Você está na página 1de 17

09/06/2015

Dr. Rafael Munerato de Almeida

Coordenador Pedagógico Médico do SINAAMDr. Rafael Munerato de Almeida Ex­Diretor Médico Regional SP ­ DASA Ex­Diretor técnico do Hospital Santa

Ex­Diretor Médico Regional SP ­ DASAde Almeida Coordenador Pedagógico Médico do SINAAM Ex­Diretor técnico do Hospital Santa Paula, São Paulo, SP

Ex­Diretor técnico do Hospital Santa Paula, São Paulo, SP Médicoassistentedodepartamentodemétodosgráficosdo Instituto do Coração (InCor), aprov ado em Concurso Público por 2 anosMédico do SINAAM Ex­Diretor Médico Regional SP ­ DASA Coordenador do pronto­atendimento de Cardiologia do

Coordenador do pronto­atendimento de Cardiologia do Hospital Santa Paula em São Paulo por 4 anosCoração (InCor), aprov ado em Concurso Público por 2 anos Graduado pela Faculdade de Ciências Médicas

Graduado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo;Cardiologia do Hospital Santa Paula em São Paulo por 4 anos Especialista em Arritmia Clínica pelo

Especialista em Arritmia Clínica pelo InCor, HC FMUSP;de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo; Curso de Residência Médica Clínica Geral –

Curso de Residência Médica Clínica Geral – Área Clínica Médica Hospital Santa Casa de Misericórdia de São Paulo;Especialista em Arritmia Clínica pelo InCor, HC FMUSP; Curso de Residência Médica Cardilogia Geral – Área

Curso de Residência Médica Cardilogia Geral – Área de Cardiologia Clínica do Instituto do Coração (InCor) ­ HC FMUSP.de Residência Médica Clínica Geral – Área Clínica Médica Hospital Santa Casa de Misericórdia de São

Clínica do Instituto do Coração (InCor) ­ HC FMUSP. Traçadonúmero01 Padrão n 1mV = 10mm ECG
Traçadonúmero01 Padrão n 1mV = 10mm
Traçadonúmero01
Padrão n
1mV = 10mm
­ HC FMUSP. Traçadonúmero01 Padrão n 1mV = 10mm ECG na Sala de Emergência Dr. Rafael

ECG na Sala de Emergência

Dr. Rafael Munerato de Almeida

M.B., 45 anos, sexo feminino

Rafael Munerato de Almeida
Rafael Munerato de Almeida
Padrão n/2 1mV = 5mm
Padrão n/2
1mV = 5mm

09/06/2015

Padrão 2n 1mV = 20mm
Padrão 2n
1mV = 20mm
1) Determinar o Ritmo Cardíaco Ritmo Sinusal AD AE Rafael Munerato de Almeida
1) Determinar o Ritmo Cardíaco Ritmo Sinusal AD AE
1) Determinar o Ritmo Cardíaco
Ritmo Sinusal
AD
AE

Rafael Munerato de Almeida

2) Determinar a Regularidade “É desejável R­R discretamente irregulares” Rafael Munerato de Almeida

2) Determinar a Regularidade

2) Determinar a Regularidade “É desejável R­R discretamente irregulares” Rafael Munerato de Almeida

“É desejável R­R discretamente irregulares”

Rafael Munerato de Almeida

M.B., 45 anos, sexo feminino

Rafael Munerato de Almeida
Rafael Munerato de Almeida
OO ­­99OO OO O O ­­6O6O ­­1212OO OO ­­115O5O OO ­­3O3O aVR aVL OO OO
OO ­­99OO OO O O ­­6O6O ­­1212OO OO ­­115O5O OO ­­3O3O aVR aVL OO OO
OO
­­99OO
OO
O O
­­6O6O
­­1212OO
OO
­­115O5O
OO
­­3O3O
aVR
aVL
OO OO
D1
OO
OO
1515OO
33OO
D2
D3
aVF
OO
OO 6O6O
1212OO
9O9O
OO

Rafael Munerato de Almeida

3) Determinar a Frequencia Cardíaca FC= 1500 25mm 1 segundo R­R x mm 60 segundos
3) Determinar a Frequencia Cardíaca
FC= 1500
25mm
1 segundo
R­R
x mm
60 segundos
x = 1500mm
Rafael Munerato de Almeida

09/06/2015

3) Determinar a Frequencia Cardíaca FC= 1500 FC= 1500 R­R 22 = 68 bpm Rafael

3) Determinar a Frequencia Cardíaca

FC= 1500

FC= 1500

R­R

22

= 68 bpm

Rafael Munerato de Almeida

5) Determinar o Intervalo Pr Duração entre 3 – 5 ☐ (mm) Rafael Munerato de

5) Determinar o Intervalo Pr

5) Determinar o Intervalo Pr Duração entre 3 – 5 ☐ (mm) Rafael Munerato de Almeida

