Você está na página 1de 689

UCEM - Biblioteca do Professor dos Professores

Preparando a Fundação - Conjunto de Materiais 1

Amor

Existe uma experiência que acaba com todas as incertezas e todas as


perguntas. A experiência do Amor é Divinamente Inspirada e imutavelmente
Eterna. O Amor não vem e vai e nasce e se põe como o sol, nem brilha
intensamente somente para desvanecer e desaparecer por um tempo. O Amor
não é pessoal ou específico. É impossível Amar algo específico, porque o
Amor é Íntegro e não conhece partes. O Amor não tem um oposto, sendo
Tudo que Deus cria para sempre. A Mente Divina é Deus, é Amor, é Você, é
Tudo.

Você nunca pode deixar para trás ou ser separado do Amor. Ilusões
inevitavelmente desvanecerão, mas o Amor permanece Eterno e se estende
continuamente para sempre. O Amor abrange tudo e não pode ser limitado. O
Amor pode parecer temporariamente esquecido ou encoberto na consciência
pela crença no tempo de forma linear. Entretanto o Instante Santo está sempre
presente agora e sempre.

Deus é Amor. Deus, Sendo Amor, é Único e Abstrato. Deus, Sendo Amor,
não toma formas diferentes ou vem em uma variedade de graus e graduações.
Neste mundo parece haver muitos pensamentos, emoções e percepções que
escondem a consciência do Amor. Contudo, são meramente tentações para
esquecer que o Amor é Tudo que Existe. Toda vez que a tentação para negar o
Amor surge, lembre-se que Você é Amor e Deus é Amor e nada pode separar
a Unidade do Amor de Deus.

Deus, Sendo Amor, não tem opostos. Deus é Todo-Sabedoria, Todo-Poderoso


e Todo-Amoroso. Ilusões trazidas para o Amor devem desaparecer, como a
escuridão acaba na Presença da Luz. O Amor é Tudo como Deus é Tudo.
Deus, Sendo Amor, não tem nada a ver com o medo. Deus, Sendo Amor, não
tem nada a ver com doença, depressão, dor, tristeza ou qualquer forma que o
medo possa tomar. Ilusões do tempo parecem colocar um véu na Face do
Amor, mas o Amor permanece intocado. O Amor só pode ser Ele Mesmo e só
conhece a Ele Mesmo. Amor e medo, Deus e o mundo, não têm um ponto de
encontro. A consciência Una implica a não-existência de outra. Os cinco
sentidos do corpo parecem enganar por um tempo, mas o Amor é revelado
como Único e Tudo através da Visão Interior que o mundo não conhece. Ore
sinceramente e deixe a sua prece ser um desejo unificado pelo Amor, por
Deus. A Visão Interior conduzirá à lembrança do Amor que É Você e que É
Deus, um Amor sem opostos.
O ego é faz-de-conta. Pode o faz-de-conta ser real se somente o Amor é real?
Ego é opinião. Pode o Amor eterno e incondicional conhecer opinião? Ego é
falsidade. Pode o Amor, sendo verdadeiro, ter consciência da falsidade? O
Amor é verdadeiro e real e somente o amor é verdadeiro e real. O Amor é
Único e, portanto, está além da “possibilidade” de comparação e transigência.
O que pode a crença na dualidade, no passado e futuro ter a ver com o Amor
Eterno? E o que poderia quebrar o Amor separando o que é Único para
sempre?

O Amor Se estende, Sendo O Que Ele É. O Amor é Todo-extensão. Ao


estender, o Amor permanece amoroso, pois o Amor permanece Ele Mesmo.
Não há perda ou ganho no Amor, pois o Amor é completamente sem escassez
ou limites. Conhecer o Amor é conhecer a completeza e a realização. Como
poderia a Integridade algum dia entender alguma coisa senão Ele Mesmo? E o
que o Amor poderia “precisar”, já Sendo Tudo para sempre?

Não questione o Amor. Se você acredita em questionamento, questione tudo


que parece ser “não-Amor” e esteja disposto a aceitar somente Aquilo Que É
Verdadeiro Para Sempre. Acabe com a espera agora! Aceite agora o Amor
Eterno de Deus. O que mais poderia ser mais valioso do que a sua aceitação?
Não há nada para buscar e nada para encontrar! Obrigado Deus por Ser Amor
e estender Amor para sempre!

Diretrizes Originais do UCEM para seus Fundadores e Estudantes

Aqui estão as Diretrizes Originais dadas por Jesus para Helen Schucman e Bill
Thetford para aplicação total de Um Curso Em Milagres no mundo. Estas
diretrizes ainda são muito úteis e práticas hoje.

1. Um Curso Em Milagres foi protegido pelo registro de direitos autorais


quando foi publicado pela primeira vez por volta de 1970 a fim de manter seu
sistema de pensamento intacto durante os primeiros 30 anos de seu
nascimento e distribuição pelo mundo.

2. Um Curso Em Milagres foi planejado para ser um curso de auto-estudo.


Somente Jesus & o Espírito Santo podem revelar o significado do Curso para
a mente do estudante. Somente Deus conhece a prontidão do estudante para
esta revelação.

3. Um Curso Em Milagres deve ser publicado somente por aqueles que


devotaram suas vidas para sua guarda.

4. Um Curso Em Milagres não deve ser anunciado comercialmente. Ele tem e


continuará a fazer seu próprio caminho por todo o mundo. Você recebeu
gratuitamente, agora dê gratuitamente.
5. Cópias gratuitas de Um Curso Em Milagres devem ser providenciadas para
aquelas pessoas que não tem condições de custear o Curso. Esta função era
originalmente de responsabilidade da editora, e agora depende de todos que
ouvem e Respondem o Chamado. Um Curso Em Milagres agora é oferecido
gratuitamente na Internet para aqueles que desejam ler e/ou imprimir uma
cópia do livro para seu estudo e uso.

6. Ninguém deve lucrar com Um Curso Em Milagres. Rendimentos e doações


são sempre para serem usados para compartilhar e estender o Curso com o
mundo e vivenciar a Paz Interior do Reino do Céu.

1984 Entrevista com William Thetford

Bill Thetford foi um dos dois primeiros estudantes de Um Curso Em Milagres


no mundo, ajudando a introduzi-lo no mundo para que as pessoas pudessem
usá-lo como um meio de lembrar de Deus. Bill foi muito sincero e receptivo, e
mesmo assim não muito foi escrito sobre esta bela testemunha do Amor de
Deus. Esta entrevista com Bill foi publicada na Revista New Realities em
set/out de 1984. Com muita alegria transmito-a para todos agora.

Faça bom proveito!


------------------------------------------------------------------

Entrevista com William N. Thetford, Ph.D


New Realities Magazine: Set/Out 1984

Uma conversa cândida e exclusiva com umas das duas “personalidades


ocultas” por trás da manifestação de um dos mais enigmáticos e profundos
sistemas de pensamento espiritual do Século - Um Curso Em Milagres. Tendo
sido um agnóstico confesso, Dr. Thetford agora discute abertamente seu papel
secreto como escrivão do Curso e como isso o afetou pessoalmente e em seu
trabalho na psicologia, como também nas posições de prestígio que ele
mantinha como Professor de Psicologia Médica da Universidade de Columbia
da Faculdade de Médicos e Cirurgiões, e como Diretor do Departamento de
Psicologia do Hospital Presbiteriano na cidade de Nova Iorque.

NR: Sendo uma das duas pessoas responsáveis por transcrever “Um Curso Em
Milagres,” qual o impacto que ele tem causado na sua vida?

WT: Mudou totalmente a minha vida. Eu me recordo estar datilografando os


primeiros cinqüenta princípios dos milagres que vieram através de Helen
Schucman no outono de 1965, e percebi que se esse material fosse verdadeiro,
então absolutamente tudo que eu acreditava teria que ser desafiado - que eu
teria que reconstruir todo o meu sistema de crença. Naquela época, no entanto,
pensei que seria impossível; eu não sabia como poderia fazê-lo. Mesmo assim
senti que era um requisito, já que o material que veio através de Helen no
começo da fase pareceu autêntico e genuíno demais. Fiquei em estado de
choque por um breve período, imaginando como seria possível fazer tal
mudança tão abrupta na minha percepção da vida e do mundo. Mais tarde
percebi que Deus é misericordioso, e não nos pede para fazer mudanças tão
abruptamente, que haveria uma tempo adequado para gradualmente começar a
mudança na minha percepção.

Eu acho que o que foi importante foi a minha disponibilidade para mudar, e
não o dominar do material. E, é claro, me mudei do meio de Manhattan, onde
tinha vivido por vinte e três anos para Tiburon, Califórnia, algo que eu
pensava que nunca aconteceria. Eu tinha me acomodado à minha rotina como
Nova-iorquino, e achava que a Big Apple era o centro do Universo, e o lugar
ao qual eu pertencia. Aquela mudança foi provavelmente o maior choque
cultural que eu já tinha vivenciado, fazendo uma transição abrupta do tumulto
de uma vida agitada em Nova Iorque para a tranqüilidade de Tiburon,
Califórnia. Eventualmente também deixei a comunidade acadêmica. Primeiro
ao me aposentar do cargo de Diretor do Departamento de Psicologia do
Hospital Presbiteriano do Centro Médico Presbiteriano de Columbia, e vários
anos mais tarde aposentando da minha posição de Professor de Psicologia
Médica da Faculdade de Médicos e Cirurgiões da Universidade de Columbia.

NR: Isso foi para se dedicar tempo integral ao Curso ou para seguir outros
interesses?|

WT: Uma combinação, eu acho. Depois de vinte anos na Columbia senti que
era hora de deixar a academia. Pareceu natural sair quando o Curso foi
publicado.

NR: Qual foi exatamente o seu papel no processo de transcrição do Curso?


Você também ouviu uma voz?

WT: Ambos eu e Helen sabíamos desde o inicio que era uma tarefa
colaborativa, embora eu não ouvisse a voz. Enquanto a Helen ouvia o ditado
interno, ela era incapaz de transcrever o material diretamente sozinha, já que
ela achava o conteúdo do Curso muito ameaçador. Meu papel era de oferecer
o apoio e confiança necessária a cada dia para que Helen continuasse com
suas anotações no caderno de taquigrafia. Então, ela lia o material para mim e
eu datilografava diretamente do seu ditado.

NR: Já que o Curso desafiou sua própria crença e seu sistema de pensamento
também, porque você simplesmente não o rejeitou, jogou fora?

WT: Bem, meu intelecto se rebelou algumas vezes. Mas era eu quem tinha
pedido por “um outro jeito”, um jeito melhor, em relação ao contexto
profissional extremamente estressante no qual Helen e eu estávamos tentando
trabalhar. Quando o material de Um Curso Em Milagres começou a vir, para
mim era óbvio que esta era a resposta para a minha questão, muito claramente
a resposta. Então, para rejeitá-la ou até mesmo desconsiderá-la nunca foi
cogitado.

NR: O que especificamente sobre ela fez com que fosse óbvio para você que
esta era realmente a sua resposta?

WT: Talvez o fato de que era tão totalmente diferente do jeito que eu vinha
trabalhando durante toda a minha vida. Mas a autenticidade do material me
afetou mais do qualquer outra coisa. Eu sabia que a Helen não tinha inventado
isso, mesmo com a sua imaginação mais fértil.

NR: A autenticidade… ?

WT: Bem, o material era algo que transcendia qualquer coisa que qualquer um
de nós dois pudéssemos conceber. E como o conteúdo era bem alheio aos
nosso conhecimentos, interesses e instrução, para mim era óbvio que veio de
uma fonte inspirada. A qualidade do material era muito convincente, e sua
beleza poética acrescentada ao seu impacto.

NR: Parece muito incomum que você, um psicólogo consagrado mantendo


duas posições de prestígio, pudesse até mesmo considerar adotar tal material,
considerando sua instrução e princípios rígidos dentro da academia aos quais
você, sem dúvida, adotou e aderiu.

WT: Eu acho que se não tivesse sido pelas muitas experiências extraordinárias
que ocorreram durante o verão de 1965, nem eu nem a Helen teríamos estado
dispostos a aceitar o material que ela transcreveu. Vocês relataram algumas
dessas experiências nessas página na matéria sobre o novo livro do Robert
Skutch "Journey Without Distance, The Story Behind A Course In Miracles".
No entanto, nossa experiência associada com a Clínica Mayo em Rochester,
Minnesota, não foi relatada na “New Realities.” Talvez mais do que qualquer
outra coisa, esta série de eventos cristalizaram toda a nova direção que
tomaríamos.

NR: O evento da Clínica Mayo ocorreu em setembro e o Curso não começou


no mês seguinte, em outubro?

WT: Sim. Haviam me solicitado para ir a Clínica Mayo e descobrir por que
eles lucravam com as operações de serviço psicológico deles, enquanto a
Columbia-Presbiteriana parecia que estava sempre perdendo dinheiro. Eu
pensei que soubesse da resposta para a questão porque nós atendíamos
principalmente a pacientes que não tinham condições de pagar taxas, e os
pacientes na Clínica Mayo eram de classe média ou alta e capazes de pagar.
Apesar disso, parecia que era uma viagem importante a se fazer e eu pedi a
Helen que me acompanhasse. Logo que nós decolamos - eu acho que foi na
noite anterior - Helen teve uma vívida imagem de uma igreja, que ela
descreveu para mim com muitos detalhes, até mesmo fez um esboço dela. Era
uma antiga igreja com diversas torres grandes e pequenas. Ela pensou que
provavelmente fosse uma Igreja Luterana. Ela estava convencida de que de
alguma maneira, nós veríamos aquela igreja pela janela do avião quando
estivéssemos prestes a pousar in Rochester. Aquilo, é claro, parecia um tanto
improvável, já que aeroportos, pelo que eu sei, não são construídos perto de
igrejas. De qualquer forma, mantivemos nossa atenção focada na janela
durante a aterrissagem, e para a decepção e angústia de Helen nenhuma igreja
como aquela foi vista. De fato, Helen estava tão aborrecida por não ter
encontrado a sua igreja que eu não tinha muita esperança de cumprir com os
nossos negócios no dia seguinte a menos que ela pudesse de alguma forma ser
reanimada. Meio que desesperado sugeri a Helen pegarmos um táxi e ver se
conseguíamos encontrar a igreja dela em algum lugar na área metropolitana de
Rochester.

Então, Helen e eu fomos à caça da igreja. No começo, pensamos em nos


restringir às igrejas Luteranas. Eu acho que havia duas delas, e nenhuma era
nem um pouco parecida com a imagem de Helen. Então decidimos ver todas
as outras igrejas já que havíamos começado a procura. Eu acho que havia
vinte sete nos arredores de Rochester. E nenhuma delas tinha qualquer
semelhança com a imagem de Helen. Obviamente, ela ficou muito arrasada ,
mas nos recompusemos para preparação dos negócios no dia seguinte.

No dia seguinte depois de termos completado nossa pesquisa com sucesso,


Helen e eu preparávamos para deixar o hotel. Desci para o saguão e esperei
por ela com a bagagem, e notando uma banca de jornal decidi comprar um.
Em vez disso, eu vejo uma pequena brochura com o título “A História da
Clínica Mayo.” Achando que seria bom ter uma lembrança da nossa visita, eu
comprei o folheto por um dólar.

Conforme eu a folheava muito rapidamente, eu vi a foto da antiga igreja de


Helen, exatamente como ela a tinha descrito com todas as torres grandes e
pequenas. E era mesmo uma igreja Luterana. O único problema era que ela
tinha sido demolida e na verdade a Clinica Mayo foi construída no terreno da
antiga igreja Luterana. Foi um momento muito dramático, estava ansioso para
compartilhá-lo com Helen.

Quando ela desceu, eu disse rapidamente, “Helen você realmente não estava
louca afinal. Sua igreja estava lá mas não existe mais. Quando você pensou
que estava olhando para ela por cima como se fosse de um avião você estava
na verdade olhando para trás através do tempo.”
Helen demonstrou uma estranha mistura de emoções. Por uma lado, alívio que
ela não estava totalmente louca, e por outro, estava claro que ela estava
fazendo algo ao qual ela referia como altamente para-normal, e isso era uma
área que a fez se sentir muito desconfortável.

No nosso caminho de volta à Nova Iorque, tivemos que trocar de avião em


Chicago. Enquanto estávamos na sala de espera, Helen observou uma jovem
mulher no canto lendo uma revista e parecendo um tanto infeliz do jeito que
as pessoas freqüentemente ficam quando estão esperando por aviões nos
aeroportos. Fiquei surpreso quando Helen me disse, “Está vendo aquela
mulher logo ali, está realmente encrencada - ela tem um monte de problemas.”
Helen insistiu que iria lá falar com aquela mulher. O que descobrimos foi que
a mulher, cujo nome era Charlotte, nunca tinha estado num avião antes. Ela
tinha voado com a companhia aérea Ozark até Chicago com rota para Nova
Iorque e estava em pânico. Ela não sabia nada de Nova Iorque. Mais tarde
descobrimos que ela estava deixando o marido e dois filhos, e estava
angustiada.

Charlotte estava registrada no mesmo avião que o nosso. Durante o vôo,


sentamos um a cada lado dela, segurando suas mãos, e tentando acalmá-la e
sossegá-la. Perguntamos onde ela ia ficar em Nova Iorque já que ela não
conhecia ninguém. Ela disse que como era Luterana, ela pensou em contatar
uma igreja Luterana e de alguma forma eles encontrariam um lugar para ela
na cidade. Foi naquele momento que Helen e eu trocamos olhares. A
mensagem era clara para ambos. Helen ouviu sua voz interior dizendo, “E está
é a minha verdadeira igreja, ajudar seu irmão que está em necessidade; não o
edifício que você viu antes.” A autenticidade desta voz interior tornou-se cada
vez mais familiar para ambos quando o Curso iniciou algumas semanas mais
tarde, em outubro.

NR: Deve ter sido de alguma forma penoso durante aquele período, vivendo
uma vida dupla, recebendo e lidando com os materiais dos milagres que
vinham e continuando sua vida acadêmica normalmente.

WT: Sim, de um modo era como viver em dois mundos diferentes. Meus
sentimentos eram tão complexos que é difícil expressar isso de uma maneira
simples. Obviamente, Helen não tinha ficado louca, nem tinha perdido a
cabeça. O material fazia sentido, mas havia um sentimento de ter mergulhado
em algo que estava além da nossa compreensão e para o qual não estávamos
preparados.

Naturalmente não conversávamos disso com nosso colegas, e nenhum dos


nossos associados profissionais tinha conhecimento de que isto estava
ocorrendo como uma dimensão adicional na minha vida e da Helen. Ao
mesmo tempo, não podíamos separar completamente o Curso das nossas
responsabilidades acadêmicas, e uma boa parte da datilografia do material foi
feita no Centro Médico. Helen me ditava suas anotações durante nosso horário
de almoço ou momentos variados. Mas isso não interrompeu o curso dos
nossos compromissos profissionais que incluíam dar palestras, escrever
pesquisas de bolsas e artigos para publicação, como também uma infinidade
de tarefas administrativas - todas aquelas coisas que fazem uma vida
profissional muito ocupada. Então a experiência que passamos durante aquele
período foi realmente uma experiência muito incomum.

NR: Não houve momentos que Helen considerou seriamente ir a um


psiquiatra ou psicólogo? Ou talvez considerar tomar alguma medicação que
poderia acabar com a voz ditando para ela?

WT: Não era uma voz neste sentido em absoluto. Helen não foi perseguida
por vozes; era uma sensação específica de comunicação canalizada que vinha
para ela de tempos em tempos, ela sabia que havia material para ser transcrito,
e ela podia fazer isso a qualquer momento que escolhêssemos. Não havia
pressão para largar imediatamente o que ela estava fazendo para tomar notas.
Em vez disso, o material estava lá quase como se tivesse sido pré-gravado e
estava esperando pela atenção dela. Ele se apresentava a ela numa parte
separada e muito distinta de sua mente, ela não vivenciou isso como uma voz
externa, em absoluto.

NR: Ainda assim o fato de alguém ouvir uma voz - no sentido


psicoterapêutico tradicional - qual você acha que teria sido o diagnóstico ou
prognóstico de Helen, sem compreender as dinâmicas envolvidas?

WT: Eu acho que as pessoas que fazem coisas incomuns desse tipo são
provavelmente consideradas de alguma forma dissociadas ou possivelmente
esquizofrênicas. No entanto, o fato de que a habilidade da Helen como
psicóloga não foi prejudicada de forma alguma durante este período, era uma
clara indicação de que ela não sofria de um sistema delusório. Eu diria até que
a habilidade dela para trabalhar profissionalmente foi enriquecida conforme
continuávamos com este trabalho. Durante o tempo que estávamos
trabalhando no Curso, na verdade parecia que aumentávamos nossa
produtividade e qualidade profissional. Uma confirmação disso é que quando
completamos o manuscrito, ambos fomos conferidos os títulos de professores
permanentes.

NR: Helen pareceu ter muito mais dificuldade de adotar o material do Curso
do que você. Houve algum tipo de educação espiritual ou religiosa na sua vida
ou qualquer outra coisa que o ajudou?

WT: Bem, certamente não foi devido a nenhum conhecimento religioso


tradicional para mim. Eu freqüentei a escola dominical da igreja “Christian
Science” até os sete anos de idade, quando minha irmã faleceu repentinamente
e meus pais perderam o interesse em toda religião. Mais tarde na minha
juventude freqüentei várias igrejas Protestantes, mas na época que comecei
meu trabalho de graduação na Universidade de Chicago, eu tinha certamente
desistido de qualquer interesse em religião. Além do mais, me recordo como a
Universidade de Chicago era freqüentemente descrita como uma Universidade
Batista onde professores ateus ensinavam alunos judeus filosofia Tomística!
Com esse tipo de definição, eu acho que é evidente que qualquer crença
religiosa que eu pudesse ter tido simplesmente teria me tornado mais confuso.

NR: Qual você diria, então, que era a sua visão filosófica ou espiritual naquele
tempo?

WT: Eu me descreveria como um agnóstico. Eu não estava realmente


preocupado se a realidade espiritual era fato ou não. Freud se referia à religião
como uma ilusão, e eu acho que muitos dos alunos de pós-graduação e os
docentes com quem me relacionava naquela época, encaravam a religião
como algo que carecia de respeitabilidade intelectual.

NR: Dada a sua visão agnóstica naquele tempo, houve algo com que você se
envolveu que poderia ter marcado a sua fase de catalisador para “Um Curso
Em Milagres?”

WT: Não como tal, mas fui um dos primeiros alunos de pós-graduação do
Carl Rogers depois que ele veio para a Universidade de Chicago em 1945. Ele
ensinou que “respeito verdadeiro incondicional” era um pré-requisito para
terapeutas centrados nos pacientes. Agora eu entendo que o que o Rogers
estava enfatizando realmente era que a total aceitação em nossos
relacionamentos significava expressar amor perfeito. Embora eu soubesse o
quão distante estava de estar apto a praticar este conceito em minha vida, eu
aprendi a apreciar esta contribuição para o meu próprio desenvolvimento
espiritual.

Na verdade, eu sempre pensei que uma Autoridade Superior tinha dado uma
mancada escolhendo eu e a Helen para esta missão. Uma vez quando Helen
perguntou a voz por que ela tinha sido escolhida para este papel, a resposta
que ela obteve foi, “Você obviamente é a pessoa certa pois você o está
desempenhando.”

NR: O que é muito curioso é que ambos - Helen a ateísta e Bill o agnóstico -
aceitassem o conceito de fazer algo assim. Como você conciliou isto?
Certamente algo deve ter desencadeado dentro de você.

WT: Durante aquele verão de 1965, tivemos muitas experiência que


chacoalharam meu sistema de crença e me levaram a ser mais receptivo para a
possibilidade da intervenção divina. Quando o Curso começou, eu diria que
não era realmente mais um agnóstico.

Helen, no entanto, teve grandes dificuldades com o Curso considerando suas


próprias crenças pessoais. Ela continuou a questionar o que estava
acontecendo com ela no tempo em que ela estava transcrevendo o Curso, e
não tenho certeza se ela algum dia foi capaz de conciliar o que ela estava
fazendo com o que ela era.

NR: É interessante como você freqüentemente usa a palavra “missão” em


relação ao seu envolvimento e o de Helen com o Curso. Por quê?

WT: Bem, os eventos que vivenciamos que conduziram ao ditado do Curso


parecia para nós uma preparação para uma missão que de alguma forma, em
algum lugar, tínhamos combinado em fazer juntos. Num certo sentido
estávamos cumprindo a nossa função.

NR: Os eventos que você refere como precedentes ao ditado do Curso pela
Helen envolveram um número de experiências psíquicas e místicas que ela
teve. Você teve experiências similares?

WT: Sim, mas nunca pareciam tão dramáticas como os da Helen. No entanto,
um que teve um efeito profundo em mim ocorreu no domingo de Páscoa de
1970. Eu tinha combinado levar Jean, uma artista idosa, para jantar no
Greenwich Village com alguns outros amigos artistas. Estava muito frio, um
dia típico de inverno tempestuoso, com chuva de granizo e ventos fortes -
incomum para aquela época do ano. Estando sem carro, percebi que ia ter
muita dificuldade para conseguir um táxi, então meditei brevemente sobre o
que fazer. Recebi uma mensagem clara que eu devia ir para a esquina da rua
78 com a Quinta Avenida, perto de onde eu morava, exatamente às 3:15, e o
problema teria sido resolvido. Tive uma resistência enorme para fazer isso,
mas do mesmo jeito vesti minha roupa de tempestade, andei até a esquina, e
tentei chamar um táxi. Como eu estava competindo com todos os porteiros da
Quinta Avenida, parecia totalmente inútil.

Então só por um momento fechei meus olhos e abandonei todos os meus


pensamentos conturbados, dizendo para mim mesmo: “Obrigado, Pai, isto já
está feito.” E por um instante eu realmente acreditei nisso. Quando abri meus
olhos, uma limusine guiado por um chofer tinha parado bem na minha frente
na esquina e o motorista baixou os vidros e perguntou, “Posso te ajudar
senhor?” Isto, qualquer um que esteve em Nova Iorque ou morado lá, sabe
que era altamente improvável de acontecer.

Eu fiquei muito tentado em perguntar porque ele tinha parado para mim, e
então percebi que esta seria uma pergunta inapropriada. Eu devia
simplesmente aceitar este presente. Entrei e fomos até a Jean para pegá-la. Ela
ficou felicíssima que eu fui apanhá-la numa limusine!

Uma coisa interessante, também, é que eu não tinha discutido o preço com o
motorista. Ele simplesmente me pegou sem nenhuma pergunta, e quando
chegamos no nosso destino perguntei quanto era, e ele me disse algo ridículo
como cinco dólares. Eu acho que dei a ele muitas vezes mais do que aquela
quantia por causa da minha enorme gratidão e alívio.

NR: Que outras experiências semelhantes?

WT: Enquanto estávamos no processo de transcrição do material do Curso, eu


rezei para que pudéssemos encontrar um exemplo vivo de professor - alguém
que incorporasse esses ensinamentos em sua própria vida. Mais ou menos
nesta época um padre amigo meu, Padre Michael, me falou de Madre Teresa
da Índia. Devidamente impressionado, eu obtive uma copia de “Something
Beautiful for God” de Malcolm Muggeridge, o primeiro livro que descreve o
espantoso trabalho de cura da Madre Teresa com os mais pobres dos pobres.

Pouco depois de ter lido o livro, Padre Michael me informou que Madre
Teresa atualmente estava em Nova Iorque. Recentemente ela tinha fundado
um Centro em Nova Iorque para sua ordem no Sul do Bronx - naquela época,
a pior de todas as áreas dominada pela pobreza e criminalidade em Nova
Iorque - e tinham pedido a ele para ajudar a facilitar seus preparativos do
local. Ele convidou a Helen e a mim para juntar-se a ele para visitá-la no
Bronx.

Inicialmente, me senti apreensivo por ter minhas preces respondidas, pois eu


não tinha a certeza que eu estava preparado para encontra uma santa viva. No
entanto, quando esta minúscula mulher nos encontrou graciosamente com suas
palmas estendidas, senti quase que uma sensação de alívio instantâneo. Era
como se eu a sempre tivesse conhecido. Completamente abnegada e sem
pretensão, ela radiava alegria do total compromisso espiritual. Mais tarde,
quando ela se virou para mim e disse, “Doutor, você não gostaria de ir à
Índia? Há tanto que você poderia fazer para ajudar os pobres.” Senti um
impulso quase irresistível para responder, “Sim!”

Eu me encontrei com Madre Teresa em inúmeras ocasiões desde aquele


tempo, incluindo uma visita que ela fez com o Padre Michael em nossos
consultórios no Centro Médico um ano antes da Helen se aposentar. Para
mim, sua vida é uma demonstração de importância de total dedicação e
consistência completa no caminho espiritual. Nossas preces são respondidas,
embora freqüentemente das formas mais inesperadas.
NR: Houve uma especulação de que você e Helen editaram o Curso.
Editaram?

WT: Não. Tenha em mente que no começo não sabíamos exatamente o que
estava acontecendo. Então fizemos perguntas de natureza pessoal e
registramos as respostas que Helen recebia. Eu datilografava essas respostas
como parte de um processo contínuo, sem distingui-los do ditado interior que
Helen estava registrando com seu caderno de taquigrafia. Mais tarde, quando
percebemos que este material obviamente não era parte do Curso, nós, de fato,
o apagamos. É verdade que houve edição de maiúscula, pontuação, parágrafos
e títulos de seção no Texto. No entanto, essas mudanças foram pequenas e o
Livro de Exercícios e o Manual para Professores também aparecem
exatamente como foram anotados por Helen.

NR: Poderia dar um exemplo do material pessoal que vocês apagaram?

WT: Ah, havia perguntas como, “Há alguma coisa que deveríamos estar
fazendo que aumentaria nossa habilidade para meditar melhor?” Havia
também alguns comentários sobre teorias psicológicas que foram introduzidas
como digressão intelectual no início, que não tinham nada a ver com o Curso.

NR: Resumidamente, qual você acha que é o propósito do curso?

WT: Nos ajudar a mudar nossas mentes sobre quem somos e o que é Deus, e
nos ajudar a desapegar, através do perdão, nossa crença na realidade da nossa
separação de Deus. Aprender a como nos perdoarmos e perdoarmos os outros
é realmente o ensinamento fundamental do Curso. O Curso nos ensina a como
nos conhecermos e como desaprender todas aquelas coisas que interferem
com o nosso reconhecimento de quem somos e sempre fomos.

NR: Por que você acha que ele foi nomeado “Um Curso Em Milagres” Por
que não um Curso em Amor ou Perdão ou Verdade?

WT: Por boas razoes, nós percebemos mais tarde. Eu me lembro, no entanto,
quando Helen me ligou naquela noite memorável e disse que uma voz interna
estava ditando para ela e ficava repetindo, “Este é um curso em milagres, por
favor tome notas.” Naquela época, eu certamente não respondi positivamente
ao título. No entanto, quando você entra no Curso e então na definição do que
é um milagre, realmente faz sentido. De fato, é o único nome apropriado para
o Curso.

NR: E um milagre é …
WT: Eu acho que um milagre é o amor que sustenta o universo. É a mudança
na percepção que remove as barreiras ou obstáculos para nossa consciência da
presença do amor em nossas vidas.

O Curso também nos diz que não há ordem de dificuldades em milagres - um


não é mais difícil do que outro, já que a expressão do amor é sempre máxima.

NR: Qual foi a sua reação como um psicólogo quando o Curso apresentou o
conceito de que há somente duas emoções: amor e medo?

WT: Eu me lembro bem nitidamente datilografando esta seção, “Você tem


somente duas emoções, medo e amor, uma você fez e uma foi dada a você.” E
me lembro de pensar que esse conceito realmente toma conta do problema
psicológico de diferentes estados emocionais por completo. E é verdade, por
exemplo, que raiva é simplesmente uma expressão de medo em ação. Não
posso ficar bravo a menos que primeiro me sinta ameaçado de alguma forma,
que significa que estou com medo. O amor é realmente a única outra emoção
que existe, e ele simplificou bem as coisas para se reconhecer isso como um
fato.

NR: E o que é amor pela sua definição?

WT: Muito simplesmente, amor é ausência de medo. Você poderia também


dizer que medo é ausência de amor. Amor e medo não podem coexistir ao
mesmo tempo, embora muitos de nós tentemos viver como se eles pudessem.
Nós tentamos equilibrar um pouco de medo com um pouco de amor, e
esperamos que possamos saber a diferença. Ainda assim quando nos
desapegamos do medo por um instante, o amor está lá automaticamente. Não
é algo que temos que achar ou procurar, amor simplesmente é.

É bem parecido com o sol que está escondido pela neblina num dia enevoado.
Embora não possamos ver o sol, sabemos que ele está lá. No momento em que
a névoa desaparece podemos vê-lo. É o mesmo caso para nós, no momento
que paramos com os nossos pensamentos de medo podemos aceitar o amor e a
luz que sempre estão lá.

NR: Isto realmente implica em confiar que está sempre lá, ainda assim parece
que somos sempre trazidos para um lugar, como se fosse um precipício, e
pedem para darmos mais um passo, com fé de que ainda está lá. É realmente
difícil de ser fazer, ou reunir a confiança para fazer.

WT: Freqüentemente me refiro a isso em minha própria vida como


“brinkmanship* celestial” - quando estamos lá fora, caminhando sobre a
prancha sem saber o que vai acontecer em seguida. Mas de que outra maneira
pode se dar o aumento da nossa consciência do nosso potencial dado por Deus
se não nos arriscamos a mergulhar no desconhecido? Eu acho que todos nós
temos que estar pelo menos parcialmente dispostos a tentar descobrir se há
uma maneira diferente e melhor de viver, senão nós simplesmente
preservaremos o mesmo velho padrão em nossas vidas.

*A prática de buscar vantagens, dando a impressão de estar disposto e ser


capaz de levar adiante uma situação extremamente perigosa até o limite em
vez de ceder.

NR: O Curso também faz uma distinção entre o ego e o Ser em outros termos
que não são convencionais. Qual foi a sua reação a isso como um psicólogo?

WT: O termo “ego” como é usado no Curso se refere ao ser superficial ou


falso, que se identifica com o corpo como sua forma de expressão externa.
Esta identificação corpo-ego é o ser que nós fizemos como contraste ao Ser
espiritual que Deus compartilha conosco. O ego é realmente nossa crença num
ser separado de Deus. A projeção deste pensamento de separação ergue um
mundo de forma. O ego acredita que este mundo fenomenal existe
independentemente, apesar de não ter existência à parte da mente dividida que
o projetou.

NR: Um dos conceitos mais provocativos que o Curso apresenta é que este
mundo é ilusório, não real, e que Deus não está realmente envolvido. Que
Deus está somente envolvido e preocupado conosco, não com as nossas
coisas, e que somos nós que as valorizamos, e não Deus. Este é um conceito
muito difícil de se entender e lidar, não é?

WT: Sim realmente. É um desafio e um problema para todos nós. Mas como
você sabe, muitos físicos do século vinte escreveram extensivamente sobre as
implicações da mecânica quântica no misticismo e pensamento místico.

Ken Wilburn recentemente editou um livro intitulado “Quantum Questions”


que lida com o assunto da realidade física e experiências místicas nas
anotações de Einstein, Heisenberg, Eddington, Schroedinger e diversos físicos
vencedores do Prêmio Nobel. Wilber salienta que todos estes notáveis
cientistas desenvolveram uma visão transcendental ou mística do mundo.
Enquanto físicos modernos não provam que o misticismo é verdadeiro, ao
menos removem maiores bloqueios teoréticos da possibilidade da realidade
espiritual. De fato, o material sólido do universo se dissolveu em uma serie de
equações matemáticas abstratas.

A questão aqui é que muitos físicos vêem o mundo material da mesma forma
que o Curso vê: que este mundo é ilusório já que a matéria física não é mais
compreensível em termos de consciência sensorial. De alguma forma nós
estamos percebendo algo que não está lá, e é a nossa percepção que dá
realidade. Então a questão é qual é a natureza do poder que sustenta e está por
trás de todas as formas?

A ênfase do Curso em mudança ou deslocamento de percepção se aplica a


tudo em nossas vidas, não simplesmente ao universo externo, mas também e
mais particularmente aos nossos relacionamentos – a forma que olhamos para
nós mesmos e os outros. Conforme mudamos esta percepção, ou melhor,
conforme mudamos nossas atitudes de medo para amor, de culpa para total
aceitação, então o que vemos como o universo limitado e confinado também
muda.

Qualquer coisa que é perecível é visto como uma ilusão, e qualquer coisa que
é eterna é conhecimento verdadeiro e vem de Deus. O objetivo do Curso,
então, é nos capacitar a mudar nossa percepção ao ponto onde Deus pode nos
levar para o domínio do conhecimento. Seu propósito imediato é nos ajudar a
remover os obstáculos da nossa consciência da presença do amor em nossa
vida diária. Que é tudo sobre o milagre. Quando começamos a reconhecer e
aceitar a presença do amor de Deus em nossas vidas, muitas dessas outras
questões que levantamos simplesmente desaparecem. Elas não tem mais
relevância nenhuma, porque são questões que o ego pergunta baseado na
percepção de um universo limitado e confinado.

NR: Um outro conceito difícil de lidar no Curso é que quando reconhecemos


ilusões pelo que são nos podemos rir delas. Bem, certamente, crises
emocionais são bem verdadeiras e não são engraçadas para muita gente, tais
como morte, tristeza, dor, fome, etc. como você lida com isso?

WT: O Curso sugere que esquecemos de rir no momento em que, pela


primeira vez começamos a acreditar que ilusões eram reais. Talvez uma
maneira na qual podemos encontrar nosso caminho de volta para nossa
natureza real é começar a rir da tolice de muitas das nossas crenças. Norman
Cousins já demonstrou a importância do riso no processo da cura.

Por exemplo, a fim de ajudar alguém, tanto em psicoterapia com no dia-a-dia,


eu não acho que podemos nos identificar com o problema. O que precisamos
fazer é nos identificarmos com a Resposta. Já que qualquer problema é
sempre alguma forma de medo, culpa ou separação. Nossa responsabilidade é
nos identificarmos somente com a Resposta que funciona. Ao oferecer o
Amor de Deus de qualquer forma que seja apropriada, estamos oferecendo a
única resposta que é possível dentro deste mundo. Isto certamente não implica
uma falta de compaixão, muito pelo contrário. Se eu me identifico como o
problema que você ou qualquer outra pessoa tem, isto simplesmente significa
que eu vou sofrer também. E quando eu me junto com você em sofrimento,
ninguém ganha – em vez disso ambos perdemos por reforçar o problema.
O Curso diz que todos os nossos problemas brotam de uma crença que somos
separados de Deus, e a única saída para isso é estender o milagre do amor, que
é a nossa herança natural.

NR: Algumas das pessoas que começam a estudar o Curso, inicialmente ficam
desapontadas que ele não lida especificamente com algumas questões pessoais
e vitais, como o sexo. Por que ele não lida com isso?

WT: Como você sabe, o enfoque real do Curso está no treinamento da mente.
Sua ênfase está no desenvolvimento espiritual ao invés de reforçar nossa
identificação do corpo-ego.

Mas não há nada no Curso que proíba o sexo. O que ele diz é que o corpo é
um veículo neutro para a comunicação do amor. O que eu acho que o Curso
está tentando ressaltar é que a união física nunca poderá resolver o problema
do nosso senso de separação de Deus. Só pode ser um substituto para nossa
tentativa de união com Deus. E por isso que satisfação física como uma meta
num relacionamento nunca é duradouro, nunca permanente para unir
indivíduos. E o mesmo é verdade para muitos outros impulsos físicos e
emocionais que temos que brotam do ego – coisas que nós fazemos para tentar
permanentemente nos unir com outros, que sempre resultam em fracasso.

NR: Um outro assunto específico não discutido no Curso e uma preocupação


para aqueles que o estudam é o assassinato – lidando com isso como uma
ilusão ou através do perdão.

WT: Talvez a dificuldade está em perceber o outro como um corpo somente.


Eu acho que esta é a equação fundamental do corpo-ego, que é responsável
por uma quantidade enorme da nossa infelicidade, o real âmago disso.

Sem dúvida nenhuma, assassinato é uma assunto muito emotivo para todos
nós. Mas a transformação interior da qual estamos nos referindo aqui tem a
ver com a nossa própria mudança na percepção, nossa própria habilidade para
reconhecer que o medo é um problema que todos nós temos. Se ele toma a
forma de assassinato, ataque ou perda, o que nós queremos aprender é como
ensinar amor para que o medo não mais seja parte da nossa consciência. Na
medida em que mudamos nossa própria consciência e nossa própria
conscientização, nós estamos ajudando todo mundo a fazer a mesma coisa, e
eu acho que é através desse processo que nós fazemos a nossa contribuição
para uma sociedade mais sã e um mundo mais são.

NR: Uma outra preocupação vital nesta vida é a morte, morrer. Por que o
Curso não lida com isso para a paz da nossa mente?
WT: Eu acho que ele o faz. O Curso diz muito claramente “Não há morte. O
Filho de Deus é livre.”

De certo modo, já que nós fomos criados eternos, nós literalmente nunca
nascemos, portanto, nunca podemos morrer. Isto é, dentro a estrutura da
eternidade, nós temos sempre existido como uma extensão do Amor de Deus.
Eu acho que a noção de almas recém-nascidas vindo a este mundo material
por alguns anos, e então seguindo para o além não é uma lição que o Curso
ensinaria. O Curso repetidamente declara que nós permanecemos como Deus
nos criou; permanecemos aspectos eternos do espírito e nunca fomos
limitados à forma. Quando o corpo não mais está vivo e animado,
simplesmente significa que não temos mais uso para ele. Nosso corpo não tem
nada a ver com estar vivo ou morto porque nosso corpo não é a nossa
verdadeira identidade.

NR: E quanto aos animais, então? Já que o Curso não os menciona também,
onde eles se encaixam, ou até mesmo os insetos ou plantas e árvores?

WT: O Curso freqüentemente usa a frase “todas as coisas vivas”. Mais uma
vez, o que quer que tenha vida tem vida eterna. Já que toda vida brota de Deus
e é um e inseparável, certamente a força da vida que dá vida aos animais e
plantas é a mesma força da vida que nos dá vida. E eu estou sempre
impressionado com o que os animais podem nos ensinar. Quão rapidamente
um cão, por exemplo, consegue nos perdoar por pisarmos em sua pata. Ele
não guarda rancores, mas nos demonstra amor instantâneo no momento em
que abrimos a porta. Qualquer que sejam as mágoas que poderiam haver não
são levadas na mente de um cão. Então eu acho que animais de estimação são
professores maravilhosos do perdão para todos nós. Eles são extensões do
amor de Deus para trazer alegria e dimensões adicionais de amor para dentro
de nossas vidas.

NR: E quanto a matar certos animais e comê-los? Como isso se encaixa com o
abraçar toda a vida e tentar não ser separado dela?

WT: Muitas pessoas escolheram ser vegetarianos por razões muito boas.
Qualquer coisa que aumente o nosso senso de culpa não faria parte de nosso
interesse próprio esclarecido. Então acho que os estudantes do Curso irão
determinar o que é certo para eles por ouvirem suas próprias orientações
internas.

Jesus nos ensinou a não ficar tão preocupado com o que colocamos na nossa
boca, tanto quanto o que deixamos sair dela. Então não é o que nós comemos,
mas os nossos pensamentos e como nos relacionamos com os outros que
testemunha o nosso progresso espiritual. O que é importante é a oportunidade
que temos a cada momento de escolher entre expressar medo ou amor em
nossas vidas.

NR: Por esta premissa, então, poderíamos concluir que corpos não são vida.

WT: O corpo é um veículo de comunicação e aprendizado – a fonte da vida é


sempre espiritual.

O Curso nos ensina que toda vez que temos perguntas sobre qualquer uma de
nossas decisões ou escolhas nesta vida nós podemos pedir ajuda, fazendo isso
do nosso guia interior ou como o Curso refere-se a ele, o Espírito Santo.

NR: Em relação à orientação interna, o Curso nos previne sobre obtê-la do


ego, não previne? Como se distingue entre ele e o Espírito Santo? Como você
sabe quem está falando?

WT: Bem, o Curso diz que o ego sempre fala primeiro e que está errado. A
fim de ouvir nossa orientação interna devemos aquietar nossa mente, estarmos
dispostos a abandonar qualquer investimento na resposta e ouvi-la em
quietude, a pequena voz dentro de nós. O fato de que a nossa orientação
interna nunca é estridente, mas que fala conosco com uma voz amorosa e
pacífica, é um sinal de sua autenticidade, eu acho que todos nós temos que
aprender com a prática para fazer esta distinção.

NR: Como você, pessoalmente, lida com este problema?

WT: Se eu não me sinto em paz, eu estou escutando a superfície estática do


meu ego. Então escolho de novo, e tento abandonar as interferências para que
eu possa ouvir a voz gentil do meu guia interno.

O Curso identifica esta Voz como a do Espírito Santo. Ele também diz que
Jesus está igualmente disponível para todos nós desta maneira, o tempo todo.
Desta forma, Jesus é referido como nosso sábio irmão mais velho, cuja
mensagem não é diferente da mensagem do Espírito Santo, já que os
professores de Deus todos têm a mesma mensagem.

NR: Você acha que tais referências tão inconvencionais a Jesus e ao Espírito
Santo, como também aos outros “novos” conceitos em relação ao
Cristianismo, são contraditórios aos Cristãos tradicionais?

WT: Bem, eu acho que se você voltar aos ensinamentos originais de Jesus, a
resposta é não.

Por exemplo, o Curso ilumina e amplia os ensinamentos de Jesus sobre a


importância fundamental do amor e do perdão. Eu acho, talvez, que a religião
institucionalizada tem às vezes perdido de vista a essência daquela mensagem
pela ênfase na culpa.

NR: Então, você não acha que o Curso desafia o Cristianismo, ou qualquer
uma das religiões de hoje?

WT: Eu acho que o Curso está claramente de acordo com a perpétua filosofia
essencial de todas as grandes religiões. Embora hajam algumas diferenças
fundamentais, como o Curso enfatiza sobre desistir da nossa crença na
realidade do pecado e culpa. Religião, como eu a vivenciei quando era mais
jovem, parecia enfatizar os aspectos negativos.

O Curso, no entanto, continuamente nos diz que somos sem culpa; que
permanecemos como Deus nos criou; que podemos estar enganados, mas que
enganos pedem correção e não punição. Conceitos de culpa, pecado e punição
são totalmente alheio à orientação do Curso. O Curso afirma inequivocamente
que o amor é a nossa única realidade e, “Amor não mata para salvar.”

Qualquer religião que enfatiza o medo, a culpa e a separação de Deus,


obviamente teria problemas com o conceito da total unidade e amor do Curso.
No entanto, o Curso não discute religião institucional, e não aconselha
ninguém a desistir de ser membro de uma Igreja. Na verdade, eu acho que o
material do Curso seria muito enriquecedor para as pessoas que querem
desenvolver uma vida espiritual mais rica dentro da sua própria tradição; é
ecumênico.

Eu sei que há alguns pastores, George McLaird da Igreja Presbiteriana em


Sausalito, Califórnia é um deles, que ensinam o Curso regularmente em suas
igrejas. E muitas pessoas afiliadas a Unity Church em todo o país estão
ativamente envolvidas nos ensinamentos do Curso como está o Rev. Terry
Cole-Whittaker, que tem um ministério de grande alcance na televisão.

NR: Você diz que o curso é ecumênico, mas o Curso é decididamente de


natureza Cristã, utilizando os fundamentos Cristãos do Pai, Filho e Espírito
Santo.

WT: Isso é verdade. O Curso realmente utiliza a terminologia Cristã, mas ao


mesmo tempo ele transmite verdades espirituais que é talvez a razão pela qual
pessoas de todas os credos podem achá-lo valioso. Eu acho que o curso
declara isso muito bem quanto diz, “Uma teologia universal é impossível, mas
uma experiência universal não é somente possível como necessária”.

Logo depois que começamos a transcrever o material, eu comecei a ler muito


vastamente a literatura mística do mundo. Um dos escritores mais antigos que
me impressionou profundamente foi Vivekananda, em sua exposição da
filosofia Vedanta da Índia. Ele foi um discípulo do Ramakrishna que no final
de 1800 e no início deste século fundaram diversos ashrams de Ramakrishna e
centros de ensino neste país. A filosofia Advaita Vedanta como exposta pela
Vivekananda parecia ter algumas similaridades gritantes com os ensinamentos
do Curso, embora o contexto e linguagem sejam diferentes. Ao mesmo tempo
eu me lembro de ter pensado que o Curso poderia ser descrito como uma
forma de Vedanta Cristã.

Estudantes do Budismo me dizem que as similaridades entre o Curso e os


ensinamentos Budistas são muito gritantes. Interessantemente também, é o
fato de que muitas pessoas afiliadas ao Curso vieram de educação Judaica, e
acharam extraordinariamente significativo e útil apesar da terminologia Cristã.

Então, estou impressionado do quão ecumênico o Curso é, e que o seu


propósito não é aumentar o nosso senso de separação, mas unir as pessoas. E
estou vendo isso acontecer por todos os lados com centenas de grupos de
estudo que são formados por pessoas de todas posições sociais e religiões que
vem regularmente discutir e estudar o Curso. Para mim, isto demonstra a
junção espiritual, e uma disposição de abandonar o senso de separação de um
com o outro ou de Deus. Isto é realmente tudo o que o curso é.

As experiências que somos capazes de retirar por seguir os ensinamentos do


Curso são muito mais importantes do que ser pego em qualquer armadilha
semântica sobre os termos em particular. Então, eu sou a favor do extenso uso
ecumênico dos conceitos do Curso em uma variedade de contextos, e sei que
as pessoas estão fazendo isso, eu aplaudo isso.

NR: E quanto ao uso exclusivo dos termos masculinos no Curso, tais como
Pai e Filho, Dele ou Ele, em relação às estudantes?

WT: Eu sei que algumas mulheres ficaram perturbadas pelo uso da


terminologia masculina e pensaram em substituir por termos femininos.
Muitas que consideraram fazer isso concluíram que Mãe e Filha, Dela e Ela
somente iria para a outra polaridade. Outras acham que usando a palavra
“Espírito” - um termo totalmente neutro e andrógino – resolve o problema
delas.

NR: Como tem sido a reação de tudo isso entre os seus antigos amigos e
colegas? Simpatizantes, amparadores, dissociativos, preocupados?

WT: Não tenho tido contato com muitos deles, embora os poucos com quem
tenho contato são simpatizantes com o material. Eu não tenho idéia de qual
seria a reação geral entre meus antigos colegas, nem tentei descobrir. No
entanto, tenho certeza que muitos deles teriam pensado que eu e Helen
estávamos loucos naquela época se eles tivessem sabido o que estávamos
fazendo. Apesar disso, tenha em mente que tudo começou em 1965, e agora é
1984, eu acho que há muito mais receptividade aos conceitos espirituais do
que havia dezenove anos atrás. Então, talvez não é realmente justo especular
isto agora.

NR: Então, naquela época, você e Helen não mostraram nada para ninguém,
mantiveram escondidas as suas atividades e completamente em segredo.

WT: Sim. E certamente eu não teria mostrado isso a eles. Eu tinha mais senso
do que isso. Minha missão como eu encarei era eu mesmo aprender o que
tinha no material e não confundir minhas responsabilidades no Centro Médico
com a nossa transcrição do Curso. Mas como eu disse, este é um outro dia,
muito mais brilhante.

NR: O que você acha disso tudo agora; o fato de que você era uma parte
especial e integral daquilo que algumas pessoas proeminentes têm se referido
a “Um Curso Em Milagres” como um dos documentos mais importantes do
século?

WT: Francamente, Helen e eu não tínhamos a intenção de publicar o Curso


quando estávamos transcrevendo-o. Muito pelo contrário. O material parecia
especificamente para a nossa educação espiritual. Nós nos referíamos a ele
como nosso “segredo culposo” algo que nos comprometemos a fazer, mas
naquela época não havia nenhuma indicação de que deveríamos compartilhá-
lo com outros.

Quando nós concordamos em tê-lo publicado anonimamente, eu pensei que


pouquíssimas pessoas se interessariam em mudar as suas percepções através
dos métodos sugeridos pelo Curso – achei isso difícil demais. Certamente em
toda a minha vida, eu nunca esperei que milhares de pessoas se refeririam ao
Curso como o mapa deles para casa.

Sou grato por Helen e eu termos sido capazes de completar nossa parte em
tornar o Curso disponível, e sou igualmente grato ao grande número de
estudantes hoje que estão fazendo suas próprias contribuições de muitas
maneiras diferentes. Com muitas traduções já a caminho, é evidente que os
conceitos do Curso continuarão a alcançar inúmeros leitores.

É maravilhoso saber que tantas pessoas espalhadas no mundo todo estão


utilizando o Curso para facilitar o despertar espiritual delas mesmas. Eu acho
que o Curso declara o que está acontecendo com clareza poética na seguinte
passagem:

"Uma mente adormecida deve despertar, à medida que ela vê sua própria
perfeição espelhando ao Senhor da Vida tão perfeitamente ela se desvanece no
que esta refletido. E agora não é mais um mero reflexo. Ela se torna a coisa
refletida e a luz que faz o reflexo possível. Nenhuma visão agora é necessária.
Pois a mente desperta é aquela que conhece a sua Fonte, seu Ser, sua
Santidade.”

NR: Quais são seus planos de agora em diante?

WT: Atualmente estou trabalhando num livro com Jerry Jampolsky, um


psiquiatra, e Pat Hopkins, um escritor e editor, baseado nos conceitos
relacionados ao Curso. Este livro será publicado pela Bantam em algum
momento do próximo ano. Recentemente, completei um capítulo com Roger
Walsh, um outro psiquiatra, para o “The Comprehensive Textbook in
Psychiatry,” editado por Freedman e Kaplan, que também será publicado no
começo de 1985. Meus objetivos imediatos são continuar a exploração de
maneiras nas quais os conceitos do Curso possam ser aplicados na minha vida
e estendidos para ajudar os outros.

*************

Graças a Jesus! Obrigado Bill! Obrigado Helen! Suas contribuições são para
sempre profundamente apreciadas. Façamos um momento de Silêncio em
gratidão a Ajuda Sempre Presente que é oferecida a todos através de Um
Curso Em Milagres e muitos outros símbolos em todo o cosmos.

Venha e Veja

Amado Milagre

Não resta nada para buscar neste mundo quando ele pode ser trocado por um
outro. Nenhum pensamento de ganho ou perda, vencer ou perder, sucesso ou
fracasso jamais teve algum significado. Fantasia não é real e sonhar não é Ser
Um. Você está pronto para Despertar para a Unidade. E conforme você
desperta o mundo todo desperta também. Pois o mundo nunca foi mais do que
uma percepção equivocada. À medida que a percepção se torna íntegra, a
mente solitária vê somente integridade. Pelo menos você está pronto para ver
com a Visão Interna, e você reconhece que a “vista física” não era nada senão
ilusão de estar na escuridão. A Luz chegou e é hora de regozijar-se! Está na
hora!

Ensinando e aprendendo o verdadeiro perdão é estar consciente que nunca se


está aborrecido por coisa alguma senão pensamentos errôneos, e que aqueles
pensamentos errôneos podem ser liberados. O perdão é a liberação de todas as
mágoas, queixas e ressentimentos que bloqueiam a conscientização do Amor
Divino que é dado por Deus e existe em todos e em tudo. O verdadeiro perdão
é liberar toda raiva, ódio, culpa e medo entendendo que eles vieram de um
erro ou uma crença equivocada que foi somente uma tentativa de esquecer o
Amor de Deus. Vivenciando e estendendo a paz interior é o resultado natural
do verdadeiro perdão, pois quando um erro é posto de lado e a Correção
curativa é aceita no lugar do erro, a paz prevalece. Para estender a paz,
devemos ser pacíficos. Para ensinar a paz, devemos aprendê-la para nós
mesmos. Ninguém pode oferecer uma dádiva que não possui. Da mesma
forma, a paz da mente não pode ser encontrada fora da própria mente, pois
isto não depende do mundo. A paz vem de Deus e é uma extensão natural de
Deus. Portanto, a prece e a meditação são aconselhadas como meios para paz
e harmonia. Religião é a experiência da paz interior e educação (que é o
desaprender da falsidade) é somente um meio de chegar até a experiência da
paz interior.

Fomos trazidos juntos por Deus para servir o Plano do Despertar, para
tratarmos uns aos outros com dignidade, respeito, gentileza, santidade, e para
Despertar para o nosso Amor Divino. Nos aproximamos do nosso propósito
por nos unirmos em grande reverência e devoção. Este é o âmago da nossa
vida em Deus. Nosso relacionamento é o nosso Relacionamento com tudo e
com todos, pois vivemos e amamos com Deus vive e ama,
incondicionalmente, todo inclusivo, a livre de especialismo. Não é ciúmes ou
exclusão no Amor. Nos unimos a tudo vivenciando a inclusividade da família
de Deus, onde nenhum irmão ou irmã é vista como separada ou à parte do
Todo de Deus. Nossos corações estão cheios de amor e gratidão pelo nosso
Relacionamento com Deus. Estamos contentes que esta alegria não é
dependente de onde os corpos pareçam estar ou não, ou se eles não pareçam
estar “juntos”. Nós somos criados por uma Idéia Pura, e nós somos como a
nossa Fonte. Nós somos Espírito como Deus é Espírito, e estamos
transbordando de gratidão que está verdade está alvorecendo como a Mente
que compartilhamos. Nossa caminhada juntos é pelo Propósito de aceitar a
nossa Fonte Divina e colocar de lado todo pensamento do mundo como uma
fonte de qualquer coisa.Agradeço a sua devoção para com o Despertar!

Desencobrindo o Momento Presente - O Reino ao Alcance das Mãos

A verdade está dentro da mente. Mesmo assim há um sistema de crença que


produz decepção, um estado de inconsciência, que obscurece a consciência da
verdade. Nós temos uma oportunidade, uma maneira profundamente
significativa, nos unirmos e olharmos calmamente para os obstáculos do
Amor e pedir ao Espírito para trazer iluminação. A mente que percebe a si
mesma como existindo dentro de um mundo de dualidade sempre age de um
sistema de crença dualística. Questionar continuamente este sistema de crença
dualística é freqüentemente percebido como incomodo e opressivo; contudo,
este questionamento é necessário se queremos atingir o estado constante de
paz.
Existe somente um Espírito, mas parece haver muitos pensamentos, emoções,
e percepções que ocultam a consciência do Espírito. Todas essas coisas são
tentações para esquecer o Ser e Deus. Se a fé é dada a essas ilusões, não a
disposição para questionar a falsa crença que está encoberta que na raiz de
toda percepção equivocada. É muito importante para nós sermos receptivos e
dispostos a deixar o Espírito Santo nos ajudar a tirar o véu desta falsa crença.

A mensagem que estou compartilhando é que a verdade está dentro de você e


que a paz consistente da mente é a meta que você pode e inevitavelmente tem
que atingir, porque está é a única Realidade. É uma paz que entra na
consciência por estar em sintonia com aquela pequena Voz tranqüila de
dentro, e desapegando-se da outra voz na mente equivocada, o ego, que é a
voz do conflito, medo, e esta discussão é o meio de ajudar cada um de nós a
aprender a ouvir somente a Voz por Deus ou a Voz para paz, e desta forma
dar um fim no auto engano.

Esta voz por Deus ou pela paz poderia ser chamada de intuição ou guia
interior. Você pensar nessa Voz como um “Saber Interior” ou “Poder
Superior”. O que nós queremos fazer é ir além das palavras, que são formas, e
ir mais fundo. Nós queremos nos unir como uma intenção de vivenciar clareza
da mente e paz de espírito. Nós queremos chegar ao momento presente, para o
reconhecimento que bem agora, neste exato momento, somos perfeitos. Não é
uma questão de tentar criar ou melhorar o nosso ser.

Não importa quão aperfeiçoado ou cheio de si o ser pareça ser, nunca será o
imutável e eterno Ser que Deus criou. Devemos estar cientes da armadilha de
pensar que a felicidade, paz de espírito e salvação estão em algum lugar
distante no futuro. O conceito linear (passado – futuro) do tempo é parte do
sistema de crença dualista que deve ser questionado. Existe uma grande
alegria e contentamento ao vivenciar o AGORA. Deus não está se recusando a
nos contar o que ele sabe ou balançando a recompensa da paz eterna na nossa
frente, dizendo “Aqui está a Iluminação, continue tentando alcançar... OPA,
você errou de novo.” A iluminação está bem aqui, bem agora, para a mente
que está pronta, aberta, e disposta a reconhecê-la.

O Reino dos Céus está ao alcance das mãos, significa Agora. Agora é o portão
para a Eternidade. Pois o tempo e a eternidade não podem existir juntas. Tudo
é Um com Deus, e eu sou grato pela Amada Eternidade que é Real e
Verdadeira. Agora é o tempo da Salvação.

A Meta de Um Curso em Milagres

O Curso freqüentemente fala da sua meta; não a busca da luz, de Deus ou da


Verdade, mas do verdadeiro perdão, o desfazer do ego e seu sistema de
pensamento. Seu foco principal é a Expiação, que é o completo perdão, mais
propriamente do que Deus. Deus é, mas os obstáculos para a consciência do
Amor parecem obscurecer aquela Realidade. A teologia é apresentada para o
aprendiz a fim de ajudar o aprendiz a distinguir entre ilusões e verdade para
que os obstáculos da consciência do Amor possam ser removidos. O seu
propósito não é fazer com que as palavras sejam especiais ou religiosas ou
sagradas. Seu único propósito é dar à mente dividida as ferramentas para
escolher o Espírito Santo vendo o que é falso e assim curando a separação. O
observador aprendeu fixando na memória a esfera perceptiva do tempo e
espaço; e agora o tempo e o espaço serão usados para desaprender. A
verdadeira religião não é encontrada na palavra, ou num texto sagrado, é
encontrada no desfazer da crença de que a santidade é encontrada na forma.

A Pergunta Impossível e outros Assuntos Preliminares

Nota do editor: Esta transcrição foi superficialmente editada para fazer com
que certos pontos do diálogo sejam claros e para facilitar a leitura. Por esta
razão, ela não corresponde exatamente palavra por palavra o áudio em mp3.
No entanto, o conteúdo geral e as idéias expressas permanecem intactas.

Contexto: O orador começa o diálogo explicando como desencobrir as


suposições ocultas na mente e que as soluções para o que parecerem ser
problemas específicos no mundo não podem ser resolvidos neste nível; no
nível desses específicos. Este é o ponto de partida, com as crenças
específicas. Os problemas só existem ao nível da mente e também as suas
soluções.

Orador: Então o que eu vejo é [que aqui estão] as questões e você começa
com os específicos. Quero dizer não tem como evitar, senão começar com
questões específicas. E então o que nós queremos fazer é: nós queremos pegar
situações específicas, coisas específicas desse tipo, e então começar a olhar as
crenças das suposições subjacentes. Bill e Helen que estavam tomando notas
do Curso, num ponto, no início, eles disseram, “Como isso pôde ter
acontecido? Como qualquer uma dessas coisas aconteceu? Se Deus é perfeito,
e o Filho é perfeito, como isso... como poderia o impossível acontecer?” E
Jesus discursa sobre isso no começo do texto onde ele está dizendo, “Você
ainda está procurando por uma resposta histórica como se algo tivesse
acontecido no passado.”

É uma outra manobra de adiamento. E especificamente [as questões], “Como


o impossível aconteceu? E para quem o impossível ocorreu?” esses tipos de
questões Jesus simplesmente diz, “Bem, o ego vai fazer todos os tipos de
pergunta [em torno do], ‘Como o impossível aconteceu?’ etc. Não há
nenhuma resposta. O Curso não tem nenhuma resposta para essas questões.
Mas existe uma experiência. Busque a experiência na qual essas questões se
dissolvem.”

A fim de dizer, ‘Como o impossível aconteceu?’ tem que haver uma


suposição que está por baixo da questão, ‘Como o impossível aconteceu.’
Qual é a suposição? Que o impossível aconteceu! Você vê. Agora o que nós
iremos questionar é ‘como?’ ‘Como isso aconteceu?’ Ah ha! Já tem uma
suposição por baixo disso de que isso realmente [aconteceu]. É por isso que
tudo o que fazemos quando nos unimos é apenas questionar todas as
suposições. E quando uma mente se mantém fazendo isso, por assim dizer,
você não pode evitar, mas chegar à experiência, ‘Ahhhh! Eu Sou!’ Ponto
final. Você não precisa de nada depois disso. Eu sou como Deus me criou... a
experiência disso.

Participante 1: Eu tenho tantas outras perguntas agora e nem sei se deveria


perguntá-las.

Orador: Pergunte.

Participante 1: …porque elas poderiam ser específicas demais.

Participante 2: Poderiam não é relevante.

Orador: Isso é proveitoso. Como nesta tarde quando você estava falando da
sua percepção das coisas que estão se passando com os negócios e tudo mais.
Isso não é uma questão de tentar pular [pra frente] e dizer, ‘Eu deveria
reconhecer que eu sou uma única mente e eu não vou fazer um monte de
perguntas estúpidas para entender isso.’ Não! É bom examinar todas as
questões que você tem. Esse é um bom modo de olhar para [o que são as
crenças] por baixo das minhas questões, que é o que nós fazemos quando nos
reunimos. Inicialmente quando nos reunimos... você estava dizendo, 'Onde
está o Mark agora?' ou 'Onde está a mente dele?' eu quero sentir aquela
conexão [nota do editor: refere-se a alguém que pode ter falecido.] E essa é
uma boa questão de partida para começar a entrar no 'O que é a mente?' e
começar com isso. Ou até mesmo hoje, se parece que existem coisas não
resolvidas com os negócios ou parece haver coisas não resolvidas com a
Celeste ou o que quer que seja, é aí onde você começa, com essas coisas. E
então você só pega onde você percebe que você está, e começa a trabalhar
com isso e trabalhar [pra cima]. [nota do editor: De fato esta é a abordagem do
“de baixo para cima” para a cura discutida em UCEM]

Participante 2: E tudo o que eu estou dizendo é que se você fica com a


especificidade que você está descrevendo, isso só fica girando e girando e
girando em círculos e não vai a lugar nenhum, e não há respostas nesse nível.
É como ir para um outro nível para baixo da especificidade.
Participante 3: Mas você precisa começar fazendo algumas perguntas antes
de atingir aquele nível.

Participante 2: Certo.

Orador: Sim.

Participante 1: Se eu fico só fazendo essas perguntas específicas por dez


anos ou até mesmo por dois anos, então isso não está certo?

Participante 2: Não é certo ou errado ou bom ou ruim é apenas que você tem
ultrapassar isso.

Participante 4: A paz está em conseguir ultrapassar isso.

Participante 2: E você pode continuar com a especificidade indefinidamente.


Não é como dizer, 'Bem, você alcançou um certo ponto onde você nunca mais
vai falar sobre especificidade.' Eu não acho que é esse o ponto em que se está
tentando fazer, é mais que você não pode ficar na especificidade e tentar achar
uma solução específica nesse nível.

Participante 5: Mas então você está dizendo que o Espírito Santo não
interviria se ela tivesse um pouco de disponibilidade. Se ela tem o desejo,
então a resposta está lá. Você só tem que sair do caminho para ver isso. Quero
dizer o ego, em outras palavras. 'O'... ego.

Participante 4: Então onde estão todas as outras questões? Porque vão ser
úteis por todo o caminho.

Participante 1: Eu simplesmente esqueci todas elas, eu acho.

Participante 5: Bem elas voltarão. Vamos continuar.

Orador: Quando elas borbulharem, em outras palavras, teremos sessões onde


simplesmente, viremos, ficaremos quietos e quando elas borbulharem na
consciência, então há um ímpeto para olhar alguma coisa. Quando há uma
questão real, aí então é como, 'Oh vamos explorar isso.' Não é como ir à caça
as bruxas e dizer 'Certo, vou tentar remexer a poça e tentar trazer todas as
questões.' É simplesmente como que elas surgem na [consciência].

Participante 6: Você vê eu tinha tudo isso realçado. Por que isso fez mais
sentido do que o conhecimento?

Participante 5: Você conhece essa? “Alguns vêem isso quando estão


morrendo, e se erguem para ensinar.” A metáfora para o significado disso não
poderia... não a morte dos corpos, mas a morte dos pensamentos ou a morte
das idéias ou a morte das crenças ou seja o que for, não poderia se dizer isso
em vez de... simplesmente sair do corpo? Alguns não veriam isso
repentinamente no ponto do, 'Oh! É aí que está a minha crença!' Está
morrendo para o velho homem. (o homem não é mais o mesmo)

Participante 2: Faz sentido neste contexto também.

Orador: Sim.

Participante 1: Alguns enxergam isso no ponto da experiência, talvez? Se


isso faz sentido... da experiência, uma experiência?

Participante 2: Ou em vez de morte, despertar... o ponto do despertar para a


verdade.

Participante 5: Certo. Ver que isso é apenas uma crença na mente errada.
Quero dizer, você esteve lá, você tem a disponibilidade, e de repente você vai
em direção à luz. Lá está ela! Ela estava lá o tempo todo mas agora você a vê.
E isso só muda tudo. E como se fosse a morte – desvencilhando – ou seja lá o
que você disse. Sua percepção simplesmente muda.

Orador: É interessante que haja tantas metáforas diferentes. Há aquela


também na Bíblia de 'morrer para o ser viver...'

Participante 5: Sim!

Orador: … e mais uma vez todas podem ser úteis. Muitas vezes, embora as
pessoas pegarão algo como morrer para o ser, ou até o que Rhonda estava
expressando hoje, 'Uau, parece que alguma coisa está morrendo...' E só tomar
cuidado para não virar para a idéia de que o ego deve morrer. Porque o ego é
morte, e em vez de matar o ego ou o ego morrendo, tudo que isso é, é uma vez
que é erguido à luz ele simplesmente desaparece.

Participante 2: Eu acho que é mais a experiência de se identificar com o ego


parece mais e mais com a morte. E é aí que a sentimento da morte entra.

Orador: Sim.

Participante 2: Não é como o ego indo embora. O ego estando na


consciência.

Orador: Sim, que ainda é mentalidade errada, é só a percepção da mente


voltada para o erro, a percepção disso [morte].
Participante 2: O que mais poderia ser a morte? [Rindo]

Orador: Então de um certo modo não é que o ego morre, mas o ego está
morto. É um desejo de se separar de Deus. E uma vez que a mente abandona o
desejo de ser separada, “Onde está o ego? O que é o ego? Onde estava o
ego?”
[Gargalhando] É como se ele simplesmente se dissolvesse nisso.

Participante 1: E então o quê? E então o que acontece com o corpo? O ego se


foi. Nós não temos nada aqui.

Participante 4: Quando o ego se vai, a mente não mais se identifica ou pensa


que está aqui ou pensa que é um corpo.

Participante 2: Então se o corpo parece estar aí ou não, nem mesmo importa.


Quero dizer, estou falando, mas eu não sei, eu não vivenciei isso, então de
novo, quero dizer é um tanto sem significado.

Orador: Vou te falar de uma pequena passagem do livro de exercícios onde


Jesus leva até o ponto que estamos falando. E [Ele diz], “E quanto a isso? E
quanto a isso? Eu não posso falar disso.” [Risadas] Isso um tanto que aponta
que, [deduz] 'É indizível.' Então novamente... nós nem queremos tentar
descrever isso ou tentar colocar a nossa atenção nisso [a experiência de União
com Deus]. Mas, mais uma vez apenas olhar para, 'O que... o que está
bloqueando a minha consciência disso?' É como a luz está bem aí, mas tem
que haver alguns bloqueios que parecem estar mantendo alguém na escuridão.
Então não é útil descrever a luz, mas apenas continuar olhando para os
bloqueios, as barreiras.

Participante 4: Busque o que é falso.

Orador: Sim. E são todos os conceitos que nós ficamos falando; bom
cidadão, masculino, feminino, jovem, velho, marido, mulher, avós,
trabalhador, Americano... todos esses conceitos.

Participante 3: Bom Americano.

Orador: Bom Americano, patriota, e assim por diante. [Rindo]

[Lendo uma lição que não foi especificada de UCEM]


“E alguns acha-la-ão nesse curso e nos exercícios que fazemos hoje. A idéia
de hoje é verdadeira, porque o mundo não existe. E se, de fato, o mundo for a
tua própria imaginação, então podes soltá-lo de todas as coisas que jamais
pensaste que ele fosse, apenas mudando todos os pensamentos que lhe deram
essas aparências. Os doentes são curados quando abandonas todos os
pensamentos de doença e os mortos ressuscitam quando deixas os
pensamentos de vida substituírem todos os pensamentos de morte que jamais
tiveste.

Uma lição anterior já repetida uma vez tem que ser novamente enfatizada
agora, pois contém o sólido fundamento para a idéia de hoje. Tu és como
Deus te criou. Não há lugar algum onde possas sofrer, nem tempo algum que
possa trazer qualquer mudança ao teu estado eterno. Como pode existir um
mundo de tempo e lugar, se tu permaneces tal como Deus te criou?

O que é a lição para o dia de hoje, senão um outro modo de dizer que
conhecer o teu Ser é a salvação do mundo? Libertar o mundo de todo tipo de
dor é apenas mudar a tua mente sobre ti mesmo. Não existe nenhum mundo à
parte das tuas idéias porque as idéias não deixam a sua fonte e tu manténs o
mundo dentro da tua mente em pensamento.”

Isso é o que eu tenho feito o caminho todo, tenho questionado, questionado,


questionado. E ao questionar, por assim dizer, é como: Oh sim, eu estava
bravo com o governo dos EUA por causa do Vietnã. Eu estava bravo com os
policiais que me pararam sem nenhuma razão. Eu estava bravo com a Receita
Federal por cometerem erros no imposto de renda. Eu estava bravo com meus
pais por coisas que eles fizeram algumas vezes ou falharam por não fazer. Eu
estava bravo com os professores que me envergonharam. Eu estava blá blá
blá... Mas quanto mais eu questionava eu cheguei realmente a ver que eu
inventei isso. Não havia nenhuma razão justificável para estar bravo com
ninguém, especialmente porque eles não estão separados da minha própria
mente.

Participante 2: "Idéias não deixam a sua fonte." [Rindo]

Orador: Sim.

Participante 2: De onde vieram essas idéias de todas essas pessoas que


fizeram essas coisas?

Orador: Sim. E incluindo a idéia do 'David a vítima' de todas essas coisas. Eu


o inventei.

Participante 1: Então por que o David ainda está aqui?

Orador: Bem você pode perceber isso desse jeito. Eu estava falando para
Beverly e Rhonda hoje, mais cedo...

Participante 1: Eu estou te inventando?


Orador: Bem, esta imagem é apenas uma projeção. Quero dizer isso é o que
você começa a ver; esta é a imagem. Em outras palavras, se você pensa sobre
isso desse jeito se as coisas que estão saindo da sua boca parecem estar
fazendo sentido, se as idéias parecem estar fazendo sentido, então é um bom
símbolo para a sua própria mente...

Participante 2: … das, "idéias não deixam a sua fonte."

Orador: … das, "idéias não deixam a sua fonte."

Participante 2: Onde está a fonte dessas idéias? Tem que estar na minha
mente.

Orador: Sim.

Participante 2: Tem que estar na minha mente.

Orador: Então novamente isto dá poder. Não é como se você estivesse


obtendo isso de algo externo a você, mas você está só lembrando dessas
idéias.

Participante 2: … que já estão na sua mente.

Orador: Seu Ser.

Participante 4: Então quando você disse, “Eu te inventei?” Bem, quem você
quis dizer com o “você”? Você quis dizer o David? “Você” não é o David.
Quem ele é, não é o David.

Participante 1: Certo.

Participante 4: Então, não, você não inventou quem ele é, mas você
realmente inventou o David.

Participante 1: David a imagem.

Participante 4: A imagem, a pessoa.

Participante 1: A pessoa que eu vejo aí.

Participante 4: Sim. E até mesmo aí você tem que voltar para o “Quem é o
'você'?” que inventaria uma imagem. Esse não é realmente você também. Esse
é o 'você' que inventa imagens. A mente equivocada.
Participante 1: Todo mundo está tendo dificuldades com isso como eu estou?
[Rindo]

Orador: Bem, deixe me usar um exemplo, eu gosto de resumir a coisa para a


praticidade. Nós fomos ao Meijer’s hoje, usar esse tipo de exemplo. Ir à
shopping centers costumava me aborrecer porque eu costumava pensar, “Oh
puxa, aqui estamos no templo do ego – e outras coisas mais...” E costumava
ser como “Oh eu realmente preferiria estar num calmo riacho, com pássaros
piando, e me sentir conectado lá, não no Meijer's certamente, ou num
shopping com todos aqueles bugigangas.'

Participante 2: Um exemplo gritante.

Orador: Um exemplo gritante. Mas esta manhã, por assim dizer, vamos
passear no Hampster [nota do editor: talvez referindo-se a um passeio no
shopping]... e estou sentado lá e simplesmente, é como... 'nossa! todas essas
imagens. Mas se 'as idéias não deixam a sua fonte'... são apenas essas
imagens... parecem mais fragmentadas do que quando estou olhando para a
Baía [onde parece que eles estão] apenas umas poucas imagens; tem essa
coisa azul, e um belo céu. E então eu entro no Meijer's, é como
‘psshhhshppsphshshshhsspshpshp!’ Imagens por todos os lados! Mas o alívio
real vem de que uma imagem é uma imagem, é uma imagem. Não importa
quantas vezes você multiplica as imagens, elas são falsas!

Participante 2: Zero vezes zero [é zero].

Orador: Sim, zero vezes zero ou um milhão de vezes zero ainda é zero. Então
para mim... Eu estava, num sentido experimental, tipo que só sentado lá
olhando, deixando os olhos do corpo moverem-se para todas essas imagens e
sentindo muito como se eu não estivesse aqui... um real desapego, como se...
simplesmente como se eu estivesse assistindo um monte de imagens. Então,
isso meio que te dá a sensação do quão liberador isso pode ser. Em vez de,
'Oh puxa vida, estou cercado por todas essas imagens....'

Participante 2: […e eu] ‘mal posso esperar para sair daqui.’

Orador: … como se fossem separadas da minha mente. Não, são todas


imagens do passado. É como a lição número 7, “Eu só vejo o passado.”

Participante 4: E essa figura chamada David é também apenas uma daquelas


muitas imagens, e isso é tudo que é.

Orador: Sim.

Participante 4: Não é quem você é. Você não pensa nisso como sendo quem
você é. É apenas uma das inúmeras imagens que não significa coisa alguma.

Participante 5: E então tipo... o que acabou de passar pela minha mente é,


várias pessoas poderiam ver a sua imagem e te perceber totalmente diferente
do que quando alguém tenta descrever a sua imagem para alguma outra
pessoa. Então a percepção delas de quem você é, é diferente da minha.

Participante 6: Eu vivenciei isso...

(inaudível)

É apenas uma outra parte da percepção... minhas percepções parecem como


que a parte que conseguia olhar exatamente como uma imagem fotográfica...
mas quando eu olho para a imagem fotográfica, elas só vêem a percepção
delas, apenas um lembrete do que elas viram. E não é... e é por isso que uma
fotografia, você olha para uma fotografia de você mesmo... 'Esse não sou eu, a
minha aparência não é essa.'

Participante 4: Ou é como ouvir a sua voz na fita. É como que todo mundo
pudesse pensar que parece você, mas você não acha que é você.

Participante 2: Exatamente.

Orador: Então, pelo que nós estávamos falando sobre a percepção, um outro
modo de resumir o que acabamos de falar sobre a percepção que [?] estava
falando, é que a mente errada é inteiramente subjetiva, que é um outro modo
de descrever a lição número dois no Curso, “Eu tenho dado a tudo o que vejo,
todo o significado que tem para mim.” não tem significado inerente nele ou
dele mesmo, porque idéias não deixam a sua fonte. Estou vendo o que eu
quero ver. Se eu quero ver um dia feliz, um dia alegre, um dia bonito e é isso
que eu quero ver, então é isso que eu verei. Mas se eu descrevo certas coisas,
seja lá a chuva ou a neve ou granizo ou frio ou quente... Se eu acordar e dizer,
'Oh que péssimo dia' – [definitivamente] é um clima péssimo.

Participante 2: Quando estou olhando através do medo eu vejo o caos.

Orador: Sim.

Participante 3: Então você diria que um consenso da massa, que quando está
nublado ou nebuloso – que é um clima ruim e significa ter um dia terrível –
que isso é um tanto como um tipo de coisa do relacionamento especial.

Orador: Exatamente como o Raj… sob a definição de Raj isso seria um


exemplo perfeito do relacionamento especial com o clima, por assim dizer.
Sim.
Participante 2: Sim, porque isso está entrando naquelas sutilezas do
relacionamento especial. Porque quando nós estudamos isso, onde o Curso
leva é, ele diz [que] ver qualquer diferenças em qualquer lugar é especialismo.
Bem isso é bem toooodo inclusivo! [gargalhadas] Eu não consigo pensar em
nada que não caia nessa categoria.

Orador: E são diferenças significativas porque (?) leu uma boa passagem esta
manhã do Manual dos Professores onde disse, “Os olhos do corpo ainda irão
perceber diferenças, mas a mente curada irá colocar todas elas em uma única
categoria. Elas não são reais.”

Participante 2: Então num certo sentido isso ainda não é realmente


diferenças do modo que estamos falando sobre as diferenças do especialismo.

Orador: Certo.

Participante 6: O branco não pode vender uma tela em branco. [nota do


editor: referência confusa]

[Gargalhadas]

Orador: É uma grande metáfora. [Gargalhadas]

Participante 6: Eu aposto que você ganharia um prêmio...

[Gargalhadas]

Participante 6: … num museu moderno. ‘Branco no branco, uma metáfora’.

Orador: Essa é uma piada que fizemos – tivemos uma conversa aqui quando
estivemos aqui em Traverse City na Baía [nota do editor: refere-se a um longo
retiro que o grupo teve.] onde nós entramos mais e mais profundamente nas
coisas, e então houve apenas um silêncio. Não era como uma pausa de alguns
minutos foi um longo silêncio e finalmente minha amiga Dorothy disse, “Oh,
esta será a sua fita mais recente.”

[Gargalhadas]

Orador: As pessoas compram a sua fita e elas recebem isso e é como a sua
tela em branco, apenas espaço em branco. E todos nós rimos porque é para
onde estamos indo, certo.

Participante 2: Você disse tudo.


Participante 4: Será intitulado, 'A Última Fita.'

[Gargalhadas]

Participante 2: E você pode intitular isso como, 'A Última Obra Prima.'

[Gargalhadas]

Participante 2: Ele não está gargalhando.

[Gargalhadas]

[nota do editor: o áudio recomeça após o reagrupamento dos participantes.]

Orador: [Leitura de uma seção não especificada de UCEM]


“No entanto, se és tal como Deus te criou, não podes pensar à parte Dele,
nem fazer o que não compartilhe da Sua intemporalidade e do Seu Amor.
Estas coisas são inerentes ao mundo vês?

(Intemporalidade e Amor?)

Esse mundo cria como Ele? Se não o fizer, não é real e não pode ser em
absoluto. Se tu és real, o mundo que vês é falso, pois o mundo não é como a
criação de Deus em todos os seus aspectos. E do mesmo modo como foste
criado pelo Seu Pensamento, foram os teus pensamentos que fizeram o mundo
e têm que libertá-lo para que possas conhecer os Pensamentos que
compartilhas com Deus.

Libera o mundo! As tuas criações reais esperam por essa liberação para te
dar a paternidade, não de ilusões, mas como Deus na verdade. Deus
compartilha a Sua Paternidade contigo, que és o Seu Filho, pois Ele não faz
distinções entre o que é Ele Mesmo e o que ainda é Ele. O que Ele cria não
está à parte Dele, e em lugar algum o Pai chega ao fim para dar início ao
Filho como algo separado de Si Mesmo. Não existe nenhum mundo porque
ele é um pensamento à parte de Deus, feito para separar o Pai e o Filho e
arrancar uma parte do próprio Deus para assim destruir a Sua Integridade.
Um mundo vindo dessa idéia pode ser real? Pode estar em algum lugar?
Nega as ilusões, mas aceita a verdade. Nega que sejas uma sombra deixada
por um momento sobre um mundo agonizante. Libera a tua mente e
contemplarás um mundo liberado.

O nosso propósito hoje é o de libertar o mundo de todos os pensamentos vãos


que jamais mantivemos a respeito dele e de todas as coisas vivas que vemos
sobre ele. Não podem estar aí. E nós também não podemos. Pois estamos no
lar que o nosso Pai estabeleceu para nós, junto com elas. E nós, que somos
como Ele nos criou, nesse dia queremos liberar o mundo de cada uma das
nossas ilusões para que possamos ser livres. Eu, que permaneço tal como
Deus me criou, quero liberar o mundo de tudo o que eu pensei que ele fosse.
Pois sou real porque o mundo não o é, e quero conhecer a minha própria
realidade.

Deixa a tua mente ser mudada em quietude para que o mundo seja libertado
junto contigo. Não precisas reconhecer que a cura vem a muitos irmãos do
outro lado do mundo, assim como àqueles que vês por perto quando envias
estes pensamentos para abençoar o mundo. Mas sentirás a tua própria
liberação, embora ainda não possas compreender inteiramente que nunca
poderias ser liberado sozinho.”

Participante 1: Vê, eu tenho dificuldades com isso porque eu acho que


quando você é liberado você não vai ser liberado sozinho. Então eu acho que
ser liberado é deixar o corpo partir. De alguma maneira eu relaciono isso com
o corpo novamente. Que o corpo... nós finalmente o abandonamos, então
estamos liberados. Então estamos lá em cima... seja lá onde for... somos Um.
Mas então ele diz que você não é liberado sozinho, o que isso significa? Para
mim isso está dizendo... Que outro corpo eu estou levando? O que eu estou
liberando? Com o que mais eu vou? Eu não entendo isso.

Participante 3: Posso tentar?

Eu li isso descrito em um lugar, que é como se este ser adormeceu e teve um


sonho que era muitos seres. E então, há esse período do despertar onde o ser
começa a reconhecer que ele não é todos seres separados que parecem estar
além da consciência, o Único Ser. Então é por isso que isso faz sentido para
mim, pelo menos eu posso ver tanto a idéia que eu não sou esta coisa que eu
penso que sou. E isso é o tanto quanto eu posso assumir agora. Eu ainda opero
como se eu fosse separado, eu continuo voltando para isso, fico tentando
empurrar e manter a minha mente focada na idéia de que eu não sou essa coisa
que eu pensei que eu fosse por tanto tempo... que existe apenas um Único Ser.

Participante 1: Então se eu não sou esse corpo, então por que eu estou aqui?
Por que este corpo está aqui se eu não acredito que eu sou este corpo?

Orador: Bem, eu relacionaria isso com a experiência que você teve quando
nós estávamos em Adrian [Michigan]. Lembra quando tivemos a meditação?
E depois eu me lembro de você me contando como foi a sua experiência na
meditação que você disse, “Foi ótimo.” Você disse que você não tinha
consciência do corpo... você sentiu que você estava ciente dessas partículas de
luz... e para mim você pode usar isso como o contexto para deixar o corpo
partir, isso é diferente do contexto de pensar em deixar o corpo de lado, que é
descrito em termos dele não estar respirando mais, etc e tal. É um
deslocamento na consciência, que quando você estava meditando você teve
um deslocamento na consciência, até alguma coisa que não tem nada a ver
com o corpo.

Participante 1: E quando você faz a sua transição? O que acontece então?


Quero dizer, não é a mesma coisa? Parece que eu estou ficando mais e mais
distante e perdida nisso. É como se num minuto eu estivesse entendendo e
então de repente eu não entendo de novo. Como eu posso entender algo por
alguns segundos e então estar totalmente perdida de novo.

Participante 3: Os pensamentos que eu estava tendo eram como: você tem


dois diferentes sistemas de pensamento [e] você está tentando entender este
conceito do sistema de pensamento deste sistema de pensamento... tentando
entender alguma coisa que não pode ser entendida em termos de que o que nós
pensávamos que a realidade era do ponto de vista estratégico do ego. Mas o
ego não pode entender isso. Então você não pode olhar através das lentes do
ego e compreender a verdade.

Participante 1: Certo.

Participante 3: Isso simplesmente não pode ser feito.

Participante 2: E parecerá muito confuso e obscuro e não compreensível.

Orador: É um bom lugar para se estar. Nos olhos do mundo você diz, 'Eu não
entendo, estou confuso' e o mundo diz, 'Burro'. É como se todas essas pessoas
com PhD's supostamente entendessem. Mas eles realmente entendem? Você
entende, num sentido mundano, você realmente entende alguma coisa? Então,
então se você teve este vislumbre, mas parece como um pequeno 'filete'... é
por isso que é tão precioso quando nos reunimos, apenas para nos unir com o,
'Eu não sei mas... Estou disposto que me mostrem.' Esse é um lugar precioso
para estar. Você não vai encontrar ninguém aqui dizendo, 'Oh, você não
entende, você não entende?' Isto é precioso...

Participante 1: Estou esperando alguém dizer isso.

Orador: Não, mas essa é toda a beleza disso, é se abrir e começar a dizer,
'Puxa, estou confuso, eu não sei, mas estou disposto que me mostrem.' Isso
para mim é uma indicação de uma mente que está se abrindo.

Participante 2: E estar disposto para admitir isso.

Orador: Sim.

Participante 2: Isso é abertura também.


Orador: Uma mente fechada não vai admitir que ela não sabe, ela pensa que
sabe. Está convencida! [Gargalhadas]

Participante 2: Ou finge que sabe.

Orador: Sim. E ela irá passar por todos os tipos de defesas do ego quando
qualquer um até mesmo deduzir que ela não sabe. 'Como se atreve a dizer
isso!'

Mas, confusão e desorientação e 'Puxa, eu não sei, mas estou disposto que me
mostrem'... é como se a rachadura estivesse se abrindo. E o Espírito Santo
pode trabalhar com uma mente disposta como essa. Então eu acho que é
simplesmente maravilhoso.

Participante 4: Urrah!

[Gargalhadas]

Participante 2: É isso aí, Anita!

[pausa no diálogo e então inaudível]

Participante 2: E isso é quando você diz... aqueles pequenos insights


também... como nós estávamos falando. É tão forte que você pode se apegar a
isso. E então agarrar isso e se agarrar a isso.

Participante 3: Uma das maneiras que eu vejo o ego também é quando você
estava se referindo a estória do [?] sobre correr e ter vivenciado dor e então
meio que questionado essa dor e então ela se moveu... e foi embora. E quando
eu estou sentado aqui, às vezes eu tenho a idéia, 'Oh, estou com fome' ou 'Oh,
estou confortável' e quanto mais desafiamos essas idéias do ego de que eu sou
um corpo que pode ficar com fome, então ele tem que se mudar. Porque é
como, 'Oh eu me descobri.'

Orador: Tenta outra. (Gargalhadas)

Participante 3: A mente descobriu que não é o que é, você sabe, então ela se
desloca.

Participante 4: Tenta um outro truque.

Participante 3: Conforme você continua desencobrindo o ego ele continua se


movendo, mas ele está ficando sem espaço para se esconder. Então, eu penso
nisso desse jeito. Conforme você se agarra à intenção de querer saber pode
parecer que você não entende isso. Mas à medida que você continua se unindo
às pessoas que querem entender, então a compreensão vem e então você pode
ler a mesma coisa e de repente uma lâmpada se acende ou algo assim. Então
eu acho que tem a ver com determinação. Isso é o que eu realmente aprendi
com Tara Singh foi que você tem que ser determinado. É necessário um
comprometimento.

Participante 4: Eu acho que a linha que às vezes você usa do Krishnamurti


sobre, “Você entendeu isso? Se você entendeu, ótimo! Se não, não vá para
casa e pense sobre isso.” Como se você saísse dessa sala e pensasse, 'O que foi
tudo aquilo mesmo?' [é como] 'Oh bem, oh bem.'

Participante 2: Não se prolongue nisso.

Participante 4: Apenas continue querendo, apenas continue desejando,


continue estando disposto... mas não há lugar para auto-julgamento ou auto-
condenação ou qualquer coisa desse tipo.

Participante 5: E então as fitas ajudam. Porque eu lembro que você disse,


“Elas concretizam.” Às vezes, como você estava dizendo, alguma coisa te
iludiu... você entendeu por apenas um instante e então se foi. E então você
pode ouvir a fita e você retoma um pouco novamente. Mas você ainda não
consegue falar sobre isso porque você ainda não sabe. Você sabe que você
ainda não consegue verbalizar isso. E eu posso nunca conseguir isso. Mas
existe um saber que eu sou Mente, eu tenho essa crença, e eu não preciso ir
além disso. Eu posso ouvir alguma coisa mais que pode ajudar.

As lições apenas ficam me dizendo, 'Apenas continue fazendo as lições.'


Agora, eu não sei sobre alguém mais, mas fazer as lições... eu consigo obter
algo delas que eu não consegui no ano passado. Estou na lição 10... e ela tem
um significado... completamente diferente... ela me diz muito mais agora do
que disse antes. Eu consigo lembrar mais vezes que eu não sou um corpo, eu
não sou um corpo, mais do que há um ano atrás. Eu não tinha absolutamente
nenhuma concepção do que isso significava. Eu leio isso, “Eu não sou um
corpo.” Mas agora... eu ouço, “Eu sou Mente.” Se eu não sou um corpo então
o que eu sou?! Eu sou Mente. E isso ajudou. Isso apenas... isso é
simplesmente totalmente diferente... Eu não posso nem dizer que é
compreensão, é apenas percepção.

Orador: [Há] instruções maravilhosas logo antes de você fazer o livro de


exercícios... “Muitas dessas idéias podem parecer bastante surpreendentes.
Isso não importa. Meramente te é pedido que as apliques.” [Gargalhadas]
Quero dizer que instruções ótimas!

Participante 5: Sim.
Participante 6: Isso é um desafio também, use-as.

Como a Separação Ocorreu?

Caro Amado Milagre,

Qualquer pergunta que o ego algum dia já fez é somente uma metáfora porque
a única dúvida durou somente um instante. A resposta para qualquer uma das
perguntas, como ou por que, é realmente a mesma. O pensamento de dúvida,
expresso em palavras, é aquele que poderia ter uma existência separada do
nosso Criador. Este pensamento de dúvida pareceu separar a Única Mente,
causando a separação em inúmeras partes e isto nós chamamos de pecado
original, a separação, o sonho de pecado que nunca existiu. Não há razão que
algum dia possa se dar a algo que é irreal como não há fonte para o erro, só
pode ser visto pelo que é e este é o fim de todas as perguntas. O que pareceu
ocorrer em um único instante não santo foi simultaneamente corrigido. Se isso
não fosse assim, a separação teria a sua própria realidade e o poder de Deus
realmente seria limitado. O que pareceu ser o instante não santo nunca foi em
absoluto. O que agora parece ser o tempo linear é senão um momento de
loucura sendo repetido várias e várias vezes na mente do adormecido Filho de
Deus. O reconhecimento de que é irreal acaba com o conceito de tempo linear
e todas as ilusões e leva a Mente de volta ao estado original do Instante
Santo.Um senso de separação de Deus é a única carência que realmente
precisa ser corrigida. Este sendo de separação vem somente da percepção
distorcida da Realidade, da qual então você se percebe como carente, e da
qual todas as necessidades aparentes surgem. Nossa responsabilidade é
desistir de todas as necessidades exceto a única necessidade de Deus. Não há
nenhum universo perceptivo que existisse antes do pensamento de separação,
nem realmente existe agora. Devemos ver que o que parece ser uma infinidade
de imagens é apenas um erro. Parece haver uma brecha entre você e o seu
irmão, os olhos do corpo mostram diferenças, e você acredita nelas. Você
deve procurar dentro de você e permitir que o Espírito Santo corrija esta louca
idéia. Tudo que Deus criou é como Ele e Único. Somente o Amor pode criar
Amor, e o que é temporal não é Amor. Extensão é de Deus, e esta radiância
interior que as crianças do Pai herdam Dele é eterna. A vida em um corpo é
temporária e não de Deus. A vida não é do corpo, mas da mente. Reconhecer
isso é reconhecer a salvação. Você é tão merecedor do Amor de Deus, você
tem o direito ao conforto perfeito que vem da confiança perfeita. Não perca
seu tempo com tentativas inúteis para você ficar mais confortável com ilusões
reorganizando-as para se ajustar as suas necessidades e desejos aparentes. O
milagre é o meio para você. Ele prepara a sua mente para Deus. O milagre
prepara a mente para a aceitação da Expiação, onde as Criações de Deus são
completamente dependentes Um do Outro. Ele depende de você porque Ele te
criou perfeito. Você deve aprender a olhar para o mundo como um meio de
curar a aparente separação. A Expiação é a garantia que você finalmente terá
êxito. E lembre-se de aplicar a citação, “Busque primeiro o Reino de Deus e
todas as coisas te serão dadas.” Todos são um em Cristo. Eu te amo para todo
o sempre.Com Amor e Gratidão,

Deus é uma Idéia Pura assim como é Cristo

P: Eu moro na Austrália. Continuo a ler o seu site do despertar com grande


interesse, freqüentemente ele é muito útil e muito apreciado. Eu notei que
parece que você não julga o ego, o pelo menos o ego fica no ‘banco de
reservas’ nos seus artigos.

