Você está na página 1de 7

Universidade de Brasília – UnB

Faculdade de Direito
320323 Direito e Análise de Políticas Públicas
Dia: quintas feiras ( 14:00-18:00)
Profa. Dra. Ana Claudia Farranha
1. Ementa:
A disciplina busca apresentar os principais modelos de análise em políticas públicas,
apontando suas relações com o desenvolvimento da moldura jurídico e institucional.
Os temas referem-se aos aspectos da formulação, implementação e avaliação das
políticas públicas e abrem a discussão com uma série de autores e escolas (Sabatier,
Easton, Kingdom, Lindblom, Escolha Racional, Institucionalismo, Gerencialismo,
Participação), no sentido de identificar como modelos de tomada de decisão e
implementação se articulam com o desenho normativo de uma determinada política.

2. Objetivos:
2.1. Objetivo geral:
 Apontar os principais fundamentos da literatura que discute a Análise da Política
Pública, estabelecendo conexões com a perspectiva jurídica que articula a dimensão
das políticas públicas.
 2.2. Objetivos instrucionais e de aprendizagem:
Ao final do curso os/as alunos/as deverão ser capazes de:
a) Compreender os fundamentos da Análise de Políticas Públicas
b) Identificar as diferentes fases de desenvolvimento da política pública
c) Analisar as possíveis conexões destas fases com a formulação jurídica
d) Discutir casos para aprofundamento da pesquisa no tema.
3. Conteúdo
No dia 23/08 não teremos aulas, pois a professora estará em um congresso, entretanto para
se familiarizar com as leituras e ocupar esse tempo de aula, recomenda-se os seguintes
títulos:

1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica), cap. 1
2. BUCCI, Maria Paula Dallari. Direito administrativo e políticas públicas. Editora Saraiva,
2002 (p. 252-280)
3. SOUZA, Celina et al. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, v. 8, n.
16, p. 20-45, 2006.

UNIDADE I – NATUREZA DA POLÍTICA PÚBLICA E SUAS RELAÇÕES COM O DIREITO (04


ENCONTROS)
Essa unidade apresenta o conceito de políticas públicas e seu desenvolvimento como campo
de estudos. Para essa discussão indicaremos as seguintes referências bibliográficas:

Encontro 2 – Política Pública: Para que e para quem?? ( 30/08) – Conversa com Rosana
Bulhosa (UnB/UFBA)
1. GIULIANI, Marco (1998). Termo Rede de Políticas Públicas.In: Dizionario di politiche
pubbliche. Carocci: Milano, 1999.
2. BOULLOSA, R. F.. Políticas públicas (verbete). In: Rosana de Freitas Boullosa. (Org.).
Dicionário para a Formação em Gestão Social. 1ed.Salvador: Editora CIAGS, 2014, v. 1, p. 144-
148.
3. BOULLOSA, R. F.. Mirando ao revés as políticas públicas: notas sobre um percurso de
pesquisa. Pensamento & Realidade, v. 28, p. 68-86, 2013.
Acesso: https://revistas.pucsp.br/index.php/pensamentorealidade/article/view/17572
4. Fischer, Frank. Para além do empirismo: policy inquiry na perspectiva pós-positivista. Revista
Nau Social. Vol. 7, No 12 (2016). Acesso:
http://www.periodicos.adm.ufba.br/index.php/rs/article/viewArticle/554

Encontro 3 - Abordagens teóricas ( 06/09)


1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica) , Cap. 2
2. SALM, José Francisco. Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e
modelos de análise. Editora UnB, 2006. ( cap. 3)

Encontro 4 – Direito e Políticas Públicas: a partir da discussão do institucionalismo (13/09)


1. BUCCI, Maria Paula Dallari. Fundamentos para uma teoria jurídica das políticas
públicas. 2013. ( cap. 3)
2. LEJANO, Raul P. Parâmetros para Análise de Políticas Públicas: a fusão do texto e
Contexto. Campina, SP: Arte e Escrita Editora, 2012. ( p. 31-46)

Encontro 5 – Contexto da Política ( 27/09)


