Você está na página 1de 30

Título: Ler e escrever é um prazer!

Tema: Ler é divertido, escrever é apaixonante.


“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos
serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história”.
(Bill Gates)

Justificativa:
Vivemos numa cultura predominantemente escrita, num mundo permeado por diferentes objetos
escritos, impressos ou virtuais, que exercem sobre nós uma constante interação através da ação leitora. A
todo instante nos deparamos com a linguagem escrita: em jornais, revistas, panfletos, cartazes, outdoors,
placas de trânsito, e-mails, blogs, sites, e outros; um mundo escrito que se põe diante de nossos olhos, nos
caracterizando como verdadeiros leitores ambulantes e, agora, navegantes.
A escola é um ambiente privilegiado por garantir muito contato com os livros. Entretanto,
habilitar-se como leitor depende não apenas das oportunidades de acesso que se venha a ter aos livros em
sua diversidade e riqueza de quantidade, isso vai além.
Sabemos que a realidade atual vem afastando cada vez mais nossos alunos do ato de ler. O uso de
celulares, computadores, TV e, principalmente, a falta de incentivo têm levado nossos alunos a perderem
o interesse pela leitura e, como consequência, aparecem dificuldades marcantes quando solicitamos que
realizem uma produção de texto ou expressem sua opinião relacionada a determinado assunto. Notamos
indícios como vocabulário precário, reduzido, informal, dificuldade de compreensão, erros ortográficos,
de concordância e outras dificuldades.
Diante dessa realidade, vê-se a necessidade de desenvolver um projeto de incentivo a leitura,
capaz de proporcionar aos alunos a vivência de experiências que fortaleçam seu processo de
aprendizagem, favorecendo o despertar do hábito de leitura. Desta forma, a escola pode estimular os
alunos a buscarem, nos livros, momentos de prazer e conhecimento, tendo como consequência a melhor
compreensão do que é aprendido na escola, do que acontece no mundo, de forma geral e na sua
comunidade.

Objetivo geral: Estimular os alunos a entrarem num processo de leitura permanente e prazeroso estando
continuamente em contato com a maior diversidade metodológica e de gêneros textuais, ajudando-os a se
tornarem leitores e escritores.

Objetivos específicos:
 Identificar o nível de leitura e escrita dos alunos e registar no caderno de acompanhamento
bimestral;
 Adquirir competência na leitura e escrita;
 Oportunizar aos estudantes o acervo de inúmeras obras literárias de variados autores, buscando
sempre, ampliar seus conhecimentos e suas capacidades criativas;
 Ler individualmente e em grupo, conhecendo os clássicos e identificar recursos linguísticos,
procedimentos e estratégias discursivas para relacioná-las com seu gênero;
 Identificar as características dos gêneros estudados;
 Desenvolver a alegria de aprender por meio de atividades significativas para os educandos,
criando brincadeiras, promovendo jogos, contribuindo para o desenvolvimento da expressão
artística, corporal e musical deles;
 Ampliar o repertório literário e cultural das crianças;
 Aproximar das crianças os diversos gêneros textuais;
 Reconhecer a leitura como uma fonte essencial para produzir textos;
 Produzir e revisar textos em diferentes gêneros;
 Saber interpretar vários tipos de texto;
 Promover na comunidade escolar, o envolvimento de educadores, educandos e funcionários para a
construção e desenvolvimento de ações que proporcionem o resgate da leitura pelo prazer de ler;
 Proporcionar a interatividade dos alunos, professores e funcionários com as literaturas infantis,
infanto-juvenis, juvenis e clássicas, despertando o gosto e o prazer pela leitura;
 Dar acesso ao aluno as diferentes leituras da internet através de jogos e sites educativos;
 Promover o desenvolvimento do vocabulário;
 Possibilitar a vivência de emoções, o exercício da fantasia e da imaginação;
 Possibilitar produções orais, escritas e em outras linguagens.

