Você está na página 1de 15
Gestão Financeira de Projetos Culturais

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Créditos

Centro Universitário Senac São Paulo – Educação Superior a Distância

Diretor Regional Luiz Francisco de Assis Salgado

Superintendente Universitário e de Desenvolvimento Luiz Carlos Dourado

Reitor Sidney Zaganin Latorre

Diretor de Graduação Eduardo Mazzaferro Ehlers

Diretor de Pós-Graduação e Extensão Daniel Garcia Correa

Gerentes de Desenvolvimento Claudio Luiz de Souza Silva Luciana Bon Duarte Roland Anton Zottele Sandra Regina Mattos Abreu de Freitas

Coordenadora de Desenvolvimento Tecnologias Aplicadas à Educação Regina Helena Ribeiro

Coordenador de Operação Educação a Distância Alcir Vilela Junior

Professores Autores José Renato de Paula Souza Jardim Ricardo Afonso Corradi

Revisor Técnico

Soledad Galhardo

Técnicos de Desenvolvimento Márcio Castilioni Dulcinéia Aparecida Lopes

Coordenadoras Pedagógicas Ariádiny Carolina Brasileiro Silva Izabella Saadi Cerutti Leal Reis Nivia Pereira Maseri de Moraes Otacília da Paz Pereira

Equipe de Design Educacional Alexsandra Cristiane Santos da Silva Ana Claudia Neif Sanches Yasuraoka Angélica Lúcia Kanô Cristina Yurie Takahashi Diogo Maxwell Santos Felizardo Flaviana Neri Francisco Shoiti Tanaka Gizele Laranjeira de Oliveira Sepulvida Hágara Rosa da Cunha Araújo Janandrea Nelci do Espirito Santo João Francisco Correia de Souza

Juliana Quitério Lopez Salvaia Jussara Cristina Cubbo Kamila Harumi Sakurai Simões Katya Martinez Almeida Lilian Brito Santos Luciana Marcheze Miguel Mariana Valeria Gulin Melcon Mônica Maria Penalber de Menezes Mônica Rodrigues dos Santos Nathália Barros de Souza Santos Rivia Lima Garcia Sueli Brianezi Carvalho Thiago Martins Navarro Wallace Roberto Bernardo

Equipe de Qualidade Ana Paula Pigossi Papalia Vivian Martins Gonçalves

Coordenador Multimídia e Audiovisual Adriano Tanganeli

Equipe de Design Audiovisual Adriana Mitsue Matsuda Caio Souza Santos Camila Lazaresko Madrid Carlos Eduardo Toshiaki Kokubo Christian Ratajczyk Puig Danilo Dos Santos Netto Hugo Naoto Takizawa Ferreira Inácio de Assis Bento Nehme Karina de Morais Vaz Bonna Marcela Burgarelli Corrente Marcio Rodrigo dos Reis Renan Ferreira Alves Renata Mendes Ribeiro Thalita de Cassia Mendasoli Gavetti Thamires Lopes de Castro Vandré Luiz dos Santos Victor Giriotas Marçon William Mordoch

Equipe de Design Multimídia Alexandre Lemes da Silva Cristiane Marinho de Souza Elina Naomi Sakurabu Emília Correa Abreu Fernando Eduardo Castro da Silva Mayra Aoki Aniya Michel Iuiti Navarro Moreno Renan Carlos Nunes De Souza Rodrigo Benites Gonçalves da Silva Wagner Ferri

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Aula 01

Visão da Gestão Financeira em Projetos Culturais

Objetivos Específicos

Conhecer os principais conceitos de gestão financeira e compreender sua importância para viabilidade de projetos culturais.

Temas

Introdução

1 Principais conceitos de gestão financeira

2 Plano financeiro

3 Plano de financiamento

4 Plano de custo

5 Rentabilidade do negócio

Considerações finais

Referências

Anexo

Professores

Janaina Fainer Bastos Ricardo Afonso Corradi

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Introdução

A gestão financeira tem caráter importantíssimo na estratégia dos negócios, seja na

condução de uma organização ou na gestão de um projeto cultural. Avaliar seus principais planos de gestão e as suas relações com os outros setores envolvidos, é fundamental para o equilíbrio das contas.