Os outros sites o enfatizam totalmente diferente. Numa postagem recente, foi


colocado este ponto: Se você acredita que você sabe o que é o Amor, e que
você mesmo pode perdoar, ou você tem algo que os outros não têm e você
pode dar isso a eles (como o amor) você está acreditando que você é Deus.
Enquanto você achar que o mundo é real e o corpo está vivo você acha que
você é Deus. Para mim, isto parece que não podemos ir além da falsa idéia de
Deus não podemos ver sem o ego.

Quando eu li o Curso pela primeira vez, Deus desapareceu por completo. Eu


me vi dizendo que Deus não existe. Então enquanto estamos aqui não
podemos conhecer a Deus. Então enxergamos Deus como uma invenção? O
Curso diz que até mesmo Deus é uma idéia. Os antigos Gnósticos
costumavam ter a opinião que quando alguém transcendeu então esse alguém
vê que você é AQUILO. Na minha forma de pensar, AQUILO é a nossa
essência. Nos tornamos Deus. “Amor é o que você é”. Primeiro passamos por
vários estágios até que agarramos AQUILO. Mas nós sempre somos AQUILO
(quando o ego está fora do caminho). De acordo com a postagem acima, é ser
arrogante pensar desta maneira? Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
O cachorro correndo atrás do próprio rabo.

Bênçãos por todos os seus estímulos

R: Amado Milagre

O perdão clareia o caminho para a lembrança de Deus, então este é sempre o


foco. Até que a mente libere os erros do ego, o medo de um “deus” de faz de
conta está profundamente enterrado na mente inconsciente. Desta maneira é
necessário o perdão ou a liberação do todo o sistema de crença do ego antes
que a Memória do Amor de Deus possa retorna completamente para a
consciência.

Deus é uma Idéia Pura assim como é Cristo. Quando a mente está vazia de
falsos conceitos e falsas crenças, a Idéia Pura permanece - Eterna e Perfeita.
“Eu sou como Deus Me criou” é uma outra maneira de dizer que Amor é o
Que Você é.

Sou grato pelo site estar sendo útil para você. Agradeço por escrever e espero
te ver logo.

Amor sempre.

Questionando Suposições

P: Você mencionou que nós devemos questionar todas as suposições. O que


usamos no nosso questionamento? Com o que comparamos nossas
suposições?

Deixe-me dar um exemplo de como eu acho que você pode me mostrar onde
eu quero trabalhar. Vou questionar minha suposição que eu posso questionar
minhas suposições:

Eu “suponho” que questionar minhas suposições significa que eu deveria não


decidir se estou certo ou errado em relação a uma suposição, então eu deveria
apenas deixar pra lá de qualquer forma. Mas já que não posso supor que
minhas suposições estão corretas, não posso supor que questionar minhas
suposições significa muito. Além do mais, já que não posso supor que eu sei a
diferença entre certo e errado, ou até meso supor que tal diferença exista,
possivelmente eu não poderia julgar a exatidão das minhas suposições.

Então o que devo fazer em relação a isso? Me tornar uma pessoa “flutuante”?
Me liberar de todas as minhas suposições? Para mim isso significaria dissociar
de todas as opiniões, que eu vejo que isso segue o Curso, mas eu fracassaria
em ser produtivo na minha área de conforto: sociedade. Meu raciocínio para
isso é devido ao meu amor a lógica do ego, eu não terei uma resposta para
nada que qualquer um me pergunte. Eu fracassaria em ser capaz de prover
para mim mesmo e outros, monetariamente falando. Eu teria que responder
questões como “Como você vai pagar o débito do seu cartão de crédito?” com
respostas como “Ah, eu tenho um débito?” Logo eu seria empurrado para fora
daquela zona de conforto e teria que me tornar um ermitão. Então a pergunta
se torna, é este tipo de comportamento que finalmente libertará minha mente,
ou estou falhando em ouvir o que você está dizendo, usando meu ego para
interpretar isso?

Agradeço por me ajudar - o verdadeiro eu, quem quer que seja isso. Eu
suponho que é o meu ego que quer ser “iluminado” - que meu ego quer
perseguir isso porque é uma diversão legal do plano de Deus. A própria lógica
do ego me diria que iluminação é o suicídio do ego, mas já que isto significa
um conquista acima de outras pessoas neste planeta que não parecem ser
iluminadas, ele continua indo.

R: Amado Milagre

Agradeço seu inquérito investigativo. Útil é utilizar o Espírito Santo somente


para desvendar, expor e liberar suposições. O Espírito Santo revelará a
impossibilidade de comparação ou inteiramente de julgamento, e isto é a
Expiação.

Conforme se treina a mente (no período deste processo) com o Espírito Santo,
o Espírito Santo parecerá julgar, nos Direcionando muito diretamente (com
alertas e instruções) contanto que se acredite em específicos e situações. Seus
sentimentos são o único correto no uso do julgamento no Despertar, e
sentimentos de paz e alegria e felicidade são o barômetro que permite a você
saber que você está seguindo a Orientação Divina.

O ego é o aspecto questionador da mente, mas inicialmente apontando


questões nas suposições ou crenças em vez do cosmos projetado que é uma
forma útil de dissolver as questões.

Deixe o Espírito Santo inspirar suas perguntas. À medida que as suposições


do ego se dissolvem tudo flui tranqüilamente na mente e ela começa a se dar
conta que não há nenhum mundo objetivo fora de sua mente. O mundo do ego
era subjetivo e baseado nas suposições mantidas pela mente. Em baixo de
todas as opiniões e conclusões e suposições e crenças está o verdadeiro Estado
da Mente produtiva: o Silêncio Divino do Ser. Esta produtividade é Criação, o
Estado do Espírito estendendo para todo o sempre. Esta produtividade não tem
nada a ver com o conceito do ego de “sociedade”.

A aproximação em direção à lembrança da Criação Divina inclui dar ou ceder


para Divina Providência, vendo que cada símbolo é oferecido livremente ao
Espírito Santo.

Isto realmente envolve o pensamento de literalmente ser incapaz “...de prover


para mim mesmo e outros, monetariamente falando.” Isto coloca toda a
confiança no Espírito Santo para a sua provisão de cada necessidade aparente,
como o ar, comida, água, moradia, transporte, palavras, aparelhos de
comunicação, etc. Necessariamente isto não significa que você se identificará
com um “ermitão”, mas significa que você reconhecerá que você está provido
Divinamente em todas as circunstâncias aparentes. Este pensamento com o
Espírito Santo, finalmente libertará a mente de sua prisão imaginária.

O comportamento só flui do pensamento como o pensamento flui da crença,


então é com a crença e o pensamento que o Espírito Santo trabalha. Você
pode considerar o comportamento como um subproduto do pensamento, e é
por isto que a Correção nunca é no nível aparente da forma. Pense com Deus e
seja Feliz é o objetivo do seu trabalho com o Espírito Santo. Cristo é uma
Idéia na Mente de Deus.

Ao acompanhar o Espírito Santo você ganhará a Certeza alinhando-se com o


Propósito do Espírito Santo e não fazendo nenhum exceção ou suposição.
Iluminação é a consciência que somente o Amor é real. Cristo é a Certeza da
Identidade em Deus porque Cristo é a Criança da Identidade de Deus. Toda a
Glória para o Espírito Único!

Amor & Alegria

Qual é o significado de 'As Idéias Não Deixam a Sua Fonte?'

P: No livro de exercícios, lição 167, ele afirma, "As Idéias não deixam a sua
Fonte” eu ouvi você e outros estudantes do curso citarem esta pequena
sentença, mas não entendi o significado da declaração, e respeitosamente
solicito o seu esclarecimento.Com gentileza e amor

R: Amado MilagreAgradeço por escrever.

No Céu está idéia significa que Cristo permanece na Mente de Deus e nunca
pode realmente “sair”.

Com relação a este mundo a idéia significa que não há problemas fora da
mente porque idéias não deixam a mente que pareceu pensar nelas.

Tudo que parece ser “manifestado no mundo” são realmente pensamentos e


conceitos, e pensamentos e conceitos nunca deixam a mente que pensaram
nelas. A tentativa do ego de projetar pensamento para um aparente “cosmos
externo” é delusório porque tudo está na mente e, portanto, não há “nada”
mais. É por isto também que toda doença aparente é doença mental e não tem
nada a ver com os sintomas do corpo.

Salvação ou Iluminação é, portanto, nada mais do que escapar dos falsos


conceitos que não tem realidade ou existência. Isto acaba com a idéia ilusória
que pode haver um “interior” E “exterior”, pois a mente é una no perdão e a
Mente é Una na Realidade.

Amor.

Definindo o Ego

Nota ao leitor: Esta transcrição foi superficialmente editada para fazer com
que certos pontos do diálogo sejam claros e para facilitar a leitura. Por esta
razão, ela não corresponde com exatidão, palavra por palavra o áudio em
mp3. No entanto, o conteúdo geral e as idéias expressadas permanecer
intactas.

Participante 1: Eu tenho tido um problema tremendo - de toda a leitura


limitada que tenho feito do Curso - com este conceito que parece apresentar o
ego como um tipo de coisa ruim, como oposto de todo o meu - também
limitado conhecimento psicológico - que diz, ‘Nós temos um forte ego,
necessariamente inventamos uma personalidade’ e tudo o mais. E é um
conflito real na minha compreensão. Então, parece que você está bem
preparado para lidar com isso.

[risadas]

Orador: Bem, nós vamos falar sobre o ego. Vamos desvelar a coisa, vamos
direto nela. A coisa sobre o ego é [não tentar] lutar com ele ou combatê-lo
porque o ego adora uma briga. O Curso está só dizendo para apenas olhar para
ele. Uma vez que você consegue realmente olhar diretamente para ele... a
única razão que os medos parecem ser mantidos é porque nós tentamos olhar
para longe deles.

Você já teve um sonho onde você está sendo perseguido por algo? Você está
tendo o mesmo sonho o tempo todo e não quer se virar e olhar para ele. E
basicamente Jesus está só dizendo, ‘ele não é absolutamente amedrontador.
Podemos olhar diretamente para ele e ele se vai como sopro de [fumaça].’
Mas para falar sobre a sua questão da força do ego e integrar... Quando eu
estudei psicologia e comecei a passar por aquilo, aquilo era bem uma
psicanálise, que está basicamente dizendo que entre o “id” (todas essas forças
inconscientes) e o “super ego” (a voz da moralidade), que o “ego” nesse
sistema é um tipo de mediador. E nesse sentido, se ele é um mediador entre
essas duas forças combatentes que estão na mente, então é aí onde a idéia da
‘força do ego’ entra; do querer construir a força do ego. Mas aonde a
psicologia Freudiana realmente nunca chegou foi que ela estava só
descrevendo o lado negro da mente. Ela diz, ‘Sim, havia essas forças
interpsíquicas e havia essas moralidades e tudo o mais.’, mas isso era tudo.
Todas as pré-partes que foram descritas: o “id”, o “ego” e o “super ego” eram
todos partes do ego.

E então há uma outra parte da mente que a psicologia Freudiana realmente


não entrou, que é a parte do espírito. Essa é a única coisa que quando eu
estava na psicologia, era como se ficasse procurando ‘Onde está o espírito?’
ou ‘Como nós integramos religião ou espiritualidade com psicologia porque
elas parecem antitéticas.’
Ou ciência; muitas vezes quando eu entrava na ciência eu ficava me
perguntando ‘Onde a ciência se encaixa em tudo isso?’ Então fui ler física
quântica e alguns dos físicos quânticos começaram a falar em termos que
pareciam horríveis, [sobre coisas como] percepção psicológica [e] que não há
realidade no mundo à parte daquilo que você pensa. E experiências com
partículas onde eles tentam fazer experimentos duplamente cegos e tentam
tirar o experimentador fora e achavam que os pensamentos [na mente] do
experimentador estavam movendo as partículas, e que eles não poderiam [de]
modo algum remover a mente do experimentados do [experimento]... Então é
como que... todas essas coisas começam a apontar para ... É subjetivo, que a
mente é influenciada...

É isso que eu realmente comecei a ver, [que a] coisa toda sobre a psicologia
não estava realmente ajudando. Era muito pessimista que tinha que haver uma
outra parte da mente... Quando eu comecei a ler... psicologia oriental... ler
livros sobre o “Ser Superior” [havia uma sensação de], “Sim, isso ressoa, tem
que haver um Ser Superior como um oposto deste simplesmente pequeno ser.”
Então isso me deu um senso de que havia algo além disso.

Participante 1: Eu suponho que você também passou pela abordagem


Junguiana. Como a sua abordagem do ego se compara ao Jung?

Orador: Jung pareceu realmente tocar... ele pegou esta idéia que Freud trouxe
como o inconsciente e então chamou isso de “inconsciência coletiva” e ele
começou a ver que havia algo, o Ser Superior... além dessa inconsciência. Este
Ser Superior, Jung dizia, era capaz de se comunicar através de sonhos e
através de símbolos com modelos de amor e assim por diante, e... havia
‘meios’ de despertar para este Ser Superior. Então, eu sinto que Jung
realmente começou articular mais que havia algo além. E quanto você
realmente entra no Curso, ele se encaixa bem com a psicologia Junguiana no
sentido de que a psicologia Junguiana disse que havia este inconsciente com
todas essas crenças como se dizendo que estavam por baixo da superfície e
que você tinha que entrar em contato com essa crença.

E é isso que o Curso Em Milagres está dizendo. Jesus está dizendo que
existem muitas crenças inconscientes e até que você consiga olhar para elas,
até que você consiga ficar ciente delas, então elas continuam comandando.
Você tinha pedido para definir o ego, e há um ponto no fim do texto onde
Jesus diz que você não pode ter uma definição para algo que não é nada, que é
um tanto quanto interessante; tipo, ‘Se eu o defino para você, isso está dando
realidade para ele.’ Mas ele diz que nós podemos mostrar o oposto, e o oposto
do ego de todas as maneiras e formatos é o milagre. Então depois que Ele fala
do ego como o nada que ele é, Ele começa mais uma vez a mostrar o positivo
ou mostrar a divindade, a mente certa.
A coisa sobre a morte do ego... Alguém me perguntou outro dia, “Então ele
[ego] tem que morrer no final?” E eu disse, “Bem você pode olhar para isso
desse jeito, mas você tem que acreditar que ele algum dia viveu antes que
você possa acreditar que ele possa morrer.” Quanto mais eu estudo o ego... ele
fica desvelado por aquilo que ele é. Eu vi pessoas que trabalham com o Curso
dizer, “ame o seu ego” e “odeie o seu ego” e muitas pessoas irão perceber
quando estão lendo o livro [que] parece que [o ego] está para aprontar alguma
coisa ruim. Mas de uma certa maneira Jesus diz, ‘Você fez o ego por acreditar
nele e você pode dissipar o ego retirando a sua crença nele. Você fez o ego
acreditando nele e você pode dissipar o ego retirando a sua crença nele.’ [O
áudio original repetiu esta frase para enfatizar.]

Participante 2: Você vê, é isso que me incomoda um pouco. Às vezes eu


sinto que há tanta emoção colocada ao tentar destruir esse ego, como ele fosse
uma entidade, como ele substituísse o mal.

[risadas]

Orador: Ele realmente descreve-o no início; há um ponto, no começo do


texto, aonde Ele realmente vai fundo e realmente descreve o ego muito bem. E
então Ele diz, ‘Eu tive que fazer isso, porque você não iria dispensá-lo tão
facilmente.’ E é aí onde Ele começa a introduzir, naquele ponto, que é
obviamente só uma crença e você a fez ao acreditar nela e você pode dissipá-
la. Mas na parte inicial, bem no início [Ele diz que] para que ele não seja só
varrido para longe, porque isso é parte do mecanismo de defesa do ego, como
que só varrer o medo para baixo e de um certo modo dispensar o medo e
reprimi-lo ou negá-lo, e então de repente ele vem à tona. E este é um Curso
para dissipar o ego e não tentar matá-lo.

Participante 2: Não lutando com ele. É isso que me incomodava; é essa


batalha que parece estar sendo travada. Eu acho que seria mais fácil retirar a
energia desse sistema de crença do que tentar lutar com ele.

Orador: No fim tudo é sobre a dissipação do ego; lembrando-se de rir dele. E


então não é como matá-lo. No final, você ri dele.

Participante 2: Ri dele, dissipando-o...

Orador: Você ri dele, dissipando-o. É uma piada.

Agora, quando a mente está no estado adormecido então é como que uma
parte da mente é onde o Espírito Santo mora e o Curso chama de mente certa,
e isso é sanidade. Esta é a conexão de volta ao Cristo e o Pai. E então, o lado
negro da mente é onde o ego reside. Então dizer, “ame o ego” seria dizer,
“ame o nada”. A fim de realmente amar alguma coisa, ela tem que existir.
Então o Curso definitivamente não está dizendo, “ame o ego” e
definitivamente não está dizendo “odeie o ego” porque, como você
mencionou antes, quando você luta contra ele, parece “urraaaaaaaaaar”...
parece rugir ainda mais. É importante ver que o ego não tem boas intenções
no sentido que o propósito do ego é doença, fragmentação, culpa, pecado,
morte - e o propósito do Espírito Santo é cura e despertar. E é importante
começar a perceber a diferença entre os dois, porque até que possamos saber a
diferença entre os dois então ainda achamos que o ego tem algo a nos
oferecer. E enquanto acreditarmos que ele ainda tem algo a nos oferecer então
ainda estaremos investindo no seu modo de pensar, e ainda nos sentiremos
culpados, ainda sentiremos dor e separação.

Participante 3: Então o Curso fala muito do ego não porque ele seja real, mas
porque a mente adormecida acredita que ele é real. E o tanto que ela acredita
nele, é o tanto que ela tem de apego a ele. Então Jesus está dizendo, ‘É assim
que ele funciona, é isso que tem que se procurar, é isso que está ocorrendo na
mente que acredita no ego.’ E quando você consegue começar a ver o que ele
é e reconhecê-lo pelo que é, então esta é a saída.

Participante 4: O ego não sabe muito. O ego não entende isso. É por isso que
é quase impossível amar algo que não é amoroso e não te ama.

Participante 1: Sim, mas o ego não é a nossa personalidade?

Participante 4: Não. Sua personalidade é a sua personalidade, não é?

Orador: A personalidade, todas as nossas personalidades são diferentes.


Algumas pessoas parecem ser agressivas ou extrovertidas, algumas pessoas
parecem ser tímidas e reservadas. Todas as habilidades diferentes; algumas
pessoas têm grandes habilidades mentais e outras parecem mais ternas e
sensíveis. Quando você fala de personalidade há uma enorme variação. E
essas personalidades parecem conflitar algumas vezes, também. Às vezes as
pessoas pensam nelas como lisonjeiros, mas muitas vezes na coisa de marido
e mulher ou namorado e namorada ou até [dentro] da família parece haver
diferenças gritantes de personalidade e, de um certo modo, toda vez que há
conflito não é o Espírito Santo que está envolvido, é o ego. Quero dizer há um
fundamento no ego.

Basicamente o ser da personalidade é aquilo que o Curso chama de “auto-


conceito do ser” com ‘s’ minúsculo ao invés do ‘S’ maiúsculo para o Cristo.
[O “auto-conceito”] é parte de uma concepção que [foi feita] quando a
separação pareceu ocorrer - a mente ficou com tanto medo desta luz que ela
tentou fugir dela para dentro da escuridão tão distante o quanto ela podia...
então ela começou a amontoar as crenças. Era tão escuro e tão aterrorizante; o
pensamento que você poderia se separar do seu Criador, desconectar-se da sua
Fonte - foi o pensamento mais aterrorizante concebível. Não era verdadeiro,
em última instância, mas a mente acreditou nisso; foi aterrorizante. [Mas]
instantaneamente o Espírito Santo foi dado como uma resposta. Então, agora
nós temos uma mente que está acostumada com a Integridade e Completeza
no Reino. Ela está acostumada à Integridade o tempo todo e agora ela tem dos
sistemas de pensamento completamente irreconciliáveis - do Espírito Santo e
do ego, dentro dela. Mas a mente estava acostumada à Integridade, e é
intolerável tentar se agarrar a ambos os sistemas ao mesmo tempo. Então o
que a mente fez é... o mundo foi inventado como uma tela de cinema. Você
sabe que quando você vai ao cinema você vê a tela e todas as imagens
diferentes... o mundo foi feito como uma tela e o ego disse, “Projete a divisão
aí fora na tela e então você pode esquecer a divisão na mente, você pode ver a
dualidade aí fora no mundo em vez da dualidade entre os sistemas de
pensamento.” Então, basicamente uma vez que a mente adormeceu, ela vê um
mundo de dualidade: masculino, feminino, bom, mau, certo, errado, quente,
frio, rápido, lento, magricelo... Puxa!

Participante 3: Vítima, vitimizador.

Orador: Vítima, vitimizador. É parte da grande, gigantesca ilusão ótica. Em


vez de olhar na mente e ver que eu tenho uma divisão na minha mente que
tem que ser curada, o truque é ‘a divisão está aí fora no mundo’. E [agora]
existem pessoas boas e existem pessoas más - como os antigos filmes de
caubói; os mocinhos e os bandidos. E, portanto, assim que eu divido a
Filiação, ou meus irmãos, em grupos e vejo o mundo da dualidade aí fora,
então eu posso projetar e culpar e ter raiva dos vitimizadores e ter dó da
vítima. O Curso está dizendo que é um truque, é uma fraude. Toda vez que
você culpa um irmão, quando você culpa a Receita Federal ou culpa seus pais
ou culpa o seu cônjuge ou culpa sua filha ou culpa o clima ou culpa o seu
chefe ou seja lá o que for, você está tentando arremessar a culpa, você está
tentando arremessar a culpa da indignidade que você sente sobre eles. Mas,
realmente isso não resolve nada, não se livra do problema, porque quando
você faz isso a mente também acredita que de alguma maneira [as projeções]
vão voltar rastejando, e então ela começa a ficar realmente defensiva. De certo
modo se você alguma vez se sentiu culpado ou com raiva de alguém e o
atacou, e então você ficou com medo que ele desse o troco ou contasse aos
seus amigos ou seja lá o que for. Assim que o ataque sai, então é como, ‘Puxa
vida. O que foi que eu fiz?’ [Então você] realmente tem que ser defensivo.

Participante 2: Orgulho é ego?

Orador: Essa é uma questão muito boa porque muitas das mensagens que eu
recebi quando eu estava crescendo foi ‘fique orgulhoso por isso, tenha orgulho
disso, tenha orgulho disso.’ É como, bem, espera um pouco - o orgulho é bom
ou ruim? Ou às vezes bom e às vezes ruim. E na página cento e três Jesus fala
do ego e do uso que ele faz do mundo e do corpo e [orgulho é] uma das três
principais coisas para o quê o ego faz uso do corpo. E de uma maneira bem
sutil, a maneira que ele mantém a culpa é porque o orgulho é sempre baseado
na forma. Há uma identificação com o corpo: ‘Tenho orgulho da minha
herança étnica. Tenho orgulho de ser um Americano. Tenho orgulho do meu
Cincinatti Reds (time de basebol). Tenho orgulho de ter tantas graduações.
Status. Tenho orgulho da minha saúde.’ Você consegue ver que é tudo
baseado na forma. E o motivo pelo qual o orgulho é tão sorrateiro é porque,
como você disse que está na Bíblia. É assim que os caminhos do mundo são:
maior, melhor, mais fama, riqueza, reconhecimento, a aceitação dos colegas,
etc... É baseado no mundo porque é tudo baseado no externo. E Jesus vem e
diz, “Seu valor é estabelecido por Deus. Nada do que você pensa ou diga ou
faça é necessário para estabelecer o seu valor.” É tudo Pai Celestial que é a
única base do nosso trabalho, e o orgulho é sempre aquilo em que o ego pode
de se prender, “Você pode fazer um maior e melhor ser menor. Onde está o
divertimento em alcançar o Céu? Apenas fazer um melhor e melhor e melhor
ser menor e de algum jeito você fará um ser grande o bastante que será
digno.” E isso é realmente uma armadilha. E então você tem as posses que
você pensou que faria você feliz e então você tem os relacionamentos que
você pensou que faria você feliz e você vê que é como que ‘Eu serei feliz
quando...’ E o ego diz, “Continue fazendo parte o jogo. Busque, mas não ache.
Apenas continue perseguindo.” E o orgulho é uma dessas coisas, é tão
sorrateiro que você pode de um certo modo rodar e rodar e rodar e rodar num
círculo, como um gato correndo atrás do próprio rabo, até que você finalmente
pára.

Duas Vozes

P: Quando meus pensamentos, vamos dizer, desaparecem, eu às vezes sinto


como se duas pessoas estivessem vivendo em mim ao mesmo tempo: o que eu
sinto como “eu”, que é muito muito quieto e simplesmente existe (sem
pensamentos) - (o “eu” que se torna “alegria”), e um outro individuo que me
empurra, e tenta me tirar fora do caminho. Eu tenho tudo sob controle, mas às
vezes me sinto realmente como uma borboleta que voa “contra” o vento. Eu
realmente “digo”: “Pare de me amolar agora!” Nesses momentos eu entendo o
as pessoas querem dizer quando falam do “diabo” como uma pessoa.
Realmente parece como se alguém lá de dentro estivesse falando com você...
por favor, você pode me dizer se isto é uma etapa norma no caminho
espiritual?Agradeço por suas respostas maravilhosas e pelo tempo que passa
conosco.

R: Olá Amado Milagre

O que você está falando é comum na “jornada” espiritual, pois freqüentemente


o ego parece literalmente ser uma voz que é ouvida na mente. O ego sempre
fala primeiro e pode parecer “insistente” porque ele sempre tem um plano ou
um resultado na forma para o que ele “pensa” que quer. Ele não sabe o que
quer nem realmente “pensa”, pois o ego não tem uma meta unificada e não
tem poder do pensamento real. O ego é apenas fluxo de pensamentos de
mentira e é uma Alegria não dar atenção ao fluxo. É importante ser firme no
compromisso ou atenção para com a Orientação do Espírito interior e para
com o Quieto Estado do Ser além de todas as palavras que é o real “eu” que
você vivencia por vezes, e é isso que você faz quando você “diz” ou “pensa”
“Pare de me amolar agora!” Uma versão do que eu parecia usar era “Para trás
de mim satanás”. A forma não importa, pois em num momento de tentação é a
disposição de estar Quieto ou ouvir somente a Voz de Deus que importa. E a
Voz de Deus é a nossa Voz em Cristo. Graças a Deus por conduzir ao
Caminho. Toda a Glória para a Unidade .Obrigado por escrever.

Amor.

Como a Mente Fez o Ego?

Nota do editor: Esta transcrição foi superficialmente editada para fazer com
que certos pontos do diálogo sejam claros e para facilitar a leitura. Por esta
razão, ela não corresponde com exatidão, palavra por palavra o áudio em
mp3. No entanto, o conteúdo geral e as idéias expressadas permanecer
intactas.

Orador: Vamos para a página 60, “O ego e a falsa autonomia”,... o primeiro


parágrafo.
[Bill Thetford, quando isto estava sendo ditado] disse algo como, “Antes de
tudo, como tal coisa pôde algum dia ter acontecido?” Jesus disse... e num
certo sentido isso foi incorporado no texto... Jesus disse:

“É razoável perguntar como a mente pôde jamais ter feito o ego. De fato, é a
melhor pergunta que tu poderias fazer. Não faz sentido, porém, dar uma
resposta em termos passado, porque o passado não importa e a história não
existiria se os mesmos erros não estivessem sendo repetidos no presente. O
pensamento abstrato aplica-se ao conhecimento porque o conhecimento é
completamente impessoal e exemplos são irrelevantes para a sua
compreensão. A percepção, contudo, é sempre específica e, portanto, bastante
concreta.”

Então, de certo modo sair à caça as bruxas e olhando para trás, para o passado
e dizer, “Como esta culpa surgiu?” ou “Como o ego surgiu?”... Jesus está
dizendo, “Não fique procurando a resposta no passado. Você precisa ter uma
experiência presente.”
Participante 1: Não é e está acontecendo agora.

Orador: Sim, enquanto você ainda está se sentindo transtornado de qualquer


modo, então obviamente pela sua própria experiência você pode dizer que o
mesmo erro está sendo repetido.

Participante 1: É como se dizer, “Busque e não ache.” [Nota do editor: ‘O


mantra do ego freqüentemente citada pelo orador]

Participante 2: Mas isso não responde a questão da premissa, “Como a mente


pôde fazer o ego?”

Orador: Ok.

Participante 2: Eu não acho que isso foi respondido.

Orador: Então, lá vamos nós. Voltaremos para o “ESCLARECIMENTO DE


TERMOS”, que está no final do livro... página 79. É a introdução do
“ESCLARECIMENTO DE TERMOS”, o quarto parágrafo.

“O ego vai pedir muitas respostas que esse curso não dá. Ele não reconhece
como perguntas a mera forma de uma pergunta à qual é impossível dar uma
resposta. O ego pode perguntar: “Como ocorreu o impossível?”, “Para que
aconteceu o impossível?” e pode perguntar isso de muitas formas. Entretanto,
não há nenhuma resposta, apenas uma experiência. Busca somente isso, e não
deixe que a teologia de atrase.”

Em outras palavras realmente fazer essa pergunta e tipo ficar realmente


curvado nessa questão, “Como o impossível ocorreu?”... você pode como que
entrar numa queda metafísica teológica. Mas fazer a pergunta, “Como o
impossível ocorreu?” há uma suposição subjacente que está por baixo desta
questão. Qual é a suposição subjacente, “Como o impossível ocorreu?”

Participantes: Que o impossível ocorreu.

Orador: Que o impossível poderia ocorrer e ocorreu.

Por que você perguntaria como isso ocorreu; a menos que você já acredita que
isso ocorreu? Então onde você vê que Jesus responde esta questão, então isso
faz com que o erro seja real. É tipo que definir o ego; se você diz que você
quer uma definição sólida do ego, e algumas páginas depois, [Ele] não dá uma
definição para o ego. Mas ele de fato, fala sobre o milagre. Ele fala sobre a
mentalidade certa e a correção. No terceiro parágrafo Ele diz:

“Não há definição para uma mentira que sirva para torná-la verdadeira.”
E no quarto parágrafo Ele diz:

“Não podemos realmente construir uma definição do que é o ego, mas


podemos dizer o que ele não é.”

E nesse ponto Ele passa a descrever o estado do milagre... que este é um


Curso para escolher a mente certa, para escolher o milagre, mas não tentar
analisar o ego.

Participante 1: E nós pensamos que precisamos saber o que ele é para que
possamos evitá-lo, mas se simplesmente entrarmos na mente certa isso não é
um problema. É isso que você está dizendo?

Orador: Sim, isso se dissolve na mente certa.

Participante 3: Em que ponto, se eu estivesse, universalmente estivesse em


paz... em que ponto todos nós [rindo]... todos nós que somos Um, escolhemos
vivenciar a vida nesta forma? É uma pergunta estranha eu sei.

Orador: É realmente uma outra versão daquela que acabamos de falar de


como o impossível ocorreu? O Curso diz que o ego fez a primeira pergunta. E
a primeira pergunta foi, “O que eu sou?” Agora o Espírito Santo tem uma boa
resposta para isso. [risadas] O Espírito Santo imediatamente entra na mente e
a resposta do Espírito Santo é claro, “Você é o Santo Filho do Próprio Deus;
infinito, perfeito, criado à imagem e semelhança do seu Pai.”

Participante: Por que simplesmente não saberíamos disso?

Participante 4: Nós, de fato, sabemos disso...

Orador: Embora esteja enterrado. Lembra, ontem à noite, no livro de estória


[sobre o que eu disse] a mente correu, literalmente... correu da luz no instante
do terror porque a crença do ego é que Deus vai te pegar, porque você
realmente passou dos limites agora [separou-se de Deus]. 'Oooohh, você fez
uma coisa terrível.' Então, a mente, de um certo modo, ficou aterrorizada e se
move para dentro da escuridão longe da luz.

E o ego deu uma resposta para aquela questão também, “O que eu sou'.
[Orador brincando] é como, 'Aqui está você, você é huuuummmmm... um
mundo... num corpo... um corpo no mundo.' É como se dizer, é isso aí, isso
responde. E não só isso, mas você [acredita que você pode] fazer a si mesmo.

Participante 5: E assim, por um instante nós acreditamos no ego.


Orador: Por um instante, certo. Isso é tudo que o Curso diz um instante não-
santo, é o instante. Agora se nós falamos sobre o tempo, aqui está o instante
não-santo onde a diminuta crença foi acreditada e aí vem o Espírito Santo
simultaneamente como a resposta para isso bem aí na mente. Em outras
palavras, Deus colocou a resposta à insanidade bem onde a insanidade estava.
Ele não colocou a resposta aí for a no mundo porque não é aí que o sopro [a
insanidade] está, o sopro está na mente. Então, Ele colocou a resposta bem
onde estava o problema. Mas a mente está tão aterrorizada com a luz que ela
se moveu para fora em direção à forma e se engajou nos corpos e
sobrevivência e julgamento...

Participante 1: Todos os diferentes tipos de coisas.

Orador: Sim, esses tipos de coisas. [Participante 2 tem] a Lição 223 que é:

"Deus é a minha vida. Não tenho outra vida senão A Dele.

Eu estava errado quando eu pensava viver à parte de Deus, uma entidade


separada que se movia no isolamento, sem ligações, abrigada dentro de um
corpo. Agora sei que a minha vida é A de Deus, que não tenho outro lar e que
não existo à parte Dele. Ele não tem Pensamentos que não façam parte de
mim e eu só tenho aqueles que são Dele.”

Definindo a Percepção

Nota do editor: Esta transcrição foi superficialmente editada para fazer com
que certos pontos do diálogo sejam claros e para facilitar a leitura. Por esta
razão, ela não corresponde exatamente palavra por palavra o áudio em mp3.
No entanto, o conteúdo geral e as idéias expressas permanecem intactas.

Orador: Eu acho que de certo modo nós vamos trabalhar em direção à


percepção porque este é um Curso sobre mudança da percepção. E então
talvez antes nós meio que entramos em algumas idéias sobre ‘Como nós
mudamos a percepção?’ [e] chegamos nas coisas básicas [poderíamos] entrar
em algumas idéias do que é a percepção. Porque é um termo psicológico e se
você não teve um grande background em psicologia ou psicoterapia isso pode
ser como, ‘Bem, eu tenho uma idéia disso..’

Participante 1: …mas é um pouco confuso.

Orador: …mas é um pouco confuso, eu quero ser preciso.

Participante 2: Sim, o que é percepção?

Orador: Bem vamos tentar lançá-la. Quando as pessoas pensam na percepção


o que vem na mente?

Participante 3: No Curso é percebida como sendo um ponto de vista


individual que está vindo do apoio do ego e filtrado através do corpo-emoção
e geralmente desinformado pelo corpo-atitude e visto completamente
embaçado pelo corpo-agenda. [rindo]

Orador: Então você está dizendo, ‘muito distorcido’. [Gargalhadas]

Participante 3: Bem, poderia ser.

Orador: E ela pode ser treinada para estados de consciência mais elevados até
a percepção verdadeira do mundo real. Então, alguém mais quer falar sobre
percepção; alguém quer tentar falar sobre o que ela significa para você?

Participante 4: Eu não poderia formulá-la como você fez.

Participante 5: Não, eu só digo como eu vejo as coisas.

Orador: Percepção envolve atribuir significado. A segunda lição do Curso


(que é realmente básica porque todas elas meio que se constroem uma sobre a
outra) é:

"Eu tenho dado a tudo que vejo todo o significado que tem para mim."

E como você estava dizendo antes, de fato, parece ser um tanto dessa coisa
individual no sentido de que duas ou três ou quatro pessoas podem ver um
acontecimento antigo e então irão pedir depoimentos de testemunhas oculares,
‘Escreva exatamente o que aconteceu.’ E então elas escrevem e então lá
vamos nós, nós temos, ‘Bem, isso é o que a primeira pessoa viu...’ E então o
Curso está dizendo que toda vez que você está transtornado de alguma
maneira - poderia ser medo, raiva, depressão, tédio ou seja lá o que for - você
está tomando uma decisão no momento e você está escolhendo aquela emoção
baseada na sua interpretação, ou sua percepção, daquilo que está acontecendo.
[isso] faz muito sentido, o porquê as pessoas poderiam ter todas essas reações
porque... há um filtro diferente. [nota do editor: “filtro” se refere à perspectiva
pessoal.] E é definitivamente uma decisão. Agora quando você começa a levar
isso adiante e você começa a aplicar isso na sua vida... seja frustração no
trabalho ou frustração com a Receita Federal ou frustração com os sogros ou
com o clima ou com as enchentes ou com qualquer outra coisa parecida, que
você pode ver o quão retrógrado a nossa percepção é. Todos estão
conseguindo acompanhar essa parte sobre a percepção? Que nós não vemos
coisa alguma do modo que realmente é.

Participante 1: E essa reação [nunca] é o fato disso, mas a minha


interpretação disso.

Participante 3: Um outro motivo pelo qual isso não importa.

Orador: [Gargalhadas] O lema. Agora esse é o lema do grupo. Isso pode


parecer assim para muitas pessoas... tipo, ‘Bem, espera um minuto, as coisas
realmente importam.’

Participante 3: ‘Você não se importa?’

Orador: ‘Você não se importa? Você não tem nenhuma compaixão?’ E isso é
um belo aprendizado. Isso leva de volta a mudar a sua percepção. E então
quando a sua percepção está curada quando você está em sua mente certa, por
assim dizer, quaisquer que sejam as suas ações, seja estendendo a mão (como
pareceria nos olhos do mundo) dando uma ajuda, ou seja lá o que for, é feito
com pureza porque a intenção é... você não está fazendo isso com culpa. Você
vai até as áreas pobres da cidade e se sente tão culpado por aquilo que você
está vendo, os sem-tetos, ou seja o que for, e de um certo modo você esvazia
seus bolsos com a intenção da culpa, ‘Essas pessoas estão tão piores do que
eu... Eu me sinto tão mal que eu simplesmente vou dar tudo que eu tenho em
meus bolsos para me ajudar a me sentir melhor.’ E o Curso está tipo dizendo
que, ‘Bem, não é nem mesmo o ato de dar dinheiro ou o ato de fazer algo que
irá te aliviar da culpa, mas é somente ficando esclarecido em relação a sua
percepção que você ficará livre da culpa.’

Então de onde vem a percepção?

Pensamento!

As lições inicias do Curso estão nos ensinando [lições 5, 6 e 7]:


“Eu nunca estou transtornado pela razão que imagino.”

É uma lição tão boa porque muitas vezes a primeira reação quando as coisas
acontecem é, ‘Eu sei porque estou transtornado. Estou transtornado porque...’

Participante 1: ‘Pela mesma razão que qualquer um estaria transtornado.’

Orador: Sim, ‘Porque eles fizeram isso. Você também não agiria do mesmo
jeito se alguém fizesse isso com você?’
"Eu vejo algo que não existe"

Isso seria perturbador. [É como um] deserto onde você vê uma miragem e
você está com calor e com sede e você vai e você pensa que é um oásis e você
chega lá e não está lá.
Participante 1: Mais areia.

Orador: Pra mim essas lições iniciais do Curso são profundas porque, “Eu
nunca estou transtornado pela razão que imagino. Eu estou transtornado
porque vejo algo que não existe. Eu só vejo o passado” para usar o que você
está dizendo.

Se estou constantemente observando o passado e estou ficando todo


transtornado e é porque, de certo modo... o passado é onde a culpa parece
ocorrer. O passado é... esse é o domínio do ego e o presente é onde o Espírito
Santo vive. E a mente... só quer ficar recordando o passado e acreditando na
sua realidade...

Participante 1: Cultivando-o novamente.

Orador: Cultivando-o novamente. Ou como nos relacionamentos; eu


conversei com orientadores de viciados e eles conversam com as pessoas e
eles dizem que existem esses padrões que emergem. As pessoas dizem, ‘Eu
me casei 5 vezes e essa mesma coisa continua acontecendo, de novo e de
novo. Eu tentei me casar com outra pessoa... mas as mesmas coisas... Eu me
casei com cinco alcoólatras.’ Ou pode ser com empregos também. Você
arruma um emprego que você pensa, ‘Ah odeio este emprego vou sair desse
emprego!’ E então de novo, ‘Eu odeio este emprego!’ É como se... o passado
só ficasse se repetindo.

Então se nós entramos nas dinâmicas, nós estávamos falando sobre... sobre a
percepção e pensamento, o que o Curso diz é que toda vez que você está
pensando no passado ou futuro sua mente está literalmente em branco porque
sua mente ainda está com esses pensamentos passados e ela projeta esses
pensamentos para fora e é isso que é o mundo; o mundo é literalmente os
pensamentos passados ou nossas mentes que estão projetando para fora dentro
do mundo [formas]. E então, não é pra menos que nós ficamos transtornados
com o que estamos vendo com esses olhos porque nós literalmente estamos
vendo o roteiro, ou estamos vendo a tela, na qual está somente o passado;
todas as nossas mágoas parecem tomar forma. Nós temos todos esses
pensamentos raivosos, esses pensamentos rancorosos e cheios de ódio na
mente. E o que acontece é que eles estão no show das figuras; e de um certo
modo isso se resume, realmente simplesmente em pensamentos da nossa
mente. Nós estávamos dizendo que só existem dois sistemas de pensamento;
existe o pensamento do ego baseado no medo e existe o pensamento do
Espírito Santo. E isso, em primeiro lugar, leva ao discernimento entre os dois;
eu preciso ser capaz de saber a diferença entre os dois e então eu preciso
começar a abandonar ou retirar o meu investimento no pensamento do ego.

Se eu acho que o ego está oferecendo algo para mim que é bom e útil e
proveitoso, eu vou querer isso para ficar por aqui; eu vou me apegar a isso.
Então, pra mim, é isso onde o Curso chega; ele começa chegando no ‘Como
estou mobilizado nessa coisa, Jesus, e como eu estou investindo nisso, mas eu
não sei disso?’

Participante 1: Qual é o valor nisso? Para mim é como, o que estou vendo
aqui eu quero me apegar porque parece valer a pena? Eu não vou abandonar
algo que eu sinto que vale a pena e me dá algo. E na medida que a minha
mente muda, então é claro eu vou ver provas do... ‘do novo’ [sistema de
pensamento] na minha mente. Eu vou ver provas daquilo que está “aí fora” na
tela, e então eu tenho experiências que vem para mim que testemunham esse
novo modo de pensar na minha mente. E então se eu me abrir para a luz e se
eu me abrir para a segurança da confiança, então eu vou ter muitas
experiências que vão aparecer para provar para minha mente que este é o caso
a reversão é verdadeira também; se eu tenho um monte de pensamentos na
minha mente que não são de confiança, então é claro que o que vai aparecer é
a prova de que estou certo sobre isso e que não é seguro confiar.

Orador: Então a pergunta é, “O que eu quero?” Isso se resume em, “O que eu


realmente quero?” E no começo quando você começa a trabalhar com essa
coisa pela primeira vez, é como “Eca! Eu realmente devo querer culpa e medo
porque parece que eu ainda estou percebendo eventos que parecem
testemunhar isso.” E então o Curso está meio que dizendo, ‘Você realmente
precisa continuar a fazer esta pergunta, aprofundar-se mais.’

Eu sempre conto a estória [de quando eu estava] crescendo, antes do Curso e


tudo mais; as duas coisas que eu queria na vida eram liberdade e intimidade.
Eu pensava, “Oh, essa sensação de conexão e intimidade, eu quero isso, eu só
quero tanto isso.” E liberdade, “Eu gosto de voar! Eu gosto de sentir que não
há nada pendurado em mim.” E o que eu fiz foi... não que as minhas metas
fossem tão erradas... no Curso liberdade e intimidade ou paz são belas metas
mas... era onde eu estava procurando por elas, eu comecei a descobrir que
tudo estava retorcido.

Participante 1: E como você as definia.

Orador: E como eu definia isso.

Participante 3: Você não pensava que liberdade e intimidade são justapostas,


essas duas em particular...

Orador: Bem, do modo que eu percebia era, quando eu tentava buscar


intimidade, que a minha liberdade parecia estar limitada.

Participante 3: Bem, sim, solidão e liberdade eu não acho que são


justapostas, mas intimidade e liberdade?

Orador: Intimidade. Parece muito tipo… em relacionamentos essa foi a


minha experiência. É quase como a coisa da ‘bola com corrente’ (de
prisioneiro) em relação ao casamento.

Participante 3: Mutuamente exclusivo.

Orador: Sim, mutuamente exclusivo. Estou descobrindo através do Curso


que não é só que eles não são mutuamente exclusivos, mas que são
encontrados no mesmo lugar idêntico... são idênticos. Minha definição de
liberdade era, “Eu quero ser capaz de ir aonde eu quero ir, fazer o que eu
quero fazer, fazer do jeito que eu quero fazer e fazer quando eu quiser fazer.”
Uma sensação real de não haver nenhum limitação ou restrições.

Participante 1: Agora isso significa que você gostaria então encontrar alguém
que gostaria de fazer exatamente o que você quer fazer quando você quer
fazer, certo?

[Gargalhadas]

Isso parece fantasia!

Orador: Se você entrar na parte da intimidade disso, a parte da intimidade


disso diz, “Bem, está bem, eu quero a liberdade, mas eu quero aquele
sentimento de conexão. Eu quero o sentimento de estar tão perto de alguém
que é como se nós soubéssemos os pensamentos um do outro. Eu quero esse
tipo de proximidade onde não há nenhum senso de separação. E é claro, eu
diria que muitas das minhas idéias de intimidade tinham um monte de idéias
românticas amarradas aí também; eu tinha muitas coisas associadas... com o
corpo. Eu [queria] muitas coisas que eu definia [como] intimidade:
companheirismo; tendo alguém com você... que tivesse muito a ver com as
minhas idéias de intimidade. “Não é tão fácil”, eu diria, “ser íntimos se ela
está morando na Califórnia e eu estou morando em Nova Iorque.” Minha idéia
de intimidade [era que] os corpos devem estar juntos sob o mesmo teto de
preferência, o mais próximo possível, o máximo de tempo possível... Essa era
a minha definição de intimidade.

Agora quanto mais fundo eu entro nisso e passo por relacionamentos e todas
as coisas diferentes e trabalho com o Curso tive esse monte de
transformações, é que eu acho que ambas das minhas definições realmente
eram altamente relacionadas ao corpo. Em outras palavras, minhas definições
de liberdade, quando eu disse ir para qualquer lugar e fazer qualquer coisa...
muito disso era mobilidade do corpo. Eu queria ser capaz de deixar este corpo
se movimentar por aí e ser livre para se movimentar, então a liberdade estava
muito amarrada com a liberdade do corpo. Não era muito a liberdade da
mente, e agora eu vejo, e intimidade mais uma vez... eu realmente relacionava
intimidade com esses corpos... e não era tanto uma ‘intimidade da mente’ que
eu definia aí, em termos de compartilhar pensamentos ou compartilhar o
Espírito Santo, mas era em termos de apenas ‘ter os corpos juntos e você tem
sorte se você consegue concordar com certas coisas e ter interesses mútuos
compartilhados.’ O que eu descobri é que o relacionamento e a verdadeira
intimidade vêm quando se segue o Espírito Santo e também é isso que é a
verdadeira liberdade, mas isso desliza contra muitas das minhas idéias daquilo
que eu pensava. Eu tinha [esperanças] de me tornar uma pessoa realizada e eu
descobri que eu tinha que questionar muitas coisas.
Ser usado [pelo Espírito Santo], conforme eu viajo pelo país e [entro nas
coisas com as pessoas] há uma sensação real de intimidade que você sente
com as pessoas uma conexão real, a coisa que eu estava sempre buscando,
mas certamente não é a forma que eu tinha idealizado para isso.

Alcançado a Verdadeira Percepção

P: Minha pergunta é sobre uma discrepância entre a fita de áudio de um Curso


em Milagres e sobre o que venho aprendendo do Curso em Milagres. No meu
trabalho, ocasionalmente compete a mim, fazer cumprir pequenas leis e
princípios morais. Parece que o Curso em Milagres repete várias vezes que
nada qualquer coisa que não seja eterna simplesmente não é real e se eu estou
entendo corretamente parte de um milagre é deixar passar todos os erros e
permitir que o Espírito Santo preencha a sua mente com mais percepção
verdadeira.

A fita de áudio diz que quando alguém comete um crime que isto implicaria
na ida desta pessoa para cadeia, e que ainda iria para a prisão, mas o milagre
que o orador oferece é a mudança da percepção sobre prisões - para vê-los
como lugares para cura e aprendizado.

Mas eu notei que leva centenas de horas de reflexão sobre o crime de alguém
para fazer cumprir a lei mesmo para pequenas afrontas. E como o curso diz
você dá para o seu ser, o que quer que seja que você pense sobre uma outra
pessoa. O que parece correto para mim, eu acho que quando eu gasto meu
tempo pensando sobre o que as outras pessoas possam ter feito de errado eu
tenho a tendência de pensar que outras pessoas estão projetando idéias
negativas para mim. Então minha pergunta é qual poderia ser a maneira
correta para perceber.

Bênçãos de Agradecimentos.

R: Amado Milagre
Agradeço por escrever.

O perdão sempre é uma dádiva para o nosso Ser porque ele libera o faz de
conta do ser/mundo/cosmos do ego e abre o caminho para a lembrança do Ser
e Deus.

Como um irmão ou uma irmã é reconhecido além do corpo, a Inocência deles


como uma Criação Divina é reconhecida. Você escreveu que o “milagre é
deixar passar todos os erros...” e é assim. Com a Ajuda o Espírito Santo é
possível olhar além do erro para a Luz da Expiação, Que é para sempre
Inocente e Sem Pecado. O Perdão é sempre justificado porque as percepções
equivocadas do ego não são reais. A Regra de Ouro lhe pede para fazer aos
outros como que você gostaria que os outros fizessem para você.

Não veja nenhum corpo como culpado e você não verá nenhum corpo para
acusar. A Inocência do Espírito é evidente quando se percebe que o ataque é
impossível. Uma mente unificada não pode atacar ou ser atacada. E sem a
crença no ataque a culpa não tem base. O Espírito Santo gentilmente conduz a
uma mente unificada e uma percepção unificada que é o mundo perdoado.
Quando o perdão for aceito, a ilusão da culpa desaparece da consciência.

É possível perceber qualquer situação aparente como uma extensão do Amor


ou Pedido de Amor. Deixe o Espírito Santo mostrar-lhe alinhando sua mente
com esta Orientação. Curar é desaprender o ego e assim liberar cada pedaço
da crença, pensamento, emoção e percepção do ego. Se você está disposto o
caminho será aberto, pois nada pode obscurecer a Inocência que o Espírito
Santo teria para você contemplar.

Bênçãos aos trabalhadores de milagres em todos os lugares! Toda a Glória


para Deus! Amor sempre.

Enxergando Além das Defesas Comuns do Ego

O ego não consegue separar o Que Deus criou como Único. Nenhum
pensamento de desarmonia pode resistir a Luz da Verdade. Todas as coisas
trabalham juntas para o bem porque há uma perspectiva em comum que vê
todas as coisas (ex: eventos, coisas, acontecimentos, etc.) como ilusórias. Na
quietude todas as preocupações já estão respondidas e cada problema aparente
já está resolvido.

Não há nada a temer numa investigação honesta. Deve se parar de correr e


evitar e projetar e justificar e racionalizar o que se pensa que sabe ser assim.
Admita que você tem sido enganado e esteja aberto a questionar tudo que
você pensa que sabe. De que outra forma pode se permitir uma completa
mudança da mente sobre si mesmo, e aceitar a própria Realidade como o Ser
que Deus criou? Pare de fingir que você é uma autônoma, independente que
sabe alguma coisa da Mente Divina.

A Mente e o corpo não têm ponto de encontro, nenhum ponto de


reconciliação. Você não é uma pessoa com uma mente. Você é inteiramente,
puramente, completamente Mente. A verdadeira independência não é a
independência da autonomia, mas a completa dependência de Deus. Entregue
todas do que você pensa que você é para o Espírito Santo e permita que Ele te
ensine a perdoar e assim lembrar da Mente Divina.

O ego declara enfaticamente: “Eu não mais preciso de um professor!” Uma


mente curada não tem necessidade de fazer tal declaração. Algum dia Jesus
fez uma declaração como está? Enquanto você acreditar que corpos, pessoas,
e mentes autônomas e privadas têm realidade você será atraído ou repelido
pelos professores “pessoais”, pois o ego fez o mundo e todos os ídolos para
distrair você para não olhar para dentro e seguir o Professor Que se lembra da
sua inocência. O ego quer que você encontre um bode expiatório para culpar e
ídolos <elevar> e se agarrar para que você possa reter na memória a
autonomia e independência como uma pessoa com uma vontade separada, seja
o líder ou o seguir. E tudo por baixa do pretexto da “espiritualidade”. Abra-se
para o Professor interno, e Ouça-o falar para você através de uma variedade de
símbolos dos quais você acredita. O mundo não é nada senão uma
representação de pensamentos privados. O Espírito Santo usa o que foi feito
no ódio para ensinar o significado do verdadeiro perdão. O significado está
dentro. O que não tem significado está fora.

O ego declara: “Você não tem que olhar para o ego, apenas para o amor.”
Pode se amar um mundo de imagens, algo que foi feito para tomar o lugar de
Deus? O mundo foi feito pela crença, não por Deus. Pode se lembrar do amor,
que foi encoberto da consciência pela crença, sem questionar tal crença? Jesus
disse: “Para aprender este curso é necessário disposição para questionar cada
valor que você mantém. Nenhum pode ser mantido oculto e obscuro senão ele
colocará seu aprendizado em perigo.”

“Ninguém pode escapar das ilusões a menos que se olhe para elas, pois não
olhar é a maneira que elas são protegidas. Não há necessidade de se encolher
das ilusões, pois elas não podem ser perigosas. Nós estamos prontos para
olhar mais de perto o sistema de pensamento do ego porque juntos temos a
fonte de luz que irá dissipá-lo, e já que você reconhece que não quer isso,
você deve estar pronto.” Não seja enganado pensando que você pode perdoar
um mundo sem levar para a consciência o sistema de crença que o fez. A
mente não pode liberar o que tem negado na consciência, e todos os “atalhos”
do ego para o “amor” são realmente nada mais do que atraso e/ou distrações.
O ego insiste. Mas “Palavras são desnecessárias. Pare de usar palavras e fique
quieto.” O ego se rende à insistência rende. O Verdadeiro Silêncio é o estado
em que Deus é lembrado. A Revelação está além das palavras. Este profundo
Silêncio está sempre disponível, embora seja muito amedrontador para uma
mente conflitada, para o ego. Falatório, pensamentos do passado e futuro, são
as tentativas do ego para negar o Silêncio da consciência. Palavras são
somente símbolos dos símbolos, representações de pensamentos. No Curso
Jesus diz: “Então o professor de Deus deve evitar o uso das palavras em seus
ensinamentos? Não, claro que não! Muitos que devem ser alcançados através
das palavras, sendo ainda incapazes de ouvir em silêncio. No entanto, o
professor de Deus deve aprender as usar as palavras de uma nova maneira.
Gradualmente, ele aprende a deixar suas palavras serem escolhidas para ele
deixando de decidir por ele mesmo o que dirá. Este processo é meramente
uma caso especial da lição no livro de exercícios que diz “Eu recuarei e
permitirei que Ele mostre o caminho.” O professor de Deus aceita as palavras
que são oferecidas a ele, e dá conforme recebe. Ele não controla a direção da
sua fala. Ele escuta e ouve e fala.”

A Lição 296 do Livro de Exercícios é um exemplo deste tipo de uso das


palavras. “Hoje o Espírito Santo fala através de mim.” “Hoje o Espírito Santo
precisa da minha voz, para que todo o mundo possa escutar a Sua Voz, e ouvir
Suas Palavras através de mim. Estou decido a permitir que Você fale através
de mim, pois eu não usarei nenhuma palavra exceto as Suas, e não ter
pensamentos separados dos Seus, pois somente os Seus são verdadeiros.

Serei o salvador do mundo que fiz. Pois tendo condenado o mundo, eu o


libertarei, para que eu possa escapar, e ouvir a Palavra da Sua santa Voz falar
comigo hoje.

Uma mente de acordo com o Espírito Santo é silenciosa. Quer o corpo pareça
estar falando ou movimentando é irrelevante para tal silêncio miraculoso. O
propósito ou a motivação da mente escolhe determinar o estado da mente que
se vivencia. O silêncio é natural, mas é obscurecido da consciência pela a
escolha de alinhar a mente com o ego. A questão nunca é falar ou não falar,
mas ter clareza na mente do próprio propósito, pois está é a decisão a ser
tomada. O resto meramente se segue.

O ego exige a própria liberdade: “Eu” não serei confinado por outra pessoa,
instituição, professor, grupo ou conjunto de regras. Eu sou uma pessoa livre.”
O ego diz a mente que é impossível para uma pessoa ser livre do mundo
externo por ele mesmo. O ego se sente livre quando ele não está sendo olhado.
Ele não traz a consciência a lei de que “as idéias não deixam sua fonte” e o
reconhecimento de que não há um mundo separado da mente de alguém. As
pessoas nunca poderão ser livres, pois a mente que acredita que a pessoa
escravizou a si própria pelo engano. Ninguém pode ser mente e corpo, espírito
e matéria, eterno e temporário. O conceito de pessoa é uma tentativa de
combinar ou reconciliar o que nunca poderá ser combinado ou reconciliado. Já
que não há um mundo à parte da mente, não há “outras” pessoas, instituições
ou conjuntos de regras “do lado externo.” Imagens podem representar a crença
do controle, mas não podem mais do que simbolizar a ilusão do controle, já
que Deus não criou o controle. Portanto, a liberdade do controle não pode vir
para a mente que acredita que ela mesma é uma pessoa num mundo externo;
mas somente para uma mente que reconhece que tem sonhado com o mundo
inteiro e que o mundo é meramente um mundo de idéias. O mundo perdoado é
rapidamente esquecido e o Reino dos Céus, a Vida Eterna, é a Verdadeira
Liberdade.

Talvez você tenha evitado alguém, usando a justificativa que ela estava
tentando controlar você ou institucionalizar a sua jornada espiritual. Talvez
você se sinta mais seguro ou até mais feliz porque ela está longe. Sua mente é
poderosa, poderosa o bastante para fazer um mundo, para inventar corpos e
construir instituições dentro do tempo e espaço. Somente a mente que acredita
que ela mesma é um corpo, uma pessoa, num mundo de outras pessoas e
instituições, grupos, externos a ela mesma poderia perceber a si mesma como
capaz de ser controlada, institucionalizada, ou se sentir mais feliz porque um
corpo não está por perto. Somos responsáveis para escolher a paz. Nada pode
acontecer com alguém separado do que a mente que deseja, e se todo o desejo
é a Paz de Deus e nada mais, isto deverá ser vivenciado.

O ego sempre foca sua atenção nas coisas específicas e pessoas, passado e
futuro, pois ele não está ciente do propósito do Espírito Santo no presente.
Quando você perceber que a sua mente está preocupada com tais reflexões
sem sentido, escolha de novo. O milagre fará você lembrar que o falso é falso,
e você sentirá à vontade no Alto, acima do campo de batalha. Não há paz, nem
segurança e nem garantias no campo de batalha dos pensamentos sobre as
pessoas e coisas específicas.

Esteja certo do que você realmente quer, e você não sentirá a necessidade de
prestar atenção no mundo das imagens. A verdade é a luz interior

Quem Escreveu o Curso?

Nota do editor: Esta transcrição foi superficialmente editada para fazer com
que certos pontos do diálogo sejam claros e para facilitar a leitura. Por esta
razão, ela não corresponde exatamente palavra por palavra o áudio em mp3.
No entanto, o conteúdo geral e as idéias expressas permanecem intactas.

Participante 1: Bem, eu tenho uma pergunta. Você fica falando “Ele diz”.
Deve-se crer que o Texto é as palavras de Cristo?
Orador: O Curso inteiro é… aparece escrito na primeira pessoa onde Ele diz
‘tu’ e ‘eu’... usa pronomes como ‘eu’ primeira pessoa e faz referências a Ele
Mesmo no Texto sobre a crucificação, sobre a ressurreição, sobre os
apóstolos...

Participante 1: Está certo, mas se não me engano uma mulher e seu marido
escreveram isso?

Orador: Não. Havia uma mulher que é descrita como a “transcritora” que
tomou notas e ela...

Participante 1: Então isso é canalizado?

Orador: Você poderia dizer isso. É diferente de um monte de coisas como às


vezes escritas canalizadas ou escritas mecanizadas ou escritas automáticas e
assim por diante... Esta mulher recebeu um ditado interior muito claro e ela o
anotou em taquigrafia. E então, seu colaborador, não era seu marido, mas na
verdade o professor que a contratou na Columbia [Presbyterian Medical
Center]. De um lado ele a tranqüilizava e a acalmava, e de outro ele se sentava
e datilografava durante o processo de sete anos que levou para ser anotado.

E mais uma vez, para mim, eu estudei tantos caminhos e espiritualidades e


tudo mais... Quando pela primeira eu peguei o livro na Califórnia eu não tinha
idéia de quem tinha escrito, eu não sabia nada sobre ele, eu apenas peguei e
comecei a ler as idéias e foi antes mesmo de eu chegar em algumas das
passagens que falavam na primeira pessoa sobre a crucificação e a
ressurreição. Tudo que eu sabia era, a ressonância dentro de mim que eu
estava medindo tudo que eu lia em filosofia e religião e tudo o mais que eu
senti que estava me conduzindo em direção à integridade, independentemente
de Jesus ou Cristianismo ou qualquer coisa, aquilo era muito forte. Muito,
muito forte. E então, quando eu descobri isso, foi tipo como ‘Oh, e então
[gargalhadas] quem escreveu este livro?’ Bem eu tive uma sensação dessa.

Você também poderia dizer, embora em outro nível que isso é simbólico,
porque Jesus aqui está dizendo que existe uma mente íntegra... existe uma
mente que está desperta e está vindo... isto, de um certo modo, está vindo da
mente íntegra. [E] Jesus diz que Ele foi o primeiro a despertar, dando a
entender que existiram outros, e então não é específico da pessoa, e então as
pessoas que se identificam como Judias ou se identificam como Budistas ou
seja o que for... quando eu converso com elas eu digo: bom você não gosta da
palavra Jesus ou Espírito Santo ou [inaudível] você não tem que pensar que é
um caminho literalmente Cristão, só porque está usando terminologia Cristã.
Então, eu só o vejo como idéias; como uma escada metafórica que está vindo
de uma mente íntegra.
Participante 2: Ele fala sobre Jesus… Eu suponho que o modo que eu vim a
entendê-lo foi que Jesus foi a pessoa na história que teve esta experiência e
isto... está escrito na Bíblia e assim por diante. Mas há também a Mente de
Cristo com a qual ele se identificou e essa é a Mente de Cristo que está em
todos e Ele apenas escolheu se identificar completamente com ela e essa foi a
Sua transformação ou Ser despertar... quando Ele se identificou totalmente
com essa Mente de Cristo e veio daquele lugar, é isso que Ele ensinou. Jesus
foi a pessoa que caminhou por aí e ensinou isso, mas foi a Mente de Cristo
cumprindo o dever, e é a Mente de Cristo em qualquer de nós que cumprirá o
dever quando nós fizermos uso disso, quando nós nos alinharmos com isso;
virá através de qualquer um - não é específico da pessoa, é apenas o Cristo.

Quem é o autor do UCEM?

Amado Milagre

Neste mundo, que representa uma crença no problema da autoridade,


“autores” são considerados pessoas. Contribuindo com este conceito ilusório
de “canalização”, “autores” são considerados “entidades distintas” que vem
“através” de pessoas. Como é o caso de “Jesus” e “Helen”. Em verdade, em
verdade, nada disso tem a ver com Autoria como os Autores de Deus, pois ter
Autoria é criar em Espírito. O conceito de um “autor pessoal” é uma
contradição em termos que não tem nenhum significado. Zero. Nada. Nulo.
Este reconhecimento é o escape do medo e abre o caminho para a lembrança
do Amor.

UCEM é forma, uma coleção de palavras, e formas não tem autor. O Infinito
tem a Autoria de Deus. O finito é irreal e não tem autor. O Pensamento além
do véu da ilusão (um véu que inclui o livro UCEM) é Cristo, uma Total e Pura
e Perfeita e Abstrata Idéia na Mente de Deus. A aproximação mais próxima
que este mundo chama de “autor” é o Espírito Santo, a Voz de Deus. O
Espírito Santo é o sinônimo da Voz de Cristo. O perdão por si mesmo uma
ilusão, foi “feito” (não criado) como um contra-sonho para o mundo do
julgamento. Contudo, mesmo as “formas” que o Espírito Santo parece tomar
(palavras, anjos, sonhos visionários, o mundo perdoado) todos são ilusões e se
dissolverão quando a crença no tempo não for mais estimada. Tempo-forma-
espaço não tem Autoria Divina! Deus é o Autor da Realidade e não há
nenhum Autor senão Deus! Realidade é Eternidade! Deus não é o autor do
tempo-espaço-forma. “Deus não conhece forma.” (veja em Além de Todos Os
Símbolos no texto do UCEM)

Deus tem Autoria de Cristo em Espírito e somente em Espírito. O Eterno cria


Eternamente. O Infinito cria Infinitamente. A Realidade é Espírito.
Despertar Agora, simplesmente segue as instruções do livro de exercícios de
UCEM: “Esquece este mundo, esquece este curso e venha com as mãos
totalmente vazia para o seu Deus.” 189.7

Identidade é uma Experiência, não um conceito.

Deus (Espírito Abstrato) tem a Autoria da Realidade (Espírito Abstrato).


Realidade (Espírito Abstrato) é Tudo que Há, não tendo opostos.
Não existe nenhum Autor senão Deus.
Crença em opostos não tem nenhuma realidade.
Ter Autoria é criar em Espírito.
Autoria é Espírito, é Todo Significado.
Forma é crença e assim não tem NADA a ver com Autoria.

UCEM é um símbolo do desfazer da crença, nada mais e nada menos.


UCEM é um livro, não Realidade.
Deus é o Autor da Realidade, e a forma não tem autor.
Palavras são apenas símbolos dos símbolos, removidos duas vezes da
Realidade.
Realidade é uma Experiência e não pode ser descrita, explicada ou definida.
Realidades Está simplesmente... muito além das crenças ilusórias e conceitos
e palavras.

A crença do tempo do ego (ilusão) pareceu inventar um cosmos de tempo-


espaço (ilusão), ainda assim nem o ego nem o cosmos têm realidade. A crença
no ego e cosmos parecem negar a Realidade na consciência, contudo a
Realidade está inteiramente além da crença e só pode ser Conhecida. Como
todas as imagens, UCEM é parte do “reino” da crença e da ilusão.

O ego pergunta: “Quem é o autor do UCEM?”, porém Cristo não tem


perguntas, Tendo a certeza da Identidade em Deus. A ilusão pode ter um autor
se Deus tem a Autoria da Realidade e Deus é o único Autor? UCEM parece
ser uma coleção de palavras, contudo as palavras apontam para além das
palavras. O Significado da Vida é a Experiência dessas apontam para: Deus é
o Autor da Realidade e eu sou como Deus Me criou.

Palavras podem parecer representar o Espírito Santo. O Espírito Santo é


Abstrato na Realidade. Ainda assim o Espírito Santo parece tomar a forma de
uma “Voz de Deus” em relação a crença do tempo, para que a crença no
tempo possa ser desfeita. A Voz de Deus é a Voz de Cristo, pois o Criador e a
Criação são Espírito Uno Abstrato, a Voz que temporariamente representa a
Realidade é Una também. A simples mensagem do Espírito Santo é está: Deus
é Espírito. Cristo é Espírito. Deus tem a Autoria da Eternidade de Cristo.
Espírito é Tudo que Há, não tendo opostos. Não há nenhum Autor senão
Deus.
Perdoe todos os símbolos e aceite o nosso Ser Agora, pois Deus cria Espírito
como Espírito. A Mente Divina é única. Cristo é um Ser Uno na Mente de
Deus. Perdoe todos os símbolos, até mesmo Jesus, pois o homem foi somente
uma ilusão. História não tem significado. Deus é Agora. Cristo é agora. Cristo
é Agora. Todo o Significado é Agora. Eu Sou Agora. O instante santo é tudo
que há para se contemplar. Fique Quiete e Conheça, pois o passado se foi e o
futuro foi só uma falsa imaginação. Como é óbvio e simples a Resposta da
Vivência da nossa Identidade em Deus.

Portanto, ponha de lado questões e distrações tolas e entre no Silêncio do Ser.


A Certeza é uma Vivência além das palavras e questões. A Presença do Eu
Sou é real. “Os problemas do Mundo” não são reais. Deseje a totalmente
Realidade e Vivencie Tudo que Deus criou Santo. Não há nada mais para ser
contemplado.

Obrigado Deus!!!

Abordando UCEM
Uma transcrição sobre como se preparar para explorar as idéias de UCEM

Orador: É uma alegria estarmos juntos para discussão porque quando o


fazemos, há um sendo de que a verdade está dentro de cada um de nós. E o
Espírito Santo pode falar conosco porque tudo o que temos que fazer é nos
unirmos com essa intenção de realmente esclarecer; para discernir entre o ego
e o Espírito Santo. Nós deixamos o Espírito vir entre nós e perguntas são
feitas e respostas surgem e experiências são compartilhadas e tudo é parte
deste processo de esclarecer cada vez mais. Então, não é como se houvesse
alguém aqui hoje que vai dar uma palestra sobre o Curso, apesar de podermos
entrar em alguns mini-discursos conforme for importante para nós olharmos
mais de perto a mente e como ela funciona antes que possamos realmente
esclarecer sobre este ego – porque o ego é uma crença da mente.

Este Curso é como muitas espiritualidades, na qual o ego tentará conceituá-lo.


Em outras palavras, ele pode tentar compartimentá-lo e trancá-lo longe da
mente. Então o ego não se importa se você pode simplesmente ler o livro todo
e memorizar passagens e ser capaz de falar sobre ele verbalmente enquanto
você ainda está na frenética escalada para o sucesso profissional de novo e de
novo levando a mesma vida de antes. O ego acha ótimo compartimentá-lo,
porque assim ele não é ameaçado. A sua existência não é ameaçada.

Então, queremos tentar usar um monte de exemplos práticos e aplicar as idéias


aos exemplos. Se não o usamos então é só um livro cheio dessas elevadas
idéias de metafísica e teorias. No outro extremo, a mente está tão aterrorizada
com o Espírito Santo e o Curso, que é bom notar os truques que a mente faz
para se distrair com todos os tipos de coisas. Ela quer amenizar o que Jesus
está dizendo, “Ele realmente não diz ou quer dizer isto” ou tentar fazer
espiritualidade “experimental”. Mas experimental significa coisa do tipo mais
melindroso. De alguma forma está dizendo que se você passa por essas
experiências, “faça dieta e experimenta isso”, que de alguma maneira a
experiência de despertar virá através dessas coisas. Reunirmos em grupo é
uma outra maneira. Parece que se unir em grupos e fazer coisas acelera o
processo do despertar. Mas a idéia principal sempre se volta para a nossa
própria percepção que precisa ser curada. E é sempre nossas próprias mentes
que estão tomando a decisão de curar ou não. Nunca é qualquer coisa que está
acontecendo do lado de fora no mundo da forma que está causando a nossa
mudança na mente. Se nós abrimos nossas mentes para a verdade, então temos
uma testemunha que surge na tela que demonstra isso. É realmente importante
lembrar que sempre olhamos para dentro de nossas mentes primeiro e então
chamamos uma testemunha para ela. Estamos tão acostumados ao modo
reverso de pensar. Eu pedi por isso e eu obtive o que eu pedi, então eu sei que
Deus existe. Ou algum tipo de experiência do lado de fora que deveria estar
verificando o que está acontecendo do lado de dentro. Mas, é sempre o que
acontece dentro que vem primeiro.

A verdade está dentro de nós e o Curso, como falamos é apenas uma


ferramenta entre muitas outras. Podemos usar algumas das idéias e princípios,
mas principalmente estamos todos nos unindo para buscar a verdade ou
buscar... acho que uma maneira melhor de dizer é, buscar as barreiras que
estão em nossas mente que impedem a consciência da verdade. Porque não é
como se a verdade tivesse ido para algum lugar e agora estamos tentando
trazê-la de volta para nós. Ela está sempre debaixo do nosso nariz, bem aqui.
Então podemos entrar um pouco na metafísica do Curso e mantê-la da forma
mais prática possível. Então, se as pessoas estão tendo experiências e tendo
dúvidas ou até mesmo tendo resistências surgindo contra o Curso ou certas
idéias metafísicas que você ouviu recentemente, estes são materiais bons para
começarmos a dar uma olhada e desemaranhar o ego. O ego é este sopro do
nada e o amor é tudo e assim é tolice continuarmos a nos agarrar e apegar ao
ego e nadar nele, modo de dizer, quando temos o amor bem ali para nós o
tempo todo.

Participante 1: Tem alguma coisa que eu li recentemente quando um autor


estava dizendo que primeiro precisamos aprender a aceitar a nós mesmos
como humanos antes que possamos vivenciar a divindade no tempo. E para
mim, eu sinto que o humano é o ego e eu acho que meu ego está resistindo a
ele mesmo ou algo assim. Eu estou meio confuso sobre... devo aceitar o ego?
Por que se eu resisto a ele então ele se tornará monstruoso. Eu não sei o que
fazer para me livrar dele, modo de dizer. Me sinto como se estivesse lendo
sobre o ego e das coisas horríveis que ele faz para mim e para os outros e é
como se meu ego estivesse odiando ele mesmo e o ego dos outros. Mas ainda
assim, tem esse autor dizendo que temos que amar essa parte humana dos
nossos seres, e então talvez você pudesse discursar sobre isso.

Orador: Eu ouvi muitas vezes essa idéia de que você tem que 'amar o seu ego'.
E tem uma coisa que é um pouco distante disso. Todo o objetivo do Curso é
que o ego é nada mais do que um sopro do nada que foi dado o poder. Mas
não é algo que você pode amar porque isso dá a ele uma realidade. Todo o
objetivo do Curso é erguer esta parte escondida para a consciência e apenas
olhar para ela. Você poderia chamar de aceitação se você pudesse apenas ver
que o falso é o falso. Mas enquanto a mente ainda acredita que esta coisa é
verdadeira... Ah! É doloroso.

Uma outra analogia que eu uso é de um utensílio que não irá funcionar a
menos que esteja conectado. Neste sentido o ego é como um utensílio que tem
que ter a eletricidade para funcionar. Mas a conexão é longa e está nas
profundezas da mente e então quando você pensa que o desconectou, ou você
pensa que passou por algumas camadas existe ainda uma parte da mente que é
atraída ao ego e que ainda quer se identificar com ele e tentará conectá-lo de
novo. Então parece continuar com uma outra tirada.

É útil ouvir a metafísica de novo e de novo. É estranho e parece muito radical


se for comparado à maneira que estamos acostumados a pensar sobre as
coisas. Uma coisa que me afetou é a palavra “unidade” ou até mesmo “união”.
Existem tantas filosofias e caminhos espirituais que apontam para direção da
união ou unidade. Existe um reconhecimento de que as pessoas têm, que tem
que ser um ou todo. Este é um grande contraste quando olhamos para o
mundo percebido com a mente destreinada e vê dualidade em toda sua volta.
Vemos alto e baixo, rápido e vagaroso, macho e fêmea, temperaturas
extremas. Até mesmo o tempo está dividido numa série contínua que tem
passado numa ponta e futuro na outra. Tudo é dois, dois, dois. Uma das
primeiras coisas a dar uma olhada é na reconciliação porque nos sentimos
sendo puxados na direção da totalidade, da conectividade, do senso de união e
então temos esta dualidade que parece estar nos encarando o tempo todo.

E tudo o que o Curso está fazendo, está dizendo que a dualidade, ou a divisão
está na sua mente – é claro falando com o leitor. Nós vemos isso aí fora no
mundo. Nós vemos problemas. Todo mundo poderia provavelmente nomear o
seu problema favorito, se é problema nuclear ou ambiental ou um problema
dos sem-tetos, problemas masculinos / femininos... apenas olhe para o jornal
ou o noticiário e todo mundo tem uma opinião sobre um problema. Quando
falamos sobre problemas... de que lado você está? Na verdade, muitos de nós
fomos ensinados a acreditar que como um ser humano maduro e responsável
conforme você cresce, você realmente toma partido. Você tem que defender
algo. Você é um acovardado se você é neutro, se você não toma partido.
Este é um bom ponto de entrada para tentar chegar nas coisas porque todos
enfrentamos isso o tempo todo... com eleições e problemas do mundo e assim
por diante. E aqui está uma ferramenta que está dizendo que sua percepção
está toda distorcida. Vocês são como crianças que estão tentando enxergar no
escuro; ou no Coríntios, olhando por um espelho, em enigma. Eu acho que
poderíamos dizer que devemos estar olhando através de lentes bem escuras
para estar vendo toda essa dor e angústia quando o Reino dos Céus está ao
alcance das mãos, como diz Jesus. Está bem agora!

Uma das formas mais fáceis de começar a alcançar é a forma perceptiva. Para
tantas pessoas, a bíblia tem sido uma inspiração e Jesus tem tantas citações da
bíblia que muitos de nós estamos familiarizados. Antes eu vim com umas
perguntas e uma das primeiras foi, “Percepção distorcida e falta de visão é o
mesmo problema?” E há todas estas citações na bíblia, assim como nos
Provérbios, “Onde não há visão, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse
é bem-aventurado.” Então tem uma do Coríntios, “Porque agora vemos como
por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em
parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente
conhecido.”

A maioria das coisas que vamos examinar hoje estará focada em como
corrigiremos esta percepção. Se temos esta percepção distorcida que é falta de
Visão com “V” maiúsculo que é a nossa herança, o que temos que fazer para
corrigir nossa percepção?

Metafisicamente eu quero falar sobre diferentes camadas ou níveis. A


primeira nós chamaremos de Espírito que é eterna luz pura. Espírito – a
trindade – o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Não há imagens para o Pai, o
Filho e o Espírito Santo apesar de Jesus ter sido o símbolo de Cristo e
certamente uma manifestação ou uma demonstração do Espírito que está
além. Mas é isso que devemos chamar de União, absoluta União. E o Curso
está dizendo que você não está em contato com tudo isso de forma nenhuma.
Isto está completamente além da sua consciência e é algo que você estará
parcialmente ciente. Você pode obter vislumbres, mas união não é algo que
você pode ter uma parte do tempo e uma parte do tempo não tê-la. Ela apenas
é... ela apenas sempre é, e não há nada mais que possamos falar sobre isso.
Então provavelmente não vamos falar muito sobre ela porque ela nem mesmo
é descritível! Poderíamos sentar aqui por horas e só falar de palavras...
magnitude, infinito, ilimitado!

O que o Curso diz é que há um nível que é um reflexo daquilo que o curso
chama de Mundo Real, o Sonho Feliz. Se eu estou sonhando, eu quero ter um
sonho feliz. Se faz sentido que se você desperta você teria um sonho feliz em
vez de acordar de um pesadelo. Outra coisa que ele chama de verdadeira
percepção que em no mais profundo nível metafísico é uma combinação
interessante de palavras porque o Curso está dizendo que toda percepção, no
final, não é aquela união. Todas as percepções envolvem formas, toda
percepção foi feita como uma defesa contra a verdade, como uma defesa
contra a união. Então, até mesmo dizer que a percepção verdadeira é um tipo
de metáfora para dizer que se você pudesse limpar o “espelho”, se você
tivesse um espelho ou um vidro escuro – você o limpasse completamente
então você teria percepção verdadeira ou o mundo real.

E então o outro nível é as lentes do ego, as lentes distorcidas. Como você sabe
quando você está olhando através das lentes do ego? O Curso faz disso
realmente simples. Ele pergunta, 'Como você se sente?' Se você tem um
profundo senso de paz ou alegria ou você não tenta compreender as coisas ou
entender analiticamente, você está alinhado com o Espírito Santo se você está
em paz. Todos nós tivemos esses vislumbres. E quando você está se
sentindo... o Curso usa a palavra “aborrecido”... porque tem uma variedade
enorme de emoções que poderiam se encaixar nessa categoria... medo, raiva e
ciúmes e diferentes acessos de raiva e irritação. Basicamente até mesmo
mínimos aborrecimentos são irritantes. Uma coisa que o Curso está tentando
fazer é treinar a nossa mente para pensar que a qualquer hora que você está até
mesmo levemente aborrecido, ou você ainda está aborrecido. Não tente
mascarar e dizer, “Oh, só estou um pouco aborrecido com uma pessoa agora.”
apenas reconheça que ou você está em paz ou você está aborrecido. E quando
você está aborrecido você está olhando através das lentes do ego. Há uma
distorção passando pela sua mente e é baseada na decisão que você está
tomando em sua mente bem agora. Agora que realmente simplifica as coisas
também. Até mesmo em psicologia, muitas psicoterapias e até espiritualidades
estão olhando para as causas passadas. Então, muito trabalho interior de
infância está tentando desencobrir essas memórias reprimidas, que podem ser
uma parte importante de todo o processo, mas o que o Curso enfim está
dizendo é que você está tomando uma decisão agora baseada nas crenças que
estão inconscientes na sua mente que você está se apegando àquilo que você
realmente acredita que é verdadeiro. E quando eu digo crença, é um conceito
ou uma idéia que não veio de Deus. Não foi criado por Deus. É uma coisa
fictícia ou uma coisa de faz de conta e a mente é muito poderosa e assim,
quando ela acredita nessas coisas e ela meio que as mantêm em segredo.

O que devemos fazer para corrigir a percepção é começar a desencobrir


crenças inconscientes porque isto é muito essencial para o despertar. A seção
do Curso que poderemos usar como referência é 'Os Obstáculos para a Paz' e
'A Lei do Caos'. Uma das linhas diz, “As leis do caos podem ser erguidas para
a luz, mas nunca compreendidas”. Se você realmente olhar [as leis do caos],
elas não são compreensíveis. Quando elas estão enterradas e escondidas, o
mundo todo e todos esse conflitos parecem estar em movimento. Parece desse
jeito porque essas crenças são apenas inconscientes. São inconscientes porque
não são olhadas. O jeito de mudar a percepção é se tornar consciente delas.
Então, este é um bom lugar para começarmos.

Abordando a Expiação - Desencorajado pelo Tempo

P: Jesus diz no Julgamento Final, “Assim como a separação ocorreu no


decurso de muitos milhões de anos, o Julgamento Final se estenderá no
decurso de um período similarmente longo, e talvez até mais longo.” O
Julgamento Final significando que o homem finalmente julga a si mesmo
como perdoado e vê a si próprio como Deus vê. Isto significa que a cura de
toda a Filiação levará milhões de anos?

Quando olho para a minha própria jornada vejo o quão rigidamente mantenho
minha percepção no lugar e ver as coisas de forma diferente parece necessitar
de uma enorme persuasão e nas vezes que tenho um vislumbre de que meu ver
estava errado e que a verdade realmente era evidente, foi um grão da mudança
que ocorreu. E acho que levou todos aqueles anos só para ter aquele
minúsculo vislumbre eu acho que vou precisar de milhões de anos para ver
completamente diferente, para modificar a minha percepção tão
completamente! Isto realmente me fez ter um chilique porque eu realmente
pensei: nossa que legal, finalmente eu tenho a solução, então tudo o que tenho
que fazer é ler isto e instantaneamente minha vida irá mudar e tudo será
maravilhoso. Agora estou vendo o quanto custou só para ver um pouquinho
diferente e estou decepcionado que não terei tempo o suficiente para
conseguir isso numa vida! Eu realmente acredito em reencarnação, mas quem
quer passar por mais experiência de morte. Eu fiquei muito desanimado com
isso. Você pode me ajudar?

R: Amado Milagre

Agradeço por compartilhar o que se passa no seu coração. Não fique


desanimado pelo pensamento do tempo, pois o mundo que você percebe
acabou há muito tempo atrás. Este mundo é o passado. Foi só um símbolo e
representa somente o significado que foi dado a ele. Pareceu durar senão um
instante e foi perdoado imediatamente pelo Espírito Santo. Processo é um
conceito de tempo, e milagres são simplesmente um uso gentil do tempo para
dar um colapso no tempo enquanto você ainda acredita nele. Deste modo, o
tempo está sob o controle do trabalhador de milagres. Cristo arruma o tempo e
espaço para o trabalhador de milagres conforme o trabalhador de milagres
parece fazer milagres, e a Expiação é o primeiro e o último milagre, o Alfa e o
Omega, e todos os milagres que parecem entrar no meio.

A Expiação significa Correção e é a consciência de que a separação nunca


ocorreu. Isto não pode ser difícil para aceitar, pois nenhuma ilusão pode
tolerar a Luz da Verdade. Não fique desencorajado pelo “processo” do
Despertar, porque todos os pensamentos do “processo” são metáforas
transitórias que simplesmente desaparecem num piscar de olho. A Verdade é
verdadeira e não tem exceções. Nunca houve um tempo quando ilusões
pudessem substituir a verdade, e o tempo não pode substituir a Eternidade. O
Espírito e o tempo não podem se reconciliar, pois o Espírito é verdadeiro e o
tempo não existe. O Despertar não é nada mais do que ESTE reconhecimento.

A vida não é de um corpo e nem está num corpo. A Vida é Estado Eterno da
Mente. Não há morte, pois nada real pode morrer. O perdão mostra a falsidade
da ilusão e assim abre o caminho para a lembrança de Deus e Cristo. O Cristo
não nasce e não morre, permanece Eterno como Deus criou o Cristo em
Espírito. Se você parece estar desencorajado pelo “progresso” lembre-se do
ensinamento de Cristo: “Não julgue, para não ser julgado.” O tempo é auto
julgamento, e o uso do tempo do Espírito Santo é para ensinar que não existe
tempo.

Essas palavras testemunham este simples fato. Pois Cristo é fato, e tempo e
Cristo não podem co-existir. Só leva um instante para a Expiação, contudo
este instante não tem um oposto e desta maneira é completamente Certo.
Milagres parecerão aumentar sua confiança, porém a Expiação é um momento
de total confiança que leva a Certeza Absoluta. Você não pode falhar em
aceitar o que é inevitável, e o Plano de Deus para Salvação É inevitável.
Inocência é o nosso Direito Inato e nada pode mudar o que Deus criou
Perfeito e Eterno.

Nos artigos eu uso muitos símbolos e metáfora que são ilusões transitórias que
apontam para além delas. “O Que É” é literalmente além dos símbolos e
metáforas. O passado se rendeu ao completo perdão e se foi. Eu regozijo no
Instante Santo e peço somente que o Cristo seja glorificado pelo
reconhecimento do Ser Deus criado para sempre Puro e Inocente. Neste
reconhecimento Deus é Glorificado.

Toda a Glória a Deus para todo o sempre! Amem.

Uma Pergunta sobre Forma / Conteúdo - Abordando a Salvação

P: Eu li algo que você escreveu e gostaria de uma ajuda com isto: "Não
importa que estrada você pegue, seja ela a Bíblia, Um Curso Em Milagres...”
Como você sabe comecei com o UCEM mais ou menos há um ano (tendo
passado vários anos interessada em e ‘fazendo’ coisas do espiritualismo
Oriental como Meditação Transcendental). UCEM re-acendeu um interesse no
Cristianismo e em setembro fiz um “curso alfa” - este é um curso bem popular
no Reino Unido - uma introdução ao Cristiano não-pertencente a uma
congregação eclesiástica.
Eu também freqüentei esta certa igreja que oferecia o curso (por um acaso
uma evangélica / Pentecostal). Ela agradava porque diferente de algumas
igrejas mais tradicionais que freqüentei quando jovem (onde na minha opinião
havia muito mais rituais ‘feitos pelo homem’ e a nítida falta de Deus ou do
Espírito Santo), esta era mais parecida com uma igreja Evangélica.

Eu concordo com a declaração e esta tem sido a minha filosofia, mas a minha
pergunta é: esta certa igreja Cristã mencionada acima aponta para uma única
passagem na Bíblia (no Evangelho de João) onde Jesus diz que ninguém pode
chegar a Deus senão através dele. E assim eles continuam... portanto, qualquer
um que tem fé na linha Zen ou Buda ou Alá etc. estão mal orientados já que a
salvação só vem através de Jesus Cristo. Essas duas posições aparentemente
diferentes podem ser reconciliadas? Obrigado.

R: Olá Amado Milagre

O Espírito Universal é o Caminho, a Verdade e a Vida. O Espírito é Uno, e o


Espírito de Cristo ou Espírito Santo ou Único Espírito Que diz “Ninguém vem
ao Pai senão por mim” é o Chamado Universal para se lembrar a Unicidade
Eterna.

Os “caminhos” e as “formas” do mundo parecem muitos e diferentes, mas o


Chamado permanece o Mesmo. Não pode haver nenhuma “verdade” ou
“absoluta” na forma, pois a forma foi feita pelo ego para negar ou encobrir a
Unicidade Abstrata do Espírito.

A declaração que você se refere do Evangelho de João é verdadeira no


Conteúdo, pois o Cristo é Espírito, é a Identidade em Deus. O ego não
compreende o Conteúdo, pois tudo o que o ego “reconhece” é a forma. Cristo
e o Reino do Céu são o Mesmo em Espírito, e assim o Espírito Universal é o
Caminho para se lembrar de Deus.Jesus é um símbolo que tem sido usado
para indicar o Cristo, o Espírito Universal Que está inteiramente além da
forma. Jesus, como uma forma ou símbolo, é uma ilusão como todas as
formas são ilusões. O ego quer fazer um ídolo de Jesus ou qualquer um ou
qualquer coisa para manter a crença na ilusão. O uso que o Espírito Santo faz
do símbolo é para guiar além do símbolo, assim como o uso que o Espírito
Santo faz do tempo que é para guiar para além do tempo. Tempo e Eternidade
não podem SER reconciliados, pois um é ilusão e Um é a verdade. A Verdade
é Verdadeira e somente a Verdade é Verdadeira.

Então em Resposta a sua pergunta, “duas” posições sobre a forma nunca pode
ser reconciliadas, pois a perspectiva dualista que vê “dois” é o erro - é do ego.
A Perspectiva unificada ou única do Espírito Santo é o Conteúdo Que está
além da possibilidade de “contradição” ou “dualidade” ou “multiplicidade”. O
que é o Mesmo não pode ser diferente, e o Que é Único não pode ter partes
separadas.

Unicidade é natural. Unicidade simplesmente É.

Sentindo-se Traído por Deus - Perdoando os Sentimentos de Traição

P: Eu me sinto traído por Deus...

Tão estranho quanto isto é para se dizer, se estou sendo completamente


honesto, é assim que me sinto. Tenho 32 anos e fui criado numa Igreja Batista.
Adquiri o que fui ensinado sobre Deus e Cristo. Acreditava que Jesus tinha
ressuscitado dos mortos e acreditava que estava perdoado por todos os meus
pecado. Pedi a Deus que entrasse na minha vida para guiar meu caminho.
Fazendo isso, esperava ter paz de espírito e felicidade.

Quando mais eu cresço mais desencantado fico com a minha própria vida e a
esperança ou possibilidade de encontrar felicidade e paz de espírito, me sinto
como tivesse feito um mau “negócio.” Me sinto como se tivesse sido traído.
Apesar de tentar ser o melhor Cristão que posso ser, Deus não me
recompensou. Pior ainda, nem mesmo parece que Deus existe. Nem posso
descrever quão terrivelmente solitário me faz sentir.

Tenho um conselheiro que visito regularmente e discutimos isso a fundo. Ele


me diz que meu ponto de vista atual sobre Deus só me faz ter mais raiva e
ressentimentos e que preciso mudar o paradigma no qual eu vejo Deus e fé.
Concordo plenamente com isso, mas meu problema é que não me sinto como
se pudesse confiar ou ter fé em Deus.

Realmente acredito que todo o vazio, solidão, raiva e ressentimento que sinto
poderia ser resolvido se eu pudesse resolver só está crise de fé que tenho
vivenciado. Estou lendo isso e fico pensando que direito tenho eu de me sentir
traído por Deus. Sei que tenho sido abençoado e que existem aquele que são
bem menos afortunados do que eu. Intelectualmente eu sei disso exceto em
meu coração, me sinto ferido e não sei o que fazer ou por onde começar.

Apreciaria sinceramente qualquer luz que você pudesse me oferecer.

Agradeço pelo seu tempo.

R: Caro Amado Milagre

Agradeço por compartilhar o que passa no seu coração. Você é tão precioso e
merece sentir o Amor que está enterrado por baixo da ferida. O Amor é a
nossa Herança ou Direito Inato.
O ego (Satanás em termos Cristão) é a falsa identificação, a identidade
equivocada é o Propósito do nosso trabalho com o Espírito Santo é reconhecer
que o verdadeiro Ser não é o ego e permanece para sempre a Criança Perfeita
e Inocente de Deus em Espírito. Os sentimentos do ego de traição estão muito
profundamente enraizados assim como os sentimentos de abandono, solidão,
dor, raiva, vazio e perda.

O mundo foi feito pelo erro para que Deus NÃO fosse descoberto. Realmente
é um passo profundo pedir a Deus que entre em nossa vida e direcione nosso
caminho, mesmo sendo tão profundo este passo é só o começo. Todo o
cosmos foi feito da crença que é possível ser separado de Deus ou “cair” da
Graça. O perdão é o desfazer ou a liberação do erro original e todos os erros
aparentes que se seguiram.

Jesus foi erguido do mortos para demonstrar que o pecado e o erro não têm
poder. Você recebeu o lembrete da nossa Impecabilidade e Inocência Perfeita,
o Espírito Santo, e agora você é Chamado para liberar cada mancha de erro
para a Luz do Espírito Santo dentro do seu Coração. Satanás foi um erro que
foi possível deixar Deus, e sentimentos de traição e ressentimento e raiva
surgem deste erro inconsciente. Seu conselheiro está oferecendo uma sugestão
útil dizendo que você precisa mudar o seu paradigma no qual você vê Deus e
fé, pois isso é perdão. Deus é Amor Perfeito e Cristo é uma Criação Perfeita.
O que precisa ser perdoado é a crença que Deus tinha qualquer coisa a ver
com o cosmos de tempo-espaço da dualidade e multiplicidade, da doença, dor,
sofrimento e morte. O que Deus cria como Espírito Eterno permanece Espírito
Eterno, e aquilo que parece passar rapidamente e temporal e transitório irá se
apagar e desaparecer.

O desencantamento e desilusão que você sente podem ser vistos de duas


maneiras. O ego estaria culpando os sentimento nesta “versão” de Deus, uma
visão antropomórfica de um “deus” com conceitos humanos e características
de quem é “capaz” de traição e abandono. O Espírito Santo sempre
gentilmente faz lembrar que Deus é Espírito e a Identidade em Deus é
Espírito.

O Espírito Santo amavelmente oferece o perdão como um substituto ou


Correção para os sonhos de ira e dor. A mente é muito poderosa e o problema
nunca é realmente uma questão de fé ou falta de fé - pois aquilo em que você
coloca a sua fé é a decisão central. E cada decisão que você toma é a uma
conclusão baseada em tudo que você acredita, não importando se você está
totalmente ciente daquilo que você acredita.

Satanás é uma crença irreal e enquanto a mente investe nesta crença, então
“pecado” ou erro PARECE ter realidade e existência. Quem Você é na
Verdade está além da “necessidade” de perdão, porém a ilusão da falsa
identidade deve ser perdoada ou liberada para que a Identidade Verdadeira
possa ser lembrada.

Fique feliz e alegre que você está começando a ver que existe esperança de
paz ou felicidade nas aparências e formas deste mundo. Felicidade e paz de
espírito são reais e são encontrados do lado de dentro e como Cristo ensina:
“O Reino dos Céus está do lado de dentro.”

Estamos embarcando junto no que parece ser uma jornada interior, e eu te


garanto que felicidade e paz de espírito são inevitáveis e certos. Eu falo da
Perspectiva e da experiência de que isto é a Verdade bem agora. O que é
verdadeiro para Um deve ser Totalmente Inclusivo, pois o Espírito que Deus
cria Inclui Tudo e, portanto, não há nada à parte deste Espírito.

