com o motor em rotação máxima em primeira (F1, R1) (estol do motor).

OBSERVAÇÃO
Antes de usar os freios, aplique sempre o pedal desacelerador para reduzir a rotação do motor.

É PROIBIDO MANTER A PORTA DA CABINA ABERTA AO TRAFEGAR OU


OPERAR COM A MÁQUINA
Mantenha sempre a porta da cabina fechada ao trafegar ou operar com a máquina.
Manter a porta da cabina aberta nessas condições pode fazer com que ela seja quebrada por algum obstáculo ou
uma forte vibração a danifique.

É PROIBIDO FAZER MODIFICAÇÕES NOS VIDROS DAS JANELAS DA


CABINA QUE PREJUDIQUEM A VISIBILIDADE
 Para que não haja o comprometimento da segurança, não instale nada nos vidros das janelas da cabina que
possa prejudicar a visibilidade.
 Mantenha os vidros das janelas da cabina sempre limpos para que não haja o comprometimento da segurança
nas operações que irá realizar com a máquina.

3-137
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

ESTACIONANDO A MÁQUINA
! ATENÇÃO
 Evite paradas bruscas. Vá parando a máquina devagar,
percorrendo uma boa distância até pará-la totalmente.
 Selecione um chão firme e plano para parar a máquina,
e não tente fazer isso em locais perigosos. Caso seja
imprescindível estacionar a máquina em uma rampa,
trave a alavanca do freio de estacionamento (4) e calce
as sapatas das esteiras. Como medida adicional de
segurança, penetre a lâmina no solo.
 Se a alavanca de controle do equipamento de trabalho
for tocada involuntariamente, o equipamento de trabalho
poderá mover-se de repente, causando um sério acidente.
Para evitar que isso ocorra, sempre trave a alavanca de
segurança (7) antes de deixar o assento para sair da
cabina.

1. Pise o pedal do freio (1) para parar a máquina.

NOTA
Se o pedal do freio for aplicado com o motor a alta rotação ou a máquina trafegando a uma velocidade elevada,
o disco do freio poderá emitir um ruído estranho. O procedimento normal antes de aplicar o freio é reduzir a
rotação do motor e a velocidade de deslocamento usando o pedal desacelerador (2).

2. Coloque a alavanca joystick (3) em neutro e selecione a


primeira marcha. AVANTE

3-138
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

3. Acione a alavanca do freio de estacionamento (4) para travar


os freios (L).

4. Coloque a alavanca de controle da lâmina (5) e a alavan-


ca de controle do escarificador (6) na posição BAIXAR
(c) e baixe a lâmina e o escarificador ao solo.
5. Coloque a alavanca de controle da lâmina (5) e a alavan-
ca de controle do escarificador (6) na posição MANTER.

6. Destrave a alavanca de controle da lâmina (5) e a alavanca


de segurança do equipamento de trabalho (7) movendo
para a posição TRAVADA (L).

Livre

Travada

VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS APÓS O DESLIGAMENTO DO MOTOR


1. Dê uma inspecionada ao redor da máquina e examine o equipamento de trabalho, o exterior da máquina e
o material rodante, verificando ainda se há algum vazamento de óleo ou líquido de arrefecimento. Havendo
qualquer problema, providencie o reparo do mesmo.
2. Complete o reservatório de combustível.
3. Verifique se há papéis e detritos no compartimento do motor. Em caso afirmativo, limpe essas sujeiras para
evitar o risco de um incêndio.
4. Remova a lama que porventura esteja aderida ao material rodante.

3-139
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

VERIFICAÇÕES AO TÉRMINO DO
EXPEDIENTE
Ao término do expediente, use os medidores, luzes e indicadores
do painel monitor para verificar a temperatura do líquido de
arrefecimento do motor, a pressão do óleo do motor, o nível do
combustível e a temperatura do óleo do trem de força.

TRAVAS CONTRA VANDALISMO


A máquina é dotada de travas nos itens listados abaixo e ilustrados
ao lado para protegê-la contra vandalismo.

Itens que podem ser travados com a chave de partida:


 Tampas laterais esquerda e direita do motor (1)
(lado esquerdo: 2 pontos; lado direito: 2 pontos)
 Tampa do filtro de ar fresco (esquerda) (2)
 Trinco da porta da cabina (3)
 Tampas com trava (4)
 Tampa do radiador
 Tampa do bocal de abastecimento do reservatório de
combustível
 Tampa do bocal de abastecimento do reservatório do óleo
hidráulico
 Tampa do bocal de abastecimento do óleo do trem de
força
 Tampa de inspeção da bateria (5), (6)
 Tampa de inspeção da caixa de ferramentas (2)

OBSERVAÇÃO
Travas à venda em lojas especializadas podem ser adaptadas
nos seguintes pontos:
 Detecção centralizada da pressão do óleo do trem de força e
tampa de inspeção do nível do óleo do trem de força (7).

Cadeado
 Tampas do tanque de combustível (8)

OBSERVAÇÃO
Se o cadeado (a) for usado, é recomendável que se use algum
que possua uma capa para proteger o orifício da chave.

3-140
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

TRABALHOS POSSÍVEIS USANDO O TRATOR DE ESTEIRAS


Além dos trabalhos listados a seguir, é possível realizar outros através do uso de vários implementos.

LAMINAÇÃO
Um trator de esteiras escava e transporta solo deslocando-se
avante. A escavação de uma rampa pode ser feita de maneira
mais eficaz de cima para baixo.
Com a lâmina de dupla inclinação, o ângulo da borda cortante
da lâmina pode ser modificado. Assim sendo, em máquinas com
lâmina de dupla inclinação o ângulo da borda cortante pode ser
ajustado durante a operação de escavação para aumentar a
eficiência do trabalho.

CORTE DE SOLO COMPACTO OU


CONGELADO OU ABERTURA DE VALAS
Para escavação ou abertura de valas em terreno compacto ou
congelado, incline a lâmina. Mesmo os solos mais duros podem
ser escavados com mais facilidade com a lâmina inclinada ou
angulada.
Se o solo for de ainda mais difícil penetração, use um escarificador
para melhorar a eficiência.

DERRUBADA DE ÁRVORES E DESTO-


CAMENTO
NOTA
Não derrube árvores ou realize destocamento com a lâmina
angulada ou inclinada.

Para derrubar árvores com diâmetro de 10 a 30 cm, eleve a lâmina


bem alto e empurre 2 a 3 vezes a árvore.
Uma vez derrubada a árvore, recue de ré e penetre o canto da
lâmina no solo para cortar e arrancar as raízes.
Nunca jogue a lâmina em alta velocidade contra uma árvore ou
submeta a árvore a impacto para derrubá-la.

3-141
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

COMO USAR O TRATOR DE ESTEIRAS


PARA EMPURRAR OUTRA MÁQUINA
 Sempre que for usar o trator de esteiras para empurrar outra
máquina, primeiro instale uma placa de empuxo.
 Ao chegar perto da outra máquina, aplique o pedal
desacelerador para reduzir a rotação do motor e aproxime-se
devagar. Entrando em contato com a outra máquina, aumente
a velocidade de deslocamento lentamente e empurre a outra
máquina com potência máxima.

ACABAMENTO DE SUPERFÍCIES
NOTA
Evite fazer o acabamento de terrenos pedregosos ou rocho-
sos, caso contrário, você poderá danificar a lâmina.

Quando for fazer o acabamento de terrenos que tenham sido escavados ou passado por terraplenagem, mantenha
a lâmina totalmente carregada de terra e levante-a ou abaixe-a em movimentos curtos trafegando com a máquina
avante.
Ao nivelar amontoados de terra ou sulcos deixados pelas esteiras, coloque a lâmina na posição FLUTUAR, trafegue
em ré a baixa velocidade e arraste a lâmina sobre a superfície do solo.

3-142
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

COMO USAR O SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS

(1) Interruptor do modo de bloqueio (3) Interruptor seletor do modo de redução da


(2) Interruptor seletor do modo de economia velocidade de deslocamento em ré

A seleção do modo ideal para o tipo do trabalho e a natureza da rocha ou do solo garante eficiência nas opera-
ções. Máquinas usadas exclusivamente para rochas fragmentadas podem operar com a máxima eficiência com
a chave de partida ligada e todos os interruptores de modo acionados. Nesse caso, as modificações necessárias
nos interruptores deverão ficar a cargo do seu distribuidor Komatsu.
Quando todos os interruptores de seleção de modo estão desligados, a máquina está selecionada para escavação
convencional e laminação de terreno rochoso. Esta condição é chamada de modo padrão.
O modo de bloqueio do conversor de torque não pode ser associado simultaneamente a outro modo.
O modo de economia, o modo de redução da velocidade de deslocamento em ré e o modo de controle da patina-
gem das sapatas podem ser selecionados individualmente ou combinados um ao outro.

Laminação
Modo de redução da velocidade
Modo de bloqueio Modo de econo- de deslocamento em ré
do conversor de mia
torque
o × o
× o o
o: Pode ser usado ×: Não pode ser usado combinado a outro modo

3-143
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

SELEÇÃO DE MODOS
OPERAÇÕES DE LAMINAÇÃO

MODO DE BLOQUEIO DO CONVERSOR DE


TORQUE
Usando-se o modo de bloqueio do conversor de torque, a
velocidade de deslocamento aumenta, há uma otimização da
eficiência da operação, sem falar que verifica-se, também, uma
redução do consumo de combustível.
 Marchas em que o modo de bloqueio do conversor de torque
pode ser usado: todas
 Operações aplicáveis : Laminação de terra fofa (ideal para
terraplenagem em distâncias longas)
Quando o modo de bloqueio do conversor de torque é ligado, as
condições da carga determinam a seleção automática da transmissão
direta ou da transmissão através de conversor de torque.

(Exemplo)
 Operações de laminação de sulcos

 Operações de laminação de declives

OBSERVAÇÕES
 Para operações de laminação em rampas com inclinação Tipo de terra e areia
superior a 15º, o modo de bloqueio do conversor de torque
pode ser facilmente cancelado, sendo mais fácil, nessas
condições, executá-las no modo padrão.
 Usando-se o modo de bloqueio do conversor de torque
para executar uma escarificação normal, ele será ativado
e desativado constantemente, portanto, nesse caso você
deverá usar o modo padrão.
 Mesmo para executar uma operação de escarificação, você
pode usar o modo de bloqueio do conversor de torque se
o solo for extremamente macio.

3-144
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MODO DE ECONOMIA
O uso do modo de economia possibilita reduzir a patinagem das
sapatas e o consumo de combustível.
 Marcha na qual o modo de economia pode ser usado: F1
 Operações aplicáveis: Terraplenagem após escarificação,
laminação de rochas dinamitadas, acabamento de
superfícies

Quando o modo de economia é ligado, entra automaticamente o modo [1]. Realize as operações de laminação
nesse modo e, então, entre no modo [2] para realizar esses e outros tipos de operação. Teste os dois modos
e defina qual o modo que melhor combina redução de potência e baixa patinagem das sapatas (freqüência da
operação de desaceleração).
O modo [1] trabalha com aproximadamente 90% da potência total e o modo [2] com aproximadamente 70% da
potência total.

(Exemplo)
 Operações de nivelamento fino

 Operações de escarificação e laminação

3-145
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MODO DE REDUÇÃO DA VELOCIDADE DE


DESLOCAMENTO EM RÉ
O modo de redução da velocidade de deslocamento em ré
reduz a velocidade de deslocamento em ré, diminui a freqüência
de atuação do pedal desacelerador e aumenta o conforto do
operador.
 Marchas em que o modo de redução da velocidade de
deslocamento em ré pode ser usado: R1, R2, R3
 Operações aplicáveis: deslocamento em terreno rochoso e
descida em ré de rampas de grande inclinação

Use este modo para reduzir a velocidade de deslocamento ao trafegar em R1, R2 ou R3.
Quando o modo de redução da velocidade de deslocamento em ré é acionado, a velocidade de deslocamento
cai para aproximada-mente 80% da velocidade máxima da marcha que está selecionada.
Use este modo para reduzir a velocidade de deslocamento ao trafegar em ré após escarificar e laminar terreno
rochoso ou após laminar rampas de grande inclinação. A velocidade de deslocamento difere em cada marcha em
função do modo de redução da velocidade de deslocamento em ré estar sendo ou não usado em associação com
o modo de economia.

Se perceber que a velocidade de deslocamento ao trafegar em


ré em terreno rochoso está muito alta, acione o modo de redu-
ção da velocidade de deslocamento em ré, reduzindo, assim, a
velocidade de deslocamento em ré.

Se perceber que a velocidade de deslocamento está muito


alta ao descer em ré uma rampa, acione o modo de redução
da velocidade de deslocamento em ré, reduzindo, assim, a
velocidade de deslocamento em ré.

3-146
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PROCEDIMENTO PARA SELEÇÃO DE MODOS SEGUNDO A NATUREZA


E AS NECESSIDADES DA OPERAÇÃO
Use a tabela abaixo para selecionar o modo ideal para a natureza e as necessidades da operação.

Natureza e necessidades da operação Sistema de operação e efeito Modo a selecionar

Bloqueando-se o conversor de torque e


Necessita de alta usando-se a transmissão direta, há um
Laminação aumento da eficiência na transmissão de Modo de bloqueio do con-
de solo fofo produção e grande
potência potência e da produção por litro de com- versor de torque
bustível

Necessita de
movimentos rápidos
Escavação, da máquina e bom
laminação de desempenho na Modo normal
solo rochoso escavação e na
laminação, mesmo
que o tipo de rocha
ou solo mude
Laminação

A potência de saída do motor é ajustada es-


pecialmente para a laminação (modos 1 ou
2), proporcionando potência e economia de
Necessita de combustível. Este modo possui as seguintes Modo de economia (*)
potência aliada vantagens: [Dois modos disponíveis
a baixo consumo j Redução na freqüência das operações de para a seleção do modo
de combustível desaceleração ideal para o tipo de rocha
Laminação ou de solo]
de rochas k Redução na patinagem das sapatas
dinamitadas O operador não l Redução no consumo de combustível
deverá sentir fadiga
mesmo quando
operar por muitas
horas seguidas A velocidade de deslocamento em ré é reduzi- Modo de redução da velo-
da, melhorando o conforto do operador cidade de deslocamento
em ré (*)

O operador não deverá sentir Modo de redução da velo-


Escarificação fadiga mesmo quando operar A velocidade de deslocamento em ré é cidade de deslocamento
por muitas horas seguidas reduzida, melhorando o conforto do operador em ré (*)

(*): Na laminação, o modo de economia, o modo de redução da velocidade de deslocamento


em ré, e, na escarificação, o modo de controle da patinagem das sapatas podem ser
selecionados independentemente ou combinados entre si. A seleção e a correção são
sempre possíveis, criando a condição ideal para diversos tipos de operação.

3-147
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DO ESCARIFICADOR

COMO USAR O ESCARIFICADOR


 A otimização do ângulo de escavação do porta-pontas se dá
com este perpendicular ao solo (ângulo de escarificação: 45º
a 50º).
 Também é possível escarificar rochas relativamente moles
(velocidade sísmica igual ou inferior a 1500 m/s) com o porta-
pontas inclinado para trás.

 Escarificar solo relativamente duro com o porta-pontas


inclinado para trás desgasta excessivamente a ponta (1) e a
auto-afiação não se realiza.
 Se as sapatas patinarem durante uma operação de
escarificação devido a pedras grandes ou à resistência do
solo rochoso, use o cilindro de inclinação.
Quando extrair uma rocha, avance a máquina em uma marcha
fixa (F1 ou F2).

OBSERVAÇÕES
 Ao levantar pedras grandes ou escavar terreno rochoso, não coloque a transmissão em neutro, pois, com a
transmissão nessa posição, a reação do cilindro de inclinação empurrará a máquina para trás. Opere sempre
a máquina com a transmissão em AVANTE.
 A seleção da ponta do escarificador que melhor atenda ao tipo da rocha é um dos elementos mais importantes
para o uso eficaz do escarificador.
Há pontas de escarificador para os mais diferentes tipos de rochas. Selecione na lista a ponta de escarificador
mais adequada às suas necessidades. Para detalhes, veja “PROCEDIMENTO PARA SELEÇÃO DA PONTA
DO ESCARIFICADOR” (página 6-4)

ESCAVAÇÃO DE PEDRAS GRANDES OU TER-


RENO ROCHOSO
Quando usar o escarificador para escavar pedras grandes ou
terreno rochoso de difícil remoção, poderá ocorrer uma redução
da velocidade de deslocamento. Caso isso aconteça, escave esse
solo usando o cilindro de inclinação.

3-148
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

OPERANDO EM RAMPAS
Quando usar o escarificador variável, ajuste o comprimento do
cilindro de inclinação para selecionar a dimensão L.

3-149
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

COMO OPERAR O SACA-PINOS


1. Estacione a máquina em um local seguro e baixe o porta-
pontas ao solo.
2. Coloque o botão de controle do saca-pinos na posição PINO
SACADO e remova o pino de fixação.
3. Mova o escarificador para cima ou para baixo para colocar o
porta-pontas na posição desejada.

(F) - Dianteira da máquina

OBSERVAÇÃO
Alinhe a marca do escarificador (A) com a superfície superior do
fixador (B)

(C) - Profundidade máxima


(D) - Profundidade intermediária
(E) - Profundidade mínima

4. Opere o botão de controle do saca-pinos para introduzir o


pino de fixação. Se o pino não casar com a posição do furo
no porta-pontas, coloque o botão de controle do saca-pinos
na posição PINO INTRODUZIDO (2) e mova lentamente o
escarificador para cima ou para baixo.

(F) - Dianteira da máquina

OBSERVAÇÃO
Quando subir o pino para aumentar a profundidade de escavação, use um protetor longo para evitar o desgaste
do porta-pontas.

3-150
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

COMO REALIZAR OPERAÇÕES DE ESCARIFICAÇÃO


MÉTODO DE OPERAÇÃO BÁSICO

(1) Começando a baixar o escarificador (4) Escarificação


(2) Ponta em contato com o solo (5) Começando a elevar o escarificador
(3) Introdução da ponta na profundidade especificada (6) Porta-pontas inclinada para trás

TRAJETÓRIA DO PORTA-PONTAS DO ESCARIFICADOR


Realize a operação de escarificação seguindo o roteiro abaixo, passando pelos pontos ilustrados no diagrama acima:
(1) Incline o escarificador para trás, baixe a ponta do escarificador ao solo no ponto em que começará a escarificar
e levante a traseira da máquina.
(2) Aplique o pedal desacelerador e reduza a rotação do motor, coloque a transmissão em F1 e incline o escarificador
para introduzir a ponta na profundidade especificada.
(3) Quando a ponta do escarificador atingir a profundidade especificada, aumente a rotação do motor até a rotação
máxima e avance com a máquina.
Incline o porta-pontas e execute a escarificação.
Se o circuito estiver aliviado mesmo quando o porta-pontas for inclinado, mude o furo de fixação do porta-pontas
para o furo abaixo e reduza a profundidade de escarificação.
(4) Concluída a escarificação, avance com a máquina, eleve o porta-pontas do terreno rochoso e desloque-se em ré.
(5) Deslocando-se em ré, incline o escarificador para trás, e, quando chegar ao ponto em que deve começar a
escarificar, baixe o escarificador.

OBSERVAÇÕES
 Se o escarificador for aplicado com a traseira da máquina
levantada do solo, haverá uma redução da força na barra de
tração, e, conseqüentemente, uma diminuição da eficiência
na escarificação.
 Mantendo-se a profundidade de escarificação constante,
as irregularidades serão minimizadas, com o conseqüente
aumento da eficiência da laminação.

(A) Extensão da esteira no solo

3-151
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

ESCARIFICAÇÃO DE BEIRAS DE
PRECIPÍCIOS
 Quando escarificar beiras de precipícios, incline o escarificador
para trás para aumentar o comprimento (L).

 Aplique o pedal desacelerador, avance lentamente e, quando


a ponta do escarificador entrar em contato com a beira do
precipício, incline o escarificador em (A).

ESCARIFICAÇÃO DE FACES DE TALUDES


(Escarificador gigante)
 Ao escarificar beiras de faces de taludes, reduza ao mínimo
o ângulo de inclinação para trás do escarificador, e, havendo
uma área em que a face do talude não foi escarificada, aplique
o escarificador diagonalmente.

OBSERVAÇÃO
No caso do escarificador de pontas múltiplas, escarifique
perpendicularmente à face do talude.

(B) Inclinação traseira (MAX)


(1) Face do talude
(2) Base de escarificação

3-152
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

Escarificação cruzada
 No caso de terrenos rochosos duros, ou quando não con-
seguir fragmentar ou escavar rochas e pedras grandes em
uma passada do escarificador, faça a segunda passada do
escarificador perpendicularmente à primeira passada.
 No caso específico da beira de um precipício, onde não é
possível usar o escarificador na perpendicular, diminua os
espaços entre os porta-pontas e realize a escarificação.

 Se encontrar um terreno rochoso duro ao fazer a escarificação,


faça a escarificação na direção oposta da que o escarificador
foi aplicado. Se ainda assim não conseguir quebrar a rocha,
vá fragmentando a área à sua volta um pouco por vez.
 A escarificação concentrada de um terreno rochoso duro
torna-se altamente eficiente aplicando-se o escarificador na
totalidade da face escavada.

3-153
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

ESCAVAÇÃO DE PEDRAS GRANDES


Se encontrar pedras grandes difíceis de quebrar e as sapatas patinarem durante uma operação de escarificação,
escave essas pedras como explicaremos a seguir:

1. Aplique o pedal desacelerador e reduza a rotação do motor a


um ponto onde as sapatas deixem de patinar.

2. Coloque a alavanca do escarificador na posição INCLINAR e


realize a escarificação e a escavação.

3. Se houver pedras grandes impossíveis de quebrar ou es-


cavar com o escarificador inclinado, avance um pouco para
frente e incline o porta-pontas para trás, voltando, então, a
inclinar o escarificador e escavando a pedra.

4. Se, mesmo repetindo a operação do passo 3, você não


conseguir quebrar ou escavar a pedra, recue cerca de 10
cm, eleve o porta-pontas, desvie da rocha ou pedra que
não esteja conseguindo escarificar e avance, reiniciando a
escarificação.

3-154
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

PRECAUÇÕES DURANTE A
ESCARIFICAÇÃO
 O ângulo de escavação durante a escarificação deve ser
ajustado de forma que o topo do porta-pontas fique na
perpendicular. Concluído o ajuste do ângulo de escavação,
baixe o escarificador.
 Não realize a escarificação por longos períodos com o porta-
pontas inclinado para trás, pois, nessa condição, a ponta
sofrerá um desgaste arredondado.

 Não manobre a máquina durante uma operação de


escarificação, do contrário, o porta-pontas irá quebrar. Quando
desejar manobrar a máquina, primeiro remova o porta-pontas
do solo e só então faça a curva.

 Nunca trafegue em ré com a ponta do escarificador introduzida


em terreno rochoso, do contrário, o pino de fixação da ponta Ponta
irá quebrar, fazendo com que a ponta caia.
Pare a máquina, incline o escarificador um pouco para trás e
eleve-o lentamente.

 Após ter escarificado e quebrado uma rocha relativamente


grande, evite passar em ré sobre o trecho escarificado (2).
Ao trafegar em ré (3), tenha muito cuidado para não bater
com a traseira em alguma rocha grande. Procure, sempre
que possível, escolher um terreno nivelado para passar com
a máquina.

3-155
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTE DA POSIÇÃO DO EQUIPAMENTO DE TRABALHO


! ATENÇÃO
Caso o equipamento de trabalho seja movido involuntariamente quando sua posição estiver sendo ajus-
tada, o risco de um acidente é grande. Apóie bem o equipamento de trabalho, desligue o motor e trave o
equipamento de trabalho com a alavanca de segurança.

AJUSTE DA LÂMINA
INCLINANDO A LÂMINA INCLINÁVEL
NOTAS
A inclinação máxima da lâmina é de 900 mm (para lâmina semi-U).
Ajuste a inclinação de modo que o limite de 900 mm não seja excedido.
Se a inclinação máxima for excedida, os componentes serão solicitados por uma força excessiva, o que
danificará a máquina.

De acordo com a operação da alavanca de controle da lâmina, é


possível obter as seguintes inclinações:
Lado direito: 600 mm ou mais
Lado esquerdo: 600 mm ou mais
Caso necessite de uma inclinação maior, proceda da seguinte
forma:
Use a barra (2) instalada no braço esquerdo para girar o braço (1)
e ajuste o comprimento () do braço. Esse recurso permite obter
uma inclinação máxima de 900 mm.
 Distância padrão entre juntas : 1845 mm

3-156
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTE DO BRAÇO

! ATENÇÃO
Serviços de manutenção com o motor funcionando devem
ser feitos com um segundo operário sentado no assento do
operador. Ambos os operários devem zelar mutuamente pela
segurança durante a operação.

Dê partida e use o controle de aproximação para inclinar a lâmina


para a esquerda e para a direita.
O ajuste pode ser facilmente executado girando-se a alavanca
do braço ao subí-la ou descê-la (1).
 Para extender o braço
O ajuste pode ser facilmente realizado colocando-se a lâmina
sobre um calço e girando-se a alavanca do braço.

OBSERVAÇÃO
Operada desse modo, a lâmina é inclinada e a alavanca do braço
vai se tornando gradualmente mais pesada. Quando isso acontecer,
recoloque a lâmina na horizontal e gire a alavanca do braço
novamente de acordo com o procedimento descrito acima.

AJUSTE DA ESPESSURA DO CALÇO


Ajuste a espessura do calço de modo que a folga da junta esférica
(4 pontos) na direção axial (indicada pelas setas) não exceda
1 mm.

1. Remova o calço (1) e aperte os parafusos (2) para elimi-


nar a folga da junta esférica.
2. Meça a folga “A” e remova os parafusos (2).
3. Instale o calço (1) com sua espessura aumentada de “A”
mm para “A + 1” mm e fixe-o em sua posição por meio dos
parafusos (2).
4. Depois que apertar os parafusos, confirme se a junta
esférica move-se livremente.

3-157
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

AJUSTE DO ESCARIFICADOR
AJUSTE DA PROFUNDIDADE DE ESCAVAÇÃO
O porta-pontas é dotado de furos para adaptação do pino de
fixação que são usados de acordo com a profundidade de
escavação desejada. Em circunstâncias normais, deve ser
usado o furo de baixo, mas, quando desejar uma escavação
particularmente profunda, você deve usar o furo de cima.
Para saber o método de mudar a profundidade de escavação, veja
1. Introduza um objeto pontiagudo na ponta do pino (1) e golpeie-o
com um martelo para remover a ponta pelo lado oposto.
2. Remova o pino (2) e coloque-o no outro furo do porta-
pontas.
3. Introduza o pino (1) parcialmente com a mão e bata-o com um
martelo.
 O pino é formado por uma única peça, portanto, introduza-o
parcialmente com a mão e bata-o com um martelo.
 Quando sua máquina for dotada de escarificador gigante,
use o saca-pinos.
Para detalhes, veja “COMO OPERAR O SACA-PINOS”
(página 3-150).

SUBSTITUIÇÃO DA PONTA E DO PROTETOR


Para proteger o porta-pontas, substitua o protetor e a ponta se
eles estiverem gastos.
Coloque um punção no pino indicado pela seta e bata-o com um
martelo, removendo o pino pelo outro lado.

OBSERVAÇÃO
O pino é do tipo inteiriço, portanto, introduza-o parcialmente com
a mão e bata-o com um martelo.

3-158
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

DICAS PARA AUMENTAR A VIDA ÚTIL DO MATERIAL RODANTE


A vida útil do material rodante varia enormemente dependendo da forma como ele é operado, dos critérios adotados
para a sua inspeção e dos cuidados com a sua manutenção. Para melhorar a eficiência da operação, observe as
precauções abaixo:

MÉTODO DE OPERAÇÃO
 Selecione a sapata de esteira que melhor se adequa ao tipo
do solo do local em que a máquina irá operar.
Para a seleção das sapatas das esteiras, você deve consultar
o seu distribuidor Komatsu.
 Não deixe as sapatas patinarem durante a operação. Se as
sapatas patinarem, reduza a carga aplicada na lâmina até a
patinagem das sapatas cessar.
 Evite partidas, acelerações ou paradas bruscas, bem como
trafegar sem necessidade à altas velocidades ou fazer curvas
pivotadas que não sejam imprescindíveis.
 Sempre que possível, opere a máquina em linha reta. Ao fazer
curvas, não deixe as esteiras de um dos lados imobilizadas
para que a máquina possa virar em ambos os lados. Faça as
curvas com o maior raio possível.
 Antes de começar a operar, retire as pedras grandes e os
obstáculos para evitar que a máquina passe sobre eles.
 Em uma rampa, opere a máquina paralelamente ao sentido
de inclinação da mesma. Nunca atravesse uma rampa
transversalmente. Quando estacionar a máquina em uma
rampa, posicione-a com a frente voltada para o topo da
rampa.
 Quando o solo inclinar para a esquerda ou para a direita
durante uma operação de escavação, não continue a escavar
com a máquina inclinada. Recue a máquina até um solo plano
e começe a escavar novamente.
 Não force a máquina fazendo-a executar um serviço que
exceda sua capacidade. Um exemplo claro disso ocorre
quando, durante uma operação de laminação ou escarificação,
a lâmina encontra obstáculos que excedem sua capacidade.
Forçá-la a remover tais obstáculos fará com que a roda guia ou
a roda motriz escape do solo, o que é prejudicial à máquina.

INSPEÇÃO E AJUSTE
 Ajuste corretamente a tensão das esteiras Folga A
A tensão deve ser medida na folga (A) indicada no diagrama
à direita (no ponto ilustrado, normalmente ela deve situar-se
entre 20 e 30 mm). Para terrenos rochosos, tensione as esteiras
ligeiramente. Já em terrenos argilosos ou arenosos, você deve
afrouxá-las um pouco. (Para saber quais são os procedimentos
de inspeção e ajuste aplicáveis, veja “VERIFICAÇÃO DA
TENSÃO DAS ESTEIRAS” (página 4-30)

 Verifique se vaza óleo pelos roletes e pela roda guia, e, ainda,


se há algum parafuso ou porca solto. Encontrando algum
problema, providencie imediatamente o seu reparo.

INSPEÇÃO E REPARO
Os custos com reparos serão reduzidos se você inspecionar o material rodante com freqüência e realizar prontamente
os reparos necessários.
Os itens de inspeção relacionados a seguir servem de guia para a manutenção dos componentes do material
rodante. Realize inspeções periódicas e procure o seu distribuidor Komatsu quando a máquina aproximar-se dos
limites de iinversão e de reparo

3-159
OPERAÇÃO OPERAÇÃO

MEDIÇÃO DA ALTURA DA GARRA


 Após remover a folga nas sapatas das esteiras, meça a altura
no centro das sapatas, comparando o valor medido com os
padrões de avaliação abaixo:
Altura padrão (h): 105 mm
Limites de reparo (h): 35 mm

MEDIÇÃO DO DIÂMETRO EXTERNO DOS


ROLETES INFERIORES
1. Meça o diâmetro externo da pista (dimensão A)
(1) Rolete de flange duplo
Dimensão padrão (A): 300 mm
Limite de reparo (A): 246 mm
(2) Rolete de flange simples
Dimensão padrão (A): 300 mm
Limite de reparo (A): 230 mm

3-160
OPERAÇÃO TRANSPORTE

TRANSPORTE
Quando for transportar a máquina, observe à legislação e as regulamentações pertinentes e procure garantir um
nível satisfatório de segurança.

PROCEDIMENTO PARA TRANSPORTE


Para transportar a máquina, antes de mais nada escolha o método de transporte que melhor vá de encontro ao
peso e às dimensões mostrados em ESPECIFICAÇÕES (página 5-2). Observe que as especificações da máquina
(peso e dimensões) variam segundo o tipo de sapatas das esteiras e lâminas empregadas.

CARREGANDO E DESCARREGANDO A MÁQUINA DA CARROCERIA DO VEÍCULO DE TRANSPORTE

! ATENÇÃO
 Certifique-se de que rampa é de largura, o comprimento e a espessura suficientes para que a máquina
seja carregada e descarregada com segurança.
 Quando carregar e descarregar a máquina da carroceria do veículo de transporte, estacione o reboque em
um leito de via firme e plano. Mantenha uma boa distância entre a máquina e a beira do acostamento.
 Remova a lama do material rodante para que a máquina não derrape lateralmente em rampas.
Confirme se a superfície da rampa encontra-se limpa e sem graxa, óleo, gelo e materiais soltos e
esparramados.
 Nunca mude a direção de deslocamento quando estiver na rampa. Se for necessário mudar de direção,
só faça isso após ter descido da rampa, e então volte a subí-la.

Para carregar ou descarregar a máquina da carroceria do veículo de transporte, use sempre uma rampa ou uma
plataforma e proceda da maneira que passaremos a apresentar a seguir.

CARREGANDO A MÁQUINA NA CARROCERIA DO VEÍCULO


DE TRANSPORTE
1. Carregue e descarregue a máquina da carroceria do veículo
de transporte somente em piso firme e plano.
2. Aplique com segurança os freios do reboque, colocando, então,
calços (1) sob os pneus para impedir que o reboque se mova.
 Posicione as rampas esquerdas e direita (2) paralelamente
entre si e espaçadas por igual à esquerda e à direita em
relação à linha de centro (3) do reboque. Instale as rampas
com um ângulo máximo de instalação (4) de 15º. Se a
rampa fletir consideravelmente sob a ação do peso da
máquina, coloque calços sob ela para que deixe de fletir.

