Você está na página 1de 20

Expressão Plástica

Material Teórico
Sólidos Geométricos e sua Modulação

Responsável pelo Conteúdo:


Prof. Dr. José Alfonso Ballestero Alvares

Revisão Textual:
Prof. Esp. Claudio Pereira do Nascimento
Sólidos Geométricos e sua Modulação

• Introdução;
• Sólidos Geométricos;
• Modulação.

OBJETIVO DE APRENDIZADO
· Conhecer os principais poliedros, suas características, construção, re-
presentação gráfica e a nomenclatura utilizada;
· Conhecer os principais tipos de modulação, suas características,
construção e representação gráfica.
Orientações de estudo
Para que o conteúdo desta Disciplina seja bem
aproveitado e haja maior aplicabilidade na sua
formação acadêmica e atuação profissional, siga
algumas recomendações básicas:
Conserve seu
material e local de
estudos sempre
organizados.
Aproveite as
Procure manter indicações
contato com seus de Material
colegas e tutores Complementar.
para trocar ideias!
Determine um Isso amplia a
horário fixo aprendizagem.
para estudar.

Mantenha o foco!
Evite se distrair com
as redes sociais.

Seja original!
Nunca plagie
trabalhos.

Não se esqueça
de se alimentar
Assim: e de se manter
Organize seus estudos de maneira que passem a fazer parte hidratado.
da sua rotina. Por exemplo, você poderá determinar um dia e
horário fixos como seu “momento do estudo”;

Procure se alimentar e se hidratar quando for estudar; lembre-se de que uma


alimentação saudável pode proporcionar melhor aproveitamento do estudo;

No material de cada Unidade, há leituras indicadas e, entre elas, artigos científicos, livros, vídeos
e sites para aprofundar os conhecimentos adquiridos ao longo da Unidade. Além disso, você
também encontrará sugestões de conteúdo extra no item Material Complementar, que ampliarão
sua interpretação e auxiliarão no pleno entendimento dos temas abordados;

Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de discus-
são, pois irão auxiliar a verificar o quanto você absorveu de conhecimento, além de propiciar o
contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de troca de ideias e
de aprendizagem.
UNIDADE Sólidos Geométricos e sua Modulação

Introdução
Se você parar para analisar o que faz quando desenha, perceberá que na realida-
de usa uma linha visível para representar uma linha conceitual. Isso quer dizer que
os elementos conceituais não são visíveis (WONG, 2010, p. 42).

Alguns dos elementos conceituais mais importantes são: o ponto, a linha, o


plano e volume. Vamos definir cada um deles para que esses conceitos se tornem
mais claros:
• Ponto: indica apenas uma posição, não tem nem comprimento nem largura,
não ocupa espaço ou área e pode indicar o início ou o fim de uma linha ou o
ponto de encontro ou cruzamento entre linhas (WONG, 2010, p. 42). Exemplo:

•                       •

• Linha: indica a trajetória de uma linha, essa trajetória ocorre pelo desloca-
mento do ponto; a linha tem comprimento, mas não largura, tem posição e
direção e é limitada por pontos, constitui a borda de um plano (WONG, 2010,
p. 42). Exemplo:

• Plano: constitui a trajetória do movimento do ponto, tem comprimento e


largura, mas não espessura; tem posição e direção; está limitado por linhas e
estabelece os limites de um volume (WONG, 2010, p. 42). Exemplo:

• Volume: constitui a trajetória do movimento de um plano; tem posição no


espaço e se limita por planos (WONG, 2010, p. 42). Exemplo:
Explor

O que foi que aconteceu?

Isso mesmo! Criamos uma figura geométrica!

Estamos rodeados de figuras geométricas! Nosso mundo, os objetos, todas as


coisas que temos e vemos ao nosso redor estão compostas por figuras geométricas.

8
Formar uma figura geométrica, você já deve ter percebido, é muito fácil: basta
ter uma linha que se encontre com outra linha em direção diferente à primeira (ou
seja, um plano) e que juntemos diversos planos em sentidos diferentes.

É a respeito dessas figuras geométricas que vamos falar a partir deste mo-
mento, elas são denominadas genericamente de sólidos geométricos. Vamos a eles!

Sólidos Geométricos
Explor

Por que os denominamos geométricos?

A resposta a essa questão é muito simples, porque nós os construímos de forma


matemática (WONG, 2010, p. 42).

Mas, não se assuste! Não precisaremos de complexos cálculos matemáticos,


será bem simples. Veja só:
• quando temos 4 lados iguais, temos um quadrado, não é? Sim!

• quando colocamos 6 quadrados iguais com seus planos em direções diferentes,


o que temos? Um cubo!
Explor

Que estranho! Estamos vendo apenas 3 lados! Onde estão os outros 3?

