Você está na página 1de 11

ESTUDO HEBRAICO

COMPREEDENDO O TERMO COMUMENTE “ DEMÔNIOS”

O Termo ‘ demônio vem do Grego, porém no Hebraico tem um significado um


pouco distinto. Vamos Analisar Alguns Textos No Idioma Original e Também
em Outras Versões. (Targum Aramaico e Lxx).

 No Original Hebraico Temos:

a) Shedím (‫)שדםי‬: poderes destrutivos.

Esta palavra hebraica é erroneamente traduzida comumente como


'Demônios', porém a origem da palavra 'Shedím' está relacionada à
palavra 'Shadai' ( ‫' )שדי‬Poderoso' e esta, por sua vez, com a palavra
'Shod' (‫' )דש‬destruição', como está escrito: "o dia do Senhor vem
como destruição (Shod) o Todo-Poderoso (Shaddai)" (Isaías 13.6 e
Joel 1:15); também em Deuteronômio 32:17 diz: "Eles ofereceram
sacrifícios a Shedím e não a Elohim, a deuses que eles não tinham
conhecido ...", deste modo entende-se que Shedím são Poderes que
trazem Destruição ao ser humano quando ele os eleva como deuses.

Duas Ocorrências no Tanach:

O termo sêd ocorre no pl., e somente 2x (Dt 32.17; SI 106.37). A


tradução típica é demônios, mas existem outras variações
nuançadas. Nos dois casos, sêd é um recebedor de um Sacrifício
proibido: “Sacrifícios ofereceram aos demônios, não a Elohim; a
deuses que não conheceram, novos deuses que vieram há pouco,
dos quais não se estremeceram seus pais” (Dt 32.17). De acordo com
o registro, esses sacrifícios eram humanos ou infantis: “Imolaram
seus filhos e suas filhas aos demônios” (SI 106.37). Tal idolatria
pagã está relacionada ao sêdu babilônio, “um poder protetor
sobrenatural, cuja pre sença era solicitada ao evocar-se os deuses”
(TWOT2:906). Também se sugere que tais demônios podiam ser
representações de “vitalidade pessoal ou potência sexual”
(TWOT2:906). Prossegue dizendo: “Quando os deuses das nações
são chamados de shedim, não significa que eram espíritos maus,
mas que eram sombras insubstanciais, ‘não-deuses’, sem nenhuma
função divina ou demoníaca”.

No Targum de Onkelos temos:


Deuteronômio 32:17 Eles sacrificaram a demônios em quem não
há ajuda, (nada que é necessário), e coisas temerosas que eles não
tinham conhecido, novos (deuses) que foram feitos ultimamente,
com o qual seus pais não tinham relações; (Deut. 32:17 OKE)

No Targum de Pseudo-Jonathan:

PJE Deuteronômio 32:17 Sacrificaram a ídolos, assemelhando-se


aos demônios, aos quais não há lucro, a ídolos que não conheceram,
novos deuses feitos ultimamente, com os quais vossos pais nada
estiveram a fazer; (Deuteronômio 32:17 PJE)

Na LXX temos:

17 Sacrifícios ofereceram aos


demônios, não a Deus; aos deuses que
não conheceram, novos deuses que vieram há pouco, aos quais não
temeram vossos pais .

Tradução:

Daimonioun - deus pagão, divindade menor (atos 17:18)


predominantemente demônio, espírito maligno, considerado como
um ser sobrenatural e independente, nem humano nem divino
(mateus 7.22)

