Você está na página 1de 172

Estudo de Romanos pela Internet

Nosso querido Pr. Ary Velloso faleceu em 25/04/2012. Sentiremos saudades deste autêntico
professor que vivia plenamente o que ensinava... tive o privilégio de conviver e aprender
pessoalmente com ele..Seu maior legado: levar Deus e Sua Palavra a sério! Sigamos seu
exemplo. Andréa

DESAFIO VOCÊ A ESTUDAR O LIVRO DE ROMANOS DA SEGUINTE FORMA:


 Receberá as 49 lições num único e-mail - gratuitamente.
 Responderá a várias perguntas durante o estudo,
porém NÃO as enviará para nós. Será um processo de auto-avaliação!
 Terá que se compromissar a fazer as tarefas pedidas, e “pagar o preço” de investir tempo
nisto! Este compromisso será entre você e Deus!
Este estudo pela internet tem se tornado uma benção muito grande na vida de muitos, já são
mais de 5.000 participantes em 35 países. É impossível estudar Romanos e ser a mesma
pessoa! O Reino lucrará muito com sua participação e você também!

Aceitando o desafio, eis aqui a primeira tarefa:


Ler os capítulos 1, 2 e 3 - três vezes da seguinte forma...
1º. Leia
Isto pode parecer óbvio, mas muitos “leitores” são apenas folheadores, viram as páginas da
mesma maneira com que trocam os canais no aparelho de televisão, procurando algo que lhes
desperte o interesse.
A Palavra de Deus não se presta a este tipo de abordagem, ela requer um esforço consciente
e concentrado, sendo assim, leia as mesmas porções da Bíblia repetidas vezes, quanto mais
você as ler, mais claras se tornarão.

2º. Registre
Anote o que vê no texto, mantenha um registro de suas opiniões e dúvidas. Você pode até
pensar que o que tem a escrever “não é muito bom”, mas comece onde está, mesmo com as
coisas mais elementares, mas... certifique-se de escrever.
Use um bloquinho ou caderno para registrar com suas próprias palavras o que vê, resuma suas
observações e opiniões para que mais tarde venham à sua mente. Isso o ajudará a lembrar-se
do que descobriu e a usá-lo.

3º. Reflita
Reserve algum tempo para pensar sobre o que viu. Pergunte a si mesmo:
 O que está acontecendo nesta passagem?
 O que ela está me dizendo sobre Deus?
 E sobre mim?
 O que preciso fazer, baseado no que estou lendo?
A reflexão é vital para entender e aplicar a Palavra de Deus!

Você gostaria de começar a aproveitar melhor o seu tempo nas Escrituras? Cultive estes três
hábitos que aumentarão sua produtividade. Use-os todas as vezes que abrir sua Bíblia.
(“Vivendo na Palavra” - Howard e William Hendricks – Ed. Batista Regular)Não perca esta
oportunidade. Participe! Em Cristo, Ary Velloso (in memoriam)
LIÇÃO 1
ROMANOS
TESTE INICIAL
Meu propósito é guiá-lo num estudo pessoal deste precioso livro que certamente será
uma benção para você e os seus. Estudando Romanos sua vida nunca mais será a mesma...
você se tornará uma pessoa cada vez melhor!
As lições serão enviadas semanalmente, porém não há um tempo determinado para você
terminar cada uma delas, faça e refaça conforme sua possibilidade.
O aproveitamento que você terá de Romanos será proporcional ao tempo que investir no
estudo.
Quero lembrá-lo que não poderemos responder suas perguntas. Grato por acompanhar-
me neste estudo.

VAMOS À LIÇÃO... Aqui está um teste para você avaliar o seu conhecimento de Romanos,
assim você estará ciente do quanto já sabe ou não.
O objetivo deste é levá-lo a se empenhar com mais dedicação ao estudo.
 Não consulte a Bíblia, dicionário ou qualquer livro.
 Não tente adivinhar, responda se tiver convicção.
 Não nos envie seu teste, pois não haverá correção ou gabarito.
Responda, imprima e guarde para no decorrer do estudo você ver o quanto melhorou...
TESTE INICIAL
A. Complete
Romanos foi escrita na cidade de ______________, por ____________, tendo como
amanuense _____________, no ano ______________.
(0,5 para cada resposta certa. Total = 2).

B. Cite os capítulos relacionados seguindo o exemplo...Capítulo 5: Frutos da justificação


Capítulo _____: Renovação da mente
Capítulo _____: Depravação do homem
Capítulo _____: Obediência às autoridades
Capítulo _____: Virtudes recomendadas
Capítulo _____: Coisas duvidosas
Capítulo _____: Predestinação
Capítulo _____: O velho homem
Capítulo _____: O evangelho da justificação pela fé
Capítulo _____: A incredulidade dos judeus
Capítulo _____: A tolerância para com os fracos na fé
Capítulo _____: Os dons espirituais
Capítulo _____: Abraão e Davi
Capítulo _____: A resposta de Paulo às objeções
Capítulo _____: “O justo viverá pela fé”
Capítulo _____: Justificação
Capítulo _____: “Se Deus é por nós quem será contra nós”
Capítulo _____: Os julgamentos de Deus
Capítulo _____: “Não há justo, nem um sequer”
Capítulo _____: O desejo de Paulo de ir a Roma
Capítulo _____: Salvação não é pelas obras (0,25 para cada resposta certa. Total = 5).
C. Sintetize numa frase, o conteúdo dos capítulos:
Cap. 8 - ____________________________________________________
Cap. 12 - ___________________________________________________
Cap. 3 - ____________________________________________________
Cap. 1 - ____________________________________________________
Cap. 5 - ____________________________________________________
(0,3 para cada resposta certa. Total = 1,5)

D. Defina sem consultar o dicionário...


1. Justificação
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

2. Paz
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

3. Evangelho
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

4. Redenção
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

5. Propiciação
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

(0,3 para cada resposta certa. Total = 1,5).

Como você se saiu?


Se tirou 10, eu gostaria de aprender Romanos com você!
Será que você precisa estudar mais? Se tirou nota baixa não se preocupe, até o final você vai
brilhar... dependendo da sua dedicação ao estudo!

Deois de salvar as lições em seu computador, imprima uma cópia e arquive, assim você
terá uma apostila no final do curso.

Quem sabe você irá ensinar Romanos muitas e muitas vezes...


Não diga como Moises: “Quem sou eu?!”

Em Cristo,

Ary (in memoriam)


LIÇÃO 2
ROMANOS

INTRODUÇÃO E ESBOÇO

Estou feliz que você esteja pronto para estudar Romanos!


Minha oração por você é aquela do Salmo 119:18...
"Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei"
Se eu tivesse que ir para uma ilha distante e só pudesse levar um único livro da Bíblia,
certamente eu levaria Romanos, pois este é ao meu ver a obra mais importante que Paulo
escreveu. Foi elaborada como se ele estivesse escrevendo para uma assembléia composta só
de advogados, promotores e juízes, professores, profissionais liberais, gente pensante como
você.

É um documento preciso e profundamente lógico. Com freqüência você encontra as palavras


conclusivas como: “pois”, “portanto”, etc. Muitas vezes ele levanta as objeções que os seus
leitores teriam e ele mesmo já as responde antecipadamente para então concluir o seu
pensamento, não deixando margem para questionamento, o capítulo 3 é um bom exemplo
disto.

Paulo escreveu Romanos pouco antes de sua visita a Jerusalém, quando levou as ofertas das
congregações gentias (veja Rm 15:25 e Atos 24:17).
Várias indicações sugerem que durante este tempo ele residia em Corinto na Grécia, onde
ficou “muitos dias” (Atos 18:11). Teria escrito então durante sua segunda viagem, entre o fim
de 55 DC e os primeiros meses de 57 DC.
Veja também I Cor. 1:14, Atos 19:22, Atos 20:2-3, II Tim 4:20.

Neste livro ele procura responder perguntas feitas por milhões de pessoas através dos séculos,
tais como:

 Como pode alguém se relacionar com Deus?


 Minha vida íntegra garante a minha salvação?
 A religiosidade pode salvar uma boa pessoa?
 Como alguém pode ter certeza de ir para o céu?
 Uma pessoa correta, que só faz o bem, vai se salvar?
 E a pessoa que não conhece a Deus, como fica?
 E o Índio? E o Judeu? E o Papa? E o Pastor?
 Entre tantas religiões, qual delas é a verdadeira?

Meu desejo é que ao final do estudo você saiba responder cada uma delas!
Esboço de Romanos

Tarefa...
1. Aprenda decor as 6 palavras: Problema, Solução...etc.
2. Guarde as referências como aparece no gráfico, assim você terá todo o Esboço na ponta da
língua...
 caps. 1-3 => Problema
 caps. 3-4 => Solução (note que começa em 3:21... "Mas agora")
 caps. 5-8 => Vida
 caps. 9-11=> Israel
 caps. 12-14=>Conduta
 caps. 15-16=>Conclusão Não se preocupe! No final do estudo o esboço fará
sentido.
LIÇÃO 3
ROMANOS 1

O GENTIO PECA

Estou partindo do ponto que você já leu o livro todo e agora está se concentrando nos 3
primeiros capítulos, ou seja, até 3:20!

Você já decorou o esboço de Romanos?


 Quais são as 6 grandes divisões?
 Qual o assunto do capítulo 2?
 E do 8? E do 12? E do 16? E do 1? É preciso saber todos!
 De que fala Paulo nos capítulos 9 a11? E de 1-3? Uma palavra só!
Agora confira com o Esboço. Como você se saiu?

Lembre-se que como em qualquer estudo, o aproveitamento que você terá de Romanos será
proporcional ao tempo que investir!

Tenha um caderno para você ir tomando notas. Bombardeie o texto com perguntas como
Quem? Como? Aonde? Por quê? Quando?

Veja o esboço do capítulo 1...

I. Paulo apresenta a si mesmo - v.1

II. Paulo apresenta o seu assunto: O Evangelho - vs. 2-7


a) profetizado no Velho Testamento - v.2
b) cumprido no Novo Testamento em Jesus Cristo - vs. 3-4
c) oferecido ao mundo - vs. 5-7

III. Paulo apresenta o seu propósito - vs. 8-17


a) em relação a eles - vs. 8-13
b) em relação ao Evangelho - vs. 14-17

IV. Paulo apresenta o Problema: o Pecado - vs. 18-32

Vamos ao estudo...
I. Paulo apresenta a si mesmo - v.1
“Paulo, servo de Cristo Jesus, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de
Deus”

II. Paulo apresenta o seu assunto: o evangelho - vs.2-7

a) profetizado no Velho Testamento - v.2


“o qual foi prometido por Ele de antemão por meio dos seus profetas nas Escrituras Sagradas”

Veja Gênesis 3:15 e Isaías 53


b) cumprido no Novo Testamento em Jesus Cristo - vs. 3-4
“acerca de seu Filho, que, como homem, era descendente de Davi, e que mediante o Espírito
de santidade foi declarado Filho de Deus com poder, pela sua ressurreição dentre os mortos:
Jesus Cristo, nosso Senhor”

Nestes versículos Paulo ressalta:


 a humanidade de Jesus: “descendente de Davi”
 a divindade de Jesus: “Filho de Deus”

c) oferecido ao mundo - vs. 5-7


“por meio dele e por causa do seu nome, recebemos graça e apostolado para chamar dentre
todas as nações um povo para a obediência que vem pela fé.
E vocês também estão entre os chamados para pertencerem a Jesus Cristo.
A todos os que em Roma são amados de Deus e chamados para serem santos: A vocês, graça
e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.”

III. Paulo apresenta o seu propósito - vs.8-17

a) em relação a eles - vs. 8-13

Visitá-los: vs. 8-10...


“Antes de tudo, sou grato a meu Deus, mediante Jesus Cristo, por todos vocês, porque em
todo o mundo está sendo anunciada a fé que vocês têm. Deus, a quem sirvo de todo o coração
pregando o evangelho de seu Filho, é minha testemunha de como sempre me lembro de vocês
em minhas orações; e peço que agora, finalmente, pela vontade de Deus, seja-me aberto o
caminho para que eu possa visitá-los”

Fortalecê-los: vs.11...
“Anseio vê-los, a fim de compartilhar com vocês algum dom espiritual, para fortalecê-los”

Ter frutos: vs.12-13


“...isto é, para que eu e vocês sejamos mutuamente encorajados pela fé. Quero que vocês
saibam, irmãos, que muitas vezes planejei visitá-los, mas fui impedido até agora. Meu propósito
é colher algum fruto entre vocês, assim como tenho colhido entre os demais gentios.”

b) em relação ao Evangelho - vs. 14-17

V. 14 - Sua paróquia é o mundo, incluindo todas as classes sociais e intelectuais.


“Sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes”

V. 15 - Sua disposição é total!


“Por isso estou disposto a pregar o evangelho também a vocês que estão em Roma”

Vs. 16-17 - Seu evangelho é uma dinamite!


“Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele
que crê: primeiro do judeu, depois do grego. Porque no evangelho é revelada a justiça de
Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: “O justo viverá pela fé”
Perguntas...
1. O que você aprendeu sobre o autor e os destinatários desta carta?

2. O que você aprendeu sobre a origem do evangelho?

3. Evangelho significa “Boas Notícias”. Qual é o seu conteúdo? Veja I Cor. 15:3-4.

4. Você já conhece a graça que Paulo menciona no v.7?

5. E a paz? Paz aqui, não é ausência de guerra ou conflito, mas aquela deliciosa paz interior,
que você possui mesmo no meio das lutas e dificuldades.
Veja João 14:27.

6. Em relação aos versículos 8 a 15...


 Qual parece ser o propósito de Paulo ao escrever para os irmãos em Roma? (inclua os
versículos 5 e 6).

 Que tipo de relacionamento Paulo está procurando estabelecer com os Romanos? Como
ele faz isto?

 O que Paulo menciona especificamente nestes versos (8-15)?

 Por que muitas vezes Paulo se propôs ir até Roma?

 Quando você vê um pecador, sente-se devedor a ele ou acha que está fazendo um favor
quando lhe fala de Jesus?

 Como você acha que Paulo se sentia?

 Você pode dizer como Paulo diz no v.15?

 Você está pronto(a) a anunciar o evangelho? Em que sentido?

 Você está num consultório aguardando ser atendido(a), alguém se senta ao seu lado, como
você poderá iniciar uma conversa sobre Cristo?

 Ao término de uma reunião, três ou quatro pessoas estão alí falando sobre a economia do
país, como você fará uma ponte para comunicar o evangelho de uma maneira atraente,
cativante, sem chatice nenhuma?

 Que literatura que você sempre leva no bolso para não perder boas oportunidades que
Deus já preparou para você?

 Um bom soldado de Jesus Cristo anda sempre municiado.

Tenha uma ótima e abençoada semana, lembrando que Romanos 8:18 hoje é uma esperança,
mas um dia será realidade!
LIÇÃO 4
ROMANOS 1
O GENTIO PECA

Paulo começa agora a mostrar-nos o quão corrupto é o coração humano, o profeta Jeremias
no capítulo 17:9 já diz:
“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto, quem o
conhecerá?”
Vejamos se é de fato...

IV - Paulo apresenta o Problema: o Pecado – vs. 18-32

A ira de Deus se manifesta porque o homem:


1. DETÉM a verdade pela injustiça v.18
2. DESPREZA os atributos de Deus vs. 19-20
3. DESLIGA-SE de Deus vs. 21-22
4. DEIFICA a criatura vs. 23-25
5. DELEITA-SE na imoralidade vs. 26-27
6. DEPRAVAÇÃO total vs. 28-32

Vamos agora detalhar um pouco mais para realmente entendermos o que Paulo quer dizer...
1. DETÉM a verdade pela injustiça - v.18
“Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que
suprimem a verdade pela injustiça”
A primeira coisa que o homem faz é sufocar a verdade gritante de Deus, é como se procurasse
colocar uma tampa para que a verdade não aflore, não venha à tona.

Impiedade (asébeia)
É um pecado contra o ser de Deus.
É viver como se Deus não existisse, seria o ateu.

Injustiça (adikia)
Injustiça às vezes é traduzido por perversão - é o pecado praticado contra o ser humano.

Esta pessoa crê em Deus, pelo menos diz que crê, mas vive como se não estivesse nem aí,
como se Ele não tivesse estabelecido nenhum padrão (vive com o seu próprio padrão, que
muitas vezes é caracterizado por um relativismo completo). Vive como se a Bíblia não
existisse.

Perguntas:
1. O que você entende por impiedade?

2. O cristão pode ser considerado ímpio?

3. O que é injustiça ou perversão?

4. A injustiça é praticada contra Deus ou contra o meu próximo?


5. O homem injusto não vive segundo os justos padrões divinos. Quais comportamentos
demonstram sua falta de sintonia com Deus:
- em seu relacionamento com Ele
- em seu relacionamento com o próximo
- em seu relacionamento consigo mesmo.

6. Você tem vivido segundo os padrões divinos? Se a resposta for negativa, proponha-se a
mudar isto em sua vida.
Seja específico(a), dê nome a área que está errada!

7. De que forma você pode cultivar um relacionamento com Deus a ponto de conhecê-lo
intimamente?

2. DESPREZA os atributos de Deus - vs. 19-20

“...pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.
Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua
natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas
criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis”

a) “seu eterno poder”, que é visto através da criação.

Chegando ao meu escritório, uma pessoa perceberá imediatamente três coisas que irão dizer
algo sobre a minha pessoa:
1. Que gosto de livros
2. Que gosto de minha família
3. Que o Palmeiras é o meu time favorito.

Por que perceberá? Por ter lido a palma de minha mão? Por ter penetrado em minha mente?
Por ter consultado as cartas?
Claro que não! Perceberá pelas evidências que saltam aos olhos:
1. Pelo número de livros,
2. Pelas fotos da família
3. Pelas bolas verdes nos livros; sem falar numa pequena arquibancada onde aparece a
torcida do Coríntians triste e abatida, enquanto a torcida do Palmeiras está alegre e
sorridente; com o placar mostrando Palmeiras 3 x Coríntians 0.

Gosto muito do que escreveu Ronald C. Prater sobre este texto, ele diz que Deus
deixou evidente: o “seu eterno poder”, isto é, a criação; e “sua natureza divina”, que é a nossa
consciência, para que o homem pudesse claramente ver os atributos do próprio Deus usando
os cinco sentidos que Ele nos deu.
Através da visão, audição, tato, paladar e olfato o homem pode perceber as quatro
coisas básicas que formam a “matéria” deste universo, pelo menos como o conhecemos, que
são: terra, vento, fogo e água. Ronald diz:
“Pense nesses quatro elementos e no que nos dizem sobre Deus. Quando estão
calmos e bem comportados, provavelmente não pensamos muito neles... mas, não foi isto que
Paulo enfatizou no versículo 20. Ele escreveu sobre a capacidade desses elementos
manifestarem o “eterno poder” de Deus e temos que considerá-los sob um ângulo mais
extremo: pense em cada um individualmente. O que acontece, por exemplo, quando o vento
decide flexionar os seus músculos? O que pode acontecer?”
Seguindo o raciocínio de Ronald, teremos furacões, terremotos, tempestades, vulcões,
e num confronto com o homem quem sai ganhando? Ele chega a conclusão que: “se
aplicarmos nossos cinco sentidos a fim de compreender os quatro 4 elementos fundamentais,
eles devem nos levar à conclusão de que Deus, um Ser Supremo, deve ter criado tudo que
existe e que este Criador é muito poderoso”
Você sabia que até hoje não foi encontrada nenhuma tribo que não tivesse em sua
cultura ou idioma; uma palavra, conceito ou pictograma (imagem) que traduz o conceito Criador
ou o Ser Supremo!?!!
Deus deixou muitos indicadores, muitas evidências de que Ele existe e que é poderoso!
Salmo 19:1 diz: “Os céus declaram a gloria de Deus; o firmamento proclama a obra das suas
mãos.”
Os recifes de Pernambuco, as Cataratas de Iguaçu, o caudaloso Amazonas e a beleza
das Montanhas de Minas também dizem que há um Deus.
Deus se manifestou por meio da criação, e a maneira pela qual vemos isto é pelos
nossos cinco sentidos, mas Deus também se manifestou pela...

b)“sua natureza divina”, que é vista através da consciência dada a nós.

É através de nossa consciência que podemos perceber a “natureza divina” no ser humano, que
leva consigo a imagem de Deus. É ela que nos mostra que chutar uma mulher grávida, ou
espancar uma criança, é errado. É esta fagulha de Deus em nós que nos leva a ter a
percepção do “certo” e “errado”, portanto todo homem e mulher têm conhecimento de Deus.

Pense, por exemplo, nos computadores... eles dependem dos softwares (programas) para
funcionar. Como eles, nós também nascemos com um software pré-instalado, um programa
que permite que nos relacionemos com Deus!

Perguntas:

6. Quais são os atributos de Deus? Mencione alguns.

7. O que significa para você nas horas difíceis saber destes atributos?

8. Você entende que quando Deus nos dá uma ordem é porque Ele, sendo Onisciente, sabe
que a obediência ou desobediência nos trará conseqüências?

9. Você dedica algum tempo da sua vida devocional para adorar e dar louvores a Deus,
simplesmente pelo que Ele é?

10. Qual o atributo de Deus (que também é do homem) se revela em sua vida?

11. Por que os homens são indesculpáveis diante de Deus?


LIÇÃO 5
ROMANOS 1
O GENTIO PECA
IV - Paulo apresenta o Problema: o Pecado – vs. 18-32

A ira de Deus se manifesta porque o homem:

7. DETÉM a verdade pela injustiça v.18


8. DESPREZA os atributos de Deus vs. 19-20
9. DESLIGA-SE de Deus vs. 21-22
10. DEIFICA a criatura vs. 23-25
11. DELEITA-SE na imoralidade vs. 26-27
12. DEPRAVAÇÃO total vs. 28-32

3. DESLIGA-SE de Deus - vs. 21-22


“...porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças,
mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e o coração insensato deles obscureceu-se.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos!”
1. Quais as duas coisas que o homem deveria ter feito neste texto?

2. Quais as conseqüências que se seguiram na vida intelectual e espiritual do homem?

3. O que isto significa na prática?

4. Como o homem no dia-a-dia demonstra isto?

5. Como os “intelectuais” interpretam a criação do mundo?

6. Onde está a verdadeira sabedoria? Veja Jó 28:12-28

4. DEIFICA a criatura - v. 23-25


“...e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem
mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou à impureza
sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo
entre si.
Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em
lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém”

1. Segundo o texto, que fizeram os homens?

2. Como a idolatria se manifesta hoje?

3. Você tem algum ídolo (posição, dinheiro, cônjuge, filhos, ministério, etc.)?

4. O que ocupa realmente o primeiro lugar em sua vida?


Corra os olhos no canhoto do seu talão de cheques e na sua agenda, eles refletem o que é
prioridade para você!
5. Que lugar ocupa o Criador na sua vida?

6. Quando você ouve a palavra “Deus”, qual o primeiro pensamento que vem à sua mente?

7. À luz do v. 25, a quem você serve?

8. O que significa “Deus os entregou...”?

5. DELEITA-SE na imoralidade - v. 26-27

“Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas
relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens
também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns
pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si
mesmos o castigo merecido pela sua perversão”

O homem, rejeitando o Criador, tornou-se confuso em sua própria identidade e passou a


expressar o seu comportamento sexual de maneira deturpada: homossexualismo e
lesbianismo.

A história registra que muitos dos imperadores romanos eram “gays”.

Se você que gosta de literatura na certa leu Sêneca, e então dirá que mesmo no tempo de
Paulo havia homens bons, moralistas como Sêneca tutor de Nero.

É verdade, Sêneca pregava e escrevia freqüentemente sobre moralidade, hipocrisia, inveja,


etc., mas quando Nero assassinou a sua própria mãe Agripina, Sêneca foi conivente com sua
atitude.

Perguntas para reflexão...

1. Você tem uma vida sexual de acordo com os padrões divinos?

2. A sua maneira de agir tem em vista glorificar a Deus, agradar seu marido/esposa ou
fascinar os homens / as mulheres?

Leia cuidadosamente e medite sobre I Tessalonicenses 4:1-12

Bom estudo!
LIÇÃO 6
ROMANOS 1
O GENTIO PECA

IV - Paulo apresenta o Problema: o Pecado – vs. 18-32


A ira de Deus se manifesta porque o homem:
13. DETÉM a verdade pela injustiça v.18
14. DESPREZA os atributos de Deus vs. 19-20
15. DESLIGA-SE de Deus vs. 21-22
16. DEIFICA a criatura vs. 23-25
17. DELEITA-SE na imoralidade vs. 26-27
18. DEPRAVAÇÃO total vs. 28-32

6. DEPRAVAÇÃO total - vs. 28-32

Você tem notado que Paulo nos fez ver a corrupção do nosso coração, porém ainda pode
pensar:
“Ah!... Ah!... Ah!..., mas eu nunca estive envolvido em nenhum destes pecados “grosseiros”,
como homossexualismo, adultério, assassinato, roubo, etc.
Cruz credo!”

Então veja como Paulo, guiado pelo Espírito, consegue nos mostrar que embora não tenhamos
nos engajado em praticar pecados “grosseiros”, como os acima mencionados, há uma série de
outros que eu estou certo você se enquadrará em pelo menos um! Eu me vejo em vários deles!
Richard Peace em seu livro “Romanos” – Ed. SEPAL, define de maneira prática cada pecado
aqui listado por Paulo. Encontre-os em Romanos 2:28-32.

1. ______________ - O oposto de honestidade: as pessoas se apossam de tudo que


pertence a Deus e ao próximo.

2. ______________ - Desejam deliberadamente prejudicar e corromper. Pessoas assim,


além de serem conscientemente más, querem que todos se tornem iguais a elas.

3. ______________ - Se apoderam de tudo sem se preocupar com os direitos alheios.

4. ______________ - Esse é o termo mais genérico que há para definir maldade, uma
pessoa viciada e desprovida de qualquer qualidade ou sentimento bom.

5. _______________ - Ressentimento e relutância em aceitar a felicidade e o sucesso dos


outros.

6. _______________ - Jesus ensinou que as pessoas devem remover da mente e do


coração todo e qualquer sentimento de ódio que possa conduzir a esse ato ( Mt. 5:21-26 )

7. _______________ - Confronto originado pela inveja.


8. _______________ - Dolo, aquela atitude de ludibriar alguém, executada para lograr o
próximo.

9. _______________- Literalmente, significa natureza má, ruim; pensamento permanente


voltado para imaginar as piores coisas sobre as demais pessoas.

10. _______________- O bisbilhoteiro espalha informações maldosas sem que a pessoa


afetada saiba, enquanto, o caluniador, acusa abertamente.

11. ________________ - Odeiam a Deus, pois consideram-no um obstáculo aos seus


prazeres.

12. _______________ - Pessoas orgulhosas que desafiam a Deus com arrogância (soberba)
e ofendem as pessoas pelo simples prazer de fazê-lo.

13. ________________ - Designação para aqueles que querem impressionar as pessoas por
se acharem melhores que elas, fanfarrão.

14. ________________ - Criam novas formas de pecar.

15. ________________ -Tanto para os judeus, como para os romanos, a obediência aos pais
era de uma importância extrema.

16. ________________- Aqueles que não aprendem as lições trazidas pela experiência.

17. ________________ - Os que não honram o que foi acordado.

18. ________________ - Não amam seus familiares.

19. ________________ - Aqueles que agem impiedosamente; ofendem, ferem e matam sem
pensar.

Tudo começou com o homem detendo, sufocando a verdade e desligando-se de Deus


(vs.18-20). Como conseqüência, o homem caiu numa DEPRAVAÇÃO TOTAL (vs. 21-32),
como acabamos de ver.
Perguntas:
1) Qual é a relação entre os versículos 21,25 e 28?

2) À luz do capítulo 1, qual é a sua situação espiritual?

3) Baseado no texto, você poderia dar as razões por que Paulo não se envergonha do
evangelho? Como essa pergunta é mais difícil, deixe-me ajudá-lo: Paulo não se envergonhava
do evangelho (v.16) porque ...
- O evangelho é boa notícia
- O evangelho é de Deus (v.1), e não de homens
- O evangelho é o poder de Deus (no grego “o dinamite”)
- Porque ele salva (v.16)
Leia novamente os vs. 28-31, e veja dentre os pecados ali mencionados quais você tem mais
dificuldade. Por acaso seria ... bisbilhotice? maldade? ganância? fofoca? desamor à família?
rivalidade?
Você sabe que Bíblia não possui estas listas apenas para encher suas páginas, mas sim para
nos moldar, cortar as arestas, limpar as nossas vidas de tudo aquilo que não agrada a Deus e
não faz nada bem para nós.
Lá no íntimo, com toda sinceridade diante de Deus, peça à Ele para lhe apontar as áreas
mencionadas neste texto onde você tem mais dificuldade, e também graça para capacitá-lo a
melhorar.
Se exponha contando para alguém de sua confiança para que também lhe ajude dizendo
“Você está melhorando!” ou “Olha, lembre que você precisa melhorar aqui!”. Às vezes sozinhos
nós não conseguimos vencer um “pecado de estimação”, mas com a graça de Deus e ajuda de
um irmão amigo / irmã amiga, você conseguirá!
Creio que ficou claro que o capítulo 1 prova de maneira insofismável que o gentio peca; que
você e eu somos, de fato e de verdade, pecadores. Esta é a má notícia, mas não se
desespere: a boa notícia começa no capítulo 3:21: “Mas agora...”
Nota final: A palavra justiça é complicada. Gastarei uma lição no tempo certo para explicar
como ela é usada no livro de Romanos. Em Cristo, Ary (in memoriam)
LIÇÃO 7
ROMANOS 2
O JUDEU PECA

O quadro pintado no primeiro capítulo de Romanos é algo feio, horripilante, assustador, e


Paulo sabe que o judeu faria então duas coisas:
 concordaria que o pagão romano, grego e todos os não judeus, estariam debaixo desta
condenação
 logo diria: “eles são mesmo assim, mas... nós judeus somos diferentes”

Será que são mesmo?!


Paulo está nos levando a um tribunal de julgamento no livro de Romanos; seu propósito é listar
os argumentos e deixar claro que tanto o homem como a mulher estão em desobediência e
alienados de Deus por causa do pecado.
Ele já provou no cap. 1 que o gentio, homem sem bíblia, peca.
Agora no cap. 2 vai demonstrar que o judeu, o homem que tem o Velho Testamento, também
peca.

Veja o esboço do capítulo 2...

I. O julgamento de Deus – vs.1-16


1) conforme a verdade – vs.1-4
2) conforme a acumulação da culpa – v. 5
3) conforme as obras - vs. 6-10
4) conforme a não acepção de pessoas - vs. 11-12
5) conforme a obediência - vs.13-14
6) conforme a consciência -v.15
7) conforme os segredos dos homens – v.16

II. O perigo da religiosidade “sem vida” - vs.17-29


a) a lei - vs.17-24
b) a circuncisão - vs. 25-27
c) o nascimento - vs.28-29

Vamos ao estudo...

I. O JULGAMENTO DE DEUS – VS.1-16

Deus então não poupa esforços para deixar bem claro os critérios pelos quais os homens (e as
mulheres também, há!) serão julgados...
O profeta Amós avisa: “Prepare-se para encontrar com Deus!” (Am. 4:12)
Paulo tenta livrar os homens daquela falsa posição de segurança, de que “no fim tudo ficará
bem”. É como se ele estivesse gritando:
“Não! Não pense assim! Isto é fria, saia desta! No final não haverá “jeitinho”!
Os 7 Grandes Princípios para o Julgamento de Deus

1) conforme a verdade – vs.1- 4


não conforme sua imaginação!

Versículos 1-2...
“Portanto, você, que julga os outros é indesculpável; pois está condenando a si mesmo naquilo
em que julga, visto que você, que julga, pratica as mesmas coisas. Sabemos que o juízo de
Deus contra os que praticam tais coisas é conforme a verdade.

O homem anda cego quanto a seu estado real (veja II Cor. 4:4) e Paulo mostra isto de maneira
clara...

Versículo 3...
“Assim, quando você, um simples homem, os julga, mas pratica as mesmas coisas, pensa que
escapará do juízo de Deus?”

Devemos aplicar estas sentenças a todas as pessoas chamadas “respeitáveis” ou “boazinhas”,


que dizem: “eu não sou como aqueles que...”
Preste atenção! Você é um destes!?!!
Saiba que Deus vê o motivo atrás das ações e não necessita de jurados e testemunhas pois
Ele mesmo é Testemunha, Jurados e Juiz!

Sinta a seguir o coração de Paulo chorando...

Versículo 4...
“Ou será que você despreza as riquezas da sua bondade, tolerância e paciência, não
reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao arrependimento?”

“riqueza da bondade” significa graciosidade em contraste com dureza, brutalidade e amargura.

Veja a progressão da bondade de Deus para com o homem aqui na Terra!


Leia novamente este versículo e o decore. Note cada palavra...

Bondade...
...em preservar o homem, provendo e protegendo-o, mas ele despreza tudo isso, então Deus
mostra a sua...

Tolerância
Deus não manda um raio ou termina com o homem quando ele se mostra orgulhoso, adúltero,
fofoqueiro, mentiroso, etc.; mesmo que ele mereça!

Literalmente a palavra tolerância significa: “uma trégua ou cessação de hostilidade”. Até a


doença pode ser um sinal da tolerância divina! É Deus “chamando” e aumentando a
oportunidade para o homem pensar.
Longanimidade ou paciência
Rejeitada a bondade e ignorada a tolerância, estas mais uma vez aparecem em longanimidade
ou “longa tempera”, isto é, a qualidade de auto-controle em face a uma provocação.
Deus então continua nos esperando, amando, buscando e aguardando o...

Arrependimento
...isto é, uma mudança da mentalidade de quem sabe que está fazendo algo errado e dá meia
volta, começando a agir corretamente. A benignidade de Deus que convida à conversão.

Como você pode ver, o julgamento divino...


 não é baseado nas aparências,
 não é fundamentado em aspectos superficiais.

Cuidado! O julgamento divino é conforme os mais profundos aspectos da revelação de Deus,


sendo um deles a verdade, e não dará lugar ao “jeitinho brasileiro”.

2) conforme a acumulação da culpa – v. 5

“Contudo, por causa da sua teimosia e do seu coração obstinado, você está acumulando ira
contra si mesmo, para o dia da ira de Deus, quando se revelará o seu justo julgamento.”

Quantos homens e mulheres vivem empedernidos, duros, sem um coração contrito e piedoso
para com Deus; pelo contrário... vivem com arrogância!
(veja Ezequiel 16:49-50)

O que acabamos de ver no v.4 mostra a dureza do coração humano que vai acumulando dia-
a-dia a ira de Deus a ser revelada no último dia (veja Ap. 20). Só então entenderemos todas as
ramificações, más influências, e o terrível efeito da vida de um homem sem Deus.

Veja o que Jesus fala a respeito da “segurança” dos Sodomitas em Lc 17:28-30. Se a bondade
de Deus não está levando o homem ao arrependimento, dia-a-dia, momento a momento, ele
estará acumulando a ira de Deus sobre si mesmo!

Perguntas:

1. O que foi visto até agora que mostra o endurecimento do coração humano acumulando a ira
de Deus sobre si mesmo?

2. Por que precisamos de salvação?

3. É possível uma pessoa salva acumular pecado?

4. Como isto pode acontecer?

5. Como anda a sua vida? Você diria que não há pecado que não tenha sido confesso e
deixado, ou você tem um “pecado de estimação?”
(Veja I João 1:9 e Salmo 32)
Mais perguntas:

6. Você já sabe de cor e salteado o esboço de Romanos?

7. Quais as seis palavras-chave?

8. A psicologia moderna freqüentemente sugere que as pessoas não são realmente


responsáveis por suas ações.
Há uma corrente carismática que atribui muito do que a pessoa faz aos demônios, usando a
famosa frase: “O diabo me fez fazer isto”.

Como você reage diante destas duas posições à luz de Romanos 2:1-16?

Volte a ler Romanos 2.

Até a próxima!

Em Cristo, Ary (in memoriam)


LIÇÃO 8
ROMANOS 2
O JUDEU PECA

I. O JULGAMENTO DE DEUS – VS.1-16


Os 7 Grandes Princípios para o Julgamento de Deus
1) conforme a verdade – vs.1-4
2) conforme a acumulação da culpa – v. 5

3) conforme as obras - vs. 6-10


Versículos 6-7...
“Deus “retribuirá a cada um conforme o seu procedimento”. Ele dará vida eterna aos que,
persistindo em fazer o bem, buscam glória, honra e imortalidade.”

Não se trata aqui de salvação pelas obras...


se assim fosse, estes versículos estariam contrariando toda a Bíblia que, desde o início
até o fim, mostra que a salvação é pela graça, independentemente das obras (veja Ef
2:8-9 e Rm 3:20; 4:1-8); mas...
trata-se de bênçãos e castigo para quem leva - ou não - Deus e Sua Palavra a sério!

Versículos 8-9...
“Mas haverá ira e indignação para os que são egoístas, que rejeitam a verdade e seguem a
injustiça.”
Haverá tribulação e angústia para todo ser humano que pratica o mal: primeiro para o judeu,
depois para o grego;

Uma vez que você sabe a vontade escrita de Deus e não a obedece, o que poderá esperar?
__________________ e __________________ (v.8)
__________________ e __________________ para quem?! (v.9)

Veja a beleza do versículo 10...


“...mas glória, honra e paz para todo o que pratica o bem: primeiro para o judeu, depois para o
grego.”

Você se identifica com os versos 8 e 9 ou com o 10?!

Note bem a palavra “ira”!


Como cristãos devemos estar preocupados com nossos parentes, amigos e vizinhos, que
ainda permanecem debaixo da ira de Deus! (veja Efésios 2:3).
Lembre-se que esta era a nossa situação! Devemos colocar em nossas cabeças e corações
que as pessoas sem Cristo estão perdidas!!!
Sim! Podem até ser boas, íntegras e honestas; mas estão perdidas!
Tenha cuidado!

Não permita que este estudo se torne apenas um exercício intelectual; ele há de mexer com
nossas emoções. Temos que olhar os homens e mulheres ao nosso redor com grande amor, e
entender que eles estão debaixo da ira de Deus... MAS GRAÇAS À ELE, há esperança e
salvação desta ira! Aprenderemos sobre esta grande salvação a partir do versículo 21 do
capítulo 3.
Segue alguns exemplos para você relacionar com os versos 6–10...
Preste atenção! O que está envolvido aqui são as escolhas que fazemos em nossas vidas.

Vejamos as duas opções...

a) Vs. 7 - “aos que persistindo em fazer o bem...”


Exemplos tais como Abel, Noé, Abrahão, Jó, Mateus, etc.
Assim, em cada época tem sempre havido os seguidores de Deus e os que O rejeitam...

b) Vs. 8 - “aos que são egoístas, que rejeitam a verdade e seguem a injustiça...”
Ou seja, como Caim que se zangou com Deus porque Ele aceitou o sacrifício de Abel; como
Judas; como Esaú que desprezou o seu direito, etc.

Você entendeu e relacionou o que Paulo estava ensinando neste texto?


Conseguiu acompanhar os exemplos?

4) conforme a não acepção de pessoas (imparcial) - vs. 11-12

Temos a tendência de ver as pessoas conforme o “status”, mas Deus não!

Versículo 11... “Pois em Deus não há parcialidade.”

O rico, o “doutor”, o intelectual, o conhecedor do mundo, a mulher sofisticada no vestir, o


político, etc., são sempre tratados com deferência aqui na Terra e muitas vezes nas igrejas;
enquanto o pobre, o fraco, o inculto, são desprezados – por vezes rejeitados - muitas vezes
também nas igrejas!
Mas não é assim com Deus! Ele vê além da riqueza ou pobreza, além do terno ou do trapo, o
seu julgamento é isento de qualquer parcialidade.
Cuidado!
Não confunda isto com os diversos focos de evangelização, isto é, não podemos condenar
uma igreja porque o foco principal dela é alcançar a classe média ou alta. É lógico que esta
igreja jamais poderá ter uma atitude de soberba em relação ao pobre, e mais... seus membros
precisam tratar o carente com toda a dignidade e sempre que possível ajudá-lo!

Mas... vamos falar de você...


 Como você trata seus subordinados?
 O que diria sua empregada doméstica a seu respeito?

Versículo 12a...
“Todo aquele que pecar sem a Lei, sem a Lei também perecerá”
Todas as pessoas estão diante de Deus condenadas com base naquilo que elas sabem, e não
no que não sabem!
“Pecar sem a Lei” - significa pecar sem ter o conhecimento da Lei Mosaica (exposta nos cinco
primeiros livros da bíblia), principalmente os dez mandamentos em Êxodo 5 e Deut. 20.
A esta altura você pode estar perguntando...
“Sem a Lei perecerá”!?... Mas por que o índio vai perecer se ele não teve a Lei, não conhece a
Bíblia? Isto não é injusto?!

Antes de responder a esta pergunta, Paulo acrescenta:


Versículo 12b...
“e todo aquele que pecar sob a Lei, (isto é, conhecendo a Lei) pela Lei será julgado.”
Veja bem! Paulo não diz que ele será salvo, mas sim julgado!
Estude novamente esta lição com a Bíblia aberta e na próxima veremos o que acontecerá ao
índio e os que nunca ouviram o evangelho, mas se você está ansioso para ter a resposta leia
os versículos 13-16.
Até lá!
Em Cristo Ary (in memoriam)
LIÇÃO 9
ROMANOS 2
O JUDEU PECA

I. O JULGAMENTO DE DEUS – VS.1-16


Os 7 Grandes Princípios para o Julgamento de Deus
1) conforme a verdade – vs.1-4
2) conforme a acumulação da culpa – v. 5
3) conforme as obras - vs. 6-10
4) conforme a não acepção de pessoas - vs. 11-12

5) conforme a obediência - vs.13-14


Este texto é precioso porque nos dá a resposta para as famosas perguntas:
 E o índio no Amazonas que não conhece a Bíblia?
 E os que nunca ouviram falar de Jesus?
 E o meu vizinho que é honesto, autêntico, íntegro e muito mais “crente” do que muitos
crentes?

Versículo 13...
“Porque não são os que ouvem a Lei que são justos aos olhos de Deus; mas os que obedecem
à Lei, estes serão declarados justos”

Paulo deixa claro que o importante para Deus não é tanto o conhecimento da Lei Mosaica,
dada por Deus através de Moisés, mas sim a obediência à mesma.
Deus quer que sejamos ouvintes e praticantes. Você ainda tem alguma dúvida!?!
Veja Tiago 1:22: “Sejam ___________________ da palavra, e não apenas ouvintes,
enganando-se a si mesmos.”

O que Jesus disse ao concluir o Sermão do Monte em Mateus 7:24-27?


Onde Ele colocou a ênfase?

Leia também com atenção estes versículos do ensino de Jesus: Mateus 7:24-27; Efésios 2:8-9
e Gálatas 2:16
Versículo 14...
“De fato, quando os gentios, que não têm a Lei, praticam naturalmente o que ela ordena,
tornam-se lei para si mesmos, embora não possuam a Lei”

Mas como é que, mesmo não tendo a Lei, eles a obedecem?


É porque mesmo o mais primitivo dos homens sabe, lá no fundo do coração, o que é certo e o
que é errado!

Por que sabe?


Porque quando Deus criou o homem lá no Éden, Ele implantou em seu coração aquilo que
mais tarde Ele escreveria com seu dedo sobre as tábuas de pedras que ele entregou a Moises
no monte Sinai (os 10 Mandamentos).

Leia novamente os vs.13-14 que agora farão mais sentido para você!
6) conforme a consciência – v. 15

“...pois mostram que as exigências da Lei estão gravadas em seu coração.


