Você está na página 1de 19

THM

INTRODUÇÃO AO SUPER PUMA

1.1 - VISTA GERAL DA AERONAVE

1.2 - PRINCIPAIS DIMENSÕES

1.3 - PRINCIPAIS SISTEMAS

1.4 - POSTO DE PILOTAGEM


1.4.1. PAINEL DO TETO
1.4.2. PAINEL DE INSTRUMENTOS
1.4.3. SUB-PAINEL
1.4.4. PUNHOS DO CÍCLICO E DO COLETIVO
1.4.5. CONSOLE 41α E CONSOLE DE RÁDIOS

1.5 - O SUPER PUMA MK1 E A ELETRÔNICA


1.5.1. CARTÃO DE CIRCUITOS INTEGRADOS
1.5.2. INFORMAÇÕES ESSENCIAIS PARA REPARAR (OU SIMPLESMENTE
COMPREENDER) OS SISTEMAS QUE POSSUEM UM CARTÃO ELETRÔNICO

1.6 - DOCUMENTAÇÃO DA AERONAVE


1.6.1. DOCUMENTAÇÃO DO HELICÓPTERO
1.6.2. DOCUMENTAÇÃO DO MOTOR (MEM)
1.6.3. DOCUMENTAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

1.1
THM

1.1 - VISTA GERAL DA AERONAVE

O AS 332 "SUPER-PUMA" é um helicóptero bimotor Principais sistemas e conjuntos da aeronave:


de tecnologia avançada, projetado particularmente
para o transporte de passageiros, missões off-shore
ROTOR TRASEIRO
e trabalho aéreo.
ESTABILIZADOR
HORIZONTAL
ROTOR
PRINCIPAL

TRANSMISSÃO TRASEIRA

MOTORES

ESTRUTURA
TRASEIRA

ESTRUTURA
SUPERIOR

ESTRUTURA
INFERIOR

TREM DE POUSO

AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DE CADA VERSÃO

O "SUPER PUMA" é fabricado em duas versões com volumes diferentes.

• Versão padrão (curta) • Versão alongada em 765 mm


Volume de 11,4 m3 ou 22 passageiros Volume de 13,4 m3 ou 24 passageiros

VERSÕES UTILIZAÇÃO MOTORES PESO MÁXIMO

C1 (Curto) Civil MAKILA 1A1 8600 kg

L1 (Longo) Civil MAKILA 1A1 8600 kg

AC Militar MAKILA 1A1 9000 kg

UL/AL Militar MAKILA 1A1 9000 kg

SC Marinha MAKILA 1A1 9000 kg

As limitações e desempenhos são indicados no Manual de Vôo específico de cada versão.

1.3
THM

1.2 - PRINCIPAIS DIMENSÕES (Versão longa)

Ø 15,60 m

4,95 m
5,28 m
16,295 m
18,70 m rotor girando

16,295 m

3,04 m

3,00 m
3,38 m

1.4
THM

1.3 - PRINCIPAIS SISTEMAS

MOTORES ROTOR PRINCIPAL

•2 turbomotores com turbina livre MAKILA 1A ou 1A1 4 pás em material composto


•Concepção motular - Regulação eletrônica
•1310 kW em regime de potência máxima de
emergência (MAKILA 1A)
•1400 kW em regime de potência máxima de
emergência (MAKILA 1A1)
Cabeça do
rotor

Adaptador de
freqüência

CAIXA DE TRANSMISSÃO PRINCIPAL ACIONAMENTO DO ROTOR PRINCIPAL

Platôs cíclicos
Arrefecimento do
óleo da CTP

Mastro do rotor

CTP

Ligação motor-CTP

Motores

TRANSMISSÃO TRASEIRA ROTOR TRASEIRO


Caixa de Transmissão Traseira
(CTT)

Caixa de Transmissão Intermediária


(CTI)

Árvore de transmissão
traseira

Articulações de batimento
Bloco de rolamentos
intermediário

5 pás em material composto


Caixa de Transmissão Principal (CTP)

1.5
THM

1.3 - PRINCIPAIS SISTEMAS (Continuação)


Pá do rotor traseiro

Haste de mudança
de passo

Platôs cíclicos Servocomando


traseiro

Servocomando principal

Guinhóis superiores

Guinhol intermediário

Defasador

Acoplamento coletivo/pedais Unidade misturadora

Alavanca de passo coletivo

Cíclico

Pedais de guinada

Bloco hidráulico do P.A.

