Você está na página 1de 28

HISTÓRIA DO BRASIL

4ª Edição - 2015

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Agradecimentos Prezado aluno do Curso de História do Brasil

Em primeiro lugar, meu agradecimento especial e minha consideração a dois professores O conhecimento, o entendimento e o perfeito domínio da História Brasileira, em suas diversas
extraordinários – aqueles que me levaram a gostar de ensinar com excelência – Dometildes Tinoco muitas vertentes, são ferramentas essenciais para o sucesso em qualquer concurso –
e Euzébio Cidade. (Olá, Mamãe e Papai!) especialmente no âmbito da carreira militar, com provas cada dia mais seletivas que abordam
diversas particularidades e singularidades da nossa história.
Um agradecimento sincero aos meus queridos alunos e a excelente e dedicada equipe de
professores da Cadeira de História, liderada pelo Professor Sirmany Fernandes, profissional ímpar, Tendo em vista, essencial e prioritariamente, o sucesso de seus alunos, o Curso Cidade, por
e que reúne as qualidades de um verdadeiro líder. Coordena com esmero a cadeira de humanas do intermédio de sua equipe da Cadeira de História, apresenta este material. Confeccionado a partir
Curso Cidade, com seu trabalho de incomensurável valor pedagógico reconhecido pela Direção do de um sólido embasamento teórico, calcado na Bibliografia do concurso. A presente apostila traz
Curso, pela equipe que coordena e pelos demais alunos que já se prepararam em nosso Curso. cerca de mil exercícios gabaritados, com o intuito de fortalecer e solidificar a teoria aprendida em
Agradeço também ao prestativo colaborador de todas as horas e inestimável amigo Prof. Djalma sala, trabalhada na apostila e praticada nos simulados semanais, cujo objetivo é ajudar a pensar
Augusto, que procedeu a atualização dos conteúdos para o corrente ano. Um agradecimento com fluidez a nossa história, sem recorrer a estratégias mnemônicas ineficazes e ideias
especial a Laura Maciel pela coordenação da equipe de TI que executou excelente trabalho de generalizadas, desprovidas de lógica.
formatação e diagramação deste material.
Aproveite! O material é seu: faça um ótimo uso dele!
Finalizando um agradecimento muito especial aos professores André Luiz e Felício Mourão, que
com dedicação e competência auxiliaram na confecção desta apostila de história que apresenta 20 Temos certeza de que aquele que se dedicar com afinco à resolução das questões aqui
questões por subtópico, além das questões cobradas nos últimos concursos. Questões necessárias apresentadas irá melhorar sobremaneira o seu desempenho nos exames vindouros. Nosso principal
e fundamentais para um adestramento simples, rápido e eficaz para o concurso da EsFCEx. objetivo, com este material, é contribuir para melhorar o desempenho de todo candidato que, de
fato, queira aprender.
Esperamos que você utilize esta obra, exercitando com atenção cada item apresentado e
pesquisando na bibliografia àqueles que apresentaram maior grau de dificuldade. Traga para a aula Estamos aqui torcendo e trabalhando pelo seu sucesso!
as dúvidas das questões cuja resposta não esteja de acordo com seu conhecimento ou envie-as
Bom trabalho e bom estudo!
por e-mail para seu professor.
Equipe de História do Brasil
Aceite nossa companhia nesta viagem de treinamento Rumo à EsFCEx.

Bons Estudos!!

Luiz Cidade

Diretor
EQ U I P E Equipe de Professores

Professores dos Idiomas


Diretor Geral Luiz Cidade – Espanhol
Luiz Alberto Tinoco Cidade Cleide Thieves – Inglês, Francês, Espanhol, Italiano, Alemão e Japonês
Maristella Mattos Silva – Espanhol (EAD)
Diretora Executiva Monike Cidade – Espanhol (EAD)
Clara Marisa May Genildo da Silva – Espanhol
Leonardo dos Santos – Espanhol
Diretor de Artes Diego Fernandes – Espanhol
Fabiano Rangel Cidade João Jorge Gonçalves – Inglês, Francês Espanhol e Português
Whang Pontes Teixeira – Espanhol
Coordenação Geral dos Cursos Preparatórios Mariana Ramos – Inglês (EAD)
Profº Luiz Alberto Tinoco Cidade Rita de Cássia de Deus Vindo
Márcia Mattos da Silva – Francês (EAD)
Coordenação dos Cursos de Idiomas EAD Marcos Henrique – Francês
Profº Dr. Daniel Soares Filho
Professores dos Concursos
Secretaria Drº Adriano Andrade - Geografia do Brasil
Evelin Drunoski Mache Drº Daniel Soares Filho – Espanhol (EAD)
Drª Simone Tostes – Inglês (EAD)
Suporte Ms Janaina Mourão Freire – Geografia do Brasil
Luan Maciel Cruz Ms Edson da Costa Rodrigues – Ciências Contábeis
Ms Sandra Nascimento da Hora – Língua Portuguesa (EAD)
Editoração Gráfica Edson Antonio S. Gomes – Administração de Empresas
Edilva de Lima do Nascimento Tomé de Souza – Administração de Empresas EAD
Sormany Fernandes – História do Brasil
Fonoaudióloga e Psicopedagoga Valber Freitas Santos – Gramática, Redação e Literatura
Mariana Ramos – CRFa 12482-RJ/T-DF Thiago Godoi – História do Brasil
Felício Mourão Freire – História Geral
Assessoria Jurídica Francisco Roges Madeiro – Geografia do Brasil
Luiza May Schmitz – OAB/DF – 24.164 Ivanaldo Silva de Carvalho – História do Brasil
Djalma Augusto – História do Brasil
Assessoria de Línguas Estrangeiras Ronaldo de Castros Soares – História do Brasil
Cleide Thieves (Poliglota-EEUU) Daniel Castro de Faria – Gramática, Redação e Literatura
João Jorge Gonçalves (Poliglota-Europa) Albert Iglésias – Língua Portuguesa e Literatura
Luiz Felipe - Geografia do Brasil

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Conteúdo Divisão da Colônia durante o governo espanhol................................................................. 32
Tópico 1.0 – A Expansão Marítima..............................................................................................17
EXERCÍCIOS ........................................................................................................................ 33
Comentário inicial .............................................................................................................17
EXERCÍCIOS DE PROVA ........................................................................................................ 36
A EXPANSÃO MARÍTIMA ........................................................................................................17
Tópico 1.2 – As atividades econômicas e a expansão colonial – açúcar, mineração, gado e
A formação de Portugal.....................................................................................................17 comércio. ................................................................................................................................. 39
Dinastia de Borgonha ........................................................................................................17 Comentário ...................................................................................................................... 39
A dinastia de Avis .............................................................................................................17 AS ATIVIDADES ECONÔMICA E A EXPANSÃO COLONIAL – AÇÚCAR MINERAÇÃO, GADO E
COMÉRCIO .......................................................................................................................... 39
A expansão ultramarina européia ......................................................................................18
O ciclo do pau-brasil ........................................................................................................ 39
A Escola de Sagres ...........................................................................................................18
O ciclo do açúcar ............................................................................................................. 40
Novas tecnologias .............................................................................................................19
A pecuária ....................................................................................................................... 40
Os Tratados feitos com a Espanha .....................................................................................20
Os escravos ..................................................................................................................... 41
A Viagem de Cabral ..........................................................................................................20
Drogas do sertão ............................................................................................................. 41
A questão da intencionalidade do descobrimento ...............................................................21
Outras atividades econômicas........................................................................................... 41
As consequências da expansão marítima............................................................................21
A exploração das minas .................................................................................................... 42
Brasil pré-colonial (1500 – 1530) .......................................................................................21
Os diamantes................................................................................................................... 42
Os habitantes do Brasil antes de Cabral .............................................................................22
Transformações na colônia ............................................................................................... 43
A estrutura político-administrativa: a expedição de 1530 de Martim Afonso de Souza. .........23
EXERCÍCIOS ........................................................................................................................ 44
EXERCÍCIOS .........................................................................................................................24
EXERCÍCIOS DE PROVA ........................................................................................................ 47
EXERCÍCIOS DE PROVA.........................................................................................................28
Tópico 1.3 – Os Povos Indígenas e a Ação Jesuítica. .................................................................. 48
Tópico 1.1 – Capitanias Hereditárias e Governos Gerais ..............................................................29
Comentário ...................................................................................................................... 48
Comentário.......................................................................................................................29
OS POVOS INDÍGENAS E AÇÃO JESUÍTICA. .......................................................................... 48
AS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS ............................................................................................29
A Ação Jesuítica ............................................................................................................... 50
Os Governos Gerais ..........................................................................................................30
CARTA JESUÍTICA ............................................................................................................ 51
Primeiro Governo Geral (1549-1553) .................................................................................31
EXERCÍCIOS ........................................................................................................................ 53
As Câmaras Municipais ......................................................................................................31
EXERCÍCIOS DE PROVA ........................................................................................................ 57
O Segundo Governo Geral (1553-1558) .............................................................................31
Tópico 1.4 – A camada senhorial e os escravos .......................................................................... 59
O Terceiro Governo Geral (1558-1572) ..............................................................................32
Comentário ...................................................................................................................... 59
Dois Governos: Um no norte e outro no sul .......................................................................32
A CAMADA SENHORIAL E OS ESCRAVOS ............................................................................... 59
O Domínio Espanhol..........................................................................................................32