9
9
UNIDADE Sólidos Geométricos e sua Modulação

Estão ocultos porque eu construí um cubo sólido, mas quando dou asas a minha
imaginação e imagino o cubo transparente, veja o que acontece:

Agora sim! Tenho os 6 lados definidos antes.

Então, já estamos prontos para uma importante definição: a de sólidos


geométricos. Vamos a ela:

Importante! Importante!

Sólidos geométricos são os objetos tridimensionais definidos no espaço.

Agora, se você olhar ao seu redor verificará que as coisas que vemos não são
formadas apenas por quadrados ou cubos, sejam transparentes ou sólidos, mas por
inúmeras formas. Veja a seguir alguns exemplos do que estou comentando:

Paralelepípedo Cubo Pirâmide Prisma Cilindro

Importante! Importante!

Note que as linhas tracejadas representam o que não se vê.

Se observar com atenção os exemplos colocados, verificará que eles podem ser
classificados em três grandes grupos: os poliedros, corpos redondos e outros.

De todas essas figuras destacarei os poliedros que são formados por lados pla-
nos denominados polígonos. Portanto, o cilindro não será visto agora porque ele
não pertence ao grupo dos poliedros.

10
Poliedros
Os poliedros são formados por lados planos, também denominados polígonos,
aqui temos alguns exemplos:

Paralelepípedo Cubo Pirâmide Prisma

Os sólidos geométricos são limitados por faces, que, por sua vez, são polígonos.
Isso significa que qualquer sólido geométrico cuja superfície seja formada somente
por polígonos é um poliedro.

Agora, se pintarmos cada uma das faces com uma cor, ficará fácil contar a quan-
tidade de faces que cada poliedro apresenta, veja:

Paralelepípedo... 6 faces Cubo... 6 faces

Pirâmide... 5 faces Prisma... 5 faces

As linhas formadas pelo encontro entre duas faces de um poliedro são chamadas
de aresta e qualquer ponto de encontro entre arestas é chamado de vértice. Portanto:

Importante! Importante!

Vértice é a junção ou encontro das linhas ou segmentos com os quais desenhamos os


sólidos geométricos formando as chamadas quinas.

11
11
UNIDADE Sólidos Geométricos e sua Modulação

Para identificar o que estou dizendo, vou sobrepor um pequeno círculo colorido
sobre os vértices, veja o que acontece:

Paralelepípedo... 8 vértices Cubo... 8 vértices

Pirâmide... 5 vértices Prisma... 6 vértices

As linhas formadas pelo encontro entre duas faces de um poliedro são chama-
das de aresta.

Importante! Importante!

Aresta é o segmento, ou linha, ou encontro de dois polígonos ou faces.

Vamos aproveitar, então, e contar as arestas de cada um dos poliedros:

Paralelepípedo... 12 arestas Cubo... 12 arestas

Pirâmide... 8 arestas Prisma... 9 arestas

12
Você deve ter observado que estou repetindo e frisando muito as faces, os vérti-
ces e as arestas. A repetição é proposital para que você fixe os conceitos, eles são
muito importantes.
Explor

Por que face, aresta e vértice são importantes?

Porque face, aresta e vértice são os denominados elementos construtivos. Es-


ses elementos construtivos possuem “qualidades estruturais fortes e são [...] impor-
tantes para o entendimento dos sólidos geométricos. Esses elementos são usados
para indicar os componentes geométricos do desenho tridimensional” (WONG,
2010, p. 245).

Acompanhe comigo as definições que Wong (2010, p. 245) nos oferece de


cada um desses elementos:

• Vértice: ocorre quando vários planos se encon-


tram em um ponto conceitual; os vértices podem
ser projetados para fora ou para dentro.

• Aresta: ocorre quando dois planos não paralelos


são unidos ao longo de uma reta conceitual; da
mesma forma que no anterior, as arestas podem
ser projetadas para fora ou para dentro.

• Face: é o plano conceitual que está fisicamente


presente; as faces são as superfícies externas que
encerram um volume.

Wong (2010, p. 245) ainda nos chama a atenção para o fato de que “todos os
vértices devem ser afiados e pontudos; todas as arestas devem ser afiadas e retas;
e todas as faces devem ser lisas e planas”. Apesar disso, chamo sua atenção para
o fato de que dependem também do material empregado e da técnica, pois certas
irregularidades menores podem ser inevitáveis.

Isso tudo nos indica que os elementos construtivos nos ajudam a definir com
precisão as formas volumétricas. Assim:

13
13
UNIDADE Sólidos Geométricos e sua Modulação

Este sólido geométrico chama-se paralelepípedo; é um


prisma em que todas as faces têm a forma de um retân-
gulo; ele tem 6 faces, 8 vértices, 12 arestas.