Peso de balanceamento

TREM DE POUSO
TREM DE POUSO RETRÁTIL TIPO TRICICLO

• Perma do trem de pouso dianteiro completa com • Trem de pouso principal com perma de força.
um amortecedor óleo-pneumático. Pode ser reco- Amortecimento e recolhimento assegurados
lhido através de atuadores de comando. por um conjunto amortecedor/atuador de co-
mando óleo-pneumático.

TREM DE POUSO DIANTEIRO TREM DE POUSO PRINCIPAL PROTEÇÃO DO ROTOR


Com centralização automática Freios a disco comandados hidraulica- TRASEIRO E BEQUILHA
da roda e travamento no eixo mente (2 sistemas independentes)

1.6
THM

1.3 - PRINCIPAIS SISTEMAS (Continuação)


SISTEMA HIDRÁULICO
SISTEMA ESQUERDO SISTEMA DIREITO

SERVOCOMANDO
PRINCIPAL

Corpo sup.
P 2 P P 3
Corpo infer.
1
4
Corpo sup.
P 5 Corpo infer.

Corpo sup.
Corpo infer.

SERVOCOMANDO
TRASEIRO
LH
Corpo Corpo
esquerdo cylinder
direito

TREM DE POUSO FREIOS DE FREIO Guincho PILOTO


RODA ROTOR (opcional) AUTOMÁTICO
Recolhimento
Abaixamento

Sistema direito: uma bomba (3) acionada pela CTP.


Sistema esquerdo: uma bomba (2) acionada pela CTP e uma bomba (1) elétrica
Sistema utilitário e de emergência: um reservatório hidráulico (4) e eletrobomba (5).

SISTEMA BÁSICO DE COMBUSTÍVEL

• 2 grupos de tanques de combustível (1 para cada motor)


• 2 bombas de reforço por grupo
• 1 bomba de transferência entre os grupos

1.7
THM

1.3 - PRINCIPAIS SISTEMAS (Continuação)


SISTEMA ELÉTRICO
• GERAÇÃO DE CORRENTE ALTERNADA (AC)
2 ALTERNADORES
- 115V - 400 Hz : 2 alternadores acionados pela CTP
- 26V - 400 Hz : 2 transformadores

• GERAÇÃO DE CORRENTE CONTÍNUA (DC)


- 2 transformadores-retificadores alimentados pelos circuitos
alternados (AC)
- 1 bateria de 28 V nominal
e
- 1 bateria de emergência que alimenta os circuitos de emergência
(horizonte de emergência, iluminação de emergência, etc.) em caso
de pane total dos geradores.

BATERIA DEDEEMRGÊNCA
BATEIA EMERGÊNCIA

TOMADAS
DE FONTE EXTERNA
AC/DC TRANSFORMADORES-RETIFICADORES

BATERIA

1.8
THM

1.3 - PRINCIPAIS SISTEMAS (Continuação)

EQUIPAMENTOS OPCIONAIS

EQUIPAMENTOS GERAIS EQUIPAMENTOS ESPECÍFICOS DE MISSÕES (Cont.)

•Segundo farol de pouso •Tanques suplementares externos:


•Detector de gelo (UCC) .2 x 338 litros (2 x 89 US gal)
•Detector de gelo (LEIGH) •Tanques suplementares externos "anticrash":
•Detector de gelo (ROSEMOUNT) .2 x 333 litros (2 x 88 US gal)
•Sistema de ar condicionado •Tanques de translado:
. em "pod" .2 x 475 litros (2 x 126 US gal)
. no bagageiro .4 x 475 litros (4 x 126 US gal)
•Fonte externa auxiliar •Gancho com dinamômetro (4500 kg)
•Sistema antigelo do combustível •Gancho com dinamômetro (3000 kg)
•Janelas e pára-sóis do posto de pilotagem fumê: •Espelhos retrovisores externos
. com pára-brisas frontais "standard" incolores •Instalação de combate a incêndio (ALKAN)
. com pára-brisas frontais "fumê" •Instalação aeromédica (sem as macas e os bancos)
•Janelas da cabine de carga fumê •Maca
•Guincho fixo: cabo de 50 m, 275 kg, velocidade fixa
•Guincho fixo: cabo de 50 m, 275 kg, velocidade
INSTRUMENTOS E AUXÍLIOS DE VÔO variável
•Guincho fixo: cabo de 75 m, 272 kg (600 lb),
•Acoplador diretor de vôo, SFIM CDV 155 motor com velocidade variável
•Acoplador diretor de vôo, SFIM CDV 85P3 •Proteção do piso da cabine (resgate no mar).
•Segunda bússola giromagnética, SFIM CG 130 •Instalação para enganchamento de pára-quedas
•Fluxômetro de combustível •Farol de busca LOCATOR + SPECTROLAB
•Painéis laranja para o treinamento IFR •Instalação de foguetes iluminadores (sem os foguetes).
•Instalação de alto-falantes externos.

