Você está na página 1de 6

Resumo de Anatomia Locomotora – AV1 – Estácio – Heloísa Nogueira

Crânio:
1) Neurocrânio (caixa craniana; protegem o crânio): Frontal, Parietais (2), Temporais (2), Occipital, Etmóide e Esfenóide.
Era chamado de caixa craniana, pois o encéfalo (cérebro) fica alojado dentro dele. Os Parietais formam a abóbada do
crânio, ou calota craniana ou calvário, onde fica a fontanela (entre frontal e os dois parietais). O occipital forma o
assoalho do crânio, ou base. O Esfenóide vai de um lado a outro do crânio, tem forma de morcego (com asa menor e
asa maior). O Etmóide fica no centro do crânio e é distribuído para várias partes do crânio.
O Temporal é dividido em porções: Mastóidea, Timpânica, Escamosa (próxima a sutura escamosa) e Petrosa (tem
muita importância na radiologia pois tem grande quantidade de massa óssea, alta densidade, sendo usada como ponto
de referência).
2) Viscerocrânio (ossos da face; protegem as vísceras sensoriais): Nasais, Lacrimais, Maxilas (2 articuladas por uma
sutura), Zigomáticos, Vômer, Conchas nasais inferiores, Palatinos e Mandíbula. O vômer está na cavidade nasal,
formando o septo inferior, ele é importante por permitir que seja formado um turbilhão no nariz quando o ar entra,
isso torna possível a formação de mucosa que irá umedecer e aquecer o ar. A MANDÍBULA é formada por tr~es regiões:
Corpo, ângulo e ramo.
3) Acidentes ósseos: Projeções e reentrâncias na superfície dos ossos que tem várias finalidades, como para prender
tendões e ligamentos. Forame = Buraco na superfície do osso. Incisura = curvatura acentuada na borda do osso. Borda
ou Margem = extremidade de um osso. Côndilo = Projeção óssea arredondada lembrando uma luva de boxe. Seio =
Compartimento de ar dentro do osso, deixam o crânio mais leve e fazem a caixa de ressonância dos sons. Processo =
projeção óssea que serve geralmente para fixar músculos e ligamentos.
4) Acidentes ósseos relevantes:
-Seios Paranasais: Presentes nos ossos pneumáticos. Quando há inflamação nos seios, o som fica nasal, como na gripe ou na
sinusite. Quando temos infecção os microorganismos tendem a ir para os seios, gerando aumento de secreção, como tentativa
de expulsar os microorganismos. A secreção é viscosa e pode entupir o canal de escoamento, gerando um aumento da pressão
nos seios, o que gera dor de cabeça e os demais sintomas da SINUSITE.
-Linhas Temporais (superior e inferior): Ficam no osso PARIETAL e servem para fixação do músculo temporal, que é muito
importante na articulação Temporomandibular, além de ser um músculo da mastigação.
-Fossa Mandibular: Fica no osso TEMPORAL e é uma curvatura onde o osso da mandíbula se encaixa, formando a ATM
(Articulação Temporomandibular).
-Processo Mastóide: Fica no osso TEMPORAL e é a projeção que sentimos atrás do ouvido, possui pequenos seios interligados ao
canal auditivo. Logo atrás dele estão as meninges, onde ocorre a meningite (risco de vida em caso de lesão desse processo). Esse
processo fixa o músculo ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO que participa dos movimentos de rotação e flexão da cabeça.
-Tubérculo Articular: Fica no osso TEMPORAL e serve de suporte para o ligamento temporo-mandibular lateral e medial. O
tubérculo é uma projeção óssea bem pequena que também participa da ATM.
-Processo Estilóide: Fica no osso TEMPORAL, tem forma de estilete, é pontiagudo e facilmente quebrado por ser muito fino. É
importante para a ATM pois fixa o ligamento estilomandibular.
-Linhas Nucais (superior e inferior): Ficam no osso OCCIPITAL, fixam os ligamentos que participam da articulação Atlanto-
occipital. No centro das linhas existe a protuberância occiptal externa (maior e mais visível em homens).
-Forame Magno: Fica no osso OCCIPITAL e é o maior buraco do crânio e o 2° maior do corpo humano. Por ele passa a medula
espinal, local onde qualquer lesão pode levar ao óbito ou a tetraplegia.
-Côndilos Occipitais: Ficam no osso OCCIPTAL, são duas projeções arredondadas na borda do forame magno, eles se encaixam
com a face articular superior da primeira vértebra cervical (ATLAS), formando a Articulação Atlanto-occipital.
-Processos Pterigóides: Ficam no osso esfenóide, possuem duas lâminas cada (uma lateral e uma medial). Eles fixam os
músculos pterigóides (lateral e medial) e o Ligamento Pterigomandibular, importante para a ATM.
-Arco Zigomático: Fica no osso ZIGOMÁTICO e fixa o músculo MASSETER, principal músculo da mastigação.
-Processo Condilar: Fica no osso da MANDÍBULA, na região do RAMO. Se encaixa na fossa mandibular, formando a ATM.
-Processo Coronóide: Fica no osso da MANDÍBULA, na região do RAMO. Fixa o Músculo temporal (da mastigação).
5) Articulações da cabeça:
-Suturas: Ficam no crânio e são um tipo de articulação sinartrose ou fibrosa. São elas: Sagital (ou Interparietais), Coronal (ou
Frontoparietais, Escamosa e Lambdóide.
-Articulação Temporomandibular: É uma articulação sinovial (diartrose) que combina a classificação do tipo gínglimo (porque
faz a elevação e depressão da cabeça) e plana (porque faz o deslizamento, a lateralização da mandíbula). É a única articulação
móvel do crânio. Constituída por um conjunto de acidentes ósseos que, com a participação de grupos musculares especiais,
possibilita que a mandíbula execute vários movimentos durante a mastigação. Responsável pelos movimentos da mandíbula de
abrir e fechar a boca.
Dela participam os seguintes acidentes ósseos: Fossa mandibular, Tubérculo articular, Processo coronóide, Incisura
Mandibular e Processo Condilar (composto por cabeça e colo).
Seus componentes articulares são: Cápsula Articular (membrana que envolve a articulação contendo em seu interior o líquido
sinovial ou sinóvia); Disco Articular ou menisco (Disco fibrocartilaginoso que separa cartilagem articular em compartimento
superior e inferior, cada um com sua membrana sinovial. Fica entre os ossos articulados; e os Ligamentos próprios:
Temporomandibular (lateral e medial, se prendem no tubérculo articular e no colo da mandíbula), Estilomandibular (PROC
ESTILÓIDE – ÂNGULO DA MANDÍBULA), Esfenomandibular (ESFENÓIDE – CORPO DA MANDÍBULA) e Pterigomandibular (PROC.
PTERIGÓIDE – ATRAS DO ULTIMO DENTE), esses três últimos evitam a depressão exagerada da mandíbula e estabilizam a
lateralização da mesma.
-Articulação Atlanto-Occipital Lateral: Faz os movimentos de flexão e extensão da cabeça. Os acidentes ósseos envolvidos são
os Côndilos occipitais (osso occipital) e o Processo Articular ou Face Articular superior (osso Atlas).
Seus componentes são: Cápsula articular, Membrana Atlanto-occipital anterior (protege a medula espinal), Ligamento
Longitudinal anterior (evita que uma vérbetra se desloque para frente), Ligamento longitudinal posterior (evita que uma
vértebra se desloque para trás e Ligamento Atlanto-Occipital Posterior.

