Você está na página 1de 7

1

PROJETO DE INTERVENÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL QUE


PROPÕE CENTRO DE PESQUISA E EXTENSÃO DE EDUCAÇÃO
AMBIENTAL PARA O DISTRITO RURAL DE DELFINO- BA

I. APRESENTAÇÃO
O presente Projeto para o Desenvolvimento Social Sustentável
Local se encontra radicado nas declarações dos Objetivos de
Desenvolvimento Sustentável (ODS) que compõem “um novo modelo
global de promoção de um patamar de sustentabilidade e erradicação
da pobreza desde o ano de 2015 a 2030” por meio do Programa das
Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD Brasil).
Apresenta-se por meio deste a proposta de Educação Ambiental
(EA) de qualidade, equitativa, justa e inclusiva e contribui com
incentivo aos estudos coletivos propostos por meio de matrícula em
atividades de Núcleos de Estudos e Pesquisa Exploratória Local para
Formação como extensão do Ensino para o conhecimento Ético
Social, Técnico Profissional em Educação Ambiental (EA) bem como
sua projeção Científica e Acadêmica.
No sentido da promoção social de comunidades sustentáveis na
redução das desigualdades por meio de Formação, apresenta-se
proposta para efetivação de Centro de Educação Ambiental (EA) que
atenda o Distrito Rural do Delfino e demais Comunidades próximas,
sendo aqui sugerida Fazenda ou Comunidade da Volta da Serra,
próximas ao mesmo Distrito em Umburanas e parte situada no
município de Campo Formoso-BA.

II. OBJETO
O desenvolvimento social sustentável e emancipação humana
para uma sociedade justa, pacífica e inclusiva, vinculada á ética do
convívio ou exploração junto aos recursos naturais do lugar, que
incluem o uso do solo, a administração dos recursos hídricos, a
reprodução da vegetação nativa as riquezas minerais como também a
perspectiva de preservação dos sítios arqueológicos localizados na
região.

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730


2

A conservação ambiental desenvolvida pela Educação como


princípio para direcionar as questões do eixo econômico, sócio
cultural e ambiental com vistas à qualidade de vida, a preservação da
natureza e desenvolvimento econômico sustentável.

III. JUSTIFICATIVA
Pode se afirmar sobre o semi-árido que este possui pontos fortes,
desde a extensa biodiversidade e reservas incomuns presentes no
bioma da Caatinga bem como seu potencial sustentável, que são
ainda pouco conhecidos.O desconhecimento das fragilidades assim
como dos pontos fortes de todo o potencial sustentável expõem
deficiências e perceptível pobreza neste campo social.
Em observação ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) a
vulnerabilidade social pode ser compreendida dentre outras, como as
baixas condições de moradia e saneamento (na opção de utilizarem
esgotos poluentes expostos em detrimento as fossas sépticas
ecologicamente recomendadas); até nos procedimentos de descarte
do lixo sem os critérios de seletividade dos resíduos sólidos
(orgânicos ou secos), há também o desconhecimento das
responsabilidades ambientais referente à destinação dos lixos.
Dentre demais aspectos da pobreza a serem erradicados por meio
de estudos e participação no conhecimento, há também a carência
alimentar e baixa sustentabilidade ou baixo incentivo ao manejo
florestal sustentável que visa proteger recursos naturais, recursos
estes pouco preservados.
A baixa percepção ecológica, o desconhecimento a não
participação social nos processos de preservação, são ainda aspectos
que influenciam às novas gerações, jovens e crianças, estas, estão
passivamente destituídos de percepção ecológica ou entendimento de
uma sustentabilidade local.
Tais aspectos derivam de uma Educação deficitária desde a não
inclusão da EA em cumprimento constitucional na elaboração de
políticas públicas que promovam a dimensão ambiental e incluam
pilares ecológicos ao Ensino promovendo assim a ampliação de boas
práticas socioambientais por meio do processo educativo:

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730


3

Como parte do processo educativo mais amplo, todos


têm direito à educação ambiental, incumbindo: - ao
Poder Público, nos termos dos arts. 205 e 225 da
Constituição Federal, definir políticas públicas que
incorporem a dimensão ambiental, promover a
educação ambiental em todos os níveis de ensino e o
engajamento da sociedade na conservação,
recuperação e melhoria do meio ambiente. (Cap. I .
Art. 3º - Lei 9.795/99).