Disso dão testemunho também a sua consciência e os pensamentos deles, ora acusando-os,
ora defendendo-os.)”
Você viu que mesmo o homem sem Bíblia (o gentio, o índio na selva amazônica, etc.) tem
consciência do que é certo e errado!?? mas... não vive conforme os padrões que foram
estabelecidos e implantados pelo próprio Criador, por isto ele é indesculpável diante de Deus.
Sim! Ele diz que eles têm uma bíblia diferente “gravada em seu coração”, é a chamada “lei da
consciência”. Deus colocou em cada ser humano uma consciência com os Seus princípios
estabelecidos do que é certo e errado.

Pense bem...
 Por que qualquer pessoa sabe que chutar uma mulher grávida é errado?
 Por que todos sabemos que mentir é errado?
 Por que quando vimos uma criança malcriada culpamos os pais, dizendo que eles não
estão criando bem a criança?

Por que não achamos estes comportamentos corretos, naturais ou normais? Porque Deus
gravou em nós uma consciência que ora nos acusa, ora nos defende.
Em outras palavras, temos o conhecimento e somos responsáveis por este fato. As pessoas
sem Bíblia, os que nunca ouviram o evangelho, têm a “lei gravada na consciência” e também
têm a revelação de Deus gravada na natureza conforme já vimos no capítulo 1:19-20.
Isto explica porque o seu vizinho é mais crente do que muitos crentes, porque aquela sua
parente é tão honesta... é porque estão obedecendo a Lei gravada nos seus corações.
Todavia, fica claro que esta obediência a Lei da Consciência não salva ninguém, porque para
se salvar a pessoa teria que nascer sem pecado e viver uma vida sem um só erro.

“Por quê?” Você pergunta.


Porque para que pudéssemos nos salvar pela obediência à Lei, teríamos que obedecê-la 100%
- o tempo todo! E quem consegue fazer isto?!

Por isto Romanos 3:20 nos diz...


“Portanto, ninguém será declarado _____________ diante Dele baseando-se na
_________________ à Lei, pois é mediante a Lei que nos tornamos plenamente conscientes
do _______________.”

7) conforme os segredos dos homens – v. 16


“Isso tudo se verá no dia em que Deus julgar os segredos dos homens, mediante Jesus Cristo,
conforme o declara o meu evangelho.”
Note bem, Deus não irá julgar somente os pecados ou erros gritantes e grosseiros; não apenas
aqueles que aparecem nas manchetes dos jornais, aqueles que são claros e óbvios. A palavra
“segredos” deve trazer um temor para os nossos corações!
Você se acha uma boa pessoa?
Você talvez até seja bom aos olhos daqueles que estão à sua volta...
Você não mata...
Você é honesto(a)...
Você não trai a esposa ou o marido...
Você é um cara “legal” - diria o seu filho.
Mas... você gostaria que sua esposa, seus filhos, seus colegas de trabalho ou de igreja vissem
os segredos do seu coração??!

Com freqüência ouvimos pessoas dizer - e muitas vezes nós também falamos...
“como aquela mulher é imoral”
“veja aquele homem como é desonesto”, etc.
... e depois viramos as costas e fazemos as m-e-s-m-a-s c-o-i-s-a-s no “segredo do nosso
coração”!

Pare por aqui! Leia novamente Rom 2:1...

Todas as pessoas “boas” e também as que atiram pedras, todas as que escrevem os editoriais,
os pregadores... todos teremos os “segredos do coração”, todas as “fantasias da mente e do
coração” julgados por Deus.

Sabia disto!!! Isto é muito sério, não é!

E ainda alguns perguntam...


“Por que estou debaixo da ira de Deus? Por que Ele me condena”

Será que agora você entendeu o por quê?!

Volte a ler Rom 2:1-16 tendo em mente o que já estudamos até agora.
Veja se ficou claro para você que todos estamos perdidos e na total dependência da GRAÇA
DE DEUS... sobre a qual estudaremos em breve.

Tarefa...

Decore as 6 palavras do esboço geral e as referências...

Problema 1-3
Solução 3-4
Vida 5-8
Israel 9-11
Conduta 12-14
Conclusão 15-16

Bom estudo

Ary (in memoriam)


LIÇÃO 10
ROMANOS 2
O JUDEU PECA

Até o verso 16, Paulo estava colocando as regras do jogo....


I. O JULGAMENTO DE DEUS – VS.1-16
Ele queria deixar claro que com Deus não se brinca, pois “tudo que o homem semear, isto
também ceifará”. Gálatas 6:7.
Agora ele vai demonstrar que não só o gentio peca (o homem sem Bíblia), mas também o
judeu peca (o homem que tinha o Velho Testamento).

II. PERIGO DA “RELIGIOSIDADE SEM VIDA” - vs.17-29


O alvo das palavras de Paulo agora se transfere das pessoas comuns para os judeus que se
autodenominam justos (particularmente àqueles que afirmam serem merecedores da graça de
Deus). Eles se achavam isentos de toda condenação baseados em três pressuposições:
1. Porque possuíam a Lei de Moisés.
2. Porque eram circuncidados.
Alguns antigos escritos dos rabinos diziam que “Nenhum homem circuncidado estaria
perdido” e nos dias de Paulo diziam que “Abraão fica na porta do Hades ou Inferno, se
assegurando de que nenhum homem circuncidado fosse atirado lá.”
3. Porque eram filhos de Abraão.
Quando Jesus estava condenando aqueles judeus, eles responderam a Jesus: “Nós somos
da descendência de Abraão - João 8:33
Como havia uma certa verdade nestas três afirmações, Paulo achou por bem mostrar a
“verdade verdadeira” sobre elas, e aqui está o resumo...

a) a lei - vs.17-24
Versículos 17-18...
“Ora, você leva o nome de judeu, apóia-se na Lei e orgulha-se de Deus.
Você conhece a vontade de Deus e aprova o que é superior, porque é instruído pela Lei.
Note a auto-confiança dos judeus. Examine as vantagens ou privilégios que eles achavam que
tinham...
Temos a _________________ - v.17
Adoramos o ________________ único e verdadeiro - v.17
Conhecemos a ______________ de Deus - v.18
Sabemos o que é _____________ - v.18
Somos instruídos pela ______________ - v.18

Versículos 19-20...
“Você está convencido de que é guia de cegos, luz para os que estão em trevas, instrutor de
insensatos, mestre de crianças, porque tem na Lei a expressão do conhecimento e da verdade”
Note que, tudo o que eles tiveram os tornou vítimas de um orgulho, de uma prepotência a toda
prova, e por isso ganharam vários títulos.
_______________________de cegos
_______________________para os que estão nas trevas
_______________________de insensatos
_______________________de crianças
Versículos 21-23...
“E então? Você, que ensina os outros, não ensina a si mesmo? Você, que prega contra o furto,
furta?
Você, que diz que não se deve adulterar, adultera? Você, que detesta ídolos, rouba-lhes os
templos?
Você, que se orgulha da Lei, desonra a Deus, desobedecendo à Lei?”
Fizeram os judeus uso adequado e correto de suas vantagens e privilégios?
Medite sobre isto.
"Beleza!" - diz Paulo - "Tudo isto é muito bom... E então? E daí? Vocês estão vivendo isto?
Tudo isto é realidade na vida de vocês ?"
É como se eu dissesse para você agora...
“Você estudante, amigo religioso, que é batista, é presbiteriano, é metodista, etc... você que
tem tido vários privilégios...
Tem a Bíblia em várias traduções
Tem uma igreja onde a Bíblia é ensinada
Tem pequenos grupos
Tem anos de igreja”

E então?! E daí?!
 Você leva Deus e sua Palavra a sério?
 Você é honesto em seus negócios e relacionamentos?
 Jesus Cristo é de fato Salvador e Senhor da sua vida?
 Será que você é apenas um "esquenta banco"?
 Você está fazendo o seu melhor com o que tem? Pergunte a Deus em oração.
 O que Jesus tem a nos dizer sobre o religioso sem vida? Veja Mt 23:13-23.
 Você corre perigo de ter uma “religiosidade sem vida”?

Versículo 24...
“O nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vocês.”
Aqui estão os judeus que deveriam mostrar para o mundo pagão a imagem do Deus vivo, eles
deveriam levar o mundo perdido a ver o grande Deus de Abraão, porém o que eles faziam?
Apenas se orgulhavam em ser a raça eleita, o povo escolhido, mas não tinham nenhum amor e
preocupação com as nações vizinhas, com o povo que não conhecia o verdadeiro Deus.
O mesmo está acontecendo hoje, muitos que se dizem “crentes” são verdadeiros picaretas,
deixaram de ser “sal da terra e luz do mundo” e por causa deles o nome de Deus é blasfemado
entre os homens de nossa sociedade.

O que VOCÊ tem testemunhado através da sua vida?!


b) a circuncisão - vs. 25-27
“A circuncisão tem valor se você obedece à Lei; mas, se você desobedece à Lei, a sua
circuncisão já se tornou incircuncisão.
Se aqueles que não são circuncidados obedecem aos preceitos da Lei, não serão eles
considerados circuncidados?
Aquele que não é circuncidado fisicamente, mas obedece à Lei, condenará você que, tendo a
Lei escrita e a circuncisão, é transgressor da Lei.”
A circuncisão não pode salvar o Judeu porque ele não tem obedecido toda a Lei, todos os
mandamentos. Nestes versículos Paulo coloca assim a sua matemática:
CIRCUNCISÃO – OBEDIÊNCIA = INCIRCUNCISÃO
INCIRCUNCISÃO + OBEDIÊNCIA = CIRCUNCISÃO

Em outras palavras, Paulo está dizendo que rituais tais como circuncisão, batismo, crisma,
extrema-unção ou qualquer outro rito, não pode salvar ninguém! E ele vai ilustrar isto muito
bem no capítulo 4 de Romanos.

c) o nascimento - vs.28-29
“Não é judeu quem o é apenas exteriormente, nem é circuncisão a que é meramente exterior e
física. Não! Judeu é quem o é interiormente, e circuncisão é a operada no coração, pelo
Espírito, e não pela Lei escrita. Para estes o louvor não provém dos homens, mas de Deus.”
Leia cuidadosamente estes dois versículos e responda...
O que significa ser judeu?

Tornar-se um Judeu-Cristão é algo que acontece no interior, em secreto.


Por outro lado, circuncisão, ou seja, ritos como culto, batismo, extrema-unção, reuniões,
ofertas, acontece na carne e não no coração (Dt. 10:16; Jr. 4:4).
A verdadeira circuncisão é efetivada pelo Espírito, no coração, e não pela Lei; e esta recebe a
aprovação de Deus e não dos homens.
“O que é nascido do Espírito é espírito” - João 3:6 – É isto que Jesus chamou de Novo
Nascimento! Veja que a palavra Espírito que aparece em primeiro lugar está com letra
maiúscula (Espírito Santo), e a outra com letra minúscula, significando o espírito humano que
estava morto. Leia também Efésios 2:1-9.

Bem... E então?! E daí?!


Faça uma paráfrase dos vs. 17-29, colocando o seu nome aonde aparece o nome “Judeu”...
assim...

v.17 -Oi Ary, você que tem o nome de crente, baseia-se na Bíblia e acha que tudo está bem
entre você e Deus...
v.18 você, Ary que conhece a vontade de Deus e tem altos valores, porque aprendeu isto na
Bíblia, ...
v.19 ...você, Ary.........etc.

E daí?! E então?!

 Você corre algum perigo?

 Tem religiosidade, mas não tem vida?

 Sua confiança está nos ritos ou em Jesus Cristo que é “o Caminho, a Verdade e a Vida"?

Bom estudo e leia muitas vezes o capítulo 3.


Em Cristo, Ary (in memoriam)
LIÇÃO 11
“Procure apresentar-se a Deus (não ao Ary),
como obreiro aprovado que não tem do que se envergonhar,
e que maneja corretamente a palavra da verdade” II Timóteo 2:15
TESTE PARA AUTO-AVALIAÇÃO
não envie para mim!
Responda sem consultar suas anotações, apostila, ou Bíblia e depois confira as respostas nas
lições anteriores.
Parte I – Esboço Geral
1. Cite o capítulo que fala sobre:
Vida de paz ____
Justificação pela fé _____
Vida de amor _____
Vida de luta _____
Abraão - Exemplo de justificação pela fé _____
Liberdade sem libertinagem _____
Conduta de amor _____
Os planos de Paulo _____
Eleição de Israel _____

2. Quais as seis palavras-chave do esboço geral?

________________ ________________ ________________


________________ ________________ ________________

Parte II – Capítulos 1 e 2

1. O que você sabe sobre Paulo?

2. O que significa Evangelho?

3. Por que Paulo não se envergonhava do Evangelho?

4. Qual o propósito de Paulo em relação ao Evangelho?

5. Qual o significado de impiedade?

6. O que é injustiça ou perversão?

7. Por que se manifesta a ira de Deus?

8. Quais os seis passos da deterioração do homem que a Bíblia apresenta?


(as seis palavras começam com a letra “D”)

9. Como Deus se revela ao homem?

10. Quais os critérios que Deus usará em seu julgamento?

11. Por que as pessoas que não conhecem a Bíblia - como exemplo algumas tribos indígenas -
também são culpadas?

12. Os ritos - como o batismo, circuncisão, crisma, extrema-unção - podem salvar alguém? Por
quê?
LIÇÃO 12
ROMANOS 3
TODOS PECARAM
Veja o esboço do capítulo 3...

I – Objeções dos judeus – vs.1-8


1ª objeção: - vs.1-2
2ª objeção: - vs.3-4
3ª objeção: - vs.5-6
4ª objeção: - vs.7-8

II – Ninguém é justo – vs. 9-20


a) Encerrando o raciocínio – v. 9
b) O que todo homem é – vs. 10-19
c) Conclusão inevitável – v.20

III – Justificação pela fé – vs. 21-31


a) O método de Deus para reconciliação – vs.21-26
b) O que é necessário ao homem fazer – vs.27-28
c) Deus se interessa por todos os homens – vs. 29-31

Vamos ao estudo...

I – OBJEÇÕES DOS JUDEUS


Tendo concluído o capítulo 2 - onde o judeu também é declarado culpado e pecador - Paulo
antecipa e responde as objeções que seus ensinamentos apresentados nos capítulos
anteriores levantariam nas mentes dos judeus.
Note bem como Paulo responde a cada uma delas...

1ª objeção: - vs.1-2
“Que vantagem há então em ser judeu, ou que utilidade há na circuncisão? Muita, em todos os
sentidos! Principalmente porque aos judeus foram confiadas as palavras de Deus.”

Deus conferiu aos judeus a dignidade de serem os depositários da Sua Palavra.


Veja o texto de Romanos 9:4-5.

2ª objeção: - vs.3-4
Versículo 3...
“Que importa se alguns deles foram infiéis?
A sua infidelidade anulará a fidelidade de Deus?”

João Calvino (l509) diz “O que Paulo realmente quer dizer é que uma grande parte da nação
de Israel havia renunciado o pacto de Deus... Paulo simplesmente menciona “alguns” com o
fim de amenizar a aspereza de sua censura.”

Versículo 4...
De maneira nenhuma! Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso. Como está escrito:
“Para que sejas justificado nas tuas palavras prevaleças”

Paulo responde a segunda parte da pergunta dizendo que é impossível que a verdade de
Deus perca a sua substância mediante a fraqueza humana! Portanto, não importa, Deus tem
dado a Sua palavra e Ele permanece fiel – independentemente do que o homem faz ou não
faz. A promessa continua firme, porque não descansa na aceitação ou fidelidade de homem, e
sim na palavra do próprio Deus.
Paulo então cita Salmo 51:4 dando a impressão de que o homem e Deus foram ao tribunal
para serem julgados e Deus saiu vitorioso e o homem condenado.
Ele voltará a discutir estas objeções nos capítulos 9, 10 e 11.
Isto abre caminho para outra objeção do judeu...

3ª objeção: - vs.5-6
Versículo 5...
“Mas, se a nossa injustiça ressalta de maneira ainda mais clara a justiça de Deus, que
diremos? Que Deus é injusto por aplicar a sua ira? (Estou usando um argumento humano)”
Se a nossa injustiça contribui para a glória de Deus, Deus deveria ficar contente
conosco... e ser agradecido ao pecador por ajudar a ressaltar a sua glória, na verdade
poderíamos até perguntar: .... “Quando Deus nos castiga por pecar, Ele está sendo injusto?”
A idéia lógica daquele que está perguntando é um grande “Sim”. “Sim, Deus é injusto,
pois nós estamos cooperando para salientar a sua glória e ele nos castiga”. Interessante que
Paulo constrói a sentença de tal maneira que se espera uma resposta “não” – Paulo em
reverência, não quer colocar no papel a idéia de um Deus injusto. “Falo como homem” –
desculpe estes argumentos humanos.

Versículo 6...
“Claro que não! Se fosse assim, como Deus iria julgar o mundo?”
 Se Deus não é justo, como Ele julgará?!
 Se Deus não usa sua ira, como julgará?!
 Se Deus não pune o judeu (como o gentio), como julgará Ele o mundo?

Mas o argumento de Paulo não convence e a 4ª objeção aparece...

4ª objeção: - vs.7-8
Versículo 7...
“Alguém pode alegar ainda: “Se a minha mentira ressalta a veracidade de Deus, aumentando
assim a sua glória, por que sou condenado como pecador?”
Aqui aparece a mesma idéia de que é bom pecar para dar a Deus a oportunidade de mostrar
sua graça e glória. Note que Paulo não procura responder a esta objeção. É absurda! A
pessoa que fala isso, falará qualquer outra tolice!

Versículo 8...
“Por que não dizer como alguns caluniosamente afirmam que dizemos:
“Façamos o mal, para que nos venha o bem”? A condenação dos tais é merecida.”
Paulo não diz claramente, mas ele está sendo atacado e caluniado por alguns, dizendo que ele
está ensinando a prática do mal. Que mentira! Hoje quando ensinamos predestinação, também
somos mal entendidos.
Ele diz no final do v.8... “eles receberão o que merecem.”
Mais tarde no capítulo 6:1-15, Paulo levanta o assunto de novo e responde a estas objeções
com profundidade, mas antes ele encerra o seu argumento provando pelas Escrituras que o
homem é pecador e totalmente depravado, e que o judeu não é exceção.

II – NINGUÉM É JUSTO
a) Encerrando o raciocínio – v. 9
Versículo 9...
“Que concluiremos então? Estamos em posição de vantagem? Não!
Já demonstramos que tanto judeus quanto gentios estão debaixo do pecado.”

John Stott em seu comentário sobre Romanos (um dos melhores livros que temos em
Português, editora ABU.) diz sobre este texto:
“É hora de encerrar o raciocínio e concluir o caso. Mas como fazer isso? Em sua galeria Paulo
foi exibindo todos os quadros, um por um...
 a escandalosa depravação de grande parte do mundo gentílico da época (1:18-32);
 a justiça hipócrita dos moralistas (2:1-16);
 e a arrogância do povo judeu, marcada pela anomalia de gabar-se da lei de Deus e ao
mesmo tempo quebrá-la (2:17-3:8).
...e agora ele traz à juízo toda a raça humana.”

Perguntas...
1. Você notou que Paulo faz a mesma pergunta nos versos 1 e 9?

2. Por que duas respostas “aparentemente” contraditórias ?


v.1 - “Que vantagem há então em ser judeu?”
Resposta: “Muita, em todos os sentidos” v.2
v. 9 - “Estamos (nós, judeus) em posição de vantagem?”
Resposta: “Não”

3. Como você concilia estas duas perguntas?

Não é difícil, mas na próxima lição darei uma explicação caso você não tenha descoberto a
resposta que está no contexto.

Volte a estudar os três primeiros capítulos e reveja toda a matéria dada até agora... só assim
você vai reter e aplicar as verdades de Romanos.

Bom estudo

Ary (in memoriam)


LIÇÃO 13
ROMANOS 3
TODOS PECARAM

I – OBJEÇÕES DOS JUDEUS – VS.1-8

II – NINGUÉM É JUSTO – VS. 9-20


a) Encerrando o raciocínio – v. 9

Antes de entrarmos na lição de hoje responderei a última questão da lição passada conforme
prometido ...

O judeu pergunta: tenho ou não “vantagens”?

Paulo não negou que os judeus ocupassem uma posição vantajosa. Ele sabia que Deus
confiou a eles a sua revelação escrita, ainda que parcial. Eles foram constantemente alvo do
amor de Deus (veja os livramentos que Ele lhes concedeu), visto por este ângulo, o judeu tinha
muitas vantagens (leia Rom 9:4-5 e faça uma lista delas)
Em Rom 3:10, Paulo está falando de outro tipo de vantagem...
Os judeus achavam que tendo as vantagens mencionadas, estavam isentos do julgamento...
“Não, não!” diz Paulo! Já vimos nos capítulos 1:18 a 3:20 que tanto judeus quanto gentios
estão debaixo do pecado!

b) O que todo homem é – vs. 10-19


“Como está escrito: “Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que
entenda,ninguém que busque a Deus.
Todos se desviaram,tornaram-se juntamente inúteis;não há ninguém que faça o bem, não há
nem um sequer”.
“Suas gargantas são um túmulo aberto; com suas línguas enganam”. “Veneno de serpentes
está em seus lábios”. “Suas bocas estão cheias de maldição e amargura”. “Seus pés são ágeis
para derramar sangue; ruína e desgraça marcam os seus caminhos, e não conhecem o
caminho da paz”.
“Aos seus olhos é inútil temer a Deus”
Sabemos que tudo o que a Lei diz, o diz àqueles que estão debaixo dela, para que toda boca
se cale e todo o mundo esteja sob o juízo de Deus”

Começando então com o verso 10, Paulo reúne vários versos do Velho Testamento fazendo
uma compilação para demonstrar pelas Escrituras o que já havia dito: o ser humano, por causa
do pecado, é depravado na sua essência.
É a Bíblia que mostra isto. Nas escolas e nas universidades isto não é ensinado, o que
aprendemos lá, é que a criança é um ser muito bom e que tudo vai depender do ambiente em
que ela for criada! O meio ambiente pode ajudar muito e não deve ser ignorado, mas a verdade
bíblica diz que o ambiente só vai ajudar a criança a dar vazão ou não ao que está no coração.
Hitler deu vazão. Madre Teresa, não.
Notem como a criança cedo se revela... Duas crianças estão brincando no parque, você chega
e dá um brinquedo para cada uma delas. Elas ficam satisfeitas? Não, elas querem o brinquedo
uma da outra!
Neste ajuntamento de versículos Paulo pinta um dos quadros mais horríveis (veja Efésios 2:1-
3) para mostrar biblicamente a perversidade e a culpa universal dos homens. Vejamos...

Versículo 10...
“Como está escrito: “Não há nenhum justo, nem um sequer”

Mas - você diria - meu tio é tão sério, tão ameno, cordial e nunca fez mal para ninguém! Eu
conheço tanta gente boa, crentes e não crentes, que são verdadeiros exemplos para mim, que
levo Deus a sério!

Olhando para eles Deus diz: “Não há entre eles um só justo”.


Devemos ter em mente que Deus conhece os segredos do coração, lembra? Onde está isto
em Romanos?

Versículo 11a...
“não há ninguém que entenda”

Pense em todas as pessoas hoje que estão procurando entender o mistério da vida. Em todas
as partes do mundo, em templos, escolas, universidades, nas selvas, diante de ídolos, pessoas
procuram encontrar a resposta para o mistério do homem: “Por que nós somos como somos?”
E Deus diz: “Não há ninguém que entenda...” (Ray Stedman)

Versículo 11b...
“...ninguém que busque a Deus”

Está é uma declaração muito forte. Se não viesse de Deus, eu teria muita dificuldade em
aceitá-la, pois constantemente eu vejo pessoas nas igrejas, no mundo inteiro, indo para os
lugares mais diversos a procura de Deus, mas... na verdade, conforme Deus que não pode
mentir, eles não estão buscando o Deus verdadeiro, Deus da verdade e da Justiça, que está no
controle de todas as coisas.
Eles procuram um “deus” que não pune, que não incomoda, que nada exige, que aceita o seu
viver e estilo de vida como bem quer, e é claro, que diminua a sua dor, os poupa das aflições e
socorre nas tribulações.

Sim! Eles estão buscando aquele deus...”deus me acuda!!!,” “deus me tire desta fria”, “deus
me faça prosperar”, mas jamais aquele Deus Soberano.

Se você encontrar alguém que esteja procurando a Deus, saiba que a iniciativa foi de Deus e
não do homem, pois na Bíblia Jesus diz:
“Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, não o atrair” - João 6:44

Veja também Filipenses 2:13...


“Pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a vontade
dEle”
É para mim um grande incentivo ao evangelismo quando vejo alguém buscando a Deus,
quando vejo alguém dizendo quem está lendo a Bíblia, mas que não entende nada...

Leia II Corintios 5:11-21.


...para mim isto significa que Deus já está operando naquela vida e o meu trabalho será
apenas o de cooperar com Ele. É muito bom isto!

Voltando a Romanos 3:10-19, eis aqui um resumo que diz tudo e muito mais...

O que todo homem é:

 Depravado no CARÁTER
... caráter é o Que Você É – vs.10-12

 Depravado na CONVERSA
... conversa é o Que Você Diz – vs. 13-14

 Depravado na CONDUTA
... conduta é o Que Você Faz – vs. 15-17

 Depravado na ATITUDE
... atitude é a sua Postura diante de Deus – v.18

E tudo isto é o resultado de uma vida sem temor a Deus! - v. 18

Esta citação final é tirada do Salmo 36:1.


O ateísmo prático é a causa básica da injustiça do homem! (Geoffrey B. Wilson)

c) Conclusão inevitável – v.20

“Portanto, ninguém será declarado justo diante dele baseando-se na obediência à Lei, pois é
mediante a Lei que nos tornamos plenamente conscientes do pecado”

O apóstolo Paulo nestes versículos está dando um resumo do que foi dito até agora: todos
estão debaixo do pecado!

Geoffrey B. Wilson comentando este verso diz...

A causa desta falha universal reside na incapacidade da “carne” em obedecer a uma lei
“espiritual”, porque por mais que a “carne” possa impressionar sua própria espécie, ela não
será reputada justa aos olhos de Deus!

O pecado que desqualifica o homem de toda esperança de ser justificado por sua obediência
pessoal à lei de Deus, também o condena pela sua total incapacidade de cumprir as Suas
justas exigências.
Em Cristo Ary (in memoriam)
LIÇÃO 14
ROMANOS 3
TODOS PECARAM

I – OBJEÇÕES DOS JUDEUS – VS.1-8


II – NINGUÉM É JUSTO – VS. 9-20
III – JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ – VS. 21-31

A maioria absoluta dos comentaristas do livro de Romanos declara ser este trecho o próprio
“coração do livro de Romanos”! Não é um texto fácil de ser entendido, mas quando realmente o
compreendemos e aprendemos, passamos a desfrutar das riquezas e belezas de uma vida
verdadeiramente convertida à Cristo.
Como vimos, o apóstolo Paulo acabara de dar a “má notícia”: todos os homens e mulheres são
pecadores, ninguém jamais viveu ou viverá conforme os padrões estabelecidos por Deus.

Ele provou que todos pecaram...


 tanto os judeus (que tinham os mandamentos escritos);
 assim como os não judeus (sejam gregos, romanos, índios, executivos, empresários) que
não tinham o Velho Testamento, mas tinham os mandamentos gravados em seus corações
(Rm 2:14-15);
...e por isto são indesculpáveis perante Deus e estão debaixo do pecado.

Porém agora é como se Paulo deixasse de ser o promotor que acusa e passa a ser o
advogado de defesa. Com duas palavras pequenas (porém de uma importância extremamente
significativa): “mas agora”; ele muda tudo, passando para um clima de vida, alegria e
esperança.

Ele responde a pergunta mais crucial, mais importante, que uma pessoa pode fazer! Aquela
pergunta que em alguns momentos da vida sonda os corações, incomoda a consciência de
todos nós e pode ser formulada de muitas maneiras, tais como:

 Como se pode obter aquela paz gostosa, aquele sentimento de que tudo está bem entre
você e Deus?
 Como pode alguém sentir-se em paz com Deus, como saber se todos os pecados foram
perdoados?
 Como posso ter certeza que vou para o céu?
 Como alguém pode ter um relacionamento pessoal com Deus?
 É possível nesta vida, ter certeza para onde iremos na vida futura?

E VOCÊ?! Como responderia a estas perguntas?

As religiões e seitas dizem assim:


Judaísmo: através da obediência à Lei Mosaica.
Hinduismo: através de boas obras torna-se uma pessoa “iluminada”
Budismo: nega a existência de um Deus pessoal.
Nova Era: através da libertação da lei do karma e da reencarnação
Espiritismo: através de sucessivas reencarnações
O CRISTIANISMO responde de acordo com Romanos 3:21-31.
Veja como a salvação foi providenciada para nós...
a) O método de Deus para reconciliação – vs.21-26

“Mas agora se manifestou uma justiça que provém de Deus, independente da Lei, da qual
testemunham a Lei e os Profetas, justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os
que crêem. Não há distinção, pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo
justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.
Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue,
demonstrando a sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados
anteriormente cometidos; mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser justo e
justificador daquele que tem fé em Jesus.”

“MAS AGORA se manifestou uma justiça que provém de Deus” - v.21a

O que Paulo vai falar agora é tão sério, tão profundo, que uma palavra só não basta para
explicar o que realmente Deus está revelando ao homem; então ele usa três metáforas para
melhor descrever esta realidade...

 do tribunal de justiça ele tira a idéia de justificação


 do mercado de escravos ele apresenta o conceito de redenção
 dos sacrifícios do Velho Testamento ele exemplifica a propiciação

Justificação
é um ato judicial declarando uma pessoa justa, é o veredito final.
A palavra justo significa “colocar na conta de”, creditar algo a alguém.
Deus creditou em nossa conta devedora (devedora por causa dos nossos pecados) os méritos
de Cristo (não os nossos); e Deus Pai então, está livre para nos declarar justo.

Redenção
significa também compra, resgate, libertação. É o ato de comprar um escravo e tirá-lo do
mercado, assim ele não estará mais à venda, não haverá mais negócio. Jesus fez isto, nos
comprou e libertou do cativeiro, Ele pagou um alto preço com a sua morte na cruz.
Para nós a redenção é de graça, mas para Ele custou muito!

Propiciação
é a satisfação completa de todos os pré-requisitos demandados por Deus. O que Jesus fez
pela sua morte na cruz foi apaziguar a ira de Deus contra o homem que havia pecado contra
este Deus infinito.
Jesus preencheu todos os requisitos que e Lei Mosaica demandava para que o pecado fosse
perdoado e o homem pudesse se aproximar do altar de Deus. Cristo fez tudo. Aleluia!
JESUS FEZ TUDO O QUE NECESSITAVA PARA SERMOS SALVOS:

Jesus Cristo nos JUSTIFICOU


“Sendo pois justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”. –
Romanos 5:1
Jesus Cristo nos REDIMIU
Esta remissão custou a Sua própria vida, este foi o alto preço que Ele pagou para nos resgatar,
por isto que não somos mais escravos do Diabo. - “Vocês foram comprados por alto preço, não
se tornem escravos de homem” - I Coríntios 7:23

Jesus Cristo nos PROPICIOU


Ele se apresentou como uma oferta para mudar a ira de Deus para uma atitude propícia ou
favorável ao pecador.

b) O que é necessário ao homem fazer – vs.27-28


“Onde está, então, o motivo de vanglória? É excluído. Baseado em que princípio? No da
obediência à Lei? Não, mas no princípio da fé. Pois sustentamos que o homem é justificado
pela fé, independente da obediência à Lei.”
Agora que Paulo explicou o método de Deus para reconciliar pecadores consigo mesmo, ele
pergunta: “Que lugar é deixado neste evangelho para orgulhar-se?”
É impossível que um homem seja justificado pela fé enquanto busca justiça por sua própria
obediência à lei. (Geoffrey B. Wilson)

c) Deus se interessa por todos os homens – vs. 29-31


Versículos 29-30...
“Deus é Deus apenas dos judeus? Ele não é também o Deus dos gentios? Sim, dos gentios
também, visto que existe um só Deus, que pela fé justificará os circuncisos e os incircuncisos.
Geoffrey B. Wilson comentanto este trecho diz...
Paulo mostra ainda que as velhas distinções raciais foram abolidas no evangelho da graça de
Deus (veja Efésios 2:11-18). Na questão da aceitação diante dEle Deus, portanto, os judeus
não possuem nenhuma superioridade sobre os gentios.
A salvação nem é garantida pela circuncisão (ou outros ritos como batismo, extrema-unção,
etc.), nem é impossibilitada pela “não circuncisão”, porque qualquer um que Deus justifica, é
justificado somente por meio da fé. Este reconhecimento de fé como fator decisivo na salvação
depende da percepção de que todos os homens foram reduzidos ao mesmo nível de
necessidade pelo pecado.

Versículo 31...
“Anulamos então a Lei pela fé?
De maneira nenhuma! Ao contrário, confirmamos a Lei”
Para concluir Paulo então pergunta: o mandamento de Deus não teria sido anulado pela
afirmação que nenhuma obra de obediência à lei pode contribuir para a justificação do
homem?!

Rejeitando esta sugestão, ele então mostra que a justificação pela fé não revoga, mas sim
estabelece a lei; porque só quem já experimentou esta “justiça que provém de Deus” pode...
 entender essa graça maravilhosa
 regozijar-se no perdão infinito
 ter a certeza absoluta de uma vida eterna com Deus e com a Sua família!
 ter uma resposta de gratidão à Deus buscando a mais completa obediência aos seus
mandamentos!
William Hendriksen comentando sobre este trecho diz...

 É possível que estejamos tão acostumados com a expressão “perdão dos pecados”, que
ela já tenha perdido seu sentido para nós?
 Porventura refletimos sobre o fato de que tais pecados são mais infinitamente hediondos à
vista de Deus do que são para nós?

Sim, Deus nos perdoa mesmo quando, para fazer isto, Ele por causa da Sua justiça perfeita,
teve de castigá-los em Seu Filho, Aquele que Ele amou como somente Deus pode amar!
E VOCÊ... já foi alcançado por esta MARAVILHOSA GRAÇA !?!?!
Em Cristo, Ary (in memoriam)
* Querendo aprofundar seu conhecimento em outras seitas e religiões, leia “Os Enganadores” –
Josh McDowell – Ed. Candeia.
LIÇÃO 15
ROMANOS 4
ABRAÃO JUSTIFICADO PELA FÉ

“Continue remando,
continue trabalhando, vai se esforçando,
faça sempre o seu melhor e você vai conseguir...”
Podemos até sorrir desta exagerada simplificação, mas é exatamente o que ouvimos
constantemente quando abordamos alguém sobre a vida espiritual e a vida futura. O homem
tem grande dificuldade em aceitar a idéia de justificação pela fé somente; ele sempre quer se
esforçar, está sempre tentando fazer alguma coisa para “merecê-la”.

Vamos nos lembrar do que temos visto até agora...

Romanos 1:1 – 3:20


Paulo apresenta a “Má Notícia”, isto é, o “Problema”, que é a pecaminosidade do ser humano.

Romanos 3:21 - 31
Paulo apresenta também a “Boa Notícia”, isto é, a “Solução do Problema” que é a Justificação
pela Fé, independente da Lei Mosaica ou de quaisquer boas obras que tenhamos feito.

Agora no capítulo 4 veremos que para provar o seu argumento Paulo escolhe uma ilustração
poderosa do Velho Testamento. Veja o esboço...

I - Abraão não foi justificado... – vs.1-15


a) pelas obras – vs.1-8
b) pela circuncisão – vs. 9-12
c) pela Lei – vs.13-15

II - Abraão foi justificado pela fé – v.16

III - A fé de Abraão – vs. 17-25


a) o objeto da fé: Deus – v.17
b) o obstáculo à fé – vs.18-20a
c) o objetivo da fé - vs.20b-22
d) os beneficiados da fé – vs.23-25
Vamos ao estudo...

Paulo escolhe Abraão por algumas razoes:


 Abraão era considerado pelos judeus como o pai da nação.
 Ele representava o melhor que havia no judaísmo.
 Era considerado o pai das três grandes religiões do mundo: Judaísmo, Islamismo e
Cristianismo.
 Os judeus achavam Abraão tão perfeito que o livro chamado “Orações de Manasses” conclui
que Abraão foi perfeito em todos os seus feitos, obedeceu toda a Lei antes de ser escrita e
jamais teve necessidade de arrependimento.
Para responder algumas perguntas e então não deixar dúvidas num assunto tão crucial, tão vital
para todos nós como a salvação; Paulo escreve um capítulo inteiro explicando...
 Como Abraão foi justificado
 Como foi salvo
 Como foi colocado em perfeito relacionamento com Deus

Mas... antes de falarmos de Abraão, vejamos o que a Bíblia diz a respeito da fé...
“Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que Ele existe
e que recompensa aqueles que o buscam” – Hebreus. 11:6
Não é o que fazemos por Deus, mas o que Ele faz por nós que nos dá uma vida de poder e
força. Nosso grande Deus, e não a nossa grande fé é o que importa!

Há dois tipos de fé...


 Uma é inerente ao ser humano, como por exemplo, a fé que constantemente temos em
nosso semelhante. Você vai fazer uma viagem de avião, compra a passagem, entra no
avião que vai ser pilotado por um aviador sem vê-lo ou saber das suas aptidões e confia
sua vida a ele.
 A outra é um dom especial de Deus, conforme Efésios 2:8-9:
“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie”.

Pelo Seu Espírito, Deus intervém na sua vida provocando aquele desejo de buscá-lo e crer
nEle. Seus olhos são abertos para a cruz e você canta: “Foi na cruz, foi na cruz, onde um
dia eu vi meu pecado castigado em Jesus. Foi ali, pela fé, que meus olhos abri, e agora me
alegro em Sua luz”

Fé é confiar em Deus, é crer nele. E qual é o resultado? É luz e força.


Quando resolvemos crer em Deus, a vida e o poder sobrenaturais entram em nossa vida.
Realiza-se um milagre dentro de nós.
Conforme a definição de Hebreus 11:1, “Fé é a certeza daquilo que esperamos, e a prova das
coisas que não vemos”. Portanto, a fé não é algo que brota de nós, mas que vem de Deus. É
uma convicção de fora que nos invade. É Deus quem nos dá a fé, e não nós que a produzimos,
como se pudéssemos fazê-lo.
Por exemplo, fé no sentido de que Deus cura hoje, todo genuíno cristão possui. Porém muitos
confundem fé com o desejo de cura, seguindo o seguinte raciocínio...
“Eu creio que Deus cura hoje. Só pode ser vontade d‟Ele curar sempre. Portanto, eu vou pedir
a Ele para fazer aquilo que quer fazer, e assim, posso ter certeza que Ele irá curar.”
Não!!! Isto acaba sendo fé na fé. Isto é crer que não é Deus quem cura, mas sim a fé!
Podemos concluir biblicamente que Deus não cura sempre, assim como não é vontade dele
que não morramos, como também que não haja terremotos, e coisas tais. Temos que
descansar no fato que Ele é o Senhor da história e que anda vitoriosamente sobre todas as
adversidades que nos afligem. E mais que isto, convida-nos a andar com Ele sobre todas as
adversidades.
À luz de tudo isto é que podemos afirmar categoricamente que enfermidades também fazem
parte das ondas bravias que podem vir sobre nós. Se Deus vai curar, não sabemos, pois nem
sempre o faz. Mas... uma coisa sabemos: “que Deus age em todas as coisas para o bem
daqueles que o amam” - Rom 8:28
Deus tem a expectativa de que nós agradeçamos por tudo, até mesmo pelas coisas ruins que
vem sobre nós. Isto não é masoquismo cristão, isto é fé, é confiança no amor daquele que já
nos deu a maior de todas as provas de amor:
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito para que todo
aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” – João 3:16

Fé é mesmo quando não possuímos provas externas para confirmar as promessas de Deus,
nos apegamos firmemente a elas. Em outras palavras, andar pela fé, e não pela vista!

Veja bem, fé é confiar nas PROMESSAS de Deus, e não no que queremos que aconteça!...
- “Tenho fé que vou casar com o Juca”
- “Tenho fé que Deus me dará uma Ferrari”, etc

Não! Isto não é fé, é ilusão! Além de confiar nas promessas de Deus, fé também é OBEDECER
a sua Palavra. Não tente ter mais fé, apenas procure conhecê-lo melhor! Como Deus é fiel,
quanto melhor o conhecer, mais você confiará nele.

A melhor maneira de conhecer a Sua fidelidade é arriscando a obedecê-lo!

Você precisa dar o primeiro passo!

O QUE A FÉ NÃO É...

 um sentimento de confiança como alguns pensam: “se você tem muito confiança, você tem
muita fé”. A questão aqui é o quanto de sentimento, de emoção, você consegue produzir.
 um tipo de auto-decepção, NÃO É acreditar naquilo que você sabe que não é verdade
 sinônimo de credulidade ou de superstição
 uma desculpa para a irracionalidade conforme chamou Bertrand Russel: “Uma convicção que
não pode ser abalada por evidência contrária”

O QUE A FÉ É ...
 abandono de toda a confiança nos próprios recursos
 lançar-se sem reservas nas mãos misericordiosas de Deus
 apegar-se as promessas de Deus em Cristo, dependendo inteiramente de Deus para
receber fortalecimento diário
 completa dependência e obediência à Deus

Nosso grande Deus, e não a nossa grande fé é o que importa!!!

Em Cristo

Ary (in memoriam)

*Tive ajuda de alguns autores no preparo desta lição: Ivênio dos Santos, John Ortberg,
Henrieta C. Mears e J. D. Douglas.
LIÇÃO 16
ROMANOS 4

ABRAÃO JUSTIFICADO PELA FÉ

“Ora, A FÉ É a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”. –
Hebreus 11:1

Apesar de que, na verdade, a fé ultrapassa a razão, ela tem sempre uma base firmemente
racional. Fé é acreditar ou confiar em uma pessoa e a sua razoabilidade depende da
confiabilidade da pessoa em quem se confia.
Quem melhor do que Deus para merecer a nossa confiança?

Abraão sabia muito bem disto, e nós ainda mais que ele, pois tivemos o privilégio de comprová-
lo, uma vez que vivemos depois da morte e ressurreição de Jesus, fato através do qual Deus se
revelou plenamente e mostrou ser digno de inteira confiança. (John Stott)

I - Abraão não foi justificado... – vs.1-15

a) pelas obras – vs.1-8

Versículos 1-5...
“Portanto, que diremos do nosso antepassado Abraão? Se de fato Abraão foi justificado pelas
obras, ele tem do que se gloriar, mas não diante de Deus.
Que diz a Escritura? “Abraão creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça.” Ora, o salário
do homem que trabalha não é considerado como favor, mas como dívida. Todavia, àquele que
não trabalha, mas confia em Deus, que justifica o ímpio, sua fé lhe é creditada como justiça.”

A justiça foi imputada a Abraão por uma questão de graça, e não de dívida.
Os justos podem ser assim considerados, apenas porque a perfeita justiça de Cristo é realmente
posta a seu crédito. (Geoffrey B. Wilson)

Versículos 6-8...
Note que o homem que Davi chama de feliz ou bem-aventurado não é aquele que tem boas
obras registradas a seu favor...