6) Músculos que auxiliam na mastigação: Origem é o ponto fixo onde não ocorre movimento e a INSERÇÃO é o ponto que
aplica o movimento.
- M. ORBICULAR DA BOCA = O: Mandíbula e maxilas (pele). I: Epitélio do ângulo da boca. A: Fecha e protrai os lábios.
- M. BUCINADOR = O: Processos alveolares. I: M. orbicular da boca. A: Deslocar o alimento do vestíbulo (sopro e sucção).

7) Músculos da Mastigação:
-M. MASSETER = O: Arco zigomático. I: Ângulo e ramo da mandíbula. A: Eleva e protrai (leva a frente) a mandíbula. N: N.
massetérico. Principal músculo da mastigação é o AGONISTA do movimento.
-M. TEMPORAL = O: Linha temporal inferior. I: P. coronóide e ramo da mandíbula. A: Eleva e retrai (leva para trás) a mandíbula.
Auziliar do masseter é o SINERGISTA do movimento.
-M. PETRIGÓIDEO MEDIAL = O: P. pterigóide. I: Ângulo e ramo da mandíbula (face medial). A: Eleva e protrai a mandíbula.
-M. PTERIGÓIDEO LATERAL = O: P. pterigóide e asa maior. I: Fossa pterigóidea do p. condilar (colo). A: Eleva, protrai e lateraliza.
Ele é o principal da lateralização da mandíbula e também é sinergista do masseter, pois o ajuda na elevação da mandíbula.