Produção cultural é matéria viva e por isso não existem fórmulas. O que existem são conceitos, experiências bem-sucedidas e infinitas receitas que podem ou não ser aplicadas.

Em se tratando de Gestão Financeira de Projetos Culturais, os gestores têm que partir com

a compreensão de que lidar com cultura e gerir um projeto cultural é antes de tudo uma arte e que a visão de mundo financeira e mercadológica estrita nem sempre pode ser aplicada.

Ao desenvolver um projeto cultural, o gestor deve ter em mente uma meta, um ponto de chegada e a manutenção da saúde financeira de um projeto é vital para seu andamento.

Vamos lá?

1 Principais conceitos de gestão financeira

Vamos lá? 1 Principais conceitos de gestão financeira Convido você a acessar o Ambiente Virtual de

Convido você a acessar o Ambiente Virtual de Aprendizagem e ler as páginas 2 a 6, nas quais há um texto consagrado na área das finanças. GITMAN, Lawrence J. Princípios de Administração Financeira. Trad. Allan Vidigal Hastings. 12. ed. São Paulo: Pearson Education, 2010.

Hastings. 12. ed. São Paulo: Pearson Education, 2010. A gestão financeira utiliza-se de vários princípios,

A gestão financeira utiliza-se de vários princípios, entre eles os econômicos, os contábeis, os

administrativos, os de marketing, para que assim possa identificar e auxiliar na gestão de um negócio

a fim de maximizar o seu valor, não só pela geração de lucro, mas também pelo valor de mercado.

O gestor financeiro tem a função de ligar o conhecimento do mercado, que abrange as

oportunidades e a criatividade na administração do dinheiro com o conhecimento científico, ou seja, o gestor precisa trabalhar estes dois conceitos juntos, para que assim a sua função principal de maximização de valor seja alcançada na sua maior efetividade.

O gestor cultural tem a função de agregar características do gestor financeiro mantendo

o respeito pela especificidade de sua área.

gestor financeiro mantendo o respeito pela especificidade de sua área. Senac São Paulo- Todos os Direitos

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Gestão Financeira de Projetos Culturais Entender sua meta, conhecer o mercado e analisá-lo nos auxilia muito

Entender sua meta, conhecer o mercado e analisá-lo nos auxilia muito na gestão financeira, pois é possível verificar:

o mercado consumidor atual e potencial;

os principais fornecedores e concorrentes;

principais parceiros;

o

oportunidade;

risco

do

negócio,

baseando-se

em

um

a viabilidade do negócio;

preceito

de

risco

e

a melhor localização em caso de espaço físico.

e • a melhor localização em caso de espaço físico. 2 Plano financeiro Com estas questões

2 Plano financeiro

Com estas questões de direcionamento estratégico e mercado definidos, tem-se a necessidade de um plano financeiro contendo alguns pontos básicos, como:

fluxo de caixa: demonstra as entradas e saídas de dinheiro, incluindo as necessidades futuras de caixa;

ponto de equilíbrio: o valor mínimo de faturamento necessário para quitar os custo fixos;

necessidade de investimento: o valor de investimentos necessário para que se consiga realizar as suas operações;

previsão de lucratividade: o quanto de lucro o projeto pode oferecer, baseado em projeções;

prazo de retorno do investimento: em quanto tempo o valor do investimento realizado retorna em forma de lucro.

Desta forma as ações ficam mais planejadas e organizadas dentro da administração financeira.