“Davi diz a mesma coisa, quando fala da felicidade do homem a quem Deus credita justiça
independente de obras: “Como são felizes aqueles que têm suas transgressões perdoadas,
cujos pecados são apagados! Como é feliz aquele a quem o Senhor não atribui culpa!”

b) pela circuncisão – vs. 9-12

Versículos 9-10...
“Destina-se esta felicidade apenas aos circuncisos ou também aos incircuncisos? Já dissemos
que, no caso de Abraão, a fé lhe foi creditada como justiça.
Sob quais circunstâncias? Antes ou depois de ter sido circuncidado?
Não foi depois, mas antes!”
A justificação de Abraão é narrada em Gênesis 15, e sua circuncisão só em Gênesis 17, uns
quatorze anos mais tarde; portanto não era de sua circuncisão que dependia sua aceitação por
Deus. (Denney)

Versículos 11-12...
“Assim ele recebeu a circuncisão como sinal, como selo da justiça que ele tinha pela fé,
quando ainda não fora circuncidado.
Portanto, ele é o pai de todos os que crêem, sem terem sido circuncidados, a fim de que a
justiça fosse creditada também a eles; e é igualmente o pai dos circuncisos que não somente
são circuncisos, mas também andam nos passos da fé que teve nosso pai Abraão antes de
passar pela circuncisão”
A circuncisão era a marca exterior (sinal) que se constituía na autenticação (o selo) de uma
justiça que lhe pertencia pela fé quando ainda era virtualmente um gentio; porém a circuncisão
não adicionava nada à fé, nem a tornava desnecessária. (Geoffrey B Wlson)

c) pela Lei – vs.13-15


“Não foi mediante a Lei que Abraão e a sua descendência receberam a promessa de que ele
seria herdeiro do mundo, mas mediante a justiça que vem da fé.
Pois se os que vivem pela Lei são herdeiros, a fé não tem valor, e a promessa é inútil; porque a
Lei produz a ira. E onde não há Lei, não há transgressão”.
A fé é tornada vã e a promessa anulada se a herança deve ser ganha por uma obediência à lei,
quer escrita na consciência, quer escrita em tábuas de pedra. Paulo expõe aqui a futilidade da
descrença judaica ao buscar justiça através da lei, porque a lei exclui tanto a fé quanto a
promessa de que depende. (Lenski)

II - Abraão foi justificado pela fé – v.16

“Portanto, a promessa vem pela fé, para que seja de acordo com a graça e seja assim garantida
a toda a descendência de Abraão; não apenas aos que estão sob o regime da Lei, mas também
aos que têm a fé que Abraão teve. Ele é o pai de todos nós”
Se o cumprimento da promessa tivesse sido dependente de esforço humano, se a salvação
fosse o produto de obediência perfeita aos mandamentos da lei de Deus, tal cumprimento jamais
poderia ser atingido! Mas... como a justificação é pela fé na graça, o plano eterno e eficaz de
Deus, a sua realização na vida de todo o povo de Deus é assegurada!

III - A fé de Abraão – vs. 17-25

a) o objeto da fé: Deus – v.17


“Como está escrito: “Eu o constituí pai de muitas nações”.
Ele é nosso pai aos olhos de Deus, em quem creu,
...o Deus que dá vida aos mortos (ou seja, a ressurreição)
...e chama à existência coisas que não existem, como se existissem” ( faz existir o que não
existia: a criação)”
Não há coisa que nos deixe mais desconcertados como seres humanos do que o “nada” e a
morte...
 o vazio dos existencialistas do Séc XX é, lá no fundo, o pavor do abismo da inexistência.
 a morte é, de todos os eventos, aquele sobre o qual nós não temos o mínimo controle e do
qual não podemos escapar. Woody Allen resume para muita gente moderna essa
incapacidade de lidar com a perspectiva da morte: “Não é que eu tenha medo de morrer, eu
só não quero estar presente quando isto acontecer”.

Mas o nada e a morte não são problemas para Deus! Pelo contrário, foi a partir do nada que Ele
criou o universo e foi da morte que Ele ressuscitou Jesus, por isto podemos acreditar
tranquilamente no poder e fidelidade de Deus. Amém!

b) o obstáculo à fé – vs.18-20a
“Abraão, contra toda esperança, em esperança creu, tornando-se assim pai de muitas nações,
como foi dito a seu respeito: “Assim será a sua descendência” Sem se enfraquecer na fé,
reconheceu que o seu corpo já estava sem vitalidade, pois já contava cerca de cem anos de
idade, e que também o ventre de Sara já estava sem vigor. Mesmo assim não duvidou nem foi
incrédulo em relação à promessa de Deus.”
“contra toda esperança, em esperança creu” - Esta é uma fé que não repara nos obstáculos,
que crê no humanamente impossível, que se eleva por sobre toda a barreira nas asas Daquele
que tudo pode.
Assim Abraão creu contra todas as evidências ao contrário, para que o propósito declarado de
Deus pudesse ser cumprido nele. Tal foi a fé de Abraão e o resultado é que tornou-se “o pai de
muitas nações”.
A natureza da fé é crer em Deus com base apenas em Sua Palavra...
“Não acontecerá”, diz o bom senso;
“Não pode ser”, diz a razão;
“Pode ser e será”, diz a fé, “pois me foi prometido” (Trapp)

c) o objetivo da fé - vs.20b-22

Versículo 20b...
“...mas foi fortalecido em sua fé e deu glória a Deus”
A fé de Abraão tornou-se forte. A fé cresce, ela aumenta, exatamente como Jesus disse que a fé
do tamanho de um grão de mostarda vai crescer na proporção em que formos acatando as
promessas e obedecendo a Palavra do Senhor.
Note também que a fé nunca glorifica o homem, mas a Deus; e é Ele que age e não o homem.

Versículos 21-22...
“...estando plenamente convencido de que Ele era poderoso para cumprir o que havia
prometido. Em conseqüência, “isso lhe foi creditado como justiça”

Visto que a atenção de Abraão estava firmamente fixada na promessa, ele não ficou angustiado
internamente pela desconfiança!
A fé se firma na verdade, como foi com Abraão; ela se agarra na promessa, se segura no que
Deus tem falado e prometido. Essa é a fé que justifica (não a aceitação cega), mas a confiança
esperançosa em Deus que tudo pode.

Crer na Palavra de Deus sempre O glorifica! Honra Suas promessas aceitando Sua Palavra
como confiável, e honra Seu poder através do reconhecimento da Sua habilidade de fazer o
impossível! (Barret)

d) os beneficiados da fé – vs.23-25
“As palavras “lhe foi creditado” não foram escritas apenas para ele, mas também para nós, a
quem Deus creditará justiça, a nós, que cremos naquele que ressuscitou dos mortos a Jesus,
nosso Senhor. Ele foi entregue à morte por nossos pecados e ressuscitado para nossa
justificação.”

Tudo isto aconteceu a 2.000 anos antes de Paulo, mas ele diz que Deus não escreveu aquelas
palavras somente para Abraão, então para quem foram escritas?

PARA NÓS HOJE !!!

Como isto tem influenciado sua vida???


Bom estudo! Ary (in memoriam)
LIÇÃO 17
Jesus disse:
“Está escrito: „Nem só de pão viverá o homem,
mas de toda Palavra que procede da boca de Deus”
Mateus 4:4
TESTE PARA AUTO-AVALIAÇÃO
(não envie para mim)
Responda sem consultar suas anotações, apostila, ou Bíblia e depois confira as respostas nas
lições anteriores.
1. Você já decorou as seis palavras-chave do Esboço?
Já é hora de aprender, não acha?!
Faça uma cópia e coloque em sua agenda, Bíblia, espelho, etc.
___________________ ____________________
___________________ ____________________
___________________ ____________________

2. Você é capaz de citar do que se trata cada um dos 16 capítulos conforme o Esboço? Se
ainda não, já é hora de saber decor e salteado.
Como você entenderá o livro se não aprendeu este pequeno esboço?
Cite o capítulo que fala sobre:
Vida de paz _____
Justificação pela fé _____
Vida de amor _____
Vida de luta _____
Liberdade sem libertinagem _____
Conduta de amor _____
Os planos de Paulo _____
Eleição de Israel _____
3. Qual é a grande conclusão de Paulo no capítulo 3?

4. O que ficou em sua mente e coração em relação a este capítulo?

5. Qual é o esboço completo do capítulo 4?

6. Você já o aproveitou para compartilhar a salvação com alguém?

7. Qual a definição de:


 Justificação
 Redenção
 Propiciação

8. Que diferença isto faz em sua vida?

Olá Estudante!
 Você tem feito este estudo apenas como um exercício intelectual, ou também como algo
prático, relevante e real na sua vida diária?
 Se é assim, em que sua vida foi mudada?
Lembre-se que isto é entre você e Deus, mas os que estão perto de você hão de perceber que
houve mudança!
Em Cristo Ary (in memoriam)
LIÇÃO 18
ROMANOS 5

VIDA DE PAZ

Veja o esboço do capítulo...

I – Resultados da justificação – vs.1-11


a) paz – v.1
b) acesso – v.2a
c) esperança – v.2b
d) alegria – vs.3-5
e) salvação – vs.6-10
f) reconciliação – v.11

II - Nossos representantes: Adão e Cristo – vs.12-21


a) a condição do homem em Adão - vs.12-14
b) Adão e Cristo são contrastados – vs.15-17
c) morte em Adão, vida em Cristo – vs. 18-21

Vamos ao estudo...

I – Resultados da justificação – vs.1-11

Você sabe o que a pessoa ganha ao passar ...


de perdido para salvo?
de inimigo a amigo de Deus?
de injusto para justo?
das trevas para luz?
de ímpio para santo?
de escravo para livre?
da morte para a vida?

a) paz – v.1
“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”

O que Paulo fala não é aquela “sensação interior” de harmonia e tranqüilidade, mas sim, o fato
concreto do novo relacionamento com Deus. Paz significa que a guerra está acabada entre o
homem e Deus, que Ele não tem nada contra nós, porque...

 Deus julgou todo pecado sobre Cristo, nosso substituto.


 Deus está completamente satisfeito com o sacrifício de Cristo; e Ele permanecerá
eternamente assim, nunca trará o julgamento dos nossos pecados outra vez.
 Deus está, por essa razão, contente acerca de nós para sempre...
Por mais pobre que seja o nosso entendimento da verdade, por mais errados que
estejamos no caminhar; Deus estará olhando para o sangue de Cristo, e não para os
nossos pecados.
b) acesso – v.2a
“...por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes”

“Acesso” é a tradução de uma palavra grega que pode ser entendida como...
 termo usado para introduzir alguém na presença de um Rei
(Jesus nos introduz pela Graça na presença de Deus)
 termo usado para referir-se ao porto onde os navios ancoram
(entramos por Jesus no porto da Graça de Deus)

Imagine que Jesus tendo justificado você, lhe toma pela mão e apresenta ao Deus Pai
dizendo... “Este é o ____ ( coloque seu nome ). Agora ele é um dos teus filhos e co-herdeiro
comigo!”

c) esperança – v.2b
“...e nos gloriamos na esperança da glória de Deus”

Seria estranho se estas bênçãos não criassem no coração do crente um forte senso de
segurança e uma esperança confiante. De fato, a palavra “gloriamos” significa um regozijo
exultante, que é inspirado pela certeza que temos paz com Deus. (Geoffrey B Wilson)

Esperança da gloria de Deus é o radiante esplendor que, um dia, se manifestará em toda a sua
plenitude. (John Stott)

Em outras palavras Paulo está falando aqui que agora nós temos a esperança gloriosa de ver o
nosso Deus vindo em toda a Sua glória. O cristão se alegra na esperança, isto é, aquele dia
em que Deus se manifestará na vinda de Jesus Cristo! (veja Tito 2:11-14)

d) alegria – vs.3-5
“Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação
produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E
a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por
meio do Espírito Santo que ele nos concedeu”
Mesmo na tribulação nos gloriamos, isto é, nos alegramos em Deus; pelos benefícios que ela
nos traz: paciência e esperança; e esta alegria é um fruto da fé!

Como prova de que a tribulação não deve ser um obstáculo para a alegria dos crentes, Paulo
evoca o fato de que experimentamos o socorro divino, o qual nutre e confirma nossa
esperança, quando pacientemente suportamos nossas adversidades.

A tribulação produz paciência. Este não é um efeito natural da tribulação, como vemos ela leva
uma grande porção dos seres humanos a murmurar contra Deus, e até mesmo a amaldiçoá-lo.
Mas... quando aquela submissão interior que é infundida pelo Espírito de Deus; e aquela
consolação que é comunicada pelo mesmo Espírito, assume o lugar de nossa obstinação;
então as tribulações (que na teimosia só podem produzir indignação e descontentamento),
tornam-se meios de gerar a paciência. (Calvino)

e) salvação – vs.6-10

Versículos 6-8...
“De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios. Dificilmente
haverá alguém que morra por um justo, embora pelo homem bom talvez alguém tenha coragem
de morrer. Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda
éramos pecadores.”

Geoffrey B Wilson comentando este texto diz...

Um homem realmente pode estar preparado a fazer o maior dos sacrifícios por alguém que ele
julga ser digno disso, mas Deus deu Seu Filho para a morte na cruz por aqueles que Ele sabia
serem completamente vis e indignos!

Note que o caráter incrível do amor de Deus está no fato de que ele foi exercido em favor
daqueles cuja condição natural era absolutamente repugnante diante de Sua santidade.

Versículos 9-10...

“Como agora fomos justificados por seu sangue, muito mais ainda, por meio dele, seremos
salvos da ira de Deus!
Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a morte de seu
Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos por sua vida!”

Paulo está se lembrando de Rm 1:18, e também que a ira de Deus foi aplacada pelo sacrifício
de Jesus (I Tes. 1:10 e 5:9).
A argumentação destes versículos está baseada em Cristo, pois se a reconciliação foi feita
através de Sua humilhante morte, então quanto mais a Sua gloriosa vida ressurreta assegurará
a salvação final daqueles pelos quais sofreu. A esperança da glória necessariamente inclui a
segurança de que por Cristo seremos salvos da ira vindoura, veja João 3:36. (Geoffrey B
Wilson)

f) reconciliação – v.11
“Não apenas isso, mas também nos gloriamos em Deus, por meio de nosso Senhor Jesus
Cristo, mediante quem recebemos agora a reconciliação.”

Porque conforme vimos, Cristo tomou a mão do homem e a mão de Deus e os reconciliou.

Como as últimas palavras deste versículo claramente mostram, a reconciliação não é uma
mudança em nossa disposição para com Deus, mas sim uma mudança de Sua atitude para
conosco. Nós a recebemos pela fé em Cristo, a quem Deus propôs como propiciação pela fé
no Seu sangue. Nós a recebemos como a dádiva indescritível de Deus! (Denney)
Perguntas...

1. O que temos agora que somos justificados pela fé? - v.1

2. Por que precisamos ter paz com Deus? Veja o que realmente éramos...
v.6 - porque éramos _________________
v.8 - ainda éramos___________________
v.10 - éramos ______________________
Entendeu agora porque precisávamos ser justificados por Deus através da morte de Cristo?

3. Você pode dizer com toda a convicção do seu coração que agora goza desta paz com
Deus?
Não se trata aqui de uma paz na família, no trabalho, ou até paz no dia a dia do corre-corre
deste mundo. É algo muito mais profundo, é uma paz entre você e Deus, entre você e o seu
Criador. É aquela certeza que você está nEle e Ele em você. É aquela tranqüilidade que você
foi aceito por Ele, aquela sensação gostosa de se sentir “em casa”.

4. O que obtivemos? - v.2

5. Em que nos gloriamos ? – vs.2-3

6. Por que nos gloriamos nas tribulações? – v.3

7. Você já foi reconciliado com Deus? Tem certeza da sua salvação? Absoluta?

8. Você tem se regozijado nas tribulações ou você é um eterno murmurador? Veja Fil 2:14-15.

Tarefa...

1. Não tenha preguiça. Abra a sua Bíblia e veja o que escrito em Fil. 2:14-15
Há! Há! Há!
2. Decore Romanos 5:1 e 5:8

3. Lembre-se sempre que...


 Temos paz com Deus - v.1
 Temos acesso à graça de Deus – v.2a
 Alegramo-nos na esperança da glória de Deus - v.2b
 Alegramo-nos também nas tribulações - vs.3-5
 Sabemos que seremos salvos da ira - vs.6-10
 Também nos regozijamos em Deus - v.11

Portando, o cristão deve ser um eterno otimista!!!


Bom estudo

Ary (in memoriam)


LIÇÃO 19
ROMANOS 5
VIDA DE PAZ

I – Resultados da justificação – vs.1-11


II - Nossos representantes: Adão e Cristo – vs.12-21

Este é um texto que exige bastante atenção porque Paulo usa uma linguagem que era bem
conhecida dos judeus, mas com a qual nós ocidentais não estamos familiarizados.
O que Paulo está falando aqui é que o homem foi arruinado pelo pecado de Adão e pode ser
resgatado por causa da morte de Cristo!
Essa é a mensagem que você precisa guardar.
Vamos aos detalhes...

a) a condição do homem em Adão - vs.12-14


“Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a
morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram; pois antes de ser
dada a Lei, o pecado já estava no mundo. Mas o pecado não é levado em conta quando não
existe lei.
Todavia, a morte reinou desde o tempo de Adão até o de Moisés, mesmo sobre aqueles que
não cometeram pecado semelhante à transgressão de Adão, o qual era um tipo daquele que
haveria de vir.”
A condição do homem em Adão é a mais trágica possível!
Com uma natureza decaída por causa do pecado do nosso representante Adão...
(e não pense que se você estivesse no lugar dele faria melhor!)
...o ser humano arrasta uma existência de miséria, vazio e falta de propósito; e mais ainda,
caminha para uma eternidade sem Deus.
Essa é a humanidade em Adão.
Assim como uma árvore está contida em sua semente, assim também toda a humanidade está
contida em Adão, portanto todos pecaram, e todos morreram: morte física e espiritual. Veja Gn
2:17; 3:19.

IMPORTANTE: Note como Paulo de uma maneira direta e sem rodeios cita Gênesis 1-3,
mostrando claramente que ele crê na sua historicidade.

John Stott, um dos maiores expositores da Bíblia, diz sobre este texto...
Hoje em dia é moda considerar a história bíblica de Adão e Eva como um “mito” e não um
evento significativo... o propósito da Escritura é claro: de que aceitemos a sua historicidade
como sendo o casal humano original.”

Em outras palavras, o argumento de Paulo é totalmente baseado na veracidade que houve um


homem chamado Adão e uma mulher chamada Eva, portanto devemos rejeitar sem medo
frases como: “Adão era uma figura simbólica”; “Eva nunca existiu”, etc. Veja I Tim 2:13-14 e I
Cor 15:22.
Alguém poderia perguntar: “Como um ato de Adão trouxe uma condenação universal, se a lei
não tinha sido dada?!” Já comentei sobre isto, mas vale repetir que a presença da morte prova
a presença do pecado, porque o homem tinha a Lei gravada no seu coração, como já vimos no
capítulo 2.

 O homem morre - física e espiritualmente - por causa do pecado de Adão, e não por causa
dos seus próprios pecados (Rm 5:12), caso contrário, as criancinhas não morreriam.
 Um ato de Cristo providencia a justificação para todos os que crêem.

Ficou claro para você que a base da justificação não é a sua própria justiça, mas a justiça que
provem de Deus?! (Rm 3:21)

b) Adão e Cristo são contrastados – vs.15-17


“Entretanto, não há comparação entre a dádiva e a transgressão. Pois se muitos morreram por
causa da transgressão de um só, muito mais a graça de Deus, isto é, a dádiva pela graça de um
só homem, Jesus Cristo, transbordou para muitos!
Não se pode comparar a dádiva de Deus com a conseqüência do pecado de um só homem: por
um pecado veio o julgamento que trouxe condenação, mas a dádiva decorreu de muitas
transgressões e trouxe justificação.
Se pela transgressão de um só a morte reinou por meio dele, muito mais aqueles que recebem
de Deus a imensa provisão da graça e a dádiva da justiça reinarão em vida por meio de um
único homem, Jesus Cristo.”
Anders Nygren escreve sobre este texto...
“Lá estão Adão e Cristo como os respectivos “cabeças” das duas eternidades. Adão é o
cabeça da velha eternidade, a era da morte; Cristo é o cabeça da nova eternidade, a era da
vida.”

1º contraste
Adão trouxe morte física e espiritual para toda a humanidade e Cristo trouxe abundante graça
sobre muitos.

2º contraste
Aparece nas conseqüências do ato de cada um. O ato de desobediência de Adão trouxe
julgamento e condenação, mas a dádiva de Cristo traz justificação e perdão não apenas para
aquele pecado, como para todos os pecados cometidos através dos tempos. Isso explica como
Paulo pôde afirmar que a dádiva de Cristo sobrepuja a transgressão cometida por Adão - v.15.

3º contraste
Adão trouxe a morte física e espiritual; Jesus Cristo trouxe vida e vida plena, abundante (veja
João 10:10). A transgressão de Adão permitiu que a morte reinasse; a morte e ressurreição de
Cristo permitiu que a vida reinasse.
Gosto do comentário que o expositor e meu mestre, Ray Stedman, faz sobre isto:
“O que é a vida ? Vida é amor, alegria, entusiasmo. É vitalidade, é poder e realização em todas
as direções, é cada possibilidade do nosso ser.
Morte é ausência de vida. Morte é vazio, solidão, miséria, depressão, tédio e inquietação.”
E você estudante?
Quanto da sua vida é morte? Quem reina em você?
Algumas pessoas parecem ter mais morte do que “Vida” em suas vidas. E você?

c) morte em Adão, vida em Cristo – vs. 18-21


Versículos 18-19...
“Conseqüentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os
homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os
homens. Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos
pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos
justos.”
O que Paulo tem em vista aqui não é a extensão numérica daqueles que são salvos; ele está
mostrando o que os atos respectivos de Adão e de Cristo significam para aqueles que eles
representam: todos que são condenados o são por uma só ofensa de Adão; e todos os que são
justificados o são por causa de um só ato de justiça de Cristo. (Geoffrey B Wilson)

Versículos 20-21...
“A Lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o pecado,
transbordou a graça, a fim de que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reine
pela justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.”
William Hendriksen comentando este texto diz...
“A Lei age como lentes de aumento, ela torna mais nítido e manifesta muito mais do que alguém
poderia ver a olho nú. Semelhantemente, a Lei aumenta o realce do pecado em toda sua
hediondez e ramificações ( veja Rm 3:20; 7:7-13 e Gál. 3:19). À luz da Lei de Deus, a pessoa
começa a ver sua pecaminosidade e debilidade pessoal, e também dará graças a Deus pela
manifestação de Sua graça em Jesus Cristo!
Resultado: onde o pecado aumenta, a graça também aumenta!
Não como se essas duas forças – pecado e graça – fossem iguais; ao contrário, a graça não só
perdoa, mas faz muito mais que isto: ela traz vida eterna!”
Que Cristo esteja reinando em você, estudante.

Pergunta...
Você ainda se lembra do que estudamos no capítulo 4?
 Abraão não foi justificado...
a) pelas ________ – vs.1-8
b) pela _________________ – vs. 9-12
c) pela ______ – vs.13-15
 Abraão foi justificado pela ____ – v.16
 O objeto da fé de Abraão: ________ – v.17
 Quais os obstáculos que Abraão enfrentou e mesmo assim permaneceu firme na fé ?
 Como Paulo aplicou a lição de Abraão para nós hoje?
(veja os versos finais do capítulo 4 )

Lembre-se que já foi dito e será repedido muitas vezes...

Você colherá os frutos do seu investimento em tempo e estudo


Gastando 5 minutos você terá os frutos de 5 minutos.
Gastando 3 horas os frutos serão abundantes.
Ary (in memoriam)
LIÇÃO 20
ROMANOS 6
VIDA DE VITÓRIA

Você se lembra do que já estudamos até aqui?!


 Rm 1:18 a 3:20 - Paulo prova que todos pecaram
 Rm 3:21 a 4:25 - a justificação é pela fé, e não por obras ou mérito nosso
 Rm 5 - os resultados da justificação tendo Abraão como exemplo de justificação pela fé

Na igreja há sempre alguns que distorcem os ensinamentos bíblicos. O capítulo 6 de Romanos


nos orienta a respeito disto, e também como ter uma vida de vitória sobre o pecado.
Veja o esboço...

I - Nossa liberdade do pecado – vs.1-4


a) uma pergunta aparentemente lógica – v.1
b) a resposta – vs.2-3
c) conclusão – v.4

II - A prova da liberdade – vs.5-11


a) nossa união com Cristo – vs.5-7
b) nossa ressurreição com Cristo – vs.8-10

III - Vitória sobre o pecado – vs.12-14


a) pare... – v.12
b) comece... – v.13
c) nunca se esqueça... – v.14

IV - Não seja leviano com a graça – vs.15-23


a) porque o pecado escraviza – vs.15-18
b) porque o pecado leva à morte – vs.19-21
c) porque a obediência traz vida eterna – vs.22-23
d) conclusão

Vamos ao estudo...
No capítulo 6 de Romanos há três palavras importantes...

 SAIBA que Cristo morreu por nós – vs.3-5;10


...e que nós morremos com Cristo – v.8

 CONSIDERE-SE morto para o pecado – v.11


...visto que estamos mortos para o pecado e vivos para Deus, como viveremos para o
pecado?

 OFEREÇA-SE a Deus – v.13


Isto significa a renúncia da sua vida, para que Deus viva em você!
Essa é a vida de submissão; é o modo certo de viver uma vida de vitórias e bênçãos. Deixe
que Cristo opere Sua vontade em você e através de você.
I - Nossa liberdade do pecado – vs.1-4

A Pergunta... 6:1
A Resposta... 6:2-3
Conclusão... 6:4

Vida antes da conversão


EU sem poder para anular as
investidas do pecado

Jesus no centro, Ele dá poder


para anularmos as investidas; Jesus

a) uma pergunta aparentemente lógica – v.1


“Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente?”

A pergunta é colocada de tal maneira que parece até piedosa; em outras palavras: “Já que
estamos justificados, salvos para sempre, então não precisamos mais nos preocupar com o
pecado?”
Este questionamento não é apenas lógico, mas também natural, pois afinal pecar é gostoso,
não é!?!! Vamos admitir que, pelo menos momentaneamente, é bom, doce, excitante...
 quando colocamos o outro no seu devido lugar
 quando fofocamos
 quando enganamos o patrão
 quando damos um “chute” nos outros

É gostoso! E... nossa experiência mostra que a possibilidade de continuarmos pecando é
“boa”.

b) a resposta – vs.2-3

“De maneira nenhuma!


Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele?
Ou vocês não sabem que todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados
em sua morte?”

Isto não significa que o pecado está morto em mim (a falsa idéia de que uma vez salvo, não
peco mais), mas sim que devemos morrer para o pecado, isto é, ter uma vida de vitória sobre o
pecado e suas tentações!

Já aprendemos como podemos nos tornar cristãos, agora veremos como podemos viver como
cristãos. Uma coisa é aceitar o que Cristo fez por você, outra é experimentá-lo de maneira
pessoal e real.

c) conclusão – v.4
“Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como
Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida
nova.”

“Uma vez que os amados do Salvador estão “nele”, sendo a relação muito estreita e
inseparável, segue-se que este alvo estava incluso no propósito de sua ressurreição: “para que
vivamos uma nova vida”, vida esta não mais dedicada ao pecado, mas à glória do Deus
Triúno” (William Hendriksen).

Pergunta...

O que estudamos hoje fará diferença em sua vida daqui em diante?

Bom estudo, Ary (in memoriam)


LIÇÃO 21
ROMANOS 6
VIDA DE VITÓRIA

I - Nossa liberdade do pecado – vs.1-4


II - A prova da liberdade – 6:5-11

a) nossa união com Cristo – vs.5-7


Versículo 5...
“Se dessa forma fomos unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente o seremos
também na semelhança da sua ressurreição.

Se já nos tornamos unidos com Cristo numa morte como a sua, de modo que Sua morte
ocasionou nossa morte de um viver constantemente em pecado, certamente também
estaremos unidos com Ele numa ressurreição como a Sua, ou seja, nossa ressurreição
espiritual, nosso andar em novidade de vida (William Hendriksen).

Versículos 6-7...
Pois sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado
seja destruído, e não mais sejamos escravos do pecado; pois quem morreu, foi justificado do
pecado.”
O que Paulo está nos dizendo é claramente isto: ao invés de mergulhar no pecado e ficar
“brincando” de nadar para lá e para cá nele a fim de que a graça aumente, devemos ter em
mente que isto destruiria o próprio propósito de nossa vida como crentes.

b) nossa ressurreição com Cristo – vs.8-10


“Ora, se morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos. Pois sabemos que,
tendo sido ressuscitado dos mortos, Cristo não pode morrer outra vez: a morte não tem mais
domínio sobre ele. Porque morrendo, ele morreu para o pecado uma vez por todas; mas
vivendo, vive para Deus.”
“Se já morremos com Cristo, ou seja, se como resultado da morte de Cristo por nós, já
morremos para o pecado, também viveremos espiritualmente em comunhão com Ele, e isto
não só no porvir, mas aqui e agora! Sabemos que este viver com Ele só é possível porque Ele
havendo morrido, ressucitou dentre os mortos não morrendo nunca mais” (William
Hendriksen).
c) conclusão
“Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo
Jesus”

Isto é... leve a sério, você já morreu!

III - Vitória sobre o pecado – vs.12-14

a) pare... de coroar o pecado como rei de sua vida – v.12


“Portanto, não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo
que vocês obedeçam aos seus desejos.”
“O pecado não tem senhorio sobre o crente, e é apenas por causa disto que o mandamento
deste verso se torna significativo. Dizer ao escravo para não se comportar como tal, é zombar
de sua escravidão; mas dizer o mesmo ao escravo que já foi libertado é o apelo necessário
para que ele ponha em prática os privilégios e direitos de sua libertação” (John Murray)

b) comece... a oferecer-se à Deus – v.13


“Não ofereçam os membros do corpo de vocês ao pecado, como instrumentos de injustiça;
antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros do
corpo de vocês a ele, como instrumentos de justiça “
Já vimos que o andar em novidade de vida significa total dedicação à Deus de dons, talentos
e... membros do seu corpo, para a glória dEle!

c) nunca se esqueça... que o pecado já perdeu o domínio sobre você – v.14


“Pois o pecado não os dominará, porque vocês não estão debaixo da Lei, mas debaixo da
graça.”
Morte para o pecado é a separação do poder do pecado em nossas vidas, resultando numa
vida de vitória.

IV - Não seja leviano com a graça – vs.15-23

a) porque o pecado escraviza – vs.15-18


“E então? Vamos pecar porque não estamos debaixo da Lei, mas debaixo da graça? De
maneira nenhuma!
Não sabem que, quando vocês se oferecem a alguém para lhe obedecer como escravos,
tornam-se escravos daquele a quem obedecem: escravos do pecado que leva à morte, ou da
obediência que leva à justiça?
Mas, graças a Deus, porque, embora vocês tenham sido escravos do pecado, passaram a
obedecer de coração à forma de ensino que lhes foi transmitida. Vocês foram libertados do
pecado e tornaram-se escravos da justiça”
“Como Paulo sabe que este ensino espiritual pode ser distorcido por uma lógica cega, ele
agora volta a considerar a pergunta levantada no verso 1, de um novo ponto de vista. Aqui, a
remoção dos limites da lei poderia ser interpretada como uma licença para pecar, e novamente
esta idéia é sumariamente rejeitada.”(Geoffrey B. Wilson)

b) porque o pecado leva à morte – vs.19-21


“Falo isso em termos humanos, por causa das suas limitações humanas. Assim como vocês
ofereceram os membros do seu corpo em escravidão à impureza e à maldade que leva à
maldade, ofereçam-nos agora em escravidão à justiça que leva à santidade.
Quando vocês eram escravos do pecado, estavam livres da justiça.
Que fruto colheram então das coisas das quais agora vocês se envergonham?
O fim delas é a morte!”
Compare este texto com o que Jesus disse em Mateus 6:24
(abra sua Bíblia e veja o que está escrito, estudante).
Servir ao pecado e a justiça ao mesmo tempo é impossível!
(...e você, estudante, já fez a sua escolha?!)
c) porque a obediência traz vida eterna – vs.22-23
“Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram escravos de Deus, o fruto que
colhem leva à santidade, e o seu fim é a vida eterna.
Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo
Jesus, nosso Senhor.”
William Hendriksen comentando este texto diz...

“Que contraste...
anteriormente, escravidão agora, liberdade!
anteriormente, escravos do pecado agora, servos de Deus!
anteriormente, vício agora, santidade!
anteriormente, vergonha agora, paz mental!
anteriormente, morte agora, vida sim! Vida eterna!

O que o pecador tem conquistado como pagamento por seu pecado é a morte em todas as
suas formas: física, espiritual e eterna.

No que se refere a vida eterna, ela é um dom, um presente inteiramente gratuito.


Oh! Sim! Ela foi comprada, não porém pelo pecador, mas por Cristo Jesus para o pecador!”

d) conclusão
O crente logo descobre novos padrões para a sua vida...
Não procura viver de acordo com a lei, porque não está mais debaixo dela, mas procura
agradar Aquele que habita dentro dele.

O seu novo viver diz através de suas atitudes...


“Porque para mim o viver é Cristo, e faço todas as coisas para a glória de Deus.”

Perguntas para reflexão...

1. Como você enfrenta suas reminiscências quando à noite elas teimam em lembrar-lhe de
seus erros do passado?

2. Se estamos mortos para o pecado, por que como cristãos ainda continuamos pecando?
(vs. 5-6)

3. Quais são os membros do seu corpo que você mais oferece ao pecado...
a língua?
a mente?
as mãos?
os órgãos sexuais?
o coração amargurado?

Tarefa...
Releia cuidadosamente os versículos 13 e 14 e peça a Deus vitória sobre o seu “pecado de
estimação”.
Em Cristo,Ary (in memoriam)
LIÇÃO 22
ROMANOS 7
VIDA DE LUTAS

Antes de iniciar este capítulo, leia o texto em sua Bíblia e medite nele.
Você deveria fazer isto em todas as lições, não acha?!
Peça a Deus entendimento espiritual para entender a Sua Palavra.

No capítulo 7 encontramos uma descrição da maneira errada de viver. Trata da nossa


impossibilidade de ter uma vida vitoriosa – por nós mesmos – mas também nos apresenta
pilares, colunas, que nos ajudarão a viver vitoriosamente.

 Sublinhe a palavra “eu”, e verá que é usada muitas vezes neste capítulo.
 O Espírito Santo não é mencionado uma vez sequer.
Embora o “eu” se esforce, só encontra derrota.

Certo crente experiente declarou:


“Não é difícil viver uma vida cristã; é impossível”.
Paulo disse:
“Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”

Veja o esboço...
I – A Lei e o crente – vs.1- 6
a) uma ilustração – vs.1-3
b) aplicação – vs.4-6

II – O papel da Lei é revelar... - vs.7-13


a) o fato do pecado - v.7
b) o que ela oferece para o pecado - v.8
c) o poder do pecado - v.9
d) o caráter diabólico do pecado - v.10
e) a pecaminosidade do pecado - vs. 11-13

III - A Lei mosaica e o crente carnal - vs.14-25


a) primeiro ciclo - vs. 14-17
b) segundo ciclo - vs. 18-20
c) terceiro ciclo - vs. 21-25

Vamos ao estudo...
I – A Lei e o crente – vs.1- 6
Paulo explica como os cristãos estão sob a graça (e não sob a Lei) em continuidade ao que já
dissera em Rom 6:14. Sua tese é a seguinte: exatamente porque a participação do cristão na
morte de Cristo libertou-o do pecado, ela também o libertou da Lei quanto aos seus aspectos
condenatórios.

a) uma ilustração – vs.1-3

Versículo 1...
“Meus irmãos, falo a vocês como a pessoas que conhecem a Lei. Acaso vocês não sabem que
a Lei tem autoridade sobre alguém apenas enquanto ele vive?”
Aqui, primeiramente Paulo estabelece o princípio fundamental da sua mensagem.

Versículos 2-3...
“Por exemplo, pela Lei a mulher casada está ligada a seu marido enquanto ele estiver vivo;
mas, se o marido morrer, ela estará livre da Lei do casamento.
Por isso, se ela se casar com outro homem enquanto seu marido ainda estiver vivo, será
considerada adúltera. Mas se o marido morrer, ela estará livre daquela Lei, e mesmo que
venha a se casar com outro homem, não será adúltera.”
Para ilustrar esse princípio, ele utiliza a figura do contrato matrimonial no qual a morte de um
dos cônjuges libera o outro para que se case novamente, pois a morte anula as obrigações
assumidas por força do matrimônio.
“A mulher está ligada ao marido para toda a vida - quer pela Lei Judaica, quer pela Romana - e
se ela o deixar para ir viver com outro homem ficará “marcada pelo estigma do adultério” (J. B.
Phillips). Porém, se o marido vier a morrer, ela estará livre para se casar com quem bem
entender.
A figura do casamento era utilizada metaforicamente pelas antigas religiões gregas para
representar o relacionamento entre a pessoa devota e seus deuses, portanto, era uma analogia
conhecida por todos. Tanto no Velho Testamento (Oséias 1-3; Jeremias 2:2), como no Novo
Testamento (Efésios 5:25) encontramos o emprego dessa mesma metáfora.

b) aplicação – vs.4-6

Versículos 4-5...
“Assim, meus irmãos, vocês também morreram para a Lei, por meio do corpo de Cristo, para
pertencerem a outro, àquele que ressuscitou dos mortos, a fim de que venhamos a dar fruto
para Deus. Pois quando éramos controlados pela carne, as paixões pecaminosas despertadas
pela Lei atuavam em nosso corpo, de forma que dávamos fruto para a morte. “
Paulo termina aplicando à pessoa do crente o que ele havia acabado de explicar. Da mesma
forma que a morte anula o casamento, a morte do crente para o pecado extingue o poder
condenatório da Lei sobre sua pessoa.
“Fica absolutamente claro através da mensagem destes versículos que tornar-se cristão
acarreta uma mudança completa de relacionamento e obediência.
Ao fim do capítulo 6, duas diferentes formas de escravidão são comparadas entre si; aqui, a
posição do cristão se move entre dois casamentos: o primeiro de desfaz pela morte, permitindo
a ocorrência do segundo.
Antigamente, era comum usar-se a expressão “casado” com a Lei (nossa obrigação para com
a Lei era tão efetiva quanto os laços matrimoniais); mas agora estamos livres para nos unirmos
a Cristo. Trata-se do mais notável uso da metáfora matrimonial que, neste caso, representa a
realidade e a intimidade de nossa união com Jesus Cristo” (Stott)

Versículo 6...
“Mas agora, morrendo para aquilo que antes nos prendia, fomos libertados da Lei, para que
sirvamos conforme o novo modo do Espírito, e não segundo a velha forma da Lei escrita.”
 O cristão é liberto da Lei para que possa servir, e não pecar.
Está livre para a obediência, e não para a licenciosidade.
 A Lei implica em que eu “faça algo” por Deus.
Libertação da Lei significa que Deus já fez - por sua graça - tudo quanto exigiam de mim.
O Senhor Jesus não exige menos; mas o que exige, Ele próprio cumpre em nós!

Volto a repetir: esta ilustração tem o propósito de esclarecer o que o apóstolo quer dizer em
Rom 6:14... ”Pois o pecado não os dominará, porque vocês não estão debaixo da Lei, mas
debaixo da Graça”.
Que fique bem claro: isto não significa libertinagem, mas sim liberdade do pecado e não mais
escravidão.

Daqui em diante Paulo descreve a luta contínua do crente contra o pecado. Enquanto
estivermos neste corpo mortal, já sendo salvo por Cristo, teremos sempre duas naturezas...
 “natureza carnal”, as vezes chamada de “velho homem”, que herdamos de Adão
 “natureza espiritual”, que recebemos pela sua infinita graça na nossa conversão, da qual
Paulo fala mais claramente no capítulo 8 de Romanos.

Paulo escreve baseado em sua própria vida, e a sua experiência é a mesma de toda pessoa
convertida...
II – O papel da Lei é revelar... - vs.7-13

“Com este texto começa uma das maiores passagens do Novo Testamento e uma das mais
comoventes, porque aqui Paulo nos dá a sua própria autobiografia e abre seu coração e sua
alma.” - William Barcley
A Lei é boa porque revela que sou pecador quando a desobedeço.
Temos como exemplo uma criança não sabe que não se pode riscar a parede; a partir do
momento em que ela aprende que há uma Lei proibindo, sempre que riscar uma parede saberá
que está desobedecendo.
Foi o último dos mandamentos que revelou a Paulo o quão pecador era, e assim ele afirma que
a Lei é boa, santa e justa porque revela...

a) o fato do pecado - v.7


“Que diremos então? A Lei é pecado? De maneira nenhuma! De fato, eu não saberia o que é
pecado, a não ser por meio da Lei. Pois, na realidade, eu não saberia o que é cobiça, se a Lei
não dissesse: “Não cobiçarás”.

b) o que ela oferece para o pecado - v.8


“Mas o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento, produziu em mim todo
tipo de desejo cobiçoso. Pois, sem a Lei, o pecado está morto.”
Estes versos estão dizendo que a Lei não é a causa do pecado, mas ela cria a oportunidade
para o pecado quando ela entra com a proibição, como por exemplo: ”não cobiçarás...”.
Você já notou como todos nós temos uma tendência muito forte de querer o proibido! Você tem
dúvida sobre isto? Então coloque o seguinte aviso: “É proibido jogar pedra nesta janela de
vidro”, ou pinte o seu muro de branco e coloque uma placa dizendo “É proibido pixar este
muro”... e verá !!!
c) o poder do pecado - v.9
“Antes eu vivia sem a Lei, mas quando o mandamento veio, o pecado reviveu, e eu morri.”
A Lei mostra com clareza aquela parte negra da velha natureza que habita em nós, levando-
nos a pecar, e com o pecado o seu salário: “o salário do pecado é a morte”; por isso Paulo diz
no final deste verso... “eu morri”.

d) o caráter diabólico do pecado - v.10


“Descobri que o próprio mandamento, destinado a produzir vida, na verdade produziu morte. “
O caráter diabólico do pecado se revela no fato de que emprega até o bom e santo
mandamento para enganar e operar o mal.

e) a pecaminosidade do pecado - vs. 11-13


“Pois o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento, enganou-me e por meio
do mandamento me matou. De fato a Lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom.
E então, o que é bom se tornou em morte para mim? De maneira nenhuma! Mas, para que o
pecado se mostrasse como pecado, ele produziu morte em mim por meio do que era bom, de
modo que por meio do mandamento ele se mostrasse extremamente pecaminoso.”
O pecado, tomando como ponto de apoio à Lei divina, nos faz uma promessa negativa: “Não
morrereis” (Gen. 3:4).
Paulo chama a atenção para o fato que a culpa cabe ao pecado, não à Lei. De fato, ao trazer a
morte por meio do que é benigno, o pecado revela sua verdadeira identidade: é surpreendido
em meio à sua tarefa hedionda, demonstrando a brutal maldade que encerra. Embora a Lei
ofereça a vida quando é obedecida, ela perdeu o poder de capacitar as pessoas a vencerem o
pecado.

Perguntas...

 Nesta analogia do casamento, quem é a mulher, o primeiro e o segundo marido?


 Como Paulo mostra que não somos meros legalistas obedecendo apenas as regras da Lei,
nem libertinos não obedecendo a regras nenhuma?
 Que diferença isto tem que fazer na nossa vida diária?
 Qual a finalidade de nossa libertação da Lei? – vs.4 e 6
 É a Lei boa ou má, justa ou injusta?
 Qual é então a finalidade da Lei?

Aprendemos que o pecado não só usa a Lei Divina para nos enganar, mas também outras
coisas que são “boas, santas e justas”...

 A instituição divina do casamento comumente é usada para a desgraça.


Como está o seu?
 Muitas vezes o inimigo usa os mandamentos para nos tornar fanáticos e intransigentes com
os outros. Você é assim?
 Pessoas usam versículos para humilhar o cônjuge. Você faz isto?
 Alguns crentes usam o verso “todas as coisas me são lícitas” como carta branca para
libertinagem. É o seu caso?!
 O pecado nunca mostra as conseqüências de uma “aventura amorosa”: cônjuge
amargurado, filhos envergonhados e desiludidos, dor na família inteira, o testemunho
arruinado, o nome de Cristo enxovalhado, etc.