Situação problema:
 De que forma a leitura, a escrita e a produção de textos terá significado para o aluno?
 Como intervir no processo ensino-aprendizagem?
 Que estratégias fará o aluno ler e escrever com prazer?

Conteúdos:
• Leitura
• Procedimentos de leitura;
• Características dos gêneros textuais;
• Produção de textos;
• Revisão de textos.

Sugestões de aprendizagem:
 Crie um ambiente de leitura na sala de aula;
 Dialogue com os alunos sobre o repertório e o interesse pela leitura;
 Abrir as aulas, todos os dias com uma leitura deleite;
 Construir o mural das biografias dos autores que estão sendo estudados;
 Trabalhar reescrita de textos estudados;
 Levar os alunos para conhecer as bibliotecas das outras escolas de Parelhas;
 Trabalhar com monitoria.

Desafios do projeto: 1 - trabalhar com reagrupamento. A sala de aula será dividida em dois grupos:
cristal, os com maiores dificuldades. E Rubi, os mais avançados. O que fará com que os professores
levem 2 tipos de atividades do mesmo conteúdo. 2 – As atividades relativas ao Projeto de leitura serão
desenvolvidas no primeiro horário, com organização de carteiras de forma diferenciada. 3 - tornar as
aulas mais lúdicas.

Culminância:
Mostra Literária realizada no dia 12 de outubro, numa sexta-feira. Dia Nacional da Leitura.

Avaliação:
A avaliação será diagnóstica e processual, para que o professor possa rearticular sua prática de acordo
com as necessidades da turma. Serão observados os seguintes aspectos: participação, interesse,
desempenho, engajamento e colaboração, evolução individual do aluno por bimestre, como ele começou e
como terminará cada bimestre.

Imagens sugestivas:

SUGESTÕES DE ATIVIDADES:

1 - SACOLA DA LEITURA
Serão confeccionadas uma sacola para cada turma. Nessas sacolas serão colocados um kit contendo
diversos materiais de leitura para a mãe, o pai os irmãos e o próprio aluno dependendo do nível em que
está. Cada vez um aluno levará para casa para ler em família. Também irá neste kit um caderno para que
os pais e o aluno anotem o que mais achou interessante na leitura em família.

2 - FEIRA DE LIVROS
Na semana do livro e da biblioteca realizar a feira do livro “sebo” envolvendo os estudantes, docentes,
funcionários e pais, que serão convidados a doar e ou a realizar a troca de livros usados e em bom estado.
Serão aceitos todos os gêneros literários. Organizar apresentações culturais.

3 - HORA DO CONTO
A atividade é desenvolvida com todas as turmas dos Anos Iniciais em sistema de rodízio, agendamento.
Serão convidadas pessoas de fora da escola para oferecer esse momento aos alunos.

4 - FICHAMENTO DE LIVROS
Os alunos do 4º e 5º ano farão resumos e fichamentos dos livros lidos e no final, emitirão opiniões sobre o
tema abordado.

5 – CAPA DE LIVRO
Os alunos farão a leitura da capa do livro, retirando informações sobre a referência bibliográfica do
mesmo: Título do livro, Nome do autor, Nome do ilustrador, Nome da editora... os professores farão uma
orientação prévia sobre este trabalho oral: postura, entonação de voz, seriedade, leitura fluente.

6 - CONSTRUÇÃO DO DICIONÁRIO DA TURMA


No ato da leitura, procurar palavras desconhecidas e anotar; trazer o dicionário para sala e anotar o
significado. O dicionário da turma será exposto na II Mostra Literária.

7 - TODOS LENDO
O aviso do início da atividade será com uma chamada na rádio escola. Em cada sala, os educando e
docentes realizam leitura. Da mesma forma, os funcionários em seus locais de trabalho deixam seus
afazeres e leem.