No Hebraico Shedim está relacionado com Ídolos, no Grego está


relacionado com divindades menores, podendo ser maus ou boas.
Daimon (derivado de [daíomai], divide, distribui, o deus dos mortos é
o desmembrador de cadáveres) = poder sobre -humano, deus, deusa,
destino; «Demônio De acordo com a crença popular grega, o
mundo está cheio de demônios, de seres que ocupam um lugar
intermediário entre deuses e homens e sobre o qual é influenciado
ou ao qual é apaziguado pela magia, feitiçaria e conjuração. Esses
seres são: a) primeiro de todos os espíritos do falecido, espec.
Insepulto (animismo), b) ou espectros também fantasmas que podem
aparecer em várias formas, especialmente à noite. Não há diferença
fundamental entre um deus e um demônio. A morada dos demônios
é o ar localizado nas proximidades da terra. Por trás dos infortúnios
e tribulações do destino humano está a ação de demônios e eles
fazem o cosmos estremecer por catástrofes naturais. Em particular,
eles são a causa da doença ou da posse de homens.
Vestígios do ensino universal também são encontrados no Tanach (1
Sm 28, 13; Is 8, 19). A evocação do falecido foi proibida em Israel (Dt
18,11, Lv 19, 31, 1 Sam 28, 3), bem como sacrifícios a maus
espíritos (Lv 17, 7). Figuras demoníacas são o sedim (= gênios
malignos, demônios: Deut 32, 17), s'ireim (= Sátiros: Isaias 13, 21),
lilit (= espectro: Is34:14), 'AZAZEL (= Azazel, demônio que leva o
nome: Lv 16, 8,10:26), etc. Demônios são falados em conexão com a
idolatria de Israel; provavelmente, a denominação de "demônios"
também se aplica aos deuses pagãos de maneira depreciativa (Dt 32,
17; 2 Cr 11, 15; Sl 106, 37).
No entanto, no Tanach predomina a tendência a eliminar a crença
em demônios, assim, p. por exemplo. Quando em Gen. 1 as estrelas
que, como "demônios", eram temidas e reverenciadas no ambiente
do Tanach, são chamadas de "luminárias"; ou quando os infortúnios
são atribuídos a Elohim. Os mediadores entre Elohim e os homens
não são os demônios, mas os anjos (- »anjo, mensageiro) de YHWH.
O israelita não deve ir para qualquer outro poder fora de YHWH e,
acima de tudo, deve se abster de toda prática mágica.

Dentro do Pensamento Hebraico não existe dualidade, ou seja, O


YHWH é Soberano sobre tudo e sobre Todos! Tudo está no seu
controle! Não existe um Inimigo para Elohim YHWH, O conceito de
dualidade veio com a Influencia na última parte do período persa,
muitos judeus começaram a adotar alguns dos conceitos dos
adoradores de Ahura Mazda, principal deidade persa.

Vários Termos são usados: sedím = poderosos, senhores,


“demônios"; mazziqin = maléficos, maligno; mehabilím =
corruptores, pega'im = tentadores; s''írím = demônios com figuras
de bode; rüah rá'áh = espírito maligno; ruah = espírito

Demônios são espíritos; no entanto, eles podem aparecer em uma


figura humana (ou em uma forma diferente). Seu número é
infinitamente grande, o mundo está cheio deles. No topo da
hierarquia de demônios está o príncipe dos demônios, Asmodeus
(originalmente uma figura do Parsismo), que é obedecido por outros
demônios de menor categoria. Os demônios têm acesso ao céu, onde
podem entrar no conhecimento dos desígnios de Elohim. Eles
habitam na terra e no ar, especialmente em desertos, ruínas e
lugares impuros (cemitérios). Embora eles pertençam ao reino de
Satanás, Elohim os autoriza a punir os pecadores. Seu poder
começou nos dias de Enos (Gen. 4, 26) e durará até o advento do
messias. Seu objetivo fundamental é induzir os homens a pecar; eles
também podem exterminar o homem.

De acordo com 1 Hanok 8, 1, os bens da civilização são um dom de


demônios. Os pagãos adoram os demônios (1 Hanok 99, 7; Jub
1,11; 22, 17). De acordo com 1 Hanok 7, 2 ss; Jub 5: 1, anjos caídos
geram gigantes que pervertem os homens; os anjos caídos estão
agora reservados para o julgamento. De acordo com Jub 7:27; 10, 1
Os demônios impuros perverteram os descendentes de Noé, pelos
quais foram confinados nas covas profundas; Mastema, o "príncipe
dos espíritos", manteve alguns demônios à sua disposição para
seduzir e prejudicar os homens.

Qumran. Os escritos de Qumran mostram um dualismo cosmológico


mitigado pelo monoteísmo. Abaixo de Elohim existem dois espíritos;
O espírito (ou anjo) da luz, Miguel e o espírito (ou anjo) das trevas,
Belial (- »Satanás, IQS 1.18, III, 17-25, IV, 1.9-11, IQM XIII, 11 sy
passim).

