Você está na página 1de 2

Anatomia do Aparelho Locomotor simpática não-contrabalanceada pelas fibras parassimpáticas lesadas.

Nervos cranianos
NC IV (n. troclear)
(versão 2012.2)
Origem encefálica: tronco encefálico.

Alberto Alcântara da Silva Filho Origem craniana: fissura orbital superior [do esfenóide].

FMB - UFBA 2009.1 Função: Motricidade do m. oblíquo superior.

Sintomas e sinais de lesão: diplopia, dificuldades em abaixar o olho,


quando este está em adução.

Observações preliminares:

Origem encefálica diz respeito à parte do SNC que originou o nervo.


NC V (n. trigêmeo)
Observe que apenas os dois primeiros pares são originados no cérebro
(NC I, no telencéfalo; NC II, no diencéfalo): os demais ( NC III-XII) são Origem encefálica: tronco encefálico.
originados no tronco encefálico. Origem craniana diz respeito ao
acidente pelo qual o nervo deixa o crânio. Primei por valorizar apenas Origem craniana:
os sintomas associados ao que interessa mais ao nosso curso, que é a
motricidade e sensibilidade. Optei por ignorar os detalhes que não  NC V1 (ramo oftálmico): fissura orbital superior [do esfenóide].
dizem respeito a essas duas vertentes. Campo nasal diz respeito à  NC V2 (ramo maxilar):forame redondo [do esfenóide].
porção da visão mais próxima do nariz, enquanto que campo temporal  NC V3 (ramo mandibular): forame oval [do esfenóide].
diz respeito à porção externa, lateral, da visão. Para fi o Para não esquecer: lembre que o oftálmico tem a ver com a
região próxima do olho (daí atravessar a fissura orbital
superior junto com os pares III, IV e VI); o nervo maxilar é
mais superior (tá mais próximo do “nariz”, e o nariz é
NC I (n. olfatório) redondo. Logo, o n. maxilar atravessa o forame redondo); o
nervo mandibular tá mais embaixo (tá mais próximo da
Origem encefálica: telencéfalo.
“boca”, e a boca é oval. Logo, o n. mandibular atravessa o
forame oval).
Origem craniana: lâmina cribiforme [do etmóide].
Função: Sensibilidade térmica-dolorosa da face. Sensibilidade térmica-
Função: Sensibilidade somática especial da olfação.
dolorosa dos 2/3 anteriores da língua. Motricidade dos mm. da
mastigação (temporal, masseter e pterigóideos [medial e lateral]), milo-
Teste: Com o paciente de olhos fechados e com a narina não testada
hióideo, ventre anterior do digástrico e tensor do tímpano.
“tampada”, fornecer cheiros simples e não irritantes (ex: café, canela).

Sintomas e sinais de lesão: NC V1: hipoestesia (diminuição da


Sintomas e sinais de lesão: Anosmia.
sensibilidade) da porção superior da face; NC V2: hipoestesia da região
infra-orbital e malar; NC V3: hipoestesia da região infra-malar e
mentual. Paresia (fraqueza) dos músculos mastigatórios homo-laterais
NC II (n. óptico)  desvio da mandíbula para o lado afetado. Ligeira queda da
mandíbula. Diminuição da sensibilidade térmico-dolorosa dos 2/3
Origem encefálica: diencéfalo. anteriores da língua.

Origem craniana: canal óptico [do esfenóide].

Função: Sensibilidade visceral especial da visão. NC VI (n. abducente)

Sintomas e sinais de lesão: Cegueira homolateral. Origem encefálica: tronco encefálico.

Origem craniana: fissura orbital superior [do esfenóide].

NC III (n. oculomotor) Função: Motricidade do m. reto lateral.

Origem encefálica: tronco encefálico. Sintomas e sinais de lesão: estrabismo convergente homolateral,
devido à contração não contrabalanceada do m. reto medial não
Origem craniana: fissura orbital superior [do esfenóide]. lesado.

