Você está na página 1de 4

Conheça alguns pratos DATAS COMEMORATIVAS

especiais da cozinha campeira 1º - Dia Internacional da Proteção Civil


02 – Dia da Oração / Dia Nacional do Turismo
03 – Dia do Meteorologista
04 – Dia Mundial da Oração
Foto: MdeMulher

05 – Dia do Filatelista Brasileiro


06 – Dia Internacional do Optometrista
07 – Dia dos Fuzileiros Navais
08 – Dia Internacional da Mulher / Dia da
Criação da Casa da Moeda do Brasil (1694)
09 – Dia Internacional do DJ
10 – Dia do Sogro / Dia do Telefone
11 – Dia Internacional das Vítimas
do Terrorismo
12 – Dia do Bibliotecário
13 – Dia do Conservadorismo
14 – Dia do Vendedor de Livros /
Dia dos animais / Dia nacional da Poesia
15 – Dia Mundial do Consumidor /
Dia da escola
16 – Dia nacional da Conscientização sobre
as Mudanças Climáticas / Dia Nacional do
Almôndegas de Charque Fervido Ouvidor

Existem dois tipos: charque picado com tou- É um sopão com muito vegetal e osso com 18 – Dia nacional da Imigração Judaica /
cinho e charque desfiado, passado em ovos e fa- Dia do DeMolay
carne, sobretudo o caracu, com um tutano grosso
rinha de mandioca. Esta última, em Palmares do e saboroso. Retira-se com escumadeira as partes 19 – Dia de São José / Dia do carpinteiro /
Sul, é chamada “almôndega da tia Ricarda”. sólidas e o caldo grosso e espesso é mexido com Dia do marceneiro
farinha de mandioca. O fervido tem um leve pa- 20 – Início do Outono /
Engasga-gato rentesco com o cozido português, mas nada a ver Dia do Contador de Histórias
Ensopado com pedaços de charque da manta com o puchero. 21 – Dia Internacional Contra a
da barrigueira, exclusivamente. Discriminação Racial / Dia Internacional da
Puchero Síndrome de Down / Dia Universal do Teatro
Cola-gaita 22 – Dia Mundial da Água
É um sopão com muito vegetal e carne de pei-
Ensopado e pirão de farinha de mandioca to (às vezes com costela e até linguiça) mas sem 23 – Dia Mundial da Meteorologia
com espinhaço de ovelha. tutano e sem pirão. Um sopão, no mais. 25 – Dia Internacional da Solidariedade
da Pessoa Detenta ou Desaparecida /
Cadela-Oveira Sorda Dia Nacional do Oficial de Justiça /
Refogado que se faz, de manhã cedo, na re- Dia nacional do Orgulho Gay
Prato comum na região do Litoral norte do Es-
gião de Viamão até Palmares do Sul e Mostar- tado, Palmares do Sul e Mostardas. É de origem 26 – Dia do Cacau
das (sobretudo para a peonada e safristas) com açoriana, a sorda o sopa d’sorda. Tem caldo, leva 27 – Dia do Circo
restos de comida da noite anterior. Frita-se uma muitos vegetais, linguiça (ou peixe, ou até car-
28 – Dia do Diagramador / Dia do Revisor
cebola na gordura e aí se põe o que sobrou do ne), uma parte de pirão, ovos duros derramados
feijão, do arroz, da massa, da carne, tudo bem 29 – Primeiro voo no Rio de Janeiro de um
diretamente no caldo que sobra, ou no pirão e
mexido, às vezes até com farinha de mandioca e balão dirigível Le Victória (1882)
tempero verde, ainda, por cima.
ovos. Come-se com o café da manhã. 30 – Sexta-feira Santa / Dia Mundial da
Juventude
Cabo-de-relho (Fonte: Curso de Tradicionalismo Gaúcho, 31 – Aniversário do Golpe Militar (1964) /
Quase o mesmo que Cadela-oveira, mas na Antonio Augusto Fagundes, 3ª Edição, Martins Dia da Integração Nacional /
Fronteira Oeste. Livreiro – Editor) Dia da Saúde e Nutrição
2 - ECO DA TRADIÇÃO março de 2018

