Você está na página 1de 4

ÁDYLLA GEOVANNA GOMES DUARTE

FRANCISCO JEARI SILVA

JUARANA REBEKA SILVA

ANÁLISE CRÍTICA – DOCUMENTÁRIA PRO DIA NASCER FELIZ

JUAZEIRO DO NORTE-CE

2018
O documentário ‘Pro dia nascer feliz’’ evidencia a realidade da educação
brasileira nos anos 2004 e 2005. Trazendo em sua decorrência relatos e fatos
acerca do âmbito escolar. Alunos e professores que vivenciam uma realidade
árdua e aflitiva qual enfrentam diariamente. Escolas do interior nordestino e
escolas das capitais brasileiras, ambas com demandas simulares e aos mesmo
tempo diferentes. Alunos do interior que mesmo com as constantes
dificuldades permanecer com empenho em estudar e frequentar a escola.
Porém, vivenciam situações desencorajadoras cotidianamente, a escola que
muitas vezes é longe de suas casas, o transporte em condições precárias, e os
professores com frequentes faltas, deixando os alunos sem aulas, e entre
outros inúmeros obstáculos.

Diante de outra cena, a realidade muda de cenário dessa vez na capital


do Rio de Janeiro, aonde os jovens moradores de bairros da periferia, tem em
sua realidade uma proximidade maior com a violência, e com criminalidade.
Infiltrados nesse espaço desmotivador adquirem comportamentos de
desinteresse, e conformismo diante dos estudos.

A finalidade do documentário é mostrar para as pessoas o quão


vulnerável é a educação no Brasil, através dele podem-se perceber vários
pontos negativos que permanecem nessa área até os dias de hoje. Muitas
escolas principalmente em regiões de extrema necessidade sofrem com a falta
de recursos, má qualidade de ensino, espaços mal estruturado para receber os
alunos, assim como a dificuldade em lidar com certos alunos considerados
“problemáticos”.

O documentário também nos mostra variados tipos de alunos, como por


exemplo, alunos que se preocupam com sua educação, alunos que sofrem por
falta de transporte escolar ou por falta de professores, alunos que pensam que
educação não irá leva-los a lugar nenhum, entre outros. Mostram-se também
situações de extrema violência, onde nos é apresentado um caso de inimizade
que é resultante de um homicídio, todos esses fatores influenciam na qualidade
da educação brasileira, fazendo com que a mesma seja vista como uma das
mais baixas.
Seguindo o pensamento estruturado pela Teoria da Carência Cultural,
esses jovens possuem menos capacidade de aprendizagem comparados a
adolescentes que constituem uma classe mais alta, pois, segundo essa teoria
pessoas que fazem parte de um segmento social fragilizado e vulnerável,
possuem mais deficiências de aprendizagem por conta da situação de pobreza,
e desestruturação familiar que afeta desde seus processos cognitivos até o seu
emocional, causando assim a fragilização do processo educacional impedindo-
os de obter um rendimento escolar que se iguale ao dos jovens da classe
privilegiada. Essa teoria pode ser utilizada como um fator que faz parte da
estrutura e da explicação do fracasso escolar.
REFERÊNCIAS