Você está na página 1de 100

W W W. R E V I S TA P E G N . G L O B O .

C O M

PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO 2018
Faça a coisa certa e aumente seus lucros

ESPECIAL GUIA DE VIAGEM


Os melhores destinos para empreendedores
e o que o Chile tem a ensinar sobre startups
O AVANÇO DAS FINTECHS • CURSOS ONLINE PARA EMPREENDEDORES • OS NOVOS ROBÔS • AS LIÇÕES DOS DESAJUSTADOS

ALÔ, É DA
TROCAFONE?
Os sócios
Guille Freire
e Guille Arslanian:
R$ 80 milhões de
faturamento com
celulares usados

OS CRAQUES
DO E-COMMERCE
AS TÁTICAS DOS EMPREENDEDORES QUE
SABEM VENDER DE TUDO PELA INTERNET
SUMÁRIO SETEMBRO / 2017 REVISTAPEGN.GLOBO.COM

8 CARTA DO EDITOR 38 ENTREVISTA

15 GRANDES IDEIAS ROBERTO MARTINI


15 A ERA DOS ROBÔS
COLABORATIVOS Publicitário com formação em análise
de sistemas e finanças, o empreendedor
16 ROBÔS, SENSORES à frente da holding FLAGCX tem entre
seus clientes gigantes como Google,
E MÁQUINAS CONECTADAS Spotify e Unilever. Ele contou à PEGN sua
trajetória, seus livros de cabeceira e como
17 NASCE UM NOVO MERCADO acompanha a velocidade do mundo digital

20 O FIM DA DITADURA
DAS MEIAS SEM GRAÇA 44 ESPECIAL 60 TECNOLOGIA
22 AS MELHORES PRÁTICAS GUIA DE VIAGEM PARA ELES FATURAM MILHÕES
DA GASTRONOMIA COM CONSERTANDO IPHONES
QUEM SABE FAZER EMPREENDEDORES
Facebook, Google e Netflix estão
26 O AVANÇO DAS FINTECHS se tornando uma espécie de
Disneylândia da inovação. Saiba
28 LIÇÕES DOS DESAJUSTADOS como usar viagens para aprender
sobre negócios, prospectar
30 HABILIDADES DO SÉCULO 21 parceiros e aumentar a inspiração
PARA APRENDER AGORA

34 O SEGREDO É TER FOCO 52 INOVAÇÃO


36 CARROS EM XEQUE
CONHEÇA O CHILE
DAS STARTUPS
Prova de que a estabilidade política Uma empresa que ensina a reparar tudo
FOTO:
MARCUS STEINMEYER
traz dividendos para a economia, o — de smartphones a torradeiras —
país criou um ecossistema pujante e não cobra nada por isso. Com essa
DIREÇÃO DE IMAGEM: que tem atraído empreendedores proposta, a iFixit fatura US$ 21 milhões
MARCELO CALENDA
de várias partes do mundo e está causando a ira da Apple
CABELO E MAQUIAGEM:
REGINA ANZZELOTTI

MAIS NO SITE
PRODUÇÃO CENOGRÁFICA:
ANA NAJA

O Rei do iPhone, rede de assistência


técnica para smartphones da
Apple, virou referência no mercado
graças às redes sociais. Veja como
a empresa construiu a estratégia
virtual e ganhou clientes
https://glo.bo/2wOovIB

FAÇA PARTE DA MAIOR E MAIS IMPORTANTE COMUNIDADE DE EMPREENDEDORISMO DO BRASIL

facebook.com/revistapegn twitter.com/peqempresas google.com/+RevistaPEGN pinterest.com/revistapegn instagram.com/revistapegn stayfilm.com/pegn

4 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
SUMÁRIO SETEMBRO / 2017 REVISTAPEGN.GLOBO.COM
66 SÓ NO SITE
CAPA
BANCO DE IDEIAS
VINHO DOS SONHOS
OS CRAQUES DO E-COMMERCE
Enquanto o varejo físico anda de lado em 2017, o eletrônico bate recordes.
Saiba, em detalhes, o que realmente funciona para vender tudo na internet

Após um curso de
enogastronomia na Itália,
a gaúcha Larissa Fin criou
o Vinho na Vila, uma empresa
de eventos que celebra as
bebidas nacionais
https://glo.bo/2wO0gu2

BIKE SUSTENTÁVEL

MAIS NO SITE

A Black Friday é um dos períodos mais Em vídeo exclusivo, os


importantes para o comércio eletrônico. criadores da Trocafone
Para ter sucesso na data especial e competir contam de onde veio a
com as grandes redes, a empresa deve ideia do negócio e como
começar o planejamento com pelo menos funciona a operação
um mês de antecedência. Saiba como se logística da empresa A Muzzicycles, do engenheiro
programar e ampliar as vendas https://glo.bo/2gk8VOA uruguaio Juan Muzzi, faz
https://glo.bo/2wvNi4g bicicletas a partir de garrafas
PET. São necessários 5 kg de
plástico para produzir uma bike
https://glo.bo/2ve8Dzo

85 COMO FAZER 92 COMO EU FIZ


86 GESTÃO SUPLEMENTOS EM REDE CARTA
Chegou a hora “A Wayra Brasil gostaria de esclarecer
de elaborar o Ao estabelecer parcerias com um ponto da matéria Acelere a sua
planejamento distribuidores, a Now! Nutrição empresa (edição de agosto; págs. 52-
estratégico para 2018. Esportiva conseguiu se 59), na qual o seu country manager,
destacar no seu mercado Renato Valente, fala sobre as políticas
Saiba como traçar
direcionadas às startups de seu
as metas, calcular os
portfólio. Queremos ressaltar que a
recursos, identificar os aceleradora não adota qualquer tipo
pontos críticos e engajar 98 VIDA DIGITAL de restrição comercial ou contratos de
a equipe para atingir os exclusividade para as empresas”
objetivos do negócio CAIO BONATTO Comunicação Wayra Brasil

6 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTOS: MARCUS STEINMEYER, JOSE SOMENSI, RICARDO SOARES E DIVULGAÇÃO

www . revistapegn . com . br


O FUTURO QUE
VOCÊ PLANEJOU
ACABA DE
VIRAR PASSADO.
O CRESCIMENTO É AGORA.
Faça sua empresa crescer e
evoluir como um todo. As
soluções SAP® para empresas
em crescimento são acessíveis
e fáceis de usar, automatizando
e integrando processos em
tempo real.
sap.com/agora-PME
© 2017 SAP SE or an SAP affiliate company. All rights reserved.
AO LEITOR

ENCONTROS INSPIRADORES
Todo aprendizado passa, neces-
sariamente, pela admiração.
Lembro bem, ainda menina,
quando ficava horas lendo clás-
sicos da literatura. Intuitivamen-
te, eu sabia que só aprenderia a
escrever se estivesse em contato
com mestres. Eles eram o que, no
mundo dos negócios, chamamos
de benchmark. Os meus mento-
res não tinham voz e eram invi-
síveis, mas foi com eles que
aprendi a contar histórias. É cla-
ro que esse processo passou pe-
lo treino, pela experimentação.
Aprendi com meus erros também.
E sigo descobrindo novos cami-
nhos desse ofício, instigada pelas
possibilidades oferecidas por LIÇÕES ÚTEIS
uma tela em branco. Quando de- PARA O BRASIL
Luis Felipe
cidimos fazer uma reportagem negócios. Na reportagem do jor- irmãs, Época NEGÓCIOS e Valor Céspedes,
sobre e-commerce, refletimos nalista Robson Viturino, forma- Econômico, esse evento nasce ministro da
sobre as melhores formas de or- dores de políticas públicas pode- com o legado do Movimento Em- Economia do
Chile (à esq.),
ganizar esse conteúdo para no- rão entender a fórmula do suces- preenda — realizado pela Edito- e Robson Viturino,
vos empreendedores. E não tive- so do Start-Up Chile. Trata-se de ra Globo entre 2011 e 2014 — e a editor-executivo
mos dúvidas de que a trilha mais um programa que, sem dúvidas, coragem de, agora, inventar um de PEGN:
inovação como
segura passaria pela identifica- pode inspirar a retomada do novo processo de cocriação ao política de Estado
ção do mapa das melhores práti- Start-up Brasil, até hoje camba- seu lado. Sim, você, que assiste,
cas, pela conversa em profundi- leante com os revezes da política lê, ouve, segue, curte e interage
dade com os mestres dessa ma- e da economia. E em atenção a com a gente. Vamos aprender
téria. Os personagens dessa todas as empresas, independen- com quem já sabe fazer, sim, mas,
edição — nossos craques — com- temente do setor em que atuam, sobretudo, uns com os outros.
partilharam, em detalhes, pro- organizamos dicas essenciais pa- Guarde essas datas: 19, 20 e 21 de
cessos e dinâmicas testados e ra o planejamento estratégico de outubro. Em breve, você terá
aprovados pelos clientes. São 2018. Embora o próximo ano já mais novidades em todas as nos-
empresas brasileiras, que pas- bata à porta, o nosso calendário sas plataformas digitais. Um
sam pelos mesmos desafios que promete muita inspiração e abraço e até daqui a pouco!
você, mas não esquecemos de aprendizado até dezembro. Tere-
apurar como se faz na Amazon mos novas edições do PEGNLabs,
também, uma das mais admira- com conteúdo presencial de qua-
das do mundo quando o assunto lidade, o nosso tradicional Prê-
é comércio eletrônico. Dentro do mio Empreendedor de Sucesso
espírito de aprender com gente e uma novidade incrível para os
que traz resultado, fomos ao Chi- empreendedores brasileiros: o
le decifrar um dos mais bem-su- Primeiro Festival de Cultura Em- Sandra Boccia
cedidos programas para startups, preendedora do país. Realizado Diretora de Redação
ímã de novos talentos e de novos em parceria com nossas marcas Sandra Boccia

8 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: ARQUIVO PESSOAL

www . revistapegn . com . br


Positivo recomenda o Windows 10 Pro. TE
STADO

NORMAS
MILITARES

NOVO POSITIVO MASTER.


DURABILIDADE PARA OS IMPREVISTOS.
RAPIDEZ PARA OS DIAS DE HOJE.
E MUITOS ELOGIOS PARA O T.I. QUE COMPROU ESSA MARAVILHA.

NOTEBOOK POSITIVO MASTER N8000 BLACKSTONE.


O NOTEBOOK RESISTENTE A LÍQUIDO, QUEDA E MUITO MAIS.

• 7ª Geração da Família de Processadores Intel® Core™ • Tela Full HD opcional


• Windows 10 Pro • Autonomia - 2 opções de bateria
• Opção de armazenamento em SSD • Acabamento em fibra de vidro
• Teclado retroiluminado e liga metálica de magnésio

Saiba mais em:


positivomaster.com.br

Se tem Intel, tem máxima produtividade.


©2017 Positivo Tecnologia S.A. Todos os direitos reservados. Os computadores Positivo têm garantia balcão de um ano para peças e mão de obra, sendo nove meses de garantia contratual
e 90 dias de garantia legal. Para acessar a internet, o cliente deve possuir uma linha telefônica fixa ativa e arcar com os custos de pulsos e/ou interurbanos ou contratar o serviço de
banda larga de sua preferência, adquirindo os periféricos necessários para o uso do serviço. Microsoft® e Windows® são marcas registradas da Microsoft® Corporation nos EUA e em outros
países. Intel, o logotipo Intel, Intel Inside, Intel Core e Core Inside são marcas da Intel Corporation nos EUA e em outros países. Produto beneficiado pela legislação de informática. Imagens
meramente ilustrativas. Preços, produtos e disponibilidade podem variar sem aviso prévio. Saiba mais em positivodireto.com.br ou entre em contato por e-mail positivodireto@positivo.com.br
ou pelo telefone 0800 721 7765. Setembro/2017.
EXPEDIENTE

DIRETOR GERAL: Frederic Zoghaib Kachar


DIRETOR DE AUDIÊNCIA: Luciano Touguinha de Castro
DIRETORA DE MERCADO ANUNCIANTE: Virginia Any
DIRETOR EDITORIAL: Fernando Luna

DIRETOR DE GRUPO AUTOESPORTE, ÉPOCA NEGÓCIOS, GLOBO RURAL E PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS: Ricardo Cianciaruso DESEJA FALAR COM A EDITORA GLOBO?
DIRETORA DE REDAÇÃO: Sandra Boccia
ATENDIMENTO:
EDITORES EXECUTIVOS: Marisa Adán Gil e Robson Viturino
4003-9393
EDITORES: Fabiano Candido, Mariana Iwakura, Bruno Vieira Feijó e Thomaz Gomes
www.sacglobo.com.br
REPÓRTER: Adriano Lira
ESTAGIÁRIOS: Júlio Viana e Vitória Batistoti (texto) VENDAS CORPORATIVAS E PARCERIAS:
EDITOR DE ARTE: Jairo Rodrigues 11 3767-7226
COLABORADORES: Felipe Datt, Gabriel Ferreira, Lara Silbiger e Paula Pacheco (texto); Laís Rigotti (revisão); Guilherme Henrique, Marcio Moreno, parcerias@edglobo.com.br
Nik Neves e Rum Mailliw (ilustração); Alexandre Battibugli, Camille Garzon, Celso Doni, Daniela Tovianski, Eduardo Uzal, Fabiano Accorsi, Flavio Demarchi, Lucas PARA ANUNCIAR:
Aboudib e Marcus Steinmeyer (fotografia) SP: 11 3736-7128 | 3767-7447 | 3767-7942
ASSISTENTE DE REDAÇÃO: Sabrina dos Santos Bezerra 3767-7889 | 3736-7205 | 3767-7557
ESTÚDIO DE CRIAÇÃO RJ: 21 3380-5930 | 3380-5923
DIRETORA DE ARTE: Cristiane Monteiro; DESIGNERS: Alexandre Ribeiro Zanardo, Clayton Rodrigues, Felipe Hideki Yatabe, Marcelo Massao Serikaku e Verúcio Ferraz; BSB: 61 3316-9584
COLABORADOR: Rodolpho Vasconcelos; ESTAGIÁRIA: Fernanda Ferrari
NA INTERNET: www.assineglobo.com.br
MERCADO ANUNCIANTE EXECUTIVOS MULTIPLATAFORMA: Daniela Nunes Lopes Chahim, Juliane Ribeiro LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO: 11 3767-7005 |
SEGMENTOS — TECNOLOGIA, TI, TELECOM, ELETROELETRÔNICOS, Silva, Maria Cristina Machado e Pedro Paulo Rios Vieira dos Santos venda_conteudo@edglobo.com.br
COMÉRCIO E VAREJO UNIDADE DE NEGÓCIOS — BRASÍLIA ASSINATURAS:
DIRETOR DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Emiliano Morad Hansenn; GERENTE GERENTE MULTIPLATAFORMA: Barbara Costa Freitas Silva; EXECUTIVOS 4003-9393
DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Ciro Horta Hashimoto; EXECUTIVOS MULTIPLATAFORMA: Camila Amaral da Silva e Jorge Bicalho Felix Junior www.sacglobo.com.br
MULTIPLATAFORMA: Christian Lopes Hamburg, Cristiane de Barros Paggi Succi, EDIÇÕES ANTERIORES: o pedido será
OPEC OFF LINE: Carlos Roberto de Sá, Douglas Costa e Bruno Granja
Jessica de Carvalho Dias e Roberto Loz Junior OPEC ONLINE: Danilo Panzarini, Higor Daniel Chabes e Rodrigo Pecoschi atendido através do jornaleiro ao preço
da edição atual, desde que haja
SEGMENTOS — BENS DE CONSUMO, ALIMENTOS E BEBIDAS, MODA E EGCN
disponibilidade de estoque. Faça
BELEZA, ARQUITETURA E DECORAÇÃO CONSULTORA DE MARCAS: Olivia Cipolla Bolonha
seu pedido na banca mais próxima.
DIRETORA DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Selma Souto; EXECUTIVOS DESENVOLVIMENTO COMERCIAL E DIGITAL
MULTIPLATAFORMA: Eliana Lima Fagundes, Fátima Regina Ottaviani, Giovanna PARA SE CORRESPONDER COM A REDAÇÃO:
DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO COMERCIAL E DIGITAL: Tiago Joaquim Afonso
Sellan Perez, Paula Santos Silva, Selma Teixeira da Costa e Soraya Mazerino Sobral pegn@edglobo.com.br
G.LAB: Caio Henrique Caprioli e Lucas Fernandes; CUSTOMIZADAS: Vera Ligia
Rangel Cavalieri; EVENTOS: Daniela Valente; PORTFÓLIO E MERCADO: Rodrigo
SEGMENTOS — MOBILIDADE, SERVIÇOS PÚBLICOS E SOCIAIS, AGRO Girodo Andrade; PROJETOS ESPECIAIS: Luiz Claudio dos Santos Faria e Guilherme
NEGÓCIOS, INDÚSTRIA, SAÚDE, EDUCAÇÃO, TURISMO, CULTURA,
Iegawa
LAZER, ESPORTE
DIRETOR DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Renato Augusto Cassis Siniscalco; AUDIÊNCIA
EXECUTIVOS MULTIPLATAFORMA: Cristiane Soares Nogueira, Diego Fabiano, João DIRETOR DE MARKETING CONSUMIDOR: Cristiano Augusto Soares Santos;
Carlos Meyer e Priscila Ferreira da Silva DIRETOR DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMERCIAL: Ednei Zampese;
DIRETORA DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Sandra Regina de Melo Pepe; COORDENADORES DE MARKETING: Eduardo Roccato Almeida
EXECUTIVOS DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Dominique Pietroni de Freitas e e Patricia Aparecida Fachetti
Lilian de Marche Noffs O QUE É O G.LAB
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
DIRETOR DE TECNOLOGIA: Rodrigo Gosling O G.Lab elabora conteúdos de
SEGMENTOS — FINANCEIRO, LEGAL, IMOBILIÁRIO
qualidade patrocinados por
EXECUTIVOS MULTIPLATAFORMA: Ana Silvia Costa e Milton Luiz Abrantes ESTRATÉGIA DIGITAL empresas que contratam seus
ESCRITÓRIOS REGIONAIS COORDENADOR: Santiago Carrilho
serviços. Esses conteúdos são
DIRETORA DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA: Luciana Menezes Pereira; DESENVOLVEDORES: Alexsandro Macedo, Fabio Marciano, Fernando Raatz, Fred
identificados por expressões como
GERENTE MULTIPLATAFORMA: Larissa Ortiz; EXECUTIVA DE NEGÓCIOS Campos, Leandro Paixão, Marden Pasinato, Murilo Amendola, Thiago Previero e “apresenta”, “apresentado por”,
MULTIPLATAFORMA: Babila Garcia Chagas Arantes William Antunes “oferecimento”, “especial
UNIDADE DE NEGÓCIOS — RIO DE JANEIRO ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO DIGITAL publicitário”, “conteúdo publicitário”,
GERENTE DE NEGÓCIOS MULTIPLATAFORMA RJ: Rogerio Pereira Ponce de Leon; GERENTE: Silvia Balieiro “publieditorial” e “promo”.

NOSSOS VALORES
Fundada há 28 anos, a Revista Acreditamos que é possível fazer Acreditamos que o empreendedorismo conhecimento produz experiências
Pequenas Empresas & Grandes aquilo que você gosta. E lucrar com isso pode e deve ser promovido e ensinado nas mais ricas
Negócios tem por missão ajudar Acreditamos que é possível ter lucro escolas de todo o país, para despertar Acreditamos que a informação precisa,
pessoas inovadoras a transformar criando um ambiente de trabalho talentos e habilitar os cidadãos a clara e de qualidade seja um instrumento
ideias em grandes realizações. As saudável, inspirador e causando um administrar seus negócios capaz de transformar e aperfeiçoar
reportagens da revista apresentam impacto positivo na sociedade Acreditamos no empreendedorismo empreendedores, empresas e relações
oportunidades de negócios para Acreditamos na inovação e na força como chave para a realização de sonhos de trabalho
micro, pequenas e médias empresas criativa que vem das novas empresas Acreditamos que o empreendedorismo Acreditamos que todas as empresas,
e têm o compromisso de informar o Acreditamos no empreendedorismo está alinhado com a visão de mundo independentemente do tamanho, devem
que há de mais moderno em conceitos como pilar essencial para uma (trabalho com diversão e senso de adotar práticas ambientalmente
de gestão, marketing, estratégia, economia equilibrada e para uma propósito) das novas gerações corretas e gerar lucro de modo
finanças e tecnologia. melhor distribuição de riquezas Acreditamos que compartilhar sustentável

O Bureau Veritas Certification, com base nos processos e procedimentos descritos no


seu Relatório de Verificação, adotando um nível de confiança razoável, declara que o
Inventário de Gases de Efeito Estufa - Ano 2011, da Editora Globo S.A., é preciso, confiável
e livre de erro ou distorção e é uma representação equitativa dos dados e informações de
GEE sobre o período de referência, para o escopo definido; foi elaborado em conformidade
com a NBR ISO 14064-1:2007 e Especificações do Programa Brasileiro GHG Protocol.

P equenas e mPresas & G randes n eGócios é uma publicação mensal da EDITORA GLOBO S.A. – Av. 9 de Julho, 5.229, Jardim Paulista, São Paulo (SP), CEP 01407-907 – Tel. 11 3767-7000. Distribuidor para todo o Brasil: Dinap -
Distribuidora Nacional de Publicações; Impressão: Plural Indústria Gráfica Ltda. – Avenida Marcos Penteado de Ulhoa Rodrigues, 700 – Tamboré – Santana de Parnaíba, São Paulo, SP – CEP 06543-001

10 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


LOGGIA
Cobrança Sicoob.
Soluções para fábricas, com tarifas
que transformam custos em benefícios.

Parece que a cobrança Sicoob foi pensada para o seu negócio. E foi mesmo. Se você
precisa emitir boletos e gerenciar suas vendas a receber, no Sicoob você conta com um sistema
online totalmente seguro, além de uma das melhores tarifas do mercado. De fábricas a qualquer
tipo de negócio, o Sicoob tem soluções competitivas de cobrança.

• Registro de boletos online. • Ferramenta de gestão online e gratuita.


• 2ª via de boletos atualizados. • Antecipação de recebíveis no mesmo dia, mediante análise de crédito.

Ouvidoria: 0800 725 0996


Atendimento: seg. a sex. - das 8h às 20h | www.ouvidoriasicoob.com.br
Deficientes auditivos ou de fala: 0800 940 0458 | sicoob.com.br
Inovação
ao alcance
de todo
Sebraetec, programa do Sebrae,
leva inovação de forma
rápida e econômica para
pequenos negócios

E
mpresas precisam de inovação para man- grama do Sebrae que promove o acesso de 10, a média de satisfação é de 8,9. E não é só.
ter os negócios aquecidos. A direção da Via pequenos negócios a serviços em 7 áreas temá- Entre os empresários ouvidos, 90% afirmaram
Alvo, uma pequena indústria e comércio ticas: Design, Produtividade, Propriedade Inte- ter melhorado a qualidade de seus produtos e
de calçados de Sapiranga (RS), queria rea- lectual, Qualidade, Inovação, Sustentabilidade e serviços, enquanto 88% aperfeiçoaram o aten-
lizar um estudo de tendências na moda e, também, dimento e 81% diminuíram os desperdícios.
desenvolver dois calçados femininos para incre- Houve também 40% dos entrevistados que dis-
mentar sua coleção (uma bota para o inverno e uma seram ter observado aumento no faturamento.
sandália para o verão), adequando os produtos à
identidade da marca. Como entre os cerca de 25
Uma empresa que está SOLUÇÕES VARIADAS,
funcionários não havia nenhum designer ou pro- entrando no 4o ano de SEM BUROCRACIA
fissional especializado que pudesse olhar para o Os serviços contemplados pelo Sebraetec podem
mercado e agregar novas ideias, a empresa pediu atuação precisa de toda compreender desde uma solução mais recorrente,
ajuda ao Sebrae local e teve acesso a consultoria
especializada.
ajuda possível, e esse como melhoria de processos produtivos, design de
embalagem (ou de novos produtos) e projeto de
O resultado foi surpreendente: desde o lança- auxílio do Sebrae é uma eficiência energética, até uma ação para resolver
mento dos calçados em uma grande feira do seg- situações específicas, como obter determinada
mento, no final de 2016, os itens lideram a lista de bela iniciativa certificação para exportar. O objetivo do
encomendas feitas por varejistas à Via Alvo. “Houve Mauro Schienkiewitz, responsável pela área Sebrabetec é facilitar o acesso a serviços tecno-
um incremento de 40% nas vendas”, confirma Mau- comercial da Via Alvo lógicos e de inovação, aproximando as pequenas
ro Schienkiewitz, responsável pela área comercial empresas dos mais de 3 mil prestadores de serviço
da Via Alvo, frisando que, até então, havia poucos cadastrados. Além da aproximação, o Sebraetec
pedidos registrados. “Uma empresa como a nossa, Serviços Digitais. Com ele, o empresário pode subsidia até 70% do valor desse serviço. “Ou seja, se
que está entrando no quarto ano de atuação, pre- levar inovação para o seu negócio de uma forma o projeto para levar inovação e tecnologia para uma
cisa de todos os auxílios possíveis, porque ainda rápida e econômica. empresa custar R$ 10 mil, o subsídio será de R$ 7
não consegue andar com as próprias pernas E esse Pesquisa realizada em 2016 com 4.301 donos de mil”, explica Paulo Zandonadi, coordenador do Se-
auxílio por parte do Sebrae é uma bela iniciativa”, pequenos negócios atendidos pelo Sebrae, por braetec, acrescentando que o teto nacional é de R$
comenta ele, referindo-se ao Sebraetec, um pro- meio do Sebraetec, mostra que, numa escala de 0 a 30 mil, mas pode variar de acordo com o estado.

