Você está na página 1de 4

https://becode.com.

br/principais-cursos-superiores-de-ti/

Os 5 principais cursos superiores de TI e suas diferenças!


Em vez de perder um semestre inteiro, invista 5 minutos nesse post e conheça os principais cursos
superiores de TI e suas diferenças!

Último ano da escola, vestibular chegando e aquela dúvida cruel:

“Qual curso devo escolher?”

Bom, se você já sabe que quer trabalhar com Tecnologia, você já está com meio caminho andado, agora só
falta você ler esse post e entender os principais cursos disponíveis na área, bem como, suas diferenças!

Nosso objetivo aqui é te passar uma noção geral sobre o sistema educacional para a área de Tecnologia
lecionado por escolas Brasil afora. Assim, você não perde um semestre inteiro da sua vida (ou mais!) cursando
algo que não correspondeu às expectativas que você possuia desde o seu primeiro dia de aula.

Para isso, iremos nos basear nos 5 principais cursos superiores de TI (mais populares, mais considerados, mais
listados entre as faculdades, enfim…) e as diferenças entre cada um deles, variando entre cursos voltados para
pessoas que não possuem experiência prévia com TI/programação/sistemas e cursos que trazem uma
bagagem muito mais completa e rigorosa no que tange o estudo e desenvolvimento de hardwares e
softwares.

Então, vamos lá! Do mais mão na massa (1) até o mais gerencial (5):

1. Engenharia da Computação

Foco total em hardwares e demais dispositivos tecnológicos, bem como, tudo que envolve seu projeto e
desenvolvimento. Sim, você irá ver programação, banco de dados, sistemas e outras matérias
correlacionadas, mas em menor quantidade do que o próximo curso de nossa lista, por exemplo.
Nesse curso, o foco será em programação baixo nível, onde há muito mais contato com o hardware! Para
saber a diferença de linguagens de programação baixo nível para alto nível, veja esse post!

2. Ciência da Computação

Prepare-se para programação! Nesse curso você irá conhecer o clássico sobre programação e
desenvolvimento, bem como, aprender o básico das linguagens de programação mais tradicionais (C, Java,
etc). Para ir um pouco mais além, você terá que se virar: procurar tutoriais na web, cursos online, ler livros,
enfim… Além de programação, você também terá conteúdos sobre banco de dados, arquitetura de sistemas e
hardware, além de pitadas de robótica e inteligência artificial.

3. Sistemas de Informação

Faculdade composta por muitos tópicos de administração e gestão em TI. Comparando-se com as anteriores,
espere menos hardware e programação baixo nível. Não que esses conteúdos sejam inexistentes no currículo
(longe disso!), pois você também terá muitas cadeiras, aulas, trabalhos e provas sobre esses assuntos, mas
possivelmente em menor quantidade e profundidade, quando comparado com os cursos anteriormente
apresentados.

4. Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Esse curso costuma ser oferecido na modalidade superior tecnólogo. Voltado para o desenvolvimento de
sistemas de uso empresarial (ERP, CRM, etc), o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas também
possui suas boas doses de conteúdos relacionados a área de gestão e administração, além, é claro, dos
conteúdos clássicos da TI (programação, banco de dados, sistemas). Portanto, esse curso pode ser muito
interessante para quem deseja trabalhar em um nível de gestão, ou ainda, abir o seu próprio negócio!
5. Gestão em Tecnologia da Informação

E, por fim, essa opção, também comumente oferecida na modalidade superior tecnólogo, é mais focada na
gestão dos recursos e possibilidades da área de tecnologia, com muito conteúdo sobre tipos de sistemas,
modelos de negócios, gestão estratégica, tipos de bancos de dados e linguagens, mas pouco hands on (Mão
na massa, em inglês).

O que é um curso superior tecnólogo?

Então, o superior tecnólogo também é considerado um curso de ensino superior, assim como o curso superior
(bacharelado), mas é muito mais focado para o mercado de trabalho e não tanto para o meio acadêmico.
Além disso, ele pode ser concluído em um prazo médio de 2 a 3 anos. Como? Mágica? Não irei deixar de ver
conteúdos importantes? Calma, não é bem assim. Eles costumam ser muito mais objetivos, apresentar a
mesma (ou similar) grade de conteúdos, mas de uma maneira muito mais comprimida e otimizada para
mercado de trabalho.

