Você está na página 1de 16

Prezado paciente

Se você está em tratamento com anticoagulante oral, saiba que essa substância é muito eficaz para prevenir a ocorrência de tromboses e embolias, que são complicações sérias resultantes da formação anormal de massas de sangue coagulado dentro de vasos ou cavidades do coração. Em geral, quem toma anticoagulante oral sofreu um acidente trombótico ou embólico ou apresenta um risco excessivo de desenvolver uma dessas complicações. Em contrapartida, o uso de anticoagulante oral requer uma rígida disciplina de controle.

Para que você possa usufruir o máximo de benefício gerado pelo tratamento, elaboramos este Manual, com uma série de informações importantíssimas. Leia-o com atenção e consulte-nos em caso de dúvida.

Perguntas e respostas sobre Anticoagulação Oral

1. O que é trombose?

O que é embolia?

Trombose é a coagulação do sangue dentro de um vaso sanguíneo ou de uma cavidade do coração, dificultando ou impedindo a circulação do sangue. Em geral, ocorre quando a velocidade de circulação do sangue diminui na região afetada e/ou quando a viscosidade do sangue do paciente está aumentada (sangue “grosso”). Várias condições podem predispor a esse risco, e você provavelmente apresenta uma delas.

Quando o sangue forma massas de coágulos dentro dos vasos, essas massas recebem o nome de “trombos”. Frequentemente os trombos são “friáveis”, ou seja, podem desprender pedaços na circulação sanguínea. Para onde esses pedaços ou “êmbolos” irão dependerá da localização do trombo e do acaso. Imagine um trombo localizado numa veia da perna. Se um pedaço dele se desprender, o êmbolo vai acabar parando em um vaso do pulmão. E s s a s i t u a ç ã o c l í n i c a , c h a m a d a E M B O L I A P U L M O N A R , p o d e s e r m u i t o p e r i g o s a , p r o v o c a n d o , e m g e r a l , s i n t o m a s c o m o d o r n o p e i t o e f a l t a d e a r. Q u a n d o o t r o m b o e st á l o c a l i z a d o n u m a a r t é r i a o u n o v e n t r í c u l o e s q u e r d o d o c o r a ç ã o , o ê m b o l o q u e s e d e s p r e n d e p o d e p a r a r e m q u a l q u e r t e r r i t ó r i o d o c o r p o : c é r e b r o , r i n s, m e m b r o s s u p e r i o r e s, m e m b r o s i n f e r i o r e s, p o r e x e m p l o . C o m o r e s u l t a d o , a c i r c u l a ç ã o d e s a n g u e p o d e s e r a b r u p t a m e n t e i n t e r r o m p i d a e o s e g m e n t o i r r i g a d o p o r a q u e l e v a s o p o d e n e c r o s a r, o u s e j a , m o r r e r. E s s e f e n ô m e n o é c h a m a d o d e e m b o l i a p e r i f é r i c a ( p o d e s e r c e r e b r a l , r e n a l e t c . ) . E , s e o s e g m e n t o i r r i g a d o m o r r e r, t e r e m o s e n t ã o u m i n f a r t o ( c e r e b r a l , r e n a l e t c . ) . A e m b o l i a s e g u i d a d e i n f a r t o c e r e b r a l , p o r e x e m p l o , é u m a f o r m a d e d e r r a m e c e r e b r a l e p o d e d e i x a r g r a v e s s e q u e l a s .

2. Eu corro o risco de ter uma trombose ou embolia?

Sim. Se você está tomando anticoagulante oral, ele lhe foi receitado para prevenir esse risco.

3. Quais são os anticoagulantes?

Existem anticoagulantes de administração intravenosa (aplicados somente em pacientes internados), subcutânea ou oral. Alguns exemplos são: a heparina, que pode ser administrada via intravenosa ou subcutânea; a enoxaparina, administrada via subcutânea, e a varfarina, utilizada via oral.

Durante seu tratamento com varfarina é importante saber que é possível escolher uma marca diferente da de referência, mas uma vez escolhida a marca, é recomendado NÃO TROCAR DE FABRICANTE.

4. Todas as pessoas podem tomar anticoagulante?

Não. Somente as que estão em risco de trombose ou embolia. Esse medicamento exige um compromisso do paciente, pois requer rigoroso controle laboratorial e conscientização sobre as possíveis intercorrências por conta do seu uso.

5. Mas, se tantos cuidados são necessários, para que usá-lo? Não se trata de um medicamento perigoso?

Em medicina, procuramos sempre pesar a relação risco-benefício, ou seja, se o benefício proporcionado por um medicamento é muito superior ao risco conferido pela doença que o medicamento se destina a tratar, então devemos utilizá-lo. Do contrário, não.

No caso dos anticoagulantes orais, todos os grandes estudos publicados no mundo indicam que um anticoagulante reduz a mortalidade e previne as sequelas dos episódios de trombose e embolia, melhorando a qualidade de vida dos pacientes. Tanto assim que são muito mais abrangentes hoje em dia as indicações para o uso de varfarina.

6. Como é feito esse controle?

A anticoagulação é um procedimento seguro, quando feito de forma adequada. Para isso, deve ser acompanhada para monitorizar os efeitos do medicamento e realizar os ajustes na dosagem quando for necessário. A dose ideal para uma anticoagulação eficaz e segura deve ser individualizada. Essa necessidade individual é verificada através do exame chamado TP (tempo de protrombina), que irá fornecer o valor do RNI (Relação Normalizada Internacional). O RNI mede o efeito da varfarina (determina a tendência de coagulação do sangue).