À medida que você explora este site e os materiais de áudio e vídeo, ficará
evidente que o perdão se aplica a aquilo que é falso. Que o Que é para sempre
Verdadeiro (Espírito) está além da necessidade de perdão. Deus não perdoa,
pois Deus nunca condenou, e ainda assim deve ter havido uma ilusão de
condenação antes que o perdão fosse necessário. O mundo é carente de perdão
enquanto você acredita na realidade dele, pois o mundo separado de Deus
nunca poderia ter existido. Despertar para a Verdade é o alvorecer do
reconhecimento que é impossível deixar a Mente de Deus. Assim como a
Salvação e Iluminação.

Estou junto com você no Grande Despertar. Não podemos falhar em lembrar
da Identidade em Deus, pois ilusões não podem por um véu na Verdade. Por
favor, sinta-se à vontade para telefonar ou escrever ou visitar ou me encontrar
a qualquer hora. Nós iremos regozijar juntos no Amor de Deus, e nesta
experiência de completo Enlevo há somente Alegria! Deus conhece o Espírito
como Um e não pode haver “corpo” que seja “mais” ou “menos” afortunado
na Perspectiva do Espírito Santo. Vamos agradecer a Deus pela criação de Um
Único Espírito para sempre. Amem.

Eu Te Amo para todo o sempre.

Dos Conceitos à Aplicação à Experiência

P: Eu li o UCEM por completo e estudei uns pedaços aqui e ali, então


provavelmente posso dizer que o li pelo menos duas vezes. E, a paz de espírito
ainda se esquiva de mim. Para mim parece cruel, às vezes me sinta muito,
mais muito à vontade e curada. Mas então isso se vai e acabo passando por
longos períodos de depressão.

Venho praticando meditação desde os quinze anos e agora tenho quarenta e


dois. Quando freqüento reuniões do UCEM e ouço algumas pessoas falar
sobre felicidade, felicidade, felicidade, penso “Será que estão fingindo?” “O
que há de errado comigo?”

O estranho é que as pessoas vêm para mim e querem conversar sobre UCEM
porque gostam do meu entendimento sobre ele, isso parece impressioná-los e
consigo ajudá-los a compreender melhor algumas coisas. Então, eles dizem
“obrigado, você me ajudou”, blá, blá, blá. Eu penso, mas que raios que está
acontecendo? Como posso fazer alguém se sentir melhor quando eu mesma
me sinto tão mal? Isto me mostra que um sistema de crença e compreensão
intelectual não significa nada! Venho procurando por tanto tempo e com tanto
afinco a paz de espírito, nem sei mais o que isso significa.

Faço graduação em religião e tenho estudado todas as principais religiões


procurando por respostas. Tive as experiências mais maravilhosas em
meditação, ... experiências lindas, inesquecíveis, amáveis. Tive algumas
experiências durante as lições em UCEM que parece tudo menos sobrenatural,
foram ótimas. Mas a miséria retorna. E estou começando pensar que a idéia de
encontrar uma paz duradoura simplesmente não é real.

Meus problemas parecem estar centrados nos meus relacionamentos. Todo


interesse ou relacionamento de amor termina com o meu coração machucado.
Eu me sinto como se fosse totalmente incapaz de ser amada. Sou muito obesa
e não consigo perder peso. Mas sou tão estúpida que acho todo os meus
problemas acabariam se eu perdesse peso. A paz se evade de mim. E me sinto
muito brava com Deus neste momento. Fico pensando numa frase do UCEM
que diz algo como, “Se você realmente quisesse ver a verdade, você veria.”
Bem, eu realmente quero, mas não vejo. Ou “Todas as coisas são ecos da voz
por Deus” Então penso comigo mesma, Deus deve ser terrivelmente cruel.
Simplesmente não faz sentido. Meu último relacionamento foi com alguém
que conheci através do UCEM. Acabei de terminar com ele. Estava claro que
ele estava perdendo o interesse. E ele me disse honestamente que era o meu
peso. E tenho passado todo este tempo dizendo pra mim mesma, “eu não sou
um corpo, sou livre, pois ainda sou como Deus me criou.” Bem...esta lição
mais recente que “Deus queria que eu aprendesse,” não sustentou a idéia
exatamente. Por favor, fale comigo. Por que Deus ou a Verdade se evadem de
mim? Estou cansada desta busca. Só quero a verdade. Mas realmente estou
cansada de implorar isso a Deus. Por que deveria? Eu cavo mais e mais fundo
dentro de mim, mas simplesmente a porcaria nunca acaba. Gostaria de dizer
“Eu desisto!” Mas não sei como. Como posso me render? Por que as pessoas
alegam ser tão fácil? Por que não consigo ter paz de espírito? Ajude-me Por
Favor! Por favor!

R: Olá Amado Milagre,


Estou tão grato que você se abriu e compartilhou que passa na sua mente. Isto
é sempre um primeiro grande passo no perdão e na cura interior. Se abrir e
compartilhar com um irmão é um símbolo da sua disposição de não esconder
nada do Espírito Santo. Quando o progresso na meditação e paz espiritual e
realização interior parece devagar e frustrante e difícil, isto é sempre um
Chamado para se aprofundar mais. Existe um medo tremendo de olhar para
dentro, pois o ego convenceu a mente adormecida que Deus punirá aqueles
que “deixaram” o Céu. O mundo do ego é cheio de distrações e metas
fantasiosas para oferece muitos substitutos e desvios do “pavoroso” medo de
olhar para dentro. Cristo ensina em UCEM:

“Aprender este curso requer disposição para questionar todos os valores que
você mantém. Nenhum pode ser mantido oculto e obscuro sem por em risco o
seu aprendizado. Nenhuma crença é neutra. Cada uma tem o poder de ditar
cada decisão que você toma. Pois uma decisão é uma conclusão baseada em
tudo que você acredita.” (T-24.in.2)

“Você acreditará inteiramente neste curso ou não acreditará em absoluto. Pois


ele é totalmente verdadeiro ou totalmente falso, não se pode acreditar
parcialmente. E você escapará inteiramente da miséria ou não escapará em
absoluto.” (T- 22.II.7.4)

Estas duas idéias, juntas, dão alguma indicação do desejo profundo e


compromisso necessário para cavar lá dentro na direção da base da mente
inconsciente para que a paz duradoura seja encontrada. A Expiação, ou
Correção está enterrada bem profundamente no interior debaixo de uma
nuvem de culpa e desvalorização. A boa notícia é que você nunca está sozinha
e a Ajuda sempre é Dada. Há um estágio no desenvolvimento da confiança
que companheiros poderosos surgem na consciência. Este é um estágio de se
render ao desejo profundo de se unir num Propósito comum.

Se você está disposta você descobrirá que as portas internas se abrirão


facilmente com só um pouco de disposição para seguir os alertas do Espírito
Santo. O ego está bravo e com medo de Deus, porém a Quieta Resposta está
sempre disponível para sossegar e confortar a mente sem descanso que está
aberta para receber a Ajuda Interior.

Quando você é tentada a se render à raiva e depressão, lembre apenas disto: a


Confiança resolveria cada problema agora. Eu tenho fé em Você, Amada de
Deus. Espero estar sempre em contato. Saiba que estou sempre orando pela
sua paz e sanidade e felicidade. Você nunca está sozinha e isolada.

Eu Te amo!

Qual é o Significado de Despertar a Mente?


P: Eu tenho uma pergunta ou declaração ou ambas. O que se quer dizer com
as palavras despertar a mente - você realmente acredita que estamos
adormecidos num sonho? Às vezes despertar significa estar ciente da
realidade saindo da ilusão. Como assistir um show de mágica ou ilusionismo -
eles podem parecer muito real, mas somos despertos para a verdade que é
somente um truque ou uma ilusão. Eu acredito que estamos despertando da
ilusão que permitimos ao nosso Ser, ser enganado pelo maior dos ilusionistas
(enganador) que há - Satanás! Nós compramos a ilusão de Satanás que existe
algo maior do que o espírito de amor, que é Deus, acreditando que há algo
mais que não foi criado por Deus. Isto é o ser ou o ego e então, perseguimos a
ilusão do ser egótico, esquecendo o que é verdade e o que é ilusão. Mas como
a escolha nos foi dada, para acreditar em ilusão, também temos a escolha para
despertar ou estar ciente lembrando que o que vemos não é realidade, mas
apenas ilusão.

Eu acredito que a única verdade é que separados somos parte de Deus, mas
juntos, toda a humanidade, todos que vivem e foram criados por Ele é Deus,
como tudo que foi criado por Ele. Não tenho certeza se a criação foi criada por
Ele como no estado de ilusão que vemos agora, ou separados da ilusão na Sua
mente desperta. Talvez isso não tenha importância contanto que nós vemos a
verdade através da ilusão. Só tinha isso em mente e pensei em participar.

No espírito único do amor que traz todos os mistérios!

R: Olá Amado Milagre


O cosmos do tempo-espaço pode se parecer muito como um sonho, pois ele
foi a projeção da crença na separação. Deus, Sendo Amor Perfeito, cria para
sempre Amor Perfeito, e assim é a Criação Eterna. Cristo é uma Criação
Perfeita na Mente de Deus e Cristo cria para sempre Perfeitamente em Amor
como Deus cria. Neste sentido, “tudo que existe é Cristo ou vem de Cristo”.

Verdade e erro, Realidade e ilusão, Eternidade e tempo não são “ambos” ou


“igualmente” verdadeiros. A Verdade é verdadeira e somente a Verdade é
verdadeira. Porque Deus/Cristo/Criação é verdadeira, erro é falso ou não tem
existência.

Uma mente enganada ou dormindo “parece” ter esquecido de Deus, Cristo e


Criação. Ela sonha com muitas, muitas, muitas partes separadas pelo tempo e
espaço, pois ela esqueceu da integridade do mundo perdoado que o Espírito
Santo oferece como também o Céu Eterno Que está na Mente Desperta em
Deus.

A Perspectiva do Espírito Santo do perdão é o que foi apontada ao escrever:


“Como assistir um show de mágica ou ilusionismo - eles podem parecer muito
real, mas somos despertos para a verdade que é somente um truque ou uma
ilusão.” O Espírito Santo vê o erro da separação, mas olha para além disso
para a Expiação ou Correção. O Espírito Santo é o atual lembrete do que está
inteiramente além do erro, pois no Espírito Santo está a Memória de Deus e
Cristo.
Antes que a mente enganada possa despertar para a Realidade Eterna ela deve
aceitar a o sonho gentil do não-julgamento que o Espírito Santo oferece. Neste
sonho de perdão o cosmos é visto como uma única tapeçaria íntegra.
Distinções e categorias e incrementos e níveis e graus e partes desaparecem
por completo, pois somente a totalidade “permanece”. Está percepção da
totalidade é em si uma ilusão e não durará, ainda assim esta ilusão é a última
ilusão, pois ela é a porta de entrada para o Eterno.

Se Deus é real, o cosmos não é.


Se Cristo é real, satanás não é.
Se a eternidade é real, o tempo não é.

“Amor Perfeito desfaz o medo” é uma maneira de dizer: “Se o Amor é real o
medo não é”.
Amor e medo, portanto, não podem “co-existir”.

Quando o medo é “vivenciado” o Amor aparentemente foi bloqueado da


consciência. Mesmo assim somente o Amor existe e o Amor está sempre
presente, então “vivenciar o medo” é senão uma ilusão a ser liberada.

Quando você acende uma luz num quarto escuro a luz não batalha com a
escuridão - ela simplesmente ilumina. Similarmente, a Luz do Amor brilha e
não pode haver escuridão na Luz. Traga o erro da escuridão para a Luz do
Espírito Santo e veja que somente a Luz “permanece”. Pois só há Amor para
ser contemplado, Amada Criança de Deus.

Despertando a mente é simplesmente uma frase usada para representar o


desencobrir, o esvaziar, ou a liberação do erro. Liberar é o Propósito do
Espírito Santo para uma mente enganada que acredita na “realidade” do
tempo-espaço.

De Um Curso Em Milagres: “Um milagre é uma correção. Ele não cria, nem
realmente muda absolutamente nada. Ele simplesmente olha a devastação, e
lembra a mente que o que ela vê é falso. Ele desfaz o erro, mas não tenta ir
além da percepção, nem excede a função do perdão. Desta forma ele
permanece dentro dos limites do tempo. Porém ele pavimenta o caminho para
o retorno da intemporalidade e o despertar do amor, pois o medo deve
deteriorar sob o remédio gentil que ele traz”.

Amor & Bênçãos sempre.


Qual é o significado da ‘Culpa’ no UCEM?

P: Eu gosto muito do UCEM, tenho mudado a minha vida dramaticamente por


causa dele, embora eu tenha uma pergunta que nunca entendi completamente.

Por favor, você poderia explicar com mais detalhes o que significa a “culpa”
no UCEM. Todas as vezes que chego numa seção sobre a culpa, meus olhos
lêem, mas a minha mente parece não compreender. Qualquer insight seria
muito apreciado. Obrigado por tudo que você faz.

R: UCEM nos ensina que existem somente 2 emoções: amor & medo.
Portanto, a culpa seria uma forma de medo. A culpa ontológica pela crença de
que é possível se separar de Deus é um sentimento inconsciente profundo do
erro na mente da mente adormecida. A Culpa vem da crença inconsciente no
pecado e erro.

Todos os sintomas aparentes da doença são o resultado da tentativa de projetar


esta culpa inconsciente no corpo. Conforme o erro é liberado, a culpa é
substituída pelo Amor na consciência que reside mais profundamente quieto
no âmago do nosso Ser.

Culpa, como o termo que é usado na Psicologia, se refere ao sentimento


conectado ao comportamento que é julgado ser errôneo. Porém a culpa é o
resultado da falsa crença e é curada no perdão como UCEM ensina.
Comportamento é um efeito. Quando a falsa “causa” (ego) é exposto e
liberado completamente, a experiência da culpa é impossível.

Paz e Bênçãos.

Sessão Introdutória de Perguntas & Respostas

Saudações Amado Milagre

P: O que foi/é o paraíso?

R: “Espírito Puro/Eternidade/Luz/Amor/Infinito”

P: O que é o Céu na Terra?

R: “Ver um mundo sem julgamento”

P: Você acredita que isto é possível?

R: “É um ponto de partida ou metáfora na Despertar do Espírito”

P: Qual é a cura do mundo?


R: “Aceitar que a mente é íntegra, não fragmentada”.

P: Como você pode ajudar socialmente, então uma alma que está vivenciando
um sonho de morrer de fome na África pode vivenciar a Verdade?

R: “Libere a crença em almas separadas/mentes privadas/pensamentos


privados e o mundo estará curado. Não existem problemas fora da mente”.

P: Como você classifica as experiências fora do corpo e as formas num plano


vibracional mais elevado como no plano de Cristo ou planos Etéreos?

R: “Experiências fora do corpo são metáforas perceptivas para uma mente que
acredita que está “num” corpo. Cristo é a Realidade e, portanto, não uma
crença, nível, plano, ou conceito. Quando a mente adormecida é esvaziada de
todos os conceitos e crenças, a Mente Divina é reconhecida como Realidade.
Assim é o Cristo. Espírito nunca “entra” na forma. Quando a ilusão do ego é
erguida à Luz ele se dissolve. Assim é o Despertar”.

P: Você disse que não há mente/espírito na matéria. O Espírito/Mente está


presente em você?

R: “Espírito está sempre presente. A palavra ‘David’ é um símbolo ou


representação, não Realidade. Espírito, Sendo Abstrato e ilimitado, está além
da personalidade. O EU SOU é Espírito”.

P: Espírito/Mente estava/está presente em Jesus?

R: “A palavra “Jesus” também é um símbolo ou representação. Jesus o Cristo


é a uma frase indicando a aparente representação ou demonstração da
Realidade. Porém a Realidade é Única, além de qualquer/todos os símbolos”.

P: E quando a Maestria de Neo sobre a ilusão no filme “Matrix” (parando as


balas)? Ou o filme “Dark City”? Aquilo é Trabalho do Espírito Santo na
tendência dominante da mídia?

R: “Estes são símbolos excelente da Mente sobre a matéria e o poder do


perdão para ter domínio sobre os mundo das imagens. Porém o Espírito Santo
não trabalha ‘no mundo’, mas ‘na mente’ que acredita que o mundo é real. O
Ponto de cura é a liberação das ‘lentes’ ilusórias da fragmentação. Interpretar
o Espírito Santo usando símbolos é certo, porém deve ser lembrado que o
Espírito Santo usa o tempo para ensinar que não há tempo, e símbolos para
ensinar uma Perspectiva unificada na Qual símbolos não são mais necessários.
Desta forma o perdão é mais preciso num desaprender tudo sobre o mundo do
que num aprender no sentido de acumular destrezas e habilidades no mundo”.
P: Você consegue sentir essa Unidade comigo e com Tudo que é Verdadeiro
nesta ilusão? Se sim, o que é o rush no mundo sem formas?

R: “Percepção unificada ou curada é o sentimento da Unidade e Amor que


vem da experiência do não-julgamento.
Não-julgamento é uma Perspectiva (junto com o Espírito Santo) da ilusão e
que reconhece que não está “na” ilusão. O sonhador de um sonho, ciente que o
mundo é só um sonho, não é identificado como sendo uma figura ou
participante “no” sonho. O medo foi gerado pela crença que se está “em” um
sonho, um corpo. A paz vem com o sonhador da Perspectiva do sonho, unido
como o Espírito Santo.”

P: Você vota e para quem?

R: Não. A Paz é ver que literalmente não há “lados” para ficar e nenhuma
“mudança” possível ‘no mundo’. Isto é o que significa mudar a sua mente na
sua mente, como eu disse na “visão social” postado anteriormente. Mude as
‘lentes’ e não o ‘roteiro’, pois a mente certa é a real alternativa com a qual
olhar o sonho. É impossível mudar um roteiro que é passado, que já foi
escrito. Enxergar isso é paz. Enxergar isso é a Correção. É aceitar a Correção
do Espírito Santo em vez de tentar um ‘correção pessoal’, que está claro, que
não é correção em absoluto’.

Sobre Fazer Perguntas

Orador: É importante não se julgar. Olhe para os apóstolos com Jesus...


perguntas, perguntas, perguntas, perguntas. Ele ficou só falando e falando e
falando. Este simplesmente parece ser o jeito que chegamos ao
esclarecimento.
Eu tenho feitos muitas perguntas em minha vida e tive momentos de
divagação e de estar desorientado procurando por respostas. Questões sobre
relacionamento e assim por diante. Somente questionando é que podemos
atravessar isso.

Participante 1: Eu estava lendo alguma coisa que pareceu evadir, que as


perguntas vem do ego e que as respostas vem do Espírito Santo. “Em você
está ambas as perguntas e respostas. A exigência do sacrifício e a paz de
Deus”. Então, a pergunta é a exigência do sacrifício e a paz de Deus é a
resposta.

Orador: Bem, eu não coloco todas as questões imediatamente numa categoria


do ego. Mais uma vez, Jesus simplifica isso. Você está fazendo uma pergunta
‘real’ ou fazendo uma pseudo-pergunta? E ele diz um pouco depois numa
parte do texto que a pseudo-pergunta é uma pergunta do ego porque ele
pergunta e responde também. Então da forma que eu tenho colocado em
palavras é, ‘Qual dessas ilusões eu quero ou prefiro?’ Isto é o que está atrás do
nosso questionamento conforme passamos o dia. Mesmo se não temos uma
pergunta consciente do que estamos pensando, ‘O que eu vou tomar de café da
manhã?... Qual dessas ilusões eu prefiro?... O que eu vou fazer depois, isso ou
aquilo?... Qual dessas ilusões eu prefiro?’ A pergunta real é voltá-la para o
sobre, ‘Para que serve isso?’ E assim é o que você está começando a perguntar
em todas as situações aparente, você está só perguntando, ‘Para que serve
isso?’. É uma verdadeira pergunta profunda. Não é sobre o que está na tela. É
sobre, ‘Qual é o propósito disso?’. E isto é uma pergunta muito útil.

Participante 1: Mmm Hmm.

Orador: Uma mente fechada não questiona em absoluto. Ela é arrogante. Ela
pensa que sabe que a separação é uma realidade. Uma mente fechada pode até
tentar se enganar e fazer as pseudo-perguntas que já foram respondidas na
construção das perguntas. E assim ela ainda não está realmente fazendo uma
pergunta.

Mas uma rachadura de abertura vem quando a mente começa a fazer essas
perguntas reais na forma de propósito. E quanto mais ela pergunta, mais ela se
abre e abre e abre para a luz. E uma vez que ela esteja toda aberta como uma
flor não há mais perguntas porque a resposta, a luz, é evidente.

Isto tem me ajudado porque assim eu não tenho entrar nisso de colocar todas
as questões na categoria do ego. E as pessoas levantam essa questão de
quando em quando e elas dizem, ‘Eu nem mesmo quero dizer alguma coisa
porque toda pergunta que faço é do ego.’ E nós sabemos que fazer perguntas e
nos unirmos com a sincera intenção que pode realmente ser útil.

Participante 2: Então a pergunta real é dirigida à mente?

Orador: Sim.

Participante 2: Ela trata de conteúdo, não de forma.

Orador: Não é analítico. Não fragmenta. Com a Participante 2, um de seus


maiores assuntos eram as perguntas “curiosas”.

Participante 2: [rindo]

Orador: Ela fazia perguntas sobre formas; sobre como as coisas funcionavam
mecanicamente seja o computador ou máquinas diferentes ou carros ou
natureza.

Participante 2: Ou motivos… ‘Por que você acha que alguém fez isso?
Orador: … motivos sobre pessoas. E o que aconteceu foi que isso só chegou
ao ponto onde nós ficávamos girando em círculo o tempo todo e lá vinha. E eu
só “quero saber, quero saber, quero saber” ou “uma outra questão de
curiosidade”.
E depois de um tempo ela começou a ter mais conhecimento do tipo de
pergunta porque era sempre sobre a forma. Então às vezes quando elas
começavam a vir, a boca parava e ela dizia, “Ah, eu acho é apenas outra
pergunta curiosa. Deixa pra lá”.
Dava para saber que não era como se ela fosse dependente de alguém para
dizer para ela ou beliscá-la toda vez que ela tinha outra pergunta curiosa, mas
ela começou a entender isso. Ela entendia os pensamentos até mesmo antes
deles saírem da boca.

Então ela começou a compartilhar com outros. Fomos dar uma passeio na
mata com alguns amigos, um violinista, e ele estava dizendo, “Eu queria saber
de onde vem esse córrego?” E então a Participante 2 começou a ensinar sobre
as perguntas “curiosas”.

Participante 2: E de todas as coisas profundas que eu pensei que foram ditas


naquele dia todo, que é uma coisa que ele me lembrou [gargalhando] que não
é o que eu teria pensando foi a coisa mais memorável dita naquele dia, mas eu
realmente entendi, aparentemente.

O que eu ia dizer antes, Participante 1, é que existem dois contextos diferentes


em que você pode manter seu questionamento. Um contexto é que é um sinal
de fraqueza e o outro contexto é que é um sinal da minha disposição que
significa os tipos de questões que aquele Orador descreveu, uma questão da
mente.
Eu não consigo imaginar que se poderia chegar ao esclarecimento e a certeza
em que todas as questões cessam exceto pelo questionamento.

Orador: Isto foi o assunto da nossa viagem no oeste. E o negócio é que a


Participante 2 me disse que ela não se lembra muito sobre aquela viagem. Mas
ela simplesmente me ocupou com perguntas atravessamos das grandes
planícies milhas e mais milhas, plantações de milho, plantações de trigo...
você sabe quanto tempo isso faz desde a sua recente viagem. Havia uma
pergunta que levava a outra pergunta e então outra. E não demorou muito, não
estávamos muito longe quando ela finalmente perguntou, “Todo problema é
só um problema por causa da crença da separação de Deus?”

As perguntas delas vinham de todos os ângulos diferentes de todos esses


aparentes problemas diferentes no mundo... relacionamentos... e isto e
aquilo... e todas as vezes estava traçado de volta para a “causa” a “causa irreal
dos efeitos irreais”. Então finalmente o questionamento se voltou para: “São
todos a crença na separação de Deus?” Isto pode parecer assombroso que isto
poderia ser tão simples. Mas é a simplicidade da salvação para vê-la realmente
nítida desse jeito.

Participante 2: E é como se você tivesse que passar por toda aquela série de
perguntas antes de começar a generalizar. E quando a mente consegue
realmente chegar ao ponto da generalização então há um reconhecimento que
você não tem desenterrar cada pequeno conceito e crença porque realmente
não há diferenças. É tudo a mesma coisa.

Orador: Isto é colapsar to tempo.

Participante 2: Que todas as ilusões são uma, isto é o colapso do tempo.

Participante 1: Estou sentindo isso também. Que todo pequeno conflito, eu


não tenho que mencionar pequeno conflito. Mesmo se eu não mencionasse
isto esta noite e você mencionasse sua experiência com o mecânico do carro
em vez disso, nós estaríamos ainda girando em círculos na mesma idéia. Tudo
é útil não importa como vem à tona.

Orador: E isto é um alívio também porque pode haver uma crença que você
tem que derramar tudo. E é um alívio que você não tem que examinar
minuciosamente cada coisinha.

Participante 3: Esta noite você mencionou várias vezes toda a idéia do perdão
e eu sentado aqui pensando, “O que é o perdão?” Eu só queria uma resposta
rápida resumida. Então, eu acho que o Espírito Santo me deu isso uns poucos
minutos atrás quando eu entendi que eu quero ficar aborrecido com algo na
tela, que o perdão está dizendo, “Obrigado por mostrar isso para a minha
mente, obrigado por permitir que eu veja esta parte da minha mente.” E só
lembrando de ficar num estado de gratidão.

Orador: Porque você é o sonhador. Da posição do sonhador, é totalmente


gratidão para tudo e todos na tela porque é só uma projeção. Porque é apenas
uma projeção, apenas falsidade. Eu não tenho que mudar isso, não tenho que
consertar isso ou lutar ou qualquer coisa. Isto é o que é alegria.

E que o sonhador sabe que o sonhador é causador... em outras palavras, a


mente é a causadora e não o mundo. Então, eu sonhei isso tudo; não foi feito
para mim como uma pessoa ou uma figura na tela. Eu sonhei. SonhEI. Isto é
passado, tempo passado - é sempre importante para mim porque então, eu não
tenho que entrar nessa de culpa e culpar. Estou fazendo isso comigo mesmo...
Ah, eu “fiz” isso comigo mesmo. Desta posição estratégica, eu posso assistir
calmamente.

Liberando os Erros Comuns e Despertando


Para escapar do sistema de crença do ego e reconhecer a Iluminação é
necessário expor as crenças inconscientes do ego e ver o nada neles. A
aproximação para a Verdade envolve negar tudo que acreditamos ser real que
obscurece a consciência da Verdade. Uma vez que esta aparente negação é
completa, é óbvio que a Verdade é verdadeira e somente a Verdade é
verdadeira. Esta é a Iluminação, Pura & Simples. Então o nosso propósito
compartilhado é expor e remover os obstáculos da consciência da Presença do
Amor: Puro & Simples.

Existem duas principais categorias de erros do ego, e o esclarecimento sobre


essas categorias faz com que a exposição e liberação deles sejam muito
simples e direta. Nosso Propósito é simplificar o perdão e o Despertar, e isto é
realizado conforme disfarces e distrações são postos de lado. Nomearei a
primeira categoria de erros do ego de erros metafísicos e a segunda categoria
de transferência de erros no treinamento. Erros metafísicos sempre envolvem
confusão de nível ou vêem causa na forma. A transferência de erros no
treinamento sempre inclui a tentativa de se fazer exceções ao milagre. Com
isto, quero dizer que qualquer exceção para a retidão ou a transparência sobre
a causa, sendo somente da mente, é também uma tentativa de negar a
Orientação do Espírito Santo. O ego, que parece existir e ter percepção
distorcida, é desfeito pelo milagre. Por não fazer nenhuma exceção a Expiação
ou ao perdão completo, dissipa completamente o ego.

A complexidade do ego faz de Um Curso em Milagres um curso difícil para a


maioria dos seus estudantes e professores. No entanto, a Sabedoria revela a
simplicidade do UCEM. Se você entende que o ego é morte e que um
sinônimo para o ego é reciprocidade, então você compreenderá que
reciprocidade é morte. Pela reciprocidade quero dizer - dar a fim de receber
algo em troca. O verdadeiro Dar, como o Dar de Deus, não pede nada. Pois a
Integridade não tem necessidades ou desejos e, portanto, simplesmente irradia
e estende. Seres humanos não podem entender a Integridade, pois a persona é
a máscara jogada sobre a Integridade do Ser. O ser da personalidade pensa que
tem uma existência autônoma, busca e luta para se tornar um ser melhor, com
melhores condições e circunstâncias não enxergando a máscara do cosmos
como uma máscara. As pessoas nunca alcançam o Silêncio Divino, pois o
auto-conceito nunca poderá saber do que ele próprio foi feito para ocultar. No
entanto, o Silêncio é o Estado natural da Mente Divina e só pode ser aceita
exatamente como Ela É.

Existem muitos livros sobre Um Curso Em Milagres que refletem as


interpretações pessoais de seus autores. Tudo que você lê, ouve ou assiste é
uma oportunidade para discernimento, e você conhecerá a Interpretação
Pacífica do Espírito Santo por experimentar a paz. Até que a paz da mente se
torne uma experiência constante, tenha certeza que uma das categorias de
erros do ego acima mencionadas ainda está sendo valorizada e escolhida. E
isto significa que algo do mundo ainda mantém seu valor e atração. Um Curso
Em Milagres chama isso de atração da culpa, da dor e da morte. Ninguém em
sua mente certa escolhe a culpa, a dor e a morte, porque essas são sempre
decisões da mente equivocada. O que devemos fazer é expor essas decisões
errôneas e mostrar que não oferecem nada do que você quer.

Primeiro deve haver um contexto metafísico sobre o que eu estou falando.


Meta significa além, e o nosso contexto para compreensão e significado
sempre será além do físico. O tempo é um conceito linear que não tem
realidade de forma alguma, ainda assim antes que ele desapareça da
consciência ele deve ser revirado e visto de uma Perspectiva curada. Deixe-me
usar uma analogia da geometria com um exemplo. Se você olhar para uma
linha de qualquer lugar fora da linha, você vê uma linha. Observada de dentro
da linha não há linha, existe somente um ponto. Da mesma maneira que
observado pelo ego, o tempo parece ser uma linha muito longa. Contudo,
Observado pelo Espírito Santo o tempo é somente um ponto e aquele ponto
acabou há muito tempo atrás. Para o Espírito Santo o passado acabou. Para o
ego o passado continua e se estende em bilhões de anos como ele julga o
tempo. Para o Espírito Santo o cosmos foi um ponto único de terror, um
minúsculo tique-taque, uma idéia louca que foi Corrigida imediatamente e,
portanto, se foi. Para o Espírito Santo o Amor Presente permanece sendo Tudo
que é real e verdadeiro.

A definição de estar dormindo e sonhando com um cosmos distorcido de


tempo/espaço é uma crença de que o tempo não acabou e se foi. Esta é a
crença de que a separação de Deus está presente e também num modo muito
estranho e valioso. Porque se o passado não fosse valorizado ele não mais
seria lembrado e trazido à consciência. A ilusão do tempo linear é o chamado
de um instante antigo que não tem realidade ou existência. Existe uma
analogia que pode servir como um exemplo útil. Quando você olha para as
estrelas à noite, você está percebendo gases queimando que queimaram há
muito tempo, mesmo assim olhando um vislumbre que ainda parece estar
presente. O mesmo pode ser dito de tudo específico que você percebe no
cosmos. A lição número 7 do Livro de Exercícios declara: “Eu só vejo o
passado.” Esta lição é seguida de “A minha mente está preocupada com
pensamentos passados.” E esta lição é seguida de “Eu não vejo nada tal como
é agora.” De fato as primeiras 15 lições do Livro de Exercícios de Um Curso
Em Milagres são uma introdução para a nova Perspectiva do tempo que eu
estou compartilhando com você agora. Essas lições só podem tem significado
se você está disposto a abandonar a perspectiva do tempo linear do ego e as
coisas do tempo:

Sob a Luz de tudo descrito acima, vamos revisar as lições 51-53 do Livro de
Exercícios, que são revisões das 15 primeiras lições do Livro de Exercícios do
UCEM:
LIÇÃO 51.

A revisão para hoje abrange as seguintes idéias:

E-pI.51.1. (1) Nada do que eu vejo significa nada.

A razão disso ser assim, é que eu vejo o nada, e o nada não tem significado. É
necessário que eu reconheça isso, para eu possa aprender a ver. O que eu
penso agora está tomando o lugar da visão. Eu devo abandonar isso
compreendendo que isso não tem significado, para que a visão possa tomar o
seu lugar.

E-pI.51.2. (2) Eu dei ao que eu vejo todo o significado que tem para mim.

Eu julgo tudo que eu contemplo, e é isso e somente isso que eu vejo. Isto não
é visão. É meramente ilusão da realidade, porque meus julgamentos são feitos
bem à parte da realidade. Eu estou disposto a reconhecer a falta de validade
dos meus julgamentos, porque eu quero ver. Meus julgamentos me ferem, e eu
não quero ver de acordo com eles.

E-pI.51.3. (3) Eu não compreendendo coisa alguma do que eu vejo.

Como eu poderia compreender o que eu vejo quando eu julgo erroneamente?


O que eu vejo é a projeção dos meus próprios erros de pensamento. Eu não
compreendo o que eu vejo porque não é compreensível. Não tem sentido
tentar compreender o que vejo. Mas há muitas razões para abandonar isso e
dar espaço para o que pode ser visto e compreendido e amado. Eu posso trocar
o que eu vejo agora por isso, meramente estando disposto a fazer isso. Esta
não é uma escolha melhor do que aquela que fiz antes?

E-pI.51.4. (4) Esses pensamentos não significam nada.

Os pensamentos dos quais eu estou ciente não significam nada porque eu


estou tentando pensar sem Deus. O que chamo de “meus” pensamentos não
são meus pensamentos reais. Meus pensamentos reais são os pensamentos que
penso com Deus. Eu não estou ciente deles porque fiz com que meus
pensamentos tomem o lugar deles. Eu estou disposto a reconhecer que meus
pensamentos não significam nada, e abandoná-los. Eu escolho substituí-los
pelos que eles pretendiam substituir. Meus pensamentos são sem significado,
mas toda criação está nos pensamentos que eu penso com Deus.

E-pI.51.5. (5) Eu nunca estou aborrecido pela razão que imagino.

Eu nunca estou aborrecido pela razão que imagino porque eu estou


constantemente tentando justificar os meus pensamentos. Estou
constantemente tentando torná-los verdadeiros. Eu faço de todas as coisas
meus inimigos, para que a minha raiva seja justificada e meus ataques
autorizados. Eu não percebo o quanto tenho feito mal-uso de tudo que vejo
por dar-lhes este papel ‘de meus inimigos’. Faço isso para defender um
sistema de pensamento que me fere, e que eu não quero mais. Estou disposto a
abandoná-lo.

LIÇÃO 52.

A revisão de hoje abrange estas idéias:

E-pI.52.1. (6) Eu estou aborrecido porque vejo algo que não existe.

A realidade nunca é assustadora. É impossível que ela possa me transtornar. A


realidade só traz paz perfeita. Quando eu estou aborrecido, é sempre porque
eu substitui a realidade por ilusões que inventei. As ilusões transtornam
porque dou a elas realidade, e assim considero a realidade uma ilusão. Nada
na criação de Deus é afetado de modo algum por esta minha confusão. Eu
estou sempre aborrecido por nada.

E-pI.52.2. (7) Eu só vejo o passado.

Quando olho em volta, condeno o mundo que vejo. Chamo isso de ver.
Retenho o passado contra todos e tudo, tornando-os meus inimigos. Quando
eu tiver perdoado a mim mesmo e lembrado de Quem Eu sou, abençoarei a
todos e tudo que vejo. Não haverá passado e, portanto, nenhum inimigo. E
olharei com amor para tudo que falhei em ver antes.

E-pI.52.3. (8) Minha mente está preocupada com pensamentos passados.

Vejo somente meus próprios pensamentos e a minha mente está preocupada


com o passado. Então, o que eu posso ver tal como é? Que eu me lembre que
olho para o passado para impedir que o presente se manifeste na minha mente.
Que eu compreenda que estou tentando usar o tempo contra Deus. Que eu
aprenda a renunciar o passado, reconhecendo que assim não estou desistindo
de nada.

E-pI.52.4. (9) Eu não vejo nada tal como é agora.

Se eu não vejo nada tal como é agora, pode-se dizer verdadeiramente que eu
vejo o nada. Eu só posso ver o que é agora. A escolha não está entre ver o
passado ou o presente; a escolha é meramente ver ou não ver. O que eu
escolhi ver me custou a visão. Agora eu prefiro escolher de novo, para que eu
possa ver.

E-pI.52.5. (10) Meus pensamentos não significam nada.


Não tenho pensamentos privados. No entanto, é somente dos pensamentos
privados que estou ciente. O que podem significar estes pensamentos? Eles
não existem, então não significam nada. Mesmo assim, minha mente é parte
da criação e parte do seu Criador. Eu não preferiria me unir ao pensamento do
universo em vez de obscurecer tudo que é realmente meu com meus
lamentáveis pensamentos “privados” e sem significado?

LIÇÃO 53.

Hoje revisaremos o seguinte:

E-pI.53.1. (11) Meus pensamentos sem significado estão me mostrando um


mundo sem significado.

Já que os pensamentos dos quais estou ciente não significam nada, o mundo
que os retrata não pode ter nenhum significado. O que está produzindo este
mundo é insano, assim como o que ele produz. A realidade não é insana, e eu
tenho pensamentos reais como também pensamentos insanos. Portanto, posso
ver um mundo real, se confiar nos meus pensamentos reais como meu guia
para ver.

E-pI.53.2. (12) Eu estou aborrecido porque eu vejo um mundo sem


significado.

Pensamentos insanos aborrecem. Eles produzem um mundo no qual não há


nenhuma ordem em lugar algum. Somente o caos governa o mundo que
representa a forma caótica de pensar, e o caos não tem nenhuma lei. Eu não
posso viver em paz em tal mundo. Eu sou grato por este mundo não ser real, e
não precisar vê-lo de forma alguma, a menos que eu escolha valorizá-lo. E eu
não escolho valorizar o que é totalmente insano e não tem nenhum
significado.

E-pI.53.3. (13) Um mundo sem significado gera medo.

O que é totalmente insano gera medo porque é completamente inconfiável, e


não oferece nenhuma base para confiança. Nada na loucura é confiável. Não
oferece nenhuma segurança e nenhuma esperança. Mas tal mundo não é real.
Dei a ele a ilusão da realidade, e sofro com a minha crença nele. Agora
escolho retirar esta crença, e colocar a minha confiança na realidade. Ao
escolher isto, eu escaparei de todos os efeitos do mundo do medo, porque
estou reconhecendo que ele não existe.

E-pI.53.4. (14) Deus não criou um mundo sem significado.

Como pode um mundo sem significado existir se Deus não o criou? Ele é a
Fonte de todo o significado, e tudo que é real está em Sua Mente. Está na
minha mente também, porque Ele o criou comigo. Por que eu deveria
continuar a sofrer com os efeitos dos meus próprios pensamentos insanos,
quando a perfeição da criação é o meu lar? Que eu me lembre do poder da
minha decisão e reconheça onde eu realmente habito.

E-pI.53.5. (15) Meus pensamentos são imagens que eu fiz.

O que quer que eu veja reflete meus pensamentos. São os meus pensamentos
que me dizem onde estou e o que eu sou. O fato eu ver um mundo no qual há
sofrimento, perda e morte mostra-me que eu estou vendo somente a
representação dos meus pensamentos insanos, e não estou permitindo que os
meus pensamentos reais lancem a sua luz beneficente sobre o que eu vejo.
Mesmo assim, o caminho de Deus é certo. As imagens que fiz não podem
prevalecer contra Ele porque não é a minha vontade que seja assim. Minha
vontade é Dele, e eu não colocarei outros deuses diante Dele.

O que está sendo desfeito no Grande Despertar é a percepção linear do tempo


e a identificação com a identidade linear que é a forma do ego fazer. A culpa,
apesar de ser uma ilusão, parece real na consciência contanto que você
perceba a si mesmo como parte do tempo linear. O Espírito Santo mexe com a
mente adormecida para que ela primeiramente Observe o cosmos e vivencie a
identidade da Perspectiva da Integridade no Presente, e então gentilmente
Desperta para a Eternidade. Um sonho feliz de perdão precede o gentil
Despertar para a Pura Unidade.

O Espírito Santo devolve a consciência do poder da mente e toda a


inclusividade da mente. A consciência do poder e a inclusividade andam
juntas, já que a tentativa insana do ego para julgar, comparar e projetar
bloqueia a vastidão e a inclusividade da consciência. Rejeitar é julgar contra, e
isso produz a delusão ótica da consciência que eu chamo de percepção
distorcida. Inclusividade é o mundo perdoado, e tudo no cosmos é percebido
pela Presente Perspectiva Curada do Espírito Santo.

Perdoe o passado e deixe-o partir, pois ele se foi. Somente um Bênção


permanece, e a Grande Imagem está prontamente disponível para ser
contemplada.

Bênçãos de Paz.

Estamos Aqui para Crescer?

P: Eu tenho uma pergunta sobre o crescimento do nosso espírito ou evolução


espiritual, a evolução espiritual da consciência, a evolução da alma. Qualquer
símbolo que você utilize para descrever a parte eterna da nossa identidade. À
parte daquele EU SOU ou a Unidade Universal.
Tenho lido uma grande quantidade de livros. Em todos esses livros, e
considero esses escritores bem iluminados (assim como você), eles falam de
evolução da alma/espírito/Eu Sou. Eles falam sobre o espírito ou o Eu Sou
como estando num crescimento contínuo. [Um professor espiritual] chama
isso de “crescendo para a nossa perfeição” que parece um paradoxo.

Eu realmente estou empacada neste assunto e também li os seus artigos. O


artigo sobre nenhuma “causa/visão social” e como a alma é “imutável”. [Um
professor espiritual] fala do Eu Sou como nunca estando estagnado. Que o Eu
Sou ou o Tudo Que Há deve criar/co-criar. Ele não pode se sentar entediado,
pois ele é a força mais poderosa no universo e deve se manifestar. Ele deseja
criar formas (manifestar-se em forma), para expressar sua criatividade através
da arte, ensinando e curando. Ele quer estar ciente de si mesmo na forma, para
criar forma através do pensamento, criar mundos, crescer através de um
processo feliz e alegre e finalmente criar até mesmo fora da forma, para criar
em todos os tipos de novas maneiras que nós nem mesmo estamos cientes
agora. Todos esses escritores falam desta evolução do Eu Sou. Que alguns
indivíduos “progrediram” para estados bem mais elevados da realidade onde
eles têm muito mais poder e menos limitações, mesmo assim ainda estão
envolvidos em trabalhos desafiantes. Não parece lógico que o Eu Sou não
gostaria de criar. Que o Eu Sou ficaria só sentado em quietude e não fazer
nada. Uma vez que nos tornamos cientes, uma vez que atravessamos a ilusão
do tempo/espaço vamos fazer alguma coisa? Nosso crescimento e criação
acabaram? Não há mais desafios?

Eu pedi que meu propósito me fosse revelado e parte do que voltou foi “seu
propósito é crescer e vivenciar coisas novas.” Para mim parece que esses
escritores estão dizendo que a alma, o Eu Sou, se manifestarão numa forma
contínua e escolherá passar por caminhos infinitos de possibilidades infinitas.
O Curso diz que o corpo não tem um propósito. Que foi feito como um
instrumento de aprendizado. Que foi feito como um meio de comunicação.
Que o corpo parece ser uma ferramenta válida que escolhemos usar para obter
experiência que não poderíamos obter de outra forma. Na verdade, está
existência/realidade terrena, mesmo através de ilusão, parece bem valido
como um ambiente de aprendizado apesar de não ser o último grau do Eu Sou
ou quem eu realmente sou. No entanto, é o que eu estou vivenciando agora. É
uma manifestação do meu pensamento criativo. Ele aponta para o que Eu
Estou pensando. É bem válido como é todo tipo de experiência e realidade.
Embora, seja tudo como eu percebo. Eu o percebo/crio através da minha
verdadeira natureza? Eu percebo/crio o Sonho Feliz, o Mundo Real ou estou
empacada somente nos meus cinco sentidos. Este planeta parece um processo
de crescimento.

Mesmo no Sonho Feliz ainda parecemos estar crescendo. Eu ainda questiono.


Eu ainda leio. Eu ainda rezo. Eu ainda faço a Vontade de Deus. Eu cumpro a
minha função aqui como um professor neste Sonho Feliz. Quanto mais eu
ensino mais avançado eu fico de acordo com o Curso. Ele fala sobre os
professores avançado. Obviamente estamos aqui para aprender coisas.
Estamos aqui para aprender a amar, aprender a perdoar. Estamos aqui para
fazer este mundo funcionar. Para aprender a criar com o poder dos nossos
pensamentos mundos que funcionam. Mundos onde o amor reina supremo na
realidade (na forma). Para co-criar com Deus que na realidade sou EU.

Tudo começa comigo. Eu sou a força mais criativa neste universo. Eu nem
comecei a usar o meu potencial. O meu potencial é literalmente
impressionante assim como é o potencial de todos os meus outros irmãos (pois
somos todos Um). A transformação deste mundo é possível. Nós temos que
aprender que podemos fazer isso. Devemos aprender que podemos trabalhar
como um tipo desperto, Deuses cientes e amorosos.

Muitos seres humanos, como nós sabemos, ainda não aprenderam essas lições.
Talvez existiram outros antes de nós que AVANÇARAM e que são avançados
agora em outras realidade. Talvez eles estejam nos ajudando agora. [Um
professor espiritual] fala sobre voltar à carne quantas vezes for necessário para
avançar para o próximo nível (um tipo de reencarnação, mas não realmente já
que [o professor espiritual] concorda com o Curso que não há tempo) [O
professor espiritual] descreve uma situação conde nós estamos vivendo muitas
vidas ao mesmo tempo numa realidade multidimensional, mas a maioria de
nós está empacado no ego e nos cinco sentidos e não estamos cientes das
multi-dimensões. O Curso não rejeita a idéia da reencarnação e até declara
que pode ser útil para alguma pessoas.

Não poderia ser possível que o nós pensamos como o Espírito Santo ou Deus
possam apenas ser seres que se tornaram cientes e avançaram além do nosso
nível ou que agora estão agindo como nossos guias? Eu acho que ficar
empacado no velho conceito Cristão sobre Deus pode criar muitas limitações.

De qualquer forma, perdoe por isto ser tão divagador. Eu só tinha que expor
tudo isso. Eu adoraria saber seus pensamentos sobre a informação acima e se
você leu ou não os materiais/livros acima. Eu acho a questão fascinante
mesmo que um tanto avançado e além do meu presente nível para
compreender, apesar disso eu acredito que o espírito me disse que parte do
meu propósito aqui é “crescer e vivenciar coisas novas.” A propósito, minha
outra parte me disse que meu propósito era “amar e ensinar”.

Com Amor.

R: Amado Milagre
Agradeço por expressar o seu desejo de Despertar para a Eternidade. Muitos
conceitos aparentes de meios de progresso, incluindo “processo” e “evolução”
e “reencarnação” estão incluídos na crença do tempo. A crença em tempo
simultâneo é um outro passo e este inclui o Sonho Feliz do não julgamento. A
Expiação é a experiência que reconhece que a separação nunca ocorreu. O
Grande Salto (Iluminação) é um Estado de Ser Que não conhece os opostos.

Propósito Divino é um com a experiência da paz interior, e com a Ajuda do


Espírito Santo você será capaz de discernir o Propósito do Espírito Santo do
propósito do ego. Isto leva a uma decisão ou aceitação final da Correção da
crença na separação. “Evoluindo para a nossa perfeição” parece um paradoxo
somente por causa da crença no tempo linear. No Instante Santo não há tempo
linear, pois a Verdade é integralmente Presente. Tempo e Eternidade não co-
existem, e o Despertar é simplesmente a aceitação da Realidade da
Eternidade.

Criação é Espírito Puro e como Cristo diz na seção do UCEM, Além de Todos
os Ídolos: “Deus não conhece forma”. Criação é Mente Una.

Não há níveis ou dimensões ou graus ou intervalos no Que É Para Sempre


Uno. Perdão, que ainda perceptivo, não tem níveis ou indivíduos. O Sonho
Feliz é unificado. No Sonho Feliz não há seres separados, pois a tapeçaria do
tempo/espaço é uma ilusão.

Se você ler cuidadosamente todas as escritas que eu compartilho você também


notará que “manifestar” é simplesmente um outro conceito de progresso. O
que é Uno simplesmente É e não tem oposto. “Ensinar” é uma outra maneira
de dizer “pensar”, e perdão é simplesmente uma completa transformação do
pensamento. Ensinar, como uma prece, é contínuo e não um “evento” ou
“atividade”. Nada é pessoal no perdão, e é evidente que não é somente mente.
Não existe ambos o mental e o físico porque não há problemas fora da mente.
A única doença foi a crença na mente que a separação de Deus foi possível.
Ao Despertar esta crença é Corrigida, e somente a Eternidade pode ser
Conhecida, a Verdade permanece para sempre verdadeira.

Feliz Despertar Amado Milagre!

É a Função Especial do Espírito Santo Traduzir Realidade em Formas?

P: É a função do Espírito Santo traduzir realidade em formas?

R: Não Amado Milagre. A função do Espírito Santo NÃO é “traduzir


realidade em formas” - completamente o oposto. O Espírito Santo reinterpreta
o sonho como o erro e o leva à verdade e a escuridão é levada à luz, e não
vice-versa. Entender isto é fundamental para o Despertar. É impossível levar a
verdade à ilusão ou realidade à fantasia. Este é um ensinamento fundamental
do UCEM. Como o UCEM declara:

“Você tem passado sua vida levando a verdade à ilusão, realidade à fantasia,
tem andado no caminho dos sonhos. Pois você tem ido do despertar ao sono, e
assim por diante caindo num sono ainda mais profundo. Cada sonho tem
levado a outros sonhos, e cada fantasia que pareceu trazer uma luz para dentro
da escuridão só fez com que a escuridão fosse mais profunda. Sua meta era a
escuridão, na qual nenhum raio de luz pudesse entrar. E você buscou a
negritude tão completa para que pudesse esconder a verdade para sempre, na
completa insanidade. O que você esqueceu foi simplesmente que Deus não
pode destruir a Ele mesmo. A luz está <em> você. A escuridão pode encobri-
la, mas não pode apagá-la.” (T-18.III.1)

“O Espírito Santo não vê o corpo como você o vê, porque Ele sabe que a
única realidade de qualquer coisa é o serviço que ele rende a Deus em nome
da função que Ele dá.” (T-8.VII.3.6)

“A Bíblia diz, “E o Verbo (ou pensamento) se fez carne.” Estritamente


falando isto é impossível, já que parece envolver a translação de uma ordem
de realidade para outra. Diferentes ordens de realidade meramente parecem
existir, assim como diferentes ordens de milagres. O Pensamento não pode se
fazer carne exceto pela crença, já que o pensamento não é físico.”(T-8.VII.7)

“Todas as figuras no sonho são ídolos, feitos para salvar você do sonho.
Contudo, eles foram feitos para salvar você exatamente daquilo que eles são
parte. Assim é que um ídolo mantém o sonho vivo e terrível, pois quem
desejaria ser um a menos que ele estivesse no terror e no desespero?”(T-
29.IX.3)

“Rindo gentilmente o Espírito Santo percebe a causa, e não olha para os


efeitos. De que outra forma Ele poderia corrigir o seu erro, você que ignorou
inteiramente a causa? Ele pede que você traga cada efeito terrível para Ele
para que possam olhar juntos para essa causa tola e rir com Ele um pouco com
ele. <Você> julgou os efeitos, mas <Ele> julgou a causa dos efeitos. E com o
julgamento Dele os efeitos são removidos.”(T-27.VIII.9)

“Trazer ilusão à verdade, ou o ego à Deus, é a única função do Espírito


Santo.” (T-14.IX.1.4)

“O Espírito Santo, a partir do Cristo em você, alcança todos os seus sonhos, e


pede que eles venham para Ele, para serem traduzidos em verdade. Ele os
trocará pelo sonho final que Deus apontou como o fim dos sonhos.”
“A principal dificuldade que você tem em encontrar o perdão genuíno da sua
parte é que você ainda acredita que deve perdoar a verdade, e não as
ilusões.”(W-134.3)

Este ensinamento metafísico é essencial para vivenciar o perdão como ele é, e


não meramente intelectualizando de acordo com o plano do ego. É o ego que
aconselha que o Espírito Santo “... tem a ver com traduzir realidade em
formas...”

Perdão é uma re-tradução da percepção (Expiação) que é o portão de entrada


para Realidade, Que é Abstrata e Eterna.

Realidade, ou Conhecimento está bem além da percepção e não pode ser


traduzida ou “reduzida” na forma ou percepção.

Sem esta compreensão não há experiência do perdão, e ele permanece um


conceito do ego que serve para tornar o erro real na consciência ou reforçar
que as ilusões são verdadeiras. O erro deve ser trazido à verdade, e não vice-
versa. A Realidade não pode ser traduzida ou trazida nas formas.

Paz & Bênçãos

A Iluminação Pode Ser Recebida através da Transferência “Pelas


Mãos”?

P: Hoje eu tive uma conversa com um amigo sobre diksha que é muito
interessante. Sinto-me instigada a pedir a você para me dar sua visão sobre
diksha neste movimento todo (expaaaansão). Eu tenho uma confiança
profunda em você e valorizo sua esclarecimento.

O que eu estou particularmente curioso para saber é, na sua opinião esse


fenômeno diksha é sério e você acha que ele pode causar uma mudança
permanente real e levar a uma iluminação permanente. Para mim parece bem
fácil simplesmente receber diksha (transferência pelas mãos) e então você
pode chegar à iluminação, ou perceber que você realmente está lá, enquanto o
UCEM parece tomar muito, muito tempo de estudo.

Já que estas perguntas ficam assombrando a minha mente eu pensei que seria
melhor perguntar, apesar de eu estar tentando comparar diferentes passagens
para o mesmo destino.

Eu anexei um artigo escrito por ** no qual ele fala sobre o avatar, **, sobre o
processo de iluminação, a direção para A Era de Ouro, e sobre a doação
diksha.
Gostaria do seu comentário sobre este tópico excitante.Confio plenamente em
você, meu irmão.

Com Amor.

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever. Existem muitos conceito que são meios de progresso
em direção à Iluminação, contudo todos eles devem evaporar antes que a
mente seja esvaziada da falsa crença. Não existe nenhum corpo ou ação ou
evento de tempo-espaço que possa salvar a mente ou libertá-la, pois não existe
nada fora da mente. Seu desejo ou disposição chamarão testemunhas para o
Despertar, e não há nenhuma forma que possa acelerar o Despertar - pois a
forma somente testemunha o desejo interior. Pessoas e ações são símbolos, e a
maestria da mente pode ser refletida com símbolos, porém não há nenhum
atalho ou substituto para a necessidade de esvaziar a mente de cada
pensamento e crença.

Um Curso em Milagre é um caminho muito direto quando o desejo para o


Despertar é forte, e todos os livros e professores e eventos podem senão
refletir o desejo do coração. Iluminação nunca é uma questão de tempo de
estudo ou proximidade/transferência com um guru ou uma transmissão de
energia especial, pois esses são senão efeito da crença. Todas as crenças
devem ser expostas e liberadas para dar caminho para o completo perdão, que
é uma experiência que transcende coisas específicas na sua totalidade.

Não há causa na forma, e isto inclui o conceito do diksha. A mente deve ser
esvaziada de todos os conceitos específicos, até aqueles sobre energia, para
ficar quieta e tranqüila para sempre.

Bênçãos de Amor

Sexualidade Sagrada; Lembrando da Meta

A viagem spiritual pode parecer muito intensa e muito difícil toda vez que
quem busca perde a meta de vista: paz interior. A viagem para o Despertar é
uma lembrança da Presença Sagrada no interior, através da remoção dos
bloqueios para a consciência do Amor. O caminho envolve etapas nas quais os
símbolos do mundo são re-traduzidos de ícones do ódio para lembretes do
amor, e eventualmente em direção a um passo no qual todos os símbolos são
eclipsados pela experiência Presente do Espírito Sagrado que é Uno para
sempre. O corpo é parte da percepção da mente adormecida que esqueceu da
sua própria Divindade. Negar o corpo durante o processo do Despertar é o uso
inapropriada da negação, pois o enfoque central deve sempre permanecer na
exposição e liberação de todas as crenças e pensamentos limitadores que
obscurecem a Luz da nossa consciência. O enfoque não é o que deve ser
“desistido”, pois esta abordagem é a interpretação do ego e sempre envolve o
conceito do sacrifício. A única questão que o investigador precisa perguntar
em qualquer prática, incluindo o sexo, é o do propósito: Para que serve isso?

O ego fez um mundo de preferências, e sexualidade é parte da pirâmide. Essas


preferência são crenças e fazem uma hierarquia de ilusões que o ego guarda e
protege com muito ciúmes. A culpa inconsciente dessas crenças mantém o
mundo da percepção distorcida, enquanto a Perspectiva do perdão do Espírito
libera a mente para novamente se aqueça num Estado de Inocência e
Liberdade que é a condição natural dela. Com o treinamento da mente a
Perspectiva do Espírito se torna cada vez mais forte na consciência, retirando
a crença na carência que distorce e anuvia o desejo. Sem o treinamento da
mente a superfície da consciência está fervilhando com impulsos distorcidos
de milagre que parecem se expressar numa variedade de forma, fortes desejos
e necessidades.

Cada impulso miraculoso distorcido é na verdade um Chamado para lembrar


de Deus, embora através das lentes de carência do ego o impulso é percebido
como algo para se “obter” para satisfação. A satisfação aparente que vem da
falsa associação do pensamento são fantasias de prazer, breves e temporárias,
e elas nunca realmente satisfazem de uma maneira duradoura. Todos os
apetites são mecanismos para obtenção. Todas essas distorções têm a
fundação na crença do tempo linear, e são sempre lembradas ou antecipadas.
Elas não tem nada a ver com a Presença Divina.

Sexualidade sagrada, como uma prática, pode ser considerada como uma
expressão espontânea de afeição que são incitados e Guiado pelo Espírito com
o único Propósito de desfazer a crença no tempo linear. São incitações que
surgem da disposição de escutar e seguir e fluir com o Espírito como um
reflexo da lição: vou dar uma passo para trás e deixar que o Espírito conduza
ao caminho. Por causa da obediência compartilhada para seguir a Orientação
do Espírito a sexualidade sagrada é um passo no progresso no caminho para a
liberação de todas as expectativas, carências e desejos, se aproximando da
Pureza do Coração que Jesus falou no Sermão da Montanha. Espontaneidade
baseado em seguir a Orientação em vez da falsa “impulsividade” do ego é o
caminho para colocar a mente sob a direção do Espírito e permitir que a mente
seja usada para milagres, que são expressões naturais do amor. Milagres são
involuntários e assim estão sempre sob o controle de Cristo, e a felicidade e
alegria que resulta disso são experiências inconfundíveis de uma mente com
disposição.

Repressão e indulgência são as únicas opções oferecidas pelo ego quanto se


trata de sexualidade. O milagre oferece uma alternativa real que traz a
liberação das tensões associada com a carência e privação. Milagres ensinam a
mente que ela é íntegra e completa, e assim finalmente o Propósito do perdão
libera a mente de todas as sensações de carência. Quando a crença na carência
for substituída pela experiência da integridade, o ego e suas defesas e jogadas
não mais continuarão a assombrar a mente. A mente Desperta para a Abstrata
Luz Imaculada que brilha Eternamente na Mente de Deus. Unidade não tem
necessidades e simplesmente se estende para todo o sempre.

Ouça e siga sua intuição. Esta é a mesma Resposta para qualquer questão de
problema ou dificuldade ou área. Não importa se um assunto parece envolver
o corpo ou o mundo ou os vários aspectos evidentes do mundo, pois ao ouvir
um Única Voz não há problema. Antes que sexualidade deixe de parecer
existir tranqüilize-se na certeza de o uso Intuitivo do corpo e o mundo
tomarão o lugar dos usos que o ego faz do mundo e do corpo. O uso Intuitivo
para o corpo é a decisão de permitir que ele seja usado comente como um
meio de comunicação. Todo o prazer real vem de fazer a Vontade de Deus. E
a Vontade Deus é para sempre de Perfeita Felicidade.

Uma Introdução à Idéia Fundamental de ‘Forma e Conteúdo’ uma Mensagem


do Espírito Santo

Espírito Santo: Eu sou conteúdo. Quando a sua mente está concentrada em


mim, no propósito santo de curar o filho de Deus, então você sabe para que o
mundo serve.

Concentrar-se somente no conteúdo é dar ao mundo um propósito unificado. É


ver os propósitos separados do ego; propósitos baseados em formas, somente
como passado; que a verdadeira felicidade e alegria podem ser encontradas.

O mundo da forma, das coisas específicas, foi feito como um ataque a Deus,
como um esconderijo para a mente que estava aterrorizada pelas repercussões
da separação de Deus que ela acreditava. A mente é viciada em forma porque
a forma é a defesa contra a verdade. A mente que acredita que é separada de
Deus está aterrorizada com a verdade - ela se tornou totalmente dependente da
forma para sua sobrevivência porque ela acredita que a sua fonte de vida está
dentro do mundo de formas.

Perceber coisas específicas e tratá-las como se fossem unidades inteiras é


fechar a mente para cura. A mente que está focada na forma está adormecida,
assim ela esqueceu da unicidade, completeza, comunhão, Deus. O caminho de
volta para esta lembrança é através da cura da percepção distorcida. Um
propósito unificado é dado e deve ser transferido e aplicado em todos os
aspectos da mente, em todas as experiências, a fim de fazer com que a mente
volte a se concentrar no conteúdo. O conteúdo vê duas categorias, amor e
pedido de amor. Cada momento é uma oportunidade para se unir ao instante
santo onde não há passado, nem corpos e nem mundo.
Concentrar-se na forma é idolatria. Decidir-se por metas e resultados da forma
é perder a compreensão do propósito.

A mente sempre está escolhendo. Uma decisão é feita em todos os momentos


e o foco é ou na forma ou no conteúdo. O uso da forma pelo ego; o corpo, o
auto-conceito é usado na competição com o que é percebido ser outros auto-
conceitos, e defesa e ataque se tornam as maiores distrações. Toda guerra
surge do foco na forma. Somente quando um irmão é visto como um corpo,
aborrecimento e ataque podem ser vivenciados. Somente quando o mundo da
forma é visto como causa, a defesa pode ser considerada.

Concentrar-se na forma é julgar. A forma é passado, a forma é uma ilusão do


passado. A mente que reage para qualquer coisa deste mundo, incluindo
interações com os irmãos, está reagindo ao passado, reagindo às associações
que são mantidas na mente. Sucesso e fracasso neste mundo são sempre
julgados nos resultados da forma. Ex: O casal permaneceu unido? O trabalho
foi realizado? Você foi contratado ou despedido - vamos celebrar ou
comiserar?

O Conteúdo vê todas as coisas como a mesma. O conteúdo vê todos os irmãos


como um. O conteúdo vê cada momento como uma oportunidade para
perdoar, liberar o passado, oferecer um lembrete da inocência, e lembrar que
todas as coisas passadas, presentes e ainda por vir são gentilmente planejadas
por Aquele que conhece o melhor resultado para todas os interessados.
Quando todas as coisas são vistas como estando trabalhando para o bem, a
mente pode descansar. Quando a mente está descansando, o amor retorna à
consciência.

Para começar a dar as costas a está crença profundamente enraizada e


completamente de cabeça para baixo é preciso grande disposição e confiança.
Cada crença deve ser afrouxada da mente e vista como tendo uma causa irreal.
Deus é a Causa. Deus é a Fonte da vida.

De momento a momento eu trabalharei com as suas crenças, guiando você


passo a passo na medida em que você desliga a sua mente dos falsos conceitos
que você acredita que o mantém a salvo e o faz feliz. Somente a liberação
desse falsos conceitos podem lhe trazer a verdadeira felicidade e a paz
duradoura.

Uma Introdução à Idéia Fundamental de ‘Forma e Conteúdo’ uma Mensagem


do Espírito Santo

Espírito Santo: Eu sou conteúdo. Quando a sua mente está concentrada em


mim, no propósito santo de curar o filho de Deus, então você sabe para que o
mundo serve.
Concentrar-se somente no conteúdo é dar ao mundo um propósito unificado. É
ver os propósitos separados do ego; propósitos baseados em formas, somente
como passado; que a verdadeira felicidade e alegria podem ser encontradas.

O mundo da forma, das coisas específicas, foi feito como um ataque a Deus,
como um esconderijo para a mente que estava aterrorizada pelas repercussões
da separação de Deus que ela acreditava. A mente é viciada em forma porque
a forma é a defesa contra a verdade. A mente que acredita que é separada de
Deus está aterrorizada com a verdade - ela se tornou totalmente dependente da
forma para sua sobrevivência porque ela acredita que a sua fonte de vida está
dentro do mundo de formas.

Perceber coisas específicas e tratá-las como se fossem unidades inteiras é


fechar a mente para cura. A mente que está focada na forma está adormecida,
assim ela esqueceu da unicidade, completeza, comunhão, Deus. O caminho de
volta para esta lembrança é através da cura da percepção distorcida. Um
propósito unificado é dado e deve ser transferido e aplicado em todos os
aspectos da mente, em todas as experiências, a fim de fazer com que a mente
volte a se concentrar no conteúdo. O conteúdo vê duas categorias, amor e
pedido de amor. Cada momento é uma oportunidade para se unir ao instante
santo onde não há passado, nem corpos e nem mundo.

Concentrar-se na forma é idolatria. Decidir-se por metas e resultados da forma


é perder a compreensão do propósito.

A mente sempre está escolhendo. Uma decisão é feita em todos os momentos


e o foco é ou na forma ou no conteúdo. O uso da forma pelo ego; o corpo, o
auto-conceito é usado na competição com o que é percebido ser outros auto-
conceitos, e defesa e ataque se tornam as maiores distrações. Toda guerra
surge do foco na forma. Somente quando um irmão é visto como um corpo,
aborrecimento e ataque podem ser vivenciados. Somente quando o mundo da
forma é visto como causa, a defesa pode ser considerada.

Concentrar-se na forma é julgar. A forma é passado, a forma é uma ilusão do


passado. A mente que reage para qualquer coisa deste mundo, incluindo
interações com os irmãos, está reagindo ao passado, reagindo às associações
que são mantidas na mente. Sucesso e fracasso neste mundo são sempre
julgados nos resultados da forma. Ex: O casal permaneceu unido? O trabalho
foi realizado? Você foi contratado ou despedido - vamos celebrar ou
comiserar?

O Conteúdo vê todas as coisas como a mesma. O conteúdo vê todos os irmãos


como um. O conteúdo vê cada momento como uma oportunidade para
perdoar, liberar o passado, oferecer um lembrete da inocência, e lembrar que
todas as coisas passadas, presentes e ainda por vir são gentilmente planejadas
por Aquele que conhece o melhor resultado para todas os interessados.
Quando todas as coisas são vistas como estando trabalhando para o bem, a
mente pode descansar. Quando a mente está descansando, o amor retorna à
consciência.

Para começar a dar as costas a está crença profundamente enraizada e


completamente de cabeça para baixo é preciso grande disposição e confiança.
Cada crença deve ser afrouxada da mente e vista como tendo uma causa irreal.
Deus é a Causa. Deus é a Fonte da vida.

De momento a momento eu trabalharei com as suas crenças, guiando você


passo a passo na medida em que você desliga a sua mente dos falsos conceitos
que você acredita que o mantém a salvo e o faz feliz. Somente a liberação
desse falsos conceitos podem lhe trazer a verdadeira felicidade e a paz
duradoura.

A Consciência conforme usada no UCEM

P: Eu nunca pensei em realmente escrever uma pergunta ou comentário, mas


aqui vai.

Você disse, “que a Consciência (mente dividida) pareceu vir para ‘existência’
com a crença na separação de Deus, da Unicidade.”

Você quer dizer a consciência do ego, a própria consciência comum que


aparece para existir num corpo e tem um nome e assim por diante? Eu
pergunto porque eu uso o termo ‘consciência’ no sentido do que cria e anima
as formas ilusórias; que é um Aspecto de Deus e nunca deixa a Sua Mente -
uma parte da Mente de Deus. Minha compreensão é que esta Consciência,
sendo um Aspecto de Deus, é eterna e brinca, brinca e brinca, estendendo o
Amor primeiro em uma direção, então em outra, incluindo inventando e
fingindo para vivenciar uma ilusão de separação completa com amnésia da
Realidade.

Você continuou com alguma coisa mais tarde com: “Deus não conhece forma.
Deus cria o eterno, e Cristo é uma Idéia eterna na Mente de Deus. Cristo cria o
eterno também. Criação é extensão eterna.”

Eu me lembro que o UCEM nos diz que Deus está dentro de nós. Nós só
podemos ouvir a Voz que fala por Deus (Espírito Santo) indo para dentro. Que
nós somos parte de Deus. Como em ‘Meu Pai e eu somos Um.’ Certamente eu
não entendi isso como para dizer dentro do corpo (como em qualquer lugar
perto de quem vive está o trono de Deus!), mas eu entendi como dentro da
nossa mente ou consciência (não cérebro) que é parte da Mente. Aquela parte
da Mente conhece a forma não conhece? Ela é ciente de si mesma como
atualmente estando na ilusão da dualidade, não é? Senão uma parte da Mente
de Deus seria inconsciente - que é impossível.

Com Gratidão pela Extensão do Amor Eterno.

R: Saudações Infinito Milagre

Agradeço por tomar o seu tempo escrevendo. Eu uso o termo “consciência”


como ele é usado em Um Curso Em Milagres. UCEM declara:

“A consciência é um mecanismo receptivo, recebendo mensagens de cima ou


de baixo; do Espírito Santo ou do ego. A consciência tem níveis e
conscientização pode mudar dramaticamente, mas não pode transcender o
reino perceptivo. No seu mais alto nível ela se torna ciente do mundo real, e
pode ser treinada a fazer isso crescentemente. Porém pelo fato dela ter níveis e
poder ser treinada demonstra que ela não pode alcançar o conhecimento.”

“A Revelação te une diretamente com Deus. Milagres te unem diretamente


com o seu irmão. Nenhum emana da consciência, mas ambas são vivenciadas
lá. A consciência é o estado que induz a ação, apesar de não inspirá-la.”

“A Consciência, o nível de percepção, foi a primeira divisão introduzida na


mente depois da separação, fazendo com que a mente seja um receptor em vez
de criador. A consciência é corretamente identificada como o domínio do ego.
O ego é uma tentativa da mentalidade errada para perceber a você mesmo
como deseja ser ao invés de como é. No entanto, só pode conhecer a você
mesmo como é, porque essa é a única coisa da pode ter certeza. Tudo o mais
está aberto ao questionamento.”

“O meio para a Expiação é o perdão. A estrutura da “consciência individual” é


essencialmente irrelevante porque isto é um conceito representando o “erro
original” ou o “pecado original”. Estudar o erro não leva à correção, se você
realmente quer ter sucesso em olhar por cima do erro. E é somente este
processo de olhar por cima que é o objetivo do curso.”

“Muito rapidamente agora, com os seus olhos fechados, tente se desapegar de


todo o conteúdo que geralmente ocupa a sua consciência. Pense a sua mente
como um vasto círculo, rodeada por uma cada de nuvens pesadas e escuras.
Você só consegue ver as nuvens porque parece que você está fora do círculo e
bem separado dele. De onde você está, você não vê razão de acreditar que há
uma luz brilhante escondida pelas nuvens. As nuvens parecem a única
realidade. Elas parecem tudo que há para se ver. Portanto, você não tenta
ultrapassar as nuvens e ir além delas, que é o único caminho em que você
seria realmente convencido da falta de consistência delas.”
Consciência é sinônimo de mente dividida. Ela recebe mensagens de “cima”
ou de “baixo,” do Espírito Santo ou do ego. É o foco do treinamento da mente
nas lições do Livro de Exercícios de UCEM e pode ser treinada para alcançar
o mundo perdoado que Jesus chama de “mundo real”. Esta é a Perspectiva do
sonhador do sonho que eu falo freqüentemente que é um estado de paz
consistente e não julgamento. Revelação e milagres emanam da Luz além da
consciência. Deus e Cristo, Sendo Eterna Luz Pura e Abstrata e Unicidade,
não tem nada a ver com a consciência (que é ‘dividida’ dentro dos níveis
ilusórios). Neste sentido não há “Consciência de Deus” porque a Unicidade e
mente dividida não são reconciliáveis. Deus e Cristo são Verdadeiros e
consciência é faz de conta ou falso. Deus e Cristo são Espíritos e consciência
é a crença que há “algo mais” “além” do Espírito. Despertar poderia ser
descrito como uma “liberação” do faz de conta do “algo mais”.

Criação é a Luz além da consciência. A consciência, sendo domínio do ego,


não tem habilidade criativa. Deus cria o Eterno e o ego ou erro “faz” o finito,
temporal, ilusão do tempo-espaço. É a consciência que parece desaprender o
ego (ou divisão) e assim aprender o perdão (perceber a completeza), ainda
assim a citação acima que diz “não se pode alcançar o conhecimento” reflete o
reconhecimento de que a consciência é uma ilusão que deve desaparecer antes
da lembrança do Conhecimento do Céu ou Unicidade Pura.

Você escreveu: “Eu uso o termo ‘consciência’ no sentido do que cria e anima
as formas ilusórias; que é um Aspecto de Deus e nunca deixa a Sua Mente -
uma parte da Mente de Deus. Minha compreensão é que esta Consciência,
sendo um Aspecto de Deus, é eterna e brinca, brinca e brinca, estendendo o
Amor primeiro em uma direção, então em outra, incluindo inventando e
fingindo para vivenciar uma ilusão de separação completa com amnésia da
Realidade.”

Cristo nunca deixa a Mente de Deus, porém a consciência é a crença de que


Cristo deixou a Mente de Deus. A criação se estende eternamente e como o
UCEM afirma: “Deus não conhece forma.” Cristo é uma Idéia Eterna na
mente de Deus. É o domínio do ego da consciência que parece estar
“...inventando e fingindo vivenciar uma ilusão de separação completa com
amnésia da Realidade.” Deus não esquece porque Deus nunca condenou,
ainda assim o perdão (liberação - desapego) se aplica a consciência e assim a
liberação dos obstáculos (que foi obra do ego) para que a mente possa lembrar
de Deus, Cristo e Criação Eterna.

Uma das idéias chave da metafísica para a compreensão da importância e


necessidade do perdão da ilusão e da liberação e desapego ao julgamento do
mundo é declarado no UCEM como a seguir: “O mundo foi feito como um
ataque a Deus. Ele simboliza o medo. E o que é o medo senão a ausência de
amor? Assim o mundo foi feito para estar no lugar onde Deus não poderia
entrar, e onde Seu Filho poderia estar separado Dele. Aqui nasceu a
percepção, pois o conhecimento não poderia causar tais pensamentos
insanos.” Deus É. Cristo está Desperto na Mente de Deus. A mente que dorme
e sonha com imagens parece brincar com ídolos, brinquedo de sua própria
“criação”, porém o Espírito Santo usa o que foi feito para ir além do que foi
feito. O Espírito Santo Fez um Sonho de despertar limpo de julgamento. O
Espírito Santo sabe distinguir entre o real e o irreal, e o julgamento do falso
COMO falso e o único julgamento significativo a ser feito. Esta Expiação é a
porta de entrada para a liberdade além de todos os sonhos - para a lembrança
do Ser como Cristo na Mente de Deus. Deus e Cristo são Eterno Amor
Abstrato, e o aparente mundo das partes e coisas específicas é o véu que FOI
perdoado.

O Reino dos Céus está dentro. Vou usar a metáfora mencionada no Livro de
Exercícios de UCEM. Se a Mente Divina fosse um vasto Círculo de Luz e se
este Círculo fosse aparentemente rodeado por nuvens escuras de falsa crença e
percepção, a consciência seria a experiência ilusória do ser “externo” do
Círculo. Ao afundar dentro das nuvens de ilusão, a experiência é Única de
Pura Luz. Na Verdade a Luz não pode ser rodeada ou circunscrita, pois a Luz
é literalmente o Todo de Deus e Cristo Que Conhece a Perfeita Unicidade. Eu
regozijo no perdão da ilusão, pois um Filho de Deus não pode ser limitado na
consciência exceto pela crença ilusória. E felizmente isso não tem que ser
assim.

Eu TE amo para todo o sempre!

O Mundo que o Ego “Criou”

Questionador: O ego “criou” tudo neste planeta? E quanto aos anjos ou


chakras ou coisas que as pessoas consideram boas, elevadas ou espiritual? E
realmente estamos aqui por causa dos pensamentos da nossa mente
equivocada ou este é um lugar que Deus quer que estejamos para o
crescimento e aprendizado da nossa alma?

Orador: Bem, a primeira parte a pergunta realmente vem a estar relacionada


à consciência ou percepção. Você pode dizer que a consciência é o domínio
do ego como descrito no UCEM. Então toda percepção: tempo, espaço, o
cosmos, todas as coisas específicas são uma projeção do ego. Então, sim o ego
realmente criou o cosmos do tempo e espaço. O ego criou todas as imagens e
símbolos. Poderíamos dizer que na forma que você pensa sobre os anjos como
querubins ou como belos seres com grandes asas, essas são imagens e são
partes das coisas específicas do cosmos. Repetindo, essas coisas são criadas
pelo ego. Poderíamos falar sobre os sete chakras. Sete são mais que um. É um
número múltiplo e novamente os sete chakras específicos que freqüentemente
são associados com a espinha e diferentes localizações do corpo são de novo
parte do sistema do ego.

O Espírito Santo é simplesmente um propósito na mente, está luz, está


lembrança aí dentro que usa todas as coisas específicas. Certamente usa
símbolos como chakras e anjos de uma maneira muito útil e amável para
trazer conforto e bênção para que quando a mente estiver amedrontada ela tem
um símbolo de um ajudante. E certamente anjos são um bom exemplo disso.
A percepção da mente equivocada que somos nós aqui é uma parte da
percepção do ego sobre o mundo. Você poderia dizer que Deus ou Cristo é
parte abstrata do Céu. O reino do Céu realmente não conhece o reino da
percepção porque como o curso ensina, “Nada real pode ser ameaçado, nada
irreal existe”. O Eterno é o que o Céu é, é o que Deus é, é o que Cristo é. O
efêmero, o fenômeno, o cosmos do tempo e espaço está sempre mudando e
temporário e pela definição é irreal. Então você poderia dizer que é uma
percepção da mente equivocada tentar trazer Deus dentro do mundo e dizer
que Deus nos colocou aqui por uma razão ou que estamos aqui para aprender
lições que Deus estabeleceu para nos testar, ou qualquer coisa desse tipo,
porque Deus é simplesmente pura Unicidade e Amor e Abstração.

É ter mente equivocada acreditar que você está aqui como Jesus diz no curso,
“Você pode se perguntar como você pode vivenciar perfeita paz enquanto
você ainda está num corpo.” E ele diz, “Pergunte a você mesmo quem é esse
que está num corpo?” Então quando você pega questões como essa você vê
que Jesus está dando a entender que realmente você está em casa no Céu bem
agora, eternamente, e você só está sonhando com o exílio. E isto é tudo sobre
a percepção.

Como Eu Saio Daqui?

P: Eu moro na Austrália. Acabei de ler algumas de suas cartas com admiração


e espanto. É, bem é fantástico porque eu venho procurando por algo mais, mas
não sabia o que até agora. Eu praticamente tenho que abandonar cada crença
que me ensinaram e fazer uma virada completa se isto o que você está dizendo
é o caminho de casa. Eu fui criado na crença católica, mas tomei meu próprio
rumo procurando por Deus. Eu devo dizer que isto é como o filme matrix -
bárbaro. Poderia me dizer por onde começar? Como eu saio daqui?

Obrigado.

R: Amado Milagre

Experiência do Desperta é verdadeiramente profunda. Conhecer o Próprio Ser


é estar vivo como Espírito.
As experiências percebidas através dos cinco sentidos podem ser reais durante
o desfazer ou a liberação da falsa crença, porém a experiência do Momento
Presente é inevitável. Assim como Neo pareceu ser carregado passo a passo
em “The Matrix”, o Despertar pode parecer um processo similar. Tem um
Momento em que o mundo é visto como passado - e este Momento é o
Momento da liberdade. No Presente não há “processo”. Parece requisitar
“pulos de fé” somente porque a fé tem sido colocada em ilusões e devem ser
retiradas do erro. O mundo da percepção dos opostos foi uma tentativa de
negar a Unicidade da Realidade, e como o desejo pela paz traz a experiência
da paz para a consciência é óbvio que a paz não tem oposto.

Aqui está a chave:

Ouça lá dentro... as etapas são óbvias para uma mente disposta.

Primeiro tem que ficar evidente que a dualidade não é o lar do nosso Ser, o
Cristo. Portanto, é impossível ficar contente e estar em paz e feliz “na”
dualidade. Toda o desconforto é simplesmente o medo do Despertar. O
sonhador de um sonho deve estar ciente que está sonhando para despertar do
sonho.

A consciência que leva a Despertar é o perdão da ilusão. Perdoar é


simplesmente ver o falso como falso, e não há exceções para este estado da
mente. É impossível obter perdão “parcial”. O perdão deve ser completamente
vivenciado ser vivenciado em absoluto.

Cristo diz “Estou te Chamando para fora do mundo” e como o significado


desta declaração é primeiro vislumbre é evidente que literalmente não há
nenhuma maneira de fazer parte do pensamento do mundo simultaneamente
“Conhece a ti mesmo.” Verdade e ilusão não têm ponto de encontro. Amor
Perfeito deixa o medo de fora e a Luz abole a escuridão.

O Guia interno primeiro leva para o interior em direção a uma experiência,


uma aventura, uma descoberta da consciência do sonhar. Neste estado da
mente é sempre evidente que nada real está acontecendo “no” mundo. As
formas parecem se deslocar e mudar, as figuras do sonho parecem ir e vir,
porém a natureza sem substância das aparências (o tecido do sonho) não pode
mais enganar o sonhador. O matrix da ilusão do controle não tem mais atração
ou fascinação da Perspectiva que surge do ato de pensar com Deus. Sonhe
suavemente com um mundo sem pecado, desprovido de julgamento. Deus não
julga, pois literalmente não há nada para “entre o que julgar”. O perdão pode
ser chamado de aceitação de uma totalidade que não conhece nenhuma
“parte”.

Muitas vezes o despertar espiritual é associado com “desistir” das coisas. Esta
falsa associação nasce da crença na escassez, que foi a tentativa impossível de
negar a totalidade. O que Deus cria é para sempre completo e não conhece
“escassez”.

Não há necessidade de “desistir” das coisas que nunca existiram - a natureza


ilusória e temporal dos sonhos é óbvia quando o “desejo de separar” é
liberado. Instantaneamente é evidente que a totalidade nunca “foi” para lugar
nenhum, pois ela é sempre total. Disposição para Despertar também inclui a
liberação do desejo de “sair daqui”, pois na descoberta da totalidade não há
“aqui” nem “lá”. É impossível perseguir ou lutar para escapar de algo sem
“parecer” reforçar a crença de algo “mais” do que a totalidade exista.
Totalidade transcende todas as evidências “aparentes”.

Se Cristo é real o mundo não é. Espírito não “entra” no tempo-espaço.

O Despertar é o reconhecimento que o Espírito é real e a Identidade em Deus


é imutável.

Há uma frase no pensamento do mundo chamado “Mente/corpo/Espírito.” O


corpo não tem significado porque a Mente é Una e o Espírito é Uno e não há
brechas no que é para sempre Uno. Retire a fé (libere) da ilusão do significado
projetado no tempo/espaço/corpo/mundo e a consciência do Significado
Presente é evidente como tudo. Eu sou Espírito. Regozije-se com este Fato!
Obrigado Deus por ter criado Tudo como Um em Espírito!!!

Seguindo a linha de pensamento do Espírito são é fácil assim como não há


“desejo” por “algo” mais. Despertar é natural e somente “parece” difícil se as
aparências são valorizadas. Não valorize a aparência e a verdade
instantaneamente salta para a consciência. Como é simples e óbvia a verdade.

Eu TE amo para todo o sempre Santo Milagre!!!

O Relacionamento do Espírito com o Mundo

Participante: Vamos falar sobre este assunto da Criatividade como veremos


aqui numa expressão mais elevada. Eu tenho tido muitas conversas com
pessoas sobre este assunto e intuitivamente sinto que na verdade há um
relacionamento entre forma e espírito. Eu acho que isto ocorre com tudo. E
parece haver um pensamento na metafísica que tende a descartar a forma ou a
matéria como raciocínio da Ciência Cristã, “Não há vida, inteligência ou
substância na matéria.” Como se a matéria fosse algo ruim, como se você não
estivesse operando no reino do espírito, que você não está fazendo o que você
deveria estar fazendo. E eu não acredito nisso.

Eu entrei numa grande discussão com a minha irmã que é uma Cientista Cristã
quando eu estava em Cairo. Ela sofria de diabetes e não estava se cuidando
direito para se curar. Ela tem um monte de problemas; ela perdeu a visão, etc.
etc. Ela não aceitava ou até mesmo considerava a possibilidade da premissa
que há um relacionamento entre a forma e espírito.

Por falta de um mundo melhor é Seu prazer, ver as coisas expressas na beleza
da forma. Quando você vê um pôr do sol, quando você vê uma chuva de neve,
isto é forma. Não é uma idéia. Pode bem ser uma idéia, mas também é uma
forma. Quando ouvimos uma música, no entanto isto não é tão forma como
um passo além porque a música se torna forma num papel quando a
composição foi escrita no papel com tinta. Então a ação ocorre quando o arco
é roçado sobre as cordas ou uma palheta sendo vibrada ou o que quer que seja.

O relacionamento aí é muito similar ao que estamos tentando entender, é o


relacionamento entre o que é mais importante. O espírito é mais importante
que o pensamento? O pensamento é mais importante que a forma? E eu não
acho que isto é uma questão de importância como é entender o relacionamento
da presença de Deus em todas essas coisas. Intuitivamente, eu só acho que há
muita resistência quando se toca no assunto do mais tradicional sistema de
crença da metafísica que tende a negar a matéria. Como se isso não fosse
verdadeiro, que você não está realmente doente, ou que realmente não há
guerra. Quando de fato, assim como pensamentos não podem ser bonitos,
formas também podem não ser bonitas. E é a aplicação bem na linha do
relacionamento entre Espírito, pensamento e forma que a cura, a limpeza ou
embelezamento ocorre - não na negação deste relacionamento. Eu acho que
Deus está presente em todas estas coisas e nós precisamos aprender como
integrar o espírito, pensamento e forma e não de alguma maneira nos
livrarmos da forma.

Orador: Há muitas coisas que você falou que podemos discutir. Há alguns
pontos bem claros que Jesus deixou.

Uma das questões que você levantou que é boa para se adentrar foi que
quando você estava falando sobre a idéia da Ciência Cristã e chegar a
conclusão de que a crença é que a matéria é “ruim”. Isto é um erro que está
sendo cometido. Jesus toma a palavra no Curso e o que ele diz é que isto é
“tornar o erro real”.

Em outras palavras, logo que algo como a matéria leva um nome ruim, então
de alguma maneira está sendo dada a uma realidade ela. Assim como o lado
positivo disso, dizer que há algo bom na matéria. Ambos os lados acabam
sendo irreais. E eu uso irreal somente no sentido de que é temporal,
constantemente mudando e em fluxo.

Podemos olhar para o cosmos e o movimento dos planeta e as estrelas e a


expansão do universo e Jesus está basicamente fazendo a distinção entre o
Espírito que é infinito e eterno e imutável e contrastando com o tempo /
espaço / matéria contínua que é finito e em constante mudança. Esta é uma
distinção fundamental que ele está fazendo. A questão que você levantou
sempre tem sido um canteiro de discussão, toda essa coisa sobre o
relacionamento entre espírito e forma.

E as pessoas realmente levantam questões como o pôr do sol e assim por


diante. E existe uma beleza intrínseca no pôr do sol? Ou o significado é
inteiramente descrita pela mente? Esta é uma grande distinção. Existem duas
lições do livro de exercícios onde Jesus claramente tenta chegar a exata
questão do que você está falando. São as lições 29 & 30. ‘Deus está em tudo
que eu vejo’ é a lição 29 e segue o que você está dizendo. Então na lição 30
diz, ‘Deus está em tudo que eu vejo porque Deus está na minha mente.’ Então
ele não só diz que Deus está em tudo que eu vejo como ele dá a isso com uma
razão.

O erro que muitas vezes acontece é a crença que Deus está literalmente
vivendo em tudo que eu vejo que é uma crença num sistema bem metafísico,
particularmente sistemas orientais que falam sobre isso. Ou que Deus
literalmente tenta SE expressar através da forma de alguma maneira. Usando
suas palavras de ontem à noite, “O infinito não olha para o finito”. Quando ele
fala sobre tudo o que eu vejo porque Deus está na minha mente, ele faz uma
manobra afastando da coisa filosófica do panteísmo que é baseado na
premissa que Deus vive em cada forma do universo. E na lição 29 isto quase
parece com o panteísmo... Deus está naquela lata de lixo, etc. se você ler o que
ele está dizendo na lição 30 e sai e diz que Deus não vive em objetos como
você os vê com os seus olhos. Mas porque o propósito do Espírito Santo pode
ser dado a cada objeto projetado, é o que a declaração quer dizer.

Mas precisamos treinar as nossas mentes para vivenciar este propósito.


Enquanto que a visão panteísta é que Deus está literalmente vivendo em
coisas e isso leva para longe da mente.

Agora, ele diz em outras partes do Curso que Deus não conhece forma. Então,
isto parece contradizer porque em uma parte diz que Deus não conhece forma
e então na lição diz que Deus está em tudo que eu vejo. A forma exata de
realmente olhar para a lição 29 poderia ser, dizer que o Espírito Santo está em
tudo que eu vejo porque o Espírito Santo está na minha mente. Este é aquele
propósito ou aquela luz branca ou a lembrança de Deus, se nos podemos nos
alinhar a isso, sentiremos a beleza que você está falando quando estamos no
propósito. E a boa notícia é que nós podemos sentir isso independente do que
está acontecendo, na tela. Poderíamos estar no meio dos distúrbios que
ocorreram em Los Angeles. Mas se você estivesse alinhado com o Espírito
Santo como Jesus estava, então sua percepção daquela situação poderia ser
totalmente transformada.
Participante: Quando eu estava falando de relacionamento entre espírito,
pensamento e forma, eu não quis dizer interferir que os percebia como sendo
igual porque de fato a ordem verdadeira da magnitude seria espírito,
pensamento e forma. E neste mundo temos a tendência de perceber as coisas
completamente do oposto. Aquela forma é real e espírito, quem sabe?

Orador: Se a verdade for subjetiva… se a minha verdade subjetiva é diferente


da verdade subjetiva da Carol e a dela diferente da sua e assim por diante,
então voltamos a fazer a pergunta “Que valor tem a verdade se ela varia de
pessoa a pessoa?’ Uma pessoa tem uma versão da beleza e você tem outra.
Voltamos para aquela verdade que tem todos esses significados diferentes.

No sentido muito extremo o Curso está dizendo que o espírito, que é muito
negado neste mundo, é em último caso irreconciliável com a forma. Todas as
nossas tentativas para reconciliar os dois está aonde a dor vem. E o Espírito
Santo é a lembrança de que não são reconciliáveis. Quanto mais
profundamente entramos na nossa mente e no movemos para a luz abstrata
mais podemos ver que esta é a nossa realidade. As outras foram então vistas
com um meio de progresso, ou uma metáfora. Quando você alcança o ponto
do mundo real, quando você tiver limpado o espelho por completo e estiver
refletindo somente a luz em que Deus toma o último passo e nos ergue para a
abstração pura. Neste ponto a percepção desaparece então até aquela
discussão sobre a forma e o pensamento e o espírito finalmente chega o
reconhecimento de que é por isso que o Curso fala que a forma é irreal,
porque Deus não a criou. Está mudando e está amarrada no tempo. Está é a
única distinção.

É uma distinção profunda e realmente difere muito do sistema metafísico


oriental onde eles dizem que Deus estava sozinho e quis vivenciar
companheirismo ou outras idéias que dizem que Deus está tentando expandir
e estender no universo material que de uma perspectiva do Curso não faria
sentido. Como poderia ser que algo infinito poderia se tornar finito? Isto é
similar a crença das almas infinitas e imortais que entram no corpo de um
bebê quando elas nascem. E então você vive uma vida e a alma parte e sai e
então ela vem como um outro e a coisa toda começa de novo. Em algum ponto
eu tive que questionar, se a alma é imortal, ilimitada e eterna e está entrando
neste pequeno placa finita de carne então vive por um tempo, está amarrada
no tempo, fica doente... Como pode ser? Foi uma metáfora útil por um tempo,
a idéia de uma alma, dá uma sensação que existe mais do que esta vida, que
pelo menos você está evoluindo. Mas é uma metáfora. Você é uma mente que
projetou fora uma tela de imagens e se identificou com uma delas. Jesus está
nos chamando para fora desta identidade falsa. Que é voltar para o Sonhador
da perspectiva do Sonho.

Um Mundo Perdoado
Conforme o ego é desaprendido, desfeito e dissolvido, nós conhecemos um
mundo perdoado, um mundo lavado, limpo e livre de julgamento.

A bela e maravilhosa lição para conhecer este mundo é a completa gratidão e


apreciação de tudo e todos COMO SÃO.Isto é desistir da crença do
pensamento hipotético: que as coisas poderiam ou teriam sido melhor se
fossem diferentes.

Realmente as coisas funcionam juntas para o bem e isto é vivenciado pela


Perspectiva do Espírito (Agora), que está muito além de todos os julgamentos
pessoais e classificações e expectativas.

Desejos circunstanciais freqüentemente parecem ser concedidos, mas o


Desejo Mais Grandioso de Todos é o perdão das ilusões, refletindo Toda
Abrangência do Amor.

Que dádiva mais grandiosa poderia haver do que olhar para todas as coisas
com muito amor, gratidão, e completa apreciação (um mundo perdoado) e
Despertar para o Eterno Amor de Deus.

Isto é viver uma Vida de Alegria sem fim!

Amor.

Medo de Olhar para Dentro

A seguinte transcrição foi tirada de um diálogo entre o Orador e vários


participantes numa pequena reunião. A seção do texto a que se refere está no
Capítulo 21, Razão e Percepção; seção 4, O Medo de Olhar para Dentro.

*************************************

Orador: Um tema comum que está surgindo seja tomando a forma de fadiga
ou letargia ou resistência para ler o livro ou vir para as reuniões... resistência é
somente uma expressão de medo e é por isso que esta seção ‘O Medo de
Olhar para Dentro’ pode ser útil. É para isto que nós realmente precisamos
olhar. “Lembre-se que o ego não está sozinho. O reino do ego é moderado, e
seu “inimigo” desconhecido, Quem ele nem mesmo pode ver, ele teme.”

O ego não tolera olhar para a luz. Ele sente que existe algo maior do que ele,
mas ele não tolera olhar para isso. “E se você olhasse para dentro e não visse
pecado? Esta questão “amedrontadora” é uma que o ego nunca pergunta. E
você que pergunta isso agora está ameaçando todo o sistema defensivo do ego
tão seriamente que ele se incomoda em fingir que é seu amigo.”
Essas pequenas sentenças realmente começam a nos dar algum insight que a
mente está começando a questionar, “E se eu for inocente? E se eu não tiver
pecados e culpas?”. O ego está aterrorizado com o questionamento. Ele quer
voltar ao questionamento trivial das coisas do mundo. “E se eu pudesse fazer
isso melhor? E se eu pudesse fazer isto ou aquilo? Consigo obter uma ilusão
melhor?” Este é o tipo de questionamento que o ego pode tolerar.

“Sua liberação ainda é somente parcial; ainda limitada e incompleta, mesmo


assim inata em você. Não estando totalmente insano, você tem estado disposto
a olhar para muitas das usas insanidades e reconhecer essas loucuras. Sua fé
está se movendo para dentro, além da insanidade em direção à razão. E o que
a sua razão te diz agora o ego não ouviria. O propósito do Espírito Santo foi
aceito pela parte da sua mente que o ego não conhece. Nem você conhecia. E
ainda assim esta parte, com a qual agora você se identifica, não tem medo de
olhar para ela mesma. Ela não conhece o pecado. Como, então, ela poderia ter
estado disposta a ver o propósito do Espírito Santo como a dela mesma.”