8) Músculos da Mímica:
-M. OCCIPTO-FRONTAL = Músculo epicrânio, músculo do couro cabeludo. VENTRE FRONTAL: O: Pele e mm. acima da margem
supra-orbital. I: Aponeurose epicrânica. A: Movimenta o couro cabeludo anteriormente, eleva as sobrancelhas e franze a testa.
VENTRE OCCIPITAL: O: Occipital (linha nucal) e processo mastóide. I: Aponeurose epicrânica. A: Movimenta o couro cabeludo
posteriormente.
-M. ORBICULAR DA BOCA
-M. ZIGOMÁTICO MAIOR = O: Arco zigomático. I: Ângulo da boca (pele e m. orbicular). A: Eleva e lateraliza o ângulo da boca.
-M. ZIGOMÁTICO MENOR = O: Arco zigomático. I: Lábio superior. A: Eleva o lábio superior, expondo os dentes.
-M. LEVANTADOR DO LÁBIO SUPERIOR = O: Maxila (acima do forame infra-orbital). I: Lábio superior (pele e m. orbicular). A:
Eleva o lábio superior.
-M. LEVANTADOR DO ÂNGULO DA BOCA = O: Maxila (abaixo do forame infra-orbital). I: Ângulo da boca e lábio inferior. A: Eleva
e lateraliza o ângulo da boca.
-M. ABAIXADOR DO LÁBIO INFERIOR = O: Mandíbula. I: Lábio inferior (pele). A: Abaixa o lábio inferior.
-M. BUCINADOR
-M. ABAIXADOR DO ÂNGULO DA BOCA = O: Mandíbula. I: Ângulo da boca (pele e m. orbicular). A: Deprime e lateraliza o ângulo
da boca.
-M. RISÓRIO = O: Fáscia parotídeomassetérica. I: Ângulo da boca (pele). A: Puxa o ângulo da boca lateralmente.
-M. MENTAL = O: Mandíbula. I: Mento (pele). A: Deprime e protrai o lábio inferior.
-M. ORBICULAR DO OLHO = O: Parede medial da orbital. I: Pálpebra. A: Piscar dos olhos e comprime o saco lacrimal.
-M. CORRUGADOR DO SUPERCÍLIO = O: Arco superciliar (frontal). I: Pele do supercílio. A: Deprime a sobrancelha e franze a
fronte.
-M. PRÓCERO = O: Nasais e cartilagem lateral. I: Pele da glabela. A: Forma pregas na pele acima da glabela.
-M. ABAIXADOR DO SUPERCÍLIO = O: P. maxila do frontal. I: Pele do supercílio. A: Deprime a sobrancelha e franze a fronte.
-M. LEVANTADOR DA PÁLPEBRA SUPERIOR = O: Teto da órbita (asa maior do esfenóide). I: Pálpebra superior. A: Eleva a
pálpebra superior.
-M. AURICULAR ANTERIOR = O: Fáscia temporal. I: Hélice da orelha. A: Traciona a orelha para cima e para frente.
-M. AURICULAR SUPERIOR = O: Aponeurose epicrânica. I: Porção superior da orelha. A: Elevam a orelha.
-M. AURICULAR POSTERIOR = O: Processo mastóide. I: Convexidade da concha da orelha. A: Traciona a orelha para cima e para
trás.
-M. LEVANTADOR DO LÁBIO SUPERIOR E DA ASA DO NARIZ = O: Processo frontal da maxila. I: Lábio superior e cartilagem alar
do nariz. A: Eleva o lábio superior e dilata a narina.
-M. NASAL = O: Maxilas. I: Cartilagens nasais. A: Alarga as narinas, movimentando as asas ao septo.
-M. ABAIXADOR DO SEPTO DO NARIZ = O: Eminências alveolares dos incisivos (Maxilas). I: Cartilagens septal e alar maior. A:
Traciona para baixo o ápice do nariz.

