Você está na página 1de 35

Curso de Agronomia

Campus Itaqui

PESTICIDAS: USOS E RISCOS A


SAÚDE E AO MEIO AMBIENTE

Vagner Guesser,Lucas Telles,Giovane Burg, Wolnei Junior, Anelise


Lencina,Fernanda Damiani, Mariane Trindade,Bruno Dias e
Cristiano Ferreira.
1
1.INTRODUÇÃO

• 8,9 bilhões de pessoas no mundo, até 2050


.Miller (2007);

• Maior Produção de Alimentos;

• Maior Uso de Tecnologias;

• Maior Uso de Pesticidas(agrotóxicos e


inseticidas);

2
• Brasil um dos maiores consumidores de
Pesticidas do mundo,16 % do uso Mundial;

• Segundo o Ministério de Agricultura, Pecuária e


Abastecimento (MAPA), a venda de pesticidas
aumentou em 190 % de 1999 a 2004.

• Mas afinal o que são Pesticidas?

3
2.DESCRIÇÃO DO TEMA
• PESTICIDAS: São substancias químicas, naturais ou
sintéticas, utilizadas com intuito de controlar ou
eliminar pragas e invasoras prejudiciais a
agricultura ou pecuária. SABIK. et.al; 2000.

• Mais usados são Herbicidas e Inseticidas;

• Introduzidos entre 1939-1945 na Segunda Guerra


Mundial.

• Introdução no Brasil ocorreu na década de


70,através do DDT(Dicloro-Difenil-Tricloroetano).

4
• Indispensáveis a atividade agrícola;

• Por outro lado,causadores de contaminações em


humanos e meio ambiente;

5
3. IMPACTOS DOS PESTICIDAS

• 3.1.NA SAÚDE HUMANA.

• Causador de Intoxicações:

• -Aguda;

• -Crônica;

6
INTOXICAÇÃO AGUDA
• sintomas são rápidos ,nítidos e objetivos.

• Fraqueza,Tonteiras,Vômitos,Dor de
Cabeça,Perda de Apetite,Suor,Sangramento
Nasal,Desmaios.Etc...

7
INTOXICAÇÃO CRÔNICA

• surgimento tardio, após meses ou anos;

• acarretando danos irreversíveis.

• Lesões Hepáticas,Lesões Renais,Asma


Brônquica,Doença de Parkinson,Cânceres.

8
3.1. CAUSAS DAS INTOXICAÇÕES

• Falta de Assistência técnica;

• Uso de Produtos Proibidos;

• Negligência dos trabalhadores;

• Falta de Conhecimento (clima,produto);

• Não uso de EPI (Equipamento de Proteção


Individual)
9
Resíduos em Alimentos(contaminação Indireta)

10
11
12
13
14
3.2. IMPACTOS AO MEIO
AMBIENTE

• Direto;

• Indireto;

15
Direto:
• Derramamento de produto no preparo da calda,

• Descarte irregular de embalagens,

• Aplicação em dias impróprios;

• Excesso de produto ou aplicações constantes;

• Lavagem inadequada em locais impróprios dos


vasilhames; 16
Indireto:

• Ação residual do produto no solo.

• Erosão e escorrimento superficial.

• Adsorção do Produto ao solo;

17
18
19
20
4.REMEDIACAO DOS SOLOS E
AGUA

• Dois métodos difundidos no Brasil

• BIORREMEDIACAO

• FITORREMEDIACAO

21
4.1. BIORREMEDIACAO

• Habilidade de biotransformação que


microrganismos possuem em remover, degradar
ou tornar inócuos os contaminantes orgânicos.

• Grande crescimento, tecnologia praticamente


desconhecida para uma tecnologia considerada
aplicável a um largo espectro de
contaminações.
22
4.1.1. VANTAGENS
• Biodegrada substâncias perigosas ao invés
de apenas transferir o contaminante de
um meio para outro.

• Produtos utilizados não apresentam risco


ao meio ambiente e não são tóxicos

• Tratamento de resíduos considerados de


difícil degradação
23
4.1.2. DESVANTAGENS

• Não é uma solução imediata

• Acompanhamento durante o processo

• Muitas moléculas não são biodegradáveis

• Substâncias tóxicas ao microorganismo


inviabiliza o tratamento

24
4.2. FITORREMEDIACAO

• O termo fitorremediação (do grego phyton =


planta) aplica-se à utilização de plantas com a
finalidade de remover ou minimizar substâncias
tóxicas no ambiente.

25
4.2.1.VANTAGENS
• Menor custo,não precisa-se remover o solo.

• Mesmos equipamentos usados na agricultura.

• Degrada em CO2 e H2O, não havendo necessidade


de retirada das plantas.

• Plantas são mais fáceis de ser monitoradas

• As propriedades biológicas e físicas do solo são


mantidas e até melhoradas

26
• Fixação de nitrogênio atmosférico, no caso de
leguminosas;

• Plantas ajudam no controle do processo erosivo,


eólico e hídrico.

• Reduz a lixiviação.

• Utiliza energia solar para realizar os processos;

• Tem alta probabilidade de aceitação pública.

27
4.2.2. DESVANTAGENS
• Dificuldade na seleção de plantas para
fitorremediação.

• O tempo requerido para obtenção de uma


despoluição satisfatória pode ser longo.

• O contaminante deve estar dentro da zona de


alcance do sistema radicular;

28
• Clima e condições edáficas podem restringir o
crescimento de plantas fitorremediadoras;

• Elevados níveis do contaminante no solo podem


impedir a introdução de plantas no sítio
contaminado;

• Possibilidade de a planta fitorremediadora


tornar-se planta daninha;

29
Eucalyptus grandis e citriodora (DDT)

30
Pontederia cordata (SIMAZINE)

31
Canavalia ensiformes – Feijão de Porco
(Trifloxysulfuron Sodium )

32
5. CONCLUSÃO

• Os pesticidas são indispensáveis no processo de


produção do meio rural

• Aumento na produção agrícola com o uso


adequado

• Novas tecnologias têm sido desenvolvidas,para


degradar compostos tóxicos

33
• Manejo Sustentável aliados com padrões de
qualidade.

• Maior controle no processo produtivo;

• Para melhor aproveitamento dos recursos;

34
• OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

35