CRUZADINHA

1 - O_____________ é um instrumento de car- 7 - O primeiro Congresso Tradicionalista foi 14 - Sociedade fundada em 1868, reunindo
pintaria, mas desde muito tempo aparece como realizado na cidade de _________ intelectuais e escritores, abolicionistas e re-
instrumento musical no RS. publicanos e onde surgiram as primeiras obras
8 - Pico do Monte _________ é o ponto mais alto
2 - _____________ é o mais antigo instrumento do RS. literárias valorizado o gaúcho, sua história e
musical que se tem notícia, entre os gaúchos. 9 - Lagoa que recolhe as águas do rio Jaguarão. suas tradições.
3 - A _________é o canto de improviso típico do 10 - Fundador da primeira Charqueada, em
RS. Pelotas. 15 - Logo após a fundação do 35 CTG e para fa-
zer frente às despesas foi criada a _____________
4 – A cidade que receberá o próximo Congresso 11 - Local onde foi instalada a terceira Capital
Tradicionalista Gaúcho, em janeiro de 2019, é onde os presentes depositavam a sua colabora-
Farroupilha.
__________________. ção em dinheiro que, após a reunião, era conta-
12 - Local onde foi proclamada a República do e registrado em Ata.
5 – ___________ é a ciência que estuda a cultura Rio-grandense.
espontânea do grupo social.
13 - Na Guerra do Paraguai o exército brasileiro 16 - A conhecida canção Negrinho do Pastoreio
6 - Gado que não tinha marca nem sinais, ficou contou com grande participação dos gaúchos
é de autoria de_________________
também chamado_______ integrando o corpo de___________

15

7 10 9 8 G

1 3

11 2 4 5

16 L I A R O S R O A E A

13 T
12
I
14
N

15. Guampa de Apojo; 16. Barbosa Lessa


Alegrete; 12. Campo do Seival; 13. Voluntários da Pátria; 14. Partenon Literário;
Maria; 8. Pico do Monte Negro; 9. Laboa Mirim; 10. Domingos José Martins; 11.
1. Serrote; 2. Viola; 3. Trova; 4. São Borja; 5. Folclore; 6. Gado orelhano; 7. Santa
Respostas:

EXPEDIENTE Informativo integrante do Eco da Tradição, edição 198, de fevereiro de 2018. Publicação da Vice-presidência de Cultura do Movi-
mento Tradicionalista Gaúcho. Responsabilidade técnica: Jane Bitsck. Colaboradores: Lourenço Nunes e Roberta Jacinto.
ano XVII • edição 199 ECO DA TRADIÇÃO - 3

INDUMENTÁRIA HISTÓRIA

A pilcha para Os imigrantes


atividades campeiras italianos
Entre as datas comemorativas Católicos fervorosos, conser-
Foto: Mauro Heinrich

do mês de fevereiro, encontramos vavam seus hábitos religiosos de


o dia 21, Dia Nacional do Imigrante rezar o terço, assistir à missa, acom-
Italiano. Em 1875, a corrente migra- panhar procissões etc... e, por este
tória iniciava seu destino em terras motivo suas festas possuem cará-
ter religioso: procissão de Corpus
rio-grandenses. Vindas de diversas
Chistie, Romaria de Nossa Senhora
regiões da Itália e falando múltiplos
do Caravaggio, Festa da Colheita,
dialetos, levas de imigrantes busca- esta última animada por corais fa-
ram terras para o cultivo. miliares. Nas estradas, da região co-
Localizaram-se na região Serra- lonial, situam-se inúmeros capitéis
na (Encosta Superior do Nordeste). (capelinhas) em homenagem aos
Enquanto as casas estavam em fase mais diversos padroeiros.
de construção as famílias permane- Apreciadores da boa mesa im-
ciam num barracão coletivo. Cons- plantaram, na região serrana, seus
truíram suas casas nas encostas com hábitos alimentares, onde as mas-
um grande porão, utilizado para de- sas com espessos molhos aparecem
pósito e cantina. Na parte superior com destaque; spaguetti, agnolini,
tortei, gnochi, capelleti são alguns
ficava a residência; no sótão guar-
Em março acontece o maior ser liso ou riscado discreto. De- dos nomes que aparecem nos car-
davam-se os cereais e mantimen-
evento de cunho campeiro, a Festa vemos ter atenção especial com dápios ao lado da tradicional polen-
tos, protegidos das intempéries. A ta, acompanhados de carne lessa,
Campeira do Estado do Rio Grande as cores, que devem ser sóbrias,
do Sul – FECARS e através de suas claras ou neutras, preferencial- cozinha, construía-se separada da brodo (caldo de galinha), carne de
finalidades devemos preservar os mente branca, evitando sempre casa a fim de se evitarem incêndios. porco e o galeto.
costumes, as tradições e o folclore cores agressivas contrastantes. Ligava-se a esta, por um alpendre.
Entre seus costumes obser-
do povo gaúcho, divulgar os hábi- As camisetas de malha ou cami- Faziam cobertura com “aduelas” ou
vam-se os filós (serões), espécie
tos próprios do campeiro rio-gran- sas de gola polo são exclusiva- “scandolas” (tabuinhas) e os beirais
de mutirão para tarefas conjuntas,
dense, valorizar e demonstrar as mente para situações informais e enfeitados por lambrequins artisti- comemoração de alguma data ou
habilidades campeiras, protegen- não representativas. camente recortados. fato (nascimento, batizado, aniver-
do o homem rural e respeitando • A faixa é de uso opcional, mas sário, etr.).
Dedicaram-se à agricultura, em
as características regionais. E nada quando usada deve ter de largura
mais autêntico do que a nossa in- especial à vinicultura. De seu arte- (Fonte: RGS Aspectos do Folclo-
de 10 a 12 cm e as cores de forma sanato destacam-se a confecção de
dumentária. re: Lilian Argentina B. Marques e
lisa, vermelha ou preta de for de
gaitas, garrafões de vidro e traba- outros. 3ª Edição. Martins Livreiro
Dessa forma, vamos rever o que lã; bege cru se for de algodão.
lhos em vime. – Editor)
diz nossa diretriz sobre a pilcha a • O chapéu deve ser de feltro ou
ser utilizadas para atividades cam- pelo de lebre com abas a partir
peiras: de 6 cm, sendo a copa de acordo
• Bombachas: Um dos itens mais com as características regionais
importantes de nossa vestimen- e o barbicacho de couro ou cri-
ta, deve ser observado em todas na, podendo ter algum enfeite
suas características, mas princi- de metal e/ou fivela para regula-
palmente sua largura. Deve coin- gem.
cidir a largura da perna com a lar- • O uso da faca nas provas campei-
gura da cintura, de tal forma que ras é de uso opcional para todas
não seja confundida com uma as categorias, mas é vedado para
calça, sendo o modelo ideal cós a prova de gineteada e para me-
largo sem alças, dois bolsos na nores de 15 anos de idade.
lateral, com punho abotoado no
• Os lenços podem ser das cores
tornozelo, com ou sem favos. Os
vermelho branco, azul, verde,
tecidos devem ser brim (não je-
amarelo e carijó (nas cores cita-
Acervo: Museu Municipal de Caxias do Sul

