Você está na página 1de 26

8º e 9º ANOS – 1º BIMESTRE

0
Governo do Estado do Ceará
Secretaria da Educação do Ceará

Governador
Camilo Sobreira de Santana

Secretário de Educação do Ceará


Antônio Idilvan de Lima Alencar

Secretária Adjunta de Educação do Ceará


Márcia Oliveira Cavalcante Campos

Coordenadoria de Cooperação com os Municípios (COPEM)


Márcio Pereira de Brito

Célula de Gestão dos Programas e Projetos Estaduais – Mais Paic (CEGEE/ COPEM)
Idelson de Almeida Paiva Junior

Coordenadora do Eixo de Ensino Fundamental II – Mais Paic (CEGEE/ COPEM)


Sandra Maria Oliveira dos Santos

Técnicos do Eixo de Ensino Fundamental II – Mais Paic (CEGEE/COPEM)


Jorgemberg Costa Marques
Lucia Maria Cavalcante Farias
Maria Hosana Magalhães Viana
Maria Thereza Machado Fiúza

____________________________________________________________________

Ceará (Estado). Secretaria da Educação. Coordenadoria de Cooperação com os Municípios


(Copem). Programa Aprendizagem na Idade Certa (Mais Paic). Caderno de Práticas
Pedagógicas de Língua Portuguesa - Ensino Fundamental II – 1º Bimestre – Estado do
Ceará. Fortaleza: Secretaria da Educação do Estado do Ceará, 2018.

__________________________________________________________________
1
APRESENTAÇÃO

Prezados professores e prezadas professoras,

O Caderno de Práticas Pedagógicas de Língua Portuguesa foi pensado para o


Ensino Fundamental II. Apresentamos módulos didáticos que contemplam os eixos da
Língua Portuguesa, os quais estão situados em campos de atuação específicos. A partir do
uso e da eficácia destas atividades, produziremos outros materiais estruturados para os
Anos Finais do Ensino Fundamental que serão disponibilizados bimestralmente.
Elaboramos propostas de atividades para que você, professor(a), possa
desenvolver com seus alunos. O foco é enriquecer o trabalho docente com atividades
qualificadas que possam ser desenvolvidas dentro da sequência de aulas delineadas no
Plano Estruturante, tornando as vivências escolares mais dinâmicas e significativas,
fortalecendo o protagonismo dos jovens estudantes.
Cada Caderno de Práticas Pedagógicas de Língua Portuguesa do Mais Paic busca
fornecer aos professores modelos de atividades que possibilitem o aperfeiçoamento do
trabalho docente e evidenciem práticas pedagógicas eficazes para a aprendizagem dos
jovens da escola pública, possibilitando uma jornada exitosa de alunos(as) e professores
(a) do 6º ao 9º ano.
Em 2018, ofereceremos, durante as formações, cadernos de atividades com
módulos didáticos que contemplarão aprendizagens específicas a serem trabalhadas
bimestralmente.
Todas as sugestões visam à valorização do trabalho com os eixos da Língua
Portuguesa – oralidade, leitura, produção de textos e análise linguística - contribuindo para
a formação de jovens leitores e escritores de textos multimodais.
É importante estar atento(a) a todas as orientações didáticas sobre como trabalhar
o material em sala de aula, favorecendo à realização das atividades pelos alunos com mais
autonomia. O diferencial no uso deste material será o empenho que cada professor(a) tem
em relação à aprendizagem dos nossos jovens.

Cordialmente,
Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc)
Coordenadoria de Cooperação com os Municípios (Copem) 2
SUMÁRIO

1 Rotina Pedagógica...................................................................................................... 1
2 Atividades Dirigidas..................................................................................................... 2
Infográfico.................................................................................................................... 3
Anúncio......................................................................................................................... 12
Diário............................................................................................................................. 22
3 Orientações Metodológicas......................................................................................... 30
Infográfico.................................................................................................................... 31
Anúncio......................................................................................................................... 35
Diário............................................................................................................................. 40
4 Referencial Teórico..................................................................................................... 45
Infográfico.................................................................................................................... 47
Anúncio......................................................................................................................... 49
Diário............................................................................................................................. 51
Referências.................................................................................................................. 53

3
1. ROTINA PEDAGÓGICA
Professores, o quadro abaixo contém a rotina de atividades que precisam ser inseridas
no plano estruturante de acordo com o eixo a ser trabalhado em cada aula e em cada dia.

