Você está na página 1de 31

Combate a principio

de incêndio:
Brigada de incêndio

Prof. Msc. Andre Cavalcanti


Técnico e Tecnólogo em segurança do trabalho
Pedagogo
Especialista em métodos de ensino
Mestre em Ciência da educação: formação profissional.
Aula 09
Conceito
A educação é considerada a chave para
a prevenção e proteção contra
incêndios.
Existe uma infinidade de encontros e
programas de educação visando à
conscientização da população
para a prevenção e proteção contra
incêndios.
Cursos de treinamento para técnicos
em instalações e manutenção de
sistemas de segurança são organizados.
Conceito
Grupo organizado de pessoas,
preferencialmente voluntárias ou
indicadas, treinadas e capacitadas
para atuar na prevenção e no combate
ao princípio de incêndio, abandono de
área e primeiros socorros, dentro de
uma área preestabelecida na planta
Organização
Organização
Conceito
Para que haja, em uma edificação,
segurança contra incêndios de
forma eficiente, devemos
observar três
aspectos básicos:
1. Equipamentos instalados.
2. Manutenção adequada
3. Pessoal treinado
Tipos de brigada
Brigadas de incêndios
Brigadas de abandono.
Brigadas de emergências
Brigada de abandono
Plano de abandono: conjunto de normas e
ações desencadeado pela equipe da brigada de
abandono, visando à remoção rápida, segura, de
forma ordenada e eficiente de toda a população
fixa e flutuante da edificação em caso de uma
situação de sinistro ou em exercício simulado de
abandono.
Conceito
Carga de incêndio - soma das energias
caloríficas possíveis de serem liberadas
pela combustão completa de todos os
materiais combustíveis contidos em
um espaço, inclusive o revestimento
das paredes, divisórias, pisos e tetos,
cujo cálculo é feito conforme o Anexo
D da NBR-14276:2006
Conceito
Exercício simulado - exercício
prático realizado periodicamente
para manter a equipe de
emergência (brigada, bombeiro
profissional civil ou privado, grupo
de apoio, etc) e os ocupantes das
edificações em condições de
enfrentar uma situação real de
emergência
Conceito
Exercício simulado - exercício
prático realizado periodicamente
para manter a equipe de
emergência (brigada, bombeiro
profissional civil ou privado, grupo
de apoio, etc) e os ocupantes das
edificações em condições de
enfrentar uma situação real de
emergência
Pré-requisitos
Os critérios básicos para seleção dos brigadistas
são:

1. permanecer na edificação durante seu turno de


trabalho;
2. possuir boa condição física e boa saúde;
3. possuir bom conhecimento das instalações da
empresa;
4. Ser mais de 18 anos;
5. ser alfabetizado;
Parâmetro fiscalizador
• Os equipamentos de prevenção e combate a
incêndios são instalados conforme normas e
critérios previamente estabelecidos pelo corpo
de bombeiros, por intermédio da legislação
vigente.
• Os equipamentos instalados, em especial os
hidrantes e extintores, devem ter pessoal
habilitado em número suficiente para operá-los.
Parâmetro fiscalizador
• Para operar um hidrante de parede, sugere-se,
por segurança, um mínimo de três pessoas
habilitadas.
• Uma pessoa habilitada manuseia com
eficiência e rapidez, nos primeiros cinco minutos
de um sinistro, aproximadamente duas unidades
extintoras.
• Nunca serão operados, ao mesmo tempo,
todos os hidrantes de uma edificação, devendo
ser observado o cálculo do dimensionamento da
Formação da brigada
A. os brigadistas têm que frequentar curso de
formação, conforme Anexo A e B;
B. a validade do treinamento completo é de no
máximo 12 meses;
C. terá direito ao Certificado de brigadistas aqueles
obtiverem, no mínimo, 70% de aproveitamento nas
avaliações teórica e prática, expedido por instrutor
em incêndio e instrutor em primeiros socorros, com
validade de 01 ano
Formação da brigada
É importante observar na certificação:

1. Para a reciclagem, o brigadista pode ser dispensado


de participar da parte teórica do treinamento de
incêndio e/ou primeiros socorros, desde que seja
aprovado em pré-avaliação onde obtenha 70% ou
mais de aproveitamento;
2. A avaliação teórica é realizada na forma escrita,
podendo ser em múltipla escolha, conforme o anexo
B;
3. A avaliação prática é realizada de acordo com o
desempenho do treinando nos exercícios realizados,
conforme o anexo B.
Formação da brigada
Ações de prevenção:

1. Conhecer o plano de emergência contra incêndio da


planta;
2. Avaliar os riscos existentes;
3. Inspecionar os equipamentos de combate a incêndio,
primeiros socorros e outros existentes na edificação da
planta;
4. Inspecionar as rotas de fuga;
5. Elaborar relatório das irregularidades encontradas;
6. Encaminhar o relatório aos setores competentes;
7. Orientar a população fixa e flutuante;
8. Participar dos exerccios simulados.
Formação da brigada
Ações de emergência:

Aplicar os procedimentos básicos


estabelecidos no Plano de Emergência
contra incêndio da planta até o
esgotamento dos recursos destinados
aos brigadistas
Formação da brigada
Quanto aos procedimentos básicos, a brigada
deve atuar conforme o Plano de Emergência
contra incêndio da planta, que deve estar de
acordo com a NBR-15219:2005. Listam-se a
seguir alguns procedimentos complementares
da brigada de incêndio.

Divulgação e identificação dos brigadistas;


Equipamento de proteção individual;
Comunicação interna e externa;
Ordem de abandono;
Ponto de encontro dos brigadistas.
Formação da brigada
Quanto aos procedimentos básicos, a brigada
deve atuar conforme o Plano de Emergência
contra incêndio da planta, que deve estar de
acordo com a NBR-15219:2005. Listam-se a
seguir alguns procedimentos complementares
da brigada de incêndio.

Divulgação e identificação dos brigadistas;


Equipamento de proteção individual;
Comunicação interna e externa;
Ordem de abandono;
Ponto de encontro dos brigadistas.
Abandono de aula
Observam-se, ainda, as recomendações gerais para
a população da planta em caso de abandono:

Acatar as orientações dos brigadistas;


Manter a calma;
Caminhar em ordem, sem atropelos;
Permanecer em silêncio;
Pessoas em pânico: se não puder acalmá-las, deve-
se evitá-las. se possível avisar a um brigadista;
Abandono de aula
Nunca voltar para apanhar objetos;
Ao sair de um lugar, fechar as portas e janelas sem trancá-
las;
Não se afastar dos outros e não parar nos andares;
Levar consigo os visitantes que estiverem em seu local de
trabalho;
Ao sentir cheiro de gás, não produzir faíscas, fogo ou
acender ou apagar luzes;
Deixar a rua e as entradas livres para a ação dos
bombeiros e do pessoal de socorro médico;
Encaminhar-se ao ponto de encontro e aguardar novas
instruções.
Em situações extremas
• Evitar retirar as roupas e, se possível, molhá-
las;
• Se houver necessidade de atravessar uma
barreira de fogo, molhar todo o corpo, roupas,
sapatos e cabelo;
• Proteger a respiração com um lenço molhado
junto à boca e nariz e manter-se sempre o
mais próximo do chão;
Em situações extremas
• Antes de abrir uma porta, verificar se ela não
está quente;
• Se ficar preso em algum ambiente, aproximar-
se de aberturas externas e tentar de alguma
maneira informar sua localização;
• Nunca saltar do prédio. Lembre-se: sempre
tem alguém tentando lhe salvar!
Carga de incêndio
CALCULO DE CARGA DE INCÊNDIO
• A carga de incêndio específica (qfi), a altura da
edificação e as respectivas ocupações,
conforme estabelecido abaixo:
CALCULO DE CARGA DE INCÊNDIO
Conteúdo programático
do curso de Brigada
A aula acabou?
Relatório:
A brigada de incêndio
como fator de prevenção.

Interesses relacionados