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
EXERCÍCIOS .........................................................................................................................60 Os Motins do Maneta (Salvador /1711) ............................................................................103
EXERCÍCIOS DE PROVA.........................................................................................................66 A Revolta de Vila Rica (1720) ..........................................................................................104
Tópico 1.5 – A conquista dos sertões – entradas e bandeiras ......................................................68 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................105
Comentário.......................................................................................................................68 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................110
A CONQUISTA DOS SERTÕES – ENTRADAS E BANDEIRAS ......................................................68 Tópico 1.7 – Os conflitos coloniais e os movimentos rebeldes dos finais do século XVIII e início do
XIX. ........................................................................................................................................111
EXERCÍCIOS .........................................................................................................................72
Comentário .....................................................................................................................111
EXERCÍCIOS DE PROVA.........................................................................................................77
OS CONFLITOS COLONIAIS E OS MOVIMENTOS REBELDES DO FINAL DO SÉCULO XVIII E
Tópico Especial - Ocupação Holandesa no Brasil .........................................................................80
INÍCIO DO XIX ....................................................................................................................111
Comentário.......................................................................................................................80
Aclamação de Amador Bueno (São Paulo – 1641).............................................................111
A formação da União Ibérica .............................................................................................82
A Revolta contra os Xumbergas (Pernambuco -1666) .......................................................112
A campanha holandesa na Bahia (1624-1625)....................................................................82
A Guerra dos Emboabas (1708-1709) ..............................................................................112
A campanha holandesa em Pernambuco (1630-1654) ........................................................83
O Levante do Terço Velho (1728) ....................................................................................113
Governo Nassoviano (1637-1644) ......................................................................................84
Inconfidência Mineira (1789) ...........................................................................................113
Insurreição Pernambucana (1644-1654) ............................................................................84
Conjuração Carioca (1794) ..............................................................................................115
EXERCÍCIOS .........................................................................................................................85
A Conjuração Baiana (1798) ............................................................................................115
EXERCÍCIOS DE PROVA.........................................................................................................90
EXERCÍCIOS .......................................................................................................................116
Tópico Especial - A expansão territorial ......................................................................................92
EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................122
Comentário.......................................................................................................................92
Tópico 1.8 – A transferência da Corte portuguesa para o Brasil e seus efeitos ............................124
Expansão rumo ao Sul ...........................................................................................................92
Comentário .....................................................................................................................124
Expansão rumo ao Norte ...................................................................................................93
A TRANSFERÊNCIA DA CORTE PORTUGUESA PARA O BRASIL E SEUS EFEITOS.....................124
Os Tratados e Limites .......................................................................................................93
O contexto da vinda da família real (1808) .......................................................................124
EXERCÍCIOS .........................................................................................................................94
As transformações ocorridas no Brasil a partir da presença da corte no Rio de Janeiro .......125
EXERCÍCIOS DE PROVA.........................................................................................................98
EXERCÍCIOS .......................................................................................................................127
Comentário.......................................................................................................................99
EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................133
O MONOPÓLIO COMERCIAL PORTUGUÊS ..............................................................................99
Tópico 1.9 – A política expansionista de Dom João ....................................................................135
A Revolta da Cachaça (Rio de Janeiro /1660-1661) ............................................................99
Comentário .....................................................................................................................135
A Revolta de Beckman (Maranhão/1684) ......................................................................... 100
A POLÍTICA EXPANSIONISTA DE DOM JOÃO ........................................................................135
A Guerra dos Mascates (Pernambuco /1710-1711) .......................................................... 101
EXERCÍCIOS .......................................................................................................................136
A Revolta do Sal (São Paulo/1710) .................................................................................. 103
Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 139 A GUARDA NACIONAL .........................................................................................................169
Tópico 2.1 – As lutas pela independência ................................................................................. 140 O Período regencial e a Guarda Nacional ..........................................................................169
Comentário..................................................................................................................... 140 Regência Trina Provisória (1831) .....................................................................................170
AS LUTAS PELA INDEPENDÊNCIA ........................................................................................ 140 A Regência Trina Permanente (1831-1834) ......................................................................170
A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL ............................................................................................ 141 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................171
A Revolução Liberal do Porto (1820) ................................................................................ 141 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................175
O "Fico" e o "Cumpra-se" ................................................................................................ 142 Tópico 2.5 – O Ato Adicional de 1834 .......................................................................................176
A Independência............................................................................................................. 143 Comentário .....................................................................................................................176
As guerras da Independência .......................................................................................... 144 O ATO ADICIONAL DE 1834 ................................................................................................176
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 145 A Regência Una do Padre Diogo Antônio Feijó ..................................................................176
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 150 A Regência de Araújo Lima ..............................................................................................177
Tópico 2.2 – A independência do Brasil e o Primeiro Reinado .................................................... 152 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................178
Comentário..................................................................................................................... 152 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................181
A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL E O PRIMEIRO REINADO...................................................... 152 Tópico 2.6 – As revoltas regenciais ...........................................................................................183
A Confederação do Equador (1824) e Guerra da Cisplatina (1825-1828) ........................... 152 Comentário .....................................................................................................................183
Abdicação do trono português ......................................................................................... 153 AS REVOLTAS REGENCIAIS .................................................................................................183
Abdicação do trono brasileiro .......................................................................................... 154 Rebeliões do Período Regencial .......................................................................................183
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 154 A Cabanagem .................................................................................................................183
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 159 A Sabinada .....................................................................................................................185
Tópico 2.3 – A Constituição de 1824......................................................................................... 160 A Balaiada ......................................................................................................................185
Comentário..................................................................................................................... 160 A Revolução Farroupilha ..................................................................................................186
A CONSTITUIÇÃO DE 1824.................................................................................................. 160 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................187
Primeiro Reinado ............................................................................................................ 160 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................192
O reconhecimento da independência ............................................................................... 160 Tópico 2.7 – A consolidação da ordem interna: o fim das rebeliões, os partidos, a legislação, o
fortalecimento do Estado, a economia cafeeira, a tributação......................................................194
A Carta Outorgada de 1824 ............................................................................................. 161
Comentário .....................................................................................................................194
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 162
A CONSOLIDAÇÃO DA ORDEM INTERNA: O FIM DAS REBELIÕES, OS PARTIDOS ..................194
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 166
A consolidação da ordem interna .....................................................................................194
Tópico 2.4 – A Guarda Nacional ............................................................................................... 169
EXERCÍCIOS .......................................................................................................................195
Comentário..................................................................................................................... 169

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 199 Tópico 2.13 – O movimento republicano ...................................................................................243
Tópico 2.8 – Centralização x descentralização ........................................................................... 201 Comentário .....................................................................................................................243
Comentário..................................................................................................................... 201 O MOVIMENTO REPUBLICANO.............................................................................................243
CENTRALIZAÇÃO X DESCENTRALIZAÇÃO ............................................................................. 201 A Queda da Monarquia ....................................................................................................243
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 203 A Questão Militar ............................................................................................................244
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 207 O fim do Império ............................................................................................................244
Tópico 2.9 – Economia e cultura na sociedade imperial ............................................................. 208 Deodoro da Fonseca .......................................................................................................245
Comentário..................................................................................................................... 208 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................245
ECONOMIA E CULTURA NA SOCIEDADE IMPERIAL ............................................................... 208 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................249
Modernização: economia e cultura na sociedade imperial. ................................................ 208 Tópico 3.1 – A constituição de 1891, os militares e a consolidação da República ........................252
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 210 Comentário .....................................................................................................................252
Tópico 2.10 – A escravidão, movimento abolicionista e a abolição ............................................. 217 A REPÚBLICA VELHA (1889-1930) .......................................................................................252
Comentário..................................................................................................................... 217 O Governo Deodoro da Fonseca (1889-1891) ...................................................................252
A ESCRAVIDÃO, MOVIMENTO ABOLICIONISTA E A ABOLIÇÃO ............................................. 217 Bandeira Provisória da República .....................................................................................253
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 218 O Congresso Nacional e a Constituinte de 1890 ................................................................254
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 223 Governo Constitucional: tentativa de golpe e renúncia ......................................................256
Tópico 2.11 – Transição para o trabalho livre............................................................................ 224 Governo Floriano Peixoto (1891-1894) .............................................................................256
Comentário..................................................................................................................... 224 Governo Prudente de Morais (1894-1898) ........................................................................257
TRANSIÇÃO PARA O TRABALHO LIVRE ................................................................................ 224 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................257
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 226 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................262
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 230 Tópico 3.2 – A política dos governadores ..................................................................................265
Tópico 2.12 – Política externa – as questões platinas e a Guerra do Paraguai............................. 231 Comentário .....................................................................................................................265
Comentário..................................................................................................................... 231 A POLÍTICA DOS GOVERNADORES.......................................................................................265
POLÍTICA EXTERNA – AS QUESTÕES PLATINAS E A GUERRA DO PARAGUAI ......................... 231 Governo Campos Sales (1898-1902) e a política dos governadores ...................................265
A Guerra contra Oribe e Rosas ........................................................................................ 231 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................267
A Questão Christie .......................................................................................................... 232 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................271
A Guerra do Paraguai .......................................................................................................... 232 Tópico 3.3 – O coronelismo e o sistema eleitoral .......................................................................273
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 236 Comentário .....................................................................................................................273
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 240 CORONELISMO ...................................................................................................................273
Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 274 O Governo Provisório (1930-1934) e a Revolução Constitucionalista de 1932. ....................319
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 280 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................322
Tópico 3.4 – Os movimentos sociais no campo e nas cidades .................................................... 281 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................328
Comentário..................................................................................................................... 281 Tópico 3.9 – O Governo Constitucional .....................................................................................330
OS MOVIMENTOS SOCIAIS NO CAMPO E NAS CIDADES ....................................................... 281 Comentário .....................................................................................................................330
Governo Afonso Pena (1906-1909) .................................................................................. 283 O GOVERNO CONSTITUCIONAL ...........................................................................................330
Governo Nilo Peçanha (1909-1910) ................................................................................. 283 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................332
Governo Hermes da Fonseca (1910-1914) ....................................................................... 283 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................336
Governo Delfim Moreira (1919-1919) / Morte de Rodrigues Alves ..................................... 288 Tópico 3.10 – O Estado Novo (1937-1945) – populismo e intervenção do Estado na economia ...337
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 288 Comentário .....................................................................................................................337
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 292 O ESTADO NOVO (1937-1945): POPULISMO E INTERVENÇÃO DO ESTADO NA ECONOMIA ....337
Tópico 3.5 – Tenentismo ......................................................................................................... 295 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................342
Comentário..................................................................................................................... 295 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................347
TENENTISMO...................................................................................................................... 295 Tópico 3.11 – A crise do governo Vargas ..................................................................................350
Governo Artur Bernardes (1922-1926) ............................................................................. 295 Comentário .....................................................................................................................350
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 302 A CRISE DO GOVERNO VARGAS...........................................................................................350
Tópico 3.6 – A Semana de Arte Moderna .................................................................................. 303 A política do Brasil pós-1945............................................................................................350
Comentário..................................................................................................................... 303 Governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1951) ...........................................................................350
A SEMANA DE ARTE MODERNA ........................................................................................... 303 Governo Getúlio Vargas (1951-1954) ...............................................................................351
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 305 A Carta-testamento de Getúlio Vargas .............................................................................353
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 309 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................354
Tópico 3.7 – A Aliança Liberal e a Revolução de 1930 ............................................................... 311 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................358
Comentário..................................................................................................................... 311 Tópico 3.12 – O governo JK e o desenvolvimentismo ................................................................360
A ALIANÇA LIBERAL E A REVOLUÇÃO DE 1930..................................................................... 311 Comentário .....................................................................................................................360
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 314 O GOVERNO JK E O DESENVOLVIMENTISMO .......................................................................360
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 317 Governo João Café Filho (1954-1955) ..............................................................................360
Tópico 3.8 – O Governo Provisório (1930-1934) ........................................................................ 319 Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961) ......................................................................361
Comentário..................................................................................................................... 319 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................364
O GOVERNO PROVISÓRIO (1930-1934) ............................................................................... 319 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................368