3. Dê partida no motor e aqueça-o totalmente.


4. DESAPLIQUE a alavanca do freio de estacionamento
levando-a à posição F.
5. Coloque a transmissão em 1a e funcione o motor em marcha
lenta.

6. Posicione-se para subir a rampa e desloque-se devagar.


7. O centro de gravidade da máquina sofre uma transição brusca na borda formada pelo ponta da rampa e a
projeção da carroceria do reboque, o que desestabiliza a máquina, tornando-a perigosa. Assim sendo, passe
por essa borda devagar.
8. Pare a máquina na posição especificada no reboque.

3-161
TRANSPORTE OPERAÇÃO

FIXAÇÃO DA MÁQUINA NA CARROCERIA DO


VEÍCULO DE TRANSPORTE
NOTA
Recolha a antena.

Termine de carregar a máquina na carroceria do veículo de


transporte seguindo este procedimento:
1. Baixe o equipamento de trabalho lentamente.
(No transporte com o equipamento de trabalho instalado)
2. TRAVE firmemente a alavanca de trava do equipamento de
trabalho levando-a até a posição L.

3. TRAVE firmemente a alavanca do freio de estacionamento


levando-a até a posição L.
4. Desligue o motor e remova a chave de partida.

5. Coloque calços sob ambas as extremidades das esteiras para


impedir a movimentação da máquina durante o transporte
e prenda a máquina com correntes ou cabos de aço
dimensionados para esse fim.
Preste muita atenção na fixação da máquina na carroceria
do veículo de transporte a fim de que ela não derrape
lateralmente.

3-162
OPERAÇÃO TRANSPORTE

DESCARREGANDO A MÁQUINA DA CARROCERIA DO VEÍCULO DE TRANSPORTE


1. Carregue e descarregue a máquina da carroceria do veículo de transporte somente em piso firme e plano.
Mantenha uma distância segura da beira do acostamento.
2. Aplique com segurança os freios do reboque, colocando, então,
calços (1) sob os pneus para impedir a movimentação do veículo
de transporte.
 Posicione as rampas esquerdas e direita (2) paralelamente
entre si e igualmente espaçadas à esquerda e à direita em
relação à linha de centro (3) do reboque.
Instale as rampas com um ângulo máximo de instalação (4)
de 15º. Caso as rampas venham a fletir consideravelmente
em função da ação do peso da máquina, coloque calços
sob as rampas par que elas não mais venham a fletir.

3. Remova as correntes e o cabo de aço usados para prender a


máquina.
4. Dê a partida.
Aqueça completamente o motor.
5. DESAPLIQUE a alavanca de trava do equipamento de trabalho
levando-a à posição F e eleve o equipamento de trabalho.
(No transporte com o equipamento de trabalho instalado)

6. DESAPLIQUE a alavanca do freio de estacionamento


levando-a à posição F.
7. Coloque a transmissão em 1a e funcione o motor em marcha
lenta.
8. Posicione-se para descer a rampa e trafegue devagar.

9. O centro de gravidade da máquina passa por uma oscilação brusca no ponto formado pelas pontas das rampas
e a extremidade do reboque, o que leva à desestabilização da máquina e a torna perigosa. Assim sendo, passe
devagar por esse ponto.
10. Desça vagarosamente e com cuidado a rampa até sair dela completamente.

3-163
TRANSPORTE OPERAÇÃO

MÉTODO DE IÇAMENTO DA MÁQUINA


! ATENÇÃO
 1O operador que vai içar a máquina usando uma talha deve ser devidamente qualificada para o manejo
desse equipamento.
 Jamais promova o içamento da máquina com alguém na mesma.
 Certifique-se sempre de que o cabo de aço está dimensionado para suportar o peso da máquina.
 Durante o içamento, mantenha a máquina na horizontal.
 Quando for executar uma operação de içamento, TRAVE a alavanca de trava do equipamento de trabalho
e a alavanca do freio de estacionamento a fim de que a máquina não se mova repentinamente.
 Nunca entre na área embaixo de uma máquina içada ou ao redor da mesma.
 Nunca tente içar a máquina em uma postura diferente da mostrada no procedimento abaixo utilizando
um equipamento de içamento que esse mesmo procedimento não recomende.
O risco da máquina vir a se desestabilizar é grande.

NOTA:
O procedimento de içamento se aplica a máquinas com especificações pedrões.
O método de içamento difere segundo os implementos e opcionais efetivamente instalados na máquina.
Para saber quais os procedimento de içamento corretos, consulte o seu distribuidor Komatsu.

Para içar a máquina, estacione-a em terreno plano e observe o procedimento que passaremos a fornecer a seguir:
1. TRAVE firmemente a alavanca de trava do equipamento de
trabalho levando-a à posição L.

2. TRAVE firmemente a alavanca do freio de estacionamento


levando-a à posição L.

3. Desligue o motor.

3-164
OPERAÇÃO TRANSPORTE

NOTA:
 Utilize-se de protetores, etc. para que o cabo de aço
não se rompa em bordas afiadas ou pontos de vão livre
estreitados.
 Use espaçadores e barras de largura suficiente a fim de
que não toquem na máquina.

4. Instale cabos de aço, correntes, etc. dimensionados para suportar o peso da máquina nos pontos de içamento
ilustrados na figura à direita.
5. Depois de ter instalado os cabos de aço, ice a máquina, interrompendo o içamento entre 100 e 200 mm acima do
solo para checar se os cabos de aço encontram-se tensionados e a máquina encontra-se nivelada. Confirmadas
essas condições, volte a içar a máquina lentamente.

TRAFEGANDO EM VIAS PAVIMENTADAS


 Quando for trafegar em vias pavimentadas, use sapatas planas para a proteção da superfície do leito da estrada.
Mesmo que for trafegar por uma curta distância, use sempre pranchas para proteger a superfície do leito da via.

OBSERVAÇÃO
Tenha em mente que nas vias asfaltadas o asfalto amolece no verão.

3-165
TRANSPORTE OPERAÇÃO

REMOÇÃO DA CABINA
(Máquinas equipadas com cabina)
Se houver necessidade de remover a cabina para transportar a máquina, primeiro desconecte os tubos dos
lavadores dos vidros das janelas, a fiação elétrica da cabina e a fiação elétrica dos motores dos lavadores dos
vidros das janelas.
1. Puxe a arruela de borracha pela direção da cabina do furo
existente na tampa da máquina e remova-a.
2. Desconecte os quatro tubos dos lavadores dos vidros das
janelas e a fiação elétrica (cabos unifilares x 2, plugue de 4
pinos x 1).

 Rermovidos esses itens, cubra os tubos dos lavadores dos vidros das janelas com um saco plástico a fim de
que não entre sujeira ou poeira neles.
 Antes de remover a cabina, meça a folga entre ela e cada uma das alavancas (alavanca joystick, alavanca de
controle da lâmina, etc.) e use essas medidas como base ao reinstalar a cabina.
(1) Vermelho - Porta direita
Azul - Porta esquerda
Tubo do lavador
Preto - Janela traseira
Sem cor - Janela frontal
(2) Fiação elétrica da 5R - Fiação elétrica AC da cabina
cabina 2R - Fiação elétrica de back-up
(3) Soquete de 4 pinos Para o motor do lavador

3-166
OPERAÇÃO TRANSPORTE

2. Remoção das tampas no interior da cabina.


1) Use uma chave de fenda para empurrar lateralmente a
peça (A) para dentro e remova a trava (1)
2) Remova o conjunto do cinzeiro (2).
Retire o conector da fonte de alimentação do acendedor
de cigarros.
3) Remova a placa de borracha (3) e puxe-a para fora.
4) Remova a presilha e a decoração (4).
5) Remova a placa decorativa inferior (5).
6) Remova a tampa frontal (6).
Retire também o conector (11) do sensor de exposição à
luz solar (10).
7) Remova a tampa da entrada (7).
8) Remova o descanso dos pés (8).
9) Remova a tampa (9).

3-167
TRANSPORTE OPERAÇÃO

3. Remova os parafusos de fixação da cabina, especificamente


os indicados de (A) a (U) na ilustração à direita.

4. Ice e baixe a cabina.


Após instalar os olhais no teto, prenda o gancho de içamento
e levante e baixe a cabina.

Peso aproximado da cabina: 470 kg


(em máquinas dotadas de vidros MSHA, o peso aproximado
da cabina é de 530 kg)

3-168
OPERAÇÃO TRANSPORTE

INSTALAÇÃO DA CABINA
1. Substituição das vedações da cabina.
1) Ice a cabina para trocar as vedações existentes nas
superfícies de encaixe da cabina no chassi da máquina.

 Peso aproximado da cabina: 470 kg


(em máquinas dotadas de vidros MSHA, o peso aproximado
é de 530 kg)
2) Remova as vedações antigas com um raspador.
3) Remova a sujeira e o óleo que encontrar nas superfícies
de encaixe da cabina no chassi da máquina, onde vão
instaladas as vedações (A).
4) Remova a proteção de papel das novas vedações e
fixe-as nas mesmas posições que as vedações antigas.
As novas vedações devem ser cortadas, já que o
comprimento das mesmas excede o espaço que irão
ocupar.

2. Remova as vedações do painel monitor


1) Remova as vedações antigas e substitua-as por novas.
2) Lubrifique externamente as vedações com graxa (G2-
Li) para facilitar o encaixe do painel monitor e evitar a
deformação das vedações quando a cabina for instalada

3. Reinstalação da cabina.
Instale os componentes da cabina na seqüência inversa da
que utilizou para removê-los.
Conecte todas as peças que haviam sido desconectadas.
Instale os parafusos de fixação da cabina utilizando o roteiro
abaixo:
1) Baixe a cabina lentamente sobre o topo da armação do
piso.
2) Alinhe a cabina com a armação do piso e instale os
parafusos e as arruelas nos orifícios (A) a (U).
Não parafuse os parafusos de uma vez, mas sim em três
ou quatro etapas.
3) Aperte os parafusos nos orifícios (N) a (U) até o fim, obedecendo
a seqüência (N), (U), (Q), (R), (O), (T), (P) e (S).
4) Aperte os parafusos nos orifícios (A) a (M) até o fim.
5) Conecte o conector da fiação elétrica da cabina e as man-
gueiras dos lavadores dos vidros das janelas na seqüência
inversa da que utilizou para a remoção dos mesmos.
6) Instale as tampas existentes no interior da cabina na
seqüência inversa da que utilizou para a remoção das
mesmas

3-169
TRANSPORTE OPERAÇÃO

INSTALAÇÃO DA ESTRUTURA ROPS


Aperte bem os 16 parafusos, utilzando um torque de aperto de
1960 a 2450 N.m (200 - 250 kgm)

3-170
OPERAÇÃO OPERAÇÃO EM CLIMA FRIO

OPERAÇÃO EM CLIMA FRIO


PRECAUÇÕES COM BAIXA TEMPERATURA
Se a temperatura cair muito, fica difícil dar a partida e o líquido de arrefecimento pode vir a congelar. Se
houver uma redução substancial da temperatura, siga as orientações abaixo.

COMBUSTÍVEL E LUBRIFICANTES
 Passe a usar um óleo de baixa viscosidade para todos os componentes. Para saber detalhes sobre a
viscosidade especificada, veja “USO DO COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFI-
CANTES SEGUNDO A TEMPERATURA AMBIENTE” (página 4-12).

LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO

! ATENÇÃO
 O anticongelante é tóxico, portanto, cuidado para não deixar ele atingir seus olhos ou sua pele. Caso isso
aconteça, lave o local afetado com bastante água fresca e procure imediatamente socorro médico.
 Como o anticongelante é tóxico, tome muito cuidado ao manuseá-lo. Quando for trocar líquido de
arrefecimento contendo anticongelante ou manusear líquido de arrefecimento ao reparar o radiador,
siga as orientações do seu distribuidor Komatsu ou de quem lhe vendeu o anticongelante. Nâo deixe o
anticongelante escorrer para valas de drenagem ou se espalhar sobre o solo.

NOTAS
Utilize o supercoolant (AF-NAC) genuíno Komatsu como líquido de arrefecimento. Como regra básica,
não recomendamos o uso de qualquer líquido de arrefecimento além do supercoolant genuíno Komatsu.
Para obter mais detalhes sobre a proporção de mistura de anticongelante ao efetuar a troca do líquido de
arrefecimento, leia o tópico “LIMPEZA INTERNA DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO” (página 4-22).

3-171
OPERAÇÃO EM CLIMA FRIO OPERAÇÃO

BATERIA
! ATENÇÃO
 A bateria desprende gás inflamável, portanto, não aproxime fogo ou centelhas dela.
 O eletrólito da bateria é prejudicial à saúde. Se ele pingar nos seus olhos ou em sua pele, lave o local
afetado com bastante água e procure socorro médico.
 O eletrólito da bateria dissolve tinta. Se ele pingar na máquina, lave-o imediatamente com água.
 Se o eletrólito da bateria congelar, não carregue a bateria ou dê partida com uma fonte de alimentação
diferente, pois a bateria pode explodir.
 O eletrólito da bateria é tóxico, portanto, despejá-lo em valas de esgoto ou sobre o solo é terminantemente
proibido.

Quando a temperatura ambiente cai, a capacidade da bateria também sofre uma redução. Se o percentual de carga
da bateria estiver baixo, o eletrólito da bateria poderá congelar. Mantenha o percentual de carga da bateria o mais
próximo possível de 100% e proteja a bateria do frio para facilitar a partida na manhã seguinte.

OBSERVAÇÃO
Meça o peso específico e calcule o percentual de carga da bateria usando a tabela de conversão abaixo:

Temperatura do eletró-
lito (ºC)
20 0 -10 -20
Percentual de
carga da bateria (%)
100 1,28 1,29 1,30 1,31
90 1,26 1,27 1,28 1,29
80 1,24 1,25 1,26 1,27
75 1,23 1,24 1,25 1,26

 Como a capacidade da bateria diminui muito em baixas temperaturas, proteja ou remova a bateria da máquina.
Guardando-a em um local aquecido, instalando-a novamente no dia seguinte.
 Se o nível do eletrólito estiver baixo adicione água destilada no início do dia, antes de iniciar o trabalho. Não
adicione a água ao término do dia de trabalho para prevenir que o eletrólito dilua na bateria no resfriamento
durante a noite.

3-172
OPERAÇÃO OPERAÇÃO EM CLIMA FRIO

CUIDADOS A SEREM TOMADOS AO TÉRMINO DO EXPEDIENTE


! ATENÇÃO
 Rotacionar as esteiras sem carga é perigoso, portanto, fique longe das esteiras quando realizar essa
operação.

Para evitar o congelamento da lama e da água retidas no material rodante e a conseqüente imobilização da má-
quina na manhã seguinte, tome as precauções abaixo:
 Remova totalmente a lama e a água retidas no corpo da máquina, evitando, assim que entre lama ou sujeira no
interior dos retentores juntamente com gotas de água congeladas e os retentores venham a ser danificados.
 Estacione a máquina sobre piso concretado ou outro solo duro. Caso isso não seja possível, estacione-a sobre
pranchas de madeira.
 Abra a válvula de dreno e drene a água retida no sistema de combustível para evitar o congelamento da mesma.
 Ao operar em lama ou água, remova a água do material rodante para aumentar a vida útil do mesmo.
 Como a capacidade da bateria cai drasticamente à baixas temperaturas, cubra a bateria ou remova-a da má-
quina, mantenha-a em um local aquecido e volte a instalá-la na manhã seguinte.

APÓS PERÍODOS DE BAIXA TEMPERATURA


Quando houver mudança de estação e o tempo esquentar, proceda da seguinte forma:
 Troque o combustível e o óleo de todos os componentes por outros de viscosidade especificada.
Para detalhes, veja “USO DO COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFICANTES SEGUNDO
A TEMPERATURA AMBIENTE” (página 4-12).

3-173
DESATIVAÇÃO POR LONGOS PERÍODOS OPERAÇÃO

DESATIVAÇÃO POR LONGOS PERÍODOS


ANTES DA DESATIVAÇÃO
Quando for manter a máquina desativada por mais de um mês, tome as seguintes providências:
 Após lavar e secar todos os componentes e peças, guarde a máquina em um galpão fechado e seco. Caso
não reste outra alternativa a não ser deixar a máquina ao ar livre, estacione-a sobre um terreno plano a salvo
de inundações ou outros desastres naturais e cubra-a com uma lona.
 Antes de desativar a máquina, encha o reservatório de combustível, lubrifique e troque o óleo.
 Lubrifique e troque o óleo antes da desativação.
 Aplique uma fina película de graxa nas superfícies metálicas das hastes dos pistões hidráulicos e das hastes
de ajuste das rodas guias.
 Desconecte os terminais negativos da bateria e cubra-a ou remova-a da máquina e guarde-a separadamente.
 Coloque todas as alavancas de controle em neutro, trave a alavanca de segurança e a alavanca do freio de
estacionamento e coloque o botão de controle do combustível na posição de marcha lenta.
 Para prevenir corrosão faça uma mistura de 70% de água com 30% de líquido de arrefecimento supercoolant
genuíno Komatsu.

DURANTE A DESATIVAÇÃO
! ATENÇÃO
Se o procedimento de prevenção contra oxidação tiver que ser realizado com a máquina dentro de um gal-
pão fechado, abra as portas e janelas para assegurar uma boa ventilação e, com isso, precaver-se contra
o envenamento pelos gases desprendidos durante o processo.

• ‘ Uma vez por mês, funcione o motor e percorra uma curta distância com a máquina para revestir as peças mó-
veis e as superfícies dos componentes com uma nova película de óleo. Desse modo, também, a bateria pode
ser carregada.
• Antes de operar o equipamento de trabalho, remova toda a graxa das hastes dos pistões hidráulicos.
• Se sua máquina for equipada com ar condicionado, funcione-o mensalmente de 3 a 5 minutos para promover a
lubrificação de cada um dos componentes do compressor do ar condicionado. O motor deverá estar funcionan-
do em marcha lenta. Além dessas medidas, inspecione também, 2 vezes ao ano, a quantidade de refrigerante.

APÓS A DESATIVAÇÃO

IMPORTANTE
Caso seja necessário usar a máquina sem que o procedimento mensal de prevenção contra oxidação tenha
sido realizado, procure o seu distribuidor Komatsu.

Quando voltar a usar a máquina após um longo período de desativação, tome as seguintes providências antes de
colocá-la em funcionamento:
• Remova toda a graxa das hastes dos pistões dos cilindros hidráulicos.
• Complete o óleo e lubrifique com graxa todos os pontos.
• Quando a máquina permanece desativada por um longo período, a umidade presente no ar contamina o óleo.
Verifique o óleo antes e após a partida. Se houver água no óleo, providencie a troca do óleo.

ACIONAMENTO DA MÁQUINA APÓS UM LONGO PERÍODO DESATIVADA


Ao acionar o motor após a máquina ter permanecido desativada por um longo período, conduza a operação de
aquecimento por completo. Para obter detalhes, consulte “Aquecimento do Motor” (página 3-119).

3-174
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

DIAGNÓSTICO DE FALHAS
APÓS TER ACABADO O COMBUSTÍVEL DA MÁQUINA
Quando for dar a partida novamente após ter acabado o combustível da máquina, primeiramente abasteça a
máquina com combustível e promova a sangria do ar do sistema de combustível.
Esteja sempre atento ao nível do combustível para que a máquina não fique sem combustível.
Caso o motor tenha morrido em decorrência da falta de combustível, torna-se necessário o emprego da bomba de
escorva para a sangria completa do ar do circuito de combustível.
 Para detalhes sobre o método de sangria do ar, veja “SANGRANDO O AR DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL
(pág. 4-50).”

REBOCANDO A MÁQUINA

! ATENÇÃO
Caso uma máquina fora de condições de operação for rebo-
cada de maneira incorreta ou a seleção ou inspeção do cabo
de aço a ser usado não obedecer critérios técnicos, o
resultado poderá ser um acidente sério onde alguém venha
a se ferir com gravidade ou mesmo morrer.
 Confirme sempre se o cabo de aço a ser usado para o
rebocamento está suficientemente dimensionado para o
peso da máquina a ser rebocada.
 Jamais utilize um cabo de aço com as tramas cortadas
(A), estricção de diâmetro (B) ou retorcido (C), caso con-
trário o cabo de aço poderá romper durante a operação
de rebocamento.
 Use sempre luvas de couro ao manusear um cabo de
aço.
 Nunca reboque uma máquina em uma rampa.
 Durante a operação de rebocamento, em hipótese algu-
ma fique entre a máquina rebocadora e a máquina que
estiver sendo rebocada.
 Opere a máquina lentamente e tome todo o cuidado para
não submeter o cabo de aço a qualquer carga brusca que
seja.

NOTA
A carga máxima suportada pelo engate é de 77000 kg. Jamais exceda esse peso ao rebocar.

3-175
DIAGNÓSTICO DE FALHAS OPERAÇÃO

 Se a máquina afundar na lama e não puder desatolar por


si própria ou estiver sendo usada para rebocar um objeto
pesado, prenda o cabo de aço no engate conforme ilustra a
figura à direita, ou, no caso de máquinas dotadas de barra de
tração, prenda o cabo de aço no pino da barra de tração ao
rebocar.

 Quando rebocar a máquina, desloque-se a uma velocidade


inferior a 1 km/h por uma distância de apenas alguns metros
para um local apropriado para realização de reparos.
Esta operação deve ser usada apenas em caso de emergência.

3-176
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

BATERIA DESCARREGADA
! ATENÇÃO
 É perigoso carregar a bateria que se encontra instalada na
máquina. Assim, procure remover sempre a bateria antes
de carregá-la
 Antes de começar a inspecionar ou manusear a bateria,
primeiro pare o motor e desligue a chave de partida.
 A bateria desprende gás hidrogênio, portanto, há risco de
explosão. Não aproxime cigarros acesos ou objetos que
produzam faíscas da bateria.
 O eletrólito da bateria é ácido sulfúrico diluído e pode
atacar suas roupas e sua pele. Se ele pingar em suas
roupas ou em sua pele, lave imediatamente o local afetado
com bastante água. Caso ele atinja seus olhos, lave-os
com água limpa e procure socorro médico.
 Ao manusear a bateria, use óculos de segurança e luvas
de borracha.
 Quando remover a bateria, comece desconectando o cabo
do terra (normalmente, do terminal negativo (-)). Ao instalar
a bateria, comece conectando o terminal positivo (+). Caso
uma ferramenta faça a ponte entre o terminal positivo e o
chassi, há o risco do desprendimento de faíscas.
 Se os terminais estiverem mal apertados, o mau contato pode (A) Ao remover a bateria, desconecte primeiro
gerar faíscas, e, conseqüentemente, causar uma explosão. o cabo do terra.
 Verifique os terminais positivo (+) e negativo (-) atentamente (B) Ao instalar a bateria, comece a conexão
ao removê-los ou instalá-los. pelo terminal positivo (+).

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO DA BATERIA


 Antes de remover a bateria, remova o cabo do terra (normalmente, do terminal (-)). Caso uma ferramenta faça
a ponte entre o terminal positivo e o chassi, há risco do desprendimento de faíscas.
 Quando instalar a bateria, conecte o cabo do terra por último.
 Quando substituir a bateria, assegure-se de baterias que estejam descarregadas.
Torque de aperto: Aperto do terminal de bateria: 9,8 a 14,7 Nm (1 a 1,5 kgm)

3-177
DIAGNÓSTICO DE FALHAS OPERAÇÃO

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO DO CABO DA BATERIA


1. Abra a tampa da bateria (1).
2. Antes de remover a bateria, primeiro desconecte o cabo do
terra (normalmente o do terminal negativo (-)). Se alguma
ferramenta fizer a ponte entre o terminal positivo e o chassi,
há o risco do desprendimento de faíscas. Solte as porcas dos
terminais e remova os cabos da bateria.
3. Quando instalar a bateria, conecte por último o cabo do terra.
Encaixe o orifício do terminal na bateria e aperte a porca.
Torque de aperto: 9,8 a 19,6 Nm (1 a 2 kgm)
4. Feche a tampa da bateria (1).

PRECAUÇÕES AO CARREGAR A BATERIA


Ao carregar a bateria, se ela não for manuseada corretamente,
haverá o risco da bateria explodir. Siga sempre as instruções
contidas na seção “BATERIA DESCARREGADA” (página 3-177)
e o manual de instruções que acompanha o carregador, e pro-
ceda conforme as orientações apresentadas a seguir.

 Ajuste a voltagem do carregador na mesma voltagem da ba-


teria a ser carregada. Se a voltagem correta não for selecio-
nada, o carregador poderá ficar superaquecido e causar uma
explosão.
 Conecte o grampo positivo (+) do carregador ao terminal
positivo (+) da bateria, e então conecte o grampo negativo (-)
do carregador ao terminal negativo (-) da bateria. Certifique-
se de prender os grampos com segurança.
 Ajuste a corrente de carga em 1/10 do valor da capacidade nominal da bateria, durante cargas rápidas, ajuste-a
para ser menor do que a capacidade nominal da bateria.
Se a corrente do carregador estiver muito alta, o eletrólito irá vazar, e isto poderá o incêndio ou a explosão da bateria.
 Se o eletrólito da bateria estiver gelado, não carregue a bateria ou dê partida com outra fonte de energia. Há o
perigo de que o eletrólito da bateria reaja e cause a explosão da bateria.
 Não use nem carregue uma bateria que estiver com o nível do eletrólito abaixo da linha do nível mínimo
(LOWER LEVEL). Isto poderá causar uma explosão. Verifique o nível do eletrólito da bateria periodicamente e
adicione água destilada para elevar o nível do eletrólito para a linha do nível superior (UPPER LEVEL).

3-178
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

ACIONAMENTO DO MOTOR COM BATERIA


AUXILIAR
Ao acionar o motor com bateria auxiliar, siga o procedimento
descrito a seguir:

PRECAUÇÕES DURANTE A CONEXÃO E DESCONEXÃO DA


BATERIA AUXILIAR

! ATENÇÃO
 Ao conectar os cabos, jamais contacte os terminais
positivo (+) e negativo (-).
 Ao conectar os cabos, jamais contacte os terminais
positivo (+) e negativo (-).
 Tome cuidado para não deixar que a máquina normal e
a máquina com problema entrem em contato uma com a
outra. Isto previne a geração de faíscas próximas à bateria,
e que poderiam incendiar o gás hidrogênio eliminado
pela bateria. Se o gás hidrogênio explodir, poderá causar
ferimentos sérios.
 Tenha cuidado para não se confundir ao conectar uma
bateria auxiliar. Na última conexão (com o chassi da
estrutura superior), será causada uma faísca. Assim,
conecte o cabo em um ponto o mais distante possível da
bateria. (Evite o equipamento de trabalho, contudo, por
não ser um bom condutor.)
 Ao remover a bateria auxiliar, tenha cuidado para que
os seus grampos não se contactem e nem contactem o
chassi.

NOTAS
• A espessura dos cabos de instalação da bateria auxiliar e de suas respectivas presilhas deve ser com-
patível com o tamanho da bateria.
• A bateria da máquina normal deve ser de capacidade igual à da máquina com problema.
• Verifique se os cabos e presilhas apresentam algum dano ou corrosão.
• Certifique-se de que os cabos se encontram firmemente conectados.
• Confirme se as alavancas de trava (do equipamento de trabalho e da direção) se encontram TRAVADAS
e o freio de estacionamento está aplicado em ambas as máquinas.
• Confirme se todas as alavancas encontram-se na posição neutro.
• Se a máquina for equipada com um interruptor de isolamento da bateria, gire este interruptor para a
posição DESL (OFF) antes de conectar a bateria auxiliar. Esta ação irá evitar danos ao equipamento
elétrico na máquina fora de condições de uso.

3-179
DIAGNÓSTICO DE FALHAS OPERAÇÃO

CONEXÃO DOS CABOS DA BATERIA AUXILIAR


Mantenha as chaves de partida da máquina cuja bateria será utilizada para carregar a bateria descarregada e da
máquina cuja bateria está descarregada desligadas.
Conecte os cabos da bateria auxiliar seguindo as instruções abaixo, obedecendo a seqüência numérica do es-
quema à direita.
1. Conecte uma presilha do cabo da bateria auxiliar (A) ao ter-
minal positivo (+) da bateria descarregada (C).
2. Conecte a outra presilha do cabo da bateria auxiliar (A) ao
terminal positivo (+) da bateria (D) que será utilizada para
carregar a bateria descarregada.
3. Conecte uma presilha do cabo da bateria auxiliar (B) ao ter-
minal negativo (-) da bateria que será utilizada para carregar
a bateria descarregada.
4. Se a máquina for equipada com um interruptor de isolamento
da bateria, gire este interruptor para a posição LIG (ON) na
máquina com problemas.
5. Conecte a outra presilha do cabo da bateria auxiliar (B) ao blo-
co do motor da máquina (E) cuja bateria está descarregada.

PARTIDA

! ATENÇÃO
Verifique sempre se a alavanca de trava está ajustada na posição TRAVADA, independentemente da máqui-
na estar trabalhando normalmente ou ter apresentado falha. Verifique também se todas as alavancas de
controle se encontram na posição neutro ou na posição MANTER

1. Certifique-se de que os grampos estejam firmemente conectados aos terminais da bateria.


2. Acione o motor da máquina normal, deixando-o funcionar em marcha lenta.
3. Gire o interruptor de partida da máquina com problema para a posição PARTIDA e acione o motor.
Se o motor não for acionado na primeira tentativa, tente novamente após cerca de 2 minutos mais ou menos.

DESCONEXÃO DOS CABOS DA BATERIA UXILIAR


Após o acionamento do motor, desconecte os cabos da bateria auxiliar na ordem inversa à qual foram conectados.
1. Remova uma presilha do cabo da bateria auxiliar (B) do bloco
do motor (E) da máquina cuja bateria estava descarregada.
2. Remova a outra presilha do cabo da bateria auxiliar (B) do
terminal negativo (-) da bateria que foi utilizada para carregar
(D) a bateria que estava descarregada.
3. Remova uma presilha do cabo da bateria auxiliar (A) do ter-
minal positivo (+) da bateria (D) que foi utilizada para carre-
gar a bateria que estava descarregada.
4. Remova a outra presilha do cabo da bateria auxiliar (A) do
terminal positivo (+) da bateria que estava descarregada (C).

3-180
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

USO DE CONECTORES DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA PARA O MOTOR


DE PARTIDA
(Especificação para mineração, item opcional)

Esta máquina possui um conector para uso de uma fonte de ali-


mentação externa para o motor de partida.
O conector deste tipo pode ser utilizado para dar a partida com
um cabo de reforço.
• O conector está localizado na caixa de ferramentas, posicio-
nada no interior do pára-lama esquerdo.

CONEXÃO DO CABO DE REFORÇO


1. Conecte o cabo de reforço ao conector da fonte de alimentação
externa do motor de partida da máquina com problemas.
2. Conecte a outra extremidade deste cabo ao conector da fonte
de alimentação externa para o motor de partida da máquina
normal.

3-181
DIAGNÓSTICO DE FALHAS OPERAÇÃO

OUTROS PROBLEMAS

SISTEMA ELÉTRICO
 Ao fazer as correções indicadas entre parêntese ( ), procure o seu distribuidor Komatsu.
 Se ocorrerem anormalidades ou problemas não relacionados abaixo, solicite o reparo dos mesmos ao seu
distribuidor Komatsu.

Problema Causas principais Correção


A luminosidade dos faróis não é inten-  Defeito na fiação elétrica  (Verifique e repare terminais soltos e
sa mesmo com o motor funcionando conecte fios soltos
em alta rotação Verifique os fusíveis e diodos das caixas
de fusíveis)
Os faróis trepidam com o motor em  Tensão da correia do ventilador  Ajuste a tensão da correia do alterna-
funcionamento fora de ajuste dor. Para detalhes, veja
A CADA 250 HORAS DE OPERAÇÃO
A luz de carga não apaga mesmo  Defeito no alternador  (Substitua)
com o motor em funcionamento  Defeito na fiação elétrica  (Verifique, repare
(Verifique os fusíveis e diodos das caixas
de fusíveis)

O alternador emite um ruído anormal  Defeito no alternador  (Substitua)

O motor de partida não vira quando  Defeito na fiação elétrica  (Verifique, repare)
a chave de partida é ligada  Interruptor de isolamento da  Ligue o interruptor
bateria (Item opcional)
 Carga insuficiente da bateria  Carregue
O pinhão do motor de partida fica
 Carga insuficiente da bateria  Carregue
avançando e recuando em falso

O motor de partida aciona o motor  Carga insuficiente da bateria  Carregue


lentamente  Defeito no motor de partida  (Substitua)

O motor de partida desacopla antes  Defeito na fiação elétrica  (Verifique, repare)


do motor pegar  Carga insuficiente da bateria  Carregue

A luz piloto de preaquecimento não  Defeito na fiação elétrica  (Verifique, repare)


acende (quando a temperatura do  Defeito no temporizador  (Substitua)
líquido de arrefecimento do motor ex-  Defeito no painel monitor  (Substitua)
cede 20 ºC esta condição é normal)  Vela de preaquecimento des-  (Substitua)
conectada

 Fusível queimado  (Verifique, repare)


 Carga insuficiente da bateria  (Carregue)
 Defeito no interruptor do ar con-  (Substitua o interruptor do ar
O ar condicionado não funciona
dicionado condicionado)
corretamente
 Defeito no interruptor do so-  (Substitua o interruptor do soprador)
prador
 Defeito no compressor  (Substitua)

O passo da lâmina não muda  Defeito na fiação elétrica  (Verifique, repare)


(apenas em máquinas com lâmina  Defeito no interruptor  (Substitua)
de dupla inclinação)  Defeito na válvula solenóide  (Substitua)

3-182
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

PAINEL MONITOR
Sempre que um código de erro aparecer no painel indicador B
(multinformativo), faça as correções necessárias com base na
tabela abaixo.