Todo o negócio é baseado em origem e aplicações de recursos, ou seja, de onde vem o dinheiro e onde será aplicado. Para isso, é importante a criação de um plano de investimento, pois por meio dele é possível visualizar o investimento necessário para a concretização do negócio e assim identificar quais as necessidades prioritárias. Por exemplo:

e assim identificar quais as necessidades prioritárias. Por exemplo: Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados

Gestão Financeira de Projetos Culturais

instalações que estão ligadas aos aspectos estético e prático;

custo do investimento, produtividade, durabilidade e manutenção dos equipamentos;

seleção e recrutamento de pessoal contratando pessoas que possam desempenhar bem a função e ainda disponibilizar recursos para treinamentos e aperfeiçoamento dos colaboradores;

apoios técnicos e consultorias;

outras despesas relacionadas à montagem do projeto e pré-operacionais, como o estudo de mercado mediante pesquisas junto ao público-alvo, abertura de empresa etc.

Após a descrição destes investimentos e somadas as despesas é possível evidenciar a necessidade de investimento no negócio, dimensionando e avaliando o capital disponível para aplicar nesses recursos.

Os investimentos geram uma fonte de financiamento, então compreender e elaborar um plano de financiamento é muito importante para a gestão financeira e para a maximização do valor da empresa.

3 Plano de financiamento

O plano de financiamento deve conter um levantamento de todas as alternativas de

financiamento existentes para cada tipo de investimento, por exemplo: formas de incentivo a cultura, como leis de incentivos federais, estaduais e municipais; linhas de crédito para financiar o capital de giro para a manutenção dos custos.

financiar o capital de giro para a manutenção dos custos. Margem de contribuição é um termo

Margem de contribuição é um termo das finanças utilizado para definir a diferença entre as minhas receitas brutas e os meus custos.

diferença entre as minhas receitas brutas e os meus custos. Existem diferentes meios para captar recursos

Existem diferentes meios para captar recursos para a realização de um projeto cultural. Sendo o mais usual a aplicação de leis de incentivo federais, estaduais e municipais.

O uso de leis de incentivo consiste em enquadrar um projeto dentro das exigências da

lei desejada e apresentá-lo para aprovação. Uma vez que o projeto tem a aprovação, cabe ao proponente captar o recurso aprovado com empresas, públicas ou privadas, que tenham

interesse no mesmo e o imposto que possa ser abatido.

que tenham interesse no mesmo e o imposto que possa ser abatido. Senac São Paulo- Todos

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Segue lista com resultado da 225ª reunião realizada pelo CNIC.

É importante estar sempre atento ao SALICWEB e acompanhar os projetos deferidos e pareceres para melhor compreender o funcionamento prático da Lei Rouanet.

A planilha abaixo mostra a publicação de resultados, sendo a primeira coluna, a área

cultural (artes cênicas, artes visuais, música), a segunda o nome do projeto, seguida da decisão do conselheiro (aprovar ou indeferir), o voto do conselheiro (geralmente com um texto bastante breve indicando-se favorável ou não a aprovação) e a última coluna com o valor aprovado para captação.

Tabela 1 – Resultado da 225ª reunião CNIC

   

Nome do

Decisão

 

Valor

Área Cultural

Projeto

Conselheiro

Voto Conselheiro

Aprovado

Artes Cênicas

Insustentável

Aprovar

Deferido em conformidade com o parecer técnico. Atenciosamente, CNIC- Comissão Nacional de Incentivo à Cultura.

917.587,60

 

Fenacoco

 

Projeto aprovado acompanhado o parecer técnico.

 

Artes Cênicas

Cultural

Aprovar

344.850,00

Audiovisual

Lé com Cré- O quê que é

Aprovar

Acompanho o parecer técnico pelo deferimento do projeto.

36.015,00

Audiovisual

Ficção Viva III

Aprovar

Acompanho o parecer técnico pelo deferimento do projeto.

614.032,00

Música

Sertanejo

 

Acompanho o parecer técnico consolidado.

 

Orquestral

Aprovar

1.576.894,00

Música

Escola do Rock

Aprovar

Projeto aprovado acompanhando o parecer técnico.