INFORME SEBRAE. Presidente do Conselho Deliberativo Nacional: Robson Braga de Andrade. Diretor-Presidente: Afif Domingos. Diretora Técnica: Heloisa Guimarães de Menezes.
Diretor de Administração e Finanças: Vinicius Lages. Gerente de Gestão de Marketing: Guilherme Kessel. Edição: Larissa Meira. 0800 570 0800
Ele destaca, porém, que o Sebrae não pode ar-

Pizzas
car com bens de capital. “Não dá, por exemplo,
para adquirir novos equipamentos”, exempli-
fica. As formas de contratação do prestador
podem variar de estado para estado.
Obter os benefícios do Sebraetec é muito sim-
ples. Basta ir a um ponto de atendimento do
em dobro
Sebrae e, lá, apresentar a identidade e o número Um caso de inovação em SERVIÇOS
do CNPJ da empresa. Durante o atendimento, o DIGITAIS. Em contato com um pres-
empresário explica ao técnico da instituição a si- tador de serviço cadastrado no pro-
tuação do negócio e indica em que ponto há ne- grama Sebraetec, foi feito um plane-
jamento de mídias sociais, para
cessidade de inovar. Após o diagnóstico, o Sebrae
melhorar o relacionamento e impul-
tem condições de viabilizar a inovação.
sionar as vendas na Roger’s Pizza,
em Ipatinga (MG). Como resultado
INVESTIMENTO CRESCENTE do trabalho de divulgação, houve
Somenteentre2014e2016,oSebraetecatendeu260 incremento nas vendas dos produ-
mil empresas no país, somando investimentos de tos comercializados — o número de
R$ 683 mil do Sebrae. Nos últimos 3 anos, o Sebrae downloads do aplicativo para pedi-
investiu35%doseuorçamentoeminovação—bem dos dobrou, passando de 500 para

Indústria
acimados20%previstosemlei—,sendoque,desses mil no decorrer da implantação do
35%, 23,5% foram destinados ao Sebraetec. projeto.

enxuta
RESULTADOS Ao pedir ajuda ao Sebrae, a indústria
têxtil Itatex, localizada em Itaporanga

EM NÚMEROS
(PB), obteve uma melhoria no quesito
SUSTENTABILIDADE. Foi feita uma rea-
valiação dos processos de beneficiamen-
to na lavagem, tingimento e alvejamento

Móveis
40%dosempreendedoresafirmaramter dos tecidos, com redução do consumo
tido um aumento no faturamento de água superior a 50%. Para Danielle
22% relataram aumento no faturamen- Fernandes Dantas Lima, administradora
to mensal superior a 11%
18% apresentaram incremento de até
10% após o Sebraetec
refinados da empresa, o Sebraetec é interessante
não só por fornecer acesso a consultorias
em diversas áreas, mas, também, por cau-
A Greenpallets, que produz móveis sa do subsídio. “Isso viabiliza o investi-
24%afirmaram ter reduzido no mínimo mento para as empresas, principalmente
10% dos custos mensais com madeira pinus de refloresta-
mento e madeira de descarte, em nesse momento de crise, em que a gen-
90% disseram ter melhorado a qualida- te precisa inovar para superar as dificul-
Natal (RN), procurou o Sebrae na fase
de dos produtos e serviços dades encontradas no mercado e, mui-
de aprimorar seus processos produ-
88% declararam ter aperfeiçoado o tivos e definir a melhor estratégia e tas vezes, não tem recursos”, opina.
atendimento o posicionamento de mercado.
A média de satisfação das empresas que Como resultado, houve ganhos de
participaram do Sebraetec é de 8,9. PRODUTIVIDADE com a melhoria dos
processos, corte e matéria-prima.

sebrae.com.br facebook. com/sebrae twitter.com/sebrae youtube.com/tvsebrae plus.google.com/sebrae 0800 570 0800


TENDÊNCIAS,
EMPRESAS E
PESSOAS QUE
INSPIRAM
Edição: Bruno Vieira Feijó

INTERNET INDUSTRIAL

A ERA DOS ROBÔS


COLABORATIVOS
A catarinense Pollux traz para o
Brasil uma nova geração de robôs
colaborativos, como são chamados
os modelos capazes de trabalhar em
parceria com humanos no chão de
fábrica. É o primeiro passo da empresa
para entrar em um novo mercado:
a internet das coisas industrial

Bruno VIeira Feijó

FOTO: ALEXANDRE BATTIBUGLI / EDITORA GLOBO SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 15
GRANDES IDEIAS INTERNET INDUSTRIAL

A
Pollux, sediada em Joinville (SC),
faturou R$ 75 milhões em 2016 atu- ROBÔS,
ando num mercado dominado por
conglomerados multinacionais:
SENSORES
automação de linhas de monta-
gem. Fundada em 2007 pelo engenheiro
E MÁQUINAS
José Rizzo, 46 anos, a empresa se especia- CONECTADAS
lizou no fornecimento de
robôs, sistemas de inspe- Novas tecnologias estão mudando
ção da qualidade e projetos profundamente a produção
de engenharia industrial. industrial e ajudando a construir
Hoje, são mais de 200 clien- as fábricas do futuro
tes como Bayer, 3M, Bosch,
Os robôs colaborativos são apenas uma
BMW e Continental.
das bases de sustentação de um novo
No ano passado, a Pollux
mercado que promete ser gigante: a internet
começou a instalar os pri-
industrial das coisas (IIoT). Trata-se de
meiros modelos de robôs
sensores e máquinas industriais interligadas
colaborativos no Brasil, fa-
entre si — e na internet —, capazes de gerar
bricados pela dinamarque-
centenas de dados numa escala nunca
sa Universal Robots. Dife-
vista antes. De acordo com um estudo
rentemente de outros robôs
da consultoria inglesa IHS, o número de
industriais, eles trabalham
dispositivos da indústria conectados à
lado a lado com técnicos
internet deve ultrapassar o de aparelhos
nas linhas de montagem,
domésticos entre 2022 e 2025, somando
sem que essa convivência
40 bilhões e movimentando US$ 14 trilhões
exija cercas de segurança
no mundo. “Isso muda as tecnologias e os
ou medidas extras que im-
fornecedores de que a indústria precisa”, diz
peçam uma aproximação.
André Marcon Zanatta, vice-presidente da
“Não há risco de o funcio-
Associação Brasileira de Internet Industrial.
nário se ferir porque o ro-
“Os custos com softwares para produzir um
bô já consegue detectar um
carro, por exemplo, serão mais altos do que
eventual toque”, diz Rizzo.
INOVAÇÃO NAS os das próprias peças e acessórios físicos.”
Dependendo do tipo de
FÁBRICAS
aplicação, os modelos mais novos são 40% Na foto de cima,
mais rápidos do que os das gerações anterio- uma funcionária
res. Máquinas de alta destreza, que hoje são trabalha com um TUDO NA INTERNET
robô colaborativo,
vendidas por um valor que gira entre US$ vendido no Brasil
20 mil e US$ 70 mil, deverão custar metade pelo empreendedor Aparelhos, máquinas e sensores conectados
disso até 2025. Esse novo tipo de tecnologia José Rizzo (abaixo) (EM BILHÕES DE UNIDADES, NO MUNDO)
deve ainda começar a abrir caminho para Comunicações Computadores
a automação de pequenas e médias linhas Consumidor Indústria Outros
de montagem (a partir de 200 funcionários).
Outra vantagem dos robôs colaborativos 70
PRE VISÃO
é que eles já vêm adaptados para a internet 60
das coisas industrial (IIoT, na sigla em inglês)
— o mercado de máquinas inteligentes liga- 50
das em rede (leia mais ao lado). A própria 40
Pollux acaba de inaugurar uma nova unida- 30
de de negócios chamada Pollux Digital, para
explorar esse mercado, que vai muito além 20
dos robôs. “Podemos criar soluções para in- 10
dústrias tão distintas quanto as de agrone- 0
gócio e de saúde”, diz Rizzo. 2011 2012 2013 2016 2019 2022 2025

FONTE: IHS

16 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: DIVULGAÇÃO

www . revistapegn . com . br


NASCE UM NOVO MERCADO O POTENCIAL DA
INTERNET DAS COISAS
A grande sacada da internet das coisas industrial não é simplesmente levar
INDUSTRIAL (IOT)
inteligência para os objetos comuns. A proposta é digitalizar e interligar todos
os maquinários que compõem um parque industrial. Segundo um estudo do

US$ 14 TRILHÕES
Boston Consulting Group (BCG), isso deve reduzir, em média, 20% dos custos
totais de produção. Porém, para chegar nesse estágio, o mercado demanda
devem ser investidos
novas soluções em hardware e software. Veja abaixo alguns exemplos.
no setor até 2025

FORNECEDORES DA NOVA INDÚSTRIA


Conheça algumas das empresas mais promissoras do segmento 40 BILHÕES
de aparelhos e
RETHINK ROBOTICS SIGFOX máquinas industriais
estarão ligados em
Fundada em 2008 pelos engenheiros Rodney Brooks A empresa francesa, criada em 2010, é uma espécie redes IIoT em até
e Ann Whittaker, a empresa americana desenvolve de “operadora de telecomunicações” dedicada à oito anos. Hoje, são
robôs de baixo custo. O crescimento veio a partir de internet das coisas. Seu fundador, Ludovic Le Moan, 3,1 bilhões de devices
2012, quando foi lançado no mercado o Baxter, robô construiu uma rede mais eficaz que outras tecnolo- conectados
colaborativo e adaptado para a internet das coisas. gias de conexão, como wi-fi, 3G ou 4G, exclusiva para
Instalado em fábricas, ele é capaz de aprender novas o tráfego de dados entre sensores e outros disposi-

APENAS 7%
habilidades, em vez de simplesmente executar ati- tivos. O segredo é o baixíssimo consumo de energia.
vidades pré-programadas. Em 2015, uma versão com- Porém, a rede demanda a instalação de infraestru-
pacta e mais flexível do Baxter, o Sawyer, foi projetada tura própria no seu raio de atuação. Para chegar ao das grandes empresas
para executar tarefas menores e mais detalhadas. Em Brasil, a Sigfox fechou recentemente parcerias com já desenvolveram
2016, a Rethink Robotics faturou US$ 35 milhões. outras empresas, como Telefônica VIVO e WND. estratégias para o
segmento; porém, 27%
devem começar ainda
SIGHT MACHINE DAQRI CYBERX neste ano

45%
A Sight Machine desenvolve uma A americana Daqri aposta em Fundada em 2013 por ex-estudan-
plataforma na nuvem que faz soluções de realidade virtual tes do Massachusetts Institute of
análises preditivas de dados bru- e aumentada para melhorar a Technology (MIT), a CyberX é uma das empresas acham
tos capturados em centenas de eficiência de linhas de produção das primeiras empresas de segu-
que o maior ganho será
sensores, máquinas, sistemas de já adaptadas para a internet das rança digital do mundo focadas
obtido na produtividade
energia elétrica, câmeras de vídeo coisas. Sua tecnologia junta em prevenir ataques de hackers
dos funcionários e na
e outras fontes de informações software e hardware para em redes IIoT. O sistema pode ser
disponíveis em uma fábrica. A capturar informações de outros instalado em menos de uma hora
redução de despesas
plataforma converte esses dados sistemas e apresentá-las por em companhias de setores como operacionais
em relatórios e gráficos, apresen- meio de óculos especiais e petróleo e gás, farmacêutico e de
tando indicadores praticamente capacetes de imersão em 3D e energia. A partir daí, ele identifica
em tempo real. Fundada em
2012 por Jon Sobel (ex-executi-
4D. Assim, os funcionários podem
seguir orientações visuais para
conexões remotas não autori-
zadas e dispositivos inseguros. US$ 2,2 BILHÕES
vo da Tesla Motors), a empresa fazer inspeções de qualidade, A CyberX usa machine learning foram investidos por
já recebeu US$ 30 milhões em manutenção de máquinas e (máquinas aprendizes) para fundos em empresas de
investimentos da GE Ventures e procedimentos de segurança com eliminar a necessidade de atuali- IIoT em 2016, 26% mais
de outros 11 fundos. dados atualizados em tempo real. zações manuais de seu sistema. que no ano anterior. No
total, foram 321 aportes

11 EMPRESAS
de IIoT fazem
parte do portfólio
do fundo GE Ventures,
o mais ativo do setor.
Em seguida, estão
Intel Capital
(com cinco startups)
e Cisco (com quatro)
FONTES: ACCENTURE, IHS E CB INSIGHTS

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 17


Da roça
de s e u p a i v i n ha o s u s t e n t o d a fa m í l i a . Nas c i d a n a zon a r u ra l d o R io Gra n d e

do Nor t e , Ka u a n y S o u sa a p re n d e u a le r e a es creve r deba ixo d e u ma á r vo re.

Sem energia elétrica, era difícil enxergar o futuro. Até que, aos 17 anos, chegou

sua primeira TV. Kauany só tinha olhos parra o Futura, até entrar na faculdade .
Lá, Kauany foi escolhida para participar da oficina de audiovisual no Futura.

D e p o is d e m u i t o s d es a fi o s s u p e ra d o s , e l a re a l i zo u o son ho d e pro d u zir

conteúdos tão incríveis quanto sua história e levar tudo isso direto

para o microfone.

Kauany está online. Kauany está no Futura.


futuraplay.org
GRANDES IDEIAS MERCADO

O FIM DA DITADURA DAS MEIAS SEM GRAÇA


Uma nova leva de empreendedores está lançando no mercado meias divertidas e estilosas,
com estampas coloridas e modelos como lurex e arrastão, moda herdada dos anos 1970 e 1980.
A diferença é que agora o uso vem despontando mesmo em situações mais sisudas, como as
reuniões de trabalho. Conheça quatro novas marcas brasileiras que apostam no segmento

Vitória Batistoti

SURREAL
1 SÃO PAULO
1
Skate, música e fotografia são
a inspiração de Bruno Paschoal,
Clibas Pacheco e Fabio Ayrosa, ATÉ O
todos com 28 anos, para MINISTRO...
criar meias com estampas
coloridas e quadriculadas. Sem O primeiro-ministro
experiência em moda, eles do Canadá, Justin
fundaram a empresa em 2015. Trudeau, 45 anos,
vive chamando
De lá para cá, lançaram 30
a atenção por
modelos com tiragem limitada, causa de seus
que custam entre R$ 25 pares de meia com
e R$ 35. Agora, a marca cores vibrantes
investe na produção e estampas de
de bonés e pochetes. personagens, como
2 os da série Star
Wars, usados sem a
3 menor cerimônia em
ALTAI
2 compromissos de
Estado. Neste ano,
A gaveta de meias de durante a semana
Rafael Camargo, 26 anos, da Parada Gay, em
sempre esteve repleta de Toronto, Trudeau
opções de cano alto. Mas calçou meias com
grande parte era de marcas as cores do arco-íris
para demonstrar
internacionais, como a
apoio à causa LGBT.
californiana Stance. Em
2016, Camargo se juntou
a três amigos e investiu
R$ 120 mil para fundar
a Altai. A marca vende
R$ 40 mil por mês num 4 MEIAS 6
e-commerce próprio, com
destaque para as peças Fissurado por meias
de lurex (tecido molinho 4 coloridas e com
com aparência metálica). dificuldade de encontrar
modelos que gostasse
de calçar, o designer
STIFF LEGWEAR
3 carioca Rodrigo Leme, 31
anos, estudou o mercado
A estilista Vanessa Abbud, conhecida nacional para criar sua
pelos vestidos de festa que confecciona marca, em 2012. Ele
em seu ateliê, em São Paulo (SP), desenha os modelos, que
se uniu à publicitária Paula Abarno, são fabricados na Turquia
ambas de 32 anos, para criar uma com algodão penteado
marca focada em meias descoladas turco, costura de ponta
e atemporais nas versões de tule, invisível e lavagem dupla.
arrastão, algodão e lurex. “Pesquisamos A Seis tem 36 estampas
muito para absorver referências cool, unissex. Em 2016, as
desde o fast-fashion até passarelas de vendas dobraram em
moda e grifes sofisticadas”, diz Vanessa. relação ao ano anterior.

20 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: FLAVIO DEMARCHI E ADAM SCOTTI

www . revistapegn . com . br


GRANDES IDEIAS EVENTO

AS MELHORES PRÁTICAS DA
GASTRONOMIA COM QUEM SABE FAZER
Chefs de prestígio e especialistas da área compartilham histórias de inspiração, networking e dicas
de gestão para mais de 300 participantes em evento de Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Fabiano Candido

Empreendedores de alguns
dos melhores restaurantes GESTÃO DENTRO E FORA DA COZINHA
e bares do Rio de Janeiro
se reuniram, no Píer Mauá,
para discutir os desafios do
setor, um dos mais impor- “Um caminho para diversificar “A cozinha sustentável é mais cara,
tantes para a economia da os negócios é criar uma linha mas vale a pena. O restaurante
cidade. O encontro aconte- de produtos baseada nos pratos. vira uma atração quando serve
ceu durante a segunda edi- A gente começou com mercados lo- comida feita com orgânicos e
ção do PEGN Labs, even- cais e hoje exporta para Europa e EUA.” atrai até pessoas de fora do país.”
to realizado por Pequenas
Empresas & Grandes Ne- CRISTIANA BELTRÃO, RAFAEL COSTA E SILVA,
gócios, nos dias 10 e 11 de fundadora do Bazzar fundador do Lasai
agosto, dentro do Rio Gas-
tronomia, em parceria com
o jornal O Globo. No palco,
chefs prestigiados e espe- “Quer um impacto financeiro “Um bom atendimento só se
cialistas da área compar- positivo? Desenvolva processos conquista com funcionários felizes.
tilharam histórias de ins- de produção, meça o gasto para o Nos bares de hoje, é imprescindível
piração, networking e bo- preparo dos pratos e não se esqueça uma política de recursos humanos
as práticas para mais de de fazer a gestão do desperdício.” e benefícios atraentes.”
300 participantes. A sus-
tentabilidade foi um dos MARIA BEATRIZ MARTINS, ARMANDO GOMES FILHO,
assuntos recorrentes — do Planeta Orgânico sócio do Bar Urca
o que inclui controlar a
qualidade de todos os
insumos usados na cozi-
nha, da origem ao descar-
te, e orientar a equipe so- “A comida é sexy, interessante e “Cuide da decoração e do conforto do
bre o impacto de desper- perfeita para reunir amigos ao redor de cliente como você cuida da qualidade
diçar ingredientes. Outro uma mesa. Por isso, os restaurantes dos lanches. Os detalhes têm de
tema em destaque foi a devem oferecer experiências chamar a atenção do consumidor
necessidade de conectar culturais junto com os pratos.” para que ele se lembre de você.”
o negócio aos aplicativos
de delivery. Hoje, 42% dos PRISCILA SABARÁ, RAFAEL PAREDES,
pedidos nas grandes capi- fundadora do FoodPass sócio-fundador do Hell’s Burguer
tais são feitos por meio de
apps. O PEGN Labs foi pa-
trocinado pelo Sistema Fe-
comércio RJ, por meio de “Eu respeito a tradição da minha cozinha “Uma fotografia bonita dos pratos
Sesc, Senac e Sebrae, com e da comida brasileira. Há 12 anos não chama a atenção nas redes sociais. Vai
o apoio de Santander, Cla- mudo o cardápio. E isso, por incrível dar água na boca de muita gente e atrair
ro, CEG e Principado Lou- que pareça, agrada à minha clientela.” novos clientes ao bar ou restaurante.”
ças, e em parceria com o
Sindicato de Bares e Res- KÁTIA BARBOSA, TOMÁS RANGEL,
taurantes (SindRio). fundadora do Aconchego Carioca fotógrafo de gastronomia

22 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTOS: CAMILLE GARZON / O Globo e EDUARDO UZAL / O Globo

www . revistapegn . com . br


“O empreendedor precisa ser “Donos de bares e restaurantes devem apostar “O restaurante não pode fugir
assertivo no processo de compras na internet, porque as gerações mais novas das mídias sociais. É nelas que se
e no controle de custos. Se fizer são adeptas do delivery. Quem não criar deve trabalhar para conquistar
bem as duas coisas, vai ter lucro.” serviços online de entrega vai ficar para trás.” uma nova geração de clientes.”

MARCELO TORRES, SERGIO MOLINARI, ISAAC AZAR,


fundador do Grupo BestFork fundador da Food Experts e da Food Consulting fundador do Paris 6

“Atendimento personalizado “O chef precisa ser uma locomotiva “Não escolha os primeiros
aos clientes é algo que o dono de inspiração. Não deu certo fornecedores que o procurem. Ande
do restaurante deve ensinar um negócio novo? Parta para outro por sua região, busque alternativas
pessoalmente aos funcionários que gere receita. Hoje, faço de leilões e experimente os ingredientes para
por meio de exemplos.” de vinhos a geleias artesanais.” achar a melhor matéria-prima.”

LUIZ DE SIMONE, DANIO BRAGA, BIANCA LAUFER,


fundador do Cocotte Bistro fundador do Locanda Della Mimosa fundadora da GreenPeople

Acompanhe as notícias deste e de outros eventos do PEGN Labs: https://glo.bo/2vyx0UK


GRANDES IDEIAS ECOSSISTEMA

O AVANÇO DAS FINTECHS


O surgimento de startups de finanças impulsiona a maior transformação do mercado
bancário em décadas; Brasil registrou o oitavo maior volume de investimentos no setor em 2016

Bruno Vieira Feijó

A cena brasileira de fintechs — startups especializadas em bem próximo de Israel. Na avaliação da federação, o ta-
finanças — está amadurecendo rapidamente. De acordo manho potencial do mercado brasileiro e a concentra-
com um relatório da Global FinTech Hubs Federation, a ção em poucas instituições são fatores que abrem opor-
federação do setor, o país somou 220 startups (número tunidades para startups dispostas a encontrar brechas
quatro vezes maior que o de dois anos atrás) e US$ 161 mi- nas rígidas barreiras regulatórias do sistema financeiro.
lhões em investimentos de risco nesse tipo de negócio em A região mais avançada em fintechs é a Ásia. Estima-se
2016. O Brasil está na oitava posição entre os países que que 25% dos serviços financeiros do continente já sejam
mais receberam aportes, na frente de Austrália e Japão e prestados por empresas que não são bancos.

MERCADO EM ASCENSÃO | Países que mais receberam investimentos em fintechs em 2016 AS ESTRELAS
DO BRASIL
US$ 17,4 bilhões foram investidos em 1.436 aportes, em 40 países Metade dos aportes
foi para três startups
As quatro
1 China US$ 7,7 bi maiores fintechs
do mundo ficam NUBANK
na China. No
topo está a Fundada em 2014
2 EUA US$ 6,2 bi Ant Financial,
um serviço de
pelo engenheiro David
Vélez, a empresa
pagamento já emitiu mais de
online parecido 1 milhão de cartões de
3 UK US$ 783 mi com o PayPal crédito sem tarifas e,
com isso, tornou-se a
sexta maior emissora
4 Alemanha US$ 384 mi
OPORTUNIDADES
de cartões do país

Tamanho potencial
do mercado GUIABOLSO
5 Índia US$ 272 mi População
desbancarizada Mais de 3 milhões de
Concentração em
usuários usam o app
6 Canadá US$ 183 mi poucas empresas de finanças pessoais
criado em 2013 por
OBSTÁCULOS Thiago Alvarez. O app
Incerteza jurídica puxa os dados da
7 Israel US$ 173 m i Barreiras conta bancária e os
regulatórias reúne em relatórios e
Oportunidades gráficos intuitivos
8 Brasil US$ 161 mi limitadas de saída

ÁREAS EM ALTA CREDITAS


Bancos online
9 Austrália US$ 91 mi de varejo Aberta em 2012 por
Robôs investidores Sergio Furio, concede
Empréstimos empréstimos mais
10 Japão US$ 87 mi online em conta usando a
garantia de imóveis e
Títulos públicos
veículos. Atualmente,
administra uma

220 STARTUPS
são classificadas como
5 MILHÕES
de pessoas têm acesso
30%
da população adulta não
2 BILHÕES
de pessoas no mundo
carteira de R$ 135
milhões em crédito

fintechs no Brasil. Cerca a algum tipo de serviço tem conta em banco. Essa não têm acesso a conta FONTES: Interim Hub Review 2017/
de 60% são B2B — elas gratuito ou de baixo também é a realidade corrente ou poupança, Global FinTech Hubs Federation e
fornecem serviços a outras custo oferecido pelas de 25% dos pequenos o equivalente a 38% Deloitte; Relatório sobre Bancos
instituições financeiras fintechs brasileiras negócios do país dos adultos do Varejo / Capgemini e Efma

24 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
Como superar barreiras
técnicas para exportar?
Implementando normas
de qualidade exigidas
pelo mercado-alvo.

Encontrar a melhor forma de adequar seu produto aos padrões de qualidade é o nosso
negócio. Antes de iniciar as atividades de exportação, é fundamental conhecer quais serão
as barreiras que existem para cada país importador.

Para isso, existe o Sebraetec. Você entra com a vontade de crescer, e o Sebrae entra com
consultoria especializada e alto índice de satisfação e recomendação para melhorar o
seu negócio nas seguintes áreas: design, produtividade, qualidade, serviços digitais,
inovação, sustentabilidade e propriedade intelectual.

Sebraetec. O encontro da sua empresa com soluções


que ajudam a conquistar novos mercados.

Acesse sebrae.com.br/sebraetec e saiba mais.


GRANDES IDEIAS ENTREVISTA

LIÇÕES DOS DESAJUSTADOS


Os empreendedores têm muito a aprender com os hackers, traficantes e hippies. É o que diz Alexa Clay, autora
do best-seller A Economia dos Desajustados e do inédito Neotribes Cookbook, que está sendo lançado neste mês

Marisa Adán Gil

“As pessoas que operam à margem da


sociedade apresentam uma dose de hu- ALEXA CLAY
manidade e de engenhosidade que não
se vê mais no mundo dos negócios”, diz QUEM É
Autora
Alexa Clay, 33 anos, autora do best-sel- dos livros
ler A Economia dos Desajustados (The Economia dos
Misfit Economy), em parceria com Kyra Desajustados
e Neotribes
Maya Phillips. O livro provocou reações Cookbook
fortes no mundo dos negócios ao de-
O QUE FAZ
fender que gângsters e hackers têm li- Com formação
ções valiosas a ensinar aos empreen- em história,
dedores. Para a autora, que esteve no filosofia e
escrita criativa,
Brasil em julho para um evento com é fundadora
executivos, os desajustados entendem da incubadora
tudo de inovação. “O ambiente corpo- Wisdom
Hackers e do
rativo, cheio de regras, não é um terre- coletivo The
no fértil para a criatividade. Os outsi- Human Agency
ders desafiam a cultura dominante, e
daí as chances do novo surgir são bem
maiores”, diz. Neste mês, ela lança seu
novo livro, Neotribes Cookbook. Des-
sa vez, Alexa mostra o que as startups
podem aprender com as comunidades
utópicas e hippies que crescem em di-
ferentes partes do planeta.

O que os desajustados têm a ensi-


nar para os empreendedores?
Nas minhas pesquisas, eu descobri
que as pessoas que operam à margem
da sociedade, como os hackers, os tra-
ficantes ou os piratas, apresentam uma de uma certa forma. Como qualquer ti- dade econômica. Juntando esses outsi-
dose de humanidade e de engenhosida- po de inovação pode nascer em um am- ders, temos uma receita de cerca de US$
de que não se vê mais no mundo dos ne- biente assim? Não existe hoje nas em- 10 trilhões. De certa maneira, eles não
gócios. Como eles têm uma empatia re- presas espaço para quem quer exercer estão mais à margem: eles são o mains-
al com seus colegas ou seguidores, is- a criatividade e a ousadia. Pessoas com tream. Precisamos ajudar esses desa-
so faz com que tenham facilidade para ideias disruptivas são ignoradas ou re- justados para que possam desenvolver
engajar as pessoas. E, como os grupos jeitadas. O mundo corporativo não sa- seu potencial e colaborar para resolver
quase sempre têm uma história de vida be como lidar com elas. alguns dos principais problemas da so-
juntos, o trabalho flui de uma maneira ciedade. Existe um grau altíssimo de ino-
mais transparente. Quer dizer, eu me Por que decidiu falar de outsiders? vação nesses grupos. Eles são talentosos
sinto muito mais à vontade no meio de Comecei a me interessar por misfits e determinados. Mas, sem apoio, essa
um grupo de hackers do que em uma quando trabalhava na Ashoka [Alexa foi criatividade pode ir para o lado errado.
reunião com executivos. Na última vez diretora de nova economia da instituição
que participei de um encontro corpo- entre 2012 e 2013], organização dedicada Você já disse que os desajustados
rativo, levei um tempão me preparan- ao empreendedorismo social. Percebi estão mais abertos ao risco do que
do, porque sabia que tinha de me ves- que, em muitos países, a economia infor- as startups do Vale do Silício.
tir de uma certa forma, me comportar mal corresponde a mais de 70% da ativi- Os empreendedores do Vale falam

26 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: Divulgação

www . revistapegn . com . br


muito em correr riscos. Mas a maioria nicar uma ideia para o mundo. Mas acre- O novo livro, Neotribes Cookbook,
deles tem recursos para se manter, ca- dito que o conceito do que é individual e é uma extensão do anterior?
so algo dê errado. Se a primeira startup do que é coletivo está mudando. O Bra- Existe uma relação entre os dois li-
fechar, ele simplesmente vai abrir outra. sil já assumiu atitudes exemplares nesse vros, já que ambos tratam de pesso-
O fracasso é até mesmo celebrado, co- sentido, ao quebrar a patente de remédios as que querem mudar as noções pre-
mo um passo importante em direção à contra a aids, por exemplo. Hoje, muitos concebidas da economia e da socieda-
vitória. Mas o traficante, o hacker ou o empreendedores adotam o opensourcing, de. Dessa vez, quero demonstrar como
ex-presidiário estão realmente dispos- porque entendem que a execução é muito as comunidades utópicas podem aju-
tos a arriscar tudo. Se algo der errado, mais importante do que a ideia. No livro, dar as startups. Hoje, essas comuni-
eles podem perder a liberdade, o amigo não defendo as atividades dos hackers. dades alternativas estão se multipli-
e até mesmo a própria vida. Existe uma Mas há algo corajoso no modo como de- cando pelo mundo, da mesma manei-
grande diferença. Para mim, o maior safiam o conceito de propriedade. ra que aconteceu nos anos 1970, como
problema é que alguns donos de star- uma opção ao momento sombrio. Vi-
tups acham que estão mudando o mun- Em seu livro, você diz que é possí- sitei comunidades ao redor do mundo
do, mas as suas soluções resolvem ape- vel “despertar o outsider dentro de e percebi que existe uma semelhança
nas problemas de pessoas privilegiadas. você”. Como se faz isso? muito grande entre elas e as startups.
E tantos recursos são investidos nessas Todos temos um lado outsider. Mas, Aquelas que perduram são as que con-
empresas, quando poderiam contribuir muitas vezes, deixamos isso de lado, por- seguem superar os mesmos problemas
com propostas realmente inovadoras. que achamos que devemos fingir e assu- das empresas de tecnologia: conflito
mir o papel que nos cabe na sociedade. Es- sobre uso de recursos, falta de media-
Um dos trechos mais polêmicos do se fingimento pode ser muito desgastante. ção, brigas entre gestores ambiciosos,
livro questiona a noção de patente Em vez disso, encorajo as pessoas a fazer mas sem experiência. No meu livro,
e propriedade intelectual. uma autoavaliação e identificar o que as mostro quais são os ensinamentos das
Não acho que a patente deva desapare- torna únicas. E daí usar isso a seu favor, neotribes que contribuem para a lon-
cer, é uma maneira importante de comu- adotando uma atitude mais provocadora. gevidade das startups.
GRANDES IDEIAS EDUCAÇÃO

HABILIDADES
DO SÉCULO
21 PARA
APRENDER
AGORA
Conheça os cursos
recomendados para
empreendedores nas COURSERA UDACITY
plataformas de ensino online Fundada por dois professores da Boa parte dos cursos (tanto
mais acessadas do mundo Universidade Stanford (EUA), os gratuitos, de curta duração,
oferece hoje mais de 2.000 cursos de como os mais longos e pagos,
150 instituições. Cerca de 25 milhões chamados nanodegrees) é criada
Gabriel Ferreira
de pessoas já cursaram disciplinas em parceria com empresas como
que vão de artes a engenharia Google, Mercedes-Benz e Amazon
A popularização recente de por-
WWW.COURSERA.ORG WWW.UDACITY.COM
tais de ensino como Coursera e
edX está proporcionando aos PLANO DE GAMEFICAÇÃO Universidade DIGITAL MARKETING Facebook,
empreendedores a oportunida- ESTUDOS da Pensilvânia 36h divididas Google e Mailchimp 3 meses
de de fazer aulas ou mesmo cur- As plataformas em 6 semanas Gratuito (lições semanais) R$ 2.290

sos de graduação à distância e os cursos que “Ensina a usar técnicas “Ajudou-me a conhecer mais
com a chancela de instituições estão atraindo de game design, motivação sobre marketing outbound

que são referências no mundo a atenção dos e psicologia na solução de e inbound e a fazer simulações
donos de startups problemas da vida real.” próximas da realidade.”
dos negócios, como Stanford e IVAN BIAVA, SILVINEI TOFFANIN,
MIT (Massachusetts Institute fundador da Conpass fundador da Direto Contabilidade
of Technology). É um tipo de Programação
conhecimento que, até pouco DEVELOPING INNOVATIVE IDEAS MACHINE LEARNING
Universidade de Maryland Kaggle 6 meses (10h semanais)
tempo atrás, estava inacessí- Marketing 16h em 4 semanas Gratuito R$ 1.999
vel para a maior parte das pes- “Mentalidade empreendedora, “Ensina como aplicar modelos
soas. “Cerca de 25% dos nos- Ideias e inovação tomada de decisão estratégica preditivos usando algoritmos
sos alunos são empreendedo- e modelagem de negócios são os inteligentes em áreas como
res ou gente em busca de ajuda elementos fundamentais do curso.” finanças, saúde e educação.”
para tirar ideias do papel”, diz CAROLINA ARANHA, FÁBIO LENINE,
fundadora da Pipe.Social fundador da Lenines
Carlos Souza, diretor da Udaci-
ty no Brasil, que oferece disci- THE DATA SCIENTIST’S TOOLBOX FUNDAMENTOS DE DATA SCIENCE
plinas com ênfase nas habilida- Universidade Johns Hopkins Organizado pela plataforma
12h em 4 semanas Gratuito 32h em 4 semanas R$ 399
des desejadas pelas empresas
de tecnologia do Vale do Silício. “Apresenta ferramentas “Trata-se de um rico conteúdo
para extração e análise de dados, que me apresentou a
A Udacity, assim como Course- como o RStudio, e exemplos para ciência de dados e o mundo da
ra e Udemy, começou neste ano transformá-los em conhecimento.” programação do zero.”
a traduzir seus cursos para o BRUNO MORENO, FERNANDO MARINS,
português. Na maioria dos ca- sócio da Justto fundador da Marins Mentoring
sos, as aulas são oferecidas em
GROW TO GREATNESS 1 DEEP LEARNING
horários e grades flexíveis e Universidade de Virgínia Organizado pela plataforma
contam com tutores para a so- 14h em 7 semanas Gratuito 4 meses (8h semanais) R$ 1.099
lução de dúvidas. PEGN consul- “É o primeiro de dois cursos “É a técnica mais avançada
tou empreendedores e rankings que tratam dos desafios de uma em redes neurais e
de audiência online para mon- empresa que cresce rapidamente. algoritmos inteligentes.
Inclui seis estudos de caso.” Bom para quem já tem
tar uma grade com os cursos e
ANDRÉ FISCHER, conhecimento em Python.”
as plataformas mais populares fundador do Los Mendozitos FERNANDO MARINS
do momento. Veja a seguir.

