Você está na página 1de 4

UFCG / CCT / DEPARTAMENTO DE FÍSICA

Campina Grande-PB, 16 de Novembro de 2004

Disciplina: Física Experimental II Turma: 02

☺ RELATÓRIO DA 15° EXPERIÊNCIA – 3° ESTÁGIO

CAMPO MAGNÉTICO DE DOIS FIOS PARALELOS E LONGOS

PARTE – II: MONTAGEM COM DOIS FIOS PARALELOS E


LONGOS
1. INTRODUÇÃO

1.1 OBJETIVO

O objetivo desta experiência é verificar a Lei de Ampére em se


tratando do campo magnético produzido por um fio longo,
comprovar o princípio da superposição de campos magnético
para os campos produzidos por dois fios paralelos e muito longo
e aplicar o princípio da indução ( Lei de Faraday ) na medição de
campos magnéticos.

1.2 MATERIAL UTILIZADO

 Varivolt
 Reostato
 Amperímetro
 Multímetro
 Dois fios longos
 Bobina de detecção
 Cabos e fios

1.3 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

Montou-se o circuito da figura abaixo,

De modo que, mantivesse uma distância fixa de 20 cm entre os


dois fios. Estabeleceu-se na fonte uma corrente de 2 A no circuito
manipulando junto o reostato.
Mediu-se a tensão induzida em função da distância r até o fio 1,
na região externa (região I), variou-se r a intervalos de 1,0 cm.
Anotaram-se os dados na tabela I.
Fez-se o mesmo procedimento para a região entre os dois fios
(região II). Anotaram-se os dados na tabela II.
1.4 TABELAS

TABELA I – Valores da Tensão Induzida ERMS em Função da


Distância r ao Fio 1 para a Região I.

r(c 1 2 3 4 5 6 7 8 9 1
m) 0
ERM 12 10 9,0 8,0 8,0 7,0 7,0 7,0 7,0 7,
S 0
(m
V)

TABELA II – Valores da Tensão Induzida ERMS em Função da


Distância r ao Fio 1 para a Região II.

r(c 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
m)
ERM 8,0 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 2,0 2,0 1,0 1,
S 0
(m
V)

2. DESENVOLVIMENTO

2.1 CÁLCULO DA EXPRESSÃO DA F.E.M

A expressão para f.e.m induzida para:

A Região I: E = - NS μ0WI (1/r – 1/(d+r))


A Região II: E = - NS μ0WI (1/r + 1/(d-r))


Ao construir os gráficos da tensão induzida (Erms) em função da


distância r (cm) ao fio 1, para as regiões I e II, adotando positivas
as distâncias na região II e negativas na região I, observou-se que
a f.e.m diminui quando a distância aumenta na região I e II. O
gráfico correspondente a região II, apresentou uma parábola com
concavidade para cima, com um mínimo de 10 cm.

Pode-se determinar que o menor valor da tensão induzida (Erms)


na região II é:

R = d/2 Erms (exp) = 5mV

Temos que :
NS = 1100 . a . b = 1100 . 8,4.10ˉ³ . 0,355 =
3,2802m²
D = 20 cm = 0,2m

Então, para calcularmos o Erms teórico, fazemos:

Erms (teo) = NsμoWI = (3,2802.4π.10ˉ .2π.60.2 / π.0,2)


πd
Erms (teo) = 4,946mV

O desvio percentual é 1,09%.

O valor do campo na própria posição do fio percorrido pela


corrente é máximo, onde podemos observar pelos gráficos
quando r se aproxima de zero.
Se tivéssemos usado duas correntes de mesmo sentido, o
gráfico do campo na região II seria uma parábola com
concavidade para cima.

1. CONCLUSÃO

Neste experimento pode-se observar o comportamento do


campo magnético provocado por dois fios paralelos e longos,
assim como a Lei de Ampére pelas medições de Erms em uma
bobina de prova a uma distância r do fio 1.
Os valores medidos na experiência foram satisfatórios, pois
apresentaram um erro de 1,09% em relação aos valores
teóricos.