ORALIDADE/LEITURA PRODUÇÃO ANÁLISE


2H/A TEXTUAL – 2H/A LINGUÍSTICA -
1H/A
Ponto de partida:
SEMANA 1 Atividades de leitura pesquisa sobre o
GÊNERO 1 – módulo 1

de gênero. tema e montagem


(ANTES – DURANTE - de portfólio.
DEPOIS) Produção escrita
– P.E.
Produção Oral –
P. O.
Por dentro do Por dentro do
SEMANA 2 QUESTÕES: 5 texto: rascunho texto: revisão
(P.E/P.O.) (P.E/P.O.)
Ponto de
SEMANA 3 QUESTÕES: 5 chegada: QUESTÕES: 5
produção final.
(P.E/P.O.)
Ponto de partida:
SEMANA 4 Atividades de leitura pesquisa sobre o
de gênero.
GÊNERO 2- módulo 2

tema e montagem
(ANTES – DURANTE - de portfólio.
DEPOIS) Produção escrita
– P.E.
Produção Oral –
P. O.
Por dentro do Por dentro do
SEMANA 5 QUESTÕES: 5 texto: rascunho texto: revisão
(P.E/P.O.) (P.E/P.O.)
Ponto de
SEMANA 6 QUESTÕES: 5 chegada: QUESTÕES: 5
produção final.
(P.E/P.O.)
Ponto de partida:
SEMANA 7 Atividades de leitura pesquisa sobre o
de gênero. tema e montagem
(ANTES – DURANTE -
GÊNERO 3 – módulo 3

de portfólio.
DEPOIS) Produção escrita
– P.E.
Produção Oral –
P. O.
Por dentro do Por dentro do
SEMANA 8 QUESTÕES: 5 texto: rascunho texto: revisão
(P.E/P.O.) (P.E/P.O.)
Ponto de
SEMANA 9 QUESTÕES: 5 chegada: QUESTÕES: 5
produção final.
(P.E/P.O.)

SEMANA 10 – SEMANA DE PROVAS


4
2. ATIVIDADES DIRIGIDAS

Você sabia que os mapas também são infográficos?


Você, alguma vez, fez uso de mapas?
Como você lê um mapa?
Já usou o google maps? Waze?

Texto I1

Texto I: Disponível em: https://markeninja.com.br/infografico-ganhe-links-e-mencoes/ Acesso em: 01 set. 2017.

O que achou deste infográfico?


Se você fosse produzir um infográfico sobre o instagram, seria assim?
Como seria o seu? Mais cores? Mais categorias?

1
Professores, atentem para as orientações teóricas constantes no ponto 4 – Referencial teórico – sobre o gênero em
estudo.

5
VAMOS TRABALHAR A NOSSA CRIATIVIDADE!

Responda as questões que seguem com base nas discussões sobre o assunto que
você acabou de ter com seu professor ou professora e nos infográficos que foram
selecionados para as respectivas questões.

D23- Identificar os níveis de linguagem e/ou as marcas linguísticas que evidenciam locutor e/ou
interlocutor.

Disponível em: https://soudonordeste.com.br/Acessado em :12/09/2017

1. O infográfico que você acabou de ler foi produzido em uma linguagem não formal, indicando

a) a variedade linguística existente.


b) que o objetivo é o de fazer graça.
c) que foi produzido apenas para o nordeste.
d) que foi elaborado para satirizar na aula de biologia.

2. Ainda sobre a variedade linguística, que outras expressões nordestinas podem ser usadas
para referir-se a partes do corpo humano, mas que não foram incluídas neste infográfico. Ao citá-
las lembre-se de colocar a parte do corpo a quem a expressão se refere.

6
D2 – Inferir informação em texto verbal.

Fonte: http:// http://amaguaiba.org/2014/12/05/studio-ama-residuos-perigosos-e-logistica-reversa-2/ Acesso em:


20/09/2017
3. A expressão logística reversa indica
a) a reutilização do que você compra.
b) a responsabilização compartilhada pelos resíduos.
c) a destinação correta dos resíduos produzidos por você.
d) o movimento de retorno dos produtos comprados.

4. Produza um parágrafo, coerente e em língua formal, a partir das informações constantes na


segunda parte do infográfico: “saiba como destinar alguns resíduos”.

D10 - Identificar o propósito comunicativo em diferentes gêneros.

Disponível em: https://papouniversitario.anhembi.br/infografico-3/page/2/Acesso em 15/09/2017

7
5. O objetivo do criador desse infográfico era refletir sobre:
a) a opinião das pessoas mais velhas e mais jovens que você
b) a opinião das pessoas sobre a internet.
c) como as pessoas se comunicam nessa era.
d) como as diferentes gerações lidam com a era digital.

D1 – Localizar informação explícita.

Disponível em: https://papouniversitario.anhembi.br/infografico-3/page/2/Acesso em 15/09/2017

6. Com base no gráfico elaborado sobre a taxa de publicação de posts e comentários na rede
social podemos entender que
a) Segunda tem maior volume de postagens por ser após o fim de semana.
b) Segunda é o dia com maior porcentagem de posts e comentários.
c) Sábado e domingo apresentam baixa porcentagem por ser final de semana.
d) Quarta tem chances de superar a segunda em pouco tempo.

D 15 – Identificar a tese de um texto.

Disponível em: https:// http://blog.pama.ind.br/wp-content/uploads/2016/05/cores.png. Acesso em 12/01/2018

8
7. A imagem acima apresenta algumas cores e o perfil de pessoas que são influenciadas por
elas. Além disso, há ainda uma relação entre tais cores e algumas marcas de empresas,
indicando o tipo de cliente que procura pelo que é oferecido por estes comerciantes. Nesse
sentido, qual a tese defendida neste infográfico?