28 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
Certificado Digital
Serasa Experian
Você assina, a gente assina embaixo.

Será que funciona, será que é válido? Saia do será e conheça o Certificado Digital
Serasa Experian, que você usa para assinar documentos de maneira eletrônica, com
validade jurídica e total proteção em suas operações online. Conte com a credibilidade
que só a líder em serviços de informações há quase 50 anos pode oferecer.

Acesse serasaexperian.com.br/certificadodigital e saiba mais.


GRANDES IDEIAS EDUCAÇÃO

EDX LYNDA UDEMY


Nasceu da união de duas das Adquirida em 2015 pelo LinkedIn, Funciona como um marketplace.
mais importantes universidades é atualmente o braço de educação São mais de 20 mil instrutores que
americanas, Harvard e MIT. da rede social. Para acessar as oferecem 55 mil cursos em 80 línguas.
Nenhuma aula é cobrada. Só é aulas, é necessário fazer uma Por isso, a avaliação feita por outros
necessário pagar se o aluno precisar assinatura — o pacote mais estudantes é um critério importante
emitir um certificado oficial básico custa US$ 19 ao mês na hora de escolher um curso
WWW.EDX.ORG WWW.LYNDA.COM WWW.UDEMY.COM

WHO IS YOUR CUSTOMER


MIT 10h em 2 semanas Gratuito
GOOGLE ADWORDS TRAINING
Em torno de 13h de vídeos
MARKETING EXPONENCIAL
& GROWTH HACKING Organizado 4
“Ajuda a entender que qualquer
startup tem recursos limitados
Requer assinatura
“Os tutoriais são do tipo mão na
pela escola Tera 2h R$ 175
“Para quem quer entender
MILHÕES
de brasileiros
e, por isso, é preciso saber quem é massa e ensinam como escolher os métodos de crescimento
se matricularam
seu cliente e escolher um mercado palavras-chave, configurar anúncios exponencial usados por empresas
em cursos livres
pequeno para começar.” online e medir seu desempenho.” como Dropbox para atrair clientes.”
à distância
FERNANDO FARIAS, CAROLINA ROCHA, MARCELO JANOT,
em 2016 —
CEO do marketplace online GoFind CEO da Pet Anjo sócio da consultoria Cartel 011
30% mais que
no ano anterior
DO YOU HAVE A PRODUCT? FACEBOOK MARKETING: COMPLETE PYTHON BOOTCAMP
MIT 10h em 2 semanas ADVERTISING Organizado por Pierian Data
Gratuito
“Faz com que você se aprofunde
no entendimento do cliente,
Em torno de 5h de vídeos
Requer assinatura
“O material inclui exemplos
13h R$ 575
“Faz uma ótima introdução
ao Python, uma das linguagens
80%
deles estão
agora olhando para o seu produto. práticos sobre como de programação mais usadas empregados e
Foi um exercício muito válido para impulsionar campanhas e criar para o desenvolvimento fazem as aulas
a criação do meu negócio.” posts interativos na rede social.” de softwares e apps.” em horários
FERNANDO FARIAS CAROLINA ROCHA MARCELO JANOT alternativos

R$ 150
USER INNOVATION & MACHINE LEARNING AN ENTIRE MBA IN 1 COURSE
ENTREPRENEURSHIP Em torno de 10h de vídeos Organizado por Chris Haroun
MIT 10h em 2 semanas Gratuito Requer assinatura 8h R$ 580
“São aulas mais conceituais, é o valor
“ É ótimo para quem quer “Apresenta de forma muito
que mostram como grandes médio cobrado
conhecer um pouco sobre didática as boas práticas
pelas maiores
inovações vieram de pessoas comuns aprendizado de máquinas e como de gestão adotadas por grandes plataformas
e de usuários com problemas que essa tecnologia deve influenciar empresas, como Accenture, do mundo
criaram suas próprias soluções.” todos os negócios.” incluindo modelos financeiros.” em cursos
ANDRÉ FISCHER BRUNO MORENO CAROLINA ARANHA relacionados
a negócios
ROBOTICS: FUNDAMENTALS DATA VISUALIZATION HOW TO COME UP WITH KILLER
Universidade da Pensilvânia STORYTELLING BUSINESS IDEAS Organizado
3 meses (9h semanais) Gratuito Em torno de 10h por Evan Kimbrell 7 h R$ 490
“Apresenta os principais Requer assinatura
“Um workshop que ajuda a
conceitos de matemática e as “Ensina técnicas para validar ideias. O autor parte
ferramentas para projetar robôs apresentar fatos e números do princípio que toda empresa de
móveis em diferentes indústrias.” em conteúdos atraentes, como sucesso nasce de uma ideia que
EDUARDO FARIAS, tabelas, gráficos e imagens.” parece fadada ao fracasso.”
fundador da LogBook BRUNO MORENO FÁBIO LENINE

30 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
Talks, oficinas, bate-papos e mentorias.
Filmes, teatro, literatura de negócios e stand-up comedy.

Prepare-se: vem aí um encontro de makers, investidores,


historiadores, educadores e artistas como você nunca viu!

19, 20 E 21 DE OUTUBRO
no espaço co.w. berrini – São Paulo – SP

Visite: bit.ly/culturafest

patrocínio apoio

realização
GRANDES IDEIAS OPINIÃO

O SEGREDO É TER FOCO


Uma startup enfrenta um duplo desafio em seus primeiros anos — pagar suas contas e provar seu
valor ao mercado. Mas isso não deve servir como desculpa para atirar para todos os lados

O
mundo das startups costuma ser as-
sociado à inovação disruptiva e a no-
vos modelos de negócio. Na prática, o
que vemos no Brasil são empreende-
dores lutando pela sobrevivência de
suas empresas. Isso gera um grande problema:
na ânsia de “monetizar” a startup o quanto an-
tes, o fundador perde o foco. Entendo as razões.
Nos Estados Unidos, se você tem uma ideia, é fá-
cil conseguir aportes de fundos ou de anjos para
sustentar os primeiros testes e descobrir se exis-
te um negócio viável ou não. Conseguir US$ 100
mil, no Vale do Silício, é a praxe. A ideia não vin-
gou? Tudo bem, você fecha a empresa, abre ou-
tra e possivelmente consegue mais US$ 100 mil
para testar outra hipótese.
Aqui no Brasil, na grande maioria dos casos,
quando o empreendedor abre uma empresa, ele
começa a atirar para todos os lados e aceita todo
tipo de encomenda, até descobrir o que dá mais
dinheiro. É difícil falar não quando é preciso pagar
as contas no fim do mês. O risco, nesse caso, é dre-
nar energias e diminuir a qualidade justamente no
mercado em que a empresa gostaria de se firmar,
abrindo espaço para a entrada de concorrentes. certa vez: “As pessoas pensam que foco sig-
No Cubo, coworking de São Paulo (SP) que aju- nifica dizer ‘sim’ às coisas em que precisam
do a administrar, já conversei com mais de 800 se concentrar. Na verdade, significa dizer não
empreendedores para selecionar as 56 startups a cem outras boas demandas que aparecem”.
que ocupam o nosso espaço. Dessas 800 conver- Minha recomendação aos empreendedo-
sas, posso afirmar que 60% foram com empreen- res de primeira viagem é fazer uso do concei-
dedores sem foco. É uma antítese, quando obser- to lean startup (startup enxuta). Estou partin-
vo características dos empreendedores de alto do do pressuposto de que ele sabe aonde quer
impacto, ou seja, aqueles que conseguem fazer chegar, tem uma ideia de como solucionar de-
FLÁVIO
uma empresa evoluir com rapidez. Eles são fo- terminado problema, mas precisa descobrir o
PRIPAS
cados em resolver um problema de cada vez, em melhor caminho. Para isso, ele define uma hi- Diretor do Cubo,
atacar apenas um nicho de mercado e em vender pótese e passa alguns meses testando-a. Se o coworking de
para um público-alvo específico. retorno é positivo, ele continua. Caso contrá- fomento ao
empreendedorismo,
Aqui, falo de empreendedores que, definitiva- rio, muda o que está fazendo — essa tática é com sede em
mente, não apostam em dois mercados diferen- conhecida como pivot. São Paulo (SP).
tes quando estão começando. Eles escolhem a A metodologia lean startup tem tudo a ver O projeto é mantido
pelo banco Itaú
dor que desejam remediar. A partir do momen- com o ecossistema dinâmico das startups, mas e pelo fundo
to em que conseguem resolver essa dor, a má- pode ser aplicada em qualquer ambiente de ne- Redpoint eventures
gica acontece: os clientes não só passam a com- gócio. A premissa é a de que um empreendimen- br.linkedin.com/in/
flaviopripas
prar seus produtos, mas também a indicá-los pa- to de sucesso requer 100% de atenção, clareza
ra outras pessoas. São empreendedores que não de foco e esforço concentrado. Isso não signifi-
perdem tempo pensando nos milhares de esco- ca insistir além da conta naquilo que está dan-
lhas que poderiam fazer quando a escolha que do errado, mas avançar justamente no que po-
fizeram já foi boa o suficiente. Steve Jobs disse de dar muito certo.

32 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: CELSO DONI

www . revistapegn . com . br


GRANDES IDEIAS INSPIRAÇÃO

CARROS EM XEQUE A PALAVRA É


MOBILIDADE
Cerca de 6 bilhões de pessoas
Jim Vella, estarão vivendo em cidades
61 ANOS em 2045. Até lá, formas mais
inteligentes de transporte devem
O QUE FAZ
ser criadas. Veja dicas de livros e
Presidente global do Ford Fund,
braço voltado a iniciativas filantrópicas um vídeo que abordam o assunto
e de impacto social da montadora
americana de veículos Ford
CIDADES SUSTENTÁVEIS
O executivo defende que as montadoras deixem Três especialistas da
de ser focadas na venda de carros e se transformem em indústria e da academia
descrevem um sistema de
fornecedoras de soluções de mobilidade urbana
mobilidade integrado que
se baseia em conectivida-
Adriano Lira de onipresente, veículos
elétricos e autônomos e um
mercado aberto à inovação
1 POR QUE INVESTIR EM NEGÓCIOS DE IMPACTO EM MOBILIDADE? e ao empreendedorismo.
“Uma arquitetura de
FASTER, SMARTER,
GREENER: THE FUTURE
OF THE CAR AND
URBAN MOBILITY
Há muitas mudanças acontecendo na indústria, na sociedade e na mobilidade reconfigurada
Venkat Sumantran,
para este século é uma
política, e nós precisamos mudar também para continuar relevan- Charles Fine e David
necessidade social e Gonsalvez
tes. É necessário ter um certo desapego em relação ao modelo de ne- econômica” MIT Press / US$ 86
gócio atual da companhia. Já existe um movimento interno no sen-
tido de tornar a Ford uma fornecedora de soluções em mobilidade PLANEJAMENTO DINÂMICO
e não mais uma mera fabricante de automóveis. A estratégia passa
por investir até mesmo em projetos que podem, no fim, diminuir a O investidor e ex-executivo
da IBM Evangelos
necessidade de as pessoas terem carros. Simoudis relata como a
introdução de veículos
autônomos e conectados
deve gerar uma quantidade
RECENTEMENTE, VOCÊS ANUNCIARAM UM PROGRAMA PARA
2 APOIAR STARTUPS BRASILEIRAS. COMO ELE VAI FUNCIONAR?
exorbitante de dados e criar
negócios que ajudem a moni-
THE BIG DATA
torar e entender o funciona- OPPORTUNITY IN
mento dinâmico das cidades.
Não temos todas as soluções para o futuro. Por isso, queremos OUR DRIVERLESS
FUTURE
“A combinação de
identificar negócios promissores e, junto a eles, refinar seus pro- Evangelos Simoudis
tecnologias exige
dutos. O Ford Fund Lab é o nosso primeiro programa de acelera- novas competências
Corporate Innovators
US$ 86
ção e está sendo estruturado em parceria com a Artemisia. A ideia que deixarão muitas
é fornecer mentoria para 20 startups sociais focadas em resolver indústrias para trás”
problemas de mobilidade. Dessas, três receberão investimento a
fundo perdido [sem necessidade de devolução]. As inscrições para INTELIGÊNCIA EM REDE
a primeira turma estão abertas até o dia 16 de setembro.
Antonella Broglia,
consultora em mobilidade,
e Carlo Ratti, diretor do MIT
SENSEable City Lab,
3 HÁ UM FOCO MAIS ESPECÍFICO PARA O PROGRAMA?
debatem como as cidades
podem melhorar a qualidade
Não estabelecemos muitos critérios. Vamos deixar que os empreen- de vida ao usar tecnologias THE FUTURE OF
dedores tragam as soluções. Para nós, porém, mobilidade significa como sistemas de transporte URBAN MOBILITY
Smart City Expo
qualidade de vida. É disso que esses projetos devem tratar. Não me inteligentes e plataformas de
World Congress 2016
compartilhamento de carros.
refiro necessariamente a tecnologias automotivas ou componentes https://youtu.be
para carros. Trata-se de uma perspectiva mais ampla. Procuramos “Se for possível amenizar os /60CjHTg3kQg
picos de congestionamento
soluções de mobilidade urbana que envolvam melhorias no trans- ou evitá-los usando
porte público, por exemplo, ou sistemas inteligentes que integrem melhorias em rede, tudo
modais como estações de metrô e ciclofaixas. funcionará melhor”

FOTO: DIVULGAÇÃO SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 34


APRESENTADO POR

ROCK
IN RIO
PARA EXECUTIVOS
PRÁTICAS DE GESTÃO E ESTRATÉGIAS SÃO
OFERECIDAS EM PROGRAMA DE FORMAÇÃO
BASEADO NA VIVÊNCIA PRÁTICA
A
pós duas edições de su- As palestras e debates passam por
cesso no Rio de Janeiro ações de sucesso do festival, como a cria-
e em Lisboa, o Rock In ção do plano de comunicação, a atuação
Rio Academy by HSM das áreas de produção, engenharia e
volta para a cidade do operações, o licenciamento de produ-
Rock carioca, no próximo mês, com a tos, a criação de práticas sustentáveis,
proposta de oferecer uma vivência prá- a gestão de pessoas, o atendimento e a
tica de gestão, estratégia, criatividade, fidelização do público.
empreendedorismo e liderança nos bas- Todo o Rock in Rio Academy by HSM
tidores do maior festival de música do se apoia na vantagem de ser um “live
planeta. O programa, direcionado a exe- case”, já que os participantes poderão
cutivos, líderes e grupos empresariais descobrir as estratégias, acompanhar os
de todas as áreas do mercado, é uma desafios no momento em que surgirem e
realização do Rock in Rio e da HSM Edu- avaliar as soluções aplicadas por quem
cação Executiva. faz o festival acontecer.
O curso inclui um dia inteiro de pales- Entre os palestrantes da segunda edi-
tras e debates, sediados na própria Cidade ção brasileira do Rock in Rio Academy
do Rock, e o ingresso para um dos dias by HSM estão Roberto Medina, funda-
do segundo fim de semana do festival. dor e presidente do Rock in Rio, Luis
Segundo a organização, o intuito é que Justo, CEO do festival, Roberta Medina,
os participantes tenham a oportunidade VP executiva, Agatha Arêas, diretora de
de conhecer as ideias e as práticas para a marketing e Zé Ricardo, diretor artístico
organização do Rock in Rio e, na sequên- do Palco Sunset.
cia, possam acompanhar o evento ao vivo, A integração entre os conteúdos e a
inclusive assistindo a shows como Aeros- aplicabilidade dos temas para os profis-
mith, Bon Jovi, Tears for Fears, Guns N´ sionais participantes ficará a cargo de
Roses, The Who e Red Hot Chili Peppers, Denis Garcia, diretor de Novos Negócios
entre as outras atrações do festival. e Parcerias da HSM, e dos professores
O programa foi criado em 2015, a par- Luis Lobão (diretor do HSM Performan-
tir do interesse do mercado em com- ce) e André Barrence (head do Google
O MAIOR FESTIVAL
DE MÚSICA E preender de que forma a marca Rock in Campus no Brasil).
ENTRETENIMENTO Rio, que, na ocasião, completava 30 anos
DO MUNDO da primeira edição do festival, tinha
E A MAIOR
REFERÊNCIA se tornado benchmark de gestão para
EM EDUCAÇÃO a realização dos festivais. Em parceria SAIBA MAIS
CORPORATIVA com a HSM, foram identificados os pro- D e s c u b ra o R o c k
DO PAÍS ABREM A i n R i o Ac a d e my by
CIDADE DO ROCK cessos, ensinamentos e exemplos, depois H S M e i n s c re va - s e
NO ÚNICO LIVE estruturados em três módulos: Do Sonho a ce s s a n d o o s i te :
CASE EXPERIENCE à Estratégia, Excelência em Execução e
DA AMÉRICA ROCKINRIOACADEMY.COM
LATINA Vivendo a Experiência.

P RODU Z IDO P OR
E N T R E V I S TA

Roberto Martini
Nascido em Pelotas (RS) e formado em análise de sistemas na universidade federal da cidade, Martini tem 37
anos. Estagiou no Conesul, um dos primeiros provedores de internet do país e, dali em diante, nunca mais parou de
empreender. Seu maior acerto foi a criação da CUBOCC, em 2004, uma das agências pioneiras em marketing digital
no Brasil. Hoje, ele comanda a FLAGCX, uma holding de empresas de publicidade, tecnologia e marketing. É casado
com Luisa Bernardes, 35 anos, também sua sócia. Tem dois filhos: uma menina de 17 anos e um bebê de oito meses.

“A ÚNICA CERTEZA É
QUE TUDO VAI MUDAR”
Bruno Vieira Feijó Marcus Steinmeyer/Editora Globo

A exemplo de Steve Jobs, fundador da Apple, o figurino de Roberto Martini invariavelmente


passa pela cor preta. Barba aparada, sem cabelos e olhos verdes fixos no seu interlocutor,
ele passaria fácil por um monge da tecnologia. Ou guru, como seus clientes aprenderam a
vê-lo nos últimos anos. Publicitário com formação em análise de sistemas e finanças, ele
acumulou um mix de conhecimentos vital para o sucesso do grupo FLAGCX — sopa
de letrinhas que, segundo explica, alia a força de uma bandeira (flag, em inglês) com o
C de creative e o X do que ainda é incógnito, e está para ser descoberto. O nome da
holding, que faturou R$ 300 milhões no ano passado (segundo estimativas de mercado),
diz algo sobre Martini. É evidente a sua ambição de desbravar novos territórios: em
pouco mais de uma década, a sua marca já se desdobrou em outros 19 negócios e soma
400 funcionários. Tudo começou com a CUBOCC (“de creative commons”), agência de
publicidade que ele fundou exatos dez anos depois de iniciar a carreira, aos 15, como
atendente de help desk em um provedor de internet. Monge, guru ou prodígio, o fato é
que a carteira de clientes não para de crescer. Muitos graúdos, como Google, Spotify e
Unilever, entre tantos outros, o têm como conselheiro do futuro. Nesta entrevista, ele
contou à PEGN sua trajetória fulgurante, seus livros de cabeceira e os antídotos que
toma para acompanhar a velocidade do mundo digital em estado (quase) meditativo.

Você trabalha com publicida- online. Na época, aprendi bastante Como a publicidade entrou
de, mas todos os seus negócios sobre configuração de máquinas e na sua vida?
carregam forte componente programação. Até então, os códi- Durante a faculdade, comecei a
tecnológico. De onde vem es- gos dos softwares eram todos fe- fazer sites para algumas empresas
sa experiência? chados. A web popularizou os có- do interior gaúcho. A demanda era
Eu caí na publicidade quase que digos abertos. Você podia acessar tão grande que propus a dois ami-
por acaso. Comecei a carreira aos os códigos de um site, por exem- gos montar uma agência desen-
14 anos fazendo bico no centro de plo, e enxergar como eles eram volvedora de sites, a AG2. Com o
processamento de dados da Uni- escritos. Isso abriu um campo de tempo, os clientes passaram a pe-
versidade Federal de Pelotas (RS). aprendizado enorme para mim. dir que fizéssemos anúncios na in-
Era 1994 e a internet tinha acabado Não à toa, escolhi análise de sis- ternet, ferramentas de gestão de
de chegar ao Brasil. Porém, era res- temas para cursar na universida- conteúdo, disparo de mensagens
trita ao ambiente acadêmico. Atuar de. Quando surgiram os provedo- em SMS e outros tipos de siste-
como help desk foi a forma que en- res comerciais de internet, passei mas que só existiam fora do país e
contrei para me jogar no ambiente a prestar serviço para eles. eram caríssimos. O negócio cres-

38 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 39
E N T R E V I S TA ROBERTO MARTINI

ceu rapidamente. Começamos a


atender empresas como Embra-
“OS PROFISSIONAIS QUE SE
er, Itaú e Americanas.com. Em
2001, recebemos uma proposta
AGARRAM A STATUS, CARGOS
para vender a AG2 para o grupo
francês Publicis. Aceitamos. Lo-
CORPORATIVOS E BENS MATERIAIS
go em seguida, a Prax, holding do
publicitário Washington Olivetto,
SÃO AQUELES QUE MAIS TERÃO
me convidou para montar uma
das primeiras agências de comu-
DIFICULDADES EM SE ADAPTAR
nicação híbrida [online e offline]
do país, a Rage. Foi lá que eu co-
AO NOVO MUNDO DESINTREGADO
mecei a entender como funciona-
va o mercado publicitário. Nessa
DE GRANDES ESTRUTURAS”
época, me matriculei em adminis-
tração e finanças na Universida-
de do Sul de Santa Catarina. Ao
fazer parte de um grande grupo, eventos, ações de guerrilha e pro- O que os consumidores querem
senti a necessidade de montar tótipos de produtos. Não impor- das empresas?
planilhas, estruturar modelos de ta o formato. Porém, essa parte, Transparência radical, ética nas
negócios e vender projetos. Meu de execução de projetos, sempre relações e negócios sustentáveis.
background mistura tecnologia, foi terceirizada pelas agências. Na Depois de décadas de consumis-
comunicação e finanças. CUBOCC, já começamos no mode- mo desenfreado, as pessoas estão
lo full service, com times incríveis cientes dos custos ocultos por trás
Por quanto tempo você ficou de design, cinema, programação e de cada produto: poluição, desi-
na Rage? mídia. A gente pensa na ideia, mas gualdade social, condições de tra-
A parceria durou dois anos e também a executa. Meu discur- balho desumanas, entre outros
meio. Foi muito bacana. Mas eu so para as empresas passou a ser: problemas. Hoje, qualquer cida-
achava que esse tipo de negócio “Traga seus desafios de negócios dão tem informação suficiente pa-
deveria funcionar de outra forma, e vamos encontrar uma solução”. ra analisar criticamente o que com-
com outras práticas e outros dis- pra e não aceita discursos vazios
cursos. Por isso, vendi a minha Algo mais o incomodava no es- das corporações. Os negócios que
parte na sociedade para fundar a quema antigo das agências? não nasceram com essa perspec-
CUBOCC, uma agência de comu- Os três principais modelos de re- tiva precisam ser agentes da mu-
nicação independente, que nasceu muneração de agências no Brasil dança. Em vez de pensar só no lu-
com o objetivo de quebrar o status têm falhas. A cobrança hora-ho- cro, a empresa deve ofertar propó-
quo da publicidade. Na época, eu mem tende a gerar ineficiência, sito e valores de integridade para
trouxe dois sócios, Matheus Bar- porque quanto mais tempo se tra- as pessoas que escolhem consu-
ros e Luisa Bernardes [atual es- balha, mais se recebe. No caso de mir sua marca.
posa], que estão comigo até hoje. comissão por compra de mídia,
pode ocorrer uma entrega cara e Esse discurso foi bem-aceito
O que quer dizer com quebrar com retorno incerto. E, no mode- pelo mercado?
o status quo? lo de fee [preço fixo], pode acon- A CUBOCC dobrou de tamanho
Apesar de manter um braço digi- tecer falta de comprometimento, a cada ano, justamente por conse-
tal, o funcionamento da Rage era pois a agência não tem por que tra- guir injetar novas demandas e tec-
parecido com o de qualquer ou- balhar para conseguir resultados nologiasparaapublicidade.Fomos
tra agência: uma compradora de além do que foi combinado. Nós a primeira empresa no Brasil a tra-
anúncios em veículos de mídia. temos agências no grupo, como a balhar com mídia programática,
Também havia uma separação cla- Pong Dynasty, que são remunera- por exemplo. Certa vez, criamos
ra entre projetos online e offline. das de acordo com os resultados para o desodorante Axe uma cam-
Eu percebi que as marcas deve- de vendas dos clientes. É um mo- panha em vídeo que se desmem-
riam estar onde a sua presença fa- delo que deve prevalecer no futu- brou em mais de 100 mil trailers,
zia mais sentido, e que deveríamos ro. Outra coisa que me incomoda- customizados para perfis e iden-
criar o que fosse necessário para va eram os discursos de vendas tidades diferentes de consumido-
alcançar os objetivos de marketing. ultrapassados em campanhas pu- res. Para isso, desenvolvemos uma
Poderia ser um anúncio, mas tam- blicitárias. As relações entre pes- ferramenta que ficou hospedada
bém poderiam ser vídeos, games, soas e empresas estão mudando. em cinco servidores capazes de ge-

40 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
Em 2010, a CUBOCC recebeu
uma prosposta de compra da
americana Interpublic [um
dos quatro maiores grupos de
publicidade do mundo, que
engloba agências famosas co-
mo WMcCann e FCB]. Como
foi essa aproximação?
A Interpublic buscava negócios
inovadores, e a gente buscava mus-
culatura para chegar a mais paí-
ses. Vendemos 70% da empresa,
mas mantivemos a nossa estrutura
com uma certa autonomia. Tanto
é que, a partir daí, criamos a hol-
ding FLAGCX, onde a CUBOCC
passou a dividir a atenção com ou-
tros negócios.

Quais são os outros negócios?


Atualmente, 19 empresas fazem
parte da holding, como as agências
Pong Dynasty e Mech, a consulto-
ria Mesa & Cadeira, que propõe
solucionar dilemas de negócios
criando protótipos de produtos
e serviços, a empresa de relações
públicas Soko, a produtora de tec-
nologia Doubleft, a de ativação de
promoções Hood e a produtora au-
diovisual The Kumite. A tendência
PONTO DE é que esse número cresça, pois ca-
ENCONTRO
Áreas de da vez que uma unidade de negó-
convivência e cios atinge certo tamanho, ela é
reunião na sede separada da empresa a que per-
da FLAGCX, em
rar mais de 40 mil vídeos por dia. São Paulo (SP): de uma rede neural artificial e da tencia e vira uma companhia nova.
O software criava uma estrutura atualmente, intervenção humana. A rede foi de-
narrativa, extraía cenas de filmes essa é a única senhada para aprender com o ma- No meio do caminho, imagino
sede das 19
e as distribuía de um jeito diferen- empresas do terial que o rapper Sabotage, mor- que muitas dessas spin-offs
te a cada vez, alternando cenas de grupo. Na maior to há 14 anos, produziu ainda vivo: não tenham dado certo.
acordo com o comportamento de parte do tempo, centenas de manuscritos, poesias Às vezes, nós erramos. Faz parte.
as equipes
navegação do consumidor. Esse trabalham à e rascunhos de letras de música. Já criamos, por exemplo, uma uni-
tipo de coisa chama a atenção do distância, de Depois, montamos um grupo de dade para desenvolver objetos co-
mercado e da concorrência. onde quiserem familiares e amigos do artista para nectados, como blusas equipadas
validar ou não as frases expressa- com sensores de calor e de movi-
Você pode dar outro exemplo das pela máquina. Ao mesmo tem- mento. Essa atividade ainda exis-
de pioneirismo? po, chamamos o rapper Helião, do te, mas foi integrada à nossa pro-
No final do ano passado, ficamos grupo RZO, para finalizar e gravar dutora de tecnologia. Também ti-
responsáveis por produzir uma a faixa no estúdio. Foi uma loucu- vemos a S-Kull, uma incubadora
campanha especial para o Spotify ra, mas em três meses estava tu- para fomentar novos negócios e
no Brasil [um dos maiores serviços do pronto. A música foi uma das o intraempreendedorismo no gru-
destreamingdemúsicadomundo]. mais baixadas do ano no Spotify. po. Com o tempo, percebemos que
Daí, juntamos a CUBOCC e a nossa A empresa gostou tanto da ideia prospectar oportunidades era al-
empresa de inteligência artificial, a que decidiu fazer um documentá- go feito naturalmente pelos sócios
Kunumi, para criar o primeiro rap rio registrando todo o processo de da FLAGCX. Não precisávamos
do mundo a partir da combinação produção da campanha. de uma estrutura para isso. Outro

FOTOS: DIVULGAÇÃO E MARCUS STEINMEYER/Editora Globo SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 41
E N T R E V I S TA ROBERTO MARTINI

exemplo: anos atrás, construímos


um galpão no Rio Grande do Sul
que funcionaria como uma espé-
cie de coworking. Não deu certo.
A nossa filosofia de trabalho per-
mite montar e desmontar opera-
ções o tempo todo, sem carregar
o peso das mudanças.