338.510,40

 

Pintura como

 

Acompanho o parecer técnico pela aprovação.

 

Artes Visuais

Plano

Aprovar

46.600,00

 

Expo Hiper-

 

Análise do comissário de artes visuais- Aprovo o projeto e acompanho o parecerista no que se refere ao enquadramento e nos cortes sugeridos no orçamento.

 

Artes Visuais

realista

Aprovar

516.450,00

 

Museu de

 

Acompanho o Parecer Técnico pela aprovação do projeto em tela, com

 

Patrimônio

Congonhas

Aprovar

1.595.560,00

Cultural

-

Primeiras

enquadramento no Artigo 18 da Lei

Atividades

 

8.313/91.

 
 

Plano Anual

     

Patrimônio

2015 da

Acompanho o parecer técnico com suas devidas recomendações.

Cultural

Pinacoteca do

Aprovar

10.403.600,06

Estado

 

Humanidades

Paulínia História

Aprovar

Deferido, acompanhando parecer

575.520,02

e

Memória

técnico.

Humanidades

Estação

 

Sugerimos deferimento acompanhando parecer técnico.

 

Memória

Aprovar

258.060,00

Fonte: Adaptado de Brasil (2014). Disponível em: <http://novosalic.cultura.gov.br/gerarrelatorioreuniaoexterno/ gerarrelatorioreuniao>. Acesso em: 04 nov. 2014.

gerarrelatorioreuniao >. Acesso em: 04 nov. 2014. Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados 6

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Em caso de indeferimento, o proponente pode e deve apresentar recurso. A apresentação de recurso faz com que a proposta volte a pauta de reunião futura para análise.

É bastante útil ler os pareceres de indeferimento, casos em que os pareceristas publicam toda a justificativa da decisão. Ao estudar os casos em que uma proposta não foi aceita, o gestor aprende cada vez mais a refinar suas propostas futuras.

aprende cada vez mais a refinar suas propostas futuras. Acesse a Midiateca e confira a lista

Acesse a Midiateca e confira a lista de projetos aprovados no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura.

gerarrelatorioreuniao >. Há também editais de repasse de recurso direto, sem

Há também editais de repasse de recurso direto, sem necessidade de captação, como é o caso dos Prêmios da FUNARTE, PROAC Editais, Lei Zé Renato e alguns editais privados.

Nesses casos o proponente apresenta um projeto adequado à proposta do edital pretendido e passa por um processo seletivo. As instruções e características de cada um dos casos acima citados são publicadas em edital público e a seleção é feita por comissão de especialistas, montada para esse propósito.

Os Prêmios da FUNARTE contemplam proponentes nacionalmente e estão divididos em categorias, tais como teatro, dança, artes na rua, hip hop, entre outras.

O PROAC Editais contempla diferentes segmentos, tais como produção de cd inédito, circulação de espetáculo de repertório, artes integradas, restauro, entre outras tantas e seleciona projetos desenvolvidos no estado de São Paulo.

No caso de repasse de verba direta a planilha orçamentária deve ser construída a partir de indicações no edital pretendido. E em alguns editais há necessidade de prestação de contas fiscal, em outros por planilha descritiva ou mesmo somente por meio de apresentação de relatório.

Existem também programas continuados como o Programa Municipal de Fomento ao Teatro, à Dança e Circo da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo que fazem repasse direto, mas possuem um perfil bastante específico.

Com o advento da tecnologia e uso cada vez mais mercadológico das mídias sociais, há um crescente número de projetos sendo realizados mediante crowdfunding.

crescente número de projetos sendo realizados mediante crowdfunding . Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Gestão Financeira de Projetos Culturais Crowndfunding é o termo em inglês com o qual o conceito

Crowndfunding é o termo em inglês com o qual o conceito dos primeiros sites de financiamento coletivo surgiu no Brasil. As primeiras iniciativas eram voltadas à captação para financiamento para shows de bandas independentes, mas logo o modelo começou a ser usado por categorias variadas para financiamento.

a ser usado por categorias variadas para financiamento. A característica principal do modelo é que o

A característica principal do modelo é que o investidor pode ser pessoa física ou jurídica e as quantias cabem no bolso e são doadas de maneira simplificada e sem burocracia.

