Você está na página 1de 39

1

Campinas, 13 de Fevereiro de 2017

A RVA COMÉRCIO & SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO Att.: Arq.Vanderson Alves CAU DF A99792-7 Brasília Distrito Federal - DF E-mail: vanderson.arq@gmail.com

Ref.: Vistoria Técnica - Estande de Tiro Aéreo do Cachimbo - PA Campo de Prova Brigadeiro Velloso - CPBV

1. INTRODUÇÃO

VISTORIA TÉCNICA

A presente Vistoria Técnica de Inspeção Predial foi solicitado pelo Comando da Aeronáutica, localizado em Brasília Distrito Federal, em atendimento ao disposto na Norma de Inspeção Predial Nacional/2012 do IBAPE (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia Entidade Nacional), da Norma de Perícias de Engenharia na Construção Civil NBR 13752 (Perícias de engenharia na construção civil), da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), consoante o que determina a sobre as regras gerais e específicas a serem obedecidas na manutenção e conservação das edificações e/ou instalações.

Este trabalho caracteriza-se pela inspeção como um “Check-up” da edificação, tendo como escopo um diagnóstico geral sobre o Estande de Tiro Aéreo no campo prova Brigadeiro Velloso CBPV, em Cachimbo Pará - PA, identificando as anomalias construtivas e falhas de manutenção, com a análise do risco oferecido aos usuários, ao meio ambiente e ao patrimônio, que interferem e prejudicam a saúde e funcionalidade, frente ao desempenho dos sistemas construtivos e elementos vistoriados da edificação, especialmente as estruturas metálicas, sistemas de acessibilidade, proteção e pintura.

2

Neste contexto, a ANOMALIA representa a irregularidade relativa à construção

e

suas instalações, enquanto que a FALHA diz respeito à manutenção, operação

e

uso da Torre 01 do Estande de Tiro Aéreo em Cachimbo-PA.

2. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

2.1. Identificação:

Edificação: Torre no Estande de Tiro Aéreo em Cachimbo-Pará-PA Local: Campo de Provas Brigadeiro Velloso - Pará - PA Identificação da Edificação: Torre 01 e Torre 02

2.2. Realização da Vistoria:

Entidade: RS Engenharia Renato Alves dos Santos Eireli - Me Responsável Técnico: Engº Civil RENATO ALVES DOS SANTOS Esp. CREA-SP Nº 5061817799.

2.3. Data da Vistoria:

As vistorias técnicas nas dependências da Base Aérea do Cachimbo foram realizadas no dia 07 de Fevereiro de 2017, no período da tarde.

2.4.

Objeto da Inspeção:

O

Campo de Provas Brigadeiro Haroldo Coimbra Velloso (CPBV) foi

criado na década de 1950 e também é conhecido como Campo de Provas do Cachimbo ou Área Militar da Serra do Cachimbo. Na Base são realizadas manobras e simulações de treinamentos, onde

o uso desta Torre de Observação é de grande importância para

avaliação de performance de seus profissionais e equipamentos empregados nestas operações.

A edificação (Torres 01 e 02) possui um peso aproximado de 20

toneladas, assentada sobre um terreno, apresentando as seguintes características construtivas:

3

Estrutura formada por Perfis Metálicos, apoiadas sobre bases

concreto armado e suas fundações, escadas metálicas para

acessibilidade dos pisos superiores, cabines de apoio para

observação na elevação (nível 0,00m) e última elevação (nível

+30,00m), composta por cobertura e fechamentos em telhas

metálicas e instalações próprias para a operação da Edificação.

2.5. Ficha Técnica da Edificação:

A Torre 01 é parte integrante da unidade CPBV (Campo de Prova

Brigadeiro Velloso).

Nome Oficial: Torre 01 Área de projeção 25m²

Localização: Cachimbo Pará - PA

Proprietário: Aeronáutica

Altura total: 27 metros

Peso aproximado: 9 toneladas

Estrutura: Estruturas Metálicas com Perfis, apoiada sobre Blocos de Fundação em Concreto Armado.

Construções de Apoio: Duas cabines Sendo uma na elevação (nível 0,00m) com área aproximada de 9m² e outra elevação (nível+24,00m) com área aproximada de 9m².

Projetos de referência: Inexistente.

Especificação/Tipo de Aço: Inexistente

A Torre 02 é parte integrante da unidade CPBV (Campo de Prova

Brigadeiro Velloso).