EQUIPAMENTOS ESPECÍFICOS DE MISSÕES


ACABAMENTO DO INTERIOR DA CABINE
•Flutuador de emergência compatível com tanques
de combustível externos •Revestimento de luxo e insonorização reforçada
•Flutuador de emergência para uso sem os tanques •Porta com escadas do lado esquerdo
de combustível externos •Porta articulada dupla do lado direito
•Trem de pouso com esquis •Transporte de tropas (16 - 18 bancos)
•Trem de pouso semi-retrátil •Transporte de tropas (20 - 24 bancos, "anticrash")
•Entradas de ar polivalentes •Transporte de passageiros (17 - 19 bancos)
•Proteção reforçada contra erosão por areia •Transporte VIP (8-9-10-11-12-15 bancos)
•pás do rotor principal •Porta traseira com escadas
•pás do rotor traseiro
•Pára-brisa central com degelo com limpador
•Instalação para vôo em condições de neve PROTEÇÃO OPERACIONAL
•Kit para operação em tempo frio (com a segunda bateria)
•Instalações à prova de choque, incluindo : •Bancos "anticrash" blindados do piloto e do
•bancos "anticrash"do piloto, co-piloto e 3º co-piloto
tripulante •Defletor de gases
•tanques principais de combustível "anticrash" •Kit de modificação para óculos de visão noturna
(capacidade: 1489 l = 393 US gal) de 3ª geração
•Sistema de reabastecimento sob pressão para os
tanques principais (no solo)
•Sistema de reabastecimento sob pressão para os MANUSEIO E AMARRAÇÃO DA AERONAVE
tanques principais e externos (no solo)
•Sistema de alijamento de combustível •Sistema de dobragem de pás
•Tanque de combustível auxiliar central •Provisões para amarração em vento forte
.1 x 322 litros (1 x 85 US gal)
•Tanque de combustível auxiliar central "anticrash"
.1 x 318 litros (1 x 84 US gal).

1.9
THM

1.4 - POSTO DE PILOTAGEM

Painel do teto 51α

Bússola de
Bloco de emergência
manetes

Sub-painel 34α Painel de


instrumentos 31α
Console 41α

Console de
rádio-navegação

Painel de
disjuntores3α

Punho de controle de abaixamento


do trem de pouso em emergência

Indicador de pressão do acumulador Punho de comando do freio Punho de travamento do trem de


de freio de estacionamento estacionamento (vermelho) pouso dianteiro no eixo (preto)

1.10
THM

1.4.1. PAINEL DO TETO

Válvula reguladora
de aquecimento

Controle de
aquecimento/ventilação Tomada ICS

Botão de escravização
rápida do giro vertical
Punho de "corta tudo"
Luz de leitura de mapas

Luz de teto
Punho de "corta tudo"

Seletor de missão

Navegação
OFF

Comandos dos
HOIST

SLING

CHUTE DROP

Iluminação teto
sistemas elétricos
Iluminação console
Iluminação dos
Iluminação instrum.
instrumentos
Teste de detecção
Iluminação cabine
de fogo na CTP Comandos de extinção de incêndio
Iluminação externa
Disponível
Monitoramento dos & Farol de pouso
sistemas elétricos