8 - VOVÓ E VOVÔ NA ESCOLA


Serão convidados os avós dos alunos para participarem do momento de contação de história, onde farão o
relato de experiência proporcionando um momento de interação entre as diferentes idades.
9 - INTERCÂMBIO DE CLASSES
O professor organiza uma contação de história com os alunos. Uma turma conta história para outra turma,
tudo organizado pelos professores, com fantasias, e toda ludicidade que a idade dos alunos pedirem.

10 – PRODUÇÃO DE MURAL: “LI, CURTI E RECOMENDO”


Organizar com os alunos um mural onde, à medida que leem os livros, alunos e professores colocam
comentários sobre as obras que mais gostaram, dizendo por que recomendam a leitura desses livros.

MURAL DA LEITURA: LI, CURTI E RECOMENDO

TÍTULO DA OBRA AUTOR COMENTÁRIO


Atividade de compreensão

Com esta atividade, o aluno vai desenvolver algumas habilidades importantes de leitura e compreensão
enquanto ele lê a história. O objetivo vital para os iniciantes na leitura é a habilidade não apenas de
decodificar as palavras, mas todo o texto fazer sentido. A criança pode ser capaz de encadear sons em
conjunto, mas e os pontos da trama? Será que ela consegue associar todos os personagens retos e seguir o
ritmo dos eventos que estão acontecendo? Esta é uma das atividades de leitura que muitos professores
usam – e também funciona em casa, ou seja, pais também podem realizar com seus filhos. É simples e
fácil de executar, e pode levar a um pensamento muito profundo e complexo da história que se está lendo,
ajudando a desenvolver essas habilidades de compreensão.

– O que precisa:

Papéis adesivos (tipo Post it), caneta, livro de histórias que você planeja ler com a criança.

– Como aplicar:

A ideia dessa atividade é instigar a criança a refletir sobre a história e fazer com que ela observe detalhes
da narrativa e construa uma sequência de fatos no seu imaginário. Assim, a cada página que for lida,
destaque o que de mais importante aconteceu. A princesa está triste? Como ela está se sentindo em
relação a bruxa? Por que o herói está a caminho de um novo lugar?

Faça perguntas sobre o personagem e suas características. Aponte a evolução da história e a conexão dos
acontecimentos. Anote as perguntas e curiosidades nos papéis adesivos e cole em cada página. Antes de
passar para a próxima, a criança deve responder os questionamentos propostos.

Essas atividades de leitura são tarefas simples e que podem ser feitas durante uma semana, dependendo da
história, para que não fique muito cansativo para a criança.

Praticando a leitura com caça palavras


Nos primeiros anos da escola, há muitas novas palavras que a criança aprenderá a reconhecer. Com o
intuito de facilitar o processo, aplique um divertido jogo de pesquisa que ajudará a melhorar as
habilidades de leitura!
Usando dois conjuntos idênticos de cartas com palavras escritas, o aluno tentará encontrar o cartão
“perdido” correspondente, que o professor escondeu em algum lugar da sala de aula. Ele vai começar a
bancar o detetive e praticar a leitura ao mesmo tempo!

– O que precisa:

20 fichas, caneta, cesta ou pote.

– Como aplicar:

Em cada uma das 10 fichas, escreva uma palavra diferente. Em seguida, faça um segundo conjunto de
cartas usando as mesmas palavras. Palavras como “o/a”, “foi”, “ter”, “tudo”, “muito”, “bom” e “alguns”
são ótimos exemplos que podem ser escrito nos cartões.
Esconda os cartões ao redor da sala de aula. Coloque-os em lugares fáceis de encontrar, como no chão, na
mesa, na estante de livros ou nos quadros de aviso. É legal também esconder em lugares menos óbvios,
como dentro de um livro ou deixá-los meio escondidos sob um copo.
Entregue o outro conjunto de cartões às crianças e peça que leiam a palavra no primeiro cartão. Diga que
ela é detetive e precisa encontrar a palavra correspondente do cartão em suas mãos. Ela pode encontrar
um cartão que não coincida com o que ela está procurando. Se isso acontecer, ela terá que reconhecer que
não é a mesma palavra e continuar procurando.

