Você está na página 1de 47

A importância do brincar para

o desenvolvimento da criança

Prof. Ms. Ana Carolina Pinto Soares


O PAPEL DA BRINCADEIRA
Senso comum: Formas de divertimento e prazer
para a criança.

Estudiosos do desenvolvimento: meios privilegiados


de estímulos ao desenvolvimento social, emocional e
cognitivo da criança.

Brincar é uma necessidade básica assim como a


nutrição, a saúde, a habitação e a educação.
Alguns benefícios da brincadeira
Permite a exploração e a reflexão sobre a realidade e a
cultura na qual a criança está inserida (brinquedos e jogos
são produtos da cultura);

Permite a experimentação de diferentes papéis sociais;

Permite que a criança possa simular situações e conflitos


da sua vida familiar e social, o que lhe permite a expressão
das emoções;
Jogos de ganhar e perder permitem que a criança aprenda
a lidar com a resistência à frustração (essencial para o
equilíbrio emocional e desenvolvimento da personalidade);

Estimulação de funções e habilidades cognitivas


(raciocínio, atenção, criatividade, solução de problemas
etc...)

Favorece a socialização da criança e permite-lhe aprender


a partilhar, cooperar, comunicar-se, relacionar-se e ser
empática com o outro (auxilia na construção da sua auto-
imagem e auto-estima)
Entende-se que, pelo brincar, a criança aprende a
expressar idéias, gestos, emoções, a tomar decisões,
a interagir e a viver entre seus pares, a conhecer e a
integrar-se no seu ambiente próximo, a elaborar
imagens culturais e sociais do seu tempo e, em
decorrência desenvolve-se como ser humano dotado
de competências simbólicas.
Através de uma brincadeira de criança, podemos
compreender como ela vê e constrói o mundo- o que
ela gostaria que ele fosse, quais suas preocupações e
que problemas a estão assediando. Pela brincadeira,
ela expressa o que teria dificuldades para colocar em
palavras. Nenhuma criança brinca só para passar o
tempo, sua escolha é motivada por processos íntimos,
desejos, problemas, ansiedades. O que está
acontecendo com a mente da criança determina as
suas atividades lúdicas. (Betteleim)
Importância dos pais para o brincar
Preparação dos espaços e seleção dos brinquedos e contextos a serem
explorados.

Quando os pais participam da brincadeira isso ajuda a estreitar os laços


afetivos com a criança e aumentam a sua motivação e interesse.

Durante a brincadeira, os pais podem ajudar e orientar a criança sobre


as suas demandas que surgirem durante o brincar, bem como enriquecer
e estimular a imaginação da criança, despertando-lhe idéias e
questionando-a para a descoberta de soluções.
Para refletir...
Importância do brincar para o desenvolvimento x
agendas assoberbadas (ênfase nos aspectos
cognitivos do desenvolvimento?)

Brinquedos caros e elaborados ou brinquedos mais


simples que permitem diferentes formas de
exploração?
Considerações sobre o brincar
Existem vários estudos em torno do brincar, oriundos de
diversas áreas do conhecimento (Psicologia, Sociologia,
Antropologia, Filosofia etc...)

A Psicologia traz importantes contribuições sobre o


brincar e o papel do brinquedo no desenvolvimento e
aprendizagem humanas.
O brincar para Freud
Acreditava que a brincadeira desempenhava um papel
importante no desenvolvimento emocional das crianças.

A brincadeira permite que a criança trabalhe sentimentos


negativos associados a eventos traumáticos.

Na brincadeira de faz de conta, a criança consegue assimilar


lentamente emoções negativas que foram de fato vivenciadas,
uma vez que, consegue suspender temporariamente algumas
regras da vida real e repensar o episódio que aconteceu com
ela.
O brincar para Piaget
As crianças engajam-se em brincadeiras de acordo com
seu estágio do desenvolvimento

A brincadeira reflete o nível de desenvolvimento cognitivo


da criança, mas também estimula o desenvolvimento

O estímulo ocorre na medida em que a criança exercita


habilidades recentemente adquiridas, o que seria perdido
se não fosse consolidado.
Propõe três categorias de jogos:

Jogos de exercício: característicos do período


sensório- motor (0 à 1 ano e meio/ 2 anos)

 Jogos simbólicos ou jogos de faz-de-conta:


característicos do período pré-operatório (1 ano e
meio/ 2 anos à 5 anos e meio/ 6 anos)

Jogos de regras: são desenvolvidos a partir do


estágio das operações concretas (por volta dos 6
anos)
O brincar para Vygotsky
É a partir da brincadeira que as crianças desenvolvem o
pensamento abstrato. Ou seja, torna-se capaz de pensar no
significado das coisas sem ver a coisa em si.