Nome Oficial: Torre 02 Área de projeção 25m²

Localização: Cachimbo Pará - PA

Proprietário: Aeronáutica

Altura total: 30 metros

Peso aproximado: 11 toneladas

Estrutura: Estruturas Metálicas com Perfis, apoiada sobre Blocos de Fundação em Concreto Armado.

4

Construções de Apoio: Duas cabines Sendo uma na elevação (nível 0,00m) com área aproximada de 9m² e outra elevação (nível+24,00m) com área aproximada de 9m².

Projetos de referência: Inexistente.

Especificação/Tipo de Aço: Inexistente

3. METODOLOGIA

3.1. Critério Utilizado:

A inspeção predial está baseada no “check-up” da edificação, que

tem como resultado a análise técnica do fato ou da condição relativa à utilização e funcionalidade, mediante a verificação “in loco” de cada elemento construtivo, estando a mesma voltada para

o enfoque da segurança e da manutenção predial, de acordo com

as diretrizes da Norma de Inspeção Predial Nacional do IBAPE2012 e da Norma de Manutenção em Edificações - NBR 5674, da ABNT.

A inspeção, procede ao diagnóstico das anomalias construtivas e

falhas de manutenção que interferem e prejudicam o estado de utilização da Edificação e suas instalações, tendo como objetivo verificar os aspectos de desempenho, vida útil, utilização e segurança que tenham interface direta com os usuários.

A análise do risco consiste na classificação das anomalias e falhas

identificadas nos diversos componentes de uma edificação, quanto ao seu grau, relacionado com fatores de manutenção, depreciação, saúde, segurança, funcionalidade, comprometimento de vida útil e perda de desempenho.

5

3.2. Grau de Risco:

A classificação das falhas e anomalias quanto ao Grau de Risco, devem atender às seguintes definições e níveis de classificação, considerando o impacto do risco oferecido aos usuários, ao meio ambiente, ao patrimônio e de acordo com a Norma de Inspeção citada:

GRAU DE RISCO CRÍTICO IMPACTO IRRECUPERÁVEL

é aquele que provoca danos contra a saúde e segurança das

pessoas e meio ambiente, com perda excessiva de desempenho e funcionalidade, causando possíveis paralisações, aumento excessivo de custo, comprometimento sensível de vida útil e desvalorização acentuada.

• GRAU DE RISCO REGULAR – IMPACTO PARCIALMENTE

RECUPERÁVEL é aquele que provoca a perda parcial de desempenho e funcionalidade da edificação, sem prejuízo à operação direta de sistemas, deterioração precoce e desvalorização em níveis aceitáveis.

• GRAU DE RISCO MÍNIMO – IMPACTO RECUPERÁVEL é

aquele causado por pequenas perdas de desempenho e funcionalidade, principalmente quanto à estética ou atividade programável e planejada, sem incidência ou sem a

probabilidade de ocorrência dos riscos relativos aos impactos irrecuperáveis e parcialmente recuperáveis, além de baixo ou nenhum comprometimento do valor patrimonial.

As recomendações para os reparos das anomalias e falhas detectadas, são ordenadas em função da criticidade da situação de cada evento.

3.3. Nível da Inspeção:

Em relação ao Nível da inspeção, poderá ser classificada quanto a complexidade da inspeção, elaboração de seu laudo final,

6

necessidades de profissionais envolvidos e profundidade da análise dos fatos:

NÍVEL 1 - Identificação das anomalias e falhas aparentes, elaborada por profissional habilitado.

NÍVEL 2 - Vistoria para a identificação de anomalias e falhas aparentes eventualmente identificadas com o auxílio de equipamentos e/ou aparelhos, bem como análises de documentos técnicos específicos, consoante à complexidade dos sistemas construtivos existentes. A Inspeção Predial nesse nível é elaborada por profissionais habilitados em uma ou mais especialidades.

NÍVEL 3 - Equivalente aos parâmetros definidos para a inspeção de NÍVEL 2, acrescida de auditoria técnica conjunta ou isolada de aspectos técnicos, de uso ou de manutenção predial empregada no empreendimento, além de orientações para a melhoria e ajuste dos procedimentos existentes no plano de manutenção.

Esta inspeção é classificada como “Inspeção de Nível 1”, representada por análise expedita dos fatos e sistemas construtivos vistoriados, com a identificação de suas anomalias e falhas aparentes.

Caracteriza-se pela verificação isolada ou combinada das condições técnicas de uso e de manutenção do sistema da edificação, de acordo com a Norma de Inspeção Predial do IBAPE (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias), respeitado o nível de inspeção adotado, com a classificação das deficiências encontradas quanto ao grau de risco que representa em relação à segurança dos usuários, à habitabilidade e à conservação do patrimônio edificado.