Este capítulo está me ajudando mais e mais a ver a necessidade de conhecer a Bíblia e
depender cada vez maior do SENHOR para obedecê-Lo.

Espero que o mesmo esteja acontecendo com você.

Bom estudo, abraço em Cristo

Ary (in memoriam)


LIÇÃO 23
ROMANOS 7

VIDA DE LUTAS

Confesso que eu não sabia da riqueza deste aparentemente complicado capítulo. Como já
vimos na lição anterior, há muita matéria e muitas aplicações para o nosso dia a dia.
Antes de iniciar o estudo de hoje, quero lhe fazer uma pergunta...
no v.11 Paulo diz que o pecado o enganou. Você também acha que o pecado engana as
pessoas? Como?!
Barclay, autor britânico, citando Vaughan diz:
 “somos enganados em relação a satisfação a ser encontrada no pecado. Nenhum homem
jamais tomou algo proibido sem pensar que aquilo o faria feliz, descobrindo depois que aquilo
jamais o fez feliz.”
 “somos enganados em relação às desculpas que podemos dar para conseguir o proibido.
Todo homem ou mulher pensa que pode defender-se de algo errado praticado, mas toda a
desculpa é inútil quando praticada na presença de Deus”
 “somos enganados em relação a probabilidade de escaparmos das conseqüências do
pecado. Ninguém peca sem a esperança, e até a certeza de que pode, e vai, escapar das
conseqüências do seu pecado.”
Os mandamentos são justos e temos que estudá-los mais e mais para nos conscientizar do
quanto os estamos transgredindo.
Portanto estudante, leia a Bíblia e marque os mandamentos a serem obedecidos.

I – A Lei e o crente – vs.1- 6


II – O papel da Lei é revelar... - vs.7-13
III - A Lei mosaica e o crente carnal - vs.14-25

Este texto tem causado muita controvérsia entre os vários estudiosos de Romanos. O debate
gira em torno de “quem é a pessoa aqui relatada?”
Seria um convertido ou não?
Seria o próprio Paulo antes da conversão, ou depois?
Depois de ler e estudar, eu fico com aqueles que dizem que o texto descreve uma pessoa que
está tentando ser boa e santa por seus próprios esforços, podendo então ser você, eu, ou
Paulo. Veja Galátas 3:3
Eu creio que neste texto o apóstolo Paulo abre o seu coração e nos conta de uma experiência
que é na verdade, a essência, o âmago da situação humana. Logo no versículo 1 ele diz que...
“a Lei é espiritual”, porque lida com o meu espírito, isto é, penetra no mais profundo do meu
ser. Qual é o problema então? Sendo a Lei espiritual, santa e boa, por que não pode então
santificar o homem? Aqui a resposta de Paulo...
“eu, contudo, não o sou”, outra tradução diz: “eu, todavia, sou carnal” - v.14 – e por isto não
posso reagir como devo, pois sou escravo do pecado.
A Lei é espiritual não só porque é inspirada pelo Espírito de Deus, mas porque revela a
natureza e caráter de Deus. O Salmo 19:7-10 descreve a sua perfeição. Mas quando se trata
de “salvar e santificar”, a Lei nada pode fazer.
(leia Rm 3:20; Gal 3:23-24; Gal 3:11).
John Stott diz: “A Lei é boa, mas também é fraca. Em si, ela é santa; é contudo, incapaz de
tornar-nos santos. Esta importante verdade jaz por trás de toda a parte final de Romanos 7.”
Esta inabilidade da Lei para “salvar” ou “santificar” alguém; é porque ela não pode livrar alguém
da “carne”, que é aquela natureza pecaminosa que trazemos do berço. Estudaremos mais
sobre este assunto nas próximas lições.
Nos versos 15-25 Paulo descreve a triste condição do crente carnal em detalhes: ele é um
homem divido, sabe o que é certo e quer fazê-lo, mas faz o errado.
A luta entre as suas duas naturezas é forte, pois tem a natureza carnal que herdou de Adão e
tem a natureza espiritual que recebeu de Cristo após a sua conversão; e é assim também com
você e comigo, temos duas naturezas em nós: a carnal e a espiritual. Qual delas vai dominar a
nossa vida?
Isto é muito sério como veremos no capítulo 8.
Tanto W. H. Griffith Thomas, doutor em Divindade; como Alva J. McClain, professor de
Teologia e de Bíblia do Grace Seminary nos USA; concordam que este texto de Rm 7:14-25 é
constituído de três ciclos de confissões. Em cada um deles Paulo declara um fato, depois prova
e finalmente tira uma conclusão.

Note que cada ciclo começa com uma afirmação:


“Sabemos” - v.14; “Sei” - v.18; “Assim, encontro” - v.21

a) primeiro ciclo - vs. 14-17


O fato: versículo 14...
“Sabemos que a Lei é espiritual; eu, contudo, não o sou, pois fui vendido como escravo ao
pecado.
A prova: versículos 15-16...
“Não entendo o que faço, pois não faço o que desejo, mas o que odeio. E, se faço o que não
desejo, admito que a Lei é boa“
Isto quer dizer que o seu “eu” é incapaz de detê-lo, de segurá-lo para não fazer o que
desaprova, mas... tenha cuidado! Não podemos confundir esta afirmação dele com o que disse
o famoso poeta romano Ovídio: “Eu vejo melhores coisas e eu as aprovo, mas sigo as piores”.
Paulo está dizendo que ele não reconhecia a verdadeira natureza do que fazia quando
convidado pelo pecado; mas, diferentemente de Ovídio, ele não seguia as piores coisas, pelo
contrário, ele as odiava.

A conclusão: versículo 17...


“Neste caso, não sou eu mais quem o faz, mas o pecado que habita em mim”

Aqui Paulo não está agindo como algumas pessoas que dizem: “Foi o Diabo que me obrigou a
fazer isto!”. Ele não está dando uma desculpa, está explicando que não é o seu verdadeiro
“eu”, mas o “eu” carnal do qual ele se tornou escravo e que o leva a fazer o que não quer. Note
que mesmo assim ele permanece responsável porque se permitiu ser escravo do pecado.
b) segundo ciclo - vs. 18-20
O fato: versículo 18a...
“Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne”
Paulo aqui está repetindo em substância o que já dissera no v.14 “eu sou carnal”; a diferença é
que aqui ele deixa claro a distinção entre o “eu” (quando diz “em mim”) e a “carne”. Quer
esclarecer que há algo nele além da que a carne.

A prova: versículos 18b-19...


“Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo, Pois o que faço não
é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo.”
Esta também é uma repetição do que disse no v. 15, porém com maior clareza: a vontade de
fazer o certo estava sempre presente e ao seu alcance, mas a capacidade de execução do
certo era o que não conseguia obter. Ele continua escravo do pecado – é aquele conflito que
cada um de nós sabe tão bem – entre nossas idéias e a realidade do que somos
verdadeiramente.

A conclusão: versículo 20...


“Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim”
Novamente a mesma conclusão do v.17. O pecado é meu senhor, meu chefe, meu rei. Eu não
consigo romper com ele. Novamente Paulo não está tentando se desculpar, mas ele quer
mostrar e a tirania da escravidão e a miséria para quem vive dominado pela carne.

c) terceiro ciclo - vs. 21-25


O fato: versículo 21...
“Assim, encontro esta Lei que atua em mim: quando quero fazer o bem, o mal está junto a
mim.”
Em todos os três ciclo Paulo está consciente de uma contradição moral e um conflito interior;
há um desejo de fazer o certo, porém o mal está constantemente presente.

A prova: versículos 22-23...


“No íntimo do meu ser tenho prazer na Lei de Deus; mas vejo outra Lei atuando nos membros
do meu corpo, guerreando contra a Lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da Lei do
pecado que atua em meus membros”
Notem que estes versos são parecidos com vs. 15 e 18-19. De um lado o seu “eu” verdadeiro
deleita-se na Lei de Deus, enquanto do outro o seu “eu” do velho homem (a carne), luta,
guerreia contra a Lei da sua mente.
Paulo está reconhecendo aqui que, como já foi dito, há no homem duas naturezas: uma
deleita-se e a outra faz guerra contra a Lei de Deus. O cristão está sujeito a estas duas forças
que simultaneamente estão nele, daí o estado de tensão em que vive o verdadeiro cristão.

Conclusão: versículos 24-25...


“Miserável homem que eu sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? Graças a
Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! De modo que, com a mente, eu próprio sou escravo da
Lei de Deus; mas, com a carne, da Lei do pecado.”
Em todos os ciclos a conclusão é a mesma, não é? Mas não é aqui que paramos - graças à
Deus - o final de toda esta contradição e conflito é um grito de agonia e dor. Paulo não usa as
palavras “quão culpado eu sou”, mas sim “miserável homem que eu sou”, porque o ponto
central do conflito não é culpa e condenação, mas sim o força do mal (carne) que não pode ser
vencida pelo esforço humano.
Como ele lida com todo este conflito ao chegar no fundo do poço, ao encarar a realidade da
sua carnalidade?! Note que ele não diz: “O que eu posso fazer?”, mas sim: “Quem?”, pois ele
sabia que nada podia fazer; e então ele responde: “Graças a Deus, por Jesus Cristo, nosso
Senhor”

A grande lição deste capítulo é que não adianta pensar que podemos viver uma vida cristã e
resolver nossos problemas, grandes ou pequenos, na base do esforço-próprio.
Não é através de uma determinação firme que iremos superar o mal, a carne, o pecado em
nossa vida; tudo começa nas grandes e pequenas coisas quando de coração podemos dizer
“miserável homem/mulher que sou”, ou seja, quão incapaz somos para enfrentar o dia a dia,
para mudar de cidade, de emprego, para ser submissa ao meu marido, para amar a minha
esposa, para ser o pai que devo ser, para ser professor da escola dominical, para ser uma
verdadeira testemunha do meu Jesus no trabalho, etc.
... mas graças à Deus, que através de Cristo nos libertou da Lei e colocou em nós o Seu
Espírito Santo (veremos isto mais de perto nas lições seguintes) e por isto vivemos na total
dependência de Deus, pois entemos o que Jesus disse em João 15: 5 “...sem mim vocês não
podem fazer coisa alguma”. Medite em João 6:57.
Esta é uma lição longa, levou-me dias para prepará-la e vou levar a vida inteira para vivê-la. A
luta continua, mas não há vida melhor do que a vida vivida, não na carne, mas no Espírito.
Bom estudo, ...isto é, desejo que este tempo de meditação na Palavra de Deus seja para você
algo além de conhecimento intelectual.Ary (in memoriam)
LIÇÃO 24
ROMANOS 8
VIDA ETERNA

Quero que você abra a sua Bíblia e com o esboço ao lado leia cada uma das divisões. Deixe-
me explicar como...
 leia todo o capítulo 8 várias vezes
 depois leia os vs.1-4 e faça suas próprias anotações
 faça o mesmo com as outras divisões (5-8; 9-11; 12-14; etc).

Procure ver o que Paulo está dizendo para você nestes textos, por exemplo...

“Não é incrível que sendo quem eu sou, um miserável pecador (se tem dúvida sobre isto, é
porque você não leu ou não entendeu os três primeiros capítulos de Romanos) fui salvo por
sua imensa graça, e para mim já não há mais condenação!”

“Não preciso viver com medo da morte ou do dia do Juízo Final, porque para mim não há
condenação. Sou livre! Posso gozar de uma liberdade deliciosa que me capacita a viver uma
vida digna de ser vivida, sabendo porém que isto jamais me dará liberdade para uma vida de
libertinagem.”

Entendeu qual é a sua tarefa?!


Veja o esboço...

I. A vida espiritual – vs.1-11


a) nenhuma condenação – vs.1-4
b) a vida na carne - vs.5-8
c) a vida no Espírito - vs.9-11

II. A vida em um novo nível – vs.12-17


a) somos guiados pelo Espírito – vs.12-14
b) temos um Pai Celeste - v.15
c) temos um testemunho do Espírito – v.16
d) somos herdeiros de Deus - v.17

III. Os sofrimentos presentes e a glória futura – vs.18-27


a) a convicção profunda de Paulo – vs.18
b) a criação geme e espera – vs.19-22
c) nós gememos e esperamos – vs.23-25
d) o Espírito geme e intercede – vs.26-27

IV. A nossa eterna segurança em Deus – vs.28-39


a) no passado Deus era por nós – vs.28-30
b) no presente Deus é por nós – vs.31-34
c) no futuro Deus será por nós – vs.35-39

Vamos ao estudo...
Você se lembra que Martinho Lutero disse que...
“deveríamos saber o livro inteiro (não só o cap. 8), palavra por palavra”?!
Eu tive um amigo de seminário que sabia Romanos e João decor!
Infelizmente não tenho este tipo de mente que retém tudo, gostaria de ter.

Romanos 8 é um dos textos mais conhecidos da Bíblia. Através dos anos este capítulo tem
sido lido, estudado e até decorado por muitos; servindo de lenitivo, conforto e auxílio para
muitos corações cansados.

As verdades nele contidas têm afugentado:


o medo da morte
a incerteza e o medo de perder a salvação
o desespero, a desesperança, a tristeza, etc.
... vale a pena, pois, levar este capítulo muito a sério!

Note que...
 no cap.7 a Lei é mencionada cerca de 30 vezes, enquanto o Espírito Santo apenas 1
vez;
 já aqui no cap.8 o Espírito Santo é mencionado cerca de 19 vezes!

Alguém já disse que...


 entramos neste capítulo “sem condenação” -v.1, e
 fechamos “sem separação” - v.39;
 e entre o começo e fim está escrito que...
“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que
foram chamados de acordo com o seu propósito” - v.28

Pois então, estudante; deite o coração cansado nestas verdades!

Creia e descanse enquanto enfrenta o seu dia a dia...

I. A vida espiritual – vs.1-11

Você notará que há uma nítida seqüência entre os últimos versículos do cap.7 e o começo do
cap.8, é como se Paulo estivesse sufocado por tudo que enfrenta e agora, porém, num rasgo
de alegria e felicidade, canta em alto e bom som...

a) nenhuma condenação – vs.1-4

Versículo 1 – o fato glorioso...


“Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus”

“Nenhuma condenação” não significa que as conseqüências dos meus pecados não irão me
acompanhar; mas sim que apesar de todos eles, toda a sujeira da minha vida, no momento em
que eu fui alcançado por Cristo, Ele perdoou todo o meu pecado e limpou toda a minha vida.
(veja Rm 5:1 e Isaías 43:25)
Agora eu sou uma nova criação...
“Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram, eis que
surgiram coisas novas.” – II Coríntios 5:17

Aqui cabe uma pergunta...


Você tem certeza de que é nova criação? Pode dizer com toda convicção:
“Estou em Cristo e por isto não temo nenhuma condenação”?!

É assim que a vida espiritual começa: com a regeneração, salvação, novo nascimento,
reconciliação, justificação, etc. Todas estas palavras dizem a mesma coisa, com apenas
algumas nuances diferentes.

Versículo 2 - a razão preciosa...


“porque por meio de Cristo Jesus a lei do Espírito de vida me libertou da lei do pecado e da
morte”

Este versículo nos ensina o “porque” de “nenhuma condenação”, e como a nossa libertação foi
alcançada: a morte de Cristo fez o que a Lei jamais pôde fazer.
Para entender melhor, vamos por partes...

“a lei do Espírito”
significa a autoridade que o Espírito exerce sobre a lei do pecado e da morte.

“Espírito de vida”
é o Espírito Santo, que traz vida porque é essencialmente vida. (veja Gn. 1:2).
Ele é o agente do nascimento espiritual de cada pessoa.

“...da lei do pecado e da morte”


é a autoridade que o pecado tinha sobre a nossa velha natureza, que resultava na separação
de Deus e na morte. (Rom. 6:23)

Mesmo quando nascemos de novo, a nova natureza por si (isto é, só pelo fato de eu agora ser
uma nova pessoa em Cristo) não tem o poder para quebrar as amarras do velho homem; mas
agora temos o Espírito Santo em nossas vidas e podemos depender Dele para quebrá-las
(vícios, pecados, erros próprios do não convertido) e nos libertar.
Paulo disse que estamos libertos “da lei do pecado e da morte”, mas isto não quer dizer que
estamos livres das tentações da carne. Como ficou claro no capítulo 7, continuaremos lutando
com a nossa “carne” pois a natureza carnal não foi erradicada, não foi arrancada pela raiz.
Sim! “a lei do pecado e da morte” - como a lei da gravidade - continua viva e ativa trabalhando
o tempo todo! Assim como ela está sempre nos puxando para baixo, mas quando entramos
num avião que possui um motor que a supera podemos subir; assim é quando estamos no
Espírito: a lei da carne não tem poder sobre nós, por isto é que Paulo diz em Gálatas 5:16...
“vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne.”

Versículos 3-4 - a provisão graciosa...


“Porque, aquilo que a Lei fora incapaz de fazer por estar enfraquecida pela carne, Deus o fez,
enviando seu próprio Filho, à semelhança do homem pecador, como oferta pelo pecado. E
assim condenou o pecado na carne, a fim de que as justas exigências da Lei fossem
plenamente satisfeitas em nós, que não vivemos segundo a carne, mas segundo o Espírito”

Notemos que Deus “...enviando seu próprio Filho” e com Ele o Espírito Santo, tomou a
iniciativa de fazer o que a Lei Mosaica não poderia fazer, porque a nossa natureza caída não
permitia (Rm 7:14-20).

John Stott coloca assim...


“Assim, pois, aquilo que a Lei, enfraquecida pela carne não conseguiu fazer, Deus o fez. Ele
fez provisão tanto para nossa justificação como para nossa santificação”.

“à semelhança do homem pecador”


descreve a encarnação de Cristo e ao mesmo tempo mostra que Ele era semelhante, mas não
igual (um homem morto e um vivo são semelhantes, mas não iguais, não é!). Jesus foi igual a
nós no fato de que era homem verdadeiro e não um fantasma imaterial, mas foi diferente no
fato de que Ele não tinha pecado.

“como oferta pelo pecado”


assim como no Antigo Testamento um cordeiro era sacrificado como oferta pelo pecado;
simbolizando o que Jesus faria mais tarde na cruz.

“condenou o pecado na carne”


isto é, na humanidade de Jesus, no corpo de Cristo.

O pecado é, como temos visto, uma espécie de tirano demoníaco, que nos subjuga e nos induz
a cumprir sua vontade pervertida.
Deus castigou e condenou o pecado “na carne”, isto é, no corpo de Jesus.

Tudo que a Lei exigia era santidade (veja Levítico 11:44-45; 19:2), mas não tinha poder para
tornar o pecador santo, por causa da nossa natureza pecaminosa (carnal). Jesus na cruz
pagou todas a exigências da Lei.

Citando novamente John Stott...


“Romanos 7 insiste em dizer que não podemos guardar a lei porque a “carne” habita em nós;
Romanos 8:4 diz que sim, nós podemos, porque somos habitados pelo Espírito de Deus.”

Tarefa...

 Volte a ler Romanos 8 muitas vezes.

 Decore Romanos 8:8

 Decore Romanos 8:18. Este versículo tem confortado milhares de pessoas.

 Com a Bíblia aberta, leia esta lição muitas vezes. Estude-a com afinco.
 LIÇÃO 25
ROMANOS 8
VIDA ETERNA
I. A vida espiritual – vs.1-11
a) nenhuma condenação – vs.1-4

b) a vida na carne - vs.5-8

Porque o demônio não conseguiu a vitória final e total no Éden e na Cruz, ele anda bramando
como um leão a quem possa tragar, agindo sutil e maneirosamente através...
 do mundo: presente século mal, o grande sistema do mal ao redor de nós tentando nos
conformar a aceitar os seus padrões, sua ética moral e alvos;
 da carne.

1. significados da carne (SARX)


 parte física do corpo humano, ou seja, carne como geralmente entendemos – Lc 24:39
 raça humana – Mt 24:22
 sede do pecado, princípio dinâmico pecaminoso – Gl 5:17 – independência de Deus

2. nomes dados à carne


 natureza adâmica Rm 5:12-21
 velho homem Rm 6:6
 lei do pecado e da morte Rm 8:2
 inclinação da carne Rm 8:7

3. como a carne se manifesta em nosso dia-a-dia:

a)as obras da carne


Gálatas 5:17-21, Efésios 4:31, Colossenses 3:5-9, “e coisas semelhantes a estas...” – Gal. 5:21
 Ciúme – espírito de medo e de vingança à expectativa de ser deslocado por um rival
 Orgulho – espírito de exaltação e glória de si mesmo
 Ansiedade – a tentativa para excessiva solicitude ante as dificuldades e perigo
 Irritabilidade – tendência a se manifestar impaciente depois de pequena provocação
 Mau humor – disposição caprichosa e submissa as fraquezas do temperamento
b)atividades meramente humanas, naturais e religiosas
Nm 20:2-13; Fl 3:3; Gl 3:3 (qualquer coisa que você faça na igreja, ou fora dela, numa total
independência de Deus, como por exemplo, cantar no coral)

c)toda forma de egocentrismo:


 auto-promoção
 auto-justificação
 auto-comiseração
 auto-mortificação
 auto-suficiência
4. qual é a solução!?!!
 crer e aceitar a avaliação que Deus faz da carne – Jr 17:5-6; Jo 6:63; Rm 8:8
 andar no Espírito – Gl 5:16
 revestir-se de Cristo – Rm 13:14

“Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus”


“Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus” - Rm 8:8
Vamos entender um pouco mais do que Paulo está dizendo...

Versículo 5...
“Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive
de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja.”
É importante que todos nós saibamos que nascemos com a natureza carnal por causa do
pecado dos nossos pais, conforme Gênesis 3; e no Salmo 51:5 o salmista testifica desta
verdade, dizendo...
“Eu nasci na iniqüidade e em pecado me concebeu minha mãe”
Depois da nossa conversão, Jesus Cristo perdoou todos os nossos pecados.
De fato Ele não se lembra mais deles, como Deus não se lembrava mais dos pecados dos
israelitas - veja Isaias 43:25 - porém, a natureza carnal ainda permanece conosco até o fim de
nossas vidas. Como convertidos podemos viver ainda segundo a carne, ou viver segundo o
Espírito Santo. A escolha é nossa!

Veja que Paulo neste versículo Paulo nos apresenta duas opções...
 viver na carne, ou
 viver no Espírito
Note que o que faz a diferença é para onde está “voltada a nossa mente”, isto é...
 em que pensamos o dia todo?
 o que é realmente importante para nós?
 como encaramos a vida?
 estamos vendo a vida do ponto de vista simplesmente material ou do ponto de vista
espiritual?

Uma pergunta, estudante...


na prática, o que significa “ter a mente voltada para o que a carne deseja?”
O que as pessoas desejam da vida?
Elas querem dinheiro porque proporciona conforto, prazer e poder.
Sim! As pessoas querem gozar a vida, para elas parece que a vida é apenas isto – procurar o
prazer. Querem dinheiro, prazer e significado ou propósito, daí manipulam pessoas e
circunstâncias para conseguir fama e reconhecimento.
Ray Stedman, de quem muito aprendi, diz:
“Há uma paixão no coração humano por ser conhecido e badalado”.
Era isto que Paulo queria dizer com a “mente voltada pra o que a carne deseja”.
Seria errado desejar estas coisas?
Não! Não há nada de errado em ir atrás destas coisas... (a não ser que seja isto, e somente
isto o que a pessoa procura).
Se o seu alvo na vida é somente isto, alguma coisa está terrivelmente errada!
E é por isto que a Bíblia nos mostra que há uma segunda opção...

Página 76 de 172
“...mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito
deseja.” v.5

Muitos diriam...
“Há! Não posso procurar dinheiro, prazer ou poder?!!
Agora tenho que ser um “santinho”?! É isto que Paulo está dizendo?”
Claro que não! O que Paulo está dizendo é que no meio da vida diária, ganhando dinheiro,
tendo prazer, e até chegando ao poder, devemos ter em vista o Reino de Deus e a Sua Glória!
Em I Coríntios 10:31 Paulo diz... “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra
coisa, façam tudo para a glória de Deus”.

Versículos 6-7...
“A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; a mentalidade
da carne é inimiga de Deus porque não se submete à Lei de Deus, nem pode fazê-lo.”
Aqui Paulo descreve o resultado que podemos esperar da escolha que fizermos no v.5: se
vivermos na carne podemos contar com a “morte”. O que é isto?
Paulo não esta falando aqui de morte física, mas morte existencial.
Ray Stedman diz que morte aqui consiste de quatro coisas básicas:
 medo - se manifesta de várias formas: preocupação, ansiedade, pânico, etc.
 culpa - aparece na nossa vida como “vergonha”, ódio de nós mesmo, perfeccionismo, etc.
 hostilidade - aparece como vingança, ódio, ressentimento, crueldade, etc.
 vazio - aparece como solidão, depressão, desespero, desencanto com a vida, falta de
propósito, etc.
Estes são os sintomas da morte que Paulo se refere no v.6; mas...
“...a mentalidade do Espírito é vida e paz”

Se morte é medo,
então vida é confiança, esperança, etc.
Se morte é culpa,
então vida é uma sensação de aceitação, segurança e confiança.
Se morte é hostilidade,
então vida é amor, amizade, bondade, etc.
Se morte é vazio,
então vida é plenitude, vitalidade, sensação de bem estar e propósito.

Versículo 8...
“Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus.”
No v.7 Paulo explica a razão de tudo - leia novamente e você entenderá - e aqui no v.8 o que
ele quer é nos fazer refletir!
Vejamos uma paráfrase deste trecho tirada da Bíblia Viva, que poderá ajudar na compreensão
do texto...
“Aqueles que se deixam controlar por sua natureza inferior (carne), vivem tão somente para
agradarem a si próprios; aqueles, porém, que seguem o Espírito Santo constatam que fazem
as coisas que agradam a Deus.
Seguir o Espírito Santo conduz à vida e à paz, mas seguir a velha natureza leva à morte, isso
porque a velha natureza pecaminosa dentro de nós está contra Deus, ela nunca obedeceu às
leis divinas e nunca o fará.

Página 77 de 172
É por essa razão que nunca podem agradar a Deus aqueles que ainda estão sob controle de
suas próprias naturezas pecaminosas, inclinados a seguir seus antigos desejos malignos.

Que Deus possa levar cada um de vocês a considerar seriamente este estudo, pois nada na
carne pode agradar ao Senhor!
Em Cristo
Ary (in memoriam)

Página 78 de 172
LIÇÃO 26
ROMANOS 8

VIDA ETERNA
I. A vida espiritual – vs.1-11
a) nenhuma condenação – vs.1-4
b) a vida na carne - vs.5-8

c) a vida no Espírito - vs. 9-11

Versículo 9...
“Entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato o Espírito de
Deus habita em vocês.
E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo.”

Paulo aqui volta a dar graças à Deus, porque os Seus filhos pertencem a um Reino agora
completamente diferente.
O homem sem Cristo vive na carne, anda na carne, ainda que fazendo “coisas boas”, mas
nada que faz agrada a Deus.
 “andar na carne”, como já vimos, é viver debaixo do domínio e poder da nossa natureza
depravada, aquela que herdamos de nosso pais – Sl. 51:5
 “andar no Espírito” é o oposto, é andar na liberdade dos filhos de Deus.
O não cristão não tem escolha, mas nós temos!

Você tem certeza absoluta que é salvo, que de fato e de verdade já tem o Espírito habitando
em você? Esta é uma boa hora para um auto exame!
Veja o que Paulo diz em II Coríntios 13: 5...
“Examinem-se para ver se vocês estão na fé; provem-se a si mesmos”

O próximo verso exige maior concentração, parece um tanto esquisito dizer...

Versículo 10...
“Mas se Cristo está em vocês, o corpo está morto por causa do pecado, mas o espírito está
vivo por causa da justiça.”

Ray Stedman nos oferece uma grande ajuda comentando sobre este verso...

“O problema é que nossos corpos ainda não foram redimidos (no sentido de salvo). Como
conseqüência, eles são a sede, (morada) do pecado que nos perturba tanto; e o pecado que
está em nós (creio que ele fala aqui da natureza pecaminosa) afeta o nosso corpo. É por isto
que o corpo cobiça, o corpo ama o conforto, o corpo procura e vai atrás do prazer; é por isto
que nossa mente e atitudes reagem com ódio, amargura, ressentimento e hostilidade.
O pecado encontra morada no corpo, é por isto que nossos corpos continuam envelhecendo.
Nossos corpos estão morrendo por causa do pecado.”

Página 79 de 172
Recentemente fui à Belo Horizonte visitar uns amigos e um deles completava 40 anos de
casado. Embora eu não visse muitas mudanças em mim (há! há! há!), me parecia que eles
estavam deteriorando! Eles estavam ficando velhos e mais decrépitos!
Infelizmente alguém teve uma idéia mórbida: “Vamos olhar nossas fotografias dos anos idos” –
que tristeza!!! Eu era forte, tinha cabelos pretos e até me achei bonito, mas agora uso óculos,
estou careca, fiz transplante de coração e tudo dói, e o que não dói não funciona... também
estou morto por causa do pecado.

É a isto que Paulo se refere, mas no mesmo verso ele diz que o espírito está vivo (veja Efésios
2:5), e a vida eterna é nossa desde agora por causa da “justiça de Deus” (Rm 3:21).

Versículo 11...
“E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos habita em vocês, aquele que
ressuscitou a Cristo dentre os mortos também dará vida a seus corpos mortais, por meio do
seu Espírito, que habita em vocês.”

Paulo explica que mesmo este corpo que está morto por causa do pecado, e que um dia será
enterrado - por causa do Espírito que habita em nós - ressuscitará também - com algumas
modificações. Ainda bem, você não acha?!??

Para entender os detalhes, leia cuidadosamente I Coríntios 15, especialmente os versos 50-58.
Em outras palavras, no momento nós temos vida no espírito, mas o glorioso dia está chegando
quando também teremos vida no corpo transformado.
“Num abrir e chegar de olhos seremos transformados”

Que esperança encorajadora é a nossa, lembrando que esta “esperança” do futuro, é tão certa
como a “memória” é para o passado!

À luz destas verdades, como irá você investir os dias e anos que lhe restam?
 de acordo com I Coríntios 10:31... “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer
outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.”
 ou vivendo para si mesmo?!??

“Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si. Se vivemos,
vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer
morramos, pertencemos ao Senhor.” Romanos 14:7-8
II. A vida em um novo nível – vs.12-17

a) somos guiados pelo Espírito – vs. 12-14

Versículo 12...
“Portanto, irmãos, estamos em dívida, não para com a carne, para vivermos sujeitos a ela.“

Geroffrey B. Wilson nos seu bom livro sobre Romanos – Editora Pess – comenta sobre este
versículo... “Todos os cristãos são perpetuamente devedores à graça, mas nada devem à
carne”

Página 80 de 172
...portanto não estão em dívida! É impressionante como Deus quer o seu povo totalmente livre
de toda e qualquer dívida, tanto da carne quanto dívidas financeiras! (embora este texto
especificamente não fale sobre finanças)

Versículo 13...
“Pois se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem morrer
os atos do corpo, viverão.” - v.13

O que Paulo está dizendo é que ainda estamos sujeitos à tentação de viver segundo a carne,
isto é, segundo a natureza pecaminosa residente em nós.

Todos nós morreremos fisicamente, mas Paulo aqui está falando de uma morte existencial, isto
é, ainda que vivendo e andando pra lá e para cá, no fundo estamos sem vida, vazios,
depressivos, cheios de hostilidade, possuídos pelo tédio, murmuração, descontentamento, etc.

Paulo não está dizendo aqui do pagão e depravado ímpio, mas do indivíduo que conhece a
Cristo e foi lavado pelo seu sangue, mas que tendo a escolha de andar no Espírito, decide
voluntariamente andar segundo a velha natureza, que é a carne.

Por isto Paulo diz em Romanos 13:14... “Ao contrário, revistam-se do Senhor Jesus Cristo, e
não fiquem premeditando como satisfazer os desejos da carne”

“Ao contrário”,
significa que se vivermos conforme o Espírito vamos viver de fato num alto nível, isto é, em
paz; desfrutando aquela sensação gostosa de estarmos na presença de Deus, independente
das circunstâncias; aquela sensação de bem estar e calma mesmo no meio das tempestades e
tribulações do dia a dia.

Viver assim é viver de fato! É o que Jesus disse...


“Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente.” - João 10:10

O próximo versículo só vem a confirmar que quem tem o Espírito é filho de Deus, porém quem
não tem é criatura Dele, mas não é filho!

Versículo 14...
“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.”

Já foi dito, mas quero enfatizar que filho de Deus é somente aquele que recebeu a Cristo como
seu único Salvador. Veja João 1:12-13... “Contudo, aos que o receberam, aos que creram em
seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por
descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas
nasceram de Deus.”

Página 81 de 172
b) temos um Pai Celeste - v.15
“Pois vocês não receberam um espírito que os escravize para novamente temerem, mas
receberam o Espírito que os adota como filhos, por meio do qual clamamos: “Aba, Pai”.

Aqui Paulo volta a afirmar que o salvo por Jesus não vive como escravo à Lei Mosaica - que
trazia medo porque qualquer deslize, qualquer pecado, era motivo de muito medo e temor -
mas vive no período da graça!

Como já sabemos, fomos adotados na família de Deus. Imagine só...


Uma criança está no orfanato e então chega um milionário e a adota como filho, ela recebe seu
sobrenome, passa a viver na abundância de sua riqueza - e não mais no sofrimento da vida de
órfão - e ela pode inclusive dizer na intimidade:
“Oi Pai”!

Assim somos nós, que como diz o salmista...


“Ele me tirou de um poço de destruição, de um atoleiro de lama; pôs os meus pés sobre
uma rocha e firmou-me num local seguro.” - Sl 40:2
...podemos clamar “Aba, Pai!” (a palavra Aba no aramaico significa pai no diminutivo, isto é,
paizinho)

c) temos um testemunho do Espírito – v.16


“O próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos filhos de Deus.

Como John Murray nos esclarece, “trata-se de uma certeza interior que se torna
particularmente clara ao selar em nossos corações as promessas que nos pertencem como
herdeiros de Deus e ao gerar em nós a certeza do amor adotivo do Pai.”

d) somos herdeiros de Deus - v.17


“Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de
fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória”

Este verso é mais difícil, Dr. Charles R. Erdman em seu comentário de Romanos diz...
“Estes sofrimentos provavelmente não são simplesmente as provações e tribulações que
acontecem na vida de todos, mas sim aqueles sofrimentos que muitas vezes passamos pelo
fato de identificarmos com Cristo e seu povo”

Isto é...
 quando você é perseguido no trabalho por causa da sua fé
 quando a promoção não vem porque você é um cristão
 quando você perde um “bom” casamento, optando não se casar porque o outro não leva
Deus à sério.
 quando você tem que fechar a empresa por pagar corretamente os impostos
 etc.

Reflita nos textos a seguir e preste bastante atenção nas razões para o sofrimento a que eles
se referem...

Página 82 de 172
“Escravos, sujeitem-se a seus senhores com todo o respeito, não apenas aos bons e amáveis,
mas também aos maus. Porque é louvável que, por motivo de sua consciência para com Deus,
alguém suporte aflições sofrendo injustamente. Pois, que vantagem há em suportar açoites
recebidos por terem cometido o mal? Mas se vocês suportam o sofrimento por terem feito o
bem, isso é louvável diante de Deus. Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo
sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos”
I Pedro 2:18-21

“Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e


levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. - Mateus 5:11

Não é gostoso saber que quando assim sofremos estamos em boa companhia?! E devemos
nos alegrar, pois veja o que Mateus 5:12 diz....

Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma
forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês”
Bom estudo
Ary (in memoriam)

Página 83 de 172
LIÇÃO 27
ROMANOS 8
VIDA ETERNA
I. A vida espiritual – vs.1-11
II. A vida em um novo nível – vs.12-17
III. Os sofrimentos presentes e a glória futura – vs.18-27

a) a convicção profunda de Paulo – vs.18


“Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em
nós será revelada”
A convicção de Paulo é que a glória por vir, isto é, a nossa completa salvação...
quando seremos salvos no espírito e também teremos nossos corpos renovados e
transformados – que se dará quando o Senhor voltar
...é maior do que a aflição – sofrimentos - dos tempos atuais.
Além do que já falamos no verso 17, Paulo aqui também se refere àquele sentimento de
finitude que Paulo descreverá no verso 20, ou seja, aquele toque de decomposição que
encontramos em todos os seres, inclusive em nós, que ao nascer já começamos a morrer!

b) a criação geme e espera – vs.19-22


Neste texto Paulo utiliza uma linguagem poética e imaginativa, descrevendo a Terra como se
fosse uma pessoa, sofrendo, gemendo e esperando a vinda do Senhor Jesus para libertá-la.
O pecado do homem causou a sua queda, e Deus disse...
“Maldita é a terra por sua causa; com sofrimento você se alimentará dela todos os dias
da sua vida” - Gn 3:17
Por causa do pecado do homem a natureza foi condenada por Deus, e também passou a
sofrer!

Versículo 19...
“A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados”
Sabe o que isto significa, estudante?!
A ressurreição física dos corpos daqueles que morrerem salvos por Jesus, daqueles que
conhecerem a Cristo como seu Salvador. Sim! Estes terão os corpos ressurretos e
transformados na volta de Cristo (veja I Tess. 4:13-18), e isto é confirmado em Rm 8:23.
Tudo isto se dará num só momento...
 a volta de Cristo,
 a transformação dos nossos corpos, e
 a retirada da maldição sobre a terra

Mas Paulo diz também que a natureza criada aguarda esta ressurreição.
Por que isto?

Versículos 20-21...
“Pois ela foi submetida à inutilidade, não pela sua própria escolha, mas por causa da vontade
daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria natureza criada será libertada da
escravidão da decadência em que se encontra, recebendo a gloriosa liberdade dos filhos de
Deus.”

Página 84 de 172
Quando Deus amaldiçoou a terra por causa do homem, toda a criação foi sujeita a inutilidade,
futilidade, sem que tivesse culpa alguma.
O que isto significa na prática? Por causa da queda do homem...
 as rosas tem espinhos, a cobra devora o rato, o leão come a gazela, etc.
 as rugas aparecem, os cabelos ficam brancos ou desaparecem, ficando apenas aquilo que
chamamos de restos mortais.
Portanto, “a natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam
revelados”, porque naquele momento em que Jesus voltar, a coisa mais maravilhosa
acontecerá! Confirme isto lendo I Cor 15:50-58.

Versículo 22...
“Sabemos que toda a natureza criada geme até agora, como em dores de parto”

John Stott comentando este verso diz:


“às dores de parto seguirão as alegrias do nascimento... o universo não será destruído, mas
sim libertado, transformado e inundado da glória de Deus”
Veja também Habacuque 2:14
O que Paulo está dizendo neste texto, é que a Terra como está hoje não é aquilo que deveria
ser, pois foi o pecado que levou Deus a amaldiçoá-la, mas...
Com a maldição a veio também a promessa de que um dia ela seria restaurada!
Portanto devemos aguardar tendo nos lábios a oração de João em Ap 22:20b...
“Vem Senhor Jesus”, ou seja, “Maranata”!
Paulo diz em I Cor 15:58...
“Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes e que nada os abale, sejam sempre
dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que no Senhor o trabalho de vocês não é inútil”

O que ele está dizendo é que não devemos ser moldados por este mundo, mas...
 ficar firmes na Palavra,
 não ter os nossos valores abalados,
 continuar firmes em nossos princípios éticos,
 usar nossas vidas no trabalho do Senhor,
...porque tudo aquilo que fizermos no Senhor (não na carne), não será em vão!!!
Através dos séculos milhares de cristãos têm desejado a Sua volta, a igreja primitiva achava
que Jesus iria voltar durante a sua geração, e assim tem sido através dos anos. Devemos estar
constantemente esperando pelo retorno de Jesus (veja Lucas 12:35-37).

c) nós gememos e esperamos – vs.23-25


Versículo 23...
“E não só isso, mas nós mesmos, que temos os primeiros frutos do Espírito, gememos
interiormente, esperando ansiosamente nossa adoção como filhos, a redenção do nosso corpo”
Paulo inicia dizendo que não somente a criação geme e espera, ele acrescenta que também
nós gememos e esperamos porque nossos corpos não foram ainda transformados naquilo que
um dia seremos, embora já tenhamos a garantia que isto vai acontecer.

Quando somos salvos recebemos o selo do Espírito que garante a redenção do nosso corpo; é
a isto que Paulo está se referindo como “primeiros frutos do Espírito” ou “primícias do Espírito”;
é como se fosse a “primeira prestação” do que ainda está por vir!

Página 85 de 172
Acompanhe o que diz Efésios 1:13-14...
“Quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês
foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança
até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória.”
Pela fé já fomos adotados como filhos de Deus, e a Bíblia afirma que somos co-herdeiros de
Cristo; embora isto seja um fato, ainda não está totalmente consumado, porque o dia virá em
que estaremos vestidos como príncipes e princesas na família de Deus! (você se lembra que já
estudamos isto?!)
Veja só...
Embora já tenhamos a garantia da redenção dos nossos corpos, ainda assim gememos, isto é,
há em todo salvo aquele desejo de ser liberto de tudo que o pecado criou para nós.
O que temos até agora, temos na “esperança”, mas ainda não estamos vendo claramente tudo
concretizado. A redenção dos nossos corpos é de fato a esperança da glória que em nós há de
ser revelada!

Versículos 24 - 25...
“Pois nessa esperança fomos salvos.
Mas, esperança que se vê não é esperança.
Quem espera por aquilo que está vendo?
Mas se esperamos o que ainda não vemos, aguardamo-lo pacientemente”

O objetivo da nossa esperança ainda não tem sido realizado, porém...


 a fé aceita - a esperança pacientemente espera.
 a fé apropria - a esperança regozija antecipadamente.

Estudante, há ainda algo muito melhor por vir, é tão maravilhoso que a nossa mente finita não
consegue assimilar e a nossa imaginação por mais fértil que seja não consegue desenhar o
quadro!
Há um hino que expressa esta esperança assim...
“Eu avisto uma terra feliz
Onde irei para sempre morar
Há mansões neste lindo país
Que Jesus foi ao céu preparar.”

Perguntas...
 O que esta lição comunicou a você?

 Como irá encarar o sofrimento sabendo agora destas verdades?!

 Por que o cristão sofre?

 O cristianismo é um “guarda-chuva” que protege o crente dos sofrimentos deste mundo?

 Por que é errado falar: “Ele está doente porque não tem fé para ser curado”?

Página 86 de 172
LIÇÃO 28
ROMANOS 8
VIDA ETERNA

I. A vida espiritual – vs.1-11


II. A vida em um novo nível – vs.12-17

III. Os sofrimentos presentes e a glória futura – vs.18-27


a) a convicção profunda de Paulo – vs.18
b) a criação geme e espera – vs.19-22
c) nós gememos e esperamos – vs.23-25
d) o Espírito geme e intercede – vs.26-27

Versículo 26...
“Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas
o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”
A criação geme assim como nós, mas não estamos sós: o Espírito que habita em nós também
geme. Paulo parece querer deixar muito claro que o sofrimento presente não é para ser
comparado com a glória por vir, e para isto ele acrescenta mais uma razão como confirmação
de que a glória é certa, certíssima!
Estudante, não pense que este versículo nos leva a não orar, pelo contrário, a Bíblia inteira nos
encoraja a fazê-lo! Acontece que a fragilidade humana afeta até mesmo a oração... quantas
vezes estamos diante de situações que não sabemos realmente o que pedir ou como orar!
Sabemos que algo não está certo, mas não sabemos exatamente o que é, nem mesmo porque
tudo está como está, não é?! Falta-nos sabedoria.
Em momentos como este é que temos que nos lembrar que...
 não somente temos um advogado que intercede por nós (I João 2),
 mas também temos dentro de nós o Espírito que realmente sabe ler nossas intenções e
atitudes, assim como sabe também qual é a vontade do Pai, e é por isto que Ele nos ajuda.