Estes parágrafos me fazem lembrar de uma citação que eu estava lendo um


outro dia sobre um diagrama de uma espiral. A citação era, “Você ainda não
voltou o suficiente.” É um passo bem grande só para começar a questionar
tudo, mas a dor e a resistência vem do “você ainda não voltou o suficiente”. A
única liberação que será uma liberação verdadeira será quando você chegar no
início. É como se quando você está questionando as coisa, você estivesse
relaxando, relaxando e cada vez mais relaxando. A resistência parecerá surgir
de tempos em tempos porque a mente ainda acredita no ego, e conforme ela
relaxa, relaxa, relaxa que a morte espera por ele. Então Deus o cegará. Ou que
haverá algum tipo de punição envolvida. É quando a resistência entra. É um
medo de olhar para o que está por baixo do medo.

Participante 1: Este pensamento serve para mim e parece ser algo que eu
posso apontar como um medo. E se refere ao que nós conversamos ontem,
quando você estava dizendo “Eu senti dor no passo, então você pode apostar
que vai acontecer no futuro.” Tem que haver esta conexão que eu estou
fazendo na mente para dizer ‘Eu sei como foi sentir aquela dor’, e se foi
intolerável então apenas olhando para a dor do meu medo real de Deus vai
acabar comigo. Eu sinto que ela lá no fundo, e que é aonde a resistência
parece vir. Até mesmo quando conversamos sobre isso, há uma pergunta que
surge na minha mente que é “Como abordar isto? Como chegar perto daquele
medo na mente, o medo de Deus?” Parece tão obscuro na maioria das vezes.
Então, para mim isto simplesmente assim, você sabe quando você diz algo que
sentimentalmente é legal... soa bem... Este ainda é o sentimento que eu tenho
quando eu leio isso.

Orador: Bem, vamos olhar para o medo. Anteriormente em grupos do Curso e


conforme eu rodeei, quando entrei nas emoções e assim por diante, posso
dizer quão veemente foram as respostas às vezes quando eu digo que o medo
não é uma emoção real. Eles dizem, “O que você quer dizer!”

Participante 1: Eu gosto disso, eu não me oponho a isso. Eu gostaria de


vivenciar isso....

Orador: Mas você não acredita nisso.

Participante 1: Com certeza não.

Orador: Aí é que está. Você está dizendo que há está associação como se
‘Uau, aquilo realmente me fez sentir mal e isso só pode ser pior ou só uma
pontada da dor que vou sentir no futuro.’ Você pode ver o investimento ou a
crença na realidade da emoção.

Participante 1: Então, essa crença obviamente tem que ser questionada. Eu


não sei como chegar por baixo dessa crença para questioná-la.

Orador: Como estamos nesta discussão, eu diria que a seção que realmente
trata especificamente deste assunto no Curso é o “Obstáculos à Paz”. Fala
sobre a atração à dor e a atração à culpa e medo. Realmente fala sobre isso em
termos de interpretação da invenção da mente. Em outras palavras, dor é
apenas uma testemunha, como discutimos outro dia, e o ego interpreta isso
como uma prova do pecado. É por isso que dói tanto. Porque o ego está lá
dizendo, “aha, aha, aha! O pecado deve ser real.” O ego uso a dor como uma
justificativa ou uma interpretação de que o pecado é real. Mas é uma
percepção equivocada. A dor é somente uma percepção equivocada. A dor
não prova nada a não ser que você queira.

Participante 2: A dor não prova nada… Você decide o que ela significa, você
até mesmo decide relacionar a palavra ‘dor’ a ela, para dar a ela esta
definição. Para mim parece que uma vez que a mente relaciona a definição de
dor com algo, então é um caso encerrado.

Participante 1: Então o que eu estou tentando provar é que eu sou pecador.

Orador: Através das lentes do ego, sim é isto. E se nós pegar aquela seção e
examinar mais de perto, de novo é aquela coisa do prazer-dor. O ego chama
algumas dores de prazer. Ele literalmente define algumas dores como
prazeres. Você consegue imaginar ter um monte de dores e arrancar algumas
acreditando que você tem algo diferente. A dor e o prazer são apenas nomes
diferentes para a mesma coisa.

Participante 2: São todas para provar que o que eu sou é pequenez. Este
corpinho.
Orador: Uma outra coisa é que o corpo apenas segue as ordens. Obviamente
que a mente designou esse significado ou esse sentimento a ela [dor]. Ela diz,
‘você vai sentir isto.’ Mas para onde realmente voltamos é, qual é o
propósito? Em relação a tentar lidar com a dor, enquanto que você estiver
alinhado com o propósito do ego, então você terá estas sensações irreais, uma
delas é a dor. Você vê quão crucial é começar a desvendar o propósito do ego.
Orgulho, prazer e ataque. A única saída da dor e ver que a experiência é irreal,
ver que não tem realidade, é examinar o propósito do ego e ver muito
claramente que você não quer compartilhar com este propósito. Enquanto
você compartilhar um propósito com o ego, você está alinha com o ego e vai
parecer que você vivencia dor, medo, culpa, depressão e todos os tipos de
transtornos. Não é uma coisa significativa dizer ‘leva esta dor para longe de
mim’, quando foi você quem a escolheu. Você deve olhar para as condições e
os propósitos do ego então não compartilhar esses propósitos. Esta é a fuga.
Você estava perguntado como escapar do medo. Você escapa por não
compartilhar nenhum propósito que o ego tenha para qualquer coisa.

Participante 1: Isto parece muito drástico para mim. Mesmo você dizendo isso
eu estou pensando “Tá bom, vou desistir do ataque, desistir da dor, mas vou
desistir do prazer por último.”

Orador: Talvez isto parece ir por este caminho. Mas eu te garanto que você
desistirá dele alegremente. A alegria que você vivencia quando você está no
propósito de fazer a sua brilhar e conforme você estende isso vai parecer
crescer e crescer. Talvez possa parecer desse jeito [desistir do prazer por
último], mas isso não será nada em comparação a alegria que você irá sentir.

Participante 1: Isso parece bom para mim. Mas dizer ‘desista disso
primeiro!’... eu não quero.

Participante 2: Apenas queira a experiência de ter isso comparado como nada.

Participante 1: Está bem. (risadas)

Orador: (rindo) Isto parece negociável!

“Sua fé está se movendo para dentro, além da insanidade e em direção à razão.


E o que o seu raciocínio te diz agora o ego não ouviria. O propósito do
Espírito Santo foi aceito pela parte da sua mente que o ego não conhece. Nem
você conhecia. E ainda assim esta parte, com a qual você se identifica agora,
não tem medo de olhar para ela mesma. Ela não conhece o pecado. Como, de
que outra forma, ela poderia estar disposta a ver o propósito do Espírito Santo
como dela própria?”
É isto que quer dizer que enquanto alguém se identificar com o ego, esse
alguém terá medo olhar para ele. A crença que há tanta negrura, tanta
imundície e tanta sujeira na mente que ela é incapaz de olhar para ela mesma.

Participante 1: Essas reuniões... todo o propósito delas é olhar para dentro.


Não pode ser o propósito do ego. O ego não pode estar feliz com isso.

Orador: O propósito destas reuniões é olhar. Não é só sobre luz, amor e


alegria. Tivemos reuniões onde entramos nas coisa e no final não houve a
experiência do sentimento de liberação, ou de alegria. Então vocês continuam
questionando. Isto que vocês fazem. Não vai ter batidas na cabeça ou
chicotadas se você não entendeu, apenas continue a questionar. Jesus
menciona nas primeiras partes do curso que inicialmente vai parecer
necessário muito esforço consciente para estar alinhado com ele. Parece
precisar de um milagre, inicialmente é necessário muito esforço consciente.

Participante 1: E assim mesmo ainda é questionável.

Participante 2: ... como quanto a capacidade. Certamente que um pensamento


entra com freqüência, “Consigo fazer isso?”

Orador: Não faz sentido que depois de você ter tido um verdadeiro impulso
construtivo, depois da mente ter sido treinada que ela não precisa mais fazer
esforço.

Participante 1: Absolutamente, isto faz muito sentido para mim. Esforço não
parece ser consistente com o Espírito Santo. Estas duas palavras não
combinam.

Orador: Conforme você se torna esclarecido, entende melhor, é assim que a


sua mente fica protegida. Você verá além das ilusões, você não vai pegar a
isca. Você se renderá a sua alegria e a estenderá porque isto que significa se
tornar esclarecido.

O que está por trás do meu “Vício Físico"?

P: Eu só gostaria de saber o que o Curso diz em relação a vícios? Eu sou


viciado em cigarros e para mim tem sido impossível parar de fumar. Eu sei
que isso soa negativo, mas tenho tentado de tudo: pensamentos positivos,
grupos de apoio e tudo mais. Uma parte de mim me culpa pela minha falta de
controle ou força de vontade. É realmente assim? I sinto como se tivesse algo
mais sobre isso. Sinto como se a minha batalha com o cigarro representasse a
minha batalha com a minha mente do ego. Eu estava pensando se você teria
alguma luz em relação a vícios. Muito obrigado por tudo que você nos tem
dado. Você realmente é uma bênção.
Com Amor.

R: Amado Milagre é são função adição.

Limpar o caminho para a paz interior significa expor e liberar a crença no


vício. O que parece ser um vício físico como, por exemplo, fumar é sempre
um sintoma do vício mental de julgamento, e a liberação do julgamento é a
liberação do ego. O julgamento sempre envolve conceitos e comparações, e
este cosmos inteiro é construído sobre a premissa do julgamento. O Ser Que
Deus criou Único está além do julgamento, pois o que há para se comparar em
Pura Unicidade que é Imutavelmente Eterno? Todos os julgamentos
específicos são uma tentativa de avaliar o Ser, porém o Ser que Deus criou
está além da possibilidade de avaliação.

A Totalidade é eternamente completa. A crença na carência, portanto, é uma


crença no vício. O que parece ser vícios físicos são encobrimentos ou
distrações para não olhar para dentro e passar pelo medo até alcançar o Amor
interior. Enquanto muitos estão cientes que vício passam a sensação de
miséria, o medo de olhar para dentro parece ser mais assustador para uma
mente adormecida do que o pensamento de manter o vício. Porém quando a
mente está disposta e pronta, sentimentos há muito represados são permitidos
entrar na consciência... e podem ser atravessados e liberados. Esta é a abertura
para a cura, e a cura é o sinônimo de liberação do julgamento.

Conforme o Coração se abre o Amor interior é revelado. Onde uma vez


acreditava-se que o coração precisava de proteção repentinamente é visto que
o Coração se revela na extensão. E com esta abertura o Amor escorre e flui
sem limites ou condições, e a lembrança do Verdadeiro Amor, sempre
estendendo Amor, é restaurada na consciência. Pois o Amor nunca está
ausente... a única escolha é estar ou não ciente do Amor.Livre Arbítrio é livre
para sempre e Uno com Deus. Escolha e julgamento surgem com a crença que
foi possível separar-se. A premissa de qualquer “escolha” é dualidade, e a
Expiação ou Correção do erro vê a impossibilidade da dualidade. O que é Uno
agora é Uno para sempre e nunca pode ser separado. Conforme a mente olha
para dentro, ela é Levada para além do medo e da culpa que uma vez ela
procurou esconder e proteger, e Levada adiante até a Luz.

Eu estou unido com você na experiência interior da Luz do Amor. Quando a


jornada interior parece intensa e assustadora, lembre-se... isto também irá
passar. O valor da liberação do erro é a determinação. E êxtase do Ser, livre de
julgamentos e pensamentos viciosos, é indizivelmente Glorioso. Um brinde à
busca interior. Um brinde ao Desapego!

Amor e Bênçãos sempre.


Uma Nova Interpretação

Fundamentos da Metafísica - Introdução à Metafísica da Separação

Ao iniciarmos a sessão de hoje, eu acho que poderíamos falar um pouco sobre


algumas metafísicas básicas em geral e então podemos entrar em outros
assuntos.

Todas as espiritualidades e religiões tentaram descrever como tudo isso


aconteceu - no sentido do que às vezes é chamado de “a queda do homem”.
Existem muitos sistemas metafísicos diferentes. Existem os sistemas Orientais
que falam sobre Deus sendo solitário e inventando o cosmos para se expressar
e relacionar com ele.

Existe a estória tradicional de Adão e Eva onde Deus disse, “Não coma da
árvore do conhecimento do bem e do mal” a serpente, e a tentadora os
convenceu a fazer isso, e ela foi e pegou uma maçã e deu uma para Adão e
então, de acordo com o mito bíblico, foram expulsos do Jardim do Éden e foi
assim que a separação ou a queda surgiu.

Quando falamos do Curso, nós temos uma estória realmente diferente sobre
toda a “queda”. Basicamente, Deus não expulsou ninguém. Em vez disso, o
que o livro está dizendo é que toda a idéia da queda do homem é uma
distorção perceptiva, ou é uma ilusão muito vasta, na qual a mente acreditava
que conseguiu algo que é absolutamente impossível que é a separação do seu
Criador.

Esta analogia da separação seria como se esta mente muito, muito, muito
poderosa que foi Criada à imagem do Pai, assim dizendo, virou a cabeça ‘Eu
queria saber se... Poderia haver algo mais do que o Céu ou mais do que
Tudo?’ [E esta idéia o pequeno “sopro” da loucura]. E dando a uma mente tão
poderosa, uma idéia totalmente ridícula e cômica é o que o Curso, num
sentido metafórico, diz sobre como este mundo pareceu surgir. Foi uma idéia
totalmente absurda, mas em vez de rir dela, o Filho de Deus a levou
seriamente e adormeceu ou (como diz a bíblia) Adão caiu em sonho profundo.

O mundo em que parece que vivemos, este mundo aqui, é parte daquele sonho
e daquela soneca. E assim sobre o que vamos falar esta noite é endereçado ao
“pequeno sopro” do qual estávamos falando que é o ego. Vamos falar um
pouco sobre o ego e falar sobre a resposta que Deus deu quando este evento
pareceu acontecer, pareceu ocorrer. O curso diz que Deus deu uma resposta
imediata. Não houve nem mesmo um atraso ou uma pequena brecha, mas foi
imediatamente quando esta louca idéia pareceu ser acreditada, que a resposta
foi dada. Nos termos do Curso, ou nos termos Cristãos mais tradicionais, esta
resposta seria o Espírito Santo. Em outros termos poderia ser como a pequena
voz quieta ou intuição. Mas que foi dada imediatamente a essa crença na
separação.

Se levarmos a estória um pouco mais adiante, uma vez que a mente acreditou
no impossível, na separação, ela ficou aterrorizada acreditando que ela
realmente poderia fazer tal coisa. Literalmente ela ficou com medo da luz
porque basicamente o pequeno sopro disse para a mente, “Você fez isso agora
- você realmente fez isso. Você conseguiu fazer a coisa mais terrível. Você se
separou do Céu e virou as costas para o seu Criador.” O sopro disse, “Rápido.
Vamos correr e nos esconder” como a estória bíblica sobre Adão e Eva
estando nus. E o sopro estava dizendo, “Vamos correr, nos esconder e
inventar um mundo de formas e já que Deus é Espírito, ele não pode vir atrás
de você lá. Nós podemos nos esconder dele lá dentro, estaremos a salvo dele.”
De uma certa maneira é para isto que o mundo foi feito.

Em outras palavras, este mundo foi projetado a partir deste minúsculo sopro.
Literalmente ele foi feito como um lugar para se esconder para que Deus não
pudesse entrar. E o Curso está dizendo que Deus é infinito e abstrato e que o
mundo é um mundo de dualidade e fragmentação e é muito finito. Até mesmo
as estrelas, nós estamos aprendendo, que ela tem meia vida e vão se apagar e
tudo no cosmos está sempre em fluxo, mas é sempre finito. Tem um começo e
parece estar se movendo em direção ao fim. Então está é a base da nossa
discussão.

O que continuaremos de lá pra cá é que uma vez que a mente adormeceu na


assim chamada “queda”, havia dois sistemas de pensamento; um era o sistema
de pensamento baseado no medo no ego e outro era o Pensamento da amorosa
resposta vinda de Deus, o Espírito Santo. E a resposta amorosa apenas
continuou relembrando a mente, “Você nunca poderia ter feito tal coisa. Ele
não está bravo com você, seu Pai ama você, seu Pai sempre o amará.” O
sistema de pensamento do ego é baseado na premissa que o impossível
aconteceu e que o medo é real, “Se algum dia você voltar para Deus, se
alguma dia você voltar para dentro da sua mente dentro daquela luz branca,
Deus vai te pegar e te destruir.”

E assim se você consegue imaginar por um segundo a mente que está


acostumada com o paraíso no Céu e completa unicidade como no seu estado
natural, apenas este estado de pura Unicidade e ser, e então tendo esses dois
sistemas de pensamento irreconciliáveis nela. O curso diz que a tensão foi
simplesmente intolerável para mente manter esses dois sistemas de
pensamento juntos porque ela estava acostumada com a totalidade e
integridade e concordância. Então o que ele [o pequeno sopro] fez para aliviar
esta tensão foi, ele disse: “Você pode projetar esta separação para fora no
mundo.” Assim o mundo é visto como um mundo de dualidade; bom e ruim e
certo e errado e rápido e devagar e quente e frio e macho e fêmea e para cima
e para baixo e vítima e vitimador.

O truque foi que o ego disse que o jeito que podemos aliviar seus terríveis
sentimentos de dor e esta culpa intolerável que você está sentindo é projetá-la
para fora. Este é o truque, o truque deste mundo. Nós estávamos falando de
julgamento durante o jantar esta noite. Toda vez que julgamos, toda vez que
condenamos, é como se a mente estivesse vivenciando algo onde ela pode
dizer ‘esta pessoa é a falha aqui’.

Uma outra palavra para projeção, saindo dos termos psicológicos e apenas
tornando esta palavra um pouco mais simples, é culpar. Culpe meu chefe,
culpe a Receita Federal, culpe o país, culpe o governo, culpe a si mesmo,
culpe o cachorro, culpe meu passado, culpe minha hereditariedade. Este é um
mundo onde culpar parece estar em todos os lugares. E o curso está dizendo
sim, que esta é a razão pela qual o mundo é feito. O mundo foi feito para ser
como um aterro sanitário onde a mente pode simplesmente culpar tudo fora,
na tela por assim dizer, a tela do mundo, sem ter responsabilidade pela divisão
ela mesma e aceitando o Espírito Santo e curando a separação.

Então eu lanço isso como um dos fundamentos básicos da metafísica para


colocar na perspectiva do que o Curso está falando. Quando chegarmos nesta
sessão, gostaríamos de tentar torná-lo o mais prático possível. Em outras
palavras, chegamos na questão real do: ‘Como posso aplicar isso na minha
vida diária?’ E se eu estiver passando por um problema em particular com
uma pessoa ou se eu estiver passando por problemas financeiros, de saúde,
depressão ou algo mais, o que nós fazemos e tentamos torná-lo realmente
prático para que possamos conversar entre nós e fazer funcionar. Neste
sentido quando nos unimos, quando dois ou mais estão reunidos, temos a
chance de uma psicoterapia espiritual para deixar o Espírito vir entre nós.
Então este é o fundamento básico daquilo que eu gostaria de fazer esta noite.

A Crença Original na Separação

P: Eu li o texto do UCEM mais ou menos há um ano. A leitura coincidiu com


as épocas das quais Jesus menciona, o que me surpreendeu agradavelmente,
pois pegar o livro e fazer a leitura não tinha sido planejado.

Eu prossegui com as lições e cheguei até a primeira revisão com os objetos no


mundo olhando para eles às vezes como se tivessem somente a parte frontal e
em volta e atrás deles vislumbrava luz. Isto me encorajou muito.
Durante a meditação em algum momento na revisão eu senti como se
estivesse caindo. Não caindo para baixo, mas para frente. Eu sabia o que
estava acontecendo e naquele ponto o meu ego ficou aflito e o medo jorrou de
uma forma que eu vivenciava desde a infância. Deste aquele momento me
afastei do Curso por um tempo e agora estou reiniciando as lições.
Aqui vai a pergunta que vem me assombrando. O Espírito Santo fica quieto
quando se faz uma pergunta a ele. Deus sendo perfeito significa que Suas
Criações são perfeitas. Como então poderiam Suas Criações começar a criar
imperfeitamente para causar a separação? Eu sei que a separação foi curada
num instante e o que estou vivenciando agora é somente uma lembrança disso.
Mas como a separação poderia absolutamente ter acontecido?

Bênçãos e amor de uma pedra rolante tentando encontrar seu caminho de volta
para casa.

R: Amado Milagre é não

A jornada espiritual é um caminho para o interior, o desfazer de cada


pedacinho de crença que brota desta crença central. Você teve vislumbres da
“luz por trás do véu” e isto é muito encorajador.

O ego fica aterrorizado com a rendição e quando a mente está identificada


com ela, você vivência os sentimentos dele. O ego está aterrorizado com a
Luz e a jornada espiritual porque é a crença na separação, e está sendo
desfeita.

Estou feliz que você está retornando ao Curso; estamos profundamente unidos
em nosso propósito compartilhado do despertar para a verdade. É um caminho
através da escuridão para a luz, então o medo vai surgir ao longo do caminho
com todos os tipos de emoções desconfortáveis (que são realmente apenas
medo), mas quando você tiver um firme contexto, sabendo que você está
buscando a cura, uma revisão da mente, então não há necessidade de fugir
disso.

A mente, na completa consciência da Expiação, sabe que a separação nunca


aconteceu. A completa consciência da Expiação é que a separação nunca
aconteceu.

Eu sempre ouço as mesmas perguntas, “Como o impossível ocorreu?” “Para


quem o impossível ocorreu?”

Eu as chamo de as perguntas mais importantes. Em primeiro lugar como isso


aconteceu? Como poderia a perfeição, como poderia Deus algum dia ter
cometido um engano? Ou como poderia Cristo, que é um Ser perfeito, algum
dia ter cometido um engano?
E basicamente, é uma afirmação. Quando você faz as perguntas, “Como o
impossível ocorreu?” ou “Em primeiro lugar como isso aconteceu?” existe
uma suposição por baixo das questões. E qual é a suposição?

Que isso aconteceu! É claro que o ego gosta desta suposição. Então ele pode
fazer todos os tipos de perguntas incluindo como isso aconteceu.

É como se você estivesse numa caçada inútil para encontrar a teologia certa, o
professor certo, a técnica certa, o mantra certo. Oh meu Deus, a culpa
tentando resolver a questão. Mas a suposição exata é algo que temos que
aprender a liberar.

Não haverá teologia que virá para te tirar disso. Não vai haver um conceito.
Haverá uma experiência que virá que acabará com as suas dúvidas. No Curso
essa experiência é a Expiação. A Expiação é a completa consciência de que a
separação nunca aconteceu. Neste sentido, Um Curso em Milagres é uma
plataforma de lançamento. Você está numa plataforma de lançamento onde
você está pronto para decolar num foguete e entrar em órbita onde você não
tem o senso da gravidade. Você é feliz e livre. Um Curso em Milagres é o
livro que é designado para ajudar você entrar em órbita, entrar no Ser, entrar
na perfeição.

Com Amor.

A Crença Original na Separação

P: Eu li o texto do UCEM mais ou menos há um ano. A leitura coincidiu com


as épocas das quais Jesus menciona, o que me surpreendeu agradavelmente,
pois pegar o livro e fazer a leitura não tinha sido planejado.

Eu prossegui com as lições e cheguei até a primeira revisão com os objetos no


mundo olhando para eles às vezes como se tivessem somente a parte frontal e
em volta e atrás deles vislumbrava luz. Isto me encorajou muito.

Durante a meditação em algum momento na revisão eu senti como se


estivesse caindo. Não caindo para baixo, mas para frente. Eu sabia o que
estava acontecendo e naquele ponto o meu ego ficou aflito e o medo jorrou de
uma forma que eu vivenciava desde a infância. Deste aquele momento me
afastei do Curso por um tempo e agora estou reiniciando as lições.
Aqui vai a pergunta que vem me assombrando. O Espírito Santo fica quieto
quando se faz uma pergunta a ele. Deus sendo perfeito significa que Suas
Criações são perfeitas. Como então poderiam Suas Criações começar a criar
imperfeitamente para causar a separação? Eu sei que a separação foi curada
num instante e o que estou vivenciando agora é somente uma lembrança disso.
Mas como a separação poderia absolutamente ter acontecido?
Bênçãos e amor de uma pedra rolante tentando encontrar seu caminho de volta
para casa.

R: Amado Milagre é não

A jornada espiritual é um caminho para o interior, o desfazer de cada


pedacinho de crença que brota desta crença central. Você teve vislumbres da
“luz por trás do véu” e isto é muito encorajador.

O ego fica aterrorizado com a rendição e quando a mente está identificada


com ela, você vivência os sentimentos dele. O ego está aterrorizado com a
Luz e a jornada espiritual porque é a crença na separação, e está sendo
desfeita.

Estou feliz que você está retornando ao Curso; estamos profundamente unidos
em nosso propósito compartilhado do despertar para a verdade. É um caminho
através da escuridão para a luz, então o medo vai surgir ao longo do caminho
com todos os tipos de emoções desconfortáveis (que são realmente apenas
medo), mas quando você tiver um firme contexto, sabendo que você está
buscando a cura, uma revisão da mente, então não há necessidade de fugir
disso.

A mente, na completa consciência da Expiação, sabe que a separação nunca


aconteceu. A completa consciência da Expiação é que a separação nunca
aconteceu.

Eu sempre ouço as mesmas perguntas, “Como o impossível ocorreu?” “Para


quem o impossível ocorreu?”

Eu as chamo de as perguntas mais importantes. Em primeiro lugar como isso


aconteceu? Como poderia a perfeição, como poderia Deus algum dia ter
cometido um engano? Ou como poderia Cristo, que é um Ser perfeito, algum
dia ter cometido um engano?

E basicamente, é uma afirmação. Quando você faz as perguntas, “Como o


impossível ocorreu?” ou “Em primeiro lugar como isso aconteceu?” existe
uma suposição por baixo das questões. E qual é a suposição?

Que isso aconteceu! É claro que o ego gosta desta suposição. Então ele pode
fazer todos os tipos de perguntas incluindo como isso aconteceu.

É como se você estivesse numa caçada inútil para encontrar a teologia certa, o
professor certo, a técnica certa, o mantra certo. Oh meu Deus, a culpa
tentando resolver a questão. Mas a suposição exata é algo que temos que
aprender a liberar.
Não haverá teologia que virá para te tirar disso. Não vai haver um conceito.
Haverá uma experiência que virá que acabará com as suas dúvidas. No Curso
essa experiência é a Expiação. A Expiação é a completa consciência de que a
separação nunca aconteceu. Neste sentido, Um Curso em Milagres é uma
plataforma de lançamento. Você está numa plataforma de lançamento onde
você está pronto para decolar num foguete e entrar em órbita onde você não
tem o senso da gravidade. Você é feliz e livre. Um Curso em Milagres é o
livro que é designado para ajudar você entrar em órbita, entrar no Ser, entrar
na perfeição.

Com Amor.

Como Considerar o Tempo-Espaço e ‘O Roteiro’

P: Eu gostaria muito de saber o que você pensa sobre isto. O Curso diz que
nós estamos no final olhando para trás. Tenho pensado muito nisso, e parece
que se você seguir isto para esta conclusão lógica, então nós não teríamos
nenhuma maneira de mudar qualquer coisa que estamos vivenciando no
sonho. Parece simplesmente continuar a acontecer porque já aconteceu, e nós
somente escolhemos olhar para isso através do ego ou do Espírito Santo.
Quanto mais escolhemos o Espírito Santo (a percepção verdadeira) mais nós
despertamos.

Minha amiga diz que ela acha que como todos os roteiros possíveis já foram
escritos e aconteceram simultaneamente, então cada vez que fazemos uma
escolha, nós teremos experiências de vida diferente. Nós não estamos
escrevendo um novo roteiro, mas simplesmente vivenciando o roteiro que já
foi escrito que se aplique à nossa decisão mais recente. Desta forma, nós
realmente afetamos como nosso roteiro desenrola. (O Curso menciona “todas
as dimensões do tempo.”)

Existe uma razão pela qual eu me importo com esta resposta, não é
simplesmente mera curiosidade. Eu sempre tive medo de voar e apesar de
voar, tomava tranqüilizantes ou um drinque para acalmar os nervos. Uma vez
que reconheci que tudo já aconteceu e eu estou apenas vendo isso, eu comecei
a me concentrar para enxergar isso através do Espírito Santo. Eu descobri que
eu não tenho mais medo de voar. Na verdade, eu acho está forma de ver muito
confortável. A visão alternativa seria um pouco diferente, mas tudo bem,
também. Só estou dizendo que eu realmente tenho um motivo para querer
saber. Eu tento não martelar muito a minha cabeça e concentrar mais na
experiência, mas algumas coisas, se eu tiver algum tipo de compreensão, é
muito útil para mim. O que você acha disso?

Com Amor.
R: Amado Milagre

Agradeço sua atenciosa pergunta e maravilhosa testemunha do Poder curativo


do Espírito Santo. O Presente existe antes que o tempo existisse, e para uma
mente adormecida esta Luz Flamejante foi completamente arrancada da
consciência com o sonho do tempo-espaço. Sua pergunta é muito prática, pois
ela pede a Visão Útil do tempo da Perspectiva do Espírito Santo.

Na Realidade não há tempo-espaço, e falando de forma prática o tempo-


espaço durou senão um aparente ‘instante’ e foi simultaneamente Corrigido
(Curado) pelo Espírito Santo. Somente através do ego este ‘instante’ irreal
parece estar se repetindo várias e várias vezes, fazendo um fantasma ou uma
ilusão do tempo-espaço linear, que tem sido chamado de ‘roteiro’. A frase o
‘roteiro está escrito’ enfatiza que o sonho do mundo foi há muito tempo atrás.
Tempo, falando de forma prática, acabou, se foi e na Realidade nunca
aconteceu. Vivenciar o tempo como simultâneo é a decisão de ver que a causa
e o efeito estão juntos, não separados, e que não existe um mundo separado da
mente, ou separado daquilo que você pensa. Na simultaneidade não há
dualidade, nem passado e futuro, e nem dentro e fora, e nem sujeito ou objeto.

Você escreveu sobre o sonho: ‘Parece simplesmente continuar a acontecer


porque já aconteceu, e nós somente escolhemos olhar para isso através do ego
ou do Espírito Santo. Quanto mais escolhemos o Espírito Santo (a percepção
verdadeira) mais nós despertamos.’

Esta é uma descrição exata do aparente ‘processo’ apesar de eventualmente


ele ter que ser reconhecido de que a decisão é sem exceções e, portanto, além
da crença em graus (ex: mais ou menos). Salvação é não fazer transigência de
nenhum tipo, e isto se aplica a liberação do erro do tempo-espaço linear. A
Expiação acarreta o reconhecimento de que o tempo-espaço linear não pode
ser mudado porque o tempo-espaço linear é uma ilusão, e a ilusão (sendo
falsa) não pode mudar. A sua experiência parece mudar da incerteza sempre
mutável do ego para a Perspectiva tranqüila e certa e estável do Espírito
Santo. A Perspectiva Pacifica é uma escolha, uma decisão, uma aceitação e
este sonho feliz do não-julgamento é a meta que o UCEM aponta.

Na Felicidade simplesmente se revê o que já se passou, e não faz nenhuma


tentativa para mudar ou fixar ou reorganizar as imagens do roteiro. Procure
não mudar o sonho. Em vez disso, procure mudar a sua mente em relação ao
sonho. Este é o significado da frase: Eu Não Preciso Fazer Nada.
Lembre-se destas passagens felizes do UCEM:

“Portanto, não busques mudar o mundo, mas escolhe mudar a tua mente sobre
o mundo.” - T.21-Introdução.
"O tempo é um truque, um passe de mágica, uma vasta ilusão em que figuras
vêm e vão como por magia. Mas há um plano por trás das aparências que não
muda. O roteiro está escrito. O momento em que a experiência vem para dar
fim à tua dúvida já foi estabelecido. Pois nós vemos a jornada apenas do ponto
em que ela terminou, olhando em retrospectiva, imaginando que a
empreendemos novamente, revisando mentalmente o que já se foi.” Ex Lição
158

“(80) Que eu reconheça que os meus problemas foram resolvidos. Eu pareço


ter problemas só porque estou fazendo mau uso do tempo. Acredito que o
problema vem primeiro, e que é preciso que o tempo passe antes que ele possa
ser resolvido. Não vejo o problema e a resposta como simultâneos em sua
ocorrência. Isso acontece porque ainda não reconheço que Deus pôs a reposta
junto com o problema, de modo que não possam ser separados pelo tempo. O
Espírito Santo me ensinará isso, se eu Lhe permitir. E eu compreenderei que é
impossível ter um problema que já não tenha sido solucionado.” Ex Lição 90

"O que não foi perdoado é uma voz que chama de um passado que se foi para
sempre. E todas as coisas que apontam para ele como se fosse real não passam
de um desejo de que o que passou possa tornar-se real outra vez e ser visto
como aqui e agora, no lugar do que é realmente agora e aqui. É isso um
obstáculo à verdade de que o passado se foi e não pode voltar para ti? E
queres guardar aquele instante amedrontador, quando o Céu aparentemente
desapareceu e Deus foi temido e veio a ser feito como um símbolo do teu
ódio?” T-26-V.8

“Esquece o tempo do terror que há tanto tempo foi corrigido e desfeito. É


possível que o pecado enfrente a Vontade de Deus? Pode depender de ti ver o
passado e colocá-lo no presente? Não podes voltar atrás. E todas as coisas que
apontam o caminho na direção do passado apenas colocam para ti uma missão
cuja realidade só pode ser irreal. Tal é a justiça que o teu Pai, que é Todo
Amor, garantiu que tem que vir a ti. E da tua própria falta de eqüidade contigo
mesmo, Ele te protegeu. Não podes perder o teu caminho porque não existe
caminho que não seja o Seu e nenhum lugar a que possas ir a não ser a Ele. T-
26.V.9.

T-26.V.10. “Permitiria Deus que Seu Filho perdesse o seu caminho em uma
tenda muito tempo depois da memória do tempo ter passado? Esse curso só
vai te ensinar o que é agora. Um instante terrível no passado distante, agora
perfeitamente corrigido, não causa preocupação nem tem valor. Permite que
os mortos que se foram sejam esquecidos em paz. A ressurreição veio para
tomar o seu lugar. E agora fazes parte da ressurreição e não da morte.
Nenhuma ilusão passada tem o poder de te manter em um lugar de morte, uma
câmara mortuária em que o Filho de Deus penetrou por um instante para ser
instantaneamente devolvido ao Amor perfeito de seu Pai. E como é possível
que ele seja mantido em correntes que há muito foram removidas e
desapareceram para sempre da sua mente?”

T-30.I.14. “Nós dissemos que podes dar início a um dia feliz com a
determinação de não tomares decisões por tua própria conta. Isso parece ser
uma decisão real em si mesma. E, no entanto, não és capaz de tomar decisões
por ti mesmo. A única questão realmente é: com que ajuda escolhes tomá-las.
Isso é tudo na realidade. A primeira regra, então, não é a coerção, mas uma
simples declaração de um simples fato. Não tomarás decisões por conta
própria seja o que for que venhas a decidir. Pois elas são tomadas com ídolos
ou com Deus. E pedes ajuda ao anticristo ou ao Cristo, e aquele que
escolheres unir-se-á a ti e te dirá o que fazer.”

T-30.I.15. “O teu dia não é ao acaso. Ele é determinado por aquilo com o qual
escolhes vivê-lo e pelo modo que o amigo a quem procuraste para pedir
conselhos percebe a tua felicidade. Tu sempre pedes conselho antes de te
decidires por qualquer coisa que seja. Deixa que isso seja compreendido e
verás que não pode existir coerção aqui, nem justificativas para resistência
para que possas ser livre. Não existe liberdade em relação ao que não pode
deixar de ocorrer. E se pensas que existe, não podes deixar de estar errado.”

T-30.I.16. “A segunda regra, do mesmo modo, não é senão um fato. Pois tu e


o teu conselheiro têm que estar de acordo em relação ao que queres antes que
possa ocorrer. É só esse acordo que permite que todas as coisas aconteçam.
Nada pode ser causado sem alguma forma de união, seja um sonho de
julgamento ou a Voz por Deus. Decisões causam resultados porque não são
tomadas em isolamento. Elas são tomadas por ti e pelo teu conselheiro, para ti
mesmo e também para o mundo. Tu ofereces ao mundo o dia que queres, pois
ele será aquilo que pediste e irá reforçar o domínio do teu conselheiro no
mundo. Quem é o senhor do mundo para ti hoje? Que tipo de dia decidirás
ter?” Regras para decisões.

Amor e Bênçãos no Presente Momento.

A Prece da Serenidade; Nenhum Controle Sobre o Mundo

Este diálogo é uma transcrição do CD de áudio “A Prece da Serenidade /


Nenhum Controle Sobre o Mundo”.
Este diálogo ocorreu entre o Orador e dois participantes numa pequena
reunião.

***************************************

Orador: Esta noite eu gostaria de chegar ao núcleo exato da questão e deixar


tão claro que isto não vai ser uma longa jornada. Eu quero ir direto para o
núcleo para que haja clareza. A primeira coisa que quero fazer é perguntar se
um de vocês dois consegue se lembrar da Prece da Serenidade, porque temos
um livro de 1.200 páginas na nossa frente, mas o núcleo da sabedoria está
contido na Prece da Serenidade. E é disto que nós vamos falar esta noite.

Participante 1: Deus me conceda serenidade para aceitar as coisas que eu não


posso mudar, a coragem para mudar as coisas que eu posso e a sabedoria para
reconhecer a diferença.

Orador: Nós continuaremos a voltar nisso porque isto é a pepita sobre o que o
todo o Curso significa. O Curso é sobre obter a sabedoria para reconhecer a
diferença entre as duas primeiras declarações - as coisas que eu posso mudar e
as coisas que eu não posso... aceitar as coisas que não posso mudar e mudar as
coisas que posso, a sabedoria para reconhecer a diferença. E aí que entra o
discernimento e a discriminação. É aí onde nós realmente queremos entrar
está noite para enxergar as duas primeiras pelo que elas são. Se você consegue
enxergar as duas primeiras pelo que elas são, este é o fim de todo o
sofrimento. Não é mais uma jornada linear se eu realmente consigo obter
lucidez.

Tem uma única sentença hoje que veio tão alta e clara, “Você ainda não pode
ter vontade contra ele e é por isso que você não tem nenhum controle sobre o
mundo que você fez.” Então eu gostaria que vocês apenas dessem uma olhada
por um minuto e vejam o que aparece em torno disso e quais são os seus
sentimentos e o que significa para você... que você não tem controle sobre o
mundo que você fez.

Participante 2: Minha primeira reação é “Ah, NÃO! Isto é uma má noticia se


eu não tenho nenhum controle sobre o mundo que eu fiz”. Então conforme
penso sobre a declaração há mais do que uma idéia de alívio se eu não tenho
nenhum controle sobre o mundo então eu não tenho que ficar tentando
controlá-lo, que não tem sentido tentar controlar o que não é controlável. E
assim eu simplesmente retiro minhas mãos dele, porque não sentido nenhum
manter as minhas mãos lá quando isto é em vão. É uma perda de tempo, um
jogo. Por que eu iria querer por as minhas mãos lá... a minha mente lá?

Orador: ... sua atenção lá. Consegue enxergar quão abrangente é esta
declaração? Que você não tem controle sobre o mundo que você fez. Antes
nós estávamos numa discussão sobre alguém que você achou que estava
falando demais, que seria uma circunstância minúscula que se encaixaria
debaixo deste guarda-chuva do ‘você não tem nenhum controle.’ Consegue
enxergar que isto se encaixaria aí como também todos os problemas
concebíveis relacionados às coisas específicas, ou desejar que as coisas
fossem diferentes do que elas são?
Participante 2: Este era o pensamento que estava tendo enquanto você estava
falando aquilo… que todas aquelas coisas são exemplos de desejar que as
coisas fossem diferentes do que elas são. E se elas fossem [diferentes] então
seria muito melhor.

Orador: Nós passamos uma sessão inteira falando sobre a inquietação que
você estava sentindo. E você lembra que traçamos isso muito cuidadosamente
acreditando que você tinha uma escolha no mundo da forma. Consegue
enxergar como isso abrange aquilo? Você não tem controle sobre o mundo
que você fez, e todo o conceito de ter que escolher entre as coisas,
circunstâncias, eventos e objetos... toda a pressão e luta e até mesmo a
inquietação talvez de querer saber o que fazer depois ou sentir como se você
devesse estar fazendo algo diferente... consegue enxergar como tudo isso se
encaixa no ‘você não tem nenhum controle sobre o mundo que você fez?’

Participante 1: Sim, isto parece mais claro. Mas eu acho que onde eu tenho
estado com a cabeça recentemente é que o controle está na mente, de que
mantendo a minha mente focada na minha intenção, que isto controlará o
mundo. Você entende o que estou dizendo? Ainda existe este pensamento.

Orador: Como ela controlará o mundo? Mesmo que você pudesse focar sua
mente desse jeito, o que você está querendo dizer...

Participante 1: Que o mundo poderia mudar ou que as pessoas poderiam


mudar. Que haveria um reflexo no mundo da mudança na minha mente.
Assim seria o controle que eu teria. O controle viria através da minha mente e
seria refletido fora dela no mundo.

Orador: Se eu acho que o mundo vai mudar de alguma maneira... as pessoas


disseram, ‘conforme eu me torno mais esclarecido, é assim que a evolução do
mundo irá melhorar e se tornar um lugar mais pacifico’. Este seria um
exemplo sutil de acreditar que eu ainda tenho controle sobre o mundo de
alguma forma. Mas está começando a chegar no ponto da Prece da Serenidade
onde você pode ver as coisas que você pode mudar.

Participante 1: Que seria a minha mente, é isso.

Orador: A última sentença no parágrafo [citado anteriormente] “Pois você


realmente tem controle sobre a sua mente.” Afirma isso muito claramente.
Então, enquanto você não tem nenhum controle sobre o mundo que você fez,
você realmente tem o controle sobre a sua mente. É aí que está o controle.
Aquela sentença não fala nada sobre o mundo, nada.

Participante 1: Mas o mundo é a minha mente, então como isto é diferente?


Orador: Quando falamos sobre ‘você não tem nenhum controle sobre o mundo
que você fez’ estamos falando do mundo projetado ou ‘o roteiro’. Você até
poderia dizer que a mente equivocada [pensamentos e o mundo que foi
projetado deles]... que não existe controle sobre isso, mas que existe controle
sobre o propósito que eu dou ao mundo. Estamos fazendo uma distinção clara
entre forma e conteúdo. Quando dissemos que você realmente tem controle
sobre a sua mente, voltamos para chegar no fundo da base e os dois propósitos
na mente [os propósitos do ego e os propósitos do Espírito Santo] e é aí onde
eu tenho do controle porque está é a decisão. Na verdade é a única decisão que
eu tenho. É ainda uma metáfora porque no Céu não existe absolutamente
decisão nenhuma, mas eu não posso estar no estado de ser até que primeiro eu
veja a escolha onde ela está e veja onde eu tenho o controle. Voltando à Prece
da Serenidade, mudando as coisas que eu posso é a mente, porque eu tenho
uma decisão entre esses dois propósitos. Quando se diz, ‘aceitar as coisas que
eu não posso mudar’ estamos falando do ‘roteiro’ ou do mundo projetado.
Uma outra parte do Curso diz, “Não busque mudar o mundo, busque somente
mudar a sua mente em relação ao mundo.” Isto se encaixa muito bem aqui.
Não busque mudar o mundo. Por que? Porque você não tem nenhum controle
sobre o mundo que você fez. É sem sentido e infrutífero tentar mudar algo.
Não há mudança possível.

Participante 2: Então voltando ao que o [1] falou anteriormente, sobre o


mundo ser um reflexo da mente... isto não está implícito de nenhuma maneira
que existe um controle sobre o roteiro. Mas somente que a forma que olho
para isto refletirá no propósito que dou a ele. Se eu dou o propósito do ego ao
que eu vejo, então é isto que será refletido de volta para do roteiro. E deste
mesmo roteiro, o propósito do Espírito Santo será refletido de volta para mim
se é isto que está na minha mente.

Orador: Sim. Então neste sentido o mundo é simbólico ou o representante do


propósito que eu me apego. A única coisa sobre a qual eu tenho controle. Eu
tenho controle é a escolha do propósito que eu dou ao mundo. O propósito do
Espírito Santo, se eu consigo ver que esta é a única alternativa e abraço isso,
este é o Mundo Real. Este é mundo que foi dado um significado
completamente diferente do propósito do ego, pois o mundo é apenas para
reforçar a separação e a culpa. Até mesmo o mundo real não é um propósito
real de certa maneira, pois uma vez que o propósito é alcançado, então isto é
visto como sem propósito. Porque se tivesse um propósito real então ele teria
uma realidade, e o mundo real é uma ilusão também. Mas não estamos
tentando dar início à corrida antes da partida.

Participante 2: Para mim é importante lembrar que o reflexo que volta para
mim… que ele não tem nenhuma existência objetiva. Que tudo depende de
como eu olho para ele. É como se tivesse qualquer coisa separada de como eu
estou olhando para ela. O que estou pensando é sobre o que alguém me disso
recentemente que “Se eu começar a olhar para as coisas de modo diferente, as
coisas não mudariam na forma?” Mas não é nada sobre mudança na forma. É
somente minha percepção, ou a interpretação que estou dando para aquela
forma.

Participante 1: Então é aí que a mudança na forma ocorre.

Participante 2: Sim. Não é uma mudança na forma, mas falamos sobre isso
dessa maneira. Na verdade é uma mudança em como eu estou vendo o roteiro.
Porque o roteiro já está escrito. A mudança na minha mente não muda nada no
roteiro. Só muda a minha percepção do roteiro.

Orador: Agora vocês estão trazendo um outro elemento. Nós só começamos


com uma coisa simples, ‘você não tem nenhum controle sobre o mundo que
você fez.’ Então vocês acabaram de trazer o elemento ‘o roteiro já está
escrito’. E isto parece combinar com o ‘você não tem controle sobre o mundo
que você fez.’ Se o roteiro está escrito, se está no tempo passado, ele se foi e
está feito. Como se muda uma pintura que já está terminada se está acabada e
feita? Como se muda alguma coisa que já acabou? Isto está trazendo o sentido
do tempo. Está é uma das razões metafísicas porque você não tem controle
sobre o mundo, porque ele é todo passado. Lição nº 7, “Eu só vejo o passo.”
Minha mente está preocupada com pensamentos passados. Esses pensamentos
passados estão me mostrando um mundo passado e, portanto, se eu acho que
posso mudar a tela, assim dizendo, ou mudar o roteiro então no que eu
acredito? Acredito que posso mudar o passado!

Participante 2: Ou eu acredito que não é realmente passado, que este é o


presente em vez do passado.

Orador: Sim. E quando é iluminado para nós que estamos vendo através dos
olhos do corpo, que a mente enganada vê o passado, então tentar mudar as
coisas no mundo seria tentar mudar o passado. Esta é toda a base para os
relacionamentos especiais. A mente acredita que ela foi privada. Ela continua
procurando fora dela mesma porque ela continua tentando consertar a tela.
Um outro corpo, um outro relacionamento, um outro carro, uma outra casa,
um outro clima, mais dinheiro, mais ídolos de qualquer forma que sejam. Mas
por baixo está o pensamento de que ‘eu fui privado no passado e acredito que
eu posso concertar a tela ou mudar os conteúdos da consciência e reorganizá-
los de uma maneira que eu possa encontrar um jeito de obter aquilo do que fui
privado.’ Mas não vai funcionar. Isso não vai acontecer, tentar compensar
algo no exato lugar onde a privação parece ocorrer. O único lugar para a
completeza está na mente. O Espírito Santo é a resposta para o que parece que
estou sentindo como uma carência. E de repente todas aquelas seções sobre os
relacionamentos especiais começam a clicar nesta básica metafísica essencial.
Participante 2: Então é uma falha reconhecer que não há privação no mundo.
Que o único vazio ou vaga ou carência de realização está na mente que
acredita que há uma carência.

Orador: E seja lá como você chama isso ‘princípio de escassez’ ou carência ou


privação, este é o propósito do ego. Só há dois propósitos na mente e está tudo
dentro do propósito do ego. E, portanto, a única maneira de aliviar ou
enxergar uma solução para o problema é mudando o propósito da mente. Não
tem nada a ver com o mundo.

Uma outra citação que eu queria dar uma olhada que se encaixa aqui é,
“Somente um propósito constante pode ser dotado de eventos com
significados estáveis.” É claro que é o propósito do ego que faz tudo parecer
des-unido e como eventos separados. Este propósito constante é a linha que
amarra todos os eventos juntos. Realmente o roteiro é uma coisa contínua em
vez de eventos discretos. ‘Eu fiz isso depois e isto aconteceu, então fui lá’...
esta é maneira que se fala quando a mente acredita em tempo e eventos
seqüenciais. Mas uma vez que obtemos o senso de que há este propósito que
amarra todos eles juntos então é onde a fusão ocorre, a fusão entre todos os
eventos.

Participante 1: Fico feliz que estamos olhando para o propósito e expressando


isso no ‘roteiro está escrito’ porque eu notei que o que estou sentindo sobre
isso é, ao lembrar que o roteiro está escrito, isto está fora do fazer tudo junto e
realmente volta como um lembrete para mim que ele está realmente no
propósito. Que o roteiro está escrito. Não há nada que eu possa fazer em
relação a isso.

Orador: As mentes não fazem. As mentes não agem. O Propósito não está no
domínio das ações.

Participante 1: Então toda vez que penso que estou fazendo, eu não estou
olhando para isso do meu propósito. Toda vez que penso que há algo para
fazer ou qualquer coisa relacionada a isso.

Participante 2: Tem toda aquela coisa da escolha aí. ‘Eu faço isso ou faço
aquilo? O que eu devo fazer agora?’ Então eu me esqueci completamente que
isto já foi feito, que o roteiro já está escrito. Está é a pergunta errada, quando
eu pergunto, ‘O que eu devo fazer agora?’

Orador: Gostaria de esclarecer um pouco sobre isso também porque estamos


falando de graus novamente. Se você pega o livro de exercícios e ele diz,
“Espírito Santo, o que você quer que eu faça? Onde você quer que eu vá?”
Alguém poderia ler e dizer, “Do que você está falando?” E quanto à
orientação e prece? E se eu sou orientado a fazer algo, a chamar alguém? Isto
parece ser um fazer. E se eu sou orientado a me mover para um lugar, ou isto
ou aquilo?

Participante 2: Isso não parece assim, que eu estou fazendo uma pergunta tipo
eu não sei o que eu devo fazer. Eu acho que quando a orientação está lá e está
clara, a pergunta não aparece. Isso é tão óbvio.

Orador: Sim, mas nós queremos chegar mais fundo no ponto daquilo que eu
estou falando. Aceitar a Expiação é aceitar um propósito na mente que é um
propósito abstrato. Chegando no ponto de ver a impossibilidade de fazer. Isto
faz lembrar a seção do ‘Eu Não Preciso Fazer Nada’ quando ele fala sobre
mergulhar na sua mente, que o instante não-santo é o tempo dos corpos e que
em nenhum tempo sequer o corpo existiu. Este é o tipo de declaração que
aponta para o que estamos falando, que as mentes não fazem. Que deve haver
uma confusão de nível se eu estou percebendo a mim mesmo fazendo algo;
sentado numa posição por oito horas, saindo e viajando para o campo, falando
ou qualquer coisa sobre que conversamos como metáforas como parte do
plano do Espírito Santo ou professores de Deus. O que nós queremos fazer é
queremos nos mover para o lugar do mergulhar a mente em baixo de todos os
conceitos e nos mover em direção a aceitação da Expiação que, pela nossa
discussão aqui, deve estar ficando cada vez mais claro que este é um
propósito. Que a salvação é um pensamento na mente. Que absolutamente não
tem nada a ver com o mundo. É por isso que recentemente falamos sobre
irmos para o misticismo. Este deveria ser uma outra etapa para começar a ver
que não há nenhum outro lugar para ir, senão o misticismo no sentido de que a
solução está na mente. Ele envolve nossa discussão de ser atraído para o
silêncio para ouvir a voz e aceitar aquele propósito.

Participante 1: Quando você fala sobre isso, isso realmente ressoa para mim e
eu acho que um dos pensamentos que eu tenho é sobre tentar ver como o que
você está falando é consistente com algumas das outras coisas que falamos
sobre fazer. Às vezes quando falamos sobre fazer outras coisas, tem alguma
coisa tipo isso não parece muito certo. Como quando falamos mais sobre os
fazeres, ir lá e vir aqui e fazer isso e aquilo. De alguma forma eu tenho que
ver que é ainda um meio para progredir, toda essa coisa que estamos falando.
Mas eu penso, ‘por que estamos colocando tanta energia e atenção em coisas
que são apenas um meio de progredir?’ Por que não vamos direto à última
etapa, o passo final em vez de passas por todas essas etapas?

Orador: É bom que você tenha tocado neste assunto porque como eu disse, a
coisa toda é para chegar a este esclarecimento. Conforme entramos na última
etapa, deveria haver uma sensação de convite ao silêncio. Tudo que falamos
sobre fazer reuniões e etc, isto tudo é periférico. São todas as etapas para o
progresso. É tudo coisa para a mente que tem resistência ao final. Talvez eu
poderia colocar isso no contexto de mergulhar fundo na mente e se deixar
entrar completamente no silêncio e abrir a mente para a experiência
reveladora que é a última etapa. A pergunta que ouço é ‘Onde a coisa da
percepção, que é ir aos lugares e fazer coisas, se encaixam nisso?’ A melhor
descrição está na parte inicial do Curso onde Jesus fala sobre os milagres e a
revelação onde ele diz que quando a mente está com muito medo da
revelação, com muito medo da luz, milagres são necessários para preparar a
mente para isso. Milagres reduzem o medo, parecem colapsar o tempo. Este é
um milagre de um certo modo, o que estamos discutindo esta noite. Ações
como essas que você faz quando você está no propósito são como
colapsadores do tempo e são preparativos para a mente que está chegando
nisso.

Participante 1: Sim e o que a experiência tem sido para mim é que a


confiança, por causa dos milagres, a confiança se aprofundou. E a atração de
se virar para luz ou em direção a experiência reveladora ou qualquer outra
coisa como você queira descrevê-la... que ela ficou mais atraente conforme a
confiança se aprofunda. Tudo isso é simultâneo. Acontece junto. Então isso
responde a minha pergunta do porque é necessário fazer tudo isso. Não é
realmente necessário, mas é útil para aliviar o medo.

Orador: Eu acho que uma outra forma de expor a mesma coisa que estamos
falando é o jeito que é descrito que os milagres são um meio e a revelação é o
fim. Em primeiro lugar, para chegar ao final, você tem que querer os meios.
Tudo que fazemos quando falamos sobre começar com as coisas específicas e
trabalhar com isso de volta para ‘qual é a minha percepção sobre isso na
minha mente?’ - está sempre voltando ao milagre. E de uma certa forma você
precisa desejar e querer os meios se você vai alcançar o fim. O fim é
aterrorizante para a mente equivocada. Não que a mente equivocada tenha
muita dificuldade com o milagre, mas ela está aterrorizada com o fim. Ela não
quer os meios. Ela preferiria focar nas coisas específicas e no corpo e usar isso
como seu meio para a sua expiação com um ‘e’ minúsculo que realmente é a
morte. O ego tem um propósito para o mundo e os meios para atingir o
propósito dele estão usando as coisas específicas e focando nos específicos e
usando-os para obter o que ele quer. Como as seções sobre orgulho, prazer e
ataque ou para o uso do corpo com o propósito do ego. Por baixo de tudo isso
está apenas para reforçar a separação e perpetuar o sono e proteger o ego. O
lado oposto é: os milagres são os meios para alcançar a revelação. Eles
reduzem o medo. Eles colapsam o tempo e eliminam a culpa. A Revelação é
oferecida. É uma dádiva de Deus, mas é uma questão de estar ciente disso e se
abrir para receber o que já foi dado. Se a mente está muito amedrontada, ela
não vai se abrir. A décima característica de um professor de Deus... que
começa com a confiança que nós mencionamos... e vai até a última
característica que é alcançada é a mentalidade aberta. Isto faz sentido porque
uma vez que o avançado professor de Deus deixou de lado todo o medo e o
ego simplesmente está aberto para receber o que sempre esteve lá que tinha
sido negado.

Uma outra forma que poderíamos falar disso, enquanto existe uma
identificação com o corpo mesmo de uma forma sutil… não necessariamente
a mente acreditando que é um corpo, mas acreditando que está em um corpo e
trabalhando dentro e através de um corpo... ainda existe uma personificação.
Existe ainda uma divisão de sujeito / objeto. Existe ainda alguma
personalidade. Com isso existe o medo da revelação porque a revelação
parece uma ameaça para o conceito do mundo.Enquanto ainda existir uma
crença em personalidade, existe ainda a organização de pensamentos. Uma
pessoa é diferente de um lápis, diferente de uma árvore, ou um carro ou um
tapete. Ainda existe a sensação de que a minha mente está trabalhando em um
corpo e através dele. Então o corpo ainda parece ser muito significativo, mais
significativo do que um lápis. Ainda parece uma ordem de pensamentos. O
corpo não parece apenas uma imagem na tela, parece ser importante. É por
isso que na seção ‘Como se realize a cura?’ no Manual do Professor, Jesus
diz: ‘Primeiro você precisa ver que a doença não tem valor para você.’ O que
isto irá custar? O mundo inteiro que você vê. O corpo nunca mais parecerá ser
aquele quem decide. Você tem que ver que é a mente quem toma decisões.
Enquanto eu acreditar em pessoas, e se eu acredito que eu sou uma pessoa e
existem pessoas separadas com mentes privadas separadas e que cada uma
dessas pessoas parecem ter seus próprios mecanismos de decisões... esta é
uma percepção comum no mundo... isso não pode ser assim porque está
dizendo que o corpo é quem toma as decisões. Está dizendo que figuras
diferentes podem tomar decisões diferentes no sonho e que absolutamente não
é o caso. É a mente. A mente certa é uma decisão e a mente errada é uma
outra decisão. O Céu e o inferno são decisões. Você pode ver que isso está
voltando para a tela quando falamos dos dois propósitos na mente como
decisões versus pessoas tomando ou tendo decisões. Para aceitar a Expiação
você deve ver que é o único nível criativo. É o único lugar onde as decisões
podem ser tomadas.

Bem no final da seção ‘Como se realiza a cura?’ é dito para aceitar isso, a
insignificância do corpo deve ser uma idéia aceitável. Isto se encaixa com o
que estamos falando. Ver que o corpo não é diferente de um lápis. No fim,
para ver que nem mesmo existem objetos separados. Não há nada no mundo
que exista nele e por si próprio por que é tudo uma tapeçaria. Uma ilusão é
todas as ilusões. As ilusões são uma também... o ego, o tronco da árvore e
todos os diferentes galhos são o mesmo.

Participante 2: Então, até mesmo para falar de alguma coisa estando no


mundo por conta própria é insinuar que existe alguma coisa separada da
mente. Senão não haveria essa coisa de estar por conta própria.
Orador: Eu acho que uma das melhores lições do Curso que tenta chegar nisso
são 183 e 184. [da 183] “Invoco o Nome de Deus e o meu próprio.” No quarto
parágrafo lê-se, “Repete o Nome de Deus e nomes pequenos perdem o
significado. Todas as tentações tornam-se coisas inomináveis e indesejadas
diante do Nome de Deus. Repete o Seu Nome e vê quão facilmente esquecerás
os nomes de todos os deuses que valorizaste. Eles perderam o nome de deus
que tu lhes deste. Tornam-se anônimos e sem valor para ti, embora antes de
deixar que o Nome de Deus substituísse os teus pequenos nomes, tenhas
permanecido perante eles em adoração chamando-os de deuses. Repete o
Nome de Deus e invocas o teu Ser, Cujo Nome é o Seu. Repete o Seu Nome e
todas as diminutas coisas sem nome da terra entram rapidamente em
perspectiva certa. Aqueles que invocam o Nome de Deus não podem
confundir o sem nome pelo Nome, nem o pecado pela graça e nem corpos
pelo Filho santo de Deus.” E assim vai até você chegar no último parágrafo,
“Todas as pequenas coisas estão em silêncio. Agora, os pequenos sons são
inaudíveis. As pequenas coisas da terra desapareceram. O universo não
consiste de nada além do Filho de Deus, que invoca o seu Pai. E a Voz do seu
Pai dá a resposta no santo Nome do seu Pai. Nesse relacionamento eterno e
sereno, em que a comunicação transcende de longe todas as palavras e ainda
assim excede em profundidade e altura tudo o que as palavras possam jamais
transmitir, está a paz eterna. Em Nome do nosso Pai, hoje, queremos
experimentar essa paz. E em Seu Nome, ela nos será dada.”

É neste sentido que estamos falando, este silêncio. Qualquer coisa que parecia
ser feita ou qualquer coisa dentro do reino da percepção é apenas para chegar
a este ponto. Não é sobre viajar pelo país e salvar o mundo ou evangelizar o
Curso. Não é sobre alcançar as pessoas, ou corresponder-se com as pessoas ou
ajudar alguém a se esclarecer porque não há mais ninguém. É ter um desejo
ardente de apenas ter o Nome de Deus em mente. Ponto. Está tudo pronto para
aceitar a Expiação. Você não pode aceitar a Expiação até que você consiga
discernir a ‘sabedoria para saber a diferença’, até que você consiga discernir
entre as coisas que você precisa aceitar, que você não pode mudar e as coisas
que você pode mudar. Este é o discernimento entre a forma e o conteúdo.

Participante 2: Este é o fim da confusão de nível.

Orador: Sim, de todas as formas diferentes que estamos falando dela. Este é o
fim da confusão de nível. Tudo isso fala da mesma coisa, de diferentes
ângulos. Mas é tão simples, é a mesma coisa.

[Um longo silêncio]

Está sendo claro com todas as metáforas e com muita psicoterapia e em todas
as conversas e apresentações que fiz, a coisa comum é a metáfora da mente
certa e da mente errada e a aparente vacilação entre as duas. Parece que a
mente pode escolher uma ou outra. Como se houvesse quem tome a decisão.
Mas a claridade é a profundidade de chegar a ver que a mente certa é uma
decisão e a mente errada é uma decisão. Além disso, começar a ver que elas
são mutuamente exclusivas.

Participante 2: Então se elas são mutuamente exclusivas, não pode ser um tipo
de coisa de ‘às vezes’ que permitiria a vacilação. Se uma é real, então a outra
não é. Não há nada mais que isso exceto o que é real.

Orador: Pule o degrau. O topo da escada. Se elas são mutuamente exclusivas,


então não pode ser ambas.
Participante 2: Voltamos para a Verdade é tudo que há.

Orador: A versão que eu li hoje no texto... “A vontade de Deus é tudo o que


há.” Este é o avançado da prática, modo de dizer. Primeiro você olha para
todas as obstruções aparentes e vê que todas as obstruções são uma e então
envolve tudo o que há. A verdade é a verdade e somente a verdade é
verdadeira. Reconhecendo que não há nada causativo no mundo e que não há
nada que possa ser controlado ou mudado no mundo. Absolutamente nada.
Você tem que ter examinado e explorado muito profundamente para ver isso.
Então isto abre caminho para, ‘A verdade é verdadeira e nada mais é
verdadeiro.’ Mas tentar pular para o primeiro sem fazer um exame completo e
chegar ao reconhecimento que não há nada que eu esconderia da luz, nenhum
resto de personalidade...

Participante 2: Sem este exame, a declaração ‘A verdade é verdadeira e nada


mais é verdadeiro’ poderia até ser qualquer coisa senão uma idéia? Nunca
poderia ser uma experiência a menos que se faça o exame de todas as crenças
que estão no caminho dela?

Orador: Isso mesmo. Além do mais este é um Curso que trabalho de baixo
para cima, e não de cima para baixo. E não é apenas um caminho para a
verdade...

Participante 2: É o único caminho para a verdade. Esta abordagem de baixo


para cima.

Orador: Eu diria que uma outra versão para isto seria, ‘Você deve trazer as
ilusões para a verdade.’ Você não pode trazer a verdade para as ilusões.
Superficialmente pode parecer como um atalho e trazer a verdade para as
ilusões. Mas o que você pode ver é que isto não funciona. Produz a ilusão da
iluminação, não a experiência. Pergunte, ‘Na minha mente existe qualquer
imagem que pode ser causativa ou que eu possa ainda controlar?’
Participante 1: Se a verdade é verdadeira e somente a verdade é verdade, então
nada mais daquilo que eu penso é verdadeiro... como eu posso me sentir triste
ou que alguém pode conversar demais (gargalhadas)...

Orador: É uma negação do ‘a verdade é verdadeira.’ Começar de baixo para


cima é se agarrar a intenção de deixar-se conduzir pelo Espírito Santo e tê-lo
orientando isso. É a partida de onde a mente assume o que ela é e o que
presume ser verdadeiro e então descascando a cebola ou dissolvendo a
questão. Isto é verdadeiramente trazer as ilusões à verdade. Isto traz a mente a
um ponto de tranqüilidade onde toda a questão seria dissolvida, uma certeza
onde as questões dissolvem-se na experiência, o silêncio.

Controlando o Corpo - Controlando o Passado

P: Um tempo atrás você escreveu:

“Controle” do peso”, como uma tentativa de “controlar” o roteiro ou o corpo,


é uma tentativa de controlar o passado”

Uau! essa última postagem foi ótima... você pode me ajudar com a linha
acima? Eu gostaria de mais explicações de como isto é uma tentativa de
controlar o passado. Como controlar o corpo é como controlar o passado...

Te amo pacas.

R: Amado Milagre

No Livro de Exercício lê-se a declaração: “O roteiro está escrito.” No início


do Livro de Exercícios Jesus explica que o motivo das lições 1 à 6 serem
verdadeiras por causa da Lição 7 “Eu só vejo o passado.” O roteiro do mundo,
tudo que é percebido com os cinco sentidos, está no passado.

Tudo no roteiro acabou há muito tempo atrás, a mente está revendo isso como
se ainda estivesse acontecendo.

Tentar controlar o peso do corpo é um exemplo de tentar mudar o passado ou


controlar o roteiro. SOMENTE é possível controlar a direção do pensamento
na mente (ex: o pensamento da mente correta é uma escolha que pode ser feita
com uma consistência crescente), porém o roteiro está além da possibilidade
de mudar ou controlar.

O roteiro é como o filme de um projetor. Ele só parece estar atuando, quando


na verdade todas as imagens são o passado. A ilusão ótica do mundo parece
oferecer a habilidade de controlar “as coisas” mas é impossível controlar
alguma coisa que já acabou... está feita.
O corpo é parte de um passado. Como Jesus diz:

“O tempo é um truque, um passe de mágica, uma vasta ilusão em que figuras


vem e vão por magia. Mas há um plano por trás das aparências que não muda.
O roteiro está escrito. O momento em que a experiência vem para dar fim à
tua dúvida já foi estabelecido. Pois nós vemos a jornada apenas do ponto em
que ela terminou, olhando em retrospectiva, imaginando que a empreendemos
novamente, revisando mentalmente o que já se foi.” (Lição 158.4)

A mente pode mudar de idéia sobre ela mesma.

Ninguém tem nenhum controle sobre o mundo. O corpo e o mundo são o


mesmo... o passado.

“O mundo que percebes é um mundo de separação. Talvez estejas disposto a


aceitar até mesmo a morte para negar o teu Pai. Entretanto, Ele não quis que
fosse assim e por isso não é assim. Ainda não podes ter uma vontade contrária
à Sua e é por isso que não tens controle sobre o mundo que fizeste. Não é um
mundo de vontade porque é governado pelo desejo de ser diferente de Deus e
esse desejo não é vontade. O mundo que fizeste é, portanto, totalmente
caótico, governado por “leis” arbitrárias, sem sentido e sem qualquer
significado. Pois é feito de coisas que não queres, projetadas a partir da tua
mente porque tens medo delas. Entretanto, esse mundo está apenas na mente
daquele que o fez, junto com a sua salvação real. Não acredites que ele esteja
fora de ti, pois só reconhecendo onde ele está terás controle sobre ele. Pois tu,
na realidade, tens controle sobre a tua mente, já que a mente é o mecanismo
da decisão.” (T-12.III.9)

Amor & Bênçãos.

Não Busque Mudar o Mundo

O mundo é um espelho dos pensamentos que você pensa que você pensa e a
identidade do que você pensa que é, enquanto a percepção durar. O mundo
nunca irá mudar. Os olhos e os ouvidos do corpo ainda parecerão oferecer
imagens e sons separados - eles continuarão a relatar diferenças. Por esta
razão eles foram feitos, e até que a percepção desapareça completamente eles
continuarão a fazer o que eles foram feitos para no ódio fazer. Porém a mente
curada percebe que nenhum deles são verdadeiros, e assim É possível ver o
mundo de uma Perspectiva Mais Elevada e vivenciar a paz e o mundo
perdoado.

Esta é a meta de Um Curso Em Milagres. Você ainda percebe o mundo, mas


desta Perspectiva da mente certa não há mais nenhuma tentativa de “julgar
entre” o que é o mesmo. Imagens são a mesma, elas não são diferentes. A
Perspectiva do Espírito Santo é realmente diferente da tendência pessoal do
ego, e este discernimento ou treinamento da mente é a meta de todo o esforço
para alcançar a paz interior & a tranqüilidade.

O mundo é como uma máscara que foi feita para esconder a verdade. A
máscara parece se deslocar e mudar, mas não seja enganado pelas aparências -
o mundo nunca irá mudar. Entre na paz e aceita esta simples declaração.
Deixa de lado todas as tentativas de julgar qualquer pessoa ou aspecto do
mundo que você percebe. Deixa de lado o desejo de consertar ou melhorar ou
mudar aquilo que foi feito como um dispositivo de distração para mantê-lo
cego e preocupado. Agora, descanse, pois você foi dado a você sonhos felizes
de uma Nova Perspectiva que certamente espera pelo seu reconhecimento na
consciência.

Não tente complicar um Curso que é simples e óbvio com tentativas de


entender “intelectualmente” o livro como uma coleção de conceitos. O perdão
não é um estudo do ego. O Curso almeja uma experiência do Momento
Presente, o assim chamado conhecimentos e compreensões devem ser
liberados ao Espírito Santo. Aceite que você não sabe nada e assim abra a
mente para um experiência da Nova Perspectiva. Cada milagre dá um
vislumbre da Nova Perspectiva. Lembre-se que nenhum pensamento que o
mundo acredita é verdadeiro, e relaxe na consciência de que o ego não tem
nenhuma contribuição a fazer para a verdade. Nenhuma opinião ou
julgamento específico tem qualquer validade ou valor. Desta Perspectiva
limpa e mente aberta o é mostrado à você Fresco, e é óbvio que o mundo
nunca irá mudar. Mude a sua opinião sobre a sua mente aceitando o Estado de
Inocência & Perfeição Imutável da Mente. Abra caminho para a Visão de
Cristo, Que é a única visão que a para se Ver. A Luz da Compreensão é
Visível para a Vista Espiritual. Não tente “ver” com o corpo ou entender as
imagens. Haverá um tempo quando todas as imagens terão passado e a mente
descansará na Eternidade. Não há necessidade para adiar o que é simples e
natural.

As metafísicas do “Nada real pode ser ameaçado. Nada irreal existe” são
claras e diretas. Aplique as lições do Livro de Exercícios e abstenha-se de
fazer qualquer exceção. Muitos professores concentram-se nos princípios e
palavras e dão pouca atenção à aplicação prática e a transferência do
treinamento. Se você perdoa você deve vivenciar que não existe tal coisa
como perdão parcial. Somente o perdão completo ou a Expiação traz a paz
duradoura. “Não julgue” não é uma injunção para parar de julgar. Pelo
contrário, é um convite à consciência de que o julgamento é sempre
impossível. Você não precisa se desculpar por julgamentos passados, pois ao
compreender que julgamentos são desconhecidos a Deus, ao Amor, você
reconhece que somente o Amor é real e o julgamento é impossível. Quão
Inocente é o Ser que Deus criou na Totalidade & Espírito. Conhecer a Cristo
como a Si Mesmo é inevitável.

Os símbolos e dádivas e as ferramentas do Despertar são percebidos em todos


os lugares uma vez que você tenha aberto seu coração a eles. Eles são livres e
Dados Livremente. Eles vêem com as bênçãos e sem custo ou sacrifício
algum. Eles vêem facilmente ao coração com disposição e a mente aberta.
Não tenha medo do Amor. O Amor vem como um Amigo e o Espírito Santo é
Amigável e Gentil.

Eu venho em Paz.
Eu venho em Alegria.
Eu venho em Amor.
Eu venho em Felicidade.
A Luz chegou. Procure não mudar o mundo. Mude a sua mente sobre o
mundo. O mundo nunca irá mudar.
No Amor de Deus.

O Que Eu Posso Controlar versus O Que Eu Não Posso Controlar

P: Eu ouvi a sua fita “Nenhum Controle sobre o mundo”, e achei que trouxe
muita confusão na minha mente. Anexo um arquivo com mais detalhes da
minha solicitação de esclarecimento.

Quando eu era jovem, eu achava que eu tinha o controle sobre tudo na minha
vida. (trabalho, quem eram os meus amigos, o que eu fazia por prazer e
diversão, o que eu fazia por hobby, etc) eu achava que não tinha controle
sobre a doença, violência dos outros, guerra, acidentes, etc.

Agora estou envelhecendo (52) preciso usar óculos e não consigo enxergar
com eles ou sem eles, minha memória está falhando, minha habilidade para
aprender novas tecnologias ficando cada vez mais difícil, etc. Eu acho que
tenho menos e menos controle sobre a perda das funções, e me encaminhando
para onde minha mãe está - numa cadeira de rodas em um lar. Pareço ter
perdido o controle do declínio humano. Se eu estou entendendo a fita, eu
poderia também aceitar o fato do corpo estar envelhecendo e as funções
estarem esvaindo. A mente estaria pelo menos aliviada da preocupação. Ela
não é tão aguçada quanto era. Não consigo lembrar os nomes das pessoas e
freqüentemente palavras que eu conheço simplesmente fogem, ou vem num
linguajar incorreto.

Apesar das questões detalhadas e a confusão resultante, eu tive uma


visualização clara depois da fita, que a minha vida é como uma pessoa num
tapete. (o tapete que você falou que se enrola quando o tempo tiver acabado)
Então cada decisão que eu tomo no tapete, o tapete se desenrola de acordo
com as decisões. Se eu decido virar à direita, o tapete também vira à direita e
se desenrola na minha frente, e se eu olho para o tapete eu vejo meu
imaginado futuro. Se eu olho para trás no tapete, eu vejo a história do meu
passado. Se eu olhar à esquerda, o tapete prossegue. Quando a minha mente se
des-engaja, e quando ela não mais se vê como parte da pessoa no tapete,
parece que todo o tapete (presente e passado) é realmente um sonho, já que
não está na realidade da mente que antes se identificava com a pessoa. Assim
você diz “isto é passado” porque está fora da intemporalidade. A visualização
também me explicou porque não existe o acaso na realidade... porque tudo
que existe é a Mente, e a mente é ambos o amor e o conhecimento ao mesmo
tempo, então uma vez que se identifica com a Grande Mente, então eles nunca
poderiam ver o acaso que implica ação sem inteligência...
De qualquer forma, tenho certeza que suas sábias palavras irão esclarecer
estas questões, então está é a lição 1 “Como reconhecer o que eu posso versus
o que eu não posso controlar”

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever e compartilhar suas questões e ponderações. Despertar


é simplesmente a clara consciência de que o Estado da Mente (Paz,
Felicidade, Liberdade, Alegria) é verdadeiramente a Responsabilidade do Ser
e a crença (ego) que parecia fazer o cosmos não teve nenhum efeito na
Realidade (A Verdade do Espírito).

Viver no Presente é Estar livre dos limites ilusórios do tempo-espaço. Você


pode controlar a direção do seu pensamento e, portanto, pode alinhar-se com o
Espírito Santo no Presente Momento. Praticar com disposição a habilidade de
escolher o Espírito Santo trará a experiência do Ser, Que está bem além do
conceito ilusório da escolha.

É verdade que nada é ao acaso. O roteiro do cosmos passou num aparente


“instante não santo” e foi Corrigido e Neutralizado pelo Espírito Santo. Flua
com o Amor do Espírito Santo e fica evidente que todas as decisões aparentes
na forma já foram tomadas. Esta é a experiência do sonho feliz do não
julgamento. A prece, a vigilância da mente e o perdão trazem a experiência de
que todas as formas são aparências falsas e passadas, e o que é passado não
pode ser mudado - somente reconhecido como acabado e terminado. O tempo
e o espaço são uma ilusão, e a paz de espírito vem com o instante de que a
ilusão foi perdoada ou liberada.

A Vida é o nosso Espírito Que é Eterno. O corpo só parece declinar e


envelhecer para o ego, a crença no tempo. Seja consolado em saber que o
Espírito Santo irá organizar o tempo e o espaço para os milagres que você
estará compartilhando. Nossa união mostra que o tempo não teve efeitos na
nossa Identidade em Deus. Nada pode mudar o Amor Eterno. O que parece
desvanecer nunca foi Amor, pois o Amor é Duradouro para Sempre.

Continue a se abrir para os milagres que o Espírito Santo oferece. Ouça as


reuniões oferecidas online, reze para a Interpretação Amorosa do Espírito
Santo, e tudo será revelado. O Despertar é um Momento de prontidão e
disposição e na verdade não tem absolutamente nada a ver com o tempo. Dê a
sua mente permissão para descansar e voar alto com a Divindade interna. Os
Milagres oferecem um jeito sem esforço de fluir no momento, e você os
reconhecerá pela Facilidade através das quais eles vêem. Libere todas as
tentativas de controlar as pessoas, lugares e eventos, e observe com o Espírito
Santo. Continue a observar e haverá somente uma experiência de leveza no
coração. Nada mais realmente importa.

Amor & Bênçãos Agora & Sempre

Liberando o vício do ‘controle’

Amado Milagre

Entregar algo ao Espírito Santo é um pulo na fé que abandona a tentativa de


controlar os resultados.

O âmago do alcoolismo, anorexia, bulimia, fumo e inúmeras outras coisas que


o mundo chama de vícios é o controle. O pouco de disposição que o Espírito
Santo pede é a chave para abandonar as tentativas de gerenciar o corpo e o
mundo, que é a tentativa insana de manter a imagem do auto-conceito que
Deus não criou.

Uma idéia do Curso para se contemplar é está.

Procure não mudar o mundo. Em vez disso procure mudar a sua mente em
relação ao mundo.

O que é necessário é mudar o modo de pensar e não focar no comportamento


e na forma. O comportamento flui do pensamento, e a transformação da mente
é o sinônimo da mudança dos padrões de pensamento baseados no ego para os
pensamentos baseados no Espírito.

Controle e julgamento são vícios, e o foco está sempre em liberá-los já que


Deus criou somente a Mente Desperta e essas habilidades sendo ilusões, não
são naturais. O desenvolvimento da confiança no Espírito Santo está lado a
lado com a liberação do julgamento / controle. E se torna cada vez mais
evidente que a confiança resolveria todos os problemas agora.Paz e Bênçãos.

Esclarecendo o Significado do Livre Arbítrio


Livre Arbítrio é um outro nome para a Vontade de Deus, pois ele é
eternamente livre, feliz, pacifico e alegre. O Estado da Mente é Perfeição ou
Realidade ou Verdade. A Vontade é livre em perfeita Unicidade e União, e
esta liberdade é uma característica do Espírito ou Criação Eterna, que é a Luz
abstrata do amor incondicional às vezes relatado nas “experiências à beira da
morte”. Esta Luz é compreensão total e Amor, ou Unicidade. Deus cria
somente Luz e Unicidade. Dualidade é a ilusão do ego.

A escolha não parecia ter surgido até a “queda da Graça” que reflete a crença
de que a separação de Deus é possível. A crença na separação produz o que
parece ser um sonho dualístico do mundo dos extremos e opostos: o cosmos
do tempo-espaço. Essas aparentes “escolhas entre específicos” que são as
“escolhas” comuns do mundo são uma distração da compreensão de que a
escolha do propósito na mente é a única escolha significativa que resta para o
sonhador do mundo dos sonhos.

Ninguém pode servir a dois senhores, e a voz do ego e a voz interior do


Espírito são tão diferentes no propósito como a noite e o dia. Aprender a
discernir entre essas duas vozes, deixar o ego de lado e se alinhar
completamente com a Voz que fala por Deus é a meta da vida, pois a Vontade
de Deus para nós é a felicidade perfeita. A Voz por Deus leva ao despertar do
mundo dos sonhos de medo para a Realidade do Amor Eterno e Unicidade.

O que é necessário para se lembrar de Deus? Nada, na Realidade. Você não


precisa fazer nada para Ser O Que Você É. Se a ilusão do tempo ainda parece
real, qual é a sua única necessidade? Você sabe a resposta... O esquecimento
deste mundo de fragmentação, o perdão das ilusões, a liberação do passado.
Não coloque a sua fé no ego e nas leis do ego sobre a economia, medicina,
nutrição, física, amizades e nas doutrinas, rituais e credos do ego que te falam
que você deve “lutar” para sobreviver. Deixa pra lá a crença que você está
confinado num corpo. Deixa pra lá a crença que você tem um passado ou um
futuro. Observe seus cuidados e preocupações desaparecerem da sua
consciência. Contemple a luz flamejante da sua Verdadeira Identidade em
Deus, imutável e intemporal. A verdade é agora, o presente momento, livre de
todas as restrições e limitações ilusórias.

Ao Despertar para Deus primeiro você terá um sonho feliz, limpo de


julgamentos e queixas. A alegria e o riso substituirá a tristeza e a mágoa. A
mente fica completamente “salva” da crença no erro, e o que era o erro senão
um engano a ser corrigido pelo Espírito Santo, a Resposta interior. Agora é a
hora da liberação, para os sonhos felizes que levam ao Despertar para o Amor,
Luz e Paz Eterna. Seja Bem-Vindo ao Lar! Criança do Deus Vivo!

Uma Prece para Estar em Contato com o Consolador


P: Meu coração está tão cansado e busca consolo. Tenho lido atentamente seu
site há algum tempo e encontrei conforto em seus artigos. Mas ainda preciso
estar ciente do Próprio Consolador. Às vezes eu acho e espero senti-Lo. Tenho
demonstrado a mim mesmo que ELE está aqui comigo mesmo na presença de
muitos outros. Ainda é fato para mim que muitas vezes, eu simplesmente não
sei o que fazer ou o que falar. Eu suponho que ainda não saiba como confiar.
Estou com tanto medo, especialmente ao anoitecer. Pensamentos de
perseguição e ataque assombram a minha mente, muitos deles parecem tomar
forma de oposição em relação à minha pessoa. Pra mim parece que o mundo
não quer o eu quero do fundo do meu coração nas minhas mais elevadas
esperanças, mas estou com medo demais para entender. Oh! Por que eu ainda
resisto???

Estou comovido com o Curso. Estou comovido com a história de Jesus em


Urântia. Estou comovido com as Confissões de Santo Agostinho. E também
estou comovido com a Ciência Cristã ensinada pela própria Maria e seus
antigos seguidores. Parece que, de alguma forma, todos eles apontam em
direção à mesma gloriosa verdade. De algumas formas parece haver
discrepâncias, mas eu posso aceitar que isso deve ser devido a minha
ignorância, e que se eu simplesmente pudesse me amarrar à glória de Deus,
que a ambigüidade desapareceria. E então, freqüentemente eu me pergunto se
quero simplesmente ficar em conflito e lamentar tudo.

Agora sou um estudante na Universidade de Iowa. Freqüentemente estou


amedrontado porque eu não sei o que será do meu futuro. Tudo que eu
acredito e que eu proferiria é totalmente hostil à opinião e crenças comuns. Eu
adoraria um ambiente para questionar essas coisas, mas ninguém realmente
quer isso. Tenho um amigo que está aberto para mim e para o que eu digo,
mas não tenho nenhum apoio em qualquer outro lugar. Não há nenhuma
graduação ou curso oferecido pela Universidade que acredito que eu ficaria
feliz em fazer. Estou interessado em todas e qualquer disciplina, mas
realmente não acredito que poderia simplesmente escolher uma. Eu não acho
que eu seria feliz sendo um padre, pois temo a hipocrisia nas igrejas, e aqueles
que se afastaram da idéia verdadeira e que poderiam atacá-la em nome do
Deus todo poderoso. Essas são as muitas coisas que me enchem de medo.

Eu não te conheço, mas pelo que pude entender, você parece estar em paz e
cheio de esperança para o futuro. Se isso é assim, eu faria qualquer coisa que
você me dissesse. E se o que eu digo não é o que eu quero dizer, então eu
deveria ser testado pela minha insinceridade. Você estudou o Curso
apaixonadamente por dois anos! Meu Deus, que coragem! Não estou jogando
confetes em você, eu realmente admiro isso. Pensei em fazer isso eu mesmo
mas não vejo como, em termos de circunstâncias do mundo, como eu poderia
fazer isso. E nem mesmo tenho certeza se estou pronto para isso. Eu devo ser
ingênuo demais nesse negócio todo. Eu tenho sentido o que eu acho que é paz.
O sentimento é muito forte, poderoso e quieto. Parece até que ocorrem
mudanças físicas. Às vezes, eu vejo pequenas faíscas de uma luz branca e
brilhante. Também tenho tido sonhos interessantes. Às vezes, os momentos
mais perfeitos parecem ocorrer quando eu tenho a certeza que amo alguém.
Um simples sorriso, olhos gentis, e um coração puro que vai tão longe, até o
Infinito! Mas esses momentos são tão raros! Meu coração está cansado...
Deus! estou tão cansado e abatido no caminho dos espinhos.

Li o livro de Mary [Mary Baker Eddy] e estou tão comovido com tudo que ela
diz, mas ao mesmo tempo tenho medo. Eu acredito que ela realmente se curou
fisicamente, e esta não é certamente a lição em si, a parte física parece ser
encoberta na ênfase da mente somente em conexão com aqueles que discutem
o Curso. E enquanto eu sei que isso deve ser o extremo, eu espero que Deus
nos ame assim mesmo e que Ele nos conforte mesmo aqui em nossa falsa
crença que podemos ser levados para fora dela. E este era o lugar que eu
pensei que a cura física tinha no grande esquema das coisas. Todos os meus
conflitos envolvem a minha crença no corpo e que eu sou um corpo, eu acho.
Eu não vejo como alcançar a Deus sem ser aliviado dessas dificuldades
materiais. Eu sinto como se eu estivesse negando o que parece ser tão óbvio,
como se eu estivesse tentando fixar na idéia espiritual e mantê-la apesar dos
sentidos físicos mostrarem justamente o oposto e me declarar um mentiroso.

Eu sei que isto pode ser meio vago, mas eu acho que escrevi tudo que consigo
no momento. Eu sei que você responde as cartas endereçadas a você conforme
você é Orientado, e considerando o quão ocupado você deve estar, quando
você tem tempo.

Atenciosamente e com uma faísca de esperança.

Amado Milagre

Agradeço por escrever e descarregar o seu coração. Você está recebendo o seu
Chamado como muitos estão agora. Os vislumbres da verdade te mostraram
que o nosso Ser não é deste mundo. E você está no caminho certo quando
você reconhece que deve confiar no Espírito Santo para liberar as lamúrias do
passado e temores do futuro. Para você parece haver muitas coisas que te
enchem de medo, mas eu te asseguro que somente o ego teme e um dos medos
do ego é a presente união. Esta união é o Propósito que dissolve o medo para
sempre.

Você trouxe à tona bonitos textos, vídeos, músicas e testemunhas para te fazer
lembrar que você tem um Propósito e que deve abraçar. As situações e
circunstâncias ao seu redor parecerão transformar-se conforme você abraça o
seu novo Propósito. O tempo está nas mãos do trabalhador de milagres, e
Cristo irá arrumar tempo e espaço para favorecer a sua função. Você está
sendo Chamado para fora do pensamento do mundo porque você é a Luz do
mundo. Quando você dá a lealdade da sua mente ao Espírito Santo você retira
a sua fé do ego. É impossível servir a dois senhores que não têm ponto de
encontro. Amor e medo nunca podem ser reconciliados já que um verdadeiro
e o outro é falso. Agora é a hora de ser gentil com você mesmo e cultivar ao
longo de cada gesto de disposição que você dá para o Espírito Santo.
Eu consigo me identificar com os seus sentimentos e crenças em relação ao
futuro no sistema educacional, pois uma vez eu também fui tentado a acreditar
e sentir as mesmas coisas. Você escreveu: “Não há nenhuma graduação ou
curso oferecido pela Universidade que acredito que eu ficaria feliz em fazer.
Estou interessado em todas e qualquer disciplina, mas realmente não acredito
que poderia simplesmente escolher uma.” Isto descreve a minha percepção
durante a maior parte dos 10 anos de estudo universitário que completei. As
práticas e habilidades que você parece desenvolver na faculdade podem e
serão usadas pelo Espírito Santo no Plano do Despertar. Práticas e habilidades
são neutras. É o propósito a que servem que tanto pode vir a libertar a mente
(Espírito Santo) ou aprisioná-la (ego).

Você escreveu: “Estou com tanto medo, especialmente ao anoitecer.


Pensamentos de perseguição e ataque assombram a minha mente, muitos deles
parecem tomar forma de oposição em relação à minha pessoa. Pra mim parece
que o mundo não quer o eu quero do fundo do meu coração nas minhas mais
elevadas esperanças, mas estou com medo demais para entender.”

Bem lá no fundo todos querem o que você quer em suas mais elevadas
esperanças, pois todos devem inevitavelmente conhecer o nosso Criador e
lembrar da nossa Eterna Unicidade. Pensamentos de ataque são as únicas
coisas que ficam no caminho do reconhecimento da Verdade do Espírito.
Seria sábio dar à sua mente um treinamento disciplinar como o do Livro de
Exercícios do UCEM, pois isto irá abrir o caminho da sua função como um
trabalhador de milagres.

A Lição 23 do Livro de Exercícios é: “Eu posso escapar do mundo que eu


vejo desistindo dos pensamentos de ataque.”

A crença de que você pode atacar e / ou ser atacado é crucial no sistema de


pensamento do ego e a tentativa do ego de manter o medo, a culpa e dor. Você
deve reconhecer que pensamentos de ataque nunca servem para trazer paz
para a mente. Se a Paz de Deus é o seu objetivo, pensamentos de ataque
devem ser abandonados. À medida que a sua confiança no Espírito Santo
aumenta você verá que você não precisa de pensamentos de ataque.

A disposição de Despertar deve começar e terminar no seu coração.


Você escreveu: “Eu adoraria um ambiente para questionar essas coisas, mas
ninguém realmente quer isso. Tenho um amigo que está aberto para mim e
para o que eu digo, mas não tenho nenhum apoio em qualquer outro lugar.”

Isto é exatamente como eu me sentia anos atrás, porém eu estava determinado


a persistir em questionar tudo o que eu acreditava porque lá no fundo eu sabia
que tinha que haver um outro jeito de viver. Eu mantive a fé durante todo este
período de questionamento apesar dos pensamentos de dúvidas irem e virem,
de novo e de novo. Eu cheguei à conscientização de que Despertar do sonho
de doença, dor e morte para a Alegria Eterna do Céu era o único Propósito que
valia o meu esforço e energia. Uma vez que cheguei a admitir isso foi fácil
estudar o Curso 8 horas ao dia, pois eu vi nesta devoção toda a minha saída
deste mundo dos sonhos.

Você está concentrando num relacionamento muito, muito direto com o


Espírito Santo. Nunca esqueça disto. Você escreveu: “Tenho demonstrado a
mim mesmo que ELE está aqui comigo, mesmo na presença de muitos
outros.” Sim!!! O Espírito Santo está sempre te Orientando, e a Voz do
Espírito Santo é tão alto quanto a sua disposição de ouvir. Irmãos e irmãs em
todos os lugares estão ouvindo e Respondendo ao Chamado para o Despertar,
o Chamado para a Salvação, o Chamado para a Iluminação. Viajei por muitos
lugares nos últimos 14 anos e posso atestar essas testemunhas do Despertar.
Elas estão em todas as partes, e a sua disposição irá mostrá-las a você assim
como a minha devoção as trouxe à minha consciência. Todas elas são queridas
na minha mente!

Toda a cura está dentro e é da mente, e é útil ser lembrado que você estava
olhando para o mundo através de lentes escuras quando você percebia doenças
e qualquer forma de erro. A mensagem da Expiação é que o passado acabou e
se foi, e que na verdade nunca aconteceu. A remoção do sintoma é só um
reflexo na mudança na percepção, e quando a mente está totalmente alinhada
com a Perspectiva do Espírito Santo não existe a percepção de pessoas,
lugares, coisas, eventos e situações separadas. O pensamento sobre situações
de forma linear era o problema que o Espírito Santo já Corrigiu. A única
tarefa para uma mente adormecida é aceitar esta Correção, e esta é a sua meta
agora. Tempo e Eternidade não podem coexistir.

Você está pronto para se abrir para a sua função Celestial. O Cristo não pede
um currículo espiritual, porém a sua disposição o levará mais adiante do que
você pode imaginar. Não pode ser difícil fazer tudo o que o Cristo designou a
você, pois é o Cristo Quem fará isso através de você, até que o
reconhecimento alvoreça - que Você é Aquele. Se você soubesse Quem
caminha ao seu lado o medo seria impossível. Eu estou sempre com você e
você pode sempre Chamar a Presença do Eu Sou para se unir a você em
qualquer circunstância que você pareça enfrentar.
Meu coração vai até Você Amado Milagre, pois Você é o meu Ser. Nossa
união carrega o poder de Todo o Céu! Confie Nisso e observe os temores do
ego derreterem e desaparecem para sempre.

Em Amor Transbordante.

A Escada da Prece - Cruzando a Barreira para Paz

P: Eu te escrevi no ano passado quando estava desempregado e preocupado


com a minha família. Minha mulher e eu tínhamos enviado o cheque do
aluguel confiando que o Espírito Santo iria prove-lo, apesar de não ter
mencionado este particular. Alguém que lê estas mensagens foi guiado a
oferecer ajuda e arrumei um emprego logo em seguida.

Há alguns meses atrás fui demitido mais uma vez e temos sentido a tensão.
Uma das irmãs lhe escreveu expressando um sentimento com o qual me
identifico. Que é as minhas tentativas de entregar isto ao Espírito fico
relutante em partes porque eu não só não sei o que fazer, eu não sei
exatamente o que ou como rezar nesta situação.

Parece que eu não consigo encontrar um ponto em que eu possa ter paz. Não
consigo rezar por um lugar onde me “encaixe”, porque sei que este não é o
meu lar e que este mundo é uma ilusão. Não posso realmente pedir por um
emprego satisfatório porque eu no despertar acho que nada aqui pode
satisfazer. Ainda assim, gostaria de ser útil e claro há a aparência de ter uma
mulher, três adolescentes, dois cachorros, um gato, as prestações do carro, a
evidente “necessidade” de comer, etc...
Eu realmente entendo que não podemos “pedir o impossível”, que é óbvio que
significa que vamos todos juntos ou não vamos e realmente sinto compaixão
por nossos irmãos e irmãs, mas eu realmente desejo paz. Eu quero ir para
casa. Eu não acho que alguma vez já me senti em casa aqui neste mundo
ilusório.

Eu sempre me senti deslocado de alguma maneira. Também senti que como se


estivesse falhando na vida, desvalorizado e desmerecido, até mesmo
relativamente amaldiçoado.

Tenho tido este bloqueio na minha experiência da paz em relação à aparência


da carência. Então tenho tentado entregar isso ao Espírito e me lembrei da
história dos filhos de Israel que aparentemente foram presos diante de uma
barreira impossível no Mar Vermelho e como um milagre os fez cruzar a
barreira para que pudessem continuar a jornada.

Venho tentando encontrar o emprego certo e vivenciar prosperidade e paz;


para me desencalhar para prosseguir na minha jornada. Ontem à noite não
pude dormir. Quando eu deitei o Espírito Santo me revelou algo. Ele me
mostrou que a minha verdadeira barreira para a conscientização da Presença
do Amor foi o meu não perdão de todas as figuras sombrias na minha vida, os
que abusaram de mim e me abandonaram, eu mesmo por “falhar” e por acusar
a Deus. Eu sei que não posso perdoar isso por mim mesmo. Eu preciso de
ajuda para cruzar este bloqueio para a paz. Eu agradeço o Espírito Santo.
Apesar de ainda sentir um conflito interno eu sei que a fonte da minha culpa /
medo / dor está dentro e também está a minha salvação. Sinto-me como se
estivesse à beira de um precipício e preciso da ajuda do Espírito Santo para
dar o próximo passo.