1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica) , Cap. 3
2. KOERNER, Andrei; INATOMI, Celly Cook; BARATTO, Márcia. Sobre o Judiciário e a
judicialização. O Estado Democrático de Direito em questão: teorias críticas da
judicialização da política, Rio de Janeiro, Elsevier.[Links], 2011. Disponível em:
http://www.ilae.edu.co/IlaeRevista/RVPdf/Vol.II-Nro4/Vol.II-Nro4-2011-17.pdf
UNIDADE II – ELEMENTOS DA FORMULAÇÃO (03 ENCONTROS) –
Essa unidade a discussão sobre a tomada de decisão é o mote da análise. Por quais canais??
Com quais instrumentos?? Qual a racionalidade?? Como as instituições recepcionam as
demandas sociais?? Em que medida a moldura jurídica capta essa dinâmica?? . Assim, a
literatura da unidade se organiza na seguinte perspectiva:
Encontro 6- Como e porque uma questão social entra na agenda da política pública (04/10)
1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica) , Cap. 4
2. CAPELLA, Ana Cláudia Niedhardt. O processo de agenda-setting na reforma da
administração pública. 2004. Tese de Doutorado. Tese de Doutorado. Programa de
Pós Graduação em Ciências Sociais-PPGCSo da Universidade Federal de São Carlos–
UFSCar. ( cap. 3 e 4) . Disponível em:
http://www.bdtd.ufscar.br/htdocs/tedeSimplificado/tde_arquivos/6/TDE-2006-06-
21T14:28:51Z-1058/Publico/TeseACNC.pdf
3. GOTTEMS, Leila Bernarda Donato et al. O modelo dos múltiplos fluxos de Kingdon na
análise de políticas de saúde: aplicabilidades, contribuições e limites. Saúde e
Sociedade, v. 22, n. 2, p. 511-520, 2013. Disponível em:
http://scholar.googleusercontent.com/scholar?q=cache:NEWFie_eVZYJ:scholar.google
.com/+%22paulo+calmon+&hl=pt-BR&as_sdt=0,5
Encontro 7 - Formulação: instrumentos e design (11/10)
1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica) , Cap. 5
2. OLLAIK, Leila G.; MEDEIROS, Janann J. Instrumentos governamentais: reflexões para
uma agenda de pesquisas sobre implementação de políticas públicas no Brasil. Revista
de Administração Pública, v. 45, n. 6, p. 1943-1967, 2011. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/rap/v45n6/a15v45n6.pdf
3. COUTINHO, Diogo R. et al. O direito nas políticas públicas urbanas e habitacionais: o
uso de instrumentos urbanísticos no município de Santo André, São Paulo. Cadernos
Gestão Pública e Cidadania, v. 19, n. 64.. Disponível em :
http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cgpc/article/viewArticle/9156

Encontro 8: Tomada de decisão ( 18/10)


1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica) , Cap. 6
2. SALM, José Francisco. Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e
modelos de análise. Editora UnB, 2006. ( cap. 5.1; 5.2; 6.1)
3. CAPELARI, Mauro Guilherme Maidana; ARAÚJO, Suely Mara Vaz Guimarães; DU PIN
CALMON, Paulo Carlos. Advocacy Coalition Framework: Um Balanço Das Pesquisas
Nacionais. Administração Pública e Gestão Social, v. 7, n. 2, p. 91-99, 2015. Disponível
em: http://www.apgs.ufv.br/index.php/apgs/article/view/706#.VcOCXPlViko
UNIDADE III – ELEMENTOS DA IMPLEMENTAÇÃO (03 ENCONTROS)
Nessa unidade, o centro da discussão da discussão é: como a política pública se coloca de pé??
Quais os instrumentos jurídicos para tanto?? São eles capazes de dar conta a politização que
permeia a Administração Pública?? Assim, as referências a serem analisadas são.
Encontro 9 : O que implementação de PP, afinal?? (25/10)
1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica) , Cap. 7
2. WU, XUN et al. Guia de políticas públicas: gerenciando processos. Tradução de
Ricardo Avelar de Souza. Brasília: Enap, 2014. (cap. 5 )
3. GOMIDE, Alexandre de Ávila; PIRES, Roberto Rocha C. Capacidades estatais e
democracia: arranjos institucionais de políticas públicas. Ipea: Brasília, 2014. ( Cap. 1
e Cap. 11)

Encontro 10 – Governança e Políticas Públicas (01/11)