“A oração é o Divino (Espírito Santo) que está em nós clamando pelo Divino (Deus Pai) que
está acima de nós”
...disse C. H. Dodd, grande expositor bíblico britânico.

ALERTA!!!

Já vi crentes usando este versículo para provar o “dom de línguas”!


Como poderia ser isto, se o texto diz que são “gemidos inexprimíveis”!?!!
Não quer dizer inexplicáveis, mas sim que não podem ser expressados ou verbalizados, e
muito menos interpretados por alguém, pois é inexprimível!

Versículo 27...
“E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede
pelos santos de acordo com a vontade de Deus.”
Notemos que é Deus quem sonda os nossos corações!
“Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma
coisa de acordo com a vontade de Deus, Ele nos ouvirá.” I Jo 5:14

Página 87 de 172
Veja também Salmos 139:1 e 23.
Portanto sabemos que o Espírito Santo conhecendo exatamente qual é a vontade de Deus,
intercede “de acordo”, ou seja, de conformidade com aquilo que Deus quer!

James Montgomery captou bem o significado do que disse Paulo, quando escreveu:

“A oração é desejo da alma,


Quer expresso, quer não;
Movimento de chamas ocultas,
Quer no peito estremecem

A oração fardo é de um suspiro,


O cair de uma lágrima,
O relance de um olhar para o alto,
Quando só Deus está perto.”

Perguntas...
 Qual é o ministério do Espírito Santo neste texto?

 Que diferença isto deve fazer em nossa vida de oração?

IV. A nossa eterna segurança em Deus – vs.28-39


 Há um plano ou um propósito que nos dá razão para viver, aonde podemos descansar?

 Podemos ter certeza que estamos seguros para sempre ou podemos perder a salvação a
qualquer momento?

Já nos dias terrenos de Jesus ele olhava para o povo e via muitos corações nesta condição, e
por isto disse: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes
darei descanso.” - Mateus 11:28
Não duvido que muitos dos queridos estudantes ao ler esta lição estão assim... a compreensão
e a vivência de Romanos 8 será uma almofada macia para seus corações cansados, ao
considerarem que...

a) no passado Deus era por nós – vs.28-30


Versículo 28...
“Sabemos que Deus age em todas as coisas (esta é a nossa certeza)
para o bem (de acordo com o propósito de Deus, e não o nosso!!!)
daqueles que o amam, (você se identifica?!??)
dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.”
Temos aqui um dos textos mais lidos e conhecidos da Bíblia.
Quantas vezes já usei este texto para confortar uma pessoa doente, um pai desencorajado,
uma família em desespero, etc., mas também já vi este texto sendo mal usado e interpretado
por pessoas bem intencionadas que não o leram cuidadosamente!
Muitas vezes quando acontece alguma adversidade, um acidente, uma crise financeira, etc.,
vamos logo citando Romanos 8:28; mas não é bem assim!

Página 88 de 172
Não temos aqui uma “carta branca” que nos libera para andar como queremos e fazer o que
desejamos, e depois achar que tudo vai “concorrer para o nosso bem”.

Versículo 29...
“Pois aqueles que de antemão conheceu,
também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho...
(este é o propósito principal de Deus para todos nós: que nos tornemos semelhantes a
Cristo, e tudo que Ele faz coopera para isto)
Para você, há bem maior que este?!???...
... a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.”

Versículo 30...
“E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou; aos que
justificou, também glorificou.”

No passado Deus era por nós porque...


 nos conheceu – v.29
 nos predestinou – v.29
 nos chamou – v.30
 nos justificou – v.30
 nos glorificou – v.30

b) no presente Deus é por nós – vs.31-34


Versículos 31 e 32...
“Que diremos, pois, diante dessas coisas?
Se Deus é por nós, quem será contra nós?
Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará
juntamente com ele, e de graça, todas as coisas?”
Que coisas?!
Tudo que precisamos para que se cumpra o Seu propósito para as nossas vidas! Para você,
este é um grande bem?!???...

Versículos 33 e 34...
“Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus?
É Deus quem os justifica.
Quem os condenará?
Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também
intercede por nós.”

Esta é a promessa que temos hoje, na época da graça, e não mais da Lei: O próprio Jesus
Cristo intercedendo por você e por mim junto a Deus!
Você pode imaginar um bem maior que este?
No presente Deus é por nós porque...
 Não aceita acusação sobre os eleitos – v.33
 Não aceita condenação contra os eleitos – v.34
 Intercede por nós – v.34
c) no futuro Deus será por nós – vs.35-39

Página 89 de 172
Versículo 35...
“Quem nos separará do amor de Cristo?
Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?”
Aqui Paulo mesmo já diz que passaremos por tudo isto, mas confirma nossa garantia de que
estaremos debaixo do amor de Deus nestas situações!
Você pode imaginar bem maior?!
Versículos 36 e 37...
“Como está escrito: “Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados
como ovelhas destinadas ao matadouro”.
Mas, em todas estas coisas”
Que coisas? Tribulação, angústia, perseguição, fome, perigo, etc.
A Bíblia deixa claro que passaremos por tudo isto, mas também deixa claro que... em
todas estas coisas...
“...somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.”

Você considera isto um bem?!


Versículos 38 e 39...
“Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o
presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer
outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus,
nosso Senhor.”
Esta é a promessa para nós - HOJE!!!
Para você, poderia haver bem maior que este?!

No futuro Deus será por nós porque não permitirá separação...


 Nem por calamidades – vs.35-37
 Nem por vida ou morte – v.38 - Rm 14:8
 Nem por poderes angelicais – v.38
 Nem no presente ou porvir – v.38
 Nem por influência astrológica – v.39
 Nem por diferente criatura – v.39

Volte a ler e meditar nos versículos desta lição e deite o coração cansado nestas
verdades! Creia e descanse enquanto enfrenta o seu dia a dia.

Perguntas...
 Você tem certeza da segurança da sua salvação?
 Por que você sabe que está salvo?
 Cite 4 versículos que lhe garantem a sua salvação.
 Você notou no v.28 que foi Deus que nos elegeu?

Tarefa...
 Volte a ler o capitulo 8 tendo as lições ao seu lado.
 Escreva num cartão o v.28 e o decore
 Leia cuidadosamente os capítulos 9-10-11 e se prepare porque entraremos em águas
profundas... veremos a eleição de Israel e a doutrina da predestinação que foi
levemente tocada no capítulo 8.

Página 90 de 172
LIÇÃO 29
Olá Estudante!
Como está indo o seu estudo em Romanos?
Você tem se empenhado?
Se você ainda não compartilhou este estudo com alguém, procure uma ou mais pessoas para
estudar Romanos com você, seguindo estas lições.
A melhor maneira de aprender é estudando para ensinar!

TESTE PARA AUTO-AVALIAÇÃO


(não envie para mim)
Partes I e II
Responda sem consultar suas anotações, apostila, ou Bíblia e depois confira as respostas nas
lições anteriores.

Parte III
Leia atentamente o capítulo 9 e responda consultando sua Bíblia.

Parte I – Esboço Geral

1. Quais as seis palavras-chave do esboço geral?


________________
________________
________________
________________
________________
________________

2. Defina sem consultar o dicionário...


Justificação
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Paz
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Evangelho
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Redenção
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Propiciação
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Página 91 de 172
3. Cite o capítulo que fala sobre:

Vida eterna _____


Justificação pela fé _____
Vida de luta _____
Todos pecaram _____
Liberdade sem libertinagem _____
Conduta de amor _____
Os planos de Paulo _____
Eleição de Israel _____
Carne ______
Predestinação______

Parte II – Capítulos 1 a 8

1. Por que se manifesta a ira de Deus?

2. Quais os seis passos da deterioração do homem que a Bíblia apresenta?


(as seis palavras começam com a letra “D”)

3. Como Deus se revela ao homem?

4. Por que as pessoas que não conhecem a Bíblia - como exemplo algumas tribos indígenas -
também são culpadas?
5. Os ritos - como o batismo, circuncisão, crisma, extrema-unção - podem salvar alguém? Por
quê?

6. O que é propiciação?

7. Defina redenção

8. Que diferença o capítulo 5 faz em sua vida?

9. Cite Rm 8:18. Se ainda não sabe, decore-o!

10. Você tem certeza da sua salvação?

11. Como você comprova sua convicção pelo livro de Romanos?

Parte III – Capítulo 9


Responda consultando sua Bíblia

I. A dor de Paulo – vs.1-5


 Leia os versículos 1-3 e faça um contraste com o capítulo 8:28-39.
 Quais as palavras que refletem a dor e o sofrimento de Paulo?
 Quais os privilégios que os judeus tinham e por que Paulo sofre tanto?

Página 92 de 172
II. A promessa de Deus – vs.6-13
 Qual a pergunta implícita no verso 6?
 Quem realmente são os “descendentes espirituais” de Abraão?
 Por que Deus elegeu Jacó e não Esaú? - veja Salmo 115:3
Será a predestinação uma “confusão na mente” ou gratidão no coração?!
No momento apropriado estudaremos claramente este assunto.

III. A justiça de Deus – vs.14-18


 Qual é a pergunta que Paulo levanta, já sabendo que ela estaria no seu e no meu
coração?
 Qual a lição que aprendemos com estes poucos versos sobre Moisés?
 Por que Deus endureceu o coração de Faraó? O que diria sua professora de escola
dominical?

IV. A soberania de Deus – vs.19-29


 Escreva com suas próprias palavras...
- as perguntas dos versículos 19
- a ilustração dada por Paulo nos versículos 20-24

A esta altura, como você está se sentindo em relação a soberania de Deus?


V. A incredulidade de Israel – vs.30-33
 Por que os judeus não foram justificados por Deus?
 E você? Sabe se está ou não salvo? Por quê?
 O que lhe dá direito a entrar no céu?!
 Poderá você, se salvo, perder a salvação? Por que não?

Hoje pela manhã eu estava lendo o diário do grande evangelista e fundador da igreja
Metodista, João Wesley. Ele conta que chegando nos Estados Unidos - para pregar aos índios
americanos - encontrou um pastor para quem perguntou como poderia melhorar sua conduta,
então este homem de Deus lhe disse:

“Primeiro preciso fazer-lhe duas perguntas:


Você já tem o testemunho do Espírito em você?
O Espírito Santo já testemunha com seu Espírito que você é filho de Deus?” (Rm 8:16)

Wesley ficou confuso e respondeu: “Acho que sim!”


E você, estudante, o que responderia?
Saiba que “Acho que sim” não é o bastante!

Não durma esta noite sem antes ter a certeza absoluta de que está salvo por ser um eleito de
Deus, e ter sido alcançado pela Sua graça!
Em Cristo,

Página 93 de 172
LIÇÃO 30
ROMANOS 9
A ELEIÇÃO DE ISRAEL

Romanos 8 termina com um cântico de triunfo! Paulo fala de segurança e vitória: “...quem nos
separará do amor de Deus... somos mais do que vencedores...”.
Já o capítulo 9 inicia com uma nota de dor, de angústia... havia algo que o confrontava: se
Israel era o povo escolhido de Deus, sua nação eleita; como poderia então, estar sob a ira de
Deus?!
Além disto, através de seus profetas, Deus prometera que Israel haveria de ser uma bênção
para todas as nações da Terra, não apenas dando ao mundo o Messias, mas ainda aceitando
este Salvador e vivendo em comunhão Ele. A realidade porém é que Israel havia rejeitado a
Cristo, o Salvador, e enquanto Israel estava sendo colocada à margem, os gentios estavam
recebendo todas as bênçãos de justificação, nova vida e glória eterna, pela fé em Cristo.
Como então conciliar as promessas de Deus com a incredulidade e rejeição de Israel?
Veremos nos capítulos 9,10 e 11 a resposta de Paulo a esta pergunta. Pelo tipo de lógica que
ele emprega, a sua argumentação tem que ser vista como um todo, não podendo ser
interpretada cada parte isoladamente.
Cada um destes três capítulos começa com uma declaração pessoal de Paulo, em que ele se
identifica com o povo de Israel e expressa sua profunda preocupação com eles. Começando
no Capítulo 9, em seu estilo próprio Paulo dirige a si mesmo - ou ao seu interlocutor
imaginário - quatro questões.
Veja o esboço...

I. A dor de Paulo – vs.1-5


a) a intensidade da dor - vs.1-3
b) a causa da dor - vs.4-5

II. A promessa de Deus – vs.6-13


a) a primeira pergunta - v.6
b) a família de Abraão - vs.7-9
c) a família de Isaque - vs.10-13

III. A justiça de Deus – vs.14-18


a) a segunda pergunta - v.14
b) exemplo de Moisés - vs.15-16
c) exemplo de Faraó - v.17
d) resposta conclusiva - v.18
IV. A soberania de Deus – vs.19-29
a) a terceira pergunta - v.19
b) Deus é o oleiro - vs.20-21
c) a liberdade soberana de Deus - vs.22-24
d) profecias - vs.25-29
V. A incredulidade de Israel – vs.30-33
a) a quarta pergunta - v.30
b) a responsabilidade do homem - vs.31-32a
c) a profecia - vs.32b-33

Página 94 de 172
Observações Iniciais

1. Este texto é um dos mais IMpopulares das Escrituras, porque Paulo defende a Soberania
de Deus na salvação do homem.

Richard Halverson, que foi pastor da 4ª Igreja Presbiteriana de Washington e mais tarde
capelão do Senado Americano disse:
“Se alguém busca ser popular no púlpito e gosta de pregar o que o povo gosta de ouvir,
certamente saltará o capítulo 9 de Romanos, porque ele contém uma verdade nada popular, a
qual nos encontramos instintivamente resistindo”.

2. Temos que lembrar o que diz Isaias 55:8-9...


“Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os meus caminhos os seus
caminhos”
Deus está muito além de nós. Se alguém entender tudo, se alguém souber os caminhos do
Senhor e como Ele age... então precisamos arrumar um lugar para esta pessoa na trindade!
3. Muitos vêem a predestinação como algo extremamente acadêmico, matéria estéril e vaga;
mas nunca foi esta a intenção de Paulo e do Senhor.
O estudo da Palavra de Deus visa sempre produzir no crente, no salvo: segurança, edificação,
encorajamento, evangelismo, descanso e grande paz!

4. Predestinação não é uma doutrina nova...


 começou com Deus no Velho Testamento;
 continuou no Novo Testamento com Jesus Cristo, Paulo, Pedro e Lucas;
 e através dos séculos com homens de Deus como Agostinho, Lutero, Calvino, João Knox,
Isaac Watts (que escreveu lindos hinos), Jorge Whitfield, Jonathan Edward (fundador de
um colégio que se tornou Harvard) e não ficaria de fora Charles Spurgeon (o maior
pregador batista de todos os tempos).
 e hoje temos homens como J.Stott, J.I.Packer, John Pipper, Charles Stanley, entre outros.
Devo confessar que a Doutrina da Soberania de Deus, por muitos chamada de Calvinismo, é
uma das mais doces, mais ricas e mais preciosas doutrinas para mim!

5. Temos neste capítulo os bastidores aonde Deus trabalha no desenrolar da história dos
movimentos na salvação do homem. Para mostrar isto, Paulo vira o holofote para Israel e
demonstra como Deus trabalhou e agiu na vida do seu povo.
Veremos que o homem tem poder para escolher e decidir; mas que também por traz de cada
cena na história da salvação do homem Deus está agindo, porque é Ele quem leva o homem
a querer ser salvo!
Veja Rm 3:11 “...não há ninguém que busque a Deus...”, logo, se alguém está buscando a
Deus, é porque Ele mesmo está trabalhando naquela vida.
“Pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa
vontade dele.” - Filipenses 2:13
Não é o homem que vai atrás de Deus, mas sim Deus que toma a iniciativa de ir buscá-lo!
Confira: “Todo aquele que o Pai me der, virá a mim; e quem vier a mim eu jamais rejeitarei” -
João 6:37
Vamos ao estudo...

Página 95 de 172
I. A dor de Paulo – vs.1-5

a) a intensidade da dor - vs.1-3

Nestes versículos Paulo não está soltando “lágrimas de crocodilo”, é algo genuíno; ele usa
várias palavras para mostrar sua sinceridade.

Versículos 1-2...
“Digo a verdade em Cristo, não minto; minha consciência o confirma no Espírito Santo: tenho
grande tristeza e constante angústia em meu coração.”

Paulo sabe que a consciência humana é falível e condicionada; então afirma que a sua é
iluminada pelo Espírito Santo, testemunhando que o amor que ele sente por seu povo traz
tristeza e angústia ao vê-los rejeitando a Cristo.

Versículo 3...
“Pois eu até desejaria ser amaldiçoado e separado de Cristo por amor de meus irmãos, os de
minha raça.”

Ele tinha orgulho de sua cultura grega, alegrava-se com sua cidadania romana, mas sua
herança judaica era a mais querida em seu coração. Nunca negou que era judeu, amava
profundamente o seu povo por quem intercedia e orava constantemente, ao ponto de falar
numa linda figura de linguagem que se fosse possível, desejaria ir para o inferno a fim de ver
o seu povo salvo.

É claro que Paulo não está dizendo isto literalmente, uma vez que acabou de declarar sua
firme convicção que nada poderia jamais separá-lo do amor de Cristo (Rm 8:35, 38-39). Na
verdade ele estaria até disposto a ser amaldiçoado, caso fosse este o meio de levar Israel à
salvação!

b) a causa da dor - vs.4-5

A causa de sua dor era ver quantos privilégios seu povo tinha tido ao logo da história de
Israel, e ainda assim estavam rejeitando a Cristo.

Paulo já havia mencionado alguns dos privilégios que Deus concedeu ao seu povo em Rm
2:17; 3:1 - você lembra que já estudamos isto?!! - agora ele apresenta uma lista mais
completa...

Versículo 4...
“Deles é a adoção de filhos; deles é a glória divina, as alianças, a concessão da Lei, a
adoração no templo e as promessas”

 adoção de filhos: o povo de Israel é chamado coletivamente de “filho de Deus” ou


individualmente de “seus filhos”. (Êx. 4:22; Os. 1:10; 11:1)

Página 96 de 172
 glória divina: a prova da sua habitação entre eles no tabernáculo mosaico e no templo de
Salomão - (Êx. 40:34 / I Rs 8:10)

 alianças: uma referência a primeira aliança de Deus com Abraão, mas também suas
múltiplas renovações e elaborações dadas a Isaque, Jacó, Moisés e Davi. - (Êx. 24:8; II
Sm 23:5)

 concessão da Lei: os Dez Mandamentos (Êx. 20:1)

 adoração no templo, culto, ou o serviço de Deus: as prescrições para o culto,


principalmente as registradas no livro de Levítico, nas quais o cerimonial do templo de
Jerusalém ainda se baseava na época de Paulo.

 promessas: particularmente aquelas relacionadas à vinda do Messias como profeta de


Deus, sacerdote e rei. (Is 55:3; At 13:23, 32-34)

Versículo 5...
“Deles são os patriarcas, e a partir deles se traça a linhagem humana de Cristo, que é Deus
acima de todos, bendito para sempre! Amém”

 patriarcas: Abraão, Isaque, Jacó e seus doze filhos - os primeiros a receberem as


promessas.

 linhagem humana de Cristo: em Mateus temos a genealogia de Jesus até Abraão, e em


Lucas até Adão. Num comentário de Calvino, ele diz... “Se ele honrou toda a raça humana,
estabelecendo com esta um vínculo ao compartilhar a nossa natureza, muito mais ainda
honrou os judeus, com os quais quis estabelecer um laço íntimo de afinidade”

 Deus acima de todos, bendito para sempre: Paulo aqui declara diretamente a divindade de
Cristo. Jesus em sua natureza humana é da raça judaica, e também Senhor sobre todas
as coisas.

Bom estudo

Ary (in memoriam)

Página 97 de 172
LIÇÃO 31
ROMANOS 9
A ELEIÇÃO DE ISRAEL

I. A dor de Paulo – vs.1-5


II. A promessa de Deus – vs.6-13

a) a primeira pergunta - v.6


“Não pensemos que a palavra de Deus falhou
Pois nem todos os descendentes de Israel são Israel.”

Neste versículo está implícita uma séria pergunta: “Deus falhou?”.


Como pode o povo escolhido rejeitar o Messias prometido?
Deus falhou ou Paulo não prega a verdade! Qual dessas duas possibilidades?
Estudante, a promessa de Deus não falhou!
Não podemos nos esquecer que Deus é Deus, e nem sempre age como a nossa lógica
humana indica que Ele deveria agir! Sei que todos nós lutamos com isto, quantas vezes eu já
disse para mim mesmo:
“Ah! Se eu fosse Deus...”
“Como é que Deus não vê que a solução está ali tão clara e tão perto?!”.
No fundo esta é a nossa petulância de querer saber e fazer as coisas melhor do que Ele!
Deus cumpriu sua promessa, só que ela foi dada não a Israel como um todo, ou seja, sempre
houve “dois tipos” de Israel:
 aqueles que descenderam fisicamente de Israel (Jacó)
 aqueles que eram descendentes espirituais

Paulo já nos explicou em Romanos 2:28 que o verdadeiro judeu é o homem cuja vida exalta a
Deus, que a linhagem natural e a circuncisão física não são as coisas de maior importância.
Você se lembra que já estudamos isto?
Na época do Antigo Testamento, a descendência natural não garantia automaticamente a
herança da promessa, Deus escolhia quem a herdaria.
Paulo então nos lembra deste princípio usando aqui duas situações conhecidas - as famílias
de Abraão e Isaque - para ilustrar e provar seu argumento...

b) a família de Abraão - vs.7-9


Versículos 7 e 8...
“Nem por serem descendentes de Abraão passaram todos a ser filhos de Abraão. Ao
contrário: “Por meio de Isaque a sua descendência será considerada.
Noutras palavras, não são os filhos naturais que são filhos de Deus, mas os filhos da
promessa é que são considerados descendência de Abraão.”

Os descendentes de Abraão, pelo simples fato de serem seus filhos fisicamente, não se
tornavam “filhos de Deus” ou “filhos da promessa”.
É também importante realçar que o fato de alguém ser filho de um casal crente, sério com
Deus, que ora pelos filhos e os leva para a igreja, não o torna salvo! Veja João 1:11-13.
Filhos da promessa são aqueles que, como Abraão, crêem na promessa de Deus, e portanto,
são descendentes espirituais de Abraão.

Página 98 de 172
Versículo 9...
“Pois foi assim que a promessa foi feita:
“No tempo devido virei novamente, e Sara terá um filho”

Abraão teria filhos tanto por Agar quanto por Sara, mas somente os descendentes de Sara
seriam herdeiros da promessa, o que demonstra que não é e geração física que faz um
homem participante das bênçãos de Deus - um israelita de verdade - mas a eleição de Deus.

c) a família de Isaque - vs.10-13

Versículo 10...
“E esse não foi o único caso; também os filhos de Rebeca tiveram um único pai, nosso pai
Isaque”...

Paulo está provando que não é a hereditariedade que nos garante o pertencer a família de
Deus, mas sim a escolha soberana dEle. Ele já nos mostrou que Deus escolheu Isaque e não
Ismael, e agora lembra que Esaú foi rejeitado sendo filho do mesmo pai – Isaque - e da
mesma mãe Sara.

Versículos 11-13
“Todavia, antes que os gêmeos nascessem ou fizessem qualquer coisa boa ou má – a fim de
que o propósito de Deus conforme a eleição permanecesse; não por obras, mas por aquele
que chama – foi dito a ela:
“O mais velho servirá ao mais novo”.
Como está escrito: “Amei Jacó, mas rejeitei Esaú”.
Não se pode negar que nesta citação de Malaquias 1:2-3, o profeta comentava sobre a nação
de Israel e Edom. O ponto que Paulo enfatiza é que a decisão de Deus foi antes do
nascimento deles, não tendo nenhuma relação com o que eles iriam fazer ou ser.

Sabemos pelas Escrituras que Esaú era “imoral e profano”, ambicioso e insensível às bênçãos
de Deus (Heb. 12:16-17).
Jacó também não era “flor que se cheira”, veja o que o seu irmão disse dele:
“E disse Esaú: Não é com razão que o seu nome é Jacó (enganador)?”
“Já é a segunda vez que ele me engana! Primeiro tomou o meu direito de filho mais
velho, e agora recebeu a minha bênção!”
Sim, Jacó era um trapaceiro e mentiroso.

Porém estudante, não vá ficando com uma atitude de superioridade em relação a eles, porque
tudo o que eles eram, você e eu também somos! Talvez apenas não tenhamos ainda dado
vazão a toda podridão que em nós reside!

Jacó só foi alcançado graças a “eleição divina”, assim também você e eu somente pela infinita
graça de Deus fomos um dia abraçados pelo Seu amor.
Fomos alcançados pela graça, e não por nossa religião ou obras... se é que você já provou a
graça e misericórdia de Deus em sua vida e goza de um relacionamento real com Jesus
Cristo!

Página 99 de 172
Veja novamente que o capítulo 4 de Romanos nos mostra que até Abraão não foi salvo por
suas obras, nem por ritos, ou pela obediência a Lei Mosaica, mas sim pela fé (e mesmo esta
fé não vem do homem, mas de Deus! - veja Efésios 2:8-9).

Eu sei que esta doutrina da total soberania de Deus na salvação do homem pode nos deixar
um pouco confusos no início, mas na medida em que a estudamos, ela se torna mais e mais
preciosa e nos leva a maior santidade e a um total descanso no Senhor! Predestinação não
deve gerar “confusão” na mente, mas sim gratidão no coração!

III. A justiça de Deus – vs.14-18

O apostolo Paulo ao longo do livro de Romanos, e em particular no capitulo 9, demonstra de


uma maneira insofismável que Deus escolhe quem quer e também endurece a quem Ele quer.
Confesso de coração que muitas vezes não entendo bem o Deus faz, mas uma coisa eu sei:
Ele é Deus, e a Bíblia diz...
“O nosso Deus está no céu e tudo faz como lhe apraz” - Salmo 115:3

Vejo então que as minhas opções não são muitas...


 adoro um Deus que é totalmente soberano,
 ou fico na “mãozinha fraca” de um “deus”, que dança conforme a música é tocada.
E você estudante, o que prefere?!

a) a segunda pergunta - v.14


“E então, que diremos? Acaso Deus é injusto?
De maneira nenhuma!”

Paulo, sabendo que você e eu faríamos muitas perguntas sobre este assunto, já antecipa
algumas objeções e dois questionamentos cruciais:
 Se Deus é quem escolhe e eu nada posso fazer para me salvar, Ele não está sendo injusto
para com aqueles que não são eleitos por Ele mesmo?
 E então, por que Ele ainda nos culpa?

É muito natural que estas perguntas venham a nossa mente. Paulo inspirado por Deus
responde com apenas uma pequena palavra no grego que é traduzida por “De modo
nenhum”, isto quer dizer: não deixe que passe pela sua cabeça a idéia de um Deus injusto! É
como se Paulo estivesse dizendo: o meu ser tem total repugnância da idéia de que Deus seja
injusto.

De fato, uma das coisas que a crença na Eleição Divina faz é exatamente isto: deixar Deus
ser Deus! Nunca esqueça isto!

b) exemplo de Moisés - vs.15-16


“Pois Ele diz a Moisés:
Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia
e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão”
Portanto, isto não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus”

Página 100 de 172


A Bíblia Anotada - Editora Mundo Cristão – comenta...
“Veja Êxodo 33:19. Se Deus não fosse livre para demonstrar Sua misericórdia, ninguém seria
abençoado, pois ninguém merece Sua Graça, e ela não pode ser conquistada pelo esforço
humano.”

c) exemplo de Faraó - v.17


“Pois a Escritura diz ao faraó:
“Eu o levantei exatamente com este propósito: mostrar em você o meu poder, e para que o
meu nome seja proclamado em toda a terra”

Quando criança, perguntamos ao professor da Escola Dominical:


“Por que Deus endureceu o coração de Faraó?”

O professor que nunca leu Romanos 9, no desejo de justificar Deus - como se ele precisasse
de uma “defesazinha” de um finito homenzinho, responde:
“É porque Deus sendo onisciente, isto é, sabendo todas as coisas, viu que Faraó iria
endurecer o seu próprio coração, então Deus o endureceu!!”

A criança aceita, porém quando cresce começa a ler a Bíblia e a pensar mais profundamente,
diz:
“Bulufas! Se Deus já sabia que Faraó iria endurecer o coração, então não havia
necessidade de Deus endurecer o coração dele.”

Um dia lendo Romanos 9 a ficha cai!

d) resposta conclusiva - v.18


“Portanto Deus tem misericórdia de quem Ele quer, e endurece a quem Ele quer”

Perguntas...
 Você sente um forte desejo de ver pessoas salvas?
 Por quantas pessoas você está orando para que sejam salvas?
 Como você se sente sabendo que temos que orar, mas entendendo também que Deus é
soberano na salvação do homem?

 Não há coração duro para Deus!


Não pense que o coração do seu tio, esposa, filho, e outros, é mais duro que o seu!

 Como você percebe a soberania de Deus no capítulo 9?

Volte a ler o capítulo 9 pedindo ao Senhor sabedoria para aceitar esta doutrina que não foi
feita para ser discutida, mas revelada para aos Eleitos de Deus; trazendo descanso, paz e
alegria, por saberem que adoram um Deus que é Deus!

Veja Deuteronômio 32:39 e decore Romanos 11:33-36.

Página 101 de 172


LIÇÃO 32
ROMANOS 9

A ELEIÇÃO DE ISRAEL

I. A dor de Paulo – vs.1-5


II. A promessa de Deus – vs.6-13
III. A justiça de Deus – vs.14-18

IV. A soberania de Deus – vs.19-29

Tendo Paulo...
 dado o exemplo da soberania de Deus na vida dos filhos de Rebeca;
 suscitado uma pergunta sobre a justiça de Deus e logo respondido que Deus jamais é
injusto;
 dado outro exemplo da soberania de Deus na vida de Faraó,
 e concluído: “Deus tem misericórdia e endurece a quem Ele quer”
... ele já antecipa uma objeção plausível da mente do homem carnal...

a) a terceira pergunta - v.19


“Mas algum de vocês me dirá:
“Então, por que Deus ainda nos culpa? Pois, quem resiste a sua vontade?”

Para o homem que não tem um relacionamento com Cristo, o questionamento faz muito
sentido...
 se Deus endurece a quem quer, por que ainda fica triste com o homem a quem Ele mesmo
endurece o coração?
 se Deus é soberano, então como o homem pode ser considerado culpado ou responsável
pelo resultado?

É necessário que entendamos bem esta pergunta, pois ela vai no cerne, no âmago da
questão; é como o Dr. Shedd diz: “uma tentativa irreverente de igualar Deus com o homem”.

Devemos notar como Paulo responde esta objeção: ele não vai dando argumentos, mas sim
uma repreensão muito forte!

b) Deus é o oleiro - vs. 20-21

Versículo 20...
“Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus?”
Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou:
“Por que me fizeste assim?”

Página 102 de 172


Paulo usa uma figura comum no velho Testamento, do oleiro e do barro, para ilustrar a
autoridade de Deus sobre suas criaturas.
Veja Isaías 29:15-16, 64:8-9 e Jeremias 18:1-6.

Versículo 21...
“O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso
desonroso?

É muito importante ver que ele não está falando aqui do homem na sua criação, mas sim do
homem depois da queda.

Todo homem é barro, e barro podre mesmo!


Todo homem é pecador e como pecador merece o julgamento de Deus!

c) A liberdade soberana de Deus - vs. 22-24

Versículos 22-23...
“E se Deus, querendo mostrar a sua ira e tornar conhecido o seu poder, suportou com grande
paciência os vasos de sua ira, preparados para a destruição? Que dizer, se ele fez isto para
tornar conhecidas as riquezas de sua glória aos vasos de sua misericórdia, que preparou de
antemão para glória”,

Calvino nos lembra que...


“Os eleitos diferem dos rejeitados apenas no fato da libertação do mesmo abismo de
destruição. E mesmo isto não ocorre por nenhum mérito deles próprios, mas pela livre
vontade de Deus.”

Isto deve nos levar para uma profunda gratidão ao nosso Deus, não acha estudante?!
Devemos sempre ter em mente... “Por que eu Senhor? Por que eu?”
Nosso coração deve fluir com a mais profunda gratidão pelo amor eletivo do nosso
misericordioso Deus.

Vamos colocar tudo isto em outras palavras...


 todos nós somos pecadores e merecemos a justiça divina, isto é a condenação;
 se Deus fosse tratar a todos nós com justiça, Ele teria que condenar todos nós! Mas...
 na Sua graça incompreensível, Deus quis salvar aqueles a quem Ele, na Sua soberania,
escolheu antes da fundação do mundo (veja Efésios 1:4)

Daí a nossa gratidão!

Versículo 24...
“...ou seja, a nós, a quem também chamou, não apenas dentre os judeus, mas também dentre
os gentios?”

O grande comentarista Haldane diz sobre este verso...

Página 103 de 172


“Nenhum dos judeus ou gentios eram vasos de misericórdia, exceto aqueles que Ele havia
efetivamente chamado a Si. Este versículo prova incontestavelmente - ao contrário das
opiniões errôneas de muitos - que o apostolo aqui está falando da eleição de indivíduos, e não
de nações.”

d) Profecias - vs. 25-29


“Como ele diz em Oséias:
“Chamarei „meu povo‟ a quem não é meu povo; e chamarei „minha amada‟ a quem não
é minha amada”,e:“Acontecerá que, no mesmo lugar em que se lhes declarou: „Vocês
não são meu povo‟, eles serão chamados „filhos do Deus vivo”
Isaías exclama com relação a Israel:
“Embora o número dos israelitas seja como a areia do mar, apenas o remanescente
será salvo. Pois o Senhor executará na terra a sua sentença, rápida e definitivamente”
Como anteriormente disse Isaías:
“Se o Senhor dos Exércitos não nos tivesse deixado descendentes, já estaríamos como
Sodoma, e semelhantes a Gomorra”

Aqui Paulo nos mostra como Deus usou a Sua soberania no Velho Testamento, provando que
este assunto de eleição não é nada novo!

Lembrando que “o remanescente é que será salvo” em Israel. Se não fosse a misericórdia de
Deus para com Israel, ela teria desaparecido como Sodoma e Gomorra!

V. A incredulidade de Israel – vs.30-33

É como se Paulo nos dissesse: “Qual é a conclusão de tudo que eu venho dizendo nesta
carta, e particularmente neste capítulo 9?”

a) a quarta pergunta - vs.30

Versículo 30...
“Que diremos, então?
Os gentios, que não buscavam justiça, a obtiveram, uma justiça que vem da fé;”

Aqui eu tenho que lançar mão do que diz John Stott para explicar este texto...

“A resposta de Paulo começa com uma descrição, continua com uma explicação e termina
com uma confirmação. A situação que ele descreve é totalmente confusa... (se é confusa para
o J. Stott, e para o Ary Velloso então?!!)

Referir-se aos pagãos como alguém que “não buscava a justificação” é atenuar bastante os
fatos, afinal a maioria deles poderia ser descrita como ímpios e egocêntricos, que seguem seu
próprio caminho, amantes de si mesmo, “mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus”

Página 104 de 172


e daquilo que é bom (II Tess. 3:1); mesmo assim eles obtiveram aquilo que não estavam
buscando.

Fato é que, quando eles ouviram o evangelho da justificação pela fé, o Espírito Santo atuou
neles com tal poder que eles, pela fé, apossaram-se do evangelho quase que com violência (é
o que indica a palavra grega katalambanõ)”

b) a responsabilidade do homem - vs.31-32a


“...mas Israel, que buscava uma lei que trouxesse justiça, não a alcançou;
“Por que não? Porque não a buscavam pela fé, mas como se fosse por obras.”

Os judeus possuíam um zelo religioso e moral que alguns chamariam de fanatismo, no


entanto “não alcançaram” uma lei que trouxesse justiça porque estavam perseguindo um alvo
impossível: salvar-se por seus próprios méritos ou obras!

É triste pensar que muitos hoje estão fazendo exatamente a mesma coisa: alcançar a Deus
pelas suas ações, pelos seus méritos.
Oh, não, não! A salvação é somente pela graça!

c) a profecia - vs.32b-33
Eles tropeçaram na “pedra de tropeço”. Como está escrito:
“Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e uma rocha que faz cair;
e aquele que nela confia jamais será envergonhado”

Este texto é a combinação de suas passagens: Isaías 8:14 e 28:16.


William Hendriksen nos explica que...

“Paulo então vai à própria raiz do fracasso de Israel de conseguir a justiça: tropeçaram - ou se
chocaram contra – a Pedra de Tropeço, fracassaram em reconhecer a Cristo com seu
Salvador.

Para os judeus, Cristo era uma pedra de tropeço (I Cor. 1:23), por certo, também para muitos
gentios ele era uma loucura; mas, de um modo geral, os judeus eram muito mais inflexíveis
em sua convicção de que haviam encontrado a solução do problema de atingir a justiça aos
olhos de Deus, e seu fracasso de humildemente correr para Cristo e o abraçar pela fé provava
seu desastre, implicava sua ruína.”

Pergunta...

O que este capítulo de Romanos, uma vez entendido, fará por você eleito de Deus?

Perceba que Paulo menciona muitas vezes neste livro e capítulo a palavra “justiça”, que é
tudo aquilo que Deus requer, que Ele aceita e que lhe é valioso.

É o que nos capacita a relacionar com Deus Pai, isto é, Cristo Jesus.!

Página 105 de 172


LIÇÃO 33
ROMANOS 10

A REJEIÇÃO DE ISRAEL

O grande mistério está diante de todos nós...

Deus é soberano e escolhe a quem Ele quer e também endurece a quem lhe apraz, porém no
capitulo 10 (sem negar uma palavra que dissera no capitulo 9), Paulo afirma que o homem é
responsável pela sua perdição!

Veja o esboço...

I. Razões da rejeição – vs.1-13


a) salvação por méritos próprios - vs.1-4
b) a fé salvadora – vs.5-10
c) o evangelho oferecido a todos – vs.11-13

II. Remédio para a rejeição – v.14-15

III. A negligência de Israel – v.16-21

Vamos ao estudo...

I. Razões da rejeição – vs.1-13

a) salvação por méritos próprios - vs.1-4

Versículo 1...
“Irmãos, o desejo do meu coração e a minha oração a Deus pelos israelitas é que eles sejam
salvos.”

Vejam que Paulo depois de ensinar sobre a eleição, não cruza os braços dizendo... “os eleitos
serão salvos de qualquer maneira, então para que pregar?”

Nada disto! Ele ora e deseja que os judeus sejam salvos exatamente porque crê num Deus que
é soberano, para quem não há coração duro!
“Agindo Deus quem impedirá?”
Você tem um parente ou amigo do tipo “coração de pedra”? Ore por ele.
Deus tudo pode! Talvez você pergunte... “E se ele não for um eleito!??”
Não se preocupe com isto! Só Deus sabe quem são os seus eleitos, portanto, ORE!
Versículo 2...
“Posso testemunhar que eles têm zelo por Deus, mas o seu zelo não se baseia no
conhecimento.”

Página 106 de 172


Aqui está o problema! Eles eram fanáticos - como o próprio Paulo era antes da conversão -
mas lhes faltava o conhecimento correto das Escrituras.

Versículo 3...
“Porquanto, ignorando a justiça que vem de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não
se submeteram à justiça de Deus.”

Aqui está a maior dificuldade dos judeus e de toda a raça humana...


Sempre queremos estabelecer o nosso relacionamento com Deus do nosso jeito! O homem
sempre quer fazer alguma coisa para merecer a graça Dele.

Paulo nos mostra neste versículo que os judeus estavam “procurando estabelecer a sua
própria justiça”, isto é, querendo dizer para Deus:
“Veja Deus como eu sou bom! Faço boas obras...
Ando exatamente como Moises mandou... etc.”
Mentira! Ninguém consegue viver pelos 10 mandamentos, pois se você quebrar um já quebrou
todos! Eles eram orgulhosos e não quiseram aceitar a justificação que vem pela fé em Cristo
Jesus (veja Rom 5:1)

Talvez você, estudante, ainda não aceitou a graça maravilhosa do Senhor.


“Porque pela GRAÇA sois salvos, por meio da FÉ, e isto não vem de vós, é dom (um
presente que você não merece) de Deus”
Que doçura de amor este de Deus para conosco! Deixe Ele lhe abraçar com o seu amor eletivo

Versículo 4...
“Porque o fim da Lei é Cristo, para a justificação de todo o que crê.”

O papel da Lei é nos conduzir a Cristo, e o que ela realmente faz?


Simplesmente mostra que ninguém pode viver sem cometer uma transgressão.

Veja os 10 mandamentos... quantos deles você já desobedeceu?


Como já dissemos: desobedeceu um, “foi tudo foi pro beleléu”, está tudo perdido!

Volte os olhos para o capitulo 1 de Romanos e veja como você e eu somos pecadores. Este
era e é o papel da Lei, mostrar que somos transgressores, MAS... Jesus sendo homem e Deus,
cumpriu toda a Lei no meu e no seu lugar. Ele é o fim da Lei!

Não tente estabelecer a sua própria justiça, mas aceite a justiça que Deus requer: Jesus Cristo!
b) a fé salvadora – vs.5-10

Versículo 5...
“Moisés descreve desta forma a justiça que vem da Lei:
“O homem que fizer estas coisas viverá por meio delas”

Página 107 de 172


Como estamos notando Paulo não está introduzindo material novo, pois já vem mostrando
através do livro de Romanos que pela Lei ou pelas obras ninguém será salvo.

Os judeus - como nós - tinham a tendência de tornar a salvação uma coisa bem mais
complicada. Lembro-me muito bem quando certa vez eu ensinava o livro de Gálatas que
mostra claramente que a salvação não é pela Lei Mosaica, nem pelas obras ou caridade, e sim
pela fé. A mensagem ficou clara para um homem que foi logo dizendo: “Ah! Mas assim é muito
fácil.” De fato é muito simples!
Veja como Paulo nos adverte para não complicar...

Versículo 6...
“Mas a justiça que vem da fé diz:
“Não diga em seu coração: „Quem subirá aos céus?‟
(isto é, para fazer Cristo descer)”

Isto é, como se Jesus nunca tivesse vindo e nascido de Maria Virgem e nunca tivesse vivido
33 anos aqui na terra.

William Hendriksen nos explica que “Paulo quer ressaltar a verdade que a tarefa realmente
difícil não nos cabe enfrentar, ela já foi realizada por Cristo, para nós!
Ele desceu do céu, habitou entre nós, sofreu por nossas agonias no inferno, morreu, foi
sepultado, ressuscitou e subiu ao céu. Portanto, qualquer tentativa de nossa parte de subir ao
céu para trazer a Cristo equivaleria a uma negação muitíssimo ingrata da realidade e do valor
da encarnação Dele.”

Versículo 7...
Não diga em seu coração... “Quem descerá ao abismo?‟
(isto é, para fazer Cristo subir dentre os mortos).”

Isto é, como se Jesus não tivesse ressuscitado para uma vida nova.

Paulo está dizendo que é igualmente fútil tentar uma descida ao abismo ou ao túmulo na
tentativa de descobrir a verdade. A Bíblia proíbe o falar com os mortos para descobrir algo do
além (Deut. 18:9-12 e Isaías 8:19-20).

Versículo 8...
“Mas o que ela diz?
„A palavra está perto de você; está em sua boca e em seu coração‟, isto é, a palavra da fé que
estamos proclamando”.

Notem que Paulo está citando aqui Deuteronômio 30:11-14. Ele identifica a palavra dita por
Moisés com “a palavra da fé que pregamos”.