ans), sarja (lã), algodão e Oxford.


das e ainda, marrom e cinza) e
Suas cores devem ser sóbrias ou independente do nó escolhido
neutras, tais como marrom, bege, o tamanho deve ser 25 centíme-
cinza, azul-marinho, verde-es- tros a partir deste.
curo, branca, fugindo as cores
Foto: Domingos Mancuso

agressivas. “Devemos, hoje, romper as ma-


neias dos interesses modernistas,
• Camisas: Para atividades cam- prestigiando nossa pilcha, na sua
peiras é permitido o uso da simplicidade e conforto indiscutí-
camisa manga longa ou curta, veis.”
preferencialmente com os se-
guintes tecidos: algodão, tricoli-
ne, viscose, linho, microfibra (não Marco Antônio Souza Saldanha
transparente) e oxford, podendo Júnior e Bianca Correia Saldanha
Italianos - Cena perfeita da vida colonial. Família Boff. Caxias do Sul - 1904
ECO DA TRADIÇÃO março de 2018

FOLCLORE

A experiência, legado e conselho de pai e filho


vencedores do Entrevero Cultural de Peões
Ernani de Oliveira Nunes é do cargo é recente. Uns ou outros re-
PL Timbauva, do município de Por- gulamentos alterados. A questão
tão, na 15ª Região Tradicionalis- da obrigatoriedade da declamação
ta. Foi Peão Farroupilha do RS na que acabou saindo em Convenção,
Gestão 1990/1991. Ernani é pai bem como a opção de escolher as
de Lourenço de Oliveira Nunes, do danças gaúchas de salão, que an-
CTG Aldeia dos Anjos, de Gravataí, tes eram sorteadas. As provas cam-
na 1ª Região Tradicionalista. Lou- peiras de ferrar e de pealar tam-
renço foi Guri Farroupilha do RS bém foram extintas, o número de
2011/2012 e Peão Farroupilha do músicos e o tempo para algumas
RS 2015/2016. Nesta entrevisa, provas, no mais acho que o concur-
ambos falam de sua experiência so se mantém o mesmo.
como vencedores do Entrevero
Cultural de Peões e legados para a Que mensagem vocês deixam
vida. aos participantes do próximo En-
trevero Cultural de Peões e aos fu-
turos Peões do Rio Grande do Sul?
Desde quando o tradicionalis-
mo faz parte da tua vida? Ernani e Lourenço: parceiros no tradicionalismo e na vida. Foto: TV Tradição Lourenço: Que aproveitem este
momento o máximo que puderem,
Ernani: Desde os meus 06 anos Lourenço: Com certeza. Entrei mais pesada do que hoje, pois se pois ele é único em nossa vida e
de idade, quando meu pai, o Sr. Ar- para o primeiro Entrevero em 2011, buscava naquele momento uma certamente o enriquecimento cul-
gemiro Nunes, ingressou no Movi- sem conhecer quase nada sobre o afirmação para um concurso, que tural que vocês vão adquirir irá
mento, vindo mais tarde a fundar nosso Movimento. Pude aprender ao mesmo tempo que entusiasma- lhes acompanhar pelo resto de
o Piquete de Laçadores Timbaúva. muito a partir daquele momento. va a peonada também assustava, suas vidas. Além do mais, neste
Lourenço: Desde a infância. Ain- O período enquanto Peão e Guri pois eram muitas provas que ti- momento em que a nossa socieda-
da bebê, acompanhava meus pais do estado, além de me trazer inú- nham que ser realizadas, sem uma de é alvejada com tantas transfor-
nos acampamentos em rodeios meras oportunidades e vivências, preparação prévia, pois era tudo mações, que confundem a cabeça
campeiros e cresci vivenciando as trouxe também muitas responsa- muito novo. Os primeiros peões da gente, é necessário estar aten-
práticas tradicionalistas que sem- bilidades e um aprendizado que se serviram de modelo e tinham que to a tudo e a todos para combater
pre estiveram presente em minha fez permanente. Foi momento de alicerçar e alicerçaram esta estru- aquilo que nos é nocivo, e apto