Código da Como o mostrador do painel indi-


Anormalidade Correção
anormalidade cador informa a anormalidade
 O bloqueio do conversor de O código da anormalidade e As funções automáticas cessam,
torque não é acessado o total de horas de operação o mesmo ocorrendo com algumas
E01  A dupla inclinação da lâmina não da máquina até o instante em outras funções, mas ainda é possível
funciona que ocorreu a anormalidade operar a máquina. Solicite imediata-
são exibidos alternadamente mente ao seu distribuidor Komatsu
no mostrador do horímetro os reparos necessários
O código da anormalidade e Se você desligar o motor e voltar a dar
 O limitador de inclinação não o total de horas de operação
funciona a partida, consegue operar sem as
da máquina até o instante em funções limitadoras. Operar nessas
 A transmissão não sobe nem que ocorreu a anormalidade
E02 reduz de marcha condições exige, contudo, bastante
são exibidos alternadamente cuidado.
 O controle do passo não funcio- no mostrador do horímetro, a
na Solicite imediatamente ao seu distri-
luz de advertência pisca e o buidor Komatsu os reparos neces-
alarme sonoro soa sários.
 O número de marchas que pode O código da anormalidade Mova a máquina para um local
ser usado é limitado e o total de horas de ope- seguro e solicite imediatamente ao
 O motor não funciona na rotação ração da máquina até o seu distribuidor Komatsu os reparos
máxima instante em que ocorreu a necessários
 Choque excessivo na mudança de anormalidade são exibidos
marchas alternadamente no mostra-
E03 + CALL  A máquina manobra com dificul- dor do horímetro, a luz de
dade advertência pisca e o alarme
 Choque excessivo quando os sonoro soa
freios são aplicados
 Anormalidade no sensor da tem-
peratura do líquido de arrefeci-
mento do motor
 É impossível controlar o motor O código da anormalidade e Pare a máquina e solicite imediata-
 A máquina não se desloca o total de horas de operação mente ao seu distribuidor Komatsu
 A máquina não pára da máquina até o instante em os reparos necessários
E04 + CALL que ocorreu a anormalidade
são exibidos alternadamente
no mostrador do horímetro, a
luz de advertência pisca e o
alarme sonoro soa

3-183
DIAGNÓSTICO DE FALHAS OPERAÇÃO

CHASSI
 Ao fazer as correções indicadas entre parêntese ( ), procure o seu distribuidor Komatsu.
 Se ocorrerem anormalidades ou problemas não relacionados abaixo, solicite o reparo dos mesmos ao
seu distribuidor Komatsu.

Problema Causas principais Correção

A pressão do óleo no conversor de  Tubulações de óleo e juntas  Verifique, repare


torque não sobe de tubulações mal apertadas,
vazamento de ar ou vazamento
de óleo provocado por algum
dano  (Verifique, substitua)
 Desgaste da bomba de engre-
nagens  Complete o óleo até o nível especificado.
 Falta de óleo na carcaça da Para detalhes, veja VERIFICAÇÕES
transmissão ANTES DA PARTIDA

 Obstrução do filtro-tela do ele-  Limpe. Para detalhes, veja A CADA 500


mento do filtro de óleo na car- HORAS DE OPERAÇÃO
caça da transmissão
O conversor de torque superaquece  Obstrução do radiador  Limpe a colméia do radiador
 A velocidade de rotação do  Verifique e repare o circuito hidráulico do
ventilador é baixa motor do ventilador
 Temperatura do líquido de arrefe-  Veja “Componentes do Motor”
cimento do motor alta
 Obstrução do resfriador do óleo  (Limpe ou substitua)
 Pressão do óleo excessivamente  Vá para o item “A pressão do óleo no
baixa conversor de torque não sobe”
 Pouca vazão de óleo devido ao  (Substitua a bomba de engrenagens)
desgaste da bomba de engre-
nagens
O indicador da temperatura do óleo  Defeito no indicador da temperatura  (Substitua o indicador da temperatura do
do conversor de torque não funciona do óleo do conversor de torque óleo do conversor de torque)
 Mau contato na fiação elétrica  (Verifique, repare)
Pouca força na barra de tração (a má- O motor tem pouca potência  Veja “Componentes do Motor”
quina não desenvolve velocidade)  A pressão do óleo no conversor de  Vá para o item “A pressão do óleo no
torque está excessivamente baixa conversor de torque não sobe”
 A embreagem direcional está  (Verifique, repare)
patinando
A máquina não arranca quando a ala-  Falta óleo na carcaça da em-  C o m p l e t e o ó l e o a t é o n í v e l
vanca joystick é colocada em AVANTE breagem direcional especificado.
ou RÉ Para detalhes, veja VERIFICAÇÕES
 A pressão do óleo da transmis- ANTES DA PARTIDA
são não sobe  Vá para o item “A pressão do óleo no
 A embregaem direcional patina conversor de torque não sobe)
 Desgaste da bomba de engre-  (Verifique, repare)
nagens
 Obstrução do elemento do  Limpe. Para detalhes, veja A CADA 1000
filtro-tela de óleo da carcaça da HORAS DE OPERAÇÃO
embreagem direcional
 Defeito na fiação elétrica da  Verifique a fiação elétrica
alavanca joystick
 Alavanca do freio de estaciona-  Destrave a alavanca do freio de esta-
mento travada cionamento
A máquina não manobra quando a  Defeito na fiação elétrica da  (Verifique e repare, se necessário a fiação
alavanca joystick é inclinada para a alavanca joystick elétrica)
esquerda ou a direita  O freio não é aplicado no lado  Ajuste a articulação e verifique a pressão
tracionado do freio
A máquina não pára quando o pedal  Ajuste incorreto do freio  (Ajuste a articulação e a pressão do freio)
do freio é aplicado
 Defeito na fiação elétrica do  (Verifique a fiação elétrica)
pedal do freio
As esteiras se soltam  As esteiras estão com muita folga  Ajuste a tensão das esteiras. Para deta-
lhes, veja QUANDO NECESSÁRIO
A roda motriz desenvolve um desgas-  As sapatas das esteiras estão - Ajuste a tensão das esteiras. Para deta-
te anormal com muita folga ou sem folga lhes, veja QUANDO NECESSÁRIO
alguma
A lâmina sobe lentamente ou não  Falta de óleo hidráulico  Complete o óleo até o nível especificado.
sobe (ou a lâmina inclina muito
devagar)  Defeito no interruptor hidráulico)  Substitua
 A alavanca de trava do equipa-  Destrave-a
mento de trabalho está travada

3-184
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

O escarificador move-se muito  Falta de óleo hidráulico  Complete o óleo até o nível especificado.
lentamente Para detalhes, veja A CADA 250 HORAS
DE OPERAÇÃO
 Alavanca de trava do equipamento  Destrave-a
de trabalho travada
 Defeito na válvula solenóide  Substituir
Falta força ao escarificador  Vazamento na tubulação  (Aperte)

3-185
DIAGNÓSTICO DE FALHAS OPERAÇÃO

MOTOR
 Ao fazer as correções indicadas entre parêntese ( ), procure o seu distribuidor Komatsu.
 Se ocorrerem anormalidades ou problemas não relacionados abaixo, solicite o reparo dos mesmos ao
seu distribuidor Komatsu.

Problema Causas principais Correção


A luz de advertência da pressão  O nível do óleo do cárter do óleo do  Complete o óleo até o nível especifica-
do óleo do motor pisca quando a motor está baixo (aspirando ar) do. Veja VERIFICAÇÕES ANTES DA
rotação do motor é aumentada após PARTIDA
a conclusão do aquecimento  Obstrução do cartucho do filtro de  Substitua o cartucho. Veja A CADA 500
óleo HORAS DE OPERAÇÃO
 Tubulação de óleo ou junta de tubula-  (Verifique, repare)
ção mal apertada, vazamento de óleo
por peça danificada
 Defeito no painel monitor  (Substitua)
Sai vapor pela parte superior do  Nível baixo do líquido de arrefecimento,  Complete o líquido de arrefecimento. Veja
radiador (válvula de pressão) vazamento de líquido de arrefecimento VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA
 Correia do ventilador solta  Substitua a correia do ventilador
 Sujeira ou detritos acumulados no  Troque o líquido de arrefecimento. Faça
sistema de arrefecimento a limpeza interna do sistema de arrefeci-
mento. Veja QUANDO NECESSÁRIO
 Velocidade de rotação do ventilador  Verifique e repare o circuito hidráulico
é baixa do motor do ventilador
A luz de advertência da temperatu-  Aleta do radiador obstruída ou dani-  Limpe ou repare. Veja QUANDO NE-
ra do líquido de arrefecimento do ficada CESSÁRIO
motor permanece acesa (opera-  Defeito no termostato  (Substitua o termostato)
ção em grandes altitudes)  Tampa do bocal de abastecimento do  Aperte a tampa ou troque a gaxeta
radiador solta (operação em grandes
altitudes)
 Defeito no painel monitor  (Substitua)

O motor não pega quando o  Falta de combustível  Complete o combustível. Veja VERIFI-
motor de partida vira CAÇÕES ANTES DA PARTIDA
 Ar no sistema de combustível  Conserte o lugar por onde entra o ar

 O filtro de combustível está sem  (Substitua a bomba ou o bico injetor)


combustível
 O motor de partida aciona o motor  Veja SISTEMA ELÉTRICO
lentamente
 Folga das válvulas mal ajustada  (Ajuste a folga das válvulas)
O escapamento emite fumaça  Excesso de óleo no cárter de óleo  Complete o óleo até o nível especi-
branca ou azul ficado. Veja VERIFICAÇÕES ANTES
DA PARTIDA
 Uso de combustível não especificado  Passe a usar combustível especificado
O escapamento ocasionalmente  Obstrução do elemento do filtro de  Limpe ou substitua. Veja QUANDO NE-
emite fumaça preta ar CESSÁRIO
 Defeito no bico injetor  (Substitua o bico injetor)
 Falha na compressão  (Ajuste a folga das válvulas)
 Defeito no turboalimentador  (Limpe ou substitua o turboalimentador)

O ruído da combustão soa ocasional-  Falha na compressão  (Substitua o bico injetor)


mente como um vazamento de ar
Ruído anormal (na combustão  Está sendo usado combustível de má  Passe a usar combustível especificado
ou mecânico) qualidade
 Superaquecimento  Veja o item “O indicador da temperatura
do líquido de arrefecimento está na es-
cala vermelha”
 Silencioso danificado internamente  (Substitua o silencioso)
 Folga excessiva das válvulas  (Ajuste a folga das válvulas)

3-186
OPERAÇÃO DIAGNÓSTICO DE FALHAS

QUANDO ALGUMA LUZ DO SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS PISCA


Se alguma das luzes de advertência piscar ou tornar-se impossível controlar a rotação do motor com o botão de
controle do combustível ou o pedal desacelerador, pare a operação imediatamente, verifique o que o painel monitor
está informando e solicite os reparos necessários ao seu distribuidor Komatsu.
Se, além dos problemas acima, ocorrer algum dos problemas relacionados na tabela abaixo, provavelmente há
uma anormalidade no interruptor da alavanca de controle do equipamento de trabalho, no sensor das marchas da
transmissão ou em algum outro componente, e os reparos necessários devem ser solicitados ao seu distribuidor
Komatsu.

Modo Operação Anormalidade


 A rotação do motor varia; é difícil operar
Economia Laminação  Perda total de controle; o motor permanece na rotação máxima ou
próximo dela
Redução da velocidade de  A velocidade de ELEVAÇÃO do escarificador é lenta

deslocamento em ré  A velocidade em ré é rápida
Bloqueio do conversor de Todas as opera-  O bloqueio do conversor de torque não funciona
torque ções  O choque na troca de marchas torna-se excessivo
Quando a máqui-  Quando a máquina trafega por si própria (sem ser rebocada), a
na trafega por si rotação do motor só vai até um ponto, não chegando ao valor
- própria (sem ser
rebocada) máximo

3-187
MANUTENÇÃO

! ATENÇÃO
Leia e certifique-se de que entendeu a seção SEGURANÇA antes de
prosseguir a leitura do manual

4-1
INFORMAÇÕES SOBRE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

INFORMAÇÕES SOBRE A MANUTENÇÃO


Não execute nenhuma operação de manutenção e inspeção que não esteja nesse manual.

Leitura do horímetro
Confira a leitura do horímetro diariamente para verificar se está próximo o período para a realização de alguma
manutenção.

Peças genuínas de reposição da Komatsu


Como peças de reposição, só use peças genuínas Komatsu especificadas no Catálogo de Peças.

Lubrificantes genuínos Komatsu


Use óleos e graxa genuínos da Komatsu. Escolha os óleos e a graxa de viscosidades próprias especificadas de
acordo com a temperatura ambiente.

Fluído do lavador de pará-brisa


Utilize o fluído do lavador de vidros de janelas automotivo, e tome cuidado para que não haja contaminação com
sujeira.

Lubrificantes limpos e novos


Utilize graxa e óleo limpos. Além disso, mantenha os recipientes de óleo e graxa também limpos. Elimine os
materiais estranhos do óleo e da graxa.

Verifique o óleo drenado e o filtro usado


Após a troca do óleo e a substituição dos filtros, verifique se há partículas metálicas e materiais estranhos nos
filtros e óleos velhos. Caso encontre uma grande quantidade desses materiais, relate sempre o fato à pessoa
encarregada, e tome as ações devidas.

Filtro-tela
Se sua máquina estiver equipada com um filtro-tela de combustível, não o remova durante o abastecimento de
combustível.

Instruções de solda
 Desligue a força. Aguarde por cerca de um minuto após ter desligado a chave do interruptor de partida, e
desconecte o terminal negativo (-) da bateria.
 Não aplique mais de 200 V continuamente.
 Conecte o cabo do terra a uma distância de um metro da área a ser soldada. Se o cabo do terra estiver conectado
próximo aos instrumentos, conectores etc., os instrumentos poderão apresentar defeitos.
 Se um vedador ou rolamento se interpuser entre a parte a ser soldada e o ponto do terra, mude o ponto do terra
para evitar tais peças.
 Não utilize a área em torno dos pinos do equipamento de trabalho ou dos cilindros hidráulicos como ponto de
terra.

Não deixe cairem objetos dentro da máquina


 Ao abrir janelas de inspeção ou a tampa do bocal de abastecimento de óleo do reservatório para realizar a
inspeção, tenha cuidado para não deixar cairem porcas, parafusos ou ferramentas dentro da máquina.
Se tais objeto caírem dentro da máquina, poderão causar danos e/ou o seu malfuncionamento, gerando falhas.
Se deixar cair qualquer coisa dentro da máquina, retire-a imediatamente.
 Não coloque coisas desnecessárias nos seus bolsos. Carregue apenas os itens que sejam importantes para o
trabalho de inspeção.

4-2
MANUTENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE MANUTENÇÃO

Locais de trabalho
Quando trabalhar em locais saturados de poeira, siga estas orientações:
 Limpe as aletas do radiador e outras peças do equipamento de troca de calor mais freqüentemente, e tome
cuidado para não deixar as aletas ficarem obstruídas.
 Substitua o filtro de combustível com maior freqüência.
 Limpe os componentes elétricos, especialmente o motor de partida e o alternador, para evitar o acúmulo de poeira.
 Quando verificar e substituir o óleo ou dos filtros, mova a máquina para um local onde não haja poeira e tome
cuidado para que não entre poeira no sistema.

Evite misturar lubrificantes


Se precisar adcionar um óleo de marca ou classificação diferente, dreno o óleo velho e substitua todo o óleo pelo
óleo da nova marca ou classificação. Nunca misture marcas e classificações diferentes de óleo.

Travamento das tampas de inspeção


Trave firmemente a tampa de inspeção na posição, utilizando a barra de trava. Caso a inspeção ou manutenção
seja executada com a tampa de inspeção fora da posição de travamento, há o perigo da tampa fechar repentina-
mente pela força do vento e causar ferimentos ao operador.

Sistema hidráulico - Sangria de ar


Quando o equipamento hidráulico tiver sido reparado ou substituído, ou se a tubulação hidráulica tiver sido remo-
vida e reinstalada, o ar deverá ser sangrado do circuito. Para detalhes, consulte “SANGRIA DO AR DO SISTEMA
HIDRÁULICO” (página 4-49).

Instalção de mangueira hidráulica


 Ao remover peças em locais onde exista a presença de anéis “O” ou juntas, limpe a superfície a ser fixada e
substitua as peças velhas por novas.
Ao fazer essa operação, tenha cuidado para não esquecer de montar os anéis “O” e as juntas.
 Quando instalar as mangueiras, não deixe-as retorcidas nem muito dobradas. Caso sejam instaladas nessas
condições, sua vida útil será extremamente diminuída e ainda poderão ficar danificadas.

Controladora
A controladora da máquina pode sofrer interferências de ondas de rádio, portanto, quando for instalar equipamentos
de rádio frequência na máquina, consulte seu distribuidor Komatsu.

Verificações e inspeções após os trabalhos de manutenção


Caso você tenha esquecido de realizar as verificações após a inspeção e a manutenção, problemas inesperados
poderão ocorrer, podendo causar acidentes com ferimentos sérios e prejuízos materiais. Proceda sempre da
seguinte maneira:
 Verificações após a operação (com o motor desligado)
 Algum ponto de inspeção e manutenção foi esquecido?
 Todos os itens de inspeção e manutenção foram executados corretamente?
 Caiu alguma peça ou ferramenta dentro da máquina? É particularmente perigoso se forem deixadas peças
dentro da máquina estas ficarem presas no mescanismo de articulação das alavancas.
 Foi observado algum vazamento de óleo ou líquido de arrefecimento? Todas as porcas e parafusos foram
devidamente apertados.
 Verificações durante a operação do motor.
 Para detalhes sobre as verificações a serem feitas com o motor operando, consulte “FERRAMENTAS
APROPRIADAS” (página 2-30) e preste muita atenção às medidas de segurança.
 Os itens que passaram por inspeção e manutenção estáo funcionando de maneira apropriada?
 Existe algum vazamento de combustível ou óleo quando a rotação do motor é elevada?

4-3
INSTRUÇÕES PARA MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

PRECAUÇÕES AO ABRIR E FECHAR A TAMPA


LATERAL DO MOTOR
 Para abrir a tampa lateral do motor, fique em pé sobre a
esteira, segure a tampa lateral com ambos os polegares e
abra-a lentamente com os outros dedos.

4-4
LINHAS GERAIS DE SERVIÇO MANUTENÇÃO

LINHAS GERAIS DE SERVIÇO


 Sempre use as peças e óleos genuínos Komatsu para fazer a substituição de peças e a troca de graxa e óleo.
 Ao trocar ou adicionar óleo, não misture tipos diferentes de óleo. Quando trocar o tipo de óleo, drene todo o
óleo velho e abasteça completamente com o novo. Sempre substitua também o filtro na mesma operação. (Não
haverá problema se o pequeno volume de óleo remanescente na tubulação se misturar ao óleo novo).
 A menos que especificado de outra forma, quando a máquina é embarcada de fábrica, ela é abastecida com o
óleo e o líquido de arrefecimento relacionados na tabela apresentada a seguir:

Item Tipo
Cárter de óleo do motor Óleo de motor EO15W40DH (peças genuínas Komatsu)
Carcaça do amortecedor
Óleo do trem de força TO30 (peças genuínas Komatsu)
Carcaça do mescanismo do giro
Carcaça do comando final Óleo de engrenagem G085W140 (peças genuínas Komatsu)
Sistema de óleo hidráulico Óleo do trem de força TO10 (peças genuínas Komatsu)
Radiador Supercoolant AF-NAC (densidade: 30% ou acima) (peças genuínas Komatsu)

MANUSEIO DE ÓLEO, COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO, E ANÁLISE


CLÍNICA DE AMOSTRAS DO ÓLEO
ÓLEO
 O óleo é utilizado no motor e no equipamento hidráulico sob condições extremamente severas (temperatura e
pressão altas), e deteriora com o uso.
Use sempre óleo correspondente à classificação e às condições de temperaturas ambientes mínima e máxima
recomendadas no Manual de Operação e Manutenção. Mesmo que o óleo não esteja sujo, troque sempre o
óleo no intervalo especificado.
 O óleo corresponde ao sangue no corpo humano, portanto seja sempre muito cuidadoso ao manusea-lo para
evitar a entrada de quaisquer impurezas (água, partículas metálicas, sujeira, etc.).
A maioria dos problemas com a máquina são causadas pela entrada de tais impurezas.
Tome cuidado principalmente para que essas impurezas não se misturem ao óleo durante o armazenamento e o
abastecimento.
 Jamais misture óleos de classificações e marcas diferentes.
 Adcione sempre o volume especificado de óleo.
Tanto a falta como o excesso de óleo são fatores causadores de problemas.
 Se o óleo no equipamento de trabalho não estiver limpo, existe a possibilidade de entrada de água ou ar no circuito.
Em tais casos, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu.
 Ao trocar o óleo, substitua sempre os filtros relacionado na mesma operação.
 Recomendamos que seja feita uma análise periódica do óleo para verificar a condição da máquina. Para aqueles
que desejam utilizar esse serviço, basta entrarem em contato com o seu distribuidor Komatsu.
 Quando utilizar o óleo disponível no mercado, talvez seja necessário reduzir o intervalo entre as trocas.
Recomendamos que você utilize a análise clínica de amostras do óleo da Komatsu para realizar verificações
detalhadas das características e propriedades do óleo.

4-5
MANUTENÇÃO LINHAS GERAIS DE SERVIÇO

COMBUSTÍVEL
 A fim de evitar que a umidade presente no ar se condense, formando água dentro do reservatório de combus-
tível, abasteça sempre o reservatório de combustível após completar cada dia de trabalho.
 A bomba de combustível é um instrumento de precisão, e se for utilizado um combustível contendo água ou
outras impurezas, ela não poderá trabalhar adequadamente.
 Seja extremamente cauteloso para não permitir a entrada de impurezas durante a armazenagem ou adição de
combustível.
 Use sempre o combustível especificado para a temperatura de acordo com o Manual de Operação e Manutenção.
 Se o combustível for utilizado em temperaturas abaixo da temperatura especificada (principalmente as
temperaturas abaixo de - 15 ºC), o combustível se solidificará.
 Se o combustível for utilizado em temperaturas acima da temperatura especificada, a sua viscosidade irá
diminuir, podendo também resultar em problemas, como queda na potência.
 Antes de dar a partida ou 10 minutos após o abastecimento de combustível ter terminado, drene os sedimentos
e a água do reservatório de combustível.
 Se o motor ficar sem combustível ou os filtros tiverem sido substituídos, será necessário sangrar o ar do circuito.
 Se houver qualquer material estranho na reservatório de combustível, lave o reservatório e o sistema de combustível.

IMPORTANTE
Utilize sempre óleo diesel como combustível.
Para garantir boas características de consumo de combustível e do gás do escapamento, o motor montado nes-
ta máquina utiliza um dispositivo de injeção de combustível de alta pressão controlado eletronicamente.
Esse dispositivo requer lubrificação e peças de alta precisão, assim, se for utilizado óleo de baixa viscosi-
dade com baixa capacidade de lubrificação, a sua durabilidade poderá ser reduzida significativamente.

LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E ÁGUA PARA DILUIÇÃO


 O líquido de arrefecimento possui a importante função de prevenir a corrosão e também o congelamento.
Mesmo em áreas onde o congelamento não é um problema, o uso do líquido de arrefecimento contendo
anticongelante é essencial.
As máquinas da Komatsu são fornecidas com o Komatsu Supercoolant (AF-NAC). O Komatsu Supercoolant
(AF-NAC) possui excelente propriedades de arrefecimento, anticongelamento e anticorrosão, e pode ser utilizado
continuamente por 2 anos ou 4000 horas.
O Komatsu Supercoolant (AF-NAC) é altamente recomendado sempre que estiver disponível.
 Se utilizar o Komatsu Supercoolant (AF-NAC), não há necessidade de utilizar um resistor contra corrosão. Para
obter mais detalhes, consulte “LIMPEZA INTERNA DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO (página 4-22)
 Ao diluir o líquido de arrefecimento contendo anticongelante, use água destilada ou água da torneira (água potável).
A água em seu estado natural, como a água de rio ou de poço (água pesada), contém uma grande quantidade
de minerais (cálcio, magnésio, etc), e isto pode facilitar a formação de inscrustações no motor ou no radiador. A
inscrustação sendo depositada no motor ou no radiador, é extremamente difícil removê-la. Isto também poderá
causar superaquecimento, em função da troca deficiente de calor, por isso ao diluir o líquido de arrefecimento,
recomendamos que você utilize água com uma dureza global inferior a 100 PPM.
 Ao utilizar anticongelante, observe sempre as precauções fornecidas no Manual de Operação e Manutenção.
 O líquido de arrefecimento contenso anticongelante é inflamável, por isso procure mantê-lo longe de chama.
 A proporção de Supercoolant (AF-NAC) e água varia de acordo com a temperatura ambiente.
Para obter mais detalhes sobre a proporção da mistura, consulte “LIMPEZA INTERNA DO SISTEMA DE
ARREFECIMENTO” (página 4-22).
O Supercoolant (AF-NAC) pode ser fornecido previamente misturado. Neste caso, jamais adicione água diluídora.
 Se o motor estiver superaquecido, aguarde até que o motor esfrie antes de adicionar o líquido de arrefecimento.
 Se o nível do líquido de arrefecimento estiver baixo, poderá haver superaquecimento, além também de problemas
com corrosão em função da entrada de ar no líquido de arrefecimento.

4-6
LINHAS GERAIS DE SERVIÇO MANUTENÇÃO

GRAXA
 A graxa é utilizada para prevenir o emperramento e o ruído nas juntas.
 Este equipamento de construção é utilizado sob condições de carga pesada. Use sempre a graxa recomendada e siga os
intervalos de troca segundo as temperaturas ambientes recomendadas neste Manual de Operação e Manutenção.
 Os niples não incluídos na seção de manutenção são niples usados em reparos da máquina com um todo, e
por isso não necessitam de graxa.
Se alguma parte se tornar endurecida após ser utilizada por um longo período, adicione graxa.
 Limpe sempre toda a graxa antiga que sai das peças ao fazer a lubrificação com graxa.
Seja particularmente cuidadoso na limpeza da graxa antiga em lugares onde areia ou sujeira, se aderirem à
graxa, possam causar desgaste das peças rotativas.

EXECUÇÃO DA KOWA (ANÁLISE DE DESGASTE ATRAVÉS DE AMOSTRAS DO ÓLEO


KOMATSU)
Este serviço consiste de coletas periódicas de amostras de óleo, que são analisadas para compor um programa de
manutenção preventiva, onde são detectadas com antecedência as peças da máquina que apresentam desgaste
ou funcionamento anormal. Isto possibilita a prevenção de falhas e consequente redução nos intervalos de parada
da máquina para execução de reparos.
A longa experiência adquirida pela Komatsu, associada à riqueza de dados acumulados nesta área, torna possível
determinar com precisão a real condição de sua máquina. Isto nos permite localizar os problemas e recomendar
os métodos de reparo mais adequados e convenientes.
A análise clínica do óleo é um serviço que custa para o cliente apenas o seu valor real, oferecendo um relatório
imediato dos resultados da análise e as recomendações quanto às ações a serem tomadas. Este serviço de baixo
custo pode evitar despesas muito mais elevadas e inconveniências no futuro, por isso é altamente recomendável
que seja adotado pelos proprietários de nossas máquinas.

ITENS DE ANÁLISE KOWA


 Medição da densidade das partículas metálicas dispersadas por
desgaste.
Esse processo utiliza um analisador ICP (Plasma acoplado por
indução) para medir a densidade do ferro, cobre, e outras partí-
culas metálicas dispersadas por desgaste presentes no óleo.

 Medição da quantidade de partículas


Esse processo utiliza uma máquina de medição do índice
quantificador de partículas para medir a quantidade de partículas
de ferro de 5μ ou mais, possibilitando a detecção prévia de falhas

 Outros
São realizadas medições de itens como a proporção de água no óleo, a densidade do líquido de arrefecimento
contendo anticongelante, proporção de combustível no óleo, e a viscosidade dinâmica, permitindo um diagnóstico
altamente preciso da capacidade da máquina de desempenhar suas funções satisfatoriamente.

4-7
MANUTENÇÃO LINHAS GERAIS DE SERVIÇO

COLETA DE AMOSTRAS DE ÓLEO


 Intervalo de coleta de amostras
250 horas: motor
500 horas: outros componentes

 Precauções na coleta de amostras


 Certifique-se de que o óleo esteja bem misturado antes de coletar as amostras.
 Faça a coleta de amostras em intervalos fixos regulares.
 Não realize a coleta de amostras em dias chuvosos ou de muito vento, quando há possibilidade de água ou
poeira se misturar ao óleo.
 Se a máquina estiver equipada com um acoplador de amostragem de óleo, use-o para coletar as amostras
de óleo (item opcional).

Para obter detalhes adicionais sobre a KOWA, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu.

Especificações para mineração, item opcional


(1): Líquido de arrefecimento
(2): Óleo do motor
(3): òleo hidráulico
(4): Óleo do trem de força

Porta de testes
Fabricante HYDROTECHNIK
Modelo 2103-01-40-00

Parafuso de montagem tamanho R1/8

 Precauções a serem adotadas durante a coleta de amostras


 Funcione o motor em marcha lenta ao realizar a coleta.
 Estacione a máquina antes de proceder à coleta de amostras.
(Acione o freio de estacionamento, a alavanca de travamento do equipamento de trabalho e a alavanca de
bloqueio da direção)
 O óleo é coletado sob alta temperatura, por isso tome muito cuidado para não se queimar.

Para obter mais detalhes sobre o método de análise KOWA, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu.

ARMAZENAGEM DE ÓLEO E COMBUSTÍVEL


 Mantenha o óleo e o combustível armazenados em locais fechados, para evitar a entrada de água, sujeira ou
outras impurezas.
 Ao manter o óleo e combustível em tambores por um longo período, posicione o tambor deitado de lado para que
a tampa do bocal de abastecimento do tambor fique na posição lateral, o que evita a entrada de umidade.
 Para prevenir qualquer alteração na qualidade durante um longo período de armazenagem, certifique-se de seguir
a ordem de que o primeiro a entrar será o primeiro a sair (utilize primeiro o óleo ou combustível mais antigo).

4-8
MANUTENÇÃO INSTRUÇÕES PARA MANUTENÇÃO

FILTROS
 Filtros são peças de segurança extremamente importantes. Eles evitam a entrada de impurezas nos circuitos
de ar e combustível em equipamentos importantes, o que poderia causar problemas.
Substitua todos os filtros periodicamente. Para obter mais detalhes, consulte o Manual de Operação e Manutenção.
Todavia, ao trabalhar sob condições severas, substitua os filtros em intervalos menores, de acordo com o óleo
e combustível utilizados (teor de enxofre).
 Nunca tente limpar os filtros (do tipo cartucho) e reutilizá-los. Sempre substitua-os por filtros novos.
 Ao substituir os filtros de óleo, verifique se há partículas metálicas presas ao filtro velho. Caso encontre as
partículas, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu.
 Não abra embalagens de conjuntos de filtros sobressalentes antes do momento de serem utilizados.
 Use sempre filtros genuínos Komatsu.

MANUTEÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO


 É extremamente perigoso quando o equipamento elétrico se molha ou quando há danos no encapamento da fiação.
Isto poderá causar um curto-circuito e gerar falhas no funcionamento da máquina. Não lave a parte interna da cabina
do operador com água. Ao lavar a máquina tome cuidado para que a água não penetre nos componentes elétricos.
 Os serviços relacionados ao sistema elétrico compreendem a verificação da tensão da correia do ventilador,
verificação de danos ou desgaste na correia do ventilador, e verificação do nível do fluído da bateria.
 Nunca instale qualquer componentes elétricos que não sejam os especificados pela Komatsu.
 A interferência eletromagnética externa poderá causar falhas no funcionamento do controlador do sistema de
controle. Antes de instalar um receptor de rádio ou outro equipamento sem fio, entre em contato com o seu
distribuidor Komatsu.
 Ao trabalhar proximo ao mar, limpe cuidadosamente o sistema elétrico para prevenir corrosão.
 Quando instalar um equipamento elétrico, conecte-o ao conector da fonte de alimentação especial.
Não conecte a fonte de alimentação opcional ao fusível, interruptor de partida ou relé da bateria.

MANUSEIO DE EQUIPAMENTOS RELACIONADOS AO SISTEMA HIDRÁULICO


 Durante uma operação e após o término das operações, o equipamento hidráulico está a uma alta temperatura.
Durante as operações, ele também está sob alta pressão, então ao realizar inspeção e manutenção do
equipamento hidráulico relacionado, tome cuidado com os seguintes pontos.
 Pare a máquina em uma superfície plana, abaixe o equipamento de trabalho completamente e realize a
operação, de modo que não haja nenhuma pressão nos circuitos do cilindro.
 Sempre desligue o motor.
 Imediatamente após parar as operações, o óleo hidráulico e o lubrificante estão a altas temperaturas e alta
pressão, portanto aguarde a temperatura do óleo cair antes de iniciar a manutenção.
Mesmo depois de baixada a temperatura, algumas partes podem ainda estar sob pressão interna, então
quando for afrouxar bujões, parafusos ou conexões de mangueiras, não fique diretamente na frente dessas
peças e afrouxe devagar para liberar a pressão interna antes de removê-las.
 Ao realizar a inspeção e manutenção do circuito hidráulico, sempre libere o ar no tanque hidráulico para
remover a pressão interna.
 Inspeção e manutenção incluindo a verificação do sistema hidráulico para nível de óleo, substituição dos
elementos filtrantes e substituição do óleo hidráulico.
 Se as mangueiras de alta pressão foram removidas, verifique se há danificação nos anéis de vedação “O”. Se
algum dano for encontrado, substitua o anel de vedação.
 É necessário sangrar o ar dos circuitos quando o elemento filtrante ou filtro forem substituídos ou lavados, quando
o equipamento hidráulico foi reparado ou substituído ou quando as tubulações do equipamento hidráulicas forem
substituídas.