Página 108 de 172


Muitos dos judeus naquela época não aceitaram o desafio de Moises, assim também hoje a
grande maioria dos judeus estão rejeitando a “justiça” (Cristo) que lhes é anunciada clara e
abertamente na pregação do evangelho e na encarnação de Jesus (veja João 1:11).

Nos versos seguintes, Paulo está dizendo: “Ok! Vamos parar com todas estas perguntas e
confusão”, então ele passa a explicar a salvação de uma maneira muito simples...

Versículos 9-10...
“Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o
ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca
se confessa para salvação.”

Aqui está a essência da fé que salva!


 é necessário uma confissão com a boca, isto é, o salvo não pode se envergonhar do seu
Senhor.
 é preciso reconhecer que Jesus agora é o Senhor da sua vida!

Certamente o novo convertido no início não sabe tudo sobre o senhorio de Jesus, mas mesmo
assim há de haver uma santa disposição, ou seja, uma entrega total ao Senhor.

Nada de dizer...
“Eu aceito Jesus como meu Salvador, mas não como meu Senhor”.
Quem assim fala e procede nunca conheceu de fato a Cristo como seu Salvador e ainda anda
em trevas!

É necessário crer, ter fé, isto é, reconhecer que em Cristo tudo que Deus demandava para o
homem se reconciliar com Ele foi pago na cruz, pois Jesus é a nossa “justiça”.

Viver o evangelho integral nada mais é do que o reconhecimento que antes eu estava nas
trevas, vivia debaixo das ordens do Maligno, mas agora pela Graça de Deus - e somente pela
Graça Dele - fui tirado do reino das trevas e transportado com toda segurança para o reino do
seu Filho Amado! (Col. 1:13-14)

Bom estudo, Ary (in memoriam)

Página 109 de 172


LIÇÃO 34
ROMANOS 10

A REJEIÇÃO DE ISRAEL

I. Razões da rejeição – vs.1-13


a) salvação por méritos próprios - vs.1-4
b) a fé salvadora – vs.5-10

c) o evangelho oferecido a todos – vs.11-13

“Como diz a Escritura:


„Todo o que nele confia jamais será envergonhado‟
Não há diferença entre judeus e gentios, pois o mesmo Senhor é Senhor de todos e abençoa
ricamente todos os que o invocam, porque „todo aquele que invocar o nome do Senhor será
salvo”

Paulo enfatiza mais uma vez que o evangelho é para todos os que crêem. Ele já afirmou que
não há distinção em termos de culpa (3:22), e agora afirma que não há distinção em relação à
graça!
Aqui ele mostra para os judeus que também os gentios podem ser salvos - e para provar cita
Isaías 28:16 - mostrando que isto não é novidade porque o Velho Testamento já ensinava
assim!

II. Remédio para a rejeição – vs.14-15

“Como, pois, invocarão aquele em quem não creram?


E como crerão naquele de quem não ouviram falar?
E como ouvirão, se não houver quem pregue?
E como pregarão, se não forem enviados?
Como está escrito: “Como são belos os pés dos que anunciam boas novas!”

O único remédio para a salvação do judeu ou do gentio é o evangelho, daí a necessidade que
temos de pregar o evangelho em todos os lugares.

Clifton J. Allen em seu livro Evangelho Segundo Paulo diz...


“O propósito de Deus na história é um chamado claro a cada crente de aceitar o papel de ser
missionário, isto é, ele deve sentir a obrigação de declarar as boas novas do evangelho e de
persuadir os homens perdidos a se reconciliarem com Deus mediante a fé em Cristo.”
III. A NEGLIGÊNCIA DE ISRAEL – V.16-21

Versículos 16-18...
“No entanto, nem todos os israelitas aceitaram as boas novas. Pois Isaías diz:
“Senhor, quem creu em nossa mensagem?”

Página 110 de 172


Conseqüentemente, a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a
palavra de Cristo. Mas eu pergunto: Eles não a ouviram?
Claro que sim: “A sua voz ressoou por toda a terra, e as suas palavras, até os confins do
mundo”

Muitas pessoas ouvem o Evangelho centenas de vezes e dele não fazem caso algum; outros
ouvem uma única vez, abraçam a verdade bíblica, são salvos e logo produzem frutos, não é?!

Os judeus não podiam dizer que não ouviram a mensagem, sua rejeição é resultado de
deliberada incredulidade. Paulo cita o Salmo 19:4 lembrando que Deus havia se revelado na
natureza, e assim não deixa dúvidas: Israel é culpada!

Versículos 19-20...
Novamente pergunto: Será que Israel não entendeu?
Em primeiro lugar, Moisés disse:
“Farei que tenham ciúmes de quem não é meu povo; eu os provocarei à ira por meio de
um povo sem entendimento”
E Isaías diz ousadamente:
“Fui achado por aqueles que não me procuravam; revelei-me àqueles que não
perguntavam por mim”.

Geoffrey B Wilson comenta...


Para deixar claro que não foi por falta de entendimento que Israel não confiou na mensagem
do evangelho, Paulo nos dá uma dupla resposta:

 o testemunho de Moisés contra a futura apostasia de Israel. Deus provocaria ciúme neles
ao abençoar os gentios com as bênçãos da salvação. (Deut.32:21).

 o testemunho de Isaías ao chamamento dos gentios. Os judeus imaginavam vaidosamente


que apenas eles possuíam o monopólio sobre a graça e o favor divinos. (Is. 65:1).

Versículo 21...
“Mas a respeito de Israel, Ele diz:
„O tempo todo estendi as mãos a um povo desobediente e rebelde‟.”

“As mãos estendidas o tempo todo são o símbolo daquele amor constante e insistente que
Israel por toda sua história sistemática desprezou. Não se trata de falta de conhecimento ou
entendimento, mas de desobediência voluntária e teimosa: é isto que explica a exclusão de
Israel (por ora) do Rieno de Cristo e de todas as suas bênçãos”. (Denney)

Deus ainda ama a Israel!

E você, estudante...

Página 111 de 172


Já ouviu o Evangelho? Claro que sim! Se você chegou até aqui no livro de Romanos, o
Evangelho deve estar bem claro para você, mas...

 Já o aceitou de fato e de verdade?

 Sua vida tem demonstrado isto?

 Sua ética reflete o seu conhecimento deste Evangelho?

 Você tem proclamado esta mensagem em atitudes e palavras?

 Como os seus amigos ouvirão se você não lhes falar?

Tarefa...

 Leia várias vezes este capítulo

 Decore o versículo 13

 Medite bem nos versículos 14-15

 Fale de Cristo a pelo menos 3 pessoas até a próxima lição.

 Viva o evangelho e fale desta verdade a tempo e fora de tempo!

Bom estudo,

Página 112 de 172


LIÇÃO 35
ROMANOS 11

A CONVERSÃO DE ISRAEL

Entre os cristãos há pelo menos duas escolas de pensamento em relação a Israel, e nos dois
casos encontramos grandes implicações para os capítulos 9, 10 e 11 de Romanos...

 Um grande grupo diz que na Igreja, isto é, no Corpo de Cristo, Deus já realizou todas as
promessas contidas no Velho Testamento e portanto não há nenhum futuro especial para o
judeu como uma nação. (Gal. 6:16)

 O outro grupo - também composto de bons teólogos - sustenta que Deus tem um futuro
para Israel (embora no momento Deus a tenha colocado de lado), mas em algum momento na
história Ele irá cumprir cada uma das promessas feitas a Israel como Nação. Eu compartilho
desta segunda opinião!

Neste capítulo, o apóstolo Paulo garante que Deus não se esquece de Israel, Ele tem um
futuro para esta nação. Infelizmente há muitos que tem uma atitude de anti-semitismo (mesmo
não conhecendo nenhum judeu pessoalmente, não simpatizam com o povo de Israel e têm
idéias irreais e preconceituosas a seu respeito), e até mesmo entre os evangélicos isto é
encontrado, porém isto é algo pecaminoso para alguém que se diz cristão.

Veja o esboço...

I. A rejeição não é final – vs.1-10


a) Paulo é convertido – v.1
b) Deus tem o seu remanescente – vs.2-6
c) corações endurecidos – vs.7-10

II. As bênçãos e suas razões – vs.11-15


a) para provocar ciúme – v.11
b) para a salvação dos gentios – vs.12-15

III. Gentios, muito cuidado! – vs.16-24


a) Israel é a raiz – v.16
b) os gentios são ramos enxertados – vs.17-19
c) cuidado, não se orgulhe! – vs.20-24

IV. Israel será salvo – vs. 25-32


a) pelo libertador – vs.25-27
b) pela eleição irrevogável – vs.28-32

V. Nosso grande deus – vs.33-36


a) é rico na sabedoria – v.33
b) é rico no conhecimento – v.34
c) é rico na soberania – vs.35-36

Página 113 de 172


Vamos ao estudo...

I. A rejeição não é final – vs.1-10

a) Paulo é convertido – v.1


“Pergunto, pois: Acaso Deus rejeitou o seu povo? De maneira nenhuma!
Eu mesmo sou israelita, descendente de Abraão, da tribo de Benjamim.”

Esta pergunta é lógica, tendo em vista o que Paulo falou no capítulo 10 a respeito da rejeição
dos judeus ao Messias; mas ele responde sua própria pergunta, provando com a sua
conversão que Deus não tem rejeitado os judeus.

b) Deus tem o seu remanescente – vs. 2-6

Versículos 2-5...
Deus não rejeitou o seu povo, o qual de antemão conheceu. Ou vocês não sabem como Elias
clamou a Deus contra Israel, conforme diz a Escritura?
“Senhor, mataram os teus profetas e derrubaram os teus altares; sou o único que
sobrou, e agora estão procurando matar-me.”
E qual foi a resposta divina?
“Reservei para mim sete mil homens que não dobraram os joelhos diante de Baal.”
Assim, hoje também há um remanescente escolhido pela graça.”

É fato que os judeus na sua grande maioria não se voltaram para Cristo, pelo contrário,
perseguiam os que se convertiam; veja como Paulo fazia antes da sua conversão em Atos 9,
22 e 26 (aproveite e escreva uma biografia dele colhendo informações nestes 3 capítulos).

Paulo então mostra que assim como foi no tempo de Elias (I Reis 19:10-18), assim também
hoje Deus tem um grupo - que a Bíblia chama de remanescente - que são firmes no Senhor,
porque foram escolhidos pela graça de Deus; esta é a prova de que Deus não rejeitou Israel
para sempre!

Versículo 6...
“E, se é pela graça, já não é mais pelas obras; se fosse, a graça já não seria graça.”

A essência da graça é favor divino não merecido, portanto não há como conquistá-la!

c) corações endurecidos – vs. 7-10


“Que dizer então? Israel não conseguiu aquilo que tanto buscava, mas os eleitos o obtiveram.
Os demais foram endurecidos, como está escrito:
“Deus lhes deu um espírito de atordoamento, olhos para não ver e ouvidos para não
ouvir, até o dia de hoje”.
E Davi diz:

Página 114 de 172


“Que a mesa deles se transforme em laço e armadilha, pedra de tropeço e retribuição
para eles. Escureçam-se os seus olhos, para que não consigam ver, e suas costas
fiquem encurvadas para sempre”.

A incredulidade obstinada do coração da nação trouxe sobre eles o juízo de Deus. Só um


remanescente pela graça está sendo salvo e os demais continuarão na sua obstinação.

É preciso registrar que estes foram endurecidos como resultado de “não ter-se sujeitado à
justiça de Deus”, isto é, eles queriam determinar como uma pessoa poderia entrar no
relacionamento com Deus, e este caminho para eles era o da Lei Mosaica. O pecado deles é a
rebelião de não aceitar o Justiça (ou seja, o método de salvação de Deus em Cristo), e isto já
estava profetizado no Velho Testamento.

Mas... não podemos dizer que é impossível ganhar judeus para Cristo, ninguém está tão
distante ou é tão pecador que esteja longe do alcance de Deus!
Ore pelos judeus de sua cidade, e com sabedoria e tato fale de Cristo para eles.

II. As bênçãos e suas razões – vs.11-15

a) para provocar ciúme – v.11


“Novamente pergunto: Acaso tropeçaram para que ficassem caídos?
De maneira nenhuma! Ao contrário, por causa da transgressão deles, veio salvação para os
gentios, para provocar ciúme em Israel.”

Certamente se há algo que atrai alguém para Cristo é a vida bonita de um verdadeiro cristão! O
poder de uma vida transformada por Ele é algo que nunca podemos medir, o impacto na vida
de muitos é certo!

Posso estar errado, mas creio que foi o testemunho de Estevão que causou ciúme e inveja em
Paulo (Atos 7:54-8:1), creio que ele pensou: “Como pode um homem enfrentar a morte como
este homem e ainda orar pelos seus assassinos!?”

Por outro lado, você já parou para pensar que muitos crentes se gloriam do número de
pessoas que levaram a Cristo, mas não levam em conta o triste número de pessoas que
possam ter se afastado de Deus e nada querem com o cristianismo por causa de seu
testemunho?!

Paulo escrevendo para Tito diz:


“Eles afirmam que conhecem a Deus, mas por seus atos o negam; são detestáveis,
desobedientes e desqualificados para qualquer boa obra.” - Tito 1:16

b) para a salvação dos gentios – vs.12-15


“Mas se a transgressão deles significa riqueza para o mundo, e o seu fracasso, riqueza para os
gentios, quanto mais significará a sua plenitude!

Página 115 de 172


Estou falando a vocês, gentios. Visto que sou apóstolo para os gentios, exalto o meu
ministério, na esperança de que de alguma forma possa provocar ciúme em meu próprio povo
e salvar alguns deles. Pois se a rejeição deles é a reconciliação do mundo, o que será a sua
aceitação, senão vida dentre os mortos?”

Tenha em mente que os judeus são o canal de bênçãos para os gentios e não o contrário, por
causa disto os gentios devem ter um amor pelos judeus apesar da rejeição deles no momento.

Washington Padilha Jr, comentando sobre estes versículos, colocou assim...

“Deus não age em forma arbitrária ou sem razão, suas ações se limitam a um plano sábio e
perfeito. Se Ele permitia o endurecimento de Seu povo escolhido, era porque assim podia levar
a cabo um propósito grande e sublime para com a humanidade inteira, podia assim salvar os
gentios (vs.11-12); por isto, Paulo honrava mais o seu ministério, porque sabia que, se a
transgressão dos judeus tinha acarretado benção para os gentios, sua conversão (judeus)
acarretaria maior bem-aventurança.”

Bom estudo

Ary (in memoriam)

Página 116 de 172


LIÇÃO 36
ROMANOS 11

A CONVERSÃO DE ISRAEL

I. A rejeição não é final – vs.1-10


II. As bênçãos e suas razões – vs.11-15

III. Gentios, muito cuidado! – vs.16-24

a) Israel é a raiz – v.16


“Se é santa a parte da massa que é oferecida como primeiros frutos, toda a massa também o
é; se a raiz é santa, os ramos também o serão.”

Geoffrey Wilson nos explica que...

“A consagração de Israel a Deus é agora ilustrada por duas metáforas: assim como a oferta da
primeira parte da massa consagrava o todo, também a dedicação da raiz a Deus garante a
“santidade” dos ramos. Veja Num. 15:17-21.

Note que neste versículo a palavra “santo” não significa “moralmente puro”, mas é usada para
descrever a separação especial dos judeus - do resto do mundo - para o serviço de Deus.”

b) Os gentios são ramos enxertados – vs.17-19


“Se alguns ramos foram cortados, e você, sendo oliveira brava, foi enxertado entre os outros e
agora participa da seiva que vem da raiz da oliveira cultivada, não se glorie contra esses
ramos.
Se o fizer, saiba que não é você quem sustenta a raiz, mas a raiz a você.
Então você dirá: “Os ramos foram cortados, para que eu fosse enxertado”.

Geoffrey Wilson comenta ainda que Paulo aqui está fazendo uma analogia espiritual: a
vitalidade espiritual dos gentios é derivada da raiz da oliveira cultivada, “pois a salvação vem
dos judeus” (João 4:22).

Os ramos quebrados são os judeus que rejeitaram o evangelho - mais uma razão para os
cristãos gentios não se renderem à tentação de mostrar desdém à eles.

Não fora a graça de Deus que os colocou na videira, perdidos estariam!

c) cuidado, não se orgulhe! – vs.20-24

Versículos 20-21...

Página 117 de 172


“Está certo. Eles, porém, foram cortados devido à incredulidade, e você permanece pela fé.
Não se orgulhe, mas tema. Pois, se Deus não poupou os ramos naturais (judeus incrédulos),
também não poupará você”

Falando ainda aos gentios, Paulo os adverte que se os privilégios naturais dos judeus não os
pouparam do juízo de Deus, devem eles temer a mesma punição ao cometerem o mesmo erro.

Versículos 22-23...
“Portanto, considere a bondade e a severidade de Deus: severidade para com aqueles que
caíram, mas bondade para com você, desde que permaneça na bondade dele. De outra forma,
você também será cortado.
E quanto a eles, se não continuarem na incredulidade, serão enxertados, pois Deus é capaz de
enxertá-los outra vez.”

As pessoas costumam imaginar o caráter de Deus de acordo com suas próprias


características, mente e lógica limitadas... como cristãos, devemos “visualizar” Seu caráter
como Ele mesmo nos mostra em Sua Palavra!

Haldane nos lembra que “A bondade de Deus não dá nenhuma razão para se supor que Ele
não punirá os culpados; e a mais terrível punição dos culpados é consistente com a existência
de suprema bondade no caráter divino”

Versículo 24...
“Afinal de contas, se você foi cortado de uma oliveira brava por natureza e, de maneira
antinatural, foi enxertado numa oliveira cultivada, quanto mais serão enxertados os ramos
naturais em sua própria oliveira?”

Se o gentio agora convertido pode crer que Deus o enxertou realmente naquele tronco santo
ao qual ele não pertenceria por natureza, claro que é muito mais fácil crer que Deus pode
também colocar de volta os galhos naturais que foram cortados (judeus incrédulos), se eles se
arrependerem e crerem.

IV. Israel será salvo – vs. 25-32

a) pelo libertador – vs.25-27

Versículo 25a ...


“Irmãos, não quero que ignorem este mistério, para que não se tornem presunçosos”

A palavra mistério nos dias de hoje tem uma conotação de algo enigmático, como nos filmes de
suspense, porém no Novo Testamento ela simplesmente se refere a um segredo, doutrina ou
verdade, anteriormente escondida mas que agora é revelada. É como algo atrás de uma
cortina que agora aberta nos é revelado. Veja I Cor.2:7; Efésios 3:3-4; Romanos 16:25.

Página 118 de 172


Versículos 25b-27...
“Israel experimentou um endurecimento em parte, até que chegue a plenitude dos gentios, e
assim todo o Israel será salvo, como está escrito:
“Virá de Sião o redentor que desviará de Jacó a impiedade”
“E esta é a minha aliança com eles quando eu remover os seus pecados”.

Israel como nação não ficará endurecida para sempre, vai chegar o momento que a Bíblia
chama de “plenitude dos tempos”, quando muitos dos judeus se converterão ao verdadeiro
Messias, Jesus Cristo, o Libertador.

Paulo cita Isaías 59:20 e Jeremias 31:33 para provar que não está dizendo nenhuma novidade.

b) pela eleição irrevogável – vs. 28-32

Versículo 28-29...
“Quanto ao evangelho, eles são inimigos por causa de vocês; mas quanto à eleição, são
amados por causa dos patriarcas, pois os dons e o chamado de Deus (vocação ou eleição) são
irrevogáveis.”

Quando Deus elege uma pessoa ou uma nação, Ele não muda de idéia. Vemos aqui que Seu
sentimento para com Israel em nada tem mudado desde as promessas que fez aos patriarcas
Abraão, Isaque e Jacó.

Versículos 30-32...
“Assim como vocês, que antes eram desobedientes a Deus mas agora receberam misericórdia,
graças à desobediência deles, assim também agora eles se tornaram desobedientes, a fim de
que também recebam agora misericórdia, graças à misericórdia de Deus para com vocês.
Pois Deus colocou todos sob a desobediência, para exercer misericórdia para com todos.”

Paulo encerra colocando todos na condição de desobedientes, tantos judeus como gentios, e
todos carecem da misericórdia de Deus.

V. Nosso grande Deus – vs.33-36

a) é rico na sabedoria – v.33


“Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus!
Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos!”
“Esta é uma resposta de profundo sentimento de adoração, permeado de gozo e louvor.
Quando nossa fé e compreensão tentam olhar os horizontes da revelação, é então que nossos
corações e mentes são inundados pelo mistério imcompreensível das obras e caminhos do
Senhor” (John Murray).

Página 119 de 172


b) é rico no conhecimento – v.34
“Quem conheceu a mente do Senhor?
Ou quem foi seu conselheiro?”

Esta é uma citação de Isaías 10:13 e I Coríntios 2:16; e certamente nos lembra Isaías 55:8...
“Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os
meus caminhos”, declara o Senhor.”

c) é rico na soberania – vs.35-36


“Quem primeiro lhe deu, para que Ele o recompense?”
Pois dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas.
A Ele seja a glória para sempre! Amém”.

“Em outras palavras: quem já fez de Deus seu devedor? Impossível!


Aliás, nosso débito para com Ele é tão imenso que nosso coração se constrange sempre que
meditamos no que Ele já nos fez, está fazendo e ainda nos fará!” (W. Hendriksen).

Estudante,

Leia várias vezes o capítulo 11 e assim você fixará melhor este estudo.

Deleite-se nos versos 33-36.

Sim! Leia-os até decorá-los.

Bom estudo,

Ary (in memoriam)

Página 120 de 172


LIÇÃO 37

"Abre os meus olhos


para que eu veja as maravilhas da tua lei"
Salmo 119:18

Estamos entrando na quinta parte do Esboço Geral, mas antes aqui está um teste para você
avaliar seu conhecimento de Romanos até o momento, assim estará consciente do quanto já
aprendeu, ou não.

TESTE PARA AUTO-AVALIAÇÃO


(não envie para mim)

Responda sem consultar suas anotações, apostila, ou Bíblia e depois confira as respostas nas
lições anteriores.

Parte I – Esboço Geral

1. Cite o capítulo que fala sobre:

Vida de paz _____


Todos pecaram _____
Exemplo de Jesus _____
Vida de lutas _____
Os planos de Paulo _____
Eleição de Israel _____
Conduta de amor _____
Vida eterna _____
Justificação pela fé _____

2. Sintetize, numa frase, o conteúdo dos capítulos:

Cap. 1______________________________________________
Cap. 10 ______________________________________________
Cap. 7 ______________________________________________
Cap. 14 ______________________________________________
Cap. 2 ______________________________________________
Cap. 4 ______________________________________________
Cap. 11 ______________________________________________

Página 121 de 172


Parte II – Capítulos 1 a 4

1. O que você sabe sobre Paulo?

2. Qual é a grande conclusão do capítulo 3?

3. Por que se manifesta a ira de Deus?

4. Quais os seis passos da deterioração do homem que a Bíblia apresenta?


(as seis palavras começam com a letra “D”)

5. Como Deus se revela ao homem?

6. Os ritos - como o batismo, circuncisão, crisma, extrema-unção - podem salvar alguém? Por
quê?

7. Qual a definição de:


 Justificação
 Redenção
 Propiciação

8. Devemos ter em mente que Deus conhece os segredos do coração.


Onde está isto em Romanos?

9. Há uma pergunta que pode ser formulada de muitas maneiras:


- Como pode o homem obter aquele sentimento de que tudo está bem entre ele e Deus?
- Como posso ter certeza que vou para o céu?
- Como o homem pode ter um relacionamento pessoal com Deus?
- É possível nesta vida, ter certeza para onde vamos na vida futura?
Como você responderia a estes questionamentos?
Compare – depois – a sua resposta com a de Paulo em Romanos 3:21-25.

10. Como Paulo aplicou a lição de Abraão para nós hoje?

11. Quais os obstáculos que Abraão enfrentou para permanecer firme na fé?

12. Você tem feito este estudo apenas como um exercício intelectual?

13. Aprender a estudar o livro de Romanos tem feito alguma diferença em sua vida?

14. As pessoas próximas a você percebem que houve mudança?

Estudante,
Não se esqueça que o aproveitamento que você terá de Romanos será proporcional ao tempo
que investir no estudo.
Isto é entre você e Deus!Ary (in memoriam)

Página 122 de 172


LIÇÃO 38
ROMANOS 12

CONDUTA DE AMOR

Estamos na quinta parte do Esboço Geral de Romanos,


ou seja, capítulos 12 a 14, que tratam da conduta do cristão.

É bom lembrar que agora Paulo vai pedir um comportamento ético de todos nós, mas só faz
isto depois de dar 11 capítulos de doutrina, de teologia. Vivemos dias em que se fala que isto
não é muito importante, “o que realmente importa é a experiência.”

Preste atenção, meu amigo: Não compre esta idéia! Ela é diabólica!
Experiência sem doutrina é algo muito perigoso, é ela que deve determinar as suas
experiências, e não o contrário!

Para Paulo chegou a hora de aplicar a teologia na vida prática!


Ele não nos ensinou...
 a doutrina do pecado, a justificação pela fé, a santificação - cap. 6;
 a luta entre “carne” e “Espírito” - cap. 7;
 ou a nossa segurança em Cristo - cap. 8;
...apenas por um prazer intelectual, mas sim para que estas verdades possam burilar, modificar
e transformar nossas vidas, e então sermos melhores homens e mulheres para a sociedade,
para a igreja e para o Reino de Deus!

Muitas vezes, nós pastores ficamos a pedir aos membros de nossas igrejas que se comportem
desta ou daquela maneira, porém sem dar o “porquê” deste pedido! Ensine primeiro a doutrina,
e então depois, baseado em seu ensino, você pode pedir um comportamento que seja digno do
Senhor Jesus Cristo!

Veja o esboço...

I. Consagração completa – vs.1- 2


a) apresenta o seu corpo - v.1
b) renova sua mente - v.2a
c) deleita-se na vontade de Deus – v.2b

II. Auto-avaliação – vs.3- 8


a) exortação à humildade - v.3
b) a natureza da igreja - vs.4-6a
c) dons - vs.6b-8
III - Ministério de amor
a) na igreja - vs.9-13
b) para com os de fora - vs.14-21

Vamos ao estudo...

Página 123 de 172


I. Consagração completa – vs.1- 2

a) apresenta o seu corpo - v.1


“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo,
santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.”

Citando Geoffrey Wilson...


“Paulo sabe que se seus leitores tiverem realmente compreendido sua exposição das doutrinas
da graça, esta compreensão será claramente demonstrada por um andar santo. A doutrina
cristã nunca é ensinada para prover uma espécie de iluminação do intelecto, mas para
promover obediência prática.”

“Pois, se a teologia é graça, então a ética é gratidão!” (F. F. Bruce)

A conclusão de Paulo é que em vista de todas as misericórdias de Deus apresentada nos 11


primeiros capítulos - relembre algumas delas...
 Rm 3:21-24 - pela graça de Deus, somos justificados gratuitamente por Cristo Jesus
 Rm 5:8 - apesar do quão depravado é o homem natural (não convertido), Deus nos revelou
seu infinito amor ao nos abraçar quando ainda éramos escravos e estávamos debaixo do
pecado.
 Rm 8:28-39 - a grande eleição e predestinação de cada um de nós!
 Rm 9 - é Ele que escolhe, justifica, salva e também endurece a quem lhe apraz. Releia este
capítulo e deixe Deus ser Deus em sua vida!
...à luz de tudo isto, é mais do que justo que venhamos a oferecer as nossas vidas ao Senhor
para Ele a dispor como lhe convém.

Saiba que Deus não está tão interessado em nossas habilidades, mas em nossa
disponibilidade! Afinal Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos dEle!

b) renova sua mente - v. 2a

“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente”

A mente humana funciona como um computador onde a memória da pessoa não convertida
tem muita sujeira, valores errados, princípios cegos, etc.
Mas... agora convertida - e estudando Romanos - esta pessoa precisa instalar um novo
programa em seu computador e formatar a memória, isto é, sua mente.
Como fazer isto? Estudando a Bíblia! Só assim descobrimos o que Deus gosta e o que não
gosta; o que Ele aplaude e o que odeia. A melhor maneira de fazer isto é ler um livro da Bíblia
durante muito tempo, por exemplo...
Eu, Ary, sou um pastor de 72 anos de idade, e estou lendo as cartas pastorais (I e II Timóteo e
Tito) colocando meu nome no lugar deles, pois eu quero saber mais como renovar a minha
mente e ser um pastor bíblico. Estou revendo, à luz da Palavra de Deus, o que devo e o que
não devo fazer e ser. Se você não é pastor, minha dica é começar com Colossenses,
marcando o que você precisa tirar e o que precisa colocar na sua nova vida em Cristo!
E para quê isto, pastor Ary!??

Página 124 de 172


c) deleita-se na vontade de Deus – v. 2b

Vou deixar Paulo responder...


“...para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade
de Deus”

Só depois de conhecermos a Deus, aprendermos seus valores e a enxergar a vida de acordo


com os “seus óculos”, é que nos tornamos capazes de deleitar na vontade de Deus que é
sempre boa, sempre agradável, sempre perfeita e que dá uma profunda paz no coração e gozo
no viver.

II. Auto-avaliação – vs.3- 8

a) exortação à humildade - v.3

Paulo lembra seus leitores que todo dom, inclusive do apostolado, é dádiva da graça divina, e
portanto exclui todo orgulho.

Versículo 3a...
“Por isso, pela graça que me foi dada digo a todos vocês: Ninguém tenha de si mesmo um
conceito mais elevado do que deve ter”

Muitas pessoas acham que a vida cristã consiste em nunca pensar em si mesmo. Isso é
errado! É verdade que alguns cristãos abusam disto, ao ponto de que tudo que pensam é a
respeito deles mesmos, porém Paulo nos instrui a examinar-mos a nós mesmos para vermos
se estamos na fé ou não (II Cor 13:5); porém, nos reforça que temos que fazer isto de uma
maneira que evite a auto-promoção!
Estou certo que ele diz isto porque esta é uma tendência natural em todos nós, não é!
Versículo 3b...
“mas, ao contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe
concedeu.”

Todos nós somos criaturas caídas e temos dentro de nós a natureza de Adão,
conseqüentemente, a primeira coisa a lembrar sobre si mesmo é que há algo dentro de você
que não se pode confiar completamente: pensamentos e atitudes distorcidos e errados, e eles
estarão sempre lá! Conseqüentemente, em primeiro lugar examine-se com moderação e
sensatez!

Nossos sentimentos mudam constantemente, por isto é uma tolice julgar-se baseado neles.
Pergunto então... em que base deve você avaliar a si mesmo?
A resposta, naturalmente, é: COMO DEUS O VÊ!
Esta é a maneira correta e equilibrada de examinar a si mesmo!

Olhe para trás e veja toda a verdade que nos foi dada nos primeiros oito capítulos de
Romanos: Cristo agora vive em nós! O Espírito Santo nos permite dizer “não” a todas as forças
e tentações, de modo que o pecado não tem mais domínio sobre nós, porque estamos não sob
a lei, mas sob a Graça!

Página 125 de 172


Não sei o que isto traz à você, mas a mim dá confiança! Se você se auto-avaliar de acordo com
o conceito do mundo, será um tolo! Verá que por si mesmo não pode fazer qualquer coisa e se
tornará tão medroso e tímido quanto um rato, mas...
Deus nos forneceu uma maneira de poder enfrentar o dia-a-dia com confiança, porém sem
nenhum vestígio de auto-promoção, porque sabemos que este poder não vem de nós.

b) a natureza da igreja - vs.4-6a

Paulo nos transmite perfeitamente a idéia de unidade na diversidade:

“Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não
exercem todos a mesma função, assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos
um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros. Temos diferentes dons, de acordo
com a graça que nos foi dada.”

Este é um bonito retrato da igreja. Estou certo de que somos marcados por experiências dentro
da igreja e temos um retrato mental do que ela deveria ser, mas é aqui que muitos de nós
necessita mudar o pensamento e renovar sua mente.

Deus nos diz que sua igreja é como um corpo humano, e apenas um! Há somente uma igreja
em todo o mundo, todos os cristãos lhe pertencem, e não faz nenhuma diferença se têm uma
“etiqueta denominacional” ou não.
Todos nascidos do Espírito de Deus são membros dessa igreja; e este corpo não é somente
um tronco, mas tem braços, pés, e os pés tem dedos; o corpo tem também olhos, orelhas, etc.,
e todos eles têm uma finalidade. Assim a igreja de Cristo tem muitos membros diferentes. É
isto que eu gosto na igreja - sua diversidade!

No entanto, o conceito atual é contrário! Vivemos numa época de globalização (Ray Stedman
já dizia isto na década de 70), onde somos pressionados a olhar, agir, falar e pensar da mesma
forma; mas o desejo de Deus é que haja diversidade dentro da igreja! Todos os seus membros
não são do mesmo nível social, ou mesma raça ou cor, e não têm os mesmos dons, mas
vários! Uma igreja é verdadeira quando reconhece que há diversidade e permite que as
pessoas sejam diferentes, não tentando moldá-las de forma semelhante.

Embora Paulo diga que todos estes membros não têm a mesma função, todos pertencem um
ao outro. Nenhuma outra organização no mundo pode dizer isto, pois nelas os membros alí
estão, individualmente, para seu próprio benefício; mas na igreja de Jesus Cristo nós
pertencemos a um outro e devemos ter o mesmo cuidado uns para com os outros. Isto não é
notável! Como seria terrível se todos os cristãos fossem exatamente os mesmos.

Não somos apenas um único membro, nós somos muitos, e mesmo que sejamos diferentes
devemos nos amar porque nos pertencemos, e não necessariamente porque gostamos
daqueles que são mais agradáveis. Quando seus irmãos e irmãs se ferirem, você será ferido,
mesmo que não saiba. Quando forem honrados, você será honrado, mesmo que não saiba!

Página 126 de 172


Agora... separe um tempo para auto-avaliação.

Responda para você mesmo, depois de ler e reler os versículos 3 a 6a várias vezes:

1. O que eu penso de mim mesmo?

2. Tenho problemas com auto-aceitação?

3. Se eu pudesse mudar alguma coisa em mim, o que seria?

4. Leia o Salmo 139 e concentre nas palavras “Graças te dou” ou “Eu te louvo”, conforme a
versão da sua Bíblia.

Bom estudo, Ary (in memoriam)

Página 127 de 172


LIÇÃO 39
ROMANOS 12

CONDUTA DE AMOR

I. Consagração completa – vs.1- 2

II. Auto-avaliação – vs.3- 8


a) exortação à humildade - v.3
b) a natureza da igreja - vs.4-6a
c) dons - vs.6b-8

Paulo agora vai nos falar sobre os vários dons que determinam nossa função dentro do corpo.
Nenhuma ordem é seguida nesta lista porque é somente uma série de exemplos que mostram
como vários dons devem ser exercidos no corpo de Cristo:

“Se alguém tem o dom de profetizar, use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom é servir,
sirva; se é ensinar, ensine; se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua
generosamente; se é exercer liderança, que a exerça com zelo; se é mostrar misericórdia, que
o faça com alegria.”

Esta é somente uma lista parcial dos dons, há outros mencionados em I Coríntios 12, I Pedro 4
e Efésios 4. É necessário juntá-los para obter uma lista completa dos dons a nós disponíveis,
mas o ponto principal é este: é Deus quem os dá!
Em meio às muitas questões debatidas a respeito dos dons espirituais, no Novo Testamento,
três certezas podem ser afirmadas:

I - Um dom espiritual é uma habilidade para expressar, celebrar, demonstrar, e portanto,


comunicar Cristo que um modo que edifique e fortaleça a fé em outros cristãos e faça a igreja
crescer.
II - Os dons podem ser classificados de modo geral e dois grupos: habilidades para falar e
habilidades para prestar ajuda prática em amor. Por mais diferentes que sejam como formas de
atividades humanas, todas elas são de igual dignidade, quando usadas adequadamente
III - Não há cristão que não tenha algum dom (I Cor 12:7 e Ef. 4:7). É de cada crente a
responsabilidade de descobrir, desenvolver e usar plenamente quaisquer sejam as
capacidades para o serviço que Deus lhe deu.

O Corpo de Cristo (a Igreja) cresce para a maturidade da fé e do amor “na medida em que
cada parte realiza a sua função” (Ef. 4:16), exercendo sua forma peculiar de serviço, como é
concedido pela graça de Deus. (I Cor 12:1)

Paulo chama as habilidades divinamente concedidas para servir, de “charismata”


(manifestações específicas de “charis”, isto é, graça) e nós temos diferentes dons, de acordo
com a graça que nos foi dada. Eu gosto desse termo para dons porque indica algo sobre eles:
dons são graciosos! Algo gracioso nos é prazeroso fazer, e esta é a primeira verdade sobre um
dom espiritual.

Página 128 de 172


Um dom espiritual se cumpre quando você o exercita, e é algo que você faz com prazer porque
é uma “graça” de Deus dada à você. Não é uma coisa dura ou dolorosa a se fazer; mas é algo
que você se deleita em fazer, e você pode aprimorá-lo! Conseqüentemente é uma das coisas
que farão sua vida fazer sentido, que lhe atrai e se cumpre em você.
Imagine quão doloroso para os pais seria dar presentes a seus filhos, embrulhar os pacotes e
colocar embaixo da árvore de Natal, e ao entregar ao seu filho ele olha e coloca de lado. E se
eles dissessem “obrigado”, mas sem nunca se incomodar em abrir os presentes, ou mostrar
interesse em ver o que tem dentro do pacote?!
Você pode imaginar como Deus deve se sentir quando nos dá dons e deseja que usemos, e
nós nunca mostramos interesse em “desembrulhar”, nunca o exercitamos, e nos desculpamos
dizendo que não temos nenhum dom!?!!
A Palavra de Deus nos diz que não há um único cristão que seja deixado fora da distribuição
dos dons!

Não espere alguém vir até você e o convidar a exercitar seu dom. Isso pode até acontecer, e
fique contente se aconteça; mas você ainda tem a responsabilidade usar o dom que Deus lhe
deu, independente de ser convidado para exercitá-lo ou não. Você é responsável por buscar
uma oportunidade de fazê-lo!

A cada manhã antes de se levantar, pergunte a sim mesmo:


“Quem sou eu? O que Deus quer que eu faça hoje?”

E sua resposta deve vir da Bíblia: Eu sou um filho de Deus entre os filhos dos homens. Eu sou
equipado com o poder de Deus para atuar hoje! Muitas das ações de Deus hoje, Ele quer fazer
através de mim! Eu sou agraciado com habilidades especiais para ajudar pessoas em várias
áreas, e eu não tenho que esperar até domingo para começar a utilizar estes dons: eu posso
fazê-lo em meu trabalho, em casa, eu posso fazê-lo em qualquer lugar. Eu posso - e devo -
exercitar o dom que Deus me deu onde quer que eu esteja!

Assim que eu começar a...


- buscar descobrir qual é o meu dom
- fazer um exame dos meus desejos, do que mais gosto de fazer
- perguntar à outras pessoas o que elas vêem em mim
- e então buscar oportunidades para fazê-lo,
...eu estou ativando, exercitando meu dom, para que este não fique “apagado”!

É por isto que isso que Paulo teve que escrever à Timóteo dizendo:
“Torno a lembrar-lhe que mantenha viva a chama do dom de Deus que está em você” - II Tm
1:6a.

Meu desejo é que você descubra seu dom e o ponha em prática, vivendo sua vida com o
propósito que Deus tem para você. Talvez neste momento você precise renovar outra vez seu
pedido à Deus para que Ele o conduza na busca de seu dom espiritual, e no exercício diário de
coloca-lo em prática HOJE, nas suas atuais circunstâncias.

Não espere o dia em que Deus lhe dirá:


“O que você fez com o com que eu lhe dei ?!??”

Página 129 de 172


Nota: Porque o Dom de Profecia é muito discutido e também muitas vezes abusado, deixo com
você 3 pontos de vista, porque em nenhum lugar no Novo Testamento há uma definição clara
do que seja.

Sabemos porém, que não é como no Velho Testamento porque o Cânon das Escrituras está
fechado, a Bíblia está completa!

I - Geoffrey B. Wilson - Comentário de Romanos


“A instrução clara de Paulo aos que têm o dom da profecia indica sua subordinação à
autoridade apostólica (veja I Cor. 14:37). Eles não devem ir além de seu papel, nem
deixar de cumprir sua comissão. Este princípio permanece válido se “profecia” se refere
aos dons miraculosos que floresciam na Igreja Primitiva; tanto quanto, como prefere
Calvino, se “ele se refere simplesmente a dons comuns que permanecem sempre na
igreja.
Em qualquer caso, nenhuma revelação ou exposição é válida quando se afasta do
padrão infalível estabelecido pelo apostolado. Toda afirmação humana é sujeita a, e
deve ser julgada pela autoridade suprema da Escritura.”

II - O grande expositor da Bíblia, Ray Stedman, com quem eu estudei e muito aprendi durante
nove meses, falando sobre este assunto diz:
“É o dom de expor as Escrituras, fazendo-a tornar-se viva. Vem da raiz da palavra grega
que significa “fazer ou causar brilho, iluminar. Refere-se àquela habilidade de tomar o
texto bíblico e fazê-lo brilhar, tornar o texto bíblico claro e então todos percebem o que
devem fazer e para onde devem ir.” (veja 2 Pedro 1:19)

João Calvino (séc. XVI) diz a mesma coisa sobre isto:


“O dom de profecia é capacidade peculiar de expor as Escrituras”.
III - Concluímos com as palavras da Bíblia de Estudo de Genebra
“Profetizar é falar a palavra de Deus, mas a natureza da profecia, no Novo Testamento,
em parte alguma é definida, e é muito debatida.”

Cuidado! Muito cuidado! Pois temos hoje em dia muita “profetada” e pouca exposição e ensino
das Escrituras.

Não busque profetisas ou profetas, busque entender a Palavra de Deus!

Muita vezes eu - Ary - fui atrás de profecias para ouvir coisas como: “meu servo eu estou com
você”, porém eu não precisava de profeta algum me dizer isto, pois Jesus já dissera: “Eis que
EU estou convosco até a consumação dos séculos.” Mateus 28:20b.

Cuidado, muito cuidado!!!

Em Cristo

Ary (in memoriam)

Página 130 de 172


LIÇÃO 40
ROMANOS 12

CONDUTA DE AMOR

I. Consagração completa – vs.1- 2


II. Auto-avaliação – vs.3- 8

III - Ministério de amor

a) na igreja - vs.9-13
Todos sabem que a igreja é um lugar onde o amor deve ser manifestado, e muitas pessoas
vêm à igreja esperando encontrar uma demonstração de amor. Infelizmente muitas vezes o
que encontram é apenas teorias teológicas!

Nesta passagem você pode ver que o tema está muito claro logo na primeira sentença:

Versículo 9a...
“O amor deve ser sincero”

O caráter preliminar da comunidade cristã deve ser um lugar onde o amor seja demonstrado,
de modo que as pessoas de fora comecem a imitá-la! Podemos ver esta ênfase no Novo
Testamento, pois cada um dos seus escritores forçam a importância e necessidade do amor.

Em I Tm 1:5, Paulo escreve a seu filho novo na fé e diz: “O objetivo desta instrução é o amor
que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé sincera”
E Pedro nos diz: “Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros” - I Pe 4:8

Paulo lembra-nos aqui - e em outros lugares - que este amor deve ser genuíno, sem hipocrisia.
No início da igreja era fácil imitar o amor, mesmo que você não o tivesse realmente, porque
este era avaliado por sua manifestação visual. Assim as pessoas caíram no hábito, assim como
muitos hoje, fingindo amarem; usando termos e gestos amáveis, mas realmente não sentindo
em seus corações. Isto, naturalmente, é hipocrisia, e é o que esta passagem nos adverte.

