Você está na página 1de 14

26/03/2013

Universidade Federal de Viçosa 1. EMBALAGENS METÁLICAS:


– Campus Rio Paranaíba
O que é metal
Tipos de metal: Ferrosos: aço e ferro fundido
Não – ferrosos: alumínio, o cobre, o zinco
Embalagens metálicas

1.1 Materiais metálicos para embalagens de alimentos

 Aço

Profa. Marali Vilela Dias  Alumínio


CAL490: Embalagem de Alimentos

Embalagens metálicas  Aço-base:


- Definição
- Proteger e conservar o produtos;
- Obtenção: ferro gusa Oxidação: Carbono e impurezas
- Resistir a ações químicas dos alimentos;
- Função: resistência
- Resistir as condições de processamento e manuseio;
- Usado como matéria-prima:
- Resistir as condições ambientais externas;
Folha de flandres
- Ter dimensões corretas e habilidade de acondicionar outros
Folha cromada
alimentos;
Folha stancrom
- Ter as propriedades de exposição;
Folha não revestida
- Ser de fácil abertura e remoção;
- Construída de matérias-primas renováveis.

Aço base

Pontos fortes das embalagens metálicas


Embalagens de aço
- Barreira à luz, gases, aromas e odores
Aço base (aço carbono) - Hermeticidade, inviolabilidade
-Fabricado pela Companhia Siderúrgica Nacional - CSN - Resistência térmica
(fardos ou bobinas) desde 1946
- Resistência mecânica
-Responsável pela resistência, dureza e espessura
- Versatilidade de formatos e tamanhos
-Tipo MR, D e L
- Resistência aos insetos e roedores
- Reciclabilidade
- Velocidade de fabricação
- Resistência ao vácuo e à pressão interna

1
26/03/2013

Aço base
Pontos fracos das embalagens metálicas Tabela – Especificações dos aços utilizados na fabricação
de folha-de-flandres (% máxima de cada elemento na composição)

- Corrosão interna e externa

- Sulfuração

- Não visualização do produto

- Tampa convencional de difícil abertura

- Não apropriada para uso em microondas

- Maior custo e peso, em relação às embalagens plásticas (exceto


alumínio)

- Defeitos no fechamento
PRODUTOS POUCO AGRESSIVOS MAIOR RES. MECÂNICA CONVENCIONAL

PRODUTOS COM ALTA CORROSIVIDADE

Aço base Aço base


Aço base Embalagens metálicas de aço:

Resistência mecânica da lata: relacionada à sua dureza e 1. Folha de flandres (FF) e Folha de flandres passivada
espessura. Aplicação: uso para alimentos em geral: sulfurosos, ácidos agressivos
Composição x propriedades mecânicas e resistência a
corrosão:
Carbono Diminui a flexibilidade
Aumenta a rigidez e reduz a
Fósforo
resistência à corrosão
Enxofre Acelera a corrosão
Compensa o efeito maléfico do
Manganês
enxofre
Aumenta a rigidez e a resistência à
Nitrogênio
corrosão

Aço base Aço base

INTRODUÇÃO DA FOLHA DE AÇO Folha de flandres


BASE NA LINHA DE PRODUÇÃO
FOLHA-DE-FLANDRES
ESPESSURA
PROCESSO DE LIMPEZA
(SOLUÇÃO ALCALINA E ÁCIDA)
Relacionada com as características mecânicas da folha e as
dimensões do fecho das latas (recravação)
ELETRODEPOSIÇÃO DE ESTANHO
(PROCESSO ELETROLÍTICO)

FUSÃO DO REVESTIMENTO TENDÊNCIA  produção de latas de menor espessura  competição


(FORMAÇÃO DA LIGA FeSn) com plástico

PASSIVAÇÃO (PROCESSOS QUÍMICOS E Aplicação: Latas de 3 e de 2 peças  diversas


ELETROQUÍMICOS)

OLEAMENTO

Figura 2 – Fluxograma de produção das Folhas de Flandres

2
26/03/2013

Aço base Aço base

 Revestimento de estanho (Sn)


Eletrodeposição: Revestimento de estanho
Formas do Sn: • revestimento igual(E)
Revestimento igual(E) ou normal (N) e diferencial (D): • revestimento diferencial (D).
Funções: melhorar a resistência à corrosão, facilita soldagem elétrica,
melhorar aparência