8. Busque, em seu repertório de mundo, algumas marcas e compare-as com as que são
apresentadas no infográfico, lembrando de agrupá-las da mesma maneira em que as informações
estão organizadas lá.

9. Elabore um pequeno texto em que você concorda ou discorda da tese apresentada no


infográfico apresentado “consumidores compulsivos/consumidores racionais”.

D2 - Inferir informação em texto verbal.

http://lanceseulivro.com/wp-content/uploads/2015/08/Infogr%C3%A1fico-e1440281855499.jpg. Acesso em:


28/01/2018
9
10. O infográfico que você acabou de ler reflete sobre que tema?

11. Ainda a partir desse infográfico, podemos inferir que:


a) a região com maior número de leitores é a região sul.
b) o Brasil é um país de poucos leitores.
c) temos uma boa média de livros lidos por ano.
d) o sudeste é a região que menos lê.

12. Leia o infográfico a seguir:

http://sistemablox.com.br/site_principal_wordpress/wp-content/uploads/2016/10/piramide-blox-curto.jpg. Acesso em:


11/02/2018
De acordo com o que está na superfície do texto, o aluno aprende mais quando:
a) lê.
b) ouve.
c) pratica.
d) vê.

D 7- Diferenciar a informação principal das secundárias em um texto.

13. Essa constatação anterior nos permite afirmar que a ideia principal desse infográfico é:
a) levar os professores a refletir sobre a metodologia passiva.
b) mostrar aos professores que os alunos aprendem mais quando estão lendo.
c) promover uma análise das metodologias mais adequadas ao aprendizado.
d) provar que a escuta de palestras é pouco produtiva se comparada à leitura.

10
D16 - Estabelecer relação entre tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la.

14. Leia o texto a seguir

http://fappes.edu.br//wp-content/uploads/2016/04/infografico-treinamento-vs-educacao-corporativa.jpg. Acesso em
11/02/2018

Com base nas informações fornecidas nos gráficos, imagine em que contexto o treinamento é
mais adequado e em que contexto a educação corporativa pode ser a mais adequada?

TREINAMENTO EDUCAÇÃO CORPORATIVA

15. Explique o uso de ponto e vírgula nos textos desse infográfico.

11
PRODUÇÃO ESCRITA – P. E.

Caro aluno,
Nossa discussão neste módulo deu-se em torno do gênero Infográfico. Percebeu como é
interessante a produção desse gênero? Agora, você e seus amigos irão reunir-se para
produzir um material destes. Usem a criatividade, muitas cores, foquem no público-alvo
que, nesse contexto, serão os colegas e professores da sua escola.
O tema que escolhemos para essa produção é:

Número e tipos de obras literárias lidas nos anos 2015/2016/2017

ESTRUTURA DA PRODUÇÃO ESCRITA/GRÁFICA


PONTO DE 1º PASSO: PESQUISA SOBRE O ASSUNTO E
PARTIDA MONTAGEM DE UM PORTFÓLIO:
 Organizem um pequeno questionário que os
+ alunos orientará na busca das informações necessárias
- professor para a produção do material;
 Escolham o local da pesquisa, ou seja, se vai ser
na escola, em casa ou na rua;
 Montem um portfólio com o resultado de cada
questionário aplicado e, ao final desta etapa,
selecionem as informações consideradas
relevantes para o projeto de vocês.
POR DENTRO 2º PASSO: PRODUÇÃO DO RASCUNHO:
DO TEXTO LEMBREM-SE QUE ESTA VERSÃO DO TRABALHO É
+ alunos PROVISÓRIA.
+ professor  A partir das informações selecionadas, estruturem
o formato do infográfico. Procurem exemplos na
internet, vejam os que constam neste módulo ou
escolham outros formatos;
 Procurem figuras, pensem nos microtextos que
comporão a criação junto com as imagens,
pensem na posição dos elementos dentro do
formato escolhido;
 Montem o infográfico em papel A4 com a
orientação do professor.
3º PASSO: REVISÃO
Revisem seu infográfico, peçam ajuda ao professor,
troquem o material com os colegas para que eles revisem
o de sua equipe e você o da equipe deles.
PONTO DE 4º PASSO: PRODUÇÃO FINAL
CHEGADA  Corrijam os desvios encontrados na etapa da
+ alunos revisão;
- professor  Promovam alguma modificação no layout do
infográfico caso, nesta mesma etapa de revisão,
tenha sido decidida alguma modificação no
formato, nas cores, na posição das figuras.
 Finalizem a produção e aguardem a avaliação do
professor.

PARABÉNS A TODOS OS ENVOLVIDOS!


12
PRODUÇÃO ORAL – P.O

Turma,

A produção do portfólio e do infográfico foi importante para o desenvolvimento da


habilidade de produção textual escrita de vocês. Mesmo tendo um formato em que
predomina, algumas vezes, o uso da imagem (no caso do infográfico), esse material
(assim como o portfólio) exercita a capacidade de planejamento, organização lógica das
ideias para que elas não se repitam, retomem-se e progridam no alcance do projeto de
dizer.