Manete de segurança
Luz de mapa do freio rotor

Manete de freio rotor


Saída de ar
Manetes de corte de combustível

Manetes de comando

1.11
THM

1.4.2. PAINEL DE INSTRUMENTOS

1 2 3 4 5

31
26
15 17 13 15
13 17
19 22 23 33 21
18 14
14 18
16 16 16
29 30 24 25 37
29

20 27 28 20 32

6 8

10 7
11 12 9

37

34

36

35

Sub-painel

1 - Luz vermelha ALARM 19 - Indicador de rpm do rotor


2 - Luz âmbar WARN 20 - Cronômetro
3 - Indicador 10 informações - 33α 21 - Indicador triplo (NR-NTL1-NTL2)
4 - Painel de alarme central - 32α 22 - Indicador de NG do motor esquerdo
5 - Luz vermelha NR MAX 23 - Indicador de NG do motor direito
6 - Botões de comando do piloto automático 24 - Indicador de temperatura t4 do motor esquerdo
7 - Luz vermelha NR MIN 25 - Indicador de temperatura t4 do motor direito
8 - Luz vermelha "L/G" de alarme do trem de 26 - Horizonte de emergência
pouso não baixado 27 - Indicador de temp/pressão óleo motor esquerdo
9 - Indicadores de Marker 28 - Indicador de temp/pressão óleo motor direito
10 - Luzes âmbar indicadoras hidráulicas e comando 29 - Indicador radioaltímetro
da eletrobomba hidráulica 30 - VOR/LOC/GLIDE*
11 - Luz vermelha "PWR 1" 31 - DME
12 - Luz vermelha "PWR 2" 32 - Indicador de temperatura
13 - Velocímetro 33 - Indicador de passo coletivo
14 - Indicador de torque duplo 34 - Radar
15 - Horizonte artificial 35 - Chaves de controle de radionavegação
16 - Indicador radiomagnético (RMI) 36 - Indicador de gelo
17 - Altímetro 37 - Indicador de carga no gancho
18 - Indicador de velocidade vertical (VSI)

1.12
THM

1.4.2. PAINEL DE INSTRUMENTOS (Continuação)

PAINEL DE ALARME CENTRAL - 32α

INDICADOR DE 10 INFORMAÇÕES - 33α

1 1

Indicador de pressão do sistema 0.5 0.5


Indicador de pressão do sistema de
de combustível esquerdo bar
2

bar
2
combustível direito
0 0
FUEL FUEL

1 1

0.5 0.5

Indicador de temperatura do óleo da CTI 1.5 1.5 Indicador de temperatura do óleo da CTT
0 0
2 2

B BT
MG P MG B B T P
10
øC
4 6

Indicador de temperatura do óleo da CTP x10 Indicador de pressão do óleo da CTP


5
15 2
8
(sistema normal)
17
-2
0

HYDR Std BY MG
B BT P

15 3
2
Indicador de pressão do sistema 10 4
Indicador de pressão do óleo da CTP
20 1
hidráulico auxiliar 5
5 (sistema de emergência)
bar x10
AUX

HYDR HYDR
15 20 15
20
Indicador de pressão do sistema Indicador de pressão do sistema
10
hidráulico esquerdo 25 10
25 hidráulico direito
5
5 bar x10

1.13
THM

1.4.3. SUB-PAINEL

STDBY BATT ANTI-ICING ICS SERVO ENGINE 1 ENGINE 2 POWER AURAL WDSCR.WIPERS
ANTI-ICING
D WDSCR LH PIT LH
CABIN TEST TEST WARNING PIT RH WDSCR C WDSCR RH
R I
BLEED FAIL OVSPD
FAIL MUTE OVSP BLEED
E S OVSP LATER CENT
TEST
ON F F
A
DELIV C OFFSET 1 NORM 2 ON
OFFSET
R O ON ON
M S S
ON ON ON
ON
E V
GOV FAIL GOV
V
N M OFF START MAN OFF
E E OFF
O E N
1 S1 S2 2 N
OFF OFF
R R T T OFF OFF OFF
OFF
M G

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

1 - Controle da bateria de emergência 7 - Motor direito:


2 - Controle de degelo do Pitot e do pára-brisas esq. - Indicadores: Sobrevelocidade, válvula de san-
3 - Chave "Cabin mute" do ICS (opcional) gria, pane do governador
4 - Teste do servocomando - Controles: Ventilação, desvio da válvula de san-
5 - Motor esquerdo : gria, rearme após sobrevelocidade
- Indicações: Sobrevelocidade, válvula de sangria, 8 - Teste do calculador de potência
pane do governador 9 - Chave de alarme sonoro
- Controles: Ventilação, desvio da válvula de sangria, 10 - Controle de degelo do Pitot e do pára-brisas direito
rearme após sobrevelocidade 11 - Controle do limpador de pára-brisas
6 - Teste de sobrevelocidade e luz indicadora do arranque

1.4.4. PUNHOS DO CÍCLICO E DO COLETIVO


1 2
10 1
9

8
11

7 2 10
6

9
5
3 3

5
4 4

8 7

1 - Comando de corte do cabo do guincho (opcional)


1 - Liberação de carga do gancho 2 - Comandos do acendimento e retração do farol de pouso
2 - Liberação do piloto automático 3 - Comandos de elevação e azimute do farol de pouso
3 - Comutador rádio - telefone de bordo 4 - Comando de inflagem - flutuador emergência (opc.)
4 - Disponível 5 - Desacoplamento de altitude barométrica
5 - Desacoplamento do acoplador P.A. 6 - Desacoplamento do coletivo
6 - Desacoplamento do cíclico 7 - Comando da válvula de sangria do motor
7 - Compensador do cíclico 8 - Comando dos limpadores de pára-brisas
8 - Acoplamento do modo A/S 9 - Comando de arremetida
9 - Disponível 10 - Chave "Beep trim" do coletivo
10 - Disponível 11 - Corte de pressão hidráulica do piloto automático

1.14
THM

1.4.5. CONSOLE 41 α E CONSOLE DE RÁDIOS

13 21
41 α 6 14 22 30
15 23

7 24
16
8 25
17
31
9
26
18
10 27
RADIO 5
19 28
11

20 29
12

2
3
1

1 - Manômetro (pressão acumul. freio estacionamento) 17 - Disponível


2 - Válvula de corte "Normal/Acumulador" e 18 - Disponível
acesso ao acumulador 19 - ICS do 3º membro da tripulação
3 - Punho de travamento trem de pouso dianteiro no eixo 20 - Disponível
4 - Punho do freio de estacionamento (vermelho) 21 - Unidade de controle do piloto automático
5 - Punho de abaixamento trem de pouso em emergência 22 - Disponível
6 - Disponível 23 - Disponível
7 - Unidade de controle VHF do co-piloto 24 - Disponível
8 - ICS do co-piloto 25 - Unidade de controle VHF do piloto
9 - Disponível 26 - ICS do piloto
10 - Disponível 27 - Unidade de controle SSB
11 - Disponível 28 - Unidade de controle do ADF
12 - Unidade de controle do ADF 29 - Unidade dos punhos do trem de pouso
13 - Painel de controle do combustível - 36α 30 - Unidade de comando e controle dos trens de pouso
14 - Painel de controle do tanque combust. suplem. - 39α 31 - Painel de disjuntores 3α
15 - Disponível
16 - Unidade de controle sist. alijamento combust. (opc.)

1.15
THM

1.5 - O SUPER PUMA MK I E A ELETRÔNICA

1.5.1. CARTÃO DE CIRCUITOS INTEGRADOS


A maioria dos circuitos de comando e controle do Su- O cartão eletrônico recebe ordens dos iniciadores sob
per-Puma MK1 utiliza cartões de circuitos integrados. forma de sinais elétricos (geralmente um + ou uma
massa). Ele analisa e trata estes sinais de entrada e
Um cartão de circuitos integrados reúne, com um peso libera sinais de saída que comandam os realizadores
e volume muito reduzidos, as funções elétricas clás- do sistema através de uma lógica funcional determina-
sicas de um lado e, de outro, aumenta consideravel- da por cada sistema.
mente as capacidades dos circuitos (segurança, auto-
maticidade, etc.). Iniciadores: elementos que comandam ou autorizam as
funções. Ex.: botão, manocontactor.
Os cartões estão alojados em um painel e a conexão
elétrica se faz automaticamente por encaixe do cartão Realizadores: elementos que executam as funções ou
em seu alojamento. informam a sua execução ou não. Ex.: Eletroválvula,
luz de indicação.
PAPEL DOS CARTÕES DE CIRCUITO INTEGRADOS