Quando a criança encontra a palavra de um dos cartões, instrua-a a colocar as duas palavras na cesta. Faça
com que ela continue até que todos os cartões tenham sido encontrados e emparelhados com seus cartões
correspondentes.

Ela pode facilmente encontrar as correspondências com as palavras, então experimente uma nova
variação do jogo. Em vez de dar-lhe um segundo conjunto de cartas, desta vez você pode ler a palavra que
ela precisa encontrar e ela terá que caçar o cartão que tiver escrito.
Uma vez que o aluno dominou essas palavras, faça outro conjunto de palavras e continue jogando! A
identificação das palavras ajuda na hora da leitura e a compreender, aos poucos, a formação da frase, de
um parágrafo e assim por diante.

OS GÊNEROS

Gênero textual: Jornal impresso

Importante meio de comunicação. É com a leitura de um jornal impresso que tomamos


conhecimento de fatos importantes que acontecem no Brasil e no mundo. Existem jornais de diversos
tipos, mas todos eles têm formas parecidas: páginas soltas, encaixadas umas às outras.

- Escolha um jornal local publicado recentemente e responda às questões abaixo:

Nome do jornal:
Data de publicação:
Número de cadernos :
Quantidade de páginas:
Principais Seções

Propaganda
A Propaganda é o conjunto de técnicas destinadas a influenciar opiniões. É desenvolvida por
meio de veículos de comunicação e pode ser de ideias, produtos ou serviços. Para elaborar uma
propaganda, temos de observar os seguintes itens:
a.Qual é o produto a ser oferecido.

b.Que linguagem será utilizada? (formal - culta ou padrão, informal - coloquial).

c.Qual é o público-alvo.

d.Qual veículo de comunicação que será usado, TV, rádio,imprensa escrita(revista, jornal) etc.

e.Qual slogan deve ser criado para a propaganda


(frase marcante e de fácil memorizaçãoque mostra as qualidades de um produto ou de um serviço).

a) Qual loja ou produto é anunciado na propaganda acima?

b) Esta propaganda é destinada a qual público-alvo?

c) Qual é o slogan dessa propaganda?

d) Qual veículo de comunicação é utilizado para a divulgação dessa loja ou produto?

Receita
Pão de queijo
Ingredientes

 2 ½ xícaras de polvilho doce


 ½ xícara de polvilho azedo
 1 xícara de leite
 ¾ xícara de óleo
 1 xícara de queijo parmesão ou minas
 3 ovos inteiros
 1 colher de chá de sal

Modo de preparo

 Bata tudo no liquidificador, menos o queijo;


 Despeje tudo em uma vasilha e misture com o queijo já ralado;
 Leve ao forno em forminhas de empada untada por 20 minutos.

Carla Pernambuco. Juju na cozinha do Carlota: 29 receitas muito fáceis para crianças. São Paulo:
Caramelo, 2004. p. 36.

Interpretação de texto

1) Essa receita serve para:


a) ( ) orientar o preparo de alimentos

b) ( ) indicar quais remédios um paciente deve tomar

c) ( ) mostrar como se monta um brinquedo


2) Quais são as partes em que nossa receita está divida
a) ( ) Inicio, meio e fim

b) ( ) título, ingredientes e modo de preparo

c) ( ) título, conteúdo e autor

3) Quais são os eletrodomésticos utilizados nessa receita?

4) Essa é uma receita que as crianças podem fazer sozinhas? Justifique sua resposta.

5) Para que os números são utilizados em uma receita? O que aconteceria se uma receita não
apresentasse números?

GÊNERO TEXTUAL: BULA DE REMÉDIO

Interpretação:

 Por que é importante ler a bula de remédio?