Duração entre 3 – 5 (mm)

Rafael Munerato de Almeida

Rafael Munerato de Almeida

Rafael Munerato de Almeida

4) Determinar as medidas onda P AD AE Duração ≤ 2,5 ☐ (mm) Amplitude ≤
4) Determinar as medidas onda P AD AE
4) Determinar as medidas onda P
AD
AE

Duração ≤ 2,5 (mm) Amplitude ≤ 2,5 (mm)

Rafael Munerato de Almeida

OO ­­99OO OO O O ­­6O6O ­­1212OO OO ­­115O5O OO ­­3O3O aVR aVL OO OO
OO
­­99OO
OO
O O
­­6O6O
­­1212OO
OO
­­115O5O
OO
­­3O3O
aVR
aVL
OO OO
D1
OO
OO
1515OO
33OO
D2
D3
aVF
OO
OO 6O6O
1212OO
9O9O
O O

Rafael Munerato de Almeida

Rafael Munerato de Almeida

Rafael Munerato de Almeida

09/06/2015

Ramo

Direito

Ramo Direito Ramo Esquerdo

Ramo

Esquerdo

09/06/2015 Ramo Direito Ramo Esquerdo dorso V1 Frente Rafael Munerato de Almeida 4° 1° 3° VD

dorso

V1 Frente
V1
Frente

Rafael Munerato de Almeida

4° 1° 3° VD VE 2° dorso V6 V5 V4 V3 V1 V2 Frente Rafael
VD
VE
dorso
V6
V5
V4
V3
V1
V2
Frente
Rafael Munerato de Almeida
V1 Rafael Munerato de Almeida

V1

Rafael Munerato de Almeida

09/06/2015

V1

Septoalto

+

Septobaixo

V1 Septoalto + Septobaixo Despolarização Paredes livres do VE>>VD Rafael Munerato de Almeida

Despolarização Paredes livres do VE>>VD

Rafael Munerato de Almeida

V6 Rafael Munerato de Almeida

V6

Rafael Munerato de Almeida

V6

V6
Munerato de Almeida V6 Rafael Munerato de Almeida V6 Septobaixoe Paredeslivres VE+VD Septoalto Base

Septobaixoe

Paredeslivres

VE+VD

Septoalto

Base

Rafael Munerato de Almeida

Traçadonúmero02

Traçadonúmero01

ECG normal

Paredeslivres VE+VD Septoalto Base Rafael Munerato de Almeida Traçadonúmero02 Traçadonúmero01 ECG normal
1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4)

1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4) Determinar as medidas da onda P 5) Determinar o intervalo Pr

Rafael Munerato de Almeida

09/06/2015

TAQUICARDIA 1) Taquicardia QRS estreito ou QRS largo? 2) R­R regular ou irregular? 3) Existem

TAQUICARDIA

1) Taquicardia QRS estreito ou QRS largo?

2) R­R regular ou irregular?

3) Existem ondas P antes do QRS?

Rafael Munerato de Almeida

TAQUICARDIA 1) Taquicardia QRS estreito ou QRS largo? QRS estreito ‡ SUPRAVENTRICULAR Rafael Munerato de

TAQUICARDIA

1) Taquicardia QRS estreito ou QRS largo?

QRS estreito SUPRAVENTRICULAR

Rafael Munerato de Almeida

TAQUICARDIA 2) R­R regular ou irregular? R­R Regular Rafael Munerato de Almeida

TAQUICARDIA

2) R­R regular ou irregular?

R­R Regular

Rafael Munerato de Almeida

TAQUICARDIA 3) Existem ondas P antes do QRS? NãoexistemondasP Rafael Munerato de Almeida

TAQUICARDIA

3) Existem ondas P antes do QRS?

NãoexistemondasP

Rafael Munerato de Almeida

do QRS? NãoexistemondasP Rafael Munerato de Almeida Ondas F do Flutter Atrial: dente de serra em
Ondas F do Flutter Atrial: dente de serra em D 2 D 3 aVF Rafael
Ondas F do Flutter Atrial: dente de serra em D 2 D 3 aVF Rafael

Ondas F do Flutter Atrial:

dente de serra em D 2 D 3 aVF

Rafael Munerato de Almeida

Traçadonúmero02

Flutter Atrial

F do Flutter Atrial: dente de serra em D 2 D 3 aVF Rafael Munerato de
Atrial: dente de serra em D 2 D 3 aVF Rafael Munerato de Almeida Traçadonúmero02 Flutter

09/06/2015

Traçadonúmero03

Rafael Munerato de Almeida

09/06/2015 Traçadonúmero03 Rafael Munerato de Almeida T.A., 72 anos, sexo masculino Rafael Munerato de Almeida 1)
09/06/2015 Traçadonúmero03 Rafael Munerato de Almeida T.A., 72 anos, sexo masculino Rafael Munerato de Almeida 1)