Na oralidade, também deve ser assim, isto é, também devemos planejar o que falaremos!
Por essa razão, escolhemos um gênero oral que os ajudará a perceber como é importante
organizar a nossa fala para que nossos interlocutores tirem máximo proveito daquilo que
estamos a explicar.

O gênero escolhido para desenvolver essa habilidade foi o Seminário e o tema é a


importância do ato de ler na adolescência.

ESTRUTURA DA PRODUÇÃO ORAL


PONTO DE 1º PASSO: PESQUISA SOBRE O ASSUNTO E
PARTIDA MONTAGEM DE UM PORTFÓLIO:
 Pesquise sobre o gênero seminário na biblioteca
+ alunos da sua escola, na internet e com o professor;
- professor  Escolham a data de apresentação do seminário;
 Montem um painel com o papel atribuído a cada
membro da equipe no trabalho de preparar o
seminário.
POR DENTRO 2º PASSO: PRODUÇÃO DO RASCUNHO:
DO TEXTO LEMBREM-SE QUE ESTA VERSÃO DO TRABALHO É
+ alunos PROVISÓRIA.
+ professor  Estruturem o formato do seminário: fala introdutória
sobre o assunto, desenvolvimento do assunto e
fala de conclusão sobre o assunto. Assistam a
vídeos tutoriais no youtube, converse com quem já
apresentou um seminário;
 Definam as pessoas responsáveis por apresentar
cada parte no momento do seminário (1 pessoa
para a fala introdutória, 3 ou 4 para a fala central e
1 pessoa para a fala final sobre o assunto);
 Montem a estrutura da apresentação no caderno
ou em folhas de papel A4 antes de produzi-la no
power point.
3º PASSO: REVISÃO
Revisem o material da apresentação, peçam ajuda ao
professor.
PONTO DE 4º PASSO: PRODUÇÃO FINAL
CHEGADA  Corrijam os desvios encontrados na etapa da
+ alunos revisão;

13
- professor  Promovam alguma modificação no layout da
apresentação caso, nesta mesma etapa de
revisão, tenha sido decidida alguma modificação
no formato, nas cores, na ordem de apresentação.
 Finalizem a produção, apresentem-na no dia
marcado e aguardem a avaliação do professor.

PARABÉNS A TODOS OS ENVOLVIDOS!

Atividades Complementares

Encontramos nesse site: https://www.canva.com/create-a-design possibilidades de criação


de muitas coisas além de infográficos. Nesse caso, é só escolher o link que direciona para
produção de infográficos:
https://www.canva.com/design/DACucGELUF0/Mu0fi6cCUfzEkbWdeWWeQQ/edit?categor
y=tACFahzNhT4 e estimular a criatividade!

14
3. ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS

Professores, neste espaço, vocês terão todas as orientações de que precisam para
trabalhar os conteúdos inseridos neste caderno de atividades.
Bom Trabalho!

MÓDULO I – INFOGRÁFICO

15
ESTRATÉGIAS DE LEITURA PARA O GÊNERO SELECIONADO NA PRIMEIRA PARTE DA
ATIVIDADE

ETAPA 1 – ANTES DA LEITURA


Nesta etapa, três passos são importantes. O primeiro passo é definir um objetivo para a
leitura; depois, ativar os conhecimentos prévios e, por último, estabelecer previsões sobre o
texto.
Ao definir o objetivo da leitura, é necessário que o aluno compreenda os propósitos da
leitura, o que equivale a responder questionamentos como: Que tenho que ler? Por que tenho
que ler este texto?
No texto em questão, ele lerá um Infográfico sobre um tema de apreço de jovens de
várias idades: a rede social instagram e deverá identificar como o criador estruturou seu projeto
de dizer.
Para ativar os conhecimentos prévios, pode-se perguntar ao aluno: você tem instagram?
O que você sabe sobre essa rede social? O que podemos encontrar lá? Você tem muitos
seguidores? Qual é o propósito dessa rede social? Quem é o público-alvo dela?
Por último, é hora de estabelecer previsões sobre o texto. Inicialmente, pode-se dar uma
explicação geral sobre o que será lido. Isso não significa explicar o conteúdo, mas indicar o tema
aos alunos. Dessa forma, eles poderão relacioná-la a aspectos da sua experiência prévia e terão
um plano de leitura que indica o que têm de fazer com ela.
No texto lido, por exemplo, pode-se questionar se a maioria dos usuários são fotógrafos,
blogueiros ou apenas curiosos. E, em seguida, que tipo de assuntos as pessoas mais buscam
nessa rede social?

ETAPA 2 – DURANTE A LEITURA


Nesta etapa, o aluno deve ser orientado a direcionar a atenção para o que é fundamental
no texto. Assim, ele deve ler tendo em mente: que informação é essencial para que eu alcance o
meu objetivo de leitura? Que informações são pouco relevantes? As ideias expressas têm
coerência, ou seja, quem mais acessa essa rede? Quantas fotos são publicadas? As idades do
público presente a essa rede varia muito?
ETAPA 3 – APÓS A LEITURA
Nesta etapa, o professor deve propor a resolução de questões que considerem os níveis
literal, interpretativo e crítico.
Nível literal
1. Como estão organizadas as informações no gráfico?
2. Onde está apresentada a conclusão da pesquisa feita?
Nível interpretativo
1. Além de jovens que outra especificidade desse público que é maioria podemos citar?
2. É possível dizer que essa rede é a mais acessada?
3. Identifique no infográfico um argumento usado pelo criativo para provar que a rede ainda é
largamente usada para publicação de fotos.
Nível crítico
1. Em quê essa rede diferencia-se das demais?
2. Há uma proposta mais pop do que em outras redes?

