Você está na página 1de 2

Dilatação dos Líquidos

Introdução
Ao analisar a dilatação dos líquidos devemos levar em conta três fatores:


Como não tem forma definida, os líquidos só apresentam dilatação volumétrica.

Um líquido geralmente está contido num recipiente sólido, que também varia de
volume ao ser aquecido.

Na maior parte dos casos, a dilatação de líquidos é maior do que a de sólidos.

Considere o frasco esquematizado abaixo de capacidade igual a 10L e completamente


cheio com água. O sistema é aquecido, e o frasco dilata 2L, enquanto a água dilata 3L.

A dilatação real do líquido foi igual a 3L enquanto a dilatação do frasco foi igual a 2L,
consequentemente, ocorreu um extravasamento de 1L. O volume de líquido que
extravasou é denominado de dilatação aparente do líquido.

Portanto:

Dilatação anômala da água


Existem algumas substâncias, entre
elas a água, que, ao serem
aquecidas, durante um certo
intervalo de temperatura, sofrem
uma diminuição de volume.

Esse estranho comportamento


térmico pode ser observado ao
fornecermos calor a uma certa quantidade de água que se encontra inicialmente à
temperatura de 0ºC. Quando a temperatura é aumentada de 0ºC até 4ºC, observa-se uma
contração de seu volume. Elevando-se a temperatura acima de 4ºC, ela se dilata
normalmente.

Essa anormalidade, que ocorre entre 0ºC e 4ºC, acontece porque as moléculas de H2O
apresentam fortes ligações polares, chamadas pontes de hidrogênio. Durante o seu
aquecimento, até 4ºC, o rompimento dessas ligações predomina sobre o distanciamento
intermolecular e ocorre a contração volumétrica. Acima dessa temperatura, o
distanciamento intermolecular prevalece e a água se expande normalmente, como a
grande maioria das substâncias.
Concluímos que, à temperatura de 4ºC, o volume V de uma certa porção de água de
massa m é o menor possível e, por conseguinte, a sua densidade d atinge o maior valor
(d = m/V). Esse valor máximo para a densidade da água, próximo aos 4ºC, é o fator
principal que explica por que nos países de inverno rigoroso a superfície de certos lagos
se congela, permanecendo líquida a água no fundo, mesmo sob baixíssimas
temperaturas ambientais.

Quando a temperatura começa a cair, a água se resfria e, por convecção, desce.

Ao atingir 4ºC, a porção de água desce e


fica no fundo, pois a essa temperatura sua
densidade é máxima. Se a temperatura
ambiente continuar caindo e atingir 0ºC, a
superfície do lago se congela, mas a água
abaixo dela permanece líquida, o que
garante a sobrevivência de várias espécies
animais e vegetais. Contribui para isso o
fato de a camada de gelo que se forma ser
um bom isolante térmico.

Variação do
volume Variação da massa
especifica
com a
temperatura com a temperatura

Você também pode gostar