Qual é a lógica de criar opera-


ções tão fragmentadas?
É uma forma de sobrevivência.
O mundo dos negócios caminha
para ser cada vez mais horizon-
tal, fragmentado e digital. Isso
acontece porque, hoje, temos
pessoas ligadas em rede e algo- TECNOLOGIA
ritmos inteligentes espalhados NA VEIA
pelo planeta trabalhando o tem- Na foto acima,
Martini ministra
po todo, a cada segundo, para uma palestra
derrubar segredos e fórmulas in- sobre realidade a concentração de inovações Os americanos aceitaram nu-
dustriais, destravar os códigos virtual e em três empresas: Facebook, ma boa?
aumentada
que sustentam tecnologias pro- para sua equipe. Google e Amazon. Acho que sim. Não é o tipo de
prietárias e distribuir a riqueza, Ao lado, Luisa Elas também estão sob ataque e coisa que se resolve da noite
até então concentrada em poucas Bernardes, sua desmembrando suas atividades. para o dia. Mas sempre fomos
mulher e sócia,
mãos, para o maior número pos- diretora do Os fundadores do Google, por um bicho diferente dentro da
sível de indivíduos. Aconteceu CLAN, braço que exemplo, criaram recentemente Interpublic. Uma holding pa-
assim com o mercado de músi- funciona como a holding Alphabet. Muita gente ralela muito empreendedora. A
RH, responsável
ca e está acontecendo agora com por espalhar não entendeu esse movimento. Ba- todo momento estávamos su-
todas as indústrias que você po- a cultura do sicamente, o Google passou a di- gerindo projetos fora da caixa
de imaginar. É uma questão de grupo para todas vidir a sala com outras empresas para a Interpublic. Eles foram
as empresas
tempo até que a tecnologia des- e promover que ele ajudou a criar e que, ago- pegos de surpresa, mas não es-
trua quase todos os modelos de treinamentos ra, ganharam mais autonomia pa- tranharam a proposta.
negócios que adotam o cresci- internos ra competir por recursos e talen-
mento vertical, sobretudo aque- tos dentro do grupo. Qual foi o valor da operação?
les que ficam grandes demais e Outros investidores estão en-
perdem agilidade. Em vez de es- A FLAGCX anunciou em agos- trando no negócio?
perar o ataque, a FLAGCX pas- to a saída do grupo Interpublic. Não, usamos capital próprio dos
sou a criar estruturas flexíveis, Essa decisão tem a ver com sua fundadores. O contrato não per-
modelos de negócios que se al- visão de mundo horizontal? mite que eu fale sobre os núme-
teram constantemente e opera- De certa forma, sim. Na prática, ros da empresa por até dois anos.
ções disruptivas que podem até o prazo em contrato para que a
matar a CUBOCC. Não acredito Interpublic exercesse a opção Quais outros modelos de negó-
na ideia de crescer infinitamen- de comprar os 30% restantes da cios vocês querem testar?
te, criar verticais e alugar prédios FLAGCX estava chegando. En- Não posso adiantar ainda.
para acomodar um número cada tão, comecei a conversar com o Uma das estratégias é conti-
vez maior de funcionários. Esse Matheus e a Luisa. Percebemos nuar a internacionalização do
modelo de expansão está deixan- que ainda estávamos no come- grupo. A FLAGCX já tem uma
do de fazer sentido num cenário ço de tudo o que queríamos re- filial nos Estados Unidos que
em que as ferramentas migram alizar. A FLAGCX é o negócio de está indo muito bem. Estamos
para a internet e os melhores ta- nossas vidas. Por isso, resolve- estudando outros países para
lentos trabalham à distância, de mos nos antecipar e fazer uma onde levar a operação, sobre-
qualquer lugar do mundo. proposta de recompra. A ideia é tudo aqueles em que existem
voltarmos a ser independentes filiais de clientes nossos. A in-
Alguns especialistas argumen- e totalmente livres para testar tenção é exportar para o mun-
tam que o monopólio está ape- dezenas de modelos de negó- do inteiro a filosofia FLAGCX
nas mudando de mãos, dada cios ao mesmo tempo. de fazer negócios.

42 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTOS: DIVULGAÇÃO

www . revistapegn . com . br


tuições e estruturas de poder se por meio da robótica e da implan-
rebelando ao novo. A chegada de tação de nanobots no sistema ner-
Donald Trump à presidência dos voso. Algumas pessoas acreditam
Estados Unidos e a saída do Rei- que estamos no caminho errado.
no Unido da União Europeia são Não, não estamos. O que estamos
exemplos de forças retrógradas e fazendo é ligar neurônios do mun-
apegadas ao mundo velho. do inteiro em uma grande rede e,
juntos, ficaremos mais conscien-
Onde está o impacto social dos tes. E quer saber de uma coisa? Não
seus negócios? vamos ter menos mudanças, não
À medida que a FLAGCX se sub- vamos mudar de forma lenta e não
divide em dezenas de outras star- vamos ficar menos conscientes. A
tups, ela precisa de cada vez mais adaptação é inevitável.
sócios, fornecedores e parceiros. A
riqueza que ficaria nas mãos de um Seremos todos ciborgues?
grupo é dividida entre muitos em- Muitos anos atrás, li uma obra
preendedores. O meu sonho é que chamada Pattern Recognition. É
eu tenha cada vez menos funcio- uma ficção científica que avança
nários e que eles se tornem meus sobre a condição pós-humana,
sócios ou fornecedores do nosso formada por ciborgues e comuni-
Alguns estudiosos afirmam ecossistema. dades virtuais. Se você parar pa-
que a velocidade das mudan- ra pensar, já somos todos cibor-
ças e as incertezas sobre o Como as pessoas podem fazer gues. O aparelho celular, por exem-
mundo têm gerado um esta- essa transição sem perder o plo, virou uma extensão poderosa
do de angústia permanente equilíbrio? do nosso corpo e da mente.
nas pessoas. Você concorda? O livro Mente Zen, Mente de Prin-
Essa angústia acontece quando cipiante, do mestre budista Shun- O que você faz para se desli-
nos damos conta de que o traba- ryu Suzuki, aborda a atitude budis- gar do trabalho?
lho que vínhamos fazendo de uma ta de olhar para o mundo e a nós Eu e Luisa viajamos bastante.
determinada forma está deixando mesmos com olhos de principian- Também temos uma forte cone-
de fazer sentido. É doloroso acei- te, ou seja, com vontade de apren- xão com a arte contemporânea,
tar que aquilo que fazemos não é der coisas novas, sem preconceitos algo que aprofundamos depois
mais importante para a sociedade. e certezas enraizadas. Acho que o de começar a fazer a divulgação
É ainda mais doloroso para quem caminho é por aí. As pessoas pre- no Brasil das apresentações da
se agarra a status, cargos corpora- cisam se autocompreender pri- Marina Abramovic [artista sér-
tivos e bens materiais. A questão é meiro para depois encontrar seu via conhecida por performances
que, neste exato momento, ainda lugar no sistema. que exploram os limites do corpo
estamos vivendo o caos, uma in- e da mente. Ela já se esfaqueou,
flexão entre dois mundos: aque- Você recomenda algum livro tomou drogas para induzir o es-
le que foi construído na escassez, que ajuda a elucidar essas tado de catatonia e ficou sob a
quando os recursos e as tecnolo- questões? mira de uma arma carregada] e
gias ficavam nas mãos de poucos Recomendo fortemente AEradas projetos para o Instituto Inhotim
privilegiados, para outro mundo, Máquinas Espirituais, do escritor [maior centro de arte ao ar livre
que ainda está sendo construído, Raymond Kurzweil. Ele dá vários da América Latina, em Brumadi-
com abundância. exemplos sobre como transforma- nho (MG)]. Levamos para lá, por
ções importantes ligadas à evolu- exemplo, um evento de música
O novo mundo tende a ser me- ção tecnológica e à evolução bio- chamado Meca. São três dias de
lhor que o atual? lógica dos seres humanos tendem shows, exposições e palestras.
Quem tem um mindset empre- a ocorrer com mais rapidez com Busco inspiração por meio da
endedor já consegue enxergar o passar do tempo. Ele argumen- arte. Neste ano, estou com um
com alguma nitidez o que vem ta que a evolução biológica é algo filho pequeno, de 8 meses, e uma
pela frente. Eu acredito numa so- inerente à natureza, e que não po- filha de 17 anos, que acabou de
ciedade mais próspera e transpa- demos barrar. A parte tecnológica, entrar na faculdade. Minha ener-
rente, apoiada por tecnologias sim, a gente influencia. E os huma- gia está canalizada para eles. De
exponenciais e por negócios de nos descobrirão formas cada vez vez em quando ainda jogo bas-
impacto social. Mas ainda esta- mais inteligentes de fazer as coi- quete, esporte que praticava na
mos presenciando antigas insti- sas ao se unirem à computação, adolescência.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 43


ESPECIAL

GUIA DE VIAGEM PARA


EMPREENDEDORES
Facebook, Google e Netflix estão se tornando uma
espécie de Disneylândia da inovação. Mas será que dá
para aprender a fazer negócios viajando?
Paula Pacheco e Bruno Vieira Feijó Nik Neves

O
senso comum diz que ninguém volta o mes- nologia do Vale do Silício fez com que crescesse
mo de uma viagem. Conhecer novas cultu- a procura por missões com esse destino, trans-
ras, frequentar lugares marcados pela his- formando a região californiana em uma espécie
tória, conversar com pessoas de origens e de Disney para empreendedores.
experiências diversas — tudo isso ajuda a abrir a Apenas em 2017 — e considerando somente ins-
mente para novas possibilidades e a encher a ba- tituições de referência como Sebrae, Apex (Agên-
gagem de conhecimento. A premissa também vale cia Brasileira de Promoção de Exportações) e
para o mundo dos negócios. Não à toa, um número Amcham (Câmara Americana de Comércio) —, es-
crescente de empreendedores busca insights e bo- tão previstas mais de 30 missões internacionais, a
as práticas de gestão fora do Brasil. Eles sonham maioria para o Vale do Silício ou para Israel, que
com a possibilidade de voltar com contratos assi- se firmou como um centro de startups orientadas
nados, um aporte de um fundo internacional ou para o mercado global.
inspiração para oxigenar suas empresas. Diante da proliferação de ofertas, é importante es-
Há quem prefira viajar por conta própria, pes- tabelecer critérios para escolher a missão que mais
quisando destinos e cuidando da complexa lo- se adequa ao momento de sua empresa, às expecta-
gística que envolve as reservas de hotéis, pas- tivas pessoais e ao custo-benefício embutido. Não
sagens e ingressos de eventos, além de contatar raro, o investimento numa experiência dessas ul-
via LinkedIn os executivos e investidores com trapassa R$ 20 mil, incluindo todos os gastos. “Já
quem deseja se encontrar. Mais recentemente, presenciei alguns grupos que se organizam para vi-
porém, as missões internacionais — como são sitar empresas como Google e Netflix, mas o roteiro
chamadas as excursões focadas em negócios — se resume a tirar fotos da fachada do prédio e fazer
começaram a se popularizar para suprir uma check-ins nas redes sociais”, diz Igor Tasic, organi-
demanda crescente por destinos que se firma- zador do programa de aceleração Startup Europe
ram como polos de inovação. Nos últimos dois Week, baseado na Espanha. “Se for para ser assim,
anos, o interesse gerado pelas gigantes de tec- sai mais barato viajar por conta própria.”

44 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


SÃO FRANCISCO
A região do Vale do
Silício é o destino
preferido dos
empreendedores
brasileiros

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 45


ESPECIAL VIAGENS

Cada missão tem particularidades que merecem COMO ESCOLHER


cuidado. “Se o empreendedor participa de uma via-
gem que se propõe a fazer visitas guiadas a empresas, A MISSÃO CERTA
precisa saber que dificilmente sairá com um contrato PARA VOCÊ
nas mãos”, diz Amure Pinho, presidente da ABStar-
tups. “A agenda é organizada em torno dos interesses ORGANIZAÇÃO
do grupo, e não de uma pessoa.” Para evitar decep- Verifique as qualificações da instituição e o
ções, o empreendedor deve fazer uma ampla pesqui- currículo dos profissionais que organizam
sa, que leve em consideração a experiência de quem a viagem. Com a ascensão das missões
está organizando a missão, o que o programa ofere- internacionais no Brasil, o mercado foi
ce, quem vai recepcionar os viajantes nas empresas abarrotado de pessoas vendendo viagens
visitadas e qual é a opinião de quem já participou. que mais parecem turismo de lazer
Outro ponto que requer análise é o foco da missão.
Muitas delas são voltadas para oportunidades de ex- PROGRAMAÇÃO
portação. “Se a empresa não tem essa perspectiva, Numa missão, o roteiro deve contemplar
pode ser mais interessante participar de um evento palestras com profissionais de renome e
focado em tendências”, diz Gustavo Carrer, respon- visitas técnicas a empresas de ponta,
sável pelas missões no Sebrae-SP. É o caso do Web além de proporcionar oportunidades
Summit, em Lisboa, voltado às tecnologias de inter- de networking que um viajante não
net, e do Retail’s Big Show, em Nova York, o maior encontraria por conta própria
evento de varejo do mundo.
Jorge Pacheco, fundador da rede de coworkings Plug DESTINO
e do fundo Sangha Investments, já participou de uma Para escolher o local mais adequado, os
dezena de missões internacionais e acumula experi- especialistas recomendam ao empreendedor
ências positivas e negativas. “A inspiração para mon- fazer as seguintes perguntas: quais são
os meus objetivos? Busco parceiros ou
tar um coworking no Brasil, por exemplo, veio de con-
investidores? Quero conhecer um novo
versas com executivos de Israel e dos Estados Unidos, mercado ou me inspirar com boas ideias?
que eu dificilmente conseguiria contatar de outra for-
ma”, diz Pacheco. “Mas já participei de excursões com DELEGAÇÃO
excesso de participantes, agendas que não são cumpri-
Obtenha mais detalhes sobre o perfil dos
das à risca e problemas nos deslocamentos.” outros participantes da viagem. A ideia é
No final das contas, o que importa é não ficar preso descobrir qual é o grau de afinidade, quais
à “mentalidade de escritório”. “O sucesso da viagem são as expectativas do grupo e o quanto
não depende do destino, e sim de como você aplica o eles poderão agregar, de fato, para a sua
conhecimento absorvido no dia a dia dos seus negó- rede de relacionamentos
cios”, diz Jorge Audy, presidente da Anprotec (Asso-
ciação Nacional de Entidades Promotoras de Empreen- REFERÊNCIAS
dimentos Inovadores). Nas próximas páginas, Peque- Procure opiniões de quem já participou
nas Empresas & Grandes Negócios apresenta um da mesma missão. Para isso, peça aos
roteiro com os principais destinos para empreendedo- organizadores a relação de viajantes e
res, os eventos que realmente valem a pena e as insti- busque comentários nas redes sociais
tuições que organizam missões internacionais. Voilá! ou blogs de negócios

FONTE: Tales Andreassi, vice-diretor da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP)

DICAS PARA SUA PRIMEIRA VIAGEM

MATERIAL DIVERSÃO TEMPO CONTATOS LUPA NA


EM INGLÊS TEM HORA É DINHEIRO PRÉVIOS PROGRAMAÇÃO
Se a viagem tem Como empreen- Sempre que possível, Para maximizar sua Grandes eventos
como propósito pros- dedor, você está reserve hotéis experiência, faça promovem dezenas
pectar oportunidades, viajando com um próximos aos eventos contatos prévios de palestras ao
como contratos de propósito definido: e compromissos com profissionais do mesmo tempo.
exportação ou inves- desenvolver seu de trabalho. Uma exterior que gostaria As sessões mais
tidores, por exemplo, negócio. Os progra- diária mais cara de conhecer e disputadas exigem
invista em um bom mas de lazer devem pode compensar o cogite esticar a confirmação de
material sobre a sua ficar reservados dinheiro e o tempo viagem para além presença e chegada
empresa traduzido para os horários que seriam gastos da programação ao local com
para o inglês pós-trabalho em deslocamentos fechada antecedência

46 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


OS MELHORES DESTINOS
Um roteiro para tirar o máximo proveito de 15 cidades que apresentam uma forte cultura empreendedora

BERLIM
(ALEMANHA)
BOSTON
(ESTADOS UNIDOS)
BUENOSAIRES
(ARGENTINA)
Nos últimos anos, prédios abandonados Um dos maiores hubs intelectuais do Decolar, MercadoLivre e OLX são exemplos
e bunkers inativos (resquícios de duas mundo, a região de Boston concentra de multinacionais que nasceram na capital
guerras mundiais e do Muro de Berlim) se empresas líderes nas áreas de farmácia, portenha, frutos de um ecossistema que
transformaram em galerias de arte, bares biotecnologia e robótica. A comunidade se começou a ser formado ainda no final dos anos
estilosos, escritórios e coworkings. Estes beneficia de universidades como Harvard e 1990. As empresas da cidade se destacam em
últimos são ocupados por artistas e por Massachusetts Institute of Technology (MIT), agritech, fintech e e-commerce. Buenos Aires
empreendedores da indústria criativa do que realizam pesquisas de ponta e promovem serve de base para brasileiros que querem
mundo inteiro — 40% dos donos de startups eventos científicos e encontros de negócios operar em países da América Latina
na cidade são estrangeiros praticamente o ano inteiro NÃO DEIXE DE VISITAR: o bar irlandês The
NÃO DEIXE DE VISITAR: para encontrar essa NÃO DEIXE DE VISITAR: a aceleradora Techstars Temple e o café 3D Lab & Fab são os points
galera, rume para uma das unidades das redes e os coworkings District Hall, Worklab, Coalition dos empreendedores digitais. Vá também às
de coworking Rent24, Betahaus e Ahoy! Berlin, e Cambridge Innovation Center incubadoras Baitec e Distrito Tecnológico —
e para a aceleradora Factory Berlin, mantida QUANDO IR: os hotéis estão sempre cheios, essa última mantida pela prefeitura, com mais
pelo programa Google for Entrepreneurs mas, no inverno (entre dezembro e março), de 200 startups reunidas
QUANDO IR: em setembro, acontece o festival de ficam mais baratos QUANDO IR: o ano todo. Em julho e
música Lollapalooza e a feira de eletrônicos IFA ONDE FICAR: Downtown, Back Bay, Theatre agosto, recomenda-se fazer reservas
ONDE FICAR: Charlottenburg, Mitte, Prenzlauer District e Waterfront com antecedência
Berg e Tiergarten são os melhores bairros ONDE FICAR: Palermo é o bairro mais cool

AGENDA CHEIA | Os próximos eventos imperdíveis ao redor do mundo


18-20 SETEMBRO 2017 6-9 NOVEMBRO 2017 30 NOVEMBRO-1 DEZEMBRO 2017
TECHCRUNCH DISRUPT WEB SUMMIT SLUSH
(SÃO FRANCISCO, EUA) (LISBOA, PORTUGAL) (HELSINQUE, FINLÂNDIA)
Principal conferência para startups de É o maior festival de inovação da Europa, Cerca de 15 mil pessoas, entre donos de
tecnologia que querem lançar produtos e centrado em tecnologias de internet, com empresas, investidores e estudantes, discutem
serviços. A parte da manhã é dedicada a mais de 600 palestrantes, entre CEOs de empreendedorismo e tecnologia. O evento inclui
palestras; à tarde, empresas fazem seus pitchs grandes empresas e fundadores de startups workshops para negócios de impacto social
US$ 2.995 € 675 A € 4.995 € 295 a € 795

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 47


ESPECIAL VIAGENS

CINGAPURA
(CINGAPURA)
JOHANNESBURGO LISBOA
(ÁFRICA DO SUL) (PORTUGAL)
A cidade-estado abriga o quarto maior centro Um mergulho nos negócios africanos pode Em 2013, com a criação da aceleradora Startup
financeiro do mundo. Conhecida como o berço trazer inspiração para empreendedores de Lisboa (uma das iniciativas do governo para
de startups da Ásia e porta de entrada para países emergentes como o Brasil. São muitos combater a crise), a cidade passou a atrair
todo o continente, conta com vários hubs de os exemplos de startups que estão ajudando empreendedores do mundo todo interessados
inovação organizados pelo poder público. a resolver problemas sociais utilizando em entrar no mercado europeu com ajuda
Cingapura disputa com Londres e Berlim a tecnologias simples e acessíveis à população de financiamento público
preferência em sediar fintechs no mundo de baixa renda. Johannesburgo tem o maior
NÃO DEIXE DE VISITAR: as antigas docas do Cais
NÃO DEIXE DE VISITAR: o hub mais conhecido PIB da África e abriga o mais importante
aeroporto de acesso ao continente do Sodré, à beira do rio Tejo, estão povoadas
da cidade é o Block 71, um misto de coworking por startups e coworkings da indústria criativa,
e aceleradora com mais de 300 empresas NÃO DEIXE DE VISITAR: o JoziHub é um misto
como o LXFactory. Lisboa também tem uma
e 20 fundos de investimento de coworking e sede de eventos e cursos sobre filial da aceleradora Climate-KIC, programa da
QUANDO IR: Cingapura está encostada na linha empreendedorismo. O espaço abriga cerca de União Europeia para estimular negócios em
do Equador. Por isso, a temperatura é estável 30 empresas residentes, a maioria delas em energia limpa
o ano todo e nunca fica abaixo de 20°C. Em áreas de impacto social e aplicativos mobile
QUANDO IR: a cidade sedia em novembro vários
setembro, acontece o GP de Fórmula 1 QUANDO IR: em qualquer época do ano
eventos de inovação e criatividade; o Web
ONDE FICAR: Marina Bay, Clarke Quay, Orchard ONDE FICAR: Sandton e Rosebank Summit, por exemplo, é o maior da Europa
Road e Chinatown ONDE FICAR: Alfama, Chiado, Bairro Alto e Belém

9-12 JANEIRO 2018 14-16 JANEIRO 2018 10-13 FEVEREIRO 2018


CES RETAIL’S BIG SHOW IFA ANNUAL CONVENTION
(LAS VEGAS, EUA) (NOVA YORK, EUA) (PHOENIX, EUA)
Maior feira dedicada a eletrônicos no Encontro mundial do varejo (com mais de Convenção organizada pela entidade máxima
mundo, reúne empreendedores e executivos 35 mil lojistas e fornecedores de quase cem do setor de franquias, a International Franchise
de empresas que fabricam TVs, drones, casas países) que discute estratégias de vanguarda Association. Ótima oportunidade para quem
inteligentes e óculos de realidade virtual capazes de engajar consumidores na era digital quer se atualizar ou trazer marcas ao Brasil
US$ 200 A US$ 1.350 US$ 500 A US$ 2.575 A PARTIR DE US$ 550

48 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


LONDRES
(INGLATERRA)
LOSANGELES
(ESTADOS UNIDOS)
NOVAYORK
(ESTADOS UNIDOS)
A saída da União Europeia pode enfraquecer É a terceira cidade americana em número Com um PIB local de US$ 1,5 trilhão, a maior
o país como destino para empreeendedores. de startups, depois de São Francisco e Nova cidade dos Estados Unidos é o laboratório das
Mas Londres ainda concentra um dos maiores York. Em 2016, as empresas de Los Angeles marcas para testar e divulgar produtos
hubs tecnológicos da Europa. Nos últimos anos, receberam US$ 3 bilhões em financiamento, e serviços voltados ao consumidor final.
a cidade virou reduto de fintechs e startups seis vezes mais que em 2012. A forte vocação A Big Apple tem o varejo mais sofisticado do
de segurança digital, por ser o principal centro para a indústria do entretenimento (com mundo, o que torna o ambiente inspirador
bancário do continente ênfase para o mercado cinematográfico) e estimulante para empresas de e-commerce,
NÃO DEIXE DE VISITAR: o complexo Tech City gera um ecossistema propício para negócios mídia, publicidade e moda
abriga mais de 1.500 empresas, incluindo as que lidam com produção de conteúdo e NÃO DEIXE DE VISITAR: o New Lab, no Brooklyn,
sedes inglesas de Facebook, Google e Cisco tecnologias audiovisuais é um dos maiores fablabs do mundo e abriga
QUANDO IR: na segunda semana de junho, NÃO DEIXE DE VISITAR: a unidade local da rede startups de inteligência artifical e robótica
acontece o festival London Tech Week, que de coworkings WeWork é um bom ponto de QUANDO IR: no mês de janeiro acontece a Retail’s
realiza mais de 300 eventos de tecnologia e partida para encontrar outros empreendedores Big Show, feira que reúne os principais executivos
empreendedorismo simultâneos QUANDO IR: a temperatura é estável e empreendedores do varejo
ONDE FICAR: quanto mais longe do centro, (entre 15°C e 20°C) durante todo o ano ONDE FICAR: os hotéis com bom custo-benefício
mais barata é a hospedagem; use as zonas ONDE FICAR: West Hollywood e Downtown estão no Brooklin e no Queens (fique próximo das
das estações de metrô como critério para estações de metrô, que cobrem a cidade toda)
calcular distâncias

26 FEVEREIRO-1 MARÇO 2018 9-18 MARÇO 2018 7-14 ABRIL 2018


MOBILE WORLD CONGRESS SXSW TED CONFERENCE
(BARCELONA, ESPANHA) (AUSTIN, EUA) (VANCOUVER, CANADÁ)
Principal evento de telecomunicação e mobile Originalmente dedicado apenas a música, o Principal edição do TED, que promove eventos
do mundo, onde são mostrados lançamentos SXSW é hoje um dos festivais mais importantes focados em tecnologia, design e entretenimento.
e protótipos. Há uma programação paralela de tecnologia, cinema e economia criativa no Profissionais que são referência em suas áreas
só para empreendedores do setor mundo, atraindo um público de 60 mil pessoas apresentam ideias para melhorar o mundo
€ 799 A € 4.999 US$ 825 A US$ 1.650 US$ 5 MIL A US$ 10 MIL

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 49


ESPECIAL VIAGENS

PARIS
(FRANÇA)
SANTIAGO
(CHILE)
SÃOFRANCISCO
(ESTADOS UNIDOS)
A cidade-luz está se tornando destino Impulsionada pela estabilidade política e por É a porta de entrada para o Vale do Silício, área
obrigatório para donos de startups após o acordos comerciais fechados com dezenas com a maior concentração de empresas de
governo francês criar diversos programas de países, Santiago ganhou nos últimos tecnologia do mundo. Ainda que existam outros
de estímulo ao setor. Em 2016, a França anos mais uma razão para entrar na rota ecossistemas ricos em inovação nos Estados
ultrapassou a Alemanha no total de dos empreendedores interessados em fazer Unidos, é aqui que se concentra metade de todo o
investimentos em venture capital — negócios na América Latina: o programa de investimento de risco do país. Para encontrar em-
US$ 2,7 billhões ante US$ 2,1 billhões aceleração Start-Up Chile, que hospeda e faz preendedores e investidores, o ideal é fazer contato
NÃO DEIXE DE VISITAR: em junho, foi aportes em mais de 200 startups por ano. De prévio com participantes de aceleradoras como
inaugurada a Station F, que promete ser a acordo com o ranking Global Accelerator Report, 500 Startups e Y Combinator
maior incubadora de empresas nascentes a cidade já se tornou um dos cinco principais NÃO DEIXE DE VISITAR: o bairro South of Market (co-
do mundo. O espaço vai abrigar mais de 20 destinos do mundo (leia mais na pág. 52) nhecido como SoMa) sedia empresas como Dropbox
programas, como o Facebook Startup Garage NÃO DEIXE DE VISITAR: os coworkings mais e LinkedIn, aceleradoras e coworkings. É onde empre-
QUANDO IR: em junho, a cidade organiza o vibrantes são Launch Coworking, Lofwork e endedores se misturam com boêmios e profissionais
festival de inovação VivaTechnology, que Latam Ideas Cowork. O grupo Fuckup Nights da indústria criativa em cafés e bares da redondeza,
registra mais de 60 mil participantes Santiago organiza eventos de networking e como Coffe Bar e Ritual Coffee Roasters
happy hours em bares da cidade QUANDO IR: o clima é agradável durante todo o ano
ONDE FICAR: a hospedagem costuma ser
QUANDO IR: em qualquer época do ano
cara. Marais e Quartier Latin são dois bairros ONDE FICAR: Nob Hill e Marina District, com vista
centrais um pouco mais em conta ONDE FICAR: Las Condes e Providencia para a Golden Gate, são bairros bem localizados.
O pernoite em cidades vizinhas sai mais em conta
(nesse caso, fique perto de uma estação de trem)