 Qual o nome do remédio?
 Para que serve?
 Como se deve conservar o remédio?
 Quais são as contraindicações?
 Em caso de dúvidas sobre o remédio a quem deve procurar?

Copie da bula os tópicos existentes nela:


Fórmula: ________________________________________________
Indicação: ______________________________________________
Efeitos colaterais: ____________________________________
Posologia: ______________________________________________
GÊNERO TEXTUAL: CARTA

A carta pessoal costuma apresentar uma estrutura padrão, composta de local e data, vocativo
(geralmente com o nome da pessoa a quem se dirige a carta), texto e assinatura. Na carta em estudo,
identifique todos esses elementos e transcreva-os no local indicado.

Local:
Data:
Vocativo:
Despedida:
Assinatura:
Qual é a mensagem da carta?
Trata-se de uma carta real ou fictícia? Justifique.

GÊNERO TEXTUAL: ENTREVISTA

É claro que você já deve ter lido ou assistido a alguma entrevista, não é verdade?
Ela é um tipo de texto que tem a utilidade de informar as pessoas sobre algum acontecimento social ou
fazer com que o público conheça sobre as ideias e opiniões da pessoa que é entrevistada. Observaremos a
seguir um roteiro com alguns exemplos de perguntas que podem ser utilizadas no momento de uma
entrevista:

 Apresentar o nome da pessoa entrevistada.


 Perguntar sobre sua profissão, sua experiência de vida.
 Questionar sua ideia em relação a um determinado assunto, como por exemplo, a “violência”.
 Acrescentar outras perguntas, que no momento possam surgir.
 Fazer os agradecimentos pela colaboração da pessoa com a entrevista.

História em Quadrinhos

As histórias em quadrinhos são histórias compostas pela linguagem verbal e não- verbal. Essas
histórias são apresentadas dentro de quadrinhos, local onde os personagens são expostos e a fala é escrita
dentro de diversos tipos de balões. Há também histórias em que não se usa nenhum tipo de balão. A
mensagem é transmitida somente através dos desenhos e das expressões faciais.
Há também as onomatopeias que são os sons, ruídos reproduzidos por letras e desenhos. Também
há os recursos gráficos que em sua maioria são os símbolos e sinais que aplicados aos desenhos,
acrescentam-lhe sensações, movimentos, etc.
As onomatopeias:

Os Recursos Gráficos:

Alguns tipos de balões:

Brincadeiras que Envolvem Livros


Quem foi que disse?

Essa é bem divertida, mas é preciso que as crianças já tenham alguns livros preferidos para jogar.
Você vai precisar de livrinhos que já são bem conhecidos por eles, caneta, papel e 1 saquinho. Ela é bem
simples de ser jogada. Primeiro, você recorta tiras de papel e distribui entre as crianças. Depois, deixe que
elas anotem algumas frases dos livros e, então, dobre os papeizinhos e coloque dentro do saco. Cada
criança tira um papel e tem que adivinhar qual personagem disse a frase. Se ela errar na primeira
tentativa, ganha uma pista: de qual livro saiu a frase. Se ela errar mais uma vez, tem de pagar um mico,
imitando o personagem.
De olho no cenário

Aqui você também precisará de livros conhecidos pelas crianças, papel e lápis de cor. Primeiro, sente as
crianças em roda e deixe que os pequenos vejam os livros, leiam trechos ou mesmo o livro inteiro (se não
for muito grande). Quando terminarem, eles devem colocar o livro no centro da roda e escolherem um
livro ou o trecho de um e desenhar, mas desenhar apenas o ambiente, sem os personagens. Quando todo
mundo terminar, é só expor os desenhos e deixar que eles adivinhem que trecho ou livro foi retratado.