Apreciaria suas preces e orientação. Também para a minha mulher que


desesperadamente necessita de uma operação da qual não podemos pagar e
meus três lindos filhos que estão por conta própria.

Obrigado meu irmão. Eu não estou com medo. Paz e Amor.

Caro Amado Milagre

Agradeço por abrir seu coração e estar aberto e com disposição para a
Orientação sobre a prece. Você e Janie e a sua família estão em meus
pensamentos e preces.

Agora um pouco sobre Orientação da prece. A prece é desejo. Um coração


que não conhece nenhum tipo de desejo limpou o Altar da mente e deseja que
não haja ídolos diante de Deus.

Não ter desejos é Completeza, e Deus criou o Cristo Íntegro e Completo. Não
ter desejo significa que não há nada para adicionar ou desejar ou querer além
da Perfeição que Deus Dá Eternamente. Desejo único ou unificado é a
Criação, e este é o significado do “Deixe os teus olhos serem Um.”

Cristo Deu a “A Canção da Prece” como Orientação direta sobre o assunto da


prece. Incluirei algumas passagens a seguir para que você refletir, para que
você possa pedir ao Espírito Santo interior por esclarecimentos e iluminação
adicional:

PRECE

A Prece é a maior dádiva com a qual Deus abençoou Seu Filho na sua criação.
Já era então o que deve vir a ser; a única voz que o Criador e a criação
compartilham; a canção que o Filho canta ao Pai, Que retorna os
agradecimentos que ela Lhe oferece ao Filho. Infinita é a harmonia, e infinita
também, é o alegre acordo do Amor que Eles dão Um ao Outro para sempre.
E assim, a criação é estendida. Deus agradece à Sua extensão em Seu Filho.
Seu Filho agradece pela sua criação, na canção em que ele cria em Nome do
Pai. O Amor que Eles compartilham é tudo que toda a prece será por toda a
eternidade, quando o tempo tiver terminado. Pois assim era antes que o tempo
parecesse existir.

Para você que está no tempo por pouco tempo, a prece toma a forma que mais
se adapta à tua necessidade. Você só tem uma. O que Deus criou uno deve
reconhecer sua unicidade e regozijar-se que o que as ilusões pareciam separar
é uno para sempre na Mente de Deus. A prece agora tem que ser o meio pelo
qual o Filho de Deus abandona as metas separadas e os interesses separados e
se volta em contentamento santo para a verdade da união em seu Pai e nele
mesmo.

Abandone teus sonhos, Filho santo de Deus, e elevando-se como Deus te


criou, dispensa os ídolos e lembre-se Dele. A prece irá te sustentar agora, e te
abençoar conforme você eleva o teu coração para Ele em canção ascendente
que tem um alcance cada vez mais elevado, até que ambos - alto e baixo
tenham desaparecido. A fé na tua meta crescerá e te manterá no alto conforme
você sobe a escadaria cintilante até o gramado do Céu e o portão da paz. Pois
isto é a prece, e aqui está a salvação. Este é o caminho. É a dádiva de Deus
para você.

A Verdadeira Prece

A prece é um caminho oferecido pelo Espírito Santo para alcançar a Deus.


Não é meramente uma pergunta ou uma súplica. Ela não pode ter êxito até que
você reconheça que ela não pede nada. De que outra maneira ela poderia
servir ao próprio propósito dela? É impossível orar por ídolos e esperar
alcançar a Deus. A verdadeira prece deve evitar a armadilha das súplicas.
Pede, em vez disso, para receber o que já foi dado; para aceitar o que já está
aí.

Foi dito a você que peça ao Espírito Santo pela resposta de qualquer problema
específico, e que você receberá uma resposta específica se for esta a tua
necessidade. Também foi dito a você que existe apenas um problema e uma
resposta. Na prece isto não é contraditório. Existem decisões a serem tomadas
aqui, e devem ser tomadas sejam elas ilusões ou não. Não pode ser pedido a
você que aceite repostas que estão além do nível da necessidade que você
pode reconhecer. Portanto, não é a forma da pergunta que importa, nem como
é feita. A forma da resposta se for dada por Deus, adequará a tua necessidade
como você a vê. Isto é simplesmente um eco da resposta da Sua Voz. O som
real sempre é uma canção de agradecimento e Amor.
Então, você não pode pedir o eco. É a canção que é a dádiva. Junto com ela
vêm os tons maiores, as harmonias, os ecos, mas tudo isso é secundário. Na
verdadeira prece você ouve só uma canção. Todo o resto é meramente
acrescentado. Você buscou primeiro o Reino do Céu e tudo mais, realmente,
te foi dado.

O segredo da verdadeira prece é esquecer as coisas que você pensa que


precisa. Pedir coisas específicas é a mesma coisa que olhar para o pecado, e
depois perdoá-lo. Também da mesma maneira, em prece você passa por cima
das tuas necessidades específicas conforme as vê, e deixa-as nas mãos de
Deus. Lá elas se tornam tuas dádivas a Ele, pois elas dizem a Ele que você não
tem outros deuses diante Dele; nenhum Amor senão o Dele. Qual poderia ser
a Sua resposta senão a tua lembrança Dele? Isto pode ser trocado por um
pouco de conselho frívolo sobre um problema que dura um instante? Deus
responde somente para a eternidade. Mas ainda assim todas as pequenas
respostas estão contidas nisso.

A prece é uma renúncia; um ‘deixa pra lá’, um tempo em quietude para ouvir
e amar. Não deveria ser confundida com súplicas de qualquer tipo, porque é
uma maneira de lembrar da tua santidade. Porque a tua santidade deveria
suplicar, tendo direito pleno a tudo que o Amor tem para oferecer? E é em
direção do Amor que você vai na prece. A prece é um oferecimento, é desistir
de você mesmo para ser uno com o Amor. Não há nada a pedir porque não
resta nada para querer. Esse nada se torna o altar de Deus. E o nada
desaparece com Ele.

Este não é um nível de prece que todos já conseguem alcançar. Aqueles que
ainda não alçaram ainda precisam da tua ajuda em prece porque, pois o pedido
deles ainda não é baseado na aceitação. A ajuda na prece não significa que um
outro é mediador entre você e Deus. Mas significa que um outro está ao teu
lado e ajuda te elevar até Ele. Aquele que reconheceu a bondade de Deus ora
sem medo. E aquele que ora sem medo não pode deixar de alcançá-Lo.
Portanto, Ele também pode alcançar o Seu Filho, onde quer que ele esteja e
qualquer forma que ele possa tomar.

Orar para o Cristo em qualquer pessoa é a verdadeira prece porque é uma


dádiva de agradecimento ao Seu Pai. Pedir que Cristo seja somente Ele
Mesmo não é uma súplica. É uma canção para dar graças pelo que você é.
Aqui está o poder da prece. Ela não pede nada e recebe tudo. Esta prece pode
ser compartilhada porque ela recebe por todos. Orar com alguém que sabe que
isto é verdadeiro é ser respondido. Talvez a forma específica da solução para
um problema específico ocorrerá para um dos dois; não importa qual. Talvez a
solução chegue para ambos, se vocês estiverem verdadeiramente sintonizados
um ao outro. A solução virá porque reconheceram que o Cristo está em
ambos. Está é a única verdade da prece.
A Escada da Prece

A prece não tem começo nem fim. Faz parte da vida. Mas ela parece mudar na
forma, e crescer com o aprendizado até alcançar seu estado sem forma e
fundir-se em total comunicação com Deus. Em sua forma solicitante ela não
precisa, e freqüentemente não faz apelos a Deus, nem mesmo envolve a
crença Nele. Nesses níveis a prece é meramente um querer que surge do senso
de escassez e carência.

Essas formas de prece ou pedidos que surgem da necessidade, sempre


envolvem sentimentos de fraqueza e inadequação e nunca poderiam ser feitas
por um Filho de Deus que Sabe Quem ele é. Então, ninguém que tem a certeza
da sua própria Identidade poderia orar dessa forma. Porém também é verdade
que quem tem a certeza da sua própria Identidade pode evitar orar desta
maneira. E a prece é tão contínua quanto a vida. Todos oram sem cessar. Peça
e receberá, pois você estabelece o que é que você quer.

Também é possível alcançar uma forma mais elevada de pedidos que surgem
da necessidade, pois neste mundo a prece é reparadora, e assim ela deve
vincular níveis de aprendizado. Aqui, o pedido pode ser endereçado a Deus
com honestidade, apesar de ainda não ter uma compreensão. Um vago senso
da identificação e geralmente instável foi alcançado no geral, mas tende a ser
turvado por um senso de pecado profundamente enraizado. Neste nível é
possível continuar a pedir coisas deste mundo de várias maneiras, e também é
possível pedir dádivas como honestidade e bondade, e particularmente o
perdão para muitas fontes de culpa que inevitavelmente estão por baixo de
qualquer prece de necessidade. Sem a culpa não existe escassez. Os
impecáveis não têm necessidades.

Neste nível também surge aquela curiosa contradição em termos conhecidos


como “orar pelos inimigos”. A contradição não está nas próprias palavras,
mas na maneira em que são geralmente interpretadas. Enquanto você acredita
que tem inimigos, você limitou a prece às leis deste mundo, e também limitou
a tua habilidade para receber e aceitar nas mesmas margens estreitas.
Entretanto, se você tem inimigos você tem necessidade de orar, realmente
grande necessidade. O que esta frase realmente significa? Ore por você
mesmo, que você não procure aprisionar o Cristo e assim perder o
reconhecimento da tua própria Identidade. Não seja um traidor para com
ninguém, ou será traiçoeiro contigo mesmo.

Um inimigo é o símbolo de uma Cristo aprisionado. E quem Ele poderia ser


senão você mesmo? A prece pelos inimigos assim vem a ser uma prece para a
tua própria liberdade. Agora não é mais uma contradição em termos. Tornou-
se uma declaração da unidade de Cristo e um reconhecimento da Sua
impecabilidade. E agora a prece tornou-se santa, pois ela reconhece o Filho de
Deus como ele foi criado.

Que nunca seja esquecido que a prece em qualquer nível é sempre para você
mesmo. Se você se unir a qualquer um em prece, você faz com que esta
pessoa seja parte de você. O inimigo é você, assim como é o Cristo. Antes que
possa tornar-se santa, então a prece se torna uma escolha. Você não escolhe
por uma outra pessoa. Você só pode escolher por você mesmo. Ore
verdadeiramente pelos seus inimigos, pois aqui está a tua salvação. Perdoe-os
pelos teus pecados, e você realmente será perdoado.

A prece é uma escada que chega até o Céu. No topo há uma transformação
muito parecida com a tua própria transformação, pois a prece é uma parte de
você. As coisas da terra são deixadas para trás, todas esquecidas. Não há
pedidos, pois não há carência. A Identidade em Cristo é totalmente
reconhecida, estabelecida para sempre, está além de todas as mudanças e
incorruptível. A luz não fica mais piscando, ela é estável e nunca se apagará.
Agora, sem qualquer tipo de necessidade e para sempre moldada em pura
impecabilidade, que é a dádiva de Deus para você, Filho de Deus, a prece
novamente pode ser o que ela foi feita para ser. Pois agora ela se eleva como
uma canção de agradecimento ao seu Criador, cantada sem palavras, ou
pensamentos, ou desejos vãos, agora sem necessidades de absolutamente
nada. Então ela estende, como ela foi feita para ser. E por esta doação o
Próprio Deus dá graças.

Deus é a meta de todas as preces, dando a prece a intemporalidade em vez de


um fim. Ela não tem um começo, porque a meta nunca mudou. A prece em
sua forma primária é uma ilusão, porque não há necessidade de uma escada
para alcançar aquilo que nunca foi deixado. Ainda assim, a prece é parte do
perdão enquanto o perdão, por si mesmo uma ilusão, permanece sem ser
atingido. A prece está amarrada ao aprendizado até que a meta do aprendizado
tenha sido alcançada. E então todas as coisas serão transformadas juntas, e
retornarão imaculadas para a Mente de Deus. Estando além do aprendizado,
este estado não pode ser descrito. No entanto, os estágios necessários para que
isto seja alcançado precisam ser compreendidos, se é que a paz será restaurada
ao Filho de Deus, que agora vive na ilusão da morte e do medo de Deus.

Orando pelos outros

Nós dissemos que a prece é sempre para você mesmo, e é assim. Então, por
qual motivo você deveria orar pelos outros? E se você deveria, como você
deveria fazê-lo? Orar pelos outros, se corretamente compreendido, vem a ser
um meio de suspender as tuas projeções de culpa do teu irmão, e te
capacitando a reconhecer que não é ele quem está te ferindo. O pensamento
venenoso de que ele <é> o teu inimigo, a tua contraparte maligna, o teu
castigo merecido, isso deve ser abandonado antes que <você> possa ser salvo
da culpa. Para isto a prece é o recurso, de poder crescente e metas
ascendentes, até que ela chegue mais acima até Deus.

As formas primárias da prece, na parte mais baixa da escada, não estarão


livres de inveja e maldade. Elas clamam por vingança, e não por amor. Nem
vêm de alguém que compreende que são apelos para a morte, feitos do medo
por aqueles que estimam a culpa. Elas clamam por um deus vingativo, e é ele
que parece responder por elas. O inferno não pode ser pedido para o outro, e
então escapado por aquele que pediu o inferno. Somente aqueles que estão no
inferno podem pedir pelo inferno. Aqueles que foram perdoados, e que
aceitaram o perdão, nunca poderiam fazer uma prece como essa.
Nesses níveis, então, a meta do aprendizado deve ser o reconhecimento de que
a prece trará a resposta somente na forma em que a prece é feita. Isto é o
suficiente. Daqui, o passo para os próximos níveis será fácil. A próxima
escalada começa assim:

O que eu pedi para o meu irmão não é o que eu teria para mim. Assim fiz dele
meu inimigo.

É evidente que este passo não pode ser alcançado por qualquer um que não
veja nenhum valor ou vantagem para si mesmo ao libertar os outros. Isto pode
ser adiado por um longo período, porque pode parecer perigoso em vez de
misericordioso. Para os culpados parece realmente uma vantagem ter
inimigos, e este ganho imaginário deve partir, se é que os inimigos serão
libertados.

A culpa deve ser abandonada, e não escondida. Isso também não pode ser
feito sem alguma dor, e um vislumbre de natureza misericordiosa desta etapa
pode ser seguida por um profundo refúgio no medo por algum tempo. Pois as
defesas do medo são amedrontadoras por si mesmas, e quando são
reconhecidas trazem seus medos com elas. Contudo, que vantagem uma ilusão
algum dia trouxe a um prisioneiro? Sua verdadeira fuga da culpa pode estar
somente no reconhecimento de que a culpa se foi. E como isto pode ser
reconhecido enquanto ele a esconde em outra pessoa e não a vê como sua
própria culpa? O medo da fuga faz com que seja difícil dar as boas-vindas à
liberdade, e fazer de um inimigo um carcereiro parecer seguro. Então, como
ele pode ser liberado sem que você tenha um medo insano por você mesmo?
Você fez dele tua salvação e tua fuga da culpa. Teu investimento nesta fuga é
pesado, e o teu medo de abandonar isso é grande.

Agora fique quieto um instante e pensa no que você fez. Não se esqueça que
foi você quem fez isto, e, portanto, é você quem tem abandonar isso. Renda-
se. Este inimigo veio te abençoar. Aceite sua bênção e sinta como o teu
coração é erguido e teu medo liberado. Não se agarre ao medo, nem a ele. Ele
é um Filho de Deus, junto com você. Ele não é um carcereiro, mas um
mensageiro de Cristo. Seja um mensageiro de Cristo para ele, para que você
possa vê-lo assim.

Não é fácil reconhecer que as preces por coisas, por status, por amor humano,
por “dádivas” externas de qualquer tipo são sempre feitas para estabelecer
carcereiros e se esconder da culpa. Essas coisas são usadas para metas que
substituem as metas de Deus e, portanto, distorcem o propósito da prece. O
desejo por elas <é> a oração. Ninguém precisar pedir explicitamente. A meta
de Deus é perdida na busca por metas menores de qualquer tipo, e a prece se
torna pedido para ter inimigos. O poder da prece pode ser claramente
reconhecido até mesmo nisso. Ninguém que quer um inimigo irá falhar em
encontrar um. Mas também é certo que irá perder a única meta verdadeira que
é dada a ele. Pense no custo, e entenda bem. Todas as outras metas vão custar
a meta de Deus.

Orando com os outros

Até que o segundo nível, pelo menos, se inicie, não se pode compartilhar em
prece. Pois até esse ponto, cada um pede por coisas diferentes. Mas uma vez
que a necessidade de manter o outro como um inimigo tenha sido questionada
e a razão por assim fazer ter sido reconhecida, mesmo que por somente um
instante, torna-se possível unir-se em prece. Inimigos não compartilham uma
meta. É nesta inimizade que isso é mantido. Seus desejos separados são seus
arsenais; suas fortalezas no ódio. A chave para se elevar ainda na prece está
neste simples pensamento, esta mudança da mente:

Nós caminhos juntos, eu e você.

Agora é possível ajudar em prece, então se eleve. Esta etapa começa a


ascensão mais rápida, mas ainda há algumas lições para aprender. O caminho
está aberto, e a esperança justificada. Porém, é provável que no início, o que é
pedido mesmo por aqueles que se unem em prece não é a meta que a prece
realmente deveria buscar. Mesmo juntos vocês podem pedir coisas, e assim
estabelecer só uma ilusão de uma meta que compartilham. Juntos vocês
podem pedir coisas específicas, e não perceber que estão pedindo por efeitos
sem a causa. E isto vocês não podem ter. Pois ninguém pode receber somente
os efeitos, pedindo uma causa da qual eles não vêm para oferecê-los a ele.

Portanto, mesmo a união não é suficiente, se aqueles que oram juntos não
pedem acima de tudo aquilo que é a Vontade de Deus. Somente desta Causa é
possível vir a resposta na qual todas as coisas específicas são satisfeitas, todos
os desejos separados unificados em um. Orar por coisas específicas sempre
pede que o passado seja repetido de alguma forma. O que foi agradável antes
ou pareceu ser; o que era de um outro e ele parecia amar, tudo isso são apenas
ilusões do passado. O objetivo da prece é liberar o presente da sua seqüência
de ilusões passadas; deixar que ela seja um remédio livremente escolhido para
cada escolha que simbolizou um equívoco. O que a prece pode te oferecer
agora excede muito de tudo o que você pediu antes, que é lamentável ficar
contente com menos.

Você escolhe uma chance recém nascida a cada vez que ora. E você iria
reprimir e aprisioná-la em antigas prisões, quando a chance de se libertar de
todas as ilusões de uma só vez chegou? Não restrinja seu pedido. A Prece
pode trazer a paz de Deus. Que coisa presa no tempo pode te dar mais do que
isto, no pequenino espaço de tempo que dura até esfarelar e virar pó?

Termina a Escada

A prece é um caminho para a verdadeira humildade. E aqui novamente ela se


eleva lentamente e cresce na força, no amor e na santidade. Permita apenas
que ela saia do chão onde ela começa a se elevar para Deus, e a verdadeira
humildade finalmente virá para agraciar a mente que pensou que estava
sozinha e se posicionava contra o mundo. A humildade traz a paz porque ela
não alega que você deve governar o universo, nem julgar todas as coisas como
você gostaria que fossem. Ela deixa de lados os pequenos deuses sem
ressentimento, mas com honestidade e reconhecimento de que eles não
servem.

Ilusões e humildade têm metas tão separadas que não podem coexistir, nem
compartilhar uma moradia onde possam se encontrar. Onde uma surge a outra
desaparece. Os verdadeiramente humildes não têm nenhuma meta exceto
Deus porque eles não precisam de ídolos, e defesas não servem mais como um
propósito. Inimigos são inúteis agora, porque a humildade não se opõe. Ela
não se esconde de vergonha porque está contente com o que é, sabendo que a
criação é a Vontade de Deus. A sua abnegação é o Ser, e é isto que ela vê em
todos os encontros, onde ela se une alegremente com cada Filho de Deus, cuja
pureza ela reconhece que compartilha com ele.

Agora a prece é erguida do mundo das coisas, dos corpos e dos deuses de
todos os tipos, e finalmente você pode descansar na santidade. A humildade
veio para te ensinar a compreender a tua glória como Filho de Deus, e
reconhecer a arrogância do pecado. Um sonho encobriu a face de Cristo e a
escondeu de você. Agora você pode olhar para a Sua impecabilidade. A
escada se elevou. Você quase chegou ao Céu. Há um pouco mais para
aprender antes que a jornada seja completa. Agora você pode dizer a todos
que vem se unir a você em prece:
Eu não posso ir sem você, pois você é uma parte de mim.
E assim ele está na verdade. Agora você pode orar somente por aquilo que
você verdadeiramente compartilha com ele. Pois você entendeu que ele nunca
partiu, e você, que parecia sozinho, é um com ele.

A escada termina aqui, pois o aprendizado não é mais necessário. Agora você
está diante do portão do Céu, e teu irmão está ao teu lado aqui. O gramado é
extenso e silencioso, pois aqui, o lugar indicado para o momento em que você
deveria chegar te esperou por muito tempo. Aqui o tempo acabará para
sempre. Neste portão a própria eternidade se unirá a você. A prece se tornou o
que deveria ser, pois você reconheceu o Cristo em você.

À medida que o Altar da mente é limpo, liberto do desejo do impossível, a


Memória de Deus retornará à consciência. Libere o passado, pois ele se foi.
Não busque mais repetir o que já acabou. A prece pelas coisas específicas
pede que o passado seja repetido de alguma forma que a mente acredita ser
desejável. O não-desejar é o Presente Momento, este Instante Santo.

Fique Contente com o Que é Real e Verdadeiro para sempre. Deus Oferece
somente Amor.

Amor e Bênção para todo o sempre.

Prece: Limpando o Altar do Coração

Saudações Amado Milagre

Neste mundo passado, o mundo do tempo e espaço linear, freqüentemente


acreditava-se que as preces eram petições, solicitações ou questionamento.
Senhor conceda me... Senhor eu peço que… Por favor, Senhor, eu Lhe aceno
para que… É como se existisse um Poder (lá em cima) ou (lá fora) ou (à parte)
que olhava para baixo e cuidava do mundo - um Poder Que às vezes tinha a
habilidade de conceder desejos e favores aos seres humanos. Também parecia
haver casos em que as preces não eram sempre atendidas. Esta visão não
poderia evitar ver Deus como instável e inconsistente ou, muito
estranhamente, um Ser que era capaz de ter favoritos. Estes são os conceitos e
percepções de prece que surgem de uma fidelidade ao ego, na crença
impossível da escassez e falta. Eram somente testemunhas de uma falsa crença
e assim nunca foram exatos ou verdadeiros. Porém há uma outra maneira de
ver a prece.

A verdadeira prece é um caminho de volta ao reconhecimento do Reino do


Céu. A verdadeira prece é uma abertura ou limpeza do coração - o retorno à
pureza ou singularidade do desejo. Pois a prece É desejo e assim sendo, a
prece é contínua. A prece nunca começa ou pára e ela nunca é forte ou fraca,
sincera ou insincera. Nunca se está ausente da prece ou do poder da prece.
Como a fé, a prece pode ser mal aplicada, ainda assim esta ilusão só pode
atestar o poder da mente pela qual a ilusão foi criada. Apenas olhe para o
cosmos do tempo-espaço. Uma crença na separação pode parecer ter feito um
“Big Bang” literalmente do nada. Como se costuma dizer, “cuidado com o
pedes em prece, pois a preces SÃO atendidas.”

“A prece é um caminho oferecido pelo Espírito Santo para alcançar a Deus.


Não é meramente uma pergunta ou uma súplica. Ela não pode ter êxito até que
você reconheça que ela não pede nada. De que outra maneira ela poderia
servir ao próprio propósito dela? É impossível orar por ídolos e esperar
alcançar a Deus. A verdadeira prece deve evitar a armadilha das súplicas.
Pede, em vez disso, para receber o que já foi dado; para aceitar o que já está
aí..”

A prece é na verdade a meditação do coração. Como a visualização é a


imaginação que parece nascer da crença, a crença é o tufo da crença ilusória
do ego que surge da prece e é alimentada pela prece. O Céu, propriamente
dito, está além da crença, pois Deus só pode ser Conhecido. A prece é a
energia de Deus. No Céu a Prece é a Canção da Gratidão que ecoa para
sempre como a Eterna Unicidade da Criação. No tempo-espaço, a prece é a
energia que infunde a crença de todas as aparências e poderes. A Prece esta
por Si Mesma no interior do Silêncio Divino, em Que o Amado de Deus
descansa em paz. O Coração Que é Uno não tem divisões, pois não há nada
diferente dele.

“A prece é uma renúncia; um ‘deixa pra lá’, um tempo em quietude para ouvir
e amar. Não deveria ser confundida com súplicas de qualquer tipo, porque é
uma maneira de lembrar da tua santidade. Porque a tua santidade deveria
suplicar, tendo direito pleno a tudo que o Amor tem para oferecer? E é em
direção do Amor que você vai na prece. A prece é um oferecimento, é desistir
de você mesmo para ser uno com o Amor. Não há nada a pedir porque não
resta nada para querer. Esse nada se torna o altar de Deus. E o nada
desaparece com Ele."

A verdadeira prece aceita “O Que É”. “O Que É” permanece para sempre


imutável como uma Dádiva de Deus.

A Criação é Eterna, e a Vontade de Deus é a Felicidade Perfeita,


Agora
e
Sempre.

A Totalidade é completa e total, e não há nada para ser desejado na Totalidade


de Deus.
Não há nada para se “obter” na Realidade do Todo.

A Presença do Eu sou é literalmente o Reino do Céu... do Qual nada pode


estar ausente.

Não é fácil reconhecer que as preces por coisas, por status, por amor humano,
por “dádivas” externas de qualquer tipo são sempre feitas para estabelecer
carcereiros e se esconder da culpa. Essas coisas são usadas para metas que
substituem as metas de Deus e, portanto, distorcem o propósito da prece. O
desejo por elas <é> a oração. Ninguém precisar pedir explicitamente. A meta
de Deus é perdida na busca por metas menores de qualquer tipo, e a prece se
torna um pedido para ter inimigos.”

A crença no tempo linear É a crença na falta. A crença no tempo linear é a


crença no “busque e NÃO ache”, ou como a canção diz, “procurando pelo o
Amor em todos os lugares errados.”

A Eternidade e o tempo não podem co-existir. Um é real o outro não.

Uma é Inocência Eterna, e a outra é a ilusão da culpa.

Como a inocência poderia ser achada na culpa, ou o amor encontrado no


medo?

E como o Espírito poderia ser encontrado numa série de imagens, seqüenciada


e organizada em uma linha?

O Amor Divino, Cristo, é a Herança do Amor Divino, Deus e não pode ser
encontrado nas coisas específicas do tempo-espaço. O Instante Santo Chama.
A experiência do Agora é a Resposta.

“Orar por coisas específicas sempre pede que o passado seja repetido de
alguma forma. O que foi agradável antes ou pareceu ser; o que era de um
outro e ele parecia amar, tudo isso são apenas ilusões do passado. O objetivo
da prece é liberar o presente da sua seqüência de ilusões passadas; deixar que
ela seja um remédio livremente escolhido para cada escolha que simbolizou
um equívoco. O que a prece pode te oferecer agora excede muito de tudo o
que você pediu antes, que é lamentável ficar contente com menos.”

Ore verdadeiramente Santa Criança de Deus: Santo Criador de Mim, qual é a


Sua Vontade para Mim. Amada Criança, Sua Vontade é Minha, Una para
sempre. Você foi criada para a Felicidade Perfeita na Eternidade, e permanece
assim para sempre.

“Você escolhe uma chance recém nascida a cada vez que ora. E você iria
reprimir e aprisioná-la em antigas prisões, quando a chance de se libertar de
todas as ilusões de uma só vez chegou? Não restrinja seu pedido. A Prece
pode trazer a paz de Deus. Que coisa presa no tempo pode te dar mais do que
isto, no pequenino espaço de tempo que dura até esfarelar e virar pó?”

Não devemos nos contentar com a pequenez do tempo-espaço. Não devemos


pedir aquilo que nunca irá contentar a nossa Mente Santa. Bem aventurados
são os puros de Coração, pois...

Você Sabe o Resto!

Crenças tolas caíram do altar interior da prece Agora, varridas pelo Vento da
Eternidade. A Luz está livre para irradiar totalmente sem obstrução. Um
coração livre da perseguição de ídolos é um Coração Que ama o Senhor Teu
Deus com todo o Seu Ser. Meu Coração habita para sempre com Deus.
Amem.

Amor e Bênçãos, Eterno Milagre.

Deus é uma Idéia Pura assim como é Cristo

P: Eu moro na Austrália. Continuo a ler o seu site do despertar com grande


interesse, freqüentemente ele é muito útil e muito apreciado. Eu notei que
parece que você não julga o ego, o pelo menos o ego fica no ‘banco de
reservas’ nos seus artigos.

Os outros sites o enfatizam totalmente diferente. Numa postagem recente, foi


colocado este ponto: Se você acredita que você sabe o que é o Amor, e que
você mesmo pode perdoar, ou você tem algo que os outros não têm e você
pode dar isso a eles (como o amor) você está acreditando que você é Deus.
Enquanto você achar que o mundo é real e o corpo está vivo você acha que
você é Deus. Para mim, isto parece que não podemos ir além da falsa idéia de
Deus não podemos ver sem o ego.

Quando eu li o Curso pela primeira vez, Deus desapareceu por completo. Eu


me vi dizendo que Deus não existe. Então enquanto estamos aqui não
podemos conhecer a Deus. Então enxergamos Deus como uma invenção? O
Curso diz que até mesmo Deus é uma idéia. Os antigos Gnósticos
costumavam ter a opinião que quando alguém transcendeu então esse alguém
vê que você é AQUILO. Na minha forma de pensar, AQUILO é a nossa
essência. Nos tornamos Deus. “Amor é o que você é”. Primeiro passamos por
vários estágios até que agarramos AQUILO. Mas nós sempre somos AQUILO
(quando o ego está fora do caminho). De acordo com a postagem acima, é ser
arrogante pensar desta maneira? Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
O cachorro correndo atrás do próprio rabo.
Bênçãos por todos os seus estímulos

R: Amado Milagre

O perdão clareia o caminho para a lembrança de Deus, então este é sempre o


foco. Até que a mente libere os erros do ego, o medo de um “deus” de faz de
conta está profundamente enterrado na mente inconsciente. Desta maneira é
necessário o perdão ou a liberação do todo o sistema de crença do ego antes
que a Memória do Amor de Deus possa retorna completamente para a
consciência.

Deus é uma Idéia Pura assim como é Cristo. Quando a mente está vazia de
falsos conceitos e falsas crenças, a Idéia Pura permanece - Eterna e Perfeita.

“Eu sou como Deus Me criou” é uma outra maneira de dizer que Amor é o
Que Você é.

Sou grato pelo site estar sendo útil para você. Agradeço por escrever e espero
te ver logo.

Amor sempre.

Abrindo-se para a Experiência Além da 'Manifestação'

P: Qual é a sua orientação em relação à mágica da manifestação?

Desde que me tornei consciente do sonho e de mim mesmo como o sonhador,


pareço estar vivenciando um período de falta após 40 anos sem nunca parecer
ter vivido um estilo de vida sem conforto neste mundo.

Não muito tempo depois de iniciar o UCEM senti-me guiado a voltar a me


aproximar da minha antiga família e então vivenciei um período de desilusão
onde tentei ‘voltar’ para minha antiga ‘vida’ com um emprego e contato
regular com a minha ex-esposa e minhas duas filhas tentando praticar o
conceito do curso “você pode ser feliz onde quer que você esteja”. Não
vivenciei muita alegria nos 6 meses seguintes e em Setembro fui levado a me
lançar de novo e me uni a um afetuoso grupo de irmãos e irmãs em Israel para
fazer o caminho dos passos do amado mestre, Jesus.

Usei a palavra ‘lançar’ porque isto foi o que eu senti naquela época. Eu me
senti revitalizado, entusiasmado e confiante após o ‘gesto simbólico’ de ser
presenteado com os custos da viagem para Israel como um sinal de que eu
estava pronto para abraçar as lições que tinha aprendido sobre mim mesmo e o
sonho de me ‘lançar’ no meu próprio ‘ministério’ de algum tipo, com tudo que
eu precisava sendo fornecido pelo Espírito Santo.
Tenho ouvido você falar de manifestação como “mágica” e que é meramente
uma maneira de mostrar para as pessoas que elas não são vítimas e que a
mente é verdadeiramente poderosa. Porém, conforme você e o curso dizem,
este mundo não é real! E qualquer manifestação é simplesmente mais sonho e
não quero prolongar o sonho (na minha mente errada que é, como sabemos o
sonho acabou tão rapidamente quanto começou!) por um segundo mais que o
absolutamente necessário.
Confio a minha orientação a você como sou inspirado não só pelas suas
palavras, mas também pela sua presença e ser. Eu acho que o que estou
perguntando é, você vê isso como uma etapa necessária no desenvolvimento
espiritual aprender as habilidades necessárias da manifestação? Ou de alguma
forma consigo aprender a deixar pra lá qualquer vínculo ao dinheiro (e a
aparente segurança que ele parece oferecer) e me render a abundância do que
eu realmente sou sem vivenciar o conceito da manifestação. E, se esta segunda
etapa é possível, como é isso neste mundo?

Eu quero ajudar meus irmãos a despertar, quero cumprir a minha única função
e propósito neste mundo e isto está trazendo medo e sensação de limites e
controle. O que posso fazer para aliviar esta transição e liberar o medo com
dignidade?

Sempre com amor e gratidão.

R: Amado Milagre

O melhor indicador da conexão com Deus é saber como está se sentindo, e


este indicador é o melhor porque ele não é dependente de nenhum “resultado
na forma” em particular.

Uma mente que olha para “os resultados na forma” é enganada e não
vivenciará uma Paz duradoura. O estado da mente (como alguém está se
sentindo) É o resultado do sistema de pensamento com qual se está alinhado
(Deus ou ego). Tal é o caso da ‘manifestação’ do dinheiro, habilidades e
recursos e coisas. Dinheiro, por exemplo, é nada. Se uma mente acredita no
ego (crença na carência/ reciprocidade), o dinheiro é dotado com um falso
valor. A crença na carência/ reciprocidade é a crença na substituição, pois o
ego é o “substituto” escolhido para tomar o lugar da Fonte, de Deus.

A razão pela qual o dinheiro parece valoroso é porque parece ser altamente
permutável por muitas “coisas” que vem de encontro com as necessidades
ilusórias, sejam elas emocionais, físicas ou espirituais. Como o remédio, o
dinheiro é como um feitiço mágico do mundo que parece fazer com que
problemas ilusórios desapareçam por algum tempo. Porém até que o ego tenha
sido inteiramente liberado, a mente percebe necessidades externas, e externo
significa (fontes falsas) para vir de encontro com as necessidades percebidas.
Tudo se resume a isso: deve-se aceitar o Único Ser como Imutável Mente
Divina. O único passo para isso é reconhecer que o mundo não pode mudar,
pois ele é um efeito irreal de uma causa irreal. O mundo NÃO PODE mudar.
Pedir para que as coisas sejam diferentes do que são é um pedido impossível.

Dinheiro, como todos os efeitos (imagens do ego) nunca é uma fonte. O


pedido significativo é um pedido para ver o mundo de uma forma diferente
(como um efeito irreal de uma causa irreal) e assim aceitar o Fato de que só há
uma Única Fonte. Deus é a ÚNICA Fonte. A única questão / problema /
confusão é a da identidade e não tem absolutamente nada a ver com dinheiro.
A confiança resolveria todos os problemas agora, pois confiar é ser
dependente de Deus. A inversão de pensamento necessário para reconhecer a
dependência de Deus é uma virada de 360 graus por assim dizer, e isto
significa o reconhecimento de que não há nenhuma relação entre causa / efeito
neste mundo que sejam verdadeiros.

Se todas as imagens (incluindo dinheiro) são efeitos, não há causa ou fonte


para ser encontrada neste mundo. Deus é a Fonte Verdadeira e Cristo o Efeito
Verdadeiro. Portanto, o segredo da verdadeira prece é esquecer as coisas que
você acha que você pensa e acha que precisa, retirando a fé no temporal e
transitório. O que é eterno é valioso, assim como o que é do tempo é sem
valor por definição. Em relação a este mundo, o Propósito é o único “valor”
que pode ser dado fé, se for dependente de Deus.

Dar e receber são uma única coisa. Sempre se recebe EXATAMENTE o que
se pede. O problema ou confusão que alguém parece vivenciar na percepção
surge da crença na “manifestação”, que É a crença no “tempo”. A Eternidade
não se manifesta, Sendo Única para sempre. Manifestação é a experiência de
perdoar a ilusão da “manifestação”, pois o Que a Identidade É, é Espírito.
Cristo não vem na forma, mas te Chama “para fora deste mundo” para
reconhecer o seu Ser como um Espírito Eterno.

Há uma disponibilidade para liberar a idéia da manifestação para sempre e


vivenciar a Paz da Mente? Isto é o mesmo que perguntar “Você está disposto
a aceitar o seu Ser como Deus Te Criou em vez de tentar se criar?” A crença
na manifestação pode ser liberada, pois ela não é verdadeira. O Espírito pode
e inevitavelmente deve ser aceito, pois Ele é verdadeiro. A crença no tempo
linear é um defesa contra o Instante Santo, pois o tempo é somente a negação
da Eternidade.

Amada Criança de Deus, Você foi liberado dos mágoas do tempo e não há
nenhum atraso naquilo que Seus pensamentos criam instantaneamente e para
sempre. A crença no tempo e manifestação é uma indisponibilidade para a
Resposta Instantânea do Agora, e só se recebe o que se está disposto a ouvir e
ver.
Quando se pede por um sinal ou um resultado ou responsabilidade por
dinheiro doado, pede-se erroneamente, pois é um pedido que vem da falta.
Quando se libera voluntariamente as crenças na manifestação e no tempo,
então se pode perguntar honestamente: “Deus, qual é a Sua Vontade para
mim?” A prece é sempre respondida de acordo com o que a mente está
disposta a receber. E na prece mais profunda do coração você reconhecerá o
que significa a declaração “Meus pensamentos criam eternamente.”

Há uma diferença entre criar e fazer, e uma diferença entre extensão e


projeção. O Amor cria, o ego faz. O Amor estende, o ego projeta. No Amor
ser e ter são a mesma coisa. Para o ego, possuir e ter são a mesma coisa e num
mundo de carência o que você obtém é o que você tem. Quão totalmente
impossível é manifestar / obter e quão absolutamente verdadeiro é Criação /
Dar.
Reciprocidade é uma questão de identidade. A confiança é a saída para falsa
crença em uma identidade do mundo. É preciso confiança para mudar a sua
mente completamente para que você esqueça os conceitos do tempo e
manifestação para sempre. E felizmente só é necessário disposição, e não
tempo.

Se você largar inteiramente o “processo do pensamento” você abrirá caminho


para a Visão de Cristo. Se este for o seu desejo, o mundo dos efeitos irreais
serão mostrados como sendo sem causa e você irá dar risadas dos
pensamentos de que o dinheiro ou qualquer imagem poderia ser uma “fonte”
real ou que a Santa Criança de Deus “precisa” de qualquer coisa. Os
pensamentos reais criam eternamente, porém nenhum pensamento do passado
ou do futuro são pensamentos reais. A Quietude do Agora é a Resposta.

O Espírito Santo irá orientar seus pensamentos e ações muito especificamente


se você O seguir. Entregue todos os conceitos de dinheiro e manifestação e
tempo para Ele usar para o Seu Propósito, e estes conceitos serão removidos
da sua mente Santa. Pois Você é Mente Íntegra e nada do mundo nunca
poderá SER compreendido. Quem Você é, É o Significado.
Agora tudo é muito, muito simples. Eu não faço exigências, nunca cobrei
qualquer taxa por qualquer coisa que compartilho, não comando ou confronto,
vivo em completa Providência Divina em tudo sem exceção, vou somente
quando e onde sou convidado conforme Orientado, não tento convencer
ninguém ou tento mudar a mente de ninguém, sou completamente filiado ao
Espírito e completamente des-afiliado a qualquer coisa ou qualquer pessoa ou
qualquer ‘organização’. Vivo o Presente Momento e deixo o Espírito Dar tudo
que vivencio.

Chamo isso de dependência de Deus. Funciona. Também é necessário muito


treinamento da mente para ouvir uma Única Voz, a Voz que fala por Deus. Os
benefícios são imediatos e maravilhosos.
Estou com você por todo o Caminho amado Milagre.

Sobre Sonhos - Eles são Ídolos?

P: Seu e-mail de alguns dias atrás chamou minha atenção. Tenho lido e relido
algumas vezes e provavelmente irei reler muitas vezes mais antes que possa
compreendê-lo totalmente.

Receio estar chegando a um ponto na minha vida que gostaria muito, de todo
o coração gerar algumas belas sementes ou pelo menos uma das sementes.
Este é um dos meus sonhos. Agora pareceria bem inútil produzir um sonho
como um livro de alfabeto, Um Livro de Alfabeto de Entrevistas para
Crianças.

Sonhos também são ídolos? Muitos aspectos, de fato quase todos os membros
sustentadores e não sustentadores da minha vida, da maneira que costumavam
ser, estão rapidamente despencando. Todas as escoras estão sendo tiradas.
Estou me estressando e de tempos em tempos entro na ansiedade de como será
a minha futura vida pessoal. Estou morando numa casa que necessita de
rendimentos para mantê-la. Há muita coisa para ser feita na casa para tê-la
pronta para ser vendida. Se for vendida, então posso continuar com um sonho
de peregrinação, e pular fora do sonho de viver em uma casa e trabalhar no
projeto do livro para crianças e algum trabalho de arte e de vez em quando
participar de atividades em Curso Em Milagres ou outros caminhos espirituais
que me levam para Casa.

Agradeço por me permitir tomar este tempo e escrever para você.

Seu amigo “Eu sou como Deus me criou”.

R: Amado Milagre

Muito obrigado pelo seu honesto e sincero e-mail. Você está na ponta extrema
da compreensão de que sonhos específicos do ego não significam nada e o
perdão, a Perspectiva do sonho unificado oferecido pelo Espírito Santo é Tudo
em termos de percepção do mundo. Sim, a experiência espiritual que traz o
Despertar requer uma liberação ou abandono, incluindo todos os sonhos
específicos e metas específicas.

A Abstração Chama, e aqueles que têm ouvidos para ‘ouvir’ e olhos para ‘ver’
Respondem o Chamado com alegria. O mundo da familiaridade do ego
começa a se dissolver e se desmanchar na consciência conforme você entra
nos domínios que os místicos e santos e sábios falam há séculos. Sua
confiança no Espírito Santo se fortalece à medida que você retira a fé do ego e
do corpo e dos cinco sentidos que o ego fez para reforçar seu erro da
separação.

Eu te amo muito. Você não está sozinho Amado Milagre, apesar do ego que
está se dissolvendo querer que você acredite e pense e sinta e perceba que
você está. Estou sempre com você, mais próximo do que a respiração que
parece dar vida à figura do sonho. Nosso Consolador está sempre Presente,
nos lembrando que os sonhos do aparente medo e culpa e isolamento estão
quase no fim agora, e se transformarão em sonhos felizes do não julgamento
através do perdão das ilusões e o não apego à forma. O único ‘resultado’
valioso da nossa Mente Santa é a paz, e isto é independente da forma. Não dê
atenção às testemunhas do ego, pois imagens falsas parecem reais (ex: a
fofoca do mundo) não pode escondê-lo do Despertar a menos que este seja o
seu desejo. Nada acontece por acaso.

Relativamente, muitos poucos parecem estar prontos para liberar a ilusão


completamente e aceitar a Expiação. Isto foi escrito como um símbolo não
para ser desencorajante quando você olha para as imagens do mundo. O Plano
da Salvação é sempre agora e sempre é simplesmente o Momento de Graça
que você vivencia esperando pelos seus pneus de neve serem montados. O ego
quer se unir a ‘jornada espiritual’ com suas metas de sucesso econômico,
prosperidade material e pessoas especiais chamadas ‘família’ seja uma família
‘biológica’ ou ‘étnica’ ou ‘espiritual’. O ego julga contra Aquele e aqueles
que não apóiam suas metas e resultados na forma. Porém não há metas ou
resultados na forma que não se dissolverão instantaneamente na Luz da Paz
quando não forem mais valorizados.

Eleve-se em Amor dando prioridade ao completo perdão para tudo que o


mundo do ego parece oferecer. Ninguém que reconheça a Verdade pode ser
associado ou afiliado a qualquer tipo de sonho específico ou símbolos do
mundo. A Verdade, Sendo Presente, não pode ser organizada na forma. O
Amor, Sendo Abstrato, não pode ser objetivado ou focado nas pessoas,
lugares, eventos, coisas, grupos ou organizações. Deixa todos os projetos da
forma dar caminho ao Propósito, para a aceitação da Expiação. Tudo já foi
realizado, então Assista o sonho na Felicidade com o Espírito Santo e deixa
todas as coisas serem exatamente como elas são.

Viva na Integridade. Se você se sentir em desacordo com a Harmonia do


Presente, deixa pra lá os pensamentos do futuro. Sinta a Paz da nossa Mente
Santa bem Agora, a Mente que é compartilhada com Deus. A Graça é
vivenciada quando a mente deixa de tentar controlar qualquer coisa no mundo
da forma.

Lembre-se: Na Paz eu Vivo. Na Graça eu sou liberado.


Você está sempre em meu Coração, Amado de Deus.

Chuvas de Graças.

A Escada da Prece 02 - Mais sobre Manifestação

P: Como eu só comecei minha jornada de volta da subida da escada,


obviamente existem algumas coisas que não entendo. Esperando que você
possa esclarecer alguma coisa para mim.

Para manifestar algo que você quer, duas coisas devem ser verdadeiras.

1. Deve ser algo que você realmente quer muito, demais e


2. Deve estar de acordo com a Vontade de Deus porque Deus quer para nós o
que nós realmente queremos muito. Certo?

No entanto às vezes, eu sinto como se realmente estivesse pedindo por algo


que quero, mesmo assim não obtenho. Isto significa que não estou em contato
com o que eu realmente quero muito ou é realmente aquilo que eu quero e só
não tenho a fé necessária para fazer acontecer? ... Estou com dúvida sobre
isso.Agradeço.

R: Amado Milagre

A Vontade de Deus é por felicidade perfeita, porém isso é Abstrato e somente


o perdão reflete a Vontade de Deus neste mundo. Esta prece é pela Grande
Imagem. O Espírito Santo não dá nada que possa atrasar o Despertar. Nossa
Vontade é universal e não pode ficar contente com qualquer tipo de forma,
mas enquanto se acredita na falta, as necessidades percebidas são providas
pelo Espírito Santo e muitos caprichos desse tipo, são concedidos se eles não
fomentarem o atraso.

Quando você reza para que o nosso Propósito compartilhado seja vivenciado,
isto é útil. O Propósito não é específico. Rezar por coisas específicas são
pedidos para que o passado se repita de alguma forma desejada, e a meta é ver
que o passado se foi. Preces específicas parecem estar se ‘manifestando’,
ainda assim, símbolos só podem representar os desejos do coração. O segredo
da verdadeira prece é esquecer as coisas que se pensa que precisa, e esta é a
nossa dádiva ao Espírito Santo. Então tudo que é útil aparece na consciência
espontaneamente. Assim é que a prece foi feita para funcionar no sentido mais
verdadeiro, até que a prece retorne ao seu estado sem forma (uma canção de
gratidão).Bênçãos de Amor.

A Confiança Resolveria Todos os Problemas Agora


Na simplicidade da Divina Providência tudo é resolvido Ouvindo e seguindo a
Orientação Interior. O que quer que seja oferecido a serviço de Cristo é
recebido também a serviço de Cristo. A mente curada não faz exigências e,
portanto não está sob exigências. A mente curada está em paz e contente com
O Que É, portanto não tem necessidades para confrontar nada nem ninguém.
A mente que está em paz é incapaz de ser desafiada, pois não há ameaças à
paz e o presente momento não tem nada para ser vulnerável. O tempo desloca
pela Perspectiva de um mundo perdoado, e nenhum stress ou aflição é
possível no presente momento. Tudo que é útil no Plano de Deus é livremente
Dado e livremente Recebido. Ao confiar no Espírito Santo todas as
‘necessidades’ percebidas são facilmente providas, e nenhum esforço é
requerido, uma vez que o Propósito do Espírito Santo é aceito sem exceção.

Os exemplos de Divina Providência que vêm à mente são Jesus, Buda, Madre
Teresa, O Peregrino da Paz, e São Francisco de Assis, para nomear alguns.
Eles deram totalmente do Espírito e permitiram o Espírito guiar e orientar o
caminho e providenciar o que quer que fosse necessário para suas vocações na
terra. Eles ofereceram um estado da mente livremente. Viveram na
simplicidade e tinham pouquíssimas necessidades e precisões materiais. E
reciprocidade, para aqueles que confiam, é uma coisa do passado. Não
cobravam taxas pelas palavras que pronunciavam. Eles tinham transcendido o
conceito da reciprocidade - o dar e receber - pois ao Dar como Deus Dá não
há nada à parte da Doação. A Doação do Amor é extensão, e estender o Amor
não tem custo, não tem preço, nem aluguel, nem salário, nem cuidados e nem
preocupações. O Que é Provido vem livremente sem nenhuma seqüência
vinculada.

Neste mundo a Providência Divina parece rara até impossível para a mente
destreinada, pois a reciprocidade é aprendida e a confiança desconhecida até
que seja desenvolvida. É relativamente fácil para o ego aprender e acumular
habilidades, aprender como fazer insignificantes tarefas mundanas e participar
na dança econômica da reciprocidade. O que é necessário é o esforço inicial
para se abrir à dependência de Deus - ouvir e seguir o Espírito Santo e deixar
o orgulho pra lá e as idéias de auto-sacrifício do Ser tais como ‘ganhar com o
trabalho’ e como pessoa ‘ter um sustento’, pois a máscara da personalidade
tem a necessidade de ser desfeita antes que a Luz do Cristo possa brilhar
completamente irrestrito.

O Cristo não tem ‘emprego’, Sendo Amor Eterno. Cristo não paga
‘mensalidades’, Sendo Íntegro e Completo. Para conhecer a Si Mesmo como
Cristo só é preciso esquecer ou liberar a ilusão de um ser, de um mundo, de
uma identidade que Deus não criou. À medida que se avança no treinamento
da mente vivencia-se que o Propósito do perdão envolve os meios e o fim da
felicidade. Santo Agostinho disse: “Ame e faça a sua vontade.” O Cristo
Chama a mente adormecida: “Perdoe e Seja como Você é.” A Identidade
como Cristo é uma criação de Deus e só pode ser lembrada. O Perdão
simplesmente remove os obstáculos da consciência da Presença do Amor.
Tentando ‘prosseguir com o show’ é cansativo somente porque o ego é aquele
que está ‘tentando’. No Propósito tudo é dado sem esforços. O Alívio Divino
é sempre o indicador como o Divino Conselheiro da mente está seguindo no
momento.

Relaxe. Não há necessidade de continuar ‘se esforçando’ tanto. Deixa pra lá.
É fácil confiar no Espírito Santo e difícil tentar ‘ganhar o sustento’ por ‘conta
própria’. Se você acha que o mundo é uma luta ou uma série de desafios e
confrontos e problemas sem fim, demita-se agora do cargo de ‘professor’ de si
mesmo. Deixe o Conselheiro Que Conhece o Caminho Guiar e Orientar. Diga
e queira dizer: “Eu vou dar um passo para trás e permitir que Ele me guie,” e
assista a dança com Felicidade e Paz e Alegria!

O Amor Divino satisfez e sempre irá satisfazer cada necessidade humana


enquanto a percepção da carência persistir. E no céu não há nada faltando.
Relaxe e confie e assista os ‘problemas’ ilusórios dissolverem-se no Amor. A
escuridão não pode nem mesmo existir na Presença da Luz. O mundo está de
cabeça para baixo e inverso, e no perdão é evidente que nada no mundo
significa coisa alguma. Orgulho não é nada. Realização pessoal não é nada.
Nenhum grão do aprendizado do mundo oferece um pedacinho da Felicidade
duradoura. Visto da Perspectiva do mundo perdoado é evidente que não existe
nenhum mundo separado do pensamento. E o conflito da consciência se vai
para sempre.

Eu me uno a Você no Grande Despertar para a Vida Eterna, Amado Milagre.


O Cristo nunca pode morrer ou mudar ou crescer, Sendo para sempre Único.
É mais fácil Ser Único do que tentar lutar contra a Unicidade. O
reconhecimento vem com um suspiro de Felicidade e profunda Paz.

Toda a Glória a Deus por criar Cristo Uno com Toda a Criação.

Em Amor & Gratidão

Fale sobre o Perdão

Questionador: Você poderia falar sobre o perdão? Qualquer coisa que você se
sinta inspirado para compartilhar sobre este tópico seria maravilhoso.

Orador: Sim. É um assunto que é o ensinamento central de Um Curso em


Milagres. Você poderia dizer que perdoar é liberar o ego. A distinção entre a
visão do mundo sobre o perdão que é perdoar o que aconteceu, versus o curso
e os ensinamentos de Jesus, que é perdoar seu irmão por aquilo que ele não
fez. Este é um mergulho bem radical dentro da verdadeira experiência do
perdão. No livro de exercícios de um Curso em Milagres Jesus diz, ‘seu maior
problema com o perdão é que você acredita que você deve esquecer o que é
verdadeiro’.

No começo quando você lê isso você pensa “do que é que ele está falando?”
Mas o que ele está dizendo é que os pensamentos e crenças e percepções que
você parece ver e ouvir e sentir e tocar todos os dias são partes desta
alucinação que na verdade, ou na realidade, não ocorreu. A maior frustração
que as pessoas sentem com o perdão é que elas dizem ou sentem coisas como,
“bem tal pessoa e tal pessoa estavam amaldiçoando ou gritando, eles
roubaram o dinheiro, ou eles assassinaram a pessoa ou qualquer outra coisa.
Agora o que devemos fazer... abençoá-los como se fossem tão puros quando
os lírios e brancos como a neve sendo que fizeram isso?” Em alguns casos
dirão, “Tenho a prova em vídeo e DVD. O que você quer dizer com eles não
fizeram isso? Está no DVD guardado para a posteridade.” Mas na Verdade
não ocorreu no sentido de que é só esta crença no tempo linear que parece
amarrar estas pessoas, lugares e eventos juntos. Isto faz isto parecer como se
você tivesse um filme real passando quando na verdade é apenas um monte de
sombras dançando na tela que não tem nenhuma realidade.

Eu ensino as pessoas que para perdoar, a primeira coisa importante é estar


atento aos sentimentos. Seus sentimentos são transgressões dos seus
pensamentos e seus pensamentos são transgressões das suas crenças. É
importante estar atento a todas essas coisas porque no fim você tem que
esvaziar a sua mente de tudo que você acha que pensa e pensa que sabe como
também todas as crenças que estão por baixo desses pensamentos. É como a
lição 189 com aquela famosa passagem ‘simplesmente faça isto, fique quieto e
deixa de lado todos os pensamentos sobre o que você é e o que Deus é.’ Esta
passagem termina com ‘venha a Deus com os braços abertos’ e este é um
convite ao silêncio divino no qual você descansa no presente momento e deixa
pra lá esta colagem de imagens passadas / futuras e apenas afunda nesta luz
dentro da sua mente. Então para mim é importante distinguir o verdadeiro
perdão, como Jesus realmente dava significado a isso, que é liberando ilusões,
de um senso de falso perdão que diz, ‘isto realmente aconteceu... agora como
vou lidar com isso?’, pois uma vez que você tenha estabelecido a realidade do
erro, a realidade das imagens, você está empacado tentando entender como
você vai dissipar a ‘realidade’. Isto é uma coisa impossível. O ensinamento é
basicamente aprender a reconhecer que este mundo é uma situação impossível
e que não julgá-lo ou tentar analisá-lo ou compreendê-lo ou consertá-lo, mas
apenas descansar profundamente no interior e olhá-lo e vê-lo pelo que ele é,
você pode ver o falso como falso e então deixar pra lá. Este é o tipo de perdão
que tenho vivenciado com UCEM.

Alem da 'Imagem' está a Luz Abstrata


P: Bênçãos para você!

Por favor, você pode explicar esta frase... não conseguimos nem pensar em
Deus sem pensar num corpo? Da minha feliz experiência quando penso nos
meus irmãos, parece que seus corpos se separam e vejo-os abraçados comigo
e Jesus sentados juntos e olhando para o que está acontecendo conosco como
corpos... não tenho certeza deste pensamento... mas quando eu penso desse
jeito parece que me uno a eles em cenários felizes... para onde poderia este
pensamento estar conduzindo? Como eu poderia sustentar este pensamento.

Agradeço por examinar isto junto comigo.

Sempre Amor.

R: Saudações Amado Milagre

Agradeço por escrever. Quando a mente pareceu adormecer e esquecer a Luz


Abstrata do Céu, o ego projetou um cosmos de coisas específicas para tomar o
lugar ou substituir a Abstração Divina.

Para a mente que acredita que está no tempo-espaço, a Abstração foi


completamente esquecida ou bloqueada da consciência. Tudo que a mente
equivocada percebe são formas e coisas específicas, e é por isso que ela não
consegue pensar em Deus sem pensar num corpo.

Depois da grande amnésia, a forma tornou-se o “conhecido” e a Luz Abstrata


do Céu tornou-se o “desconhecido”. O Perdão vira a mente de volta em
direção da Luz e devolve a experiência da causa para a mente, que é causativa
por si só.

O símbolo dos corpos juntos é um ponto de partida, pois verdadeiramente os


corpos não podem se unir.

È o Propósito do Espírito Santo na mente que é a união, e este Propósito


mantém a paz da mente. Com este Propósito vem o sonho feliz, pois se sonha
suavemente com um mundo impecável numa percepção unificada. A tapeçaria
é única, e tudo está bem.

Sempre Amor.

Uma Série de Perguntas e Respostas sobre o Espírito Santo (e tópicos


relacionados)
A metáfora do Espírito Santo está entre as metáforas mais comumente usadas
no Curso.
Algumas perguntas comuns que envolvem o uso desta idéia estão aqui.

Existe uma técnica para ouvir o Espírito Santo?

Questionador: Existe uma técnica específica que você ensina às pessoas


como ouvir o Espírito Santo ou ensinou às pessoas no passado?

Orador: Eu diria não uma técnica tão específica nisto, no sentido de que o
currículo do E.S. é tão altamente individualizado. Existem tantas técnicas de
meditação diferentes, ferramentas e caminhos etc. Eu diria que um tipo de
resposta para isso é quando sou pressionado com ‘Me dá alguma coisa
específica que eu possa fazer para ouvir o Espírito Santo’ ou ‘Como eu posso
ouvir a voz do Espírito Santo?’, eu indico UCEM simplesmente porque é o
caminho que eu usei e tive sucesso. Também estudei muitos outros caminhos
e foram bons e muito mente aberta sobre muitos caminhos e professores e
técnicas; mas no final foi UCEM que chegou para mim. Ele “caiu do céu”.
Estava em inglês em vez de aramaico ou latim. Ele não precisou ser re-
traduzido. Estava numa língua que envolveu psicologia, religião e
Cristianismo. Estava em inglês, como eu disse, e incorporava educação
também. Como passei 10 anos na universidade eu estava bem habilitado,
então até mesmo com os termos ‘currículo’ e ‘meta do aprendizado’, eu disse,
‘Nossa! Esta é a minha língua.’ Pensei comigo mesmo, ‘agora não tenho
desculpas’. Está perfeitamente endereçado a mim e é um livro de “como
fazer” com um texto, livro de exercícios e um manual. Eu não tenho
absolutamente nenhuma desculpa. Eu não posso dizer, ‘Deus você não foi
claro o bastante.’ Está bem aqui. Então quando as pessoas me perguntam
especificamente eu indico o texto do UCEM para elas, onde Jesus diz, ‘estude
este texto’. Ele disse a Helen e o Bill, em algum momento após vários
capítulos serem ditados, ‘vocês realmente devem estudar as anotações. Não é
como osmose. Estou dando isto a vocês, mas vocês devem estudar as
anotações.’ Para mim foi a mesma coisa. Estude o texto e então faça os
exercícios. O livro de exercícios tem e tinha instruções bem explícitas e
específicas. Tem instruções diárias do que fazer, como fazer e por quanto
tempo fazer. Está bem ali. Também tem o manual dos professores para
quando você chegar no ponto de realmente começar a ouvir a voz do Espírito
Santo e começar a afinar a sintonia do seu aprendizado e instrumento de
escuta, então o manual tem indicadores úteis também. Então, esta é a minha
curta resposta de como ouvir a voz do Espírito Santo. Simplesmente indico o
curso. O curso não é para todos, então a resposta não virá o tempo todo. Mas
para aqueles que sentem que o curso é o caminho deles e não importa com
qual língua estão trabalhando, eu apenas digo, ‘Agarre-se no texto e no livro
de exercícios e no manual dos professores. Será tão bom quanto qualquer
fórmula que eu pudesse inventar.”
Quem pode ouvir o Espírito Santo?

Questionador: Um Curso em Milagres diz que somente alguns podem ouvir


o Espírito Santo. Qual é a sua opinião sobre esta afirmação e qualquer um
pode ouvir a voz de Deus?

Orador: Sim. Eu acho que dentro do reino do tempo e espaço onde parece
que temos um cosmos de bilhões de pessoas, mais de 6 bilhões só neste
planeta, e muitas outras criaturas e seres em muitas e muitas outras galáxias e
sistemas solares e assim por diante, que dentro deste mais extenso contexto,
do contexto relativo... eu diria que de alguma maneira é ‘realístico’ dizer que
existem poucos que ouvem a Voz de Deus. As distorções do ego parecem ser
camadas e camadas de revestimentos que impedem uma expressão
perfeitamente clara do Espírito Santo através dos indivíduos.

Vou usar o exemplo da Helen Schucman que tomou notas de um curso em


Milagres. Este processo levou mais ou menos 7 anos para ser ditado. E não foi
o próprio ditado ou que receber o ditado foi difícil, mas a resistência do ego de
ouvir esta mensagem foi enorme. Então temos Helen que é um símbolo de
uma elevada habilidade para escrever, mesmo assim foi um processo de 7
anos que talvez poderia ter sido de um ou um ano e meio sem a enorme
resistência. Neste processo as palavras eram freqüentemente dadas e anotadas
em taquigrafia e mesmo assim haviam distorções daquilo que era recebido.
Então o Cristo teve que dizer, “Por favor volta... o que eu disse foi... isto ... o
que você escreveu foi... aquilo... agora vamos voltar e mudar esta palavra”, e
assim por diante. Até mesmo com a Helen Schucman, que tinha uma
habilidade tão elevada para escrever que ela pôde ouvir a voz de Cristo, a voz
de Jesus Cristo passando por ela, ainda havia as distorções do ego e as
interferências do ego. Elas eram realmente baseadas no medo do amor que é o
que todo o domínio do ego significa. Foi preciso uma verificação cuidadosa e
Jesus examinando isso para surgir o que chamamos de Texto Original que foi
editado ao que é chamado de versão Hugh Lynn Cacee e então foi mais tarde
editado ao que é agora a versão publicada de Um Curso em Milagres.

Então você pode ver com isso que este é um processo em termos de ouvir a
voz do Espírito Santo, e que é bem acurada no sentido relativo de que
pouquíssimos podem ouvir. Mas como Candace estava só compartilhando, o
Espírito Santo usa muitos, muitos símbolos diferentes: todos os tipos de
visões e sons. Você pode ler palavras que foram inspiradas pelo Espírito
Santo. Elas podem estar em romances ou num adesivo no pára-choque de um
carro ou num outdoor, exatamente no momento em que você mais precisa
ouvir. Você poderia ter símbolos, canções que simplesmente vêm, e você
sente a inspiração e você sabe exatamente o que fazer depois de ouvir uma
canção no rádio que simplesmente está tocando por um acaso assim que você
entrou no carro. Poderia ser pequenas cutucadas das pessoas... seus irmãos ou
irmãs conversando com você exatamente quando você está passando por um
momento difícil e dando a você as respostas através da voz deles exatamente
da coisa que você precisa ouvir. Assim o Espírito Santo tem muitas e muitas
maneiras de alcançar a mente e muitos canais diferentes. Eu diria que isto não
deveria ser desencorajante que pouquíssimos podem ouvir diretamente a voz
que fala por Deus, a voz do Espírito Santo, porque você deve lembrar que o
Espírito pode chegar até você de muitas e muitas maneiras se você realmente
deseja e está realmente aberto e disposto a ouvir ou progredir.

Aprendendo a ouvir o Espírito Santo

Questionador: Quando você começou a ouvir esta Voz, o que dentro de você
(não apenas ler o Curso) de algum jeito ajudou para que você começasse a
ouvir a Voz de uma maneira clara?

Orador: Primeiramente eu diria que isso parece contrastar com a experiência


humana que é tão cheia de tantas experiências perturbadoras, entristecedoras e
dolorosas. Você poderia dizer que dentro de mim mesmo era algo como deve
haver uma resposta para isso, deve haver um fim, deve haver um jeito melhor,
tem que haver uma saída desta maneira de sentir; tem que haver uma saída
desta maneira de pensar e perceber. Então o ímpeto estava lá, a motivação
para uma mudança de sintonia, uma mudança de propósito, era muito, muito
forte. Uma outra coisa que foi antes de ouvir o Espírito Santo claramente, eu
estava intuindo o Espírito Santo. Eu sentia intuições e impulsos e alertas que
eram sensações maravilhosas. Eu diria que bem no começo, antes de ouvir a
voz do Espírito Santo, eu sentia como se alguém tivesse uma pena na câmara
do meu coração e estava lá fazendo cócegas no meu coração, bem no núcleo
do meu ser. Inicialmente, eu pensava, ‘Uau, isto não é uma experiência
intelectual’. Isto é espetacular e me sinto tão bem e a cócega está me guiando.
Então, inicialmente, antes de ouvir o Espírito Santo ou seguir o Espírito Santo,
era seguir a cócega e eu a segui. Isto realmente me levou a ser capaz de ouvir
a voz. Então a cócega veio primeiro.

Sobre aquietar a mente

Questionador: O que você diz as pessoas que perguntam, “Como aquietar


esta mente? Como me livro deste falatório da mente? Como eu consigo entrar
naquele lugar quieto do interior?” Como você ensina as pessoas a fazer isso
ou o que você diz a elas?

Orador: Bem, existe uma idéia no curso que realmente me ajudou. Quando
você encontra forte resistência e fraca dedicação, não lute com você mesmo.
Este foi um trecho muito útil do livro para mim, particularmente no começo
do meu trabalho com o curso quando tinha dificuldade demasiada em aquietar
a minha mente por um certo período. Eu vivenciava muita irritação e
frustração e então rezava e abria o livro num trecho como aquele do ‘não lutes
contigo mesmo’. E pensava que ferramenta maravilhosa é isto que está
essencialmente dizendo ‘deixa o livro de lado’, em vez de lutar com você
mesmo e tentar forçar seu caminho através dele. Eu acho que é um tema e um
tópico muito profundo.

Inicialmente eu tentei na parábola da [minha vida] ir embora e viver no


bosque numa maneira muito simples sem água encanada e somente pão e água
para comer e beber. A resistência do ego ao silêncio era enorme e inicialmente
parecia que não havia muito sucesso no alcance de uma quietude consistente
lá, então aprendi a relaxar e só me sintonizar com o Espírito Santo e dizer,
‘Muito bem, o que você quer que eu faça aqui?’ E a orientação não era para
simplesmente ficar meditando por longas horas. Fui orientado a freqüentar
lugares e encontrar com as pessoas. Comecei a viajar e conversar com muitos
e diferentes grupos do UCEM em vez de entrar na meditação através do ego e
tentar travar uma batalha com ele, simplesmente decidi seguir minha alegria.
Então a sensação de resistência começou a diminuir pouco a pouco conforme
eu realmente seguia a minha felicidade e costumava deixar a voz de Deus
falar através de mim. E então anos mais tarde fui guiado a uma outra
experiência eremita que não era mais tentar ficar no silêncio que era o
problema; era o silêncio do meu Ser natural simplesmente penetrando a minha
experiência. Era como se o silêncio tivesse me encontrado em vez de eu tentar
encontrar o silêncio. Foi tão libertador. Este seria o meu principal conselho
para as pessoas. Se você está tentando aquietar sua mente, seja muito gentil
com você mesmo. Não tente acelerar ou forçar isso. Se o fizer, que é o ego;
haverá uma sensação de coerção... como se você estivesse sendo forçado a
fazer algo que você realmente não quer. Volte e siga a intuição e os alertas do
Espírito Santo. Que gentilmente irá te guiar para dentro.

A Trindade como uma estrutura para o Despertar

Questionador: Estou curioso para saber o que você pensa sobre o conceito
que na Verdade não há nenhum Pai ; Filho / Espírito Santo; existe somente
Um. Mas devido a nossa presente experiência precisamos de uma forma de
estrutura para que possamos chegar a compreender e vivenciar a Unicidade. A
trindade ajuda a nos dar aquela estrutura e compreensão para que em nossa
presente experiência possamos chegar naquela experiência mais completa que
somos um com tudo que há. Isto faz sentido?

Orador: Sim, é exatamente isso. As pessoas falam da trindade há muito


tempo e dizem que se existe somente um e existe somente uma perfeita
unicidade então qual é a necessidade da trindade. É como você disse. É apenas
um quadro ou estrutura para ajudar a mente adormecida a despertar,
principalmente em termos de funcionalidade. Deus o Criador e Cristo ou o
Filho é a Criação e o Espírito Santo é a ponte que ajuda o Filho acordar para
reconhecer que ‘Ah eu sou o Cristo uma Idéia na Mente de Deus. Eu sou’. Isto
é tudo sobre isso.

As barreiras que impedem de ouvir o Espírito Santo

Questionador: Qual é a maior barreira que impede de ouvir a voz de Deus e,


por favor, mencione qualquer conselho que você tenha sobre superar a tal
barreira?

Orador: Muitas pessoas relatam que às vezes sentem como se ouvissem uma
estática ou muitas vozes. É como tentar sintonizar uma estação FM, mas você
está entre estações. Você ouviria muita estática e talvez até entraria em pânico
porque muitas pessoas sentem que precisam de uma resposta. Elas sentem ou
dizem, “Oh meu Deus eu preciso de uma resposta”, mas isto só faz com que
aumente o volume da estática. Então eu diria que, obviamente o medo e a
presença do medo é o maior bloqueio que impede de ouvir a voz do Espírito
Santo porque quando a mente está com medo ela tem receio de ouvir a voz do
Espírito Santo. Como o UCEM diz, ‘Nenhum montante de evidências irá te
convencer daquilo que você não quer’.

Sempre mantive isso em mente, que eu realmente tinha que começar a cultivar
o meu querer ouvir e querer vivenciar o uso que o Espírito Santo faz dos
símbolos se eu realmente quisesse ouvir aquela voz consistentemente.
Resumindo então provavelmente o medo é o maior bloqueio que impede de
ouvir a voz que fala por Deus. E a resposta para isso é claro, confiança. A
confiança é a primeira característica das dez características de um Professor
de Deus. Ele também diz que aonde a confiança vai, todo o resto vai. Então
você poderia pensar que está desenvolvendo suas características e então entrar
no medo e perder a sua confiança. Em termos Cristãos, costumavam chamar
isto de apostasia. Com o Curso em Milagres, às vezes as pessoas oscilam entre
estarem apaixonadas pelo curso, praticá-lo todos os dias e trabalhar com ele -
e então às vezes essas mesmas pessoas fecham o livro e o trancam no armário
e juram que não querem vê-lo. Elas podem dar a descarga na privada, página
por página, ou jogá-lo num rio.

Discernindo entre o ego e o Espírito Santo

Questionador: Eu acho que um dos desafios mais comuns que as pessoas têm
é não saber se estão ouvindo o Espírito Santo ou ouvindo o ego ou ouvindo o
Espírito Santo como oposição as suas próprias vozes. Parece uma questão que
é tão repetidamente questionada e eu adoraria ouvir seus pensamentos sobre
isso. Como as pessoas sabem a diferença entre o Espírito Santo e o ego, e do
Espírito Santo e de suas próprias vozes?
Orador: Esta é provavelmente uma das questões mais freqüentemente
questionadas. Eu chamo isso de uma questão de discernimento. Discernir
entre a voz do ego e a voz do Espírito Santo. É uma lição de discernimento.
Eu acho que a lição do livro de exercícios que foi realmente útil para mim em
relação a isso foi quando Jesus disse, ‘O único uso correto do julgamento é
verificar como você se sente?’ Isto chamou a minha atenção. Quando eu li
pela primeira vez a primeira parte desta sentença isto realmente aguçou os
meus ouvidos. O único uso correto do julgamento... uau. Estou pronto para
abandonar o julgamento e ele está dizendo ‘o único uso correto’. Então eu
diria que a maneira mais clara, mais direta é realmente praticar estar em
contato com - como você se sente. E é claro há muitas sutilezas nisto porque
se você tem um monte de distrações e a sua mente parece estar muito dispersa
e não realmente direcionada a atenção então pode parecer que você tenha um
aborrecimento, uma irritação ou uma amolação que pode passar desapercebida
por um tempo e crescer como raiva e talvez ódio antes que venha chamar sua
atenção. Mas quanto mais você fica atento à mente e aos pensamentos no
treinamento da mente você é capaz de prestar atenção e notar aquela amolação
que é uma clara indicação que você está em alinhamento com o ego e a
percepção e a forma de pensar da mente equivocada.

Em termos de distinção da voz do Espírito Santo da sua própria voz, no


sentido final, já que o Espírito Santo fala pelo Cristo, que é o seu próprio ser,
nosso próprio ser, a voz do Espírito Santo é sempre a sua voz porque ela
sempre sabe seus melhores interesses em todas as situações percebidas nas
quais você parece estar. Ela sabe seus melhores interesses em relação a
qualquer coisa que você possa estar lidando. O Espírito Santo é a sua própria
voz porque você é criado por Deus, e o Espírito Santo fala por Deus. Em
termos de som como uma voz... pode soar de maneiras muito diferentes. Pode
se sentir como uma torrente de consciência, uma torrente de pensamentos, ou
pode ter uma característica audível. Muitas pessoas que a ouvem
consistentemente dirão que há momentos em que elas estão dirigindo o carro e
ouvem uma voz audível dizendo ‘troca de faixa’, e prestaram atenção e
evitaram o que parecia ser um acidente ou qualquer coisa assim. Existem
muitas maneiras que você pode ouvi-la. Eu diria que algumas pessoas a
ouvem como um som que soa como suas próprias vozes falando. Outros a
ouvem como uma voz masculina ou feminina ou com uma voz de um rapaz ou
uma moça ou um senhor ou uma senhora. Mas nós devemos lembrar que tudo
isso são formas e você está prestando atenção principalmente ao conteúdo,
não na forma que ela vem. Esta é provavelmente a maneira mais direta que eu
diria sobre ela. Discernimento. É um tópico enorme que você realmente
poderia examinar. É um tópico bem essencial porque a saída para a percepção
defeituosa é se sintonizar naquela voz e ouvi-la claramente e
consistentemente. Este é o propósito por trás de tudo que eu faço... o propósito
por trás das suas vidas... é realmente chegar a este discernimento.
O ego pode enganá-lo?

Questionador: É possível, com a sua experiência, que o ego possa enganá-lo


fazendo com que você acredite que ele é o Espírito Santo? Parece que muitas
pessoas às vezes se preocupam que o ego possa de alguma forma enganá-las
fazendo com que elas acreditem que é o Espírito Santo.

Orador: Bem, a definição do ego é a crença na separação. O ego é o auto-


engano e você poderia dizer que a voz do ego é enganadora. É verdade que
todo o cosmos foi feito como um truque, como Jesus diz no livro de
exercícios, onde as figuras parecem ir e vir e tudo que parece estar no tempo
linear (objetos e figuras entrando e saindo da consciência) é parte de um
truque ou passe de mágica, como Jesus chama isso. Parece mais com um jogo
de pôquer, mas é um truque.

À medida que você faz os exercícios de discernimento vai parecer que às


vezes quando você segue a voz da sua mente é como se ela te levasse a um
caminho sem saída ou a um estado de aborrecimento; mas, na verdade eu acho
mais simples pensar que você esta escolhendo o estado da sua mente a todo
momento, momento a momento e uma nova e fresca oportunidade para
escolher de novo. Assim fica muito simples e mantém a sua mente fora da
culpa. Se você começar a olhar para sua vida e suas experiências lineares e
começar a analisá-las e dizer, ‘Eu devo ter sido enganado aqui e ali’, você
entra na análise do passado e tenta imaginar o futuro. Tudo isto são sempre
defesas contra o presente momento.

Mantendo a paz na vida diária

Questionador: Há um tema no questionamento que as pessoas perguntam que


é sobre o falatório da mente e sobre estar no mundo. Como você mantém
contato com Deus ou aquieta o falatório? Como você pode estar no mundo
(como por exemplo, no trabalho) e estar atento a Deus? Como eu posso ouvir
a voz de Deus no meio de intensas circunstâncias caóticas ocorrendo a minha
volta e me envolvendo? Há muitas questões envolvendo a manutenção da
consciência em Deus e tendo alguma paz no meio do que parece ser o caos.

Orador: Sim, uma questão muito freqüentemente questionada. Como eu faço


isso no meio do trabalho ou em situações caóticas? No começo, eu acho que
você faz o melhor que pode e é importante começar o dia muito seguramente
aberto e conectado fazendo suas lições do livro de exercícios ou tendo um
momento tranqüilo e se comunicando com o Espírito Santo e pedindo
instruções. Conforme você se move ao longo deste caminho pode até haver
momentos que você será guiado a seguir uma experiência eremita ou um
longo período de retiro. Podem ser caminhadas no bosque ou na praia porque
quanto mais você começa a se sintonizar você pode ser guiado a trechos mais
longos do que parece ser o silêncio, até mesmo em termos da definição do
mundo. Vai parecer como buscar espaços tranqüilos e momentos tranqüilos.
Até mesmo isto é apenas uma fase porque a paz na mente não é dependente de
circunstâncias, então você pode se encontrar navegando, cruzando o oceano
azul e pensando, ‘É isso. Finalmente deixei o mundo pra trás. Só tenho que
viver no oceano.’ Isto não é para onde isto está levando, mas esses momentos
e períodos de tempo podem ser muito, muito úteis e extremamente
incentivadores conforme você se aprofunda na jornada espiritual.

A mente curada numa prece

Questionador: Agora que você não tem a experiência de ter uma mente
dividida, você alguma vez se pega conversando com o Espírito Santo? Você
se acha procurando por orientação ou não é mais necessário? Você apenas
sabe que no presente momento tudo está bem e se desdobrará como deve?

Orador: Esta é uma boa pergunta. É mais agora que parece que eu invoco o
Espírito Santo numa prece com um grupo ou algo assim, é quase como fazer
um pergunta retórica. Não é uma pergunta real, mas está sendo usada como
um instrumento de ensino. Por exemplo, quando você faz uma prece e você
suplica pela ajuda do Espírito Santo num grupo, é realmente um símbolo para
estar aberto para receber a orientação. Tem sido este senso de imersão que eu
me identifico com a voz. De fato não é como nos tempos antigos onde estou
pedindo e recebendo, mas é mais como um fluxo, quase como sendo
carregado no rio, onde você se funde com o rio. Estou apenas apreciando o
zumbido ou o fluxo de toda a vida.

Em termos de pedir coisas específicas, mais uma vez foi uma fase muito útil
para mim. Quando você chega neste estágio de ver todas as coisas trabalhando
juntas para o bem, então aquilo começa a se apagar e se acostuma em termos
de perguntas retóricas que são instrumentos de ensino. No UCEM, por
exemplo, Jesus parece fazer muitas perguntas apesar da mente de Cristo ser
certa. Aquelas perguntas são usadas como parte da ferramenta de ensino
simplesmente como um modelo para uma maneira de mostrar que é útil fazer
perguntas e confiar no espírito até que o estado da certeza seja alcançado ou
vivenciado. Então é assim que se sente. Quando as perguntas são feitas ou a
orientação é buscada como parte de uma prece em grupo, então isto é apenas
um símbolo para mim. Não há uma ‘dualidade’ aqui de se fazer uma pergunta
e então esperar por esta voz separada para dar uma resposta.

Questionador: Então é verdade que quando o ego se vai a voz realmente


sofre uma transição entre buscar por orientação e tornar-se a orientação e
assistir o desdobramento?
Orador: Exatamente, de fato eu tinha uma amiga que me visitava há muitos
anos atrás. No começo ela tinha grande dificuldade em ouvir o Espírito Santo
e estar em contato com as intuições dela. Então com muita prática do curso,
usando filmes e muita prática de meditação ela conseguiu ouvir a voz falar
para ela e direto para ela sobre coisas específicas como que filmes assistir e
que emprego pegar e assim por diante. Então depois daquilo ela passou por
um período onde entrava em pânico porque ela pedia ajuda e não ouvia nada.
Em um certo momento eu ri e disse, ‘O Silêncio é uma dádiva maravilhosa’.
Ela olhou surpresa para mim. Eu não consigo pensar em nenhuma dádiva
maior do que a quietude da Presença de Deus. Ela estava meio que
presumindo que o Espírito Santo deveria ficar tagarelando o dia todo com ela
se ela tivesse sucesso, e que quando estava simplesmente tendo estes
momentos tranqüilos em que não havia tagarelice (até mesmo do Espírito
Santo) ela estava falhando. E eu disse, ‘Oh, agora uma mente tranqüila não é
nenhuma pequena dádiva e quando você realmente tem esses momentos você
não tem que entrar em pânico. Você não precisa esperar que o Espírito Santo
fique falando e dando palestras e sermões, simplesmente aprecie a quietude.’
Isto é onde tudo leva de qualquer forma, para o silêncio e a experiência onde a
voz por Deus está repentinamente descansando com você como você.

A função do Espírito Santo na comunicação

Questionador: Você pode esclarecer a diferença entre Deus e o Espírito


Santo e por que não podemos nos comunicar diretamente com Deus? Isto é
conforme o Curso em Milagres.

Orador: Deus é Amor e Luz abstrata. Você poderia dizer que o termo
comunhão se aplicaria a Deus no sentido de estar numa experiência total de
união com Deus. Jesus se expressou através destas palavras, ‘Eu e o Pai
somos um’... uma experiência de comunhão onde parece haver um criador e
uma criação. Parece haver um pai e um filho, uma fonte e um efeito daquela
fonte, mas na verdade é apenas uma canção ou melodia feliz da criação total.
É uma descrição, apesar de estar além da descrição, de Deus e do Céu.

Em termos de comunicação e se comunicar com Deus, o Espírito Santo é a


ponte. Em outras palavras, Deus revela Deus para nós através do Espírito
Santo e o Espírito Santo parece tomar a forma de uma voz para aqueles que
acreditam terem sido separados de Deus; o Filho de Deus adormecido. Então
precisamos alcançar aquele Filho de Deus adormecido de um jeito que possa
ser compreendido. Já que este é um cosmos de tempo e espaço e coisas
específicas então aquela luz abstrata tem que tomar a forma de uma voz. No
Céu ou abstração não há vozes. Tudo é perfeitamente conhecido e você
poderia dizer que há uma experiência telepática de perfeita unicidade e união.
Abstração parece tomar a forma de uma voz por Deus e que é como o Espírito
Santo é descrito no UCEM, não como a voz de Deus, que implicaria que Deus
tem uma voz. A Abstração nem mesmo tem uma voz, mas a voz por Deus é a
voz que fala e representa Deus para a mente que está adormecida e precisa de
ajuda, precisa de instruções para retornar àquela consciência da perfeita
unicidade.

A resposta do Espírito Santo ao ego

Questionador: Como você descreveria como o Espírito Santo responde ao


ego?

Orador: Bem, eu acho que esta linha no curso é apropriada quando diz, ‘o
perdão olha e espera e assiste e não julga.’ É como uma presença que é muito
pacífica e muito tranqüila e agradável. Que está tão certa do que é real e do
que é verdadeiro. Num sentido você pode dizer que o Espírito Santo e o ego
realmente não têm um ponto de encontro. É como a luz e a escuridão. Você
não pode ter um quarto que tenha ambos nele. Se a luz está acesa a escuridão
se foi. Se há um pedaço escuro então há uma ausência de luz. Então estes são
dois sistemas de pensamentos que não têm ponto de encontro de forma
alguma. Num sentido você poderia dizer que metaforicamente falando o
Espírito Santo olha para além do erro, ignora o erro. Isto ainda implica que o
erro esta lá, mas o Espírito Santo é bom nisso.

Então você encontra, acho que está na Canção de Prece, onde Jesus coloca em
itálico, “Não veja o erro”. A primeira vez que li aquilo, foi como ‘Oh meu
Deus... Não veja o erro.’ Que estado de mente é aquele onde é impossível se
ver o erro. Você fica tão concentrado na verdade... ‘A verdade é verdadeira e
somente a verdade é verdadeira’ que o erro desaparece por completo. É para
isto que isto tudo é direcionado. Você entra numa alegria e felicidade e
contentamento que não há um senso de primeiro discernir ou vivenciar o erro
e então liberá-lo e entrar na luz; mas você literalmente vivencia que a verdade
é toda abrangente. A maneira que eu cheguei nisso através do curso está na
seção ‘estabelecendo a meta’. Você precisa por o propósito bem na sua frente.
Isto foi extremamente útil para mim porque ele disse na seção que somente o
ego que olha para trás e tenta julgar a situação. Mas quando você mantém a
meta bem na sua frente, então tudo que você percebe que está acontecendo
você irá perceber como se testemunhando o propósito que você manteve.

Então coloque a paz bem na sua frente. Isto foi extremamente útil para mim e
de fato, desde a primeira edição do curso quando eu trabalhava com ele nos
primeiros tempos, eu dizia aquela prece, “Eu estou aqui somente para ser
verdadeiramente útil”. Recitava a prece inteira silenciosamente na minha
mente toda vez que passava pela porta, fosse de uma mercearia ou uma
reunião do Curso em Milagres ou uma lavanderia ou qualquer outro lugar. Isto
realmente me ajudava a fixar a meta para que quando eu entrasse na mercearia
eu estivesse num estado de humildade para ser mostrado verdadeiramente
como ser verdadeiramente útil - para não pré-julgar aquela experiência ou ter
uma pauta. Como um exemplo (com a mercearia) - era para não tem
preconceitos de quão rápido entrar e sair ou procurar pelos melhores preços ou
tentar ler todos os ingredientes nas embalagens para pegar os mais nutritivos.
Era para realmente entrar lá com a meta fixa na minha frente para ter somente
encontros santos com tudo e todos. E quando eu realmente comecei a praticar
aquilo eu tive tantas experiências alegres e miraculosas, por exemplo: na
mercearia, ‘Uau, isto é muito importante e extremamente prático'. Apenas
aquela mudança de prática que me trouxe milagres maravilhosos que
ajudaram a ganhar confiança na prática do UCEM.

Questionador: Uau, tão bonito. Então quando você não vê o erro, você pode
ver pessoas na sua frente ficando bravas e amaldiçoando umas as outras e
mesmo assim você não nem mesmo observa o ego de jeito nenhum? Qual
teria sido a sua experiência se você tivesse visto alguém na sua frente gritando
com elas e tendo uma situação complicada? Da sua perspectiva, já que o
Espírito Santo olha para além ou depois do ego, como é esta experiência para
você?

Orador: As palavras que vem a mente são ‘percepção unificada’ que é todas
as coisas trabalhando juntas pelo bem. Quando você tem um propósito único
então todas as imagens são unificadas e todas as cenas e sons são unificados.
Cheiros e todas as percepções físicas que parecem físicas são todas partes
desta experiência unificada. Eu vivencio a situação toda como uma tapeçaria
onde eu simplesmente estou fluindo com o Espírito Santo e sabendo que todas
as coisas estão trabalhando juntas para o bem. De uma certa forma você
poderia dizer que isto é o que a percepção unificada dá a você. Ela leva
embora todos os julgamentos e preconceitos que quebrariam a situação em
pedaços em comportamentos e símbolos separados. Ela simplesmente dá a
você uma experiência unificada, apesar do Espírito Santo aqui poder falar
dessas coisas como se fossem reações e experiências separadas. É isto que é a
alegria da iluminação. Não é problema. Apenas felicidade.

As pessoas despertam?

Questionador: Eu não acho que há muitas pessoas neste momento que estão
[realmente despertas]. Eu acho que há milhões de pessoas que estão no
processo, trabalhando nele, praticando, passando pele processo e mesmo
assim não vi muitas pessoas surgirem do outro lado. Eu acho que vai haver
uma aceleração disto onde vai haver mais e mais pessoas e que vai ser muito
inspirador. Porém, até mesmo para ter algumas pessoas na minha vida onde eu
possa ver que isto ocorreu é realmente uma bênção, então obrigado... é
realmente incrível.

Orador: Conforme passamos pelo processo somos gratos por todos os sinais
e símbolos... os Budas e Jesus e Krishnas e os místicos e os santos que
parecem ser polvilhados através da história. Somos tão gratos a eles e então
quanto mais você aplica os ensinamentos do curso você começa a perceber
que é apenas uma mente despertando e reconhecendo a si mesma. O que isto
significa é, como Jesus diz, ‘Quando Eu despertei você estava comigo.’ Ou
ele dirá isso de uma outra maneira quando é perguntado, ‘Quantos professores
de Deus é necessário para salvar o mundo?’ Um... Um...’ Esta resposta é
surpreendente, mas só está dizendo que há uma mente e há somente um de nós
e somos todos o Cristo. Tenho compartilhado com as pessoas muito
freqüentemente, quando elas dizem que Jesus foi desperto e falam sobre seres
despertos, que Jesus o homem, como é dito no manual de professores, o
homem era uma ilusão. Esta é uma declaração bem impressionante para
muitos. Eu diria que as pessoas realmente não despertam. É só a mente que
estava sonhando que era uma pessoa que percebe que ela estava enganada. É
tipo física quântica. É uma grande reviravolta.

Questionador: Certo e num mundo que parece a síndrome do centésimo


macaco, mas que na verdade é a síndrome do único macaco.

Orador: É isso mesmo, o único macaco que vê que ele não é um macaco.

A voz do Espírito Santo como a minha própria voz

Questionador: Você disse antes que o Espírito Santo é a nossa própria voz e
que quanto mais ouvimos e passamos o tempo com aquela voz e a
vivenciamos, mais nós realmente começamos a nos identificar conosco. Esta é
a maior notícia de todos os tempos.

Orador: Sim, e só depende de onde a sua mente está voltada para aquilo que
parece ser mais útil. Por exemplo, há frases da bíblia, ‘Mas pela graça de Deus
lá vou eu’, como se você estivesse separado de uma experiência e você é grato
por não ser parte de algo e então quanto mais você entra na experiência da
unicidade você diz, ‘Sim, pela graça de Deus lá vou eu. Sou eu... não é que eu
sou diferente’. Você também ouve, ‘Não a minha vontade, mas a Tua seja
feita’. Inicialmente quando você está começando a jornada parece haver uma
grande técnica na mente para se render a algo que é maior do que você
mesmo. Então você lê o curso e Jesus diz que a sua vontade e a vontade de
Deus são a mesma. Vocês são um. De repente o antigo, ‘Não a minha vontade,
mas a Tua seja feita’ começa a ficar engraçada. Você pensa, ‘Ah é, a vontade
de Deus é a minha vontade e a voz por Deus é a minha verdadeira voz,’ mas
nos primeiros estágios do treinamento da mente essas coisas parecem
afirmações arrogantes e não parecem apropriadas de jeito nenhum. Uma vez
que você entra no treinamento avançado da mente e você sente que você
realmente avançou e você está sentindo a paz de Deus, estas afirmações, ‘eu e
o Pai somos um’... ‘a minha vontade e a vontade de Deus são uma’... parecem
muito, muito natural.

Examinando a Idéia do Carma

P: Não posso deixar pra lá esta questão do carma. Para onde quer que eu me
vire alguém tem algo diferente a dizer sobre isso. ** disse, “Eu não acredito
em carma.” Um outro disse, “Mesmo após o despertar ainda há o carma do
corpo.”

O que está acontecendo? Alguém realmente sabe o que é isso? Carma = causa
/ efeito? Se for, então todo este pesadelo, esta alucinação, esta crença na
separação é o carma. Mas então, assim mesmo há o tal do ‘despertar’ do corpo
ainda pairando por aí. Ele não desaparece. E às vezes ainda machuca ou
espirra, ou come ou dorme. Eu realmente não entendo. Você entende?

R: Amado Milagre

Agradeço por olhar profundamente nesta lei universal da mente. Tem sido
escrito: “Aquilo que você planta, você colhe” “Dar e receber são o mesmo”
“O que vai, volta” “Causa e efeito são um e não há diferença”.

Esta é única lei universal da mente pareceu trazer o mal e a destruição para
mente que parece dormir e sonhar com um mundo separado, um mundo da
irrealidade. Porém esta única lei universal é a chave para o perdão. Se você
reconhecer que você sempre escolhe o estado da sua mente, e o que você
escolhe você escolhe para todo o universo, a crença na vitimização foi
desfeita.

O uso indevido da lei divina parece resultar em criação indevida até que o
reconhecimento desponte, que na Verdade é impossível usar indevidamente e
criar indevidamente. O que Deus cria e Espírito e Espírito cria somente
Espírito. Se você seguir esta lógica divina então há a experiência da
iluminação: a Verdade é Verdadeira. O Amor é Real. Nada real pode ser
ameaçado. Nada irreal existe.

O corpo foi um símbolo do ser separado que nunca poderia ser. A mente
iluminada vê a tapeçaria do mundo perdoado no qual nenhum objeto ou coisas
específicas existem “dentro e fora dele”. Ilusões são uma, e assim a ilusão de
um “corpo” e a ilusão de um “cosmos de tempo-espaço” são a mesma ilusão.
No perdão não há nada que está “ainda pairando por aí”, pois a percepção
integrou e é total. Não há nada fora da mente e o cosmos reflete a Luz do Céu.
Somente uma bênção permanece e a distorção se foi.

Já que o carma é uma lei universal, a única pergunta significativa é “Para que
serve isso?” Qual é o uso que você fará do carma: para demonstrar que a cura
foi realizada ou para manter o desejo de ser separado? O primeiro uso é
inevitável e o segundo uso é impossível. É melhor aceitar o inevitável e liberar
a tentativa de fazer com que o impossível seja possível. Assim é a
simplicidade, pois a Iluminação é simples.

No Céu Deus e Cristo, Causa e Efeito são Um. Da Perspectiva do Espírito


Santo a mente é unificada e não pode ser quebrada em partes. Portanto, a lei
do carma libera ou aprisiona a mente baseado no uso que a mente faz desta lei
universal da mente. O Propósito é a única escolha. A qual propósito você
gostaria que ela servisse: medo ou amor? Quando você se alinha com o
Espírito Santo sua Resposta é Amor. E a experiência que vem deste
alinhamento com Deus é tão óbvio que você nunca mais duvidará de novo.

Que a Paz esteja sempre com você.

É Possível Reconciliar o Mal e o Abuso com a Inocência?

P: Tenho algumas perguntas. Tenho estudado e já fiz todo o livro de


exercícios uma vez há oito anos atrás, apesar disso leio o livro regularmente.
Tenho sentido resistência da minha parte em relação a alguns princípios, então
estou estudando o texto e fazendo os exercícios de novo.

De repente, os ensinamentos do UCEM estão me afetando de uma maneira


diferente. Por mais que eu entenda que devemos ver a inocência em nosso
irmão, e que o mal é somente deste mundo. Apesar de entender isso, acho
difícil aceitar isso verdadeiramente. Como você pode ver a inocência em um
homem que te espancou e te violentou? Como você pode oferecer “amor
severo” para um indivíduo que é irremediavelmente viciado em drogas e
álcool sem facilitar? Estas são as áreas que me sinto bloqueada. Você poderia
me ajudar a entender por que não há nenhum oposto a Deus, ao Amor? Eu
acredito nisso. No entanto, o diabo é o mal que os homens fazem na terra. No
Curso não há mal, nem diabo... ou o diabo é meramente um sinônimo da
percepção do ego? Deus não vê o mal... Se Deus não vê o mal, isto significa
que temos que aceitar estupradores, pedófilos e assassinos sem julgamento?
Por favor, ajude-me a compreender isto.

Amor Eterno.

R: Bênçãos Amado Milagre


Agradeço por compartilhar suas ponderações internas.