PASSAPORTE FGV-EAESP SEBRAE


CARIMBADO O Centro de Empreendedorismo da FGV
paulista promove anualmente viagens
As missões são organizadas por estado.
O carro-chefe da unidade paulista é a
As principais instituições para Israel. O valor começa em US$ 4.600 viagem para o Retail’s Big Show, em Nova
(sete noites em quarto duplo, sem aéreo). York. Além da feira, os empreendedores
no Brasil que organizam Fazem parte da programação visitas participam de uma programação paralela com
missões internacionais a startups, fundos de venture capital, especialistas em varejo. A taxa de US$ 4 mil
de negócios aceleradoras e espaços de coworking inclui entradas para a feira, hotel e transfers

50 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


TEL-AVIV
(ISRAEL)
TORONTO
(CANADÁ)
XANGAI
(CHINA)
Os investimentos em inovação e a tradição É a cidade mais populosa e dona do maior É a cidade mais populosa do mundo e
empreendedora dos israelenses, que PIB do Canadá. Toronto conta com vários centro financeiro da China. É lá que ficam
dependem do mercado externo para crescer, programas governamentais de incentivo para sediados quase todos os 150 fundos de
colocam Israel em segundo lugar no ranking estrangeiros interessados em montar bases investimento do país, interessados em
mundial de startups. O ponto forte são as áreas de operação na América do Norte diversificar seus aportes
de TI e segurança digital, estimuladas pelos
NÃO DEIXE DE VISITAR: Toronto sedia uma NÃO DEIXE DE VISITAR: para iniciar
investimentos militares do governo
das três maiores incubadoras de empresas contato com empreendedores, vá para
NÃO DEIXE DE VISITAR: o The Library é um
do mundo, a DMZ (Digital Media Zone), na Yangpu, distrito que concentra startups e
coworking bastante movimentado. A prefeitura Universidade Ryerson, e a aceleradora pública incubadoras como Xnode e Chinaccelerator
organiza tours para empreendedores de fora MaRS Discovery District, que ocupa um
interessados em conhecer empresas locais (veja QUANDO IR: outubro e novembro são os
quarteirão inteiro no centro da cidade meses mais amenos. Em julho e agosto, há
a programação em www.telavivstartupcity.com)
QUANDO IR: entre maio e setembro, a fortes chuvas e risco de tufões
QUANDO IR: em qualquer época. Tel-Aviv conta
temperatura fica mais amena (o inverno chega ONDE FICAR: o melhor bairro para hotéis,
com 320 dias de sol ao longo do ano a registrar -40°C e tem muita neve) o Bund, fica às margens do Rio Huangpu
ONDE FICAR: Neve Tzedek é o bairro onde ONDE FICAR: Financial District e Old Town
estão galerias de arte, cafés, restaurantes e
coworkings

APEX INOVATIVA BRASIL AMCHAM


A Agência Brasileira de Promoção de A aceleradora seleciona 15 startups por A Câmara Americana de Comércio
Exportações faz em torno de dez missões ano para participar de uma imersão de organiza três viagens anuais para os
por ano para Argélia, Egito, Paraguai, Bolívia, sete dias no ecossistema empreendedor de Estados Unidos com temáticas distintas
África Austral, China, Rússia, Gana e Argentina. Buenos Aires, na Argentina. O roteiro inclui (inovação, empreendedorismo e governança
As empresas selecionadas passam por uma workshops sobre como abrir negócios no país. corporativa). O custo é de US$ 4 mil, em
preparação de três meses e pagam US$ 500, As despesas de transporte, hospedagem e média, mais as despesas com passagem
em média, além de passagem e hospedagem alimentação ficam por conta de cada empresa aérea, hospedagem e alimentação

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 51


INTERNACIONAL

CONHEÇA O

DAS
STARTUPS

52 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: TIFONIMAGES / Thinkstock

www . revistapegn . com . br


Prova de que a estabilidade política
traz dividendos para a economia, o
Chile criou um ecossistema pujante
que tem atraído empreendedores de
várias partes do mundo. O Brasil tem
muito a aprender com suas lições
Robson Viturino, de Santiago (Chile)

N
a primeira semana de julho, grar ao mundo”, afirma Rocio. A
na manhã de uma segunda- tônica deste e de outros encon-
feira fria e chuvosa, um gru- tros que iriam ocorrer nos dias
po de aproximadamente cem em- seguintes seria a mesma: ali se
preendedores se apresentava em dariam as condições para que
um amplo auditório da Universi- aquelas empresas conquistem os
dad San Sebastián, na colorida e seus países e, depois, o mundo.
vibrante região da Recoleta, em Sob o olhar de um brasileiro
Santiago. Após uma madrugada cético que assistiu a uma inicia-
que havia flertado com tempera- tiva similar naufragar e, no últi-
turas negativas, alguns deles pa- mo mês, ressurgir timidamente,
reciam à vontade de bermuda e o discurso parecia mera peça re-
camiseta, enquanto outros mal tórica. Não era. O Start-Up Chi-
apareciam, debaixo de várias ca- le não é o Start-Up Brasil. Nos
madas de casacos e adereços. A últimos anos, a iniciativa se con-
razão do encontro era o início solidou como um dos progra-
das atividades de mais um gru- mas mais bem-sucedidos da
po (ou geração, como eles se au- América Latina. Ele foi criado
todenominam) do Start-Up Chi- em 2010, no governo liberal de
le, programa de fomento a negó- Sebastián Piñera, e foi ampliado
cios inovadores que tem atraído significativamente na gestão da
centenas de empreendedores de esquerdista Michelle Bachelet.
várias latitudes e se tornado uma “Entre 2010 e 2015, financiamos
referência para o Hemisfério Sul. algo em torno de 3.500 negócios
Fiel à proposta de reunir as inovadores. Apenas no ano pas-
mentes por trás de startups de sado, financiamos mil, quase um
várias partes do mundo, o grupo terço do total”, diz Luis Felipe
tinha representantes de 25 paí- Céspedes, ministro da Economia
ses, entre brasileiros, argenti- do Chile, em entrevista excusiva
nos, russos, franceses, canaden- à PEGN (veja na pág. 59).
ses, italianos, americanos, india- A nova economia ganhou tanto
nos, colombianos e até chilenos. território nos espaços públicos e
CULTURA DE
Ao se dirigir em espanhol para privados por uma razão estraté-
INOVAÇÃO Rocio Fonseca, diretora executi- gica. Investir nas startups tem si-
Empreendedores va do Start-Up Chile, este jorna- do uma forma de sofisticar a eco-
se reúnem para lista foi prontamente encorajado nomia do Chile, historicamente
o Demo Day no a se comunicar em inglês, a lín- dependente da mineração, abrin-
coworking do
Start-Up Chile gua oficial do encontro. “Nós, os do espaço para segmentos que
chilenos, temos de nos abrir, aco- não sejam tão vulneráveis à osci-
lher os estrangeiros e nos inte- lação das commodities e permi-

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 53


INTERNACIONAL INOVAÇÃO

tam ganhos exponenciais no mé-


dio-longo prazo. “Partimos da 1.
ideia de que esse caminho não
se constrói com a renúncia dos
nossos recursos naturais. O que
devemos fazer é usá-los como
plataforma para a nossa sofisti-
cação”, afirma Céspedes.
Os setores prioritários são, de
fato, aqueles em que o Chile pos-
sui conhecimento de causa. En-
tre eles, estão os segmentos de
mineração, florestal, agronegó-
cio (sobretudo a pesca do sal-
mão) e logística, contando com
o acesso estratégico a outros paí-
ses via Oceano Pacífico. “Traba-
lhamos para a construção de um
ecossistema de impacto”, diz Ta-
dashi Takaoka Caqueo, que co-
manda a Corfo, a agência de fo-
mento do governo chileno.
Anualmente, a empresa aporta
US$ 30 milhões em startups. Es-
ses recursos permitem que os
participantes do Start-Up Chile
recebam 20 milhões de pesos
chilenos do programa, algo em
torno de US$ 30 mil, dinheiro na-
da trivial na vida de quem, mui-
tas vezes, vende o almoço pelo
jantar para bancar um negócio.
Naquela manhã na Universidad
San Sebastián, diversos sotaques
se encontravam sem disfarçar a
excitação. Formado na sua maio-
ria por empreendedores jovens, o
grupo se apresentava seguindo a
etiqueta nada ortodoxa do mun- que se precisasse dizê-lo, tinham que tem entre os clientes as com-
do das startups. “Quero que to- uma faca entre os dentes e tra- panhias Nestlé, Mondelez, Kim-
dos subam ao palco e digam o que ziam uma vontade louca e indis- berly-Clark, LG e Colgate-Palmo-
sabem fazer de muito especial. Só farçáveldedominaromundo,em- live, conta com 17 pessoas na
não pode falar de trabalho”, diz bora estivessem apenas no início equipe e deve dar um salto de fa-
Rocio. E assim tomaram o micro- de uma longuíssima estrada. turamento de R$ 400 mil para
fone muitos cozinheiros, alguns Um deles (que costuma viajar cerca de R$ 1 milhão entre os anos
alpinistas, bikers, um tenor, um para lugares onde mantém conta- de 2016 e 2017. “Deixei meus três
empreendedor sem conta no Fa- to com a natureza) era o mineiro sócios no escritório e vim em bus-
cebook (muito aplaudido), cra- Rodrigo Leão Carvalho, 29 anos, ca de um caminho para expandir
ques do futebol de fim de semana, da Lett Insights, empresa que faz os negócios”, diz Carvalho.
andarilhos, entre outros tipos hu- auditoria e monitoramento em Formado há cinco anos em en-
manos. Foi um bom quebra gelo tempo real do e-commerce de va- genharia de controle e automação
num ambiente em que todos, sem rejistas e fabricantes. A startup, na Universidade Federal de San-

54 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTOS: PABLO BAEZA CONTRERAS / Divulgação; NATALIA VILLAGRAN MORALES / Divulgação e Divulgação

www . revistapegn . com . br


2. O que aprender
com os chilenos
Da estabilidade política à
reserva com estrangeiros,
os principais acertos e
desafios do ecossistema

ACERTOS
A inovação tem
status de prioridade de
Estado, como forma de
reduzir a dependência
nacional da mineração

Os projetos públicos
3. foram mantidos — e
ampliados —, mesmo
quando houve troca de
lideranças políticas

Criou-se um trânsito
produtivo entre
faculdades e startups

O país evitou blocos


comerciais e costurou
26 acordos comerciais
com 64 mercados

DESAFIOS
A atração de capital
de risco, de forma a
CELEIRO DE
gerar mais liquidez no
STARTUPS
mercado de tecnologia
1. Rocio Fonseca,
diretora do ta Catarina, Carvalho se especia- para ajudar esses dois segmentos A internacionalização
Start-Up Chile lizou nos setores de óleo e gás. Es- a terem, nas palavras de Carva- das empresas de
desde 2015;
pertamente, pulou fora antes que lho, “a vitrine digital perfeita”. impacto criadas no
2 e 3. Grupos de
o barco afundasse e, em 2015, fez O Start-Up Chile não é a primei- ecossistema chileno
empreendedores
em Santiago, uma experiência com uma espé- ra experiência da startup mineira A disseminação
em atividades cie de Buscapé dos supermerca- em programas voltados a negó- de boas práticas
organizadas pela dos, onde era possível comparar cios inovadores. A Lett Insights já que permitam uma
aceleradora
preços de produtos de diferentes passou pelo Sinapse da Inovação, expansão sustentável
marcas e varejistas. Não empla- sediado em Florianópolis, e pelo
O diálogo com outras
cou, pois nem os supermercados Seed, que fica em Belo Horizonte. culturas, levando-se
nem a indústria aceitaram pagar “Nos dois casos, grande parte do em consideração que
pelo serviço. A resposta encontra- público é formada por brasilei- os chilenos geralmente
da pela Lett Insights foi passar a ros”, diz Carvalho. “No programa são um povo reservado
vender inteligência de mercado chileno, o nosso objetivo é fazer

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 55


INTERNACIONAL INOVAÇÃO

contatos para abrir uma operação


em língua espanhola no Chile, Co-
lômbia, Argentina e México.”
A turbulência política, econô-
mica e social é uma força com ra-
ízes seculares nos países da Amé-
rica Latina. O final do século 20 e
o início do 21 marcaram, para a
maioria desses países, o início de
processos lentos — e, muitas ve-
zes, tortuosos — de redemocrati-
zação, estabilização econômica e,
em alguma medida, moderniza-
ção de diversos segmentos da so-
ciedade. Entre os países onde is-

Após fazer acordos


so tem ocorrido, o Chile despon-
ta. Após a redemocratização, que
extirpou uma ditadura militar
sanguinária de quase 17 anos, o

comerciais com 64
país voltou a ter líderes políticos
eleitos democraticamente. Desde
1990, foram realizadas cinco elei-
ções presidenciais sem fissura
institucional, mesmo quando ha-
via embates entre visões muito
distintas, como é o caso de Bache-
mercados, o país
let e Piñera, as duas figuras cen-
trais das eleições mais recentes.
Naturalmente, a estabilidade
política foi fundamental para a
quer globalizar suas
economia. “Os projetos discuti-
dos e aprovados por um presiden-
te não recuam quando há troca de
gestão”,afirmaCarlos Álvarez,di-
principais startups
retor da InvestChile, agência de
fomento que busca atrair recur-
sos para o país. Embora as proje-
ções de crescimento do produto O DESAFIO
DA ABERTURA
interno bruto apontem um cená- lá de vergonhosa 140a colocação. sua empresa e decidiu retornar ao Naturalmente
rio de crescimento modesto (abai- A recém-alcançada maturidade Chile,destavezparacomprarpar- reservados, os
xo de 2% para este ano), os indi- do ecossistema chileno também te de empresas inovadoras com chilenos buscam
cadores de longo prazo são bas- pode ser sentida na atração de ca- alto potencial de crescimento, de integrar-se com
tante eloquentes. O Chile ocupa a pital estrangeiro. O americano preferência globalmente. Desde culturas dos cinco
continentes
36a posição na lista dos melhores Nathan Lustig, 31, hoje à frente do 2013, a Magma Partners totali-
países para fazer negócios no fundo de venture capital Magma za US$ 2 milhões em aportes em
mundo, de acordo com a revista Partners, foi ao Chile pela primei- 32 startups. “Em pouco tempo,
Forbes. No mesmo ranking, o Bra- ra vez como integrante de uma o país se tornou muito atrativo
sil está no 910 lugar. No Índice de das primeiras turmas do Start-Up para quem está atrás de boas
Liberdade Econômica de 2017, o Chile. “A maioria das pessoas ali oportunidades”, afirma Lustig.
Chile ocupa a 10a colocação (no mal sabia o que era uma startup”, O portfólio da Magma Partners
Ocidente,está atrásapenasdoCa- afirma Lustig. Pouco depois do reflete as melhores intenções do
nadá). Já o Brasil está numa para término do programa, ele vendeu ecossistemachileno.Aliestãoem-

56 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTOS: HBRIZARD / Thinkstock

www . revistapegn . com . br


OS NÚMEROS
DO CHILE
População:

18,3 milhões
Território:

756.102,4 KM²
20º país
na lista das
202 economias
que mais
recebem IED
(investimentos Pedro Varas Bruzzone, CEO e co-
estrangeiros fundador da Founder List, empre-
diretos) saqueajudaoutrasstartupsacap-
tarem investimentos. No entanto,
quando a conversa avança, ficam
36º lugar claros alguns pontos que marcam
na lista dos
a diferença entre os mercados chi-
melhores
lugares do
leno e brasileiro. “Temos visto ca-
mundo para da vez mais empreendedores de
fazer negócios, outros países e uma aproximação
segundo a muito positiva entre as universi-
revista Forbes dades e as startups instaladas no
Chile”, afirma o argentino Alec
Dickinson, da Amberads, empre-
10º lugar sa que faz campanhas de engaja-
no mundo e 2º mento por meio de vídeos produ-
no Hemisfério
zidos com a ajuda de algoritmos.
Ocidental
no Índice de
A educação tem sido um dos
Liberdade pontos fundamentais desse novo
Econômica momento da economia chilena.
De acordo com os indicadores do
Pisa (Programa Internacional de
Avaliação de Estudantes), pesqui-
preendedores de nove diferentes cana”, afirma o investidor. sa realizada pela OCDE (Organi-
países e empregados de 13 nacio- No 170 andar de um prédio cuja zação para Cooperação e Desen-
nalidades. Parte deles trabalha sacada faz parecer que a cordilhei- volvimento Econômico), o país
em um coworking na Avenida ra está ali ao lado, um grupo de tem a melhor colocação entre os
Nueva Providência, na região on- empreendedores que obteve in- seus pares da América Latina,
de funciona o centro financeiro de vestimento da Magma Partners com 445 pontos em matemática e
Santiago. Seguindo o seu plano de recebeu a reportagem de PEGN 423 pontos em ciências. No mes-
investimentos, Lustig aporta en- para uma entrevista sobre a sua mo estudo, o Brasil contou com
tre US$ 25 mil e US$ 75 mil nos ne- trajetória. A princípio, seus planos 405 em matemática e 391 em ciên-
gócios iniciantes, e US$ 250 mil e angústias não diferem do que cias, à frente apenas de Colômbia
numa eventual segunda rodada. seus pares encontram no Brasil. e Peru, e atrás de Costa Rica, Uru-
“Meu ciclo de investimentos deve “O ecossistema tem amadurecido guai, México e Argentina. Mas es-
ultrapassar o período entre cinco de forma consistente, mas segue te é o primeiro passo de uma tra-
e sete anos, a média norte-ameri- muito difícil captar recursos”, diz jetória que, mais adiante, irá no-

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 57


INTERNACIONAL INOVAÇÃO

vamentecolocaraeducação como
uma vantagem competitiva. “De
forma geral, a maioria dos empre-
endedores à frente de negócios
inovadores são pessoas muito
bem formadas, que saem das me-
lhores universidades chilenas”,
diz Bruzzone, da Founder List.
O carioca Pedro Fernandes
Costa, 37 anos, era outro mem-
bro do grupo do Start-Up Chile
iniciado em julho. Ele e mais dois
sócios comandam o Portal de Pa-
gos, uma plataforma que opera
como uma espécie de ERP, coor-
denando todas as cobranças dos
clientes. Costa desembarcou em
Santiago em 2007, após se for-
mar em Economia na Universi-
dade Federal do Rio de Janeiro,
para fazer um mestrado na Uni-
versidad de los Andes. Após tra-
balhar alguns anos no banco O VALOR DA
ESTABILIDADE
Santander e tirar um período sa- canais de informação. “Ainda es- Bachelet, atual cemos há 15 anos. É pouco. O Va-
bático, ele começou a desenvol- tamos em fase de testes, daí a presidente do le do Silício começou a ser cria-
ver a plataforma do Portal de Pa- importância da participação no Chile, e Piñera, do há 50 anos”, diz Caqueo, da
gos em 2015. “Decidi participar Start-Up Chile”, diz Costa. En- ex-presidente: Corfo. Para ele, a busca daqui
diferenças
do Start-Up Chile porque o pro- tre as vantagens do programa, o na visão para
em diante deve ser para cons-
grama tem feito um trabalho mui- empreendedor cita as conexões o país não truir os cases de sucesso inter-
to promissor com as fintechs”, com pessoas de diversos países, impediram os nacionais, disseminar metodo-
afirma o empreendedor. o aporte financeiro e a chancela avanços nos logias para se empreender com
Costa dedica-se ao negócio me- do programa, que cada vez mais programas impacto e criar uma cadeia de
voltados ao
tade do tempo, pois trabalha meio conta como uma referência para ecossistema financiamento com mais op-
período em um banco. Com o Por- o mercado de tecnologia. ções aos empreendedores. “Em
tal de Pagos, ele pretende ofere- O ecossistema vive seu me- 15 anos, teremos megaempre-
cer um serviço que integre solu- lhor momento, mas é consenso sas. Em 30, podemos chegar lá”,
ções de informática , segurança e que há muito o que fazer. “Cres- afirma Caqueo.

O BÊ-Á-BÁ DO START-UP CHILE


DINHEIRO CONEXÕES EXPERIÊNCIA JANELA PARA RESULTADOS
EM CAIXA INTERNACIONAIS QUE CONTA O MUNDO FINANCEIROS
Os empreendedores Um dos principais Parte da agenda dos Em seis anos, o As empresas saídas
podem receber algo atrativos do Start-Up empreendedores em programa recebeu do programa geraram
em torno de US$ 30 Chile é o contato com Santiago é tomada por 1.400 startups de US$ 276 milhões em
mil dos programas de fundos de capital de sessões de mentoria 79 países. Mais da receitas, dos quais
fomento. Nesse caso, risco e aceleradoras e capacitação e por metade dos grupos US$ 42,6 milhões
o negócio tem de dar internacionais. Em eventos. Cada um costuma ser formada ficaram no Chile. O
uma contrapartida de alguns casos, é a monta a sua agenda, por estrangeiros. Nas país também ficou
10% ao Start-Up Chile. chance de fazer um porém toda sexta-feira reuniões, não se ouve com 1.562 dos 5.162
A prestação de contas primeiro contato com há uma reunião geral espanhol — a língua empregos gerados
ao programa é rigorosa. o Vale do Silício. obrigatória para todos. oficial é o inglês. por essas empresas.

58 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTOS: MAGLIO PEREZ / Reuters e Divulgação

www . revistapegn . com . br


E N T R E V I S TA

“Entre 2010 e 2015, financiamos algo


em torno de 3.500 negócios inovadores”
Para Luis Felipe Céspedes, ministro da Economia do governo chileno,
investir em startups é o caminho para diversificação no longo prazo
EM UMA ECONOMIA ancora- desenvolvido sem que houves- forma, cria-se uma indústria e um
da na mineração, o investimento se uma base de empresas sofisti- portfólio que poderá atrair inves-
em empresas inovadoras requer cadas, nas quais a tecnologia es- tidores para esses negócios.
um olhar para além do curto pra- tivesse agregada ao seu proces-
zo, diz o ministro da Economia do so produtivo. Partimos da ideia Como tornar isso possível?
Chile, Luis Felipe Céspedes. Em de que esse caminho não se cons- Entre 2010 e 2015, financiamos
entrevista para PEGN, ele fala da trói com a renúncia dos nossos algo em torno de 3.500 negócios
visão do governo Michelle Bache- recursos naturais. O que deve- inovadores. Apenas no ano pas- LUIS FELIPE
let para o ecossistema de startups. mos fazer é usá-los como plata- sado, financiamos mil, quase um CÉSPEDES,
ministro da
forma para a nossa sofisticação. terço do total. Com isso, esta- Economia do Chile
Qual é a estratégia do governo mos gerando uma quantidade
chileno para as startups? Dá para arriscar um palpite muito significativa de empresas
Os programas que estamos im- sobre quando as startups terão com alto potencial de crescimen-
plementando dão continuidade a uma participação realmente to. Esperamos que algumas de-
uma série de transformações que relevante no PIB chileno? las cresçam exponencialmente e
tem permitido ao Chile superar Essa participação já está ocor- se transformem em unicórnios.
seus desafios. Assim, retomamos rendo e tem a ver com o segun-
a democacia, incrementamos o do item da nossa estratégia, a Como manter o foco nesses
PIB e, um dos pontos centrais, democratização do empreende- projetos com tanta coisa mais
aumentamos a produtividade. dorismo e da inovação. Isso sig- urgente chamando a atenção ?
Apesar disso, a produtividade nifica dar a possibilidade de que É importante não perder de vis-
ainda é a maior diferença entre ideias inovadoras e bons mode- ta que devemos ser capazes de
o Chile e os países desenvolvi- los de negócios se desenvolvam, melhorar as condições de curto
dos. Portanto, do ponto de vis- o que se aplica a empreendedores prazo. Mas sem esquecer que te-
ta econômico, a variável é clara. de todas as regiões e àqueles que mos de criar meios para o cres-
Temos de fortalecer três pontos. não têm capital inicial. Aumentar cimento de médio e longo prazo,
a base de empreendimentos no reduzindo a exposição da econo-
Quais são eles? nosso país é fundamental. Dessa mia às oscilações do cobre.
O primeiro é avançar a diversi-


ficação e a sofisticação da nossa
matriz produtiva; o segundo é de-
mocratizar o empreendedorismo
e a inovação; e o terceiro é fortale- Partimos da ideia de que a criação
cer o funcionamento do mercado
e apoiar a competitividade de nos- de um ecossistema não se constrói com
sas pequenas e médias empresas.
a renúncia dos nossos recursos naturais.
Como tornar isso possível?
O primeiro item é central. Não
O que devemos fazer é usá-los como
há país que tenha se tornado plataforma para a nossa sofisticação
SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 59
TECNOLOGIA IFIXIT

ELES FATURAM MILHÕES


CONSERTANDO IPHONES
Uma companhia que ensina a reparar tudo
— de um smartphone a uma torradeira —
e não cobra nada por isso. Com essa proposta,
Luke Soules e Kyle Wiens criaram
um negócio que fatura US$ 21 milhões
e desperta a ira da Apple
David Whitford, da Inc.

60 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 ILUSTRAÇÕES: MARCIO MORENO

www . revistapegn . com . br



F
ica parado bem aqui”, diz Kyle Wiens, (eles já somam 15 mil, e usam esse aprendizado
apontando para uma pequena plata- para fazer consertos em seus pequenos negócios).
forma. Ele se posiciona na minha fren- “Nosso impacto econômico vai muito além do
te e estica a mão para alcançar um in- retorno financeiro que obtemos”, afirma Wiens. Ele
terruptor. Sinto um solavanco suave e não se incomoda em ganhar menos do que poderia:
começo a me afastar do chão. Estamos num elevador na sua visão, o mais importante é que o conhe-
automotivo, daqueles usados para erguer carros em cimento esteja disponível para o maior número
oficinas. A máquina, que pertenceu a uma conces- possível de pessoas. A iFixit é um negócio de fôlego.
sionária, foi reinstalada e reaproveitada no piso de A empresa tem 14 anos de vida e 125 funcionários.
concreto do quintal da casa de Wiens, na cidade de Foi incluída cinco vezes na lista 5000 da revista
Atascadero, estado da Califórnia, Estados Unidos. Inc., que reúne as companhias de crescimento mais
A residência fica em um terreno inclinado, vizinho rápido dos Estados Unidos. Sua operação aumenta
à famosa Highway 101 — a meio caminho entre Los 30% ao ano: em 2016, atingiu US$ 21 milhões em
Angeles e São Francisco. No local, é possível encon- vendas. “A gente distribui muitas informações de
trar uma casa pré-fabricada, um galinheiro, um pátio graça”, diz Luke Soules, o outro fundador da em-
com churrasqueira e um depósito abarrotado de presa, de 32 anos. “Consideramos isso uma grande
motos, bicicletas, caiaques, roupas de mergulho, vitória, mesmo que apenas uma fração dos usuá-
geradores, compressores de ar, maçaricos, marte- rios traga dinheiro para a iFixit.”
los, chaves de fenda e furadeiras — além de pilhas Para entender a lógica dos fundadores, basta pen-
e mais pilhas de máquinas desmontadas. Toda essa sar na forma como nós, consumidores, enxergamos
tralha faz parte dos vários projetos que Kyle Wiens os aparelhos eletrônicos. Não vivemos sem eles, mas
está tocando no momento. O elevador automotivo ao mesmo tempo não temos a menor ideia do que se
é usado para realizar consertos que a maioria das passa debaixo daquelas capas boni-
pessoas delegaria a mecânicos profissionais. Mas tas e lustrosas. Para a imensa maio-
Wiens tem outra razão para mantê-lo no quintal: ria das pessoas, o funcionamento
“Eu acho muito maneiro”. dessas máquinas é tão enigmático
Wiens ganha a vida consertando coisas. Aos 33 quanto o monolito de 2001 — Uma
anos, ele é o CEO e um dos fundadores da iFixit Odisseia no Espaço era para os pri-
— empresa que tem como missão “ensinar todo matas de Stanley Kubrick. Quando o
mundo a consertar tudo”, nas palavras de seu presi- celular quebra, temos uma sensação
dente. O site da empresa tem uma extensa biblioteca de impotência completa. A solução é
de instruções, incluindo: como ajustar os freios do correr para comprar um novo. Esse
carro, como tampar um vazamento no tanque de consumismo desenfreado, porém,
combustível de uma moto, como encaixar um sen- tem consequências. Para o ambien-
sor num aspirador de pó, como trocar a resistência te, já que os eletrônicos inutilizados
de uma chaleira elétrica... Mas a especialidade da lotam aterros sanitários; para os re-
iFixit é fazer toda sorte de reparos em laptops e ce- cursos naturais, já que elementos fundamentais
lulares da Apple. Ao todo, o site disponibiliza mais como irídio são descartados na velocidade da luz;
de 25 mil manuais, cobrindo mais de 7 mil objetos para a economia, porque botamos a mão no bolso
e aparelhos. Segundo Wiens, só no ano passado de forma inconsequente, numa tentativa de acom-
94 milhões de pessoas de todo o mundo aprende- panhar o ritmo das novidades; e para a humanidade,
ram a transformar aparelhos quebrados em novos, pois vivemos numa eterna gangorra de dependência
graças à ajuda da iFixit. Para ele, o número é decep- e frustração gerada por esses objetos mágicos.
cionante: a meta era atingir 100 milhões de usuários. Com sua missão nobre, a iFixit não parece nem
Parte dos conhecimentos e informações arma- um pouco ameaçadora — ainda mais quando com-
zenados no site da iFixit é produzida pela própria parada à empresa mais lucrativa do planeta. Mas
empresa. Mas a maioria das instruções vem de o fato é que a Apple acompanha de perto os pas-
fontes variadas, no estilo Wikipédia. Tudo pode sos da empresa de Wiens. A gigante da tecnologia
ser acessado de graça, não importa de onde ve- não gosta da iFixit porque seus sócios escrevem
nham as informações. Não é preciso se registrar, versões próprias dos secretíssimos manuais de
e as páginas não têm publicidade. Cerca de 90% manutenção da Apple. Depois, mostram esses ma-
da receita vem da venda de peças e ferramentas nuais para quem quiser ver, sem cobrar um centavo
para pessoas que não saberiam o que fazer com por isso. Graças à engenharia reversa, a empresa
elas, não fossem os tutoriais do site. Os outros 10% vende peças equivalentes às da Apple, em pacotes
vêm do licenciamento de softwares desenvolvidos que incluem pinças, chaves, cinzéis e furadeiras
pela iFixit para escrever os próprios manuais, ou de desenhadas sob medida, a preços acessíveis. Com
treinamentos oferecidos a técnicos independentes os kits e manuais da iFixit, é possível trocar uma