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Tópico 3.13 – A crise institucional nos Governos de Quadros e Goulart ...................................... 370 Período presidencial ........................................................................................................403
Comentário..................................................................................................................... 370 A CAMPANHA DAS DIRETAS JÁ. ...........................................................................................404
A CRISE INSTITUCIONAL NOS GOVERNOS DE QUADROS E GOULART .................................. 370 Governo Figueiredo .........................................................................................................404
Governo Jânio Quadros (1961) ........................................................................................ 370 Dados biográficos ...........................................................................................................404
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 377 Período presidencial ........................................................................................................405
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 382 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................407
Tópico 3.14 - As reformas de base e a intervenção militar ......................................................... 383 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................412
Comentário..................................................................................................................... 383 Tópico 3.17 – A campanha pelas eleições diretas ......................................................................413
AS REFORMAS DE BASE E A INTERVENÇÃO MILITAR ........................................................... 383 Comentário .....................................................................................................................413
Os Atos Institucionais. .................................................................................................... 383 A CAMPANHA PELAS ELEIÇÕES DIRETAS .............................................................................413
GOVERNO COSTA E SILVA .................................................................................................. 385 Tancredo de Almeida Neves ............................................................................................413
Período presidencial ........................................................................................................ 385 Dados biográficos ...........................................................................................................413
JUNTA MILITAR .............................................................................................................. 387 José Sarney ....................................................................................................................413
Dados biográficos ........................................................................................................... 387 Dados biográficos ...........................................................................................................413
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 388 Período presidencial ........................................................................................................414
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 393 EXERCÍCIOS .......................................................................................................................415
Tópico 3.15 – O milagre econômico.......................................................................................... 394 EXERCÍCIOS DE PROVA .......................................................................................................420
Comentário..................................................................................................................... 394 Tópico 3.18 – A Constituição de 1988 .......................................................................................421
O MILAGRE ECONÔMICO .................................................................................................... 394 Comentário .....................................................................................................................421
Governo Médici ............................................................................................................... 394 CONSTITUIÇÃO DE 1988 .....................................................................................................421
Dados biográficos ........................................................................................................... 394 EXERCÍCIO .........................................................................................................................422
Período presidencial ........................................................................................................ 394 EXERCÍCIO DE PROVA .........................................................................................................426
EXERCÍCIOS ....................................................................................................................... 397 Gabaritos ................................................................................................................................427
EXERCÍCIOS DE PROVA....................................................................................................... 402 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima .......................................................................................427
Tópico 3.16 – A redemocratização ............................................................................................ 403 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................427
Comentário..................................................................................................................... 403 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................427
A REDEMOCRATIZAÇÃO ...................................................................................................... 403 Tópico 1.1 – Capitanias Hereditárias e Governos Gerais ........................................................427
Governo Geisel ............................................................................................................... 403 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................427
Dados biográficos ........................................................................................................... 403 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................427
Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Tópico 1.2 – As atividades econômicas e a expansão colonial – açúcar mineração, gado e Tópico 1.9 – A política expansionista de Dom João ...............................................................429
comércio............................................................................................................................. 427
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................429
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 427
Tópico 2.1 – As lutas pela independência .............................................................................429
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 427
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................429
Tópico 1.3 – Os Povos Indígenas e a Ação Jesuítica.............................................................. 427
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................429
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 427
Tópico 2.2 – A independência do Brasil e o Primeiro Reinado ................................................429
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 427
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................429
Tópico 1.4 – A camada senhorial e os escravos .................................................................... 427
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................429
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 427
Tópico 2.3 – A Constituição de 1824 ....................................................................................429
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 427
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................429
Tópico 1.5 – A conquista dos sertões – entradas e bandeiras ................................................ 427
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................429
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 427
Tópico 2.4 – A Guarda Nacional ...........................................................................................429
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 427
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................429
Tópico Especial - Invasões Holandesas................................................................................. 428
Tópico 2.5 – O Ato Adicional de 1834 ...................................................................................429
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 428
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................429
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 428
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................429
Tópico Especial - A expansão territorial ................................................................................ 428
Tópico 2.6 – As revoltas regenciais ......................................................................................430
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 428
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................430
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 428
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................430
Tópico 1.6 – O monopólio comercial português .................................................................... 428
Tópico 2.7 – A consolidação da ordem interna: o fim das rebeliões, os partidos, a legislação, o
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 428 fortalecimento do Estado, a economia cafeeira, a tributação. ................................................430
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 428 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................430
Tópico 1.7 – Os conflitos coloniais e os movimentos rebeldes dos finais do século XVIII e início EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................430
do XIX. ............................................................................................................................... 428
Tópico 2.8 - Centralização x descentralização .......................................................................430
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 428
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................430
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 428
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................430
Tópico 1.8 – A transferência da Corte portuguesa para o Brasil e seus efeitos ....................... 428
Tópico 2.9 – economia e cultura na sociedade imperial .........................................................430
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 428
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................430
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 428
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................430

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Tópico 2.10 - A escravidão, movimento abolicionista e a abolição.......................................... 430 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................432
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 430 Tópico 3.7 – A Aliança Liberal e a Revolução de 1930 ...........................................................432
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 430 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................432
Tópico 2.11 – Transição para o trabalho livre ....................................................................... 430 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................432
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 430 Tópico 3.8 – O Governo Provisório (1930-1934)....................................................................432
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 430 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................432
Tópico 2.12 – Política externa – as questões platinas e a Guerra do Paraguai ........................ 431 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................432
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 431 Tópico 3.9 – O governo Constitucional .................................................................................432
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 431 EXERCÍCIOS ...................................................................................................................432
Tópico 2.13 – O movimento republicano .............................................................................. 431 EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................432
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 431 Tópico 3.10 – O Estado Novo (1937-1945) – populismo e intervenção do Estado na economia
..........................................................................................................................................432
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 431
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................432
Tópico 3.1 – A constituição de 1891, os militares e a consolidação da República .................... 431
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................432
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 431
Tópico 3.11 – A crise do governo Vargas ..............................................................................433
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 431
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................433
Tópico 3.2 – A política dos governadores ............................................................................. 431
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................433
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 431
Tópico 3.12 – O governo JK e o desenvolvimentismo ............................................................433
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 431
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................433
Tópico 3.3 – O coronelismo e o sistema eleitoral .................................................................. 431
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................433
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 431
Tópico 3.13 – A crise institucional nos Governos de Quadros e Goulart ..................................433
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 431
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................433
Tópico 3.4 – Os movimentos sociais no campo e nas cidades ................................................ 431
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................433
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 431
Tópico 3.14 – As reformas de base e a intervenção militar ....................................................433
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 431
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................433
Tópico 3.5 – Tenentismo ..................................................................................................... 432
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................433
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 432
Tópico 3.15 – O milagre econômico .....................................................................................433
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 432
EXERCÍCIOS ...................................................................................................................433
Tópico 3.6 – A Semana de Arte Moderna.............................................................................. 432
EXERCÍCIOS DE PROVA ..................................................................................................433
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 432
Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Tópico 3.16 – A redemocratização ....................................................................................... 433
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 433
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 433
Tópico 3.17 – A campanha pelas eleições diretas.................................................................. 434
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 434
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 434
Tópico 3.18 – A Constituição de 1988 .................................................................................. 434
EXERCÍCIOS ................................................................................................................... 434
EXERCÍCIOS DE PROVA .................................................................................................. 434