O que isso significa? Bom, isso significa muita leitura, trabalhos para fazer em casa e estudos fora do horário
letivo para compensar esses dois anos que existiriam caso o tecnólogo fosse um curso clássico de ensino
superior. Em termos de experiência profissional, tanto o bacharelado, quanto o tecnólogo são muito
semelhantes. Entretanto, o superior tradicional ainda costuma ter um peso maior no currículo do graduando
(acredito que isso irá mudar em alguns anos, de forma que o profissional passe a ser julgado mais pelo seu
histórico como profissional do que pelo seu histórico acadêmico).

Outras opções…

Além dos cursos superiores de TI listados acima, existem ainda outras opções, principalmente, relacionadas à
ofertas EAD, Tecnólogos e cursos específicos, com foco total em uma determinada área, como: Redes de
Computadores, Banco de Dados, Programação, Webdesign e Segurança da Informação.

Estas opções costumam ser mais objetivas no seu conteúdo e mais focadas no mercado de trabalho. Se você
acredita que já sabe exatamente com o que deseja trabalhar profissionalmente, estas opções podem ser
interessantes para você. Contudo, por serem formações menos conhecidas e, portanto, menos confiáveis e
testadas, é muito importante que você realize uma pesquisa mais aprofundada sobre o curso, a instituição de
ensino, o número de alunos já formados, referências, mercado de trabalho e tudo mais, pois investir na sua
carreira é algo que deve ser tratado com todo o cuidado do mundo!

Posso trabalhar com TI sem ter ensino superior na área?


Então, sim, você pode, pois a área da TI valoriza muito a experiência profissional. Contudo, não deixe de fazer
um curso de ensino superior. Porque? Pense no recrutador de uma grande empresa. Pode até ser que ele não
valorize muito a formação formal, mas com certeza esse fator possuirá um peso na hora de contratar um novo
talento para a organização.

Imagine a seguinte situação: o recrutador está entre dois candidatos que possuem a mesma experiência
profissional e perfis pessoais similares, um é formado em ciência da computação e outro não possui ensino
superior. Quem você acha que o recrutador irá escolher.

“Ahhh, mas eu não irei trabalhar em empresas, eu terei o meu próprio negócio!”

OK, maravilhoso! O mundo precisa de mais empreendedores como você, mas e se o negócio não funcionar de
primeira? E se você precisar trabalhar em uma outra empresa para levantar capital inicial para o seu negócio?
Pense no “e SE”. Nesse caso, trate o ensino superior como um seguro, ou seja, se tudo der errado, você ainda
poderá recomeçar.

Resumindo, faça!

Não deixe de concluir um curso superior de TI, seja ele qual for. Depois disso, faça uma ou mais
especializações. Aí, se possível, mestrado. E, se ainda sobrar tempo e energia, doutorado. No meio disso tudo,
faça diversos cursos livres!

Moral da história, nunca pare de estudar, pois como diria Nelson Mandela:

A Educação é a arma mais poderosa que você pode utilizar para mudar o mundo. - Nelson Mandela Clique
para tuitar

Esperamos ter esclarecido algumas de suas dúvidas relacionadas a cursos superiores de TI, se você gostou,
deixe o seu comentário e/ou sugestão. Até a próxima!

 Top 48 sites e ferramentas para quem está aprendendo a programar!


 Diagramas ER: conheça as ferramentas que irão facilitar a sua vida!

Erick Scudero

Especialista em Marketing Digital e apaixonado por tudo que envolve o universo de tecnologia e comunicação.
Durante sua jornada na terra dos cangurus (Austrália), atuou em diversos projetos prestando consultoria em
questões de UX, SEO, Marketing Digital e modelos de negócio com foco em startups. É cofundador da Becode,
da M2up e instrutor de cursos presenciais na TargetTrust.

Você também pode gostar