Você está na página 1de 46

PROJETO DE FÁBRICA E INSTALAÇÕES

INDUSTRIAIS
DANIEL COLLE
Daniel Colle
Daniel Colle

O estudo de tempos, movimentos e métodos aborda técnicas que submetem a uma


detalhada análise cada operação de uma dada tarefa, com o objetivo de eliminar
qualquer elemento desnecessário à operação e determinar o melhor e mais eficiente
método para executá-la.
Para se ter uma ideia sobre a abrangência, importância e simplicidade do assunto, o
destaque “Investigações de Taylor sobre o uso da pá” mostra uma transcrição de um
trecho do clássico livro “Estudo de tempos e movimentos, projeto e medida do
trabalho”, escrito em 1937 por Ralf M. Barnes. Este estudo pioneiro de Taylor também é
frequentemente mencionado na literatura referente à Teoria Geral da Administração.
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle

MAPOFLUXOGRAMA
(FLUXOLOCALGRAMA)

É um diagrama de
atividades que indica o caminho
seguido pela pessoa ou objeto
em estudo. Dá uma visão, em
escala, da área de trabalho que
está sendo analisada. É um
recurso especialmente útil ao
fornecer uma visão geral do
processo de modo compacto.
Daniel Colle

Mapofluxograma para recobrimento de rebolos com pó de esmeril (método antigo)


Daniel Colle

Mapofluxograma para recobrimento de rebolos com pó de esmeril


(método melhorado)
Daniel Colle

DIAGRAMA DE FREQUÊNCIA DE PERCURSO (DIAGRAMA DE CORDAS)

É um diagrama construído sobre uma planta em escala do local de trabalho, onde


acompanha-se, com um barbante ou linha, os deslocamentos efetuados na área estudada,
durante um determinado período de tempo, permitindo conhecer a frequência dos
deslocamentos e calcular a distância percorrida.
É usado quando não há uma sequência estabelecida. Em vez de repetir o ciclo de
elementos, a disposição dos elementos varia, dependendo da tarefa que está sendo executada,
das condições do momento e da oportunidade de inter-relacionamento de atividades.

GRÁFICO DO FLUXO DO PROCESSO (GRÁFICO DO PROCESSO DE OPERAÇÕES)

Normalmente mostra os materiais que entram num processo, as operações executadas


e a ordem de montagem.
Daniel Colle

Gráfico do fluxo do processo do método


ANTIGO para recobrimento de rebolos com pó
de esmeril
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle

Gráfico do fluxo do processo do método


melhorado para recobrimento de rebolos com
pó de esmeril
Daniel Colle

GRÁFICO DE ATIVIDADES

Muitas vezes é desejável ter-se uma divisão do processo ou de uma


série de operações expressas em função do tempo. Um gráfico adequado
para isso é chamado gráfico de atividade.
Daniel Colle

Arranjo físico do local de trabalho para limpeza Gráfico de atividade para limpeza de
de fundidos a jato de areia (método antigo) fundidos a jato de areia (método antigo)
Daniel Colle

Arranjo físico do local de trabalho para limpeza Gráfico de atividade para limpeza de
de fundidos a jato de areia (método antigo) fundidos a jato de areia (método antigo)
Daniel Colle
Daniel Colle

GRÁFICO HOMEM-MÁQUINA

Quando o operador e a máquina trabalham intermitentemente, usa-se o gráfico homem-


máquina.
A máquina espera enquanto o operador a alimenta e enquanto remove a peça acabada, e o
operário permanece inativo durante o tempo máquina do ciclo. Procura-se eliminar ou reduzir o tempo
de espera do operador e da máquina, fazendo com que ambos atuem simultaneamente.
Em geral, o gráfico homem-máquina pode ser resumido nas três fases seguintes: preparar -
executar - dispor.
A construção do gráfico é feita como segue: adota-se uma escala vertical de tempos, que
normalmente é traçada à esquerda da folha. Traça-se uma coluna para cada operador e uma para
cada máquina, sendo que cada coluna dessas é subdividida em outras três: uma para descrever a
ação que está sendo executada, uma para indicar o tempo de realização desta ação e uma outra, com
cor ou traçado particular, indicando quando cada agente representado no gráfico (homem ou máquina)
está em ação ou em espera (parado). Quando julgado necessário, a escala de tempos pode também
ser traçada à direita da folha.
Apresenta-se, a seguir, um exemplo simples: a compra de um saquinho de café em uma
mercearia, envolvendo o freguês, o vendedor e a máquina de moer café.
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle

GRÁFICO MÃO ESQUERDA - MÃO DIREITA

O gráfico homem-máquina aponta meios para a eliminação do tempo de espera da


máquina e do trabalhador, promovendo um melhor balanceamento entre o trabalho do
homem e da máquina.
Após tais estudos, deve-se investigar operações específicas, a fim de melhorá-las. O
objetivo do estudo de movimentos é analisar os movimentos usados por um operário na
execução de uma operação a fim de determinar o método preferido.
O gráfico de operações, gráfico das duas mãos ou gráfico mão esquerda - mão
direita é uma ajuda simples e efetiva para a análise de uma operação.
Dois símbolos são comumente usados na construção de um gráfico desses: um
pequeno círculo indicando um transporte (por exemplo, o movimento das mãos em direção
a uma peça) e um círculo maior denotando ações como agarrar, posicionar, usar ou soltar.
Entretanto, podem ser usados os símbolos já vistos para operação, inspeção, espera e
transporte.
Daniel Colle

MOVIMENTOS FUNDAMENTAIS DA MÃO

BUSCAR (B) ou PROCURAR - Search (Sh) : É a parte do ciclo de trabalho durante a qual os olhos ou as mãos
estão à procura de um objeto.

SELECIONAR (SE) - Select (St) : Equivale a escolha de um objeto dentre os demais de um grupo.

AGARRAR (A) - Grasp (G) : É o estabelecimento de controle sobre um objeto, fechando os dedos em torno
dele, como preparação para levantá-lo, segurá-lo ou manipulá-lo.

TRANSPORTE VAZIO (TV) - Transport Empty (TE) : É o movimento da mão vazia (e sem resistência) ao
aproximar-se ou afastar-se de um objeto.

TRANSPORTE CARREGADO (TC) - Transport Loaded (TL) : É a movimentação manual de um objeto de um


local para outro. Ocorre também quando a mão é movimentada vazia, mas contra alguma resistência.

SEGURAR (SG) - Hold (H) : É a retenção de um objeto depois dele ter sido agarrado sem que seja
movimentado.
Daniel Colle

SOLTAR (S) - Release (RL) : É o relaxamento (perda) do controle sobre um objeto.

POSICIONAR (P) - Put Up (P) : É o giro ou acomodação de um objeto de tal forma que ele oriente-se
convenientemente para ajustar-se ao local a que se destina.
É possível posicionar-se um objeto durante um transporte carregado. O marceneiro, por exemplo, pode
posicionar o prego enquanto transporta-o para a madeira na qual será pregado.

PRÉ-COLOCAR (PC) - Pre Place (PP) : É localizar um objeto em posição pré-determinada, ou colocá-lo na
posição correta para que seja usado em algum movimento subseqüente.

INSPECIONAR (I) - Inspect (I) : É examinar um objeto a fim de determinar se ele obedece ou não a uma
dimensão, forma, cor ou outra propriedade previamente estabelecida.

MONTAR (M) - Assemble (A) : Colocar um objeto em outro ou dentro de outro com o qual ele virá a formar
uma peça inteira.

DESMONTAR (DM) - Disassemble (DA) : Separar um objeto de outro do qual o primeiro é parte integrante.
Daniel Colle

USAR (U) - Use (U) : Manipular uma ferramenta, dispositivo ou parte de um aparelho com o objetivo para o
qual ele foi projetado.

DEMORA INEVITÁVEL (DI) - Unavoidable Delay (UD) : É uma espera que está fora do controle do
operador: interrupção do processo ou característica da operação que não permita a uma parte do corpo trabalhar
enquanto as demais estejam ocupadas.

DEMORA EVITÁVEL (DE) - Avoidable Delay (AD) : É qualquer espera do operador que seja de sua inteira
responsabilidade e sobre a qual ele tenha controle.

PLANEJAR (PL) - Plan (Pn) : É uma reação mental que precede um movimento físico com o objetivo de
determinar como executar uma tarefa.

REPOUSO PARA ELIMINAR A FADIGA (R) - Repouse (R) : É uma tolerância relativa à fadiga com o fim
específico de permitir ao trabalhador que recupere-se da fadiga resultante de seu trabalho.
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle
Daniel Colle

Você também pode gostar