4-9
MANUTENÇÃO LISTA DE PEÇAS DE DESGASTE

LISTA DE PEÇAS DE DESGASTE


Peças de desgaste, tais como elementos de filtro, bordas cortantes, etc. devem ser substituídas nos intervalos de
manutenção periódica programados ou antes de atingirem seus limites de desgaste.
As peças de desgaste devem ser substituídas corretamente a fim de se racionalizar o uso da máquina.
Para a troca de peças, use peças genuínas Komatsu de qualidade comprovada.
Nos seus pedidos de peças de reposição, mencione o código da peça relacionado na lista abaixo.

LISTA DE PEÇAS DE DESGASTE


As peças entre parêntese devem ser substituídas em conjunto.

Peso
Item Código da peça Nome da peça Quant. Intervalo de troca
(kg)

Filtro de óleo do motor 600-211-1340 Cartucho - 4

07063-51142 Elemento 1
Filtro da transmissão -
(07000-E5165) (Anel “O”) (1)

07063-51142 Elemento 1
Filtro de lubrificação da transmissão - A cada 500 horas de operação
(07000-E5165) (Anel “O”) (1)

07063-51142 Elemento 1
Filtro do conversor de toque -
(07000-E5165) (Anel “O”) (1)

Pré-filtro de combustível 600-319-3440 Cartucho - 2

Filtro de combustível 600-319-3520 Cartucho - 2

Elemento do respiro do reservatório hi-


421-60-35170 Elemento - 1
dráulico
A cada 1000 horas de operação
Elemento do respiro do reservatório de
421-60-35170 Elemento - 1
combustível

Elemento de respiro da carcaça do trem de


285-62-17320 Elemento [*1] - 1
força

17M-12-21180 Filtro - 4
Respiro da carcaça do amortecedor
285-62-17320 Elemento [*1] - 1
A cada 2000 horas de operação
208-60-71123 Elemento 1
Filtro do óleo hidráulico -
(07000-15210) (Anel “O”) (2)

600-185-6100 Conjunto de elemento - 2

Filtro de ar 600-185-6110 Elemento externo - 2 -

600-185-6120 Elemento externo - 2

4-10
MANUTENÇÃO INSTRUÇÕES PARA MANUTENÇÃO

Peso
Item Código da peça Nome da peça Quant. Intervalo de troca
(kg)

198-71-31540 Borda cortante 114,2 2


198-71-31550 Borda cortante 157,5 3
198-71-62540 Borda cortante - 2
198-71-62550 Borda cortante - 3
(198-71-21850) (Parafuso) - (26)
(198-71-21890) (Arruela) - (26)
Lâmina (198-71-21911) (Porca) - (26)
-
(Semi-U) 198-71-31520 Canto da lâmina (esquerdo) 148,0 1
198-71-31530 Canto da lâmina (direito) 148,0 1
(198-71-21870) (Parafuso) - (8)
(198-71-21860) (Parafuso) - (8)
(198-71-21880) (Ressalto) - (8)
(198-71-21890) (Arruela) - (8)
(198-71-21911) (Porca) - (16)
Lâmina
198-71-31540 Borda cortante 114,2 2
198-71-31550 Borda cortante 157,5 3
198-71-62540 Borda cortante - 2
198-71-62550 Borda cortante - 3
(198-71-21850) (Parafuso) - (34)
(198-71-21890) (Arruela) - (34)
Lâmina U (198-71-21911) (Porca) - (34)
-
inteiriça 198-71-31520 Canto da lâmina (esquerdo) 148,0 1
198-71-31530 Canto da lâmina (direito) 148,0 1
(198-71-21870) (Parafuso) - (8)
(198-71-21860) (Parafuso) - (8)
(198-71-21880) (Ressalto) - (8)
(198-71-21890) (Arruela) - (8)
(198-71-21911) (Porca) - (16)

(Escarificador 198-78-21330 Protetor 38,5 1


gigante variável 198-78-21340 Ponteira 34,3 1 -
de protetor curto) (198-78-21410) (conjunto do pino) - (3)

(Escarificador 198-78-21390 Protetor 57,2 1


Escarificador gigante variável 198-78-21340 Ponteira 34,3 1 -
de protetor longo) (198-78-21410) (conjunto do pino) - (3)

198-78-21330 Protetor 38,5 3


(Escarificador
198-78-21340 Ponteira 34,3 3 -
múltiplo variável)
(198-78-21410) (conjunto do pino) - (9)

NOTA
Manuseie peças pesando mais de 25 kg com cuidado.

4-11
COMBUSTÍVEL , LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFICANTE
MANUTENÇÃO RECOMENDADOS

COMBUSTÍVEL, LIQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFICANTE


RECOMENDADOS
 Os óleos genuínos Komatsu são formulados para manter a confiabilidade e durabilidade dos componentes e
equipamentos de construção da Komatsu.
Para manter a sua máquina nas melhores condições por um longo período de tempo, é essencial seguir as
instruções contidas neste Manual de Operação e Manutenção.
 A não observância destas recomendações poderá resultar em diminuição da vida útil ou desgaste excessivo
do motor, trem de força, sistema de arrefecimento e/ou outros componentes.
 Os aditivos para lubrificantes disponíveis comercialmente podem ser bons para a máquina, mas também podem
causar danos. A Komatsu não recomenda qualquer aditivo para lubrificante disponível comercialmente.
 Utilize o óleo recomendado de acordo com a temperatura ambiente apresentada no quadro da página seguinte
 A capacidade especificada significa o volume de óleo, incluindo o óleo que se encontra no reservatório e na
tubulação. A capacidade de reabastecimento significa o volume de óleo necessário para reabastecer o sistema
durante a inspeção ou manutenção.
 Ao acionar o motor em temperaturas abaixo de 0 ºC, certifique-se de utilizar óleo multiviscoso, mesmo que a
temperatura ambiente possa se elevar durante o decorrer do dia.
 Se a máquina for operada sob temperaturas abaixo de -20 ºC, será necessário empregar um dispositivo separado,
por isso consulte o seu distribuidor Komatsu.
 Quando o teor de enxofre no combustível for menor que 0,2%, troque o óleo de acordo com o período fornecido
na tabela de inspeção periódicas deste Manual de Operação e Manutenção.
Se o teor de enxofre no combustível for maior que 0,2%, troque o óleo de acordo com a tabela fornecida abaixo:

Teor de enxofre (%) Intervalo de troca de óleo


Menos que 0,2% 500 horas
0,2-0,5% 250 horas
0,5 e acima Não recomendável (*)

 Se esses combustíveis forem utilizados, há o perigo de um problema sério ocorrer em função da deterioração
precoce do óleo do motor ou do desgaste precoce das partes internas do motor. Se a situação local obrigar o
uso desse combustíveis, lembre-se sempre de seguir a orientação apresentada a seguir.
1) Certifique-se de verificar freqüentemente o Número básico total (TBN) de óleo pelo verificador manual de
TBN, e faça a troca de óleo baseada no resultado.
2) Esteja sempre consciente de que o intervalo de troca de óleo é extremamente menor que o padrão.
3) Certifique-se de deixar a inspeção periódica do motor a cargo de um especialista do distribuidor, uma vez
que o intervalo de troca das peças de substituição periódica e o intervalo geral também são menores.

4-12
USO DO COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRI-
MANUTENÇÃO FICANTES SEGUNDO A TEMPERATURA AMBIENTE

USO DO COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E


LUBRIFICANTES SEGUNDO A TEMPERATURA AMBIENTE
TABELA PARA SELEÇÃO DE COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFICANTES

Temperatura ambiente em graus Celsius


Fluidos Komatsu reco-
Reservatório Tipo de fluido -22 -4 14 32 50 68 86 104 122ºC mendados
-30 -20 -10 0 10 20 30 40 50ºC

(NOTA 1) Komatsu EOS0W30

(NOTA 1) Komatsu EOS5W40

Cárter de óleo do motor Óleo do motor Komatsu EO10W30-DH

Komatsu EO15W40-DH

Komatsu EO30-DH

Óleo do trem de força


Carcaça do amortecedor TO30
(Nota 2)
Carcaça do trem de força
(incluindo carcaça da trans- TO10
missão, carcaça do conver- Óleo do trem de força
sor de torque e carcaça da TO30
embreagem cônica)

GO75W90
Carcaça do comando final
Óleo da engrenagem
(cada)
GO85W140

TOS5W30
Óleo do trem de força
TO10

Sistema hidráulico Óleo hidráulico HO46-HM

Komatsu EO10W30-DW
Óleo do Motor
Komatsu EO15W40-DW

Graxa Hyper grease


G2-T, G2-TE
(Nota. 3)
Graxeira
Graxa EP à base
G2-LI
de lítio
Sistema de Líquido de arrefecimento Supercoolant
arrefecimento (Nota 4) AF-NAC
ASTM Classe nº 1-D S15
Reservatório de ASTM Classe nº 1-D S500
Óleo diesel
combustível ASTM Classe nº 2-D S15
ASTM Classe nº 2-D S500

 ASTM: Sociedade Americana de Testes e Materiais.

4-13
USO DO COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRI-
MANUTENÇÃO FICANTES SEGUNDO A TEMPERATURA AMBIENTE

Carcaça do trem de força


(incluindo a carcaça da
Carcaça do Reservatório Sistema
Cárter do transmissão, carcaça do Carcaça do Sistema
comando de de arrefeci-
motor conversor de torque e amortecedor hidráulico
final (cada) combustível mento
carcaça da engrenagem
cônica)
Quantidade especifi-
126 410 2,2 75 420 1670 210
cada (litros)
Capacidade de rea-
121 210 2,2 75 170 - -
bastecimento (litros)

IMPORTANTE
Use sempre óleo diesel como combustível.
Para garantir boas características de consumo de combustível e do gás do escapamento, o motor montado nesta
máquina utiliza um dispositivo de injeção de combustível de alta pressão controlado eletronicamente.
Esse dispositivo requer lubrificação e peças de alta precisão, assim, se for utilizado óleo de baixa viscosidade
com baixa capacidade de lubrificação, a sua durabilidade poderá ser reduzida significativamente.

Obs. 1: A HTHS (Viscosidade de alta resistência ao cisalhamento a temperatura de até 150 ºC), especificada pela
ASTM D4741 deve ser igual ou superior a 3,5 mPa-S. Komatsu EOS0W30 e EOS5W40 são os óleo mais
apropriados.

Obs. 2: O óleo do trem de força possui propriedades diferentes do óleo do motor. Certifique-se de utilizar os óleos
recomendados.

Obs. 3: A graxa Hyper grease (G2-T, G2-TE) possui uma alta performance.
Sempre que for necessário aumentar o poder lubrificante da graxa para que não ocorra o atrito de pinos e buchas,
remonda-se o uso da G2-T ou G2-TE.

Obs. 4: Supercoolant (AF-NAC)


1) O líquido de arrefecimento possui a importante função de prevenir a corrosão e também o congelamento. Mesmo em
áreas onde o congelamento não chega a ser um problema, o uso do líquido de arrefecimento contendo anticongelante é
essencial. As máquinas da Komatsu são fornecidas com o Komatsu Supercoolant (AF-NAC). O Komatsu Supercoolant
AF¬NAC possui excelentes propriedades de arrefecimento, anticongelamento e anticorrosão, e pode ser utilizado
continuamente por 2 anos ou 4000 horas.
O Komatsu Supercoolant AF-NAC é altamente recomendado sempre que estiver disponível.
2) Para obter mais detalhes sobre a proporção de diluição do Supercoolant na água, consulte a seção “LIMPEZA INTERNA
DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO” (página 4-22). O Supercoolant AF-NAC pode ser fornecido previamente
misturado. Neste caso, complete sempre com uma solução pré-misturada (e nunca diluída com água).
3) A fim de manter as propriedade anticorrosivas do Supercoolant AF-NAC, mantenha sempre a densidade do líquido
entre 30% e 68%.

MARCAS RECOMENDADAS, QUALIDADE RECOMENDADA DOS PRODUTOS QUE


NÃO SEJAM O ÓLEO GENUÍNO KOMATSU
Ao utilizar óleos disponíveis comercialmente que não sejam o óleo genuíno Komatsu, consulte o seu distribuidor
Komatsu.

4-14
ESPECIFICAÇÕES DO TORQUE DE APERTO MANUTENÇÃO

TORQUES DE APERTO PADRÕES PARA PARAFUSOS


E PORCAS
TABELAS DE TORQUE DE APERTO

! CUIDADO
Se as porcas, parafusos ou outras peças não forem apertadas no torque especificado, isto poderá afrouxar
ou danificar as peças fixadas, podendo causar até mesmo falha da máquina ou problemas na operação.
Peça que sejam apertadas devem merecer um cuidado redobrado.

A menos que especificado de outra maneira, aperte as porcas e parafusos métricos no torque mostrado na tabela
abaixo.
Caso seja necessário substituir qualquer porca ou parafuso, utilize sempre uma peça genuína Komatsu do mesmo
tamanho da peça a ser substituída.

Torque de aperto
Limite de serviço
Diâmetro Largura
Nm kgfm librapé
da rosca do entre faces Valor ideal
parafuso (a) opostas (b) 11,8 - 14,7 1,2 - 1,5 8,7 - 10,8
(mm) (mm) Nm kgfm librapé 27 - 34 2,8 - 3,5 20,3 - 25,3
6 10 13,2 1,35 9,8 59 - 74 6,0 - 7,5 43,4 - 54,2
8 13 31 3,2 23,1 98 - 123 10,0 - 12,5 72,3 - 90,4
10 17 66 6,7 48,5 157 - 190 15,5 - 19,5 112,1 - 141
12 19 113 11,5 83,2 235-285 23,5-29,5 170,0-213,4
14 22 177 17,5 126,6 320-400 33,0-41,0 238-7-296,6
16 24 260 26,5 191,7 455-565 46,5-58,0 336,3-419,5
18 27 360 37 267,6 610-765 62,5-78,0 452,1-564,2
20 30 510 52,3 378,3 785-980 80,0-100,0 578,6-723,3
22 32 688 70,3 508,5 1150-1440 118,0-147,0 853,5-1063,3
24 36 883 90 651 1520-1910 155,0-195,0 1121,1-1410,4
27 41 1295 132,5 958,4 1960-2450 200,0-250,0 1446,6-1808,3
30 46 1720 175,0 1265,8 2450-3040 250,0-310,0 1808,3-2242,2
33 50 2210 225,0 1627,4 2890-3630 295,0-370,0 2133,7-2616,2
36 55 2750 280,0 2025,2
39 60 3280 335,0 2423,1

Aplique a seguinte tabela para a mangueira hidráulica


Largura Torque de aperto (N•m (kgf•m, lbf•pé))
Nominal -nº entre faces
de roscas (a) opostas(b) Valor ideal Faixa admissível
(mm)
9/16 - 18UNF 19 44 (4,5, 32,5) 34 – 54 (3,5 – 5,5, 25,3 – 39,8)
11/16 – 16UN 22 74 (7,5, 54,2) 54 – 93 (5,5 – 9,5, 39,8 – 68,7)
13/16 – 16UN 27 103 (10,5, 75,9) 84 – 132 (8,5 – 13,5, 61,5 – 97,6)
1 – 14UNS 32 157 (16,0, 115,7) 128 – 186 (13,0 – 19,0, 94,0 – 137,4)
1•3/16– 12UN 36 216 (22,0, 159,1) 177 – 245 (18,0 – 25,0, 130,2 – 180,8)

4-15
PEÇAS ESSENCIAIS À SEGURANÇA OPERAÇÃO

SUBSTITUÇÃO PERIÓDICA DE ITENS ESSENCIAS A SEGURANÇA


Para a utilização segura da máquina por um longo período de tempo, é necessário substituir periodicamente as peças
relacionadas à prevenção contra incêndio e essenciais à segurança crítica, listadas na tabela de peças aplicáveis.
A qualidade do material que compõe essas peças pode mudar à medida que passa o tempo, e elas estão sujeitas
ao desgaste e mesmo à deterioração. Todavia, é difícil determinar a extensão do desgaste ou da deterioração por
ocasião da manutenção periódica. Sendo assim, é necessário substituí-las por peças novas, independentemente
da sua condição após um certo período de utilização. Isso é importante para garantir que essas peças mantenham
o seu desempenho total em todos os momentos.
Além disso, se qualquer anormalidade for verificada em alguma dessas peças, substitua-a por uma nova, mesmo
que o intervalo de substituição periódica ainda não tenha vencido.
Se algum dos grampos de mangueira mostrar sinais de deterioração, como deformação ou ruptura, substitua os
grampos junto com as mangueiras.
Execute também as verificações que veremos ao longo do presente capítulo nas mangueiras hidráulicas que necessitem de
substituição periódica. Aperte todos os grampos frouxos e substitua as mangueiras defeituosas, conforme necessário.
Ao substituir as mangueiras, substitua sempre os anéis “O”, juntas, e outras peças correspondentes na mesma operação.
Deixe a substituição das peças essenciais à segurança a cargo do seu distribuidor Komatsu.

4-16
MANUTENÇÃO SUBSTITUIÇÃO PERIÓDICA DE ITENS ESSENCIAIS À SEGURANÇA

ITENS ESSENCIAIS À DE SEGURANÇA

Quantidade Intervalo de
Nº Ítens de substituição periódica
Simples Dupla, SD reposição

1 Mangueira de combustível (tubo ladrão entre bicos injetores) 4 4


2 Mangueira de suprimento de óleo do turboalimentador 2 2
3 Mangueira de combustível (bico injetor - mangueira de retorno de combustível) 1 1
4 Mangueira de combustível (filtro de combustível - bomba injetora) 2 2
5 Mangueira de combustível (bomba de alimentação - mangueira de retorno de combustível) 1 1
6 Mangueira entre o arrefecedor de óleo do conversor de torque - carcaça direcional) 1 1
7 Conjunto da mangueira de detecção de pressão do trem de força 1 1
8 Mangueira de combustível (reservatório de combustível - filtro-tela do combustível 3 3
9 Mangueira de combustível (retorno do combustivel) 1 1
Mangueira entre a saída do conversor de torque e o arrefecedor de óleo do conversor
10 1 1
de torque
11 Mangueira de combustível (filtro-tela de combustível - bomba de alimentação) 1 1
12 Mangueira entre a válvula principal e o tubo do relé do escarificador 4 4
13 Mangueira entre o tubo do relé do escarificador e o bloco divisor do escarificador 4 4
14 Mangueira entre o bloco divisor do escarificador e o cilindro de elevação do escarificador 4 4
15 Mangueira entre o bloco divisor do escarificador e o cilindro de inclinação do escarificador 4 4
16 Mangueira entre a válvula principal e o reservatório 2 2 A cada 2 anos ou
17 Mangueira entre o acumulador PPC e a válvula de bloqueio PPC 1 1 4000 horas de
operação (o que
18 Mangueira entre a válvula de bloqueio PPC e a válvula PPC da lâmina 1 1 ocorrer primeiro)
19 Mangueira entre a válvula de bloqueio PPC e a válvula PPC do escarificador 1 1
20 Mangueira entre a válvula autoredutora de pressão e a válvula principal 1 1
21 Mangueira entre a válvula autoredutora de pressão e o bloco divisor de pressão básico PPC 1 1
22 Mangueira entre o bloco divisor de pressão básico PPC e o acumulador PPC 1 1
23 Mangueira entre o bloco divisor de pressão básico PPC e o bloco do relé da lâmina - 1
24 Mangueira entre o bloco divisor de pressão básico PPC e o bloco divisor EPC 1 1
25 Mangueira entre o bloco divisor EPC e a bomba hidráulica 1 1
26 Mangueira entre o bloco divisor EPC e a bomba do ventilador 2 2
27 Mangueira entre o bloco divisor EPC e a válvula unificadora/divisora do fluxo da bomba 1 1
28 Mangueira entre a válvula PPC da lâmina e o bloco de relé da lâmina 4 4
29 Bloco de relé da lâmina - válvula principal 4 6
30 Mangueira entre a válvula PPC da lâmina e o bloco de relé de dreno PPC 1 1
31 Mangueira entre a válvula PPC do escarificador e o bloco do relé do escarificador 4 4
32 Mangueira entre o bloco do relé do escarificador e a válvula principal 4 4
33 Mangueira entre a válvula PPC do escarificador e o bloco do relé de dreno PPC 1 1
34 Mangueira entre o bloco do relé da lâmina e o bloco do relé de dreno PPC - 1

4-17
SUBSTITUIÇÃO PERIÓDICA DE ITENS ESSENCIAIS À SEGURANÇA OPERAÇÃO

Quantidade Intervalo de
Nº Ítens de substituição periódica
Simples Dupla, SD reposição

Mangueira entre a válvula unificadora/divisora de fluxo da bomba e o bloco do relé de


35 - 1
dreno PPC
36 Mangueira entre o bloco de relé de dreno PPC e o reservatório 1 1
37 Válvula unificadora/divisora de fluxo da bomba - reservatório - 1
38 Mangueira entre a bomba hidráulica e a válvula principal 6 6
39 Mangueira entre a bomba hidráulica e o reservatório 1 1
40 Mangueira entre a válvula principal e o bloco divisor de elevação da lâmina 4 4
41 Mangueira entre o bloco divisor de elevação da lâmina e o tubo do relé 2 2
42 Mangueira entre o tubo do relé e o cilindro de elevação da lâmina 2 2
Mangueira entre a válvula de baixa pressão principal e o bloco do relé de inclinação
43 2 4
da lâmina
44 Mangueira entre a bomba do ventilador e o reservatório 2 2
A cada 2 anos ou
Mangueira entre o LPV30 da bomba do ventilador e o bloco de unificação/descarga 4000 horas de
45 1 1
da bomba do ventilador operação (o que
ocorrer primeiro)
Mangueira entre o bloco de unificação/descarga da bomba do ventilador e o motor
46 2 2
do ventilador
47 Mangueira entre o motor do ventilador e o reservatório 3 3
48 Mangueira entre o motor do ventilador e o arrefecedor hidráulico 2 2
49 Arrefecedor hidráulico - válvula de derivação (bypass) 1 1
50 Mangueira entre o arrefecedor hidráulico e o reservatório 2 2
Base de borracha para o suporte do cabo do freio de estacionamento (extremidade da
51 2 2
alavanca do freio de estacionamento)
52 Acumulador (para o circuito de controle) 1 1
53 Mangueira entre o filtro de ar e o turboalimentador 2 2
54 Mangueira entre o turboalimentador e o pós-arrefecedor 4 4
55 Mangueira entre o pós-arrefecedor e o motor 4 4
56 Braçadeiras da tubulação de alta-pressão 1 jogo 1 jogo
A cada 8000 horas
57 Tampa anti-salpico de combustível 1 jogo 1 jogo
A cada 3 anos após o
início de seu uso ou 5
58 Cinto de segurança 1 1 anos após a data de
fabricação do cinto, o
que ocorrer primeiro

4-18
MANUTENÇÃO QUADRO DE MANUTENÇÕES PERIÓDICAS

QUADRO DE MANUTENÇÕES PERIÓDICAS


QUADRO DE MANUTENÇÕES PERIÓDICAS

APÓS AS PRIMEIRAS 250 HORAS DE OPERAÇÃO


SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DOS FILTROS DA TRANSMISSÃO, CONVERSOR DE TORQUE E
LUBRIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO............................................................................................................. 4- 65
TROCA DO ÓLEO DA CARCAÇA DO TREM DE FORÇA E LIMPEZA DOS FILTROS-TELAS...................... 4- 69
TROCA DO ÓLEO DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO
DO ÓLEO HIDRÁULICO, LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO.................. 4- 77
TROCA DO ÓLEO DA CARCAÇA DO COMANDO FINAL............................................................................. 4- 79

QUANDO NECESSÁRIO
LIMPEZA INTERNA DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO............................................................................ 4- 22
VERIFICAÇÃO, LIMPEZA E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO PURIFICADOR DE AR......................... 4- 25
VERIFICAÇÃO E AJUSTE DA TENSÃO DAS ESTEIRAS............................................................................. 4- 30
VERIFICAÇÃO E APERTO DOS PARAFUSOS DAS SAPATAS DAS ESTEIRAS......................................... 4- 33
AJUSTE DA FOLGA DA RODA GUIA ........................................................................................................... 4- 34
INVERSÃO E SUBSTITUIÇÃO DOS CANTOS DA LÂMINA E BORDAS CORTANTES................................ 4- 35
VERIFICAÇÃO E LIMPEZA DAS ALETAS DO RADIADOR, ALETAS DO ARREFECEDOR DE ÓLEO E
ALETAS DO PÓS-RESFRIADOR.............................................................................................................. 4- 37
LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL....................................................... 4- 41
DRENAGEM DA ÁGUA E SEDIMENTOS ACUMULADOS NO RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL........ 4- 41
LIMPEZA DO RESPIRO DA CARCAÇA DO RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL..................................... 4- 41
LIMPEZA DO RESPIRO DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO....................................................................... 4- 41
LIMPEZA DO RESPIRO DA CARCAÇA DA EMBREAGEM DIRECIONAL.................................................... 4- 42
VERIFICAÇÃO DO ÓLEO DO MATERIAL RODANTE................................................................................... 4- 43
LIMPEZA DO FILTRO DE AR DO AR CONDICIONADO (FILTRO DE AR FRESCO/RECIRCULADO)......... 4- 44
SUBSTITUIÇÃO DA CORREIA DO AR CONDICIONADO............................................................................. 4- 44
VERIFICAÇÃO E AJUSTE DO AR CONDICIONADO..................................................................................... 4- 45
LUBRIFICAÇÃO DA DOBRADIÇA DA PORTA DA CABINA........................................................................... 4- 46
VERIFICAÇÃO DO TRINCO DA PORTA DA CABINA.................................................................................... 4- 46
VERIFICAÇÃO DO BATENTE DE TRAVA DA PORTA DA CABINA............................................................... 4- 47
SUBSTITUIÇÃO DO AMORTECEDOR DA PORTA DA CABINA.................................................................... 4- 47
VERIFIQUE O NÍVEL DO FLUIDO DOS LAVADORES DO VIDRO DO PÁRA-BRISA E DOS VIDROS
DAS JANELAS DA CABINA E COMPLETE, SE NECESSÁRIO............................................................... 4- 47
SUBSTITUIÇÃO DAS PALHETAS DOS LIMPADORES DO VIDRO DO PÁRA-BRISA E DOS VIDROS
DAS JANELAS DA CABINA....................................................................................................................... 4- 48
SANGRIA DO AR DO SISTEMA HIDRÁULICO.............................................................................................. 4- 49
SANGRIA DO AR DO CIRCUITO DE COMBUSTÍVEL................................................................................... 4- 50
LUBRIFICAÇÃO.............................................................................................................................................. 4- 51

4-19
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA

A CADA 250 HORAS DE OPERAÇÃO


LUBRIFICAÇÃO.............................................................................................................................................. 4- 55
VERIFICAÇÃO E AJUSTE DA TENSÃO DA CORREIA DE ACIONAMENTO DO ALTERNADOR................ 4- 57
VERIFICAÇÃO DO NÍVEL DO ELETRÓLITO DA BATERIA........................................................................... 4- 58
VERIFICAÇÃO DO DESEMPENHO DOS FREIOS........................................................................................ 4- 61
VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA CARCAÇA DO AMORTECEDOR E COMPLETE, SE NECESSÁRIO. 4- 62

A CADA 500 HORAS DE OPERAÇÃO


TROCA DO ÓLEO DO CÁRTER DO MOTOR E SUBSTITUIÇÃO DO CARTUCHO DO FILTRO
DE ÓLEO DO MOTOR.................................................................................................................................... 4- 63
SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO DA TRANSMISSÃO E DO ELEMENTO DO FILTRO
DO ÓLEO DE LUBRIFICAÇÃO E ELEMENTO DO FILTRO DO CONVERSOR DE TORQUE...................... 4- 65
SUBSTITUIÇÃO DO CARTUCHO DO PRÉ-FILTRO DE COMBUSTÍVEL..................................................... 4- 66
VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA CARCAÇA DO COMANDO FINAL E COMPLETE, SE NECESSÁRIO 4- 68

A CADA 1000 HORAS DE OPERAÇÃO


TROCA DO ÓLEO NA CARCAÇA DO TREM DE FORÇA E LIMPEZA DOS FILTROS-TELAS .................... 4- 69
VERIFICAÇÃO E LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO COMBUSTÍVEL.............................................................. 4- 71
SUBSTITUIÇÃO DO CARTUCHO DO FILTRO PRINCIPAL DE COMBUSTÍVEL.......................................... 4- 71
VERIFIQUE SE OS PARAFUSOS DE FIXAÇÃO DA ESTRUTURA ROPS ESTÃO SOLTOS....................... 4- 72
SUBSTITUIÇÃO DO RESPIRO DA CARCAÇA DO TREM DE FORÇA......................................................... 4- 73
TROCA DO ELEMENTO DO RESPIRO DO RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL..................................... 4- 74
TROCA DO ELEMENTO DO RESPIRO DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO............................................... 4- 74
TROCA DO FILTRO DE AR DO AR CONDICIONADO (FILTRO DO RECIRC E FRESH)............................. 4- 75
INSPEÇÃO DAS BRAÇADEIRAS ENTRE O PURIFICADOR DE AR E TURBOALIMENTADOR,
TURBOALIMENTADOR E PÓS-RESFRIADOR E PÓS-RESFRIADOR E MOTOR....................................... 4- 76
A CADA 2000 HORAS DE OPERAÇÃO
TROCA DO ÓLEO DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO
DO ÓLEO HIDRÁULICO, INCLUINDO A LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO..... 4- 77
TROCA DO ÓLEO NA CARCAÇA DO COMANDO FINAL............................................................................. 4- 79
TROCA DO ÓLEO DA CARCAÇA DO AMORTECEDOR E FILTRO DE RESPIRO, LIMPEZA DO
RESPIRO DO AMORTECEDOR..................................................................................................................... 4- 80
VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO DO ROLAMENTO PIVOTADO E COMPLETE, SE NECESSÁRIO............ 4- 82
VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA MOLA TENSORA E NA CARCAÇA DO CILINDRO AUXILIAR
E COMPLETE, SE NECESSÁRIO................................................................................................................. 4- 82
VERIFIQUE O ALTERNADOR E MOTOR DE PARTIDA................................................................................ 4- 82
VERIFICAÇÃO E AJUSTE DA FOLGA DAS VÁLVULAS DO MOTOR........................................................... 4- 83
INSPEÇÃO DA PRESSÃO DE CARGA DO GÁS NITROGÊNIO NO ACUMULADOR (PARA O CIRCUITO
DE CONTROLE......................................................................................................................................... 4- 83
A CADA 4000 HORAS DE OPERAÇÃO
SUBSTITUIÇÃO DO ACUMULADOR (PARA O CONTROLE DO CIRCUITO)............................................... 4- 87
VERIFICAÇÃO DA BOMBA DE ÁGUA........................................................................................................... 4- 87
VERIFICAÇÃO DA ARMAÇÃO PRINCIPAL E DO EQUIPAMENTO DE TRABALHO (LÂMINA,
ESCARIFICADOR).......................................................................................................................................... 4- 88
VERIFICAÇÃO DO APERTO DA BRAÇADEIRA DE ALTA PRESSÃO E DO ENDURECIMENTO DA
BORRACHA.................................................................................................................................................... 4- 89
VERIFICAÇÃO DE PRESENÇA DAS TAMPAS ANTI-SALPICO DE COMBUSTÍVEL E DO
ENDURECIMENTO BORRACHA.................................................................................................................... 4- 90

A CADA 8000 HORAS DE OPERAÇÃO


SUBSTITUA A PRESILHA DA TUBULAÇÃO DE ALTA PRESSÃO................................................................. 4- 91
SUBSTITUA A TAMPA CONTRA SALPICO DE COMBUSTÍVEL.................................................................... 4- 91

4-20
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO
APÓS AS PRIMEIRAS 250 HORAS DE OPERAÇÃO (SOMENTE APÓS AS 250 HORAS
INICIAIS DE OPERAÇÃO)
Após as primeiras 250 horas de operação, faça as seguintes manutenções:
 Substitua o elemento do filtro de óleo da transmissão e elemento do filtro de lubrificação da transmissão e
elemento do filtro de óleo do conversor de torque
 Troque o óleo da carcaça do trem de força e limpe os filtros-telas (incluindo a caixa da transmissão, carcaça do
conversor de torque, carcaça da engrenagem cônica)
 Troque o óleo do reservatório hidráulico, substitua o elemento do filtro do óleo hidráulico, limpando o filtro-tela
do reservatório hidráulico
 Troque o óleo da carcaça do comando final
Os procedimentos listados acima encontram-se detalhados nas seções A CADA 500 HORAS DE OPERAÇÃO, A
CADA 1000 HORAS DE OPERAÇÃO e A CADA 2000 HORAS DE OPERAÇÃO.