Realize o exame de TP sempre no mesmo laboratório!

7. Tomar anticoagulante é o mesmo que tomar AAS infantil?

Não, o objetivo é semelhante, mas para o tipo de situação clínica que você apresenta, a proteção oferecida pelo AAS é insuficiente, pois a potência do anticoagulante é muito maior.

8. Quais são os reais riscos do uso de anticoagulante?

As principais reações que podem ocorrer em pacientes que fazem uso da varfarina são as hemorragias e necroses na pele. Essas reações ocorrem normalmente em pacientes que não têm um controle do RNI. Porém, caso o paciente as apresente, é importante comunicar ao médico sobre qualquer sangramento.

Na faixa-alvo, o risco de sangramento é minimizado!

Atenção

• Evite o risco de se machucar (exposição a atividades de risco)

• Escove os dentes com cuidado

• Avise o dentista de que faz uso de anticoagulante

• As doses devem ser feitas sempre no mesmo horário

Se esqueceu a dose, tome assim que lembrar.

Não tome se estiver perto da próxima dose. Ao se esquecer de tomar a medicação, nunca dobre a dose. Anote e tente entrar em contato com o médico e/ou o seu gestor para mais orientações.

9. Por quanto tempo deverei fazer uso do anticoagulante?

A duração do tratamento varia segundo a doença e o risco de eventos tromboembólicos. Alguns pacientes têm de tomar anticoagulante por toda a vida, como os portadores de válvulas cardíacas mecânicas ou de fibrilação atrial crônica. Outros só o tomam por alguns meses ou semanas. Deixe a decisão a cargo do seu médico e JAMAIS interrompa o medicamento sem comunicar isso a ele.

10. A dieta interfere no controle do meu RNI?

A var farina é uma medicação que sofre influência da alimentação. Por esse motivo, é impor tante que a medicação seja tomada meia hora antes do jantar. Além disso, esse horário de administração é preferível porque, nos casos em que seja necessário o ajuste na dosagem, ele pode ser feito no mesmo dia.

Os alimentos ricos em vitamina K reduzem a ação do anticoagulante. Evite a mudança brusca da alimentação (aumentar ou diminuir o consumo de alimentos ricos em vitamina K). O impor tante é manter uma quantidade constante de consumo desses alimentos.

FONTES DE VITAMINA K

Vegetais verde-escuros e folhosos (como espinafre, couve, alface), repolho, brócolis, couve-flor, cereais (trigo e aveia), gérmen de trigo, banana, abacate, kiwi, leite, laticínios, ovos, soja, óleo de oliva, salsa, nabo, carne de órgãos (fígado) .

11. O que fazer com outra medicação receitada?

Uma série de medicamentos interfere na ação do anticoagulante, aumentando ou reduzindo seu efeito. Exemplos clássicos são a aspirina e os agentes anti-inflamatórios, que aumentam bastante o efeito do anticoagulante. NUNCA se automedique, principalmente com fitoterápicos (ginkgo e cápsulas de alho, por exemplo). Sempre que lhe for prescrita uma nova medicação, entre em contato com o seu médico, para avaliação. Caso necessário, a dosagem do anticoagulante será ajustada.

12. E se eu sofrer um acidente ou um traumatismo?

Se isso acontecer, procure seu médico para ser examinado com mais frequência e ter eventualmente um controle mais rigoroso do RNI. Lembre-se de que alguns cuidados simples podem evitar acidentes perigosos: se você for uma pessoa idosa, peça para que instalem uma barra de apoio na parede do seu box ou banheira e/ou coloque um tapete antiderrapante no piso, a fim de prevenir quedas (aliás, o tapete antiderrapante é sempre recomendável, independentemente da idade). Evite andar sobre chão molhado ou faça-o com muito cuidado. Não ande com sapatos escorregadios.

13. E se eu tiver um cor te?

Em casos de cortes, o sangramento deverá ser um pouco maior e mais prolongado que o habitual. Para estancá-lo, basta uma compressão mais efetiva e demorada. Se o sangramento não parar, procure um ser viço de emergência.

14. Posso praticar atividade física?

Suas atividades físicas podem ser exercidas nor malmente, mas evite exercícios de alto impacto (corrida ou ginástica aeróbica, por exemplo), pois o risco de rotura de um pequeno vaso e sangramento intramuscular ou ar ticular é maior.

15. Devo tomar cuidado com injeções?

Sim. Se for preciso tomar uma injeção, peça para que o médico ou atendente faça uso de injeções intravenosas ou subcutâneas, preferencialmente, pois, em pacientes anticoagulados, as injeções intramusculares podem favorecer o aparecimento de hematomas dentro do músculo. Por sinal, sempre que procurar um ser viço de saúde, avise que está tomando anticoagulante oral.

16. E se eu tiver que sofrer uma inter venção cirúrgica? Como devo fazer?

O anticoagulante deve ser suspenso com o conhecimento e ajuste do seu médico. Mas, seja qual for o procedimento, inclusive odontológico, notifique seu médico, pois existe uma série de rotinas já implantadas para suspensão e reinício do anticoagulante oral.

17. Algo mais?

Sim. Este Manual ser ve como um guia, mas nada substitui o compromisso estabelecido entre médico e paciente para que a anticoagulação esteja sempre bem controlada. Em caso de dúvida, nossa equipe estará sempre à disposição para esclarecimentos. Não se esqueça de carregar sempre consigo esta caderneta de anticoagulação. Leve-a sempre às consultas.v

Controle de Anticoagulação