7

3.4. Classificação das Anomalias e Falhas:

3.4.1. ANOMALIAS:

As anomalias podem ser classificadas em:

ENDÓGENA - Originaria da própria edificação (projeto, materiais e execução).

EXÓGENA - Originaria de fatores externos a edificação, provocados por terceiros.

NATURAL

-

Originaria

de

fenômenos

(previsíveis, imprevisíveis).

FUNCIONAL- Originaria do uso.

3.4.2. FALHA:

da

natureza

As falhas podem ser classificadas em:

DE PLANEJAMENTO - Decorrentes de falhas de procedimentos e especificações inadequados do plano de manutenção, sem aderência a questões técnicas, de uso de operação, de exposição ambiental e, principalmente, de confiabilidade e disponibilidade das instalações, consoante a estratégia de Manutenção. Além dos aspectos de concepção do plano, há falhas relacionadas às periodicidades de execução.

DE EXECUÇÃO - Associada à manutenção proveniente de falhas causadas pela execução inadequada de procedimentos e atividades do plano de manutenção, incluindo o uso inadequado dos materiais.

OPERACIONAIS - Relativas aos procedimentos inadequados de registros, controles, rondas e demais atividades pertinentes.

8

GERENCIAIS - Decorrentes da falta de controle de qualidade dos serviços de manutenção, bem como da falta de acompanhamento de custos da mesma.

3.5. Documentações e Informações Analisadas:

Os documentos técnicos disponibilizados pela Engenharia da Aeronáutica SERENGE-6/RVA da Torre do Estande de Tiro Aéreo CPBV no Cachimbo - PA estão relacionados abaixo:

Fotos do local e da Edificação;

Parecer Técnico SERENG-6, Nº 059/SERENGE-6/2014 DE

29.SET.2014;

Parecer Técnico da RVA Comércio & Serviços de Construção, DE 23.AGO.2016;

Nota Explicativa: Destacamos que pela época da construção desta Edificação, não foi localizado nenhum arquivo ou “As Built” arquivados no Departamento de Engenharia da Aeronáutica SERENGE-6 e na RVA Comércio & Serviços de Construção.

4. SISTEMAS CONSTRUTIVOS ANALISADOS

Os seguintes elementos construtivos da Torres 01 e 02 do ESTANDE DE TIRO AÉREO EM CACHIMBO-PA, no campo de prova Brigadeiro Velloso CPBV, foram inspecionados considerando a documentação fornecida, inspeções “in-loco” e a lista de verificação conforme determina a Norma de Inspeção Predial Nacional do IBAPE2012.

Estruturas Metálicas: Perfis metálicos, pisos em chapa,

ligações parafusadas, ligações soldadas, telhas metálicas de

fechamento e cobertura;

Pintura: Grau de intemperismo de superfícies de aço pintadas;

Estruturas de Concreto: Bases de fundação;

9

Instalações Elétricas: Cabos de Energia, Refletores de

Iluminação e SPDA (Sistema de Proteção contra Descargas

Atmosféricas);

Os sistemas serão relatados genericamente, seguindo-se a descrição e localização das anomalias e falhas detectadas, com a classificação do grau de risco atribuído a cada sistema: Grau Crítico (C), Grau Regular (R) ou Grau Mínimo (M).

4.1. Estruturas Metálicas:

A Estrutura Metálica desta Torre, data de uma utilização de mais

de 30 anos, sendo constituída por perfis metálicos do tipo cantoneiras, perfil U, perfil C, perfil Caixa soldado, pisos metálicos, escadas de acesso, patamares de escada, corrimão, telas de

fechamento para proteção, telhas metálicas tipo trapezoidal, ligações parafusadas sem identificação do fabricante impedido pelo alto grau de oxidação ou qualquer rastreabilidade através de certificados de controle da qualidade, ligações soldadas sem procedimentos de soldagem que comprovem as informações sobre variáveis relevantes para um bom controle da qualidade de execução destas soldas.

De acordo com a NBR 8800/2008, o conceito de vida útil aplica-se à estrutura como um todo ou às suas partes. Dessa forma, determinadas partes da estrutura podem merecer consideração especial com valor de vida útil diferente de outras. Para assegurar que a estrutura mantenha suas características durante o período de vida útil do projeto, os elementos de aço, devem ser devidamente protegidos contra corrosão e quaisquer outros fatores de agressividade quando isto for necessário, sendo que tal proteção deve sofrer um processo de inspeção periódica de todos os envolvidos nos processos de projeto, construção e utilização.