1. KISSLER, Leo; HEIDEMANN, Francisco G. Governança pública: novo modelo regulatório
para as relações entre Estado, mercado e sociedade? Revista de Administração
Pública, v. 40, n. 3, p. 479-499, 2006.
2. PETERS, G.; PIERRE, Jon. Administração pública: coletânea. São Paulo e Brasília: ENAP,
2010. ( cap. 28)
3. CALMON, Paulo; COSTA, Arthur Trindade Maranhão. Redes e Governança das Políticas
Públicas. RP3-Revista de Pesquisa em Políticas Públicas, n. 1, 2013. Disponível em :
http://periodicos.unb.br/index.php/rp3/article/view/9126/6853
4. Salamon, Lester M. "New Governance and the Tools of Public Action: An
Introduction,." Fordham Urb. LJ 28 (2000): 1611.
https://ir.lawnet.fordham.edu/cgi/viewcontent.cgi?referer=https://scholar.google.co
m.br/&httpsredir=1&article=2182&context=ulj.
5. MANSUR, Yasmine Santos; COUTINHO, Danusa; TEODÓSIO, Armindo.
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: GOVERNANÇA, PARTICIPAÇÃO E PARCERIAS
INTERSETORIAIS. Ciência e Sustentabilidade, v. 2, n. 2, p. 28-50, 2016. Disponível em :
https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/cienciasustentabilidade/article/view/126

Encontro 11 : Participação é Governança? ( 08/11)


1. DE PAULA, Ana Paula Paes. Por uma nova gestão pública: limites e
potencialidades da experiência contemporânea. FGV Editora, 2005., cap....
2. PIRES, Roberto Rocha C. Efetividade das instituições participativas no Brasil:
estratégias de avaliação. IPEA: Brasília, 2011. Disponível em :
http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livro_dialogosdesenvol
07.pdf
3. SILVA, Fábio Sá e. Desenho, contexto e qualidade deliberativa em conferências
nacionais: uma análise dos debates e proposições sobre o sistema penitenciário
na I Conferência Nacional de Segurança Pública – I Conseg. In: Brasil em
Desenvolvimento: Estado, planejamento e políticas públicas. Instituto de Pesquisas
Econômicas Aplicadas. Brasília: Ipea, 2010. Disponível em:
http://www.ipea.gov.br/participacao/images/pdfs/conseg.pdf
4. CARLOS, Euzeneia; OLIVEIRA, Osmany & ROMÃO, Wagner. Sociedade civil e
políticas públicas no Brasil contemporâneo. Chapecó: Argos, 2014. (Cap. 7)
5. Paulo Henrique de Souza Bermejo, Gustavo Cunha Garcia, Jonathan Soares
Pereira, Suylan de Almeida Midlej e Silva, (2018) "Does public consultation
encourage social participation?", Journal of Enterprise Information
Management, https://doi.org/10.1108/JEIM-11-2017-0169
6. DE SOUZA, Fábio Jacinto Barreto et al. Orçamento Participativo: Mais qualidade da
democracia?. Organizações & Sociedade, v. 24, n. 81, 2017. Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1984-
92302017000200195&script=sci_arttext&tlng=pt

UNIDADE IV – ELEMENTOS DA AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS (02 ENCONTROS)


Essa unidade aponta os fundamentos para avaliação de Políticas Públicas. Assim,
apresenta-se o sentido de avaliação em política pública, destaca-se a importância da
avaliação para efetivação do direito e aponta-se alguns estudos sobre avaliação
Encontro 12 – Definindo avaliação de políticas públicas ( 22/11)
1. VEDUNG, Evert. Four waves of evaluation diffusion. Evaluation. V. 16, p. 263-276,
2010.
2. WU, XUN et al. Guia de políticas públicas: gerenciando processos. Tradução de
Ricardo Avelar de Souza. Brasília: Enap, 2014. (cap. 5 )
3. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. , Cap. 8
e9
Encontro 13 – Definindo avaliação de políticas públicas ( 29/11)

1. BOURCIER, Danièle; BOULET, Romain; MAZZEGA, Pierre. Politiques publiques,


systèmes complexes. 2012. Paris: Hermann Éditeurs. ( p. 195-217).
2. DE BARCELOS, Ana Paula. Neoconstitucionalismo, direitos fundamentais e controle das
políticas públicas. Revista de direito administrativo, v. 240, p. 83-105, 2005.
Disponível em :
UNIDADE V - ESTUDOS DE CASOS: NOVOS PARADIGMAS, NOVAS METODOLOGIAS E RE-
INTERPRETAÇÕES SOBRE O DIREITO ( 02 ENCONTROS)
Essa unidade pretende discutir as propostas de artigos dos alunos/as e tentaremos fazer um
debate final sobre novas abordagens em políticas públicas, trazendo pesquisadores que têm
trabalhado no tema.
Encontro 14 – Apresentação de propostas de trabalho (06/12)
Encontro 15 - Apresentação de propostas de trabalho (13/12)