16
DESCITORES USADOS NAS QUESTÕES

MÓDULO I
Questão Descritor Habilidade Tópico
Identificar os níveis de linguagem e/ou
01 D23 as marcas linguísticas que evidenciam VI
locutor e/ou interlocutor.
Inferir informação em texto verbal.
02 D2 I

Inferir informação em texto verbal.


03 D2 I

Inferir informação em texto verbal.


04 D2 I

Identificar o propósito comunicativo em


05 D10 diferentes gêneros. II

06 D1 Localizar informação explícita. I


07 D15 Identificar a tese de um texto. IV
08 D15 Identificar a tese de um texto. IV
09 D15 Identificar a tese de um texto. IV
10 D2 Inferir informação em texto verbal. I
Inferir informação em texto verbal.
11 D2 I

Inferir informação em texto verbal.


12 D2 I

Diferenciar a informação principal das


13 D17 secundárias em um texto. IV

Estabelecer relação entre tese e os


argumentos oferecidos para sustentá-
14 D16 IV
la.

Reconhecer as relações entre partes de


um texto, identificando os recursos
15 D14 IV
coesivos que contribuem para sua
continuidade.
16 D1- D23 PRODUÇÃO ESCRITA – P. E I-V
17 D1- D23 PRODUÇÃO ORAL – P. O I-V

17
COMÉNTÁRIO DAS QUESTÕES

1. GABARITO A. O aluno deve mostrar que reconhece a origem regional dos termos usados e
constatar que se trata de uma variedade linguística. Professor, converse com a turma sobre a
variedade linguística em nosso país.
2. Palavras como: quengo (cabeça), pé do ouvido (região próxima a orelha), os fato
(intestinos), beiços (lábios).
3. GABARITO B. Pelo que se apresenta no infográfico, o aluno deve ser capaz de inferir o
significado da expressão logística reversa, ou seja, de acordo com o ministério do meio ambiente:
“instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações,
procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao
setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra
destinação final ambientalmente adequada”.
4. Ainda sobre o mesmo material, o aluno deverá atentar somente à segunda parte do infográfico
e retextualizar, ou seja, tomará como texto motivador o que está produzido de forma multimodal
(informação pictórica e escrita) e produzirá um novo texto, ou seja, em modalidade apenas
escrita.
5. GABARITO D. O infográfico desta questão apresenta três gerações distintas e, para cada uma
delas, o significado dos elementos digitais listados na coluna da esquerda. Assim, o aluno deve
inferir que o objetivo do designer era refletir sobre como as diferentes gerações lidam com a era
digital.
6. GABARITO B. Aqui o objetivo é que o aluno leia o infográfico e a partir dessa leitura possa,
com base nas informações explícitas, dizer qual o horário mais nobre do facebook. Professor,
atente para o fato de que o GABARITO A apresenta uma suposta razão para o maior volume de
postagens nesse dia, bem como os itens C e D. Entretanto, com base no descritor selecionado,
queremos apenas a constatação da informação e não a dedução de informação.
7. O aluno deve deduzir qual a tese elaborada pelo autor deste infográfico, ou seja, deve esboçar
um raciocínio que seja próximo da ideia de que pessoas compulsivas são atraídas pelas cores
fortes por não serem afeitas a atividade de analisar antes de tomar uma decisão e, por isso, são
facilmente atraídas pelo que salta aos olhos. Ao passo que pessoas racionais, por gostar de
pensar bem antes de realizar uma compra ou investir dinheiro, são mais atraídas pelas cores
verde e azul marinho.
8. O aluno deve recorrer ao seu conhecimento de mundo sobre marcas, citar alguns exemplos
organizando estes exemplares do mesmo modo como está no infográfico, ou seja, marcas de
cores azul royal, laranja, vermelha e amarela de um lado e cores verde e azul marinho do outro
lado.
9. Com base na observação das marcas escolhidas para a questão anterior, deve elaborar um
pequeno texto concordando ou discordando da tese apresentada.
10. A partir da leitura do infográfico, o aluno deve apontar o tema desenvolvido por meio de
gráfico.
11. GABARITO B.
12. GABARITO C. Essa questão, professores, é para os alunos constatarem uma informação
presente na materialidade de modo que no próximo item, eles possam ir além da constatação.
13. GABARITO C. A partir da observação da melhor forma de aprender e da constatação que
alunos aprendem mais quando estão praticando, a reflexão central é a de que o infográfico leva
professores a refletir sobre dois tipos de metodologias existentes e qual dela s é a mais adequada
ao aprendizado.
18
14. A partir das diferenças de cada um, os alunos devem imaginar e citar situações mais
adequadas para cada tipo de treinamento mencionado.
15. O ponto e vírgula é usado nas seguintes situações: Representa uma pausa mais breve que
ponto, e mais longa que a vírgula. É usado para: separar orações de um período relativamente
extenso (ou não), sobretudo se uma das orações já tiver vírgula: Ex.: Chamo-me Inácio; ele,
Benedito. (M. Assis)/ b) separar orações coordenadas assindéticas: Ex.: Não sabe mostrar-se
magoada; é toda perdão e carinho. (M. Assis)/ c) substituir a vírgula em orações adversativas e
conclusivas, acentuando o sentido adversativo ou conclusivo: Ex.: Se ele não acreditava,
paciência; mas o certo é que a cartomante adivinhara tudo. (M. Assis). A partir dessa amostragem
de regras, professores, reflitam qual é o contexto construído no infográfico e mostrem o motivo do
uso dessa pontuação.
16. (PRODUÇÃO ESCRITA) Professor, divida a turma em equipes, oriente a produção de 1
(um) infográfico por equipe, acompanhe o processo criativo e, ao final, organize um espaço na
escola para exposição destes trabalhos. O assunto é de interesse coletivo e pode estimular ao
fortalecimento dos ciclos de leitura. Durante a etapa de revisão, professor, sugira categorias para
os alunos observarem nos trabalhos dos colegas de acordo com o conteúdo gramatical abordado
no bimestre: uso das vírgulas, acentuação das palavras, uso da crase, concordância
sujeito/predicado.
17. (PRODUÇÃO ORAL) Professor, mantenha a turma nas mesmas equipes da produção
escrita, oriente a reutilização do infográfico produzido por eles, acompanhe o processo criativo e,
ao final, faça comentários acerca do trabalho de cada equipe. Nesse comentário você deve
pontuar a desenvoltura dos alunos durante a apresentação, a postura de corpo e fala e o
engajamento na atividade. Comente também sobre a qualidade do conteúdo apresentado.