A exposição da estrutura metálica (Edificação + Escadas), diante

da falta de manutenção periódica ao longo de sua vida útil, ausência de uma correta especificação dos materiais e

10

revestimentos empregados, agressividade da atmosfera, foram condicionantes para o processo de corrosão de alguns componentes metálicos, resultando em algumas anomalias e falhas em seu desempenho e requerendo uma intervenção técnica de imediato, de forma a reabilitar esta edificação e liberar seu uso.

Nas vistorias efetuadas foram verificadas as seguintes anomalias e falhas de manutenção das estruturas metálicas:

Ligações com parafuso frouxo e oxidadas;

Ligações com parafusos de especificações diferentes;

Perfis metálicos das estruturas principais com alto grau de oxidação de suas superfícies;

Soldas executadas sem nenhum registro do controle da Qualidade conforme procedimentos qualificados;

Módulos sem a colocação de diagonais;

Diagonais cortadas para encaixe do corrimão de escadas de acesso, gerando perda de seção do perfil e instabilidade no conjunto;

Chapas ou perfis metálicos com furação e nenhum elemento de ligação; diagonal não instalada;

Telhas metálicas de cobertura e fechamento das cabines de apoio, com seu sistema de proteção já comprometido;

Perfis de corrimão e guarda corpo das escadas projetados de forma a favorecer o acúmulo de umidade, poeira e elementos contaminantes;

É classificado, quanto ao grau de risco, como CRÍTICO, considerando a disseminação de anomalias e a inexistência de qualquer programa de manutenção periódica, o que compromete a vida útil das estruturas. É necessária uma recuperação imediata das estruturas, tendo em vista o potencial de risco aos usuários, sendo constatada uma perda gradativa do desempenho do sistema.

4.2. Pintura:

Todos os revestimentos sofrem uma degradação ao longo do tempo, qualquer que seja o tipo de exposição a que está sujeito. As

11

anomalias que surgem podem ser as mais variadas, como por exemplo empolamento, fissuração, pulverulências, descamação do revestimento ou enferrujamento do aço pintado.

O sistema de pintura existente vistoriado, constatou diversos graus de enferrujamento, conforme padrões especificados na Norma NBR ISO 4628-3:2015.

Do ponto de vista da proteção anticorrosiva, os defeitos mais significativos são o empolamento (densidade de bolhas e seu tamanho) e o grau de oxidação/enferrujamento, que podem ser avaliados de acordo com a parte 2 e 3 desta Norma.

Em nosso objeto de estudo e análise, após vistorias realizadas em campo, constatou-se a inexistência de empolamentos na pintura de revestimento.

Para efeitos deste documento e terminologias aplicadas, aplica-se o seguinte termo e definição.

Grau de Enferrujamento Ri é caracterizada pelo grau de formação de ferrugem (ferrugem através do revestimento e ferrugem visível sob o revestimento) em um revestimento e pode ser classificada conforme tabela abaixo:

Tabela 01 Grau de enferrujamento e área enferrujada

Grau de enferrujamento

Área enferrujada %

Ri 0

0

Ri 1

0,05

Ri 2

0,5

Ri 3

1

Ri 4

8

Ri 5

40 a 50

Fonte: Norma NBR ISO 4628-3 (2015,p. 2)

12

Nas vistorias efetuadas foram verificadas as seguintes anomalias e falhas de manutenção dos revestimentos de pintura:

Superfícies pintadas apresentando um estágio avançado de corrosão; descascamentos, etc;

Ligações com seus parafusos completamente oxidados, comprometendo sua resistência;

Telhas

Metálicas

comprometido;

com

seu

sistema

de

revestimento

É classificado, quanto ao grau de risco, como CRÍTICO, considerando a disseminação de anomalias e a inexistência de qualquer programa de manutenção periódica, o que compromete a vida útil das estruturas e seus componentes secundários. É necessária uma recuperação imediata dos sistemas de pintura, tendo em vista o potencial de risco devido ao alto grau de degradação do revestimento, potencializando uma perda gradativa do desempenho do sistema ao longo do tempo.

4.3. Estruturas de Concreto:

A estrutura de concreto da Torres 01 e 02, data de uma utilização

de mais de 30 anos e é constituída por blocos de fundação de

concreto Armado e laje de apoio entre os blocos, porém com especificação desconhecida e sem projeto ou procedimento executivo arquivados.

Entende-se que a concepção de uma construção durável implica na adoção de um conjunto de decisões e procedimentos que garantam

à estrutura e aos materiais que a compõem, um desempenho

satisfatório ao longo da vida útil da estrutura de concreto armado.