Suas questões vão ao coração do assunto chamado perdão. O Espírito Santo


tem me falado que Deus é Todo-Amor, Todo-Sabedoria e Todo-Poderoso.
Deus é um Deus de Amor Puro. Este Amor não tem opostos. O que Deus cria
é como Deus. Espírito vem do Espírito. Deus é Espírito. Cristo é Espírito.
Criação é Espírito. Inocência é um atributo do Espírito, assim como Perfeição
e Eternidade são atributos do Espírito. Se o mal ou o erro fossem possíveis, a
Inocência Divina seria impossível. No entanto, como a Inocência Divina é a
Realidade, o mal ou o erro não podem existir de jeito nenhum.

O Perdão é para a ilusão, não para a Verdade. O Amor não precisa ser
perdoado. Na Unicidade de Deus não há nada a perdoar. Nada do que Deus
cria necessita de perdão, pois a Criação e o Cristo são como Deus em Espírito
e a extensão da Perfeição de Deus. O Perdão reconhece que o que você pensa
que o seu irmão fez, de Fato nunca aconteceu.

No UCEM é declarado desta forma: “Se Deus é real não existe dor. Se a dor é
real, não existe Deus.” Deus é a Fonte de Tudo e portanto, a dor é sem causa e
impossível. “Se” houvesse uma “causa” impostora, uma reivindicação feita
contra o Fato da Totalidade do Amor de Deus, este “erro da causa” teria que
ser liberado PORQUE o erro seria a negação do Amor Divino.

É por isso que você foi atraído a Um Curso Em Milagres: você não tem sido
capaz de reconciliar o Amor com o medo, a Verdade com a ilusão, ou a
Inocência com a culpa. Estes aparentes “opostos” NUNCA poderão ser
reconciliados. Perdoar é simplesmente aceitar o Fato feliz de que a verdade é
verdadeira e nada mais é verdadeiro.

Perdoar é liberar alegremente a crença num oposto ao Amor. Perdoar é


encontrar a Inocência do Espírito. Você humildemente aceita: “Eu ainda sou
como Deus Me criou” quando o erro da separação for perdoado.
Você perguntou: “...o diabo é meramente um sinônimo da percepção do ego?”
Sim.

O ego / erro / diabo foi Corrigido pelo Espírito Santo no instante que o erro
pareceu surgir. E agora a sua única responsabilidade é aceitar esta Correção.

O que você acredita você perceberá, enquanto a percepção parecer durar.


Acredite no erro e parecerá que você percebe abuso e vício.
Aceite a Correção e parecerá que você percebe um mundo perdoado brilhando
na Luz do Espírito Santo.
Aceite a Correção e você terá desistido da tentativa de reconciliar “opostos”.
Aceite a Correção e o único resultado é a paz duradoura.
Aceite a Correção e veja a impossibilidade de conceitos como
“...estupradores, pedófilos e assassinos.”

Este é o Julgamento Final: “Você é Santo, Eterno, Livre & Íntegro na Paz para
sempre no Coração de Deus.” Onde está o mundo neste Julgamento Amoroso?
O mundo acabou em Risos, pois o que parecia ser um mundo separado de
Deus foi uma tentativa de levar a sério uma tola idéia louca da separação.
Uma vez que o passado é liberado, é como se nunca tivesse existido,
PORQUE ele nunca existiu.

Você não está sozinho e a Ajuda é Dada a você. Esta mensagem e o site
Awakening Mind e as muitas mensagens do Awakening-In-Christ e as viagens
e reuniões são apenas algumas das muitas testemunhas do Amor que você
invocou na sua consciência. A Alegria que eu compartilho anuncia o fim da
ilusão! A paz que eu vivencio é a paz que vem do reconhecimento e gratidão
que o Amor é real e não tem opostos.

A Bíblia disse para não ter imagens esculpidas diante de Deus. Isto é porque
Deus não conhece imagens, Sendo Espírito Puro. Perdoe as imagens que
nunca existiram, e vivencie a indescritível Felicidade! O sonhador do sonho
primeiro reconhece o ato de sonhar. Nada pode ferir o sonhador uma vez que
o Espírito Santo revelou o sonho como sendo irreal. Sem o julgamento todas
as figuras do sonho são a mesma, pois era só o ego que inventou as categorias
de vítima e vitimador, abusado e abusador, facilitado e facilitador para se
perpetuar. Uma vez que o ego é liberado, a percepção foi curada e nada
bloqueia o caminho para a experiência do Amor Divino de Deus.

Toda a Glória para o Deus Vivo!

Amor Sempre.

Quão praticável é isto para quem trabalha em tempo integral?

P: Dezembro passado, você explicou que você vivencia uma paz gentil e
consistente e um sentimento de aceitação de todas as coisas exatamente como
elas são. (Eu me recordo que Jesuá ensina que estamos guardando mágoas
toda vez que queremos que algo seja diferente do que é - hummm.)

Estaria correto em supor que você esta totalmente confortável fazendo


somente o que está na sua frente sem nenhum pensamento daquilo que precisa
ser feito além do “agora”?

Quão praticável é isto para os estudantes que trabalham em período integral e


sustentam uma família?
R: Esta paz é um estado natural da mente fluindo da liberação da crença no
futuro (e, portanto, qualquer tentativa de planejá-lo) e a liberação da tentativa
de controlar qualquer coisa no mundo. Sem expectativas todas as coisas são
igualmente aceitáveis. Ao permitir que todas as coisas sejam exatamente
como são, há um reconhecimento que embora sempre se é responsável pelo
estado da própria mente, esta responsabilidade não inclui a habilidade de
controlar situações, eventos, circunstâncias, pessoas, lugares e coisas.

Em outras palavras, o roteiro do mundo está escrito (é passado) e a escolha


que resta está em selecionar ou a perspectiva pessoal do ego sobre o roteiro ou
a Perspectiva gentil do Espírito do perdão, apreciando a totalidade simultânea.
No seu e-mail você está perguntando quão praticável e quão prático é fazer
apenas o que está na sua frente sem pensar muito no futuro, particularmente
para um aluno com uma família. Eu devo tratar esta questão e contexto da
Perspectiva do erro sendo desaprendido e do ego sendo desfeito.

No UCEM o insight revelado é que havia somente um problema e o problema


já foi Corrigido via Espírito Santo. Também é revelado que não se pode
reconhecer a Resposta ou a Correção para o problema até que primeiramente o
problema tenha sido reconhecido como ele é. Foi dito a você que “somente o
agora é real.” Isto é literalmente muito verdadeiro, e é somente o ego que
patrocina a crença impossível que o “agora” está entalado entre duas
“realidades” muito reais chamadas “passado” e “futuro”. A visão do tempo
linear do ego vê o futuro como sendo diferente do passado (ex: o que se foi
antes não é o mesmo que ainda está por vir) e quebra o tempo em pessoas,
situações, eventos, incrementos e seguimentos separados que podem ser
organizados ou arrumados na forma linear. Da perspectiva distorcida do ego o
medo e a culpa do passado é repetido várias e várias vezes e não há
escapatória deste ciclo. Porém o presente momento é a única realidade porque
ele permanece constante e completamente intocado pelo erro da separação.

O presente momento é tão simples que parece estar além do alcance da


possibilidade para uma mente enganada rodopiando na complexidade. O
mundo foi meramente uma representação de uma confusão de identidade, e
assim o mundo foi somente um símbolo da profunda crença enraizada de que
o amor e o medo podem co-existir. Esta crença foi o problema e somente na
imaginação o impossível foi feito para ser percebido. O auto-conceito foi feito
para tomar o lugar da Realidade, portanto deve ser desaprendido ou desfeito
para que a Visão do Cristo retorne à consciência. A Visão de Cristo é o
presente momento, e a percepção foi somente a aparente escuridão das
imagens dispostas na linha. O Espírito Santo vê a linha como um ponto. O ego
viu o ponto como uma linha. A Perspectiva do Espírito Santo te liberta. A
perspectiva do ego parece aprisionar.
Quão praticável e prático é a Perspectiva do Espírito Santo? Isso depende se
você deseja liberdade ou aprisionamento. O milagre colapsa a crença no
tempo linear e traz os frutos da paz, felicidade, liberdade e alegria. A
perspectiva linear pessoal tenta reforçar uma identidade impossível como se
fosse uma “realidade”. Entregar-se à Perspectiva do Espírito Santo não tem
absolutamente nenhum custo. Não há absolutamente nenhum “preço” a pagar
pela paz da mente. Cada vez mais fica mais evidente que as experiências de
“sofrimentos e tribulações” vêm somente da tentativa de resistir e se defender
contra a Perspectiva do Espírito Santo. Porém a Perspectiva do Espírito Santo
é a Expiação ou Correção, e a única responsabilidade que se tem é aceitar a
Expiação para si próprio. Esta é a absoluta simplicidade da Salvação.

E quanto ao aluno que percebe uma família para cuidar? Tal estudante pode
ter esperanças em aceitar a Expiação e despertar para a Realidade, ou o
estudante deve almejar uma meta menos grandiosa? A questão não é tanto de
um contexto ou situação como é uma questão de desejo. A mente que
inventou o cosmos e percebe a si mesma como existindo num dualístico
tempo-espaço linear contínuo é insana por definição. Este falso auto-conceito
é irreal, e não há graus de irrealidade ou hierarquias de ilusão. Apesar de
algumas situações parecerem mais complexas que outras para o ego, deve ser
lembrado que “o modo situacional de pensar” é o problema. Somente “o modo
situacional de pensar” do ego produz um mundo em que situações separadas
parecem existir. Porém o que senão uma brecha de tempo e espaço parece
separar uma situação da outra? E se não houvesse nenhum brecha, então não
poderia haver nada senão o todo. Em outras palavras, o Espírito Santo é o
lembrete de que é impossível ordenar ou organizar imagens ilusórias, não
importa quantas disposições diferentes possam parecer tomar, porque era
somente uma ilusão. E aquela ilusão já foi Corrigida.

Pedro percebia a si mesmo como casado e com filhos, como tendo uma
família, quanto Jesus se aproximou. E assim Pedro foi chamado para fora do
mundo para seguir o Cristo interior e proclamar as boas novas do Reino do
Céu. Sidarta deixou o palácio do seu pai, a esposa e filho em busca da verdade
além da ilusão do ciclo de nascimento-morte. Pedro iria mais tarde proclamar
Jesus com sendo “o Filho do Deus Vivo” e sair pregando o evangelho. Sidarta
tornou-se conhecido como “o Buda - o iluminado.” Esta é a pergunta que você
deve perguntar a si mesmo: Estes homens abdicaram suas responsabilidades
ou buscaram aceitar a única responsabilidade deles? Quando você responder
esta pergunta, você terá respondido em seu coração.

A confiança resolveria todos os problemas agora. A confiança no Espírito


Santo não é determinada pela situação em que uma mente acredita nela
mesma. Qualquer que seja a situação aparente, a Ajuda está disponível e
acessível. A “pequena disposição” solicitada pelo Cristo para se abrir à
Orientação do Espírito Santo não é limitada pelas circunstâncias. Se parece
haver responsabilidades e compromissos do mundo que foram feitos, serão
conduzidos com a compaixão e o amor no Plano do perdão do Espírito Santo.
Isto não pode ser compreendido pela perspectiva pessoal, mas esteja certo de
que todas as coisas trabalham juntas para o bem e não há exceções. Pois sob
os ensinamentos do Espírito Santo todos devem ganhar e não pode haver
perda.

Uma regra geral de Orientação pode ser declarada desta maneira:

Ore, ouça e siga o Espírito Santo. Faça apenas o que lhe é Dado a fazer e
esteja aberto ao “Eu não preciso fazer nada” a Solução da Quietude está no
interior. Questione e leve à Luz todas as crenças e pensamentos que
obscurecem a Luz da consciência. Traga a ilusão à Verdade. Esteja disposto a
mudar a sua mente e aceitar a si mesmo como uma Mente Imutável. E não se
preocupe com a forma em que a lição do perdão pareça vir.

Paz & Bênçãos, Amado Milagre.

Você é Amado para todo o sempre e sempre.

O Espírito Santo realmente faz coisas no Mundo?

P: O Espírito Santo realmente faz coisas no mundo?

R: Amado Milagre, o mundo perdoado é a Perspectiva do Espírito Santo. Olhe


atentamente para as palavras “no mundo” e “no sonho”, e esteja aberto para o
reconhecimento que não existe nenhum mundo separado da mente. Idéias não
deixam sua fonte, e o mundo não deixou a mente que o criou. O que poderia
“no mundo” realmente significar?

Não há nenhum “mundo objetivo” que exista à parte da mente. A física


quântica é uma testemunha do reconhecimento de que é impossível remover o
“experimento” da “mente do experimentador” assim como é impossível
remover o “observado” da “mente do observador”.

Nada existe “por si mesmo” na Perspectiva do Espírito Santo. “Não existe


nenhum mundo à parte das tuas idéias porque as idéias não deixam a sua fonte
e tu manténs o mundo dentro da tua mente em pensamento.” (E-132.10)

Aqui esta a descrição de Cristo no UCEM da percepção distorcida ou do


“vidro escuro” descrito na Bíblia. A seguinte descrição NÃO é o mundo
perdoado da Perspectiva do Espírito Santo:

“Tu vives através de símbolos. Inventaste nomes para tudo o que vês. Cada
coisa torna-se uma entidade separada, identificada pelo seu próprio nome.
Desse modo, tu a esculpis separando-a da unidade. Desse modo, lhe conferes
seus atributos especiais e a isolas das outras coisas, enfatizando o espaço que a
cerca. Colocas esse espaço entre todas as coisas às quais dás um nome
diferente, todos os acontecimentos em termos de lugar e tempo, todos os
corpos que são saudados com um nome.

Esse espaço que vês isolando todas as coisas umas das outras é o meio pelo
qual é alcançada a percepção do mundo. Tu vês algo onde não há nada e da
mesma forma não vês nada onde há unidade; um espaço entre todas as coisas,
entre todas as coisas e tu. Assim, pensas que deste a vida na separação.
Através dessa divisão pensas que estás estabelecido como uma unidade que
funciona com uma vontade independente.

Que nomes são esses, através dos quais o mundo se torna uma série de
eventos distintos, de coisas desunidas, de corpos mantidos à parte, que contêm
pedaços da mente como se fossem consciências separadas? Tu lhes deste esses
nomes, estabelecendo a percepção como desejavas que fosse.” (E-184.1)

O DESFAZER da crença que a (mente) e (manifestação da mente) são


diferentes, que o interior e o exterior são diferentes, é todo o foco do Livro de
Exercícios do UCEM. Lembre-se, o completo perdão ou Expiação é a única
meta que há, e a aceitação desta Correção é a ÚNICA responsabilidade que
há. É impossível retirar um fio da tapeçaria do cosmos, dar-lhe um nome e um
significado, e estabelecê-lo à parte como algo que tenha significado nele e
dele mesmo. O Perdão é o reconhecimento que a mente é singular e não tem
níveis e aspectos ou hierarquias de ilusão. A Totalidade não tem partes. A
Mente Divina é Uma, e a Perspectiva do Espírito Santo (cosmo sendo um)
reflete a Unicidade do Céu.

Alguns exemplos dos ensinamentos do Espírito Santo incluem: “Mas, o que é


por si mesmo? E o que significa em si mesmo? Vês muitas coisas separadas à
tua volta, o que na realidade significa que absolutamente não estás vendo. Vês
ou não vês. Quando tiveres visto uma coisa de modo diferente, verás todas as
coisas de modo diferente.” (E-28.2)

“Se o conceito de que o mundo é um mundo de idéias é aceitável para ti, toda
crença na falsa associação que o ego faz entre dar e perder desaparece.” (T-
5.I.1.)

“A idéia para o dia de hoje, como as precedentes, se aplica aos teus mundos
interior e exterior que, de fato, são o mesmo.” (E-32.2)

“Não estou sozinho em nada. Tudo o que penso, ou digo, ou faço, ensina a
todo o universo. Um Filho de Deus não pode pensar ou falar ou agir em vão.
Ele não pode estar sozinho em coisa alguma. Portanto, está em meu poder
mudar todas as mentes junto com a minha, pois o meu poder é o de Deus.” (E-
54.4)

Uma analogia de um projetor de filme pode ser útil aqui. Na sala de projeção,
dentro do projetor está esta luz incandescente, brilhante e radiante. Esta é uma
grande metáfora para o Espírito Santo. Esta luz brilhante PARECE passar
através do filme, que está cheio de imagens escuras. Chamaremos essas
imagens escuras de “pensamentos de ataque” ou “pensamentos do ego”.
Conforme esses pensamentos são projetados, o que parecem ser produzidos na
tela do cinema soa sombras. Para a mente adormecida que está assistindo ao
filme sombras parecem ter um significado. Porém o único significado que o
filme parece ter é dado a ele pela mente adormecida, que esqueceu que o que
ela vê é apenas um filme. Ela se identificou com as figuras na tela e pensou
nela mesma como uma pessoa no meio de outras pessoas. O único significado
que o sonho do mundo parece ter é dado a ele pelo ego, que esqueceu o Cristo
e inventou uma “realidade” e identidade substituta que tomou o lugar do Céu.
Ela se identificou com as figuras do sonho no sonho e pensou nela mesma
como uma pessoa entre outras pessoas.

O mundo percebido através dos olhos do corpo e ouvido do através dos


ouvidos do corpo é uma tela de imagens. O mundo é apenas o reflexo sombrio
dos pensamentos de ataque na mente enganada. Se alguém se torna ciente
desses pensamentos de ataque e está disposto a permitir que sejam liberados,
este alguém está disposto a limpar o filme, por assim dizer, e deixar partir os
julgamentos que bloqueiam a luz da consciência. Os Milagres envolvem a
disposição para permitir que a luz brilhe sem obstrução. Quando isso
acontece, a tela vai PARECER iluminar-se mais e mais. O mundo irá refletir a
luz na mente deste alguém, pois não existe nenhum mundo à parte da mente.

Conforme a mente deixa o sistema de crença da separação / percepção


distorcida do ego partir, ela se abre para a Perspectiva do Espírito Santo, Que
reflete a percepção curada. Esta é uma Perspectiva Que reflete Amor e
Unicidade e oferece uma interpretação íntegra do cosmos. Como agora a
mente está de acordo com a Perspectiva do Espírito Santo, o cosmos e um
momento da testemunha unificada do Amor Abstrato. Assim, vivenciar que
não há nenhum mundo à parte da mente é estar aberto à lembrança da Eterna
Unicidade Abstrata, que não tem opostos. A Verdade simplesmente É.

Uma mente adormecida tem que estar disposta a desistir do julgamento, ou


mais precisamente, ver a impossibilidade do julgamento. Uma razão pela qual
uma mente adormecida parece vivenciar quente e frio, dor e prazer, doença e
saúde, guerra e paz, morte e vida e todas as variações, graus e extremos do
mundo, é simplesmente por causa do julgamento.
O julgamento despedaça e fragmenta. Deixe-me usar o pensamento da união
como um contraste. Pensa apenas na “unidade” do mundo. Um. Unicidade.
União. Uma continuidade ininterrupta. Um círculo é um grande símbolo da
unicidade, sem começo, sem fim, sem dualidade, apenas um. A mente
enganada olha ao redor do mundo, o mundo percebido através dos sentidos do
corpo, e vivencia fragmentação e dualidade. Como se reconcilia dualidade
com unidade? Não são reconciliáveis.

A função do Espírito Santo é substituir a dualidade e percepção equivocada


pela percepção curada ou verdadeira que é a ponte para a Unidade ou
Unicidade. Esta função já foi realizada e só precisa ser aceita como completa
para ser vivenciada como tal.

O Espírito Santo PARECE infiltrar-se através do sistema de crença do ego,


por assim dizer, e alcançar a mente no “que” e “onde” e “quando” ela acredita
que está e é. Vamos supor que ela PAREÇA estar questionando suas crenças
sobre tudo. Bem, o que está passando na tela da percepção é apenas um filme
daquelas crenças. Parece que ainda existe uma pessoa que continua a fazer
coisas no tempo linear - que é o sonho ou a estória. Esta é a falsa interpretação
ou percepção equivocada do Único Ser em Cristo como uma pessoa no
mundo. Esta pessoa pode dizer, “Parece que estou ficando mais tranqüilo” ou
“Parece que estou ficando mais irritado”. Você consegue ver que isto é
simplesmente uma falsa interpretação? Quem é o “eu” que parece estar
ficando mais tranqüilo? Quem é o “eu” que parece esta ficando mais irritado?
O “eu” desses dois exemplos é apenas uma falsa interpretação ou percepção
equivocada. No entanto a mente certa é a Perspectiva do Espírito Santo, o
Ponto de Claridade que vivencia tudo como mente. A percepção “individual”
ou “pessoal” equivocada dissolve-se por completo na Luz do Amor.

Tempo e processo são a mesma ilusão. O Espírito Santo PARECE ser


julgador na mente enganada, que PARECE se submeter ao “processo” de
separar dois sistemas de pensamento: amor e medo.

Aqui está um exemplo de como isto PARECE representar: alguém se


sintoniza com o Espírito Santo e está quieto. Este alguém quer muito se unir
ao Espírito Santo e tem uma grande disposição. Pensamentos que ainda
envolvem a forma chegam à mente, pensamentos como telefonar para este e
aquele, encontrar com alguém, deixar este emprego, pegar aquele emprego,
etc.

Obviamente, estes pensamentos ainda são pensamentos da forma. Mas o


Espírito Santo entende que a mente enganada e dividida ainda ACREDITA
que é uma pessoa no mundo. O falso sistema de crença toma forma de
sombras projetadas na tela do mundo, uma retratação externa das crenças
obscuras. O Espírito Santo está trabalhando com a mente (pois a mente é tudo
que há) para abandonar a falsa crença que PARECE estar projetando o cosmos
do tempo-espaço.

E assim, a mente se sente desorientada quando ela começa a afrouxar e a


questionar e esta falsa crença tão cuidadosamente protegida e defendida (ex:
“Eu não tenho mais tanta certeza que eu sou uma esposa ou uma mãe ou um
homem ou um trabalhador da construção ou um americano, etc eu não estou
mais tanta certeza do que eu sou”). Simbolicamente, as coisas ainda
PARECEM estar “acontecendo” na tela, mas são apenas as interpretações das
percepções equivocadas da mente enganada sobre ela mesma.

O Espírito Santo não está trabalhando “no mundo”, mas está trabalhando com
a mente (pois a mente é tudo o que há) “que pensa que está no mundo”, então
ela pode reconhecer que inventou o mundo (ex: eu inventei o mundo que
vejo). Uma vez que a mente tenha liberado a tentativa de projetar “para fora”
o erro da separação (ex: um cosmos separado dela), ela aceita a Expiação e
reconhece que não há nada fora da mente.

Percepção curada e Expiação são idênticas. Você vê como isto é


completamente diferente de falar que “o Espírito entra no mundo e muda as
circunstâncias - acha para mim um lugar para estacionar, ajude-me a ganhar
na loteria, cure o meu corpo, etc?” Na Expiação, a ilusão foi levada à verdade,
a escuridão para a luz. É um erro reter a crença que o Espírito Santo possa
mudar um mundo “objetivo” que está “do lado de fora”. Quando pensamentos
de ataque tiverem sido liberados, a consciência da totalidade (o mundo
perdoado como uma mente toda inclusiva, que abrange tudo) é evidente.

“Não há sentido em lamentar o mundo. Não há sentido em tentar mudar o


mundo. Ele é incapaz de mudar, porque é meramente um efeito. Mas, de fato,
há sentido em mudar os teus pensamentos sobre o mundo. Aqui estás
mudando a causa. O efeito mudará automaticamente.” (E-23.2)

“O Espírito Santo percebe a causa rindo gentilmente e não olha os efeitos. De


que outra maneira poderia ele corrigir o teu erro, já que absolutamente não
olhaste para a causa? Ele pede que tu lhe tragas cada efeito terrível para que
possam olhar juntos para a sua causa tola e possas rir um pouco com Ele. Tu
julgas os efeitos, mas Ele julgou a causa. E através do julgamento do Espírito
Santo os efeitos são removidos.” (T-27.VIII.9)

“O mundo que vês é um mundo vingativo e tudo nele é um símbolo de


vingança. Cada uma das tuas percepções da realidade externa é uma
representação pictórica dos teus próprios pensamentos de ataque. Cabe
realmente perguntar se isso pode ser chamado de ver. Não seria fantasia uma
palavra melhor para tal processo e alucinação um termo mais apropriado para
o resultado?” (E-23.3)
“Tu vês o mundo que tens feito, mas não te vês como aquele que faz as
imagens. Não podes ser salvo do mundo, mas podes escapar da sua causa. É
isso o que a salvação significa, pois onde está o mundo que vês quando a sua
causa se foi? A visão já mantém uma substituição para tudo o que pensas que
vês agora. A beleza pode iluminar as tuas imagens, e assim transformá-las de
tal modo que tu as amarás, embora tenham sido feitas de ódio. Pois não as
estarás fazendo sozinho.” (E-23.4)

“A idéia para o dia de hoje introduz o pensamento de que não estás preso
numa armadilha ao mundo que vês, pois a sua causa pode ser mudada. Essa
mudança requer, em primeiro lugar, que a causa seja identificada e em seguida
abandonada de forma que possa ser substituída. Os dois primeiros passos
deste processo requerem a tua cooperação. O último, não. As tuas imagens já
foram substituídas. Ao dar os dois primeiros passos verás que isso é assim.”
(E-23.5)

“O perdão, por sua vez, é quieto e na quietude nada faz. ...Apenas olha e
espera e não julga.” (E-pII-1.4)

“Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada.
Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso.
Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do
perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. No entanto, prepara o
caminho para a volta da intemporalidade e do despertar do amor, pois o medo
em que desaparecer com o gentil remédio que ele traz.” (E-pII-13.1)

Assim o Espírito Santo trabalha com a mente para abandonar completamente


o falso sistema de crença do ego. O ego é a interpretação do Único Ser “como
um corpo num mundo externo ao corpo”, e assim é o ego que atribui situações
e eventos ao Espírito, tais como, “O Espírito me arrumou (corpo) um lugar
para estacionar.” ou “O Espírito me ajudou (corpo) a perder 10 quilos.” Essas
interpretações são interpretações “pessoais”, como se o Espírito Santo
estivesse, de fato “trabalhado com” corpos, objetos, eventos e situações
separadas em vez de estar trabalhando com a mente, que acredita nessas
coisas específicas. O Espírito Santo (ou Olho Espiritual, como em “Permita
que os teus olhos sejam bons”) não percebe o mundo da maneira que é
percebido pelos olhos do corpo. O mundo perdoado da Perspectiva do Espírito
Santo não é absolutamente “pessoal”, pois Ela é toda inclusiva e íntegra.

Paz & Benções

Por Que a Culpa Nunca é Justificada

Amado Milagre
Deus cria o nosso Espírito Perfeito e nada pode mudar o que Deus cria. A
mente pareceu adormecer e acreditou em sonhos de separação, embora no
Despertar haja somente um Estado do Ser Único do Amor. A Realidade é a
perfeição e inocência, embora os sonhos de julgamento pareceram trazer o
medo, a culpa e o ódio. Quando o julgamento foi posto de lado, vieram os
sonhos felizes para substituir os sonhos da culpa.

Todos os sonhos de culpa foram centralizados no corpo, pois este era o alvo
da culpa. É como se o ego exigisse que algum “corpo” mudasse ou agisse
diferente ou fosse de uma certa maneira ou representasse um papel. O ego foi
o sinônimo da culpa e advertiu que a fonte da sua culpa poderia ser
encontrado no mundo. Mas não podia, pois a culpa não tinha uma fonte real,
uma base real, e nenhum “corpo” para ser acusado. A aparente fonte era uma
falsa crença na qual a fé tinha sido colocada ou presumiu-se ser verdadeiro. E
o mundo da percepção apoiou-se neste erro. Porém o perdão vê que o erro se
foi.

A culpa nunca foi o resultado do comportamento, pois o comportamento era


somente um efeito ou um resultado. Foram os pensamentos de ataque que se
acreditava serem reais que precisavam de liberação e não de proteção.
Pensamentos de ataque foram, na postagem anterior, referidos como
pensamentos privados, e esses pensamentos sem significado foram o que
pareceram produzir um mundo sem significado.

Distrações e válvulas de escape do mundo foram feitos para minimizar a culpa


sem liberá-la. Porém o perdão é uma entrada para a verdadeira paz, pois o
perdão é a liberação do erro; a liberação do erro de todos os pensamentos de
ataque. O Perdão sempre te faz lembrar gentilmente que você não pode ser
tratado injustamente. Por que? O Espírito é invulnerável e a nossa Realidade é
somente o Espírito. O corpo pareceu ser injustamente tratado e pareceu tratar
injustamente somente através das lentes do ego. Porém a inocência está vendo
que as lentes do ego não eram nada; só distorção e não tinha nada da verdade.

Se algum dia a tentação para se sentir culpado parece surgir, lembre-se que
você foi Criado para sempre por um Deus Amoroso Que conhece eternamente
a Inocência e Perfeição do Seu Ser. E ao se alinhar com a Mente de Deus, a
Inocência é tudo que pode SER vivenciado. Não há nenhuma culpa em Deus,
e Deus não conhece os conceitos de culpa e punição do ego. E na nossa
Sanidade de pensar com Deus, nós não vivenciamos nenhuma culpa ou medo
ou ódio. Deus é Amor, e este Amor Divino nunca muda ou diminui ou
desaparece. Ele brilha para sempre. Conforme as nuvens escuras são
liberadas, a Luz sempre brilhante agora entra diretamente na consciência.

Isto é natural, pois a Luz é o Estado natural do nosso Ser.


Eu regozijo que a culpa nunca foi justificada. Eu regozijo que o perdão é
sempre justificado... pois a Dádiva do Espírito é a abertura para lembrar-se do
Espírito da Presença do Eu sou. A Dádiva é nossa para ser solicitada. Eu sou
muito grato pelo Amor incondicional de Deus.

Amor & harmonia.

Destino, Escolha, Canalização & “Eu Não Preciso Fazer Nada”

P: Em Um Curso em Milagres, num certo ponto Jesus lida com um conceito


que ele chama de “o roteiro está escrito” onde ele diz que não há nada que
possa ser feito para “acelerar” a nossa expiação. Ele diz que está escrito que
num certo tempo nós simplesmente despertaremos. Isto independente do que
pensamos, fazemos, não fazemos, não pensamos, etc.
Isto pode ser assim? Eu tenho a impressão de que poderíamos decidir neste
instante pela expiação e ela ocorreria. Mas talvez está escrito que eu deveria
decidir neste instante?

Se nada do que pensamos, dizemos ou fazemos não faz nenhuma diferença, de


um jeito ou de outro parece uma perda de tempo e dinheiro continuar com esta
busca espiritual.

Por favor, gostaria de saber seu ponto de vista sobre isto.

Estou um tanto confuso sobre a percepção que estou tendo e espero que você
me ofereça alguma luz sobre isso. Há muitas pessoas que canalizam Jesus.
Nunca ouvi você contradizer o Curso, mas estes outros sujeitos PARECEM
contradizê-lo. Na minha mais recente descoberta, alguém escreveu que não há
ABSOLUTAMENTE nada que possa ser feito para auxiliar o nosso
Despertar. Ele diz que está pré-determinado exatamente quando irá acontecer.
O curso, por outro lado, nos diz em vários partes que nós estamos
economizando tempo através da ajuda do curso. Agora eu reconheço que estes
sujeitos, o curso e tudo o mais é tudo ilusão, mas eu pensei que o E.S. usasse a
ilusão para nos auxiliar na nossa busca. Agora ou estes sujeitos estão errados
ou o curso está errado, porque eles contradizem. Minha pergunta é: É possível
que ego possa estar tentando arruinar a minha fé nos ensinamentos do E.S. me
mostrando ensinamentos conflitantes, que segundo dizem, todos vêm do
mesmo lugar? Estou sendo deliberadamente induzido ao erro ou simplesmente
interpretei mal alguma coisa? Se não há nada que possa ser feito em absoluto
para apressar nosso despertar, o que é toda esta busca espiritual? Para que
serve o curso?

R: Ahhhhhhhhhh Amado Milagre


Você chegou no ensinamento mais profundo sobre Ser Desperto! Você é
Único agora, e nada do tempo linear que parece ser pensado, dito, feito ou
imaginado tem a ver com a nossa Eterna Unicidade. Este ensinamento é a
Experiência para o qual o curso aponta. Este é o Instante Santo!

Não há verdadeiramente nada a ser “feito” para se preparar para Isso.


Simplesmente desejar Isso integralmente e Isso é Vivenciado
Instantaneamente. Lembre-se que o Cristo chamou isto de uma jornada sem
distância para uma meta que nuca foi mudada. Lembre-se da seção no
Capítulo 18 intitulado “Eu Não Preciso Fazer Nada” e a instrução “Você
ESTÁ preparado. Agora você só precisa lembrar que você não precisa fazer
nada. Seria muito mais proveitoso agora meramente se concentrar nisto do que
considerar o que você deveria fazer.”

Existem passagens no Texto, no Livro de Exercícios e no Manual de


Professores que apontam diretamente ao Instante Santo, para a mente que está
disposta. No momento intemporal, no Instante Santo, não há contradições.
Causa e Efeito estão juntos, e assim não há nenhuma brecha entre eles. O que
isto significa?

Significa que não há “passado” que “causa” um “futuro”, pois somente um


momento brilhante, claro e reluzente permanece na “memória”. Isto significa
que tudo existe simultaneamente neste exato momento e nada pode ser
“arrancado” da Totalidade.
A frase “o roteiro está escrito” tem um círculo pré-determinado nele e um
sentido de destino. Sim, este mundo acabou há muito tempo atrás. Sim, o que
é passado se foi. Sim, o Cristo é Real e sempre Presente. E sim, Agora é a
único “tempo” para estar Desperto. O Céu parece uma decisão para a mente
que acredita em opostos, porém a Expiação está precisamente descrita como
uma aceitação do que é Agora. Você não pode se “preparar” para Isso sem
“colocar Isso no futuro”. É por isso que a entrega é necessária. Entregue o
pensamento de que qualquer coisa neste mundo possa ser compreendido.
Perdoado - sim! Compreendido - não!

O conceito de canalização foi só uma ferramenta do tempo. Portanto,


canalização é passado. Assim como todos os conceitos de tempo linear, a
canalização era dualísticos, com a fonte e escritor parecendo separados. No
entanto a Unicidade do momento não tem partes. Cristo, como um Efeito de
Deus, é Um com Deus para sempre. A Unicidade que é Deus e Cristo em
Deus é Tudo. O Céu é Luz Abstrata e se estende como Criação Eterna. Na
“extensão” de que qualquer conceito transitório parecia indicar além de todos
os conceitos para o Real, o conceito pareceu temporariamente útil. Porém é
preciso entender que o Instante Santo é Agora, o Ponto no qual todos os
conceitos são deixados de lado.
Agora é a hora do Grande Despertar. Para a mente disposta, o Reino do Céu
está ao alcance das mãos. O Reino é reconhecido no Silêncio Divino. A
Experiência está além das palavras. O Amor é o Estado da Mente Que não
conhece “outro”. Muito literalmente, o Ser é Cristo é Um.

Você não precisa fazer nada para Ser como Você já é. O que Você tem é
Quem Você é. Deus dá Tudo na Criação, e Tudo é Você. Nada pode ser
adicionado a Nossa Perfeição em Deus. A Graça de Deus é a Dádiva da
Criação. “Eu sou” não pode, não precisa, não será ganho ou alcançado. “Eu
sou” simplesmente É. “Eu sou” é antes do tempo existir. E é “por isso” que
Você não precisa fazer nada para Ser como Você já É. Assim é a Simples
Verdade.

Amor e Bênçãos como o Único Cristo para sempre na Mente de Deus.

Você é o Único. E como Você reconhece o Único, Você reconhece Tudo de


Deus.

Lidando com as Ilusões

P: Desde que encontrei UCEM venho pensando sobre o ego e as ilusões há


algum tempo. Naturalmente surgiram algumas perguntas sobre como lidar
com eles. Pela visão que tenho parece que há algumas ilusões que eu deveria
evitar, tais como aquelas envolvendo a raiva e aquelas que eu deveria
favorecer, tais como atos de gentileza. Isto cria a idéia de níveis de ilusões no
que se refere a intenção de evitar e favorecer. Neste estado parece que todos
nós temos certos grupos de ilusões onde a ilusão parece idêntica para todos
nós. Evitamos algumas ilusões ou pelo menos tentamos, mas favorecemos
algumas.

O corpo é uma ilusão, mas não promovemos esta ilusão ao alimentar o corpo
para ‘sustentá-lo’? Também há as ‘leis naturais’. Se um grande caminhão está
descendo uma rua a 70 mph e você coloca seu corpo no caminho do caminhão
é altamente provável que a ilusão que o corpo morre irá ocorrer. A morte do
corpo pode ser a melhor escolha aqui, porque senão provavelmente haverá
muita dor envolvida. Por experiência posso dizer que esta dor extrema irá
jorrar tudo para fora no nível corporal da mente exceto a dor e como fazer isso
parar. Nada mais importa naquela ‘hora’. Sabemos que aqui e somente uma
ilusão sem níveis, mas todos reagimos a elas como se tivessem níveis. Eu não
conheço ninguém que não alimente o corpo, por exemplo, apesar de ter
ouvido exemplos disso. Neste momento eu não acho que há qualquer saída
disso a menos que tenhamos ajuda para isso. Esta é a parte do Espírito Santo,
pelo que eu saiba. Agora preciso trabalhar na desistência dessas ilusões. Se eu
desistir de algumas ilusões como a necessidade de ganhar dinheiro, estarei
fazendo algo para as ilusões de outras pessoas como, por exemplo, as pessoas
que dependem de mim para alimentação, moradia, etc. Se eu tirar o recurso
deles, não estarei sendo egoísta? A idéia de ilusões e níveis de ilusão é a
mesma, mas quando uma pessoa decide, se pode decidir, onde parar. Mesmo
este pensamento sugere níveis, então não estamos reforçando as ilusões até
mesmo quando estamos fazendo algo aparentemente bom? Mesmo se
desistirmos das ilusões, não estamos reforçando-as também? Ao desistir delas
estamos reconhecendo-as como real, senão não poderíamos desistir delas. Um
dia, anos atrás, o pensamento entrou na minha mente que eu fui a julgamento
onde me disseram que não havia nada real no ‘mundo’ e que eu estava apenas
passando por um teste para ver como eu reagiria a ele. Eu não sei se passei no
teste, mas provavelmente não. De qualquer forma, tudo isso me faz querer
saber como mudar o rumo da minha viagem ilusória e como reagir a algo que
realmente não aconteceu.

Olá Amado Milagre.

Agradeço por tirar um tempo para descrever o que está passando na sua
mente. A crença dos vários níveis e a base do ego, pois o ego era uma crença
fragmentadora que pareceu se estilhaçar em muitos graus, níveis, partes e
intervalos.

UCEM simplifica a abordagem da Expiação (Correção) e a lembrança da


Unicidade usando a metáfora de dois níveis: Mentalidade certa que é a
Perspectiva do Espírito Santo, e a mentalidade errada que é a perspectiva do
ego.

A Mentalidade certa reconhece que somente a mente é causativa e vê que o


cosmos é um efeito irreal de uma causa irreal (crença no ego). A Mentalidade
certa reconhece que a causa e o efeito andam juntos e que as idéias não
deixam a sua fonte. Ela vê que o mundo é um mundo de conceitos que não
deixam a vida do “pensador”. A Mentalidade certa vê a tapeçaria como uma
ilusão.

A Mente errada, pelo contrário, percebe a causa e o efeito como separados e


percebe as “causas” e os “efeitos” na forma e à parte da mente. Pensamentos
vindo do corpo ao nível da mente (causa) é um exemplo de confusão de nível
que UCEM oferece.

Em termos simples este erro é um exemplo de atribuir uma característica da


mente (ex: causa, energia, memória) ao corpo. Os conceitos de “instintos” e
“memória celular” e “energia kundalini” são três variações de exemplos da
tentativa de espiritualizar a matéria vendo a causa na forma. Estes conceitos
são apenas diferentes formas de níveis de confusão ou ver causa na forma.
Libertar-se do nível de confusão é o resultado de seguir o Espírito Santo em
direção à aceitação da Expiação. Uma vez que o reconhecimento chega à
consciência que somente a mente é causativa, isto abre o caminho para a
Correção (Expiação) Que mostra que o erro da separação nunca aconteceu.
Este é o reconhecimento de que somente o Amor é real e o ego não tem
existência. O milagre mostra que não há hierarquia de ilusões, pois ilusões são
uma. O milagre mostra que não há níveis na percepção.

Na Perspectiva do Espírito Santo não há ilusões separadas - a Perspectiva


simplesmente vê o falso como falso. Portanto, desta Perspectiva não há nada
para “evitar” ou nada para “promover”. Também desta Perspectiva é aparente
que a mente é uma e os conceitos de “mentes individuais” e “grupos de
ilusões” não tem existência. A Mente é única e não pode ser quebrada em
pedaços ou partes ou grupos, e assim o conceito de “coletivo” não tem base na
Realidade.

Jesus pareceu alimentar seu corpo, porém esta ação aparente não tirou nada
dos ensinamentos sobre a Realidade Eterna: “Antes que Abraão existisse, Eu
sou” “Eu e o Pai somos Um” “Eu estou te Chamando para sair deste mundo”
“Eu sou como Deus Me criou” “Eu sou Espírito”. Muitos dos ensinamentos de
Jesus foram feitos a mesa durante o jantar, porém a cortina de fundo ‘ato de
comer’ era apenas isso - um pano de fundo. O Conteúdo dos ensinamentos
permanece: “O Reino do Céu está dentro.” As Lições 50 e 76 do Livro de
Exercícios do UCEM dissipam a noção de “leis naturais” do mundo / corpo e
ensina a Realidade Espiritual: “Eu não estou sujeito a outras leis senão a de
Deus”. O Amor é a única “Lei” que opera na Criação porque Deus é a Sua
Fonte e Que se origina de Deus é Toda a Realidade.

Ilusão significa irreal, e o que é irreal não pode “nascer” ou “morrer”.


Portanto, o corpo não pode morrer ou nascer ou ter vida, pois o que é nada é
simplesmente nada.

Não existe mente na matéria. Não há vida, ou verdade, ou substância, ou


inteligência na matéria.

Da Perspectiva do Espírito Santo, Que é a única coisa que importa, não há


matéria morta ou matéria viva, nem matéria boa ou matéria má, nem matéria
bonita ou matéria feia. O que é irreal não pode SER dividido em categorias ou
partes. A Mentalidade certa reconhece que é assim.

A “saída” da mentalidade errada realmente é o Ajudante, o Consolador, o


Espírito Santo. Fazer as Lições do Livro de Exercícios do UCEM sob a
orientação do Espírito Santo é uma maneira de discernir entre a mentalidade
certa e a mentalidade errada (os dois únicos níveis significativos durante o
“processo” do Despertar) e assim aproximar-se da decisão final, Expiação,
Que leva inteiramente para depois do conceito do erro.

É importante lembrar que o “desistir” da ilusão não tem custo ou sacrifício. A


Correção é na verdade “a ilusão do desistir”, ou a ilusão do “ganhar” tudo e
“perder” nada. Não é uma aceitação digna da nossa mente santa?

Na aparente liberação do erro ou ilusão, de fato não há nada a ser tirado.


Existe somente a aceitação do que é e sempre foi verdadeiro. Uma “pessoa”
não pode aceitar a Correção, mas a mente pode e deve. É o reconhecimento
que a Santa Criança de Deus é Mente, integralmente Mente, Puramente
Mente, Perfeita e Eterna na Mente de Deus.

A Mente Divina é Íntegra e Completa e não pode representar nenhum “papel”.


Ela simplesmente É. Seu questionamento sincero começou com o conceito de
níveis e chegou ao: “...tudo isso me faz querer saber como mudar o rumo da
minha viagem ilusória e como reagir a algo que realmente não aconteceu.”

Permita que o Espírito Santo te Guie no momento de pensar e perceber da


Perspectiva da mentalidade certa. Quando a falsa crença é levada a Luz
interior a crença desaparece, e ao dissolver você vivenciará a experiência de
que não há causa de maneira alguma na matéria.

Seja “Egoísta” no sentido construtivo de aceitar a Magnitude e Poder e a


Glória do Teu Ser em Cristo, e entenda que não há nenhum “custo” neste
reconhecimento. Isto é realmente humilde e aceita o Único Ser como Deus
criou o Único Ser e é arrogante acreditar que o cosmos criado do faz de conta
poderia algum dia tomar o lugar Eterno de Cristo.

Conforme o erro é liberado não há a necessidade de reagir à ilusão em


absoluto. Pois o Amor é real e o Amor simplesmente estende e olha para o
Amor. Todas as reações, incluindo a percepção da dor, eram falsas emoções
que não tem nenhuma base na Realidade. E na Expiação é evidente que nada
que o ego pareceu acreditar ou pensar ou fazer ou sentir teve qualquer
realidade ou significado. Não há absolutamente nenhuma reação a algo que
nunca aconteceu, e o Amor permanece verdadeiro para sempre.

Eu Te Amo para todo o sempre!!!

Ao “Seguir” o Cristo - O Mundo Me Odiará?

P: É verdade que o mundo vai me odiar se eu seguir o Cristo? Eu preferiria


que o mundo sentisse a minha paz. A primeira pergunta é apenas um
pensamento que é verdadeiro se eu acreditar nisso?
Em algum lugar do UCEM não diz algo sobre eu não ter aprendido minha
lição final até que todos, mesmo aqueles que só pensam em mim sintam a paz.
Caro irmão, eu estou lutando com os sentimentos. Tenho sido guiado por
Cristo só para entrar em desentendimento com aqueles ao meu redor. Por
favor, ajude-me a libertar a minha mente.

R: Parecerá que perseguição, acusação e ataques são reais enquanto se


continua a ter fé na crença em pensamentos privados e mentes privadas. A
crença que uma Idéia na Mente de Deus pudesse deixar a Sua Fonte e entrar
num mundo de tempo, espaço e forma, e que um muro de carne pudesse
conter uma mente privada com seus próprios pensamentos - tudo isso nasce de
uma crença que é errônea.

O “papel de acusador” aparecerá em muitos lugares e muitas formas e


parecerá estar te acusando, mas não tenha medo isto irá finalmente te deixar
em paz. O reconhecimento do nosso ser como Cristo é o fim dos conceitos de
líder” e “seguidor”, pois Quem é o Cristo senão o Próprio Ser. E com este
reconhecimento o ataque é visto como impossível. Pois a unicidade, Sendo
Uma não pode atacar ou ser atacada.

A Mente Divina é única, e o ataque de qualquer grau ou qualquer tipo é


impossível na verdade. A Paz não pode entrar num mundo que percebe ela
mesma num mundo de dualidade. A paz de Deus transcende a perspectiva
pessoal, e pode ser verdadeiramente dito que Deus não olha para as pessoas.

O que você parece ver e encontrar ao seu redor são pensamentos de dúvida
que ainda não foram levados à Luz. Porém “ver” através dos cinco sentidos
não é Ver com a Visão de Cristo. As imagens parecem odiar “você” que segue
o Cristo, eles só testemunham a crença no minúsculo ser. As imagens têm
todo o significado que o ego deu a eles, porém nada do ego tem significado.
Este é momento decisivo onde você permite que o significado do “Nada do
que eu vejo significa coisa alguma” despontar na consciência. Este é o
momento de entrar na experiência do “Não existe mundo nenhum”, a idéia
apresentada na lição 132. Este é o Misticismo, a experiência dentro da mente
que não pode ser explicada ou descrita. O que está agora ao alcance das mãos
é o “desistir” do nada pela experiência do Tudo.

Não há nada fora de Você, Santo Milagre de Deus.

Encontrar o Cristo é ver a impossibilidade da busca. A busca era a doença. A


busca era a confusão. A Paz é a própria recompensa, pois a Causa e o Efeito
estão juntos e nunca separados. A Mente Única transcende o conceito das
partes. Quando a cura (Expiação) é aceita, o conceito de “mentes individuais”
separadas se foi. O conceito ERA a confusão, pois era a crença de que o
ataque era real. Era a crença de que a Mente poderia ser estilhaçada em muitos
e muitos pedaços separados. Paz e Unicidade são a Mesma, e não podem ser
encontradas separadamente. A Paz da mente é esquecer o conceito do
“pedaço”.

O teste da paz perfeita ao qual você se refere, concerne-se à nossa Mente


Santa, Amado Milagre.

A interpretação que te dou agora é: A experiência da Paz de Deus inclui todos


e tudo, pois não há nada fora da Mente de Deus.

O que você reconhece como seu Ser é verdadeiro para Todos, pois o Cristo é
Tudo. Deixa as imagens se afastarem da sua consciência e descansa no Amor
do nosso Pai. A paz nunca pode ser encontrada na tentativa de reconciliar
imagens com a verdade. Permita que elas desmanchem na prece pelo eterno.
Estou testemunhando Agora que Você é a Paz, o Todo da Criação, pois Nós
somos Um Único Ser.

O convite para que o Cristo Seja apenas Ele Mesmo permanece o mesmo.
Como declarado na lição 189 do Livro de Exercícios do UCEM.

Faze simplesmente isso: aquieta-te e deixa de lado todos os pensamentos


sobre o que és e o que Deus é; todos os conceitos que aprendeste sobre o
mundo; todas as imagens que tens de ti mesmo. Esvazia a tua mente de tudo o
que ela pensa ser verdadeiro ou falso, bom ou mau, de todo pensamento que
julga digno e de todas as idéias das quais se envergonha. Não retenhas nada.
Não tragas contigo nenhum pensamento que o passado tenha te ensinado e
nenhuma crença que tenhas aprendido com qualquer coisa anteriormente.
Esquece-te desse mundo, esquece-te deste curso e vem com as mãos
totalmente vazias ao teu Deus.

Você é a Dádiva de Deus para sempre.

O fim da dúvida sobre o nosso Ser é o fim da confusão.

Como Alguém Pode Se Entregar a Deus?

P: Oi. Agradeço por tudo que você faz. Estou começando um programa de
tratamento para dependentes químicos.Há anos tenho lutado contra este
problema, e quando eu entrei pela primeira vez numa reunião do NA, eu tinha
um conceito muito limitado de Deus. Agora, anos mais tarde, lendo e
praticando UCEM, agora eu sinto como se o meu conceito de Deus é uma
idéia complicada demais para confiar, e tudo que eu sempre acreditei, sinto
que devo abandonar.
Como alguém pode se entregar a Deus? É uma questão de prática, ou é uma
questão de simples abandono, que não parece ser simples? Agradeço por
qualquer opinião sobre a questão. Namaste.

A: Namaste, Amado Milagre. Agradeço por escrever e agradeço pela sua


devoção ao Despertar.

Rapidamente se torna evidente que a “condição humana” foi uma condição da


dependência do ego. Os pensamentos do ego somente podem parecer encobrir
a verdade do Único Ser. Nosso Ser em Cristo está intocado pela ilusão.

Você escreveu: “agora eu sinto como se o meu conceito de Deus é uma idéia
complicada demais para confiar, e tudo que eu sempre acreditei, sinto que
devo abandonar.

”Você está certo sobre, não manter na consciência qualquer conceito


(incluindo um “conceito de Deus”), com a exceção do completo perdão (o
conceito final), é um bloqueio para a verdadeira liberação.

Como alguém pode se entregar a Deus? Como o perdão é aceito?

Estas duas questões são a mesma questão, e a Resposta é o Espírito Santo.

O Espírito Santo é uma decisão e tudo que é pedido a você é a disposição para
decidir-se por Deus.

Cada momento que você faz isso é um milagre. E com a disposição total a
necessidade de tempo e milagres acaba. A aplicação do UCEM, com
disposição para não fazer exceções nas Lições do Livro de Exercícios, é o que
você poderia chamar de “prática”. E a cada momento, se aceito pelo Propósito
do Espírito Santo, é uma oportunidade completa para “simplesmente
abandonar.” Estou unido a você neste Propósito e não podemos falhar. Pois a
Vontade de Deus já foi feita. Nada pode mudar o Amor eterno.

Com cada momento de disposição uma força viva parece crescer, e uma
confiança e certeza sobre a Orientação do Espírito Santo também parece
crescer. Esta força viva é como uma onde gigante de Amor. E conforme as
últimas areias do ego são lavados, é óbvio que o Amor é tudo que há. A
crença em opostos foi desfeita! Esteja aberto a este pensamento feliz e
verdadeiro, com cada passo que você é Guiado a dar na estrada da
Recuperação ou Reconhecimento do Espírito.

Foi dito: “Deixa pra lá, e deixa Deus pra lá,” e isto parece um conselho. Deixa
o “como” por conta do Espírito Santo, pois os meios e os fins são um para Ele.
Somente esteja disposto. Mais que isso você não pode fazer. O resto será dado
a você.
Eu Te Amo!

Chegando em Lugar Nenhum

P: O Curso diz: “Por que eu escolheria ficar mais um momento onde não é o
meu lugar, quando o próprio Deus Deu-me a Sua Voz para chamar-me de
volta a casa?” (Lição 202)

“... sou Seu Filho, não escravo do tempo, nem preso a leis que governam o
mundo de ilusões doentias...” (Lição 204)
Minha pergunta é esta: Você escreveu que o desejo da salvação é o suficiente.
Nós não precisamos fazer nada e de fato, tudo é feito para nós pelo Espírito
Santo e nós não podemos adicionar nada a isso. Também não precisamos vir
ao Instante Santo já curados dos nossos medos. Ele é feito para nos curar. Se
estas afirmações são verdadeiras por que eu ainda estou aqui, apesar dos
vários anos de prática e o mais forte desejo possível? Por que é tão difícil
conseguir a expiação e o que estou fazendo de errado?

Agradeço a sua ajuda. Sinceramente.

R: Amado Milagre de Deus. Agradeço a sua pergunta sincera e a devoção ao


Despertar. Você não “fez” nada de errado no Grande Despertar para a Pureza
do Coração.

Todos os “fazeres” e “comportamentos” e “percepções” pareceram provir do


coração que desejou Deus e desejou ídolos. O desejo único poderia ser
chamado de ‘estado sem desejos’, e este é o Estado da Criação. Este é o
significado do “Deixe seus olhos serem um” e mostrar a Visão espiritual ou
Luz.

A Visão não envolve o corpo ou percepção, porém esta Visão está encoberta
da consciência enquanto o desejo é dividido. O cosmos inteiro de tempo-
espaço não é nada senão um reflexo do desejo dividido. Conforme você tenta
meditar e afundar na Perfeita Quietude você irá notar que a resistência do ego
cresce. Esta é a resistência da experiência do “não fazer nada” do “Ficar
Quieto e saber que Eu sou Deus.” Parecerá difícil não fazer nada enquanto
você ainda acredita no ego, na personalidade, no tempo-espaço linear.

O ego era uma crença falsa. O ego era a crença que a Criação poderia ser
quebrada em pedaços e partes sem significado. O “eu” que parece estar “aqui”
após “tantos anos de prática” é o auto-conceito que não tem Realidade e foi
dissolvido pelo Espírito Santo. O passado se foi. O auto-conceito incluiu “**”
e a família e os amigos do “**” e o cosmos inteiro que pareceu rodear a
personalidade do ser. Agora a mente está se abrindo para aceitar a solução,
este dissolver, este desfazer no Presente Momento ou Instante Santo.

Olhe diretamente e calmamente para tudo que você não é junto com o Espírito
Santo, e felizmente Quem Você É permanece para todo o sempre intocado.
Deixa todos os pensamentos transitórios do passado e futuro partirem, e Quem
permanece no Presente é o Ser que Deus cria para sempre Perfeito.

É difícil resistir a aceitação da Expiação, pois o perdão é a experiência mais


natural que se pode ter em relação à este mundo. Sendo como Deus criou o
Único Ser é o Significado Natural na Verdade. O Que Deus cria, Espírito, é
para sempre Natural. Qualquer coisa que pareça encobrir o Natural não é
natural e assim pode facilmente ser perdoado ou liberado.
Olhe para o que você acredita com determinação persistente de Ver além da
crença com a Visão do Espírito de Cristo. Desejando somente a Deus, a
lembrança de Deus retorna Completa na Consciência. Desejos falsos partirão,
pois eles não têm nenhum Fundamento, nenhuma Realidade, nenhuma Fonte.
Apenas tenha o desejo da Verdade e assista e observe que todas as decisões
aparentes já foram feitas. Observação ou Testemunho sem Esforço é nosso,
como o Sonhador do sonho. Nada pode tocar o Sonhador Que permanece
ciente que o cosmos foi somente um sonho.

Toda a Glória para o Um por criar o Espírito Perfeito. Gratidão ao Espírito


Santo por contemplar o sonho como falso da Perspectiva da felicidade e da
paz. Nós estamos unidos nesta Perspectiva santa!

Amor e Bênçãos chovem sobre o Milagre Vivo.

Sempre Amor.

É certo algum dia desistir de um Relacionamento?

P: Esta é uma pergunta difícil de fazer. É certo algum dia desistir de um


relacionamento? É sempre o ego que está buscando amor e não o encontra?
Parece que vejo alguns casais que parecem que tem relacionamentos
“amáveis”, isso me frustra ainda mais, embora eu esteja no mesmo
relacionamento há mais de 35 anos.

Tenho lutado com tanta freqüência com o sentimento de estar repetindo


sempre a mesma ladainha. Porém, porque tenho estudado o Curso há vários
anos, sou profundamente ciente que o Filho de Deus (meu parceiro), sempre
merece o meu amor e a minha honra.

Quando fico deprimida com o meu relacionamento, eu me lembro de não


concentrar naquilo que eu quero, mas re-concentrar no quanto eu posso dar ao
relacionamento - sabendo que dar é receber. Ocasionalmente, há uma luz
tênue, mas na maior parte do tempo tudo é turvo.

Eu não quero desistir desta pessoa, ou do relacionamento - mas com certeza


não é bom.

Seu amável insight é muito apreciado. Namaste.

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever. Em UCEM o Cristo ensina que o único uso correto do
julgamento é “como você se sente?”
Sim, é sempre o ego que está buscando o amor e não o encontra. E sim, o
Filho de Deus sempre merece nosso amor e nossa honra, pois o Cristo é o
nosso Ser.

Você escreveu: “Quando fico deprimida com o meu relacionamento, eu me


lembro de não concentrar naquilo que eu quero, mas re-concentrar no quanto
eu posso dar ao relacionamento - sabendo que dar é receber.” Concentre-se no
estado da mente que você verdadeiramente quer - paz, e veja que a paz da sua
mente é a dádiva que você oferece. É verdade que dar é receber, pois o Cristo
estende a paz e vivencia a paz que é estendida. Lembre-se que as dádivas não
são feitas através de corpos, se são verdadeiramente dadas. Sua beatitude da
paz é a dádiva, e se você parece estar deprimida é porque você está tentando
se privar de dar / receber a dádiva.

Como uma metáfora para o Despertar em UCEM Cristo descreve três


aparentes “níveis” de ensinamento. São pontos de apoio para aprender que o
dar e receber são um, pois na Verdade não há níveis de Amor e este é um
Curso sobre Ensinar Somente o Amor:

“Os professores de Deus não têm nível de ensino determinado. Cada situação
de ensino-aprendizado envolve um relacionamento diferente no início, embora
o objetivo final seja sempre o mesmo: fazer do relacionamento um
relacionamento santo, no qual ambos são capazes de olhar para o Filho de
Deus como alguém sem pecado. Não há pessoa alguma de quem o professor
de Deus não possa aprender, portanto, não existe ninguém a quem ele não
possa ensinar. Entretanto, por uma questão prática, ele não pode encontrar
todas as pessoas, nem todos podem achá-lo. Assim, o plano inclui contatos
bastante específicos a serem feitos por cada professor de Deus. Não existem
acidentes na salvação. Aqueles que têm que se encontrar, encontrar-se-ão,
pois juntos têm o potencial para um relacionamento santo. Estão prontos um
para o outro.”
“O nível de ensino mais simples aparenta ser bem superficial. Consiste do que
parecem ser encontros muito casuais, um encontro “por acaso” de duas
pessoas aparentemente estranhas em um elevador, uma criança que não olha
para onde está indo e “por acaso”, correndo, vai de encontro a um adulto, dois
estudantes que “casualmente” caminham para casa juntos. Estes encontros não
são casuais. Cada um deles tem potencial para vir a ser uma situação de
ensino-aprendizado. Talvez os dois estranhos no elevador sorriam um para o
outro, talvez o adulto não brigue com a criança que o atropelou, talvez os
estudantes venham a ser amigos. Mesmo ao nível do encontro mais casual, é
possível que duas pessoas percam de vista os seus interesses separados, ainda
que por apenas um momento. Esse instante será suficiente. A salvação veio.”

“É difícil compreender que o conceito de níveis para ensinar o curso universal


é um conceito tão sem significado na realidade quanto o tempo. A ilusão de
um permite a ilusão do outro. No tempo, o professor de Deus parece começar
a mudar a sua mente a respeito do mundo com uma única decisão e, a partir
daí, aprende cada vez mais acerca da nova direção à medida que a ensina. Já
tratamos da ilusão do tempo, mas a ilusão dos níveis de ensino parece ser algo
diferente. Talvez a melhor maneira de demonstrar que tais níveis não podem
existir seja simplesmente dizer que qualquer nível da situação de ensino-
aprendizado é parte do plano de Deus para a Expiação e o Seu plano não pode
ter níveis, sendo um reflexo da Sua Vontade. A salvação está sempre pronta e
sempre presente. Os professores de Deus trabalham em níveis diferentes, mas
o resultado é sempre o mesmo.”

“Cada situação de ensino-aprendizado é máxima no sentido de que cada uma


das pessoas nela envolvidas vai aprender o máximo de que é capaz com a
outra naquela ocasião. Nesse sentido, e somente nesse sentido, podemos falar
em níveis de ensino. Usando a expressão dessa maneira, diríamos que o
segundo nível de ensino é um relacionamento mais prolongado, no qual duas
pessoas entram em uma situação razoavelmente intensa de ensino aprendizado
por um certo tempo e depois aparentemente separam-se. Como no caso do
primeiro nível, estes encontros não são acidentais e nem aquilo que aparenta
ser o final do relacionamento é um final real. Mais uma vez, cada um
aprendeu o máximo que pôde na ocasião. Entretanto, todos aqueles que se
encontram algum dia encontrar-se-ão outra vez, pois é destino de todo
relacionamento vir a ser santo. Deus não está equivocado no Seu Filho.”

“O terceiro nível de ensino ocorre em relacionamentos que, uma vez


formados, duram a vida inteira. Essas são situações de ensino-aprendizado nas
quais a cada pessoa é dado um parceiro que é escolhido para o aprendizado
por lhe oferecer oportunidades ilimitadas de aprender. Em geral, esses
relacionamentos são poucos, porque a sua existência implica que os
envolvidos tenham simultaneamente alcançado um estádio em que o
equilíbrio de ensino-aprendizado seja, de fato, perfeito. Isso não significa que
eles necessariamente reconheçam isso; de fato, em geral, não reconhecem.
Eles podem até mesmo ser bastante hostis um em relação ao outro por algum
tempo e talvez pela vida afora. No entanto, caso decidam aprendê-la, a lição
perfeita está diante deles e pode ser aprendida. E se decidem aprendê-la vêm a
ser os salvadores dos professores que vacilam e podem até mesmo parecer
falhar. Nenhum professor de Deus pode deixar de encontrar a Ajuda de que
necessita.” (Manual de Professores-3)
Seu relacionamento com o seu parceiro é similar à maioria dos
relacionamentos pessoais, relacionamento de “casais” e tem sido...“um
relacionamento mais prolongado, no qual duas pessoas entram em uma
situação razoavelmente intensa de ensino aprendizado por um certo tempo e
depois aparentemente separam-se. Como no caso do primeiro nível, estes
encontros não são acidentais e nem aquilo que aparenta ser o final do
relacionamento é um final real. Mais uma vez, cada um aprendeu o máximo
que pôde na ocasião. Entretanto, todos aqueles que se encontram algum dia
encontrar-se-ão outra vez, pois é destino de todo relacionamento vir a ser
santo. Deus não está equivocado no Seu Filho.” Pouquíssimos
relacionamentos de “casais” são de situações do terceiro nível de ensino-
aprendizado, “...porque a sua existência implica que os envolvidos tenham
simultaneamente alcançado um estádio em que o equilíbrio de ensino-
aprendizado seja, de fato, perfeito.” No terceiro “nível” de situações de
ensino-aprendizado há sempre uma experiência interna de rápido crescimento
espiritual ou desfazer do ego.

Se você está vivenciando depressão prolongada ou um sentimento de


estagnação prolongado no seu relacionamento este é um Chamado para entrar
no interior e ouvir cuidadosamente as instruções do Espírito Santo. O Espírito
Santo precisa de aprendizes felizes e isto requer a disposição para ser flexível
e confiante e seguir os alertas que são dados a você. A ilusão da depressão
surge da sensação de estar sendo privado de algo que você quer e não tem.
Lembre-se que você não é privado de nada exceto por sua própria decisão, e
esteja disposto a permitir que o Espírito Santo decida por Deus por você,
alinhando-se com o Espírito Santo.

Permita que o Espírito Santo Guie você em todas as aparentes decisões,


incluindo “decisões de ficar ou partir” envolvendo relacionamentos,
empregos, lugares, etc. Vai parecer que você passa por muitas mudanças
conforme você Desperta, porém estas mudanças são tão temporárias quanto o
perdão a que elas levam. Virá uma experiência que acabará com todas as
dúvidas, e esta experiência toca a Imutabilidade do Espírito.

Esteja disposto a seguir todos os alertas do Espírito Santo, e você saberá o que
você tem, pela leveza do coração, pela paz e alegria que você sente
internamente. Este e o único uso correto do julgamento e este discernimento
irá te levar ao mundo perdoado e ao Despertar inteiramente do sonho da
separação.

Estamos unidos neste Despertar, e a Alegria e a Felicidade são inevitáveis,


pois a Vontade de Deus é da Perfeita Felicidade. É impossível que o Amor de
Deus permaneça desconhecido.

Eu Te amo para todo o sempre!

O Sexo pode ser um Ato de Amor?

P: Tenho imaginado qual é a sua visão sobre fazer sexo? Às vezes eu acho que
de certa maneira é uma parte do nosso ego, porque poderíamos pensar que é o
nosso ego tentando fazer com que as nossas mentes pensem somente no que o
corpo poderia precisar. Mas conversei sobre isso com amigos e chegamos à
conclusão que dependendo da situação ou da pessoa com quem você está,
também é um ato de amor se você está fazendo sexo com a pessoa que você
ama. Muitos são os Atos de amor, eu os chamaria de milagres. Então o que
Um Curso Em Milagres diz sobre isso? Qual é o seu ponto de vista?

Sempre Amor.

R: Olá Amado Milagre.

Agradeço por escrever! Sexo em um relacionamento amoroso dedicado ao


Espírito Santo e Orientado pelo Espírito Santo é (neste sentido) um ato de
afeição e pode continuar a ser assim até que a mente tenha se unido tão
firmemente ao Propósito, que não haverá mais fortes desejos ou vontades de
qualquer tipo na forma.

Quando este estado de falta de desejo ocorre, há verdadeiramente o milagre da


Expiação e Cristo está satisfeito no Amor Divino de Conhecer Deus em
Espírito. O milagre da Expiação transcende ou dissolve a atração da culpa na
mente adormecida.

Sexo somente com o propósito do prazer e gratificação sensual é uma


motivação do ego, tentando reforçar a “realidade” do corpo, e isto sempre
envolve a ilusão da culpa.

Em UCEM Cristo fala da atração da culpa (dor & prazer) e isto envolve a
atração do corpo e do mundo - então conforme se aprofunda no Despertar os
desejos por qualquer coisa deste mundo evapora ou se dissolve - e a Alegria
irradia de dentro! Todas as necessidades aparentes ou carências se foram no
Amor Divino.
Permita o Espírito interior te Guiar em todas as coisas, momento a momento.

Amor & Bênçãos!

Alcançando a Consistência

P: Como alguém se lembra de segurar a mão do Espírito Santo ou Jesus todos


os minutos do dia? Pareço incapaz e me desgarrando para cometer erros de
novo e de novo, e descobri que não estou segurando a mão Dele. Por favor,
me ensina. Agradeço.

R: Ensinar e pensar são sinônimos. A mente está constantemente ensinando


ela mesma o que ela é, pelos pensamentos que tem. A mente enganada está
confusa e em conflito, pois ela tenta manter na mente dois sistemas de
pensamentos irreconciliáveis: de Deus e do ego. Quando a mente está
destreinada, as vacilações no pensamento simplesmente descreve a condição
da mente enganada, da mente adormecida. A mente que parece ter esquecido
da sua integridade (e santidade) acredita que tem duas partes. A função do
Espírito Santo é a seleção e liberação do falso (perdão) e a lembrança do
verdadeiro (Despertar).

A primeira coisa importante para lembrar é que um erro é um engano no


pensar, e apenas um engano. A única coisa a fazer quando você reconhece um
engano é liberá-lo imediatamente. Entregue o engano ao Espírito Santo ou
Jesus e confie que ele foi liberado da sua mente. Pule do trem do pensamento
do ego. Não repita ou agrave o engano continuando com ele ficando no trem.
Agora é o momento da liberação e o presente é livre e limpo e imaculado do
passado. Pratique a quietude no presente, para isso há a meditação.

A segunda coisa importante para lembrar é que você é digno da cura e de


receber e lembrar do Amor de Deus. A crença na indignidade é do ego, e
Você não é o ego. Você é uma Idéia na Mente de Deus, totalmente amoroso e
totalmente amável. Você não é capaz de mudar o Amor Eterno ou estar à parte
do Amor. Erros são corrigidos conforme são trazidos à consciência e
liberados. Isto é o mesmo que dizer que enganos são perdoados ou liberados
quando são trazidos à Luz da Verdade. Despertar para o Cristo é inevitável,
então relaxe e não julgue a si mesmo - não porque você não deveria - mas,
porque você é incapaz do julgamento. Deus dá habilidade criativa para Sua
Criação, não habilidade avaliativa. Somente o ego avalia e analisa, pois
somente o ego divide e separa. O ego não é Você. Você é a Dádiva de Deus.

A consistência vem com a prática e transferência do treinamento. Lembre-se


do mantra: “Isto não significa nada.” Aplique-o a todos os pensamentos e
cenas e sons do mundo, e grande será a sua recompensa. Pois a paz da mente
vem para a mente disposta que se esvaziou de ídolos. E o sentimento de
gratidão será cada vez mais forte no seu coração. A força da Quietude, o
Silêncio interior, te carregará gentilmente até a lembrança do Cristo. E o
Cristo irá despontar na consciência: Eu ainda sou como Deus Me Criou.

Paz & Bênçãos Sempre.

O Que é Real?

P: Você é real? Ou você é só uma parte do sonho, representando meu desejo


de despertar. Eu sou o único ser no mundo? Não há nenhuma [comunidade
espiritual central], há? A menos é claro que eu decidisse ir lá, então tudo seria
exatamente como eu inventei. Nunca houve realmente um homem chamado
Jesus. Tudo isso é tramado. Eu inventei você, não inventei?

R: Amado Milagre

Eu sou real. Existe somente Um. Você é o Um. Eu sou o Um.

Não há nenhuma [pessoa] na Realidade, porém [o símbolo de uma pessoa]


pode ser usado pelo Espírito Santo como um símbolo ou reflexo do desejo de
Despertar.Não há nenhuma Concessão na Realidade, porém a Concessão pode
ser usada pelo Espírito Santo como um símbolo ou reflexo do desejo de
Despertar. O mesmo se aplica a Jesus. Existe somente o Espírito que Deus
Criou Eterno.

Não há nenhuma [comunidade espiritual central] na Realidade, e sim se você


pareceu decidir ir “lá” seria exatamente como o ego inventou. A percepção é
seletiva e subjetiva através das lentes do ego, e não há nenhum mundo
objetivo à parte de quem percebe. O ego inventou o cosmos, porém o Espírito
Santo usa o que o ego inventou para levar ao Reino interior do Céu. O Amor é
Tudo que Há. A Eternidade Brilha!

Amor Unicidade

Duas Questões Básicas - sobre milagres e passos fundamentais

Tenho algumas perguntas que passam pela minha cabeça para você
responder…

1) UCEM disse como um Princípio do Milagre que “Milagres não deveriam


ser usados como espetáculos para induzir a crença...”Se isto for verdade, então
como você definiria os milagres de Jesus como alimentar multidões,
ressuscitar os mortos, etc?

2) Wayne Dyer realmente toca a minha alma! Eu vejo o UCEM e ele em


perfeito alinhamento em seus ensinamentos. Você vê a mesma consistência
nos ensinamentos entre o UCEM e Ernest Holmes? E UCEM e The Unity
Church?

Agradeço sempre por sua maravilhosa ajuda para abrir furos (milagres) nas
minhas nuvens que estão bloqueando o Sol. Também gostaria de compartilhar
um verso que inventei:

NÃO VEJA O SOL BRILHANDO, SEJA O SOL BRILHANDO! Em Amor.

Amado Milagre

Agradeço por compartilhar suas questões.

Milagres são sempre só para a mente de quem percebe ou do sonhador (a


mente é uma) e o que parece ocorrer na forma é meramente simbólico.
Milagres são para a mente que tem ouvidos para ouvir, por assim dizer, ou a
disposição e prontidão para contemplar. Mudanças aparentes na forma
refletem a mudança na mente da mente voltada para o milagre, e apesar de
algumas dessas mudanças parecerem transcender “as conhecidas leis físicas”,
na Realidade não existe nenhuma “lei física conhecida”. A Lei do Amor
(Espírito) é a única Realidade.

Alimentar as multidões e ressuscitar os mortos foram símbolos da Lei Divina


do Amor Que não tem limites nem falta. São verdadeiramente as beatitudes ou
o estado da mente que demonstra que o milagre chegou. É o estado da mente
na qual a consistência é possível e esta é uma característica do Despertar.

“Forma consistente” é uma contradição em termos, apesar do comportamento


poder parecer tornar-se mais “estável” para mente voltada ao milagre. O jeito
fácil de lembrar que milagres não devem ser usados como espetáculos para
induzir a crença é lembrar que milagres são meios para o Despertar para a
mente que já “acredita” e que também está disposta a ir além da crença “Ficar
Quieto e Saber Quem Eu Sou.”

Os ensinamentos que você mencionou são todos muitos úteis como pontos de
apoio no Despertar para Unicidade. O Espírito Santo irá Orientá-lo para
discernir a verdade do falso em relação a tudo, e quanto mais profundo você
parece ir parecerá que você transcende todos os conceitos lineares e chega à
experiência que acabará com todas as dúvidas.

Os ensinamentos que você mencionou tem a Unicidade como foco principal,


porém há sutilezas dos conceitos do ego que são transcendidos completamente
na Iluminação. Seu trabalho interno com o Espírito Santo irá instruí-lo na sua
movimentação em direção ao interior e Ajudá-lo a deixar de lado todos os
conceitos (passado-futuro) lineares (tais como equilíbrio e processo e
crescimento e personalidade). Você está se movendo firmemente para dentro
da experiência da Expiação, Cristo e o Amor de Deus.

Agradeço a sua devoção à Verdade! Eternamente Amor.

O Demônio é Real?

P: Por gentileza, você poderia esclarecer uma questão que eu simplesmente


não tenho sido capaz de obter uma resposta consistente. Existe uma entidade
tal como Lúcifer, Satã, Diabo, etc. como mencionados na Bíblia, Urântia,
escrituras gnósticas, etc. a intenção é sabotar o despertar da humanidade? Ou é
o que parece, uma força maligna só mais uma das tentativas do ego de
confundir a mente adormecida?

Agradeço por qualquer ajuda no assunto. Às vezes quando eu vivencio muito


medo, parece como se estivesse vindo do lado de fora do meu ser, sem
nenhuma razão particular, nem em resposta a qualquer evento lógico
repentino. Tenho acordado durante o sono sentindo como se o demônio
tivesse suas mãos em volta da minha garganta. Eu não quero ser enganado se
isto for meramente os dispositivos do meu próprio ego para me manter
entalado aqui e se a tentativa para erradicar a fonte do medo vem do mim, pela
minha maneira mal informada de pensar, se eu preciso resistir a alguma
entidade malevolente em vez de reconhecer que é a minha própria mente não
curada. Somos ensinados a resistir ao demônio e ele fugirá de você. O
demônio fica perambulando procurando alguém para devorar... Jesus viu satã
caindo do céu, etc…

O que isto significa? Às vezes sinto que há uma negritude que está tentando
meu engolir vivo. Esta é só uma tentativa do ego para me manter caçando em
círculos de medo? Agradeço a sua ajuda e paciência neste tópico. E se existe
um demônio real precisamos perdoá-lo também? Querendo despertar!

Amor

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever. O demônio / lúcifer / satã é apenas uma crença


mantida na mente. Quando a crença é exposta e liberada fica evidente que a
crença nunca foi real de forma alguma. O ego é sinônimo de crença e no Céu
não existe crença. Tudo de Deus só pode ser Conhecido.

O ego é dissipado ao se retirar a fé nele, não tentando lutar ou resistir a ele. O


que a mente parece lutar ou resistir parece persistir na consciência porque a
luta vem da crença em opostos. Acreditar que o Amor Divino pode ter um
oposto, que é o ego, é claramente insano.

O perdão é a liberação da ilusão, e o ego deve ser liberado. Somente parece


ser uma batalha enquanto a crença em opostos é mantida como real. A ilusão
não é dissipada pelas palavras, mas é dissipada ao se alinhar com o Espírito
Santo e aceitar a Correção do erro. Nunca se deve lutar contra o erro. Somente
se deve expor como nada e assim liberado da consciência.

O conceito de entidades não é nada mais do que uma projeção, e é mais certo
dizer que o ego e o Espírito Santo são decisões. Decida-se por Deus aceitando
a Correção do erro. A única responsabilidade de um professor de Deus /
trabalhador de milagres é aceitar a Expiação. Esta aceitação traz consistência e
paz e estabilidade para o Reino do Céu / Mente Divina / Cristo / Deus.

Em Amor & Gratidão.

Esclarecimentos sobre Paixão, Ação, Livre Arbítrio e “O Roteiro está


Escrito”

P: Meu primeiro conjunto de perguntas é sobre a idéia da paixão:

Num livro popular sobre espiritualidade está escrito, “Paixão é o amor que
transforma o ser em ação.” Isto é verdade, ou a paixão é realmente apenas um
instinto baseado nos símbolos do ego? Após a Iluminação ainda há uma
transformação do amor - a transformação do ser em ação? Existe alguma
paixão, ou só alegria total e completa?

Meu segundo conjunto de perguntas é sobre a idéia do livre arbítrio:

Se o roteiro da minha vida já está estabelecido e eu não posso mudá-lo, então


também já não está pré-escrito quando eu escolho o perdão e quando não? Ou
é somente a coisa “física” que está escrita (aquelas coisas relacionadas ao
cinco sentidos)? TODOS os meus pensamentos estão escritos?

Agradeço a sua sabedoria.

R: Amor Amado Milagre

Agradeço por escrever. Na Iluminação existe somente Ser (a completa e total


Alegria). Paixão verdadeira é extensão. Portanto, Amor é sem desejo. Não há
‘quem faça’ ou ‘ação’ no Ser Puro.

Em relação à frase ‘o roteiro está escrito’ e a questão sobre o Livre Arbítrio eu


escrevi o seguinte:
Se você examinar os Esclarecimentos de Termos em Um Curso Em Milagres,
você irá encontrar, sob o título MENTE - ESPÍRITO, a seguinte explicação:

“O Espírito retém o potencial para criar, mas a sua Vontade, que é de Deus,
parece estar prisioneira enquanto a mente não é unificada. A criação continua
sem nenhum decréscimo porque essa é a Vontade de Deus. Essa Vontade é
sempre unificada e, portanto, não tem significado nesse mundo. Não tem
opostos nem graus.”

A Vontade de Deus é da Felicidade Perfeita. A Vontade de Deus é unificada e


abstrata, Sendo Unicidade e Amor Divino. A Criação é A Vontade de Deus, e
a criação não tem significado neste mundo. O cosmos foi feito para negar
Deus, o Espírito e a criação, e até mesmo o mundo perdoado ou o sonho feliz
é simplesmente uma ilusão útil e temporária que oferece uma ponte de volta a
Abstração Divina chamado Reino do Céu.

Para resumir, a Vontade de Deus não tem significado neste mundo. Portanto,
não tente ‘descobrir’ ou ‘compreender’ em termos perceptivos o significado
da “Vontade de Deus”. A aproximação mais próxima da Eternidade que este
mundo oferece é o Presente Momento. Você poderia dizer que o Presente
Momento é o portão para a Eternidade. Você não pode se preparar para o
Instante Santo sem colocá-Lo no futuro. Portanto, eu simplesmente Pedi que
você desejasse o Instante Santo e falei da Solução “Eu Não Preciso Fazer
Nada”. Já que você acredita em tempo linear você acredita que o Plano do
Espírito Santo envolve tempo linear, e todas as suas perguntas surgem da
suposição que o tempo é linear em vez de simultâneo. A tentativa para ordenar
os pensamentos de uma maneira linear, para fazer uma hierarquia de ilusões,
para fazer uma série de perguntas irrespondíveis - todas essas ilusões são
defesas do ego contra a Expiação, o Presente Momento, Que É ‘antes’ que o
tempo existisse ou pareceu existir.

A afirmação “O roteiro está escrito” do Livro de Exercícios de UCEM ainda é


um conceito linear já que ‘o roteiro’ é feito do tempo linear. A ênfase da
afirmação está no tempo passado da palavra ‘escrito’. O mundo acabou há
muito tempo atrás. Você que parece dormir e sonhar com um mundo no tempo
linear com eventos seqüenciais, um após o outro está tentando reviver um
instante antigo que acabou, se foi e na Verdade nunca foi. Vamos manter tudo
muito bem simples. Você parece estar sonhando um sonho que envolve
dualidade e multiplicidade, e suas perguntas supõem que esta dualidade e
multiplicidade são reais. Você supõe que o “eu” que está fazendo as perguntas
é real. Eu disse que as ilusões são uma, não muitas. Só existe uma mente (una
sola mente, em espanhol) e só existe um sonhador do sonho. Uma vez que isto
é reconhecido o sonho é um sonho feliz, unificado de não-julgamento ou
perdão. Este sonho unificado poderia ser chamado de percepção curada ou o
mundo real, pois é um reflexo ou símbolo e é o mais próximo da experiência
perceptiva do Céu, Que simplesmente É e absolutamente não envolve a
percepção.

O milagre simplesmente vê o falso como falso. O milagre é a Perspectiva do


Espírito Santo Que está ciente que o tempo foi (ou pareceu ser) simultâneo e
acabou (e nunca foi). O ego oferece uma perspectiva distorcida que o tempo é
linear e ainda está acontecendo. A escolha do propósito é a aparente escolha
entre a Perspectiva do Espírito Santo e a perspectiva do ego. Uma escolha traz
paz, amor, liberdade, alegria & felicidade e a outra escolha traz dor, culpa,
medo, raiva & depressão. Você sabe que escolha você fez pelo o que você
sente.

Você poderia dizer que os pensamentos do tempo linear (passado e futuro)


estão escritos porque os pensamentos que você pensa que pensa e o mundo
que você pensa que vê são o mesmo. A Expiação, no entanto, é uma aceitação
da Correção para todos os pensamentos equivocados e percepções
equivocadas e é independente do tempo - Ser para a cura da crença no tempo
linear. Agora é o único momento que a Expiação pode ser aceita. O Propósito
do Espírito Santo é a única escolha significativa.

Para Sempre Em Amor.

Voltando para a Trilha - Sentindo-se o Pior dos Estudantes de UCEM

P: Eu me convenci que sou o pior estudante que já estudou UCEM. Eu fiz


todo o livro (seis anos atrás) obedientemente fazendo todos os exercícios com
a melhor das minhas habilidades.

Perdão - bem só quando eu penso, sim eu perdôo quando algo aparece e lá vou
eu de novo raciocinando a minha decisão com o ego, tipo por que eu não
deveria. Eu sei que o livro é a minha verdade, mas eu não consigo. E mesmo
se você perdoa os outros e se eles não te perdoam.

Medo - tive uma experiência onde eu estava deitado na cama tarde da noite e
falei ao meu Ser Mais Elevado que eu não tinha medo, então, por favor - me
leve de volta ao amor. Bem dentro de alguns minutos eu posso somente
descrever o que apareceu como nuvens negras rolando em minha direção e a
energia no quarto mudando. Aterrorizado eu disse, pare!!! (e a experiência
parou) e obviamente eu cheio de medo, e não perdôo - um estudante bem
inútil se eu devo dizer isso de mim mesmo!!!

Eu abri o livro UCEM na página onde fala sobre, “você pode pensar que eu
estava enganado em escolher você como um canal” e eu realmente dou
risadas.
Você pode me dizer onde estou tão obviamente errando??? Abraços.

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever. A mente adormecida / sonhadora está muito, muito


profundamente e desconhecidamente com medo do Amor de Deus enquanto
ela acredita no ego. O ego é a crença na separação de Deus e deve ser
completamente exposto e liberado antes que a mente seja restaurada ao seu
Estado natural de Paz.

Você não é “o pior estudante que já estudou UCEM” porque a comparação é


somente um dispositivo do ego e o Amor não faz comparações ou avaliações
ou julgamentos. O ego, sendo o nada, não conhece nada e você não precisa
tentar compartilhar os pensamentos / crenças / emoções / percepções da
insanidade. O Curso é para ser estudado e praticado diligentemente se você
deseja vivenciar a Paz que Jesus e o Espírito Santo e eu prometo a você. Foi
dito a você que a Paz é inevitável, e dito que você deve atravessar a escuridão
para chegar a Luz. A decisão de seguir e praticar o UCEM demonstra a
disposição de se mover em direção à cura da mente, e a decisão de curar com
o milagre é um momento pela decisão do momento.

“Seja vigilante a favor de Deus e Seu Reino” é uma declaração que Traz à
tona a disposição de vigiar a sua mente dos pensamentos do ego e deixá-los
partir. É necessário prática e disposição prolongada para estar atento à mente e
retirar a atenção dos pseudo “problemas” que o ego estabelece como
distrações da Paz.

Estou unido a você em nosso Propósito compartilhado, e juntos não pode


haver falhas. O que Deus Quer é Felicidade Perfeita para cada Um / Todos na
Mente da Criação. Para reconhecer a Criação é necessário ver o nada e a
irrealidade das imagens que parecem ser “fabricadas” para bloquear a Luz da
consciência.

Um equívoco e nem uma série de equívocos é uma razão para perder a


esperança no treinamento da sua mente. Libere todos os equívocos passados
para o Espírito Santo e venha de novo com um coração aberto para o Presente
Momento da Inocência. Eu te encontrarei lá. Nós temos um encontro. É
maravilhoso, eu te garanto. Você não vai se arrepender em manter este
compromisso.

Chuvas de Amor.

O Que Diferencia um Autêntico Caminho Espiritual de um Culto?


P: O que diferencia um autêntico caminho espiritual daquele que é um culto?
O que exatamente é um culto?

R: Amado Milagre

O melhor indicador de um autêntico caminho espiritual é aquele que instrui


que a responsabilidade do estado da sua mente é sua, a qualquer momento. A
verdade está no interior e não pode ser encontrada em pessoas, lugares ou
coisas externas.
A Verdade não é uma coisa que pode ser encontrada num livro ou num objeto.
A Verdade é uma experiência de viver o momento que desponta do Próprio
Momento. O Espírito usa os símbolos, cenas e sons do mundo, incluindo
pessoas e música e palavras de inspiração (escrituras), para ajudar a mente
equivocada no momento da Realização ou Reconhecimento. São todos pontos
de apoio ou metáforas, e todas se dissolvem no momento do Reconhecimento
de que é uma experiência externa!

A verdadeira espiritualidade está em comunicação aberta, a liberação de todos


os pensamentos de ataque (e o medo, a culpa e a raiva que esses pensamentos
produzem), não-julgamento, verdadeira humildade, sem defesas, gentileza e
misericórdia divina. Qualquer autêntico caminho espiritual irá promover o
perdão e defender o deixar as mágoas de lado. Tudo está incluso na
experiência do amor, pois o amor é incondicional e impessoal, e todos são
igualmente amados e apreciados.

Um culto é um símbolo ou representação da crença que o estado da sua mente


é dependente de uma pessoa, lugar, evento ou circunstância e não é uma
decisão da sua mente. A fé é colocada em “autoridades, formas e rituais
externos”, e a experiência subjacente será sempre baseada no medo, não
importa quão afetuoso e adorável a devoção pareça ser. Em último caso você
nunca pode realmente amar ou adorar ou ser devoto a nada específico ou nada
na forma, pois a verdade não pode ser encontrada em imagens e símbolos.

Quando você vincula a forma ou o cenário ou o roteiro, você acredita que isso
o fará feliz, um substituto ou ídolo-imagem foi feito e aceito como real, e está
sendo adorado. A Verdade é negada em tal tentativa. E o pseudo “amor” se
transformará em ódio e raiva na mente do “líder” ou “seguidor”.

O que pode se transformar em ódio nunca foi o Amor de Deus, mas em vez
disso foi o desejo de ser especial e “amado” no sentido pessoal. Aí aparece
aquela mentalidade do sistema de pensamento do culto “eu sou mais santo do
que tu”, que tenta elevar algumas pessoas e colocar outras numa posição mais
baixa e perpetua uma divisão “nós / eles”. Por esta razão, existe sempre um
medo de um “inimigo” externo.
Na verdadeira espiritualidade todos são bem vindos, pois fica evidente que
estamos sempre encontrando nosso Ser. Ninguém é recusado ou “julgado
contra”. A aceitação da verdade é uma experiência na qual ninguém e “taxado
ou dispensado”, pois a experiência da verdade é vasta e expansiva e inclui
tudo!

A experiência é livremente dada por Deus, e a Paz e a Alegria e o Amor de


Deus está além da possibilidade da comercialização. Não há reciprocidade
(dar para receber) uma autêntica espiritualidade não pode ser comprada ou
vendida. O Amor é dado livremente, e ao doá-lo, ele é retido na consciência.
O que você compartilha é fortalecido na sua consciência, então ao dar amor
você se torna consciente de que você tem amor e é amor. É assim que a mente
é despertada pelo Espírito Santo do sonho de escassez, culpa, medo e morte.
Primeiro você aprende a perdoar, e então você é despertado para a Vida
Eterna!

O oposto de uma vida de amor e perdão e confiança em Deus é uma


“condição” de medo, culpa, escassez e raiva. Esta “condição” é o jeito mais
simples de definir o “sistema de pensamento do culto”. Por causa do medo
intenso e desconfiança, o “sistema de pensamento do culto” envolve ameaça,
privacidade, sigilo, hierarquias e “cadeias de comando”, tentativas de controle
e manipulação através da quebra da comunicação ou usando a comunicação
para “fazer culpado”. Pode parecer se manifestar como escassez (estocando
comida, dinheiro, posses e suprimentos que surgem do medo que possam ficar
sem). Pode se manifestar sob o disfarce da abundância (poder, riqueza, fama,
poderes psíquicos, experiências e fenômenos de energia que são valorizados).
Estas buscas, sob o disfarce da espiritualidade e religião, são distrações e
desvios da verdadeira paz e felicidade. Quando o ego é fortemente ameaçado,
pode até mesmo recorrer ao confronto, o uso de armas de fogo e armamentos,
violência ou suicídio como uma “fuga”.

O “sistema de pensamento do culto” baseia-se no julgamento, pois ele eleva


algumas pessoas como especiais e “bons” e rebaixa outros como “maus”. Os
bons são elogiados e lealmente adorados, enquanto os “maus” são atacados,
evitados, culpados, abandonados, excluídos ou rejeitados. O “sistema de
pensamento do culto” envolve formar “grupinhos” espalhados pelo mundo,
crenças históricas e valores de etnia ou hereditariedade ou tradição ou
geografia ou nacionalidade ou raça ou sexo ou idade ou práticas e rituais
religiosos. O “sistema de pensamento do culto” pode envolver qualquer coisa
específica no mundo enquanto os limites e as diferenças são mantidos a todo
custo, então exclusividade e uma “identidade” especial podem ser mantidas. O
“sistema de pensamento do culto” é rápido para ficar com raiva e acusar e às
vezes rápido para fugir, e é particularmente ameaçado pela comunicação
aberta e direta.
A perda futura não é o maior medo do “sistema de pensamento do culto”,
porque a reunião e união do presente é o que ele mais teme. O ego vê a união
completa como abolição da privacidade e separação, e isto não p’ode ser
tolerado. Para se proteger o ego tentará o isolamento e confiar celestialmente
nas estratégias de “luta ou fuga”. As decisões são feitas às pressas e sempre
baseadas no medo. Razão e paciência e cooperação e pensar claramente são
des-enfatizados, e compartilhar opiniões, fofocas e mágoas são pontos para
comício contra os “inimigos externos percebidos”, conseqüentemente a
mentalidade do “grupo”.

Sistemas de moral e ética do comportamento (em torno da sexualidade,


dinheiro, posse, etc.) e padrões arbitrários são citados e defendidos como boas
razões “para atacar, condenar, evitar, culpar, excluir ou rejeitar as pessoas,
coisas, grupos, instituições ou países que são taxados como “maus e errados”.
Este “julgamento contra” baseado na percepção de diferenças é a lógica que o
ego usa para a tendência de dispensar, isolar e separar que é tão altamente
valorizada pelo ego.
Todo “sistema de pensamento do culto” é baseado no medo, apesar de não ser
visto que o medo não é realmente baseado em imagens do mundo (pessoas,
lugares, coisas, eventos, etc.). O medo subjacente é o medo de Deus e o
Espírito Santo, que acende o terror no ego. A escuridão tem medo da
aproximação da Luz. O oposto de amor é medo, pois o amor é todo-
abrangente e não tem opostos! O “sistema de pensamento do culto” portanto,
não é ameaça real à mente que é devotada ao amor. Uma mente esclarecida
livre de julgamento, é muito capaz de perdoar, ou ver o falso como falso. A
mente quieta descansa em Deus. E quem pode ter medo quando há amor?

Sou tão grato por ensinar e aprender que a Inocência é real e que a culpa e
condenação são testemunhas falsas. Sou tão grato por aprender que o corpo
nunca pode ser culpado e que é impossível ser tratado injustamente. O
“sistema de pensamento do culto” é apenas um outro nome para o ego ou
mundo da escuridão. Jesus nos diz para ter bom ânimo e ser felizes
aprendizes, pois Ele superou o mundo! Uma percepção equivocada sempre
pode ser corrigida por um milagre. O “sistema de pensamento do culto” e
“cultos” são erros, pois eles não vêm do nosso Pai Celestial. Uma Criança de
Deus não busca fora e se apaixona pelos jogos de ataque e defesa do ego.
“Não julgueis, para que não sejais julgados” é uma instrução para não tentar
algo que você é incapaz de fazer. Uma mente que valoriza a tranqüilidade,
quietude e paz é uma mente que não tenta julgar. Perdão e não-julgamento são
sinônimos.

Se queremos paz, devemos elevar cada pensamento na Luz da Verdade. Se um


pensamento não vem de Deus, a única coisa a fazer é liberá-lo e não guardá-lo
mais.
“Manipulação” é do ego, pois Deus não o criou.
“Traição” é do ego, pois Deus não o criou.
“Abandono” é do ego, pois Deus não o criou.
“Ataque” é do ego, pois Deus não o criou.
“Rejeição, exclusão, evitação, isolamento, condenação, escassez, medo, raiva,
culpa e até mesmo a morte” são todos do ego, pois Deus não os criou.

Se estas ou quaisquer crenças, pensamentos e emoções temerosas que o ego


patrocina são encarados como sendo verdadeiros, o mundo se retratará ou
testemunhará esta crença. É por isso que essas crenças devem ser
questionadas.
Quando a mente se apega a essas crenças, pensamentos e emoções e as
protege, a irritação é inevitável. O perdão é o abandono de todas essas
crenças, pensamentos e emoções transitórias. O perdão das ilusões traz paz,
felicidade, amor e liberdade!

Que magnífico é a Perspectiva que simplesmente vê o falso como falso!

Que gloriosa é a Mente que reconhece Ela Mesma como sendo Uma!

A Mente que é compartilhada com Deus é Pura Unicidade e não conhece o


julgamento. Pois na Unicidade não há nada para ser julgado! Esta Mente é
para sempre Inocente, pois a Vida e o Ser estão na Mente de Deus. Santa
Criança de Deus, Você é eternamente Inocente! Santificado seja o Teu Nome
e o Nome do Nosso Criador Deus! Teu Reino chegou! Tua Vontade foi feita!