Ao atingir a meta da captação o projeto é realizado e o investidor é presenteado com uma recompensa escolhida no momento de seu investimento. Esse modelo é muito usado para a realização de shows musicais e na produção de produtos culturais (livros, cds etc.).

Prefeituras municipais, equipamentos públicos ou secretarias também podem conseguir suplementação de verba por meio do Portal de Convênios SICONV.

de verba por meio do Portal de Convênios SICONV. O SICONV engloba todo e qualquer convênio

O SICONV engloba todo e qualquer convênio passível de ser realizado em âmbito nacional em qualquer área e deve ser conhecido. Acesse a Midiateca e entre no Portal de Convênios.

>. 4 Plano de custo Para uma boa gestão financeira é

4 Plano de custo

Para uma boa gestão financeira é necessário definir o plano de custo.

Após a estruturação básica de um projeto cultural, os dois pontos mais sensíveis são o cronograma e a planilha orçamentária. Diretamente conectas, essas duas etapas devem ser vistas com especial cuidado por um gestor.

A planilha orçamentária deve ser montada a partir de indicativos fornecidos pelo financiador almejado. Uma proposta de projeto cultural para a Lei Rouanet é diferente de uma para o PROAC ICMS que, por sua vez, difere do PROAC Edital.

de uma para o PROAC ICMS que, por sua vez, difere do PROAC Edital. Senac São

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Uma planilha detalhada de planejamento é a base para um orçamento funcional e deve contemplar todas as necessidades para realização do mesmo. O gerenciamento adequado garante o sucesso de um projeto e a confiança de um patrocinador.

O ideal é fazer uma planilha de planejamento que já contenha dentro de si diferenciação

entre o idealizado e o realizado, visto que em muitos casos, ao longo do projeto, há necessidade de adequações orçamentárias.

É importante também inserir uma coluna para o desembolso. Um projeto curto, de poucos meses de duração pode ter uma planilha de planejamento menos focada no desembolso mensal do que um projeto extenso.

O ideal na construção da planilha de planejamento é fazer uma divisão em blocos e

nunca se esquecer das diferentes tributações.

Vamos usar como base fictícia na construção dessa planilha de planejamento, a produção de uma pequena mostra de audiovisual.

No caso, tratava-se de um projeto sem muitas etapas e com poucos meses de duração.

A planilha anexa, trata de um exemplo de uma pequena mostra de audiovisual e está

dividida em pré-produção, englobando o cachê do curador e produção.

A produção está dividida em:

 

DIGITALIZAÇÃO

         

DE FILMES,

EXECUÇÃO

LEGENDAGEM,

PAGAMENTO

DIVULGAÇÃO/

COMERCIALIZAÇÃO

DIVULGAÇÃO/

IMPRENSA

ATIVIDADES

COMPLEMEN-

IMPOSTOS

DESPESAS

ADMINISTRATIVAS

DE DIREITOS

TARES

AUTORAIS E

   

AGENCIAMENTO

As etapas de produção podem ser entendidas dessa forma:

execução

-

englobando

propriamente dita;

os

custos

de

manutenção

da

equipe

de

produção

digitalização de filmes, legendagem, pagamento de direitos autorais e agenciamento;

divulgação/comercialização - englobando a realização de sinalização para o evento, folders informativos e convites;

atividades complementares- palestra com crítico convidado e o curador;

divulgação/imprensa - inclui a assessoria de imprensa, a produção de press kit e eventuais custos com anúncios em mídias específicas;

despesas administrativas- inclui uso de telefone, material de consumo, entregas, correios, contratação de escritório de contabilidade, assessoria jurídica e captador de recursos; e

de contabilidade, assessoria jurídica e captador de recursos; e Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados

Gestão Financeira de Projetos Culturais

impostos- toda a tributação necessária para manter o projeto e a empresa proponente em ordem

para manter o projeto e a empresa proponente em ordem Na última Instrução Normativa do MINC

Na última Instrução Normativa do MINC ficou estabelecida a regra de que o captador pode ser remunerado, mas o valor tem que estar listado como um dos itens de “despesas administrativas” que, por sua vez, são limitadas a 15% do valor total do projeto.

por sua vez, são limitadas a 15% do valor total do projeto. Definidos o modo de

Definidos o modo de financiamento e as apurações de custos deve-se verificar o fluxo de caixa da empresa. Fluxo de caixa refere-se ao controle das entradas e saídas de recursos da empresa e o alinhamento deste fluxo é fundamental para a boa gestão financeira.

Algumas premissas são importantes:

Os recebimentos precisam ser o mais rápido possível e os pagamentos o mais lento possível, pois assim temos uma menor necessidade de capital de giro para enfrentar os descompassos do fluxo de caixa. Ou seja, prazos menores de recebimento e prazos maiores para pagamento.

menores de recebimento e prazos maiores para pagamento. Capital de Giro é um termo utilizado para

Capital de Giro é um termo utilizado para definir os recursos financeiros necessários para a empresa manter suas contas em dia!

É necessário avaliar o prazo médio de recebimentos e prazo médio de pagamentos. Neste conceito de fluxo de caixa o controle de contas a pagar e a receber são fundamentais para o bom funcionamento do negócio.

são fundamentais para o bom funcionamento do negócio. 5 Rentabilidade do negócio Após o conhecimento dos

5 Rentabilidade do negócio

Após o conhecimento dos conceitos de planos já expostos, uma questão fundamental é identificar a rentabilidade do negócio.

Há vários métodos a serem utilizados, como:

do negócio. Há vários métodos a serem utilizados, como: Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados

Gestão Financeira de Projetos Culturais

TIR (Taxa Interna de Retorno) – que diz respeito ao cálculo da taxa de retorno que

o investimento me trará. Se a TIR for positiva indica que o capital investido será aumentado.

Mas quando falamos em finanças devemos considerar também o fator tempo, já que

o retorno do investimento pode demorar e o Pay-Back indica ao investidor quanto

tempo ele demorará para retornar o capital investido. Pay-Back, portanto, refere-se

ao resultado do cálculo feito para saber o tempo que demorará para o investidor recuperar o dinheiro investido. Ele é expresso em dias, meses e anos.

o dinheiro investido. Ele é expresso em dias, meses e anos. A TIR pode ser positiva,

A TIR pode ser positiva, porém, o tempo que o investidor quer que seu dinheiro retorne pode ser o limitador do projeto; a TIR positiva pode trazer o retorno do investimento em 3 anos, por exemplo, mas o investidor (empresário) está disposto a esperar apenas 2 anos. Isso pode inviabilizar o projeto, não pela TIR e sim pelo Pay-Back.

inviabilizar o projeto, não pela TIR e sim pelo Pay-Back . A verificação das contas e

A verificação das contas e dos planos são fundamentais para a direção da companhia,

pois assim será possível identificar se realmente o que foi delimitado nos planejamentos e nas ações estão ocorrendo.

O acompanhamento é fundamental principalmente se comparado com o estabelecido

em orçamento, assim correções e ajustes podem ser feitos a tempo a fim de garantir o sucesso do negócio e a maximização do seu valor de mercado.

Considerações finais

A gestão financeira ajuda e influencia nas tomadas de decisão de um projeto cultural,

pois ela demonstra as projeções de resultados, ajuda no dimensionamento de custos do projeto e nas escolhas de financiamentos existentes para a sua execução.

