Você está na página 1de 40

SISTEMAS DE

TRATAMENTO
BIOLÓGICO
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização

2
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização
São sistemas de tratamento biológico em que a estabilização
da matéria orgânica é realizada pela oxidação bacteriológica
(oxidação aeróbia ou fermentação anaeróbia) e/ou redução
fotossintética das algas.

3
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização
A matéria orgânica, na forma de sólidos em suspensão fica no
fundo da lagoa, formando um lodo que vai aos poucos sendo
estabilizado.

4
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização
As lagoas de estabilização são bastante indicadas para
regiões de clima quente e países em desenvolvimento, devido
aos seguintes aspectos:
• Suficiente disponibilidade de área;
• Clima favorável ( temperatura e insolação elevadas );
• Operação simples;
• Necessidade de poucos ou nenhum equipamento.
5
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização

Baseia-se principalmente em movimento de terra de


escavação e preparação de taludes.
Objetivo principal:

• Remoção da matéria rica em carbono, e também;


• Controle de organismos patogênicos.
6
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização
O esgoto afluente entra
em uma extremidade da
lagoa e sai na
extremidade oposta.

Onde ocorre uma série


de eventos que
contribuem para a
purificação dos esgotos.
7
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização

As águas são tratadas por processos inteiramente naturais,


envolvendo principalmente BACTÉRIAS e ALGAS.

As algas tem o papel de fornecedores de oxigênio para as


bactérias para a degradação da matéria orgânica.

8
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização

9
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas de Estabilização
Há diversas variantes dos sistemas de lagoas de
estabilização:
• Lagoas facultativas;
• Sistemas de lagoas anaeróbias seguida de
facultativa;
• Lagoas aeradas facultativas;
• Lagoas de maturação.
10
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Facultativas
Lagoa Facultativa

Corpo
Grade Caixa de Areia Medição de vazão Receptor

Lagoa Facultativa

fase fase
sólida sólida

11
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Facultativas
As lagoas facultativas se caracterizam por possuírem uma
zona aeróbia superior em que os mecanismos de estabilização
da matéria orgânica são a oxidação aeróbia e a redução
fotossintética das algas.
CO2
bactérias algas
O2 zona aeróbia

zona facultativa

zona anaeróbia
12
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Facultativas
CO2
bactérias algas
O2 zona aeróbia

zona facultativa

zona anaeróbia

Uma zona anaeróbia na camada de fundo, em que ocorrem os


fenômenos típicos da fermentação anaeróbia
13
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Facultativas
A camada intermediária entre as duas zonas é dita facultativa,
pois nela pode ocorrer fenômenos característicos de qualquer
uma das zonas.

CO2
bactérias algas
O2 zona aeróbia

zona facultativa

zona anaeróbia
14
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Facultativas
• Indicadas para as condições brasileiras devido ao clima
favorável, suficiente disponibilidade de área, à operação
simples e à utilização de poucos equipamentos.
• São lagoas com profundidade de 1,5 a 3 metros.
• Neste tipo de lagoa ocorrem 2 processos distintos: aeróbios
e anaeróbios.
• Tempo de detenção típico 20 dias

15
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Facultativas
Vantagens Desvantagens
↑ eficiência de remoção de DBO Elevados requisitos de área
↓ eficiência de remoção de patógenos Necessidade de remoção de algas
Simples construção e operação Performance variável
↓ custos de implantação e operação Possibilidade de crescimento de insetos
Ausência de equipamentos mecânicos Pode trazer descaso da manutenção
Resistências a variações de carga
Remoção de lodo após alguns anos

16
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas
Lagoa Anaeróbia - Lagoa Facultativa
Corpo
Grade Medição de vazão Lagoa Anaeróbia Receptor
Caixa de Areia
Lagoa Facultativa

fase fase
sólida sólida

17
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas
Nas lagoas anaeróbias a estabilização ocorre sem o concurso
de oxigênio dissolvido. São os fenômenos de digestão ácida e
de fermentação que tomam parte do processo.