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Lista de Figuras Figura 38: Bandeira dos Sabinos ..............................................................................................185
Figura 39: Cena da Guerra dos Farrapos. ..................................................................................186
Figura 1: À Descoberta da História e Geografia de Portugal. ........................................................18 Figura 40: Estudo para a sagração de Dom Pedro II. ................................................................194
Figura 2: Navegações portuguesas. ............................................................................................18 Figura 41: D. Pedro II ..............................................................................................................202
Figura 3: Representação do Infante Dom Henrique num dos Painéis de São Vicente de Fora. .......18 Figura 42: Regiões de Produção de Café. ..................................................................................208
Figura 4: Astrolábio. ..................................................................................................................19 Figura 43: Negros no porão de um navio negreiro.....................................................................217
Figura 5: Nau de Pedro Álvares Cabral. ......................................................................................19 Figura 44: Os três chefes de Estado do Uruguai. .......................................................................233
Figura 6: Mapa de Cantino feito em 1502. ..................................................................................20 Figura 45: O Imperialismo Brasileiro. ........................................................................................233
Figura 7: Desembarque de Cabral em Porto Seguro (estudo), óleo sobre tela, Oscar Pereira da Figura 46: (circa de 1867): dois cartes-de visite mostrando soldado e oficial paraguaios capturados
Silva, 1904. ...............................................................................................................................20 por oficiais brasileiros e argentinos respectivamente. ................................................................235
Figura 8: Jean de Lery. Século XVI. ............................................................................................20 Figura 47: “Derrubado do trono”. .............................................................................................245
Figura 9: “Família de um chefe Camacã se preparando para festa” ..............................................22 Figura 48: Juramento constitucional. Após a promulgação da 1ª Constituição Republicana do Brasil,
Figura 10: Capitanias hereditárias ..............................................................................................30 assumem o poder os Marechais Manuel Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Francisco Aurélio
Figura 11: Chegada de Tomé de Sousa à Bahia, numa gravura de começo do século XIX .............31 de Figueiredo e Mello ...............................................................................................................256
Figura 12: Mem de Sá ...............................................................................................................32 Figura 49: “A esfinge”. .............................................................................................................257
Figura 13: Derrubada do pau-brasil ............................................................................................40 Figura 50: Caricatura de Prudente de Morais e presidente Campos Sales. ..................................266
Figura 14: Moagem da Cana no Engenho ...................................................................................40 Figura 51: As próximas eleições... “de cabresto”. ......................................................................273
Figura 15: Imagem de Rugendas ...............................................................................................41 Figura 52: Charge. ...................................................................................................................282
Figura 16: Mineração de diamantes ............................................................................................43 Figura 53: Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon: quando Jovem, desbravando os ignotos
Figura 17: Ritual Antropogáfico ..................................................................................................50 sertões da Amazônia brasileira. Hoje, Patrono da Arma de Comunicações do Exército Brasileiro. .283
Figura 18: Imagem de hans staden ............................................................................................49 Figura 54: Marinheiros revoltosos (1910). João Cândido ao centro. ............................................285
Figura 19: Nobrega e Anchieta ...................................................................................................50 Figura 55: Sobreviventes da Guerra do Contestado. ..................................................................285
Figura 20: Redução Jesuítica ......................................................................................................51 Figura 56: “Combatentes em torno de uma peça de artilharia após um dos combates travados na
Figura 21: Estátua de Antônio Raposo Tavares, um dos mais famosos bandeirantes.....................69 região de Medeiros (PR), entre novembro de 1924 e janeiro de 1925.” ......................................296
Figura 22: Domingos Jorge Velho por Benedicto .........................................................................69 Figura 57: Crash de 1929. ........................................................................................................297
Figura 23: O Caminho de Peabiru. ..............................................................................................70 Figura 58: Revolta dos 18 do Forte de Copacabana: da esquerda para direita, tenentes Eduardo
Figura 24: Selvagens Civilizados Soldados Índios da Província de Curitiba Conduzindo Prisioneiros Gomes, Siqueira Campos, Nílton Prado e o civil Otávio Correia. .................................................303
Indígenas ..................................................................................................................................71 Figura 59: Getúlio Vargas (1882-1954) e João Pessoa (1878-1930) pouco antes da Revolução. ..312
Figura 25: Território sob domínio de Felipe II. ............................................................................81 Figura 60: Comitiva de Getúlio Vargas (ao centro) fotografada por Claro Jansson durante sua
Figura 26: Planta de restituição de Bahia ....................................................................................83 passagem por Itararé (São Paulo) a caminho do Rio de Janeiro após a vitoriosa Revolução de 1930.
Figura 27: Óleo sobre tela Batalha dos Guararapes. ....................................................................84 ...............................................................................................................................................319
Figura 28: Algodão no Brasil .................................................................................................... 100 Figura 61: Almerinda F. Gama, do Sindicato dos Datilógrafos, na eleição dos representantes
Figura 29: Beckman no Sertão do Alto Mearim.......................................................................... 101 classistas para a Assembleia Constituinte. Rio, 1933..................................................................330
Figura 30: Julgamento de Felipe dos Santos. ............................................................................ 105 Figura 62: Material da ANL apreendido pela Polícia Política do D.F. Rio, 1935. ............................331
Figura 31: Tropeiros ................................................................................................................ 112 Figura 63: Humor de J. Carlos à atuação de Getúlio na sucessão presidencial. Rio, 1937 ............337
Figura 32: Leitura da sentença dos inconfidentes. ..................................................................... 114 Figura 64: Getúlio Vargas comunica ao país a instauração do Estado Novo no Rio de Janeiro. 10 de
Figura 33: Vice-rei conde de Resende....................................................................................... 115 novembro de 1937. .................................................................................................................337
Figura 34: Escravos exercendo vários ofícios nas ruas de Salvador. ........................................... 115 Figura 65: Cartaz de propaganda da Ação Integralista Brasileira (AIB). ......................................338
Figura 35: Paço de São Cristóvão em 1816. .............................................................................. 126 Figura 66: Carteira de Trabalho de Getúlio Vargas ....................................................................339
Figura 36: Desembarque em Caiena. ........................................................................................ 135 Figura 67: Manifestação contra o afundamento de navios brasileiros pelos alemães. Rio, 1942. ..339
Figura 37: Belém do Pará, primeira metade do século XIX ......................................................... 184
Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
Figura 68: Embarque de tropas da FEB para a Itália. Rio, 1944 ................................................. 340
Figura 69: Manifestação "queremista" em frente ao Palácio Guanabara. Rio, 1945. .................... 341
Figura 70: Com Paulo Baeta Neves, por ocasião da posse no Senado. Rio, 1946. ....................... 350
Figura 71: Com Leonel Brizola (de terno claro), Ernesto Dornelles e outros, na campanha para a
presidência da República. Itaqui (RS), 1950.............................................................................. 351
Figura 72: Manifestação contra Vargas por ocasião da missa de 7° dia do major Vaz. Rio, 1954. 353
Figura 73: Juscelino Kubitschek discursando para Benedito Valadares e Getúlio Vargas, durante a
inauguração da Avenida do Contorno (Belo Horizonte), em 12 de maio de 1940. ....................... 361
Figura 74: Jânio Quadros e Che Guevara no Brasil. ................................................................... 372
Figura 75: Carta-renúncia de Jânio Quadros. ............................................................................ 373
Figura 76: João Goulart foi o último presidente da República Populista. O famoso comício da
Central do Brasil, em 13 de março de 1964 não foi bem aceito pelos setores mais conservadores da
sociedade brasileira. Em poucos dias ocorreria a intervenção militar. ......................................... 374
Figura 77: Soldados protegendo o Palácio da Guanabara durante o Golpe de Estado no Brasil em
1964, em 31 de março............................................................................................................. 384
Figura 78: Brasília - Nas ruas de Brasília, diante do Congresso Nacional, o povo se manifesta e
exige o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em 1984................. 405
Figura 79: Charge de Miguel Paiva. ...............................................Erro! Indicador não definido.
Figura 80: Assembleia Constituinte de 1988.............................................................................. 414
Figura 81: Ulysses Guimarães e a Constituição de 1988. ........................................................... 421
Figura 82: Boa parte da imprensa brasileira apoiou a candidatura de Collor.Erro! Indicador não
definido.
Figura 83: Denunciado pelo irmão Pedro Collor. .............................Erro! Indicador não definido.
Figura 84: Charge.........................................................................Erro! Indicador não definido.
Figura 85: Charge política. ............................................................Erro! Indicador não definido.

Curso Preparatório Cidade - SCLN 113 Bloco C - Salas 207/210 Tel.: 3340-0433 / 9975-4464 / 8175-4509 - www.iic.pro.br / cursocidade@gmail.com
16 | Curso Preparatório Cidade
Tópico 1.0 – A Expansão Marítima A EXPANSÃO MARÍTIMA

Comentário inicial A formação de Portugal

A península Ibérica, onde surgiu o Estado Português, fica situada na Europa, tendo seu território
Caro estudante, começaremos aqui nossa "viagem" pela História do Brasil. Nosso banhado pelo Oceano Atlântico e pelo Mar Mediterrâneo. A atividade pesqueira sempre foi uma
objetivo neste tópico é compreender os principais motivos que trouxeram os europeus constante naquela região da Europa. No século XIV, Portugal afirmou-se como primeiro Estado
ao "Novo Mundo" e o "início" da história brasileira. moderno da Europa. Sua origem ligou-se a um movimento peculiar à Península Ibérica chamado de
Reconquista, que consistiu na expulsão dos muçulmanos que dominavam parte da Península.
Tradicionalmente a história brasileira é contada a partir do chamado “descobrimento
do Brasil”. O ano 1500 d.C. seria então o “marco zero” da história brasileira. No entanto
é sabido que essa terra já existia e era habitada por diversos povos - os índios ou
silvícolas. Dinastia de Borgonha

Certamente, estimado leitor, você sabe que os rios, morros, planaltos e planícies já Inicialmente havia quatro reinos na península ibérica: Leão, Castela, Navarra e Aragão. O nobre
estavam aqui, mas ainda não existia o “Brasil” enquanto país. Henrique de Borgonha recebeu do Rei de Leão e Castela, como recompensa por seus serviços de
luta contra os muçulmanos, o Condado Portucalense. Mais tarde seu filho, D. Afonso Henriques,
Dessa forma uma “completa história brasileira” vai além do ano de 1500. São muito conseguiu a independência do condado através da assinatura, em 1143, do Tratado de Zamora,
mais que cinco séculos de História! Pesquisas recentes demonstraram que o homo formando o Reino de Portugal e fundando a primeira dinastia portuguesa.
sapiens sapiens habitava essas terras havia pelo menos dez mil anos. No Piauí, estado
do nordeste brasileiro, pesquisadores tentam provar que, se Cabral chegou em terras Auxiliado por cruzados que se dirigiam para o Oriente, D. Afonso Henriques estendeu os domínios
americanas cinco séculos atrás lá o homem teria chegado há cinqüenta mil anos – ou do Reino de Portugal para o sul, conquistando as localidades de Santarém, Lisboa, Palmela e Évora
seja, quinhentos séculos! aos mouros. A dinastia de Borgonha teve seu fim, quando em 1383, faleceu D. Fernando I, sem
deixar herdeiros.
Verdadeiras ou não, tais suspeitas demonstram que uma "verdadeira" história do
território brasileiro indubitavelmente é anterior à chegada de Cabral no Brasil.

No entanto é somente o período mais “recente” da história brasileira que nos interessa A dinastia de Avis
diretamente tendo em vista os objetivos desse curso. Estudaremos a vida dos povos
indígenas ainda nessa aula, principalmente o contato com os europeus, posto que esse A segunda dinastia portuguesa é a dinastia de Avis. Ela era apoiada pela burguesia mercantil, pois
é um item do conteúdo programático. Todavia é a partir da chegada dos europeus que o último rei da dinastia de Borgonha (D. Fernando I) faleceu sem deixar herdeiro. Para não
nos ocuparemos daqui em diante. perderem sua independência para o reino de Castela, pois a sua filha D. Beatriz, herdeira única do
trono português, era casada com o Rei de Castela, comerciantes portugueses das cidades do Porto
Entender os motivos que os trouxeram ao “Novo Mundo” é fundamental para que e de Lisboa financiaram o Mestre da Ordem Militar de Avis, D. João I, para armar um exército,
possamos entender os fatos posteriores. O programa curricular da avaliação não enfrentar as pretensões de Castela e assumir o trono. A batalha de Aljubarrota em 1385 marca o
aborda diretamente o tema Expansão Marítima e Comercial Européia, mas por questões fim da sucessão do trono português dando início à dinastia de Avis que durou até 1580. A
didáticas ele será o nosso ponto de partida. Como em uma novela é necessário que revolução de 1383-1385 foi um momento decisivo no processo de centralização política do Estado
saibamos o que aconteceu antes para entendermos melhor o que aconteceu depois. Português.

Sobre o assunto leia o texto a seguir. Bons estudos!

Curso Preparatório Cidade | Tópico 1.0 – A Expansão Marítima 17


Figura 1: À Descoberta da História e Sob o comando da dinastia de Avis foi A situação piorou depois de 1453, devido à tomada de Constantinopla pelos turcos otomanos,
Geografia de Portugal. elaborada a expansão marítima portuguesa. dificultando o comércio de especiarias pelo Mar Mediterrâneo.
Incentivados pelo Infante D. Henrique de
Avis – “ O NAVEGADOR”, grandes sábios, A solução encontrada foi buscar um novo caminho para se chegar a origem das especiarias: o
cartógrafos e navegadores se reuniram na
Oriente. O problema era como chegar...
lendária Escola de Sagres.