Gen. 12, 15 ss nos conta como depois que o Faraó quis tomar Sara
como sua esposa, Elohim lhe enviou um espírito maligno que
causou todos os tipos de mal em seu palácio e que somente a oração
de Abraão poderia salvá-lo (lQGn-Ap XX, 16 ss.28 s).

Os gregos chamavam estes espíritos mediadores e guardiães de


daimones. Uma vez que adotaram a idéia de que os daimones
(demônios) podiam ser bons ou maus

Em Devarim 32:24 Serão consumidos pela fome, atacados pelos


Shedim e cortados pelo Shed Meriri, e contra eles enviarei dentes de
animais com o veneno dos que se arrastam no pó. (Bíblia Hebraica)

(Com base no paralelismo de meriri com -. Resheph e Behemot em


Deuteronômio 32:24, GORDIS mostra "parece altamente razoável
supor que Meriri é também um termo mitológico, provavelmente
representando um tipo de demônio" (1943: 178). Não se pode negar
que este verso lista um número de demônios conhecidos dos textos
ugaríticos ou em outro lugar. Os termos hebraicos para "calor
ardente", "pestilência" e "bestas", no entanto, são respectivamente,
resep (Resheph), qereb (-Qeteb) e (- Behemoth), todos os termos
originalmente denotando divindades. As Traduções Cristãs
omitiram esses fatos. Veja o Texto Hebraico.

Comentarista Rashi confirma no seu comentário da Torah, no Livro


de Devarim:

Tradução:

“ Lutas de demônios voando. Os demônios lutam contra eles, como


se afirmar: "Os que voam decolaram". 191 E esses são os outros
demônios”. (192)
A Destruição do Demônio Meriri, isto é aniquilação do Demônio cujo
nome é Meriri. 193

(191) Jó 5: 7 Em seu comentário sobre Jó 5: 7, Rashi diz que


voar. O próprio Metzudat Tzion traduz essa palavra para "ardente".

(192) Em Iyob 5: 7, o Targum Yonatan ben Uziel traduz


seres daninhos. Os "demônios" certamente são
chamados de assim porque devem se deslocar de um lugar para
outro através do ar.

(193) Em Berachot 5a e Pesachim 111b, Rashi diz que Merirri é o


nome do "demônio do meio-dia".

No Ketuvim Netsarim (Conhecido erroneamente como ‘novo


Testamento”).

Em 1º Coríntios 10 :20:

Texto Hebraico:

Temos a Palavra Shedim (cujo significado em Hebraico esta lá em cima).


Transliteração:

Elah Mah Sheyzebechu HaGoim LaShedym Hem Zovechym Velo LeElohym


Vaany Eyn Retsony Shetiheyu Chaverym La Shedym.
Tradução:
Antes digo que as coisas que eles sacrificam, sacrificam-nas a shedim, e não a
Elohim. E não quero que sejais participantes com os shedim.
Texto Aramaico:

Transliteração:

Ela haw medem ddavcheen chanfe; lsheede hw davcheen, wla


lalaha, la deyn tsave ana dthehwoon shawtafe lsheede,

Tradução:
Mas antes, aquela coisa que os Kanphe (os pagãos) sacrificam, eles
estão sacrificando aos Sheede, e não a Alaha, mas, eu não desejo
que você se torne participante dos Sheede.

(William Jennig’s Léxicon To The Syriac New Testament pag. 213).


G1140, G1139, G4151 no Strong.

Texto Grego:

Transliteração:

Allá oti o Thuoni Daimonion kai Théos ous Télo Ethnos Daimonion
Thoún Kai ou Théos ou Telo de Humas Koinonos Ton Daimonion
ginomai.

Tradução:

Mas aquilo que sacrifica as nações aos demônios eles sacrificam, e


não a Deus, eu não quero que vocês sejam parceiros se tornem dos
demônios.
(A expressão real "comunhão com demônios" (koinonoi ton
daimonion) ocorre apenas uma vez na Escritura (1Co 10:20), onde
seu significado figurativo é evidente, mas está implícito na versão em
inglês de várias passagens pelos termos "alguém que tem "ou”
aqueles que têm "espíritos familiares" (Lv 19:31; Lv 20: 6; Lv 20:27;
Dt 18:11; 1S 28: 3; 1S 28: 7; 1S 28: 8; 1S 28: 9; 2R 21: 6; 2R 23:24;
1Cr 10:13; 2Cr 33: 6; Is 8:19; Is 19: 3; Is 29: 4).)

