Você está na página 1de 26

O funcionamento cerebral da criança

com Transtorno de Déficit de Atenção e


Hiperatividade - TDAH
Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA


NÚCLEO DE TECNOLOGIAS PARA EDUCAÇÃO – UEMANET
CURSO ABERTO DE DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
Nesta aula conheceremos acerca de como
funciona o cérebro da criança com TDAH e o
que podemos fazer como professor para a
intervenção pedagógica
O Transtorno de Déficit de
Atenção e Hiperatividade é
considerado pelo manual
diagnóstico e estatístico
de transtornos mentais em
sua 5ª versão como um
transtorno do
neurodesenvolvimento
(DSM 5, 2014).

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Este transtorno se caracteriza O TDAH não é uma doença
por níveis prejudiciais de e sim, um Transtorno do
desatenção, desorganização Neurodesenvolvimento.
e/ou hiperatividade-
impulsividade.
Os principais elementos comportamentais que
acompanham o TDAH são:

Hiperatividade
Impulsividade
Desatenção

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


O TDAH é um dos transtornos mais Segundo a Associação Brasileira
comuns em crianças e de Déficit de Atenção ocorre em
adolescentes encaminhados para cerca de 3 a 5% das crianças do
serviços especializados e o que mundo.
tem mais casos com intervenção
medicamentosa.
Em mais da metade dos
casos o transtorno
acompanha o indivíduo na
vida adulta, embora os
sintomas de inquietude
sejam mais brandos.

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


A dificuldade em
manter a atenção
concentrada é a
principal característica
do TDAH.

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Segundo algumas pesquisas este Quando esta estrutura cortical tem seu
problema tem sua origem em uma funcionamento comprometido, pessoa
condição orgânica, relacionada a passa a ter vários problemas, entre eles
uma estrutura cerebral chamada dificuldade de focar a atenção.
lobo pré-frontal.
De acordo com Gonçalves (2015), “a
hiperatividade é uma condição física que
se caracteriza pelo subdesenvolvimento e
mau funcionamento de certas partes do
cérebro”, nomeadamente:
Lobos Frontais

Os dois lobos frontais são as


partes do cérebro menos
desenvolvidas nos hiperativos.
Além de serem os menores, a
comunicação entre neurônios, o
uso do glicogênio e oxigênio e a
circulação sanguínea nesta parte
do cérebro é pouco eficiente
(GONÇALVES, 2015).

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


As principais funções dos lobos frontais são:
a atenção, tomada de decisões, planeamento, organização,
resolução de problemas, consciência e controlo de emoções.
Corpo Caloso

É um canal de comunicação entre


o hemisfério esquerdo e direito
do cérebro, constituído por cerca
de mais de 200 milhões de fibras
nervosas (GONÇALVES, 2015).

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Gânglios de base ou núcleos da base

São responsáveis pelo


movimento, controle dos
músculos, aprendizagem,
coordenação para além de
desempenharam um papel muito
importante no controle da
impulsividade, na intenção dos
movimentos e controle dos
movimentos voluntários
(GONÇALVES, 2015).

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Cerebelo Também conhecido como pequeno
cérebro, é responsável pelo
controle motor ou seja tudo o que
está relacionado com os
movimentos do corpo humano.
Mas muitos estudos recentes
começam a provar que também
tem um papel muito importante na
linguagem, memória, atenção e
regulação das emoções
(GONÇALVES, 2015).

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Sistema dopaminérgico Sistema noradrenérgico
Falta de e/ou recaptação Falta de e/ou recaptação precoce
precoce do neurotransmissor – do neurotransmissor –
dopamina (GONÇALVES, 2015). noradrenalina (GONÇALVES, 2015).
Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa
• Mas também pela menor e menos eficaz atividade elétrica, menor
circulação sanguínea no cérebro e má gestão da glicose que é o
principal combustível do cérebro.
• Tudo isto leva a uma má comunicação entre neurônios e a falta de
sincronização entre as várias partes do cérebro

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Como ativar o córtex pré-frontal
de pessoas com TDAH com
atividades produtivas?

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Desenvolva um foco claro

Isso se faz através do


estabelecimento de
metas diárias,
semanais, a curto,
médio e longo prazo;

Fonte: http://neuronios-saudemental.blogspot.com.br/2009/09/estrategias-cognitivo-comportamentais.html

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Concentrar-se no que gosta e não no que não
gosta

Fonte: http://neuronios-saudemental.blogspot.com.br/2009/09/estrategias-cognitivo-comportamentais.html

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Organize-se e procure ajuda de terceiros

Separe tempo extra,


esvazie a agenda (isso
deixa tempo extra), dê
prioridade a poucos
projetos;

Fonte: http://neuronios-saudemental.blogspot.com.br/2009/09/estrategias-cognitivo-comportamentais.html

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Pratique neurobiofeedback e meditação

Fonte: http://neuronios-saudemental.blogspot.com.br/2009/09/estrategias-cognitivo-comportamentais.html

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Pare de ser o estimulante de alguém

Fale calmamente, se começar


a sair do controle, vá ao
banheiro ou vá tomar um
cafezinho;

Fonte: http://neuronios-saudemental.blogspot.com.br/2009/09/estrategias-cognitivo-comportamentais.html

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Alimentar o seu córtex
pré-frontal com os
alimentos corretos e
com a prática de
exercícios pode ser um
aliado.

Fonte: http://neuronios-saudemental.blogspot.com.br/2009/09/estrategias-cognitivo-comportamentais.html

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Revisão
• Estudamos que o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade
– TDAH é um transtorno que causa à pessoa déficits de desatenção,
desorganização e/ou hiperatividade-impulsividade que tem início na
infância e se perdura por toda a vida adulta.
• Suas causas não são totalmente conhecidas e as principais
intervenções tem se apoiado na terapia cognitiva-comportamental
e em tratamentos farmacológicos.

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa


Referências
• DIAS, Cíntia Carvalho Noronha Garcia; WAJNSZTEIN, Rubens;. Transtorno de Déficit de Atenção e
Hiperatividade (TDAH). In_: VALLE, Luiza Elena L. Ribeiro do [et al.]. Aprendizagem na Atualidade:
Neuropsicologia e desenvolvimento na inclusão. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2010.
• MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS. DSM-IV. Trad. Dayse Batista. 4.
ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
• MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS [recurso eletrônico]: DSM-5 /
[American PsychiatricAssociation ; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento... et al.] ; revisão técnica:
Aristides Volpato Cordioli ...[et al.]. – 5. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Artmed, 2014.
• TOLEDO, Márcia Maria; SIMÃO, Adriana. Transtorno e déficit de atenção/ hiperatividade. Distúrbios
de aprendizagem: proposta de avaliação interdisciplinar. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 187-201,
2003. Disponível em: https://books.google.com.br/books Acesso em: 23 dez 2014.
• SMITH, Corinne; STRICK, Lisa. Dificuldades de Aprendizagem de A-Z: guia completo para educadores
e pais. Porto Alegre: Penso, 2012.

Prof.ª Priscila de Sousa Barbosa