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 61


TECNOLOGIA IFIXIT

tela rachada ou uma bateria superaquecida gas- do que Soules. Ele é a imagem pública da iFixit,
tando muito menos do que se pagaria numa Apple o porta-voz da empresa e seu maior estrategista.
Store — lembrando que muitas partes do mundo Soules supervisiona as operações e administra os
nem ao menos contam com uma loja desse tipo. fornecedores chineses; ele também toca clarine-
(A Apple foi procurada diversas vezes para esta te, tem um brevê e pilota aviões. Durante os anos
reportagem, mas não se manifestou.) passados na universidade, os dois se aproximaram
A iFixit também não gosta muito da Apple. Atu- porque eram igualmente nerds. “Lembro que uma
almente, as duas companhias travam uma batalha vez Wiens foi passar o Natal com a família, e ficou
judicial em oito estados americanos, por conta da a viagem inteira trabalhando no desktop. No seu
chamada lei do “Direito de Consertar” (leia box colo. Dentro do trem”, conta Soules.
na página 64). Caso seja aprovada, a legislação vai Na época, Wiens tinha outro computador além
afrouxar o rigoroso controle exercido atualmente do desktop: um Apple iBook G3 — aquele de linhas
pela Apple sobre todo o ciclo de vida dos produtos curvas e tom azul-calcinha. Um dia ele derrubou o
que vende — um controle que alimenta os lucros ca- Mac, e o aparelho quebrou. O estudante não se aba-
valares do setor de assistência técnica da empresa. lou. Na infância, ele e o irmão viviam desmontando
A corporação não revela valores, mas a publicação e remontando rádios e eletrodomésticos velhos,
especializada Warranty Week calcula que só a venda presentes que o avô comprava para os netos em
do AppleCare (serviço de garantia estendida) ge- lojas de produtos usados. Em 2013, Wiens escreveu
rou US$ 5,9 bilhões em 2016. “É o maior programa um artigo em homenagem a esse avô, publicado no
de garantia estendida do mundo”, diz Eric Arnum, site da revista The Atlantic: “Meu avô passou a vida
editor da Warranty Week. “Maior que o da GM, da criando e consertando coisas”, dizia o texto. “Foi ele
Volkswagen ou do Walmart.” quem me alistou na guerra contra a entropia — a
A empresa de Wiens não existiria sem a Apple e segunda lei da termodinâmica, segundo a qual tudo
todo o universo que envolve a maçã — nesse sentido, acaba se desgastando com o tempo.” Antes de sair
a iFixit pode ser considerada um parasita. Mas essa de casa para fazer faculdade, Wiens ganhou do avô
seria uma descrição rasteira para uma empresa com uma caixa de ferramentas e um soldador elétrico.
uma missão tão radical e ambiciosa. O CEO gosta Quando o iBook G3 quebrou, porém, o garoto
de filosofar sobre esse assunto. “Eu me preocupo precisou de mais do que isso: ele foi atrás de um
com o desconhecimento completo da sociedade em manual que ensinasse a consertar o computador.
relação ao que está dentro do que consome”, diz ele. Wiens procurou na internet, em vão. A Apple não
“Temos medo da engenharia, dos fatos, de abrir, me- fornece esse tipo de informação aos clientes. O
xer e fuçar. A experiência de pegar um telefone ou garoto ficou irritado. Afinal de contas, o compu-
um gravador, desmontá-lo, entendê-lo e consertá- tador era dele. Por que não poderia ter acesso a
lo é libertadora. Você deixa de ser um consumidor informações sobre o funcionamento do Mac? E
passivo e se torna participante desse processo.” É assim surgiu a ideia de abrir a empresa.
claro que desmontar e consertar um gravador não é Wiens e Soules passaram alguns anos elaborando
tão inusitado quanto ter um elevador automotivo no o formato do negócio. A princípio, pensaram em es-
quintal de sua casa. Mesmo assim, é muito maneiro. crever e vender manuais criados por eles. O proble-
ma é que informação é um produto difícil de comer-
PARAÍSO DOS NERDS cializar. Mas vender peças e ferramentas é mais fácil.
Wiens e Soules nasceram no estado do Oregon, Então Wiens e Soules tornaram-se revendedores
mas só se conheceram mais tarde, quando frequen- online: eles compravam todas as furadeiras e brocas
tavam a California Polytechnic
State University — escola que
tem como lema “Aprenda fa-
zendo”. Isso foi em 2003. Os dois
A CULTURA DO DESCARTÁVEL
vivem juntos desde então, como Ranking dos maiores geradores de lixo eletrônico em 2014
(em milhares de toneladas)
amigos, moradores da mesma
república estudantil, parceiros 7.072
de negócios (50% para cada um) 6.033
e companheiros de passeios de
caiaque. Quando Wiens contou
2.200 1.796 1.641
para os amigos que ia se casar, 1.511 1.419 1.412 1.231 1.077
eles disseram: “Poxa, então você
está se divorciando do Soules?”. ESTADOS
CHINA JAPÃO ALEMANHA ÍNDIA
REINO
FRANÇA BRASIL RÚSSIA ITÁLIA
Wiens fala mais e dorme menos UNIDOS UNIDO
FONTE: UNU-IAS Global-E-waste-Monitor-2014

62 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
ELETRÔNICOS
SUSTENTÁVEIS
O objetivo da
empresa é
fazer com que
as pessoas
sejam capazes
de consertar
os próprios
aparelhos,
evitando o
desperdício
que encontravam na Sears e encomendavam peças ra ajudar. Um dia, um dos empregados chegou à casa e o descarte
de materiais
raras de serviços de catálogo; em seguida, recebiam dos chefes (que era também o escritório) e percebeu nocivos à
pedidos na “sede” da empresa — o quarto da dupla que tinha esquecido a chave. Abriu a fechadura com natureza
na república estudantil. No começo, a organização um arame. O patrão gostou. “Até hoje a gente ensina
se chamava PowerBook Fixit, mas Wiens percebeu os recém-contratados a abrir a fechadura daquele
que eles poderiam ser acusados pela Apple de uso jeito”, diz Wiens. A iFixit chegou a vender kits de
indevido de uma marca registrada. O nome mu- ferramentas para abrir fechaduras, que traziam o
dou então para PBFixit, e mais tarde para iFixit. A logotipo da empresa. Acabaram tendo de suspender
despeito das trocas de nome, os dois tinham cada porque o correio americano não permite o envio
vez mais clientes. “No primeiro mês, a gente não desse tipo de instrumento.
ganhou nada”, lembra Wiens. “Mas ganhamos no “No começo, estávamos muito preocupados
segundo, e nunca mais paramos.” apenas em oferecer um bom atendimento, no que
Eles dividiam o mesmo quarto, e trocaram duas dizia respeito às peças vendidas”, continua o CEO.
camas de solteiro por um beliche — aumentando o “Mas aí os clientes diziam: ‘Bom, mas como é que
espaço para armazenar o estoque da companhia. eu instalo a peça?’. Então começamos a escrever os
No segundo ano da faculdade, saíram da república, manuais. Aí os clientes diziam: ‘Mas eu não tenho
que ficava dentro do campus, e alugaram um aparta- as ferramentas para instalar a peça’. Aí passamos a
mento de dois dormitórios. Em seguida, foram para vender as ferramentas. Mas aí os clientes diziam:
uma casa com três quartos e três vagas na garagem, ‘As ferramentas são muito caras’. Aí começamos a
que serviam como depósito. Mas cuidar da empre- vender kits que incluíam peças e ferramentas num
sa e estudar era um desafio considerável. “De vez só pacote, por um preço bem melhor. O resultado é
em quando eu me pegava dando assistência para que acabamos oferecendo um serviço que nenhuma
um cliente que estava instalando um hard drive, outra empresa do setor de peças apresentava.”
sabendo que dali a 20 minutos eu tinha uma prova A dupla terminou a faculdade em 2007, mesmo
semestral do outro lado da cidade”, afirma Wiens. ano em que o primeiro iPhone chegou ao mercado.
Eles acabaram contratando alguns funcionários pa- O lançamento do celular da Apple era o presságio

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 63


TECNOLOGIA IFIXIT

primeira vez, a hipótese de que a iFixit poderia se


transformar numa carreira. Ele não precisava mais
se preocupar em arrumar um emprego.

de uma drástica mudança na fonte de receita dos ESCRITÓRIO DESMONTADO


sócios — que passou do conserto de computado- A atual sede da iFixit fica nos arredores da cidade
res para o conserto de aparelhos móveis. Àquela californiana de San Luis Obispo. Diante da porta
altura, o negócio que havia começado como um trancada, uma placa informa: “Atendimento ape-
trabalho de meio período já havia se transformado nas com hora marcada”. Mas há uma campainha.
numa empreitada lucrativa, que crescia em ritmo Quem atende é um sujeito barbudo e sorridente,
vertiginoso. Não se tratava mais de uma forma de de 20 e poucos anos. Ele me conduz por uma sala
conseguir uns trocados para pagar despesas com de espera vazia, até chegarmos a uma espécie de
alimentação e roupas: a iFixit já cobria as mensali- celeiro com paredes de aço, iluminado por uma cla-
dades da universidade. A receita da empresa tam- raboia. Nessa sala trabalham muitos outros jovens
bém foi usada para dar uma entrada de US$ 690 mil barbudos de 20 e poucos anos, acompanhados por
na compra de uma casa em Atascadero (ao longo colegas do sexo feminino, igualmente jovens. No
dos anos, o local seria usado como lar comparti- primeiro dia de emprego, cada novo contratado re-
lhado por Wiens e Soules, república para abrigar cebe uma escrivaninha desmontada, e espera-se que
funcionários e quartel-general da companhia). No ele saiba colocá-la de pé sozinho. Além disso, cada
último ano da faculdade, Soules considerou, pela funcionário ganha um vale de US$ 400, que pode ser

PELO DIREITO DE CONSERTAR


Oito estados americanos estudam a aprovação de novas leis que podem beneficiar a iFixit — e reduzir os lucros da Apple

Nos anos 1970, bastava abrir o capô do carro Agora, legisladores de oito estados estão re- pagou US$ 330 mil pelo veículo e agora é refém da
para descobrir o que estava errado e fazer qual- digindo projetos que estenderiam esse mesmo empresa, única capaz de fazer sua manutenção.
quer manutenção necessária: conectar um ca- princípio para computadores, celulares e trato- A Apple não está nem um pouco satisfeita
bo, trocar o óleo e por aí vai. Os automóveis de res. “É impossível fazer reparos sem ter acesso com a iniciativa de Nebraska — e dos estados de
hoje estão armados até os dentes com circuitos às informações corretas”, diz Gay Gordon-Byrne, Kansas, Minnesota, Nova York, Tennessee, Illinois,
e softwares que tornam muito difícil a tarefa de diretora-executiva da Repair Association, que Massachusetts e Wyoming. Recentemente, a em-
consertá-los em casa. A ideia de que qualquer faz lobby pela aprovação da lei. Um dos projetos presa enviou uma delegação à cidade de Lincoln,
um deveria ser capaz de consertar o próprio carro foi apresentado em janeiro deste ano por Lydia capital do Nebraska, para conversar com a sena-
sustenta o projeto de lei Right to Repair (na tradu- Brasch, senadora por Nebraska e representante dora. O grupo prometeu tirar o time de campo se
ção, Direito de Consertar), apresentado no estado de uma área rural no nordeste do estado. Ela não ela excluísse os smartphones do projeto. Em se-
de Massachusetts em 2012. O texto foi aprovado aguenta mais dirigir 130 quilômetros até Omaha guida, os lobistas tentaram assustá-la: afirmaram
pela assembleia legislativa local, com 86% dos (onde fica a única Apple Store de Nebraska) pa- que, se aprovada, a lei transformaria Nebraska na
votos. Graças a ele, proprietários de automóveis e ra consertar o computador. Lydia é casada com “meca dos hackers e dos cyber criminosos”. Lydia
oficinas independentes passaram a ter acesso às Lee, membro da quinta geração de agricultores não ficou impressionada. “Nenhuma empresa
mesmas ferramentas de diagnóstico e manuais de milho e soja da região. Ele enfrenta o mesmo precisa ganhar tanto dinheiro assim”, diz. “A maçã
usados pelas concessionárias credenciadas. problema com um trator da marca John Deere: Lee tem de ser repartida entre todos.”

64 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
lixo eletrônico”. Naquela época, Kyle ainda não havia
chegado lá. Mas Jen percebeu que, para ele, mudar o
mundo significava bem mais do que transformar um
pequeno nicho da indústria de tecnologia. “Eu sabia
que ele iria criar algo significativo”, afirma.
Essa criação significativa foi, claro, a empresa que
hoje atiça a ira da Apple. Mas a iFixit também atraiu
a admiração de alguns aliados corporativos — entre
eles a Patagonia, marca americana que vende roupas
sustentáveis para atividades esportivas. Parceira da
iFixit, a Patagonia ajuda a companhia de Wiens a cum-
prir a garantia permanente oferecida para qualquer
produto que tenha uma marca registrada. “Eles se-
guem princípios éticos impressionantes”, diz Nellie
Cohen, gerente do programa da Patagonia que acom-
panha todo o ciclo de vida das peças, da produção até
usado como parte do pagamento para comprar uma o descarte e a reciclagem.
bicicleta. O estacionamento da empresa vive vazio. De certa forma, a iFixit tem uma história de sucesso
Nas instalações da iFixit, o átrio central abriga convencional. A empresa dá dinheiro, sem dúvida,
uma grande escadaria, feita de toras recicladas de mas não tanto quanto daria se este fosse seu prin-
acácia e nogueira. Na base dos degraus, dois mo- cipal objetivo. Há alguns anos os fundadores decidi-
nitores acompanham em tempo real a atividade ram parar de se inscrever para a lista 5000, da Inc..
do site da empresa em todo o mundo. No alto da Wiens explica que eles não tinham mais interesse
escada, há painéis feitos com ripas de carvalho, em atrair investidores. “Acho que a gente tinha medo
oriundos de barricas descartadas por vinícolas da responsabilidade de crescer, de ganhar dinheiro
locais. O escritório tem um cheiro gostoso — não a qualquer custo”, explica Soules. Mesmo assim, a
é aroma de madeira nem de vinho. Lembra uma iFixit já causou mais impacto do que outras empresas
caixa de produto eletrônico recém-comprado, que bem maiores. Vale lembrar que, no ano passado, eles
a gente acabou de abrir. Soules está em viagem de alcançaram uma rede de 94 milhões de usuários que
negócios, visitando alguns fornecedores na China. consertam os próprios aparelhos — além de já terem
Wiens está no segundo andar, em sua “mesa”: uma oferecido treinamento para milhares de técnicos es-
esteira de ginástica, ligada em ritmo de caminhada, palhados pelos Estados Unidos.
colocada diante de uma escrivaninha alta onde uma “Não consigo imaginar nada mais bacana ou ne-
pilha de manuais velhos de software serve de apoio cessário do que isso”, diz Wiens. Num mundo com
para o laptop do CEO. tamanha desigualdade econômica, ele está conven-
Na sala ao lado, fica sua esposa, Jen, uma das cido (e é capaz de convencer qualquer um) de que a
diretoras da iFixit. Wiens a conheceu numa aula iFixit pode tornar a tecnologia mais acessível, criar
de estudos bíblicos. A princípio, Jen não entendeu novas oportunidades para assistências técnicas
bem qual era a daquele sujeito: ele falava sem parar, independentes, garantir que os usuários produ-
devorava um livro depois do outro, tinha muitas zam menos lixo — e, quem sabe, concretizar a meta
ideias e fazia discursos grandiosos. “Antigamen- de deixar as pessoas um pouquinho mais felizes.
te, eu trabalhava num escritório de advocacia no Um dos livros preferidos de Wiens chama-se Shop
centro da cidade”, conta ela. “Eu vivia cansada. Class as Soulcraft (“Pequenos consertos, uma arte
Aí o Kyle sentava ao meu lado na aula de estudos para a alma”, em tradução livre). O autor, Matthew
bíblicos e falava o tempo todo. Ele parecia estar Crawford, é um ex-mecânico de motos que se tor-
sempre animado. Então eu decidi prestar atenção nou pesquisador da Universidade de Virgínia. “A
nele.” Num dos primeiros encontros do casal, ele habilidade de usar ferramentas marcou a evolução
disse para Jen que queria mudar o mundo. O rapaz da humanidade”, diz ele. “Hoje, as pessoas querem
ainda estava na faculdade, pensando em formas de recuperar a capacidade essencial de agir individual-
colocar em prática a ideia de “combater a cultura do mente, testemunhar os efeitos do próprio trabalho e
descartável”. (Anos mais tarde, ele usaria a mesma cuidar das próprias coisas.” Wiens e Soules criaram
expressão em um manifesto de 50 páginas distribu- uma empresa bem-sucedida que segue exatamente
ído entre os funcionários da iFixit.) Sua proposta esse princípio. E isso é bem maneiro.
era “promover o design sustentável e disseminar
informações sobre os efeitos devastadores do TRADUÇÃO: Beatriz Velloso

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 65


C A PA

Os craques do

e-c mEnquanto o varejo físico anda de lado em 2017,


o eletrônico bate recordes. Nos últimos cinco anos,
o crescimento médio do setor chega a 20% — um
marco extraordinário em um período particularmente
difícil. Com tablets e celulares em punho, os brasileiros
nunca levaram tantas mercadorias ao carrinho virtual.
Mas os fatores que induzem, de fato, ao clique na
palavrinha mágica “comprar” continuam como mistério
para muitos empreendedores que se aventuram
no e-commerce. PEGN conversou com os melhores
players para descobrir, em detalhes, o que realmente
funciona para vender (quase) tudo na internet.
Felipe Datt e Thomaz Gomes Datadot

66 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
L o g í s t i c a | p ág. 7 0

E x p e r i ê n c i a de us uári o | pág. 72

merce
Ven d as e m market pl ac e | pág. 7 3

M ar ke t i n g D i g i t al | pág. 7 3

At e n d i m e n t o | pág. 74

C h at b o t s | p ág. 7 5

I n t e g r aç ão de c an ai s | pág. 7 6

R e d e s s o c i ai s | pág. 7 7

V i t r i n e d i g i t al | pág. 7 8

M o b i le c o m m erc e | pág. 7 9

C lu b e s d e as s i n at ura | pág. 8 0

C u r ad o r i a d e produt os | pág. 8 1

G e s t ão d e e s toq ue | pág. 8 2

Ven d as t é c n i c as | pág. 8 3

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 67


C A PA E-COMMERCE

Do clique à compra
O e-commerce brasileiro deve faturar mais de R$ 49 bilhões até o final do ano. Veja quais
são as áreas mais promissoras do varejo eletrônico — e o que faz a cabeça de clientes de lojas virtuais

49,7
*PROJEÇÃO 19,8%
foi o crescimento
médio do setor
nos últimos
10,6 cinco anos

14,8

20 09
21,5%
das transações
20 do varejo
7*
01 1 eletrônico são
44,4
0
2

realizadas
via tablets e
18,7 smartphones

DE BILHÃO
2 0 16

20 11

EM BILHÃO
Faturamento do varejo
eletrônico brasileiro
47,9
milhões de
201

12

brasileiros
20

(em R$ bilhões)
5

compraram pela
internet em 2016
2 0 14
20 1 3
22,5
41,3

CAMPEÕES
DE VENDAS
As categorias com
maior volume de
faturamento (EM %)
28,8
35,8
23 21
12,4
9,5 7,7 5,6 4,5 3,2 2,7 2,5
MODA E SAÚDE E LIVROS E ACESSÓRIOS
ELETRODOMÉSTICOS TELEFONIA ELETRÔNICOS INFORMÁTICA CASA E DECORAÇÃO ACESSÓRIOS COSMÉTICOS ASSINATURAS AUTOMOTIVOS ESPORTE E LAZER

68 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DE ONDE VEM O CLIQUE?
(em %) Principais fontes de tráfego de lojas virtuais (em %)
Google orgânico
Google AdWords

Norte 26% 25%


3,1% Nordeste

Centro-Oeste
12,5% Site da loja (direto)

8,5% Sudeste
Indicações 11% 12%
60% 7%
8% 11%
Outros
Sul
15,9% Facebook E-mail marketing

CENTROS DE COMPRAS AQUELA QUER PAGAR COMO?


As cidades que registraram mais ESPIADINHA Meios e formas de pagamento (em %)
pedidos em 2016 (em %) As vitrines digitais
São Paulo preferidas dos clientes Cartão Boleto Outros
(tempo médio
22
Rio de Janeiro
de navegação)
Moda e acessórios
60,7% 34,5% 4,8%
13,50
Belo Horizonte 4’37”
3,90 Moda íntima
Brasília
4’35” 42,2 À vista
2,80 4 a 12 vezes 33,4
Curitiba Sex shop
2,70 3’46”
Calçados e acessórios
A MÃO QUE ENCHE O CARRINHO 3’45”
O perfil do consumidor do varejo eletrônico
Livraria
2 a 3 vezes 24,4
Homens
3’10”
48,7%
GRINGOS NO PEDAÇO
As lojas internacionais mais populares entre os brasileiros (em%)
AliExpress Amazon eBay DealExtreme Apple Store
Faixa etária (em %)
18 a 24 anos 45 40 26 12 10
18
25 a 34 anos
38
35 a 44 anos
BONS DE CONVERSÃO
Os segmentos com os menores índices de abandono de carrinho (em%)
23
45 a 54 anos Materiais para Acessórios Material
12 Eletroeletrônicos construção Pet shop automotivos escolar
55 a 64 anos
7
68% 72,6% 76,1% 78,4% 78,2%
65+
2

FONTES: ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) e Ebit


SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 69
C A PA E-COMMERCE

L o gí s t i c a

O VAI E VEM DA TROCAFONE


Para resolver um desafio logístico de proporções nacionais, o marketplace de celulares
usados criou uma plataforma que processa pedidos de compra e venda de todo o Brasil

DE PONTA
A PONTA
Lançada em 2014, pelos argentinos Guille Freire, ordenar esses processos sem usar ferramentas Guille Freire e
34 anos, e Guille Arslanian, 31, a Trocafone é um de tecnologia”, diz Freire. Resultado de um inves- Guille Arslanian,
da Trocafone:
marketplace especializado na revenda de celula- timento de R$ 20 milhões, a plataforma permite o tecnologia para
res usados. A partir de uma rede formada por con- monitoramento das etapas de coleta, armazena- aliviar gargalos
sumidores e lojistas de todo o país, a startup pau- mento e transporte dos smartphones. As avalia- de logística

listana transporta cerca de 3.000 aparelhos por ções dos aparelhos e as transações financeiras tam-
dia. Para garantir que os produtos circulem de bém são feitas pela empresa. “O mercado de celu-
forma rápida e segura entre vendedores e com- lares usados ainda é muito informal e pulverizado.
pradores, a empresa desenvolveu um sistema que É preciso manter o controle sobre a cadeia para as-
integra diversos pontos de sua cadeia operacio- segurar a eficiência da operação”, afirma Freire.
nal. “O nosso modelo de negócios envolve a ad- Depois de receber R$ 36 milhões de aceleradoras
ministração de praticamente duas empresas: uma e fundos de investimento, a Trocafone faturou R$
de compra e uma de venda. Seria impossível co- 80 milhões no ano passado.

70 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: MARCUS STEINMEYER

www . revistapegn . com . br


PASSA OU
REPASSA?
As cinco etapas que COMPRA
compõem a operação
logística da Trocafone
LOJISTAS
A Trocafone fecha
parcerias com
grandes varejistas,
como Magazine
CONSUMIDORES Luiza e Fast Shop. Os clientes dessas lojas podem
FINAIS oferecer seus aparelhos usados
Os donos dos como entrada na compra de
aparelhos usados novos modelos. A partir das
indicam o modelo, informações compartilhadas
a localização e pelo vendedor, o sistema calcula
as especificações o preço do celular antigo.
dos dispositivos
(incluindo avarias).

Baseado nessas
informações, o sistema da
Trocafone faz uma avaliação
automática dos celulares.

Caso aceitem a oferta, os COLETA


usuários recebem um código O sistema é notificado sobre
de postagem gratuito para os aparelhos deixados nas
enviar o celular ao laboratório lojas e envia uma ordem de
de triagem da empresa. coleta para a transportadora.
O processo é automático
e tem como endereço final
o centro de distribuição da
empresa, em Barueri (SP).

ESTOQUE
Os aparelhos são
encaminhados ao estoque REVENDA
TRIAGEM E REPAROS e preparados para a Os aparelhos recondicionados
Os celulares de lojistas e consumidores passam revenda. O processo dura são anunciados no site
por um check-list de 30 itens, incluindo testes de entre 24 e 48 horas. da Trocafone. A média de
bateria, câmeras, botões e microfones. O objetivo é descontos é de 40% (em
confirmar se as condições batem com as descrições relação aos preços dos
do vendedor. Pequenos reparos são feitos por aparelhos novos). Atualmente,
uma equipe de 70 técnicos. Caso a vistoria seja o e-commerce oferece cerca
aprovada, o pagamento é liberado em até 48 horas. de 300 modelos aos clientes.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 71


C A PA E-COMMERCE

E x pe r i ê n c i a d e u s u á ri o

O QUE A AMAZON No dia 24 de


setembro, às 7h30, o

FAZ DE TÃO DIFERENTE? programa Pequenas


Empresas & Grandes
Negócios, da TV GLOBO,
exibe uma reportagem
Mais de 20 anos após a sua fundação, sobre como montar uma
a Amazon permanece como a principal loja de sucesso na internet.
Haverá reapresentações às
referência do varejo eletrônico mundial. 8h30, na GLOBONEWS; no
CANAL FUTURA: no dia 25,
Presente em 190 países, a gigante de às 16h30; no dia 26, às 5h; e
tecnologia faturou mais de US$ 136 bilhões no dia 1º de outubro, às 15h.

no ano passado. Nos Estados Unidos,


onde é particularmente dominante,
a empresa é responsável por 43% das
vendas online. A liderança absoluta não é
obra do acaso: todas as funcionalidades
do site são desenvolvidas para converter
visitantes em consumidores. A seguir, Rafael
Ozawa, sócio do estúdio digital HE:Labs,
desvenda os principais pontos da estratégia
de experiência de usuário da Amazon.