4-21
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

QUANDO NECESSÁRIO
LIMPEZA INTERNA DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO

! ATENÇÃO
 Assim que o motor é desligado, o líquido de arrefecimento está à alta temperatura e o interior do radiador
encontra-se altamente pressurizado. Nessas condições, remover a tampa do radiador para drenar o
líquido de arrefecimento pode provocar graves queimaduras. Portanto, espere a temperatura baixar e
solte a tampa do radiador lentamente para aliviar a pressão antes de removê-la.
 A limpeza interna do sistema de arrefecimento é feita com o motor funcionando. Antes de levantar-se do
assento para deixar a cabina, trave a alavanca de segurança e a alavanca do freio de estacionamento.
 Para detalhes sobre como dar a partida, veja “VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA E AJUSTES” (página
3-89) e “PARTIDA” (página 3-111) na seção OPERAÇÃO.
 Nunca entre na frente da máquina com o motor funcionando, pois o ventilador poderá pegar você.

Faça a limpeza interna do sistema de arrefecimento, troque o líquido de arrefecimento e substitua o resistor de
corrosão de acordo com a tabela abaixo:

Intervalo de limpeza interna do sistema de ar-


Líquido de arrefecimento associado
refecimento e troca do líquido de arrefecimento
a anticongelante
associado a anticongelante
A cada 2 anos ou 4000 horas de operação (o
Supercoolant Komatsu (AF-NAC)
que ocorrer primeiro)

O genuíno líquido de arrefecimento SUPERCOOLANT (AF-NAC) da Komatsu possui a importante função de


prevenir a corrosão bem como de evitar o congelamento. Mesmo nas áreas onde o congelamento não chega a
ser um problema, o uso do líquido SUPERCOOLANT é essencial.
As máquinas da Komatsu são fornecidas com o Supercoolant Komatsu (AF-NAC), que possui excelentes
propriedades anticorrosivas, anticongelantes e de arrefecimento, podendo ser usado continuamente por 2 anos ou
4000 horas de operação. Como regra básica, não recomendamos o uso de nenhum outro líquido de arrefecimento
que não seja o SUPERCOOLANT (AF-NAC) genuíno da Komatsu. Se for utilizado outro líquido de arrefecimento,
este poderá causar graves problemas como corrosão do motor e das peças do sistema de arrefecimento, que usa
metais leves, tais como o alumínio.

Para manter as propriedades anticorrosivas do Supercoolant AF-NAC, mantenha sempre a densidade do


Supercoolant entre 30% e 68%.
Ao decidir sobre a proporção de anticongelante e água, verifique a temperatura mais baixa registrada anteriormente
e faça o cálculo, a partir da tabela de proporções de mistura fornecida abaixo. Em termos reais, é melhor avaliar
com base em uma temperatura aproximadamente 10ºC (18ºF) inferior quando decidir sobre a proporção de mistura.
A proporção de mistura depende da temperatura ambiente, devendo porém estar sempre a um mínimo de 30% por
volume. Se a densidade obtida do líquido de arrefecimento for superior à densidade necessária para as temperaturas
mais baixas, dilua a solução em água destilada adequada e abasteça o reservatório.
Caso tenha dúvida em algum ponto deste processo, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu.

Proporção de mistura de água e anticongelante


Temperatura atmosférica Acima de
ºC -15 -20 -25 -30 -35 -40
mínima -10
Proporção (%) 30 36 41 46 50 54 58

4-22
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

! ATENÇÃO
 O anticongelante é inflamável, portanto, não aproxime chama exposta dele. Como o anticongelante é
tóxico, não deixe líquido de arrefecimento contendo anticongelante pingar em você ao remover o bujão
de dreno. Caso o líquido de arrefecimento atinja seus olhos, lave-os com água em abundância e procure
imediatamente socorro médico.
 Ao efetuar a troca do líquido de arrefecimento ou ao drenar o líquido de arrefecimento do radiador antes
de fazer os reparos, peça a uma empresa especializada para manusear qualquer líquido de arrefecimento
contendo anticongelante, ou entre em contato com seu distribuidor Komatsu. O anticongelante é tóxico, por
isso, jamais deixe-o escorrer pelas valas de drenagem de água e nem drene-o sobre a superfície do solo.

Utilize anticongelante e água apropriada para fazer a diluição (para obter mais detalhes consulte “LÍQUIDO DE
ARREFECIMENTO E ÁGUA PARA DILUIÇÃO”. (PÁGINA 4-6)
Recomenda-se o uso de densímetro para anticongelante para controlar as proporções da mistura.
Prepare um recipiente com capacidade suficiente para receber a solução de anticongelante.
Prepare uma mangueira a ser utilizada durante o abastecimento de anticongelante.

1. Desligue o motor, aguarde o resfriamento total do líquido


de arrefecimento. A máquina deve estar ao nível do solo.
2. Gire a tampa do radiador (3) lentamente para removê-la.

3. Coloque um recipiente para recolher o líquido de


arrefecimento drenado, abra a válvula de dreno (4) e (5) e
drene o líquido de arrefecimento.
4. Após drenar o líquido de arrefecimento, feche as válvulas
de dreno (4) e (5) e coloque água limpa até quase a boca
do bocal de abastecimento de água.
5. Quando o radiador estiver abastecido de água, dê a partida
e funcione o motor em marcha lenta. Quando a temperatura
do líquido de arrefecimento ultrapassar 90º C, continue a
funcionar o motor em marcha lenta e faça a água circular
pelo radiador durante 10 minutos.
6. Abra as válvulas de dreno (4) e (5) e drene a água.
7. Uma vez drenada a água, limpe o sistema de arrefecimento
com agente de limpeza. Siga o método de limpeza indicado
nas instruções que vêm no rótulo do agente de limpeza.
8. Feche as válvulas de dreno (4) e (5).

9. Abasteça com líquido de arrefecimento e água potável até a água transbordar pelo bocal de abastecimento.
Determine a proporção de mistura de líquido de arrefecimento e água segundo a tabela “Proporção de
mistura de água e anticongelante”
10. Para remover o ar contido no líquido de arrefecimento, funcione o motor em marcha lenta por 5 minutos e
funcione-o na rotação máxima nos 5 minutos seguintes (durante essa operação, o bocal de abastecimento de
água do radiador deve permanecer destampado).
4-23
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO OPERAÇÃO

11.Abra a tampa existente do tanque de expansão (6) e adicione


líquido de arrefecimento no tanque de expansão até o
nível especificado seguindo as instruções fornecidas em
“VERIFIQUE O NÍVEL DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO,
COMPLETANDO, SE NECESSÁRIO” (página 3-92), e então
feche a tampa (6).

12.Desligue o motor, aguarde 3 minutos, adicione água tratada


até a água chegar quase na boca do bocal de abastecimento
e aperte a tampa (3).

(Especificação de mineração, item opcional).

Se um acoplador de conexão rápida para drenagem do líquido


de arrefecimento ou adicionar água estiver instalado, utilize o
mesmo.
Acoplador de conexão rápida
Fabricante: WIGGINS
Modelo: EC258AB

Parafuso de montagem
Tamanho: 1/2 –14A NPT

4-24
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

INSPEÇÃO, LIMPEZA E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO DE AR

! ATENÇÃO
 Quando utilizar ar comprimido para limpar o elemento, use óculos de segurança para proteger os olhos.
 Ao remover o elemento do purificador de ar do seu corpo de fixação, evite puxá-lo empregando força.
Ao trabalhar em locais elevados, ou em que haja apoio insuficiente, tome cuidado para não cair em
decorrência da reação causada pela extração do elemento externo.

VERIFICAÇÃO
Se a zona vermelha (A) no diâmetro externo do pistão amarelo do
indicador de manutenção do filtro de ar (1) estiver projetada para
fora, limpe o elemento do filtro de ar. Após a limpeza, pressione
o botão de reset para resetar o pistão.

NOTA
Somente limpe o elemento depois que a zona vermelha
(A) no diâmetro externo do pistão amarelo do indicador de
manutenção do filtro de ar estiver projetada para fora. Se você
limpar o elemento freqüentemente antes da zona vermelha
(A) no diâmetro externo do pistão do indicador
de manutenção do filtro de ar (1) estar projetada para fora,
o desempenho real do filtro de ar não será conhecido e as
limpezas não alcançarão o resultado esperado, sem falar que
a poeira agregada ao elemento cairá com maior freqüência
no elemento interno com as sucessivas limpezas.

Limpeza do Elemento Externo


IMPORTANTE
Antes e após a limpeza do elemento, não deixe-o e nem mantenha-o sob luz solar direta.
1. Remova os 6 ganchos (2), e em seguida remova a tampa (3)
e retire o elemento externo (4).

4-25
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

IMPORTANTE
• Nunca remova o elemento interno (5), o que permitiria a
entrada de sujeira e o ocasionamento de falha no motor.
• Não utilize chave de fenda ou qualquer outra ferramenta.

2. Segure o elemento externo (4), movimente-o ligeiramente para


cima e para baixo e para a esquerda e direita, e rotacione o
elemento para a esquerda e direita a fim de puxá-lo para fora.
3. Após remover o elemento externo (4), cubra o conector de ar
interno o corpo do purificador de ar (6) com um pano limpo ou
uma fita isolante para evitar a entrada de sujeira ou pó.
4. Esfregue com um pano ou escove a sujeira presa na tampa
(3) e na parte interna do corpo do purificador de ar (6).

5. Dirija o jato de ar comprimido seco (a uma pressão menor


que 0,69 MPa (7 kgf/cm2) para o elemento externo aplicado
vindo de dentro ao longo de suas suas dobras, e então dire-
cione-o indo de fora ao longo de suas dobras e mais uma vez
aplicado vindo de dentro.
1) Verifique se o elemento interno não está solto. Se ele está
solto, insira-o cuidadosamente.
2) Se a zona vermelha (A) do diâmetro externo do pistão
amarelo do indicador de manutenção do filtro de ar sair
para fora imediatamente após a limpeza, substitua o con-
junto do elemento.
NOTA
Verifique o elemento com uma lâmpada após a limpeza e
secagem do mesmo, e substitua-o se haver pequenos orifí-
cios ou partes mais finas.
Não use um elemento cujas dobras, junta ou retentor este-
jam danificados.
Não golpeie ou bata o elemento contra o chão ao limpá-lo.

6. Se pequenos orifícios ou partes mais delgadas forem encontrados no elemento ao se verificar a peça com um
foco de luz após a sua limpeza, substitua o elemento.

4-26
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO OPERAÇÃO

IMPORTANTE
• O elemento interno não deve se limpo e reutilizado. Ao substituir o elemento externo, substitua também
o elemento interno no mesmo momento.
• Se o elemento interno não for instalado adequadamente, e o elemento externo e a tampa forem instala-
dos, há o perigo de se danificar e elemento externo.
• A porção de vedação nas peças similares mas não genuínas carece de precisão, além de permitir a
entrada de poeira, gerando danos ao motor. Não utilize tais peças.

7. Remova o pano ou a fita isolante que cobre o elemento interno (6).


8. Verifique se não há sujeira ou óleo aderidos à porção do ve-
dador do novo elemento ou do elemento limpo. Remova com
um pano qualquer sujeira ou óleo.
9. Empurre o elemento externo em linha reta com a sua mão
ao instalá-lo no corpo do purificador de ar. Se o elemento
externo for segurado e movimentado ligeiramente para cima
e para baixo e para a direita e esquerda enquanto estiver
sendo empurrado, poderá ser inserido com mais facilidade.

IMPORTANTE
Ao inserir o elemento, se a borracha na ponta estiver di-
latada ou se o elemento externo não puder ser puxado em
linha reta e a tampa (3) for encaixada com força no gancho
(2), haverá o risco de se danificar o gancho e o corpo do pu-
rificador de ar, por isso tenha muito cuidado na montagem.

10. Instale a tampa (3) conforme descrito a seguir:


1) Alinhe a tampa (3) ao elemento.
2) Prenda a ponta do gancho (2) na parte saliente do corpo
do purificador de ar e trave-o na posição.
3) Ao travar os ganchos (2) na posição, aplique-os alternada-
mente nos lados opostos (alto, baixo, esquerda, direita)
da mesma maneira que ao apertar parafusos.
4) Quando a tampa (3) for instalada, verifique se a folga en-
tre o corpo do purificador de ar e a tampa (3) não está
muito grande. Se estiver, instale novamente

4-27
OPERAÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

Substituição do elemento
1. Abra a tampa traseira na lado esquerdo da máquina.

2. Remova os 6 ganchos (2) e em seguida remova a tampa (3).

3. Segure o elemento externo (4), movimente-o ligeiramente para


cima e para baixo e para a esquerda e direita, e rotacione o
elemento para a esquerda e direita a fim de puxá-lo para fora.

4. Esfregue com um pano ou escove a sujeira presa na tampa


(3) e na parte interna do corpo do purificador de ar (6).

IMPORTANTE
• O elemento interno não deve se limpo e reutilizado. Ao substituir o elemento externo, substitua também
o elemento interno no mesmo momento.
• Se o elemento interno não for instalado adequadamente, e o elemento externo e a tampa forem instala-
dos, há o perigo de se danificar e elemento externo.
• A porção de vedação nas peças similares mas não genuínas carece de precisão, além de permitir a
entrada de poeira, gerando danos ao motor. Não utilize tais peças.

5. Remova o elemento interno (5) e instale rapidamente o novo elemento interno.


Insira o elemento interno com firmeza para que ele não possa se mover.
6. Empurre o novo elemento externo (4) em linha reta com a sua mão, ao instalá-lo no corpo do purificador de
ar. Se o elemento for segurado e movimentado ligeiramente para cima e para baixo, e para a esquerda e
direita ao ser empurrado para dentro, será possível inserí-lo com facilidade.
7. Substitua o anel “O” (7) da tampa (3) por uma peça nova.

4-28
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO OPERAÇÃO

IMPORTANTE
Ao inserir o elemento, se a borracha na ponta estiver dilata-
da ou se o elemento externo não puder ser puxado em linha
reta e a tampa (3) for encaixada com força no gancho (2), há
o risco de se danificar o gancho e o corpo do purificador de
ar, por isso tenha muito cuidado na montagem.

8. Instale a tampa (3) conforme descrito a seguir:


1) Alinhe a tampa (3) ao elemento.
2) Prenda a ponta do gancho (2) na parte saliente do corpo
do purificador de ar e trave-o na posição.
3) Ao travar os ganchos(2)na posição, aplique-os alternada-
mente nos lados opostos (alto, baixo, esquerda, direita)
da mesma maneira que ao apertar parafusos.
4) Quando a tampa (3) for instalada, verifique se a folga en-
tre o corpo do purificador de ar e a tampa (3) não está
muito grande. Se estiver, instale novamente.

4-29
OPERAÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DA TENSÃO DAS ESTEIRAS


O desgaste dos pinos e buchas do material rodante varia de acordo com as condições de trabalho e o tipo do solo.
Portanto, é necessário inspecionar continuamente a tensão das esteiras a fim de que seja mantida a tensão pa-
drão. Faça as verificações e ajustes nas mesmas condições de operação (em locais de trabalho onde as esteiras
ficam sujas de lama, meça a tensão das esteiras com elas sujas de lama).

INSPEÇÃO
Estacione a máquina sobre um piso nivelado (com a transmissão
em AVANTE, sem aplicar o freio). Coloque então uma barra reta
sobre as sapatas da esteira entre o rolete superior e a roda guia,
conforme ilustra a figura à direita, e meça a folga entre a barra
e a garra no ponto médio. Se a folga (A) estiver entre 20 e 30
mm, a tensão pode ser considerada padrão. Se a tensão das
esteiras não estiver no valor padrão, ajuste-a obedecendo o pro-
cedimento que detalharemos a seguir.

AJUSTE

! ATENÇÃO
A graxa no interior do mecanismo de ajuste encontra-se altamente pressurizada. A graxa que sai pelo
bujão (4) sob pressão pode penetrar em seu corpo, ferindo-o gravemente ou levando você à morte. Por
esse motivo, não solte o bujão(4)mais de uma volta. Não solte nenhuma outra peça além do bujão (4) e
não coloque também o rosto na frente da graxeira. Se não conseguir aliviar a tensão das esteiras através
desse procedimento, procure o seu distribuidor Komatsu.

PROCEDIMENTO PARA AUMENTAR A TENSÃO


DAS ESTEIRAS
1. Primeiro remova o parafuso (1) e, em seguida, a tampa (2).

NOTAS
• Ao remover a tampa (2), tome cuidado para não entrar
areia ou terra.
• Existe um decalque de segurança colado nas costas da
tampa (2). Tome cuidado para não danificá-lo.

2. Bombeie graxa pela graxeira (3) com uma bomba de graxa.


3. Para verificar se a tensão correta foi alcançada, mova a má-
quina para trás e para frente.
4. Verifique a tensão da esteira novamente. Caso a tensão não
esteja correta, volte a ajustá-la.

4-30
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

5. Continue a bombear graxa até a medida S passar a ser igual


a 350 mm.
Se a esteira ainda estiver com folga excessiva, é porque o
pino e a bucha estão demasiadamente gastos, precisando,
portanto, ser girados ou substituídos. Essas operações de-
verão ser executadas pelo seu distribuidor Komatsu.

4-31
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

PROCEDIMENTO PARA DIMINUIÇÃO DA TENSÃO DAS ESTEIRAS

! ATENÇÃO
O único método seguro para aliviar a graxa é o que descreveremos abaixo. Se através desse procedimento
você não conseguir aliviar a tensão das esteiras, procure o seu distribuidor Komatsu.

1. Primeiro remova os parafusos (1) e, em seguida, a tampa (2).

NOTAS
• Ao remover a tampa (2), tome cuidado para não entrar
areia ou terra.
• Existe um decalque de segurança colado nas costas da
tampa (2). Tome cuidado para não danificá-lo.

2. Solte o bujão (4) gradualmente para aliviar a graxa.


3. Gire o bujão (4) uma volta no máximo.
4. Se a graxa não sair suavemente, mova a máquina para trás
e para frente uma curta distância.
5. Aperte o bujão (4).
6. Para verificar se a tensão correta foi alcançada, mova a má-
quina para trás e para frente.
7. Verifique a tensão da esteira novamente e se ela não estiver
correta, volte a ajustá-la.

4-32
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

PROCEDIMENTO PARA REMOÇÃO DAS ESTEIRAS


ATENÇÃO
! ATENÇÃO
Dependendo da situação, a operação de remoção das esteiras pode ser extremamente perigosa.
Se a operação descrita no tópico “PROCEDIMENTO PARA DIMINUIÇÃO DA TENSÃO DAS ESTEIRAS” (pá-
gina 4-32) não resultar no alívio da tensão das esteiras, solicite os reparos necessários ao seu distribuidor
Komatsu.

VERIFICAÇÃO E APERTO DOS PARAFUSOS DAS SAPATAS DAS ESTEIRAS


Se a máquina for usada com os parafusos das sapatas das esteiras soltos, eles irão quebrar, portanto, aperte
imediatamente qualquer parafuso solto.

MÉTODO DE APERTO DOS PARAFUSOS DAS SAPATAS


1. Primeiro aperte cada parafuso com um torque de aperto de 980 ± 98 Nm (100 ± 10 kgfm) e verifique então
se a porca e a sapata estão bem encostadas na superfície de contato do elo.
2. Feita essa verificação, aplique um torque adicional no parafuso de 180º ± 10º.

MÉTODO DE APERTO DO PARAFUSO DE CONEXÃO DO ELO MESTRE


1. Primeiro aperte o parafuso com um torque de aperto de 980 ± 98 Nm (100 ± 10 kgfm) e verifique então se as
superfícies de contato dos elos estão bem encostadas.
2. Feita essa verificação, aplique um torque adicional no parafuso de 180º ± 10º

SEQÜÊNCIA DE APERTO DOS PARAFUSOS


Aperte os parafusos na seqüência ilustrada no desenho à direita.

4-33
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

AJUSTE DA FOLGA DA RODA GUIA


A roda guia move-se para frente e para trás sob pressão externa
e a guia lateral (1) e a placa guia (2) vão se gastando com esse
movimento.
Esse desgaste faz com que a roda guia apresente folga lateral
ou gire inclinada, fazendo as esteiras se soltarem ou a roda guia
não gastar por igual. Portanto, ajuste a folga da roda guia como
descreveremos abaixo:

AJUSTE
1. Desloque a máquina 8 a 12 m em piso nivelado e meça a folga
A (4 pontos: esquerda, direita, parte interna e parte externa)
entre a armação da esteira e a guia lateral (1).
2. Se a folga A for superior a 3 mm, remova o parafuso (3), retire
o calço (4) e ajuste de modo que a folga em um lado seja
inferior a 0,5 mm.

OBSERVAÇÃO
Existem dois tipos de calços, um de espessura igual a 0,5 mm e
outro de espessura igual a 1,0 mm.

4-34
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

INVERSÃO E SUBSTITUIÇÃO DOS CANTOS DA LÂMINA E BORDAS CORTANTES

! ATENÇÃO
Se o equipamento de trabalho mover-se involuntariamente quando os cantos da lâmina e as bordas cor-
tantes estiverem sendo invertidos ou substituídos, poderão ocorrer graves acidentes.
Imobilize o equipamento de trabalho, desligue o motor e trave a alavanca de controle da lâmina com a
alavanca de segurança.

Inverta ou substitua os cantos da lâmina e as bordas cortantes


antes que o desgaste chegue à extremidade da lâmina.
1. Eleve a lâmina até uma altura apropriada e calçe sua armação
para que a lâmina não desabe.
2. Trave a alavanca de segurança.
Se os cantos da lâmina e as bordas cortantes estiverem gastos
em ambos os lados, substitua-os por novos.
Se o desgaste tiver chegado à superfície de encaixe, repare
a superfície de encaixe e inverta ou substitua os cantos da
lâmina e as bordas cortantes.
3. Solte a porca (1) e remova o parafuso (2). Retire, então, a borda
cortante e o canto da lâmina e limpe a superfície de encaixe.
4. Quando o canto da lâmina e a borda cortante estiverem gastos,
inverta-os ou substitua-os.
Se o parafuso (1) e a porca (2) estiverem danificados,
substitua-os imediatamente por novos.
5. Instale a borda cortante na lâmina e aperte-a provisoriamente.
Desça a lâmina três a cinco vezes sobre o solo para remover
a folga do parafuso (2) e aperte-o com o torque de aperto
correto.
Para instalar o canto da lâmina (3), encoste bem a superfície
superior (4) do canto da lâmina no batente (5) e aperte com
os parafusos.
Torque de aperto: 3340 ± 373 Nm (341 ± 38 kgfm)
6. Após algumas horas de operação, reaperte as porcas.

OBSERVAÇÃO
O aperto dos cantos da lâmina e da borda cortante fica mais fácil
usando-se a chave hidráulica que acompanha a máquina.
Se a porca estiver enferrujada e tiver que ser cortada com
maçarico para ser removida, corte as duas arestas da porca (6)
indicadas na figura ao lado.
Ao cortar as arestas, tome cuidado para não danificar a superfície
da sede (7).
Se ela estiver danificada, providencie o seu reparo. Tome cuidado
para não deixar cairem rebarbas de metal na superfície de fixação.

4-35
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

COMO USAR A CHAVE HIDRÁULICA


A chave hidráulica é dotada de um soquete especial.
Esse soquete é projetado para agarrar na porca, impedindo, as-
sim, que a chave escape. Isso significa que o aperto dos cantos
da lâmina e das bordas cortantes pode ser feito por um único
operário.
Esse soquete é de construção dupla, e sua parte externa pode
girar 30º
Use a chave hidráulica da seguinte forma:
(1) Canto da lâmina ou borda cortante
(2) Alavanca de catraca ou torquímetro
(3) Soquete giratório
(4) Braço de reação
1. Alinhe as partes sextavadas dos soquetes interno (6) e externo
(5) e introduza a porca a ser apertada ou soltada.
2. Após introduzir a porca, gire o soquete externo (5) 30º no
sentido horário (7).
Fazendo isso, o soquete externo irá prender no entalhe da
superfície da sede da porca e a chave não escapará.
3. Coloque o braço de reação (4) em contato com a nervura da
lâmina e aperte ou solte.
4. Gire o soquete externo (5) no sentido antihorário e remova a
chave.

4-36
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

LIMPE E INSPECIONE AS ALETAS DO RADIADOR, ALETAS DO RESFRIADOR DE


ÓLEO E ALETAS DO PÓS-RESFRIADOR
Execute o procedimento descrito a seguir se houver lama ou sujeira aderida ao radiador ou ao resfriador do óleo.

OBSERVAÇÃO
Inspecione as mangueiras do resfriador hidráulico. Caso alguma mangueira esteja rachada ou endurecida pelo
uso, substitua essa mangueira por uma nova. Aproveite também para checar e apertar todas as braçadeiras de
mangueiras que estejam soltas.

LIMPEZA MEDIANTE A INVERSÃO DO SENTIDO DE ROTAÇÃO DO VENTILADOR DE


ARREFECIMENTO

! ATENÇÃO
Ao limpar o ventilador de arrefecimento invertendo seu sentido de rotação, primeiro confirme se a alavanca
do freio de estacionamento está TRAVADA.

NOTAS
Ao inverter o sentido de rotação do ventilador de arrefecimento, tome extremo cuidado com a poeira que
poderá ser arremessada por ele.
Abra as tampas laterais direita e esquerda do motor e confirme se não há poeira e sujeira acumuladas no
interior do compartimento do motor.
Quando a luz de confirmação de funcionamento do ventilador está acesa e o ventilador funcionando em
rotação invertida, a máquina não se move mesmo que a alavanca de controle direcional, inversão do
sentido de deslocamento de avante para ré e vice-versa e mudança de marchas seja atuada para exercer
qualquer dessas funções. Esse recurso de projeto tem por objetivo proteger o radiador.
Para desligar o motor com o ventilador de arrefecimento funcionando em rotação invertida, antes de mais
nada funcione o motor em marcha lenta para só então desligá-lo.

A poeira e a sujeira aderidas ao radiador e ao resfriador podem ser expelidas invertendo-se o sentido de rotação
do ventilador de arrefecimento.
1. DESLIGUE a chave de partida (1) e desligue o motor.
2. LIGUE a chave de partida (1).

3. Vire o interruptor seletor da rotação do ventilador (2) para a


posição de limpeza (CLN) A luz de confirmação de funciona-
mento do ventilador (3) acende.

4-37
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

OBSERVAÇÃO
Mesmo girando-se o interruptor seletor de rotação do ventilador
com o motor em funcionamento, o sentido de rotação do venti-
lador não muda.
A luz de impossibilidade de funcionamento do ventilador (4)
pisca avisando a você sobre a impossibilidade de inversão do
sentido de rotação do ventilador.

4. Dê a partida girando a chave de partida (1).


O ventilador de arrefecimento passa a girar no sentido de rotação inverso.
5. Funcione o motor em alta rotação.

Selecione o tempo de funcionamento do motor em alta rotação de acordo com o índice de obstrução.
Obstrução normal: 1 a 2 minutos
Obstrução excessiva: 2 a 3 minutos

6. Tendo a limpeza sido finalizada, funcione o motor em marcha lenta durante aproximadamente 10 segundos.
7. DESLIGUE a chave de partida (1), desligando assim o motor.

OBSERVAÇÃO
Quando se encontra funcionando a fim de que seja limpado, o ventilador de arrefecimento não pode ser desener-
gizado imediatamente, ainda que a chave de partida seja DESLIGADA, tudo para assegurar a proteção do circuito
hidráulico.

8. LIGUE a chave de partida (1)


9. Confirme se a luz de confirmação de funcionamento do ven-
tilador (3) não se encontra acesa e dê a partida. O ventilador
de arrefecimento passará a girar então no sentido de rotação
normal.

OBSERVAÇÃO
Se as aletas do radiador apanharem sujeira, sopre-as com ar comprimido para limpá-las.

LIMPEZA COM AR COMPRIMIDO

! ATENÇÃO
 Dirigir jato de ar comprimido, água pressurizada ou vapor diretamente sobre o seu corpo ou usá-lo para le-
vantar poeira pode ferí-lo com gravidade. Assim sendo, ao trabalhar com esse tipo de recurso esteja sempre
usando óculos de proteção, máscara respiratória e outros equipamentos de proteção individual.
 Para executar uma limpeza, não se esqueça nunca de primeiro desligar o motor e confirmar se o venti-
lador parou de girar, pois se você tocar o ventilador e ele estiver girando, irá se ferir gravemente.

NOTAS
Quando usar ar comprimido para limpeza, use-o mantendo uma certa distância para evitar danos nas aletas.
Danos nas aletas podem causar vazamentos de água e superaquecimento. Se estiver trabalhando em lo-
cal com muito pó, verifique as aletas todos os dias, independente do intervalo da manutenção periódica.

4-38
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

LIMPEZA DAS ALETAS DO RADIADOR


1. Remova os parafusos (1) localizados nos quatro cantos das
aletas do radiador e abra a grade do radiador (2).
2. Limpe as aletas do radiador obstruídas de lama, poeira e folhas
com ar comprimido. Também pode-se usar vapor ou água no
lugar de ar comprimido. Porém, ao executar uma limpeza a
vapor sob potência (com máquina de lavagem a alta pressão)
do equipamento de troca de calor (radiador), mantenha dis-
tância suficiente da máquina ao executar a operação. Se a
limpeza a vapor (com máquina de alta pressão) for conduzida
a curta distância, há risco das aletas internas do equipamento
de troca de calor se deformarem, podendo causar obstrução
e ruptura da peça.

OBSERVAÇÃO
Utilize ar comprimido para remover qualquer tipo de sujeira
compactada entre as aletas do radiador.

LIMPEZA DAS ALETAS DO ARREFECEDOR HIDRÁULICO


1. Abra a tampa lateral do motor no lado direito da máquina.
2. Elimine toda a sujeira, poeira e restos de folhas secas que
podem obstruir as aletas do resfriador de óleo com ar com-
primido. É possível usar vapor ou água para essa limpeza,
no lugar de ar comprimido. Porém, ao executar uma limpe-
za a vapor sob potência (com máquina de lavagem a alta
pressão) do equipamento de troca de calor (resfriador de
óleo), mantenha distância suficiente da máquina ao execu-
tar a operação. Se a limpeza a vapor (com máquina de alta
pressão) for conduzida a curta distância, há risco das aletas
internas do equipamento de troca de calor se deformarem,
podendo causar obstrução e ruptura da peça.

OBSERVAÇÃO
Verifique o estado das mangueiras de borracha. Se ela apre-
sentar rachaduras ou estiver endurecida pelo tempo, substitua-a
por uma nova. Examine também se a braçadeira da mangueira
está solta.

4-39
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

LIMPEZA DAS ALETAS DO PÓS-RESFRIADOR


1. Abra a tampa lateral do motor no lado direito da máquina.
2. Elimine toda a sujeira, poeira e restos de folhas secas que
podem obstruir as aletas do pós-resfriador de óleo com ar
comprimido. É possível usar vapor ou água para essa lim-
peza, no lugar de ar comprimido.
Porém, ao executar uma limpeza a vapor sob potência (com
máquina de lavagem a alta pressão) do equipamento de
troca de calor (pós-resfriador de óleo), mantenha distância
suficiente da máquina ao executar a operação. Se a limpeza
a vapor (com máquina de alta pressão) for conduzida a curta
distância, há risco das aletas internas do equipamento de
troca de calor se deformarem, podendo causar obstrução e
ruptura da peça.

OBSERVAÇÃO
Faça uma inspeção nas mangueiras do resfriador hidráulico.
Se encontrar alguma mangueira com rachaduras ou endureci-
da pelo uso, faça a sua substituição por uma nova mangueira.
Verifique também todas as presilhas das mangueiras, apertando
aquelas que porventura estejam soltas.

4-40
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO RESERVATÓRIO DE COM-


BUSTÍVEL
Se houver sujeira aderida ao filtro-tela, providencie a limpeza
do mesmo.
Remova a tampa do bocal de abastecimento do reservatório de
combustível (1) e retire o filtro-tela.
Se o filtro-tela estiver sujo, limpe-o com óleo Diesel.

DRENAGEM DA ÁGUA E SEDIMENTOS ACUMULADOS NO


RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL
Drene a água e os sedimentos acumulados no reservatório de
combustívelsempre que a máquina tiver permanecido desativada
por um longo período ou após muitos dias seguidos de chuva.
Solte a válvula (1) na parte inferior do reservatório e drene os
sedimentos acumulados no fundo juntamente com a água mis-
turada ao combustível.

LIMPEZA DO RESPIRO DA CARCAÇA DO RESERVATÓRIO


DE COMBUSTÍVEL
Remova o respiro (1) da lateral do reservatório de combustível,
eliminando toda a sujeira aderida ao respiro e lavando-o com
óleo diesel ou óleo de limpeza.

LIMPEZA DO RESPIRO DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO


Remova o respiro (1) da lateral do reservatório de hidráulico,
eliminando toda a sujeira aderida ao respiro e lavando-o com
óleo diesel ou óleo de limpeza.

4-41
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

LIMPEZA DO RESPIRO DA CARCAÇA DA EMBREAGEM


DIRECIONAL
1. Abra a tampa traseira.
2. Remova os parafusos (1) e retire a tampa (2).

3. Remova o respiro (3) na carcaça da embreagem direcional,


então limpe toda a sujeira aderida lavando-o com óleo diesel
ou óleo de limpeza

4-42
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DO ÓLEO DO MATERIAL RODANTE


Estacione a máquina sobre um piso nivelado e verifique se houve
diminuição do volume de óleo na roda guia (P), nos roletes
inferiores (Q) e nos roletes superiores (R).