E ai, então…

Para essa brincadeira, o livro que você vai precisar é um que as crianças nunca tenham lido. Também vai
precisar de caneta e papel. Depois, sente com as crianças, mostre a capa e leia o título e a primeira página
do livro. Então é só pedir para que eles continuem a história, seja desenhando, escrevendo, falando,
fazendo quadrinhos… No final é só montar uma roda e expor os trabalhos, ou fazer uma roda de leitura.
O bom dessa brincadeira é que crianças de qualquer idade podem participar.

Diário de Férias

Essa é ótima para feriados longos, férias, viagens de fim de semana ou mesmo uma tarde a passeio. Tudo
que vai precisar é de livros, papel e caneta. Quando voltar de um passeio ou viagem, sugira a criança que
conte como foi o passeio, do ponto de vista de um dos personagens de seu livro preferido. Por exemplo,
como Cinderela se sentiu ao passear pela praia? O que Pedrinho achou do zoológico?

Sem falar

Para esta brincadeira, tudo que você vai precisar é papel e caneta. A brincadeira é de mimica e, com a
ajuda das crianças escreva nomes de contos famosos no papel e, depois, corte em tirinhas, dobre e
coloque em um saquinho. Cada um retira um papelzinho e faz a mimica para que os outros adivinhem que
livro é. Quem acertar é o próximo a fazer a mimica.

Mix de Histórias

Para essa brincadeira divertidíssima, tudo que você vai precisa é papel, caneta e um saquinho. Corte o
papel em tirinhas e com as crianças, escrevam o nome de diversos personagens famosos, como boneca
Emília, Chapeuzinho Vermelho, Homem-Aranha, etc. Então é só dobrar os papéis, colocar no saquinho e
formar um círculo. Cada criança tira dois papéis e deve contar uma piada ou uma história curta sobre o
que aconteceria se os dois personagens se encontrassem. Uma criança vai ao centro da roda e conta sua
história, depois, escolhe um dos personagens que escreveram nos papeizinhos mais cedo e, a criança que
tiver tirado esse personagem vai até o centro do circulo para continuar a brincadeira.

Filmes e livros
Essa brincadeira consiste em comparações e análises. Existem diversos filmes que são baseados em
livros, então, que tal assistirem a um desses e depois procurarem pelo livro, para poder comparar a
história, o ambiente, os personagens? Também vale filmes que as crianças já tenham lido o livro, ou
livros de filmes que elas já tenham visto.

Ah, ainda não acabou!

Junte as crianças com livros, papel, lápis e lápis de cor. Nessa brincadeira as crianças podem criar o seu
próprio final para o livro. Escolha uma história não muito grande e se revezem lendo até o final. Depois,
diga “Ah, mas não acabou! Tudo parecia resolvido quando…” e deixe que os pequenos inventem um
novo final.

SUBPROJETO AVENTAL DA LEITURA

Como funciona o projeto:


O projeto, é associado a leitura com um avental com bolsinhos os quais conterão histórias que
desperte o interesse das crianças, a cada contação de história será iniciada na escola com o professor e ao
termino do trabalho desenvolvido, o projeto terá continuidade através da mala de leitura. Assim o
desenvolvimento das ações sempre seguirá.

Atividades:
No caso deste avental, foram escolhidas 10 histórias, em cada bolso será colado apenas a imagem dos
personagens da história e o título. Para cada história o professor trabalha atividades relativas ao assunto.

Público Alvo:
O projeto poderá ser desenvolvido com alunos do 1º ao 5º anos.

Duração do projeto:
Como são 10 histórias, e será adequado dentro de outro projeto, o professor poderá adequar cada história
contada com o conteúdo ou nos dias em que forem destinados a leitura o projeto e só termina quando
acharmos conveniente realizar a culminância.
Livro de abertura, “Avental que o vento leva” de Ana Maria Machado, servirá como motivadora da
metodologia do avental.

Texto1: A HISTÓRIA DO LEÃO QUE NÃO SABIA ESCREVER


 Funcionará como texto motivador da importância de saber ler.
 Interpretação de texto.