Dentre os pontos estudados no texto pode-se destacar que:

A elaboração correta de um fluxo de caixa faz o gestor do projeto entender as

necessidades diárias de recursos financeiros para pagamento de fornecedores e prestadores de serviços, bem como as entradas que podem se transformar em

lucro mais adiante.

bem como as entradas que podem se transformar em lucro mais adiante. Senac São Paulo- Todos

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Encontrar o ponto de equilíbrio do negócio significa mostrar ao gestor que a partir daquele momento o negócio se torna lucrativo. Assim, projetando as receitas necessárias para o pagamento de todos os custos fixos.

Prever o prazo de retorno do investimento é imprescindível para dar segurança aos investidores que participam do negócio.

Considerando-se que o lucro seja preponderante para a efetividade do projeto cultural,

é aconselhável a identificação de todos os custos que possam incorrer no projeto, fixos ou variáveis, pois as receitas terão como função principal a cobertura destes custos, com a margem de contribuição desejada e possível.

A viabilidade financeira do projeto está diretamente relacionada com a capacidade de

estruturar e identificar o mercado no que diz respeito a concorrentes, a clientes, aos custos envolvidos, à diversificação de produtos, às margens de contribuição. A relação destes fatores determina o sucesso financeiro do projeto.

Infelizmente, é comum os gestores não fazerem um bom planejamento e isso pode acarretar no insucesso do projeto.

A planilha de planejamento orçamentário é a melhor forma de visualizar as necessidades

para a efetiva realização de um projeto cultural.

Segundo Maria Helena Cunha, diretora da Duo Informação e Cultura, “o mercado ganha complexidade a cada dia e surgem novas dimensões na Cultura, no meio educacional e ambiental” (2008, p.13) e duas características essenciais para um gestor são sensibilidade e visão estratégica.

Na próxima aula, veremos outras possiblidades de compatibilização das informações orçamentárias e trataremos da importância da prestação de contas e transparência nos procedimentos de balanço perante o investidor.

Deixo a você uma importante colocação feita por Teixeira Coelho em seu livro “A cultura

e seu contrário”.

A cultura não mais é um substantivo, uma ideia substantiva — uma coisa ou objeto

duro — mas um adjetivo ou, melhor, uma dimensão feita de tendências, diferenças, contrastes e comparações que descrevem o que a palavra “cultura” recobre não como uma propriedade inerente a indivíduos ou grupos mas como um instrumento heurístico contingente ao qual se pode recorrer para falar da diversidade e do cambiante e inventar novos modos de convivência e apossamento da vida na atual

realidade do mundo. A dimensão que a palavra “cultura” agora abarca é feita em larga medida de variações, derivações e deslizamentos e não de reafirmações do mesmo

e de entidades estáveis num indivíduo em particular ou algum grupo em especial (TEIXEIRA, 2008, p.51).

em particular ou algum grupo em especial (TEIXEIRA, 2008, p.51). Senac São Paulo- Todos os Direitos

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Referências

COELHO, Teixeira. Cultura e seu contrário. São Paulo, Iluminuras/Itaú Cultural, 2008. Disponível em: <http://d3nv1jy4u7zmsc.cloudfront.net/wp-content/uploads/itau_pdf/001054.pdf>. Acesso em 20 out. 2014.

FUNARTE. Editais. Disponível em: <http://www.funarte.gov.br/editais/>. Acesso em 20 out. 2014.

GIL, Gilberto; FERREIRA, Juca. Cultura pela palavra. Rio de Janeiro: Versal, 2013.

GITMAN, Lawrence J. Princípios de Administração Financeira. Trad. Allan Vidigal Hastings. 12. ed. São Paulo: Pearson Education, 2010.

ITAÚ CULTURAL. Os fazeres e os saberes dos gestores de cultura no Brasil. São Paulo: Itaú Cultural, Observatório, n. 6, 2008.

MARION, J. C. Contabilidade básica. São Paulo: Atlas, 2005.