T.A., 72 anos, sexo masculino

T.A., 72 anos, sexo masculino Rafael Munerato de Almeida

Rafael Munerato de Almeida

1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4)

1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4) Determinar as medidas da onda P 5) Determinar o intervalo Pr

a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4) Determinar as medidas da onda P 5) Determinar

09/06/2015

Como diferenciar TV x TSV com aberrância

1) 80% das Taquicardia QRS largo, RR regular, sem ondas P

TV

Como diferenciar TV x TSV com aberrância

2) Paciente com antecedente de ICC tem VPP 96% de ser:

TV

Como diferenciar TV x TSV com aberrância

3) Paciente com antecedente de IAM prévio tem VPP 98% de ser:

Paciente com antecedente de IAM prévio tem VPP 98% de ser: TV Traçadonúmero04 Rafael Munerato de

TV

Traçadonúmero04

Rafael Munerato de Almeida

Traçadonúmero03

Ritmo de Taquicardia Ventricular Monomórfica

Rafael Munerato de Almeida Traçadonúmero03 Ritmo de Taquicardia Ventricular Monomórfica A.B., 93 anos, sexo feminino

A.B., 93 anos, sexo feminino

de Almeida Traçadonúmero03 Ritmo de Taquicardia Ventricular Monomórfica A.B., 93 anos, sexo feminino 8
de Almeida Traçadonúmero03 Ritmo de Taquicardia Ventricular Monomórfica A.B., 93 anos, sexo feminino 8

09/06/2015

09/06/2015 1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4)
1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4)

1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4) Determinar as medidas da onda P 5) Determinar o intervalo Pr

OO ­­99OO OO O O ­­6O6O ­­1212OO OO ­­115O5O OO ­­3O3O aVR aVL OO OO
OO
­­99OO
OO
O O
­­6O6O
­­1212OO
OO
­­115O5O
OO
­­3O3O
aVR
aVL
OO OO
D1
OO
OO
1515OO
33OO
D2
D3
aVF
OO
OO 6O6O
1212OO
9O9O
O O
OO ­­99OO OO O O ­­6O6O ­­1212OO OO ­­115O5O OO ­­3O3O aVR aVL OO OO
OO
­­99OO
OO
O O
­­6O6O
­­1212OO
OO
­­115O5O
OO
­­3O3O
aVR
aVL
OO OO
D1
OO
OO
1515OO
33OO
D2
D3
aVF
OO
OO 6O6O
1212OO
9O9O
O O
1515OO 33OO D2 D3 aVF OO OO 6O6O 1212OO 9O9O O O Traçadonúmero04 Ritmo BAV 2
Traçadonúmero04 Ritmo BAV 2 o grau tipo II Bloqueio Divisional ântero­superior esquerdo
Traçadonúmero04 Ritmo BAV 2 o grau tipo II Bloqueio Divisional ântero­superior esquerdo
Traçadonúmero04 Ritmo BAV 2 o grau tipo II Bloqueio Divisional ântero­superior esquerdo

Traçadonúmero04

Ritmo BAV 2 o grau tipo II Bloqueio Divisional ântero­superior esquerdo

Traçadonúmero04 Ritmo BAV 2 o grau tipo II Bloqueio Divisional ântero­superior esquerdo
1212OO 9O9O O O Traçadonúmero04 Ritmo BAV 2 o grau tipo II Bloqueio Divisional ântero­superior esquerdo

09/06/2015

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV 1º grau

“ Todos os impulsos passam para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV 1º grau “ Todos os impulsos passam para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV 3º grau

“ Nenhum impulso passa para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV 3º grau “ Nenhum impulso passa para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 2º grau tipo II

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 2º grau tipo II Pri constante em pelo menos 2 batimentos até

Pri constante em pelo menos 2 batimentos até que ocorra o bloqueio

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV 2º grau

“ Nem todos os impulsos passam para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV 2º grau “ Nem todos os impulsos passam para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 2º grau tipo I

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 2º grau tipo I Aumento progressivo do Pri até o bloqueio

Aumento progressivo do Pri até o bloqueio

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 2º grau tipo 2 : 1

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 2º grau tipo 2 : 1

09/06/2015

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV 2º grau tipo 2 : 1

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV 2º grau tipo 2 : 1
Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV 2º grau tipo 2 : 1

Bloqueios Átrio­Ventriculares

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau * Nenhum batimento atrial passa para os ventrículos

BAV do 3º grau

* Nenhum batimento atrial passa para os ventrículos

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV 3º grau

“ Nenhum impulso passa para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV 3º grau “ Nenhum impulso passa para os ventrículos” .