A expansão ultramarina européia

Chamamos de expansão marítima o A Escola de Sagres


processo de saída do homem europeu em
busca de riquezas em outros continentes O infante D. Henrique, filho do Rei D. João I, estabeleceu no seu castelo na Ponta de Sagres em
via Oceano Atlântico, conhecido à época Portugal, um centro náutico conhecido como Escola de Sagres, que coletava informações de mapas
como Mar Tenebroso. Cabe aqui ressaltar e instrumentos de navegações. Em Sagres, com apoio e a proteção do Infante, reuniam-se
Fonte:MARIA LUÍSA SANTOS, CLÁUDIA AMARAL, LÍDIA MAIA, que este foi um processo lento, fruto da cartógrafos, matemáticos e peritos náuticos. A fundação deste centro de estudos está inserida no
À Descoberta da História e Geografia de Portugal – 5º Ano,
Porto: Porto Editora. união de diversos fatores e interesses.
contexto das transformações sociais pelas quais a Europa passava naquele momento, com a
propagação dos ideais humanistas que buscavam explicações racionais e científicas para a
Portugal foi o primeiro país da Europa a se atirar na aventura atlântica concorrendo para isso
compreensão do mundo, fugindo das teorias religiosas.
diversos fatores.
Figura 3: Representação do Infante Dom
Ocupou sempre lugar de destaque na economia lusa a atividade pesqueira, sendo esta a origem da Henrique num dos Painéis de São Mantinha-se, no entanto, segredo das
experiência portuguesa em navegação, mas o projeto expansionista português data do início do Vicente de Fora. principais descobertas principalmente na
século XV. O comércio foi o grande motor da expansão marítima portuguesa, pois as famosas divulgação de mapas, os famosos
especiarias (pimenta, canela, gengibre, noz moscada, etc.), para serem distribuídas para o Norte portulanos, nome dado aos documentos
da Europa, passavam pelos portos portugueses estimulando o comércio. No entanto, as especiarias nos quais estavam descritos os itinerários
atingiam preços absurdos quando chegavam em Portugal devido à distância dos centros produtores marítimos com distâncias e ilustrações dos
principais portos marítimos e lugares de
e ao monopólio exercido pelas cidades italianas de Gênova e Veneza na compra dos produtos em
atracação.
Constantinopla.
A centralização do Estado português ainda
Figura 2: Navegações portuguesas. no século XIV, a obtenção de informações
técnicas, os interesses da burguesia
mercantil, da Igreja, da nobreza,
principalmente a partir do Infante D.
Henrique, em busca de novas possessões
territoriais, possibilitaram a Portugal, entre
Fonte: Museu Nacional de Arte Antiga Lisboa, Portugal.
1415 e 1500, diversas viagens e
descobertas náuticas.
Estas ações eram assim motivadas, ao mesmo tempo, pelo espírito de cruzada e cavalaria e por
considerações políticas e econômicas.

18 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima | Curso Preparatório Cidade


Novas tecnologias desconhecido pelos europeus: a América. Sua descoberta acirrou as relações entre Portugal e
Espanha como você verá a seguir.
A Escola de Sagres também foi responsável por aperfeiçoar várias tecnologias na área de
navegação como o sextante (peça árabe utilizada na localização de meridianos através de estrelas) Observe o esquema abaixo sobre as causas da expansão marítima e comercial européia.
e a bússola (invenção chinesa utilizada pelos árabes para localizar o norte verdadeiro através de
uma agulha magnética). Causas econômicas:

Figura 4: Astrolábio. Figura 5: Nau de Pedro Álvares Cabral. - Cobiça de lucros, o comércio Oriente-Ocidente era o mais rentável da Idade Média;

- Busca de ouro e prata;

- O interesse em acabar com o monopólio italiano na venda de especiarias;

- Interesses em novas terras a serem descobertas.

Causas políticas:

- A tomada de Constantinopla pelos turcos;

- Atuação da burguesia, que passou a financiar parte das viagens marítimas;

- Formação dos Estados Nacionais absolutos capazes de financiar o empreendimento.

Causas religiosas:
Fonte:http://cvc.instituto-camoes.pt Fonte: Livro das Armadas (Biblioteca da Academia das Ciências de
Lisboa).
- Levar a fé católica a outros povos;

Uma das invenções mais importante foi a caravela com vela triangular que permitiu a navegação - Busca do Paraíso Terrestre.
em mar oceânico. A caravela navegava contra o vento e tornava as viagens bem mais rápidas que
Causas tecnológicas:
as antigas embarcações utilizadas no Mediterrâneo.
- Os grandes progressos náuticos, muitas vezes copiados dos árabes, como: bússola, astrolábio,
A primeira conquista portuguesa foi a cidade de Ceuta (1415), grande entreposto comercial no
caravela, portulanos;
norte da África. Em 1420, foram atingidas as Ilhas da Madeira e Açores. Seguindo a política de
contornar a costa africana para poder chegar às Índias (Périplo Africano), o Navegador Gil Eanes,
- Mudança de mentalidade européia com o movimento humanista que buscava explicações
em 1434, dobra o cabo Bojador. Em 1488, Bartolomeu Dias conseguiu dobrar o cabo das
racionais para compreensão do mundo.
Tormentas (que passou a ser chamado de cabo da Boa Esperança). Coroando o projeto português,
em 1498, Vasco da Gama descobre o caminho marítimo para as Índias, chegando a Calicute.

Enquanto a costa ocidental da África era explorada, a navegação no Atlântico era um segredo de
estado, só quebrado por Colombo que pretendia alcançar o Oriente pelo Ocidente navegando para
a coroa espanhola. Sua teoria teria dado certo se não houvesse em seu caminho um continente

Curso Preparatório Cidade | Tópico 1.0 – A Expansão Marítima 19


Os Tratados feitos com a Espanha A Viagem de Cabral

No ano de 1492, a Espanha iniciou sua expansão marítima. Os reis espanhóis, Fernando II e Isabel Com o objetivo de fundar feitorias na Índia e de forçar o Marajá de Calicute a aceitar comercializar
I, financiaram o projeto do navegador genovês Cristóvão Colombo, que pretendia chegar às Índias com Portugal, o rei D. Manuel I, O Venturoso, preparou uma grande esquadra composta de 13
navegando para o Ocidente, acreditando que a terra era redonda. Colombo chega à América em caravelas, a mais poderosa das expedições até então organizada. Com artilharia, munições e
outubro de 1492, pensando ter chegado às Índias. mantimentos a esquadra levava o melhor possível. Transportava 1.500 homens de armas, entre os
quais 20 degredados que deviam ser deixados em terra para aprender a língua. Esta esquadra
A descoberta da América por Colombo em 1492 abriu uma etapa de negociações entre Portugal e estava sob o comando do Fidalgo Pedro Álvares Cabral, embaixador de Portugal perante o Marajá
Espanha sobre as descobertas, tendo a Igreja o papel de mediadora. O primeiro tratado entre os de Calicute (cidade da Índia). Cabral não era navegador, mas por ser a figura mais importante da
dois países foi a Bula “Inter Coetera”, de 1493, na qual o Papa Alexandre VI estabelecia um frota, assumiu o comando. Tinha os melhores comandantes de navios na sua esquadra.
meridiano de 100 léguas a Oeste do arquipélago de Cabo Verde, concedendo à Espanha todas as
possessões a Oeste deste meridiano cabendo à Portugal tudo a Leste. Portanto os resultados da No dia 09 de março de 1500 a frota partiu do porto do Tejo em direção à Índia, contornando a
primeira expedição de Colombo iniciaram uma disputa pela partilha do mundo. costa africana, como era o projeto português, mas a viagem tinha objetivos secretos, e se afastou
muito da costa africana. No dia 21 de Abril de 1500 foram avistados os primeiros sinais da terra. A
Figura 6: Mapa de Cantino feito em 1502. 22 de abril: terra firme. Era a costa, atualmente do sul da Bahia. O primeiro ponto percebido foi um
monte, chamado de monte Pascoal, por estarem próximos da Páscoa. Aproximando-se da terra,
Cabral entrou em contato pacífico com os indígenas. No dia 26, foi rezada a primeira missa, na
localidade chamada Coroa Vermelha por frei Henrique de Coimbra, franciscano; o escrivão Pero Vaz
de Caminha escreveu notícia do descobrimento para que o navegador Gaspar de Lemos a levasse a
Portugal e noticiasse o Rei e a Europa das novas possessões portuguesas. O Brasil teve vários
nomes além de Pindorama como os índios a chamavam, foi batizada pelos portugueses como Ilha
de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz e Brasil.

Figura 7: Desembarque de Cabral em Porto Seguro (estudo), óleo sobre tela, Oscar Pereira
da Silva, 1904.

Fonte: Academia de Ciências de Lisboa.

O rei de Portugal, D. João II, não ficou satisfeito com a bula papal, pois a linha imaginária passaria
no meio do Atlântico, ameaçando as conquistas portuguesas nas rotas do Atlântico Sul. Em 1494,
foi assinado o Tratado de Tordesilhas, que seria o definitivo entre portugueses e espanhóis. Foi
traçado um novo meridiano, agora a 370 léguas do arquipélago de Cabo Verde, ficando as terras a
leste do mesmo meridiano para Portugal. O novo tratado garantiu a Portugal não apenas as rotas
Fonte: Acervo do Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro.
do Atlântico, como também uma parte da América, onde mais tarde Cabral fundaria o Brasil.
O local chamado por Cabral como um porto seguro é hoje identificado como Baía Cabrália, ao sul
da Bahia. Não se conhecem as cartas de Cabral e as dos demais comandantes. As únicas que nos
restam são a de Pero Vaz de Caminha e a do Astrônomo Mestre João.

20 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima | Curso Preparatório Cidade


A questão da intencionalidade do descobrimento o fortalecimento da burguesia; o reestabelecimento do escravismo; a formação de impérios
coloniais; propagação da fé católica para América, África e Ásia; comércio de proporções mundiais
Muitos historiadores admitem que houvesse intencionalidade no descobrimento, isto é, julgam que que agora uniam diversos continentes; dizimação de civilizações americanas e da cultura indígena
os portugueses já sabiam ou suspeitavam da existência de terras ao Oeste do Atlântico Sul. Entre presente na América.
os argumentos podemos citar os seguintes:
A consequência principal para Portugal foi que, como um reino pequeno, se deparou com enormes
- A carta de Pero Vaz de Caminha não demonstra surpresa com a nova descoberta. extensões territoriais para conquistar, não tendo de imediato a força para poder dominá-lo inteiro.

