Você está na página 1de 3

1𝑙𝑖𝑡𝑟𝑜 = 10−3 𝑚3 = 1000𝑐𝑚3 = 1000𝑘𝑔 = 1000000𝑔

mm  m  /1000 ; cm  m  /100

kg/h  kg/s  /3600

l/h  l/s  /3600

l/s  m³/s  x 10−3

cm²  m²  x 10−4

Raio = d/2

cm³  m³  x 10−6

g  kg  /1000

atm  Pa  x 105

ºC  K  + 273

1J = 0,239005736 calorias

1W = 1J/s

Coeficiente linear: 𝛼 [/ºC]

Coeficiente volumétrico: 𝛾 = 3. 𝛼

Coeficiente de área: 𝛽 = 2. 𝛼

Volume do cubo: 𝑉𝑐𝑢𝑏𝑜 = 𝑎³ [m³]


4𝜋.𝑟³
Volume da esfera: 𝑉𝑒𝑠𝑓𝑒𝑟𝑎 = 3
[m³]

Variação do volume: ∆𝑉 = 𝑉𝑜. 𝛾. ∆𝑇 [m³] ; T[ºC]

Variação do comprimento (de quanto seu comprimento aumenta): ∆𝐿 = 𝐿𝑜. 𝛼. ∆𝑇 [m] ; T[ºC]

Variação da área: ∆𝐴 = 𝐴𝑜. 𝛽. ∆𝑇 [m²]

Volume maciço: 𝑉𝑚𝑎𝑐𝑖ç𝑜 = 𝑉𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 − 𝑉𝑜𝑐𝑎 [m³]


𝑚
Densidade: 𝜌 = 𝑉
[kg/m³; g/cm³]

Densidade da água: 𝜌 = 103 𝑘𝑔/𝑚³ = 1𝑔/𝑐𝑚³


𝑚1+𝑚2
Densidade da mistura: 𝜌 = 𝑉1+𝑉2
[kg/m³; g/cm³]

Área do círculo: 𝐴𝑐í𝑟𝑐𝑢𝑙𝑜 = 𝜋𝑟² [m²]

Pressão atmosférica: 𝑃𝑎𝑡𝑚 = 1𝑎𝑡𝑚 = 1,01325𝑥105 𝑃𝑎


𝐹
Pressão: 𝑃 = 𝐴 [N/m²; Pa]

Aumento da pressão= 𝑃 − 𝑃𝑎𝑡𝑚 [Pa] ; depois faz a % do aumento.

Pressão no fundo de um recipiente: 𝑃 = 𝑃𝑎𝑡𝑚 + 𝜌. 𝑔. ℎ [Pa]


𝑃. 𝑉 = 𝑛. 𝑅. 𝑇 ; P[atm] ; n[mol] ; R[0,082atm.l/mol.K] ; T[K] ; V[l] ; quando não tem Vi

𝑃. 𝑉 = 𝑛. 𝑅. 𝑇 ; P[Pa]; n[mol]; R[8,31J/mol.K] ; T[K]; V[m³] ; quando não tem Vi


𝑃𝑖.𝑉𝑖 𝑃𝑓.𝑉𝑓 𝑉𝑓 𝑃𝑖.𝑇𝑓
Se aumenta a pressão e a temperatura: = ; = ; P[atm ou Pa]
𝑇𝑖 𝑇𝑓 𝑉𝑖 𝑇𝑖.𝑃𝑓

Sempre quando alguma coisa é constante não utiliza na fórmula.

Transformações Volume Pressão Temperatura


Isotérmica varia varia constante
Isobárica varia Constante varia
Isovolumétrica constante varia varia
(isocórica, isométrica)

Quando o volume é constante o trabalho é 0J.

Trabalho: 𝑊 = 𝑃. ∆𝑉 [J] ; pressão constante


(𝐵+𝑏).ℎ
Trabalho: 𝑊 = á𝑟𝑒𝑎 𝑑𝑜 𝑡𝑟𝑎𝑝é𝑧𝑖𝑜 = 2
[J]
𝑉𝑓 2 10 2 10
Trabalho: 𝑊 = ∫𝑉𝑖 𝑃𝑑𝑉 = ∫1 𝑉
. 𝑑𝑉 = 10𝑙𝑛 1 = 6,93𝐽;Vi;Vf;𝑃 = 𝑉
𝑉𝑓 2 2 10
Trabalho: 𝑊 = ∫𝑉𝑖 𝑃𝑑𝑉 = ∫1 𝑎. 𝑉². 𝑑𝑉 = ∫1 10. 𝑉². 𝑑𝑉 = . (23 − 13 ) = 23,33𝐽; Vi;Vf;𝑃 = 𝑎. 𝑉²; a=10
3