Função: Motricidade dos mm. reto inferior, reto medial, reto superior,
oblíquo inferior e levantador da pálpebra superior. Inervação dos mm.
ciliar e constrictor da pupila. NC VII (n. facial)

Sintomas e sinais de lesão: ofltamoparesia, ptose (queda) palpebral Origem encefálica: tronco encefálico.
(pela fraqueza do m. levantador da pálpebra superior), estrabismo
divergente inferior (ou seja: em direção ao campo inferior+temporal), Origem craniana: forame estilomastóideo (atravessa, antes, o meato
devido às contrações não contrabalanceadas dos mm. reto lateral e acústico interno) [do temporal].
oblíquo superior não lesados. Midríase (dilatação pupilar) devido à ação
Função: Motricidade dos mm. mímicos, ventre posterior do digástrico, NC XI (n. acessório)
estapédio, platisma e estilo-hióideo. Sensibilidade visceral especial da
gustação dos 2/3 anteriores da língua. Inervação das gll. lacrimal, Origem encefálica: tronco encefálico.
submandibular e sublingual.
Origem craniana: forame jugular [dos ossos occipital e temporal].
Teste: Avaliar mobilidade, tônus e simetria faciais. Discreta assimetria
não é necessariamente patológica: comparar com foto antiga (da Função: Motricidade dos mm. trapézio e esternocleidomastóideo.
carteira de motorista, por exemplo) pode ajudar a esclarecer se se trata
de um traço genuíno. Pedir para o paciente enrugar a fronte, fechar os Sintomas e sinais de lesão: Paresia de mm. trapézio e
olhos e mover seus músculos faciais. Testar a sensibilidade da porção esternocleidomastóideo. Não há paralisia total, mesmo com a total
anterior da língua com chumaços de algodão embebidos em soluções lesão do nervo, porque esses músculos recebem inervação, também, de
de gostos diversos. fibras de nervos da medula espinal.

Sintomas e sinais de lesão: no/depois do forame es-tilomastóideo:


paresia da musculatura mímica homolateral. Quando o paciente tenta
NC XII (n. hipoglosso)
fechar os olhos, seus olhos rolam para cima (fenômeno de Bell). Antes:
anterior + diminuição da sensibili-dade gustatória dos 2/3 anteriores da
Origem encefálica: tronco encefálico.
língua + boca e olho secos. Hiperacusia.
Origem craniana: canal do hipoglosso [do occipital].

Função: Motricidade dos mm. extrínsecos da língua.


NC VIII (n. vestibulo-coclear)
Teste: Avaliar a língua para ver se há atrofia ou fasciculações em
Origem encefálica: tronco encefálico.
repouso e à protusão. Reparar se há desvio da língua à protusão.
Origem craniana: não tem (penetra no meato acústico interno e
Sintomas e sinais de lesão: desvio da língua para o lado afetado
permanece no interior do osso temporal).
(sinal do “carrinho-de-mão”), quando esta é protraída. A explicação
envolve músculos da faringe, e será discutida em neuroanatomia.
Função:

 Parte vestibular: equilíbrio e orientação do corpo. Detalhes


em neuroanatomia.
 Parte coclear: sensibilidade especial da audição.

Sintomas e sinais de lesão: Hipoacusia (diminuição da sensibilidade


auditiva), síndromes vestibulares diversas. Os detalhes serão discutidos
em neuroanatomia.

NC IX (n. glossofaríngeo)

Origem encefálica: tronco encefálico.

Origem craniana: forame jugular [dos ossos occipital e temporal].

Função: sensibilidades térmica-dolorosa E especial da gustação do 1/3


posterior da língua. Motricidade dos mm. constrictor superior da faringe
estilofaríngeo. Inervação da gl. parótida.

Sintomas e sinais de lesão: perda de sensibilidade térmico-dolorosa


e gustatória do 1/3 posterior da língua. O resto será discutido em
neuroanatomia.

NC X (n. vago)

Origem encefálica: tronco encefálico.

Origem craniana: forame jugular [dos ossos occipital e temporal].

Função: Transmite aproximadamente 75% das fibras parassimpáticas


do corpo. Motricidade dos mm. constrictores médio e inferior da
faringe, bem como de músculos da laringe. Detalhes em
neuroanatomia.

Sintomas e sinais de lesão: Serão discutidos em neuroanatomia.