Aço base Aço base


Revestimento de estanho  Passivação
O que é
Folhas-de-Flandres: Revestimento igual (E) Função:
- Proteger a camada de estanho contra corrosão;
- Inibir a formação de óxido de estanho;
- Favorecer a aderência de vernizes e tintas: diminui porosidade
do material,
- evita sulfuração
Folhas-de-Flandres: Revestimento diferencial (D)
 Oleamento
Folhas de flandres e cromadas: diotil sebacato
Função: evita atrito durante manuseio e tranporte
Antes produção da lata é retirado

Aço base Aço base


Folha cromada

Vantagens das folhas cromadas:


As principais aplicações das folhas cromadas incluem:
• Mais econômicas do que as folhas-de-flandres (10%);
• Boa resistência à sulfuração; • tampas e fundos de latas de três peças;
• Aderência dos vernizes superior à da FF;
• latas de duas peças para carnes e pescados
• Mais resistente à corrosão atmosférica do que a FF
processados;
Desvantagens das folhas cromadas:
• Alta dureza e maior desgaste das máquinas; • latas para óleos comestíveis;
• Menor resistência à corrosão do que a FF para produtos ácidos 
não são indicadas para alimentos ácidos;
• rolhas e tampas metálicas.
• Requerem envernizamento

3
26/03/2013

Aço base Aço base


Folha stancrom
Folhas não revestidas
 Apresenta uma configuração intermediária das FF e FC  Folha de aço com baixo teor de carbono, sem revestimento,
 Folha de aço revestida em ambas as faces com uma camada de fabricadas geralmente nas espessuras usuais da FF.
estanho menor que a da FF (sem formação de liga FeSn2), com
 Vantagem é o baixo custo.
eletrodeposição do cromo.
 Desvantagens: baixa resistência à corrosão; necessidade de
 A camada de óleo protege a camada de cromo.
aplicação de vernizes em ambas as faces; não soldabilidade pelo
 A folha stancrom foi desenvolvida como alternativa à FF, a um processo convencional.
custo mais baixo.
 A legislação brasileira permite o uso de FNR (envernizadas) para
 Desvantagem: menor resistência a corrosão óleos e produtos desidratados, que têm interação praticamente
nula com o material de embalagem.

Aço base
Uso de materiais metálicos  Alumínio:

Materiais Alimentos Alimentos Alimentos ácidos Alimentos não


sulfurosos pouco agressivo agressivos agressivos
Folha-de-flandres X X - X
Folha-de-flandres X X X X
(c/ envernizamento)
Folha cromada X X - X
(c/ envernizamento)
Folha não revestida - - - X
(c/ envernizamento)
Folha com baixo - X - X
revestimento de
estanho
(c/ envernizamento)
Alumínio X X - X
(c/ envernizamento)

Alumínio
Embalagens de alumínio

 Requer propriedades mecânicas :


Não é utilizado na sua forma pura, mas na forma de liga, ou seja
combinado com elementos como Mn, Mg, Si, Cu, Cr, etc..
Liga com manganês, magnésio, silício, cromo, entre
outros
Tabela: Ligas de alumínio para embalagens (composição em %)
 Melhora suas características de formabilidade, a
resistência mecânica, a resistência a corrosão.

4
26/03/2013

Alumínio
Elementos de liga Embalagens de alumínio
Cobre Reduz a resistência a corrosão

Manganês Aumenta a resistência à corrosão


Boa resistência a corrosão, piora a
Magnésio
conformabilidade
Zinco Influência na resistência a corrosão
Reduz a resistência a corrosão, melhora
Silício
fluidez
Cromo Aumenta a resistência à corrosão

Ferro Reduz a resistência a corrosão

Titânio Pouca influência na liga

Alumínio
Embalagens de alumínio

Classificação do alumínio por espessura


Aplicações:

• embalagens rígidas (latas), - Lâmina ( espessura maior que 6 mm);


• embalagens semi-rígidas (formas e bandejas),

• embalagens flexíveis (laminadas, metalizadas) - Chapas (entre 0,15 e 6 mm);

- Folhas (< 0,15 mm; , geralmente acima de 0,005mm).


Acima de 0,025mm a quantidade de microfuros fica
reduzida

 Classificação
- Latas de 3 peças (aço)
Estão disponíveis no mercado latas de vários formatos:

- Latas de 2 peças (aço e alumínio). Utilizada para


redondas, cilíndricas, retangulares, ovais,
trapezoidais...
pescados, doces na forma de compotas e para as
tradicionais latas para bebidas MAIS POPULAR ?????

- formatos:
REDONDA • soldagem mais eficaz
• melhor aproveitamento da chapa metálica,
usando menos metal.