Vivemos em uma época em que é muito valorizado projetar uma imagem, fingir algo que você
não é; é isto que a mídia, os meios de comunicação nos ensinam! Nós somos incentivados
realmente a ser algo que não somos e ninguém parece ver como isto é falso, e dentro da igreja
isto é intolerável!
Tornar o amor uma farsa é uma violação de tudo que o Senhor veio fazer, e isto, naturalmente,
vem da carne, vem da pretensão que há dentro de todos nós de que querer parecer ser melhor
do que somos, na realidade, por medo de não sermos realmente dignos de sermos amados! E
assim nós sucumbimos facilmente a este desejo!

Mas o amor verdadeiro, como nós temos visto, vem do Espírito Santo. Em Romanos 5:5, Paulo
diz... “E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos
corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu.”

Página 131 de 172


O amor verdadeiro é manifesto aprendendo da Palavra de Deus como você deve se comportar
em uma determinada situação, e então, na dependência do Espírito Santo de Deus, Ele lhe dá
a força para fazê-lo, praticando assim o amor!

Esta é a maneira que você deve amar: agindo em obediência ao que a Palavra lhe diz pelo
poder do Espírito Santo que habita em você, isto descreve o amor entre cristãos.

Versículo 9b...
“Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom.”

Aqui Paulo está falando sobre pessoas, isto é, odeie o que é mal nas pessoas, mas não rejeite
a pessoa por causa da maldade!

A pessoa é boa e Deus a ama! Ela é feita à imagem de Deus, conseqüentemente, o amor
verdadeiro aprende a odiar o mal, mas sem rejeitar o que é bom. Eu concordo que isto é algo
muito difícil de se fazer, porém o oposto, é um amor hipócrita, porque rejeita a pessoa por ela
não se comportar de acordo com um padrão aceitável!

Infelizmente há muitas igrejas que fazem isto. De fato, esta é uma das coisas na igreja que
desligou mais pessoas do que qualquer outra coisa: as pessoas vêm e ouvem as grandes
palavras Novo Testamento sobre o amor, a paz e a alegria, e esperam encontrá-las
demonstradas dentro da igreja, mas na grande maioria encontram atitudes do mundo - rejeição
e preconceito! A igreja corta-os fora e coloca-os de lado, não querendo ter qualquer contato
com eles porque não se encontram com um determinado padrão de desempenho, é sobre isto
que este versículo nos adverte: é hipocrisia você rejeitar pessoas porque você não gosta de
seu comportamento!

Mas... cuidado com o outro extremo: alguns cristãos aceitam estas pessoas e não dizem nada
sobre suas más atitudes ou pecados, e chegam até a defendê-los. Vemos muito isto
atualmente em relação ao homossexualismo e alcoolismo: as pessoas querem simplesmente
defender estes pecados, como se fossem certos, porque querem aceitar a pessoa.
Cuidado! Devemos detestar, odiar o que é pecado, porém aceitar o que é bom: o pecador!

Versículo 10a...
“Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal”

Isto não se refere apenas a alguém que está em necessidade ou com problema, mas se trata
dos nossos irmãos ou irmãs em Cristo! A base deste relacionamento não é se nós nos
conhecemos bem ou gostamos um do outro, mas sim que somos da mesma família - mesmo
que possamos nunca ter nos encontrado antes!

Se nós formos cristãos, sabemos que já temos um laço que leva ao interesse e cuidado uns
para com os outros; e porque temos esta relação com nossos irmãos e irmãs, devemos nos
tratar calorosamente, com aceitação e perdão.

Página 132 de 172


Versículo 10b...
“Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios”

O amor verdadeiro considera o outro mais do que a si mesmo. A tradução Phillips diz: “ser
disposto a deixar outras pessoas terem o crédito.”

Citando Ray Stedman: “Não há nenhum limite ao bem que um homem pode fazer, se não se
importar a quem será dado o mérito!”, isto é, ficar contente apenas com o que foi feito, e não se
preocupar em ser honrado por isto. Outra vez, nossa carne não gosta nada disto! Estamos
sempre muito ansiosos para ser reconhecidos e honrados, mas a palavra diz que o amor real
não agirá essa maneira!

Citando Calvino: “Assim como nada é mais contrário à concórdia fraternal que o desprezo
oriundo do orgulho, quando cada um estima os outros menos e se exalta a si mesmo; assim,
também a modéstia, pela qual cada um vem a honrar os outros, é o melhor alimento do amor”

Versículo 11...
“Nunca lhes falte o zelo, sejam fervorosos no espírito, sirvam ao Senhor.”

Não deve haver hesitação ou preguiça na vida cristã. Eu penso de que uma das marcas as
mais visíveis de um cristão que anda no Espírito é que ele mantém o fervor, vivendo em Cristo
com entusiasmo e energia! Deus diz em Ap 3:16 que vai vomitá-lo fora de sua boca se você for
indiferente, nem quente nem frio, indo apenas junto com a multidão.

Se você estiver servindo ao Senhor, manterá seu fervor espiritual.


A batalha não é sua, é Dele! Não são seus os recursos necessários para trabalhar na obra, são
dEle! Apesar das circunstâncias, porque você se sente receoso ou aflito? Nada depende de
você, se está servindo ao senhor!

Por isto é tão importante a frase que Paulo adicionou aqui: “sirvam ao Senhor”, para nos ajudar
a lembrar que a única coisa que manterá nosso fervor espiritual é uma consciência que nós
estamos servindo ao Senhor, que na realidade significa trabalhando como escravo em Seu
serviço, recebendo ordens apenas dEle e obedecedo-as implicitamente.

Devemos tomar cuidado! Citando Lenski: “Muitos são suficientemente diligentes, alguns são
fanáticos no zelo; muitos se esquecem e literalmente fervem em seus espíritos; mas muito do
esforço atarefado e do vapor que o impele não é de modo nenhum trabalho para o Senhor”

Versículo 12...
“Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração.”

A maneira de se alegrar na esperança é explicada pelas duas outras coisas mencionadas aqui:
você poderá se alegrar na esperança se for paciente na tribulação, e você só será paciente na
tribulação se perseverar na oração!

Página 133 de 172


Deus é quem o tornará paciente, assim, quando a tribulação vir, a primeira coisa a fazer é
começar a orar.

Como Paulo nos diz em Filipenses 4:6...


“Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de
graças, apresentem seus pedidos a Deus.”

Desta forma você não se deixará abater, nem desistir, mas permanecerá firme, esperando até
que Deus atue, não começará a ficar impaciente, irritado ou amargurado, mas vai se aquietar
esperar Deus realizar o que Ele tem em mente nesta circunstância. Isso, naturalmente, fará
você alegrar-se na esperança, porque descobrirá que Deus tem mil e uma maneiras diferentes
de trabalhar nas circunstâncias mais adversas, de formas que você pode nunca imaginar!

Citando John Murray: “A oração é o meio estipulado por Deus para o suprimento de graça
suficiente para toda situação, e particularmente para superar o desânimo a que a aflição nos
tenta”

Versículo 13...
“Compartilhem o que vocês têm com os santos em suas necessidades. Pratiquem a
hospitalidade.”

A pobreza e a perseguição que tornavam estas atitudes especialmente relevantes na Igreja


Primitiva, também deram oportunidade para uma demonstração impressionante do verdadeiro
significado da comunhão cristã. (Geoffrey Wilson)

Vivemos numa época onde reina o delivery, fast food e compras pela internet, tudo para poupar
nosso trabalho. Eu penso que necessitamos ser lembrados às vezes que é uma
responsabilidade direta dos cristãos é se importar uns com as necessidades dos outros.

Ray Stedman nos sugere duas maneiras de praticar este verso:

Há uma lista de necessidades atualizada semanalmente em sua igreja lembrando da


importância do serviço dentro do Corpo de Cristo. Alguns exemplos:
“Necessito de alguém para reparar meu computador, ou pelo menos para me dizer o que
há de errado com ele”
“Estou na 5ª série e preciso de ajuda em matemática”
Temos aqui então uma oportunidade de ministério para um conhecedor em informática ou uma
estudante!

Há em sua igreja também um fundo reservado para os pastores destinar aos necessitados,
seja alimento ou dinheiro para o aluguel. Desta forma os irmãos podem não saber diretamente
sobre as necessidades, mas podem contribuir com esse fundo e estarão ajudando as pessoas
através dele.

Página 134 de 172


Mas antes de tudo devemos fazer o que Paulo diz aqui: “praticar a hospitalidade”, abrindo sua
casa para uma cama ou uma refeição que alguém necessite - esta é uma das manifestações
do amor na igreja.

Há seis maneiras fazê-la, vamos revê-las rapidamente:


1. Rejeitar o pecado, mas não deixando de amar as pessoas
2. Tratar nossos irmãos calorosamente, com aceitação e perdão
3. Considerar o outro mais do que a si mesmo
4. Manter o fervor apesar das lutas e aflições
5. Alegrar-se na esperança sendo paciente na tribulação e perseverante na oração
6. Responder às necessidades em maneiras diretas e pessoais, e especialmente praticando a
hospitalidade.

Enfim, o amor cristão é sempre modelado em uma experiência do amor sacrificial de Deus, um
amor que não olha em momento algum para o merecimento ou não de quem o recebe.

Volte a ler várias vezes Romanos 12:9-17

Ary (in memoriam)

Página 135 de 172


LIÇÃO 41
ROMANOS 12

CONDUTA DE AMOR

I. Consagração completa – vs.1-2


II. Auto-avaliação – vs.3-8

III - Ministério de amor


a) na igreja - vs.9-13

b) para com os de fora - vs.14-21

Às segundas-feiras pela manhã vamos para nossas lojas, escritórios e escolas, onde o amor
cristão deve ser manifestado da mesma forma que na igreja aos domingos. Paulo então nos dá
uma ajuda muito prática sobre como demonstrar amor a um mundo não-cristão...

Versículo 14...
“Abençoem aqueles que os perseguem;
Abençoem, e não os amaldiçoem.”

O jovem Saulo aprendeu pela primeira vez a diferença entre os resultados da justiça da lei e o
triunfo da graça, através da obediência memorável de Estevão ao ser apedrejado: “Senhor, não
os consideres culpados deste pecado”.
Veja Atos 7:60 - 8:1. (Geoffrey B Wilson)

O amor verdadeiro fala bem de seus perseguidores; e como é difícil, não é!?
Isso significa que você não vai ficar por aí falando mal das pessoas que não te tratam bem, não
será áspero com elas - nem ao falar delas - mas falará bem! Você deve encontrar algo nelas
que possa aprovar, elogiar (com sinceridade), e então é isto que deve dizer às outras pessoas.
Como é difícil, hein!?!!

Eu confesso que esta não é minha reação natural... quando alguém me persegue meu desejo é
revidar! Creio que onde isto mais se aplica é no trânsito... acontece toda a hora... alguém corta
você, entra na sua frente sem ao menos “dar seta” e... sua vontade é abaixar o vidro do carro e
amaldiçoá-lo! Mas de acordo com o que Paulo nos diz aqui o que devemos fazer é... abençoar!

Versículo 15...
“Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram.”

“Assim como a alegria compartilhada é dobrada, assim também a tristeza compartilhada é


reduzida à metade” (Lenski).

Página 136 de 172


Eu penso que Paulo colocou primeiramente “alegrem-se” porque às vezes o fazemos
duramente - especialmente se isto desperta nossa inveja ou auto-piedade. Se houver algo que
outra pessoa conseguiu e nós desejávamos obter, pode ser duro ir até ela e dizer –
sinceramente - “Estou contente por você!”, mas é isto que o amor faz, e só é possível fazê-lo
para aqueles que andam no Espírito.

Por outro lado, quando alguém em sua família, escola, escritório ou círculo de amigos estiver
se sentindo abatido e triste, não saia assoviando para outro lado, e também não diga
simplesmente: “O que há de errado com você? Como você pode estar sempre com deprimido?
Porque você não é alegre como eu?”. Não faça isto porque...

O verdadeiro amor se coloca no lugar da outra pessoa!

Versículo 16...
“Tenham uma mesma atitude uns para com os outros.
Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior.
Não sejam sábios aos seus próprios olhos.”

O amor verdadeiro é imparcial.


Quando Jesus foi à Jerusalém preferiu permanecer com Maria, Marta e Lázaro na pequena
cidade de Betânia, ao invés do “Hotel Intercontinental de Jerusalém”.

Uma das maneiras de respeitar as pessoas é ter um real conceito de si mesmo, isto é, não seja
orgulhoso! Aquele que o faz sempre quer se associar com pessoas de posição superior, mas
se você mantiver uma opinião honesta sobre si mesmo saberá que não é melhor do que
ninguém e conseqüentemente estará disposto a desfrutar a companhia de pessoas de posição
inferior, onde certamente encontrará uma rica manifestação de amor e humanidade.

Versículo 17a...
“Não retribuam a ninguém mal por mal.”

Não devemos nos vingar silenciosamente (em nossa imaginação, nem cultivá-la em nosso
coração) dos insultos imaginados ou reais, e muito menos recorrer a subterfúgios para que isto
aconteça!

Versículo 17b...
“Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos.”
Esta é uma citação da versão grega de Prov. 3:4. Os cristãos devem manter um padrão de
conduta recomendável às consciências dos não crentes.

Note que “o fato da consciência do homem natural ser suficientemente iluminada para
reconhecer tal padrão, é também uma condenação de sua própria falha em não se conformar à
ele.” (Geoffrey B Wilson)

Página 137 de 172


Tome cuidado!!! ...não só para fazer o que é direito à vista de todos; mas também pelo que
cultiva em sua mente que é vista por Deus!

Versículo 18...
“Façam todo o possível para viver em paz com todos.”

“Não devemos nunca procurar manter a paz com o mundo ou com cristãos, pelo sacrifício de
qualquer parte da verdade divina. Um cristão deve estar disposto a ser impopular para que
possa ser útil e fiel à Deus!” (Haldane)

Há pessoas que simplesmente não permitirão que você esteja na paz com elas, porém não
permita que isto parta de você!

“Quando um não quer, dois não brigam”, não é!? Então se você se recusar a discutir, brigar,
entrar em “confusão”, pelo menos o conflito não dependerá de você e não será conseqüência
de suas atitudes. Assim age o verdadeiro amor!

Versículo 19...
“Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: “Minha é a
vingança; eu retribuirei”, diz o Senhor.”

A vingança é uma das respostas humanas mais naturais à dor ou más atitudes. Achamos que,
se tratarmos os outros de acordo com a maneira que fomos tratados, estamos fazendo
justiça...
“Estou somente ensinando-lhes uma lição.”
“Estou apenas mostrando a ele como me sinto.”
“Só estou fazendo com ela o mesmo que fez comigo.”
...e desta forma você se esquece de muitas vezes que feriu outras pessoas sem depois
examinar a si mesmo, mas Deus não se esqueceu! Isto põe-nos sempre no lugar daqueles
fariseus que, quando a mulher foi pega em adultério, estavam prontos a apedrejá-la até à
morte e Jesus lhes disse em João 8:7...
“Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”

Paulo dá duas razões para você não alimentar a vingança:

I – Deus já o está fazendo! Ele sabe que você foi insultado ou ferido, e já está fazendo algo a
respeito.

II - Deus reivindica para Si a vingança e o fará de forma redentora, não de forma a ferir a outra
pessoa; mas geralmente não queremos dar a Deus esta possibilidade, preferimos nos vingar
com nossas próprias mãos, não é!
Paulo nos lembra que é errado não querer ver a pessoa resgatada, mas sim ferida! E se não
bastasse, muitas vezes ainda ficamos irritados porque Deus não “nos vingou” da maneira que
gostaríamos!

Página 138 de 172


A esta altura você pode estar perguntando:
“O que então você espera que eu faça?
Alguém me bate e você quer que eu fique lá sentado e... não faça nada?!”
Oh, Não! Há algo que você pode fazer... veja o que é:

Versículo 20...
“Ao contrário: “Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber.
Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele”

Ray Stedman comentando este verso diz...


“Paulo citando Provérbios 25:21-22 se refere à antiga maneira de acender um fogo. Como não
havia fósforos naqueles dias, para obter fogo você poderia pedir alguns carvões em brasa ao
seu vizinho, e se ele fosse bom, encheria um recipiente acolchoado para você transportar no
alto de sua cabeça.

Isto então se transformou no retrato de uma resposta ampla e generosa à necessidade de


alguém.”

Versículo 21...
“Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.”

A maneira principal de expressamos amor é não reagir por vingança. Pode imaginar o que
aconteceria neste mundo se os cristãos começarem a agir esta maneira?

Quantas vezes temos atitudes muito diferentes do verdadeiro cristianismo quando reagimos
como o mundo ao nosso redor?!

Vimos em Rm 12:2 que não devemos nos “amoldar ao padrão deste mundo”; e uma forma
prática de fazê-lo é seguir o exemplo que Jesus nos deu:

“Quando insultado, não revidava; quando sofria, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele
que julga com justiça”. – I Pe 2:23

Que testemunho da Graça seria cada um de nós!


Tarefa...

Leia o capítulo 12 várias vezes e...

 Faça uma avaliação sóbria de si mesmo:


“Quem tenho sido eu, Senhor?”

 Se você tem boa cabeça, decore os versículos 9 a 21.


Não tendo, decore assim mesmo!

Que Deus lhe dê graça para viver as verdades deste capítulo em sua preciosa vida.

Página 139 de 172


LIÇÃO 42
ROMANOS 13

CONDUTA DE OBEDIÊNCIA

I - Submissão às autoridades
a) sua origem – vs.1- 4
b) a posição do cristão - vs.5-7

II – Amor ao próximo
a) uma ordem permanente – v.8
b) seu cumprimento – vs.9-10

III – Fim dos tempos


a) um poderoso estímulo – vs.11-12a
b) os deveres cristãos - v.12b-14

Vamos ao estudo...

I - Submissão às autoridades

O que você pensa a respeito dos presidentes Lula e George Bush estarem a serviço de Deus!?
O que dizer então de Adolph Hitler? No entanto a coisa surpreendente que esta passagem
declara é que os líderes, gostem ou não, em algum sentido estão à serviço de Deus!

João Stott tem uma palavra de sabedoria sobre este texto quando diz...
“Mas é melhor sermos cautelosos ao interpretar as declarações de Paulo. Não se pode pensar
que ele está dizendo que todos os Calígulas, Herodes, Neros e Domicios da época do Novo
Testamento, assim como os Hitlers, Stalins, Amins e Saddams dos nossos dias foram
pessoalmente designados por Deus, que Ele é responsável pelo seu comportamento ou que
em nenhuma circunstância se pode resistir à autoridade deles.”

A história tem mostrado que toda vez que o teísmo (crença em um ou mais Deus) é aceito, a
liberdade humana é assegurada; enquanto que a tendência natural de ateísmo é sempre
totalitária.

Entretanto, na época em que esta carta foi escrita os cristãos estavam vivendo em Roma - a
cidade mais importante do império que já tinha passado por diversas formas de governo – e
Nero tinha apenas começado a reinar como o quinto imperador. A perseguição sistemática dos
cristãos pelo Estado ainda não havia começado, mas quando César mais tarde exigiu as
coisas que pertenciam à Deus, os cristãos não tiveram dúvidas de que ele havia excedido seus
direitos sobre sua obediência. (Geoffrey B Wilson)

Concordo que os não cristãos têm grande dificuldade em pensar que inclusive os líderes
governamentais tiranos ou cruéis estão em algum sentido à serviço de Deus, no entanto, se

Página 140 de 172


nós cristãos estivermos buscando enxergar a realidade, isto é, ver a vida em torno de nós
como Deus a vê, é assim que devemos começar a pensar!

a) sua origem – vs.1-4

Versículo 1...
“Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não
venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.”

Está claramente indicado logo no primeiro versículo que este capítulo discorre sobre o dever do
cristão - e do não cristão - de ter uma conduta de obediência às autoridades. (Alguns autores
como O.Cullmann, dizem que “autoridades” aqui - “são as forças cósmicas que se encontram
por detrás deles e agem por intermédio deles”. Todavia, este argumento não encontra apoio na
maioria dos estudiosos).

Paulo se refere aqui não somente aos presidentes e chefes de estado, mas está falando sobre
todos os níveis da autoridade, todas as formas de poder existentes, o que devemos nos
lembrar é que todos eles são colocados lá pelo próprio Deus!

Você pode perguntar...


“De acordo com a vontade de Deus, qual a melhor forma de governo? Democracia, República,
Monarquia, Comunismo?”

A Bíblia reflete várias formas de governo e não especifica nenhuma como sendo a vontade de
Deus. A melhor aos olhos dEle é a estabelecida por Ele mesmo, para aquele lugar e tempo
particulares na história, considerando as características das pessoas, o grau de verdade e de
luz disseminado entre elas, e as circunstâncias morais que estão prevalecendo. Para essa
circunstância, tempo e lugar, Deus estabelece um governo em particular. (Ray Stedman)

Mas... todo governo pode mudar... se as pessoas crescerem na compreensão da verdade e a


moralidade prevalecer em uma comunidade, o governo pode tornar-se mais democrático, por
exemplo; da mesma forma, onde a verdade desaparece, o governo parece tornar-se mais
autocrático; mas, em todo o caso, o que Paulo deixa claro aqui é que independente da forma
de governo que você se encontra hoje, Deus está por trás dele.

Esta verdade não é vista somente no Novo Testamento, veja Daniel 2:21.

Somos tentados a pensar que Deus está alheio ao que acontece na política, mas a Bíblia nos
mostra que Ele está diretamente envolvido... é Deus quem estabelece e destrona reis e
autoridades! Porém, nem a incredulidade nem a fé lhes oferece imunidade (aqui entre nós, só
em Brasília!!!!). Um dia virá o Juízo Final de Deus e então os impunes pagarão alto preço por
tudo que fizeram (veja Malaquias 3:17 e Apocalipse 20)

Versículo 2...

Página 141 de 172


“Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus
instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos.”

Claramente, se Deus está por trás das autoridades, aqueles que se opõem à elas estão se
opondo diretamente à Ele, que certamente punirá esta desobediência!

Os governos têm autoridade sobre o que fazemos com nossas propriedades e como nos
comportamos uns com os outros, mas é claro que não têm direito de comandar nossa
adoração ou proibir a obediência à Palavra de Deus, pois estes são os limites dos poderes
governamentais. Como cristãos podemos resistir a opressão e perseguição religiosas, porém
não devemos resistir às funções legítimas do governo.

Assim, quando as exigências do Estado entrarem em conflito com a Lei de Deus, a resistência
a elas se torna um dever do cristão (Geoffrey B Wilson)

Versículos 3-4...
“Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer
viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá, pois é serva de Deus
para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem
motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal.”

É óbvio que a afirmação de que os governantes enaltecem ou recompensam quem pratica o


bem e castigam os que praticam o mal não é invariavelmente verdadeira, e o próprio Paulo
sabia disso muito bem... se todas as cortes provincianas fossem justas, Paulo não teria
precisado apelar para César (veja Atos 25:11).

John Stott continua dizendo... “Portanto, ao pintar este lindo quadro das autoridades como
quem “enaltece o bem” e “pune quem pratica o mal”, ele está afirmando o ideal divino e não a
realidade humana.”

Citando Geoffrey B Wilson: “O Estado é ordenado por Deus para suprir as exigências da
situação criada pelo pecado”

Você prestou atenção ao que Paulo está dizendo?!


Se você estiver dirigindo em alta velocidade na estrada e quiser estar livre de ter que olhar
constantemente em seu espelho retrovisor, mantenha então a velocidade dentro do limite!

Mas não espere que o guarda pare seu carro apenas para dizer:
“Olá! O senhor estava dirigindo muito bem e quero apenas elogia-lo” ...rs...

b) a posição do cristão - vs.5-7

Versículo 5...
“Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da
possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência”

Página 142 de 172


 Não devemos obedecer às leis apenas porque tememos ser presos ou punidos de alguma
forma.
 Não devemos manter o limite de velocidade somente porque há um radar ou guarda à vista.
 Não devemos pagar nossos impostos apenas porque sabemos que corremos o risco de cair
na “malha fina”.
A maioria das pessoas seguem às leis por causa disto, mas esta não deve ser a conduta de
um cristão! A razão para o cristão obedecê-las é porque isto é correto perante Deus e sua
consciência deve estar limpa perante Ele.

Versículo 6...
“É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus,
sempre dedicadas a esse trabalho.

Mesmo que os governantes não tenham consciência de executarem o papel que lhes é dado
por Deus, são de qualquer forma em algum sentido servos dEle, e portanto o cristão deve
pagar os impostos necessários para manter o governo que Deus pôs no poder. (Geoffrey B
Wilson)

Você pode não gostar da quantidade de impostos que seu governo coleta, mas Paulo deixa
claro que o governo tem este direito e os cristãos devem pagá-los! Não temos o direito de
sonegar porque o dinheiro não é empregado da maneira que gostaríamos, está claro!?

Os romanos na época em que Paulo escreveu tinha os mesmos problemas que nós com os
impostos, e ele lhes disse claramente:
“Se você deve algum imposto, pague!”
Versículo 7...
“Dêem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor;
se honra, honra.”

Citando mais uma vez Geoffrey B Wilson...


Isto resume o que Paulo tem a dizer sobre os deveres dos cristãos em relação ao Estado. Eles
devem dar aos seus governantes o que lhes é devido, rendendo-lhes também a reverência e a
honra que é devida ao ofício deles.

Mas como o Estado (temporal) não é o Reino (eterno), o dever de obediência às autoridades
seculares é temporário para o atual período de “noite” (vers.12); naquele “dia” que está
“chegando” uma nova ordem de governo será introduzida, quando “os santos hão de julgar o
mundo” (I Cor. 6:2). O Estado há de “murchar e desaparecer” (nisto Paulo e Karl Marx
concordam); e a cidade de Deus permanece (F F Bruce).

Bom estudo

Ary (in memoriam)

Página 143 de 172


LIÇÃO 43
ROMANOS 13

CONDUTA DE OBEDIÊNCIA

I - Submissão às autoridades

II – Amor ao próximo

Você sempre se esforçou para obedecer os Dez Mandamentos?


Bem, Paulo diz que é realmente fácil... tudo o que você tem que fazer é amar!
Ame as pessoas e você não as ferirá.

Se você conhece Jesus Cristo, se reconhece o Seu sacrifício na cruz por você, se Ele é seu
Salvador e Senhor, então você tem o poder amar - não há nenhuma dúvida sobre isto! Você
tem a capacidade de agir amorosamente mesmo com quem não age desta forma com você!
Não que esta capacidade venha de você mesmo, porque II Cor 3:5 diz...

“Não que possamos reivindicar qualquer coisa com base em nossos próprios méritos, mas a
nossa capacidade vem de Deus.”

Geoffrey B. Wilson nos lembra que o amor do cristão ao seu próximo é apenas o reflexo visível
de seu amor para com Deus. É a sua obediência constante ao segundo grande mandamento
que demonstra a prova mais convincente de seu comprometimento total com o primeiro! Veja
Marcos 12:30-31

a) uma ordem permanente – v.8

“Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu
próximo tem cumprido a Lei”

Uma outra versão diz: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor”

Aqui está uma ordem para ser obedecida e não apenas para encher as páginas da Bíblia! Você
que está endividado, se comprometa diante de Deus que pela Sua graça você irá pagar suas
dívidas e sair delas!

Veja o que diz Prov. 22:7... Nada de prestações nas Casas Bahia ou em qualquer outro lugar!
Procure ver Deus agindo em suas finanças!

Entre em contato conosco por e-mail e peça o esboço de um estudo que eu fiz sobre finanças,
além de uma planilha de orçamento e credores. É de graça!

Página 144 de 172


William Hendriksen diz que “Entre todas as dívidas que uma pessoa venha a contrair, há uma
que jamais poderá ser reembolsada plenamente: a dívida do amor”

A partir do momento que você terminar de ler esta lição, todas as vezes que você encontrar
alguém (mesmo não crente, hein!), lembre-se que sua primeira obrigação é amar esta pessoa!

Não somente hoje... mas sempre! Lembre-se disto...


 todos os dias ao acordar!
 todas as pessoas que encontrar!
...aja com amor, demonstre cortesia, bondade, paciência, compreensão, independente das
circunstâncias! Paulo diz muito claramente que esta é uma dívida sua para com todas as
pessoas!

Já pensou quantas mudanças radicais aconteceriam se começássemos a viver nesta base!


Diariamente, ao encontrar cada pessoa diríamos...
“Preciso mostrar algum amor a esta pessoa. Não importa o que aconteça, eu tenho a
obrigação de pagar-lhe essa dívida!”

Você já ficou devendo dinheiro à alguém? Sempre que encontramos a pessoa a quem
devemos, nossa dívida é a primeira coisa que vem à nossa mente, não é?!

É isto que Paulo diz que devemos fazer: lembrar que temos uma dívida de amor para com
todas as pessoas, qualquer pessoa que você tenha contato (mesmo superficial), e não
somente os “irmãos na fé”!)

b) seu cumprimento – vs.9-10

“Pois estes mandamentos: “Não adulterarás”, “Não matarás”, “Não furtarás”, “Não cobiçarás”, e
qualquer outro mandamento, todos se resumem neste preceito: “Ame o seu próximo como a si
mesmo”. O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da Lei.”

Paulo nos dá quatro exemplos da segunda tábua da Lei para ilustrar a maneira pela qual esta
ordenança de amor deve ser cumprida... porém, o amor vai mais além... não apenas proibindo
o que é negativo dizendo: “Não mate ou furte seu vizinho”; mas diz: “Faça o bem a ele! Você
deve amá-lo, se preocupar com seu bem-estar, ajudar-lhe”

É simplesmente impossível se preocupar com o bem-estar de alguém e ferí-lo ao mesmo


tempo, isso porque o amor não assassinará seu vizinho, ou envenenará seu cão, ou jogará lixo
sobre o seu muro, ou fará qualquer coisa prejudicial a ele. O amor não roubará seu vizinho, ou
cobiçará as posses dele, mas se alegrará por ele, pelo que ele tem.

Percebeu como o amor conseqüentemente cumpre a lei?!

Você amará, e por isto não cometerá adultério, mas preservará os laços conjugais!

Página 145 de 172


Você não tem que se preocupar em obedecer os Dez Mandamentos; mas deve ficar atento se
está agindo amorosamente, pagando a dívida que você deve a cada homem, mulher e criança,
a cada pessoa que você encontra! Se você lhes pagar sua dívida de amor, não os ferirá! (Ray
Stedman)

William Hendriksen nos lembra que...


É precisamente o amor operado pelo Espírito Santo, unicamente este, o qual é poderoso para
levar uma pessoa a remover todos os obstáculos e amar a seu próximo, ainda quando este
próximo talvez seja uma pessoa desagradável! É o amor que...
“não se ira facilmente, não guarda rancor, tudo protege, tudo crê, tudo espera, tudo
suporta” - I Cor 13:5,7
Tal amor humano tem sua origem em Deus, pois “Deus é amor”.

Foi Jesus quem, um pouco antes de sua crucificação, disse a seus discípulos...

“Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros.


Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros.” - João 13:34

Você se lembra do que estudamos no capítulo 2 de Romanos?!

Uma vez que você sabe a vontade escrita de Deus e não a obedece, o que poderá esperar?

__________________ e __________________ (v.8)

__________________ e __________________ para quem?! (v.9)

Recorde também do versículo 10...


“...mas glória, honra e paz para todo o que pratica o bem”

Bom estudo e... boa prática do que aprendeu! Ary (in memoriam)

Página 146 de 172


LIÇÃO 44
ROMANOS 13

CONDUTA DE OBEDIÊNCIA

I - Submissão às autoridades
II – Amor ao próximo

III – Fim dos tempos

a) um poderoso estímulo – vs.11-12a

Versículo 11a...
“Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos.
Chegou a hora de vocês despertarem do sono...”

Ray Stedman, um dos homens que mais influenciaram a minha vida (você verá que volta e
meia estou citando ele... sério com Deus, brincalhão com os amigos e íntegro); diz a respeito
deste texto...

Paulo começa dizendo “Façam isso”... mas... Isso o quê?


Ele está se referindo aos versículos anteriores, portanto ele está nos dizendo que é hora de
acordar! Olhar ao redor e de ver todas as oportunidades de amar que estão a nossa volta!
Muitas vezes nos preocupamos em amar pessoas que não conhecemos, e perdemos muitas
oportunidades de demonstrar amor em nossa própria família!

Me espanto ao ver como é fácil querer ajudar pessoas distantes de nós e ao mesmo tempo
ignorar as necessidades que quem vive todos os dias ao nosso lado!

Nós somos assim, não é?! Paulo está dizendo que devemos “acordar” e olhar ao redor, porque
temos oportunidades diárias de pagar nossa dívida de amor para com as pessoas! (Você se
lembra de Rm13:8?)

A “compreensão do tempo em que vivemos”, isto é, o período que precede o fim, deve
estimular o cristão a viver como deveria! Esta consciência de movimento em direção ao
objetivo final dá ao tempo um significado especial para o crente, e lhe provê um poderoso
estímulo para regular sua conduta à luz daquela esperança. Veja Hebreus 10:24. (Geoffrey B
Wilson)

Versículos 11b – 12a...


“...porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos.
A noite está quase acabando; o dia logo vem”

Página 147 de 172


Desta forma Paulo encoraja a expectativa iminente da volta de Cristo, evitando entretanto,
qualquer referência específica à proximidade cronológica deste acontecimento. Veja Atos 1:7 e
II Pedro 3:8. (Geoffrey B Wilson).

Ele está exortando a membresia da igreja romana (e a todos nós) para pôr de lado as suas (e
as nossas) práticas pecaminosas e, com o auxílio do Espírito Santo, crescer em santificação. E
ainda nos alerta: não temos muito tempo para fazer isto! Para o povo de Deus a presente era
de trevas, de pecado e perversidade está rapidamente avançando para o fim, e a era infindável
de luz, santidade e alegria está perto! (William Hendriksen - o comentário de Romanos dele
agora está em português pela Ed. Fiel).

O tempo é curto, isto é, o dia em que Jesus Cristo virá outra vez está mais próximo do que
quando nos convertemos! A mensagem do cristianismo é pregada há 2000 anos, mas a cada
dia nos aproximamos do dia em que Jesus voltará. Não há dúvida sobre isto, não é?!

b) os deveres cristãos - v.12b-14

Os versículos abaixo são preciosos para mim, porque foi através deles que o famoso teólogo,
hoje conhecido como Santo Agostinho conheceu de fato a Cristo.

Versículo 12b...
“Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e revistamo-nos da armadura da luz.

Aqueles sobre os quais o Sol da justiça raiou, devem abandonar os antigos desejos pertinentes
à sua ignorância e vestir a armadura da luz. Veja Ef. 6:11-18 e I Tess. 5:8. (Geoffrey B Wilson).

Precisamos entender também que, se estivermos vivendo em amor, há algumas coisas que
são incompatíveis com esta nova vida. São as chamadas “obras das trevas” e é impossível
praticá-las e viver em amor ao mesmo tempo!
Veja uma lista mais completa delas em Gálatas 5:19-21, Col. 3:5-11

Versículo 13a...
Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não
em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja.”

Não desperdice sua vida! Não se deixe levar pelos padrões do mundo!

Somos cercados constantemente por tentações...tudo pode começar numa roda de cerveja
depois do trabalho, um romance novo, uma relação sexual sem compromisso (isto é, fora do
casamento), etc. A mensagem do mundo nos diz que não há nenhum dano nestas práticas,
porém Paulo nos diz que há sim!
Se você viver para estas coisas, não poderá cumprir aquilo que Deus tem para você! Vivendo
desta forma você não poderá amar as pessoas, nem poderá amar a si mesmo! Você destruirá
outras pessoas além de destruir a si mesmo!

Página 148 de 172


Versículo 13b...
“Comportemo-nos ... não em desavença e inveja.”

É impressionante como alguns cristãos agem como instrumentos de intrigas e desavenças,


dentro e fora da igreja! Em Mt 12:30 e Lc 11:23 Jesus disse...
“Aquele que não está comigo é contra mim, e aquele que comigo não ajunta, espalha.”

Há uma maneira “medir” sua vida...


 Que efeito você exerce sobre as pessoas?!
 Você traz harmonia ou espalha discórdia?
 Divisão e fofoca começam imediatamente quando você chega a um grupo?

Versículo 14a...
“Ao contrário, revistam-se do Senhor Jesus Cristo”

Tornem-se mais e mais espiritualmente unidos a Cristo, de modo que Ele seja a Luz de sua
luz, a Vida de sua vida, a Alegria de sua alegria, e a Força de sua força. (Will L. Thompson)

Paulo está nos dizendo que, assim como você veste suas roupas pela manhã, “revista-se” de
Jesus ao acordar, isto é, faça dEle a imagem que você transmite às pessoas. Leve-o com você
a todos os lugares onde for para que Ele atue através de você! Entregue a Ele seus recursos.
Viva sua vida através de Jesus!

Quando você se reveste de Jesus, recebe dEle o poder de amar as pessoas. Leia os
evangelhos e verá que uma coisa impressionante sobre Jesus é sua habilidade de amar! E,
além disto...

Versículo 14b...
“... não fiquem premeditando como satisfazer os desejos da carne”

A salvação é do pecado e para a santidade! (Hodge)

Pare! Não fique cultivando em sua mente e coração as “obras das trevas”. O fim desta prática
sempre é conflito, rivalidade, inveja, enfim... destruição!
Para os outros e para você mesmo!
Pelo contrário, aprenda a amar revestindo-se de Jesus Cristo! Ele nos capacita com o poder de
amar... é isto que você deve cultivar em sua mente e coração! Não faça provisão para a
satisfação das demandas de sua natureza humana pecaminosa!
Por certo as tentações se manifestarão, pois o crente permanece pecador mesmo quando se
torna santo (Rm 7:14), mas se somos realmente filhos de Deus, devemos aprender cada vez
mais a controlar e vencer as tentações.
Com Cristo como nosso Soberano Senhor, a vitória está assegurada!
(William Hendriksen).

Bom estudo
Ary (in memoriam)

Página 149 de 172


LIÇÃO 45
ROMANOS 14

CONDUTA DE LIBERDADE
SEM LIBERTINAGEM

I – Temas controversos – vs.1-12


a) orientações a todos os cristãos – vs. 1-3
b) orientações aos “fracos na fé” – vs. 4-6
II – O justo senhor – vs. 7-12
a) o senhorio de Cristo – vs. 7-9
b) o único juiz – vs. 10-12
III – Os limites da liberdade – vs.13-23
a) o amor – vs. 13-15
b) a verdade – vs.16-21
c) o pecado – vs. 22-23

Vamos ao estudo...
I – Temas controversos – vs.1-12

Uma das perguntas mais freqüentes dos não cristãos é:


“O que eu teria que deixar de fazer se me tornasse um cristão?”
E a pergunta mais freqüentemente feita pelos cristãos é:
“O que há de errado com determinada atividade?”

Neste capítulo de Romanos abordaremos alguns assuntos controversos que costumam causar
problemas de religiosidade, pois são temas sobre os quais temos muitas perguntas e a Bíblia
não apresenta uma resposta específica.

a) a todos os cristãos – vs. 1-3

“Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos.


Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais.
Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de
tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou”

Em primeiro lugar, observe claramente que quando Paulo chama estes irmãos de...

 “fracos na fé”, não se trata de ter pouca fé em Jesus para a salvação!


Ele está se referindo a alguém “cuja fé falta aquela firmeza e amplitude que o elevariam
acima de pequenos tabus” (David Brown). São problemas de religiosidade, legalismo, como
comer carne, beber vinho ou considerar alguns dias especiais. Estes ainda não têm
convicção sobre estes assuntos duvidosos ou indiferentes, e por isto enfrentam dúvidas
nestas áreas.
 “fortes”, Paulo se refere aos que estão aptos a aprender o significado da morte de Cristo
para o viver diário, ou seja, comer, beber, etc.

Página 150 de 172


O que Paulo quer enfatizar aqui é que nossa atitude para com o irmão “fraco na fé” deve ser de
aceitação, ou como diz outras versões: dar boas-vindas, recebê-lo, fazê-lo sentir-se bem-vindo,
e não discutir com ele ou querer impor sua opinião; afinal de contas, opiniões são tudo o que
você pode ter sobre estes temas, porque a Bíblia não diz nada a respeito deles, não é?

Ao invés de discutir estes temas, preocupe-se em obedecer – você mesmo – as áreas em que
a Bíblia é muito clara e precisa: é sempre errado roubar, adulterar, embriagar-se, fofocar,
mentir, e todas outras coisas que sabemos muito bem serem erradas!
É importante observar que a Bíblia poderia ter abordado estes temas, mas seus escritores
inspirados pelo Espírito Santo de Deus, foram deliberadamente conduzidos a não falar sobre
estes assuntos! E a regra é...
Onde a Bíblia é silenciosa, a consciência governa! (Ray Stedman)

Receba os “fracos na fé” como irmãos em Cristo Jesus, e a principal razão para isto é que o
próprio Deus os aceitou! Isto coloca as coisas na perspectiva correta, não é!

b) aos “fracos na fé” – vs. 4-6

Paulo passa agora a falar especificamente ao cristão “fraco na fé”, aquele que se incomoda ao
ver as atitudes de outros cristão nas áreas em que a Bíblia não fala precisamente sobre o
assunto. A estes ele diz: “Não banque o juiz!”, isto é...
 não os condene com base nas suas opiniões sobre o assunto;
 não diga que eles não são verdadeiros cristão;
 não saia por aí dizendo que são cristãos carnais;

Freqüentemente encontramos alguém dizendo...

“Reconhecemos que determinadas pessoas são cristãs, sim!


Mas não as queremos aqui em nossa igreja porque...
 são diferentes de nós
 não pensam exatamente da mesma forma
 não realizam a ordenança de culto da mesma maneira
 preferem outro estilo de louvo”
 seguem variações mínimas de doutrina”

Está claro que não temos nenhum direito de pensar dessa maneira, porque é o Senhor que
determina a composição de sua igreja e não os membros ou líderes dela?!

Versículo 4...
“Quem é você para julgar o servo alheio?
É para o seu senhor que ele está em pé ou cai. E ficará em pé, pois o Senhor é capaz de o
sustentar”

Este é um relacionamento interessante, não é? Paulo deixa claro aqui que...


 o cristão não é responsável por “prestar contas” aos outros irmãos – a respeito destes
temas indiferentes
 mas ele é responsável por suas atitudes perante Deus – inclusive nestas áreas.

Página 151 de 172


A igreja não tem nenhuma autoridade para ditar regras sobre estas áreas!
Este julgamento cabe somente à Deus!

“Deus tem o poder de transformar qualquer homem no servo que Ele deseja”. Portanto, se há
alguma correção a ser feita na vida de alguém, é Deus quem está apto a fazê-la!” (J.B.Phillips).
É Ele que concede a força perseverante, e que também mantém a firmeza atual de Seus
servos, apesar das censuras injustas daqueles que são inteiramente sem qualificação para
julgá-los” (Geoffrey B. Wilson)

Versículos 5-6...
“Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias.
Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente.
Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz. Aquele que come
carne, come para o Senhor, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém, para o Senhor se
abstém, e dá graças a Deus”

Saiba que não há nenhum mérito em abster-se destas coisas, como também não há em
praticá-las.

 O cristão que separa um dia para Deus é mais santo que os outros? Não!
Por exemplo, quem comemora o Natal ou Páscoa é mais espiritual que os outros ou, por
outro lado, quem considera a comemoração destes dias um desagrado à Deus é melhor
que os outros cristãos porque não o fazem? Não!
O que importa é se a pessoa em seu coração – e atitudes – leva Deus à sério.
O que importa é seu desejo de agradá-lO!