Pesquisa Compre Serviços Indicações


inteligente com um botão premium sociais

Clientes que compraram este it


Todos gastrono Add to Cart
gastronomia em Todos os depart
gastronomia em Livros or 1-Click Checkout

gastronomia em Loja Kindle


Buy now with 1-Click®
gastronomia e culinária livros Amazon Prime
gastronomia no brasil
gastronomia italiana

“Os mecanismos de busca “Formulários de cadastro e “Por US$ 99 mensais, os “O conceito de Prova
tornaram-se o nosso principal processos de pagamento usuários do Amazon Prime Social [teoria baseada
instrumento de navegação na geram pontos de atrito recebem benefícios como frete na influência de grupos
internet. No caso da Amazon, em jornadas de consumo. grátis, entrega no mesmo dia, sobre decisões individuais]
a ferramenta de pesquisa do Pensando nisso, a Amazon armazenamento em nuvem e orienta diversos aspectos
site inclui funcionalidades tenta oferecer uma conteúdo gratuito para Kindle. da experiência da Amazon.
como ‘autocompletador’ experiência de compra O preço é particularmente Essa característica pode
de palavras, sugestões de instantânea e impulsiva. atraente para clientes ser observada nas resenhas
sinônimos e contextualização O botão 1-click buy é um assíduos — a eliminação publicadas por usuários e
de palavras em diferentes dos principais exemplos da cobrança de frete já nos rankings de avaliação
categorias. Todas essas dessa estratégia. Como cobre o valor do serviço. de produtos. Outro
características aumentam diz o próprio nome, a Trata-se de uma estratégia exemplo são as sugestões
as chances de o consumidor ferramenta permite que os de fidelização eficiente: os de itens adquiridos por
achar o produto na primeira usuários façam o check- benefícios são realmente consumidores de perfis
tentativa. A solução é tão out com apenas um clique. competitivos e fazem com similares. Tudo isso
eficiente que alguns usuários Para usar o serviço, basta que os consumidores fiquem fortalece a percepção de
passaram a usar a plataforma ter um endereço e um menos propensos a cancelar a que a Amazon oferece
como a sua fonte prioritária meio de pagamento pré- assinatura ou sair do ambiente soluções reais para os
de pesquisa de produtos” cadastrados na plataforma” de negócios da companhia” problemas do cliente”

72 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: DIVULGAÇÃO

www . revistapegn . com . br


Ven das e m m ar ke t p l ac e Market ing dig ita l

O BÊ-Á-BÁ DA MÍDIA PAGA


Direcionadas ao público gamer, as
$ campanhas digitais da Pichau geram um
$
$ fluxo de 15 milhões de visitantes mensais

Fundada em 2007 em Joinville (SC), a Pichau Informá-


tica oferece mais de 3.000 equipamentos para fãs de jo-
gos eletrônicos — o catálogo reúne itens como compu-
OS TRÊS MANDAMENTOS tadores, fones de ouvido, monitores e placas de vídeo.
DO MARKETPLACE No ano passado, a empresa investiu mais de R$ 2 mi-
lhões em publicidade digital. O resultado: uma média
A RPSom aposta em consultoria e promoções de 15 milhões de visitantes mensais e um faturamento
para vender milhões em acessórios automotivos anual de R$ 350 milhões. “Cerca de 90% dos clientes
são atraídos pelos anúncios. Não existe e-commerce
Especializada na venda de tual própria exigiria que sobreviva sem investir em mídia digital”, afirma o
acessórios para carros, a investimentos mais eleva- sócio-fundador João Carlos Pichau, 42 anos.
RPSom faturou R$ 4,9 mi- dos em marketing e tecno-
lhões no ano passado. Um logia”, afirma Parros. Para
detalhe: a loja opera apenas se destacar entre os milha- VALE O INVESTIMENTO?
no MercadoLivre. Segundo res de lojistas da plataforma, As plataformas que a Pichau usa
para ganhar visibilidade na web
o fundador Raphael Parros, o empresário paulistano
32 anos, a atuação exclusiva aposta em uma estratégia COMO FUNCIONA ESTRATÉGIA ADOTADA
no marketplace ajuda a sim- que inclui atendimento per-
plificar a gestão e a aumen- sonalizado, ações promo- Conjunto de ferramentas As campanhas AdWords
tar a rentabilidade da ope- cionais e preços competiti- de publicidade oferecido da empresa são focadas
ração. “Manter uma loja vir- vos. Saiba mais abaixo. GOOGLE pelo Google. As soluções em produtos com bons
ADWORDS giram em torno do uso históricos de venda. Para
de links patrocinados, atingir o público desses
nome dado aos anúncios nichos, as ações são
que aparecem no topo baseadas em palavras-
AS ESTRATÉGIAS DA RPSOM ou ao lado das pesquisas chave específicas. O
feitas por usuários do índice de conversão de
PARA O MERCADOLIVRE mecanismo de buscas. vendas é de 7%.
Três dicas para engajar consumidores na plataforma
Plataforma para As ações da Pichau

+ criação e divulgação de
campanhas publicitárias
no Facebook têm
como objetivo
FACEBOOK no Facebook. Baseado fortalecer a presença
ADS
no uso de posts da marca na rede
patrocinados, o sistema social e divulgar
Venda Kits e Descontos
consultiva brindes permite que empresas lançamentos entre os
Na hora de
A RPSom oferece Para aumentar o aumentem a visibilidade mais de 300 mil
negociar com
consultoria gratuita valor do tíquete de suas publicações entre seguidores da
fornecedores, a
para pessoas que médio, a empresa audiências de massa ou empresa. O índice de
RPSom prioriza
enviam dúvidas promove a venda de nichos de consumo. conversão é de 8%.
itens com alto
sobre customização kits com produtos potencial de saída.
de automóveis. complementares. A partir daí, a Sistema de publicidade Para resgatar visitantes
Os contatos são Os players de MP3, empresa compra online orientado que deixaram carrinhos
feitos na própria por exemplo, em grandes CRITEO por tecnologias de de compra abandonados,
caixa de perguntas são oferecidos quantidades monitoramento e análise a Pichau utiliza a solução
ao vendedor. Não junto com caixas para conseguir preditiva. As ferramentas de retargeting da Criteo.
há cobrança pelo de som e aparelhos oferecer preços de retargeting — anúncios Dessa maneira, o cliente
serviço: o objetivo subwoofer. As mais competitivos baseados em pesquisas visualiza a oferta do
é fidelizar usuários ofertas também aos consumidores anteriores de produtos — produto em displays
e identificar as incluem brindes, — os valores dos estão entre suas soluções publicados em outros
melhores opções como cabos descontos variam mais populares. sites e redes sociais.
para cada veículo. e antenas. entre 4% e 5%.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 73


C A PA E-COMMERCE

A te n d i m e n t o

CLIENTE BOM É CLIENTE FELIZ


O atendimento especializado e a velocidade de resposta são as apostas
do VivaReal para manter 18 milhões de usuários satisfeitos

A partir de uma base de mais de 5,5 milhões de níveis de satisfação de clientes em canais digitais.
imóveis anunciados, o VivaReal atrai cerca de 18 Ao apresentar uma média de 98,1% de resolução
milhões de visitantes por mês. Para responder aos de problemas, o VivaReal conquistou o selo RA1000
questionamentos de uma audiência volumosa e em outubro do ano passado. Concedida pelo Re-
fragmentada — o público é composto por incor- clame Aqui, site de defesa dos direitos do consu-
poradoras, corretores, proprietários e usuários midor, a certificação é destinada a varejistas que
em busca de casas e apartamentos —, o marke- atingem padrões de excelência de atendimento.
tplace imobiliário criou uma estrutura segmenta- Um desafio e tanto para quem precisa lidar com
da de atendimento. O time responsável por pro- um fluxo de 40 mil interações mensais. “As rela-
blemas de tecnologia, por exemplo, é diferente do ções entre compradores e vendedores de imóveis
TODO OUVIDOS
que resolve conflitos entre locatários e inquilinos. são carregadas de expectativas. Tentamos res- Lucas Vargas, do
A integração entre as equipes é feita pelo departa- ponder a todas as demandas em até 24 horas”, afir- VivaReal: equipe
mento de Customer Success, que acompanha os ma o CEO Lucas Vargas, 33 anos. preparada para
lidar com perfis
de clientes

74 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: ALEXANDRE BATTIBUGLI

www . revistapegn . com . br


Chat bot s

PALAVRA DO PRESIDENTE
Lucas Vargas, CEO do VivaReal, FALE COM O NOSSO ROBÔ
revela quais são as estratégias de A Panvel oferece soluções de inteligência artificial
atendimento adotadas pela empresa para esclarecer dúvidas de clientes em tempo real
No ano passado, a Panvel, rede de farmácias gaúcha, implan-
ESTRUTURA SEGMENTADA tou um sistema de atendimento automatizado — também co-
“O crescimento da base de usuários nhecido como chatbot — para se aproximar de consumidores
demandou a criação de uma estrutu- digitais. Disponível no Facebook Messenger, o robô responde
ra de atendimento mais robusta. Em a perguntas frequentes dos mais de 1,5 milhão de seguidores
setembro do ano passado, montamos da empresa. “Ferramentas de inteligência cognitiva ajudam a
uma área de Customer Success formada
aumentar a assertividade do atendimento e a economizar o
por cem especialistas em atendimento.
tempo do consumidor. As interações com a audiência aumen-
A unidade foi organizada a partir de células relaciona-
taram 200%”, afirma Julio Mottin Neto, 43 anos, presidente
das a diferentes áreas da operação, como onboarding
[novos clientes], solução de conflitos e regularizações
executivo do Grupo Dimed, controladora da Panvel.
de documentos. O novo modelo permite que os profis-
sionais entendam melhor os processos da empresa”
BATE-PRONTO
Como o bot da Panvel responde às perguntas enviadas por clientes
ANTECIPAÇÃO DE PROBLEMAS
“Além de verificar a existência dos
imóveis anunciados, incentivamos Meu pedido vai
os anunciantes a compartilharem demorar para chegar?
descrições mais detalhadas sobre as
ofertas. O objetivo é fazer com que as
informações cheguem aos compra-
dores antes do contato inicial com os corretores. Há
Ao receber perguntas sobre o status
dois anos, apenas 5% dos anúncios tinham o endereço de pedidos, o bot pede um número de
completo — o índice atual é de 60%. Trata-se de uma CPF para localizar o cadastro do cliente.
informação simples, mas que ajuda a aumentar os Na sequência, o sistema informa o
índices de satisfação sobre o conteúdo publicado no site” prazo de entrega para todos os itens do
histórico de compras do consumidor.

MONITORAMENTO DE PONTA A PONTA


“Acompanhamos a qualidade de
atendimento em diversas etapas A Panvel oferece serviços
do processo. Isso inclui o monitora- de manipulação?
mento dos índices de resposta em
salas de chat. Corretores que não
respondem às dúvidas enviadas por
clientes são notificados e perdem pontos no sistema Em resposta a essa pergunta, o robô envia
de ranking da plataforma. Não adianta manter o foco uma mensagem que estimula os clientes a
apenas na geração de leads. Os processos de conver- enviarem receitas pela internet. Em seguida,
são e o pós-vendas não podem ser menosprezados” o usuário recebe o e-mail e o número de
WhatsApp da equipe responsável pelo setor.

GESTÃO DE CRISE
“É preciso identificar quais são as áreas
da empresa que estão mais suscetíveis Qual é o meu saldo de pontos
a passar por crises de imagem. No nos- no programa de fidelidade?
so caso, a atenção está voltada para as
mudanças de funcionalidades da página.
Quando percebemos que uma determina-
da ação pode gerar atrito com o público, traçamos planos A partir de dados coletados entre 3,5 milhões
de comunicação prévios e organizamos plantões entre de associados, o chatbot fornece informações
os times de atendimento, produtos e tecnologia. Nunca sobre o vencimento e a soma de pontos dos
clientes — e as possibilidades de resgate
fazemos lançamentos às sextas-feiras: a resolução de
disponíveis para cada faixa de crédito.
problemas é sempre mais complexa aos finais de semana”

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 75


C A PA E-COMMERCE

In te g r aç ão d e c an ai s

DA WEB PARA O SHOPPING


CENTER — E VICE-VERSA
Nas guide shops da Amaro, os clientes podem
experimentar e encomendar as coleções de
roupas anunciadas no site da empresa

Pode parecer contraditório, mas a abertura de pontos


de venda físicos despontou como uma das principais
tendências do e-commerce brasileiro. Particularmen-
te forte no segmento de roupas e acessórios, o movi-
mento pode ser observado na multiplicação de espa-
ços-conceito de varejistas digitais. É o caso da Amaro,
grife online de moda feminina. Lançada em 2012, a em-
presa possui dez guide shops instaladas em São Paulo
e no Rio de Janeiro. Nessas lojas, os clientes podem to-
car e experimentar as mesmas peças exibidas no site.
Os estabelecimentos não possuem estoque: os pedidos
são feitos em tablets instalados nos locais e entregues
na casa dos clientes. “Cerca de 25% das nossas vendas
já vêm desses canais. Trata-se de uma estratégia efi-
ciente para aumentar o giro de produtos e fazer mais
lançamentos por ano”, afirma o CEO Dominique Oliver
Schweingruber, 34 anos.
Entre os principais desafios para a adoção do mode-
lo, Schweingruber destaca a dificuldade de mudar há-
bitos de consumidores acostumados à rotina do varejo
tradicional. Para incentivar esses clientes a comprar
nas guide shops, a Amaro oferece frete gratuito e entre-
gas expressas para os clientes das cidades que abrigam
os estabelecimentos. “É preciso investir em soluções
que ajudem o público a entender o funcionamento dos
espaços”, diz Schweingruber, que prevê a abertura de
mais três unidades até o final do ano.

ERA UMA LOJA MUITO ENGRAÇADA...


Sem estoque, sem caixa: assim funcionam os pontos de venda físicos criados pela Amaro
18
5% Estoque coleções
das amostras por ano

25 a 30% Média
do estoque do
varejo tradicional

ESPAÇO PARA VENDER ALTA ROTATIVIDADE SÓ NO TOUCHSCREEN


As lojas estão instaladas em pontos Com 18 coleções lançadas por ano, a Os clientes finalizam as compras nos
comerciais de 100m2 a 140m2. O estoque Amaro possui um portfólio composto tablets disponibilizados pela empresa
das amostras ocupa apenas 5% dos por mais de 6 mil peças de roupa e ou no aplicativo para smartphone. As
espaços. A eliminação das áreas de acessórios. Para manter o catálogo coleções da marca são divulgadas
armazenamento deixa a operação mais ágil atualizado, os itens das lojas são em telões touchscreen, nos quais
e libera espaço para a exibição das peças. trocados em até três semanas. passam vídeos e imagens interativas.

76 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


Redes s oc ia is

COMO CONQUISTAR 150 MIL


BARBUDOS NO FACEBOOK
Nascida nas redes sociais, a Sobrebarba convoca a
audiência para participar da criação de produtos

Fundada em 2014 pela dupla Fernanda Kawazoe, 34 anos, e


Samuel Tonin, 40 anos, a Sobrebarba nasceu como uma pá-
gina de Facebook. O objetivo inicial era criar um canal on-
de os barbudos de todo o Brasil pudessem trocar ideias so-
bre produtos e tratamentos cosméticos masculinos. O pro-
jeto deu origem a uma linha de produtos para barba que
hoje reúne mais de 150 mil fãs no Facebook e 36 mil segui-
dores no Instagram. “Os barbudos acompanharam cada
passo da criação da empresa. Com o passar do tempo, suas
opiniões se revelaram como uma de nossas principais fon-
tes de inteligência de mercado”, afirma Tonin.

NO FIO DO BIGODE
Como a Sobrebarba engaja consumidores em redes sociais

ON TO OFF
Dominique
Schweingruber, Fala, Seja a Você viu
da Amaro: barbudo nossa cobaia esse post?
experiência A interação com a A Sobrebarba A marca produz víde-
offline para audiência é uma seleciona seguido- os tutoriais que ex-
vendas digitais das principais res com diferentes plicam o uso de itens
características do tipos de pele e como modeladores
posicionamento barba para testar e pentes de bigode.
da empresa em novos produtos. Os No Instagram. as
redes sociais. Nos escolhidos recebem publicações reúnem
últimos três anos, os cosméticos em imagens de kits e
os seguidores já casa e compar- fotos de clientes
opinaram sobre as tilham os resul- interagindo com os
cores do logotipo, o tados em redes produtos. As ações
design das emba- sociais. Batizada promocionais tam-
lagens, os forma- de Cobaias Sobre- bém incluem a produ-
tos das tampas barba, a iniciativa ção de conteúdo para
e as essências tem como objetivo o Snapchat. No início
aromáticas dos identificar melho- de março, a equipe
produtos. Todas rias nos produtos, gravou um vídeo
as sugestões dos divulgar novidades com a montagem de
clientes são cole- e reforçar os laços uma réplica do robô
LAR, DOCE LAR
tadas por meio de de proximidade R2-D2. A brincadeira
Os pedidos são encaminhados para o centro de
distribuição e enviados aos endereços fornecidos pesquisas online. com a audiência. foi transmitida pelo
pelos clientes. As entregas para São Paulo são Depois de tabula- Itens como cera de app e incluiu a divul-
feitas no mesmo dia — no Rio de Janeiro, o prazo dos, os processos bigode e esfoliantes gação de um código
é de 24 horas. A Amaro também oferece a opção são compartilhados faciais já passaram de desconto para
de retirar os produtos na própria guide shop. com o público. pela prova de fogo. compras no site.

FOTO: ALEXANDRE BATTIBUGLI SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 77
C A PA E-COMMERCE

Vitr i n e d i g i t al

ENTRE, QUE A LOJA É SUA


Nada de pretinho básico: na Shop2Gether, os produtos são apresentados
aos clientes em produções de moda feitas por profissionais especializados

Referência no segmento de moda, a Shop2Gether Ao apresentar um catálogo bem fotografado, ca-


aposta em uma experiência de compra personali- tegorizado e resenhado, a Shop2Gether conquis-
zada para atrair clientes de alto poder aquisitivo. tou um tíquete-médio três vezes maior do que a
A estratégia é baseada na curadoria de produtos e média do setor. Para ajudar os visitantes do site a
na produção de conteúdo para vitrines digitais. Es- navegar entre mais de 30 mil itens de roupas e aces-
colhidas por uma equipe de estilistas, caçadores sórios, o e-commerce também oferece serviços de
de tendências e formadores de opinião, as peças assistente de compras virtuais. “O ciclo de vida de
comercializadas no site são apresentadas em cam- produtos de moda costuma ser bastante curto. Me-
panhas produzidas por equipes internas de reda- didas como essas ajudam a acelerar o giro das mer-
tores, designers e fotógrafos. “Anunciamos cerca cadorias”, diz Kyrillos. No início de janeiro, a em- LAYOUT
de 300 novos itens por dia. Internalizar a operação presa paulistana finalizou um processo de fusão FASHION
Eduardo Kyrillos,
nos ajuda a oferecer conteúdo relevante para o nos- com a concorrente OQVestir. Juntas, as operações da Shop2Gether:
so público sem perder o timing das campanhas”, devem fechar o ano com um faturamento de apro- produções de
afirma o CEO Eduardo Kyrillos, 43 anos. ximadamente R$ 200 milhões. moda para
atrair clientes

78 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: DANIELA TOVIANSKI

www . revistapegn . com . br


Mob il e com m e rce

VOCÊ VIU ESSA BLUSINHA?


As lições da Shop2Gether para melhorar a visibilidade de
NA PONTA DOS DEDOS,
produtos — e a conversão de vendas — em lojas virtuais NA PALMA DA MÃO
Baixado por mais de 6 milhões de
usuários, o aplicativo da Privalia
tornou-se o centro da estratégia
TUDO EM CASA comercial da empresa
A gestão de imagem dos 30 mil No Brasil desde 2009, a espanhola Privalia adotou
produtos oferecidos pela empresa a tela do smartphone como seu principal canal de
é feita por uma equipe interna de vendas — os dispositivos móveis já respondem
produção. Composta por 60 profis- por mais de 70% do faturamento do outlet de mo-
sionais — incluindo maquiadores e
da online (o volume total de receitas é estimado
cabeleireiros para as modelos —, a
unidade é responsável pelo desen-
em R$ 500 milhões anuais). Concentrada em um
volvimento dos conceitos e pela
aplicativo baixado por mais de 6 milhões de bra-
execução das campanhas veiculadas sileiros, a estratégia da empresa é orientada por
no site. A curadoria dos itens é feita ações promocionais e benefícios exclusivos para
com a ajuda de personal stylists e consumidores mobile. “Trata-se de um perfil de
formadores de opinião. O portfólio cliente que apresenta altos níveis de engajamento.
de marcas inclui grifes como Le Os índices de compra são até seis vezes maiores
Lis Blanc, Osklen e Calvin Klein. do que os registrados entre usuários de desktops”,
diz Fábio Bonfá, 39 anos, CEO da Privalia Brasil.

VISUAL ANTENADO
Além das categorias básicas — MOBILE FIRST As estratégias usadas pela
Privalia para engajar consumidores
como feminino, masculino e in-
fantil —, os menus de navegação
(MESMO) em telas de tablets e smartphones
trazem filtros de pesquisa ligados
a nichos de consumo e tendências
de mercado. O estilo dos textos Corra, é só até A tal experiência
e os layouts das páginas acom- o final do dia de compra
panham as duas temporadas do Para estimular Cerca de
circuito nacional de moda: prima- as vendas em 88% dos
vera-verão e outono-inverno. Os dispositivos consumido-
contratos com os fornecedores móveis, a Privalia res mobile
desenvolve ações promo- acessam a Privalia pelo
exigem que as peças exibidas no
cionais cujo objetivo é des- aplicativo da empre-
site sejam as mesmas oferecidas pertar o senso de urgência sa. Pensando nisso, a
nas lojas físicas das marcas. nos clientes. As campanhas plataforma é constan-
de pré-vendas, por exemplo, temente ajustada para
são lançadas inicialmente aperfeiçoar a experi-
no aplicativo e duram ape- ência de navegação
AMIGOS DE COMPRAS nas duas horas. A empresa do usuário. Os pilares
também oferece promoções da estratégia são a
A plataforma oferece os servi- exclusivas para usuários do publicação de imagens
ços de Personal Shoppers e Gift app, como frete grátis para de boa qualidade,
Assistants. Ligados à área de consumidores que compra- ferramentas de zoom
atendimento, esses profissionais rem uma peça no prazo de intuitivas e resenhas
têm como função identificar as uma hora ou duas horas. concisas de produtos.
melhores opções de roupas e
acessórios para diferentes per-
fis de consumidores. O contato Quem avisa amigo é
O aplicativo envia notificações push (que
é feito via chat e telefone. A loja
aparecem na tela mesmo com o app inativo)
também possui uma seção cha- para informar os usuários sobre ofertas e
mada Shop The Look, na qual os lançamentos. Para não sobrecarregar os
visitantes podem escolher entre clientes com informações desnecessárias, o disparo
looks montados previamente pelos das mensagens é segmentado de acordo com o
personal stylists da empresa. histórico de compra dos consumidores.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 79


C A PA E-COMMERCE

Cl u b e s d e as s i n at u r a

DIM-DOM: CHEGOU VINHO PARA VOCÊ


Um dos principais e-commerce de vinhos do país, a Wine encontrou nos clubes de assinatura
um caminho promissor para fidelizar consumidores e popularizar a bebida entre os brasileiros

Composto por mais de 140 mil


assinantes, o clube de vinhos
da Wine oferece rótulos de 15
países para consumidores bra-
sileiros. Para ganhar espaço
em um país de apaixonados
por cerveja, a empresa desen-
volveu uma estratégia que in-
clui curadoria especializada,
produção de conteúdo e con-
trole logístico. Disponíveis em
seis categorias de preço — de
R$ 66,50 a R$ 234 —, os kits tra-
zem rótulos escolhidos por um
time interno de sommeliers.
Junto com as garrafas, os clien-
tes recebem uma revista com
dicas e novidades sobre o mun-
do do vinho. “Muitas pessoas
se interessam pela bebida, mas
não querem gastar dinheiro em
uma categoria que desconhe-
cem. O objetivo é diminuir a re-
sistência inicial a um produto
com preço médio mais eleva-
do”, diz o fundador Rogério Sa-
lume, 44 anos.
Lançado em 2010, cerca de
dois anos após a fundação da
empresa, o clube de vinhos tor-
nou-se um dos principais ca-
nais de captação de clientes da
Wine — nos últimos sete anos,
a base de assinantes aumentou
mais de cem vezes. Entre ven-
das avulsas e assinaturas, o
e-commerce capixaba registra
mais de 660 mil garrafas ven-
didas por mês. O faturamento
está na casa dos R$ 300 mi-
lhões. “Dividir os clubes por
gostos e faixas de preço é es-
sencial para captar clientes em
diferentes fases de experimen-
tação com o mundo dos vinhos.
Alguns dos consumidores ter-
minam assinando mais de uma
modalidade”, afirma Salume.

80 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


Cur a dor ia de p rodu tos

BIOGRAFIA DE UM KIT
Da negociação com os produtores à casa À PROCURA DO
dos clientes: conheça os bastidores da
operação de assinatura da Wine PRESENTE PERFEITO
A Found It! ajuda consumidores a
encontrar o produto ideal para datas
OS CLUBES comemorativas e ocasiões especiais
One — Vinhos voltados para iniciantes na bebida
R$ 66,50 Na Found It!, e-commerce de kits de presentes, to-
dos os produtos são escolhidos a dedo pelo casal
Classic — Rótulos para curiosos Thiago e Júlia Speranzini, ambos com 30 anos. O
R$ 111,60 objetivo é ajudar clientes a encontrar as melhores
alternativas para momentos como chás de bebê e
Advanced — Rótulos exclusivos
aniversários de casamento. Os pedidos são enca-
R$ 162 minhados aos fornecedores — a lista inclui marcas
Premium — Vinhos nobres e sofisticados
como Victorinox, Johnnie Walker e Granado — e
montados na sede da empresa, em São Paulo. “Fa-
R$ 234
zemos questão de finalizar os kits internamente.
Fresh — Brancos e rosés Pedidos com erros são ainda mais graves para quem
oferece serviços de curadoria”, diz Thiago.
R$ 90

Espumantes
A CARA Entenda como funciona
o processo de curadoria
R$ 111,60
DOS DONOS criado pelo casal Speranzini

PESQUISA
E SELEÇÃO Na hora certa
Winehunters rodam o As ofertas de kits prontos incluem
mundo em busca de opções para datas tradicionais do
produtores. Os vinhos varejo (Dia dos Pais e Dia das Mães)
selecionados são e comemorações específicas (Dia
avaliados por uma equipe do Amigo e Ano Novo Judaico). Na
de seis sommeliers, seção Gifts Criativos, por sua vez,
que fazem a curadoria os clientes encontram opções para
dos kits — a seleção
nichos de consumo gerais, como
é feita com 12 meses
recém-nascidos, formandos, colegas
de antecedência.
de trabalho e até mesmo cachorros.
PEDIDOS E
BUROCRACIA Do jeito certo
A Wine faz a contraprova Os kits da Found It! são montados
do vinho em diferentes
a partir da análise de hábitos de
etapas: na produção,
consumo complementares. Para
no envase, antes do
embarque e na chegada acompanhar uma cerveja artesanal,
pelo porto de Vitória (ES). por exemplo, o e-commerce pode
Os processos de transporte sugerir uma lata de pipoca gourmet
e liberação das bebidas ou um moedor de temperos especiais.
duram entre 30 e 60 dias. Os usuários também podem contratar
“assessores de presentes” via
WhatsApp e e-mail.

MONTAGEM E ENVIO Para a empresa certa


Os kits são montados A loja virtual também atua no
O LADO CHEIO na região metropolitana
DA TAÇA mercado corporativo. A maior parte
de Vitória (ES). Os ciclos
Rogério dos pedidos é feita para homenagear
de montagem e envio
Salume, da funcionários e clientes. A frente
são ininterruptos — os
Wine: curadoria funcionários se revezam negócios inclui projetos de curadoria
e conteúdo em três turnos diários. Os sob medida — uma águia de pedras
para fidelizar pedidos são enviados três semipreciosas com 1 metro de altura
assinantes já foi especialmente produzida para
dias após a confirmação
do pagamento. uma festa de aposentadoria.

FOTO: LUCAS ABOUDIB SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 81
C A PA E-COMMERCE

Ge stã o d e e s t o qu e

SUPERMERCADO
SOB DEMANDA
A identificação de hábitos de consumo
é o segredo da HomeRefill para evitar
desperdícios e acelerar o giro de mercadorias

Em um setor marcado pela presença de grandes varejistas,


a HomeRefill ganhou espaço ao criar uma solução inovado-
ra de gestão de estoque — área considerada o calcanhar de
aquiles de muitos lojistas de alimentos. Para reduzir o tem-
po e os custos de armazenamento de mercadorias, o super-
mercado virtual desenvolveu um sistema de pedidos sob
demanda: os clientes fazem listas de compras mensais que
vão sendo atualizadas conforme suas necessidades de con-
sumo. “As mercadorias já chegam ao estoque com projeção
de saída. Além de gerar receita recorrente, o modelo ajuda
a evitar desperdícios e prejuízos com liquidações desneces-
sárias”, afirma o CEO Guilherme Aere, 27 anos.
Cerca de um ano após o início da operação, a HomeRe-
fill levantou uma base de 15 mil clientes na região metro-
politana de São Paulo. Para manter esse público abasteci-
do, a empresa conta com uma rede de 280 fornecedores
locais. O fluxo dos pedidos é calibrado com a ajuda de uma
plataforma de Big Data. O sistema tem como função iden-
tificar hábitos de compra recorrentes e determinar quais
são os itens com maior potencial de circulação entre os as-
sinantes do serviço. “Temos uma prateleira virtual com-
posta por mais de 5,6 mil produtos. Cerca de 75% desses
itens saem do estoque em apenas seis dias”, diz Aere. De-
pois de faturar R$ 20 milhões em 2016, o empreendedor
pretende levar o modelo a consumidores de Curitiba e Be-
lo Horizonte até o final do semestre.

ESTOQUE Como a HomeRefill controla o fluxo de


mercadorias entre fornecedores e clientes
(QUASE) ZERO

PEÇA DO SEU JEITO SEM DESPERDÍCIO HÁBITOS MONITORADOS


As compras na HomeRefill podem ser feitas O primeiro pacote chega à casa do cliente Uma plataforma de Big Data monitora
de duas maneiras. Na primeira modalidade, em oito dias. A partir dos hábitos do usuário, índices como recorrência de compra,
o usuário monta carrinhos com produtos o sistema calcula a duração dos itens e cancelamentos e preferências entre
sugeridos para diferentes perfis de consumo define a data mais apropriada para o envio diversos grupos de consumo. Os dados
(casado ou morador de república, por do “refil”. A partir daí, a empresa faz uma são traduzidos em análises sobre o ciclo
exemplo). Na versão shopping inteligente, previsão sobre quais serão os produtos das dos produtos na casa dos assinantes.
a plataforma monta listas baseadas em compras seguintes — e quando precisará As negociações com fornecedores são
questionários respondidos pelos clientes. fazer os pedidos para entregá-los no prazo. orientadas por essas informações.

82 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017

www . revistapegn . com . br


Ve nd a s té cnica s

E-COMMERCE
DE PRANCHAS:
PODE ISSO?
A comSurf oferece resenhas especializadas
para conquistar praticantes do esporte
Categorias de produtos técnicos demandam um
esforço extra de conversão de vendas. É o caso das
DEMANDASOB pranchas de surfe. Não bastassem as especifica-
CONTROLE ções complexas dos produtos (um centímetro a
Guilherme Aere,
da HomeRefill: mais ou a menos faz toda a diferença), o setor é
análise de marcado pelas decisões emocionais dos consumi-
dados para dores — a maioria gosta de “sentir” a prancha an-
negociar com
fornecedores tes de comprá-la. Para superar essas barreiras, a
comSurf produz resenhas e fotos detalhadas para
mais de 80 modelos de prancha. A previsão de fa-
turamento para este ano é de R$ 2 milhões. “É pre-
ciso oferecer um atendimento especializado para
compensar a falta de relação pessoal com o produ-
to”, diz o fundador Frederico Hernandez, 36 anos.