- D. João II não aceitou a primeira demarcação estabelecida pelo papa Alexandre VI,
através da Bula Inter Coetera.
Brasil pré-colonial (1500 – 1530)
- Mestre João, físico e cirurgião do rei de Portugal, alemão de nascimento, era dos mais
categorizados astrônomos da época. Muito entendido na arte de determinar a longitude O processo de colonização do Brasil surgiu dentro da lógica comercial da Europa de então. A
de leste a oeste, não haveria ele, sendo um dos componentes da esquadra cabralina, expansão marítima modificou o mundo. O comércio, na Europa, teve grande impulso, devido às
encarregado de corrigir com presteza a rota do Cabo da Boa Esperança a Calicute? especiarias vinda da Ásia e também à infinidade de produtos que chegavam da África como ouro e
marfim.
- Posição geográfica estratégica (Península Ibérica – Sudeste europeu);
No Brasil, de imediato, os portugueses não encontraram coisa alguma que fosse objeto de
- Portugal foi o primeiro Estado Nacional Moderno (centralização do poder); comercialização, exceção feita ao pau-brasil, madeira utilizada para tingir roupas. Por isso o
comércio com as Índias era, sem dúvida, mais rentável aos cofres portugueses. Além disso,
- Presença de uma forte burguesia; Portugal não dispunha de pessoal, dinheiro e navios suficientes para manter duas linhas de
comércio ao mesmo tempo, com o Oriente e com o Brasil. Devido a isso, até 1530, Portugal não se
- A Espanha estava preocupada em expulsar os árabes de seu território;
interessou muito pelo Brasil.
- Existência de escolas de navegação;
Figura 8: Jean de Lery. Século XVI. O primeiro reconhecimento da terra foi feito
pelo próprio navio encarregado de levar as
- O rei e a burguesia mercantil de Portugal uniram-se com o objetivo de expandir o cartas narrando o descobrimento ao Rei D.
comércio marítimo. Manuel I, sob o comando de Gaspar de
Lemos. Verificou não se tratar de uma
- Tradição Naval. simples ilha, como dissera Cabral, mas um
grande continente.

Para que fossem obtidas maiores


As consequências da expansão marítima informações a respeito da terra descoberta,
foram enviadas algumas expedições. Em
As grandes navegações representaram um dos mais significativos acontecimentos da Idade 1503, o governo português arrendou os
direitos de exploração do pau-brasil e um
Moderna. Entre as principais transformações trazidas por este processo podemos citar: a mudança
grupo de comerciantes liderados por
do eixo econômico europeu do Mar Mediterrâneo para os Oceanos Atlântico e Índico; decadência
Fernando de Noronha. O arrendatário
econômica das cidades italianas; duas novas potências ascenderam, Portugal e Espanha; comprometia-se a pagar imposto ao
europeização do mundo. governo português pela extração do pau-
Jean de Lery. Século XVI. brasil, que era considerado estanco do rei
As outras consequências da expansão marítima foram: a comprovação da esfericidade da terra; a
ampliação do mundo conhecido com a descoberta de novos continentes; alta de preços na Europa;

Curso Preparatório Cidade | Tópico 1.0 – A Expansão Marítima 21


de Portugal, ou seja, patrimônio real. Para a extração do pau-brasil, foi montado ao longo do litoral Os outros grupos indígenas brasileiros além do tupi eram: Jê, Aruaque e Caraíba. Estes por sua vez
algumas feitorias, depósitos destinados a armazenar pau-brasil. se subdividiam em diversas outras famílias de línguas.

Nesses anos iniciais, entre 1500 e 1535, a principal atividade O grupo tupi ocupava a área referente ao litoral brasileiro, desde o Ceará até São Paulo. Desta
econômica foi a extração do pau-brasil, obtida principalmente região até o Rio Grande do Sul, os Guaranis dominavam. O grupo Jê ocupava a região do Sertão se
mediante troca com os índios. As árvores não cresciam juntas, em estendendo desde o Maranhão e Piauí até o Mato Grosso. Os Aruaques e Caraíbas ocupavam a
grandes áreas, mas encontravam-se dispersas. À medida que a região norte que inclui o Amapá, Pará e perto do Amazonas.
madeira foi se esgotando no litoral, os europeus passaram a recorrer
aos índios para obtê-la. O trabalho coletivo, especialmente a Figura 9: “Família de um chefe Camacã se preparando para festa”
derrubada de árvores, era uma tarefa comum na sociedade tupinambá.
Assim, o corte do pau-brasil podia integrar-se com relativa facilidade
aos padrões tradicionais da vida indígena. Os índios forneciam a
madeira e, em menor escala, farinha de mandioca, trocadas por peças
de tecido, facas, canivetes e quinquilharias, objetos de pouco valor
para os portugueses.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo 2013. 14ª edição.

Os habitantes do Brasil antes de Cabral

No Brasil foram encontrados muitos sítios arqueológicos (conjuntos de vestígios encontrados em


uma determinada região) e seu estudo tem contribuído muito para elucidar o modo de vida dos
povos que aqui viveram nos primeiros tempos.

Os sítios arqueológicos encontrados no litoral brasileiro são conhecidos como sambaquis, ou seja,
montes de conchas e esqueletos de peixes associados e artefatos de pedra que atingem de 2 a 30
metros de altura, resultantes das sucessivas ocupações de comunidades que se alimentavam de
animais marinhos, deixando os restos dos alimentos (cascas de moluscos e esqueletos de peixes)
na própria área de habitação. Alguns sambaquis datam de 10 mil anos atrás. por Jean-Baptiste Debret.

São comuns também as pinturas rupestres, encontradas nas paredes rochosas das cavernas, em Os índios brasileiros praticavam a caça, a pesca, a coleta de alimentos das matas e a agricultura,
lajes de pedras e em fragmentos de rochas. Trata-se de desenhos de figuras humanas e de sendo os principais produtos a mandioca, milho, amendoim e feijão, seu método agrícola baseava-
animais, cenas de caça e pesca. No Brasil, já foram catalogados mais de 220 abrigos usados por se na coivara, cujo princípio básico era a queimada realizada após as colheitas. Este método levava
esses grupos pré-históricos, com cerca de 9 mil figuras pintadas. As mais famosas estão em ao cansaço do solo e obrigava as aldeias a se deslocarem em busca de melhores regiões que os
cavernas de Minas Gerais e do Piauí. alimentasse. Por isso, afirmamos que a maioria dos índios brasileiros eram seminômades. Neste
percurso, eram comuns os choques e guerras com outras tribos na disputa pelo território.
Ao chegar ao novo mundo os portugueses se depararam com habitantes que eles identificaram
como gentio. Eram índios, em sua maioria do grupo étnico Tupi-guarani. Inicialmente tiveram - O termo índio nasceu de um engano histórico: ao desembarcar na América, o navegador
contato com duas grandes macro-famílias, os Tupinambás e os Tupiniquins, que viviam em Cristóvão Colombo chamou seus habitantes de índios, pois pensava ter chegado às
constante luta entre si e praticavam a antropofagia ritual. Índias.

22 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima | Curso Preparatório Cidade


- Outras designações para o habitante da América pré-colombiana: aborígenes, Colonialismo: Procura de produtos e mão-de-obra, desenvolvimento do comércio mundial.
ameríndio, autóctone, brasilíndio, gentio, íncola, “negro da terra”, nativo, bugre, silvícola, (Revolução Comercial).
etc...
Existiram vários tipos de Mercantilismos, mas, basicamente, eles estavam ligados às riquezas que
Como vimos anteriormente, a partir de 1530, surgiu um verdadeiro dilema para a coroa cada nação poderia extrair de suas colônias. A saber:
portuguesa: ou ocupava as terras brasileiras ou as perdia para os franceses que constantemente
vinham ao nosso litoral em busca de pau-brasil. Também devemos mencionar que o comércio dos Espanha: seu tipo de Mercantilismo foi chamado de Bulionista ou Metalista, ou seja, seu propósito
portugueses com o Oriente sofreu uma baixa devido à concorrência de outras nações que era acumular metais preciosos, isto se explica, pois teve contato precocemente com tribos que
chegavam às Índias para comercializar. Logo, a coroa portuguesa associada à burguesia mercantil, conheciam o ouro e a metalurgia na América.
iniciou pioneiramente entre os Estados modernos, uma nova forma de exploração econômica das
terras americanas, que não se assemelhava ao simples escambo nem se baseava na extração Portugal: em princípio Portugal adotou o comercialismo, ou seja, valorização das trocas comerciais,
predatória de metais preciosos. mas a partir do século XVIII, com a descoberta de ouro no Brasil se tornou metalista.

A primeira expedição colonizadora foi comandada por Martim Afonso de Souza, que chegou em França: desenvolveu o Industrialismo ou Colbertismo devido ao seu ministro Colbert, que optou
1530 e trazia cerca de quatrocentas pessoas, entre elas trabalhadores, padres e soldados. Martim pelo desenvolvimento das manufaturas têxteis com amplo incentivo do governo.
Afonso de Souza veio de Portugal com a missão de expulsar os estrangeiros que contrabandeavam
Holanda: seu Mercantilismo baseava-se na sua ampla frota naval, sendo responsáveis pela maioria
pau-brasil, de procurar ouro e de iniciar a colonização. Tem início o povoamento português em
dos fretes marítimos. Também buscou a implementação das Cias. privilegiadas de Comércio. É
terras brasileiras.
importante lembrar que na Holanda estavam concentrados os maiores bancos da Europa.
Em 1532 foi fundada a Vila de São Vicente, primeiro núcleo de povoamento do Brasil. Lá se fixaram
Pacto colonial era, na verdade, a forma com que as metrópoles dominavam suas colônias. As
quatrocentos colonos, que se dedicaram ao plantio da cana. E lá surgiu o primeiro engenho
colônias só poderiam fazer comércio com a metrópole. A colônia fornecia produtos tropicais e
produtor de açúcar.
matéria-prima para a metrópole e esta vendia manufaturas à colônia.
A colonização do Brasil estava, como não poderia ser, dentro do sistema mercantilista mundial.
Nossa economia, graças ao Pacto Colonial, era transformada em uma economia periférica, cuja
função, era gerar riquezas para a metrópole.
A estrutura político-administrativa: a expedição de 1530 de Martim Afonso de Souza.