18
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas
São um tipo de lagoa de estabilização que são definidas como
um corpo de água lêntico artificial destinadas a armazenar e
tratar resíduos líquidos de natureza orgânica.
O tratamento ocorre de forma natural através de processos de
autodepuração, sob condições parcialmente controladas.
Muitas vezes é necessário tratamentos complementares para
atender os padrões de lançamento estabelecidos pela
legislação ambiental.

19
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas
A fermentação anaeróbica é um processo sequencial.
Primeiramente microrganismos facultativos, na ausência de
oxigênio dissolvido, transformam compostos orgânicos
complexos em compostos mais simples, principalmente ácidos
orgânicos.
É a fase da digestão ácida e da produção de compostos mal
cheirosos (gás sulfídrico) o pH baixa para 6 e até 5..

20
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas
Em seguida as bactérias formadoras do metano (estritamente
anaeróbias) transformam os ácidos orgânicos formados na
fase inicial em CH4 (metano) e CO2 (dióxido de carbono), é a
fase da fermentação, o pH sobe até 7,2 ou 7,5; o maus odores
desaparecem.

21
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas
Corpo
Receptor
Deve ter uma profundidade entre 4 e 6m
Grade Cx de Medição
de vazão Lagoa Anaeróbia Lagoa Facultativa
areia
40a50%
DBO
Fase Fase
Sólida Sólida
ØEconomia de 1/3 de área em relação a
facultativa
ØPossibilidade de liberação de maus odores
(gás sulfídrico) 22
Sistemas de Tratamento Biológico
Ø Lagoas Anaeróbicas

Vantagens Desvantagens

Idem lagoas facultativas Idem lagoas facultativas

Requisitos de áreas inferiores Possibilidade de maus odores

Necessidade de um afastamento

Necessidade de remoção de lodo

23
Sistemas de Tratamento Biológico
ØExemplos de Processos Anaeróbicos de Tratamento
Filtros Anaeróbicos:
ü Nesse tipo de sistema os
microrganismos ficam aderidos a
um suporte imerso e também
ocupam os espaços intersticiais
do leito.

24
Sistemas de Tratamento Biológico
ØSistema de Lodos Ativados

25
Sistemas de Tratamento Biológico
ØSistema de Lodos Ativados
Sistema no qual uma massa biológica cresce e flocula,
sendo continuamente recirculada e colocada em contato
com a matéria orgânica do despejo líquido na presença de
oxigênio puro, ou através de aeradores mecânicos de
superfície.

26
Sistemas de Tratamento Biológico
ØSistema de Lodos Ativados
É composto, essencialmente, por um tanque de aeração
(reator biológico), um tanque de decantação (decantador
secundário) e uma bomba de recirculação do lodo.

27
Sistemas de Tratamento Biológico
ØSistema de Lodos Ativados
O princípio é a recirculação do lodo do fundo de uma unidade de
decantação para uma de aeração. Em decorrência da
recirculação contínua de lodo do decantador e da adição contínua
da matéria orgânica, ocorre o aumento da biomassa de bactérias,
cujo excesso é descartado periodicamente.

28
Sistemas de Tratamento Biológico
ØSistema de Lodos Ativados

O processo por lodo ativado comporta essencialmente


uma fase de contato do efluente a tratar com floco
bacteriano em presença de oxigênio, seguida de uma
fase de separação deste floco (clarificação).

29
Sistemas de Tratamento Biológico
ØMicrorganismos presentes no lodo

30
Arranjos de Lagoas

31
Arranjos de Lagoas

32
Arranjos de Lagoas

33
Arranjos de Lagoas

34
Arranjos de Lagoas

35
36
37
38
Próxima aula
Na próxima aula, você estudará os seguintes assuntos:

Ø Tratamentos não convencionais

Ø Fossas, filtros, fitorremediação, etc

39
Atividade

1. O que é uma lagoa de estabilização?

2. Para dimensionar uma lagoa de estabilização, quais

aspectos devem ser considerados?

40