1.5.2. INFORMAÇÕES ESSENCIAIS PARA REPARAR (OU SIMPLESMENTE COMPREENDER)


OS SISTEMAS QUE POSSUEM UM CARTÃO ELETRÔNICO
( 1 ) Funções do cartão
Sendo as intervenções nos componentes dos cartões seja necessário aprofundar mais nos seus circuitos,
de competência do fabricante (ou de oficinas autoriza- que geralmente são complexos e somente os téc-
das), em caso de pane de um cartão, deve-se limitar nicos eletrônicos podem entender. Por isto, os cir-
em substituir o mesmo. (Pode-se, claro, substituir os cuitos do Super-Puma serão explicados utilizando
fusíveis de proteção do cartão, se possuir). O diag- diagramas funcionais simplificados, evidenciando
nóstico (quem está em pane? O cartão? Os inicia- as funções necessárias para poder realizar um re-
dores? Os realizadores?) implica um bom conheci- paro.
mento das funções asseguradas pelo cartão, sem que

( 2 ) Diagramas simples para explicar as funções

O objetivo de uma cadeia lógica é sempre, em um cir- cionais que causam o fechamento ou a abertura dos
cuito de comando, o fechamento ou a abertura de um circuitos de comando.
circuito elétrico. A partir desta constatação, substitui-
se os esquemas eletrônicos convencionais por esque-
mas de função que retêm somente as condições fun-
ASSIM,

Não se vê isto ............................................................................... e, sim, isto.

Condição A Condição B Condição C

Fechamento da
eletroválvula

O circuito lógico se reduz a um contato fictício. Uma flecha indica o deslocamento do contato quando
as condições necessárias estiverem reunidas. A ausência das condições ocasiona a inversão do con-
tato (exceto casos particulares que serão especificados).

1.16
THM

1.5.2. INFORMAÇÕES ESSENCIAIS PARA REPARAR (OU SIMPLESMENTE COMPREENDER)


OS SISTEMAS QUE POSSUEM UM CARTÃO ELETRÔNICO (Continuação)
( 3 ) Exemplo de um sistema ilustrado desta forma (um circuito de comando da bomba elétrica)

O sistema inclui:
· Elementos de comando e de autorização de funções (os iniciadores):
- um relé de intensidade (1)
- uma chave (2)
- um botão (3)
- um manocontactor (4)
- um detector de posição (5)
- um contato (6)
· um catão de circuitos integrados
· Elementos de execução e sinalização (os realizadores):
- uma eletrobomba (7)
- uma luz (8).

INICIADORES CARTÃO REALIZADORES

+
1 2 7

P
K
L1

i>50A Rearme
3 8
L5
L2
P<100b
4
L4 PANE
L3
TR
(DEFEITO)
P<100b Trem
Recolhido acoplado
Trem de pouso recolhido
5 + +

TR acoplado
Para que a eletrobomba seja alimentada, é necessário que a chave (2) esteja na posição "ON" e o contactor K
esteja fechado. As condições de excitação do contactor K são:
- lógica L1 "fechada" (intensidade no circuito da bomba elétrica inferior a 50 A).
- Lógica L2 "fechada" (pressão < 100 bar)
- Lógica L3 "fechada" (trem recolhido) ou lógica L4 "fechada" (transformador-retificador acoplado).Se supor-
mos que quando um transformador-retificador não estiver acoplado é a bateria que alimenta a rede, pode-se
ver bem como o sistema funciona:

· Se a aeronave estiver no solo e o transformador-retificador (TR) não estiver acoplado, a eletro-bomba não
pode ser alimentada. A função é proibida para "economizar" bateria.

· Se a aeronave estiver no solo e o TR acoplado, a bomba elétrica é alimentada para P < 100 bar.

· Se a aeronave estiver voando, com o trem de pouso recolhido, a bomba elétrica é alimentada para P < 100
bar (TR acoplado ou não).