Chamamos de mercantilismo o conjunto de práticas econômicas que vigorou entre as potências


Organizada por D. João III, o Colonizador, a expedição era constituída de cinco navios. Era
européias entre os séculos XV e XVIII, baseado na direta intervenção do Estado na economia, e
comandada por Martim Afonso de Souza, que recebeu ordens de explorar o litoral desde o
cuja finalidade principal era enriquecer estes Estados. Podemos ainda acrescentar: política de
Maranhão até o rio da Prata, dar combate aos franceses, estabelecendo núcleos de povoação.
incentivo ao crescimento populacional, incentivo à construção naval e os monopólios.
Logo que chegou ao Brasil aprisionou três naus francesas, que regularmente frequentavam o nosso
O mercantilismo tem um conjunto de ideias que formam o corpo de sua doutrina. São elas:
atual litoral, também explorando o pau-brasil, inclusive um dos fatores para o início da ocupação
destas terras, estava ligado ao receio de Portugal perder suas terras para outros países europeus.
Balança comercial favorável: Maior exportação e menor importação.
Nessa expedição foi fundada a primeira vila brasileira, São Vicente, em 22 de janeiro de 1532, com
Metalismo: Quantidade de metais preciosos que possui, o torna mais rico.
a ajuda de João Ramalho e também a segunda vila do Brasil: Santo André da Borda do Campo.
Protecionismo: Ideia da balança comercial favorável, garante o mercado interno às indústrias Foram trazidas as primeiras mudas de cana-de-açúcar, as primeiras cabeças de gado e foi
nacionais. construído o primeiro engenho no Brasil.

Industrialismo: Satisfação do mercado interno e fornecer manufaturados aos consumidores.

Curso Preparatório Cidade | Tópico 1.0 – A Expansão Marítima 23


EXERCÍCIOS 03. (Fatec) Durante o Período Colonial brasileiro, a mão-de-obra do negro africano substituiu,
progressivamente, a indígena. Isso se deveu:
01. (Puccamp)
a) ao fato dos portugueses já utilizarem, há muito, o trabalho escravo negro no sul de
Erro de português Portugal e nas ilhas do Atlântico.
b) à inabilidade do indígena para o trabalho agrícola e sedentário.
Quando o português chegou c) à reduzida e dispersa população pré-colombiana comparada com a grande oferta de mão-
Debaixo duma bruta chuva
de-obra negra africana.
Vestiu o índio
Que pena! d) ao fato dos negros africanos já aceitarem passivamente o trabalho na lavoura e na
Fosse uma manhã de sol mineração do Brasil.
O índio tinha despido e) aos interesses dos traficantes negreiros e de Portugal neste ramo de comércio colonial,
O português altamente lucrativo.

(Oswald de Andrade. "Poesias reunidas". 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972)
04. (Faap) A colonização portuguesa no Brasil é caracterizada por uma ampla empresa mercantil. É
Sobre o contexto histórico em que se insere o fenômeno que os versos identificam é correto o próprio Estado metropolitano que, em conjugação com as novas forças sociais produtoras, ou
afirmar que: seja, a burguesia comercial, assume o caráter da colonização das terras brasileiras. A partir daí
os dois elementos - Estado e burguesia - passam a ser os agenciadores coloniais e, assim, a
a) a descoberta de metais preciosos favoreceu o estabelecimento das primeiras relações política definida com relação à colonização é efetivada através de alguns elementos básicos que
econômicas entre portugueses e indígenas. se seguem: dentre eles apenas um não corresponde ao exposto no texto; assinale-o.
b) a agressividade demonstrada pelos nativos despertou o interesse metropolitano pela
ocupação efetiva das novas terras. a) a preocupação básica será a de resguardar a área do Império Colonial face às demais
c) a conquista da América pelos portugueses contribuiu para o crescimento demográfico da potências européias.
população indígena no Brasil. b) o caráter político da administração se fará a partir da Metrópole e a preocupação fiscal
d) no chamado período pré-colonial, o plantio e a exploração do pau-brasil incentivaram o dominará todo o mecanismo administrativo.
tráfico africano. c) o vértice definidor, reside no monopólio comercial.
e) apesar de ter tomado posse da terra em nome do rei de Portugal, o interesse da d) a função histórica das Colônias será proeminente no sentido de acelerar a acumulação do
monarquia estava voltado para o Oriente. capital comercial pela burguesia mercantil européia.
e) a produção gerada dentro das Colônias estimula o seu desenvolvimento e atende às
necessidades de seu mercado interno.
02. (Fuvest) Foram características dominantes da colonização portuguesa na América:

a) pequenas unidades de produção diversificada, comércio livre e trabalho compulsório. 05. (Faap) No processo de colonização dos trópicos americanos, as relações entre as colônias e as
b) grandes unidades produtivas de exportação, monopólio do comércio e escravidão. metrópoles foram definidas pelo regime:
c) pacto colonial, exploração de minérios e trabalho livre.
d) latifúndio, produção monocultora e trabalho assalariado de indígenas. a) de livre comércio.
e) exportação de matérias-primas, minifúndio e servidão. b) de oligopólio.
c) de monopólio.
d) liberal.
e) de livre iniciativa.

24 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima | Curso Preparatório Cidade


06. (Ufmg) Leia o texto. c) colonato, produção manufatureira comercialização com a Metrópole e mão-de-obra
compulsória.
"A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em certos vocábulos difere d) latifúndio, cultura de subsistência, produção destinada ao mercado interno e mão-de-obra
em algumas partes; mas não de maneira que se deixem de entender. (...) Carece de três letras, imigrante.
convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa digna de espanto, porque assim não tem e) grande propriedade, monocultura, produção para o mercado externo e mão-de-obra
Fé, nem Lei, nem Rei, e desta maneira vivem desordenadamente (...)." escrava.

(GÂNDAVO, Pero de Magalhães. HISTÓRIA DE PROVÍNCIA DE SANTA CRUZ. 1576)

09. (Cesgranrio) Sobre o Pacto Colonial que, na época mercantilista, definiu o relacionamento entre
A partir do texto, pode-se afirmar que todas as alternativas expressam a relação dos portugueses Metrópole e Colônia e determinou a forma de organização da sociedade colonial, assinale a
com a cultura indígena, EXCETO: afirmativa INCORRETA:

a) A busca da compreensão da cultura indígena era uma preocupação do colonizador. a) "a metrópole, por isso que é mãe, deve prestar às colônias suas filhas todos os bons
b) A desorganização social dos indígenas se refletia no idioma. ofícios e socorros necessários para a defesa e segurança das suas vidas e dos seus bens,
c) A diferença cultural entre nativos e colonos era atribuída à inferioridade do indígena. mantendo-se em uma sossegada posse e fruição dessas mesmas vidas e desses bens".
d) A língua dos nativos era caracterizada pela limitação vocabular. b) "é, pois necessário que os interesses da Metrópole sejam ligados com os das colônias, e
e) Os signos e símbolos dos nativos da costa marítima eram homogêneos. que estas sejam tratadas sem rivalidade. Quanto os vassalos são mais ricos, tanto o
soberano é muito mais".
c) "esta impossibilidade de subsistir qualquer indivíduo sem alheios socorros, ou Lei
07. Sobre o Período Colonial brasileiro, pode-se considerar INCORRETA apenas uma das afirmações Universal que liga os homens entre si, tem a política nas colônias para maior utilidade e
a seguir: dependência em que devem estar da Metrópole".
d) "para viverem em igualdade e abundância... que todos ficariam ricos, tirados da miséria
a) não apresentou movimentos sociais contestadores da dominação metropolitana; em que se achavam, extinta a diferença da cor branca, preta e parda, porque uns e
b) o século XVI foi marcado pelo início da administração portuguesa e pela implantação da outros seriam sem diferença chamados e admitidos a todos os ministérios e cargos".
rentável agroindústria açucareira; e) "numa palavra, quanto os interesses e as utilidades da pátria-mãe se enlaçarem mais com
c) apesar do domínio português, nosso território chegou a ser ocupado parcialmente por os das colônias suas filhas, tanto ela será mais rica e quanto ela dever mais às colônias,
franceses e holandeses; tanto ela será mais feliz e viverá mais segura".
d) a vinda da família Real portuguesa para o Brasil desencadeou um processo de
transformação desde a quebra do pacto colonial em 1808 até a Independência em 1822;
e) a expansão territorial rompeu os limites estabelecidos pelo Tratado de Tordesilhas e, em 10. (Cesgranrio) Com a expansão marítima dos séculos XV/XVI, os países ibéricos desenvolveram a
1750, o Brasil praticamente já tinha a atual configuração geográfica, reconhecida pelo ideia de "império ultramarino" significando:
Tratado de Madri.
a) a ocupação de pontos estratégicos e o domínio das rotas marítimas, a fim de assegurar a
acumulação do capital mercantil;
08. (Fuvest) No período colonial o Brasil, exemplo típico de colônia de exploração, apresentava as b) o estabelecimento das regras que definem o Sistema Colonial nas relações entre as
seguintes características: metrópoles e as demais áreas do "império" para estabelecer as ideias de liberdade
comercial;
a) grande propriedade, policultura, produção comercializada com outras colônias e mão-de- c) a integração econômica entre várias partes de cada "império" através do comércio
obra livre. intercolonial e da livre circulação dos indivíduos;
b) pequena propriedade, cultura de subsistência, produção para o consumo interno e d) a projeção da autoridade soberana e centralizadora das respectivas coroas e sobre tudo e
trabalho livre. todos situados no interior desse "império";

Curso Preparatório Cidade | Tópico 1.0 – A Expansão Marítima 25


e) a junção da autoridade temporal com a espiritual através da criação do Império da 13. (Unirio) A descoberta do Brasil não alterou os rumos da expansão portuguesa voltada
Cristandade. prioritariamente para o Oriente, o que explica as características dos primeiros anos da
colonização brasileira, entre as quais se inclui o(a):
11. (Cesgranrio) "A História do Brasil nos três primeiros séculos está intimamente ligada à da
expansão comercial e colonial européia na época moderna". a) caráter militar da ocupação, visando à defesa das rotas atlânticas.
b) escambo com os indígenas, garantindo o baixo custo da exploração.
(NOVAES, Fernando, A. "O BRASIL NOS QUADROS DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL" in Brasil Perspectiva. Difil. S.Paulo, 1980, p.47) c) abertura das atividades extrativas da colônia a comerciantes das outras potências
européias.
d) migração imediata de expressivos contingentes de europeus e africanos para a ocupação
Considerando-se a opinião do autor, podemos dizer que, durante o período colonial:
do território.
e) exploração sistemática do interior do continente em busca de metais preciosos.
a) Portugal foi o artífice único do desenvolvimento do Brasil.
b) houve uma autonomia do Brasil em relação ao quadro de competição entre as várias
potências. 14. (Unirio) O início da colonização portuguesa no Brasil, no chamado período "pré-colonial" (1500
c) o comércio interno foi a mola maior do desenvolvimento de nosso país. -1530), foi marcado pelo(a):
d) a organização da vida econômica e social do Brasil se vinculou ao quadro geral europeu.
e) houve uma relativa dependência da estrutura do Brasil Colonial à conjuntura européia a) envio de expedições exploratórias do litoral e pelo escambo do pau-brasil.
moderna. b) plantio e exploração do pau-brasil, associado ao tráfico africano.
c) deslocamento, para a América, da estrutura administrativa e militar já experimentada no
Oriente.
12. (Mackenzie) "Contudo tornava-se cada dia mais claro que se perderiam as terras americanas a
d) fixação de grupos missionários de várias Ordens Religiosas para catequizar os indígenas.
menos que fosse realizado um esforço de monta para ocupá-las permanentemente. Este
e) implantação da lavoura canavieira, apoiada em capitais holandeses.
esforço significava desviar recursos de empresas muito mais produtivas do oriente".