1. Solte o bujão de vedação (1) lentamente e verifique se sai


óleo pela rosca. Em caso afirmativo, não houve diminuição do
volume de óleo, portanto, o parafuso deve ser reapertado.

2. Se não sair óleo pela rosca quando o bujão de vedação (1) for
removido, houve diminuição do volume de óleo. Nesse caso,
você deverá solicitar ao seu distribuidor Komatsu os reparos
necessários.

OBSERVAÇÃO
Existe um bujão de vedação do eixo do bogui (1) do lado interno
e outro do lado externo.

4-43
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

LIMPEZA DO FILTRO DE AR DO AR CONDICIONADO (FIL-


TRO DE AR FRESCO/FILTRO DE AR RECIRCULADO)
Limpe o filtro de ar do ar condicionado caso o mesmo esteja
obstruído ou se houver sujeira ou óleo aderido nele.
1. Abra a tampa de inspeção (1) e remova o filtro de ar fresco (2).

(Para máquinas com especificação para mineração)

Solte a porca (a), puxe ao alça (b) e remove o filtro de ar FRESCO

2. Remova o filtro de recirculação (3) na traseira da cabina.


3. Limpe os filtros (2) e (3) com ar comprimido. Se houver óleo
aderido aos filtros ou eles estiverem extremamente sujos,
lave-os com um detergente neutro. Depois de lavar os filtros,
seque-os completamente antes de voltar a instalá-los.

OBSERVAÇÃO
Caso não seja possível limpar os filtros com ar ou lavando-os
com água, providencie a substituição dos mesmos.

SUBSTITUIÇÃO DA CORREIA DO AR CONDICIONADO


1. Solte 3 parafusos (1) e a porca de trava (2), e desloque o
compressor (3) lateralmente.
2. Substitua a correia “V”
• Para ajustar a correia “V”, não empurre o compressor di-
retamente com a barra. O correto é usar a porca de ajuste
(4)
Aperte a porca de ajuste (4) e os parafusos (1) e tensione a cor-
reia “V”. Quando pressionada com o polegar com uma força de
aproximadamente 6 kg aplicada no ponro médio entre a polia
do compressor e a polia do ventilador, a correia “V” deverá pro-
duzir uma deflexão padrão entre cerca de 18 e 22 mm.

4-44
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO E AJUSTE DO AR CONDICIONADO


VERIFICAÇÃO DA TENSÃO DA CORREIA DO COMPRESSOR
Se a correia estiver solta, ela poderá patinar, prejudicando a refrigeração. Periodicamente, pressione com o dedo o
ponto médio entre a polia de acionamento e a polia do compressor para verificar a tensão.
Quando a correia for nova, haverá o alongamento inicial, o que torna necessário voltar a ajustá-la depois de 2 ou 3 dias.
Para verificar a tensão da correia, veja “VERIFICAÇÃO” (Página 4-57)

VERIFICAÇÃO DO NÍVEL DO GÁS REFRIGERANTE

! ATENÇÃO
• Ao manusear gás refrigerante, siga a legislação local.
• O refrigerante utilizado no arrefecedor é incolor e inodoro,
além de não nocivo ao meio ambiente, mas se o líquido
atingir seus olhos ou suas mãos, pode causar cegueira
ou necrose por congelamento. Assim sendo, não solte
nenhuma peça do circuito do refrigerante.

Se o nível do gás refrigerante estiver baixo, haverá uma redução


do efeito de refrigeração. Funcione o motor na rotação máxima
e verifique o fluxo do refrigerante no circuito do refrigerante
através do visor do condensador (1), com o arrefecedor em alta
velocidade.

(A) Correto: Não há bolhas no fluxo de refrigerante


(B) Baixo: Há algumas bolhas no fluxo de refrigerante (as bolhas
passam continuamente)
(C) Nenhum: Incolor, transparente

OBSERVAÇÕES
• Quando há bolhas no fluxo de refrigerante, o nível do gás refrigerante está baixo e deve ser completado por quem
lhe vendeu o refrigerante. Se o ar condicionado funcionar com o nível do gás refrigerante baixo, o compressor
sofrerá danos.
• O gás refrigerante usado na máquina é o New Freon R134a.

Quantidade de carga do refrigerante do ar condicionado (gás): 1100 g.

4-45
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

LUBRIFICAÇÃO DA DOBRADIÇA DA PORTA DA


CABINA
Se a porta ranger quando for aberta ou fechada, borrife lubrificante
pela fenda da bucha da dobradiça da porta.
Quando a bucha gastar, troque a dobradiça

VERIFICAÇÃO DO TRINCO DA PORTA DA CABINA

! ATENÇÃO
Se a alavanca de controle for tocada involuntariamente du-
rante a verificação do trinco da porta da cabina, a máquina
poderá mover-se repentinamente, vindo a ferí-lo gravemente
ou matá-lo.
Antes de verificar o trinco da porta da cabina, desligue o
motor e trave a alavanca do freio de estacionamento.

Verificação
Mantendo a porta da cabina aberta e travada nessa posição,
verifique se ainda há graxa no interior do trinco. Se houver muito
pouca graxa ou nenhuma, lubrifique o interior do trinco com graxa
introduzindo a graxa pela parte (1).

OBSERVAÇÃO
Se não restar mais nenhuma graxa no interior do trinco, a poeira
acumulada no interior do trinco poderá fazer com que a chave
prenda ao abrir a porta.

4-46
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DO BATENTE DE TRAVA DA


PORTA DA CABINA
Se o desgaste (A) do batente de trava da porta da cabina exceder
0,5 mm, você deve trocá-lo, do contrário, a folga irá aumentar e
a dobradiça ou a trava da porta poderá quebrar.

SUBSTITUIÇÃO DO AMORTECEDOR DA PORTA


DA CABINA
Se a profundidade (A) das ranhuras de borracha do amortecedor
da porta (1) for menor que 2 mm, substitua o amortecedor.
Existem quatro amortecedores em cada porta, um na parte
superior e outro na porta inferior nas portas esquerda e direita.

VERIFIQUE O NÍVEL DO FLUIDO DOS LAVADORES DO


VIDRO DO PÁRA-BRISA E DOS VIDROS DAS JANELAS DA
CABINA E COMPLETE, SE NECESSÁRIO
Se entrar ar no fluido dos lavadores do vidro do pára-brisa e dos
vidros das janelas da cabina, verifique o nível do fluido e complete,
se necessário.
Abra a tampa da bateria e verifique o nível do fluido nos
reservatórios dos lavadores do vidro do pára-brisa e dos vidros
das janelas da cabina (1). Se o nível estiver baixo, adicione fluido
automotivo.
Quando completar o fluido, tome cuidado para não entrar poeira
nos reservatórios.

(Para máquinas com especificação de mineração)

4-47
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DAS PALHETAS DOS LIMPA-


DORES DO VIDRO DO PÁRA-BRISA E DOS
VIDROS DAS JANELAS DA CABINA
Se as palhetas estiverem estragadas, não irão limpar os vidros.
Portanto, caso estejam estragadas as palhetas devem ser
substituídas.

SUBSTITUIÇÃO

LIMPADOR DO VIDRO DO PÁRA-BRISA


1. Remova o parafuso (1) e retire a palheta.
2. Instale uma nova palheta e aperte bem o parafuso (1)

LIMPADOR DO VIDRO DA JANELA TRASEIRA


1. Remova o anel “E” (1).
A palheta pode ser então removida.
2. Instale uma nova palheta e fixe-a bem com o anel “E” (1).

LIMPADOR DO VIDRO DA JANELA DA PORTA


1. A palheta do limpador do vidro da janela da porta vai engan-
chada na parte (A). Mova a palheta na direção da seta para
removê-la.
2. Instale a nova palheta e prenda-a bem.

4-48
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

SANGRIA DO AR DO SISTEMA HIDRÁULICO


Veja “OPERAÇÕES E VERIFICAÇÕES APÓS A PARTIDA” (página 3-119)
Como deve ser dada a partida e a lâmina tem que ser operada, veja OPERAÇÃO.

NOTA
Se você funcionar o motor imediatamente em alta rotação ou operar o cilindro até o fim do seu curso, o ar
aprisionado no interior do cilindro poderá danificar a junta do pistão.

1. Sangria do ar dos cilindros

1) Funcione o motor em marcha lenta e extenda e retraia cada um dos cilindros 4 a 5 vezes. Não opere os
cilindros até o fim do seu curso (pare a aproximadamente 100 mm do fim de seu curso)
2) Em seguida, opere cada um dos cilindros 3 a 4 vezes até o fim de seu curso.
3) Finalmente, opere cada um dos cilindros 4 a 5 vezes até o fim do seu curso para remover completamente o ar.

4-49
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

SANGRIA DO AR DO CIRCUITO DE COMBUSTÍVEL


Esta máquina vem equipada com uma bomba de escorva elétrica cuja função é promover a sangria do ar do
circuito de combustível. Nos casos listados abaixo, use o procedimento que detalharemos a seguir para sangrar
o ar.
• Quando o filtro de combustível tiver sido substituído
• Quando o motor tiver ficado sem combustível
• Quando você for dar a partida pela primeira vez após a substituição da bomba de alimentação ou de ter sido
feita a modificação da tubulação ou de qualquer outro componente.

! CUIDADO
 A bomba injetora de combustível e o bico injetor do motor empregado nesta máquina são componentes
de maior precisão que os convencionais. Se entrarem contaminantes neles, poderão vir a apresentar
problemas. Assim sendo, se houver poeira aderida ao sistema de combustível, lave-o com combustível
limpo.
 Use de extremo cuidado ao abrir o bujão de sangria de ar localizado na cabeça do filtro de combustível,
caso contrário poderá esguichar combustível se o mesmo ainda estiver pressurizado.

1. Solte o bujão de sangria de ar (A) da cabeça do filtro de com-


bustível (1)

2. Solte a porca borboleta da bomba de escorva (2), bombeie


até saírem todas as bolhas pelo bujão de sangria de ar (A) e
confirme se sai combustível.
3. Aperte o bujão de sangria de ar (A)
Torque de aperto: 2,0 a 3,9 N•m {0,2 a 0,4 kgf•m}
4. Aperte a porca borboleta da alavanca da bomba de escorva (2)

5. Caso o motor não pegue na partida, repita a operação des-crita acima a partir do passo 1

4-50
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

LUBRIFICAÇÃO
1. Baixe o equipamento de trabalho ao solo e desligue o motor.
2. Usando uma bomba de graxa, bombeie graxa através das graxeiras indicadas pelas setas.
3. Depois de lubrificar as graxeiras com graxa, limpe toda a graxa velha que foi expelida.

Controle do combustível (1 ponto)

(1) Pedal desacelerador

Pedal do freio (3 pontos)

4-51
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

Elo rotacional da alavanca de controle do sentido de deslocamen-


to, da direção e mudança de marchas (4 pontos)

Junta universal (2 pontos)

! ATENÇÃO
 A tampa inferior é pesada. Nunca fique embaixo dela para abrí-la ou fechá-la. Remova os parafusos (2)
posicionado atrás da tampa para poder escapar se ela vier a desabar.

2. Remova a tampa de inspeção (3) existente na tampa


inferior localizada na parte inferior traseira da máquina,
seguindo, para tanto, as instruções abaixo:
1) Remova 2 parafusos (1) na dianteira da máquina.
2) Segurando a tampa (3) presa, vá soltando gradualmente
2 parafusos (2), na traseira da máquina (nesta operação,
poderá escorrer água de chuva).
3) Baixe a tampa (3) gradualmente para abrí-la.

4-52
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

(A) Lado direito

4-53
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA


Para os itens abaixo, veja “VERIFICAÇÕES ANTES DA PARTIDA” (página 3-91)
 Verificações com o painel monitor
 Verifique o nível do líquido de arrefecimento e complete, se necessário.
 Verifique o nível do combustível e complete, se necessário
 Verifique se há água e sedimentos no separador de água, drene água
 Verifique separador de água adicional, drene água e sedimentos.
 Verifique o nível do óleo no cárter do motor e complete, se necessário
 Verifique o nível do óleo na carcaça do trem de força e complete, se necessário (incluindo caixa de transmissão,
carcaças do conversor de torque e engrenagem cônica)
 Verifique o nível de óleo da carcaça do amortecedor e complete, se necessário
 Verifique o curso do pedal do freio
 Verifique o indicador de manutenção do filtro de ar
 Verifique o nível do óleo no reservatório hidráulico e complete, se necessário
 Verifique a fiação elétrica
 Verifique se os faróis acendem
 Verifique se a buzina soa
 Verifique se o alarme de marcha a ré soa
 Verifique o assento do operador
 Verifique se o cinto de segurança está gasto e a fivela, a lingüeta e o tambor estão danificados
 Ajuste o espelho retrovisor
 Ajuste a alavanca joystick
 Ajuste os descansos dos braços do assento do operador

4-54
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

A CADA 250 HORAS DE OPERAÇÃO


LUBRIFICAÇÃO
1. Baixe o equipamento de trabalho ao solo e desligue o motor.
2. Usando uma bomba de graxa, bombeie graxa através das graxeiras indicadas pelas setas.
3. Concluída a lubrificação, limpe toda a graxa velha que foi expelida.

(1) Garfo de suporte do cilindro de elevação da lâmina (4 pontos)


(2) Eixo de suporte do cilindro de elevação da lâmina (2 pontos)

(Especificação para mineração, item opcional)

Lubrificação centralizada

(3) Junta esférica do braço da lâmina (3 pontos)


Pino do elo central (1 ponto)
(4) Parafuso do braço (2 pontos)

4-55
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

5) Pino do fundo do cilindro de inclinação do escarificador (2 pontos)


(6) Pino do fundo do cilindro de elevação do escarificador (2 pontos)
(7) Pino do terminal da haste do cilindro de inclinação do es-
carificador (2 pontos)
(8) Pino do terminal da haste do cilindro de elevação do escari-
ficador (2 pontos)
(9) Pino do braço do escarificador (dianteiro) (2 pontos)
(10) Pino do braço do escarificador (traseiro) (2 pontos)

As figuras à direita mostram o escarificador gigante (opcional)

(11) Eixo lateral da barra equalizadora (2 pontos)

(12) Suspensão (eixo central da barra equalizadora) (1 ponto)

1) Lubrifique a suspensão (eixo central da barra equalizadora)


bombeando graxa através das graxeiras indicadas pelas setas
2) Movimente a alavanca de lubrificação 3 a 5 vezes para cima
e para baixo

4-56
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO E AJUSTE DA TENSÃO DA CORREIA DE


ACIONAMENTO DO ALTERNADOR

INSPEÇÃO
Pressione a correia com o polegar no ponto médio entre a polia
do alternador (2) e a polia de acionamento (1), aplicando uma
força de aproximadamente 6 kg. A deflexão (A) padrão deve ser
de aproximadamente 15 mm.

AJUSTE
1. Solte as porcas (2) do parafuso de ajuste (1) e porca de mon-
tagem (3) (3 pontos)
2. Gire a porca (4) no sentido horário e mova o alternador (5),
ajustando a tensão da correia de modo que, quando pres-
sionada com uma força de 6 kg, produza uma deflexão
aproximada de 15 mm.

OBSERVAÇÃO
Não ajuste a correia “V” empurrando o alternador diretamente
com uma barra de aço ou outro objeto desse tipo. Empregue um
calço de madeira, por exemplo, entre a polia e a barra.

3. Aperte os parafusos e as porcas (2) e (3) para fixar o alternador (5) na posição ajustada. (3 pontos).
4. Verifique se as polias estão danificadas e se as ranhuras “V” e a correia “V” estão gastas. Examine atentamente
se a correia “V” está em contato com o fundo da ranhura “V”.
5. Se alguma correia dilatou a ponto de não haver margem para ajuste ou apresentar cortes ou rachaduras,
providencie a substituição.
6. Após substituir uma correia, opere por uma hora e volte a ajustá-la.

4-57
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DO NÍVEL DO ELETRÓLITO DA BATERIA


Faça essa verificação antes de operar a máquina

! ATENÇÃO
• Não use a bateria se o eletrólito da bateria estiver abaixo do nível mínimo, do contrário as células deterio-
�������������������������������������������������������������������������������������������������������������
rarão mais rapidamente e a vida útil da bateria será reduzida, sem falar que poderá haver uma explosão.
• A bateria gera gás inflamável e há risco de explosão, portanto, não aproxime chama exposta ou centelhas
da bateria.
• O eletrólito da bateria é tóxico. Caso ele atinja seus olhos ou sua pele, lave o local afetado com bastante
água e procure socorro médico.

NOTA
• Quando adicionar água destilada na bateria, não deixe o eletrólito passar do nível máximo, do contrá-
�����������������������������������������������������������������������������������������������������
rio, o mesmo poderá vazar e estragar a superfície da pintura ou corroer outras peças.
• Em clima frio, a água destilada deve ser adicionada pela manhã, antes do início das operações, para
evitar o congelamento do eletrólito.

Inspecione o nível do eletrólito da bateria pelo menos uma vez por mês e siga os procedimentos básicos de se-
gurança indicados a seguir:

Abra a tampa (1), localizada nas laterais direita e esquerda da


máquina. As baterias estão instaladas na parte (A).

4-58
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DO NÍVEL DO ELETRÓLITO PELO LADO DA


BATERIA
É possível verificar o nível do eletrólito pelo lado da bateria. Para
tanto, proceda da seguinte forma:
1. Use um pano úmido para limpar a área em volta das linhas
de medição do nível do eletrólito e verifique se o eletrólito NÍVEL MÁXIMO
está entre os níveis máximo e mínimo. Não limpe a bateria NÍVEL MÍNIMO
com pano seco, pois isso poderá gerar eletricidade estática e
acarretar incêndio ou explosão.

2. Se o eletrólito estiver entre os níveis máximo e mínimo, remova


a tampa (2) e adicione água destilada até ele chegar no nível
máximo.
3. Após adicionar água destilada, aperte bem a tampa (2).

OBSERVAÇÃO
Se for colocada água destilada em excesso e o eletrólito pas-
sar do nível máximo, tire eletrólito usando uma pipeta até baixá-
lo ao nível máximo. Neutralize o eletrólito removido com sal de
cozinha (bicarbonato de sódio) e misture-o com bastante água
para descartá-lo ou consulte o seu distribuidor Komatsu ou o
fabricante da bateria.

4-59
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

QUANDO NÃO FOR POSSÍVEL VERIFICAR O NÍVEL DO


ELETRÓLITO PELO LADO DA BATERIA
Quando não for possível verificar o nível do eletrólito pelo lado
da bateria ou esta não trouxer a linha do nível máximo gravada
na sua carcaça, use o método abaixo para verificar o nível do
eletrólito da bateria:
1. Remova a tampa (2) no topo da bateria, olhe pelo bocal de
abastecimento de água destilada e verifique a superfície do
eletrólito. Se o eletrólito não alcançar a luva, adicione água
destilada até ele chegar no fundo da luva (nível máximo)
- (A) Nível adequado: O nível do eletrólito está acima do
fundo da luva, assim a tensão da
superfície faz com que a superfície
do eletrólito assuma um aspecto dis-
torcido e os pólos aparentem estarem
inclinados.
- (B) Nível baixo: O nível do eletrólito não está acima do fundo
da luva, assim os pólos assumem um aspec-
to normal e não distorcido.
2. Após adicionar água destilada, aperte bem a tampa (2).

OBSERVAÇÃO
Se adicionar água destilada em excesso e o eletrólito passar do
fundo da luva, tire eletrólito com uma pipeta até ele descer até o
fundo da luva. Neutralize o eletrólito removido com sal de cozinha
(bicarbonato de sódio) e misture bastante água para descartá-lo
ou consulte o seu distribuidor Komatsu ou o fabricante da bateria

USO DE INDICADOR PARA VERIFICAR O NÍVEL DO ELETRÓLITO


Caso seja possível usar um indicador para verificar o nível do eletrólito, siga as instruções que acompanham o
aparelho.

4-60
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DO DESEMPENHO DOS FREIOS

! ATENÇÃO
Se a máquina se mover durante o teste abaixo, solicite imediatamente ao seu distribuidor Komatsu os
reparos necessários.

NOTA
Coloque a alavanca joystick em primeira, e pressione o pedal do freio. Funcione o motor em baixa rotação.
Não funcione o motor em alta rotação, isto causará danos a máquina.

Antes de dar a partida, verifique se a área ao redor da máquina


oferece segurança e proceda da seguinte forma:
1. Dê a partida
2. Depois de realizar o aquecimento do motor, gire o botão de
controle do combustível (3) até a posição de marcha lenta.
3. Destrave a alavanca de segurança (1) e opere a alavanca
de controle dalâmina(6)e a alavanca de controle do escarifi-
cador (7) para elevar a lâmina e o escarificador.
Destrave a alavanca de segurança (1).
4. Destrave a alavanca do freio de estacionamento (2).
5. Pise o pé no pedal do freio (5), coloque a alavanca joystick
(4) em AVANTE e pressione o botão de aumento de marcha
para entrar a segunda.
6. Opere o botão de controle do combustível (3) e aumente
gradualmente a rotação do motor até a rotação máxima,
mantendo, durante toda essa operação, o pé no pedal do freio.
7. Verifique se a máquina não se move. Se não se mover, o
desempenho do freio está normal.

4-61
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA CARCAÇA DO


AMORTECEDOR E COMPLETE, SE NECESSÁRIO
1. Abra a tampa lateral do motor situada no lado direito da
máquina
2. Remova a vareta de medição do nível do óleo (G) e enxugue
o óleo com um pano.
3. Introduza a vareta de medição do nível do óleo (G) até o fim
no tubo de abastecimento de óleo e retire-a novamente.

4. O nível do óleo deverá estar entre as marcas H e L da vareta


de medição do nível do óleo (G).
Se óleo estiver abaixo da marca L, complete com óleo para
motor através do tubo da vareta de medição do nível do óleo.

5. Se o óleo estiver acima da marca H, abra a tampa de ins-


peção (2) localizada na face inferior central da carcaça do trem
de força e drene o excesso de óleo pelo bujão de dreno (P) do
amortecedor do motor que, olhando-se pela janela de inspeção,
fica na direção da dianteira da máquina. Após drenar o óleo,
verifique o nível novamente.

OBSERVAÇÕES
 Verifique o nível do óleo com o motor desligado.
 Se a máquina estiver inclinada, coloque-a na horizontal antes de verificar o nível do óleo.

4-62
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

A CADA 500 HORAS DE OPERAÇÃO


A cada 500 horas de operação, realize também as manutenções programadas para cada 250 horas de operação.

TROCA DO ÓLEO DO CÁRTER DO MOTOR E SUBSTITUIÇÃO DO CARTUCHO DO


FILTRO DE ÓLEO DO MOTOR

! ATENÇÃO
Após o motor ter funcionado, o óleo está à alta temperatura, portanto, não troque o óleo assim que terminar
uma operação. Espere o óleo esfriar para trocá-lo.

NOTA
Se o combustível tem alto teor de enxofre, encurte o intervalo de troca do óleo do motor. Para maiores detalhes,
veja “COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E LUBRIFICANTE RECOMENDADOS (Página 4-12)”.

 Use um tipo de componente venturi para o filtro de óleo do


motor.
 Capacidade de reabastecimento: 121 litros
 Chave soquete, chave para filtros
1. Abra a tampa localizada na parte inferior do chassi e posicione
sob ela um recipiente para recolher o óleo drenado pela válvula
de dreno (2).
2. Remova o bujão de dreno (1) e solte a válvula de dreno (2)
lentamente para que o óleo não atinja você, drenando, então,
o óleo.
Não force muito a válvula de dreno (2) ao soltá-la para não
deformar o pino do batente.
Torque de aperto do bujão de dreno (1): 68,6 ± 9,81 Nm
(7 ± 1 kgfm)
Torque de aperto da válvula de dreno (2): 63,7 ± 14,7 Nm
(6,5 ± 1,5 kgfm)
3. Verifique o óleo drenado. Se encontrar excesso de partículas
metálicas ou materiais estranhos, procure o seu distribuidor
Komatsu.
4. Feche a válvula de dreno (2) e insira e aperte o bujão de dreno
(1).
5. Usando a chave para filtros, gire o cartucho do filtro do óleo
do motor (3) para a esquerda e remova-o, iniciando pelo filtro
mais próximo da frente da máquina.
6. Limpe o suporte do filtro, coloque óleo para motor no novo
cartucho do filtro, lubrifique a superfície da junta e a rosca
com óleo para motor (ou aplique uma fina camada de graxa)
e instale o cartucho do filtro.
7. Para instalar o cartucho do filtro, encoste a superfície da junta
no suporte do filtro e rosqueie mais 3/4 a 1 volta completa.

4-63
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

8. Após substituir o cartucho do filtro, adicione óleo para motor


através do bocal de abastecimento de óleo (F) até o nível do
óleo ficar entre as marcas H e L da vareta de medição do nível
do óleo.
9. Funcione o motor em marcha lenta por um breve período,
desligue o motor e verifique se o nível do óleo está entre as
marcas H e L da vareta de medição do nível do óleo. Para
detalhes, veja “VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NO CÁRTER
DE ÓLEO DO MOTOR E COMPLETE, SE NECESSÁRIO”
(página 3-96).
Mesmo que a máquina não tenha sido operada 500 horas, o
óleo e o cartucho do filtro devem ser substituídos quando a
máquina tiver sido operada por 12 meses.
Da mesma maneira, mesmo que a máquina não tenha sido
operada por 12 meses, o óleo e o cartucho do filtro devem ser
substituídos quando a máquina tiver sido operada por 500 horas.

(Especificação para mineração, item opcional).

Se um acoplador de conexão rápida para drenagem ou adição


de óleo utilize o acoplador de conexão rápida.
Acoplador de conexão rápida
Fabricante: WGGINS
Modelo: ON2

Parafuso de montagem
Tamanho 3/4-14 NPT

OBSERVAÇÃO
Se o acoplador de conexão rápida não tiver sido instalado cor-
retamente, o óleo poderá vazar durante o seu reabastecimento.
Por segurança, utilize o acoplador de conexão rápida com a
tampa da caixa fechada.

4-64
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO DA TRANSMISSÃO E DO ELEMENTO


DO FILTRO DO ÓLEO LUBRIFICANTE DA TRANSMISSÃO E FILTRO DE ÓLEO DO
CONVERSOR DE TORQUE

! ATENÇÃO
Antes de abrir as carcaças dos filtros, pise o pé no pedal do freio várias vezes para aliviar a pressão e então
trave o pedal do freio, pois se os filtros ainda estiverem pressurizados internamente o óleo poderá jorrar.

1. Remova a tampa do piso no pára-lama direito.


(A): Filtro de óleo do conversor de torque
(B): Filtro do óleo lubrificante da transmissão
(C): Filtro da transmissão
(F): Direção do avanço

2. Remova o parafuso (1) do filtro, então remova a tampa (2).


3. Retire o elemento (3).
4. Lave o interior da carcaça e as peças removidas e instale um
novo elemento. Aproveite também para substituir o anel “O”.

4-65
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DO CARTUCHO DO PRÉ-FILTRO DE COMBUSTÍVEL

! ATENÇÃO
 Uma vez o motor tendo funcionado, todos os seus componentes se encontram à altas temperaturas, motivo
pelo qual o filtro não deve ser substituído imediatamente. Antes de procede ao início da operação descrita
no presente tópico, aguarde que todos os componentes esfriem.
 Quando o motor se encontra em funcionamento, é gerada alta pressão no interior do sistema da tubulação
de combustível do motor. Para a substituição do filtro, espere no mínimo 30 segundos após o desligamento
do motor e só então passe à substituição do filtro propriamente dito.
 Não aproxime chama exposta ao fogo.
 Cuidado ao abrir o bujão de sangria de ar localizado na cabeça do filtro de combustível, já que há o risco do
combustível esguichar.

NOTAS
 Os cartuchos de filtro de combustível genuínos Komatsu empregam um filtro especial com alta eficiência
de filtragem. Na substituição do cartucho do filtro, só use como peça de reposição um cartucho de filtro
genuíno Komatsu.
 O sistema de injeção de combustível CRI utilizado nesta máquina é constituído de componentes de
precisão maior que a proporcionada pelo sistema de injeção convencional por bomba e bico injetor. Não
sendo usado um cartucho de filtro genuíno Komatsu, poderá haver o ingresso de poeira ou sujeira e o
conseqüente risco do ocasionamento de problemas ao sistema de injeção. Procure, portanto, não usar
peças que não sejam originais Komatsu.
 Na inspeção ou manutenção do sistema de combustível, dispense um cuidado todo especial à prevenção
do ingresso de sujeira. Tendo entrado sujeira em algum componente, submeta-o a uma lavagem rigorosa
usando combustível.
 Recipiente para recolher o óleo drenado
 Chave para filtros

4-66
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

1. Feche a válvula de combustível (1).


2. Posicione o recipiente para recolher o combustível drenado
sob o cartucho do pré-filtro de combustível.
3. Remova o separador de água (3) do filtro (2) para inspecioná-lo.
Caso o mesmo apresente alguma avaria, substituia por um novo

4. Limpe o separador de água (3) e remova a vedação (4);


Lubrifique uma nova vedação (4) com combustível ou óleo
limpo e proceda a instalação da vedação.
5. Instale o separador de água (3) no novo cartucho do filtro.
Torque de aperto: 10 Nm (1 kgfm)

6. Verifique se a capa (B) está instalada no novo cartucho do


filtro, então complete com combustível limpo.

NOTAS
 No abastecimento de combustível sempre deve ser usado
combustível limpo. Tome cuidado para que não haja o
ingresso de sujeira ou poeira no combustível. Lembre-
se que a porção central correposnde ao lado limpo,
assim você nao deve remover o bujão (B) quando estiver
completando o combustível. Dedique um cuidado todo
especial à prevenção do ingresso de sujeira ou poeira na
porção central no lado limpo.

7. Remova a capa (B) após completar totalmente o cartucho do


filtro com combustível.

8. Limpe o suporte do filtro, abasteça o novo cartucho de filtro


com combustível limpo, lubrifique a superfície da junta com
uma fina película de óleo, e faça, então, a instalação do novo
cartucho de filtro no suporte do filtro.
9. Na instalação, aperte até a superfície da junta encostar na
superfície da vedação do suporte do filtro, promovendo, então,
um aperto adicional de 3/4 de volta. Apertando-se o cartucho
além desse limite, haverá a danificação da junta, que, avariada,
favorecerá o vazamento de combustível. O cartucho, por outro
lado, ficando muito folgado, também ocorrerá o vazamento
de combustível pela junta, portanto, o recomendável é usar o
torque de aperto correto
4-67
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

10. Abra a válvula de combustível, dê a partida, verifique se não vaza combustível pela superfície da vedação do
filtro ou pela superfície de fixação do separador de água, e, então, mantenha o motor funcionando em marcha
lenta durante aproximadamente 10 minutos.

IMPORTANTE
Na substituição do cartucho do filtro principal de combustível, substitua também o cartucho do filtro,
então promova a sangria de ar. Para detalhes veja “SUBSTITUA O CARTUCHO DO FILTRO PRINCIPAL DE
COMBUSTÍVEL” (PÁGINA 4-71) no manual de Operação e Manutenção.
Não encha o cartucho do filtro principal de combustível com combustível

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA CARCAÇA DO COMANDO FINAL E COMPLETE,


SE NECESSÁRIO

! ATENÇÃO
Por estar pressurizado internamente, o óleo poderá jorrar, portanto, não fique na frente do bujão e gire-o
gradualmente para aliviar a pressão interna antes de removê-lo completamente.

1. Coloque a máquina na horizontal.


2. Remova o bujão de nível do óleo (G) e verifique se o óleo da
carcaça do comando final vai até a borda inferior do orifício
do bujão (a 20 mm da borda).

3. Se o nível do óleo ainda estiver muito baixo, adicione óleo


para engrenagem pelo bujão de abastecimento de óleo (F)
até o óleo transbordar.
Antes de retirar o bujão do óleo (F), remova toda a lama e
sujeira ao seu redor. Ao completar o óleo, tome cuidado para
não entrar sujeira ou areia.

4-68
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

A CADA 1000 HORAS DE OPERAÇÃO


As manutenções programadas para cada 250 e 500 horas de operação devem ser realizadas ao mesmo
tempo que as manutenções programadas para cada 1000 horas de operação

TROCA DE ÓLEO NA CARCAÇA DO TREM DE FORÇA E LIMPEZA DOS FILTROS


TELAS (INCLUINDO A CARCAÇA DA TRANSMISSÃO, A CARCAÇA DO CONVERSOR
DE TORQUE E A CARCAÇA DA ENGRENAGEM CÔNICA)

! ATENÇÃO
 Assim que a máquina parou de funcionar, o óleo encontra-se à alta temperatura. Espere o óleo esfriar
antes de começar a operação.
 A tampa inferior é pesada. Nunca fique embaixo dela para abrí-la ou fechá-la. Remova os parafusos (5)
posicionando atrás da tampa à direita para poder escapar se ela vier a desabar.

 Capacidade de reabastecimento: 210 litros


1. Remova a tampa no fundo da parte traseira da máquina.
2. Puxe a mangueira (1), e solte o bujão de dreno (2) para
drenar o óleo.
3. Após drenar o óleo, aperte o bujão de dreno (2).
4. Introduza a mangueira (1) dentro da tampa e instale a
tampa.

5. Retire a tampa no pará-lama esquerdo e remova os parafusos


(3) e a carcaça (4).
6. Retire o filtro-tela (5) e o imã (6)
Caso o filtro-tela (5) ou o imã (6) esteja danificado, troque-o
por um novo.