Lata retangular é muito usada para acondicionar conservas de peixe 


apresentação ao consumidor.

5
26/03/2013

1.2 Produção das latas


Produção latas de 3 partes
 Latas de 3 peças (FF)
1. Aplicação de verniz
2. Corte:
3. Formação do corpo
4. Vedação:
5. Flangeamento
6. Formação dos ganchos: RECRAVAÇÃO

 Eficiência com relação a hermeticidade

• Recravação
• Vedação:
1. Agrafagem:
Formação dos ganchos
Vedante termoplástico ou termofixo: PA, PE

Vedante
2. Solda elétrica

Recravação
Defeitos da recravação

6
26/03/2013

Recravação Recravação

Recravação
 Latas de 2 peças
1. Estampagem simples: (Al, FF, FC).
2. Estampagem e reestampagem ( DRD - drawing and
redrawing): (Al, FF, FC).

3. Estampagem e estiramento ( D&I - drawing and Vantagens das latas de duas peças:
ironing): Al e FF

1) não possuem agrafagem;


2) corpo sem costura lateral confere maior hermeticidade e
sem micro-vazamento na junção.

Desvantagens das latas de duas peças


1) menor velocidade de produção;
2) maior custo de aquisição e manutenção de maquinário;
3) maior perda de material nos cortes;
4) latas retangulares podem apresentar maior possibilidade
de problemas na recravação.

7
26/03/2013

Tabela: Comparação dos materiais metálicos Aplicação das embalagens metálicas

 Produtos esterilizados: Conservas de legumes, pescado, carne,


frutas
FF

 Bebidas: Cerveja e bebidas carbonatadas


FC

 Aerossóis: Diversos produtos alimentares

 Leite e produtos lácteos, xaropes, óleos alimentares, chocolate e


café, biscoitos

2. Aplicação de vernizes: Verniz


O que são: Óleo resinoso
Funções:
 folhas-de-flandres mais finas e com menor estanhagem;

 Corrosão e sulfuração;
 Migração de metais ( Sn, Fe);
 Permitir acondicionar diferentes produtos na embalagem
-Fonte natural

Características: aplicação, secagem, flexibilidade, resistência térmica, - Estrutura: grande variedade


- Tipo C: óxido de zinco
Tipos: Escolha depende do tipo do alimento e do seu processamento S + ZnO ZnS2 (incolor)
S + SnO SnS ( escuro)

Verniz Verniz
Óleo resinoso Vinílico
Vantagens
• Boa aderência
Copolímeros de acetato ou cloreto de vinila
• Boa resistência térmica;
• Boa resistência a ácidos (exceto tipo C: óxido de zinco + ácidos));
Desvantagens
Solventes cetônicos

• Mais propenso a corrosão


• Baixa flexibilidade
• Baixa resistência a sulfuração (exceto tipo C)
Aplicações
• Produtos ácidos, Óleos.

8
26/03/2013

Verniz Verniz
Vinílico
Vantagens: Fenólico
- boa flexibilidade e aderência,

- não conferem sabor,

- resistência a ácidos e bases.

Desvantagens:

- baixa resistência à sulfuração;

- baixa resistência térmica;


Alta reticulação
- fraca adesão sobre folha de flandres.

Aplicações: cerveja e refrigerante

Verniz Verniz
Fenólicos Acrílico
Vantagens:
- boa resistência a ácidos orgânicos; Vantagens:
- impermeabilidade aos íons S - boa resistência térmica;
- boa resistência térmica. -Inércia química (principalmente álcalis);
Desvantagens: - boa flexibilidade
- baixa aderência; - boa aderência.
- pouca flexibilidade; Desvantagens:
- alto custo;
- tendência a conferir sabor e odor a alguns alimentos.
- possibilidade de conferir sabor e odor a alguns produtos.
Aplicações:
Aplicações:
- Frutas, vegetais , carne.
Conservas em geral e sopas

Verniz Verniz
Epoxi Epóxi-fenólico
Vantagens:

- excelente resistência mecânica;

- boa flexibilidade e aderência (epóxi);

- boa viscosidade e resistência ao processamento térmico;

- não transferem sabor/odor aos alimentos;

- boa resistência à sulfuração.