Visão holística da brincadeira: importante para o


desenvolvimento social, emocional e cognitivo.

Atravésda brincadeira, a criança entra em contato com


conteúdos e desafios além da sua capacidade atual, o que
também estimula o seu desenvolvimento.
A brincadeira é uma lente que revela potenciais futuras
habilidades antes que estas se tornem atuais em outros
contextos, como na escola.
A importância do
brincar para o
desenvolvimento infantil
O adulto se revela pela fala, onde o fato de discursar consiste
numa atividade lúdica . As crianças também conversam com
outras crianças e com adultos,no entanto, é no brincar que a
criança mais autenticamente se revela.

Quanto menor a criança, mais difícil é para ela verbalizar


adequadamente seus conflitos, sendo o brincar a ferramenta
que possibilita à criança a sua livre expressão e elaboração de
conteúdos pessoais, bem como o desenvolvimento de
estratégias de adaptação às mais diversas situações de seu
ambiente.
Brincar:exercita o cérebro e o corpo de forma a
aumentar a interação e melhorar as respostas entre esses
elementos.

É com as brincadeiras que as crianças aprendem a pensar,


a interpretar o mundo que as cerca e a interagir com ele. É
nas brincadeiras que aprendemos a nos inserir na
sociedade e nos grupos estruturados que a compõe.

“ O brincar, quando adequadamente dirigido, consiste na


ferramenta mais importante para a estimulação de
crianças nas mais diversas faixas etárias” (MS,2016)
Piaget buscava entender como se dava o conhecimento, a
aprendizagem humana [...] descobriu certa coerência na
maneira de aprender e percebeu que o brincar,
possibilitando a aprendizagem, também favorecia o
desenvolvimento saudável.

Piaget considerava que a manipulação de objetos concretos


constitui a base do conhecimento humano (atividade motora
-> atividade mental)
A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR

Estimula o auto-conhecimento e o conhecimento do outros;

É uma atividade fundamental para o desenvolvimento da identidade e da autonomia;

Auxilia no desenvolvimento das habilidades sociais;

Permite a auto-expressão e estimula a capacidade de imaginação (pensamento abstrato);

Auxiliano desenvolvimento de funções cognitivas (memória, atenção, linguagem,


aprendizagem etc...);
Auxilia no desenvolvimento da psicomotricidade;

Auxilia a realização de trocas afetivas com figuras


significativas;

É uma forma de aprendizagem cultural de hábitos, costumes e


habilidades requeridas em cada cultura

Causa bem-estar e divertimento


Winnico
tt A brincadeira é universal e própria da
saúde: o brincar facilita o crescimento e,
portanto, a saúde. O brincar conduz aos
relacionamentos grupais,podendo ser uma forma
de comunicação na psicoterapia. Portanto, a
brincadeira traz a oportunidade para o exercício
da simbolização e é também uma característica
humana.
LUDOTERAPIA
ETIMOLOGIA

Ludoterapia : A palavra ludoterapia deriva da


palavra inglesa play-therapy, que numa
tradução literal quer dizer terapia pelo
brincar. (Homem, 1999)
ORIGENS DA LUDOTERAPIA

A Ludoterapia provavelmente tenha se originado de tentativas de


aplicar a terapia psicanalítica a crianças. Porém verificou-se que,
diferentemente dos adultos, a criança não tem a mesma
capacidade de fazer associações livres. Foi utilizada pela
primeira vez pela psicanalista Melanie Klein, com uma criança
que se recusava a falar em terapia. (Dorfman,1992).