Texto 2: O PATINHO FEIO


 Colocar a imagem no bolso;
 Contar a história;
 Realizar um ditado com a turma de palavras que apareceram na leitura;
 Confeccionar um patinho de prato descartável para trabalhar matemática.

1
Texto 3 (Branca de Neve)
 Colar Imagem da história no babado;
 Contar a história;
 Dividir a sala em 3 grupos, entregar a história em fatias, para que montem a sequência no varal da sala.

Texto 4: ( A casa sonolenta)
Texto 5: A PRINCESA QUE TUDO SABIA... MENOS UMA COISA.

- Ler a história utilizando a dinâmica do questionário de interpretação no castelo. (Fichas que cada aluno
pega em um castelo e tenta ler e interpretar junto com os colegas.

Texto 6: O DIÁRIO ESCONDIDO DA SERAFINA


 Identificar as características estruturais e funcionais do gênero diário;
 Produzir uma página de diário, levando em conta as características do gênero.
Após a leitura do texto utilizar

O tema a ser tratado nessa aula é o diário - um dos gêneros da literatura autobiográfica no qual são
registrados acontecimentos cotidianos a partir de uma visão pessoal, possui, por esse motivo, um
caráter intimista e confidente. Esse gênero pertence à ordem do relatar – agrupamento que
comporta os gêneros pertencentes ao domínio social da memorização e documentação das
experiências humanas, situando-as no tempo.
Atividade
1. Como ponto de partida, para ativar o conhecimento prévio dos alunos a respeito do gênero diário, o
professor deverá perguntar a eles:
a. O que é um diário pessoal?
b. Quem tem hábito de registrar as experiências do cotidiano em um diário?
c. Quem já teve um diário?
d. Escrever um diário está “fora de moda”? Por quê?
e. Pode-se dizer que um blog é um versão moderna do diário? Por quê?
f. Quem tem o costume de acessar blogs ou possui um? Para que servem os blogs? Comente.
2. Ao final da conversa com os alunos, o professor deverá concluir juntamente com eles que,
atualmente, o diário é um instrumento de produção de cultura no mundo todo, usado como registro
dos acontecimentos do dia-a-dia. Dependendo de sua função, o diário pode ser usado como algo
público ou privado, comunitário ou pessoal; e de maneira geral é escrito em primeira pessoa.
3. Para apresentar aos alunos as características estruturais e funcionais do gênero diário, o professor
deverá reproduzir para eles a cópia da sinopse do livro “Diário de um Banana” de Jeff Kinney.
Observação: objetiva-se com a apresentação da sinopse do livro aos alunos possibilitar a eles
informações sobre o contexto em que as páginas de diário foram produzidas.

DIÁRIO DE UM BANANA - UM ROMANCE EM QUADRINHOS - Jeff Kinney


Não é fácil ser criança. E ninguém sabe disso melhor do que Greg Heffley, que se vê mergulhado no
ensino fundamental, em que fracotes subdesenvolvidos dividem os corredores com garotos mais altos,
mais malvados e que já se barbeiam. Em 'Diário de um Banana', Greg nos conta as desventuras de sua
vida escolar. Em busca de um pouco de popularidade (e também de um pouco de proteção), o garoto se
envolve em uma série de situações que procura resolver de uma maneira muito particular.
http://www.magmablog.com/2010/04/diario-de-um-banana-livros-e-filme.html
4. Na sequência, após a leitura da sinopse do livro, o professor deverá exibir para os alunos trailers do
filme “O diário de um Banana”.
Disponíveis em:
http://www.youtube.com/watch?v=7CtyrVGldJs
http://www.youtube.com/watch?v=YAtfp_iYr5g
http://www.youtube.com/watch?v=7CtyrVGldJs&feature=related
Aula 02 (50 minutos)
Atividade
1.O professor deverá reproduzir para os alunos a cópia das páginas do diário de Greg – narrador do
“Diário de um Banana”.