19
4. REFERENCIAL TEÓRICO

Sobre gênero textual


Nosso trabalho está elaborado em torno de uma área muito interessante e que tem tudo a
ver com o que queremos: escrever melhor, falar melhor, compreender melhor! Sendo assim,
vamos estudar com base nos Gêneros Textuais. Com eles vamos aprender um pouco sobre a
estrutura e o funcionamento de alguns textos que circulam em nossa vida.
Muitos trabalhos foram produzidos nessa área específica da linguagem. A riqueza de
pesquisas se dá pelo simples fato de que os Gêneros Textuais fazem parte do dia-a-dia de todos
nós, melhor dizendo, estão em toda parte. Quando vamos à escola, à lanchonete, ao médico, a
uma agência de viagens e conversamos com os amigos estamos usando e tratando com gêneros
textuais. A aula, o cardápio, a receita culinária, a bula de remédio, o anúncio, o roteiro de viagens,
os bate-papos nas redes sociais, as mensagens de celular todos esses textos são gêneros e
cada um faz parte de uma esfera de comunicação específica.
A mesma coisa se dá nas várias profissões que podemos escolher. Ao desempenhar
determinado cargo, somos levados a produzir inúmeros tipos de documentos e para as mais
variadas necessidades: relatórios de pesquisa e de produção, cartas, pedidos, artigos, receitas e
tudo o mais que for necessário à comunicação eficaz e à concretização de procedimentos.
Se o texto, ou seja, o gênero for mal produzido pode ocorrer uma falha na comunicação e
com isso a intenção comunicativa não ser alcançada. Imagine como seria embaraçoso para uma
agente de viagem tentar vender um roteiro turístico e não ter à mão um folder bem organizado,
com fotos, informações sobre os principais pontos de visitação e dicas para chamar a atenção do
cliente? Certamente, seria muito mais difícil de conseguir convencer o cliente a visitar aquele
destino ou mais ainda, a vendedora falharia na sua intenção de vender o pacote de viagem. O
mesmo poderia acontecer se para fazer um prato especial para o almoço de domingo, a
cozinheira se orientasse por um anúncio de comida e não por uma receita, o anúncio poderia até
exibir um bom prato feito, mas não diria como chegar a esse resultado o que tornaria muito mais
complicada a tarefa de cozinhar.
Agora vocês já devem estar se dando conta da importância que tem escrever com um
objetivo bem definido e da maneira mais adequada; bem como recorrer ao gênero certo ou o mais
indicado para determinado propósito.
Nesse sentido, antes de passarmos ao primeiro gênero do nosso caderno, vamos tomar
algumas ideias básicas que nos ajudarão a entender o funcionamento geral desse modo de
comunicação.
Como já vimos antes, o contato com os textos da vida cotidiana, como anúncios, avisos,
artigos de jornais, catálogos, receitas médicas, manuais de instrução exercita nossa capacidade
de construir e detectar textos. Quanto mais lemos e escrevemos, mais nos tornamos aptos a
escrever e a falar bem, ou seja, ganhamos mais intimidade com os gêneros textuais. E ainda tem
mais, ao estudar os gêneros desenvolvemos nossa identidade cidadã, já que aprendemos a lidar
melhor com o mundo.
O número de gêneros é infinito porque tem a ver com a comunicação cotidiana, hoje
podem ser 200 ou 300, mas amanhã podem ser 600 e até mais. Quanto mais situações
comunicativas surgirem, mais gêneros surgirão. Por exemplo, antes do aparecimento da internet
não havia o e-mail, nem o bate-papo virtual, hoje em dia temos o gênero e-mail, o gênero chat, os
posts do facebook e as mensagens instantâneas do whatsapp.
Levando essa diversidade em conta, é possível percebermos que todo gênero tem
características próprias, mas que nem por isso devemos nos prender a elas como se um texto só
20
pudesse ser um texto se dispuser de características rígidas de identificação. Por exemplo, um
poema só poderia ser considerado como um poema se contiver rima, vier em estrofes e falar de
amor. Como se vê, não é bem assim, haja vista todos os tipos e temas de poemas existentes.
Dessa forma, devemos ter em mente que as características servem para identificar com
mais facilidade um determinado gênero e não para prendê-lo àquele formato. Se não fosse assim,
o que seria da poesia concreta?
Um mesmo gênero pode mudar conforme o tempo, a circunstância e o interesse pessoal.
Você deve estar se perguntando: Como assim? É simples, vejamos o exemplo da carta pessoal.
Antigamente, a carta pessoal era usada pela sua avó, mãe, tia para se comunicar com outros
parentes, com amigos e até namorados.
As características dessa carta eram: local, data, saudação, texto da carta, despedida.
Porém, nem sempre eram feitas da mesma forma, a saudação varia de acordo com o
destinatário, assim como a despedida, umas poderiam ter desenhos, serem perfumadas,
coloridas, entre outras adaptações. Todas essas modificações variavam de acordo com o
interesse de quem escrevia e para quem se escrevia.
A evolução da carta pessoal pode ser vista no e-mail. Ele substituiu as idas ao correio, a
preocupação com selos e com as datas de chegada. Agora, tudo é mais rápido e prático é só
escrever e clicar no botão “enviar” que está resolvido. Em poucos instantes o seu destinatário
estará lendo a sua comunicação, que poderá ser mais formal ou não, cheia de carinhas, letras
coloridas, imagens, links...a única coisa que ainda não é possível fazer é perfumar o e-mail como
a sua tia fazia com as cartas que mandava para o seu tio.