MINC. Lei Rouanet e Instrução Normativa. Disponível em: <http://www.cultura.gov.br/noticias- destaques/-/asset_publisher/OiKX3xlR9iTn/content/lei-rouan-1/10895>. Acesso em 20 out. 2014.

SEBRAE. Fluxo de caixa é um instrumento de gestão. Disponível em: <www.sebrae.com.br>. Acesso em 20 out. 2014.

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA. Proac Editais. Disponível em: <http://www.cultura.sp.gov.br/

portal/site/SEC/menuitem.426e45d805808ce06dd32b43a8638ca0/?vgnextoid=cfd78ac36

e651410VgnVCM1000008936c80aRCRD&vgnextchannel=cfd78ac36e651410VgnVCM100000

8936c80aRCRD>. Acesso em 20 out. 2014

Proac ICMS. Disponível em: <http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.

426e45d805808ce06dd32b43a8638ca0/?vgnextoid=31d78ac36e651410VgnVCM1000008936

c80aRCRD&vgnextchannel=31d78ac36e651410VgnVCM1000008936c80aRCRD>.Acesso em 20 out. 2014.

em 20 out. 2014. Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados 13

Gestão Financeira de Projetos Culturais

Anexo

Tabela 2 – Orçamento Pequena Mostra de Audiovisual

1

1.1

2

2.1

2.2

2.3

2.4

2.5

3

3.1

3.2

4

4.1

5

5.1

5.2

5.3

6

6.1

6.2

6.3

6.4

6.5

7

7.1

       

VALOR

VALOR

ATIVIDADES

DESCRIÇÃO

QTDE

UNID.

UNITÁRIO

TOTAL

Pré-Produção

8.000,00

 

Cachê curador

Cachê

1

verba

8.000,00

8.000,00

Produção/ Execução

6.192,00

Produção/ Execução

equipe de produção

       

2.630,35

8

meses

5.000,00

40.000,00

Digitalização

digitalização dos filmes

12

horas

191,00

2.292,00

Legendagem

legendagem de filmes

1

verba

1.000,00

1.000,00

Direitos autorais

pagamento de direitos autorais

12

obras

200,00

2.400,00

agenciamento

agenciamento das obras com

1

verba

500,00

500,00

Divulgação/ Comercialização

2.630,35

 

Comunicação Visual

Sinalização

1

verba

500,00

500,00

Convite/folder

descrição detalhada dos materiais que serão produzidos

1500

unid.

1,42

2.130,35

Atividades Complementares

2.400,00

 

Palestra com crítico e curador convidado

cachê para pagamento de curador e crítico

2

cachês

1.200,00

2.400,00

Divulgação/ Imprensa

38.750,00

Assessor de Imprensa

escritório de assessoria de imprensa

4

meses

3.500,00

14.000,00

Press Kit

produção de press kit para distribuição à imprensa

30

kits

25,00

750,00

Mídia

produção dos anúncios de jornais, revistas, rádio, TV

4

verba

6.000,00

24.000,00

Custos Administrativos

19.550,00

 

Telefone e material de consumo

Produção executiva/ curadoria/ pesquisa

8

meses

1.000,00

8.000,00

 

motoboy

20

entregas

20,00

400,00

Entregas Especiais

entregas (documentos, contratos etc.)

12

entregas

200,00

2.400,00

Correios

Serviços de postagem

1500

postagem

0,90

1.350,00

 

Assessoria contábil e jurídica para

       

Contabilidade e

assessoria jurídica

controle financeiro e de prestação de contas

4

meses

600,00

2.400,00

Captação de recursos

Assessoria para captação de recursos

1

verba

5.000,00

5.000,00

Impostos

5.000,00

Tributos

 

1

verba

5.000,00

5.000,00

VALOR TOTAL DO PROJETO

 

82.522,35

Fonte: Elaborada pelo autor (2014).

DO PROJETO   82.522,35 Fonte: Elaborada pelo autor (2014). Senac São Paulo- Todos os Direitos Reservados