Bloqueios Átrio­Ventriculares

Nodo Sinusal

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares Nodo Sinusal BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau

09/06/2015

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau

Traçadonúmero05

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares

BAV do 3º grau

Bloqueios Átrio­Ventriculares BAV do 3º grau

A.B., 30 anos, sexo feminino

A.B., 30 anos, sexo feminino

09/06/2015

09/06/2015 1) Determinar o Ritmo Cardíaco 1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3)

1) Determinar o Ritmo Cardíaco

1) Determinar o Ritmo Cardíaco
1) Determinar o Ritmo Cardíaco
1) Determinar o Ritmo Cardíaco
09/06/2015 1) Determinar o Ritmo Cardíaco 1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3)
1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4)

1) Determinar o Ritmo Cardíaco 2) Determinar a Regularidade 3) Determinar a Frequencia Cardíaca 4) Determinar as medidas da onda P 5) Determinar o intervalo Pr

OO ­­99OO OO O O ­­6O6O ­­1212OO OO ­­115O5O OO ­­3O3O aVR aVL OO OO
OO
­­99OO
OO
O O
­­6O6O
­­1212OO
OO
­­115O5O
OO
­­3O3O
aVR
aVL
OO OO
D1
OO
OO
1515OO
33OO
D2
D3
aVF
OO
OO 6O6O
1212OO
9O9O
O O

Existência de dupla via nodal

Via alfa

Existência de dupla via nodal Via alfa Via beta

Via beta

Existência de dupla via nodal Via alfa Via beta

09/06/2015

09/06/2015 Traçadonúmero05 Taquicardia Paroxística Supra­Ventricular Traçadonúmero06 OO ­­99OO OO OO
09/06/2015 Traçadonúmero05 Taquicardia Paroxística Supra­Ventricular Traçadonúmero06 OO ­­99OO OO OO
Traçadonúmero05 Taquicardia Paroxística Supra­Ventricular
Traçadonúmero05 Taquicardia Paroxística Supra­Ventricular

Traçadonúmero05

Taquicardia Paroxística Supra­Ventricular

Traçadonúmero05 Taquicardia Paroxística Supra­Ventricular
Traçadonúmero06 OO ­­99OO OO OO ­­66OO ­­1122OO OO ­­1155OO OO ­­33OO Traçadonúmero06 aVR aVL
Traçadonúmero06
OO
­­99OO
OO
OO
­­66OO
­­1122OO
OO
­­1155OO
OO
­­33OO
Traçadonúmero06
aVR
aVL
OO OO
D1
IAM com supra ST parede
inferior
OO
OO
1155OO
33OO
D2
D3
aVF
OO
OO
66OO
1122OO
99OO
OO

09/06/2015

Traçadonúmero07

Traçadonúmero07

Angina Instavel ­ ARV

Traçadonúmero07 Angina Instavel ­ ARV Traçadonúmero08 TAV – Taquicardia AtrioVentricular
Traçadonúmero07 Angina Instavel ­ ARV Traçadonúmero08 TAV – Taquicardia AtrioVentricular

Traçadonúmero08

TAV – Taquicardia AtrioVentricular

 

Taquicardia

Taquicardia

atrioventricular

atrioventricular

Ritmo sinusal

ortodrômica

antidrômica

Taquicardia Taquicardia atrioventricular atrioventricular Ritmo sinusal ortodrômica antidrômica

09/06/2015

09/06/2015 Traçadonúmero08 Pré Excitação Ventricular Traçadonúmero09 TAV – taquicardia atrioventricular
Traçadonúmero08 Pré Excitação Ventricular Traçadonúmero09
Traçadonúmero08 Pré Excitação Ventricular Traçadonúmero09

Traçadonúmero08

Pré Excitação Ventricular

Traçadonúmero09

TAV – taquicardia atrioventricular

TAV – taquicardia atrioventricular
Traçadonúmero09 TAV – taquicardia atrioventricular Pré Excitação Ventricular TAV – taquicardia

Pré Excitação Ventricular

TAV – taquicardia atrioventricular

FA+WPW

WPW + Fibrilação Atrial

WPW + Fibrilação Atrial
Pré Excitação Ventricular TAV – taquicardia atrioventricular FA+WPW WPW + Fibrilação Atrial 16

09/06/2015

09/06/2015 Traçadonúmero09 Taquicardia Ventricular Polimorfica – Tipo Torsades de Pointes DÚVIDAS Na área
Traçadonúmero09 Taquicardia Ventricular Polimorfica – Tipo Torsades de Pointes
Traçadonúmero09 Taquicardia Ventricular Polimorfica – Tipo Torsades de Pointes

Traçadonúmero09

Taquicardia Ventricular Polimorfica – Tipo Torsades de Pointes

Traçadonúmero09 Taquicardia Ventricular Polimorfica – Tipo Torsades de Pointes

DÚVIDAS

Na área restrita do aluno no item Dúvidas