Pescoço e Tronco:
1) Músculos do Pescoço:
-M. PLATISMA = O: Linha oblíqua da mandíbula. I: Pele e tecido subcutâneo do pescoço; Fáscia dos mm. Peitoral maior e
deltoide. A: Estica a pele do pescoço. Ele recobre o Músculo Esternocleidomastóideo, tem mais função de proteção do que de
movimentação. É bem delgado (fino) e tem uma grande aderência a pele. Se fixa no M. Peitoral maior e na clavícula. Protege
diversas estruturas do pescoço.
-M. ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO = O: Esterno e clavícula. I: Processo mastóideo e linha nucal superior. A: Flexão lateral, da
coluna cervical e rotação. Também já foi chamado de ECOM (esternocleidoccipitomastóideo). Ele é o agonista dos movimentos
da Articulação Atlanto-occipital Lateral.
-MM. PRÉ VERTEBRAIS = O: P. Transverso (C3-C5) e corpo vertebral (C5-T3). I: Arco anterior do Atlas, P. Transversos (C5 e C6),
corpo vertebral (C2-C4). A: Flexiona o pescoço e inclina e gira a cabeça para o mesmo lado. Auxiliam o ECOM em todos os
movimentos da cabeça.
-M. RETO POSTERIOR DA CABEÇA (menor e maior) = O: P. Espinhoso da C1 (menor) e da C2 (maior). I: Linha nucal inferior do
Occipital. A: Rotação e estensão da cabeça.
-M. RETO LATERAL DA CABEÇA = O: Lâmina da C1. I: Parte basilar do Occipital. A: Flexão (anterior e lateral) da cabeça.
-M. RETO ANTERIOR DA CABEÇA = O: P. Transverso da C1. I: Parte basilar do Occipital. A: Flexão (anterior e lateral) da cabeça.
-MM. ESCALENOS = Importantes principalmente para a lateralização da cabeça. Tem origem na coluna cervical e inserção nas
duas primeiras costelas. São eles: ANTERIOR, MÉDIO E POSTERIOR. Eles elevam as costelas, inclinando e girando o pescoço.

2) Divisão da coluna vertebral: Toda a mobilidade da coluna ocorre através das faces articulares das vértebras.
Lordose = Curvatura a frente, surge com
três meses de idade, ou seja, é secundária
(surge depois do nascimento). É natural da
coluna, é ela que nos mantém bípedes.

Cirfose = Curvatura na região lombar, é


uma curvatura primária, já nascemos com
ela. Está presente também na região sacro-
coccígea.

Escoliose = Curvatura lateral de origem


patológica que ocorre na região torácica. O
ombro fica mais baixo do que o outro.

Na região SACRAL há uma grande variação


entre 4 ou 5 vértebras, essa região passa
por um processo de fusão formando o osso sacro. Esse processo ocorre ao longo dos 7 primeiros anos de vida, mas é possível
haver falta de calcificação entre a 1ª e a 2ª vértebras, nos adultos.
Na região COCCÍGEA (4 vértebras) também ocorre calcificação das vértebras formando um só osso, o cóccix. Ele é formado
por vértebras ditas vestigiais, não tem nenhuma utilidade fisiológica. A medula espinal termina antes da região coccígea. No
final da medula existe um ligamento chamado TERMINAL, que desce pelo sacro e se prende na Co1, serve para manter a medula
esticada. Se houver rompimento desse ligamento ocorre tetraplegia ou até a morte.

3) Vértebras Cervicais Atípicas:


-C1 – ATLAS: É a primeira vértebra da Coluna Cervical. Não apresenta corpo vertebral e nem processo espinhoso. Seus acidentes
ósseos são: Face articular superior e inferior, Tubérculo anterior e posterior, Arco vertebral anterior e posterior e Fóvea do
dente (aonde o dente da segunda vértebra – ÁXIS – vai se articular).
-C2 – ÁXIS: É a segunda vértebra da Coluna Cervical. Essa, por sua vez, possui corpo, que fica abaixo de seu único acidente ósseo
importante, o DENTE do áxis (que se articula com a fóvea do dente do ATLAS.
4) Vértebras Cervicais Típicas:
-C3-C6: Possuem processo espinhoso bífido, forame vertebral oval, Face articular superior e inferior, Forames transversos
(localizados nos processos transversos, por eles passam a artéria vertebral que irriga o encéfalo junto com a A. carótida interna),
Lâmina do arco vertebral, Pedículo do arco vertebral (há um tecido nobre e em caso de fraturas pode lesionar a medula,
gerando tetraplegia) e Corpo Vertebral retangular.
-Proeminente C7: Se diferencia das demais por possuir um processo espinhoso muito longo e horizontal, além de um tubérculo
na ponta do processo espinhoso.
5) Vértebras Torácicas (T1 – T12): Possuem processo espinhoso longo e curvo obliquamente, processo transverso bastante
volumoso, fóveas costais (onde as costelas irão se articular), forame vertebral arredondado e corpo vertebral arredondado.
Elas são as únicas que se articulam com as costelas formando uma articulação sinovial plana em que as costelas deslizam nas
fóveas costais. Por esse motivo essas vértebras são as únicas que possuem fóveas costais e processos transversos volumosos
(para aguentar o peso das costelas).
6) Vértebras Lombares (L1 - L5): Possuem corpo vertebral bastante volumoso e oval, processo espinhoso curto e
quadrangular, forame vertebral diminuto e triangular e processo transverso delgado.
7) Sacro (S1 – S5):

8) Cóccix: Possui os Cornos Coccígenos e os Processos Transversos.