Assim a elaboração de programas socioambientais para a


Educação está alicerçada na Política Nacional de Educação Ambiental
(PNEA) cujos parâmetros de aplicabilidade constam no Programa
Nacional de Educação Ambiental- ProNEA.
A atuação do Serviço Social tem também caráter interventivo cujos
princípios fundamentais regem conhecimento pela paz social e
“Posicionamento em favor da eqüidade e justiça social, que assegure
universalidade de acesso aos bens e serviços relativo aos programas
e políticas sociais, bem como sua gestão democrática;” (CEFESS Lei
8.662/93- Resolução 273/93).
Por meio de ações sociais articuladas à EA as atividades
promotoras da emancipação humana estarão sintonizadas às ações
multidisciplinares desenvolvidas por profissionais do Serviço Social e
Pedagogia, Técnicos em Meio Ambiente e Turismo mediante vínculo
institucional. Cabendo ao assistente social a articulação e
“participação na elaboração e gerenciamento das políticas sociais, e
na formulação e implementação de programas sociais;” (Lei 8.662/93.
Art. 2º-C).

PROBLEMÁTICA
Visto pelo desconhecimento comum e carências dos valores
socioambientais, compreendidas desde a inaptidão do trato com o
solo, dos procedimentos éticos visíveis junto aos recursos hídricos, do
desconhecimento do potencial sustentável da vegetação nativa bem a
extrema proximidade de sítios arqueológicos sem que existam as
devidas precauções de convívio, busca-se intervir no sentido de
apresentar uma nova cultura de preservação à comunidade.
No sentido de intervenção social desta realidade, quais seriam as
objeções práticas na implantação da proposta de um Núcleo de

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730


4

Educação Ambiental para fomentar a nova cultura de emancipação


humana e preservação da natureza na erradicação de tais carências?

IV. OBJETIVO GERAL


 Promover emancipação humana intrínseca a ética da preservação do
meio ambiente com vistas à prática do desenvolvimento sustentável
por meio da Educação Ambiental Superior.

V. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Apresentar com tradução para Língua Inglesa este Pré Projeto.


 Acompanhar proposta do local físico e orçamento para
avaliação administrativa do projeto.
 Apoiar a contratação do 1º gestor para acompanhar todo o
processo da construção social e pedagógica.
 Participar e intermediar as ações e parcerias para o Plano
estratégico local de desenvolvimento sustentável.
 Monitorar avanços com levantamento de pesquisas e
intermediar etapas do plano para formação de parcerias de
estudos continuados para o Núcleo de EA.
 Promover interação social por meio de agenda de palestras.
 Acompanhar efetivação e contratação de profissionais de Meio
Ambiente, Turismo, Pedagogia, Geografia e Serviço Social para
atuação junto ao Núcleo de Educação Ambiental.

VI. METODOLOGIA

A Pesquisa seguirá em sua exposição o padrão bilíngüe


(tradução para Língua Inglesa) a mesma será submetida à
aprovação institucional.
Todo o projeto será submetido a avaliação administrativa da
instituição (cabe eleger a mesma)..
Terá supervisão e consultoria permanente em todas as etapas do
processo tais como: contratação do gestor capacitado (a) para
acompanhar todo o processo da construção social e pedagógica
como também a seleção e efetivação de profissionais de Meio
Ambiente, Pedagogia e Serviço Social para atuação nos demais
projetos.

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730


5

Seguirá a apresentação de projeto para angariar parcerias junto


às Universidades Estaduais e Federais, dentre outros levantamentos
de pesquisas em órgãos oficiais.
O monitoramento das pesquisas realizadas assim como as
variáveis coletadas estará em análise SWOT1. A tabela de SWOT
consiste em apresentar sistematicamente um cruzamento de dados
desde os pontos fortes que oferecem oportunidades e permite avaliar
também as “fraquezas” revendo assim as “ameaças”, embasando
nesse sentido o planejamento estratégico fundamentado.

VII. CRONOGRAMA
PROPOSTAS OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO 2017
APLICAÇÃO

Apresentação do Pré XXXXXXXXX


Projeto.
Avaliações -
Contrapropostas
Orçamentos - Definição de
local para construção.
Contratação de Pessoal
para desenvolvimento das
ações de Pesquisa,
Projetos Sociais e
Pedagógicos.
Definição de Cronograma
e estratégias para a
efetivação dos Projetos.
Monitoramentos em
SWOT e Avaliação
qualitativa para ajustes e
continuidade do Projeto.
Aplicação Prática XXXXXXXX
(palestras e apresentação
do Núcleo de Estudos)
junto a Comunidade.
Acompanhamento e XXXXXXXX
Balanço anual referente à
efetivação do Projeto.