4-69
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

7. Solte o parafuso (7) e separe o filtro-tela (5) e o imã (6).


Torque de aperto do parafusos (7): 46 a 59 Nm (4,7 a 5,9
kgf).
8. Remova toda a sujeira do filtro-tela e lave-o em óleo diesel
limpo ou óleo de limpeza.
9. Instale os filtros-telas em sua posição original.
10. Após instalá-los, substitua o elemento do filtro de óleo do
trem de força. Para detalhes, veja “A CADA 500 HORAS DE
OPERAÇÃO” (página 4-63).

11. Reabasteça o bocal de abastecimento de óleo (F) colocando


a quantidade especificada de óleo para motor.
12. Verifique se o óleo está no nível especificado.
Para detalhes, veja “VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA
CARCAÇA DO TREM DE FORÇA E COMPLETE SE NECES-
SÁRIO” (página 3-97)

(Especificação para mineração, item opcional)

Se um acoplador de conexão rápida para drenagem ou adição


de óleo do trem de força utilize o acoplador de conexão rápida.
Acoplador de conexão rápida
Fabricante: WGGINS
Modelo: ON2

Parafuso de montagem
Tamanho 3/4-14 NPT

OBSERVAÇÃO
Se o acoplador de conexão rápida não tiver sido instalado cor-
retamente, o óleo poderá vazar durante o seu reabastecimento.
Por segurança, utilize o acoplador de conexão rápida com a
tampa da caixa fechada.

4-70
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO E LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO


COMBUSTÍVEL
1. Aperte a válvula (1).
2. Remova a tampa (2) e lave o filtro-tela e a carcaça do filtro-
tela.
3. Após a inspeção e a limpeza, instale o filtro-tela e a carcaça
e aperte a tampa (2).
4. Instalado o filtro, abra a válvula (1).

SUBSTITUA O CARTUCHO DO FILTRO PRINCIPAL DE COMBUSTÍVEL


! ATENÇÃO
 Após o motor ter sido operado, todas as peças estão em alta temperatura, portanto não substitua o filtro
imediatamente. Aguarde até que todas as peças esfriem antes de começar a operação.
 Alta pressão é gerada dentro da tubulação do sistema de combustível quando o motor está ligado.
Ao substituir o filtro, aguarde no mínimo 30 segundos após a parada do motor, para deixar a pressão
baixar antes de substituir o filtro.
 Não aproxime fogo ou chama.
 Tome cuidado ao abrir o bujão de sangramento de ar no topo do bocal de abastecimento. Se ele ainda
estiver sob pressão, o combustível pode espirrar para fora.

NOTA
 Os cartuchos do filtro de combustível genuíno Komatsu usam um filtro especial que possui uma alta
eficiência e capacidade de filtragem. Ao substituir o cartucho do filtro de combustível, sempre use peças
genuína Komatsu.
 O sistema de injeção de combustível commom rail utilizado nesta máquina, consiste de peças de maior
precisão que bomba de injeção e bicos injetores convencionais.
Se alguma outra peça que não o cartucho do filtro genuíno Komatsu for usada, sujeira ou poeira poderá
entrar e causar problemas com o sistema de injeção. Sempre evite usar peças substitutas.
 Quando executar inspeção ou manutenção no sistema de combustível, preste mais atenção que o normal
para a entrada de sujeira. Se sujeira penetrar em alguma peça, use combustível para limpar completa-
mente.

Prepare uma chave de filtro e um recipiente para coletar o com-


bustível

1. Posicione o recipiente debaixo do cartucho do filtro para coletar


o óleo drenado.
2. Feche a válvula (1) da parte correspondente do filtro-tela de
combustível.

4-71
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

3. Usando a chave de filtro, gire o cartucho do filtro (2) no sentido


anti-horário para removê-lo.

NOTAS
 Não encha o cartucho do filtro de combustível com combustível.
 Remova o bujão (A) e instale o filtro de combustível.

4. Limpe o suporte do filtro. Cubra a superfície vedante do novo


cartucho do filtro com uma fina camada de óleo, e então instale
o cartucho do filtro no suporte do filtro.
5. Na instalação, vá apertando até a superfície da junta encostar
na superfície da vedação do suporte do filtro, aplicando, por fim,
um torque de aperto adicional de 3/4 de volta.
Apertando-se o cartucho além desse limite, você irá avariar
a junta, que assim, facilitará a ocorrência de vazamento de
combustível. Deixar por outrolado, o cartucho do filtro muito
frouxoigualmente ocasionará vazamento de combustível pela
junta, portanto, o recomendável neste caso é apertar usando o
torque de aperto correto.
6. Após o cartucho do filtro (2) tenha sido substituído por um novo, sangre o ar do cartucho na referência para
“PROCEDIMENTO PARA SANGRIA DO AR (PAGINA 4-52)”.

VERIFIQUE SE OS PARAFUSOS DE FIXAÇÃO DA ESTRUTURA ROPS ESTÃO SOLTOS


Verifique se há parafusos soltos ou danificados. Se encontrar algum parafuso solto, aperte-o com um torque de
1960 a 2450 Nm (200 a 250 kgfm).
Caso haja algum parafuso danificado, substitua-o por um parafuso genuíno Komatsu.

4-72
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DO RESPIRO DA CARCAÇA DO TREM DE


FORÇA
(Especificação para mineração, item opcional).

1. Remova a presilha (2) co conjunto do respiro (1) do para-


lama esquerdo, depois remova a tampa (3).
2. Substitua o elemento do respiro (4) por uma nova peça.
3. Instale a tampa (3) e a presilha (2).

4-73
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO RESPIRO DO RESERVA-


TÓRIO DE COMBUSTÍVEL
1. Remova a porca (2) do conjunto do respiro (1) na parte superior
da superfície do reservatório de combustível, então remova a
tampa (3).
2. Substitua o elemento do respiro (4) pela peça nova.
3. Instale a tampa (3) e a porca (2).

SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO RESPIRO DO RESERVA-


TÓRIO HIDRÁULICO
1. Remova a porca (2) do conjunto do respiro (1) na parte superior
do reservatório hidráulico, então remova a tampa (3).
2. Substitua o elemento do respiro (4) pela peça nova.
3. Instale a tampa (3) e a porca (2).

4-74
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE AR DO AR CONDICIONADO


(FILTRO DE AR FRESCO/RECIRCULADO)
Substitua os filtros de ar do ar condicionado a cada 1000 horas de operação.
Se o filtro de ar do ar condicionado ficar obstruído ou impregnado de sujeira ou óleo, substitua-o, se necessário,
por um novo.
1. Abra a tampa de inspeção (1) e remova o filtro de ar fresco
(2).

(Máquinas com especificação para mineração)

Solte a porca (a), puxe a alça (b), remova o filtro de ar fresco.

2. Remova o filtro de ar recirculado (3) situado na traseira da


cabina.
3. Após remover os filtros, substitua-os pelas peças novas.

4-75
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFIQUE AS PRESILHAS DAS MANGUEIRAS ENTRE O PURIFICADOR DE AR E O TURBOALIMENTADOR,


TURBOALIMENTADOR E PÓS-RESFRIADOR, PÓS-RESFRIADOR E O MOTOR

1. Verifique as presilhas da mangueira entre o purificador de ar


e o turboalimentador
Confirme se a mangueira está introduzida no mínimo 40 mm.
Verifique se as presilhas encontram-se apertadas.
Torque de aperto: 8,83 ± 0,5 N•m
(0,9 ± 0,05 kgf•m)

2. Faça uma inspeção das presilhas da mangueira entre o tur-


boalimentador e o pós-resfriador
Confirme se a mangueira está introduzida pelo menos 80 mm.
Verifique se as presilhas encontram-se apertadas.
Torque de aperto: 24,0 ± 1,0 N•m
(2,45 ± 0,1 kgf•m)

3. Inspecione as presilhas da mangueira entre o pós-resfriador


e o motor.
Avalie se a profundidade de inserção da mangueira é de no
mínimo 80 mm. Confirme se as presilhas estão apertadas.
Torque de aperto: 24,0 ± 1,0 N•m
(2,45 ± 0,1 kgf•m)

Verifique as presilhas do outro lado também.

4-76
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

A CADA 2000 HORAS DE OPERAÇÃO


As manutenções programadas para cada 250, 500 e 1000 horas de operação devem ser realizadas ao mesmo
tempo que as manutenções programadas para cada 2000 horas de operação.

TROCA DO ÓLEO DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO E SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO DO FILTRO DO


ÓLEO HIDRÁULICO, INCLUINDO A LIMPEZA DO FILTRO-TELA DO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO

! ATENÇÃO
 Imediatamente após a máquina ter operado, o óleo encontra-se à alta temperatura. Espere o óleo esfriar
antes de trocar o óleo.
 Para remover a tampa do bocal de abastecimento de óleo (F), primeiro gire-a lentamente para aliviar a
pressão interna.

 Capacidade de reabastecimento: 170 litros


1. Baixe a lâmina e o escarificador ao solo, desligue o motor e
gire lentamente a tampa do bocal de abastecimento de óleo
(F) para aliviar a pressão interna. Feito isso, remova a tampa.

2. Remova o bujão de dreno (1) localizado no fundo do reservató-


rio e solte a válvula de dreno (2). Após drenar o óleo, aperte o
bujão de dreno (1) e a válvula de dreno (2). Ao soltar a válvula
de dreno (1), tome cuidado para não se sujar com óleo.

3. Remova os parafusos (3) e retire a tampa (4), extraindo, então,


o elemento (5).
4. Limpe o interior da carcaça e as peças removidas e instale
um novo elemento.

4-77
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

5. Remova os parafusos (6), retire a tampa (7), e extraia, então,


o filtro-tela.
6. Lave o filtro-tela em óleo diesel ou óleo de limpeza.
7. Instale o filtro-tela em sua posição original.
8. Adicione óleo para motor pelo bocal de abastecimento de óleo
(F) até o nível especificado.
9. Após completar o óleo, verifique se o óleo encontra-se no nível
especificado. Para detalhes, veja ”VERIFIQUE O NÍVEL DO
ÓLEO NO RESERVATÓRIO HIDRÁULICO E COMPLETE,
SE NECESSÁRIO” (página 3-99).

(Especificação para mineração, item opcional)


Se um acoplador de conexão rápida para drenagem ou adição do
óleo hidráulico utilize o acoplador de conexão rápida.
Acoplador de conexão rápida
Fabricante: WGGINS
Modelo: ON2

Parafuso de montagem
Tamanho 3/4-14 NPT

OBSERVAÇÃO
Se o acoplador de conexão rápida não tiver sido instalado corre-
tamente, o óleo poderá vazar durante o seu reabastecimento. Por
segurança, utilize o acoplador de conexão rápida com a tampa
da caixa fechada.

4-78
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

TROCA DO ÓLEO NA CARCAÇA DO COMANDO FINAL

! ATENÇÃO
 Imediatamente após a máquina ter operado, o óleo encontra-se à alta temperatura. Espere o óleo esfriar
antes de começar a operação.
 O óleo pode jorrar devido à pressão interna. Fique de lado para remover o bujão e gire-o lentamente
para aliviar a pressão interna, somente então o removendo com cuidado.

 Capacidade de reabastecimento: 75 litros


1. Remova o bujão do bocal de abastecimento de óleo (F), retire
o bujão de dreno (1) e o bujão de nível (G) e drene o óleo.
Remova toda a lama e a sujeira em volta do bujão do bocal de
abastecimento de óleo (F) antes de removê-lo. Ao completar o
óleo, tome cuidado para não deixar entrar sujeira ou areia

2. Após drenar o óleo, aperte o bujão de dreno (1).

3. Remova o bujão de nível (G) e coloque óleo para engrenagens


pelo orifício do bujão do bocal de abastecimento de óleo (F)
até o óleo transbordar pelo orifício do bujão de nível.
Após completar o óleo, aperte os bujões.

4-79
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

TROCA DO ÓLEO NA CARCAÇA DO AMORTECEDOR E LIMPEZA DO RESPIRO DO AMORTECEDOR

! ATENÇÃO
 Assim que você pára uma operação, o óleo encontra-se à alta temperatura, portanto, espere ele esfriar
para proceder à manutenção descrita neste tópico.

 Capacidade de reabastecimento: 2,2 litros


1. Remova o respiro (4) na parte superior do amortecedor.
2. Limpe a sujeira remanescente dentro do respiro com óleo
diesel e óleo de limpeza
3. Instale o respiro (4) na posição original.

4. Remova a placa com fendas (3), filtro do respiro (5) e suporte


(6) na parte superior da tampa do amortecedor.
5. Limpe a sujeira acumulada da placa com fenda e suporte e
então lave-as com óleo para limpeza ou detergente líquido.
Substitua o filtro com uma peça nova.
6. Abra a tampa de inspeção localizada na parte inferior do
chassi.
7. Remova o bujão de dreno (2) lentamente para evitar que
espirre em você e drene o óleo.
Após drenar o óleo, aperte o bujão (2).
8. Retire a vareta de medição (1) e adicione óleo através do bocal
de abastecimento até o nível especificado.
9. Verifique se o nível do óleo está entre as marcas H e L da
vareta de medição. Para detalhes, veja “VERIFIQUE O NÍVEL
DE ÓLEO NA CARCAÇA DO AMORTECEDOR, COMPLETE
SE NECESSÁRIO” (página 4-62)
10. Feche a tampa de inspeção.

4-80
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

(Máquinas especificação para mineração, item opcional).

11. Remova a presilha (2) co conjunto do respiro (1) do para-lama


esquerdo, depois remova a tampa (3).
12.Substitua o elemento do respiro (4) por uma nova peça.
13.Instale a tampa (3) e a presilha (2).

4-81
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO DO ROLAMENTO PIVOTADO


E COMPLETE, SE NECESSÁRIO
1. Remova o bujão (1).
Enquanto estiver removendo o bujão (1), tome cuidado para
não deixar entrar sujeira ou poeira.

2. Verifique se o nível de óleo está acima (2) no diagrama. Se o nível


do óleo estiver baixo, adicione óleo para motor pelo orifício do
bujão (1).
(B): 10 a 30 mm

VERIFIQUE O NÍVEL DO ÓLEO NA MOLA TENSORA E NA CARCAÇA DO CILINDRO


AUXILIAR E COMPLETE SE NECESSÁRIO
1. Remova os parafusos (1) e retire a tampa (2)
Ao retirar a tampa, tome cuidado para não entrar poeira ou
areia.
2. Solte o bujão e confirme se a pressão interna foi aliviada.

Introduza uma régua e verifique se o nível do óleo situa-se na faixa


de 90 a 110 mm da borda inferior do orifício de inspeção.
Se não houver óleo suficiente, complete-o.

VERIFICAÇÃO DO ALTERNADOR E MOTOR DE PARTIDA


As escovas podem estar desgastadas ou o rolamento pode ter trabalhado sem graxa, contate seu distribuidor
Komatsu para inspeção e reparo.
Se você der a partida com muita frequência solicite essa inspeção a cada 1000 horas de operação.

4-82
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO E AJUSTE DA FOLGA DAS VÁLVULAS DO MOTOR


Como a remoção e o ajuste das peças exige ferramentas especiais, você deverá solicitar ao seu distribuidor Ko-
matsu a verificação e ajuste da folga das válvulas do motor.

INSPEÇÃO DA PRESSÃO DE CARGA DO GÁS NITROGÊNIO NO ACUMULADOR (PARA


O CIRCUITO DE CONTROLE)

! ATENÇÃO
O acumulador é carregado com gás nitrogênio à alta pressão, assim sendo um erro de operação poderá
causar uma explosão, com o conseqüente risco de danos patrimoniais ou de alguém vir a se ferir grave-
-mente. Ao manusear o acumulador, siga sempre as orientações abaixo:
• É impossível remover completamente a pressão no circuito hidráulico. Ao remover o equipamento
hidráulico, não fique na direção de saída do jato de óleo durante a realização da operação. Além disso,
execute a operação soltando os parafusos devagar.
• Não desmonte o acumulador.
• Não aproxime chama do acumulador ou descarte-o no fogo.
• Não faça furos no acumulador nem o solde.
• Não golpeie o acumulador, role-o ou o submeta a qualquer impacto que seja.
• Quando o acumulador é descartado, o gás em seu interior precisa ser aliviado. Solicite a realização
desse serviço ao seu distribuidor Komatsu.

NOTAS
Se a pressão de carga do gás nitrogênio no acumulador estiver baixa e ainda assim as operações prosse-
guirem, não será possível aliviar a pressão remanescente no interior do circuito hidráulico na eventuali-
dade da ocorrência de uma falha na máquina.

FUNÇÃO DO ACUMULADOR
O acumulador armazena a pressão no circuito de controle.
Mesmo após o desligamento do motor, o circuito de controle ainda
pode ser operado tornando possíveis as seguintes ações:
• Se a alavanca de controle for operada no sentido de baixar o
equipamento de trabalho, o equipamento de trabalho poderá
descer pela ação de seu próprio peso.
• A pressão no circuito hidráulico pode ser aliviada.

O acumulador fica instalado na posição mostrada na figura à


direita.

4-83
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO ACUMULADOR

! ATENÇÃO
Para a realização desta inspeção, primeiro verifique se não há pessoas ou obstáculos nas proximidades
da máquina.

Verifique a pressão de carga do gás nitrogênio segundo o método


que passaremos a descrever:
1. Estacione a máquina sobre um piso firme e nivelado.
2. TRAVE a alavanca do freio de estacionamento colocando-a
na posição (L).

3. Eleve o equipamento de trabalho (lâmina) até a altura máxima


de elevação.

Realize as etapas 4 – 6 dentro de um intervalo máximo de tempo de 15 segundos.


Quando o motor é desligado, a pressão no acumulador vai descendo gradualmente. Por esse motivo, a verificação
deve ser feita imediatamente após o desligamento do motor.

4. Mantenha o equipamento de trabalho em sua altura máxima de


elevação, e então DESLIGUE a chave de partida colocando-a
na posição (A) para desligar o motor.

4-84
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

5. LIGUE a chave de partida colocando-a na posição (B).

6. DESAPLIQUE a alavanca de trava do equipamento de trabalho


colocando-a na posição (F), operando, então, a alavanca de
controle da lâmina totalmente na posição BAIXAR e verificando
se o equipamento de trabalho fica completamente em contato
com o solo.

7. Caso o equipamento de trabalho desça sob a ação de seu pró-


prio peso e contacte o solo, é porque o acumulador encontra-se
normal.
Se o equipamento de trabalho não descer ou parar no meio de
seu curso descendente, provavelmente é porque houve queda
na pressão de carga do gás contido no interior do acumulador
para o circuito hidráulico.
Havendo qualquer anormalidade, solicite uma inspeção ao
seu distribuidor Komatsu.

8. Isso completa a inspeção. Uma vez finalizada a inspeção, TRAVE a alavanca de trava do equipamento de
trabalho, posição (L) e DESLIGUE a chave de partida, posição (A).

4-85
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

MÉTODO DE ALÍVIO DA PRESSÃO NO CIRCUITO HIDRÁULICO


1. Baixe o equipamento de trabalho ao solo.
2. TRAVE a alavanca do freio de estacionamento e a alavanca de trava do equipamento de trabalho

Realize as estapas 3 a 5 dentro de um tempo máximo de 15 segundos.


Quando o motor é desligado, a pressão no acumulador cai gradualmente. Por este motivo, o alívio só pode ser
feito imediatamente após o desligamento do motor.

3. Desligue o motor.
4. LIGUE a chave de partida levando-a até a posição (B).

5. DESAPLIQUE a alavanca de trava do equipamento de traba-


lho levando-a até a posição (F) e então opere a alavanca de
controle da lâmina e a alavanca de controle do escarificador
totalmente para a frente, para trás, para a esquerda e para a
direita para aliviar a pressão no circuito hidráulico.

6. TRAVE a alavanca de trava do equipamento de trabalho e DESLIGUE a chave de partida (A).

4-86
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO A CADA 4000 HORAS DE OPERAÇÃO


Aproveite também para realizar as manutenções programadas para cada 250, 500, 1000 e 2000 horas de operação.

SUBSTITUIÇÃO DO ACUMULADOR (PARA O CONTROLE DO CIRCUITO)


Substitua o acumulador a cada 2 anos ou 4000 horas, o que ocorrer primeiro.

! ATENÇÃO
O acumulador é carregado com gás nitrogênio à alta pressão, assim sendo um erro de operação poderá cau-
sar uma explosão, com o conseqüente risco de danos patrimoniais ou de alguém vir a se ferir gravemente.
Ao manusear o acumulador, siga sempre as orientações abaixo:
• É impossível remover completamente a pressão no circuito hidráulico. Ao remover o equipamento
hidráulico, não fique na direção de saída do jato de óleo durante a realização da operação. Além disso,
execute a operação soltando os parafusos devagar.
• Não desmonte o acumulador.
• Não aproxime chama do acumulador ou descarte-o no fogo.
• Não faça furos no acumulador nem o solde.
• Não golpeie o acumulador, role-o ou o submeta a qualquer impacto que seja.
• Quando o acumulador é descartado, o gás em seu interior precisa ser aliviado. Solicite a realização
desse serviço ao seu distribuidor Komatsu.

Se você prosseguir operando estando o acumulador com baixo


desempenho, não será possível aliviar a pressão remanescen-
te no circuito hidráulico na hipótese de vir a ocorrer uma falha
na máquina. Em uma situação como essa você deverá solici-
tar ao seu distribuidor Komatsu a substituição do acumulador.
A posição de instalação do acumulador está ilustrada na figura
à direita.

INSPEÇÃO DA BOMBA DE ÁGUA


Investigue se há vazamento de óleo e líquido de arrefecimento ou obstrução do orifício de dreno. Encontrando
qualquer anormalidade, solicite ao seu distribuidor Komatsu a desmontagem a fim de que ele avalie se é o caso
de um reparo ou mesmo de substituição.

4-87
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

VERIFICAÇÃO DA ARMAÇÃO PRINCIPAL E DO EQUIPAMEN-


TO DE TRABALHO (LÂMINA, ESCARIFICADOR)
Faça essa verificação após as primeiras 4000 horas de operação
e, depois disso, a cada 1000 horas de operação.
• Preparação
Limpe toda a lama aderida às partes (A) - (L) do equipamento de
trabalho e da armação para facilitar a verificação.

• Inspeção visual
Verifique se as estruturas de aço fundido e soldas das partes
(A) - (L) apresentam algum dano. Encontrando trincas ou algum
outro dano, realize os reparos necessários.

Solicite ao seu distribuidor Komatsu o detalhamento do procedi- Escarificador


mento de reparo.

4-88
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

INSPEÇÃO DO APERTO DA BRAÇADEIRA DE ALTA PRESSÃO


E DO ENDURECIMENTO DA BORRACHA
Verifique se algum dos parafusos de fixação da braçadeira de alta pressão, identificados no desenho abaixo com
a numeração (1) a (15), está solto.
Faça uma inspeção visual na borracha e toque-a com o dedo para ver se está endurecida pelo uso prolongado.
Encontrando alguma peça com problema, você deverá trocá-la. Nesse caso, procure o seu distribuidor Komatsu.

NOTA
Continuar usando o motor com parafusos soltos, borracha envelhecida pelo uso prolongado, ou faltando
peças o expõe ao risco de danos ou de pane em razão da vibração e do desgaste nas conexões da tubu-
lação de alta pressão. Examine regularmente o correto posicionamento das braçadeiras da tubulação de
alta pressão

4-89
MANUTENÇÃO PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO

INSPEÇÃO DA PRESENÇA DAS TAMPAS ANTI-SALPICO DE COMBUSTÍVEL E DO


ENDURECIMENTO DA BORRACHA
As capas anti-salpico de combustível (1)-(16) e a tampa anti-salpico (17) têm a função de prevenir incêndios
provocados por vazamento de combustível e salpico de combustível sobre peças do motor que trabalham à altas
temperaturas. Inspecione visualmente se não há tampas faltando ou parafusos soltos e apalpe com o dedo a bor-
racha para ver se encontra-se endurecida em razão do uso prolongado. Havendo alguma peça com problema,
você deve substituí-la. Nesse caso, consulte o seu distribuidor Komatsu.

4-90
PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO

A CADA 8000 HORAS DE OPERAÇÃO


As manutenções programadas para cada 10, 100, 250, 500, 1000, 2000 e 4000 horas de operação devem ser
realizadas ao mesmo tempo.

SUBSTITUIÇÃO DAS BRAÇADEIRAS DA TUBULAÇÃO DE ALTA PRESSÃO


Solicite ao seu distribuidor Komatsu a substituição das braçadeiras da tubulação de alta pressão do motor.

SUBSTITUIÇÃO DAS TAMPAS ANTI-SALPICO DE COMBUSTÍVEL


Solicite ao seu distribuidor Komatsu a substituição das tampas anti-salpico de combustível.

4-91
ESPECIFICAÇÕES

5-1
ESPECIFICAÇÕES ESPECIFICAÇÕES

ESPECIFICAÇÕES

5-2
IMPLEMENTOS
E OPCIONAIS

! ATENÇÃO
Antes de ler esta seção, primeiro leia e procure entender claramente a
seção SEGURANÇA

6-1
PRECAUÇÕES GERAIS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

PRECAUÇÕES GERAIS
PRECAUÇÕES RELATIVAS À SEGURANÇA
Se instalar implementos ou opcionais não autorizados pela Komatsu, você afetará não apenas a vida útil da má-
quina, mas também causará problemas de segurança.
Quando desejar instalar implementos que não constem no Manual de Operação e Manutenção, primeiro consulte
o seu distribuidor Komatsu.
Caso não seja consultada, a Komatsu não se responsabilizará por acidentes ou falhas decorrentes do uso de
implementos não autorizados.

! ATENÇÃO
Precauções gerais
 Implementos são ferramentas robustas. Manuseie-os corretamente para não se ferir com gravidade.
 Leia o manual de operação de cada implemento atentamente e não utilize implementos na máquina antes
de saber exatamente como operá-los.
Se você perder o seu manual de operação, solicite outro exemplar ao fabricante do implemento ou ao
seu distribuidor Komatsu.
 Para não se ferir gravemente devido a uma falha do implemento, somente coloque o pé em um pedal
quando for absolutamente necessário fazer isso.

Precauções relativas à remoção e instalação de um implemento


Quando remover ou instalar um implemento, observe as recomendações abaixo para trabalhar com
segurança:
 Instale ou remova um implemento com a máquina estacionada sobre um piso duro e nivelado.
 Quando trabalhar em equipe, combine previamente com os integrantes os sinais que serão usados e
siga esses sinais quando estiver trabalhando.
 Para transportar uma peça pesada (de 25 kg ou mais), use uma talha.
 Quando for remover uma peça pesada, providencie antes algo para apoiá-la.
 Ao remover uma peça pesada com uma talha, esteja atento em particular ao centro de gravidade da peça.
 Trabalhar sobre uma peça suspensa por uma talha é perigoso. Primeiro apóie a peça e verifique se pode
trabalhar com segurança.
 Ao remover ou instalar um implemento, imobilize-o bem sobre um apoio.
 Não fique embaixo de uma peça suspensa por uma talha. Mantenha-se afastado para não se machucar
se a peça vier a cair.

NOTAS
A operação de talhas exige mão-de-obra qualificada. Nunca permita que alguém sem a devida qualificação
opere uma talha.
Para saber detalhes sobre as operações de remoção e instalação, consulte o seu distribuidor Komatsu.

6-2
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS SELEÇÃO DAS SAPATAS DAS ESTEIRAS

SELEÇÃO DAS SAPATAS DAS ESTEIRAS


SELEÇÃO DAS SAPATAS DAS ESTEIRAS
Selecione a sapatas que melhor atendam às condições de operação.

MÉTODO DE SELEÇÃO DAS SAPATAS


Se você usar sapatas mais largas que o necessário, a carga sobre as esteiras aumentará e as sapatas irão defor-
mar, os elos irão trincar, os pinos irão quebrar e os parasusos das sapatas irão soltar, sem falar em vários outros
problemas que ocorrerão.

Largura de cada
Categoria Uso Precauções durante o uso sapata da esteira
Terreno Esta sapata pode ser usada para uma ampla gama de aplicações que
A rochoso, vão desde mineração a trabalhos de engenharia civil em geral, como 710 mm
recuperação de aterros residenciais. Não há uma restrição particular
solo normal quanto ao seu uso.
Use esta sapata para solo em geral, como, por exemplo, quando usar
a máquina como escreiper e para empurrar terra, recuperação de solo
B Solo normal para construção de campos de golfe ou tirar o excesso de carga para 810 mm
minas de carvão. Esta sapata não pode ser usada em terreno rochoso.
Em terrenos onde haja rochas no solo, tome cuidado para a máquina
não subir nas rochas.

Solo macio Use esta sapata em solo macio onde a sapata da categoria B afundaria. 910 mm
C Não use esta sapata em terrenos onde haja rochas no solo.

6-3
PROCEDIMENTO PARA SELEÇÃO DA PONTA DO ESCARIFICADOR IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

PROCEDIMENTO PARA SELEÇÃO DA PONTA DO ESCARIFICADOR

Geração de calor
excessivo na ponta

Instale a ponta

(Somente um tipo
de ponta apresenta
desgaste)

A força de impacto
gera ruptura?

média

198-78-21340
198-78-21420 198-78-21510 (feito pela Hensley) 198-78-21370 198-78-21350 198-78-21380

OBSERVAÇÃO
 A ponta simétrica do escarificador é adequada para terrenos com pedras duras porque recupera sua
penetrabilidade virando-se a ponta após o desgaste do outro lado.
 As pontas do escarificador geralmente perdem sua dureza quando estão sob intenso calor gerado
pelo contato com as pedras durante seu uso. Neste caso, as pontas vermelhas para o escarificador
são adequadas a terrenos com pedras duras, onde as outras pontas escorregam durante o uso, pois
as vermelhas são feitas de material que tem baixa perda de dureza sob intenso calor, se comparadas
às pontas amarelas para o escarificador.
 Onde a quantidade de desgaste da ponta do escarificador é limitada, as trincas na superfície da ponta
geradas pelo aquecimento não são facilmente removidas e a ponta pode romper-se devido estas
trincas. Por este motivo, as pontas do escarificador para uso no calcário são próprias para locais de
trabalho onde elas estão livre deste desgaste.

6-4
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS

PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS


Em áreas muitas frias, se houver necessidade de aquecer o óleo e a água, execute os seguintes itens para
aquecer todas as partes antes de dar a partida e operar a máquina.

PRÉ-AQUECEDOR COM FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA


Em áreas frias, um aquecedor elétrico com fonte de alimentação elétrica externa está disponível para o sistema
de arrefecimento e o sistema do óleo lubrificante. Sua função é manter a temperatura após a parada da máquina
e facilitar uma nova partida.
• O aquecedor elétrico mantém aquecidos os seguintes líquidos e óleos lubrificante:
(1) Óleo do motor
(2) Óleo do trem de força

6-5
PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

MANUSEIO DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA DO TIPO PRÉ-AQUECEDOR


Este pré-aquecedor é utilizado como um dispositivo auxiliar de partida, quando há dificuldades em acionar o mo-
tor devido a baixas temperaturas. Costuma ser utilizado mesmo quando a temperatura ambiente está acima de
-20°C, nas estações em que há quedas de temperaturas para faixas abaixo de -20°C.
O uso de uma fonte de alimentação externa (monofásica, 200 - 240V c.a.) para aquecer o líquido de arrefecimento
do motor e o óleo no cárter do motor e no cárter do trem de força irá facilitar a partida do motor.

PROCEDIMENTO DE AJUSTE DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA


1. Ao utilizar este aquecedor elétrico, é necessário ajustar a instalação da fonte de alimentação elétrica externa
indicada a seguir. Para detalhes, consulte “ESTABELECIMENTO DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA”
(Página 6-8).
2. É necessário instalar localmente um cabo elétrico que possa trazer a eletricidade descrita acima da fonte de
alimentação elétrica externa para o receptáculo instalado na máquina.
Para obter detalhes do procedimento de confecção, consulte o tópico “FABRICAÇÃO DO CABO DE ENTRADA
DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA” (página 6-7).
3. O cabo de entrada da fonte de alimentação elétrica externa é um cabo elétrico que traz a eletricidade da fonte
de alimentação elétrica de CA local para o receptáculo de entrada da máquina. Este é conectado através do
procedimento mostrado no diagrama abaixo e ativa o pré-aquecedor.

CA monofásica de Fonte de alimentação elétrica


200 a 240 V • Deve ser capaz de fornecer pelo menos 8,5 kVA.
• Instale o interruptor principal
• Disjuntor de fuga de corrente elétrica
Obs. 1 (Instale um dispositivo com a habilidade de evitar a fuga
de corrente elétrica e sobrecarga).

Cabo de entrada da fonte de alimentação elétrica externa


Cabo de aterramento (Obs. 2) • Use um cabo de 3 núcleos.
• Sempre aterre o fio terra. • A área da seção transversal nominal de um núcleo deve ser de
• Para garantir uma condição segura, enterre 5 a 8 mm2.
uma barra de aterramento no solo. • Use um cabo contra fogo na cabina
• O comprimento dever ser menor do que 30 m (Obs. 3).

Observação 1: O disjuntor de fuga de corrente é instalado para evitar o perigo da eletrocussão se a fonte de
alimentação elétrica apresentar fuga na máquina.
Observação 2: O motivo da conexão do cabo de aterramento à terra é o mesmo da Observação 1.
Observação 3: Serve para evitar alguma queda de tensão.