NA CRISTA As estratégias usadas pela empresa


para atrair clientes e aumentar os
DA ONDA índices de conversão de vendas

Consultoria Conheça Cuidado


para a sua até a
surfistas prancha entrega
A partir de Os fornecedores Para garantir
dados como da comSurf o transporte
peso, altura, preenchem seguro das
experiência fichas técnicas pranchas, a
e nível de que incluem empresa criou
preparo físico, tamanho, largura uma embalagem
a ferramenta e configuração revestida com
“Prancha Ideal” de quilhas dos plástico bolha
aponta os equipamentos. e papelão
modelos mais Atualmente, o reforçado. As
adequados e-commerce medidas variam
para o nível vende cerca de de acordo com
de habilidade 40 pranchas por três modelos
A ÚLTIMA MILHA dos clientes. mês. Os preços (longboard,
Para manter a qualidade da entrega,
A empresa variam de R$ 830 stand-up e
os kits são montados no centro
de distribuição da empresa. Lá, os também a R$ 4,9 mil — pranchinha).
produtos são faturados, separados disponibiliza as páginas dos Com esses
e empacotados. A etapa final é o canais de modelos mais cuidados, o
envio para os transit points, como atendimento caros também índice de avarias
são chamados os centros de entrega no site e no incluem vídeos baixou de 4%
próximos à residência dos clientes. WhatsApp. dos produtos. para 0,1%.

FOTO: CELSO DONI SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 83
IDEIAS, ESTRATÉGIAS
E BOAS PRÁTICAS
PARA SUA EMPRESA
Edição: Marisa Adán Gil
e Mariana Iwakura

GESTÃO
Saiba como fazer um
planejamento estratégico
e alcançar as metas
traçadas para o negócio
86

COMO EU FIZ
A Now! Nutrição
Esportiva se reestruturou
para ganhar espaço no
mercado de suplementos
92

ILUSTRAÇÃO: GUILHERME HENRIQUE SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 85
G E S TÃ O PLANEJAMENTO

RUMO AO FUTURO
Chegou a hora de fazer o planejamento estratégico da empresa.
Saiba como traçar as metas e transformar objetivos em resultados

Lara Silbiger Guilherme Henrique

N a trajetória de uma empresa, o sucesso dificilmen-


te vem de sorte ou acaso. Para a imensa maioria
dos negócios, o êxito nas vendas e na lucrati-
vidade é fruto de uma trajetória construída a partir de
um bom planejamento estratégico. A empresa que reali-
“Metas de longo prazo evitam que o empreendedor desis-
ta de uma grande oportunidade diante do primeiro erro,
sem sequer aprender com o equívoco”, afirma Antônio
Napole, sócio da consultoria Kaiser Associates.
O planejamento precisa ser adotado como norte. No
za essa programação traça os resultados esperados e or- entanto, não deve ser encarado como eterno ou estático.
ganiza as mudanças que levarão o negócio até esse pa- “Em pequenos negócios, que são altamente impactados
tamar. “Na prática, é um mapeamento das motivações, pelo ambiente externo, a estratégia acaba sendo revisita-
de onde se quer chegar, dos parceiros relevantes e das da todos os anos. É possível fazer ajustes ou até mudar
etapas a cumprir”, afirma Washington Rodrigues, da premissas que se mostraram equivocadas”, diz Daniel
W/ Consultoria Empresarial. Construir e implementar Castello, palestrante e consultor de estratégia. Conheça, a
estratégias exige tempo, disciplina e esforço repetitivo. seguir, boas práticas de planejamento estratégico e o pas-
Por outro lado, minimiza os riscos em tempos de crise. so a passo para elaborar o plano da sua empresa.

86 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
CICLOS DE PLANEJAMENTO CINCO PERGUNTAS
Os períodos de revisão de estratégia em cada segmento ESSENCIAIS
Antes de começar,
tire as dúvidas sobre o
COMÉRCIO planejamento estratégico
CICLO DE PLANEJAMENTO: anual

LEVA EM CONTA: número de dias úteis, grandes datas


1. Por que fazer?
do varejo, renda disponível, acesso a crédito e prazo O planejamento impulsiona a
de recebimento. É fundamental que o planejamento empresa e alinha os esforços. “O
atrele os ciclos de venda aos hábitos de compra. empreendedor que não se programa
tem de se guiar pelas circunstâncias”,
OPORTUNIDADE: planeje, por exemplo, a participação
diz Napole, da Kaiser Associates.
na Black Friday e seus impactos sobre as vendas do
A marca corre o risco de não se
Natal. “Se bem pensada, a ação pode servir como um
diferenciar e sucumbir às intempéries.
estímulo duplo sobre o comportamento de compra do
consumidor”, diz Napole, da Kaiser Associates.
2. Que tipos de empresa
devem planejar?
INDÚSTRIA Todo negócio precisa de uma
CICLO DE PLANEJAMENTO: anual estratégia clara. Em alguns casos,
LEVA EM CONTA: os ciclos comerciais. É preciso se em função do tamanho da empresa
organizar para atender às demandas da cadeia produ- e da complexidade da operação, é
tiva. Há negócios que se adiantam em até 18 meses, co- possível segmentar o planejamento
mo os que fazem insumos para a indústria de motores. por unidades de negócio.
OPORTUNIDADE: contemple as tendências do
cenário. “Se a economia crescer e o empreendedor não 3. Quem participa do
tiver vislumbrado essa possibilidade, a perda de ven- planejamento estratégico?
das por falta de estoque terá impacto direto sobre sua “Os funcionários devem conhecer o
competitividade”, afirma Napole, da Kaiser Associates. negócio e os desafios. Os profissionais
precisam ter poder de ação na
empresa e competência para opinar”,
SERVIÇOS diz Napole, da Kaiser Associates.
CICLO DE PLANEJAMENTO: anual Ainda que nem todos participem, é
LEVA EM CONTA: o comportamento de compra e a sazo- fundamental que cada colaborador
nalidade. Empresas do setor de saúde, por exemplo, conheça as estratégias planejadas.
seguem o ciclo das doenças típicas de inverno e
verão. Já as escolas que oferecem cursos pré-vesti- 4. O que considerar?
bular dependem das provas das universidades. Os valores e a missão da empresa
OPORTUNIDADE: entenda o comportamento de com- devem pautar a estratégia. “Metas
pra do público-alvo e o calendário do negócio. Agên- que visem apenas ao lucro podem
cias de viagens e hotéis, por exemplo, se beneficiam desconectar a empresa do objetivo
do planejamento baseado nos feriados. original”, afirma Napole, da Kaiser
Associates. Outro aspecto a considerar
é o planejamento dos sócios. O ideal é
STARTUPS diferenciar os ciclos pessoais daqueles
CICLO DE PLANEJAMENTO: a partir de três meses que dizem respeito ao negócio.
LEVA EM CONTA: o dinamismo que o modelo de negócio
propõe. “O que define a startup são a experimentação 5. Quando fazer?
e o risco, que resultam em um plano estratégico O planejamento costuma ser feito uma
mais sujeito a mudanças”, afirma o consultor Castello. vez por ano. Mas pode ser necessário
OPORTUNIDADE: planeje a estratégia de acordo com os fazer revisões no meio do caminho.
efeitos dos investimentos da empresa. Por exemplo: “As reformas trabalhista e previdenciária,
se o plano é lançar um portal em inglês, será preci- por exemplo, trazem mudanças que
so oferecer cursos do idioma e desenvolver na equipe exigem uma nova leitura do ambiente
competências que sustentem essa estratégia. político e econômico”, diz Napole.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 87


G E S TÃ O PLANEJAMENTO

PLANO DE AÇÃO Entenda como funciona cada fase da estratégia

1 2 3
FAÇA UM RAIO X ELABORE UMA IDENTIFIQUE OS
DO NEGÓCIO LISTA DE DESEJOS PONTOS CRÍTICOS
Revisite a identidade da empresa, Pense em novas métricas de Descubra por que a empresa
a proposta de valor, os mercados sucesso. Os patamares aonde ainda não está no patamar
em que atua e o histórico de a empresa quer chegar podem idealizado. Na prática, isso
desempenho. Identifique as ser fruto dos sonhos dos implica identificar as próprias
vantagens competitivas, sem empreendedores ou mesmo fraquezas e as ameaças
perder de vista a macroeconomia de exigências de investidores. externas. É um processo
e a concorrência. Entenda os Determine quais são os mercados de autoconhecimento.
ambientes interno e externo e almejados, as novas propostas de
depois pense no cenário ideal. valor, os resultados e as vantagens !
competitivas a serem perseguidas. Ao questionar os gargalos do
! processo, fuja da palavra “falta”
Antes de planejar o futuro, considere ! para se referir a dinheiro, tempo,
quais dados será preciso ter em mãos. Seja “ter uma cultura mais pessoas ou outros recursos.
Nem todas as informações estarão colaborativa”, seja “aumentar as “Basear-se em ausências para fazer
disponíveis de imediato. “Comece vendas em 50%”, todo sonho precisa planejamento não leva a ações
com antecedência a pesquisa de ser bem descrito. “Os planos devem ser efetivas”, afirma Napole, da Kaiser
indicadores da empresa e do mercado, desafiadores. Mas também precisam Associates. Em vez disso, investigue
bem como de estudos que apontem ser coerentes com o propósito da as causas: a ausência de caixa, por
tendências de crescimento ou retração empresa e ter chance de realização”, exemplo, pode ser consequência de
do segmento”, diz Rodrigues, da W/. diz Napole, da Kaiser Associates. maus investimentos.

88 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
MUDANÇA
DE ROTA
Nos próximos seis anos,
a startup Hekima quer
se tornar uma referência
latino-americana em
análise de Big Data. O
objetivo foi estabelecido no
planejamento estratégico
de 2013, que é revisitado
anualmente para validar
estratégias e metas de
desenvolvimento de
produtos, expansão de
mercado e geração de caixa.
As mudanças podem ocorrer
ao longo do percurso. “Em
2015, pivotamos o negócio.
De criadores de ferramentas

4 5
para monitorar redes sociais
passamos a desenvolvedores
de soluções de predição de
demanda”, diz Rachel Horta,
43 anos, fundadora e CEO
da empresa, que faturou
VISUALIZE DEFINA R$ 2,5 milhões em 2016. A

CAMINHOS PRIORIDADES internacionalização da marca


está prevista para o biênio
2021/2022. A resiliência se
Defina estratégias para driblar Estime os recursos que as
reflete nas estratégias da
os pontos críticos e chegar estratégias idealizadas podem
aos resultados esperados. demandar, de tempo e dinheiro startup. “O planejamento não
Por exemplo: se é necessário a pessoas e infraestrutura. é estático nem feito para ficar
aprimorar a gestão de risco, “Se não há dinheiro, o plano pregado na parede. Exige um
preveja o desenvolvimento vira só um sonho”, diz o processo contínuo de revisão,
de competências dentro da consultor Castello. com especial atenção para
empresa ou a contratação de a volatilidade, a incerteza e
uma consultoria especializada. ! a complexidade do setor em
Quando os recursos forem escassos, que atuamos”, afirma Rachel.
! o desafio será priorizar as iniciativas.
Use soluções e inovações de outras Por exemplo, transferir o gerente de
empresas como benchmark. O modelo uma área para aquela que irá se tornar
de negócio de um parceiro pode inspirá- o centro das novas estratégias. Ainda
lo a encontrar caminhos para aumentar assim, as restrições orçamentárias
as vendas. “Não se trata de espionagem, podem impedir que todos os objetivos
mas de fazer uma visita oficial a um sejam contemplados de imediato.
parceiro, com perguntas relevantes para Nesse caso, ajuste as metas para
direcionar o planejamento estratégico”, um cenário mais realista ou crie
afirma Rodrigues, da W/. objetivos intermediários.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 89


G E S TÃ O PLANEJAMENTO

6 CRIE PLANOS Depois de definir as prioridades e as estratégias que serão


implementadas, planeje como levar essas ações para o dia a

DE EXECUÇÃO dia da empresa. “Faça um portfólio de projetos, com metas,


orçamentos e atitudes que vão alicerçar cada um até chegar
aos resultados”, afirma o consultor Castello. Entre os
exemplos de projeto estão o redesenho da proposta de
valor do negócio, a implementação de novas estratégias
de marketing e alterações na estrutura da empresa.

!
Como os projetos tendem a envolver e impactar várias áreas da
empresa, é fundamental coordená-los para garantir a disponibilidade de
recursos e a execução na sequência correta. Para isso, crie cronogramas
interdependentes. “O planejamento só faz sentido com data e hora
marcadas para se concretizar”, diz Napole, da Kaiser Associates.

7 DETERMINE
METAS
Com base nos objetivos estratégicos, atribua metas. Por exemplo,
se o propósito é tornar a empresa menos dependente de um único
cliente, a meta pode ser conquistar outros 15, com o maior deles
respondendo por até 10% do faturamento. “A previsão deve se
basear no histórico de indicadores, investimentos, capacidades
já desenvolvidas, comportamento de mercado e cenário
econômico”, afirma o consultor Castello. Defina também quais
parâmetros serão usados para monitorar o avanço.

!
O grande erro do empreendedor é não ter métricas para fazer
comparações. “É fundamental possuir indicadores que já monitorem
determinado resultado para, então, propor um percentual de melhoria
no planejamento estratégico”, afirma Rodrigues, da W/.

8
Comunique a estratégia para a equipe. “Compartilhar o
plano com todos aumenta a percepção de valor do que
ENGAJE se produz e o sentido daquilo que se faz”, afirma Napole, da
Kaiser Associates. Se não tiverem essas informações, as pessoas
A EQUIPE não irão “comprar” a estratégia. “Vão executar apenas o que lhes
permite bater a própria meta, sem pensar nas mudanças
que deveriam construir o amanhã do negócio”, diz Castello.

!
Discuta a meta e seus desdobramentos com as pessoas que ficarão
responsáveis por atingi-la. Além disso, atribua um único dono para
cada ação. “Essa pessoa será responsável por garantir que o resultado
seja alcançado, o que não a impede de delegar ações do projeto”,
afirma Napole, da Kaiser. Para o consultor Castello, o senso de
responsabilidade tende a aumentar o engajamento.

90 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
9 10
ESTRATÉGIA
COMPARTILHADA
O primeiro planejamento

ACOMPANHE ESTIPULE estratégico da 100%


Amazônia, que cria e exporta

A EXECUÇÃO NOVAS METAS produtos com frutas,


castanhas e sementes da
DA ESTRATÉGIA Anualmente, revisite a estratégia e
acrescente novas metas alinhadas
floresta, foi feito quando a
empresa tinha 6 anos de
Seja fiel ao planejamento, com a visão de futuro da empresa. idade, em 2015. Até então,
seguindo de perto os indicadores. Por exemplo: se, no ano passado, toda a visão de futuro era da
Se possível, instale um software o objetivo era ampliar a força de sócia-fundadora Fernanda
de gestão para integrar todos os vendas com o desenvolvimento Stefani, 50 anos. A construção
dados e processos da empresa de representantes, para este ano, coletiva da estratégia
e fornecer parâmetros para inclua metas de faturamento para
começou com o envolvimento
acompanhar os resultados. eles. “A ideia é associar os
dos colaboradores na
Nomeie quem irá acompanhar objetivos a esforços já realizados,
esses resultados parciais. de modo a colher os frutos do internacionalização. “Do nível
investimento no médio prazo”, de coordenação em diante,
! afirma o consultor Castello. todos são convidados. Assim,
O planejamento deve ser dinâmico. antecipamos movimentos de
Se ocorrer um atraso na meta de ! mercado e reagimos com mais
faturamento, por exemplo, vale Ainda que se projetem resultados agilidade”, diz Fernanda. Dos 18
avaliar se o insucesso é apenas para horizontes mais longos — alguns funcionários, 30% participam
de curto prazo. “Pode ser que o de até cinco anos —, vale rever o do planejamento. A ideia é abrir
empreendedor esbarre em premissas planejamento estratégico anualmente. cinco escritórios em pontos
equivocadas, o que exigirá mudanças “As condições de mercado são
da Europa, Ásia e Oceania
táticas ou até um replanejamento”, dinâmicas e voláteis, com eleições,
para atender às vendas nos
afirma o consultor Castello. Também mudança na legislação e movimentos
será preciso intervir se fatores de mercado que tendem a afetar o
54 países que importam os
externos — como a crise política — negócio em ciclos mais curtos”, produtos da marca paraense.
impactarem o curso das estratégias. diz Rodrigues, da W/. O plano inicial era inaugurar
um por ano até 2020. “Mas
tivemos dificuldade em
encontrar sócios locais e
TRÊS FERRAMENTAS QUE AJUDAM O PLANEJAMENTO revisamos a meta, para um
a cada dois anos”, afirma
Fernanda. A primeira
inauguração, na Holanda, deve
ocorrer até o fim do ano.

ANÁLISE SWOT CINCO FORÇAS DE PORTER MAPA ESTRATÉGICO


Mostra os pontos fortes e Analisa os produtos O diagrama dá uma visão
fracos, as oportunidades e substitutos, o poder de rápida dos objetivos da
ameaças. “A análise ajuda a barganha dos fornecedores empresa. “É possível
orientar investimentos”, diz e dos clientes, a rivalidade extrair a relação de causa e
Marcelo Altoé, coordenador entre concorrentes e as efeito entre os elementos
da PEG (Parceria para barreiras de entrada. “Com do mapa — patrimônio
Estruturação da Gestão) base no que é uma ameaça, humano, processos internos,
da Fundação Dom Cabral. é possível reduzir riscos”, tecnologia, posicionamento,
A ferramenta evidencia os afirma Rodrigues, da W/ clientes e condição
riscos do mercado. Consultoria Empresarial. financeira”, diz Altoé.

SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 91


COMO EU FIZ ALIMENTAÇÃO ESPORTIVA

SUPLEMENTOS
EM REDE
Ao estabelecer parcerias estratégicas com uma rede de distribuidores nacionais e
internacionals, a Now! Nutrição Esportiva, fundada pelos irmãos Diego e Tiago Diniz,
se transformou em uma das maiores redes de suplementos alimentares do Brasil

Felipe Datt Fabiano Accorsi /Editora Globo

“Em 2004, eu cursava a faculdade de Direito e fa- portadores e distribuidores dos fabricantes na- EXPANSÃO
zia estágio no departamento jurídico do Bradesco. cionais, eliminando os intermediários. Com is- CONTROLADA
Diego Diniz
Mas estava em dúvida sobre o caminho a seguir: so, começamos a atender o mercado em geral. (à direita) e seu
ingressar como efetivo na área jurídica ou bus- Eu passei a revender suplementos para aproxi- irmão, Tiago:
car outros desafios? Na mesma época, meu irmão, madamente 120 academias na região de Osasco, meta é fechar
o ano com 25
Tiago Diniz, 37 anos, trabalhava como gerente além de farmácias e lojas especializadas que co- unidades nas
em uma agência bancária e queria mudar de área. meçavam a abrir as portas na região. Isso durou cidades de São
Juntos, decidimos abrir um negócio no varejo. quatro anos, até 2008. Paulo, Rio de
Janeiro e Belo
Como frequentávamos academia e tínhamos Mas, à medida que os negócios se diversifica- Horizonte
algum conhecimento de suplementos, aposta- ram, os problemas se multiplicaram. Naquele
mos no ramo de nutrição esportiva. Na época, ponto, éramos varejistas, distribuidores e im-
havia um grande espaço para o crescimento des- portadores. Fazíamos de tudo um pouco, mas
se mercado: as pessoas se preocupavam cada vez não fazíamos nada direito. Não havia foco nem
mais com saúde e bem-estar, e as academias es- preparação, estrutura ou pessoas treinadas pa-
tavam se popularizando em todo o país. ra atuar em diversas frentes. Um exemplo era o
Juntamos nossas economias e, com aproxi- nosso sistema de cobrança, que era falho. Sofrí-
madamente R$ 10 mil, abrimos, ainda em 2004, amos com a inadimplência das academias. Tam-
a Superman Suplementos Alimentares. Na épo- bém não tínhamos um centro de distribuição de
ca, a loja nada mais era do que um pequeno box produtos e de estoque de mercadorias, o que
de 9 m² localizado em uma galeria em Osasco, prejudicava o abastecimento. Um terceiro pro-
na Grande São Paulo. A escolha do local não foi blema foi que nós assumimos algumas das lojas
à toa. Depois de fazer algumas pesquisas, veri- que estavam com problemas financeiros. Inicial-
ficamos que a região era carente na área de nu- mente, eram nossas clientes. Com o tempo, não
trição esportiva: havia apenas uma loja especia- conseguiam mais pagar pelos pedidos e nos en-
lizada para atender a cidade inteira. Entramos tregavam a operação como pagamento da dívi-
em contato com os distribuidores nacionais de da. No fim, assumíamos uma loja endividada e
suplementos esportivos e com os importadores arcávamos com as dívidas junto aos fabricantes.
exclusivos de grandes marcas e demos início ao Em 2008, eu estava com nove lojas em operação
negócio. Éramos dois jovens — eu com 22 anos, por conta dos repasses.”
meu irmão com 23 —, e fazíamos de tudo. Tra-
balhávamos diariamente das 7h às 22h. No pri- EM BUSCA DA IDENTIDADE
meiro ano, o faturamento atingiu R$ 150 mil e “Costumo dizer que 90% das empresas que fe-
superou as nossas expectativas. Mas nem toda cham sabem exatamente quais são seus proble-
a história foi positiva.” mas, mas não fazem nada para resolvê-los. No
meu caso, a operação de varejo ia bem, mas ha-
DOIS PASSOS PARA TRÁS via inadimplência na distribuição e na impor-
“Seis meses depois de iniciar o negócio, ampliei tação. Era o momento de rever toda a estraté-
a atuação da Superman. Além de vender suple- gia, mudar o plano de negócios e focar em um
mentos, passamos a atuar também como im- crescimento estruturado. Desisti da importação

92 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
SETEMBRO, 2017 pequenas empresas & grandes negócios 93
COMO EU FIZ ALIMENTAÇÃO ESPORTIVA

e da distribuição e foquei 100% no varejo. Fe- PRATELEIRA


chei ou vendi todas as lojas compradas, que fica- Desde 2010,
vam na rua, e passei a abrir pontos de venda em as lojas da
rede vendem
shoppings, locais com maior fluxo de pessoas e a linha própria
melhor relação custo-benefício. da empresa,
Ainda em 2008, abri uma loja no Internacional a Evolution
Nutrition
Shopping Guarulhos. Havia uma estratégia clara:
em vez de optar pela ala de serviços, escondida
do público, escolhi um ponto ao lado do McDo-
nald’s. Naquela época, as pessoas não conhe-
ciam os suplementos e havia muito preconcei-
to. Muita gente achava que vendíamos bombas e
anabolizantes. Minha intenção era derrubar ta-
bus e informar melhor o público, mostrando os
suplementos como mercadorias convencionais,
como um tênis ou uma blusa. De cada dez clien-
tes que entravam na loja, oito procuravam infor-
mações sobre os produtos. Fizemos um grande
trabalho de educação do público, e a abundân-
cia de informação mudou o mercado ao longo
dos anos. A experiência foi positiva e, naque-
le mesmo ano, abrimos outras duas unidades,
no shopping Aricanduva e no Santana Parque
Shopping, sempre em corredores comuns e com
grande visibilidade, ao lado de varejistas como
Ponto Frio e M.Officer.”

REESTRUTURAÇÃO E FRANQUIAS
“Diferentemente do que ocorreu nos primeiros
anos de operação, dessa vez nos organizamos cisa ser sustentável para oferecer segurança aos OS NÚMEROS
para crescer de maneira estruturada e profissio- franqueados. Aprendi que tudo precisa ser mui-
nal. Até 2010, nos concentramos na estrutura- to bem estruturado, do controle de estoque ao DA NOW!
treinamento de funcionários.
ção das três lojas e investimos em sistemas. Ini-
ciamos um trabalho mais apurado de seleção de Quando o primeiro franqueado ingressou na R$ milhões 13
pessoas, treinamento de funcionários e aumen- rede, há três anos, eu já tinha seis lojas em ope- foi o fatura-
to do mix de produtos. Hoje, são mais de 2.100 ração, todas próprias. No ano passado, inaugu- mento da
Now! em 2016
itens no portfólio, de 32 fornecedores homologa- ramos um centro de distribuição com mais de
dos. Em 2010, lançamos nossa marca própria de mil metros quadrados no Shopping Leste Ari-
produtos, a Evolution Nutrition, que possui atu-
almente 36 itens, como whey protein, glutamina
canduva. Hoje, a Now! possui dez lojas próprias R$ 20
e quatro franqueadas, e pretendemos fechar o é a expectativa
milhões
e termogênicos, que aumentam nossa margem ano com 25 unidades. A franquia permite à marca, de faturamento
de lucro. A produção é terceirizada e as vendas que sempre atuou em cidades da região metro- para 2017
já respondem por 14% do faturamento.
Após esse processo de estruturação, decidi-
politana, chegar em shoppings de grandes capi-
tais como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Ge- 2.100
mos que era hora de expandir. Ainda em 2010, rais. Em 2016, o faturamento da rede foi de R$ 13 é o número
contratamos a consultoria ba}STOCKLER para milhões. Para 2017, nossa expectativa é chegar de itens no
portfólio
a formatação da nossa rede de franquias. Deci- a R$ 20 milhões. Vamos deixar de lado a estra- da rede
dimos também mudar o nome para Now! Nutri- tégia mais conservadora dos últimos anos para
ção Esportiva. Isso ocorreu porque Superman é atingir cem lojas em operação em 2020. Nos es-
uma marca notória e não poderia ser registrada truturamos para crescer e atender aos franque-
na Associação Brasileira de Franchising [ABF]. ados, e há fôlego para isso. A meta é nos tornar-
Mesmo com a franquia formatada, crescemos mos a maior rede de nutrição esportiva do Bra-
apenas com lojas próprias até 2014. A marca pre- sil. Já estamos entre as três maiores.”

94 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017


www . revistapegn . com . br
PARCERIA:

Nas bancas, |
tablets e
smartphones
WWW.HOMETEKA.COM.BR/CASAEJARDIM
(11) 2287-6450 www.craftcom.com.br

LOTOMANIA LOTOFÁCIL
Aposte na Loto mania com o nos- 20 grupos que garantem 14 pon-
so Kit que inclui um esquema que tos em todos os sorteios da Loto-
foi premiado com 20 pontos + de facil. Até o concurso 1.549 este es-
200 vezes. Vlr aposta R$ 9,00 a R$ quema já acertou 15 pontos, 519
75,00. Infs: nikplusss@gmail.com vezes. Retire grátis em nosso site
Tls. 11 4048.1012 • 9.8124.2179 www.cadernodasloterias.com.br
As mensagens dos anunciantes da Revista PEGN são de responsabilidade de quem as assina. craft.com.br • 11 2287.6450
Franquias em Destaque
| Publicitário
V I D A D I G I TA L Thomaz Gomes

@ Caio Bonatto
Fundador da Tecverde, empresa especializada em construções sustentáveis, o empreendedor paranaense
alterna uma postura reservada em redes sociais com uma atividade intensa nos aplicativos de mensagem

SOCIAL, MAS NEM TANTO


Facebook
UM OLHO NA
TIMELINE...
“Não costumo publicar
Manda um Zap?
“O WhatsApp ocupa um
muita coisa. Prefiro não me papel central na minha
expor em redes sociais. Mas vida. Virou a minha
entro todo dia para ficar principal ferramenta
por dentro do que meus de comunicação para
amigos e minha família momentos de trabalho
estão fazendo. O legal do e de diversão”
Facebook é acompanhar
essas conexões de Pessoa Jurídica
amizade. Por isso evito “Temos grupos de
compartilhar muitas gerentes e de conselheiros
notícias sobre a Tecverde. da empresa. Recebo
Tento não misturar a vida até relatórios de
pessoal e a profissional” obras no aplicativo.
O WhatsApp ajuda a
deixar a comunicação
entre as pessoas mais

LinkedIn direta e informal”


Pessoa Física
...E OUTRO NO INBOX “Tem sempre aquele
“O meu perfil é simples grupo de família onde as
e direto. Não publico pessoas passam metade
artigos nem participo de do tempo se dando
grupos de discussões. ‘bom dia’. Também tem
A finalidade é receber aqueles onde pintam
mensagens profissionais. aquelas piadas mais
Estou lá para qualquer pesadas [risos]. No fim
pessoa que quiser falar das contas, precisei
comigo sobre negócios” silenciar todos eles para
não perder o foco com o
volume de mensagens”

“O MEU SPOTIFY ESTÁ SINTONIZADO


NAS PLAYLISTS DE BLUES. NÃO ESTOU
OUVINDO NENHUM ARTISTA ESPECÍFICO.
GOSTO MAIS DE USAR O ALGORITMO DO
APLICATIVO PARA DESCOBRIR NOVAS
SESSÃO GOURMET BANDAS E MÚSICAS”
“Assino diversos
serviços de streaming.
Prefiro assistir a filmes
e documentários. Um
dos meus preferidos
é o Chef’s Table [série
documental que
Vale o download
apresenta a rotina
de grandes chefs
de cozinha]. Acho o FEEDLY WAVES HEADSPACE
programa animal.
“Acompanho diversos sites de “Gosto de surfar. O aplicativo traz “Um guia digital que traz centenas
Adoro gastronomia.
negócios e empreendedorismo. notícias do esporte e previsões de de sessões e dicas de meditação.
Quase larguei a
Trata-se de uma ótima ferramenta ondas. Entro diariamente para checar É possível escolher entre módulos
engenharia para seguir
para organizar várias fontes de as ondulações — e ver o que estou para reduzir o estresse ou dormir
a carreira de chef”
conteúdo em apenas um local” perdendo quando estou fora do mar” melhor, por exemplo”

98 pequenas empresas & grandes negócios SETEMBRO, 2017 FOTO: DIVULGAÇÃO

www . revistapegn . com . br