21
MÓDULO I - INFOGRÁFICO

Gênero textual usado para explicar ou informar sobre um assunto e que usa como recurso a
junção da informação escrita com a visual (imagem). Atualmente, os infográficos são muito
usados nos jornais, nos sites, nas revistas e em manuais técnicos, científicos e didáticos.
Você sabia que os mapas também são infográficos?
Para que se compreenda melhor a lógica por trás desses gêneros, vamos observar o que diz
Silva (2005 apud TEIXEIRA, 2011, p. 25), “a rigor, tudo o que puder ser dito sob a forma de
quadro, mapa, gráfico ou tabela não deve ser dito sob a forma de texto”. Assim, podemos
entender que quando quisermos informar alguém de algo e quisermos adotar um recurso que use
imagem e palavra de modo a ficar tudo mais sucinto, escolheremos o infográfico. Isso explica
porque a partir de 1995, com a popularização da internet e dos programas de interface gráfica, o
uso da infografia se consagrou como um dos melhores modos de expressar uma informação.

Professor, para este módulo, siga o planejamento anexo a este módulo com estratégias para o
antes, o durante e o depois da leitura tendo como base o texto a seguir.
Além de usar o exemplo que consta neste material, proponha a leitura de outros infográficos.
Assim, os alunos poderão perceber a liberdade de criação que existe na elaboração de
infográficos.
Texto I

Texto I: Disponível em: https://markeninja.com.br/infografico-ganhe-links-e-mencoes/ Acesso em: 01 set. 2017.

22
Características gerais dos infográficos:

 São um meio de informação que combina imagens e palavras.


 Atuam como matérias jornalísticas independentes.
 São personalizados, visualmente, de acordo com o tipo de tema, com a área de atuação
e ainda conforme o público-alvo a ser abordado.
Tipos de infográficos:

 Estáticos: Os dados precisam ser bem organizados e, geralmente, existe bastante


informação textual nos infográficos estáticos.

 Animados: a locução explicativa é aliada aos recursos visuais animados para explicar

 Interativos: O infográfico deve ser manipulável pelo usuário, de forma que ele consiga
“passear” pelas informações do infográfico por conta própria.
Criando infográficos

Foco: para criar o seu infográfico, inicialmente você deve ter em mente qual o seu objetivo, pois
definir o que você quer ou precisa informar é o primeiro passo.
Pesquisa: em seguida, é hora de buscar informações para criar seu infográfico.
Seleção: depois da pesquisa feita, comece a selecionar informações, ou seja, escolha aquelas
que darão mais visibilidade e informe de maneira mais explicativa e objetiva sobre o tema
escolhido.
Redação: esse é o momento de organizar as informações que você escolheu em função de seu
objetivo de comunicação.
Rascunho: Rascunhe as imagens, colocando-as nos espaços onde ficarão no produto final.
Organizar as coisas agora facilita os trabalhos que vem a seguir.
Execução: Hora de construir seu infográfico.