- Resistência a alimentos ácidos (fenólico)


- Elevada aderência, elevada flexibilidade,
Aplicações:
resistência química, facil de combinar com
Frutas, vegetais, conservas em geral, carne, cervejas
outras resinas: latas de alumínio

9
26/03/2013

Verniz Verniz

Outros vernizes Tabela. Características dos vernizes de uso comum para


alimentos

- Epóxi-uréias

- Epóxi-ésteres

- Polibutadiênicos (butadieno : Cerveja, refrigerantes, vegetais,


sopas)

- Alquídicos (poliálcoois e poliácidos)

Verniz Verniz
Propriedades dos vernizes

Requisitos • Físicas (aderência, resistência a riscos, elasticidade,


• boa aderência, resistência a abrasão, flexibilidade plasticidade, resistência térmica),
(deformação mecânica), fácil secagem e aplicação
• resistir à deformação mecânica e aos tratamentos térmicos • Químicas (ausência de substâncias tóxicas, resistência
a ácidos e bases, resistência à sulfuração),
• não devem apresentar qualquer risco de toxicidade ou
transmitir qualquer gosto ou sabor ao produto enlatado 
aspectos legais
• Estéticas (cores firmes, brilho e acabamento)

• econômico
• Sensoriais (ausência de sabor e odor, cor atraente).

Verniz Verniz
Vernizes x produto alimentício Aplicação de vernizes

Para se determinar o tipo de verniz a ser aplicado, é


importante verificar: • Aplicação na folha metálica;

• Aplicação na embalagem;
• Acidez do alimento;
• PROCESSO DE CURA (controle do tempo e da temperatura)
• Presença ou não de enxofre no produto ;
• Evolução:
• Processo de produção da lata; • Aspectos Legais

• Tipo de processamento a que o produto será submetido.

10
26/03/2013

Quadro: Testes para avaliação de vernizes 1.3 Interação embalagem metálica x alimento

 Migração de componentes metálicos:


Ferro, Estanho, Cromo, Alumínio, Vernizes

 Sulfuração/ Marmorização
Sn + S SnS (coloração violeta ou marrom)

Fe + S FeS (coloração preta)

Interação embalagem/alimento

• SULFURAÇÃO  Corrosão
– Alimentos ricos em proteína (carnes, peixes, milho, ervilha, ) Reação de oxi-redução
– Branqueamento químico  sulfito; Constituintes das latas: Al, Fe, Sn: forma metálica
– Resíduos de pesticidas.

• Os produtos susceptíveis de conduzirem a fenômenos de


sulfuração são por exemplo, as carnes, peixes, milho, ervilhas.

• Não constituem perigo para o produto, não alteram o sabor


ou a cor dos alimentos, nem põem em perigo a saúde humana
Alimento em contato com o
 desconfiança dos consumidores aço base (ausência de estanho
e verniz)

Corrosão Corrosão

Potencial eletroquímico de metais


Sn/Sn+2: -0,14V
Potencial eletroquímico
Fe/Fe+2: -0,44V
Metal Potencial e Equilíbrio Padrão E(V)
Au/Au+3 +1,42
Hg/Hg+2 +0,85
Ag/Ag+ +0,80
Cu/Cu+2 +0,34
H/H+ Zero
Pb/Pb+2 -0,13
Sn/Sn+2 -0,14
Ni/Ni+2 -0,25
Cd/Cd+2 -0,40
Fe/Fe+2 -0,44
Cr/Cr+3 -0,71
Zn/Zn+2 -0,76
Al/Al+3 -1,67
Mg/Mg+2 -2,34

Inversão de polaridade Corrosão pites

11
26/03/2013

Corrosão Corrosão
Inversão de polaridade CORROSÃO x ESTANHO

 Pequena superfície livre de Fe em relação à


do Sn.

 Formação de complexos dos íons de Sn com


compostos orgânicos presentes no meio;

 Maior quantidade de energia para formação


de H2 sobre o Sn do que o Fe

Corrosão
Fatores relacionados com corrosão Novas tendências

Estagnação da lata de aço: concorrência


• Características do material de embalagem
 Reduzir os custos

 Redução da espessura dos materiais metálicos


• Características do alimento
 Inovações
• Condições de armazenamento

Inovações Inovações

Tampas de abertura fácil  Desenvolvimento da solda elétrica: reforços circulares

 Folhas com espessura de 0,22mm foram reduzidas para 0,16mm:


necessidade da facilidade de abertura
redução de 14% no custo de uma lata com capacidade para 500
gamas de produto

 redução na espessura das folhas e redução de área metálica:


Total integridade durante o ciclo de
Microrrecravação
distribuição comercial do produto
• A melhoria na qualidade dos revestimentos internos
(vernizes), permitiu a utilização de folhas-de-flandres
com menor estanhagem, sem comprometer a vida útil
do produto.