4. Metodologia
1. Aulas dialogadas e expositivas, construídas com exposição de alunos e da professora.
2. Atividades programadas em sala (seminários apresentados pelos alunos, a partir da
literatura apresentada em sala)
3. Análises críticas de artigos apresentados em congressos ou de periódicos científicos (roda de
discussão e apresentação de questões e problemáticas)

5. Critérios de avaliação na disciplina


A avaliação de desempenho do participante na disciplina será feita a partir dos seguintes
critérios:
Nota 1
 Apresentação de seminário ( de 01 a 02 seminários) – 10,0
Nota 2
 Entrega de questão para discussão ( 2ª. Parte da aula – 12 questões entregues) – 10,0
Nota 3
Elaboração de artigo, a partir da bibliografia trabalhada na disciplina – 10,0

 Nota final
A nota final da disciplina será obtida a partir da média das três avaliações e convertida com
base na seguinte tabela:
Pontos Menções
90 a 100 SS
70 a 89 MS
50 a 69 MM
30 a 49 MI
0 a 29 II
 25% de faltas SR

Referências Bibilográficas

1. HOWLETT, Michael; RAMESH, M.; PERL, Anthony. Política pública: seus ciclos e
subsistemas–uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 304, 2013. ( leitura
básica)
2. SOUZA, Celina et al. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, v. 8, n.
16, p. 20-45, 2006.
3. LEJANO, Raul P. Frameworks for policy analysis: Merging text and context. Routledge,
2006.
4. SALM, José Francisco. Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e
modelos de análise. Editora UnB, 2006.
5. EASTON, David. Uma teoria de análise política. Rio de Janeiro: Zahar, 1968.
6. LINDBLOM, Charles Edward. O processo de decisão política. Ed. Univ. Brasilia, 1981.
7. GOMIDE, Alexandre de Ávila; PIRES, Roberto Rocha C. Capacidades estatais e
democracia: arranjos institucionais de políticas públicas. IPEA: Brasília, 2014.
8. BUCCI, Maria Paula Dallari. Políticas públicas e direito administrativo. Revista
Trimestral de Direito Público, v. 13, p. 134-144, 1996.
9. TRUBEK, David M.; COUTINHO, Diogo R.; SCHAPIRO, Mario. Towards a new law and
development: new state activism in Brazil and the challenge for legal institutions. Univ.
of Wisconsin Legal studies Research Paper, n. 1207, 2012.
10. COUTINHO, Diogo R. O direito nas políticas públicas. MARQUES, Eduardo; FARIA,
Carlos AP. A política pública como campo multidisciplinar. São Paulo: Unesp, 2013.
11. GELINSKI, Carmen Rosario Ortiz G.; SEIBEL, Erni José. Formulação de políticas públicas:
questões metodológicas relevantes. Revista de Ciências Humanas, v. 42, n. 1 e 2, p.
227-240, 2008.
12. SARAIVA, Enrique. Políticas públicas: coletânea. ENAP, 2006.
13. SOUZA, Celina. Estado do campo da pesquisa em políticas públicas no Brasil.
Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais, 2006.
14. VIANA, Ana Luiza. Abordagens metodológicas em políticas públicas. Revista de
Administração Pública, v. 30, n. 2, p. 5-43, 1996.
15. KISSLER, Leo; HEIDEMANN, Francisco G. Governança pública: novo modelo regulatório
para as relações entre Estado, mercado e sociedade? Revista de Administração
Pública, v. 40, n. 3, p. 479-499, 2006.
16. GONÇALVES, Alcindo. O conceito de governança. XIV Encontro do Conpedi, 2005.
17. DE AZEVEDO, SÉRGIO; ANASTASIA, Fátima. Governança,“accountability” e
responsividade. Revista de Economia Política, v. 22, n. 1, p. 85, 2002.
18. GUIVANT, Julia S.; CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS. A governança dos
riscos e os desafios para a redefinição da arena pública no Brasil. Ciência, Tecnologia e
Sociedade: novos modelos de governança, p. 47-85, 2005.
19. PROCOPIUCK, Mario; FREY, Klaus. Redes de políticas públicas e de governança e sua
análise a partir da websphere analysis. Revista de Sociologia e Política, v. 17, n. 34, p.
63-83, 2009.
20. CALMON, Paulo; COSTA, Arthur Trindade Maranhão. Redes e Governança das Políticas
Públicas. RP3-Revista de Pesquisa em Políticas Públicas, n. 1, 2013.
21. WU, XUN et al. Guia de políticas públicas: gerenciando processos. Tradução de
Ricardo Avelar de Souza. Brasília: Enap, 2014.
22. DE PAULA, Ana Paula Paes. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da
experiência contemporânea. FGV Editora, 2005.
23.
24. PIRES, Roberto Rocha C. Efetividade das instituições participativas no Brasil:
estratégias de avaliação. IPEA: Brasília, 2011. Disponível em :
http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livro_dialogosdesenvol07.p
df
25. SILVA, Fábio Sá e. Desenho, contexto e qualidade deliberativa em conferências
nacionais: uma análise dos debates e proposições sobre o sistema penitenciário na I
Conferência Nacional de Segurança Pública – I Conseg. In: Brasil em Desenvolvimento:
Estado, planejamento e políticas públicas. Instituto de Pesquisas Econômicas
Aplicadas. Brasília: Ipea, 2010. Disponível em:
http://www.ipea.gov.br/participacao/images/pdfs/conseg.pdf