Professor, atente para o fato de que, ao trabalhar as questões propostas neste caderno,
além de abordar a compreensão do texto, você também estará contemplando alguns
descritores da Matriz de Referência de Língua Portuguesa do Spaece conforme a
tabela colocada em item anterior a este – ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
.

23
REFERÊNCIAS
Livros

BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Companhia José Aguilar Editora,
1974)

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 9. ed. Trad.: Michel Lahud e Yara Frateschi
Vieira. São Paulo: Hucitech, 2002.

______. Estética da criação verbal. 3. ed. Trad. a partir do francês: Maria Hermantina Galvão.
São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa para o 3º e 4º Ciclos do


Ensino Fundamental. Secretaria de Educação Fundamental: Brasília, MEC/SEF, 1998.

COSTA, M. H. A. Linguagem como interlocução e aprendizagem como cognição situada (inédito).

______. Acessibilidade de referentes: um convite à reflexão (Tese de Doutorado em Linguística).


Fortaleza: UFC, 2007.

______. Abordagem pedagógica de gênero para a competência discursiva: caracterização ou


uso?. In: PONTES, A. L.; COSTA, M.A.R. Ensino de língua materna na perspectiva do discurso:
uma contribuição para o professor. Fortaleza:

MARCUSCHI, L. A. O papel da lingüística no ensino de línguas. In: Investigações Lingüísticas e


Teoria Literária, Recife, v. 13/14, 2001. p. 187-218.

OLIVEIRA, Pedro Antônio. Gente é bicho e bicho é gente. Diário da Tarde. Belo Horizonte, 16 out.
1999.

Sites

ANÚNCIO 1. Disponível em: https://designsaline.files.wordpress.com/2011/08/ecologia-


cc3b3pia.jpg. Acesso em 10/02/2018

ANÚNCIO 2. Disponível em: https://gilmar.blogosfera.uol.com.br/Acessado em 12/09/217

ANÚNCIO 3. Disponível em: http://tiagoxpressao.blogspot.com.br/2011/05/linguagem-


ambiguidade.html. Acesso em 17/10/2017

ANÚNCIO 4. Disponível em: https://www.estudokids.com.br/anuncio-publicitario. Acesso em


10/01/2018

ANÚNCIO 5. Disponível em: https://paulamoreira.wordpress.com/2009/09/07/importancia-da-cor-


no-anuncio-publicitario. Acesso em 28/01/2018

ANÚNCIO 6. Disponível em: http://www.filologia.org.br/vcnlf/anais%20v/foto1.jpg. Acesso em


25/01/2018

ANÚNCIO 7: Disponível em: http://www.empregosararaquara.com.br/. Acesso em 17/01/2018.

24
ANÚNCIO 8: Disponível em: http://www.empregosararaquara.com.br/. Acesso em 17/01/2018.

COMO usar gêneros. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-


pedagogica/generos-como-usar-488395.shtml . Acesso: 10 fev. 2018

GRAMÁTICA. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-


pedagogica/gramatica-decoreba-423568.shtml. Acesso: 20 jan. 2018.

INFOGRÁFICO 1: Disponível em: https://markeninja.com.br/infografico-ganhe-links-e-mencoes/


Acesso em: 01 set. 2017

INFOGRÁFICO 2. Disponível em: https://soudonordeste.com.br/Acessado em :12/09/2017

INFOGRÁFICO 3. Fonte: http:// http://amaguaiba.org/2014/12/05/studio-ama-residuos-perigosos-


e-logistica-reversa-2/ Acesso em: 20/09/2017

INFOGRÁFICO 4. Disponível em: https://papouniversitario.anhembi.br/infografico-


3/page/2/Acesso em 15/09/2017

INFOGRÁFICO 5. Disponível em: https://papouniversitario.anhembi.br/infografico-


3/page/2/Acesso em 15/09/2017

INFOGRÁFICO 6. Disponível em: https:// http://blog.pama.ind.br/wp-


content/uploads/2016/05/cores.png. Acesso em 12/01/2018

INFOGRÁFICO 7. http://lanceseulivro.com/wp-content/uploads/2015/08/Infogr%C3%A1fico-
e1440281855499.jpg. Acesso em: 28/01/2018

INFOGRÁFICO 8. http://sistemablox.com.br/site_principal_wordpress/wp-
content/uploads/2016/10/piramide-blox-curto.jpg. Acesso em: 11/02/2018

INFOGRÁFICO 9. http://fappes.edu.br//wp-content/uploads/2016/04/infografico-treinamento-vs-
educacao-corporativa.jpg. Acesso em 11/02/2018.

PROMOVER uma aula baseada no conceito de gênero textual permite o desenvolvimento


da identidade cidadã de nossos alunos ... (http://landeira-
educablog.blogspot.com/2009/11/generos-textuais-na-sala-de-aula-entre_2459.html)

25