 O cristão que é vegetariano por convicção de que comer carne de alguma maneira afetaria
seu desenvolvimento espiritual, é melhor do que o cristão assíduo freqüentador de
churrascaria? Não!
O importante é ter o coração grato por reconhecer que é Deus quem provê nosso alimento.

Geoffrey B. Wilson comentando este texto diz...


“O verdadeiro cristão que vive para o Senhor é aquele que torna a vontade de Cristo a sua
regra de conduta, e a Sua glória o seu objetivo constante; embora, por fraqueza ou ignorância,
ele possa às vezes entender mal qual é o seu dever, e considerar obrigatórias certas coisas
que Cristo nunca ordenou.”

Perguntas...
1. À luz desta lição, como tem sido a sua vida nestas áreas duvidosas?

2. Você tem sido rígido demais com outras pessoas?

3. Você goza da liberdade gostosa que há em Cristo, sem cair na libertinagem?

4. Como está você nas áreas em que a Bíblia é clara? Veja Gálatas 5, Efésios 4 e
Colossensses 3.

Página 152 de 172


LIÇÃO 46
ROMANOS 14
CONDUTA DE LIBERDADE
SEM LIBERTINAGEM

I – Temas controversos – vs.1-12


II – O justo senhor – vs. 7-12

a) o senhorio de Cristo – vs. 7-9

“Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si. Se
vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer
vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor.
Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos”

Como nosso Mediador, Cristo assegurou na cruz o indisputável direito de exercer senhorio
sobre os crentes que já morrerem e os que ainda estão vivos sobre a terra. (William
Hendriksen)

Esta passagem nos lembra que o senhorio de Jesus Cristo não começa apenas quando nós
morremos. Muitos cristãos querem que Ele seja sim, o Salvador Jesus de suas vidas; mas
desejam “dispensar” o Senhor Jesus! Querem se tornar sujeitos a Ele só depois de morrerem e
ir ao céu! Não! O senhorio de Jesus em nossas vidas começa agora, e não podemos pensar
em abrir uma exceção em relação a coisas não essenciais ao cristianismo.

Quanto a estes temas controversos em que a Bíblia é silenciosa, se Jesus disser a você - em
sua própria consciência lhe dando convicção...
“Mude ou pare com determinada atitude”
...então você deve parar porque Ele é o seu Senhor. Mas lembre-se: você não pode julgar
outras pessoas, ou querer que elas façam o mesmo que você baseado apenas em suas
opiniões e convicções! (Ray Stedman)

Paulo aqui não dá uma decisão definida que satisfaria os legalistas, ao invés disto, ele eleva
toda a discussão ao mais alto nível, de modo que cada um possa tomar suas decisões à luz de
seu relacionamento com Deus. Ele menciona nossa morte de modo a pôr estas pequenas
perguntas em sua verdadeira perspectiva. (Geoffrey B. Wilson)

b) o único juiz – vs. 10-12

“Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos
compareceremos diante do tribunal de Deus.
Porque está escrito: “Por mim mesmo jurei”, diz o Senhor, “diante de mim todo joelho se
dobrará e toda língua confessará que sou Deus”
Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus”

Página 153 de 172


A repetição da palavra “irmão” não apenas indica a igualdade de posição, mas também é um
lembrete oportuno de que seu relacionamento deveria se caracterizar por aquele amor mútuo
que se regozija em cobrir uma multidão de falhas. (Geoffrey B. Wilson)
Tanto os que condenam (fracos), e os que menosprezam (fortes), devem lembrar que não são
senhores, mas que Cristo é o Senhor e, consequentemente, eles não são juízes legítimos, mas
que o único Juiz é Cristo. (William Hendriksen)
Lembre-se que está chegando o dia em que Deus virá julgar os segredos dos corações dos
homens, quando todos os motivos e intenções escondidos serão revelados (Apoc. 20:11-15).
Note que...
 os incrédulos, ou seja, os que morreram sem conhecer a Cristo e por Ele não foram
justificados, estarão diante do trono do juízo para condenação.
 os verdadeiros cristãos não serão julgados pelos seus pecados, pois todos eles já foram
perdoados na cruz (João 5:24); mas estarão diante do Trono de Cristo para então
receberem o seus galardões, que a Bíblia não define quais são. (I Cor. 3:13-15).

Portanto, em vez de antecipar aquele solene julgamento por suas críticas presunçosas, use a
atual oportunidade para corrigir sua conduta em relação aos outros, antes que seja tarde
demais para isso. (Geoffrey B. Wilson)

III – Os limites da liberdade – vs.13-23

Citando William Hendriksen... “Se um importante princípio doutrinário está em jogo, você não
precisa manter silêncio sobre suas convicções; porém em todas as circunstâncias siga esta
regra:
 nas coisas essencias = unidade
 nas coisas indiferentes = liberdade
 em todas as coisas = amor”

a) o amor – vs. 13-15

“Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Em vez disso, façamos o propósito de não
colocar pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão.
Como alguém que está no Senhor Jesus, tenho plena convicção de que nenhum alimento é por
si mesmo impuro, a não ser para quem assim o considere; para ele é impuro.
Se o seu irmão se entristece devido ao que você come, você já não está agindo por amor. Por
causa da sua comida, não destrua seu irmão, por quem Cristo morreu”

Paulo está se dirigindo aos “fortes”, a quem pensa que tem a liberdade para fazer todas as
coisas. É verdade que você tem esta liberdade, e que o “cristão fraco” não pode julgá-lo, mas...
lembre-se também que sua liberdade deve ser usufruída dentro dos limites do amor! O cristão
que insiste em exercitar sua liberdade à custa de alguém não está agindo em amor!

Para entender melhor, tomemos um exemplo citado por Ray Stedman...


Você já observou um pai andando lentamente ao lado de seu filho pequeno? Ele tem a total
liberdade de andar normalmente, com passos largos, livre, mas... desta forma ele se afastaria
do seu filhinho e o deixaria para trás, por isto não o faz.

Página 154 de 172


Assim é o limite do amor... você pode até ter a liberdade de entrar em determinados lugares e
participar de coisas que você que você continuaria com sua consciência perfeitamente limpa,
mas você não as fará se sentir que está se tornando um tropeço à outra pessoa. Isto pode
acontecer de várias maneiras... um novo cristão, ao seguir seu exemplo, poderá ser conduzido
à uma área fora de seu controle e assim se envolver em atividades que o arraste para longe de
Deus.

b) a verdade – vs.16-21
“Aquilo que é bom para vocês não se torne objeto de maledicência. Pois o Reino de Deus não
é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo; aquele que assim serve a
Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens. Por isso, esforcemo-nos em promover
tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua.
Não destrua a obra de Deus por causa da comida. Todo alimento é puro, mas é errado comer
qualquer coisa que faça os outros tropeçarem.
É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu
irmão a cair.”

O que de verdade é importante para você?

Estas atividades controversas como comer carne, beber vinho, dançar, festejar o Natal, etc.,
são tão importantes assim? São elas que regem sua vida?

É a prática destas coisas que Deus tem como propósito para sua vida?
Oh, Não! O reino de Deus não consiste nestas coisas, mas sim na justiça, paz e alegria no
Espírito Santo. Estas são as verdades importantes da vida! (Ray Stedman)

Em comparação a estas grandes bênçãos espirituais, qual o cristão que poderia perturbar os
outros irmãos com questões de comida e bebida? Paulo aqui admoesta os fracos e fortes –
aliás, todos os cristãos – a buscarem sim, a edificação mútua.

Além do mais, uma incrédulo não estaria, provavelmente, mais disposto a caluniar o próprio
evangelho do que tomar partido neste debate entre o fraco e o forte?!

Quando colocadas à luz da perspectiva eterna, muitas coisas se reduzem à verdade que de
fato são: trivialidades!

c) o pecado – vs. 22-23

“Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre
você e Deus.
Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvida é
condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado.”

Página 155 de 172


É interessante notar que sempre queremos julgar as pessoas, mas nos esquecemos dos
cristãos que éramos há um, cinco ou vinte anos atrás! O que Deus nos ensinou em trinta anos
queremos que outros aprendam em trinta minutos!

Se tentarmos levar alguém a agir fora de suas convicções a respeito destes temas
controversos, estaremos lhe conduzindo a golpear sua consciência, e assim o levaremos a
pecar! Note também que...

Se nos envolvermos em algumas destas atividades controversas, que nos deixem


constrangidos e incomode nossa consciência perante Deus, estaremos pecando! Talvez as
pratiquemos mais tarde, depois de aprendermos mais da liberdade no Espírito do Santo de
Deus.

Se qualquer pessoa estiver convencida de que algo é contrário à lei de Deus, e apesar disto a
pratica, é culpado diante Dele, mesmo que a coisa em si seja lícita. (Haldane)

Para concluir vou tomar emprestado um exemplo usado por Geoffrey B. Wilson...

Muitos cristãos acham que beber vinho é pecado e que a Bíblia proíbe seu uso mesmo com
moderação, outros erradamente identificam o beber vinho com bebedeira. Mas, sendo que
Paulo usa o beber vinho como exemplo do tipo de coisa que o cristão está livre para fazer,
exceto se ofender outros, fica evidente que isto não é em si uma violação da lei de Deus, e
portanto não é pecado.

Mas... veja bem...

 embriagar-se é pecado, ofenda ou não aos irmãos


 beber vinho não é errado, exceto se resultar em bebedeira levar outros a tropeçar

Nunca se esqueça...

“Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade” - II Coríntios
3:17

“Contudo, tenham cuidado para que o exercício da liberdade de vocês não se torne uma pedra
de tropeço para os fracos.” – I Coríntios 8:9

“Tudo me é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo me é permitido”, mas eu não deixarei que
nada me domine.”- I Coríntios 6:12

“Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos.” – Romanos 12:17b

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de
Deus. Não se tornem motivo de tropeço, nem para judeus, nem para gregos, nem para a igreja
de Deus.” – I Coríntios 10:31-32

Página 156 de 172


LIÇÃO 47
ROMANOS 15

EXEMPLOS DE JESUS
PLANOS DE PAULO

I – Jesus: nosso grande exemplo – vs.1-13


a) para com o fraco e o forte – vs.1-4
b) como seguí-lo – vs.5-6
c) para com o judeu e o gentio – vs.7-12
d) o segredo para seguí-lo – v.13
II – Planos de Paulo – vs.14-33
a) a igreja em Roma – vs. 14-16
b) seu ministério – vs. 17-33

I – Jesus: nosso grande exemplo – vs.1-13

Um dos problemas da igreja cristã é que podemos estar completamente corretos em nossa
doutrina e prática, mas sermos muito radicais a este respeito. Este é o problema essencial que
Paulo aborda aqui: a aplicação de toda a doutrina poderosa que nós tivemos em Romanos
associada com a prática do convívio com outros cristãos.
Paulo nos apresenta duas causas principais de divisão entre cristãos pelo mundo inteiro:
 divisões que se originam por diferenças de convicção, de ponto da vista;
 divisões causadas por distinções raciais e de classe social

a) para com o fraco e o forte – vs.1-4

Versículos 1-2...
“Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós
mesmos. Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edificá-lo”
Paulo novamente se refere ao problema dos cristãos legalistas, chamando-os de cristãos
fracos, isto é, os que têm o hábito de discutir detalhadamente seu ponto de vista a respeito
daquelas questões indiferentes que estudamos no capítulo 14.
E qual é a resposta de Paul a este problema?
Ele diz para os cristãos fortes não se irritarem com os fracos, não se afastarem deles nem
afrontá-los; mas para que os instrua pacientemente, edificando-os para o seu próprio bem.

Versículo 3...
“Pois também Cristo não agradou a si próprio, mas, como está escrito:
“Os insultos daqueles que te insultam caíram sobre mim”
O exemplo de conduta que Paulo nos dá então é Jesus Cristo, que mesmo sendo Senhor não
buscou agradar a si mesmo, mas ao contrário, viveu aqui neste mundo buscando a edificação
daqueles que estavam ao seu redor.
Paulo então cita o Salmo 69:9 como prova disto.

Este é o exemplo radical que Jesus nos dá da verdadeira conduta cristã: devemos agir
completamente ao contrário de nossas inclinações naturais.

Página 157 de 172


Por nossa natureza carnal, todos nós gostamos de satisfazer as nossas próprias vontades,
desejo de conforto e bem-estar, mas... se estivermos vivendo cheios do Espírito Santo de
Deus, descobriremos que é completamente possível viver a favor dos outros buscando o bem
deles.

E você estudante? Que exemplo tem seguido?


Já observou que não gostamos de ser privados de algo que cremos ter o direito de usufruir, por
causa de outra pessoa, seja ela quem for?
Nossa reação inicial é dizer: “Não me importo com sua opinião a respeito”, e então seguir
adiante para satisfazer a nós mesmos. Mas... agindo desta forma estamos seguindo a filosofia
do mundo, e não de Jesus Cristo!
Um cristão que leva Deus à sério anseia por agradar à Ele, por entregar-lhe os desejos do seu
coração, e se interessa honestamente pelos outros porque sabe que Deus se importa com
eles! Não foi assim que Jesus viveu?!
Vemos este exemplo não só na vida de Jesus, mas também no Velho Testamento
encontramos homens que nos ensinam a mesma lição...

Versículo 4...
“Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da
perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança”

As histórias verídicas de homens e mulheres do Antigo Testamento nos mostram como Deus
os ensinou a viver não a favor de interesses pessoais, mas com os corações dedicados a
buscar os interesses dEle, e... desta mesma forma Ele trabalha em nossas vidas!

Veja por exemplo (em Gênesis capítulos 11 a 25) a história de Abraão e como Deus o conduziu
crise após crise... assista “de camarote” cada uma delas e observe a ação de Deus
trabalhando na vida dele. Examine também a intervenção de Deus na vida de José, Sansão,
Daniel, Ester e tantos outros.
Citando Ray Stedman... “Quando sua fé começar a falhar e seu coração se encontrar no aperto
da dúvida, volte-se para o registro da ação de Deus na vida dos homens e mulheres no Velho
Testamento. Você verá que sua fé se acenderá novamente!”

b) como seguí-lo – vs.5-6


“O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhes um espírito de unidade, segundo Cristo
Jesus, para que com um só coração e uma só voz vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso
Senhor Jesus Cristo”

Estudante...

 Você tem dúvida de que uma pessoa realmente convertida, que leva Deus à sério, deve ter
como alvo uma vida que glorifique à Ele?!
 Qual tem sido a sua maior busca? Você tem “corrido atrás” do quê?
 Qual o seu maior alvo? Onde você tem investido as primícias do seu tempo, recursos, dons
e talentos? Confira em sua agenda e no canhoto do talão de cheques.

Página 158 de 172


Paulo nos mostra aqui, que uma das maneiras de glorificar à Deus é viver em harmonia com os
outros.
“E qual o segredo para conseguir isto?” – você pode estar se perguntando...
Você deve agir “segundo Jesus Cristo” –v.5

Veja que quando Paulo menciona que Jesus não buscou agradar a Si próprio...
 ele não está nos dando apenas um exemplo a seguir,
 mas sim um exemplo de vida que podemos obter através de Jesus.
Esta é a grande diferença! (Ray Stedman)

Estudante, não se esqueça do que aprendemos até agora ao longo destes meses de estudo...
podemos sim ter uma nova vida, diferente dos padrões deste mundo, quando Cristo vive
através de nós!

Somente através Dele podemos obter um espírito de unidade, viver em harmonia com os
outros e desta forma glorificar à Deus!

c) para com o judeu e o gentio – vs.7-12

Na ocasião em que Paulo escreveu esta carta, havia dois grupos na igreja Romana: os judeus
e os gentios. Os dois grupos eram cristãos, mas tinham origens diferentes, o que levantou
divisões na igreja.

Para um judeu daqueles dias, um gentio não fazia nada certo... comia os alimentos errados, lia
os livros errados, seguia líderes errados, observava os costumes errados, até mesmo a língua
que eles falavam estava errada!
Desta forma havia muitos conflitos por estarem juntos na mesma igreja.

Versículo 7...
“Portanto, aceitem-se uns aos outros, da mesma forma que Cristo os aceitou, a fim de que
vocês glorifiquem a Deus.”

Paulo adverte aqui que as distinções raciais e de classe social não devem fazer qualquer
diferença entre cristãos, pois estas coisas são pontos meramente superficiais. A única coisa
importante é que se Deus aceitou alguém como filho, conseqüentemente devemos aceitá-lo
porque é um irmão em Jesus Cristo.

Versículos 8-9a...
“Pois eu lhes digo que Cristo se tornou servo dos que são da circuncisão, por amor à verdade
de Deus, para confirmar as promessas feitas aos patriarcas, a fim de que os gentios glorifiquem
a Deus por sua misericórdia”

Mais uma vez temos o exemplo de Jesus, lembre-se do que Ele disse certa ocasião aos seus
discípulos: “Tenho outras ovelhas que não são deste aprisco. É necessário que eu as conduza
também. Elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor.” – João 10:16.

Página 159 de 172


Paulo quer explicar como a congregação mista de judeus e gentios em Roma glorifica a Deus,
pois a veracidade Dele é confirmada pela conversão de judeus, e Sua misericórdia pela
salvação de gentios. O apóstolo então nos prova que a inclusão dos gentios na misericórdia de
Deus não foi uma “decisão de última hora”, e para isto dá uma série de testemunhos do Velho
Testamento...
(Geoffrey B. Wilson)

Versículos 9b-12...
“como está escrito: “Por isso, eu te louvarei entre os gentios; Cantarei louvores ao teu nome”
E também diz: “Cantem de alegria, ó gentios, com o povo dele”
E mais: “Louvem o Senhor, todos vocês, gentios; cantem louvores a ele todos os povos”
E Isaías também diz: “Brotará a raiz de Jessé, aquele que se levantará para reinar sobre os
gentios; estes colocarão nele a sua esperança”

Talvez este exemplo de Jesus em relação aos judeus e gentios não tenha muita importância
para você, porém sua aplicação cobre todos os problemas de diferenças raciais e de classe
social que encontramos em nossas igrejas hoje.

Agora outra vez, em apenas um verso, o verso 13, nós temos o resultado e a chave para tornar
isto possível:

d) o segredo para seguí-lo – v.13


“Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nEle, para que
vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo.”

Ao crermos em Deus e confiarmos em Sua ação em nossas vidas através do Espírito Santo,
Ele nos “enche de toda alegria e paz”.

Quando os cristãos vivem em harmonia apesar das diferenças, transbordam de esperança


porque...

 crêem que Deus pode transformá-las em bênçãos,


 vêem que esta habilidade de amar uns aos outros está no poder do Espírito Santo.

Bom estudo

Ary (in memoriam)

Página 160 de 172


LIÇÃO 48
ROMANOS 15

EXEMPLOS DE JESUS
PLANOS DE PAULO

I – Jesus: nosso grande exemplo – vs.1-13

II – Planos de Paulo – vs.14-33

Estamos chegando à parte final do nosso estudo sobre esta epístola aos Romanos, e esta
carta termina da mesma forma que começou: com uma palavra pessoal do apóstolo a respeito
de si mesmo, e sobre a igreja em Roma.

a) a igreja em Roma – vs. 14-16

Versículo 14...
“Meus irmãos, eu mesmo estou convencido de que vocês estão cheios de bondade e
plenamente instruídos, sendo capazes de aconselhar-se uns aos outros.”

Vemos aqui que a igreja romana possuía grandes qualidades, de modo que os cristãos podiam
fazer muitas coisas dentro de sua comunidade cristã e também influenciar a cidade de Roma.

Este versículo é extremamente importante para os que aconselham; veja como é necessário
estar muito bem preparado para aí então aconselhar alguém...
 “cheios de bondade” = atitude correta e amorosa
 “plenamente instruídos” = conhecer o que tema que vai abordar e também se inteirar do
problema que será enfrentado. É importante ouvir ambas as partes.
 “sendo capazes” = isto é, ter habilidade para lidar com o problema.

Versículos 15-16...
“A respeito de alguns assuntos, eu lhes escrevi com toda a franqueza, principalmente para
fazê-los lembrar-se novamente deles, por causa da graça que Deus me deu, de ser um
ministro de Cristo Jesus para os gentios, com o dever sacerdotal de proclamar o evangelho de
Deus, para que os gentios se tornem uma oferta aceitável a Deus, santificado pelo Espírito
Santo.”

Ray Stedman comentando este texto diz que Paulo reconheceu também que havia três coisas
que estes cristãos necessitavam - assim como todos nós...

 ser lembrados da verdade, isto é, ter suas mentes renovadas


 ter um exemplo a seguir
 lembrar que toda atividade cristã não tem nenhum proveito se não for santificada pelo
Espírito Santo.

Página 161 de 172


Perceba também o modo de Paulo confrontá-los: com firmeza e graça, que ele conhece muito
bem por tê-la experimentado em sua vida (veja I Cor 15:9-10).
Aliás, este é mais um dos requisitos indispensáveis para um conselheiro!

b) seu ministério – vs. 17-33

Você já parou para se perguntar qual a influência o Apóstolo Paulo tem em sua própria vida,
estudante?

Acompanhe o comentário de Ray Stedman sobre este texto...

Ele viveu há dois mil anos, no entanto não há um homem ou uma mulher entre nós que não
tiveram sua vida drasticamente afetada por este homem; o curso inteiro da história foi mudado
pelas verdades que ensinou. De fato, a própria história cristã foi construída em torno das cartas
e ensinos, doutrina e ministério deste apóstolo. Mesmo hoje podemos sentir o frescor de seu
espírito, a grandeza de sua mente, e a plenitude de seu coração!

Versículo 17...
“Portanto, eu me glorio em Cristo Jesus, em meu serviço a Deus.”

Quando Paulo chegava numa cidade, geralmente encontrava as pessoas desesperadas,


vazias, oprimidas dela autoridade romana; mas quando ele começava a pregar o evangelho, a
luz invadia a escuridão, as pessoas eram transformadas, descobriam o sentido de suas vidas e
começavam e viver pela primeira vez! E era nisto que Paulo se regozijava!

E você estudante...
 Em que consiste sua alegria de viver?
 O que lhe traz realização?
 Para que você está neste mundo?!

Versículo 18a...
“Não me atrevo a falar de nada, exceto daquilo que Cristo realizou por meu intermédio em
palavra e em ação”

Você nunca vê Paulo dizer o quanto ele fez para o Deus, ele sempre fala do quanto Deus fez
através dele, e este é o segredo de uma vida verdadeiramente eficaz! Ele levou cerca de dez
anos para aprender que sua mente brilhante, seus dons poderosos, sua personalidade e
grande influência eram de nenhum valor no serviço do Deus; e quando aprendeu esse
segredo, lançou-se neste grande ministério que mudou a história do mundo!

Quando um homem ou uma mulher – ainda nos dias de hoje - se dispõe a confiar no que Deus
pode fazer através de sua vida, não há nenhum limite ao que Deus pode fazer! Este é o
segredo do ministério de Paulo.

Página 162 de 172


Versículo 18b...
“...a fim de levar os gentios a obedecerem a Deus”

O objetivo do ministério de Paulo era levar os gentios a obedecerem “por palavras e por obras”
– como diz outra versão.

Creio que você se lembra das lições anteriores onde aprendemos que a graça de Cristo nos dá
liberdade, porém sem dar espaço para a libertinagem. Pobre daquele que aceita a Jesus como
Salvador e não o quer como Senhor de sua vida, pois ainda não entendeu – nem experimentou
- o evangelho da graça.

Versículo 19...
“...pelo poder de sinais e maravilhas e por meio do poder do Espírito de Deus. Assim, desde
Jerusalém e arredores, até o Ilírico, proclamei plenamente o evangelho de Cristo.”

Hoje não necessitamos mais de apóstolos, pois suas cartas e ensinamentos estão inteiramente
disponíveis a nós. Além disto temos o que Paulo menciona: o poder do Espírito Santo
impactando as vidas humanas. Veja II Cor. 3:1-3.

Versículos 20-21...
“Sempre fiz questão de pregar o evangelho onde Cristo ainda não era conhecido, de forma que
não estivesse edificando sobre alicerce de outro. Mas antes, como está escrito”: “Hão de vê-lo
aqueles que não tinham ouvido falar dele, e o entenderão aqueles que não o haviam escutado”

A natureza de seu ministério era abrir caminho, proclamar o evangelho em lugares ainda não
alcançados pelas boas novas. Ele nos mostra então como o colocava em prática...

Versículos 22-24...
“É por isso que muitas vezes fui impedido de chegar até vocês”.
Mas agora, não havendo nestas regiões nenhum lugar em que precise trabalhar, e visto que há
muitos anos anseio vê-los, planejo fazê-lo quando for à Espanha. “Espero visitá-los de
passagem e dar-lhes a oportunidade de me ajudarem em minha viagem para lá, depois de ter
desfrutado um pouco da companhia de vocês.”

Ele tinha um planejamento, por muitos anos desejou ir à Espanha e incluiu esta viagem em sua
programação.

Estes versículos tornam evidente que Paulo não permitiu que seu desejo pessoal de visitar
Roma interrompesse seu programa missionário. Não sabemos se Paulo acabou chegando à
Espanha, mas quando ele chegou a Roma foi em circunstâncias muito diferentes daquelas que
ele previa quando escreveu estas palavras. (Geoffrey B Wilson), e foi ali na cadeia que ele
levou Onésimo - escravo de Filemon - à Cristo. Deus pode nos usar aonde quer que
estejamos, num campo verde debaixo de uma bela palmeira!! ou até mesmo numa masmorra!

Página 163 de 172


Note que ele era guiado pelo Espírito Santo, tinha o coração disposto a seguir o “roteiro” de
Deus para seu ministério, mas ao mesmo tempo era um servo prático e empreendedor.

Versículos 25-28...
“Agora, porém, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos. Pois a Macedônia e a
Acaia tiveram a alegria de contribuir para os pobres dentre os santos de Jerusalém. Tiveram
prazer nisso, e de fato são devedores aos santos de Jerusalém. Pois, se os gentios
participaram das bênçãos espirituais dos judeus, devem também servir aos judeus com seus
bens materiais.
Assim, depois de completar essa tarefa e de ter a certeza de que eles receberam esse fruto,
irei à Espanha e visitarei vocês de passagem.

Paulo não somente planejava, mas também cumpria seus compromissos.

Antes que pudesse viajar à Espanha, ele tinha um último serviço à realizar: entregar a
contribuição que os cristãos gentios haviam feito para o alívio da comunidade de judeus
crentes em Jerusalém que sofria dificuldades.
(Geoffrey B Wilson)

Outro aspecto do caráter prático de seu ministério é sua confiança no poder do Deus.

Versículo 29...
“Sei que, quando for visitá-los, irei na plenitude da bênção de Cristo.”

A confiança de Paulo de que chegaria a eles “na plenitude da bênção de Cristo” foi
amplamente justificada pelos fatos, muito embora ele tenha chegado a Roma como prisioneiro,
imediatamente Cristo lhe abriu a porta de acesso aos judeus romanos. Veja Atos 28:17-31.
(Lenski)

É triste ver a quantidade de cristãos que usam o texto de Rm 8:28...


“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam”
...a fim de testificar em seus corações unicamente seus próprios propósitos e interesses... e
quando chegam doenças, crises, perdas e catástrofes, têm sua fé totalmente abalada!!

Pergunto à você, estudante...

 Em quê está firmada a sua fé?!

 Você tem firme convicção de que as circunstâncias não podem mudar o caráter de Deus?

 Você pode dizer como Paulo: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro”?!

Página 164 de 172


 O estudo da Palavra de Deus através destas lições de Romanos (espero que esta não seja
sua única fonte), tem feito diferença substancial em sua vida ou só lhe acrescentou
conhecimento intelectual?

Versículos 30-33...
“Recomendo-lhes, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que se
unam a mim em minha luta, orando a Deus em meu favor.
Orem para que eu esteja livre dos descrentes da Judéia e que o meu serviço em Jerusalém
seja aceitável aos santos, de forma que, pela vontade de Deus, eu os visite com alegria e
juntamente com vocês desfrute de um período de refrigério.
O Deus da paz seja com todos vocês. Amém.”

 O que estava por trás do ministério deste poderoso apóstolo?


 Por que tem perdurado dois mil anos?
 O que lhe abria as portas e dava acesso inclusive ao trono do imperador César?

Paulo diria que era por causa das orações dos cristãos em favor dele.

Como já estudamos, a vida é uma batalha e Paulo vê a oração como uma maneira da lutar
nesse combate. Ela é uma grande arma que pode fechar portas e abrir outras, remover
obstáculos, suportar a pressão e forças tremendas, além de levantar pessoas e sustentá-las
em pé!

Em Cristo, Ary (in memoriam)

Página 165 de 172


LIÇÃO 49
ROMANOS 16

CONCLUSÃO

I. Saudações pessoais – vs.1-24

Embora Paulo nunca tenha estado em Roma, ele tinha grandes amigos por lá. Este capítulo de
encerramento da carta de Paulo aos Romanos é muito pessoal, contudo é uma passagem
muito instrutiva a todos nós.

a) recomendação de Febe

Versículos 1-2...
“Recomendo-lhes nossa irmã Febe, serva da igreja em Cencréia.
Peço que a recebam no Senhor, de maneira digna dos santos, e lhe prestem a ajuda de que
venha a necessitar; pois tem sido de grande auxílio para muita gente, inclusive para mim.”

A maioria dos teólogos acha que a própria Febe seria a portadora desta carta a Roma, e por
isto a sua recomendação feita por Paulo. Naquela época não existiam os Correios, FEDEX, ou
outros sistemas de envio, portando eles costumavam enviar suas correspondências através de
amigos confiáveis que estavam em viagem.

b) cumprimentos aos irmãos – vs.1-16

Versículos 3-5a...
“Saúdem Priscila e Áqüila, meus colaboradores em Cristo Jesus. Arriscaram a vida por mim.
Sou grato a eles; não apenas eu, mas todas as igrejas dos gentios
Saúdem também a igreja que se reúne na casa deles”

A primeira saudação de Paulo é para o precioso casal que o hospedou em Corinto. (Atos 18:3).
“Quando Paulo os encontrou pela primeira vez tinham vindo recentemente de Roma, havendo
sido expulsos daquela cidade pelo decreto do imperador Cláudio, o qual ordenou que todos os
judeus deixassem Roma. Veja Atos 18:2.” (William Hendriksen)

Eram fabricantes de tendas assim como Paulo, e além de serem seus parceiros na
proclamação do evangelho, arriscaram suas vidas em favor dele – não se sabe em que
circunstâncias, pois não há outro registro a respeito. Especula-se que tenha ocorrido durante o
tumulto em Éfeso citado em Atos 19:23-41.

Este casal estava sempre à disposição do Senhor, abrindo agora em Roma sua casa para os
crentes se reunirem. Veja I Cor. 16:19

Página 166 de 172


Versículos 5b-12...
“Saúdem meu amado irmão Epêneto, que foi o primeiro convertido a Cristo na província da
Ásia. Saúdem Maria, que trabalhou arduamente por vocês.
Saúdem Andrônico e Júnias, meus parentes que estiveram na prisão comigo. São notáveis
entre os apóstolos, e estavam em Cristo antes de mim”.
Saúdem Amplíato, meu amado irmão no Senhor.
Saúdem Urbano, nosso cooperador em Cristo, e meu amado irmão Estáquis.
Saúdem Apeles, aprovado em Cristo. Saúdem os que pertencem à casa de Aristóbulo.
Saúdem Herodião, meu parente. Saúdem os da casa de Narciso, que estão no Senhor.
Saúdem Trifena e Trifosa, mulheres que trabalham arduamente no Senhor.Saúdem a amada
Pérside, outra que trabalhou arduamente no Senhor”

Além de Epêneto, por quem Paulo tinha uma afeição especial por ter sido o primeiro fruto do
evangelho na província romana na Ásia; muito pouco se sabe a respeito dos outros irmãos
citados neste trecho.

“meus parentes... estavam em Cristo antes de mim”


Teriam os parentes de Paulo, logo depois da conversão, dito um para o outro:
”Precisamos orar pelo nosso parente, o rabino Saulo de Tarso.
Deus pegando o coração dele, muita coisa pode acontecer no Reino”?!
Fica aí esta interrogação.

Versículo 13...
“Saúdem Rufo, eleito no Senhor, e sua mãe, que tem sido mãe também para mim.”

Neste verso encontramos algo interessante! Segundo Geoffrey B. Wilson...


“Como Marcos provavelmente escreveu seu evangelho em Roma, é quase certo que este Rufo
fosse o filho de Simão Cinereu, que carregou a cruz por Jesus (veja Marcos 15:21). Paulo
também saúda sua mãe com um toque de ternura que recorda com gratidão alguma ocasião
em que ela desempenhara o papel de mãe para ele.”

Versículos 14-15...
“Saúdem Asíncrito, Flegonte, Hermes, Pátrobas, Hermas e os irmãos que estão com eles.
Saúdem Filólogo, Júlia, Nereu e sua irmã, e também Olimpas e todos os santos que estão com
eles”
Embora nada se saiba a respeito deles, seus nomes sugerem que eram escravos.

Versículo 16a...
“Saúdem uns aos outros com beijo santo.”

Aproveito este verso para dar um exemplo prático de “algo indiferente” em sua prática,
conforme o que aprendemos no capítulo 15...

Página 167 de 172


Era comum no Oriente expressar afeição e confiança pelo “ósculo da paz”. O que Paulo está
dizendo aqui é que devemos manifestar amor cristão uns pelos outros, de acordo com nossos
costumes.

Não devemos concluir que só porque um costume existiu na igreja primitiva e teve o apoio
apostólico, este deve ser seguido até os dias de hoje! Como observa Hodge... “Estes costumes
muitas vezes nasciam de circunstâncias locais ou hábitos anteriores, ou eram apenas modos
convencionais de se expressar certos sentimentos, e nunca se pretendeu que fossem
universalmente obrigatórios”.

Como afirma Geoffrey B Wilson...


“Este é apenas um exemplo; há muitas outras coisas ligadas à maneira de se conduzir o culto,
com a administração do batismo e da Ceia do Senhor, comuns nas igrejas apostólicas, que
deixaram de ser praticadas”.
O cristianismo é um princípio vivo, e nunca se pretendeu que fosse confinado à formas fixas.”

Versículo 16b...
“Todas as igrejas de Cristo enviam-lhes saudações.”

Em suas viagens Paulo conheceu muitas igrejas; e é natural que ele gostasse de transmitir
saudações de umas para as outras, pois ele sempre pregou a unidade de todos os crentes em
Cristo.

c) uma advertência final – vs.17-20

Versículos 17-18...
“Recomendo-lhes, irmãos, que tomem cuidado com aqueles que causam divisões e colocam
obstáculos ao ensino que vocês têm recebido. Afastem-se deles.
Pois essas pessoas não estão servindo a Cristo, nosso Senhor, mas a seus próprios apetites.
Mediante palavras suaves e bajulação, enganam o coração dos ingênuos.

Aqui Paulo faz referência aos “falsos cristãos”...


Alguma semelhança com os dias de hoje?! A Bíblia é contemporânea, hein!
...que podem ser encontrados em qualquer igreja, independente de época ou lugar. Eles
distorcem “coisas essenciais” (lembra do cap. 14?), isto é, propagam doutrinas contrárias à
Palavra de Deus, causando divisões e desviando outros irmãos.

A respeito deles, William Hendriksen comenta...


“Fazem uso de fala macia e bajulatória, conforme Judas 16. São o que alguns considerariam
como “oradores eloquentes”, ainda que na realidade são “trapaceiros polidos”. São
enganadores, pois levam as pessoas a desviar-se da plenitude da salvação em Jesus Cristo...
muitos corações são desviados por estes charlatães.”

Qual a orientação que Paulo nos dá a respeito deles?!

Página 168 de 172


Devemos evitá-los, não lhes dar atenção, muito menos entregar-lhes nossos corações... ou
ouvidos!

Versículos 19-20...
Todos têm ouvido falar da obediência de vocês, por isso estou muito alegre; mas quero que
sejam sábios em relação ao que é bom, e sem malícia em relação ao que é mau.
Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês.
A graça do nosso Senhor Jesus seja com vocês”.

Segundo William Hendriksen, Paulo está nos dizendo...


“Vivam de tal maneira que sejam qualificados para a tarefa de escolher o que é bom aos olhos
de Deus e sejam inocentes ou ingênuos acerca do que é mal. Sejam sábios com o propósito de
fazer e promover o que é certo, e não deixar-se “confundir” com algo que, à vista de Deus é
mal...
Ajam da seguinte maneira: tenham cuidado, evitem, obedeçam, sejam sábios e sejam
inocentes. Em outros termos: assumam sua responsabilidade!”

Quanto a Satanás, Deus cumprirá a promessa de Gênesis 3:15; e os santos participarão desta
vitória! Veja Ap. 19:13-14.

d) companheiros de Paulo – vs.21-24


“Timóteo, meu cooperador, envia-lhes saudações, bem como Lúcio, Jasom e Sosípatro, meus
parentes.
Eu, Tércio, que redigi esta carta, saúdo vocês no Senhor.
Gaio, cuja hospitalidade eu e toda a igreja desfrutamos, envia-lhes saudações. Erasto,
administrador da cidade, e nosso irmão Quarto enviam-lhes saudações.
Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com vocês todos. Amém.”

Aqui quem manda saudações são os amigos de Paulo que estão em ele em Corinto. Note que
naquela época era comum que o autor de uma carta tivesse um secretário, que ao final
assinava e às vezes acrescentava algumas palavras.
II. Doxologia conclusiva – vs.25-27
A carta termina com uma maravilhosa dedicação do apóstolo ao único Deus.
É muito provável que ele tenha escrito este trecho de próprio punho, como era seu costume.
(confira em Gálatas 6:11).

Versículo 25a...
“Ora, àquele que tem poder para confirmá-los (fortalecê-los) pelo meu evangelho e pela
proclamação de Jesus Cristo”
Assim como no verso 1:11 (abra a sua Bíblia e vá conferir!), Paulo aqui se refere ao
fortalecimento espiritual, o que pode ser traduzido também por confirmação... e não ao
recebimento de algum dom carismático, tal como falar em línguas.
Deus age poderosamente em nossas vidas nos fortalecendo através da Sua Palavra. Se você
quiser experimentar o poder sobrenatural Dele em sua vida, estude a Bíblia! Quantos crentes
ficam de lá para cá, de igreja em igreja, correndo atrás de uma “benção especial” – que não
existe – a fim de “revolucionar” sua vida espiritual!

Página 169 de 172


Estudante, “O Caminho, A Verdade e A Vida” é tão simples que até uma criança pode
entender; e meu sincero desejo é que você tenha isto bem claro em sua mente e coração, a
esta altura do estudo...
 é através do evangelho (que Paulo chama de “meu” porque foi revelado a ele),
 e sobretudo pela proclamação de Jesus Cristo (porque é somente revestindo-se Dele, para
que Ele viva através de nós), é que podemos viver uma experiência com Deus!

Versículos 25b-26...
“...de acordo com a revelação do mistério oculto nos tempos passados, mas agora revelado e
dado a conhecer pelas Escrituras proféticas por ordem do Deus eterno, para que todas as
nações venham a crer nEle e a obedecer-lhE;”
Ual! Que mistério era este?!

Geoffrey B. Wilson nos explica que “Antes da vinda de Cristo, sua mensagem havida sido
confinada a Israel, mas o cumprimento da esperança do Velho Testamento em Cristo tornou
suas palavras significativas para o mundo todo (I Pe 1:10-12); e esta grande mudança
aconteceu de acordo com o mandamento do Deus eterno objetivando o Seu propósito eterno,
ou seja, que o evangelho fosse proclamado a todas as nações para trazê-las à obediência da
fé (Rm 1:5).”
Denney acrescenta... “Aquele que projetou este grande plano de salvação é “o único Deus
sábio”, e é em virtude de ter este caráter de Ele é capaz de confirmar – fortalecer
espiritualmente - os romanos segundo o evangelho de Paulo”.
Quero lembrar-lhe que vivemos a revelação deste grande mistério ainda hoje: quando
compartilhamos, testemunhamos Jesus Cristo através da nossa vida, somos fortalecidos no
Senhor!

Versículo 27...
“Sim, ao único Deus sábio seja dada glória para todo o sempre, por meio de Jesus Cristo.
Amém.”

O fato de Deus poder – e estar disposto - a resgatar nós pecadores, fixa a atenção de Paulo na
sabedoria divina, ou seja, na habilidade de Deus em empregar os melhores meios para a
obtenção do mais elevado alvo, a saber, a glória de Deus sendo-lhe atribuída pelo coração,
pela vida, e pelos lábios dos redimidos (William Hendriksen).
Ao único Deus, através da mediação de Jesus Cristo, que toda a glória deve ser dada para
sempre. Amém.SOLI DEO GLORIA
Estudante Dedicado
Sou grato à Deus pelo privilégio de ter sido um instrumento Dele em sua vida! Foi um grande
prazer direcioná-lo neste estudo esmiuçado do livro de Romanos, meu desejo é que esta
experiência o estimule a continuar neste infindável deleite na Palavra do Senhor.
Não sei se você se lembra, mas quando o convidei para esta jornada, avisei que: “É impossível
estudar Romanos e ser a mesma pessoa!”
Você concorda?!
Então compartilhe conosco seu testemunho através do e-mail romanos@ibmorumbi.com.br
Minha oração é que sua vida tenha sido transformada, e que você seja uma testemunha viva
de Jesus Cristo aonde quer que vá!

Página 170 de 172


TESTE FINAL
(não me envie pois não haverá correção ou gabarito)

I – PARTE TEÓRICA (responda sem consultar a Bíblia ou lições anteriores)

D. Complete

Romanos foi escrita na cidade de ______________, por ____________, tendo como


amanuense _____________, no ano ______________.

(0,5 para cada resposta certa. Total = 2).

E. Cite os capítulos relacionados seguindo o exemplo...


Capítulo 5: Frutos da justificação
Capítulo _____: Renovação da mente
Capítulo _____: Depravação do homem
Capítulo _____: Obediência às autoridades
Capítulo _____: Virtudes recomendadas
Capítulo _____: Coisas duvidosas
Capítulo _____: Predestinação
Capítulo _____: O velho homem
Capítulo _____: O evangelho da justificação pela fé
Capítulo _____: A incredulidade dos judeus
Capítulo _____: A tolerância para com os fracos na fé
Capítulo _____: Os dons espirituais
Capítulo _____: Abraão e Davi
Capítulo _____: A resposta de Paulo às objeções
Capítulo _____: “O justo viverá pela fé”
Capítulo _____: Justificação
Capítulo _____: “Se Deus é por nós quem será contra nós”
Capítulo _____: Os julgamentos de Deus
Capítulo _____: “Não há justo, nem um sequer”
Capítulo _____: O desejo de Paulo de ir a Roma
Capítulo _____: Salvação não é pelas obras

(0,25 para cada resposta certa. Total = 5).

F. Sintetize numa frase, o conteúdo dos capítulos:


Cap. 8 - ____________________________________________________
Cap. 12 - ___________________________________________________
Cap. 3 - ____________________________________________________
Cap. 1 - ____________________________________________________
Cap. 5 - ____________________________________________________
(0,3 para cada resposta certa. Total = 1,5)
D. Defina sem consultar o dicionário...

Página 171 de 172


6. Justificação
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

7. Paz
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

8. Evangelho
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

9. Redenção
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

10. Propiciação
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

(0,3 para cada resposta certa. Total = 1,5).


...................................................................................................................................

Como você se saiu?


Será que precisa estudar mais?!

Quem sabe você irá ensinar Romanos muitas e muitas vezes...


Não diga como Moises: “Quem sou eu?!”

II – PARTE PRÁTICA

Esta, dedicado estudante, é entre você e Deus!


Em Cristo, Ary Velloso (in memoriam)

.........................................................................................................................................................
Você deseja participar do Estudo de Efésios?
Inscreva-se através do link http://www.ibmorumbi.com.br/efesios/ Participe!

Página 172 de 172

Interesses relacionados