De acordo com a NBR 6118/2004, o conceito de vida útil aplica-se

à estrutura como um todo ou às suas partes. Dessa forma, a

durabilidade das estruturas de concreto requer cooperação e esforços coordenados de todos os envolvidos nos processos de projeto, construção e utilização.

13

A exposição da estrutura de concreto, diante de alguns fatores

como ausência de manutenção ao longo de sua vida útil, baixo recobrimento das armaduras, à agressividade química por efeito da lixiviação, carbonatação e ação de cloretos, contribui para o processo de corrosão da armadura e segregação dos componentes do concreto, pode potencializar uma falha de desempenho e

requerendo uma intervenção técnica de imediato, de forma de reabilitar a estrutura.

Nas vistorias efetuadas foram verificadas as seguintes anomalias e falhas de manutenção das estruturas de concreto:

Nichos de segregação e exposição das armaduras inferiores da estrutura, com cobrimento insuficiente em processo de corrosão da ferragem;

Trincas na laje de piso entre os blocos da Torre, apresentando evidências de infiltração.

É classificado, quanto ao grau de risco, como CRÍTICO, considerando a disseminação de anomalias e a inexistência de qualquer programa de manutenção, o que compromete avida útil da estrutura. É necessária recuperação imediata da estrutura de concreto, tendo em vista o agravamento do potencial de risco aos usuários e edificação, sendo constatada uma perda acentuada do desempenho do sistema.

4.4. Instalações Elétricas:

O sistema de instalações elétricas inspecionado é composto de

entrada de energia, circuitos alimentadores de quadros gerais de distribuição em baixa tensão e circuitos em geral, como refletores, iluminação, força, SPDA e Ar condicionado.

Nas vistorias efetuadas, foram verificadas as seguintes anomalias e falhas de manutenção das instalações elétricas:

14

Redes elétricas aparentes sem a devida proteção podendo energizar a estrutura metálica;

Sistema de iluminação sem a devida proteção de seu cabeamento; total desatenção às normas técnicas quanto aos aspectos de segurança das instalações ao choque e ao curto-circuito elétrico.

Classificado quanto ao grau de risco como CRÍTICO, com impacto irrecuperável e com o comprometimento do desempenho e funcionalidade do sistema elétrico em geral, necessitando de intervenção imediata para sanar as irregularidades verificadas, levando-se em consideração o risco à segurança do usuário e ao patrimônio.

4.5. Croquis Esquemáticos da Torre:

4.6. Lista de Verificação: Torres 01 e 02

   

Componentes

 

Verificação

Chumbadores

Colunas

Horizontais

Verticais

Contraventos

Pisos Metálicos

Perfil Caixa

Parafusos

 

Escadas

Guarda Corpo

Piso de Escadas

 

Metálicas

TORRE 01

Soldas

Telhas

Módulos 01 à 08 - Elevação

                         

0,00@24,00m

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

Cobertura - Elevação

                         

24,00@27,00m

x

x

x

x

x

x

15

   

Componentes

 

Verificação

Chumbadores

Colunas

Horizontais

Verticais

Contraventos

Pisos Metálicos

Perfil Caixa

Parafusos

 

Escadas

Guarda Corpo

Piso de Escadas

 

Metálicas

TORRE 02

Soldas

Telhas

Módulos 01 à 09 - Elevação

                         

0,00@27,00m

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

Cobertura - Elevação

                         

27,00@30,00m

x

x

x

x

x

x

4.7. Relatório Fotográfico: Torre 01 e Torre 02

Foto: 001_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal e montante horizontal, com alto grau

Comentários

Diagonal e montante horizontal, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR 4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS:

Endógena e Natural

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

16

Foto: 002_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

 
   

Comentários

 
Viga de Escada com perda de seção,

Viga

de

Escada

com

perda

de

seção,

corrosão

avançada

e

seu

sistema

de

revestimento comprometido.

 
 

Recomendações

 

Substituição da Viga de Escada, remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS:

FALHA: Planejamento

GRAU DE RISCO: Crítico

 

Endógena e Natural

e

Gerencial

 

Foto: 003_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

 
 

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

 

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS:

FALHA: Planejamento

GRAU DE RISCO: Crítico

 

Endógena e Natural

e Gerencial

   

17

Foto: 004_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis metálicos, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS:

Endógena e Natural

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 005_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Parafuso frouxo e com excesso de rosca.

Comentários

Parafuso frouxo e com excesso de rosca.