· Em caso de sobrecarga (i > 50 A), L1 corta o circuito do contactor K e causa o acendimento da luz (7). A
lógica L1 permanece "bloqueada". Pode-se rearmar o circuito através do botão (3): L5 fecha o circuito.
1.17
THM

1.6 - DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA DA AERONAVE

Os pilotos e técnicos irão utilizar, pilotar e realizar ma- - não se ultrapassa uma limitação impunemente.
nutenções neste helicóptero. Para isto, existe um con- - o limite de vida de uma peça não é eterno.
junto de manuais, agrupando de forma metódica as - uma diretriz de manutenção pesa geralmente "mais"
regras e diretrizes de manutenção, as limitações e os do que aparenta.
procedimentos definidos pelo fabricante. - TODA IMPROVISAÇÃO deve ser PROSCRITA.
NÃO SE PODE IGNORÁ-LOS sem correr riscos.
LEMBRAR-SE QUE:

A documentação técnica do aeronave inclui:

DOCUMENTOS DO HELICÓPTERO DOCUMENTOS DO MOTOR DOCUMENTOS DO EQUIPAMENTO

1.6.1. DOCUMENTAÇÃO DO HELICÓPTERO

4 TIPOS DE DOCUMENTOS

Operação Manutenção Identificação Informação especial

( 1 ) Documentos de operação (Cod. letra P)


P
· O MANUAL DE VÔO (PMV) é o documento de refe- M P
rência do piloto e contém as limitações, os procedi- V R

mentos normais e de emergência e os desempenhos. P


E

Este manual é aprovado pelos órgãos oficiais aero- M

náuticos. C

· O REGISTRO DE PESO E BALANCEAMENTO


(PMC) fornece os elementos de cálculo do peso e ba-
lanceamento da aeronave em função de cada confi-
guração.
· O PROGRAMA RECOMENDADO DE
Para o piloto Para o chefe de manutenção e
MANUTENÇÃO (PRE), destinado aos responsáveis
pela manutenção, define as periodicidades e progra-
mas de inspeção, as periodicidades de drenagem e ( 2 ) Documentos de manutenção (Cod. letra M)
de monitoramento dos óleos e tempos limites de fun-
cionamento. São destinados aos técnicos e fornecem as informações
necessárias para manter a aeronave apta ao vôo:

· MDF : MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNCIONAMENTO


· MET : MANUAL DE MANUTENÇÃO
· MCS : MANUAL DE CIRCUITOS E ESQUEMAS
· MFI : MANUAL DE FALHAS E DIAGNÓSTICOS
· MRR : MANUAL DE REPAROS
· MRV : MANUAL DE REVISÃO PARA CÉLULA E CON-
M
D
M JUNTOS DINÂMICOS
M
F
F
E
M
M · MTC : MANUAL DE TÉCNICAS CORRENTES
I
T
R
R
M
M · MST : MANUAL DE ESTOCAGEM
/ R S
V T
M T
C
C
S

Para os técnicos de manutenção

1.18
THM

1.6.1. DOCUMENTAÇÃO DO HELICÓPTERO (Continuação)

( 3 ) Documentos de identificação (Cod. letra I)

Permitem que os especialistas reconheçam pelos


números de referência:
I
I
I
· uma peça da aeronave: IPC - CATÁLOGO P
C
C
ILUSTRADO DE PEÇAS C
O
A

· uma ferramenta especial: ICO - CATÁLOGO


ILUSTRADO DE FERRAMENTAS

· um artigo padrão: ICA - CATÁLOGO


COMPLEMENTAR DE APROVISIONAMENTO

( 4 ) Documentos especiais (Cod. letra S)

· SIM : LISTA DE MODIFICAÇÕES


S
S
I S · SBT: BOLETINS DE SERVIÇO (para informações
B S
M L pontuais)
T T
T
X
· SLT: CARTAS DE SERVIÇO (para conselhos ou
informações gerais)

· STX: TELEX difundidos em alerta.

1.6.2. DOCUMENTAÇÃO DO MOTOR 1.6.3. DOCUMENTAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ESPECÍFICOS

· MANUAL DE MANUTENÇÃO · MCM : MANUAL DE MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

· CATÁLOGO ILUSTRADO DE PEÇAS E


FERRAMENTAS

· BOLETINS DE SERVIÇO

NOTA: O conjunto da documentação atende as recomendações gerais da norma


ATA 100. Os manuais de manutenção e de identificação da aeronave são divididos
em CAPÍTULO - SEÇÃO - ASSUNTO conforme a ATA 100.

1.19