Tradução:

Divina, aquilo que é divino, que uma divindade de hierarquia


subordinada -
1. Sem aspecto negativo divindade, ser divino, daemon, atos
17:18
2. Em Nt mais frequentemente. No aspecto negativo, hostil /
espírito maligno, demônio Mt 7:22/ 1 Cor 10:20/ 1 Ti 4:1/ Tg
2:19/ Ver 9:20.

Revelação 9 :20 No Aramaico Temos uma outra Palavra para


‘Demônios”

Idaywe:

(Compendio Aramaico J. Payne Smith pág. 89)

No Texto Grego Equivale a Palavra no Strong: G1140

Dois Exemplos de pessoas dominadas por Shedim, depois de


pecarem:

 Rei Shaul (compare 1 Samuel 16:14 com 13:8-14 e 15:10-31)


 Yerrudá Ish Queriot (Lucas 22:3)
Yeshua repreende o Shedim:

Mateus 17:15 no Texto Aramaico da Peshitto Traz algo


Interessante:

Tradução:

15. E ele disse-lhe: "Meu senhor, tem misericórdia de mim,


meu filho tem um demônio lunático * e ficou doente, pois ele
caiu muitas vezes no fogo e muitas vezes na água."

É uma expressão aramaica que significa "Um lunático". A


expressão literal significa: “Filho de um telhado, (Bar Agara)
descrevendo uma atividade de orar aos demônios no telhado
no primeiro e no último dia do mês por aqueles que desejam
aplacar demônios e evitar qualquer mal de suas casas.

O Grego não Traduz corretamente, Trazendo G4583


σεληνιάζομαι seleniazomai (se-lee-niy-a'-zo-mai) v. Para ser
atingido pela lua, ou seja, louco.
[Voz média ou passiva de um suposto derivado de G4582]
KJV: seja um lunático

E em Atos 16:16

16. E ocorreu que, quando íamos à casa de oração, uma certa


criada nos encontrou, que tinha um espírito de adivinhação, e
que buscou para seus senhores grande ganho pela
adivinhação que ela realizou. (1) Aramaico.

(1) Sob a direção do espírito adivinhador, a empregada estava


ganhando muito dinheiro para seus mestres. Os mesmos
espíritos adivinhadores auxiliam os principais líderes nos
negócios, na religião, no governo, na indústria do
entretenimento, etc., a obter grandes lucros. Espíritos
imundos se especializam na exploração da emoção, medo,
sensualidade, raiva, cobiça, orgulho e toda forma de
insegurança humana para obter grandes ganhos
financeiros para seus executivos, produtores, diretores,
investidores e “talentos”. Melhor é um pouco, com justiça.

No Texto Grego diz literalmente:


At 16:16 "ESPÍRITO DE ADVINHAÇÃO": Literalmente, "um espírito de Píton".
Na mitologia grega, havia na região de Píton uma serpente ou dragão que
guardava o oráculo da cidade de Delfos.

Por Fim Yeshua acusado de Expulsar Shedim (de categoria mais baixa pelo
Maioral).

Mateus 12:24
24. Mas os fariseus, ouvindo, disse: “Este homem não
expulsa os demônios, mas (1) por Belzebu, chefe dos
demônios.

(1) Uma alteração de Baal-Zebube, que significa “Dono das Moscas”, o Baal
adorado pelos filisteus em Ecrom. Alternadamente, Beelzeboul e
Beezeboul, possivelmente significando “Dono da Morada (Habitação)
Alta”; ou, caso se faça trocadilho com a palavra hebr. Não-bíblica zé·vel
(esterco), “Dono do Esterco”].
(2) Na Demonologia Judaica quem é Belzebul?

(Dicionário de Demonologia).