9) Osso Esterno: Dividido em Manúbrio, Corpo e Processo Xifóide. Seus acidentes são: Ângulo Esternal, Fóveas Costais,
Incisura Jugular e Incisuras Claviculares.
10) Costelas: Podem ser verdadeiras (sete primeiras, pois se ligam diretamente e individualmente ao osso esterno), Falsas
(8ª, 9ª e 10ª, são as que se articulam com o esterno através de um bloco de cartilagem chamado borda costal) e Flutuantes (11ª
e 12ª, são as que não se articulam com o esterno, podendo ser retiradas sem gerar nenhum dano).
As costelas são divididas em: Cabeça, ângulo e Corpo. Seus acidentes são: Cabeça (faces articulares do corpo), Colo, Tubérculo
(Faces articulares do processo transverso) e sulco costal.

11) Articulações da Coluna:


-SÍNFISE INTERVERTEBRAL: É uma articulação anfiartrose cartilaginosa tipo sínfise, também chamada de disco intervertebral.
Tem o objetivo de amortecer os impactos entre as vértebras. É composta por uma parte externa (fibrocartilagem) bem
resistente chamada de ANEL FIBROSO; e uma parte interna fluida (cartilagem hialina) chamada de NÚCLEO PULPOSO.
Como o núcleo pulposo é fluido existe a possibilidade de movimentação, o que acontece quando uma das vértebras se
movimenta. Má postura, falta de exercícios e falta de massa muscular podem gerar esse problema, conhecido como HÉRNIA DE
DISCO.
Seus ligamentos são: Longitudinal Posterior e Anterior envolvem as vértebras em toda a extensão da coluna vertebral.
Ligamento Intertransversário (linha fibrosa entre os processos transversos); Ligamento Supra-Espinal (sobre os processos
espinhosos limitando o movimento de flexão do tronco); Ligamento Amarelo (além de fazer parte das duas articulações fica
posicionado de forma que dá suporte e proteção a medula espinal, une as lâminas vertebrais das vértebras); e Ligamento
Interespinal
-ARTICULAÇÕES UNCOVERTEBRAIS: Entre os uncos dos corpos vertebrais das vértebras CIII – CVI (CVII) e as superfícies infero-
laterais dos corpos vertebrais superiores.
-ARTICULAÇÃO ATLANTOAXIAL MEDIANA (OU MEDIAL): Articulação que ocorre entre a primeira vértebra (ATLAS) e a segunda
(ÁXIS). É sinovial trocóidea. Permite-nos o movimento de rotação da cabeça. O dente do Áxis forma um eixo onde o crânio roda
sobre esse eixo. Os acidentes que o formam são: fóvea do dente, face articular anterior do dente e ápice do dente do áxis.
Seus ligamentos são: Ligamento Alar (limita a rotação da cabeça a 180°), Ligamento do ápice do dente, Ligamento Cruciforme
do Atlas e Ligamento Transverso do Atlas. O Atlas gira sobre o dente, acompanhando a rotação do crânio, por esse motivo há
cartilagem em volta de todo o dente do áxis. Essa cartilagem permite o deslizamento do ligamento transverso do atlas.
-ARTICULAÇÕES DOS PROCESSOS ARTICULARES: São articulações também chamadas de zigoapofisiais, são sinoviais e planas.
Possuem cápsula e cartilagem articulares. Única articulação móvel da coluna
-ARTICULAÇÃO LOMBOSACRAL: Sínfise intervertebral + Zigoapofisial. Seu ligamento é: Ligamento ileolombar (entre o osso
pélvico e a vértebra lombar, prende o processo transverso da L5 na região ilíaca, com o objetivo de manter a vértebra
posicionada adequadamente com o quadril). Associa a sínfise intervertebral entre a L5 e o sacro com a zigoapofisial
-ARTICULAÇÃO SACROILÍACA: É sinovial plana, ocorre entre o sacro e o osso pélvico. Ocorre entre as faces articulares dos dois
ossos. Como no osso pélvico a borda de encaixe é um pouco elevada, o movimento desse osso é mínimo e só ocorre na hora do
parto ou em caso de fraturas e acidentes. Seus ligamentos são: Sacroilíaco Posterior (forma a cápsula articular, junto com o
Sacroilíaco Anterior), Sacroilíacos Interósseos e:

Espinha esquiática + sacro =


Lig. Sacroespinal

Tuberosidade esquiática +
sacro = Lig. Sacrotuberal

-ARTICULAÇÃO SACROCOCCÍGEA: Do tipo sínfise. Algumas vezes encontramos, no lugar da cartilagem, um tecido conjuntivo
fibroso. Ela evita fraturas no cóccix e favorece o movimento do bebê na hora do parto. Seus ligamentos: Lig. sacrococcígeo
posterior superficial, Lig. sacrococcígeo posterior profundo, Lig. sacrococcígeo anterior e Lig. sacrococcígeo lateral.

12) Articulações do Tronco:


-ARTICULAÇÕES ESTERNOCOSTAIS: É cartilaginosa sincondrose. Seus ligamentos são: Lig. Costoclavicular (fica entre a costela e a
clavícula e é muito importante para a 1ª costela e também para a clavícula, estabilizando duas articulações (esternocostal e
esternoclavicular); Lig. Esternocostal intrarticular (diminui os movimentos, fica entre as costelas e o osso esterno); Lig.
Esternocostais radiados.
-SÍNFISE MANÚBRIOESTERNAL: Entre o Manúbrio do esterno e seu corpo. É uma sínfise, há uma cartilagem entre os dois, ou
uma calcificação (ocorre com o tempo). Essa área do osso representa o ângulo esternal que é uma importante referência para
cirurgias cardíacas pois fica na altura dos vasos da base.
-ARTICULAÇÕES COSTOVERTEBRAIS: Entre as costelas e as vértebras torácicas. São articulações sinoviais planas. Seus
ligamentos são: Lig. Costotransversal lateral; Lig. Costotransversal superior (fica entre as costelas); Lig. Radiado (lembra uma
cápsula articular, é como uma saia que envolve a área e fixa a cartilagem ao osso); Lig. Intra-articular (prende a costela ao disco
intervertebral).

13) Músculos do tórax:


-M. PEITORAL MAIOR = O: Clavícula, esterno e bainha do reto. I: Tubérculo maior do Úmero. A: Flexão, adução e rotação medial.
-M. PEITORAL MENOR = O: 3ª a 5ª costelas. I: Processo coracóide (escápula). A: Abaixa a escápula.
-M. SERRÁTIL ANTERIOR = O: 1ª a 9ª costelas. I: Margem medial da escápula. A: Move latero-anteriormente e roda lateralmente
a escápula.

14) Músculos da Respiração:


-M. DIAFRAGMA = O: 7ª a 12ª costelas, L1 – L3 e p. xifóide. I: Centro tendíneo. A: Alonga o cavidade torácica comprimindo os
órgãos abdominais.
-M. INTERCOSTAL EXTERNO = O: Margem inferior da costela. I: Margem superior da costela. A: Eleva as costelas (inspiração).
-M. INTERCOSTAL INTERNO = O: Margem superior da costela. I: Margem inferior da costela. A: Abaixa as costelas (expiração).
-M. INTERCOSTAL INTERNO ÍNTIMO
-M. SUBCOSTAL
-M. TRANSVERSO DO TÓRAX = O: Face interna do esterno. I: 2ª a 6ª costelas. A: Abaixa as costelas (expiração).
15) Músculos do Abdome:
-M. RETO DO ABDOME = O: Púbis (sínfise púbica). I: 5ª a 7ª cartilagens costais e p.xifoide(esterno). A: Flete o tronco e comprime
o abdome. Componentes: Linha alba, intersecções tendíneas, linha semilunar.
-M. OBLÍQUO EXTERNO = O: Linha alba, púbis e crista ilíaca. I: 5ª a 12ª costelas (face externa). A: Flete, estende e roda o tronco
e comprime o abdome.
-M. OBLÍQUO INTERNO = O: Aponeurose toracolombar e crista ilíaca. I: 10ª a 12ª costelas e linha alba. A: Flete, estende e roda o
tronco e comprime o abdome.
-M. TRANSVERSO DO ABDOME = O: 7ª a 12ª costais, aponeurose toracolombar e crista ilíaca. I: Linha alba e crista púbica. A:
Roda o tronco e comprime o abdome.