(Celso Furtado)
15. (Ufmg) "A cidade que os portugueses construíram na América não é produto mental, não chega
a contradizer o quadro da natureza, e sua silhueta se enlaça na linha da paisagem. Nenhum
Para garantir sua presença em terras americanas e contornar os gastos elevados de uma
rigor, nenhum método, nenhuma providência, sempre esse significativo abandono que exprime
colonização, o governo português introduziu:
a palavra desleixo."
a) o sistema de capitanias, que transferia a particulares, em troca de privilégios e terras, as
(HOLANDA, Sérgio Buarque de. "O Semeador e o Ladrilhador". In: RAÍZES DO BRASIL. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.)
despesas da colonização.
b) a centralização administrativa através do governo geral. A urbanização no Brasil colonial até o século XVII é vista como sendo provisória e acanhada. Um
c) a emigração maciça de mão-de-obra livre para a colônia, tendo em vista seu povoamento dos motivos pelos quais Portugal deixou em segundo plano a questão da urbanização foi:
e desenvolvimento interno.
d) a criação de um sistema administrativo, totalmente original, baseado em feitorias que a) a inutilidade dos centros urbanos já que na colônia a administração ficava a cargo dos
incrementaram o povoamento. Donatários.
e) o enfrentamento militar com as potências invasoras e a perda de consideráveis áreas b) as dificuldades para contratar técnicos especializados que pudessem organizar as cidades.
coloniais. c) as lutas com os espanhóis para a manutenção das terras coloniais que impediram o
desenvolvimento da colônia do Brasil.
d) O predomínio da vida rural, nos engenhos e nas fazendas de criação, o que diminuiu a
importância das cidades.

26 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima | Curso Preparatório Cidade


16. (Mackenzie) "Pedro Álvares Cabral morreu na obscuridade por volta de 1520, sem nunca ter e) propriedade latifundiária escravista, para atender aos interesses da Metrópole Portuguesa
retornado à corte e virtualmente sem saber que revelara ao mundo um território que era quase de garantir a produção de açúcar em larga escala para o comércio externo.
um continente. Em 1521, morria também o rei D. Manuel I, o monarca que jamais se
interessou pela terra descoberta por Cabral".
19. (Ufpe) Na opinião do historiador Caio Prado Jr., todo povo tem na sua evolução, vista a
(Eduardo Bueno - "A viagem do descobrimento") distância, um certo sentido. Este se percebe, não nos pormenores de sua história, mas no
conjunto dos fatos e acontecimentos essenciais...
O desinteresse de Portugal pelo Brasil na época do descobrimento explica-se:
Assinale a alternativa que corresponde ao "sentido" da colonização portuguesa no Brasil.
a) pela reduzida repercussão da descoberta entre as potências marítimas européias.
b) pelo fato dos interesses do Estado Português e da burguesia mercantil estarem voltados a) A colonização se estabeleceu dentro dos padrões de povoamento e expansão religiosa.
para as riquezas do oriente. b) A colonização foi um fato isolado, portanto, uma aventura que não teve continuidade.
c) pela lógica da economia mercantilista, que valorizava acima de tudo a produção em c) A colonização foi o resultado da expansão marítima dos países da Europa e, desde o
detrimento do comércio. início, constituiu-se numa sociedade de europeus sem nenhuma miscigenação.
d) por estas terras pertencerem à Espanha, pelo Tratado de Tordesilhas. d) A colonização se realizou no "sentido" de uma vasta empresa comercial para fornecer ao
e) pelas enormes dificuldades de transportar com segurança os excedentes de produção dos mercado internacional açúcar, tabaco, ouro, diamantes, algodão e outros produtos.
índios brasileiros. e) A colonização portuguesa teve, desde cedo, o objetivo de criar um mercado nacional no
Brasil.

17. As características dos primeiros núcleos de ocupação no Brasil, dos quais emergiram os
mencionados grupos sociais nascentes, revelam o tipo de colonização empreendida por 20. (Cesgranrio) A política colonizadora portuguesa, voltada para a obtenção de lucros do
Portugal e predominante na América Latina, denominado pela historiografia de: monopólio na esfera mercantil, tinha como principal área de produção:

a) colonização estatal. a) a implantação da grande lavoura tropical, de base escravista e latifundiária caracterizada
b) colonialismo religioso. pela diversidade de produtos cultivados e presença de minifúndios e latifúndios;
c) colonização de exploração. b) o "exclusivo colonial", que subordinava os interesses da produção agrícola aos objetivos
d) neocolonialismo. mercantis da Coroa e dos grandes comerciantes metropolitanos;
e) colonização de povoamento. c) a agricultura de subsistência, baseada em pequenas e médias propriedades, utilizando
mão-de-obra indígena;
d) a integração agropastoril, destinada ao abastecimento do mercado interno colonial,
18. (Ufes) A organização da agromanufatura açucareira no Brasil Colônia está ligada ao sentido
sobretudo ao do metropolitano;
geral da colonização portuguesa, cuja dinâmica estava baseada na:
e) a criação de Companhias Cooperativas envolvidas com a produção de tecidos e demais
gêneros ligados ao consumo caseiro.
a) pesada carga de taxas e impostos sobre o trabalho livre, com o objetivo de isentar de
tributos o trabalho escravo.
b) unidade produtiva voltada para a mobilidade mercantil interna, ampliada pelo
desenvolvimento de atividades artesanais, industriais e comerciais.
c) estrutura de produção, que objetivava a urbanização e a criação de maior espaço para os
homens livres da colônia.
d) pequena empresa, que procurava viabilizar a produção açucareira apenas para o mercado
interno.

Curso Preparatório Cidade | Tópico 1.0 – A Expansão Marítima 27


EXERCÍCIOS DE PROVA 04. (EsFCEx - 2005) Sobre as questões que motivaram o empreendimento marítimo dos
portugueses, não é correto afirmar que:

01. (EsFCEx - 2001) Sobre os fatos determinantes que levaram Portugal a se tornar uma grande a) o papel pioneiro de Portugal na expansão ultramarina está relacionado com a
potência colonial e descobrir o Brasil no final do século XV, analise as afirmativas abaixo: intensificação da rota marítima comercial que contornava o continente europeu pelo
estreito de Gibraltar para chegar até o Mar do Norte.
I. Portugal se transformou num país marítimo voltando-se para o oceano no alvorecer do b) o projeto econômico da Coroa lusitana de navegar em direção à Ásia contou com os
século. recursos financeiros da nobreza tradicional e da burguesia, ambas unidas por uma aliança
II. A Espanha serviu de exemplo para Portugal porque precedeu os portugueses no início da matrimonial para a consolidação precoce do Estado português.
expansão marítima. c) a expansão marítima dos países da Europa deriva-se do desenvolvimento do comércio
III. comércio europeu continental se caracterizou por ter se desenvolvido de forma quase continental europeu e de um novo sistema de relações internas que integrava o Mar
unicamente marítima até o século XIV. Mediterrâneo ao Mar do Norte, especialmente a partir da revolução da arte de navegar.
IV. As demais nações européias só investiram na corrida colonial após o século XVII. d) os portugueses, buscando se livrar da concorrência no continente europeu e contando
com suas vantagens geográficas empregaram seus esforços no comércio com a costa
Com base na análise, assinale a alternativa correta: Ocidental da África.
e) a riqueza das repúblicas italianas e dos mouros, originada do comércio com as Índias,
a) Somente I está correta. levou Portugal a desenhar um plano de navegação para atingir o Oriente contornando a
b) Somente II e IV estão corretas. África.
c) Somente III e IV estão corretas.
d) Somente I, II e III estão corretas. 05. (EsFCEx - 2006) No século XV, Portugal e Espanha deram início à expansão marítima européia,
e) Todas estão corretas. da qual resultaram grandes impérios coloniais, a exemplo do Brasil. As afirmativas abaixo dizem
respeito às várias explicações acerca do expansionismo e dos descobrimentos portugueses dos
séculos XV e XVI. Analise-as e, a seguir, assinale a alternativa correta.
02. (EsFCEx - 2002) Examinando-se a situação européia à época das grandes navegações e dos
grandes descobrimentos, pode-se corretamente afirmar que: I. A busca por rotas comerciais alternativas na tentativa de escapar das altas taxas cobradas
pelos turco otomanos, a partir do domínio estabelecido por eles no Mediterrâneo oriental
a) acima dos Pirineus estavam os países responsáveis pelo início das Grandes Navegações. em 1453.
b) os Países Balcânicos viviam fechados na Europa. II. O desenvolvimento de instrumental tecnológico para navegação, a partir de estudos
c) a Inglaterra vivia ensimesmada na sua ilha. realizados por cartógrafos, astrônomos, matemáticos e navegadores na Escola de Sagres.
d) a Rússia não se comunicava com outros mundos fora da Europa. III. A aliança entre portugueses, venezianos e genoveses para fortalecer o monopólio que
e) a Espanha e Portugal eram pontos de contato para a Europa. mantinham sobre o Mediterrâneo, visando anular os prejuízos causados pela invasão árabe
na península Ibérica ocorrida naquele período.
IV. As aspirações da burguesia mercantil que havia consolidado a sua relação com a Coroa
03. (EsFCEx - 2003) Dentre as causas que determinaram o surto expansionista europeu que levou
durante a Revolução de Avis, entre 1383 e 1385, quando as forças de Castela foram
aos grandes descobrimentos encontramos o (a):
expulsas de Portugal e Dom João I assumiu o trono.

a) renascimento do comércio de escravos.


a) Somente a I está correta.
b) ausência da atividade pesqueira em Portugal.
b) Somente a I e a III estão corretas.
c) Marrocos como grande produtor de ouro e prata.
c) Somente a I, a II e a IV estão corretas.
d) desestímulo papal aos empreendimentos portugueses
d) Somente a I, a III e a IV estão corretas.
e) ausência de laços históricos com o imperialismo europeu medieval.
e) Somente a II e a IV estão corretas.

28 Tópico 1.0 – A Expansão Marítima | Curso Preparatório Cidade

Interesses relacionados