 Enciclopédia Judaica:

Nome de um demônio mencionado no Novo Testamento como chefe dos


demônios (Mt 12: 24-27; Marcos 3: 22; Lucas 18: 15-18). Quando os fariseus
ouviram (das curas realizadas por Yeshua), eles disseram: "Este homem não
expulsa os demônios senão por Belzebu, o príncipe dos demônios"; ao que
Yeshua respondeu: "Se Satanás expulsa Satanás, ele é dividido contra si
mesmo; como será então o seu reino? E se eu por Belzebu expulso demônios,
por quem seus filhos os expulsam? Mas se eu expulso demônios pelo Ruach
de Elohim, então o reino de Elohim é chegado até você ". Em outra ocasião,
Yeshua disse aos seus discípulos: "Se eles chamaram o dono da casa [que é
ele mesmo] Belzebul, quanto mais (assim o chamarão) os da sua casa" [isto é,
os discípulos] 10. 25). O nome "Belzebub", escrito também "Belzebul", que não
aparece em nenhum outro lugar na literatura judaica, é uma forma variante
de "Baal Zebub", o deus de Ecron, cujo oráculo o rei Acazias consultou
durante sua doença, provocando assim a ira de Elohim. (II Reis i. 2-16); o
nome é comumente explicado depois da Septuaginta e Josefo, "Ant". ix. 2, § 1,
como o "Senhor das moscas" (veja Baal-zebub). Pragas sendo frequentemente
atribuídas à influência de moscas (Êxodo, 28; Eccl. X. 1; Plínio, "História
Naturalis", x. 28, 75; Pausânias, "Descrição da Grécia", v. 14, 1; Aelian
"Natura Animalium", v. 17, xi. 8; Usener, "Götternamen", p. 260), o deus que
dissipou moscas (Apolo Apomyios) provavelmente reteve sua popularidade
muito depois de ter deixado de ser um objeto de adoração. De fato, a mosca
era considerada pelos judeus em particular como mais ou menos impura e
demoníaca. "O espírito maligno [" ye ẓer ha-ra "] é como uma mosca nas portas
do coração humano", diz Rab, referindo-se às "moscas da morte" em Eccl. x. 1
(Ber. 61a e Targ. Yer. Para a passagem). "Uma mosca, sendo uma coisa
impura, nunca foi vista no matadouro do Templo" (Abot v. 8), nem um cruzou
a mesa de Eliseu; que fato, de acordo com Rab, deu prova para a mulher
sunamita que ele era "um homem santo" (II Reis iv. 9; Ber. 10b). O diabo no
folclore alemão também aparece na forma de uma mosca (Simrock, "Deutsche
Mythologie", 1874, pp. 95, 479) ....

Baal Zebub, em sua capacidade como deus dos odiados filisteus, tornou-se o
representante do poder pagão e consequentemente o arqui-inimigo, o inimigo
por excelência, e, portanto, o nome "Baal debaba "(" debaba "sendo a forma
aramaica correspondente ao hebraico" Zebub ") adquiriu o significado de"
hostilidade ", derivando o verbo com o sentido de" ação hostil ". "Beel debaba"
é a palavra aramaica comum para "caluniador". (Brockelmann, "Lex Syriæ".)

Conclusão:

Fica evidente que em Todas as Escrituras Hebraicas e Aramaicas (Tanach/


Ketuvim Netsarim) a existência de seres espirituais malignos. Que tem
influenciado a Humanidade e até sido adorado com vários nomes falsos em
Toda a Civilização Humana, portanto a Escritura deixa claro que nada mais
são servos (ainda que não queiram) do Soberano YHWH, cumprindo seus
propósitos. Veja Jó 1 6-11/ Zacarias 3/ Luca 22:31).

Rosh Ericson Soares da Silva

Fonte:

 Tanach Hebraico
 Dicionário Teológico do Novo Testamento (Coen Lothar)
 Targum de Onkelos
 Targum Pseudo-Jonathan
 LXX
 Analytical Greek Léxico Friberg
 Livro de Hanok
 Livro de Jubileus
 Dicionário de Divindades- Demônios da Bíblia
 Torah Chumash Rashi
 Novo Testamento Hebraico- Salkinson-Ginsburg
 Peshitta Aramaico
 Léxico para O Novo Testamento Siríaco (William Jennin’gs)
 Novo Testamento Grego Bizantino
 Lexical NT Greek Danker
 Compendio Aramaico J. Payne Smith
 Peshitto Aramaico
 Dicionário de Demonologia
 Enciclopédia Judaica