Recomendações

Substituição de todos os parafusos, por galvanizados à fogo e atendendo as especificações da Norma NBR 8800.

ANOMALIAS:

Endógena e Natural

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

18

Foto: 006_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Patamar de Escada e Degraus, com alto grau

Comentários

Patamar de Escada e Degraus, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR 4628-3:2015.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS:

Endógena e Natural

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 007_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis metálicos, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS:

Endógena e Natural

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

19

Foto: 008_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis e chapas Gusset, com alto grau de

Comentários

Perfis e chapas Gusset, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR 4628-3. Existência de parafusos de comprimentos e porcas diferentes.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239. Substituir os parafusos, atendendo as especificações da Norma NBR 8800.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 009_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal com solda executada, mas sem nenhum

Comentários

Diagonal com solda executada, mas sem nenhum registro do controle de qualidade e/ou procedimento de soldagem qualificado, conforme exigências da Norma AWS. D1.1.

Recomendações

Fazer uma inspeção visual, registrando os resultados conforme critérios de aceitação da norma AWS D1.1.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

20

Foto: 010_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal cortada para passagem do corrimão da

Comentários

Diagonal cortada para passagem do corrimão da escada de acesso, ocasionando uma perda de seção do perfil e instabilidade em todo conjunto.

Recomendações

Reforço ou substituição imediata desta diagonal e readequação do corrimão de escada.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 011_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal cortada para passagem do corrimão da

Comentários

Diagonal cortada para passagem do corrimão da escada de acesso, ocasionando uma perda de seção do perfil e instabilidade em todo conjunto.

Recomendações

Reforço ou substituição imediata desta diagonal e readequação do corrimão de escada.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

21

Foto: 012_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis Caixa, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis Caixa, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Substituição imediata destes perfis,

preparação de superfície conforme Norma

15239 e execução de pintura de fundo e

acabamento, conforme esquema de pintura.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 013_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis Caixa, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis Caixa, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Substituição imediata destes perfis,

preparação de superfície conforme Norma

15239 e execução de pintura de fundo e

acabamento, conforme esquema de pintura.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

22

Foto: 014_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis Caixa, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis Caixa, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Substituição imediata destes perfis, preparação de superfície conforme Norma 15239 e execução de pintura de fundo e acabamento, conforme um plano de pintura.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 015_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis metálicos, com alto grau de

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de degradação de seu revestimento conforme padrões visuais da Norma NBR 4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

23

Foto: 016_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal, com alto grau de corrosão conforme

Comentários

Diagonal, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 017_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal, com alto grau de corrosão conforme

Comentários

Diagonal, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

24

Foto: 018_2017

Sistema: Instalações Elétricas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Instalações Elétricas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Cabeamento todo exposto, sem nenhum isolamento

Comentários

Cabeamento todo exposto, sem nenhum isolamento e em contato com a estrutura. Risco de corte e energização da estrutura. Alto risco de acidente contra pessoas e animais conforme citação norma NBR 5410.

Recomendações

Adequação imediata, promovendo todo o

isolamento dos cabos de alimentação desta edificação conforme parâmetros norma NBR

5410.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 019_2017

Sistema: Instalações Elétricas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Instalações Elétricas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Cabeamento solto sem proteção e fixação

Comentários

Cabeamento solto sem proteção e fixação adequada podendo entrar em contato com a estrutura. Risco de corte e energização da estrutura. Alto risco de acidente contra pessoas e animais conforme citação norma NBR 5410.

Recomendações

Adequação imediata, promovendo todo o isolamento dos cabos de alimentação desta edificação conforme parâmetros norma NBR

5410.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

25

Foto: 020_2017

Sistema: Instalações Elétricas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Instalações Elétricas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Cabeamento solto sem proteção e fixação

Comentários

Cabeamento solto sem proteção e fixação adequada podendo entrar em contato com a estrutura. Risco de corte e energização da estrutura. Alto risco de acidente contra pessoas e animais conforme citação norma NBR 5410.

Recomendações

Adequação imediata, promovendo todo o isolamento dos cabos de alimentação deste sistema de iluminação conforme parâmetros norma NBR 5410.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 021_2017

Sistema: Estruturas Concreto

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Concreto Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Armaduras do bloco de fundação com

Comentários

Armaduras

do

bloco

de

fundação

com

recobrimento insuficiente.

Recomendações

Remoção superficial do concreto existente, limpeza das armaduras e aplicação de uma nova capa de recobrimento de concreto conforme especificações norma NBR 6118.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

26

Foto: 022_2017

Sistema: Estruturas Concreto

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Concreto Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Armaduras do bloco de fundação com

Comentários

Armaduras

do

bloco

de

fundação

com

recobrimento insuficiente.