Amem.
Amor & Bênçãos sempre.

E Quanto a Jesus Cristo? - Religião e Teologia

P: Ultimamente quando converso com alguns daqueles que estão estudando


Um Curso Em Milagres, eles ficam irritados comigo quando falo sobre Jesus
Cristo.

Dizem para eu parar de falar sobre essas coisas religiosas, que o Curso não
tem nada a ver com religião. Porém não foi Jesus Cristo quem nos trouxe o
Curso? O que Jesus Cristo tem a ver com religião? Eu sei que o que quer que
uma pessoa acredite que Jesus Cristo seja em qualquer religião que ela
acredite é o que Jesus Cristo é para ela. Não foi Jesus Cristo que passou por
todo o açoitamento para nos provar que podemos superar qualquer coisa? E
não foi Jesus Cristo que superou a morte ascendendo da morte, por não
acreditar no poder da morte para tirar a vida dele, porque ele acredita na vida
eterna ou eternamente duradoura? Estou errado em relação ao forte Amor que
sinto por Jesus Cristo por tudo que ele fez por nós, provando para nós que
podemos superar o maior dos obstáculos, a própria morte, se apenas
acreditarmos?

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever. Sim, seu amor e gratidão por Jesus são muito naturais
já que ele é um Condutor, e Guia e o Cristo Vivo.

Algumas pessoas confundem religião com teologia, e isso traz resistência a


qualquer coisa que é associada com a teologia. A verdadeira religião é a paz
interior, e assim a religião é experiência. Teologias são processos e
indicadores e com a prática e disposição o Cristo vivo vem à consciência
como uma experiência Divina, Incondicional, Amor Universal.

O ego tem feito muitos ídolos ressentidos de Jesus, pois o ego não conhece o
Amor. A crença do ego é a negação do Amor, então Jesus é odiado ou
idolatrado pelo ego. Jesus ensina que o Amor é real e eterno, e o ego ensina
que o tempo e espaço e culpa e medo e pecado são reais.

Até que a mente retire a fé e a crença no ego, ela vivencia a resistência do


Amor Divino. Esta resistência parece agir de muitas maneiras, e uma maneira
é para os estudantes de Um Curso Em Milagres dissociarem-se de Jesus
Cristo.

Isto é na verdade bem comum, pois a profundidade a resistência ao Amor


Divino é a base de todas as irritações emocionais. Os seres humanos nunca
estão irritados pela razão que pensam, pois isso não parece conscientemente
que a mente tem medo do Amor. A crença no ego e a projeção fazem com que
o mundo, cosmos, pessoas e circunstâncias parecerem a ‘causa’ da irritação,
porém este nunca é o caso.

Jesus Cristo é um símbolo do Amor que não é deste mundo. Amar Jesus
Cristo sem reserva ou sem exceção é um caminho para lembrar do Amor de
Deus. Jesus parecerá ser o que quer que a mente acredite que seja, até que a
mente aceite a Expiação (completo perdão), e então o Cristo é reconhecido
como o Ser. Ser é Espírito, e a lembrança do Espírito é o Despertar para o
Reino interior do Céu. Toda a glória para Deus por este Grande Despertar!!!

Obrigado Jesus!

Sempre Amor.

A Mente é Uma; Tudo Mais é Metafórico


(Desfazendo a crença das diferenças - Quem é o "você" vivendo neste mundo?
- Um Ego - Um Filho de Deus)
As Mentes são Unidas

Um irmão é todos os irmãos. Cada mente contém todas as mentes, pois todas
as mentes são uma só. Tal é a verdade. Mas estes pensamentos fazem com que
o significado da criação fique claro? Estas palavras trazem com elas perfeita
clareza para ti? O que podem aparentar ser senão sons vazios, belos talvez,
corretos em sentimento, mas fundamentalmente incompreendidos e
incompreensíveis. A mente que ensinou a si mesma a pensar de modo
específico não pode mais apreender a abstração no sentido de que ela abrange
todas as coisas. Precisamos ver um pouco para aprendermos muito. (E.161.4)

As mentes estão unidas, os corpos não. Só atribuindo à mente as propriedades


do corpo é que a separação parece ser possível. E é a mente que parece ser
algo privado, estar fragmentada e sozinha. A culpa, que a mantém separada, é
projetada para o corpo, que sofre e morre porque é atacado para manter a
separação na mente e não permitir que ela conheça a sua Identidade.
(T.18.VI.3)

Nesse mundo, porque a mente é dividida, os Filhos de Deus parecem estar


separados. Nem as suas mentes parecem estar unidas. Nesse estado ilusório, o
conceito de “mente individual” parece ser significativo. Ele é, portanto,
descrito no curso como se tivesse duas partes: espírito e ego.
(Esclarecimentos-1.2)

Eu não estou sozinho ao experimentar os efeitos do que eu vejo. Se eu não


tenho pensamentos privados, não posso ver um mundo privado. Até mesmo a
louca idéia da separação teve que ser compartilhada, antes que pudesse formar
a base do mundo que vejo. No entanto, aquele compartilhar foi o compartilhar
do nada. (E.54.3)

Cada um faz para si um ego ou um ser que está sujeito à enorme variação por
causa da sua instabilidade. Faz também um ego para cada pessoa que percebe,
que é igualmente variável. A sua interação é um processo que altera a ambos,
porque não foram feitos pelo Inalterável ou com Ele. É importante reconhecer
que essa alteração pode ocorrer e, de fato, ocorre tão prontamente quando a
interação tem lugar na mente como quando envolve proximidade física.
Pensar sobre um outro ego é tão eficaz para mudar uma percepção relativa
quanto a interação física. Não poderia haver melhor exemplo de que o ego é
só uma idéia e não um fato. (T.4.II.2)

A guerra contra ti mesmo não é senão a batalha de duas ilusões, lutando para
fazer com que sejam diferentes uma da outra, acreditando que aquela que
vencer será verdadeira. Não há nenhum conflito entre elas e a verdade. Elas
também não são diferentes uma da outra. Ambas não são verdadeiras. E assim
não importa a forma que tomam. O que a fez é insano e elas permanecem
sendo parte do que as fez. A loucura não contém nenhum ameaça à realidade e
não tem nenhuma influência sobre ela. As ilusões não podem triunfar sobre a
verdade e nem podem ameaçá-la de forma alguma. E a realidade que negam
não é parte delas. (T.23.I.6)

‘Egos Múltiplos’ é somente uma metáfora, independente das muitas formas.

Tudo isso leva em consideração o tempo e o espaço como se fossem distintos,


pois enquanto pensas que parte de ti é separada, o conceito de uma unicidade
unida como um só não tem significado. Está claro que uma mente tão dividida
nunca poderia ser o professor de uma Unicidade Que une todas as coisas
dentro de Si Mesma. E assim, O Que está dentro dessa mente e de fato une
todas as coisas tem que ser o seu Professor. No entanto, Ele tem que usar uma
linguagem que essa mente possa compreender, na condição na qual ela pensa
que está. E Ele tem que usar todo o aprendizado para transferir ilusões à
verdade, tomando todas as idéias falsas quanto ao que tu és e conduzindo-te
para além delas, para a verdade que está além das ilusões. Tudo isso pode ser
muito simplesmente reduzido ao seguinte:

O que é o mesmo não pode ser diferente, e o que é uno não pode ter partes
separadas. (T.25.I.7)

Todas as ilusões são apenas uma só. E no reconhecimento de que isso é assim,
está a capacidade de desistir de todas as tentativas de escolher entre elas para
fazer com que sejam diferentes. Como é simples a escolha entre duas coisas
tão claramente distintas. Não há conflito aqui. Nenhum sacrifício é possível
no abandono de uma ilusão reconhecida como tal. Quando toda a realidade
tiver sido retirada de tudo o que nunca foi verdadeiro, pode ser difícil desistir
disso e escolher o que não pode deixar de ser verdadeiro? (T.26.III.7)

As ilusões sobre ti mesmo e sobre o mundo são uma só. É por essa razão que
todo o perdão é uma dádiva para ti mesmo. A tua meta é descobrir quem és,
tendo negado a tua Identidade por atacar a criação e o seu Criador. Agora
estás aprendendo como lembrar da verdade. Para isso, o ataque tem que ser
substituído pelo perdão, a fim de que pensamentos de vida possam substituir
pensamentos de morte. (E.62.2) (lições 67 e 69 definem a morte)

Tu és um só Ser em perfeita harmonia com tudo o que há e tudo o que haverá.


Tu és um só Ser, o santo Filho de Deus, unido aos teus irmãos nesse Ser,
unido ao teu Pai na Sua Vontade. Sente esse único Ser em ti e deixa que ele
brilhe, afastando todas as tuas ilusões e dúvidas. Esse é o teu Ser, o Filho do
próprio Deus, impecável como o próprio Criador, com a Sua Força dentro de
ti e o Seu Amor para sempre teu. Tu és um só Ser e te é dado sentir esse Ser
dentro de ti e banir todas as tuas ilusões da Mente única que é esse Ser, a santa
verdade em ti. (E.95.13)

Não se pode enfatizar com demasiada freqüência que corrigir a percepção é


meramente um expediente temporário. Só é necessário porque a percepção
equivocada é um bloqueio para o conhecimento, enquanto a percepção
acurada é um ponto de apoio em sua direção. Todo o valor da percepção certa
está na realização inevitável de que toda percepção é desnecessária. Isso
remove o bloqueio inteiramente. Tu podes questionar como isso é possível
enquanto aparentares estar vivendo nesse mundo. Essa é uma questão
razoável. Contudo, tens que ser cuidadoso para compreendê-la realmente.
Quem é o “tu” que está vivendo nesse mundo? O espírito é imortal e a
imortalidade é um estado constante. É tão verdadeira agora como sempre foi e
sempre será, porque não implica em absolutamente nenhuma mudança. Não é
um contínuo e nem é compreendida por ser comparada a um oposto. O
conhecimento nunca envolve comparações. Essa é a sua principal diferença
em relação a todas as outras coisas que a mente pode aprender. (T.4.II.11) A
idéia para o dia de hoje não descreve o modo como vês a ti mesmo agora.
Descreve, porém, o que a visão te mostrará. É difícil para qualquer pessoa que
pense estar nesse mundo acreditar nisso em relação a si mesma. No entanto, é
por não acreditar nisso que ela pensa estar nesse mundo. (E.35.1)

Acreditarás que és parte do lugar onde pensas estar. É por isso que te rodeias
com o meio-ambiente que queres. E tu o queres para proteger a imagem de ti
mesmo que tens feito. A imagem é parte desse meio-ambiente. O que vês,
enquanto acreditares que estás nele, é visto através dos olhos da imagem. Isso
não é visão. Imagens não podem ver.(E.35.2)
‘Irmão’ é uma metáfora também.

Na verdade, só existe uma mente, e é minha!

Um irmão é todos os irmãos. Cada mente contém todas as mentes, pois todas
as mentes são uma só. Tal é a verdade. Mas estes pensamentos fazem com que
o significado da criação fique claro? Estas palavras trazem com elas perfeita
clareza para ti? O que podem aparentar ser senão sons vazios, belos talvez,
corretos em sentimento, mas fundamentalmente incompreendidos e
incompreensíveis. A mente que ensinou a si mesma a pensar de modo
específico não pode mais apreender a abstração no sentido de que ela abrange
todas as coisas. Precisamos ver um pouco para aprendermos muito. (E.161.4)

Eu estou curado, todas as ‘mentes’ estão curadas, já que só existe UMA


MENTE!
Eu não estou sozinho ao experimentar os efeitos dos meus pensamentos. Não
estou sozinho em nada. Tudo o que penso, ou digo, ou faço, ensina a todo o
universo. Um Filho de Deus não pode pensar ou falar ou agir em vão. Ele não
pode estar sozinho em coisa alguma. Portanto, está em meu poder mudar todas
as mentes junto com a minha, pois o meu poder é o de Deus. (E.54.4)

A luz do mundo trás paz a todas as mentes através do meu perdão. O meu
perdão é o meio pelo qual a luz do mundo acha sua expressão através de mim.
O meu perdão é o meio pelo qual venho a estar ciente da luz do mundo em
mim. O meu perdão é o meio pelo qual o mundo é curado junto comigo.
Então, que eu perdoe o mundo, para que ele possa ser curado comigo. (E.82.1)
Reconhecendo a importância dessa função, ficaremos felizes em lembrar-nos
dela muitas vezes hoje. Começaremos o dia por reconhecê-la e encerraremos o
dia com esse pensamento em nossa consciência. E, ao longo do dia,
repetiremos isso com a maior freqüência possível: A luz do mundo traz paz a
todas as mentes através do meu perdão. Eu sou o meio que Deus designou
para a salvação do mundo. (E.63.3) Mateus 5:14 Jesus foi citado quando dizia,
“Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre
um monte... E em João 8:12 Jesus falou-lhes de novo, dizendo “Eu sou a luz
do mundo; quem Me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”

Um só pensamento, completamente unificado, servirá para unificar todos os


pensamentos. Isso é o mesmo que dizer que uma só correção será suficiente
para que todas as correções ou que perdoar totalmente um irmão é o suficiente
para trazer a salvação a todas as mentes. Pois estes não passam de casos
especiais de uma só lei que se mantém para todo tipo de aprendizado, se for
dirigido por Aquele Que conhece a verdade. (E.108.5)

Lição: Eu sou como Deus Me Criou. Repetiremos essa idéia de hoje de vez
em quando. A razão disso é que esse único pensamento seria suficiente para
salvar a ti e ao mundo, se acreditasses que é verdadeiro. Essa verdade
significaria que não fizeste nenhuma mudança em ti mesmo que tenha
realidade, e nem mudaste o universo de forma que o que Deus criou seja
substituído pelo medo e pelo mal, pela miséria e pela morte. Se permaneces
tal como Deus te criou, o medo não tem significado, o mal não é real, a
miséria e a morte não existem. (E.110.1) A idéia de hoje é, portanto, tudo o
que precisas para deixar que a completa correção cure a tua mente e te dê a
visão perfeita que curará todos os equívocos que qualquer mente tenha
cometido, em qualquer tempo ou lugar. Ela basta para curar o passado e fazer
com que o futuro seja livre. Basta para deixar que o presente seja aceito tal
como é. Basta para deixar que o tempo seja o meio pelo qual todo mundo
aprende a escapar do tempo e de todas as mudanças que o tempo parece trazer
ao passar. (E.110.2)

E, ao te deixares curar, vês todos aqueles ataques à tua volta ou aqueles que
passam pela tua mente ou aqueles em quem tocas ou com quem pareces não
ter contato, todos curados junto contigo. Talvez não os reconheças a todos,
nem te dês conta do quanto é grande o teu oferecimento ao mundo inteiro,
quando deixas a cura vir a ti. Mas nunca és curado sozinho. E legiões e
legiões receberão a dádiva que recebes quando és curado. (E.137.10)

Quantos professores são necessários para salvar o mundo?

A resposta a esta pergunta é: - um. Um professor totalmente perfeito, cujo


aprendizado está completo, é o suficiente. Este, santificado e redimido, torna-
se o Ser que é o Filho de Deus. Ele, que sempre foi totalmente espírito, agora
não mais se vê como um corpo, nem mesmo em um corpo. Por conseguinte,
não tem limites. E não tendo limites, os seus pensamentos estão unidos aos de
Deus para sempre. (Manual.12.1) Por trás de cada véu com que eu cobri a face
do amor, a sua luz permanece inobscurecida. Além de todos os meus desejos
insanos está a minha vontade, unida à Vontade do meu Pai. (E.56.4)

Na minha própria mente, por trás de todos os meus pensamentos insanos de


separação e ataque, está o conhecimento de que tudo é um para sempre. Não
perdi o conhecimento de Quem sou por tê-lo esquecido. Ele tem sido
guardado para mim na Mente de Deus, Que não deixou os Seus pensamentos.
E eu, que estou entre eles, sou um com eles e um com Ele. (E.56.5)

A consciência do sonhar é a função real dos professores de Deus. Eles


observam as figuras dos sonhos a ir a vir, a deslocarem-se e a mudarem, a
sofrerem e a morrerem. Apesar disso, não são enganados pelo que vêem.
Reconhecem que contemplar uma figura de sonho como doente e separada
não é mais real do que considerá-la saudável e bonita. Só a unidade não é
coisa de sonhos. E é isso que os professores de Deus reconhecem por detrás
do sonho, além de todas as aparências e ainda assim como algo que, com toda
a certeza lhes pertence. (Manual.12.6)

Deus tem um Filho

Deus não tem muitos filhos, apenas um. Quem pode ter mais e a quem pode
ser dado menos? (T.29.VIII.9)
A Vontade do Pai e a do Filho são uma só, por Sua extensão. A Sua extensão
é o resultado da Sua unicidade, e a Sua unidade é mantida pela extensão da
Sua Vontade conjunta. Isso é criação perfeita pelos que são perfeitamente
criados, em união com o Criador Perfeito. O Pai tem que dar paternidade a
Seu Filho, porque a Sua Paternidade não impondo limites a ela. Deixa o
Espírito Santo te ensinar como fazer isso, pois só podes ter o conhecimento do
que isso significa do próprio Deus. (T.8.III.3)

Se a Filiação é una, é una em todos os aspectos. A unicidade não pode ser


dividida. (T.10.IV.3.3)

A Vontade de Deus é que o Seu Filho seja um e unido a Ele em Sua


Unicidade. É por isso que a cura é o princípio do reconhecimento de que a tua
vontade é a Sua.(T.11.I.11.8)

Lembra-te sempre que a mente é uma só e a causa é uma só. (T.14.III.8.5)

Deus é a única Causa e a culpa não é de Deus. Não ensines a ninguém que ele
te feriu, pois se o fizeres, estás ensinando a ti mesmo que o que não vem de
Deus tem poder sobre ti. O que não tem causa não pode ser. Não o
testemunhes e não fomentes a crença nisso em mente alguma. Lembra-te
sempre que a mente é uma só e a causa é uma só. Só aprenderás a
comunicação com essa unicidade quando tiveres aprendido a negar o que não
tem causa e aceitar a Causa de Deus como tua. O poder que Deus deu ao Filho
é dele, e nenhuma outra coisa pode o Filho de Deus ver ou escolher
contemplar sem impor a si mesmo a penalidade da culpa no lugar de todos os
ensinamentos felizes que o Espírito Santo quer lhe oferecer com
contentamento.(T.14.III.8.5)

A verdade está tão além do tempo que acontece de uma só vez em sua
totalidade. Pois como foi criada una, a sua unicidade não depende do tempo
em absoluto. (T.15.II.1.9)

Não há nada fora de ti. Isso é o que tens que aprender em última instância,
pois é o reconhecimento de que o Reino do Céu foi restaurado para ti. Pois
Deus criou apenas isso e não foi embora nem te deixou separado de Si
Mesmo. O Reino do Céu é a morada do Filho de Deus, que não deixou o seu
Pai e nem habita à parte Dele. O Céu não é um lugar nem uma condição. É
meramente uma consciência da perfeita unicidade e o conhecimento de que
nada além disso existe, nada fora desse unicidade e nada mais dentro dela.
(T.18.VI.1.5)

Todas as coisas que vêm de Deus são unas. Vêm da Unicidade e têm que ser
recebidas como uma só. (E.PI.83.3.2)

A salvação é o reconhecimento de que a verdade é verdadeira e de que nada


mais é verdadeiro. Isso já ouviste antes, mas podes ainda não aceitar ambas as
partes. Sem a primeira, a segunda não tem significado. Mas sem a segunda, a
primeira já não é verdadeira. A verdade não pode ter opostos. Nunca é demais
dizer e pensar nisso. Pois, se aquilo que não é verdade for tão verdadeiro
quanto aquilo que é verdadeiro, então, uma parte da verdade é falsa. E a
verdade perdeu o seu significado. Nada além da verdade é verdadeiro e aquilo
que é falso é falso. (E.PI.152.3.1)

Essa é a mais simples das distinções e, no entanto, a mais obscura. Mas não
porque seja uma distinção difícil de ser percebida. Ela está oculta por trás de
um vasto conjunto de escolhas que não aparentam ser inteiramente tuas. E,
assim, a verdade aparenta ter alguns aspectos que negam a coerência, mas que
não parecem ser apenas contradições introduzidas por ti. (E.152.4)

Como Deus te criou, tens que permanecer imutável, com estados transitórios
que são falsos por definição. E isso inclui todas as variações de sentimento, as
alterações das condições do corpo e da mente, de toda consciência e de todas
as reações. Essa é a abrangência total que coloca a verdade à parte da
falsidade e pela qual o que é falso se mantém separado da verdade, tal como é.
(E.152.5)

A Unicidade é simplesmente a idéia de que Deus é. E no Que Ele É, Ele


abrange todas as coisas. Não há mente que contenha algo que não seja Ele.
Dizemos: “Deus é” e então deixamos de falar, pois nesse conhecimento as
palavras são sem significado. Não há lábios para pronunciá-las e nenhuma
parte da mente é distinta o suficiente para sentir que agora está ciente de algo
que não seja ela mesma. Ela se uniu à sua Fonte. E, como a própria Fonte,
meramente é. (E.169.5)
Não podemos falar, escrever ou mesmo pensar sobre isso de modo algum.
Vem a cada mente quando o reconhecimento total de que a sua vontade é a
Vontade de Deus tiver sido completamente dado e completamente recebido.
Isso devolve a mente ao presente infinito, em que nem o passado nem o futuro
podem ser concebidos. Está além da salvação, depois de todo pensamento de
tempo, de perdão e da santa face de Cristo. O Filho de Deus, meramente
desapareceu em seu Pai, assim, como seu Pai nele. O mundo absolutamente
nunca foi. A eternidade permanece um estado constante. (E.169.6) Entretanto
o perdão, ensinado e aprendido, traz consigo as experiências que dão
testemunho de que está próximo o momento em que a própria mente
determinou abandonar tudo, menos isso. (E.169.7) Pois a unicidade tem que
estar aqui. Qualquer que seja o momento que a mente tenha estabelecido para
a revelação, ele é inteiramente irrelevante para o que tem que ser um estado
constante, para sempre como sempre foi; permanecendo para sempre como é
agora. (E.169.9) E no livro de Mateus 3:2 Jesus foi citado, “Arrependei-vos,
porque é chegado o reino dos céus.”

A minha unicidade com o Cristo me estabelece como Teu Filho, além do


alcance do tempo e totalmente livre de todas as leis, exceto das Tuas.
(E.354.1)

Deus é a mente com a qual eu penso. Não tenho pensamentos que eu não
compartilhe com Deus. Não tenho pensamento à parte d’Ele, porque não
tenho nenhum mente à parte da Sua. Como parte da Sua Mente, meus
pensamentos são os Seus e os Seus são os meus. (E.59.5)

“A minha unicidade com o Cristo me estabelece como Teu Filho, além do


alcance do tempo e totalmente livre de todas as leis, exceto das Tuas.”
Quem é o meu irmão, senão o Teu Filho santo? Se o vejo pecador, estou
proclamando que sou um pecador e não um Filho de Deus, só e sem amigos,
num mundo amedrontador. No entanto, essa percepção é uma escolha que
faço e posso abandonar. Também me é possível ver o meu irmão sem pecado,
como Teu Filho santo. E com essa escolha, vejo a minha impecabilidade, o
meu eterno Consolador e Amigo a meu lado e o meu caminho seguro e claro.
Por isso, escolhe por mim, meu Pai, através da Tua Voz. Pois só Ele faz
julgamentos em Teu Nome. O perdão olha apenas para a impecabilidade e não
julga. Através disso venho a Ti. O julgamento limitará os meus olhos e me
cegará. Mas o amor, aqui refletido no perdão, lembra a mim que Tu me deste
um caminho para achar a Tua paz outra vez. Sou redimido quando escolho
seguir esse caminho. Tu não me deixaste sem consolo. Dentro de mim, trago
tanto a Tua memória quanto Aquele Que me conduz a ela. Pai, quero ouvir a
Tua Voz e achar a Tua paz no dia de hoje. Pois quero amar a minha própria
Identidade e Nela achar a memória de Ti. Pai, hoje dou tudo o que é meu à
Cristo para ser usado da melhor maneira a fim de servir ao propósito que
compartilho com Ele. Nada é só meu, pois Ele e eu estamos unidos num só
propósito. Assim, o aprendizado está quase chegando ao fim designado para
ele. Trabalho com Ele ainda por algum tempo para servir ao Seu propósito.
Depois me perco na minha Identidade e reconheço que Cristo nada mais é do
que o meu Ser. A minha unicidade com o Cristo me estabelece como Teu
Filho, além do alcance do tempo e totalmente livre de todas as leis, exceto das
Tuas. Não tenho outro ser, senão o Cristo em mim. Não tenho outro propósito,
senão o Dele. E Ele é como Seu Pai. Portanto, também tenho que ser um
Contigo assim como com Ele. Pois quem é o Cristo, senão o Teu Filho tal
como O criaste?E o que sou eu senão o Cristo em mim? Por que deveria eu
esperar, meu Pai, pela alegria que me prometeste?Pois Tu manterás o Verbo
que deste ao Teu Filho em exílio. Estou certo de que o meu tesouro está à
minha espera e de que só preciso estender a minha mão para achá-lo. Mesmo
agora os meus dedos podem tocá-lo. Está muito perto de mim. Não preciso
esperar nem mais um instante para estar em paz para sempre. É a Ti que eu
escolho e a minha Identidade junto Contigo. O Teu Filho quer ser Ele Mesmo
e conhecer-Te como seu Pai e Criador e como o seu Amor.

Pai, Tu prometeste que nunca falharias em responder a qualquer chamado que


o Teu Filho pudesse fazer. Não importa onde ele esteja, qual pareça ser o seu
problema ou o que acredite ter feito de si mesmo. Ele é o Teu Filho e Tu lhe
responderás. O milagre reflete o Teu Amor e, assim, é uma resposta a ele. O
Teu Nome substitui todos os pensamentos de pecado e aquele que é sem
pecado não pode sofrer dor. O Teu Nome dá uma resposta ao Teu Filho,
porque chamar o Teu nome é chamar o seu próprio nome.

O perdão, reflexo da verdade, me diz como oferecer milagres e assim escapar


da prisão em que penso viver. O Teu Filho santo me é mostrado, primeiro no
meu irmão, em seguida em mim. A Tua Voz pacientemente me ensina a ouvir
o Teu Verbo e a dar como recebo. E hoje ao olhar para o Teu Filho, ouço a
Tua Voz instruindo-me para achar o caminho para Ti, tal como designaste que
ele deve ser: “Contempla a sua impecabilidade, e sê tu curado”. Tu, Que
lembras o que eu realmente sou, és o Único Que lembras o que realmente
quero. Tu falas por Deus e assim falas por mim. E o que me dás vem do
próprio Deus. A Tua Voz, meu Pai, também é minha e tudo o que quero é o
que me ofereces, exatamente da forma que escolhes que seja meu. Que eu me
lembre de tudo o que não conheço e que a minha voz se cale ao lembrar. Mas
que eu não esqueça o Teu Amor e o Teu cuidado, conservando a promessa
que fizeste ao Teu Filho para sempre na minha consciência. Que eu não
esqueça que nada sou, mas que o meu Ser é tudo. Pai, hoje perdoaremos o Teu
mundo e deixaremos a criação ser Tua. Nós compreendemos
equivocadamente todas as coisas. Mas não fizemos pecadores dos Filhos
santos de Deus. O que criaste sem pecado assim continuará para todo o
sempre. Somos assim. E nos alegramos ao aprender que cometemos equívocos
que não têm efeitos reais sobre nós. O pecado é impossível e, com esse fato, o
perdão repousa sobre uma base certa, mais sólida do que o mundo de sombras
que vemos. Ajuda-nos a perdoar, pois queremos ser redimidos. Ajuda-nos a
perdoar, pois queremos estar em paz. Pai, é a Tua paz que quero dar,
recebendo-a de Ti. Sou o Teu Filho, para sempre tal como me criaste, pois os
Grandes Raios permanecem eternamente quietos e imperturbados dentro de
mim. Quero alcançá-Los no silêncio e na certeza, pois em nenhum outro lugar
pode a certeza ser achada. Que a paz esteja comigo e com o mundo todo. Na
santidade fomos criados e na santidade permanecemos. O Teu Filho é como
Tu em perfeita impecabilidade. E com esse pensamento alegremente dizemos
“Amém”.

As nossas lições finais estarão tão livres de palavras quanto for possível. Nós,
só as usamos no início da nossa prática e apenas para lembrar-nos de que
buscamos ir além delas. Voltemo-nos para Aquele Que nos mostra o caminho
e faz com que os nossos passos sejam seguros. Entregamos estas lições a Ele,
assim como damos a Ele as nossas vidas a partir de agora. Pois não queremos
mais voltar a acreditar no pecado que fez com que o mundo parecesse feio e
sem segurança, agressivo e destruidor, perigoso em todos os seus caminhos e
traiçoeiro além da esperança da confiança e do escape da dor. “A minha
unicidade com o Cristo me estabelece como Teu Filho, além do alcance do
tempo e totalmente livre de todas as leis, exceto as Tuas.” (E.354.1.1)

Realmente só existe Uma Mente?

Saudações Amado Milagre

Eu só me recordo e reflito o que está profundamente enraizado, e a maioria


das observações que você oferece estão definitivamente “no caminho”. Bem
no caminho. Não é de surpreender que a Mente está zumbindo com a energia
e as altas vibrações da Realidade, porque a Iluminação está ao alcance das
mãos. O Momento Vivido está sendo desvelado pelo Espírito Santo.

Só existe Uma Mente Divina, e o portão para a lembrança da Mente Divina é


o completo perdão.

O completo perdão é idêntico ao reconhecimento de que só existe um


sonhador e esta Perspectiva é a Expiação.

Da Perspectiva do único sonhador “realmente não existe o pessoal iluminado


percorrendo o mundo, porque não há um mundo e nem “outros” para serem
iluminados”. Esta idéia eu compartilho muitas vezes. Não existe tal coisa
como uma “pessoas iluminada”, pois a mente se dissolve na Mente, e a
“personificação” não era nada senão um falso conceito, uma falsa suposição.

Iluminação é um Estado da Mente e o “passo” para vivenciar o único


Verdadeiro Estado da Mente é ver a falsidade da crença em pensamentos
privados e mentes privadas (ex: seres humanos ou pessoas). Este é o sonhador
da Perspectiva do sonho, e unido ao Espírito Santo esta Perspectiva é a
Correção ou Expiação para o erro chamado ego (a crença em mentes
privadas). Da Perspectiva do Espírito Santo do único sonhador, a mente não
está mais à “mercê” das imagens, pois ela as vê como elas são (efeitos irreais).

Você disse isso muito precisamente: “Na verdade, a única coisa que precisa
acontecer é o sonhador despertar... isto poderia até significar que não existiu
nenhum Jesus, mas somente um sonho de um homem como aquele. Também
nenhum Hitler, e outros. Não há significado na existência física porque ela
não existe.” Isto é o que a primeira lição em UCEM ensina e que todos os
ensinamentos não-dualísticos visam. A Perspectiva do Espírito Santo é alvo
mais elevado do aprendizado, pois é o completo desaprender da crença que a
mente pode ser separada em mentes (plural). Primeiro é necessário reconhecer
que só existe uma mente, um sonhador, uma consciência antes que a mente
Desperte inteiramente do sonho e vivencie a Si Mesma como Mente Divina,
Eternamente, Infinitamente Amor (o Reino do Céu).

Você está aumentando o ((((foco)))) rapidamente, muito rapidamente, para o


reconhecimento de que a única responsabilidade do professor de Deus é
aceitar a Expiação para si mesmo. A Simplicidade da Salvação está vendo o
único erro como ele é (um sonhador). Isto é o que as seções do UCEM do
“Sonhador do Sonho” apontam muito diretamente. Você está aumentando o
((((foco)))) no Sinaleiro do Lar e a Luz no “fim do túnel” está muito próxima.

Você queria saber se Deus está esperando Seu Filho despertar. Deus é a
Completeza e Totalidade e Perfeição Eterna. Deus não conhece o tempo e,
portanto, o conceito de “esperar” não pertence a Unicidade Eterna. Somente o
ego parece “esperar”, e na “terminologia do tempo” seus dias estão contados,
por assim dizer. O perdão da crença no tempo linear é o fim da ilusão.

Jesus diz: “Por que esperar pelo Céu. O Céu está em Você e Você é o Lar.”

Um Instante: O Instante Santo!!!

Eu Te amo para todo o sempre, Amado Milagre.

Amor & Bênçãos.

Abrindo-se para a Experiência da Mente Una e Percepção Unificada

P: Um pensamento veio para um tempo atrás o qual eu tentei deixar de lado


porque percebi ser totalmente arrogante. Apesar disso ele não me deixou e
eventualmente perguntei ao Espírito Santo para me ajudar a olhar isso.

O pensamento foi de que eu realmente sou tudo o que há. Deus criou um Filho
e tudo e todos que eu percebo fora de mim é realmente eu. Eu sou aquele que
está sonhando o sonho. Todos os personagens no sonho são minha invenção.
Não há realmente ninguém fora que possa me fazer ficar bravo ou estar bravo
comigo. Nem pode haver nada aí fora que eu possa temer, porque tudo aí fora
é o que eu inventei. Eu inventei os corpos dos meus amigos, meus filhos e os
uso para manter a minha ilusão. Eu sou o sonhador do sonho e todas as figuras
que eu encontro são somente figuras da minha própria invenção.

Agora a arrogância de até entreter um pensamento que “eu” poderia ter feito
tudo isso, me fez fugir das minhas responsabilidades. E mesmo assim, se isso
é verdade (que eu realmente sinto que é), muitas coisas se encaixam. Toda a
raiva que eu percebo então tem que estar dentro de mim. Quando eu perdôo
qualquer um, eu realmente perdôo somente a mim mesmo, porque “eles”
foram feitos na minha mente. Eu não teria que me agarrar a nenhum sistema
de crença, porque para quem eu precisaria provar algo, o que eu posso julgar
contra, do que eu teria que me defender. Se tudo começa dentro de mim, todo
o julgamento, crenças, ataque, etc. seriam sem sentido, porque eu estaria
somente atacando o que está dentro de mim. Se tudo está dentro de mim e
tudo “aí fora” é meu sonho, vivenciar a unicidade seria fácil.

Parte de mim quer de todo o coração agarrar-se a isso, porque eu posso sentir
que a liberação total viria com esta aceitação, porém uma outra parte de mim
diz “Você está finalmente perdendo a cabeça! Se alguém souber o que você
está pensando você será internado!” Por favor, ajude-me.

R: Amado Milagre
Bênçãos de Amor. Você está encontrando a nossa mente, a mente que
compartilha o Propósito do Espírito Santo. A idéia de tudo sendo uma única
mente é a introdução da idéia do mundo perdoado, o sonho feliz do perdão. O
ego fez o cosmos, e isto é refletido no início do Livro de Exercícios na lição
“Eu inventei o mundo que eu vejo.” A idéia que tudo é uma mente realmente
elimina a possibilidade de ataque, de provar algo, de defesa, julgamento &
crenças opostas separadas, pois a unicidade não tem partes para conflitar.

O Espírito Santo Pede que você aceite a idéia de uma mente única de todo o
coração, pois esta é a Correção do erro chamado ego. O ego foi a crença em
mentes privadas com pensamentos privados, mas se a mente é una, o ego não
tem fundamento no qual se basear. O perdão reflete a Unicidade que brilha
além da percepção. O perdão unifica e mostra um mundo de modo diferente.
Você não está enlouquecendo, você está entrando no interior, para a sanidade,
a mente e percepção unificada é o portão da lembrança de Deus & Cristo.

A idéia que você compartilha é a chave do quebra-cabeça do ego. A porta está


bem aberta agora, e agora você começará a perceber que não há exceções para
a idéia. Esta transferência de treinamento é o fim do sopro do nada que na
verdade nunca começou. O fim das ilusões é o final da ilusão do perdão, pois
o ego foi só uma ilusão - não várias ilusões. A mesmice da ilusão vista na
mente é o fim da multiplicidade e complexidade. Somente uma bênção
permanece!

Como é abençoada a mente que vê que não há nada senão ela mesma. Não há
nenhuma divisão sujeito / objeto, nem divisão de quem percebe / quem é
percebido e nem divisão do observador / observado. Unicidade é simples. A
Verdade é simples. A Felicidade é simples. O Amor é simples.

Eu regozijo na nossa Unicidade! Na Felicidade & Paz.

Uma Pergunta sobre “mentes privadas”

P: Eu gostaria de saber mais sobre mente privadas, pois Jesus foi um com o
Pai, mas Ele não teve Seus próprios pensamentos e sentimento, ou você está
dizendo que Jesus não sentiu os pensamentos deste mundo no qual Ele
caminhou. Se Ele não teve os pensamentos das pessoas deste mundo, como
Ele poderia saber o que Pedro estava pensando quando Ele disse “Para trás de
mim, Satanás”?

R: A crença em mentes privadas designa atributos do corpo (separação) para a


mente, e assim a mente parece fragmentada, isolada e sozinha na percepção
distorcida. Mentes privadas com pensamentos privados supõem que a mente
pode se retirar da Mente de Deus e ser fragmentada em pedaços separados, e
cada uma diferente do resto. A suposição é que as mentes “individuais” têm
seus exclusivos conjuntos de pensamentos e também que cada “mente” tem a
habilidade de tomar suas próprias decisões.

A Mente de Cristo, no entanto, revela que a Mente Divina é Una, uma


Totalidade unificada Que não pode ser dividida. O que é Um com Deus não
pode ser dividido ou ser diferente da Mente de Deus Que A criou Íntegra. A
Realidade de Uma Mente transcende a ilusão das “partes”, pois o que poderia
separar o Que Deus criou Uno para sempre. Somente o Pensamento de Deus
permanece eterno. E é por isso que não pode haver pensamentos privados.

Jesus e o Espírito Santo são sinônimos como símbolos do Despertar da Mente,


Que vê o erro, mas sabe que é irreal. É por isso que Jesus Cristo sabia que os
pensamentos do homem eram somente tentações para acreditar que o
impossível tivesse acontecido. Jesus foi um exemplo de Pureza e Inocência
que transcende a crença em mentes privadas. Pois não vendo ninguém como
separado de Deus, Cristo reconhece o Ser como Íntegro.

“Para trás de mim, Satanás” é a declaração que o Que é criado Uno não pode
se tornar algo mais, não dando credibilidade ao “algo mais”. É uma afirmação
de que o Amor e a Verdade não têm oposição, já que a Unicidade não conhece
“outro” senão o Ser em Deus.

Jesus demonstrou que a Mente de Cristo, Que não entrou num corpo brilha
constantemente na Eternidade. A Mente de Cristo simplesmente É, e em Ser
só pode ser lembrada ou reconhecida. A Mente de Cristo está além da
percepção, e Jesus ensina que o perdão (ou ignorar o erro) é como a percepção
abre caminho para a Luz de Deus. O erro é a crença em mentes e pensamentos
privados, porém o perdão vê que a mente é íntegra e que nada existe “dentro
ou por ela mesma” à parte do todo. Nada é particular na Luz Divina do Amor.
Isto significa que pensamentos, emoções e crenças “humanas” não têm
significado, pois foram baseados no nada, absolutamente nada. A Identidade
em Deus é Todo o Significado, e o mundo se dissolve na Santa Presença de
Deus.

Paz & Bênçãos.

Chegando no Fundo da Crença

P: Tenho uma pergunta ressurgente---

Se eu acredito que eu sou o único, que não há ninguém aí fora, que tudo é uma
tela de cinema, então porque eu acredito ser útil aos personagens no roteiro???
Quem está aí para ser despertado? Por que algumas figuras parecem ter
despertado quando outras parecem que não? Como pode um tanto da mente
estar adormecida e um tanto da mente estar desperta. Quando eu deixo o corpo
de lado e sonho está acabado... e quanto as outras figuras do sonho? Acho que
você sabe onde estou querendo chegar. Tem algo aqui que eu não resolvi, não
consigo explicar. Quando você tiver tempo. Amor.

R: Amado Milagre

Agradeço pela sua devoção ao Despertar.

Ser útil é estar em sintonia com o Espírito, e esta utilidade é um Propósito da


mente que oferece somente benefícios.

Seu estado de mente feliz, alegre, cheio de paz e fluindo livre é uma dádiva,
pois é a nossa beatitude. Este estado da mente vem por estar no Propósito e
assim não leva nada para o lado pessoal. Na alegria do Momento Vivido não
há inquietações e preocupações por nenhum dos personagens do roteiro, pois
este alguém se recuou e se identificou com a mente - não o corpo.

Só há uma mente para ser Despertada, e uma mente Desperta vê todos os


personagens como o mesmo. Nenhum personagem está na frente ou atrás, e
nenhum personagem está desperto ou adormecido. Todos os personagens são
conceitos ou símbolos do desejo de ter pensamentos privados e mentes
privadas. O Despertar enxerga a impossibilidade de tal tentativa, pois uma
mente é unificada e não pode ser dividida e sozinha e separada.

O sonho feliz traz um fim do sonhar, porque o perdão é o sonho do não-


julgamento. Então, conforme a Mente lembra que Ela é Criação, o Ser; a
ilusão do sonhar está acabada e nunca foi. Quando o corpo é deixado de lado
na Expiação, o cosmos também é deixado de lado. A Eternidade permanece
como Deus cria, e não existe tempo algum no que é Para Sempre Espírito.

Sempre Amor.

Sobre União

Unir-se é geralmente visto como uma ação neste mundo. Como tudo neste
mundo, o verdadeiro significado de união é aproximado quando antigas
definições são deixadas de lado. O que nunca poderia ter partido não precisa
retornar, o que nunca poderia se separar não precisa se unir. A Mente é Una e
não pode ser quebrada em fragmentos separados, privados e isolados, cada
uma com pensamentos privados e uma perspectiva diferente sobre o mundo.

Do mesmo modo a verdade não é uma coleção de partes que juntas fazem um
todo, pois a verdade é Uma. O Todo é Um e está bem além da assim chamada
“união” das partes. Perdoar é o significado de unir-se, pois ver as ilusões
como uma (tapeçaria) é simplesmente liberar os pensamentos de partes. Nada
existe à parte do Um, pois conectar-se é apenas um outro nome para a União e
Unicidade. O Perdão é Razão do mundo, e nenhuma quantidade de “conectar
os pontos”, “trocar de informações” ou “tentar unir as pessoas” é necessária
para resolver um problema que não existe.

Unir-se é aceitar a Imutabilidade da Mente. Como a verdade é simples e fácil!


Não busque mudar o mundo. Pois só se pode aceitar Aquilo Que É, agora,
sempre & para sempre. O que é o mesmo (perdão) não pode ser diferente, e O
Que é Um (Céu) não pode ter partes separadas. O Perdão parece colapsar o
tempo, enquanto a Unicidade está inteiramente além do tempo. Eu me uno a
você no Propósito do perdão, pois o que mais poderia a ‘união’ significar? O
Perdão é Conteúdo e não tem nada a ver com formas específicas.

Sobre Habilidades Psíquicas

Questionador: Já que você está tão conectado com aquela mente unificada,
você sente que talvez você está aberto para outros tipos de habilidades, como
saber os pensamentos de outras pessoas ou ver auras ou ter diferentes tipos de
habilidades psíquicas?

Orador: Um exemplo disso poderia ser uma idéia de ler os pensamento, o que
parece ser os pensamentos de outras pessoas. Quando você remove da sua
mente os limites e os parâmetros do que é a comunicação, parece que você
pega pensamentos como se você tivesse uma gigantesca antena parabólica
como tem lá no Sudoeste que pega essas minúsculas impressões, até mesmo
do espaço. No entanto, a coisa mais importante pra mim foi que isso era
perturbador. Passei um tempo aparentemente pegando esses pensamentos
durante uma fase e me dirigindo a Jesus e ao Espírito Santo e dizendo, ‘Qual é
o propósito disso? Estou pegando os pensamentos de outras pessoas e algumas
delas são perturbadoras ou inquietantes.’ De novo o Espírito Santo disse, esta
é só uma fase do treinamento da sua mente. Não é que realmente outras
pessoas tenham os pensamentos. Esses são os pensamentos na sua mente que
tem que ser liberados e esta é uma outra oportunidade para o discernimento na
sintonia com o espírito e abandonar as reações e julgamentos e identificação
com esses pensamentos porque eles parecem ser negativos mas que são
apenas irreais. E quando você desconecta sua mente completamente desses
pensamentos então parece que eles nem mesmo estão na sua consciência
porque você não colocou nenhuma fé neles. Este é um bom exemplo de uma
fase pela qual eu passei.

Em termos de intuir as coisas ou previsões e premonições e assim por diante,


eles podem parecer ter algum valor, mas então, quanto mais você se
aprofunda, a presente paz da mente é a maior dádiva. Poderíamos mencionar
um pouco sobre previsões que parecem envolver o futuro. Quanto mais você
vê que o futuro já é passado, e que é apenas uma aparente forma diferente que
o ego inventou para que o futuro pareça diferente do passado, mais você
consegue entender como os videntes podem ver o futuro. Eles estão
simplesmente vendo o passado. Então uma vez que você entra nessas
experiências, então algumas das fascinações sobre habilidades psíquicas
simplesmente começam a desaparecer porque aquela fascinação ainda é o ego
estando fascinado com poderes específicos, por assim dizer. Deus é o poder.
Espírito e o presente momento é todo o poder e glória, então eu diria que
aquelas habilidades podem parecer vir, mas você nunca precisa ficar assustado
com elas. São muito, muito naturais, mas ajuda a reconhecer que estou em
busca do despertar e eu não vou me atrasar por qualquer julgamento do ego
sobre o que parece ser poderes sobrenaturais. Na verdade são muito naturais; e
quando dadas para o Espírito Santo usar, elas são muito produtivas e úteis. O
ego sempre tentará pular sobre essas tão famosas habilidades psíquicas e fazer
uma identidade. Ele poderia tentar fazer um monte de dinheiro com esta
habilidade psíquica.

Sobre Mente Privada

Esta união e verdadeiro compartilhar do coração é a dissipação do ego.


Também há uma parte no Curso que diz, ‘para o ego comunicação é
abandono, você será abandonado se você se comunicar’, e se você consegue
pensar em qualquer relacionamento íntimo ou significativo onde [você
pensou] ‘Não posso contar isto para ele /ela. Se eu contasse isto, ele /ela me
abandonaria.

’Toda a base do ego é que você tenha uma mente privada com pensamentos
privados e você tem algumas coisas horrendas aí dentro; coisas que se o seu
marido ou seu melhor amigo ou seu amado um dia soubessem eles partiriam
num instante, se você alguma vez já se compartilhou e o Curso é basicamente
pensar que o desejo de comunicar atrai comunicação a ele, isto é conforme
começamos a desejar a deixar o Espírito vir, e ser o guia de nossas vidas e
falar, então somos atraídos. Atraímos testemunhas para o Espírito Santo.
Podemos ver mais e mais o Espírito.

Você não pode ver o Espírito Santo, mas você pode ver a testemunha para o
Espírito Santo na sua vida e é assim que você sabe que ele está aí. Senão Ele
seria invisível, mas é como o efeito dos milagres. Sempre tenho isso em mente
porque quando você se une em grupos, famílias ou qualquer outra coisa, a
tentação é de ir somente até um ponto na comunicação ou manter áreas de
privacidade e não permitir que a mente se solte completamente para que você
entre na unicidade da Mente Única.

Consciência Coletiva versus Consciência Individual


Participante: Um amigo estava falando sobre consciência coletiva, a
Consciência da Mente de Cristo. Existem muitos sistemas de crença que têm
procedimentos específicos ao lidar com o grupo da consciência humana, às
vezes referido como a “consciência da mente elevada” pensando em grandes
grupos no qual há vários tipos de manifestações de pensamento tudo para
hipnose em massa que... porque os pensamentos são coisas e um grande
número de pessoas podem manter o mesmo pensamento sobre um evento ou
uma pessoa ou qualquer coisa que isso afeta a verdade e a nossa habilidade de
ver a verdade e precisamos de alguma maneira lidar com isso no nosso modo
de pensar.

Como o Curso lida com isso especificamente? Porque eu só tenho visto


referencias ao pensamento individual e não pensamento coletivo.

Orador: Bem, vamos para a página 60 que será útil para começar com isso. O
subtítulo é ‘O Ego e a falsa autonomia’.
Quando chegamos nesta idéia de coletivo... Porque muitas vezes tenho ouvido
falar sobre, “Estou lidando com o meu ego e então há o ego coletivo.” E
também ouço, “Meu amigo fulano de tal, o ego dele está realmente agindo. E
o que devo fazer já que eu não sei lidar muito bem com o meu agora, mas meu
amigo está fora de controle?”

As primeiras duas sentenças daquele parágrafo são realmente úteis. Que é...

“Cada um faz para si um ego ou um ser que está sujeito à enorme variação por
causa da sua instabilidade. Faz também um ego para cada pessoa que
percebe...”

Oh! Agora estamos passando pelo truque do coletivo! Você está vendo, é aqui
onde a coisa da mente individual entra. Jesus está direcionando o Curso ao
leito e ele está dizendo que a sua mente é retorcida e que você não só fez um
ego para você mesmo, o qual você pode chamar de personalidade, mas você
também fez um ego para todas as outras pessoas que você encontra e é o seu
sonho. Então, em outras palavras, você é o Sonhador do Sonho, mas você
inventou tudo isso. Agora é um grande salto porque há uma outra parte no
Curso onde ele dá uma dica sobre isso no Manual de Professores onde a
pergunta é ‘Quantos professores de Deus são necessários para salvar o
mundo?” Quando você pensa sobre isso no sentido coletivo e quando você
está imaginando quantos milhares serão necessários para lidar com esta
bagunça a resposta que Jesus dá é, um.

Se for uma coisa coletiva e só é necessário um professor de Deus para lidar


com esta aparente multiplicidade da bagunça... isto é bem profundo. Tudo
volta para idéia de que há somente uma mente e toda a idéia da coletividade
ou até mesmo múltiplas mentes ou egos ou o que quer que seja uma
concepção metafórica que Jesus está usando e uma que ele usa com freqüência
no Curso quando ele fala sobre ‘a mente do seu irmão’ e fala muito sobre
‘mentes’ no plural. Essas são concepções metafóricas e o modo que isto pode
ajudar a entender a insinuação que ele está falando sobre isso num sentido
metafórico quando ele usa plural é um caminho de volta ao esclarecimento de
termos onde ele fala sobre a Mente e Espírito bem no começo no
esclarecimento de termos. No final do primeiro parágrafo ele realmente fala
sobre o que você tinha mencionado antes esta noite sobre o espírito unificado.
“O espírito unificado é o Filho único de Deus, ou Cristo. Nesse mundo,
porque a mente é dividida, os Filhos de Deus parecem estar separados. Nem
suas mente parecem estar unidas. Nesse estado ilusório, o conceito de “mente
individual” parece significativo.” Então, você pode dizer que ele está
descrevendo e usando a metáfora de mente individual como se cada um de nós
tivéssemos um. Mas, porque ele sabe que a mente é tão convicta, assim
acreditando na ilusão que não faria sentido simplesmente sair descrevendo as
coisas em termos de mente una que basicamente é possível até dizer que este
curso foi escrito no nível do ego onde é necessário. Não seria bom
simplesmente usar duas palavras... Deus É. Porque a mente não está em
contato com “Deus É”. Ela realmente acredita em fragmentação e precisa de
um sistema para ajudar a desfazer esta fragmentação.

Mais uma vez que ela é descrita como se ela tivesse duas partes, como se, em
itálico. A mente dividida é uma metáfora porque na realidade a separação não
aconteceu. É impossível porque Deus não criou separação. Mas ele sabe que
quando a mente está no estado de delusão você tem que ter algo com que
trabalhar e assim como um componente estrutural ou metáfora ela é descrita
como se ela fosse dividida em duas partes - uma mente certa e uma mente
errada. Quando falamos do coletivo e da crença que o coletivo é causativo de
alguma maneira e que influencia indivíduos ainda é parte da forma atrasada de
pensar do ego. É uma grande coisa lembrar que eu sou responsável pelo que
eu vejo, ‘Eu escolho os sentimentos que eu vivencio’ e que ‘Eu decido sobre a
meta que eu quero atingir’ e ‘todas as coisas que parecem me acontecer eu as
peço e as recebo conforme pedi’. Esta última é uma citação da página 477 e
não deixa muita margem para projeção, se todos os meus sentimentos, se
todos as minhas percepções vem da minha decisão, então eu sou responsável.
Esta é a boa notícia, no sentido de que é aqui onde o poder que foi dado
retorna. Eu não preciso contar com nada ou ninguém fora eu mesmo para
aceitar a Expiação. Mas eu posso projetar a responsabilidade pelo ego em
qualquer lugar.

Participante: Certo, certo. Isto parece certo pra mim.

A Mente de Cristo - Entrevista


P: O que é a Mente de Cristo para você?

R: Uma vasta, muito vasta experiência do amor Ágape incondicional, nada


mais em mente exceto aquele amor, a expressão daquele amor, não deste
mundo. Para mim a Mente de Cristo está até mesmo além do campo
unificado. É tão vasto que transcende a percepção, transcende o que por
séculos tem sido chamado de matéria, e agora como vemos em física Quântica
que o campo unificado está derrubando completamente as leis de Newton, o
comportamento dos objetos, a física e assim por diante. Eu diria que o
observador em física Quântica é o mais próximo que se pode chegar à Mente
de Cristo neste mundo, que é amor vasto, Um com o Criador.

P: Fale mais sobre esta testemunha, o observador no contexto da Mente de


Cristo. O que é na verdade e como as pessoas entram nisso?

R: Eu diria que Jesus foi uma demonstração desta Testemunha do Ser ou deste
observador. Ele diria coisas como, “antes de tirar o argueiro do olho do teu
irmão, remove primeiro o argueiro ou a trave do teu olho.” Ele estava falando
sobre percepção, ele estava falando sobre percepção distorcida.

P: Então você está dizendo que a Testemunha é uma percepção clara sem
nenhuma distorção na percepção?

R: Sim, a Testemunha é uma visão clara, é uma visão totalmente abrangente, e


mesmo que não seja a Visão de Cristo; é apenas um portão. Tive experiências
na minha vida em que eu estava em meditação muito profunda. Eu estava
fazendo uma meditação de olhos abertos com alguém sentado na minha frente
e eu entrei tão profundamente na minha mente que a figura / chão, a tri-
dimensionalidade, colapsou, de início parecia uma pintura de um quadro, e
então pareceu como um véu frágil, e de repente esta luz começou a
transbordar através dele, e este véu começou a desaparecer. Toda esta
percepção foi como um véu retirado desta Visão, e então tive um vislumbre a
Visão de Cristo, que era esta luz flamejante que foi não-perceptiva.
Eu poderia dizer que o ego dentro de mim estava aterrorizado; mais do que
aquela luz, do que o perder o controle da imagem mais do que qualquer coisa,
eu tinha um gosto real da mente da Visão de Cristo, esta luz abstrata que está
além do véu. Então desde que tive aquelas experiências eu sabia que toda a
minha vida seria dedicada àquela luz.

P: Então a Testemunha é o portão para a Visão de Cristo que é a luz


flamejante? Como as pessoas que estão lendo isso podem começar a acessar
aquele portão?
R: Sim. Essas pessoas tem que ser autênticas. Quero dizer nós estávamos só
conversando conforme caminhávamos aqui, nos agarrando na máscara da
espiritualidade, ou nos agarrando em alguns tipos de diferenças ou
enfatizando um ensinamento acima de um outro, comparando, contrastando.
Tudo isso são só coisas que precisam entrar na consciência e emocionalmente
você pode sentir; não é uma sensação como união, uma sensação como alegria
e felicidade, como se tivesse o ‘meu’ jeito e o ‘seu’ jeito, porque ainda existe
preferência. E eu diria que a característica mais gritante da Testemunha do Ser
é que ela não tem nenhum preferência; ela é tão totalmente inclusiva, é tão
ciente da unidade na unificação que ela não prefere isto ou aquilo; tudo é
igualmente aceitável para a Testemunha do Ser.

P: É muito interessante porque quando eu olho para alguém por alguns


minutos eles simplesmente dissolvem completamente como se não tivesse
nada lá, e tudo fica como se fosse um sonho. Então, a Testemunha se torna a
própria experiência ou a forma tangível de ‘ver’ o sonho. Então o que é o
sonho?

R: O sonho é um grupo de imagens, exatamente quando você vai dormir à


noite. São todas gerados pelo ego e parece haver muitas emoções associadas
com as imagens, como você sendo perseguido, ou há um monstro ou uma
onda gigante vindo para te pegar - e o sonho é feito para tomar o lugar da luz
abstrata. O sonho é o véu. E a chave do sonho é não julgar o sonho como bom
ou ruim, a chave é vir como o observador, ou o sonhador, ou a Testemunha e
vê-lo como um sonho. Então você não está se identificando com a figura do
sonho; pois logo que há uma identificação com a figura do sonho, com a
mente do corpo; assim que a mente se identifica com o corpo então ela se
identifica com a figura do sonho. E assim temos a divisão dentro do sonho, na
percepção do sujeito e do objeto. Aquele que percebe e aquele que é
percebido. Na verdade todo o sonho é o percebido e não há aquele que
percebe. E a Testemunha do Ser sabe disso; isto é unificado, que há um sonho
unificado.

Então não há aqueles que acreditam e aqueles que não acreditam, ninguém
que tenha isso e ninguém que tenha aquilo. Nenhum iluminado e nenhum
ignorante. Na Testemunha do Ser, tudo e todos são iluminados, porque tudo é
unificado. Então você nunca irá ouvir um professor espiritual que é
verdadeiramente iluminado dizer eu tenho isso e você não. Porque
imediatamente, existe a dualidade aí. O que você irá ouvir de um professor
iluminado, como Jesuá é, ‘Vinde a mim, todos os que estais cansados, não
julgueis, sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos
céus.’ Antes de Abrão existir EU SOU. Esta é a Testemunha do ser; este é o
portão.
É por isso que eu uso muito a palavra perdoar; não para perdoar alguém pelo
que fizeram de errado a você, ou que a mágoa tenha sido real; apenas vir para
o momento de humildade onde você percebe que tudo que ocorreu foi
perfeito. Nenhum senso de vitimização, ninguém que tenha sido ferido, nada
fora disso. Na Testemunha do Ser isso seria visto como impossível... nunca foi
o caso de que alguém foi mal tratado, nunca foi verdade que alguém foi ferido
ou atacado. Na Testemunha do Ser não há ataque.

P: Então sendo a Testemunha do Ser o portão para o sonho e o sonhador, e


então a reunificação do sonho e do sonhador tornando-se um na percepção, e
por trás da percepção está a mente de Cristo como uma luz flamejante.

R: Sim, na psicologia humanística, tudo é bom na essência, na psicologia


transpessoal é enfatizada a nossa unicidade ou conexão, e então quando você
passa para a parapsicologia você chega no sonho lúcido onde quem sonha
sabe que está sonhando. Pense em quão feliz, quão livre, quão ausente de
defesas você poderia ser se você estivesse assistindo este sonho com
monstros, com dragões ou um exército completo vindo com metralhadoras, e
você está atrás, na posição do sonhador lúcido, então você sabe que você está
sonhando. E o que significa saber que você está sonhando? É saber que o que
você está assistindo não é real.

E, portanto, a Testemunha do Ser sabe que não pode ser ferida. Não importa
qual é o conteúdo do sonho, o observador saber que tudo está conectado.
Então é necessário muito treinamento da mente, e é por isso que estamos
viajando o mundo para compartilhar e estamos demonstrando que esta
Testemunha do Ser não é somente possível, somente atingível, é inevitável
porque é natural.

Nós só ficamos andando ao redor deste parque voltando sempre para a mesma
observação: como é fácil a Unicidade. Como é difícil a fragmentação, e é por
isso que temos uma sintonia feliz. Estamos dizendo, desista do canto fúnebre
dos povos da terra, venha e regozije na Testemunha do Ser e se abra para a
Mente de Cristo, para esta Unicidade que é para sempre verdadeira. Para se
abrir para isso só é preciso um convite. Neste momento, estamos sentados
nestes lindos jardins botânicos, por um convite. O que eu descobri na minha
vida é que tudo acontece por convite, porque o amor não irá forçar nada. O
Amor não irá tentar convencer ou empurrar algo - o amor simplesmente é. É o
que Ele É. Mesmo assim há um convite para chegar nisso. Então, conforme
viajamos, falamos através da mídia, nos divertimos com muitas formas de
expressões, e o que realmente estamos fazendo é enviar convites. É como o
Raj no Skype com o seu slogan... “Eu sou o Único, você não irá se unir a
mim?”
Ele está enviando o convite. E é isso que todos nós estamos fazendo através
de todos esses meios de expressão... quando as pessoas vêem que estamos
felizes, cheios de alegria, que não somos julgadores, que não precisamos
menosprezar ninguém para ter esta consciência. De fato, é inconcebível que o
amor menosprezasse qualquer um. Então as pessoas são atraídas a nós - ela
aparecem. Somos testemunhas da nossa Mente. E as testemunhas estão
aumentando. É tão espaçoso quando não há julgamento.

P: Quais são as 3 coisas mais simples para as pessoas fazerem para acessar a
Mente de Cristo e sair fora do comum?

R: Confie na sua intuição ou no seu Poder Superior. Preste atenção nas suas
emoções - elas são barômetros. É necessário muito treinamento da mente para
o Despertar e parte disso é prestar atenção nas suas emoções, e ser genuíno.
Use o linguajar simples e não finja estar em algum lugar que você não está. Se
você está magoado, tudo bem, se você se sente culpado, envergonhado e a dor
está aparecendo... tudo bem. Deixe suas lágrimas virem, deixe sua raiva sair.
Deixa qualquer coisa que está lá no fundo vir para a superfície... dê a você
mesmo a permissão para avançar. Então finalmente dê a você mesmo uma
oportunidade na quietude. Se você chama isso de meditação, pescaria ou
navegar pelo oceano... qualquer que seja a forma, dê a você mesmo uma
sensação pacífica, um tempo para descompressar, desligar, relaxar porque isso
faz com que a intuição ficar mais clara.

P: Isto está além das palavras, e é um jeito de ser. Nenhuma palavra pode
descrever o verdadeiro ensinamento, um ensinamento que é um jeito de ser.

R: É como Ghandi dizendo para alguém que perguntou a ele no que ele
acreditava e ele respondeu, ‘Me siga por um tempo e você verá.’

Sobre Professores e Aprendizado Sem Limites

P: É muito tentador manter um professor que eu tenha muita consideração


como um ídolo. O ego irá usar professores espirituais e livros e escrituras para
a sua própria meta se você permitir. “Ele é o seu único exemplo daquele que
conseguiu completar o trabalho com sucesso, o trabalho no qual você está
investindo tanto tempo, esforço e sacrifício!” o ego esbraveja e grita “Se ele
não atingiu a sua meta, você também pode desistir porque como você sabe se
isso vai funcionar?”

Eu acho melhor “respirar fundo” como eu aprendi com a meditação em várias


áreas, que realmente significa não siga a mente, retorne à Verdade.
Continuamente retornando à Verdade está me mostrando que estou ficando
muito mais tranqüila em situações que há alguns anos atrás teriam realmente
me provocado enquanto eu me protegia e atacava em retaliação.
Fé em Deus é tudo que eu preciso seguir no caminho de volta a Ele. Fé no
homem me levará somente à ilusões. Fé no seu irmão não significa fé naquilo
que ele faz ou diz, mas na Verdade sobre ele. A inocência dele. Este é o
caminho de volta, na minha crença.

Tenho aprendido muito naquilo que parece ser um período de tempo tão curto
que eu sou realmente grata a tudo que eu tenho oportunidade de aprender... e
isto é tudo. Seja um dos meus alunos de 16 anos de idade que me surpreende
com uma oportunidade de perdão que eu não vejo com muita freqüência, ou
um professor “Espiritual” que me mostra lições de jeito normal ou de um jeito
que eu geralmente não esperava que fosse.

Agradeço novamente a todos por me mostrar os grãos de poeira no altar e


agradeço ao Espírito pelo espanador que tenho em minhas mãos chamado
Perdão! Em outras palavras agradeço a todos por tudo.

Amor.

R: Agradeço por compartilhar os pensamentos e emoções privadas que


estavam fervilhando na superfície da consciência para serem curados. É
realmente um trabalho interior, e eu sempre digo não siga a carne - siga o
Espírito interior. Jesus me ensinou o único julgamento correto (Como você se
sente?) como uma ferramenta para chegar na transformação autêntica da
consciência e honestidade emocional (um Estado de Alegria!). Agora eu
expresso isso livremente, e se isso parece inspirar alguém a perdoar e ser feliz
isto é uma bênção imensurável.

Eu não me identifico mais com os ‘papéis’ de professor / estudante ou líder /


seguidor ou guru / devoto, pois eu descanso no Presente Momento e estou
contente em simplesmente Ser.

Eu era sempre inspirado por essas seções do Manual de Professores de Um


Curso Em Milagres, então agora eu as ofereço como um Conforto:

II. Honestidade

1. Todos os outros traços dos professores de Deus baseiam-se na confiança.


Uma vez que ela tenha sido alcançada, os outros não podem deixar de se
seguir. Só aqueles que confiam podem se permitir a honestidade, pois só eles
podem ver seu valor. A honestidade não se aplica apenas ao que dizes. De
fato, o termo significa consistência. Nada do que dizes contradiz o que pensas
ou fazes, nenhum pensamento se opõe a outro pensamento, nenhum ato trai
tua palavra e nenhuma palavra discorda de outra. Tais são os verdadeiramente
honestos. Não há nenhum nível em que estejam em conflito consigo mesmos.
Portanto, é impossível para eles estar em conflito com qualquer pessoa ou
qualquer coisa.

2. A paz da mente que experimentam os professores de Deus avançados se


deve em grande parte à sua perfeita honestidade. Só o desejo de enganar é que
faz a guerra. Ninguém em unidade consigo mesmo é capaz de sequer conceber
o conflito. O conflito é o resultado inevitável do auto-engano e o auto-engano
é desonestidade. Não há nenhum desafio para um professor de Deus. Desafio
implica dúvida e a confiança na qual os professores de Deus descansam em
segurança faz com que a dúvida seja impossível. Por conseguinte, só podem
ter sucesso. Nisso, como em todas as coisas, são honestos. Só podem ter
sucesso porque nunca fazem a própria vontade sozinhos. Escolhem por toda a
humanidade, por todo o mundo e por todas as coisas dentro dele, pelo que não
muda e permanece imutável além das aparências, pelo Filho de Deus e pelo
seu Criador. “Como poderiam não ter sucesso? Escolhem em perfeita
honestidade, seguros da sua escolha tanto quanto de si mesmos.”

III. Tolerância

1. Os professores de Deus não julgam. Julgar é ser desonesto, pois julgar é


assumir uma posição que não tens. É impossível haver julgamento sem auto-
engano. O julgamento implica que tens te enganado nos teus irmãos. Como,
então, poderias não ter te enganado contigo mesmo? O julgamento implica
falta de confiança e a confiança continua sendo a estrutura sobre a qual se
baseia todo o sistema de pensamento do professor de Deus. Deixa que isso se
perca e todo o teu aprendizado se vai. Sem julgamento todas as coisas são
igualmente aceitáveis, pois quem poderia julgar de outra maneira? Sem
julgamento, todos os homens são irmãos, pois quem haveria de estar
separado? O julgamento destrói a honestidade e despedaça a confiança.
Nenhum professor de Deus pode julgar e esperar aprender.

IV. Gentileza

1. O dano é impossível para os professores de Deus. Eles não podem infligi-lo


nem sofrê-lo. O dano é o resultado do julgamento. É o ato desonesto que
segue um pensamento desonesto. É um veredicto de culpa para um irmão e,
portanto, para a própria pessoa. É o fim da paz e a negação do aprendizado.
Demonstra a ausência do currículo de Deus e a sua substituição pela
insanidade. Nenhum professor de Deus pode deixar de aprender - e bem cedo
no seu treinamento que causar dano oblitera completamente a sua função na
sua consciência. Fará com que ele fique confuso, amedrontado, raivoso e
desconfiado. Fará com que seja impossível aprender as lições do Espírito
Santo. E o Professor de Deus também não pode sequer ser ouvido a não ser
por aqueles que compreendem que o dano, de fato, nada pode conseguir.
Nenhum ganho pode dele advir.

2. Portanto, os professores de Deus são totalmente gentis. Necessitam da força


da gentileza, pois é nisso que a função da salvação vem a ser fácil. Para
aqueles que querem causar dano, ela é impossível. Para aqueles que não vêem
significado no dano, ela é meramente natural. Que outra escolha além dessa
pode ter significado para quem é São? Quem escolhe o inferno quando
percebe um caminho para o Céu? E quem escolheria a fraqueza que não pode
deixar de vir do dano, em lugar da força infalível, totalmente abrangente e
sem limites da gentileza? O poder dos professores de Deus está em sua
gentileza, pois compreenderam que seus pensamentos maus não vieram nem
do Filho de Deus nem do seu Criador. Assim, uniram os seus pensamentos
Àquele Que é a sua Fonte. E assim a vontade deles, que sempre foi a Dele
próprio, é livre para ser ela mesma.

V. Alegria

1. A alegria é o resultado inevitável da gentileza. Gentileza significa que o


medo agora é impossível e o que poderia vir para interferir com a alegria? As
mãos abertas da gentileza estão sempre cheias. Os que são gentis não têm dor.
Não podem sofrer. Por que não seriam alegres? Eles estão certos de que são
amados e de que estão a salvo. A alegria vai com a gentileza assim como o
sofrimento acompanha o ataque. Os professores de Deus confiam Nele. E
estão certos de que o Professor de Deus vai à sua frente, assegurando que
nenhum dano lhes venha a suceder. “Eles mantém as Suas dádivas e seguem
no Seu caminho porque a Voz de Deus os dirige em todas as coisas. A alegria
é a sua canção de agradecimento. E Cristo também inclina-se olhando para
eles com gratidão. A Sua necessidade deles é tão grande quanto a que eles tem
Dele. Que alegria é compartilhar o propósito da salvação!

VI. Ausência de defesas

1. Os professores de Deus aprenderam como ser simples. Eles não têm sonhos
que necessitem de defesa contra a verdade. Eles não tentam fazer a si mesmos.
Sua alegria vem da sua compreensão de Quem os criou. E o que Deus criou
necessita de defesa? Ninguém pode vir a ser um professor de Deus avançado
enquanto não compreender inteiramente que defesas não passam de tolos
guardiões de ilusões loucas. Quanto mais grotesco o sonho, mais firmes e
poderosas aparentam ser as suas defesas. No entanto, quando o professor de
Deus finalmente concorda em olhar para o que vem depois delas, descobre
que ali não havia nada. Lentamente, no início, ele se deixa ser desenganado.
Porém aprende mais rápido à medida que aumenta a sua confiança. Não é o
perigo que vem quando se abre mão das defesas. É a segurança. É a paz. É a
alegria. E é Deus.
e...

Exceto pelos professores de Deus haveria pouca esperança de salvação, pois o


mundo do pecado pareceria para sempre real. Os que se auto-enganam têm
que enganar, pois têm que ensinar o engano. O que mais é o inferno, exceto
isso? Esse é um manual para os professores de Deus. Eles não são perfeitos, se
fossem não estariam aqui. No entanto, a sua missão é virem a ser perfeitos
aqui e assim ensinam a perfeição repetidamente, de muitas e muitas maneiras,
até que a tenham aprendido. E então não mais são vistos, embora seus
pensamentos permaneçam como uma fonte de força e verdade para sempre.

Em gratidão pelo Eterno Amor de Deus que simplesmente É,

e está sempre disponível como uma Fonte de Ajuda interna,

O Fim do Conceito de “Professor Mestre”

P: Tenho seguido um professor há anos que se declara e nomeia a si mesmo


como um professor mestre despertado. Ele ensina que a mente é única, que
este mundo acabou há muito tempo atrás, que ele fala de fora do tempo, e que
ele e todos nós seus seguidores iremos voar para fora do tempo juntos. Ele faz
muitas referências à Bíblia e Um Curso Em Milagres, porém na Bíblia Jesus
nos ensina a oferecer o outro lado da face, não resistir ao mal, e se alguém lhe
pedir o casado ofereça-lhe também a capa. Em UCEM Jesus até mesmo
ensina: Na minha ausência de defesas está a minha segurança. No entanto, nos
últimos anos meu professor tem defendido e participado de uma atual
campanha e processo contra os detentores dos direitos autorais de UCEM e
justifica esta ação como estando do lado de Cristo contra aqueles que
poderiam tentar distorcer os ensinamentos e bloquear a disseminação do Seu
Verbo. Isto é confuso. Eu não entendo como é possível se engajar numa
processo judicial, ter uma representação legal, preparar um caso contra um
irmão, e defender uma posição - tudo em Nome de Jesus Cristo? Em UCEM
Jesus diz: Seu eu me defendo eu sou atacado. Você poderia explicar isso?

Minha segunda pergunta tem a ver com os ensinamentos do meu professor


sobre a transformação física. Se o corpo é uma ilusão como é possível
transformar e mudar uma ilusão? Meu professor se refere à transfiguração de
Jesus, porém eu não consigo entender como uma mudança na forma ou no
corpo físico tem qualquer coisa a ver com a transformação da mente chamado
Iluminação? Tem alguma coisa nos ensinamentos de UCEM que eu não esteja
entendendo?

Minha terceira pergunta tem a ver com o especialismo espiritual. Meu


professor refere-se a ele mesmo como uma inserção de luz dentro do tempo-
espaço contínuo, porém ao mesmo tempo ele diz ser além do tempo. Existe
uma grande importância colocada em estar COM o professor mestre e ficar na
energia elevada e no tempo avançado do professor mestre e da associação.
Mas em UCEM eu li que o ponto mais santo na terra é onde um antigo ódio se
tornou o amor presente. Você poderia falar da armadilha de fazer com que
alguém seja especial e diferente de todos os outros? Tenho ouvido chamarem
isso de armadilha do guru e parece um outro golpe do ego para colocar um
irmão acima dos outros e manter um senso de exclusivismo, especialismo e
separação numa maneira sutil. Se nós somos Uma Mente então parece que
nenhuma pessoa, lugar, evento ou coisa terá MAIS importância e não há nada
para se comparar na verdade. É isso?

R: Olá Amado Milagre

Cristo é Espírito, criado por Deus, e não precisa de defesa.

Os conceitos foram feitos pelo ego e assim parecem precisar de defesa


constante.

A verdade não precisa de defesa, pois a Verdade não tem opostos ou oposição.

Os conceitos do indivíduo são frágeis e não importa quão afetados pareçam


ser neste mundo, eles não têm nenhum fundamento na verdade e não oferecem
paz à mente, segurança ou garantia.

Maestria através do Amor vê a insensatez e a impossibilidade da defesa. A


Maestria através do Amor vê que um processo judicial é uma piada, pois
defesa e autêntica prática espiritual não têm ponto de encontro. A defesa é
uma tentativa do ego de ensinar que a vulnerabilidade é real e que alguma
coisa existe que tem necessidade de proteção. Porém o ensinamento central de
Um Curso Em Milagres é “Nada real pode ser ameaçado. Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.” Paz e compreensão andam juntas e não podem ser
encontradas separadamente. Fique alegre que você NÃO CONSEGUE
entender que um processo judicial justificado e engajado em Nome de Jesus
Cristo. O que você descreveu é uma boa piada do mundo, da tolice das
palhaçadas do ego sob o fingimento de uma “causa espiritual.”

Em Resposta a sua segunda questão, “transformação física” é um oxímoro ou


uma contradição em termos. Este é o erro do mundo das contradições. É
realmente impossível transformar ou mudar o físico, pois a mudança da ilusão
é simplesmente a ilusão da mudança. É por isso que eu digo: “Não busque
mudar o mundo. Em vez disso, mude a sua mente sobre o mundo.”
A Prece da Serenidade é o mesmo lembrete: O mundo não pode ser mudado, a
mente pode mudar (aceite sua imutabilidade), e o Espírito Santo é a Sabedoria
que conhece (discerne) a diferença.

A transfiguração de Jesus descrita na Bíblia foi um “fenômeno” ou “fachada”


e na melhor das hipóteses é visto como um símbolo ou representação de ir
além do véu das imagens para a Luz de Cristo no além.

No entanto, é útil ser lembrado que TODAS as percepções são falsas.

Luz Abstrata é Universal e não é específica ou particular.

O Espírito nunca “entra” na matéria e a Verdade não pode ser trazida às


ilusões.

A Eternidade nunca “entra” no tempo e o Infinito nunca “entra” no finito.

É por isto também que o conceito de uma “inserção de Luz” é impossível,


pois o Verbo literalmente não se torna carne. A Realidade não pode ser
traduzida ou transformada em irrealidade.

Em vez disso, traga a escuridão da falsa crença (incluindo o aspecto físico)


para a Luz da Verdade e Conheça a Si Mesmo como Espírito. Tempo-espaço-
matéria-copro físico se dissolve, e o Espírito permanece. Aceitar a Expiação e
este reconhecimento é óbvio.

Em Resposta a sua terceira questão, o ego É a crença no especialismo ou


exclusivismo.

A tentação de destacar uma pessoa, lugar, coisa, situação ou evento de toda a


tapeçaria do cosmos É a tentativa de fazer e adorar um ídolo ou Deus-
substituto.

Esta tentação do ego (o desejo de fazer com que as ilusões sejam reais) de
“adorar o guru” é somente um exemplo da morte, desejo do especialismo.
Toda vez que uma comparação é feita, a dualidade foi aceita como real e o
Amor Divino é aparentemente bloqueado da consciência. Porém o Amor
simplesmente É.

O Amor do Espírito é a Energia da Vida em Deus. Esta energia nunca é “alta”


ou “baixa”, “brilhante” ou “opaca”, “forte” ou “fraca”. O Espírito é
Intemporal e Imutável. O tempo é uma ilusão, e assim não há “tempo
avançado” ou “tempo atrasado”. É impossível estar “próximo” ou “afastado”
do Espírito porque o Espírito transcende os falsos conceitos de distância e
incrementos de medida. O ego tenta usar tais conceitos para manter a própria
“existência”, e esta “existência” está na crença das diferenças e
exclusividades. Felizmente a Unicidade não pode ser quebrada em peças ou
partes diferentes ou exclusivas. Totalidade significa Único!

A Mente Divina é real. Personificação, um conceito da mente-alma-corpo, não


é real.

É impossível para um conceito ser real, pois Deus não criou conceitos. Deus
cria Espírito e Espírito compartilha na Realidade de Deus. UCEM é
simplesmente um “caminho” aparente da liberação das associações passadas,
aceitando a totalidade do mundo perdoado, e lembrando do Ser e Deus. Onde
“a associação” se inicia? Onde “a associação” termina?

Você está vendo, o falso é falso e não pode ser quebrado em partes ou peças.

Não existe a divisão nós / eles, nem a divisão dentro / fora.

A “associação” ou grupo é senão um outro auto-conceito.

Lembre-se que somente auto-conceitos requerem a ilusão de defesa, e isto lhe


oferece o insight para a Resposta à sua primeira pergunta sobre o processo
judicial. A Salvação não é nada mais do que uma fuga dos auto-conceitos.

O Perdão, a última ilusão, o último auto-conceito não é feito por você sozinho.
O Espírito Santo oferece a Expiação como a Perspectiva da totalidade que
transcende a “perspectiva pessoal” do ego das partes. Para o Espírito Santo
GURU significa, Você é Você. A Presença do Eu Sou é Espírito, Um Ser para
sempre na Mente de Deus. Nada mais existe.

A Verdade é uma experiência. Ela não pode ser organizada.

Não busque na carne pela experiência interior.

Não busque no homem ou mulher ou “professor mestre” na forma.

O Espírito não lidera nem segue. O Espírito simplesmente É.

Iluminação é só um reconhecimento, nenhuma mudança em absoluto.

Expiação é o Momento do reconhecimento que transcende as armadilhas do


ego de “líder” e “seguidor”.

Não há nada “fora” do Único Ser. Assim é a Iluminação!

Amor & Bênçãos.

Professores - Estudantes
A pergunta “Para que serve isto?” é uma pergunta poderosa. Sua luz me tirou
do meu emprego de escritor, fora da minha igreja, onde eu era capelão leigo, e
por último fora do meu casado.

Estou sentindo um alerta para endereçar ao tópico dos Professores. Por 14


anos eu tive um professor antes que eu estivesse pronto para deixar o conceito
de lado. Em UCEM Jesus diz que a meta dele é nos “absolver” da necessidade
de um professor! ** anos atrás passou por um período de parecer ser um
professor com um bando de estudantes que o seguiam por todos os lados, até
que o Espírito Santo explodiu a ilusão e todos os alunos desapareceram. Como
você sabe por experiência própria, o Professor pode parecer trair o estudante
(o meu cometeu suicídio) e vice versa. Há um perigo inerente em qualquer
relacionamento onde um parece estar “acima” ou ser “mais do que” o outro. É
apenas mais um relacionamento especial onde dentro dele estão carvões
quentes de culpa, raiva e ressentimento que inevitavelmente virão para a
superfície. Nossa identidade como Cristo é compartilhada. Não importa quão
disparatados nossos papéis pareçam ser no roteiro do mundo, somos o mesmo,
não somos diferentes. Nossa proposta compartilhada, a proposta do Espírito
Santo, é para que nós reconheçamos a igualdade. Nós chegamos a ver que a
tapeçaria de imagens do ego é uma só, e a Luz é uma. E só a Luz é real.

Você é o amor que parece fluir através o meu irmão e seus ensinamentos.
Você é o sonhador do meu irmão e de mim mesmo e todo mundo na “sua”
vida. Seu “Ser é o comandante do universo.” Você é a luz do mundo. Você é o
santo Filho do Próprio Deus. Você está entre os ministros de Deus. Sua
santidade brilha reluzente e clara. Você é sustentado pelo amor de Deus. A
Voz de Deus fala com você o dia todo. Seu coração está batendo na paz de
Deus.

Dê me a sua benção, santo filho de Deus. Nós SOMOS o mesmo.

Eu te amo.

Transcendendo o Conceito de Professor

Saudações Amado Milagre

Querer ser um “professor de Deus,” no sentido pessoal, é parte da ilusão do


ego. O Céu é pura Unicidade sem desejos, e o passo em direção ao Céu é uma
“Meta” ou “Propósito” unificado Que dissolve a crença no tempo. As muitas
metas e desejos do ego são sem significado, já que o ego não tem existência.
O jogo do ego se torna óbvio: Procure, mas não ache. O fim da busca é o
Achar.
Ensinar e aprender não estão separados, pois a mente está ensinado /
aprendendo o “tempo” todo enquanto ela acredita no tempo. Ensinar /
aprender podem ser equiparados com o ato de pensar, no Despertar a
conversão ocorre quando pensamentos de passado / futuro são liberados e a
Mente reconhece que Ela Pensa somente como Deus Pensa, e Ela cria
exatamente como Deus Cria.

Enquanto a mente acredita na falta, ela parece querer e busca preencher a


sensação do vazio. Quando a falta é vista como impossível, a Mente percebe
somente a Totalidade e o Preenchimento e a Unicidade. Paz e contentamento
são experiências do Presente Momento. “Ensine somente Amor” significa que
Você pensa com Deus e está com Deus.

Permitir que o perdão seja a sua “meta de aprendizado” é estar disposto a


desaprender tudo que você acredita e esvaziar a mente de tudo o que ela pensa
que pensa. Você está entrando no interior para discernir o valioso do que não
tem valor, o significativo do insignificativo, o verdadeiro do falso. Irá
despontar na consciência que o “desvio” era a ilusão. Você permanece como
Deus Te criou, Amado Portador da Luz. Você é a Dádiva de Deus quando
brilha tão reluzente! Felizmente a Criança de Deus está além da mudança.

Feliz em Te Ver na Inocência.

Bênçãos.

A Importância de um Convite

Questionador: Como você lida com as pessoas que têm todas essas crenças
sobre o corpo? Pode ser aqueles que estão tomando um monte de suplementos
ou fazendo certos tipos de dietas ou regimes e exercícios? Você alguma vez
diz algo que não foi pedido?Orador: Não, tudo é realmente um convite.
Quando alguém está passando pelo treinamento da mente e você foi
convidado para ir à casa desta pessoas e ela é muito sincera sobre isso ela
pode dizer, “Por favor, me ajuda de qualquer maneira que você puder. Por
favor, aponte qualquer coisa que você vê que poderia ser útil na liberação do
ego no treinamento da minha mente.” Isso é realmente um convite aberto e o
que poderia ser compartilhado então não é tanto tentar corrigir um irmão, mas
apenas responder ao chamado. Mas quando eu estou viajando e as pessoas
podem falar sobre coisas de dieta ou parecem ser viciadas ou presas ou
escravizadas por um número de coisas, eu estou lá para me unir e regozijar na
alegria do momento. Realmente essas coisas que você estava compartilhando
não são absolutamente preocupações. Nós falamos bastante sobre isso porque
ficamos com pessoas que parecem estar lutando em muitas áreas, mas não
ativamente pedindo que as coisas sejam apontadas ou para serem ajudadas
nessas formas específicas. Tem sido uma ótima experiência para mim porque
as pessoas irão dizer, ‘Oh gostei tanto da sua visita e adorei ter você aqui’, e
elas apreciam a alegria e a paz e a sensação do não-julgamento.

Então é mais provável que esta inspiração faça com que elas façam essas
mudanças internas que são necessárias para deixar que alguns daqueles
padrões de comportamento se desmanchem, em vez de ser especificamente
dito ‘olha isso e olha aquilo, etc.’ que pode ser sentido como julgamento ou
estar sendo criticado. Realmente o convite é essencial antes que eu vá e aponte
as coisas. Esses são os tipos de experiência onde você está se unindo no
despertar. Apenas viva como você viveria e vamos compartilhar a alegria e
conforme nos aprofundamos, mais nós iremos desencobrir muitos
mecanismos de defesa do ego, que é realmente onde o problema está. Está na
mente, não está nos comportamentos. Os comportamentos vêm
automaticamente das crenças e dos pensamentos. Eu realmente tento me unir
às pessoas no propósito e trabalhar com as crenças e pensamentos e realmente
não noto os comportamentos.

Abrindo-se para a Voz de Deus

P: Eu estou tendo dificuldades para ouvir a voz que fala por Deus. Eu estou
continuamente ligado e desligado, paz e conflito. Eu venho estudando UCEM
por 3 ou 4 anos e eu não vejo mais as coisas como eu via antes, mas apesar de
sentir uma sensação maravilhosa de paz e amor quando medito, durante o
resto do dia me sinto quase enraivecido e furioso com qualquer coisa.
Realmente acho que estou enlouquecendo, sinto que tenho a mente dividida,
personalidade dividida, eu me vejo mal e horroroso e também inocente e
impecável, é necessário um esforço tremendo para conseguir me lembrar de
respirar fundo e me fazer lembrar quem Eu Sou... e o fato é que
intelectualmente UCEM tem sido um constante deslumbramento para mim,
consigo ver como o ensinamento e o aprendizado funcionam, como a
percepção, ilusão e o ego trabalham... eu não sei como me expressar. Eu me
sinto horrível neste momento e sinto que preciso de ajuda.

O Curso se tornou quase minha obsessão nos últimos anos. Sinto que gostaria
somente de estar em volta dos estudantes de UCEM, somente conversando
sobre Deus e o Espírito Santo, somente sentindo paz e amor. Para reconhecer
que voluntariamente estou tentando acreditar de maneira diferente do que eu
tinha sempre acreditado que as coisas eram, parece tão louco. Se em vez de
mim mesmo, eu tivesse um “guru” ou alguém (ser físico) me dizendo para
fazer uma lavagem cerebral em mim mesmo para acreditar nisto, realmente eu
teria muito medo. Mas eu tenho sentido o amor e a paz que esta crença me
oferece e eu quero isso. Acho que estou desesperado. Desculpa! Por favor,
você poderia me enviar algumas palavras de conforto? Eu sou o único tendo
esses problemas com a prática do UCEM?
R: Você é muuuuuuuuuito Amado. Eu estou com Você todo o caminho do
Despertar! O conflito da crença está emergindo na consciência, como deve, e
apesar de parecer como se você estivesse ficando insano para o ego, o falso
está meramente sendo exposto ou trazido à verdade. A escuridão está sendo
trazida para a luz.

As emoções que você está vivenciando são parte de uma ilusão do desfazer e
não são incomuns na purificação do pensamento, na transformação da mente
para Mente. UCEM é o seu caminho, siga-o com devoção.

É um caminho acelerado para atravessar do medo para o amor, e conforme


você Chama o Amor de Deus, tudo que bloqueia a consciência do Amor está
sendo trazido à consciência para que ela possa ser liberada. À medida que
você se aproxima do núcleo do sistema de pensamento do ego, os sentimentos
podem parecer muito intensos, pois o ego é intensamente ameaçado pela Luz
e a identificação com o ego produz a ilusão do transtorno. Anime-se, pois o
fim do sonho está bem perto ao alcance das mãos.

O Espírito Santo irá orientar todo o desaprender, e se você está tendo


dificuldades em ouvir a Voz Dele, sugiro que faça esta pergunta: “Para que
serve isso?”, em situações e eventos que você vivência diariamente. Este
questionamento, se feito sinceramente e persistentemente, leva cada vez mais
ao fundo do sistema de crença do ego e é útil no abandono da fé no ego. Isto
ajudará na tarefa da liberação da percepção linear e permitirá que o milagre
reorganize a percepção para a Perspectiva simultânea. Usar o símbolo da cruz,
o horizontal colapsa e dissolve, e tudo que resta é o vertical (Comunhão com
Deus).

Em algum momento você poderá ser Guiado a participar mais ativamente


numa “comunidade espiritual”, e esta forma será um símbolo para você da
comunicação aberta e a segurança e estabilidade para permitir que o erro
chegue à superfície e seja liberado. Tudo é um reflexo do pensamento, e
felizmente é aprendido que mudar os pensamentos liberando o pensamento de
ataque é a nossa Salvação. O mundo só pode refletir crenças, porém crenças
podem mudar de julgamento para perdão conforme a disposição para deixar
todos os julgamentos de lado surge. Esta é a rendição à Graça de Deus.

“Comunidade espiritual" é uma reflexão da disposição do Chamado para


Ajudar e ser usado para estender a Ajuda, e isto abrirá ainda mais a disposição
para ouvir a Voz de Deus. O segredo é não esconder ou proteger falsos
pensamentos e crenças. Compartilhar com os seus irmãos e irmãs é
simbolismo do não esconder nada da Luz Amorosa do Espírito Santo. Esta
oportunidade está prontamente disponível em todas as formas aparentes da
comunidade, incluindo contatos físicos e a Internet. No entanto, é sempre útil
lembrar que deixar de lado o horizontal (crença num mundo linear que está aí
fora) no ponto da interseção (o milagre) leva ao vertical (Visão de Cristo).
“Comunidade espiritual” é um passo útil em direção ao reconhecimento da
Comunhão interna com Deus.

Eu me uno a você na sua devoção, pois Cristo Chama e nós Respondemos.


Que outro objetivo mais Santo poderia haver?
Eu te amo e caminho na mesma estrada do Mesmo Ser para Deus.

Paz & Bênçãos.

A Verdade Não Tem Exceções

O que é verdadeiro para você é verdadeiro para mim e é verdadeiro para todos
se é a Verdade.

O Princípio Divino não tem exceções, e não há equívocos na percepção que o


perdão não possa curar.

Deus não tem favoritos e já que não há ordem de dificuldades em milagres,


uma situação aparente é tão perdoável como a outra. Porém com ‘perdoável’
eu quero dizer que nenhuma ilusão tolera a Luz do Princípio Divino. Irritação
dá o lugar para a Alegria na consciência, tão logo os pensamentos de ataque
são liberados, e a Alegria é natural ao Espírito.

O ponto importante para se olhar é que o mundo é percepção distorcida, uma


lente obscurecida.

A distorção do ego pareceu dividir o mundo em dois e perceber sujeitos /


objetos, vítimas e vitimizadores, santos e pecadores. Porém a divisão foi na
mente e não no mundo, e a Correção está na mente não no mundo.

Uma mudança na percepção é literalmente olhar para o mundo de uma nova


maneira, com o Espírito, e ver um mundo perdoado. Uma vez que o erro é
curado ou visto como irreal, os efeitos se foram assim como também o que o
erro pareceu produzir.

O corpo na percepção do ego pode parecer nascer, viver, adoecer e


envelhecer, ser tanto a vítima como o vitimizador, e morrer. Porém o Espírito
é eterno e, portanto, incapaz de qualquer uma dessas ilusões.

Eu sou Espírito ou corpo, é a distinção ou decisão que é a chave, pois Um é o


Real e o outro só um sonho.

O Perdão vê as ilusões como ilusões, e sonhos como sonhos, e assim vê o


passado como passado.
Assim é a verdadeira concessão do poder, pois estar alinhado com o Poder
Superior é ser verdadeiramente invulnerável.

Encontrando: Não Procure Mais

Esteja disposto a descobrir que você não é mais um “buscador”, mas o Único
Que Há.

O que poderia mudar na experiência (além de tudo) se o Você Real


experimentasse a Identidade Verdadeira e fluísse conhecendo a União com
Deus em vez de agarrar-se a dúvida e andar sobre assustadoras cascas de ovos
buscando por ela?

Você sabe a Resposta. Você É a Resposta.

Significaria não ter desculpas para se agarrar na crença em vítimas e


vitimizadores.
Seria o fim do choro: “Mas e quanto a mim?
”Significaria ser Livre para Amar sem limites.
Significaria não afagar ninguém que pareça estar se afundando por nada,
dizendo, “Sim, eu sei o que você quer dizer”.
Significaria escolher preces, meditação, etc. a cada manhã em vez de pular
para dentro do trem das perambulações e atarefados nadas do ego.
Significaria que a responsabilidade da Expiação, da Completa Paz Interior, foi
aceita.
Significaria ver o nada da crença “na multidão da sonolência em massa”, e
aquecer-se na Luz do Céu interior.
Significaria contato visual (pela Janela da Alma) com o balconista da
mercearia e a pessoa na rua e todos que vêm à mente... Real... Profundo...
Contato que vem do interior da Essência do Ser.
Significaria sentir-se Profundamente sem resistência.
Significaria uma profunda Paz que é tão Totalmente Abrangente que por um
Instante o mundo desaparece e a experiência da Verdadeira Visão desponta.
Significaria dançar na Alegria indescritível e vivenciar Reverência do Poder e
Glória do Eterno Amor de Deus!
Significaria viver num Universo que não comete enganos, assim não tem uma
só coisa para ser julgada.

A Parábola do Perdão - O Fim da Busca

Havia um buscador que foi até Deus e disse, “Você me disse que meu
treinamento está quase completo. Você disse que eu estou quase pronto para
deixar o mundo da forma e entrar no Reino Celestial. Mas Você Que é o
Amor não me deu instruções em relação ao homem e a mulher.”
“Sim, minha criança,” Deus disse, “há uma questão que te entristece. Você vê
isso claramente?”

E como ele tinha sido treinado, o buscador entrou no Silêncio e viveu lá por
algum tempo. E logo depois ele disse, “Eu tenho muitas questões que me
entristecem. Eu devo me casar ou ficar sozinho? Se eu for sozinho, devo
aceitar o celibato? E se eu devo me casar, devemos ser sozinhos ou ter filhos?
E se eu tiver cônjuge e filhos, ele se unirão a mim no trabalho que você me
deu? E se eles devem se unir a mim, o que eu devo fazer se eles se
recusarem?”

“Sim, minha criança,” disse Deus, “essas e milhares de questões mais você
poderia perguntar. Porém você enxerga uma única questão por baixo de todas
as outras?”

De novo o estudante entrou no Silêncio, e desta vez ele permaneceu Quieto


por um longo período. Então, depois ele disse, “Eu acredito que aquela única
pergunta que eu tenho é ‘Estou sozinho’?”

E Deus disse, “Você entendeu bem. Você viu que é a única pergunta que há.
O mundo que você está para Ascender foi meramente esta questão.”

Ainda assim o buscador não sorriu. E então Deus disse, “Talvez, minha
criança, você pense que não sabe a Resposta.”

E o buscador disse, “Não há nenhum pensamento que você possa me dar para
responder estas muitas pequenas questões que nascem desta única?”

“Realmente existem muitas enquanto você acredita que a Única são muitas”,
disse Deus, “mas todas elas são respondidas na única Resposta.”

E então Deus falou com o buscador do fundo do interior das profundezas do


Amor. E Deus disse, “Você é o milagre que você deve apresentar. E toda vez
que parece que você falhar na sua função você se sentirá sozinho, e por esta
escolha você se absterá de toda a vida, toda a verdade, toda realidade.”