IX. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ARAUJO, Marcelino Gomes de, SCHWAMBORN, Silvia Helena Lima A EDUCAÇÃO


AMBIENTAL EM ANÁLISE SWOT. Revista Ambiente & Educação. v.18 n. 2. 2013. Rio
Grande de Sul, Brasil. Disponível em: < https://www.seer.furg.br/ambeduc/article/view/4055>
Acesso em 04 de out. de 2016.

BRASIL. Constituição (1988) Constituição da Republica Federativa do Brasil. Brasília,


DF, Senado, 1998.

1SWOT é a sigla dos termos Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities


(Oportunidades) e Threats (Ameaças), uma metodologia usada em administração para avaliar
cenários internos e externos.

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730


6

BRASIL. Lei de Regulamentação da Profissão de Serviço Social. Lei 8.662 de 07 de


junho de 1993. Conselho Federal de Serviço Social – CFESS. Disponível em: <
http://www.cfess.org.br/visualizar/menu/local/regulamentacao-da-profissao> Acesso em 05
de outubro de 2016

BRASIL. Código de Ética do Assistente Social. Conselho Federal de Serviço Social –


CFESS. Resolução nº 273/93 de 13 de março de 1993 da Lei 8.662/93. Disponível em: <
http://www.cfess.org.br/visualizar/menu/local/regulamentacao-da-profissao> Acesso em 05
de outubro de 2016.

BRASIL. POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (PNEA). Lei nº 9.795 de 27


de abril de 1999.

BRASIL. POLÍTICA NACIONAL DE TURISMO. LEI nº 11.771 de 17 de setembro de 2008.


Disponível em: < http://www.turismo.gov.br/2015-04-06-13-25-43.html> Acesso em 01 de
out. de 2016.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Caderno de


estudos do Curso em Conceitos e Instrumentos para o Monitoramento de Programas.
Brasília, DF: MDS, Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação, Secretaria Nacional de
Assistência Social, 2015.

Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Manuais e Procedimentos.


Disponível em: < http://www.dnpm.gov.br/acesso-a-informacao/manuais-e-procedimentos>
Acesso em 14 de outubro de 2016.

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis- (IBAMA).


Qualidade Ambiental. Disponível em: < http://www.ibama.gov.br/areas-
tematicas/qualidade-ambiental>. Acesso em 04 de outubro de 2016.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - (IBGE). Disponível em: <


http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisas.php >. Acesso em 06 de
setembro de 2016.

Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional - (IPHAN). Centro Nacional de


Arqueologia- (CNA) Disponível em: < http//portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/315 > Acesso
em 05 de setembro de 2016.

MDS- Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Disponível em <


http://mds.gov.br/> Acesso em 06 de setembro de 2016.

MMA- Ministerio do Meio Ambiente. Disponível em: <


http://www.mma.gov.br/biomas/caatinga> Acesso em 01 de out. de 2016.

MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos. Verbete PRONEA
(Programa Nacional de Educação Ambiental). Dicionário Interativo da Educação
Brasileira - Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em:
<http://www.educabrasil.com.br/pronea-programa-nacional-de-educacao-ambiental/>.
Acesso em: 04 de out. 2016.

ONU Brasil. 17 Objetivos para transformar nosso mundo. Disponível em:


https:<//nacoesunidas.org/pos2015/ > Acesso em 05 de setembro de 2016.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) – Objetivos de


Desenvolvimento Sustentável - ODS – Disponível em: <
http://www.undp.org/content/brazil/pt/home/post-2015.html >Acesso em: 04 de out. 2016.

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730


7

Programa Nacional de Educação Ambiental - ProNEA. EDUCAÇÃO AMBIENTAL- Por um


Brasil Sustentável. ProNEA, Marcos Legais & Normativos. 4º Edição. Brasília. 2014.
Disponível em: <http://www.mma.gov.br/images/arquivo/80221/pronea_4edicao_web-1.pdf>
Acesso em 04 de out. 2016.

Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia (SEPLAN). Política Territorial. Plano


Territorial de Desenvolvimento Sustentável - PTDS. Disponível em: <
http://www.seplan.ba.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=51>. Acesso em: 04
de out. 2016.

X
Mercejane Duarte de Almeida
Assistente Social CRESS BA 017730

15 de outubro de 2016. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SERVIÇO SOCIAL- CRESS BA-017730