Recomendações

Remoção superficial do concreto existente, limpeza das armaduras e aplicação de uma nova capa de recobrimento de concreto conforme especificações norma NBR 6118.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 023_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal parafusada em viga de escada de forma

Comentários

Diagonal parafusada em viga de escada de forma aleatória, ficando o furo previsto em projeto sem seu elemento de conexão, que deveria ser uma outra diagonal. Essa viga de escada não está tendo nenhuma função como contraventamento vertical.

Recomendações

Recompor o furo com solda tampão e estudar uma forma de inserir essa diagonal para instabilizar o módulo.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

27

Foto: 024_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão de escada projetado de

Comentários

Perfil de corrimão de escada projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e posterior formação da corrosão.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 025_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Telhas Metálicas de cobertura da cabine de

Comentários

Telhas Metálicas de cobertura da cabine de apoio, com alto grau de degradação de seu sistema de revestimento, conforme padrão visual da norma NBR 4628-3.

Recomendações

Substituição das telhas metálicas por telhas termo acústicas, conforme especificação de projeto.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

28

Foto: 026_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis metálicos, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 027_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis metálicos, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

29

Foto: 028_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Diagonal apenas com uma deformação local,

Comentários

Diagonal apenas com uma deformação local, devido a um esforço mecânico durante seu processo de montagem.

Recomendações

Nenhum comprometimento estrutural, ocasionando apenas um desconforto estético.

ANOMALIAS: Exógena

FALHA: Execução e Gerencial

GRAU DE RISCO: Mínimo

Foto: 029_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfis metálicos, com alto grau de corrosão

Comentários

Perfis metálicos, com alto grau de corrosão conforme padrões visuais da Norma NBR

4628-3.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239 Substituição de todos os parafusos, por galvanizados à fogo e atendendo as especificações da Norma NBR 8800.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

30

Foto: 030_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Módulo sem uma diagonal conectada, ocasionando

Comentários

Módulo sem uma diagonal conectada, ocasionando uma instabilidade no conjunto.

Recomendações

Colocação imediata de uma diagonal conforme especificação de projeto, para estabilização deste módulo.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 031_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

 
   

Comentários

 

Viga

de

Escada

com

perda

de

seção,

corrosão avançada e seu sistema de

corrosão

avançada

e

seu

sistema

de

revestimento comprometido.

 
 

Recomendações

 

Substituição da Viga de Escada, remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

GRAU DE RISCO: Crítico

 

e

Gerencial

 

31

Foto: 032_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Módulo sem uma diagonal conectada, ocasionando

Comentários

Módulo sem uma diagonal conectada, ocasionando uma instabilidade no conjunto.

Recomendações

Colocação imediata de uma diagonal conforme especificação de projeto, para estabilização deste módulo.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 033_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura

Comentários

Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e

posterior formação da corrosão. Corrimão e guarda corpo da cobertura fora do padrão conforme exige as normas NBR 9077 e NR

18.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

32

Foto: 034_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Vista geral da Torre, escadas e seu grau

Comentários

Vista geral da Torre, escadas e seu grau de oxidação.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 035_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Estrutura auxiliar, apoiada nos corrimãos,

Comentários

Estrutura auxiliar, apoiada nos corrimãos, aparentemente sem utilização nenhuma ou pelo menos não informada.

Recomendações

Remoção destas estruturas ou adequação a um projeto definido com finalidade conhecida.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

33

Foto: 036_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura

Comentários

Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e

posterior formação da corrosão. Corrimão e guarda corpo da cobertura fora do padrão conforme exige as normas NBR 9077 e NR

18.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 037_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura

Comentários

Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e

posterior formação da corrosão. Corrimão e guarda corpo da cobertura fora do padrão conforme exige as normas NBR 9077 e NR

18.

Recomendações

Substituição dos perfis, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade, colocação de tela de arame galvanizado e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

34

Foto: 038_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Vista geral da Torre, escadas e seu grau

Comentários

Vista geral da Torre, escadas e seu grau de oxidação e tela de proteção em Nylon com sinais de desgaste e resistência desconhecida.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade, colocação de tela de arame galvanizado e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 039_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura

Comentários

Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e posterior formação da corrosão. Corrimão e guarda corpo da cobertura fora do padrão conforme exige as normas NBR 9077 e NR

18.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

35

Foto: 040_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Vista geral da Torre, escadas e seu grau

Comentários

Vista geral da Torre, escadas e seu grau de oxidação.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 041_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Módulo sem uma diagonal conectada, ocasionando

Comentários

Módulo sem uma diagonal conectada, ocasionando uma instabilidade no conjunto.