𝑃. 𝑉 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 ; 𝑃𝑖. 𝑉𝑖 = 𝑃𝑓. 𝑉𝑓 ; 𝑃𝑖. 𝑉𝑖 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 [na condição inicial] ; Vi;Pi;Pf


𝑉𝑓 𝑉𝑓
Trabalho: 𝑊 = 𝐶. 𝑙𝑛 𝑉𝑖 = 𝑃𝑖. 𝑉𝑖. 𝑙𝑛 𝑉𝑖 [J]

Processo politrópico: 𝑃. 𝑉 𝑛 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 ; 𝑃𝑖. 𝑉𝑖 𝑛 = 𝑃𝑓. 𝑉𝑓 𝑛 ; 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 = 𝑃𝑖. 𝑉𝑖 𝑛 ;


𝑃 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒. 𝑉 −𝑛 ; Pi;Pf
𝑉𝑓 1,258789636
Trabalho: 𝑊 = 𝑃. 𝑑𝑉 = ∫𝑉𝑖 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒. 𝑉 −𝑛 𝑑𝑉 = ∫0,4305 282461,8074. 𝑉 −1,5 𝑑𝑉 =
282461,8074
. (1,258789636−0,5 − 0,4305−0,5 ) = 357484,1454𝐽
−0,5

Mistura água e gelo com valores separados para água e gelo

Q1  água 𝑄1 = 𝑚. 𝑐. ∆𝑇 m[g] ; c[1cal/gºC] ; T[Tf-_]

Q2  gelo 𝑄2 = 𝑚. 𝑐. ∆𝑇 m[g] ; c[0,5cal/gºC] ; T[Tf-_]

Tf = 0ºC  temperatura de equilíbrio de água + gelo

Q3  calor latente de fusão do gelo 𝑄3 = 𝑚. 𝐿𝑓 [m] ; Lf [80cal/g]

Princípio da conservação de calor: 𝑄1 + 𝑄2 + 𝑄3 = 0 ; acha o valor de m [massa do gelo


derretido]

Mistura água e gelo: massa total

Q1  massa total ; c[água] ; T[Tf da água líquida] ; 𝑄1 = 𝑚. 𝑐. ∆𝑇 m[g] ; c[4,18J/g.ºC] T[_-0]

Q2  calor latente de fusão do gelo 𝑄2 = 𝑚. 𝐿𝑓 [m] ; Lf [cal/g]

𝑄𝑇 = 𝑄1 + 𝑄2 ; dado QT, achar m (massa do gelo contida na mistura inicial)

Menor quantidade de energia: Somar Q1 com Q2


Valor que mais se aproxima do aumento de energia interna: ∆𝑈 = 𝑄 − 𝑊

Taxa de emissão de energia por radiação: 𝑄 = 𝜀. 𝜎. 𝐴𝑠. 𝑇𝑠 [W/m²] ; 𝜎[W/m².K^4] ; A[m²] ; T[K]

Perda de calor: 𝑄𝑐𝑜𝑛𝑣 = ℎ. 𝐴𝑠. (𝑇𝑠 − 𝑇∞) [W;J/s] ; h[W/m².K] ; As[m²] ; T[K]
𝐾.𝐴.(𝑇1−𝑇2)
𝑄= [w] ; K[W/m.k] ; A[m²] ; T1[superfície externa K] ; T2[interna K]; x[espessura m]
∆𝑥

Trabalho: 𝑊 = 𝑄𝑒 − 𝑄𝑠 [J] ; Qe Qs [J]


𝑊 𝑇𝑓 𝑄𝑠
Eficiência: 𝑛 = 𝑄𝑒 [%] ; 𝑛 = 1 − 𝑇𝑞 Tf Tq [K] ; 𝑛 = 1 − 𝑄𝑒

Energia recebida por transferência de calor do reservatório quente; taxa de adição de calor: Qe
𝑇𝑓 𝑄𝑒
𝛽= =
𝑇𝑞−𝑇𝑓 𝑊

𝑇𝑞 𝑄𝑠
𝛾= =
𝑇𝑞 − 𝑇𝑓 𝑊
𝐴.𝑉
Massa: 𝑚 = 𝑣
[kg/s] A[m²] ; V[m/s] ; v = volume específico [m³/kg]

Vazão: 𝑄 = 𝐴. 𝑉 [m³/s] ; A[m²] ; V[m/s]


𝑄
Massa: 𝑚 = 𝑣
[kg/s]

𝑉12 𝑉22
0 = 𝑄 − 𝑊 + 𝑚. [(ℎ1 − ℎ2) + ( − )+ (𝑔𝑧1 − 𝑔𝑧2)] Q[J/s;W] ; W[W] ; m[kg/s] ;
2 2
h[m³/kg] ; V[m/s] ; gz[gravidade x altura] ; dados não dados é zero.