“Você saberá quando você tiver lembrado da sua função pelo Amor que
derrota o julgamento e o desejo. Pois o milagre é a sua função: Ser o reflexo
do Meu Amor, e então ver que o nosso Espírito Divino é tudo que existe --
para dar Amor facilmente e assim recebê-lo facilmente. Nada que você diga
ou faça no mundo terá qualquer significado sem o Amor.”

“Amar é estar no brilhante Coração do Eu e assim dentro dos corações do


“menor” e do “maior” dos Meus filhos. Pois quando você está no Coração do
Eu você não olha através das faltas do seu irmão. Você olha para depois delas,
ou por cima delas, ou em volta delas. Você olha para dentro de Mim. Pois
somente no Meu Coração você irá reconhecer o Pulso que corre através de
toda a Criação.”

“Neste mundo você será tentando a acreditar que para Amar um você deve
primeiro Amar todos. Mas agora eu te digo que você deve perdoar um irmão
antes que você possa amar todos. Pois só existe Um. Não importa se você
pareceu tomar um cônjuge ou tem um cônjuge, pareceu ter filhos ou não tê-
los. Pois este irmão que você perdoa são todas as crianças, mulheres e homens
que você olha. Mas até que você trate pelo menos um irmão como você
gostaria de ser tratado e vir a reconhecer que o coração dele é o seu próprio,
vai parecer que você está vagando sozinho através do espaço e tempo e sonho
de morte. Vai parecer que você pensa em ferir o seu irmão e sonhar que está
Me ferindo. Mas quando finalmente você Despertar para Quem o seu irmão é,
você Despertará como Um em Mim.”

“Durante aquele Instante você retornará ao Lar. E eu cantarei a Eterna Canção


da Felicidade para Você. Pois Você é a minha Criança e não há nenhuma
outra. E eu vou te embalar Desperto para a Vida em Mim: Você que é a
Minha alegria e o Meu Significado e a Minha Completeza.”

“Eu guardo um lugar na Eternidade para Você onde Nós moramos como Um,
Eu em Você e Você em Mim para sempre. Conheça o Amor e Você saberá
que Você nunca está sozinho.”

Glória a Deus pelo Amor Eterno. O Perdão é sempre uma dádiva ao nosso
Ser, e assim o perdão não tem preço ou custo.

A Paz Vem com a Aceitação

Chega uma hora quando toda a procura, a busca e o desejo por melhoria chega
ao final. Há um momento em que a mente está quieta e contente. Há um
instante que transcende tempo / espaço e todas as coisas do tempo / espaço.
Neste instante o mundo é perdoado, e visto de um ponto de referência onde
não se conhece o julgamento. Todas as coisas são vistas como elas realmente
são, sem distorções ou distinções. A igualdade de todas as coisas é
radiantemente evidente! Assim é a Aceitação! Assim é a Paz!

Conhecendo o Seu Propósito

Participante: Você poderia falar um pouco sobre qual é o meu propósito na


vida? Como descobrimos nosso propósito?

Orador: Quanto mais lúcido você se torna e quanto mais você investiga isso, é
uma alegria que está simplesmente impelindo. É uma alegria quando você
começa a entender as coisas. Então quando você se conecta e se une às
pessoas, o que você diz é o que você precisa ouvir. A consciência disso entra
cada vez mais.

Participante: Como você sabe quando você segue o desejo de compartilhar e


que o ego não vai tomar posse disso?

Orador: Esta é a chave daquilo que eu quero examinar. O Espírito Santo é o


propósito. O ego não sabe o que é propósito. Ele não sabe o que é o
significado porque ele não vem de um significado. Ele nunca teve um papel de
modelo consistente, por assim dizer, e ele é muito inconsistente e
imprevisível. Ele não sabe o que ele quer. Ele simplesmente fica agarrando e
procurando coisas no mundo: o relacionamento perfeito, o carro perfeito, a
formação universitária perfeita. O ego está sempre jogando este jogo, ‘Eu
serei feliz quando (preencha a lacuna).’ E o que está por trás deste jogo é esta
crença que se você conseguir obter a condição certa, você pensa que seu
sonho no mundo da forma irá trazer felicidade, então corra atrás do seu sonho.
Algumas pessoas querem o sonho Americano e quando finalmente obtém o
cônjuge, o carro, o cachorro e até mesmo a cerca de estacas então elas se dão
conta de que não sabem por que queriam tudo aquilo. O ego está sempre
dizendo que existe alguma forma que trará felicidade.

O que o Curso ensina é que há um Propósito na nossa mente que nos trará a
felicidade e que não está na forma. Tem uma ótima linha no Curso que diz,
“Quando você decide sobre a forma que você quer, você perde a compreensão
do propósito.”

Abrindo-se para o Amor Divino

É sempre animador estender o Amor Divino. Liberar a tentação de olhar para


fora na busca da “fonte do amor” e em vez disso, estender o Amor interior é a
chave para a felicidade duradoura. Pois o Amor é como uma nascente
borbulhante que nunca acaba, e quanto mais estendemos o Amor, mais
estamos cientes de que temos o Amor e somos Amor. O Amor não faz
distinções e não discrimina, pois o Amor banha tudo gentilmente em sua Luz.
É isto que faz o Amor uma dádiva para todos.

O mundo foi feito como um substituto para o Amor Divino. O “amor” do


mundo envolve barganhas, reciprocidade, controle, especialismo e sua
principal característica é a posse. Enquanto o Amor Divino irradia e brilha
sem limitação, condição ou restrição, o “amor” possessivo é cheio de regras,
fronteiras, exigências e expectativas. O Amor Divino é livre e é dado
livremente. O “amor” possessivo está sempre procurando por aquilo que ele
irá obter em troca. O “amor” possessivo tem muitos fios apegados à sua
“dádiva”. O Amor Divino não conhece fios ou apegos, pois ele flui tão
poderosamente, tão silenciosamente, tão alegremente e tão livremente quanto
um Grande Rio.

Não podemos direcionar o Curso do Amor. Podemos nos entregar à Corrente


do Amor Divino e ela nos carregará até que felizmente damos conta de que a
Presença do Amor Divino do Eu sou é o nosso verdadeiro Ser em Deus. O
Amor de Deus é Eterno e assim todo o resto que parece existir irá se
desmanchar e desaparecer quando nos lembramos da Eterna Luz do Amor
Divino. Glória a Deus por criar o Amor Divino como Um!

Benção a Você, Santa Criança de Deus!

Desaprendendo o Mundo
Como Eu Devo Praticar as Lições do Livro de Exercícios?

P: Como sempre, te agradeço muito por dar a sua sabedoria. Tenho algumas
perguntas que estão me importunando.
Eu não consigo entender claramente como eu devo praticar as Lições a partir
da 170 em diante. Devo seguir as recomendações dadas na Lição 153?

Em algumas lições está escrito que teremos alguma experiência que não é
deste mundo. Na lição 129 está escrito “...e na escuridão silenciosa observa as
luzes que não são desse mundo iluminarem-se, uma por uma, até que o lugar
onde uma começa e outra termina perca todo o significado à medida que elas
se fundem em uma só. Hoje, as luzes do Céu se inclinam para ti, para brilhar
sobre as tuas pálpebras enquanto descansas além do mundo da escuridão.
Aqui está a luz que os teus olhos não podem contemplar. E, no entanto, a tua
mente pode vê-la com clareza e pode compreender.”

Primeiro eu não entendi isso muito bem. Segundo eu não tive tal experiência.
Outras experiências também são descritas em outras lições que deveríamos
passar por essas experiências. Eu acho que estou fazendo as lições
cuidadosamente. Mas eu não tive uma só dessas experiências. Você teve
aquelas experiências descritas no mesmo dia em que você as praticou? Existe
algo que eu preciso fazer de uma forma diferente?

Está escrito que o roteiro já está escrito. A hora em que a experiência vem
também já foi decidida. Isto significa que o que quer que tenha que acontecer
acontece. Se este for o caso onde está a escolha? Isto também significa que
tudo está funcionando perfeitamente. Até mesmo os erros que cometemos
deveriam acontecer. Mas ao mesmo tempo UCEM diz que ao praticar alguma
lição (eu não me lembro o número da lição), podemos economizar milhares de
anos ou mais.
Se o roteiro está escrito e o tempo já está estabelecido como podemos
economizar tempo? Isto é realmente extremamente intrigante para mim. E o
que há para nós fazermos senão só esperar a hora chegar? No entanto, a Lição
169 diz “...que tenhas trabalho a fazer para desempenhar a tua parte.” Em
algum outro lugar no texto diz, “Você não precisa fazer nada.” Isto parece
contradição e eu estou totalmente confuso e no escuro sobre o significado
destas sentenças. Você poderia nos iluminar?

Muito obrigado.

R: Amado Milagre

Agradeço suas perguntas sinceras. O Livro de Exercícios foi projetado como


uma ferramenta para ajudar a Guiá-lo até uma experiência chamada
transferência de treinamento.

No Livro de Exercícios estão direcionados exercícios imaginários,


meditações, visualizações e instruções muito específicas para serem feitos os
mais estritamente quanto possíveis. Alguns irão parecer vivenciar as lições
com uma predisposição verbal, alguns com uma disposição visual imaginária,
alguns com uma predisposição silenciosa e alguns com uma disposição muito
emocionalmente sensível. Nenhuma delas importa porque o Espírito Santo
encontra a mente onde quer que seja e como quer que ela perceba a si mesma.
A lição a ser compreendida é sempre a lição do não-julgamento: “Eu não sei.”
Toda vez que julgamentos ou comparações surgem são oportunidades
apropriadas para lembrar da lição do dia, libere, e re-concentre-se no
Propósito. O visual imaginário usado é sempre simbólico e é destinado para
Guiar a mente em direção à experiência transcendente. Da melhor forma que
você puder, não tente julgar nada que pareça ocorrer, pois o Livro de
Exercícios e o Curso e o Manual é um currículo no abandono de todo o
julgamento.

“O roteiro está escrito” significa que o cosmos é passado. A escolha é o


milagre, para ver que o passado acabou e se foi, em vez de acreditar que o
futuro é diferente do passado. As imagens são o passado, e esta experiência é
apontada na lição nº 7, na qual esta nova “idéia do tempo” é introduzida. A
mente enganada, adormecida e sonhadora acredita que ela vive no passado.
Porém a Vida é Eterna e a aproximação mais próxima da Eternidade é o
Agora. As lições do Livro de Exercício são planejadas para ajudar a liberar
tudo que você pensa que pensa, e tudo que você pensa que vê, para
contemplar a Luz além do véu - o Presente - e Ver com a Visão de Cristo. Os
Milagres parecem preparar o caminho para a Revelação, a Luz Pura, o
Instante Santo, no qual os Grandes Raios são vivenciados diretamente.|
Aplique cada lição com uma paixão tão transbordante, como se não houvesse
nada mais, senão a iluminação para vivenciar este exato momento. O desejo é
a chave, e este é o significado do “Eu Não Preciso Fazer Nada.” Fazer é
sempre um pensamento do corpo. Conforme você prossegue você descobrirá
que as lições são simplesmente pontos iniciais para ir além das palavras para a
experiência do Silêncio Divino.

Toda a Glória ao Deus Vivo da Pura Luz e Amor. Amém.

Livro de Exercícios - Lição 157

P: Olá

Esta lição declara que ela nos traz à porta onde todo o aprendizado cessa e
captamos o vislumbre daquilo que vem depois dos cumes mais altos que ele
pode atingir... ela introduz uma nova experiência, um tipo diferente de
sentimento e consciência... Hoje, aprenda a sentir a alegria da vida.

Mas eu não tive tal experiência. Isto significa que não estou aplicando as
lições corretamente? Tenho praticado tudo com muito esforço exatamente
como especificado. Agora estou começando a me sentir desanimado e sem
esperanças. O que acontece com aqueles de nós, que mesmo depois de ler
todo o texto e fazer as lições do livro de exercícios, não conseguem obter a
salvação? Temos que morrer e voltar em outra vida para continuar a nossa
jornada?

Tenho uma outra pergunta. Apesar de estar praticando as lições extremamente


bem, há dias que não consigo prosseguir com a próxima lição. Assim há dias
que passo sem praticar. No entanto, depois de ficar menos agitado, eu
recomeço minha prática. Tudo bem assim? Não importa o quanto eu tente, não
consigo praticar uma lição por dia. Deveríamos seguir estritamente a sugestão
de uma lição por dia para que sejam efetivas?

Agradeço a sua ajuda.

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever e pela sua devoção ao Despertar. Pense nas lições do
Livro de Exercícios como um laboratório para aplicação das idéias e colocá-
las em prática.

É maravilhoso que você esteja disposto a fazer as lições. Cultive e alimente


esta disposição, e quando as sensações de agitação, desânimo ou desesperança
surgirem simplesmente aplique a lição do dia a qualquer coisa que está na sua
consciência. Você foi instruído a não fazer mais que uma lição por dia, e isto
não significa que não possa ficar numa lição mais do que um dia se isso for
útil.

Quando você notar que não está se sentindo em paz ou julgar que não está
experimentando o significado do que a lição está indicando, simplesmente
retorne para a idéia do dia. As lições são coleções de palavras designadas a
ajudar o treinamento da mente para uma nova percepção de tudo e todos. Se
você pesquisar aqui neste grupo de estudos ou no nosso futuro site ‘professor
dos professores’ você encontrará muitos recursos que ajudam a aprofundar na
mente e com devoção e prática essas idéias do Despertar irão parecer mais e
mais naturais. Todo o apoio do Espírito Santo e dos anjos está com você neste
Despertar. As pessoas que você encontra e os símbolos que alcançam a sua
consciência irão crescentemente refletir o mais profundo desejo do seu
coração: Despertar no Amor de Deus.

Não se preocupe com a aparente “morte” do corpo. O corpo é meramente um


instrumento, um símbolo entre outros símbolos, usados pelo Espírito Santo
para ajudar o Despertar da mente que parece dormir. Seu trabalho com o
UCEM irá ajudá-lo liberar o uso do corpo e do mundo pelo ego, pois o
propósito do ego era o desejo da morte. Uma vez que este desejo da morte é
exposto ele não é mais atrativo e é deixado de lado para sempre. Pratique as
lições com paixão e devoção, assim a mente se fica pronta para aceitar o
perdão completo e vivenciar a Verdade do Ser.

Eu estou junto com você neste Propósito santo, e nada pode prevalecer contra
a nossa união. Estou com você em todo o caminho Amada Criança de Deus.

Abundantes Bênçãos! Toda a Glória a Deus!

Sempre Amor.

A Impossibilidade do Ataque

Talvez você tenha ouvido a estória de Jesus. Jesus foi uma demonstração clara
e brilhante do amor incondicional. Ele viu somente o Cristo em todos e em
tudo. Ninguém está separado do Amor de Deus. Porém, muitos senão a
maioria das pessoas de seus dias pareciam irritados com Ele, irritados a ponto
de crucificá-Lo. Ainda assim o que está na lição que aprendemos com Ele:
Que o Cristo é Espírito e não pode ser crucificado. A inocência é incapaz de
ver o ataque, pois como a Inocência poderia existir se o ataque fosse real. É
por isso que a culpa é irreal: ataque é impossível. Esta é a única lição que
Jesus ensinou, apesar de parecer muito difícil de entender.
Todos estão iniciando o processo de aprender esta única mesma lição: o
ataque é impossível. Qualquer coisa percebida como irritante é somente um
reflexo da culpa na qual você ainda acredita. Qualquer percepção de irritação,
em você mesmo ou em outros, é uma percepção equivocada baseada na culpa.
Porém como poderia o amor e a culpa coexistir? Deus é real. Espírito é real.
Deus é Amor e o Amor não tem opostos. Este é o significado de amor
incondicional, e que lição senão esta você poderia querer ensinar e aprender?
Isto lhe fará sentir gloriosamente feliz!!!

Se você vivencia qualquer outra coisa que não seja a Felicidade Suprema,
você não estava certo no seu Propósito. Esteja certo daquilo que você quer e
você irá sentir a felicidade da Inocência e não a confusão da culpa. Você é
inocente ou culpado? Deus te ama eternamente, incondicionalmente e nada
pode mudar a Mente de Deus. Esta não é uma notícia maravilhosa?!!!!

O Que Você Acredita Sobre o Seu Irmão e Deus

Orador: [inicia com uma leitura do UCEM]

“Aceita o sonho que Ele deu em lugar do teu. Não é difícil mudar um sonho
uma vez que o sonhador já tenha sido reconhecido. Descansa no Espírito
Santo e deixa que os Seus sonhos gentis tomem o lugar daqueles que sonhaste
no terror e no medo da morte. Ele traz sonhos que perdoam, nos quais a
escolha não é entre quem é o assassino e quem será a vítima. Nos sonhos que
Ele traz não existe assassínio e não há morte. O sonho da culpa está se
apagando da tua vista, embora os teus olhos estejam fechados. Um sorriso
veio para iluminar a tua face adormecida. O sono agora é de paz, pois estes
são sonhos felizes.”

Este próximo parágrafo, poderíamos imprimi-lo e colocá-lo na parede como


um lema para esta casa. Quando as coisas começam a ferver sobre comida e
lavar roupa ou limpeza ou isto ou aquilo ou dinheiro, olhe para a parede e
veja, esta aqui na parede! Toda vez que a coisa estiver ficando complicada,
toda vez que a coisa ficar difícil demais para lidar...
“Sonha suavemente com o teu irmão sem pecado, que se une a ti em santa
inocência. E desse sonho o próprio Senhor do Céu despertará o Seu Filho
amado. Sonha com a benignidade do teu irmão, em vez de habitares nos seus
equívocos em teus sonhos. Seleciona a atenção cuidadosa que ele te presta
como matéria dos teus sonhos, ao invés de contares os ferimentos que ele
provocou. Perdoa-lhe as suas ilusões e agradece-lhe por toda a ajuda que
prestou. E não deixes de lado as muitas dádivas que ele te deu, porque ele não
é perfeito em teus sonhos. Ele represento o seu Pai, que tu vês como Aquele
Que te oferece ambas, vida e morte.
Irmão, Ele dá só a vida. Entretanto, o que vês como as dádivas que o teu
irmão te oferece representa as dádivas que sonhas que o teu Pai te dá. Permite
que todas as dádivas do teu irmão, oferecidas a ti, sejam vistas à luz da
caridade e da benignidade. E não deixes dor alguma perturbar o teu sonho de
profunda apreciação pelas suas dádivas a ti.”
Este é um contexto bem diferente para se pensar. Se eu penso que meu irmão
está fazendo algo irritante para mim, essas são as dádiva que eu penso que
meu Pai no céu está oferecendo para mim. Isto coloca a coisa toda num
contexto diferente. Se eu penso que meu irmão é indigno de confiança, eu
penso que meu Pai é indigno de confiança. Se eu penso que meu irmão é
ganancioso, é desrespeitoso, controlador; quaisquer que sejam os pensamentos
que eu tenha sobre o meu irmão, que passam pela minha mente - essas são as
dádivas que eu penso que meu Pai tem para mim. E se você mantém isso neste
contexto e começa a pensar o quão absurdo é tudo isso. Mas não ver dentro do
contexto; ver dentro do ‘Aqui estou, sou uma pessoa presa neste mundo e
essas são as pessoas que estão na minha frente todos os dias’... ‘Seria muito
melhor se fulano e beltrano fizessem isso de outra maneira ou mudassem’ e
assim por diante - este é o jeito que o ego vê o mundo. É o único jeito que ele
consegue ver o mundo.

Apenas lembre-se que quando você está olhando através dos olhos do corpo,
você está olhando através do fazedor-de-imagens. Você está vendo um mundo
de imagens e você está vendo através dos olhos do fazedor-de-imagens, os
olhos do ego.

Jesus diz que o Espírito Santo não percebe o mundo do jeito que você
percebe. Não é como quando um evento ou situação acontece você entra no
seu guarda-roupa e reza e diz, ‘Oh, você viu aquilo Espírito Santo? Você
consegue imaginar que eles fizeram aquilo comigo?’. Isto não é uma prece.
Esta é uma prece do ego.

Participante 1: Porque o Espírito Santo não viu isso.

Orador: Ele não viu isso. [rindo]

Participante 1: Ele não sabe do que eu estou falando.

Orador: O Espírito Santo está gentilmente fazendo a mente lembrar, ‘Você


está olhando através o vidro escuro e o que você está vendo não está
realmente acontecendo. Você acredita na separação, você acredita que você é
uma pessoa, você acredita em todas essas coisas que você não questionou. Por
favor, venha! Traga essas coisas para mim! Eu iluminarei essas crenças. Não
fica remoendo os efeitos. Não fica remoendo os pecados do seu irmão. Sonhe
com a gentileza do seu irmão, escolha sua delicadeza.’
É engraçado, até mesmo isso, ‘Perdoe-o pelas ilusões dele.’ Você começa a
enxergar mais e mais que não há nenhum outro ‘lá fora’ que eu tenha que
perdoar; como se houvesse uma pessoa e um ‘eu’ pessoal que pode ser
inocente enquanto este outro é culpado. Mas toda construção do mundo dos
corpos e pessoas e tudo, que é o que tem que ser perdoado. E onde poderia
estar esta construção exceto na mente? Que é o único lugar onde pode ser
ignorado.

Tem um pequeno poema da Helen Schucman que às vezes eu leio. Acho que
alguns encontros lógicos que temos tido e como as coisas giram. Algumas
vezes questões são levantadas e soluções são oferecidas. Este pequeno poema
é intitulado, Antes Que Perguntemos. É do livro chamado, As Dádiva de
Deus. Ele diz:

“Não vamos questionar, mas ficar quietos por um momento. Há uma Resposta
dada a nós antes que façamos a pergunta. Uma Solução para toda luta, dor e
turbulência. Uma Porta para o Silêncio e Absolvição. Somos livres antes de
pedir pela liberdade, curados antes de pedir pela cura. Remediados em cada
tristeza dada a nós e lacrado dentro de nós, sempre presente sempre perto de
fácil acesso, prontamente deixado às claras, assim o Filho de Deus é
respondido. Exausto, ele finalmente chama pelo nome do seu Pai novamente.”

Isto me lembra de uma seção no Curso chamada ‘A Resposta Silenciosa’ que


diz, “Em quietude todas as coisas são respondidas e todos os problemas
serenamente resolvidos.” Que bela idéia para se apegar toda vez que algo
parece estar borbulhando. Em quietude todas as coisas são respondidas.

Você quer uma sessão? O Espírito Santo diz, ‘Eu lhe darei uma sessão.
Vamos ter um tratamento silencioso. Isto será bom para você.’

E se há alguma resistência até alcançarmos o ponto em que devemos


conversar. Conversaremos de novo.

Olhando para Além da Forma, Liberando as Falsas Crenças

P: Estou ouvindo alguns dos CDs sobre arrecadação de fundos para os doentes
como uma forma de acreditar na doença e ver a doença em um irmão como
promover a ilusão (minhas palavras), modo de dizer.

Esta é a minha pergunta: eu cuido de um aparente corpo de alguém que deu a


luz a este aparente corpo. E fazendo assim, estou promovendo a crença em
mim mesmo e em meu irmão na ilusão da doença? O corpo está aí, não está se
comunicando, movendo, comendo, etc. Aparentemente está saudável, porém a
mente não o faz funcionar. Às vezes meu irmão parece olhar para mim. Às
vezes meu irmão parece ser minha mãe. Às vezes, mas raramente, converso
com ela, às vezes com o meu irmão, lembrando a ele quem ele é; isto é,
quando sou motivado pelo Espírito Santo a fazer isso. Nessas ocasiões os
olhos se prendem aos meus e parecem estar conectando ou raciocinando ou
absorvendo ou alguma coisa. Se falo sobre qualquer outra premissa, tais como
dizer o que vou fazer (mover o corpo ou dar banho no corpo) ou se faço uma
pergunta, os olhos se fecham bem apertados e evitam olhar para mim. Eu toco
canções da Música de Cristo ao lado da cama durante o dia. De qualquer
modo, parece que tenho um irmão que escolheu deixar de ser mover ou
comunicar, porém ainda não escolheu deixar o corpo. Pelo menos, na minha
compreensão, isto é o que parece estar acontecendo.

Parece que não tenho escolha nesta questão. Pelo menos não tenho ouvido
nenhuma orientação do Espírito Santo, ou talvez eu não esteja disposto a ouvir
se ele está dizendo para colocar o corpo em uma instituição. Tenho certeza
que se o Espírito Santo estivesse dizendo para fazer isso, Ele abriria um
caminho e me daria alguma paz sobre isso. Não até que eu encontrasse o seu
amigo eu comecei a entender que o meu irmão é o meu professor, e parece
que ainda estou aprendendo através da minha experiência com este irmão.
Talvez meu irmão esteja esperando por mim para saber que somos um. Às
vezes meu irmão olha para mim em expectativa, parece estar procurando. Ou
talvez o meu saber ajudará o meu irmão saber. Você tem alguma resposta para
mim?

R: Amado Milagre

Agradeço o seu e-mail. Tudo o que você pensa, diz e faz ensina todo o
universo o que você deseja, acredita, pensa, sente e percebe sobre você
mesmo.

Recentemente escrevi o que Cristo compartilha em UCEM sobre o encontro


santo: “Como você o vê, verá a si mesmo; como você o trata, tratará a si
mesmo; como você pensa sobre o seu irmão, pensará sobre si mesmo.”

Todo mundo é nosso irmão / irmã em Cristo e é devido à imensa gratidão


porque eles espelham o que ainda está mantido na mente e acreditando ser
verdadeiro precisa ser liberado. O estado da sua mente e sua percepção é
sempre a sua escolha. Somente você decide o que você deseja, acredita, pensa,
sente e percebe. Não há “fatores externos” numa decisão da mente, pois
literalmente não há nada “fora” da mente. A questão não é realmente “o que
fazer?” mas em vez disso “o que você quer ver?”, pois o que você quer ver é o
que você acredita ser.

Toda questão é uma questão de identidade, e enquanto você acredita num


auto-conceito de faz de conta que Deus não criou, suas escolhas são limitadas.
Sua capacidade de escolha é limitada tanto para se alinhar e escolher a
perspectiva pessoal do ego ou para se alinha e escolher com a Perspectiva do
Espírito Santo.

Este é o seu campo de escolha e você não tem nenhum outro. Decida-se por
aceitar a Expiação e o conceito de escolha desaparece inteiramente, pois no
Céu e na Realidade ou Pura Unicidade não há nada para se escolher.

Decida-se pelo milagre e você sentirá a paz da mente que é total e um


vislumbre da totalidade. Decida-se pelo ego e você se sentirá preso numa
frustração e conflito de tentar ser algo que você não é. Você escreveu que vê
um corpo que não está funcionando e precisa ser cuidado. Este é um espelho
da percepção do que a mente do ego acredita ser verdade. Quando você
permite o Espírito Santo compartilhar idéias através de você, você percebe um
cujos olhos “...parecem estar conectando e raciocinando ou absorvendo...” O
que isto lhe diz?

Isto lhe diz que você tem uma função que o Espírito Santo gostaria que você
realizasse permitindo que Ele fale e sorria através de você. Você tem um
Propósito de compartilhar idéias verdadeiras, assim fortalecendo-as em sua
consciência. O que você ensina é o que você aprende, e pensar é ensinar. Você
está ensinado o tempo todo baseado naquilo que você decide, acredita, pensa,
sente e percebe sobre você mesmo.

Sua função irá carregá-lo muito além da lateral de uma cama, muito além do
Alabama, muito além do cosmos do tempo-espaço, pois a sua função é
carregá-lo até o Portão do Céu, a Expiação.

Você tem uma Luz para brilhar. Não esconda esta Luz debaixo de uma mesa.

Você tem um amor pela Bíblia e pode falar por Deu usando a palavras e os
versos inspirados da Bíblia. As oportunidades são muitas e elas estão
esperando somente pela sua Resposta ao Chamado de Deus por você. Você
será um professor de Deus e parecerá falar para muitos durante anos que estão
por vir. E através desta função você encontrará a experiência da Resposta que
você solicitou, pois Quem Você É é a resposta que todos que andam neste
mundo buscam.

Cristo é a Resposta! Amor é a Resposta! Você receberá instruções específicas


e orientação do Espírito Santo uma vez que você estiver disposto a ouvi-las.
Existem muitas respostas que você recebeu mas não ouviu. O Espírito Santo
está segurando estas respostas que você busca até que você esteja pronto para
ouvi-las. Todas elas residem dentro do seu coração e esperam pela prontidão
da mente para serem ouvidas.
Termino com uma citação da Bíblia:

“Aquele que nasce da carne é carne. Aquele que nasce do Espírito é Espírito.”

Seu irmão/mãe é carne ou Espírito? Lembre-se, como você vê o seu


irmão/mãe você verá a si mesmo. E lembre-se de que o Jeito que Deus Te
criou é a Realidade: Perfeita, Eterna, Inocente, Amável, Espírito Que não tem
opostos.

Sempre Amor.

Isso é Real?

P: O perdão me oferece tudo que eu quero. Estes pensamentos vieram hoje.

É verdade que ao perdoar o mundo eu me perdôo? Perdôo as minhas próprias


atitudes? Então ao perdoar o mundo estou meu perdoando?

É verdade que posso olhar para tudo neste mundo, sem julgamento ou apego,
sabendo que tudo que existe é amor? Então posso ser feliz, ficar em paz e na
certeza?

É verdade que Deus nos escolheu, para compartilhar sua visão, nos curar,
curar nosso irmãos, trazer a sua luz. Sendo um com Ele e com os nossos
irmãos?

Nosso irmãos somos nós mesmos?

É verdade que esta é a nossa jornada de volta para casa, seu plano, meu
caminho para a salvação, uma jornada de volta ao Céu?

É verdade que só a minha disposição para a verdade e fé substitui todos os


erros da minha mente? Que o espírito santo nos guia e que não há nenhum
esforço ao fazer a nossa parte?

Esta experiência de alguma maneira foi similar a sua?

Adoraria ouvir de você algo profundo em relação a isso. Amor.

R: Amado de Deus

Sim, meu querido irmão em Cristo, o perdão oferece tudo que você quer!
Conforme você perdoa o ser do ego que nunca poderia ser, você também
perdoa o mundo. Deus não criou o mundo e então ele deve ser perdoado ou
visto por cima, para que o Espírito Que Deus criou possa ser reconhecido e
vivenciado.
Conforme você perdoa você pode olhar para tudo neste mundo, sem nenhum
julgamento ou apego, sabendo que tudo que existe é amor. Nisso você pode
ser feliz, ficar na paz e na certeza.

Conforme você perdoa você compreende que Deus te escolheu para


compartilhar Sua Visão e Ser aquele que traz a Luz, Sendo Um com Ele e com
nossos irmãos.

Conforme você perdoa você vê que todos compartilham o mesmo Ser, a Única
Mente.

Conforme você perdoa você vê que esta é a nossa jornada de volta para Casa,
Seu Plano, nosso caminho da Salvação, um jornada sem distância de volta
para Casa, para o Céu, nosso Eterno Amor em Deus.

É verdade que apenas um pouco de disposição para a verdade e fé substitui


todos os erros na mente. O Espírito Santo Guia com certeza e gentileza e você
só precisa estar disposto a seguir em direção à verdade.

Sim, esta é a minha experiência, e eu a compartilho totalmente com você no


Espírito Santo. Ninguém que procura saber a verdade desta experiência pode
falhar.

Você pode sentir a Orientação carregando você ao longo da certeza para


dentro do Destino. Cada aparente passo irá aumentar a confiança, pois
ninguém nunca está sozinho nesta jornada. Deus é inevitável, e nada pode vir
para conter a mente do Grande Despertar! Vamos lá, se entregue e aprecie os
milagres.

Agradeço por Responder ao Chamado com um ressonante Sim! Anseio para te


ver em breve. Aqueles que ouviram o Chamado e Responderam estão
aparecendo. Estão se reunindo para as últimas voltas de um aparente roteiro e
agora o caminho é curto. Nós nos unimos para regozijar no Amor e Unicidade
de Deus, e em nossa Própria Unicidade em Deus. Deus e Cristo compartilham
a mesma Vontade pela Perfeita felicidade. A hora do Céu está ao alcance das
mãos e a celebração está acontecendo agora.

Amor, Amor, Amor.


Sobre Decisão e Crença, e como isso se relaciona com a percepção e
experiência

Orador: Se pularmos para o segundo parágrafo do Especialismo como um


Substituto para o Amor, então nos aprofundamos um pouco mais aqui nessa
coisa chamada decisão e crenças.

“As crenças jamais atacarão umas às outras abertamente porque resultados


conflitantes são impossíveis.”

Resultados conflitantes são impossíveis porque o resultado é o resultado. A


mente está vendo algo que parece unificado na superfície. Que é o resultado.
Tudo que ela está percebendo é um resultado.

Em outras palavras, uma vez estávamos tendo uma discussão e alguém estava
falando sobre correr com um carro em uma estrada de alta velocidade e as
emoções que ele estava tendo conforme ele queimava o combustível do carro
esportivo, ultrapassando um carro e então sendo ultrapassado e isso e aquilo.
Você não pode simultaneamente ser ultrapassado por alguém e
simultaneamente estar ultrapassando este alguém. [risadas] Ou é um ou é o
outro.

O que se vê no mundo é o resultado. Mas este aparentemente único resultado


estável que a mente parece estar vendo está sendo produzido por esta mente
conflitada ou este sistema de crença que tem uma série de crenças
conflitantes, mas as crenças são inconscientes. São mantidas fora da
consciência; tudo o que a mente está vendo é a figura que as crenças estão
produzindo. Tudo o que a mente está vendo é este resultado e ainda assim as
crenças são inconscientes. Então, as crenças nunca irão atacar umas às outras
abertamente porque resultados conflitantes são impossíveis.

“Mas uma crença não reconhecida é uma decisão de guerrear em segredo,


onde os resultados do conflito permanecem desconhecidos e nunca são
trazidos à razão para serem avaliados quanto ao sentido que fazem ou não. E
muitos resultados sem sentido têm sido alcançados e decisões sem significado
tomadas e mantidas ocultas, para virem a ser crenças às quais agora se dá o
poder de dirigir todas as decisões subseqüentes.”

Tem muita coisa nisso, bem aqui. Então decisões foram tomadas, têm sido
mantidas ocultas em segredo, e agora é isto que é para ser uma crença... uma
crença inconsciente. Uma crença inconsciente é apenas uma decisão que é
mantida oculta.
Vamos começar com a decisão por conta própria de separar de Deus. Aquela
decisão tem sido mantida oculta da consciência, empurrada para fora da
consciência, e se torna uma crença. É onde a crença na separação e todas as
crenças subseqüentes que parecem acontecer... É como se a mente tivesse
feito uma cadeia de decisões, e uma vez que ela tomou uma decisão e não
quer ver o que é decidido nisso simplesmente empurra para fora da
consciência. Então agora você tem uma crença inconsciente que comanda
todas as decisões subseqüentes. Então o pequeno homem robótico na
superfície, a pessoa, que parece estar tomando as decisões entre todas as
coisas todos os dias é apenas uma projeção ou uma imagem... uma imagem
entre imagens... e essas não são absolutamente decisões reais. São apenas
resultados das crenças.

Participante 1: Eu tenho uma pergunta. Você sabe, é que quanto eu ouço


isso, de onde estou bem agora, eu vejo esta coisa toda da comunicação como
estando bem lá no fundo. Existe uma crença que a minha comunicação foi
quebrada com Deus e que é muito, muito amedrontador. E é claro, eu não
quero esse medo então eu vou projetar isso para fora em todos os lugares e
qualquer lugar que eu possa. E eu entendo... quero dizer parece bem simples
para mim que é isso que está acontecendo. É simplesmente bem básico. Mas
existem tantas outras crenças acumuladas sobre o caminho da crença principal
bem lá no fundo com a personalidade... Talvez até mesmo embaixo da
personalidade. Eu não sei onde isso se encaixa exatamente, e talvez isso
realmente não importa, mas está bem lá embaixo, exatamente no fundo.
Parece que há todas essas crenças empilhadas em cima dela e é como... Existe
algum jeito de se aproximar daquela crença diretamente ou ela tem que ser
aproximada indiretamente através de todas as outras crenças que estão
encobrindo-a para que ela não pareça evidente no momento?

Orador: Bem, o jeito para se aproximar dela diretamente é que temos que
olhar para a idéia de que todas as crenças são realmente a mesma. Elas
tomaram enormes variações. Parecem ser crenças específicas, mas são todas
as mesmas crenças.
Participante 1: Porque todas elas surgem de uma crença, aquela que eu me
separei.

Orador: Sim.

Participante 1: Chame isso de comunicação, chame isso daquilo que você


quiser. É a única crença. Então é só uma questão de chegar a esta consciência
de que tudo é a mesma?

Orador: Este é o reconhecimento onde a liberação ocorre. Enquanto você


pensa que existem crenças específicas que você tem que passar por elas, é aí...
Por um lado falamos sobre a idéia que “Para aprender este curso é necessário
uma disponibilidade para questionar todos os valores que manténs.” Parece
que você tem que questionar cada crença. E isto pode parecer como, uau, isso
vai ser uma bagunça. Isso vai ser um grande empreendimento para vistoriar
toda a minha mente. E a alegria vem realmente em ser capaz de ver
claramente que todas as crenças são uma. Se você consegue entender... Tenho
falado sobre isso outras vezes... Como se fosse o código genético ou o DNA
do sistema de pensamento do ego, então todas as aparentes sobras e retalhos
ou o sistema de crença do ego, você sabe qual é o código, que é tudo a mesma
coisa. E é onde a liberação ocorre.

Participante 1: Mas o reconhecimento de que tudo é a mesma coisa só


acontece traçando de volta aquela crença central todas vezes, até que eu possa
ver claramente toda e cada vez que parece haver algo aqui fora que está me
aborrecendo e então eu só continuo traçando de volta para o mesmo lugar.

Orador: Um outro jeito de chegar nisso é apenas dizer, ‘Por que fazer
qualquer coisa? Por que fazer qualquer coisa?’
Participante 1: Eu tive esse pensamento por algum tempo! [risos]

Orador: Você se sairia bem se apegando a isso e usando isso e seguindo isso.
Isto é o que eu fiz quando eu estava na minha jornada espiritual bem antes de
encontrar o Curso. Eu acreditava que a vida tinha que ter um propósito e que
eu simplesmente não queria fazer as coisas porque as pessoas me diziam para
fazer ou porque eu aprendi isso num livro ou... Eu simplesmente continuei
questionando e questionando, ‘Por que fazer qualquer coisa?’. Para que se
envolver com a vida, se não há nenhum propósito na vida, porque seguir em
frente com qualquer outra coisa?

Então o que eu acabei fazendo com essa idéia do ‘Por que fazer qualquer
coisa’ foi olhar para todos esses conceitos. Eu descobri que eu estava fazendo
um monte de coisas para agradar as pessoas. Descobri que estava fazendo um
monte de coisas por causa das responsabilidades... Responsabilidades que eu
tinha que cumprir. Mas eu continuei a questioná-las. Isso continuou
aprofundando cada vez mais.

É tipo como você percebe a si mesmo neste mundo, é tipo como se você
estivesse enrolado nisso e parece que você tem que se desenrolar disso. Este é
o aparente processo de questionar todas as crenças. Por que trabalhar? Bem,
eu listei coisas sobre necessidades para comer. Eu também realmente queria
um relacionamento e não conseguia imaginar ter um outro tipo significante de
relacionamento sem ter finanças para bancar. Eu não conseguia conceber isso.
Então tive que buscar isso também... questionando tudo.

Você tem que questionar o caminho todo para ser capaz de aproximar da
possibilidade que este mundo é apenas um mundo de idéias. Não existem
coisas reais, concretas e objetivas. Você não tem que fazer parte do jogo, por
assim dizer, para ter as fichas para continuar a jogar. Em um momento o
Curso diz que você só cometeu um erro, mas ele se torna tão multiplicado e
tão estilhaçado e tão subdividido várias e várias e várias vezes.

Eu sempre penso neste enorme espelho que de uma rocha ou seixo tem um
ponto penetrante. Assim como um lago que você joga alguma coisa, como as
ondas espirram. Pense num espelho liso e claro com um ponto sendo
pressionado, estilhaçado e fragmentado em milhões e trilhões de pedaços. É
isso o que a mente percebe. Quando a mente percebe através dos olhos do
corpo, dos ouvidos do corpo e ouve muitos sons diferentes e vê muitas
imagens diferentes. E isso apenas parece ser constante. Aí apenas parece ser
mais e mais e mais. Mais e mais imagens, multiplicando.

Toda a questão de tudo que fazemos é arrancar a fidelidade e identificação da


mente daquelas imagens. Enquanto ela pensa que ela é uma imagem entre
outras mentes. Enquanto existe aquela divisão que parece estar fora no mundo
entre o sujeito e o objeto então não pode haver nenhuma paz, não pode haver
nenhuma união.

É quase como eles fazem no AA onde eles pedem para você fazer uma
pesquisa de inventário moral. Seria bom sentar e revisar um inventário de
crença. Tenho feito muito disso e também tenho pesquisado sobre crenças no
Curso. Tem ajudado a entrar em contato com algumas das coisas em que eu
acreditava e nem sabia que eu acreditava.

A crença em níveis. Em um ponto Jesus diz que todo o conflito vem da crença
em níveis. Níveis? Eu acredito em níveis? Eu não sabia que eu acreditava em
níveis. Tenho vivenciado o conflito e agora você está me dizendo que o
conflito vem de uma crença em níveis. Ele diz que você se dividiu em
diferentes níveis. E se você percebe a si mesmo como uma pessoa neste
mundo... até mesmo falando sobre mente e corpo, seriam dois níveis. Então
você poderia falar sobre algumas das áreas como plano astral e o corpo causal,
corpo mental, corpo emocional... Ou você pode usar a terminologia do Curso;
parece que existe um mundo que é percebido através dos olhos e ouvidos do
corpo e Jesus diz que bem embaixo da superfície do mundo que você vê
através dos olhos do corpo está um círculo de medo que você não pode ver.
Tipo como o programa subjacente que produz todas as imagens; cadeias de
montanhas e oceanos e árvores e tudo, que é somente a superfície disso e por
baixo disso está todo o círculo do medo. E você não consegue ver o círculo do
medo com seus olhos. É o análogo do auto-conceito. Existe o auto-conceito
subjacente feito de todas essas crenças inconscientes que não são
questionadas... muito amedrontadoras... a mente se sente muito culpada e
muito amedrontada. E então existe a superfície que parece ser bastante gentil,
tampa benevolente que está colocada no topo desta base escura. Parece que
sou uma pessoa bem decente e faço isso muito bem...
Participante 1: Eu tento fazer o melhor que posso...

Orador: ... existem muitas pessoas piores do eu, tenho uma boa cultura,
saúde... Só tem esta cobertura de açúcar que está no topo daquilo que os olhos
do corpo podem ver. E então existem os suportes que têm que ser
questionados. Então seria útil fazer um inventário da crença.

Participante 1: Quando eu tiver feito isso e escrito as coisas que eu não tinha
a mínima idéia que estavam lá. Então eu posso ver como isso é uma coisa
estranha de se acreditar, não faz nenhum sentido. E então eu posso ver que
ando tomando decisões baseadas nisso. Então, adivinha? Quando a crença
subjacente não faz sentido, então o que vem disso faz menos sentido ainda.

Orador: O robô simplesmente continua e ainda assim você tem que ver que
você tem que começar a questionar crenças onde você se percebe como um
ser. Quando falamos disso, esta é a coisa que surge sobre empregos ou
pagamentos de dívidas ou responsabilidade para com a família e etc. Você
começa onde você se percebe um ser e no meu caso eu tinha todas essas
coisas para cuidar e tomei as medidas necessárias para cumprir com as
obrigações para que eu não estivesse tentando fugir disso e me arrancar. Tão
logo pareceu que eu encontrei aquelas faltas, aquelas obrigações e
responsabilidades então o questionamento simplesmente continuou.

A Dor do Meu Irmão Existe?

P: Eu tenho um questão filosófica que não me permite progredir no meu


caminho de volta a Deus. Surgiu de novo na minha vida, então vou ilustrá-la
com a seguinte situação.

Ontem à noite, meu namorado e eu terminamos o namoro de quatro anos. Ele


teve uma infância problemática incomum com muita violência e uma mãe que
abusava dele e então se suicidou quando ele era um adolescente. Por causa
disso, ele é uma pessoa muito carente uma vez que você ultrapassa seu
exterior durão. Durante todo o relacionamento eu fiquei acreditando que eu
poderia criar um milagre e mostrá-lo que a vida não é tão triste e tão
assustadora como ele acredita. Às vezes parecia funcionar, e realmente havia
alguns momentos verdadeiramente sagrados. Porém, no final o ego tomou o
controle e me senti incapaz de ver além da feiúra e escuridão - especialmente
quando ele parecia pensar que eu era a única coisa boa em sua vida e se
agarrava em mim como a querida vida.

Embora eu ainda não tenha contado a ninguém sobre o rompimento, eu tenho


a certeza que meus amigos e minha família ficarão felizes que de eu “ter me
livrado” de uma pessoa tão cínica e infantil. Mas agora tudo que eu consigo
pensar é que as coisas que me enojavam no fim (a casa suja, a atitude obscura
de apego, o comportamento irresponsável, etc.) eram simplesmente a crença
dele na falta de amor. E infelizmente, foi esta crença que me afastou (mais
uma vez reconhecendo os medos dele). Eu falhei.

Muitos meses atrás, eu escrevi para você sobre as minhas preocupações em


abandonar esta pessoa. Você disse que a minha crença em que eu possa
abandonar uma pessoa é falsa. Eu tenho contemplado esta idéia muitas vezes,
eu realmente entendo que esta pessoa está sempre em Deus, assim como eu,
mas também não posso negar a “aparente” dor que ele está vivenciando por eu
tê-lo abandonado.

Por que a “aparência” das coisas são sempre descartadas em UCEM? Se ele
vivencia uma “aparência” de dor, então eu não me importo se não é real -
ainda é uma causa para minha preocupação! Parece que se eu seguisse os
princípios do Curso, eu poderia simplesmente ir fazer minhas lições e me
sentir feliz e amável enquanto ele apodrece em seu próprio inferno criado por
ele. Ou talvez a sua dor realmente não existe em NENHUM nível, e portanto
eu deveria simplesmente não dar a mínima para o sofrimento de outras
pessoas.

Espero que você entenda a questão em que estou tentado chegar. Ou talvez é
tudo apenas conversa do ego, eu nem mesmo sei o que estou dizendo? Eu não
sei mais. Talvez você possa ver através disso tudo melhor do que eu.

Agradeço muito seu amor e paciência!

R: Amado Milagre

Agradeço por compartilhar o que se passa no seu coração. Sua pergunta sobre
a percepção da dor é um bom ponto de partida para limpar o espelho da
mente. Este espelho deve estar limpo das falsas crenças e conceito e
pensamentos se você quer irradiar a Luz que está sempre Presente.

Dor é sempre uma percepção equivocada, pois Deus não tem nada a ver com a
dor. Se Deus é real, não existe dor. Se dor é real não existe Deus. A ilusão da
dor sempre brota do pensamento da mente errada, e isto é o que tem que ser
exposto e liberado para vivenciar paz e alegria duradoura.

Inquietação é uma outra palavra para preocupação, e esta emoção não tem
nada a ver com compaixão ou verdadeira empatia. Preocupação é uma emoção
que é dolorosa e surge de um desejo de estar certo em relação a uma pessoa,
situação ou evento em particular. Um aspecto de tal preocupação é a crença de
que algo falso já aconteceu. Outro aspecto é a crença que eventos passados
causaram o medo e a dor. Esta percepção equivocada dá realidade ao passado
e nega a Solução Presente oferecida pelo Espírito Santo.

Quando você reza por um milagre você está rezando para uma mudança na
sua percepção. Mesmo quando você parece estar rezando para “um outro”
ainda é o caso. Se você parece ter preocupações contínuas por um irmão
depois de pedir um milagre você não está permitindo que o milagre seja como
ele é. Milagres não criam ou realmente mudam, eles simplesmente olham
calmamente para o falso e vê que não tem nenhuma conseqüência. Milagres te
oferecem Alegria, e quando a Alegria vem toda a dor se acaba agora.

O conceito de deixar alguém para trás é uma crença estranha, pois no Amor de
Deus não há tal coisa de deixar. O ego é a crença na posse, e o que parece ser
capaz de ser possuído também parece capaz de ser perdido. A perda é uma
estória do ego e originou com a crença que é possível separar ou “cair” do
Amor Eterno de Deus. Este erro parece ser atuado e repetido nas relações
humanas, assim como o passado parece se repetir. O milagre Desperta a mente
para a consciência de que o passado acabou e somente a bênção permanece.

A dor é corretamente percebida como um Pedido de Amor, e isso é sempre o


Pedido da própria pessoa para liberar a falsa percepção da dor. Olhar através
de um vidro escurecido nunca traz paz, felicidade, amor ou alegria, então
qualquer aborrecimento aparente é um Pedido para esvaziar a mente dos
falsos conceitos e assim limpar o espelho. Este é o treinamento da mente que é
necessário para aceitar a Expiação e lembrar de Deus. A Expiação é a
consciência que a separação nunca ocorreu. Até que esta Correção seja aceita
o mundo parecerá real e as emoções irreais do ego que são um com o mundo
parecerão persistir na consciência.

Deixe os sentimentos virem para a consciência. Então, com profunda


honestidade e sinceridade, entregue os pensamentos, julgamentos,
interpretações e sentimentos para o Espírito. Quando a escuridão é elevada à
Luz a escuridão acaba. Não proteja a escuridão, pois o Espírito não irá
dissolver o que não foi oferecido com boa vontade para ser liberado. Você tem
a Resposta dentro de você, mas não tem estado disposto a deixar a definição
do ego sobre o problema partir. O Espírito Santo deve esperar até que você
veja que você teve um problema de percepção baseado na crença do ego. Até
que este ponto seja atingido os “problemas” parecerão ser projetados para o
mundo e para os irmãos que parecem estar separados da mente. Eles não
estão. Não há problemas à parte da mente. A percepção curada irá despontar
na consciência no instante que a percepção equivocada é vista exatamente
como ela é e não escondida ou projetado como “alguma outra coisa.”
Toda doença era doença mental, e toda dor percebida não era nada senão uma
formulação defeituosa da Realidade. Realidade é Amor, e Amor é criado
Eternamente Perfeito. Amor não tem opostos.
Glória a Deus por criar o Amor como Um para todo o sempre!

Amor e Bênçãos.

A Frustração de Fingir ser Humano

P: Eu sempre fico feliz em receber as cartas que você responde aos outros. Eu
as arquivo como referência e estudo. Tenho uma outra pergunta, se você
pudesse fazer a gentileza em respondê-la.

Em 1976 eu tive uma experiência que durou vários meses onde nada parecia
real, e eu estava perguntando “o que era real”. Pareceu começar quando eu li
um livro que um conhecido me deu, uma estória sobre um **, onde ele disse
algo como, “Embora você carregue um carrinho lotado de livros, a menos que
você O conheça, você não tem conhecimento.” Eu acredito que ele estava
falando de vários grupos religiosos de sua terra natal. Naquela época, uma voz
dentro de mim parecia me dizer várias coisas e a minha vida nunca mais foi a
mesma.

A primeira mensagem que eu ouvi foi, “Se você está ocupada fingindo que
você é alguma coisa que você não é, você nunca saberá quem você realmente
é.” Eu continuei a questionar o que era real, olhando a minha volta e dizendo,
“Isto é real, isto é real”. E a voz dentro de mim dizia que não, que era uma
ilusão, hoje você tem e amanhã já não tem mais, agora você vê isso depois
você não vê mais. Até este ponto eu não tinha nenhum conhecimento
espiritual, exceto através de igrejas Presbiterianas, Batistas e Cristãs.

Um dia, depois do trabalho eu estava sentada na minha cama. (Eu não via a
hora de voltar para casa, me ajeitar na cama e ficar quieta, pois era lá que
parecia que eu encontrava a presença da paz, como se uma luz estivesse a
minha volta e onde as minhas perguntas eram respondidas. Naquela época eu
achava que a presença estava no meu quarto). Nesta ocasião em particular,
depois de ter sido dito que isto e aquilo não eram reais, eu perguntei
veementemente, “Então, O Que é Real?”. O quarto pareceu se encher de luz.
A luz pareceu estar vindo de dentro de mim. O momento foi cheio de paz e
uma sensação de totalidade, e foi dito, “Eu sou Ele e não há nenhum outro.”
Bem, de algum lugar dentro de mim aquilo ressoou. Eu chamei a entidade de
Espírito.

Nos próximos meses parecia ser a única coisa que era real para mim e parecia
que eu não conseguia parar de falar para todo mundo, “Nós somos Um. Não
há ninguém mais”, como parecia ressoar de dentro de mim, apesar de eu não
conseguir explicar além disso. Essa ocasião em particular me colocou numa
jornada espiritual, buscando através de todas as religiões, tentando encontrar
aquela certeza que eu tinha experimentado. O “espírito” continuou falando
comigo por toda esta jornada. Não foi até que começar a estudar UCEM que
comecei a obter a mesma mensagem como aquela inicial e me trouxe de volta
àquela ocorrência, a qual eu tinha levado em conta que eu estava louca e
desesperada para me sentir especial, então eu mesma tinha inventado isso.

Antes disso acontecer, eu não conseguia encontrar meu recanto neste mundo,
mas desde que aconteceu, não tenho tido absolutamente nenhum interesse em
nada exceto em procurar aquilo que eu chamei de “verdade”. Nada mais
pareceu ou parece ter um propósito e é difícil para eu sair deste círculo vicioso
de pensar que eu deveria me ocupar com isso ou com aquilo, temendo isso,
me sentindo culpada pelos meus sentimentos, etc. Eu consegui fazer as coisas
que eu tinha que fazer, como ter uma família, manter o meu lar em ordem e
limpo, mas tenho tanta dificuldade em querer fazer qualquer coisa.
Anteriormente eu te contei da minha oficina de costura. A oficina é apenas um
refúgio onde eu posso ficar sozinha e meditar, estudar, ouvir as fitas de
UCEM, música, etc. No entanto, quando tenho um trabalho para fazer para
alguém, eu adio isso até o último minuto, aparentemente morrendo de medo
disso. Uma vez que começo, pacificamente nem gosto ou não gosto.
Simplesmente faço, como se eu não estivesse fazendo isso e sempre fico
surpresa que o resultado é mais maravilhoso do que o cliente sonhou, porque
quando eu olho para o serviço parece que eu não tenho absolutamente nenhum
julgamento. Tudo que eu sei é que está terminado e eu não posso fazer mais
nada. Achei um tecido na minha caixa de costura outro dia e pensei em fazer
um vestido para minha neta. Eu comprei os moldes e os artigos para a costura,
e agora não tenho vontade de fazer, estou absolutamente me obrigando a fazer
isso. Parece não ter propósito. Quanto eu fico desse jeito, pareço ficar
paralisada com tudo, até mesmo estudar o curso e o livro de exercícios.
Quando eu penso nas coisas que estão me esperando para serem feitas, eu não
consigo deixar de pensar naquilo que tenho que fazer, eu fico confusa sobre o
que tenho que fazer primeiro. Quando consigo deixar de pensar em
absolutamente tudo, peço ao Espírito Santo para me dar a função, eu acho
difícil ficar em paz não fazendo até então. Então eu simplesmente fico
cansada e quero dormir. Eu sei que “deveria” e “devo”, ecoaram na minha
cabeça a vida toda, mas parece que eu não sou capaz de me desembaraçar
deles. Tudo realmente parece ser vaidade, não servir para nenhum propósito.
Tudo que eu faço simplesmente parece servir esta ilusão e eu quero escapar
dela desde aquela experiência de 1976. Socorro! Isto está além da explicação.
O que eu perdôo para encontrar liberação? Como eu retorno à paz?

R: Amado Milagre

Agradeço por derramar sua enxurrada de pensamentos e pela sua


disponibilidade para perdoar e Despertar. É maravilhoso! Você ouviu a Voz
por Deus te fazendo lembrar da natureza ilusória do mundo. Com Um Curso
em Milagres você tem uma ferramenta para treinar a sua mente a ouvir
SOMENTE a Voz do Espírito Santo e liberar a voz do ego da dúvida para
sempre. Ao usar e praticar as lições de UCEM você estará perdoando a crença
na separação, a crença no espaço-tempo, a crença na seqüência linear que
separa os eventos. Você vivenciará muitos milagres que irão colapsar o tempo
e deixar a sua mente em paz. Você entenderá e vivenciará o Propósito do
Espírito Santo, que é o substituto do “propósito” do ego da morte, culpa, medo
e separação.

Primeiro você tem um vislumbre do novo Propósito do perdão, vendo a


natureza ilusória do cosmos, porém até que o “propósito” do ego seja
completamente desaprendido ou desfeito você parecerá vagar. Pode parecer
que durante esta divagação o mundo não terá absolutamente nenhum
propósito. Esta é a aproximação no ponto da mente em que você vê que as
estradas do mundo não levam a lugar nenhum. Conforme a mente aproxima
deste ponto tudo parece não fazer sentido, porém além do ponto de total
insignificância está a Luz do Espírito Santo. Conforme você se une a esta Luz,
a Luz irá brilhar através de você para irradiar para tudo e todos. O Espírito
Santo brilha através de você, iluminando cada pedaço de escuridão, e esta
experiência é sem esforço e Tranqüilo. Não há luta ou conflito ao ser irradiado
através do Espírito Santo. É como se você fosse transparente, pois não há
metas pessoais ou compromissos para invadir.

O Espírito Santo Guia com certeza. Em toda situação de aparente julgamento


o Espírito Santo orienta. Isto é julgamento através de você em vez de você, e
sob o julgamento do Espírito Santo nunca há nenhuma perda para ninguém.
No Propósito do Espírito Santo nunca há nenhum comando ou exigência,
somente sugestões e instruções e lembretes. Você pode parecer resistir ao
Chamado do Espírito Santo, porém o atraso é sempre temporário e a Expiação
ou Correção é inevitável. É por isso que este curso é obrigatório. O perdão é
inevitável, e apesar de parecer haver muitas formas e caminhos para chegar ao
perdão, no conteúdo todos são o mesmo. O perdão simplesmente vê o falso
como falso, e em quietude descansa em paz.
A voz do “deveria” e “devo” é o ego. Essas expectativas montadas na culpa
surgem do falso senso do ser, um auto-conceito que Deus não criou. Este
conceito foi o faz-de-conta, pois isso quis substituir o Ser que Deus criou em
Eterna Perfeição. Toda a frustração surge na consciência de fingir em ser
humano, e todos os papéis humanos são conceitos que perpetuam esta
pretensa identidade. No Presente, livre das distorções do passado, Você está
livre em Espírito como Deus Te criou.
O Perdão te oferece um auto-conceito expansivo no qual todos e tudo estão
incluídos, uma Perspectiva que leva ao Despertar do sonho e a lembrar de
Cristo e Deus. Você irá descobrir que Cristo é uma Realidade e não é
absolutamente um conceito. Auto-conceitos de faz-de-conta precisam de
defesas somente porque são trêmulos, instáveis e irreais. O Espírito é sempre
sem defesas, pois na verdade não há nada real que possa ser ameaçado e nada
irreal existe. Nisso está a paz de Deus.

O Perdão é desistir do nada e aceitar o Tudo. A Mente é unificada, e a paz e a


totalidade andam juntas. Você perguntou: “O que eu perdôo para encontrar
liberação? Como eu retorno à paz?”

Perdoar a crença no tempo-espaço é dizer a Deus: “Mostre-me a Eternidade!”


Perdoar a crença na separação é dizer a Deus: “Mostre-me a União da
Eternidade.” O Espírito Santo irá te convencer que o tempo é irreal e que a
Eternidade é real se você permitir que Ele o faça. Nada é pedido a você na
verdade, pois Você já é para sempre Perfeito, Íntegro e Completo como Deus
Te criou. O Perdão abre o caminho para lembrar desta Verdade.

Amor e Bênçãos.

Perceba o Corpo ou Contemple o Espírito

P: Eu te escrevi há alguns meses atrás pedindo conselhos sobre o que estava


acontecendo comigo num relacionamento. Estou trabalhando com o Curso
com base em Relacionamentos há algum tempo. De qualquer maneira estou
passando por muitos sofrimentos porque este relacionamento chegou ao fim.
Ele cortou o contato comigo quanto fiz uma viagem interestadual de férias por
duas semanas. Ele disse que não queria ter contatos telefônicos porque estava
pensando onde ele queria chegar com o nosso relacionamento. Fiquei de
coração partido. Quando eu voltei, ele me enviou um email acabando com o
relacionamento. Eu ainda choro pela ‘perda’, porém eu realmente não ‘perdi’
nada. Ele não era uma boa escolha para mim, ele estava agindo pelo
inconsciente e não acreditava em Deus. Eu achava que seu coração, que era
um coração gentil, seria o bastante, mas quando nós tínhamos algum conflito
ele não era capaz de lidar com isso e incapaz de sair disso.
De qualquer forma eu estava pensando algumas vezes que eu realmente
gostaria de conhecer um homem espiritual que pudesse dançar rock’n’roll,
que eu adoro, e o que eu e meu antigo parceiro fazíamos juntos. Eu realmente
senti falta de dançar. Adivinha então! Eu encontrei um adorável homem
espiritual que é um dançarino de rock’n’roll. Ele tem um lindo coração e uma
linda alma, mas quando eu o conheci eu não achei sua aparência e o jeito que
ele falava atraente. Não o conteúdo daquilo que ele fala, mas o som da sua
voz. Porém era um lindo coração e uma bela alma e então eu estou realmente
gostando da sua companhia, mas acho difícil aceitar sua aparência física
fuinha. Então, quando eu falei com ele naquela noite eu disse que não queria
nenhum relacionamento romântico com ele, só queria que fossemos amigos.
Eu preciso ver que um fuinha pode ser um homem bonito por dentro e preciso
parar com meus pensamentos porque estão sendo mostrados para mim. É tão
difícil!!!

Eu suponho que tudo isso é baseado no ego. Lá no fundo do meu coração e


alma eu ‘sei’ que trabalhei com afinco no estudo de relacionamentos do curso
e eu atrai um parceiro de coração e alma aberta. Este novo homem me vê
como um coração lindo e alma bela e não vai me deixar partir tão facilmente.
Ontem à noite eu me irritei e sugeri que simplesmente acabássemos com o
nosso contato. Ele simplesmente ficou calmo e pacífico e conversamos sobre
isso. Ele é muito compreensível e paciente e reconhece que estou temerosa
por causa das minhas feridas passadas. Não estou acostumada a receber tantas
bênçãos de um homem. Eu sei que eu criei este homem na minha vida e não
quero sabotar isso. Meu ego está tentando sabotar isso. Você tem alguma
sugestão que poderia me ajudar?

Deus te abençoe com a sua infinita paz hoje e sempre.

R: Amado Milagre

Parece que você está se saindo muito bem ao reconhecer em cada


circunstância que é sempre seus pensamentos e julgamentos que estão sendo
refletidos de volta à você (ex: pela suas filhas). É sempre útil ter em mente
que pessoas não são realmente pessoas - são pensamentos. Conforme você
cura a sua mente e libera os pensamentos que não te servem mais, as pessoas
na sua vida podem parecer mudar ou desaparecer. O mundo é o mundo de
idéias, um reflexo ou retrato externo das crenças.

Cada experiência que você tem de tristeza, perda ou sofrimento é o resultado


dos pensamentos projetados em cima das pessoas. Ao traçar seus pensamentos
para dentro você é capaz de chegar às suas crenças e até mesmo aprofundar-se
mais por baixo das suas crenças e seus desejos. Sentando e meditando num
estado de investigação, você pode se perguntar “o que eu realmente acredito
que é verdadeiro” em relação a uma certa situação.

Quando o seu desejo é separado / quando você deseja qualquer outra coisa
senão Deus, então você está no campo do ego e seus pensamentos, emoções e
o mundo da percepção irá refletir de volta para você um desejo separado (de
algo que não seja Deus - que não pode te trazer Amor). As emoções serão
diferentes do amor e o mundo da percepção será distorcido.
Em todo momento você escolhe perceber seu irmão como um corpo ou
contemplar o espírito. Este relacionamento parece a oportunidade perfeita para
você praticar a contemplar o espírito e permitir o Espírito Santo te Guiar numa
experiência de relacionamento santo no qual todo julgamento e medo do amor
possa surgir para liberação.

Em relação à sexualidade / romance, simplesmente siga seus alertas em todos


os momentos, permitindo a você mesma se sintonizar e checar se a cada passo
que você dá parece certo. Em vez de tirar conclusões ou estabelecer regras e
limites, ou tentar definir um relacionamento em termos do mundo, permita
que o Espírito Santo te Guie gentilmente, momento a momento, de uma
maneira intuitiva que você sinta que é certo para você. Cada momento é fresco
e novo para você, uma oportunidade para liberar expectativas de você mesma
e seu irmão. O passado se foi, e isso inclui o passado bem recente - e você está
livre para ser o Que você é em cada dado momento.

Comunique-se abertamente com o seu amigo sobre o propósito do seu


relacionamento, sobre seu compromisso com Deus e a cura. Quando a
abertura para o Amor Real e a liberação do medo é o propósito e você agarra e
mantém adiante, você pavimenta o caminho para a confiança se desenvolver.
Quando você tem a certeza do propósito você pode rapidamente dispensar o
ego quando uma sensação de pressão ou um medo de “levar as coisas para o
lado pessoal”. Trate o seu relacionamento como uma nova flor que está
abrindo suas pétalas no calor do sol. Ela está carente de cuidados gentis e
carinhosos e tudo que é necessário é Dado de Deus - você não precisa tentar
descobrir como fazer o sol bilhar e a chuva cair.

Lembre-se sempre: coloque Deus em primeiro lugar, e então aproveite!

Com amor.

P: Muito obrigada por tomar seu tempo para responder o meu ‘pedido de
ajuda’. Eu ainda tenho dificuldades na compreensão do conceito de ‘não há
ninguém aí fora’ somente nos meus pensamentos. No entanto eu refleti sobre
suas palavras quando você disse que as pessoas podem parecer mudar ou
desaparecer. Sim, (meu novo amigo) é um milagre em minha vida e isto é
porque eu estou mudando a minha mente em relação ao que eu mereço -
carreguei por muito tempo esta profunda crença assentada de que eu não sou
digna do melhor e que relacionamentos sempre significam rejeição e dor.
Deus só quer que eu tenha o melhor para expressar amor e deixar o medo
(ego) partir. Muito obrigada e eu vou lembrar (porque esqueço facilmente) de
pedir ao Espírito Santo para me guiar em todos os momentos daquilo que
precisa acontecer. Eu vou me lembrar de manter o relacionamento como uma
forma de abertura para o amor real e a liberação do medo.
Deus abençoe seu lindo coração e sua linda alma hoje e sempre.

O Propósito Determina a Percepção


Em qualquer situação o mais importante é perguntar “Para que serve... qual é
o meu propósito aqui?” Pois a situação será percebida de acordo com o
propósito que foi previamente estabelecido. Despertar significa liberar o
julgamento e tentar não julgar os próprios motivos e dos outros. Eu aprendi
que estar atento a própria mente era uma prática de tempo integral e requeria
extrema atenção e vigilância ao iniciar a disciplina da mente.

Uma distração favorita do ego era julgar os motivos dos outros ou focar em
comportamentos específicos e tentar fazer com que algum corpo ou alguma
coisa fosse certa ou errada.

A Solução: Não pense em tudo no mundo em termos de certo ou errado. Em


vez disso, busque julgar a forma, a pergunta importante a ser feita é: “Estou na
minha mente certa (alinhada com o Amor) ou estou na minha mente errada
(alinhada com o medo)?” Pois de onde estou vindo do lado de dentro
determina o que eu percebo do lado de fora, até que a crença do dentro / fora
se dissolva completamente. O Espírito Santo sempre lembra de olhar para
dentro das crenças e pensamentos, pois a Correção só pode ocorrer na mente.

Eu ofereço o seguinte: “Como a mente pensa, então ela é.”Lembre-se disso:


“Os pensamentos que eu ofereço são da minha Fonte, e é a minha Fonte que
Me dá o Meu Ser. Eu sou uma Idéia na Mente de Deus, e felizmente Idéias
não deixam a sua Fonte. Isto é verdadeiro para todos como Uma Mente, pois
não há exceções na Verdade Absoluta."

Sempre Bênçãos.

O Que Está por Baixo da Superfície da Consciência?

P: Eu estou estudando / lendo o Curso há um bom tempo (aproximadamente


11 anos). Ao mesmo tempo em que eu tenho progredido, me desespero para
saber se algum dia irei alcançar o estado de ‘quietude’ ‘feliz’ que tantos
estudantes se referem. Levou tanto tempo para acalmar os sentimentos
enraivecidos. Eu pareço quieto e amoroso, mas a tempestade está perto. Anos
para parar de ser a vítima. Anos para fazer do ciúme e do julgamento um
inimigo menor. Sou grato por isso. Mas a minha ansiedade abdominal cresce
quando faço as lições, leio o texto. A maioria dos estudantes tem esta
resistência, mas resmungam menos? Não tenho certeza se estou pedindo
respostas ou um apoio ‘especial’. Eu realmente nos amo, na maioria das
vezes.

R: Agradeço seu email e sua devoção ao Despertar. A ansiedade abdominal


que você fala é realmente resistência, e o medo do Amor está bem lá no
fundo, por baixo da consciência. Muitos vivenciam este medo como o medo
do Desconhecido. Enquanto o Amor tem sido negado da consciência, uma
imagem do auto-conceito foi feita, mantida e aceita como “conhecida” e
“familiar”. Neste mundo, a Realidade do Amor parece ter sido substituída por
uma “realidade” de percepção dualística, e a mente enganada está com medo
de deixar partir aquilo com que ela está acostumada e familiarizada. O
desfazer do ego é o que você está vivenciando na medida que você lê o texto e
faz as lições, pois o ego vivencia seu próprio desfazer com grande ansiedade e
quando você se identifica com ele você vivencia ansiedade. Este é um Pedido
de fé, um Pedido para permitir qualquer emoção irritante venha à superfície, e
passar por ele em vez de abafá-lo ou se distrair com ele. Não importa se a
irritação parece intensa ou meramente irritante, pois o medo não tem graus ou
direções e é sempre apropriadamente percebido como um Chamado para
aquilo que ele máscara: o Amor.

O Chamado para o Despertar e ser feliz é o Pedido para deixar cada pedaço de
crença deste mundo para trás, e lembrar Qual É, o Nosso Estado Natural do
Ser. Este é o significado do “Estou te Chamando para fora deste mundo.”
Nenhum pensamento do mundo é verdadeiro. E ainda assim a Nossa
Identidade Dada por Deus é Cristo, e Cristo é eternamente verdadeiro. Para o
ego o Despertar parece solitário e sem sentido e cheio de dificuldades, pois
não há glória ou ganho pessoal ao liberar a crença na separação. Mas a Paz é a
própria recompensa, e a Paz de Deus está muito além da perspectiva pessoal
do ego.

UCEM é uma ferramenta para abrir a mente para profunda meditação. As


lições são designadas para treinar a mente a ficar quieta. A Paz e a quietude
andam juntas e não podem ser encontradas separadas. Conforme você se
aprofunda você parecerá questionar tudo o que você acredita, e conforme você
é atraído para o Silêncio você se aproximará do ponto de rendição. Este é o
ponto do não saber ou não compreender nada do mundo das aparências, um
ponto do “Eu não sei para o que qualquer coisa serve.” E através deste ponto
de humildade, a verdade é bem vinda na consciência. Um sorriso alegre é a
verdade plenamente evidente como Tudo que há. A Verdade é Uma e a
“percepção dualista” é para se rir, pois não há nada que pode ser um “oposto”
daquilo Que é para sempre Um.Misticismo é esvaziar a mente de tudo que ela
pensa que pensa e pensa que conhece.

Misticismo é ver da Perspectiva do sonhador do sonho. Paz e perdão são os


sentimentos e a Perspectiva do não julgamento, pois o que é o mesmo não
pode ser diferente e o que é um não pode ter partes separadas. É impossível
reconciliar percepção dualista com Deus, porém felizmente a lembrança da
Unicidade de Deus é inevitável. Não deixe nada que venha diante de você que
você não queira liberar, e se abra para o Chamado da Quietude. Silêncio
Divino é o Estado do nosso Coração sem desejos.

Amor e Bênçãos.
Curando a Percepção dos ‘Desastres do Mundo’

P: Tenho estado muito aborrecido com os eventos recentes e em decurso do


Terremoto Paquistanês no qual milhares morreram e milhares irão morrer sem
ajuda dos cidadãos e países do mundo. No tsunami do ano passado eu vi um
jorrar de apoio do mundo e isto não está acontecendo desta vez. Eu fiz o que
eu posso financeiramente, mas estou angustiado pela falta de resposta do
mundo. Eu sei que não somos um corpo... somos espírito, mas ainda estou
angustiado ao ver a falta de compreensão do mundo que todos são nossos
irmãos e irmãs.

Meu filho é seriamente incapacitado e não se comunica verbalmente tendo a


Síndrome de Angelman (eu o vejo como um anjo e uma bênção) que veio para
mim num sonho. Ele tinha desaparecido e ninguém se importou em ajudar a
procurá-lo - este sonho veio logo após o terremoto. Quando eu acordei eu me
dei conta de que o meu pesadelo era uma bênção que estava me fazendo
lembrar de seguir em frente e doar o dinheiro que eu tinha a intenção de doar
mas, ainda não tinha feito. Eu vejo famílias procurando crianças desaparecidas
e seus amados em escombros e famílias esperando por alguém para cuidar dos
feridos e trazer suprimentos conforme o inverno se aproxima. De novo, eu sei
que quem somos é espírito - que a paz está dentro de cada um de nós. Mas
estou aqui em casa, aquecido, alimentado, com a lareira acesa. Seus corpos
estão com frio e sofrendo. O que será que eu não estou entendendo? O que eu
espero é que o mundo se mova para amar todas as pessoas como uma única.

Atenciosamente

R: Amado Milagre

Agradeço por escrever e compartilhar o que se passa no seu coração. Seu


desejo é ser útil e este desejo é do Espírito Santo. O ego tem distorcido o que é
útil, pois o ego é a crença na realidade do corpo.

Sua percepção dos “desastres do mundo” desencadeou uma necessidade de


cura na sua mente. Nisto, os desastres percebidos serviram o Propósito do
Despertar para a Mente Divina. Se qualquer oferecimento é estendido pela
pena ou compaixão ou percepção de alguém como se estivesse faltando algo
que você já tem, este oferecimento é feito pela culpa e somente serve para
reforçar a crença na separação.

Se você quer ser verdadeiramente Útil, então você deve limpar a mente das
falsas crenças e permitir que os milagres sejam apresentados através de você.
O ego e o Espírito não doam do mesmo jeito. O dinheiro oferecido para aliviar
sofrimentos percebidos fazem pouco para curar a mente, enquanto uma
simples atitude amorosa e não julgadora irradia um milagre que é tão
expansivo que não pode ser mensurado. Para ser verdadeiramente amparador
e útil, esteja aberto para a metafísica da cura da mente e reconheça o problema
onde ele está (na mente) e a solução (paz interior). Reconheça que não haverá
cura parcial. Você deve sentir uma profunda e inabalável paz para reconhecer
que a cura foi realizada. Direcione seus esforços para dentro e os benefícios
serão imensos para o mundo todo. Apóie aquilo que é realmente valioso sendo
muito devotado na vigilância da sua mente e treinamento da sua mente.
Qualquer coisa que te auxilia neste empreendimento vale verdadeiramente
apoiar e irá mover a sua consciência em direção ao Verdadeiro Dar como
Deus Dá em Espírito.

Vigilância da Mente

À medida que abrimos nosso Coração no Grande Despertar, reconhecemos


que não podemos tomar o caminho do outro como o nosso próprio caminho e
nem podemos julgá-lo.

Vigiar nossos pensamentos é uma tarefa de “tempo integral”, assim como é


liberar aqueles pensamentos que não servem para a paz da nossa mente.

O mundo traz a testemunha para os nossos pensamentos, e continua no nosso


poder mudar a direção dos nossos pensamentos.

Todos desejam profundamente serem incluídos.Ao liberar todos os


julgamentos, vivenciamos o sentimento do Amor de Deus todo inclusivo e
todo abrangente.

Com fé e confiança, a beleza, o amor e a alegria nos são mostrados que é o


nosso exato Ser, o Ser Que está além de qualquer necessidade “externa” de
aprovação ou confirmação.

Você é um Espírito abençoado e felizmente caminhamos juntos nesta mesma


Estrada do Ser.

Agradeço por brilhar a sua luz e por se abrir ao Amor Divino interior que
transcende as aparências do mundo.

Imortalidade

Esta transcrição é um breve segmento de um diálogo entre o Orador e um


estudante de Um Curso em Milagres.O tópico discutido é da imortalidade do
corpo.

*************************************
Estudante: Uma questão que veio para minha mente antes quando você
estava falando do fato de que este corpo não é imortal, mas o ego adoraria que
eu acreditasse que ele pudesse ser. E há uma crença que o corpo pode ser
imortal. Eu me lembro que acreditava nisso, eu me lembro que ficava muito
entusiasmado com toda a idéia de que o corpo é imortal. E parecia muito
lógico para mim quando eu fiquei sabendo que é só a crença da mente que não
é imortal, que ele teria que morrer.

Orador: Bem, se nós pegarmos isso e realmente estendermos isso... o ego é


para algo que não é nada. Ele tem a ilusão de ser muito engenhoso e que é
certamente a experiência do mundo. Parece ter inventado um cosmos gigante
à parte do espírito e à parte da união abstrata e parece ter grande diversidade e
variedade. Parece haver muitas habilidades diferentes, muitas escolhas e
menus para escolher. No sentido da projeção, agora como parte da projeção
nós temos televisões e filmadora e vídeo cassetes e é como fazer filmes dentro
de filmes. O filme do mundo é um filme e dentro disso temos uma outra
projeção. A fragmentação continua dentro das aparentes peças menores. Mas a
única coisa que o ego tem tentado inventar como uma resposta para o céu é a
idéia da imortalidade. Ele nunca foi e nunca será capaz de imitar ou criar a
imortalidade. A imortalidade é um atributo de Deus, da criação, e o ego é uma
defesa contra isso, literalmente um sopro do nada que não veio de Deus e que
não é imortal. O ego pareceu ter um começo e parecerá ter um fim. Mas isto
tudo está dentro do tecido ou da estrutura do sonho. O ego nunca foi capaz de
inventar ou atingir a imortalidade, mas isso não faz com que ele pare de pelo
menos ter a idéia da imortalidade, a idéia que o corpo pode ser feito para viver
para sempre. Mais uma vez, o corpo é forma. A forma e o espírito não tem
conciliação. Eles não têm um ponto de encontro. Um espírito existe, e a forma
e o tempo e o espaço não existem.

Estudante: A exata natureza da forma é que ela é finita, que ela não é eterna.
Ela não pode, portanto, ser imortal.

Orador: Ela tem divisas. Toda forma tem divisas e limites. Deus e a criação
não.

Estudante: Eu me lembro de uma das coisas que aprendi naquele tempo foi
sobre esta pessoa **, na Índia eu acho. E ele parecia ser a prova do fato de que
o corpo é imortal. Parecia que ele aparecia por algum tempo e então, ele se
desmaterializava e não aparecia mais por algum tempo. E então ele se re-
materializava e ficava por mais um tempo e desmaterializava. Eu acho que
isto tem acontecido por muito tempo e que parecia ser a prova de que você
não tem que morrer, que o corpo pode ser imortal se ele é mantido na mente
daquele jeito.
Orador: Apenas perceber um corpo ou uma visão volta para a percepção. Isto
pode ser um símbolo, para muitos um símbolo bem reconfortante. Pode ser
um símbolo de um ensinamento daqueles que deixaram o corpo de lado
completamente, que seus pensamentos estão sempre disponíveis para a mente
enganada como uma ajuda. E a visão deles por aparecer de tempos em tempos
se isto for útil, se isto for algo que o Espírito Santo puder usar para alcançar a
mente. Isto não é nada mais do que símbolos... ver a virgem Maria,
Majagori... e estes são mais exemplos de visões que podem ser vistos que
podem ser úteis. Mas ainda são percepções.

Estudante: Então você diz que ainda é percepção... ainda é irreal, mas é útil e
está alcançando a mente onde ela está?Orador: Sim. Sim. O erro seria fazer a
conexão que você estava fazendo... que parece aparecer por um longo tempo,
que parece ser imortal. Mais uma vez, o conhecimento do reino do céu é
puramente abstrato. É luz... não luz como os olhos do corpo vêem, mas luz no
sentido da compreensão e sabedoria. A escuridão é uma metáfora para a
ignorância, para o bloqueio ou inconsciência daquela luz. Este conhecimento e
o reino são abstrato e qualquer tipo de percepção, não importa quão pura ou
quão estabilizada a percepção se torna, ainda não é conhecimento, não é o
reino abstrato. É ainda da percepção e temporário e não irá durar.

Intimidade, Paz e Liberdade - Os Frutos do Treinamento da Mente

Intimidade, paz & liberdade. Lá no fundo, isto é o que todos querem e


buscam. E onde são encontradas? Quem entre nós não buscou por elas no
mundo físico? Quem entre nós não associou intimidade com proximidade de
corpos, ou paz da mente com um lugar especial, ou liberdade com dinheiro e
mobilidade? A verdadeira intimidade, paz da mente e liberdade transcende o
físico. Conforme se supera os conceitos e definições do mundo físico, pode-se
entender mais claramente que manter em mente o Propósito único do Espírito,
Aquele que não é deste mundo, é como a verdadeira intimidade, paz e
liberdade são encontradas.

Inicialmente, isto parece ser bem abstrato e bem extenso. Manter-se em tal
propósito requer uma tremenda disciplina da mente (ou treinamento da mente)
ou um abandono de todos os outros propósitos. Para a mente destreinada, isto
parece ser muito, muito difícil só porque a mente destreinada acredita na
realidade do físico como certamente acredita que propósitos separados são
necessários para satisfazer diferentes níveis de necessidades. Perceber níveis
separados de necessidades é um erro básico, e leva à busca de soluções dentro
desses níveis separados. Eventualmente o falso conceito de níveis de
necessidades deve ser questionado para que a mente reconheça seu estado
natural de intimidade, paz e liberdade. O problema da separação está na
mente, não no mundo, pois não existem problemas à parte da mente. A Mente,
na Realidade, não é privada e separada.

O presente momento é ponto a ser focado para o Despertar. Este é o ponto do


poder. Desejar ser feliz é viver no momento e ir conforme o Fluxo Universal.
Não é a “escolha” das formas ou comportamentos como, por exemplo, ler este
artigo ou assistir um programa na TV que irá trazer a paz ou aborrecimento.
Não é o “fazer”. Propósito / perspectiva é a escolha real, e é por isso que o
discernimento é importante. É o propósito que você dá ou o significado que
você designa ao ler este artigo ou as assistir um programa na TV que irá trazer
a paz ou o aborrecimento. Não há um propósito inerente em nenhuma forma.
A mente sempre “acha” o que ela deseja lá no fundo.

Por que freqüentemente parece difícil manter-se atento ao presente e manter o


único Propósito do Espírito em mente? A mente equivocada está destreinada e
indisposta a manter-se atenta ao presente porque está com medo do presente.
Toda a tagarelice na mente e todo o drama e distrações e válvulas de escape
são defesas contra o presente momento onde a Quietude está. A mente
equivocada está com medo do Espírito. Todas as metas e propósito do auto-
conceito são do ego e foram feitos para obscurecer o único Propósito do
Espírito. O medo, então, vem do apego da mente ao auto-conceito.
Freqüentemente há muita conversa sobre o desapego como uma solução. E
freqüentemente há um senso de que o desapego realmente traria paz, se isso
fosse possível. Mas tentar se desapegar é confrontado com resistência, pois a
mente permanece confusa sobre o que se desapegar, confusa com a forma
(aparências) e conteúdo (propósito). Desculpas são oferecidas. Os padrões
antigos de pensamento e comportamentos resultantes permanecem. Mais uma
vez, deixa se levar pela conversa ou apenas tenta esquecer completamente do
desapego. Meus amigos, é preciso entender a “natureza do apego” muito
claramente antes que possa que desapegar e ficar em paz. Para se agarrar ao
único Propósito do Espírito, é preciso ser capaz de discernir a “natureza do
pensamento do ego”, independente da forma.

Este é o Propósito que estamos reunindo para vivenciar e compartilhar junto


com todos. Nós convidamos o Espírito para deixar claro para nós os nossos
pensamentos e experiências naturalmente amorosas. Este é o nosso convite ao
Espírito. Trazemos uma intenção sincera, uma disponibilidade de aprofundar
no Coração de Deus. Nós “surgimos” abertos para o Espírito e ansiosos e
prontos para sermos mostrados à nossa própria Santidade!

Esta experiência da comunidade poderia ser descrita como um compartilhar de


expressões de amor bem aberto no qual nenhum questionamento, preocupação
ou assunto está “fora dos limites”. Uma coisa é certa: sentimentos de paz e
alegria são indicadores da escolha de se manter ao único Propósito do Espírito
em mente. E cultivar uma intenção sincera para discernir a “natureza do
pensamento do ego” e felizmente deixá-lo partir leva a uma disponibilidade
maior para escolher a paz em vez do medo. Pois, por que alguém escolheria o
medo, a menos que não fosse reconhecido, ele pareceu oferecer alguma coisa
de valor? Uma vez que o ego é exposto como nada de valor e toda a crença é
retirada dele, ele meramente deixa de ser. Pois somente o Espírito permanece,
e o Espírito é agora, para sempre e sempre! Sim para o Grande Despertar!
Estamos nos lembrando da Verdade do nosso verdadeiro Ser - eterno,
imutável, infinito & perfeito. E todos são abençoados na lembrança da nossa
Unicidade.

Os 'Efeitos' do Treinamento da Mente

P: Sou estudante de UCEM há quase dois anos... mas estou curioso sobre uma
coisa e pode ser um pouco estranho de se perguntar:

Você assiste o noticiário ou lê os jornais ou mantém contato com o mundo


ilusório regularmente?

Quanto mais eu me aprofundo na busca do caminho de casa, mais me


distancio até mesmo de querer saber as opiniões dos outros sobre esta vida. Eu
nunca gostei de ler jornais, mas estou me achando um pouco distante da
minha família, amigos e a minha parceira porque eu não consigo mais falar
sobre o que está “acontecendo no mundo real”. Ele não me interessa. Na
verdade, quando Katrina chegou em Nova Orleans eu não fiquei
emocionalmente apegado a todo o drama em absoluto. Apesar de ter duas
jovens garotas e ter preocupações em relação à segurança delas de uma forma
normal, isto não foi uma preocupação para mim. No entanto, eu me
voluntariei imediatamente para dar abrigo aos evacuados que vieram para esta
área nas primeiras semanas. Isto parece hipócrita e eu deveria estar mais
ciente daquilo que acontece (interesses políticos e drama local) apenas para
estar ciente das lições do perdão.

De repente parece que estou evitando essas coisas para evitar o drama que eu
não quero e que estou só adiando uma lição que eu preciso perdoar? É claro,
eu poderia te contar coisas do drama diário da minha vida que parece tão tolo
comparado a um furacão que mata muitas pessoas e que me devasta como se
fosse um furacão na minha vida... e que me confunde também... pequenas
coisas que parecem estar fora do meu controle.

Agradeço suas palavras... as palavras e pensamentos para todos que chegam


em mim.

R: Amado Milagre
Agradeço por ter escrito. O que você está falando é muito comum para os
estudantes sinceros de UCEM, e é natural parecer perder o interesse pelas
notícias e jornais conforme você progride com a mente de UCEM: perdão. As
aparentes preocupações e / ou dramas pessoais com suas filhas e aqueles
imediatamente próximos a você estão oferecendo muitas oportunidades de
perdão.

É útil lembrar que o grau e direção do erro não importam, então a percepção
equivocada não pode ser colocada numa escala ou uma continuidade. Não há
nenhum grau ou comparação para temer, pois todo o medo é propriamente e
Utilmente Interpretado como um pedido de Amor. Seja grato e fique contente
que você está permitindo o medo inconsciente entrar na consciência para ser
curado.

Definitivamente você está no caminho certo, e apesar de às vezes se sentir


distante da família e amigos e companheira, isto é apenas o medo vindo para a
superfície para ser liberado.

Às vezes sou orientado a assistir a TV por pouco tempo ou dar uma olhada no
jornal quando estou viajando, e por vezes essas migalhas e pedaços dos
‘eventos do mundo’ são usados pelo Espírito Santo no contexto de exemplos
de ensinamento durante as reuniões. Na verdade eu não leio muito de mais
nada, com a exceção das correspondências e emails.

Se você acha que ainda tem uma aversão às palavras sobre interesse político
ou drama local, ou noticiário e jornais, pode ser útil assistir ou ler notícias
ocasionalmente conforme Orientado ou alugar alguns filmes que lidam com
esses tópicos e assuntos e usar o assistir do filme como uma experiência do
assistir da mente. Há anos tenho usado o assistir de filmes (e muitos anos atrás
assistir TV também) como um exercício de treinamento da mente. Permita os
sentimentos virem à superfície sem censurá-los, e então reconheça que os
sentimentos estão vindo dos desejos e crenças e pensamentos mantidos no
inconsciente.

Este tipo de exercício da mente pode ajudá-lo a questionar o que é acreditado


e também ajuda a expor e liberar suposições faltosas. Com a disponibilidade a
mente se torna aberta à re-interpretação da percepção pelo Espírito Santo, que
é o propósito do treinamento da mente.

O primeiro, dos 50 princípios do milagre no início do Texto diz que não há


ordem de dificuldade em milagres e isto vem com uma compreensão mais
profunda que não há hierarquia de ilusões. É útil usar o Livro de Exercícios de
UCEM na prática diária e aplicação das lições sem exceções. Este treinamento
da mente leva a uma Observação verdadeiramente amorosa da percepção que
é do ‘mundo real’ do Espírito Santo em vez da versão do ‘mundo real’ da
mente adormecida.

Amor & Gratidão.

Vigilância da Mente; O Perigo da Divisão

A vigilância da mente é o fim da luta; é o caminho do perdão, o caminho do


despertar, da diligencia. A mente adormecida está perdida nos princípios e
teologias, perdida nas palavras, perdida na sua cultura e tradições. Este é o ‘Eu
conheço a mente’, a mente que buli com as verdades espirituais e justifica sua
posição mental formando divisões. Ela diz, “Você é aquilo - eu sou isso,
somos diferentes. Você é Católico, eu sou Protestante, eles são Muçulmanos.”
Esta mente reforça seus pontos de vista através de posições mentais, conceitos
divisionários e seu passado acumulado, condicionamento, conhecimento,
cultura, gostos e desgostos. São falsos julgamentos porque estão
fragmentários; todo julgamento egótico é baseado em pensamentos de ‘bom’ e
‘ruim’, ‘certo’ ou ‘errado’, todos eles são pensamentos fragmentários. O
verdadeiro julgamento vê o falso como falso e olha para a inculpabilidade;
não existem lados na inculpabilidade, nem divisão. Tudo é um o milagre na
posição do meio.

Julgamento e divisão é a movimentação do pensamento. Qualquer divisão


nega a posição do meio, o caminho do milagre. Esta movimentação sempre
deixa o ‘eu’ e o ‘outro’ culpado. Quando alguém vê a si próprio ‘eu’como
uma imagem, este alguém nega a totalidade. Ao aceitar esta divisão ilusória
este alguém se divide em sujeito e o outro em objeto em ‘eu’ e o ‘outro.’ Esta
divisão é uma tentativa de dividir a eterna energia da vida sem limites, a
verdadeira energia que conecta o todo em meros fragmentos. Aquele que é
pego nesta movimentação poderia dizer, “Esta é a minha interpretação e esta é
a sua interpretação,” que sempre significa que é pessoal. Qualquer divisão
implica defesa; sempre tem que defender a decisão dividida. Por que? Porque
sem a defesa, ele não tem ‘existência’. Esta defesa é que faz parecer dar
verdade à ilusão. A Verdade não precisa de defesas, a Verdade É, a verdade é
sem defesas.

Podemos ver este padrão destrutivo desses pensamentos divisionários através


de alguns exemplos extremos. Qualquer um que está familiarizado com a
história do Cristianismo está ciente que tais padrões divisionários têm sido a
causa de muitas ações insanas nos últimos dois mil anos. É perigoso quando
alguém acredita que só ele tem a única verdade. Isto para ‘eu’ me fazer certo,
inerentemente fazer o ‘outro’ errado, e neste caso pecador o suficiente para ser
condenado. Historicamente falando, alguns dos ‘outros’ estavam tão errado
que a igreja Cristã teve que matá-los. Ouvimos falar das cruzadas onde muitas
pessoas foram massacradas em nome daquele que ensinou, “Ame o seu irmão,
como a ti mesmo.” Até muitos anos mais tarde, qualquer um que fosse
percebido como uma ameaça a este sistema de pensamento poderia ser levado
à morte sendo enforcado ou queimado como uma bruxa. Esta versão da
verdade é uma fabricação; aquela que é baseada na crença, no pensamento
fragmentário. Este sistema de pensamento é uma corrente de pensamentos e
idéias formuladas através dos anos de interpretações equivocadas pelas
‘autoridades’ da religião. Podemos ver que esta é uma formulação mental? É
uma imagem mental da religião que tem tentado ser reconhecida através do
comportamento e ritual. É por isso que o Cristianismo tem sido tão
profundamente marcado pela violência. Não há verdade nas igrejas, livros,
comunhões, velas ou cânticos. Isto é apenas representar um papel. Tudo isso
nega a autêntica experiência religiosa do presente momento que está além da
forma, além do pensamento e da crença. A Verdade não pode ser encontrada
no credo de uma corrente de palavras, ou através do estudo de ideologias,
doutrinas, ou num conjunto de regras. O pensamento pode ser usado para
indicar a verdade, mas esta é a sua única função. Esta é a verdadeira função de
todos os ensinamentos espirituais. Jesus não era Cristão; Buda não era
Budista. Não há nenhum caminho à parte do coração, um verdadeiro caminho
é sem caminho, é uma jornada sem distância.

Este estado de inconsciência descuidada da movimentação do pensamento


complica o mundo ainda mais. Exatamente a coisa que alguém está pregando
está sendo reforçado através da divisão do ‘eu’ e do ‘outro.’ Não há paz na
divisão, há somente aborrecimento. Existem muitos que sinceramente buscam
o caminho espiritual que estão tentando mudar o mundo, tentando trazer paz
para os outros, embora não compreendam a próprias falta. Esta falta manifesta
uma divisão maior, pois é o desejo do conflito, do especialismo através de um
corpo, através de um grupo ou através de uma causa especial. E isto é a falta
de paz que é projetada para fora da própria mente. Sentimentos de ganância,
raiva, ciúmes, inadequação ou mágoa surgem, mas este alguém está tão
ocupado com o ‘outro’, ou com o ambiente externo para reconhecer que o
interno e o externo são o mesmo. A divisão do sujeito / objeto mantém a
delusão do eu e do outro. Não há nenhuma solução nessa brecha ou fora da
própria mente. Esta é uma tentativa de lidar com o sintoma em vez da causa.
A mente dividida é a fonte de todos os aborrecimentos, isto é um fato. Esta
evitação do ser impede a cura do conflito entre o ‘eu’ e o ‘outro’. Não há
nenhum caminho espiritual que está isento disso, até Um Curso Em Milagres.
Qualquer idéia de livros especiais, eventos ‘espirituais’ especiais ou
professores especiais - isto é hipocrisia - pois isto nega a exata essência do
próprio ensinamento. Não há nenhuma brecha no eterno Ser espacial. O Ser
sem limites não conhece nenhuma divisão, não conhece nenhum ‘outro’.

Só existe um professor, só um conteúdo / propósito, só uma verdade. Só há


um problema e uma solução, esta é a VERDADE. Existe um perigo quando se
é apegado às palavras e as usa para o próprio prazer, ou próprio
enriquecimento. O pequeno ‘eu’ precisa de validação fazendo com que o
‘outro’ esteja errado. Esta validação ou é expressa numa maneira positiva ou
negativa. A busca de prazer através de idéias espirituais é uma complicação
adicional. A valorização da própria individualidade através de um conceito
mental da religião é o que se deve ver na luz, não o que os ‘outros’ estão
fazendo, não o externo. Este processo destrutivo continua em todo o mundo.
Não somente na religião, mas também com todos os conceitos mentais. O
processo do ‘eu sei a verdade e você não.’

O processo de usar um conceito mental da religião ou espiritualidade como


um meio para um fim é altamente ignorado como uma tática de adiamento do
ego. Alguns formaram apegos especiais a um professor ou a um grupo. O
buscador de prazer espiritual usa o corpo para dar