aproximação com pessoas, entida- tura que com o passar dos anos para extrair dos mais experientes
família, desde os tempos do meu
des e situações importantes, que se solidificou e hoje é uma grata o suprassumo da conduta de uma
avô.
serviram de exemplo tanto para realidade. Lembro que o departa- vida exemplar, e modelar-se de
minha vida tradicionalista quanto mento jovem daquela época tinha bons costumes e valores, para um
O fato de ter sido Peão farrou-
a pessoal. Foi um período de evo- uma certa preocupação de que o dia nos orgulharmos de nossos ras-
pilha do RS proporcionou mudan-
lução, de viver cada momento e concurso de peões não poderia pa- tros, que certamente serão segui-
ças significativas na tua vida, ou
principalmente de aproveitar e re- recer em nada com o concurso de dos pelos que vêm na culatra da
na tua maneira de ser e ver a as
fletir tudo isso para o cotidiano. O prendas, para evitar interpretações tropa do tempo.
coisas do cotidiano?
saber se portar, lidar com situações equivocadas que pudessem man-
Ernani: Eu deixo uma mensa-
Ernani: Sim, acho que na época adversas, ouvir opiniões distintas, char a sequência do concurso uma
gem bem simples, mas que penso
eu era apenas um jovem nativista liderar, e sempre respeitar tudo e vez que ambos eram realizados
ser fundamental. Participem deste
apaixonado pela lida campeira e todos, enfrentando todos os desa- juntos no mesmo final de semana.
concurso com o intuito de cultivar
pela parte artística, porém não di- fios com muita seriedade e com- Naquela época se premiava um
a sua essência tradicionalista, o
mensionava o quanto era grande prometimento. peão único e exclusivo, e este de-
espírito jovem, a boa liderança, o
este Movimento, e tamanha sua veria servir de modelo do homem
desenvolvimento de projetos, as
importância dentro da sociedade. Comparando o teu tempo de gaúcho. Outra diferença foram as
amizades adquiridas, os momen-
Muito aprendi com este concurso Peão Farroupilha com o momento provas, que com o passar do tempo
tos proporcionados. O que vem
e a partir dele comecei a me in- atual, você aponta alguma dife- houve um enxugamento para faci-
depois não é o mais importante. O
teirar da causa e ver o movimen- rença significativa? Quais seriam litar a realização do concurso por
status, o ‘cargo’ em si, de nada va-
to de uma forma diferente. Desde estas diferenças e na tua opinião ambas as partes, de quem participa
lem e não serão lembrados se por
então sempre fui um divulgador e por que elas acontecem? e de quem organiza. Lembro que
trás disso não houver empenho
defensor das normas, das regras na época em que participei havia a
Ernani: É difícil comparar estes e um trabalho realizado com res-
e diretrizes, mesmo às vezes não prova de alambrado, de carneação,
dois momentos, até porque no iní- ponsabilidade. As gerações futuras
da ordenha, da gineteada, entre
concordando com algumas, mas cio do concurso havia uma grande traçarão os rumos que este Movi-
outras...
sendo sabedor da necessidade de preocupação, e uma grande expec- mento seguirá nos próximos anos.
preservar nossos costumes e valo- tativa, quanto à continuidade. Ha- Lourenço: Acredito que não E os exemplos são aqueles que se-
res sempre buscando a proximida- via muitas incertezas e uma tarefa foram muitas as mudanças, até rão seguidos, então deixem bons
de com a autenticidade. para nós, peões, acredito que bem porque o período que estive no exemplos.

Interesses relacionados