12
26/03/2013

Inovações
Controle de qualidade
• Exemplos destes vernizes incluem: os solúveis em água, os vernizes
com alto teor de sólidos, os vernizes esmaltados e os eletrostáticos.
 Recravação
• As tampas são produzidas com materiais mais finos e duros
• Somente 1/ 3 da quantidade convencional do vedante é aplicado e  Aderência do verniz
menor quantidade de verniz é utilizada.
 Cozimento do verniz
• Pode-se atingir cerca de 30% de redução de custos
• A redução na espessura das latas para óleos permitiu sua  Pressão ou vácuo
competitividade. Atualmente, as latas para óleos apresentam corpo
 Aspecto sensorial
com 0,14 mm e tampa/fundo com 0,16 a 0,18mm.
 Resistência mecânica

Alumínio Reciclagem
Reciclagem
• As latas de aço e de alumínio são 100% recicláveis • 98,3% da produção nacional de latas consumidas foi reciclada em
O objetivo dos programas de reciclagem: econômico, preservação 2011
ambiental e imagem do produto junto ao mercado  A lata de alumínio é o material reciclável mais valioso.

• A evolução da reciclagem de latas de aço e alumínio para  1 tonelada »R$ 3.000 (base novembro/2011)
bebidas  1 quilo » 75 latinhas.
• latas de alumínio não recicladas: 100 anos
Tabela. Índice de Reciclagem das Latas de Alumínio (%)
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011
Argentina 78 88,1 89,6 90,5 90,8 92 91,1 91,7
Brasil 95,7 96,2 94,4 96,5 91,5 98,2 98 98,3
Europa 48 52 57,7 N/D 62,0 n.d 64,3 66,7
EUA 51,2 52 51,6 53,8 54,2 57,4 58,1 65,1
Japão 86,1 91,7 90,9 92,7 87,3 93,4 92,6 92,6
Fonte: ABAL; ABRALATAS

Reciclagem Reciclagem
 A reciclagem evita a extração da bauxita
 Cada quilo de alumínio reciclado representa uma economia de
cinco quilos de bauxita (minério de alumínio)
 Para reciclar 1 tonelada de lata: consumo apenas 5% da energia
elétrica necessária para a produção do alumínio primário
 Cada kg de alumínio reciclado representa economia de 5 kg de
bauxita
 Elevado custo da sucata de alumínio
 Compostagem
 Incineração: O alumínio se funde a 660° C.
 Aterro

13
26/03/2013

Reciclagem Reciclagem
Aço
 1 tonelada de aço reciclado equivale a 1,5 tonelada de minério
• Latas de aço: 10 anos
de ferro
• Processo de reciclagem do aço: elimina contaminantes
• 5% das latas para bebidas são de aço (Nordeste : 46% do mercado)
Compostagem: dificulta a compostagem do lixo para a produção
• O aço é 100% reciclável
de adubo orgânico
• Podendo voltar a cadeia infinitas vezes
Incineração: Se incineradas em temperatura acima de 1500 ºC as
• O aço pós consumo destinado a reciclagem não precisa ser
latas viram novamente ferro gusa, produto siderúrgico.
separado por cor da embalagem ou tipo de revestimento, pode
Aterro: Elas se decompõem, voltando ao estado natural - óxido de
ser destinado a siderúrgica
ferro
• 47% de reciclagem em 2011 no Brasil (latas de alimentos como
ervilha, milho e sardinha, bebidas, tintas, massa corrida e
produtos químicos)

METÁLICAS X CELULÓSICAS Referências

Considerando as características das embalagens DANT AS, S.T.; GA TTI, J.A.B.; SARON,E.S. Embalagens metálicas e a sua
interação com alimentos e bebidas. Campinas: CETEA/ITAL, 1999. 232p.
celulósicas e metálicas, qual o melhor material para o
FARIA, J.A.F. Controle de qualidade de vernizes. Campinas: UNICAMP,
acondicionamento de alimentos?
2007. 6p. Aula prática.
Pense em 2 produtos: um destinado para embalagem
FARIA,J.A.F. Embalagens metálicas. Campinas: UNICAMP, 2004. 24p.
celulósica e outra para embalagem metálica. Compare os
Apostila.
requisitos de proteção dos dois produtos e as características
dos materiais. http://www.cempre.org.br/ft_latas_aco.php. Compromisso empresarial
Não existe a melhor embalagem, existe a MELHOR para reciclagem

ESPECIFICAÇÃO de embalagem para cada produto


considerando suas características e processamento!

14

Você também pode gostar