Recomendações

Colocação imediata de uma diagonal conforme especificação de projeto, para estabilização deste módulo.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento

e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

36

Foto: 042_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Vista geral da Torre, escadas e seu grau

Comentários

Vista geral da Torre, escadas e seu grau de oxidação.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 043_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura

Comentários

Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e

posterior formação da corrosão. Corrimão e guarda corpo da cobertura fora do padrão conforme exige as normas NBR 9077 e NR

18.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

37

Foto: 044_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura

Comentários

Perfil de corrimão e guarda corpo da cobertura projetado de forma a criar acúmulo de umidade e poeira, favorecendo a formação de uma ponte eletroquímica e

posterior formação da corrosão. Corrimão e guarda corpo da cobertura fora do padrão conforme exige as normas NBR 9077 e NR

18.

Recomendações

Substituição dos perfis de corrimão e guarda corpo, por perfis tubulares, promovendo sua estanqueidade e adequar os mesmos aos padrões exigidos conforme normas NBR 9077 e NR 18.

NOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

Foto: 045_2017

Sistema: Estruturas Metálicas

Módulo: N.A

Vista: N.A

Sistema: Estruturas Metálicas Módulo: N.A Vista: N.A Comentários Vista geral da Torre, escadas e seu grau

Comentários

Vista geral da Torre, escadas e seu grau de oxidação.

Recomendações

Remoção de toda pintura e oxidação existente e tratamento da superfície, através de procedimentos aplicáveis nas Normas NBR 15158 e 15239.

ANOMALIAS: Endógena

FALHA: Planejamento e Gerencial

GRAU DE RISCO: Crítico

38

5. CONCLUSÃO

Diante das não conformidades técnicas construtivas e da falta de desempenho dos sistemas vistoriados nas Torres 01 e 02, e frente às suas condições precárias e de obsolescência funcional, agregada à falta de manutenção periódica, classificamos a edificação do Estande de Tiro Aéreo do Cachimbo - PA, de uma maneira global, como de GRAU DE RISCO CRÍTICO, tendo em vista o impacto de desempenho para a finalidade de utilização a que se destina, sendo necessário a intervenção imediata para sanar as irregularidades apontadas na vistoria técnica.

6. ENCERRAMENTO

Esta Vistoria Técnica de Inspeção Predial do Estande de Tiro Aéreo do Cachimbo - PA Campo de Prova Brigadeiro Velloso - CPBV é composto por 39 (Trinta e nove folhas impressas e numeradas), foi elaborado pelo Engenheiro Civil Renato Alves dos Santos Esp., que o subscreve.

7. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

ABNT NBR-8800: 2008 Projeto de estrutura de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios;

Perícias de Engenharia na

ABNT

NBR-13752:1997

Construção Civil

ABNT NBR 5674:2012 Manutenção de Edificações Requisitos para o Sistema de Gestão de Manutenção;

ABNT NBR 14847:2002 Inspeção de Serviços de Pintura em Superfícies Metálicas Procedimento;

ABNT NBR 15185:2005 Inspeção Visual de Superfícies para Pintura Industrial;

ABNT NBR 15239:2005 Tratamento de Superfícies de Aço com Ferramentas Manuais e Mecânicas;

ABNT NBR 14951 Sistemas de Pintura em Superfícies Metálicas Defeitos e Correções;

ABNT NBR ISSO 4628-3:2015 Tintas e Vernizes Avaliação da Degradação de Revestimento Designação da

39

quantidade e tamanho dos defeitos e da intensidade de mudanças uniformes na aparência Parte3: Avaliação do Grau de Enferrujamento;

NP EN.ISO 4628:2001 Avaliação da Degradação de Revestimento;

ISO 12944-1:1998 Paints & Varnishes Corrosion Protection of Steel Structures by Protective Systems;

AWS D1.1/D1.1M:2010 Structural Welding Code Steel;

NBR 9077:2001 Saída de Emergência em Edifícios;

NBR 14718:2008 Guarda Corpo para Edifícios;

NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão;

NR 18 Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção.

e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção. Campinas, 13 de Fevereiro de 2017 Elaborado

Campinas, 13 de Fevereiro de 2017

Elaborado Por:

Renato Alves dos Santos Engenheiro Civil Esp. Crea-SP: 5061817799/D

Verificado Por:

RVA Comércio e Serviços de Construção