6-6
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS

FABRICAÇÃO DO CABO DE ENTRADA DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA


O cabo de entrada da fonte de alimentação elétrica externa deve ser feito no local para atender às condições
locais, mas isto não significa que qualquer tipo de cabo possa ser utilizado.
A seguir fornecemos o procedimento para confeccionar o cabo e as precauções a serem seguidas durante a sua
fabricação.

Especificações do cabo e procedimento de instalação


1. Compre no comércio local um cabo com 3 núcleos com
revestimento de cloroprene com isolação de borracha, usando Invólucro
as especificações no diagrama à direita para referência.
• A área da seção transversal nominal de um núcleo deve
ser de 5 a 8 mm².
• Use um cabo com uma capacidade de resistência à tensão Isolamento
de 3.000 V por 1 minuto.
• A fim de evitar alguma queda de tensão, mantenha o Envolva com fita Corpo condutor
comprimento dentro de 30 m (98 pés). de papel
Exemplo de seção
transversal para referência

2. Acople o conector de entrada da máquina (enviado como uma peça individual) 175-06-37871 na extremidade
do cabo.
• O conector possui 3 contatos e cada um é fornecido com um código, portanto conecte os fios do núcleo do
cabo como mostrado na tabela abaixo.

Corpo condutor Solda Isolador

Símbolo de
contato Fio do núcleo para conectar

Contato Fio do núcleo Invólucro A Fio do circuito de aterramento


Tubo ou fita
isolante B Fio do circuito da fonte de alimentação elétrica
C Fio do circuito da fonte de alimentação elétrica

! CUIDADO
• Sempre solde as conexões entre o conector e o fio do núcleo.
• Encaixe as partes soldadas com um tubo de borracha ou envolva com fita isolante as partes soldadas
e evite curtos-circuitos causados pelo contato entre os semicondutores.
• Sempre use 175-06-37871 como conector. Se algum outro conector for utilizado, será impossível conectar
o receptáculo de entrada da fonte de alimentação elétrica externa.

6-7
PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

3. Modifique a outra extremidade do cabo de modo que possa ser conectada à instalação da fonte de alimen-
tação elétrica.
Ao finalizar a modificação da conexão, o cabo de entrada da fonte de alimentação elétrica externa estará
pronto.

Para conectar a alimentação elétrica ao


soquete de entrada (receptáculo) na máquina

Cabo de 3 núcleos (de


comprimento inferior a 30 m)

Para a fonte de alimentação

ESTABELECIMENTO DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA


Obs.: Ao ajustar a fonte de alimentação elétrica, siga todas as leis e regulamentos relacionados ao país em que
estiver e use os serviços de uma concessionária autorizada.

Ao usar este pré-aquecedor, é necessário ajustar a instalação da fonte de alimentação elétrica externa mostrada
no Diagrama da seção 3, em “PROCEDIMENTO DE AJUSTE DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO EXTERNA“ (página
6-6). A unidade de força é utilizada para fornecer ao pré-aquecedor a tensão elétrica de CA enviada de um gerador
ou subestação. Esta deve ter uma estrutura que permita uma fácil conexão para o cabo de entrada da fonte de
alimentação elétrica externa.
O formato, tamanho e método de ajuste da instalação podem ser decididos no local, mas as especificações devem
ser as apresentadas a seguir.
Observe que a máquina não possui nenhum interruptor ou dispositivo de segurança para auxiliar neste procedi-
mento.
• Especificações da instalação da fonte de alimentação elétrica
• Tipo de saída de eletricidade: CA monofásica
• Tensão de saída: 200 a 240V
• Procedimento da fonte de alimentação elétrica: 8,5 kilovolt – ampére (kVA)
• Interruptor principal: Sim
• Disjuntor de fuga de eletricidade: Sim
• Circuito de aterramento: Sim

6-8
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS

• Diagrama da fiação elétrica para o pré-aquecedor com fonte de alimentação externa (Para referência ao ex-
ecutar o trabalho mencionado)

Aquecedor do óleo do
cárter do trem de força
(600W/230V) x 4

Aquecedor do líquido de Alimentação para o soquete de


arrefecimento entrada na máquina
(1500W/230V) x 2

Aterramento para o Cabo de entrada da fonte de


corpo da máquina alimentação externa
Soquete

Fonte de alimentação
Aquecedor do óleo do Cabo de aterramento
cárter do motor
(600W/230V) x 4
Símbolo de contato do soquete

6-9
PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

• Diagrama da fiação elétrica para o pré-aquecedor com fonte de alimentação externa (Para referência ao ex-
ecutar o trabalho mencionado)

Conexão à fonte de
alimentação externa
(230V)

ARMAÇÃO PRINCIPAL

ELO FUSÍVEL ELO FUSÍVEL

ELO FUSÍVEL ELO FUSÍVEL aquecedor do cárter de óleo


aquecedor do cárter de óleo

PARA O AQUECEDOR DO CÁRTER DE ÓLEO


aquecedor do cárter de óleo
aquecedor do cárter de óleo

aquecedor do cárter de óleo

aquecedor do cárter de óleo


aquecedor do cárter de óleo

aquecedor do bloco do motor


aquecedor do cárter de óleo

aquecedor do bloco do motor

Já que (1) é um fusível à prova d’água, inspecione-o com um multímetro ao fazer a verificação de sua condição.
(No. da peça do fusível para reposição: 198-06-51650)

6-10
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS

PROCEDIMENTO DE MANUSEIO
Use este pré-aquecedor nas estações em que a temperatura ambiente cai abaixo de - 20°C, ou quando houver
dificuldade em dar a partida com o motor frio, mesmo que a temperatura esteja acima de - 20°C.
Para obter detalhes sobre o óleo a ser utilizado, consulte “COMBUSTÍVEL, LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO E
LUBRIFICANTE RECOMENDADOS” (página 4-12).

MÉTODO DE OPERAÇÃO

! ATENÇÃO
• Baixe o equipamento de trabalho ao solo.
• Limpe todo o óleo ou combustível que eventualmente encontrar no pré-aquecedor ou nas peças próximas.
• Caso haja folhas mortas ou outros materiais combustíveis acumulados em torno do cárter de óleo do
trem de força e no compartimento do motor, certifique-se de removê-los.
• Verifique se o óleo do motor, óleo do trem de força e o líquido de arrefecimento do motor encontram-se
nos níveis especificados.
• Antes de ativar o pré-aquecedor, verifique se não há danos ao encapamento do fio e, se houver, proceda
aos reparos necessários ou substitua-o por um novo.
• A conexão dos cabos com a chave de partida ligada é uma prática perigosa. Jamais tente esta conexão.
• Verifique se o cabo de aterramento está devidamente aterrado antes de ligar a chave de partida.

1. Caso já saiba ao final do dia de trabalho que será necessário


utilizar novamente o pré-aquecedor na próxima partida, esta-
cione a máquina próxima do alcance do cabo de entrada da
alimentação externa da unidade de força.

IMPORTANTE
• Estacione a máquina em um terreno plano.
• Tome as medidas necessárias para evitar que as sapatas
da esteira venham a congelar e assim ficarem presas ao
solo.

OBSERVAÇÃO
Cubra a máquina com lona para facilitar a partida do motor no
próximo turno de operação.

6-11
PARTIDA EM ÁREAS COM BAIXAS TEMPERATURAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

2. Algumas horas antes da partida, forneça energia ao pré-aquecedor para aquecer o líquido de arrefecimento no
cárter de óleo do motor e no cárter de óleo do trem de força.
1) Conecte a unidade de força e o soquete da entrada de força no lado da máquina com um cabo de entrada
de força externa.
O receptáculo de entrada na máquina está localizado na tampa lateral, no lado esquerdo da máquina.

Alimentação elétrica

Cabo de entrada da
fonte de alimentação
externa

2) Ligue a eletricidade com um interruptor de força (interruptor principal) ou um interruptor liga-desliga sepa-
rado da unidade de alimentação, se houver.
• O tempo necessário para o aquecimento varia de acordo com a temperature ambiente predominante e
com o tipo de óleo utilizado.

Tempo mínimo de alimentação


Temperatura do ar Tipo de óleo
da eletricidade
-30°C SAE 10W Mín. 2 horas

• Se houver expectativa da temperatura ambiente permanecer abaixo de -15°C, não há problemas em ligar a
eletricidade após desligar o motor no dia anterior e manter o motor aquecido.
• A tabela acima fornece os valores padrão. Se as condições climáticas no local de trabalho forem de natureza
extraordinária, é preferível aplicar valores mais adequados à localidade especificamente e mantê-los para o
local de trabalho.

IMPORTANTE
• Ao executar a operação de aquecimento em temperaturas ambientes abaixo de 0°C, consulte o tópico
“PARTIDA EM CLIMA FRIO” (página 3-112).
• Se a temperatura ambiente estiver acima de 0°C, desligue a eletricidade. Se esta for mantida, a tempera-
tura do óleo se tornará muito alta, podendo causar deterioração do óleo.
• Se a temperatura ambiente estiver abaixo de - 20°C e o motor permanecer inativo por mais de 2 horas,
use este pré-aquecedor para manter a temperatura.

3. When preheating work is finished, turn off the power switch, disconnect the cable and screw a protective cap in
the power input outlet (receptacle) on the machine side securely.
4. Start the engine.

IMPORTANTE
Não acione o motor com a eletricidade ligada. Desligue sempre a chave de partida antes de ligar o motor
(na posição PARTIDA). Se o motor for acionado com a eletricidade ainda ligada, poderá causar falha ao
aquecedor do líquido de arrefecimento.

6-12
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA

MÉTODO EFETIVO DE OPERAÇÃO COM LÂMINA DE


INCLINAÇÃO DUPLA
CONDIÇÃO DA LÂMINA
INCLINAÇÃO SIMPLES
Selecionando a inclinação simples no seletor de inclinação
simples/dupla, incline a lâmina.
Operações aplicáveis
 Operações normais

DUPLA INCLINAÇÃO
Selecionando a dupla inclinação no seletor de inclinação simples/
dupla, incline a lâmina.
Operações aplicáveis
 Operações de corte lateral (locais altos)
 Operações de laminação horizontal de barrancos (terreno
irregular)
 Abertura de valas

PASSO PARA TRÁS


Mantendo o botão de controle do passo pressionado, incline a
lâmina para a esquerda.
Operações aplicáveis
 Transporte
 Laminação de solo macio (aterro)
 Operações de nivelamento (terraplenagem)
 Operações de corte lateral

6-13
USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

PASSO PADRÃO
Operações aplicáveis
 Operações normais

PASSO PARA FRENTE


Mantendo o botão de controle do passo pressionado, incline a
lâmina para a direita.
Operações aplicáveis
 Escavação de solo natural e terreno rochoso (escavação de
solo duro)
 Aterro de precipícios
 Deslocamento de terra
(Reduz o desperdício de terra pelo alto da lâmina e a sobra
de terra é menor)

6-14
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA

LAMINAÇÃO

LAMINAÇÃO DE TERRENO NIVELADO OU DESCIDA DE RAMPAS


SOLO NATURAL, TERRENO ROCHOSO

! ATENÇÃO
Se você sentir que há perigo em despejar o solo, use dois movimentos para empurrar a terra sobre o aterro.

1. Escave com o passo para frente (1) e quando a lâmina estiver aproximadamente 80% carregada, retorne para
o passo reto (2) e continue escavando (A).
2. Ajuste o passo para trás (3), que suporta uma carga maior na lâmina, e transporte o solo (B). Ajuste o ângulo
de corte ideal para rolar o solo.
3. Use o passo para frente (1) para despejar o solo (C).

ATERRO DE SOLO MACIO


Escave com o passo para trás ou reto e transporte com o passo
para trás.

OBSERVAÇÃO
Se a escavação for realizada com o passo para trás, evita-se que
a lâmina penetre bruscamente no solo e garante-se suavidade
na operação.

6-15
USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

SOLO DURO (ARGILA DURA, XISTO ARGILOSO,


ETC.)
Se a escavação for realizada com o passo para frente com o
chassi erguido e a lâmina inclinada, o canto da lâmina penetrará
melhor no solo.

EMPURRANDO TERRA

1. Escave com o passo reto (1).


Quando escavar gradualmente (A), use o passo para trás (2).
Se o solo for duro, use o passo para frente (3).
2. Transporte com o passo para trás (2)
Se escapar terra pelo alto da lâmina, use o passo reto (1).
3. Despeje a terra (C) com o passo para frente (3).
Com o passo para frente, o solo é despejado com mais eficiência e a sobra de terra é menor.

6-16
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA

NIVELAMENTO (TERRAPLENAGEM)
Realize esta operação com o passo para trás.
Realizando-se esta operação com o passo para trás, o canto da
lâmina não penetra no solo e este pode ser nivelado ou espalhado
com suavidade.

OBSERVAÇÃO
Se o cilindro de inclinação for movido completamente até o fim
de seu curso, a operação de inclinação não poderá ser realizada
em um dos lados, portanto, recue o cilindro um pouco a partir do
fim de seu curso até a posição correspondente ao passo reto.

ABERTURA DE VALAS
Usando-se a dupla inclinação, a largura de escavação diminui e
pode ser escavada uma vala mais funda.
Se for usado o passo para trás, a escavação pode ser realizada
gradualmente com maior uniformidade.

ESCAVAÇÃO DE PEDRAS GRANDES


Como a dupla inclinação aumenta consideravelmente o ângulo de
inclinação, a lâmina pode penetrar fundo e enganchar em pedras
grandes. Além disso, o curso de operação é amplo, assegurando
eficiência na escavação de pedras grandes.

(D) Inclinação Dupla


(S) Inclinação Simples

6-17
USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

CORTE LATERAL
Realize esta operação com o passo para trás e encoste a
extremidade do canto da lâmina na face da rocha para cortá-la.

OBSERVAÇÃO
Com a dupla inclinação é possível aumentar o ângulo de inclina-
ção e realizar operações de corte lateral em paredes mais altas.

LÂMINAÇÃO NA HORIZONTAL DA LATERAL DE


UMA ENCOSTA (TERRENO IRREGULAR)
A dupla inclinação proporciona maior ângulo de inclinação, sendo
esse recurso eficaz na laminação na lateral de uma encosta, pois,
após um pequeno trecho escavado, o chassi fica na horizontal.

6-18
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS USO DA DUPLA INCLINAÇÃO DA LÂMINA

CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS


PAINEL DE INTERRUPTORES DE SELEÇÃO DE MODO (CONTROLE DA
PATINAGEM DAS SAPATAS)
 Selecione o modo desejado pressionando o interruptor de seleção de modo correspondente.
 Para detalhes sobre a seleção do modo a ser usado, veja “COMO USAR O SISTEMA DE SELEÇÃO DE MO-
DOS” (página 3-143).
 O modo de economia, o modo de redução da velocidade de deslocamento em ré e o modo de controle da
patinagem das sapatas podem ser usados independentemente ou combinados.

(1) Interruptor de controle da patinagem das sapatas (2) Interruptor seletor de modo de seleção de terreno
rochoso

INTERRUPTOR DE CONTROLE DA PATINAGEM


DAS SAPATAS
Este interruptor (1) é usado para operações de escarificação.
Quando esta ligado, a luz permanece acesa.

NOTA
Ligando-se o interruptor de controle da patinagem das
sapatas, entra automaticamente o modo de seleção de rocha
[3]. Selecione, então, o modo de seleção de rocha que melhor
atende ao tipo de rocha existente no local de trabalho.

6-19
CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

INTERRUPTOR SELETOR DO MODO DE SELEÇÃO


DE ROCHA
Para usar este interruptor (2) durante operações de escarifica-
ção, ligue o interruptor de controle da patinagem das sapatas e
selecione o modo de [1] a [5] que melhor se ajusta ao grau de
patinagem das sapatas.
A luz do modo selecionado permanece acesa.

COMO USAR O SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS

(1) Interruptor do modo de bloqueio do conversor de torque (4) Interruptor seletor do modo de seleção de rocha
(2) Interruptor seletor do modo de economia (5) Interruptor seletor do modo de redução da
(3) Interruptor de controle da patinagem das sapatas velocidade de deslocamento em ré

A seleção do modo ideal para o tipo do trabalho e a natureza da rocha ou do solo garante eficiência nas operações.
Quando todos os interruptores de seleção de modo estão desligados, a condição é chamada de modo padrão.
O modo de bloqueio do conversor de torque não pode ser associado simultaneamente a outro modo.
O modo de economia, o modo de redução da velocidade de deslocamento em ré e o modo de controle da patina-
gem das sapatas podem ser selecionados individualmente ou combinados entre si.

Laminação Escarificação

Modo de bloqueio Modo de redução da Modo de controle


Modo de econo- velocidade de deslo- da patinagem
do conversor de mia camento em ré das sapatas
torque
o × o ×
× o o o
o: Pode ser usado ×: Não pode ser usado combinado a outro modo

6-20
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS

SELEÇÃO DE MODOS
OPERAÇÕES DE LAMINAÇÃO

MODO DE BLOQUEIO DO CONVERSOR DE TORQUE


Usando-se o modo de bloqueio do conversor de torque, a
velocidade de deslocamento aumenta, há uma otimização da
eficiência da operação, sem falar que verifica-se, também, uma
redução do consumo de combustível.
 Marchas em que o modo de bloqueio do conversor de torque
pode ser usado: todas
 Operações aplicáveis : Laminação de terra fofa (ideal para
terraplenagem em distâncias longas)
Quando o modo de bloqueio do conversor de torque é ligado, as
condições da carga determinam a seleção automática da transmissão
direta ou da transmissão através de conversor de torque.

(Exemplo)
 Operações de laminação de sulcos

 Operações de laminação de aclives e declives

OBSERVAÇÕES
 Para operações de laminação em rampas com inclinação su-
perior a 15º, o modo de bloqueio do conversor de torque pode
ser facilmente cancelado, sendo mais fácil, nessas condições,
executá-las no modo padrão.
 Usando-se o modo de bloqueio do conversor de torque para
executar uma escarificação normal, ele será ativado e desati-
vado constantemente, portanto, nesse caso você deverá usar
o modo padrão ou o modo de controle da patinhagem das
sapatas.
 Mesmo para executar uma operação de escarificação, você
pode usar o modo de bloqueio do conversor de torque se o (1) Tipo de terra e areia
solo for extremamente macio.

6-21
CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

MODO DE ECONOMIA
O uso do modo de economia possibilita reduzir a patinagem das
sapatas e o consumo de combustível.
 Marcha na qual o modo de economia pode ser usado: F1
 Operações aplicáveis: Terraplenagem após escarificação,
laminação de rochas dinamitadas, acabamento de superfícies
Quando o modo de economia é ligado, entra automaticamente
o modo [1]. Realize as operações de laminação nesse modo e,
então, entre no modo [2] para realizar esses e outros tipos de
operação. Teste os dois modos e defina qual o modo que melhor
combina redução de potência e baixa patinagem das sapatas
(freqüência da operação de desaceleração).
O modo [1] trabalha com aproximadamente 90% da potência
total e o modo [2] com aproximadamente 70% da potência total.

(Exemplo)
 Operações de nivelamento fino

 Operações de escarificação e laminação

OBSERVAÇÕES
 Se o interruptor de controle da patinagem das sapatas for ligado e o escarificador for baixado durante operações
de laminação no modo padrão, o sistema entrará no modo de controle da patinagem das sapatas. Se isso acon-
tecer, retorne para neutro e coloque a transmissão em F1, o que fará o sistema voltar ao modo padrão.
 Se os interruptores do modo de economia e de controle da patinagem das sapatas forem ligados e o escarifica-
dor for baixado durante operações de laminação no modo de economia, o sistema entrará no modo de controle
da patinagem das sapatas. Se isso acontecer, retorne para neutro e coloque a transmissão em F1, o que fará
o sistema voltar ao modo padrão.

6-22
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS

OPERAÇÕES DE ESCARIFICAÇÃO

CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS


Possibilita reduzir a freqüência de atuação do pedal desacelerador
e contribui para a redução da fadiga do operador Também evita
a dispendiosa patinagem das sapatas, prolonga a vida útil do
material rodante e reduz o consumo de combustível.
 Marcha na qual o controle da patinagem das sapatas pode
ser usado: F1
 Operação aplicável: Escarificação
Em uma escarificação normal, o operador usa o pedal desacelera-
dor para controlar a rotação do motor enquanto está escarificando.
Ligando-se o controle da patinagem das sapatas, o sistema de
controle da patinagem das sapatas ajuda o operador a realizar
esse controle.
Quando o interruptor de controle da patinagem das sapatas é
ligado, entra automaticamente o modo de seleção de rocha [3].
Realize as operações nessa condição. Se a patinagem das sa-
patas aumentar muito, pressione o interruptor H para programar
o modo [4] ou [5].
Se a patinagem das sapatas for muito baixa e sentir que está
faltando potência, pressione o interruptor S para programar o
modo [2] ou [1].

6-23
CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

OBSERVAÇÕES
 Uma vez colocada a alavanca joystick em F1, o controle da
patinagem das sapatas tem início quando a alavanca de con-
trole do escarificador é colocada em BAIXAR (C) ou INCLINAR.
Mesmo quando a laminação e a escarificação se alternarem,
não é necessário ligar ou desligar o interruptor.
 Com este sistema ativado, se ocorrer a patinagem das sapatas
durante uma operação de escarificação a rotação do motor é
reduzida para que cesse o fenômeno.
Se ocorrer a patinagem das sapatas durante operações de
escarificação e a rotação do motor cair, colocando-se a alavan-
ca de controle do escarificador em INCLINAR (A) ou ELEVAR
(a) a rotação do motor aumenta (a potência sobe) e torna-se
mais fácil quebrar rochas.
 Durante a escarificação de rocha dura, se a traseira da má-
quina erguer-se do chão e houver uma patinagem repentina
das sapatas é possível diminuí-la colocando-se a alavanca
de controle do escarificador em BAIXAR (C) e reduzindo-se
a rotação do motor.

6-24
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS

MODO DE REDUÇÃO DA VELOCIDADE DE


DESLOCAMENTO EM RÉ
O modo de redução da velocidade de deslocamento em ré
reduz a velocidade de deslocamento em ré, diminui a freqüência
de atuação do pedal desacelerador e aumenta o conforto do
operador.
 Marchas em que o modo de redução da velocidade de
deslocamento em ré pode ser usado: R1, R2, R3
(Se necessitar desse modo apenas ao trafegar em R2 ou R3,
é possível alterar a programação do modo de serviço. Para
fazer isso, procure o seu distribuidor Komatsu.).
 Operações aplicáveis: deslocamento em terreno rochoso e
descida em ré de rampas de grande inclinação.
Use este modo para reduzir a velocidade de deslocamento ao
trafegar em R1, R2 ou R3.
Quando o modo de redução da velocidade de deslocamento
em ré é acionado, a velocidade de deslocamento cai para
aproximadamente 80% da velocidade máxima da marcha que
está selecionada.
Use este modo para reduzir a velocidade de deslocamento ao
trafegar em ré após escarificar e laminar terreno rochoso ou
após laminar rampas de grande inclinação. A velocidade de
deslocamento difere em cada marcha em função do modo de
redução da velocidade de deslocamento em ré estar sendo ou
não usado em associação com o modo de economia ou com o
controle da patinagem das sapatas.
Com o controle da patinagem das sapatas, a velocidade de des-
locamento para os modos de seleção de rocha [1] - [5] cai para
aproximadamente 70 a 90% da velocidade máxima da marcha
que está selecionada.

Se perceber que a velocidade de deslocamento ao trafegar em


ré em terreno rochoso está muito alta, acione o modo de redu-
ção da velocidade de deslocamento em ré, reduzindo, assim, a
velocidade de deslocamento em ré.

Se perceber que a velocidade de deslocamento está muito alta


ao descer em ré uma rampa, acione o modo de redução da velo-
cidade de deslocamento em ré, reduzindo, assim, a velocidade
de deslocamento em ré.

6-25
CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

PROCEDIMENTO PARA SELEÇÃO DE MODOS SEGUNDO A NATUREZA


E AS NECESSIDADES DA OPERAÇÃO
Use a tabela abaixo para selecionar o modo ideal para a natureza e as necessidades da operação.

Natureza e necessidades da operação Sistema de operação e efeito Modo a selecionar

Bloqueando-se o conversor de torque e


Necessita de alta usando-se a transmissão direta, há um
Laminação aumento da eficiência na transmissão de Modo de bloqueio do
de solo fofo produção e grande
potência potência e da produção por litro de com- conversor de torque
bustível

Necessita de
movimentos rápidos
Escavação, da máquina e bom
laminação de desempenho na Modo normal
solo rochoso escavação e na
laminação, mesmo
que o tipo de rocha
ou solo mude
Laminação

A potência de saída do motor é ajustada es-


pecialmente para a laminação (modos 1 ou
2), proporcionando potência e economia de
Necessita de combustível. Este modo possui as seguintes Modo de economia (*)
potência aliada vantagens: [Dois modos disponíveis
a baixo consumo (1) Redução na freqüência das operações para a seleção do modo
de combustível de desaceleração ideal para o tipo de rocha
Laminação ou de solo]
de rochas (2) Redução na patinagem das sapatas
dinamitadas O operador não (3) Redução no consumo de combustível
deverá sentir fadiga
mesmo quando
operar por muitas
horas seguidas A velocidade de deslocamento em ré é reduzi- Modo de redução da velo-
da, melhorando o conforto do operador cidade de deslocamento
em ré (*)

Modo de redução da velo-


A velocidade de deslocamento em ré é re- cidade de deslocamento
O operador não deverá sentir duzida, melhorando o conforto do operador em ré (*)
fadiga mesmo quando operar
por muitas horas seguidas Os seguintes itens são permanentemente
monitorados:
(1) Potência do motor
(2) Força na barra de tração
(3) Grau de patinagem das sapatas Modo de controle da
Facilidade de operação Se algum desses valores subir muito, a potên- patinagem das sapatas (*)
cia do motor é automaticamente mantida no
Escarificação nível ideal para a operação que está sendo
realizada.
Com isso, consegue-se:
Necessita de potência aliada a
baixo consumo de combustível  Evitar o uso do pedal desacelerador
 Evitar a patinagem das sapatas
 Reduzir a patinagem das sapatas
Além disso, a máquina dispõe de cinco
modos de seleção para as mais diversas
Redução dos custos de repa- condições de rochas (dureza), permitindo a
ro do material rodante seleção da potência ideal para o tipo da ro-
cha. Alia-se, assim, potência a baixo consumo
de combustível.

(*): O modo de economia (na laminação), o modo de redução da velocidade de deslocamento em


ré e o modo de controle da patinagem das sapatas (na escarificação) podem ser selecionados
independentemente ou em associação. Há também o recurso da seleção e da correção, de
modo que a máquina pode ser ajustada da forma que melhor atende a diversos tipos de
operação.

6-26
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS CONTROLE DA PATINAGEM DAS SAPATAS

QUANDO ALGUMA LUZ DO SISTEMA DE SELEÇÃO DE MODOS PISCA


Se alguma das luzes de advertência piscar ou tornar-se impossível controlar a rotação do motor com o botão de
controle do combustível ou o pedal desacelerador, pare a operação imediatamente, verifique o que o painel monitor
está informando e solicite os reparos necessários ao seu distribuidor Komatsu.
Se, além dos problemas acima, ocorrer algum dos problemas relacionados na tabela abaixo provavelmente há
uma anormalidade no interruptor da alavanca de controle do equipamento de trabalho, no sensor das marchas da
transmissão ou em algum outro componente, e os reparos necessários devem ser solicitados ao seu distribuidor
Komatsu.

Modo Operação Anormalidade


 Quando ocorre a patinagem das sapatas, é impossível reduzir a
potência
 Mesmo quando ocorre patinagem das sapatas, o controle é
impossível
Controle da patinagem  Após cessar a patinagem das sapatas, a retomada de potência é
das sapatas Escarificação
muito lenta
 Colocando-se a alavanca em INCLINAR ou ELEVAR, fica difícil
quebrar rocha
 A velocidade de deslocamento aumenta quando o porta-pontas é
introduzido
 A velocidade de deslocamento é lenta e falta força na barra de
tração
 A máquina fica fora de controle e o motor não sai da rotação
máxima ou permanece próximo dela
 O chassi ergue-se do chão quando a escarificação tem início

6-27
MANUSEIO DAS MÁQUINAS EQUIPADAS COM KOMTRAX Plus IMPLEMENTOS E OPCIONAIS

MANUSEIO DAS MÁQUINAS EQUIPADAS COM


KOMTRAX Plus
 KOMTRAX Plus é um sistema de gerenciamento da máquina que, com o terminal de comunicações instalado,
permite transmitir os dados relacionados à máquina.
• É necessário firmar um contrato antes do terminal de comunicações KOMTRAX Plus ser utilizado. Os clientes
que desejarem usar o sistema KOMTRAX Plus devem consultar seus distribuidores Komatsu.

KOMTRAX Plus INSTALADO, TERMINAL DE COMUNICAÇÕES NÃO


INSTALADO

PRECAUÇÕES BÁSICAS

! ATENÇÃO
• Nunca desmonte, repare, modifique, ou mova o sistema KOMTRAX Plus ou seus cabos. Isto pode
causar falhas ou incêndio ao equipamento do KOMTRAX Plus ou na própria máquina. (O seu distribuidor
Komatsu irá executar a remoção e instalação do KOMTRAX Plus).
• Não permita que os cabos ou fios sejam arrancados; não danifique ou puxe os cabos ou fios com força.
Curtos-circuitos ou fios desconectados podem causar falhas ou incêndio no equipamento KOMTRAX
Plus ou na própria máquina.

OBSERVAÇÃO
Não há necessidade de inspecionar ou operar o KOMTRAX Plus, mas se for encontrada alguma anomalia, entre
em contato com o seu distribuidor Komatsu, relatando-lhe essa ocorrência.

6-28
IMPLEMENTOS E OPCIONAIS MANUSEIO DAS MÁQUINAS EQUIPADAS COM KOMTRAX Plus

KOMTRAX Plus E TERMINAL DE COMUNICAÇÕES INSTALADOS


• O equipamento KOMTRAX Plus é um dispositivo sem fio que utiliza ondas de rádio, portanto é necessário obter
autorização e estar em conformidade com as leis do país ou território onde a máquina equipada com o sistema
KOMTRAX Plus está sendo utilizada. Sempre entre em contato com o seu distribuidor Komatsu antes de vender
ou exportar alguma máquina equipada com KOMTRAX Plus.
• Ao vender ou exportar a máquina ou em outros momentos quando o seu distribuidor Komatsu considerar
necessário, o seu distribuidor Komatsu terá de remover o equipamento KOMTRAX Plus ou executar uma ação
para interromper as comunicações.
• Caso você não obedeça às precauções descritas acima, a Komatsu ou o seu distribuidor Komatsu não poderão
assumir quaisquer responsabilidades por qualquer problema que for causado ou por alguma perda que disso
possa resultar.

PRECAUÇÕES BÁSICAS

! ATENÇÃO
• Nunca desmonte, repare, modifique, ou mova o KOMTRAX Plus, terminal, antena, ou cabos. Isto pode
causar falhas ou incêndio no equipamento KOMTRAX Plus ou na própria máquina. (Seu distribuidor
Komatsu irá executar a remoção e instalação do KOMTRAX Plus e terminal).
• Não permita que os cabos ou fios sejam arrancados; não danifique ou puxe os cabos ou fios com força.
Curtos-circuitos ou fios desconectados podem causar falhas ou incêndio no equipamento KOMTRAX
Plus ou na própria máquina.
• Se alguém estiver usando um marcapasso, certifique-se que a antena de comunicação esteja pelo
menos a 22 cm do marcapasso. As ondas de rádio podem causar um efeito contrário na operação do
marcapasso.
• Em locais de trabalho próximos a áreas de dinamitações há risco de explosões inesperadas em razão
do uso de dispositivo de comunicação interativa sem fio do KOMTRAX Plus, podendo resultar em
ferimentos pessoais graves. Certifique-se de operar a máquina a uma distãncia segura dos locais de
trabalho sujeitas a dinamitações. Caso tenha que operar a máquina em um raio menor que 12 m do local
ou dos dispositivos de dinamitação remotos, solicite ao seu distribuidor Komatsu para desconectar o
cabo da fonte de alimentação do KOMTRAX Plus antecipadamente.
Se houver qualquer restrição ou legislação local ou nacional aplicável à máquina equipada com este
dispositivo, tal lei ou restrição possui prioridade sobre esta advertência.
As especificações KOMTRAX Plus são indicadas a seguir:
Potência nominal: 5 - 10 W
Freqüência operacional: 148 - 150 MHz

NOTA
• Entre em contato com o seu distribuidor Komatsu antes de instalar uma proteção ou outro implemento
que cubra a antena.
• Tome cuidado para não deixar entrar água no terminal de comunicação ou fiação.

OBSERVAÇÃO
• O terminal de comunicações utiliza um sistema de comunicação sem fio, não podendo, assim, ser utilizada dentro
de túneis, passagens subterrâneas, dentro de edifícios, ou em áreas montanhosas onde as ondas de rádio não
possam ser recebidas. Mesmo em espaço aberto, não é possível usar o terminal em áreas onde o sinal de rádio
for fraco ou se estiver fora da área de alcance dos serviços de comunicações sem fio.
• Não há absolutamente nenhuma necessidade de inspecionar ou operar o sistema KOMTRAX Plus ou terminal
de comunicações, mas se alguma anomalia for encontrada, entre em contato com o seu distribuidor Komatsu e
informe o ocorrido.

6-29
TRATOR DE ESTEIRAS D475A-5E0
Formulário nº KPAM048301

©
2012 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 12-12