Inicialmente, as brincadeiras eram utilizadas como estratégia para


ganhar a confiança da criança. Dessa forma, não eram centrais na
terapia, caracterizando-se apenas como procedimentos preliminares ao
verdadeiro trabalho terapêutico.
O brincar era uma técnica para produzir
um envolvimento emocional positivo
entre a criança e o analista, e assim,
tornar possível a terapia propriamente
dita.
CONCEITO
A Ludoterapia é a terapia realizada através do lúdico, do
brincar. É o tratamento psicoterápico voltado à criança, que
tem como objetivo facilitar a expressão e seu
desenvolvimento através do lúdico, pois o jogo e o brincar
são os meios naturais de autoexpressão infantil. É através
do brincar que a criança tem maior possibilidade de
expressar seus sentimentos e conflitos, e de buscar
melhores alternativas para lidar com suas demandas e de
se libertar para o autodesenvolvimento.
A Ludoterapia é realizada com crianças a partir dos 2/3 anos
até cerca dos 12 anos. O trabalho desenvolvido é no sentido
da organização da criança, isto é, um espaço onde a criança
possa lidar com os seus problemas, sentimentos, pensamentos
e comportamentos através da brincadeira.
A Ludoterapia pode ser realizada individualmente, somente
com a criança alvo da intervenção que foi trazida ao terapeuta
ou em grupo. Em grupo, a criança convive com outras crianças
o que obriga o terapeuta a estar atento às suas interações e
conseguir respeitar os sentimentos de cada uma presente.
PRINCÍPIOS DA LUDOTERAPIA
Espaço livre de expressão: sendo o jogo a forma de
expressão da criança procura-se facultar à criança um
ambiente sem julgamentos ou críticas onde ela possa se
exprimir, sem receios

Forma de Linguagem :o brincar é uma forma de


linguagem. A maior parte das características desta
linguagem pode ser constatada logo nos primeiros contatos
das crianças com os seus pais.
O que o psicólogo deve observar?
1 – Desenvolvimento neuropsicológico: marcha,
equilíbrio, coordenação motora fina e grossa, qualidade da
fala, conteúdo da fala, fantasias desenvolvimento psico-
motor, o brincar, criatividade, atenção, memória,
concentração, organização do pensamento.

2 – Padrões temáticos: Temas das atividades verbais e


práticas, tema central de cada sessão, tema familiar, temas
que se repetem ao longo do processo.
3 – Padrões de interação: Organização da auto-imagem
(como a criança se percebe). Organização da relação com o
outro e padrões de interação: (relação com os pais ,com o
terapeuta, relação com o espaço físico e com os materiais).

4 – Funções de contato e formas de expressão:


Organização e uso dos mecanismos de contato: tátil, auditivo,
visual. Linguagem corporal, linguagem verbal. Postura.
5 – Comportamentos e disponibilidade às
intervenções do terapeuta: Respeito e tolerância aos
limites combinados. Nível de tolerância a frustração. Respostas
comportamentais frente a estímulos ou situações específicas.
Criatividade. Curiosidade. Habilidade de fazer escolhas.
Responsabilidade pelos seus atos.

6 – Organização do espaço terapêutico: Uso do espaço


físico, dos brinquedos. Uso do tempo cronológico da sessão.

7. Aspectos emocionais : Humor. Uso da fantasia. Ansiedade.


Recursos Lúdicos

Família de bonecos. Casinha com mobília e


elementos típicos de uma casa. Boneco
bebê com chupeta, mamadeira algumas
roupas. Animais domésticos e selvagens.
Instrumentos musicais. Maleta de médico.
Fantoches. Alguns brinquedos de cunho
agressivo, como: revolver, lançamento de
dardo, luvas de boxe. Argila. Massa de
modelar.
Jogos que incluam: movimento
corporal, coordenação motora fina,
raciocínio, percepção, memorização
visual, mímica, jogos tipo sorte/azar.
Quebra- cabeça com vários níveis de
dificuldade. Gravador Brinquedos
educativos Caixa com material
diverso (sucata) que possibilite a
confecção de brinquedos. Papel, lápis
de cor, cola colorida,giz de cera,
tesoura sem ponta, fita adesiva,
barbante. Tinta, aquarela ou guache.
Livros de história. João Teimoso.
Bola. Espelho. Recipientes para Água
.
Características da sala de Ludoterapia

Ainda que não seja essencial uma sala mobilada e somente


dedicada para este fim, é importante que se trabalhe com a
possibilidade de uma sala específica com as seguintes
características: insonorização, lavatório com água quente e fria,
janelas com a devida proteção, chão e teto com material de
fácil limpeza, espaço e iluminação adequados, organização dos
brinquedos e materiais de forma acessível à criança. Pode
conter aparelhos de filmagem ou gravação (para estudo e
análise do caso).
A expressão da criança
através do desenho...
DOCUMENTÁRIO

https://www.youtube.com/watch?v=8Bp-cgUQpbk