Este sólido geométrico chama-se cubo; é um prisma em


que todas as faces têm a forma de um quadrado com a
mesma medida; ele tem 6 faces, 8 vértices, 12 arestas.

Este sólido geométrico chama-se prisma triangular por-


que as bases são triângulos; ele tem 5 faces, 6 vértices,
9 arestas.

Este sólido geométrico chama-se pirâmide quadrangular


porque sua base é um quadrado; ele tem 5 faces, 5 vér-
tices, 8 arestas.

Muito bem! Agora que sabemos o que são sólidos geométricos e como eles são
construídos, que tal brincar um pouco com eles?

Brincar?! Isso mesmo! Vamos empilhar, sobrepor, juntar, agrupar para ver o que
acontece?

Esses diversos arranjos possíveis são denominados modulação.

Modulação
Modulação nada mais é do que as alternativas de arranjos ou disposição que um
determinado sólido geométrico nos permite.

Podemos empilhar, ter espaços cheios ou espaços vazios e a articulação desses


arranjos entre si.

Vamos começar com algo simples: um cubo. Podemos começar colocando um


segundo cubo acima e um terceiro abaixo dele:

14
Acabaríamos com algo semelhante ao que está colocado a seguir:

Ficamos com uma coluna de três cubos, mas observe que podemos acrescentar
tantos cubos quantos desejemos até construir o que queremos; ou seja, estaremos
expandindo nossa coluna em qualquer direção. Veja só:

Uma das modulações mais conhecida e utilizada é a parede. Mas,


Explor

O que é a parede?

A parede nada mais é do que uma série de cubos empilhados. Veja o exemplo:

15
15
UNIDADE Sólidos Geométricos e sua Modulação

Outra construção possível interessante com o cubo é o bloco. O bloco se cons-


trói considerando a medida inicial do sólido geométrico que será repetida tantas
vezes quanto sua medida, o exemplo mais conhecido do que estou descrevendo é
o cubo Rubik.

Agora, partindo do nosso grande bloco onde temos somente camadas sobre
camadas, temos a possibilidade de deslocar a posição de cada camada, uma para
a direita, uma para a esquerda (observe que nos três desenhos a seguir apresen-
tados devolvi as linhas posteriores imaginárias que não aparecem nas figuras
frontais anteriores):

Outra possibilidade desse mesmo bloco é a movimentação de cada camada no


mesmo sentido da anterior, veja!

16
Ou então girar a camada superior em sentido horário e a inferior no sentido anti-horário,
Explor

veja!: https://goo.gl/ZJVTqT

Observe que cada cubo é um elemento espacial na estrutura. Esses elementos


estão dispostos de modo bidimensional sobre o plano frontal.
“Todas as estruturas formais bidimensionais podem se tornar estruturas
de parede com o acréscimo de alguma profundidade e suas subdivisões
estruturais podem se tornar células espaciais”. (WONG, 2001, p. 259)

Observe que “quando uma célula espacial é colocada sobre outra, a frontalidade
plana da estrutura de parede pode ficar ligeiramente mais tridimensional por meio
da variação de posição” (WONG, 2001, p. 263). Veja o que obtemos:

Você já deve ter percebido que efeito semelhante será obtido ao se variar a pro-
fundidade dos sólidos geométricos utilizados.
Explor

Faça experiências mudando a profundidade e veja o que ocorre.

Mas, cuidado com a variação de direção na disposição dos sólidos geométricos,


pois você descobrirá que o excesso de rotação pode tornar os planos laterais dos
sólidos geométricos muito salientes.

17
17
UNIDADE Sólidos Geométricos e sua Modulação

Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

  Sites
Geometria espacial
https://goo.gl/jXAV3J

 Vídeos
Planificação de solidos
https://youtu.be/L_oOMl7iFB4

 Leitura
Geometria espacial
https://goo.gl/Q3XCb2
Poliedro
https://goo.gl/rsKVGK
Sólido Platônico
https://goo.gl/hthXiw
Geometria espacial
https://goo.gl/DxV7ne
Geometria espacial
https://goo.gl/jXAV3J
A informatização da geometria e a modelagem através de planos seriados
https://goo.gl/3b3ypR
Do plano ao volume: a gramática dos planos em série como partido para a fabricação digital por meio de cortadoras
a laser
https://goo.gl/SysNJt

18
Referências
DONDIS, DONIS A. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

MONTENEGRO, Gildo A. Desenho arquitetônico. São Paulo: Edgard Blucher, 2001.

WONG, W. Princípios de forma e desenho. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

19
19