26. CARLOS, Euzeneia; OLIVEIRA, Osmany & ROMÃO, Wagner. Sociedade civil e políticas
públicas no Brasil contemporâneo. Chapecó: Argos, 2014.
27. CASTELLS, Manuel. Hacia el estado red. Globalizacion economica e instituciones
politicas en la era de la información. Ponencia presentada en el Seminario sobre
“Sociedad y reforma del estado”, organizado por el Ministerio de Administracao
Federal e Reforma Do Estado, Republica Federativa do Brasil. Sao Paulo, 1998., p. 1-
14
28. PETERS, G.; PIERRE, Jon. Administração pública: coletânea. São Paulo e Brasília: ENAP,
2010.
29. BOURCIER, Danièle; BOULET, Romain; MAZZEGA, Pierre. Politiques publiques,
systèmes complexes. 2012. Paris: Hermann Éditeurs.

Referências para aprofundamento

1. SABATIER, P., JENKINS, S.H.C. Policy Change and learning: an advocacy coalition
approach. Westwview Press, 1993.
2. SABBATIER, P. Theories of the policy process. Boulder: WestView Press, 1999.
3. TAYLOR, P. &, HALL, R. “As três versões do neo-institucionalismo”, Lua Nova, 58: 193-
224, 2003.
4. BACHRACH, P. ; BARATZ, M. S. Two faces of power. American Political Science Review,
56, 1962.
5. EASTON, D. A System Analysis of Political Life. New York: Wiley, 1965.
6. EASTON, D. The political system. New York: Willey, 1953.
7. ETZIONI, A. Mixed-scaning: a third approach to decision-making. Public Administration
Review, 27, 1967
8. THELEN, K. Historical institutionalism in comparative politics. Annual Review of
Political Science, 2: 369-404, 1999.
9. KINGDON, John W.; THURBER, James A. Agendas, alternatives, and public policies.
Boston: Little, Brown, 1984.
10. DYE, T.R. The policy analysis. Alabama: The University of Alabama Press, 1976.
11. FREY, K. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da
análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e políticas públicas, Brasília, IPEA,
21, jun., 2000.
12. SALAMON, Lester M., and ODUS V. Elliott. The tools of government: A guide to the new
governance. Oxford University Press, 2002.
13. PETERS, G. Policy instruments and public management: bridging the gaps. Journal of
Public Administration Research And Theory, v. 10, n. 1, p. 35-47, Jan. 2000.
14. AZEVEDO, Paulo Furquim, Rachel SZTAJN, and Décio ZYLBERSZTAJN. "Economia dos
contratos." Direito e economia: análise econômica do direito e das organizações. Rio
de Janeiro: Elsevier (2005)
15. SECCHI, Leonardo. "Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos
práticos." São Paulo: Cengage Learning 133 (2010).